Você está na página 1de 5

Resumo de anemias carenciais do livro Issler.

Carência:
• Ferro;
• Folato;
• B12 (cobalamina).

Sinais e sintomas gerais: fraqueza, taquicardia, distúrbio do sono,


alteração do humor, glossite (dor, hiperemia e perda das papilas
linguais), palidez cutâneo-mucosa.
Sinais e sintomas específicos:
-carência de ferro: perversão do apetite (geofagia, compulsão por
comer gelo, sabão, espuma de colchão, cabelo), carotemia, pele
seca com ou sem prurido, cabelos quebradiços, unhas fracas,
estrias longitudinais e pode haver queilite angular.
-carência de B12 e folato: uma leve icterícia conjuntival devido
ao processo de hemólise intramedular (eritropoiese ineficaz), rara
hipermelanose com ou sem descoloração dos cabelos e equimose
associada a plaquetopenia.
-carência de B12: predomina sintomas neurológicos: parestesia
simétrica e persistente nas mãos e pés com alteração da
sensibilidade vibratória diminui a força muscular e tem-se ataxia
espástica. Ainda pode ocorrer perda de memória, desorientação e
psicose.

Antecedentes:

Lactentes amamentados exclusivamente ao peito cujas mães são


vegetariana podem desenvolver anemia por carência de B12.
Prematuridade, gemelaridade e a inadequação de peso ao
nascimento são fatores predisponentes para o desenvolvimento de
anemia carencial, mais sangramentos perinatais intensos.
Anticoncepcional causa carência de folato.
Após a menarca uma das principais causas de anemia ferropriva é
a perda menstrual.
Erros alimentares: causa anemia, assim o desmante precoce é um
fator importante na gênese de anemia ferropriva, o ferro no leite
de vaca é menor que o do peito, “leite de vaca in natura”,- alergia
alimentar com perda digestiva.
Introdução de sal = erros alimentares.
- 1)Dieta monótona.
- 2) Baixa oferta de carne
- 3) Vegetarianismo.
- 4) Substituição sistemática da refeição de sal por leite.
- 5) Baixa oferta de vegetais.
- 6) Cocção excessiva dos alimentos.
Erros 2 e 3 = deficiência de b12 porque está em produtos de
origem animal.
Infecções = aumentam necessidade de ácido fólico e interferem
com o metabolismo de ferro.
Drogas = anemia carencial, sangue digestivo de AAS, corticóides,
e outros antiflamatórios. Cimetidina pode interferir na absorção
de ferro e B12. Os antifólicos (metotrexato, trimetropina,
pentamidina, sulfazalazina, pirimetamina) inibem a transformação
enzimática do folato para sua forma biologicamente ativa.

Hemograma.(Valores inferiores a 5g dl.)


OMS: define anemia como a presença de Hb menor do que 11g dl
em criança entre 6 meses e 6 anos, menor que 11,5g dl na daixa
etária de 6-9 anos e menor que 12g dl e 12,5g dl em adolescentes
feminino e masculino respectivamente. Durante o primeiro mês
ocorre diminuição de Hb resultante da substituição da Hb fetal
pela Hb A e do contato com o ar atmosférico cuja saturação de O2
é maior do que a do sangue arterial da placenta = anemia
fisiológica aqui a Hb pode chegar a 9g dl entre o oitavo e décima
semana de vida nos RN de termo.
Anisocitose = tamanho da hémaceas é diferentes.
Anemia ferropriva = microcitose.
Deficiência de B12 e folato = macrocitose.
A anisocitose pode ser traduzida pelo aumento no índice de
variação das hemáceas.
Anemia ferropriva = eritrócitos diminuem a concentração Hb
aparece no esfregaço pó aumento da palidez central (hipocromia).

Leucograma.
Na anemia ferropriva não costuma mostrar alterações.
Deficiência de B12 e folato = leucopenia
Contagem plaquatéria: na anemia ferropriva tem-se valores altos;
nas outras normais ou diminuídos.

Teste terapêutico.
Após 2 ou 3 dias de terapia com sal de ferro, haverá aumento na
contagem reticulocitário, após um mês a Hb irá aumentar no
mínimo 1g dl.
Se houver dúvida de qual das vitaminas está deficiente, prefere-se
dar inicialmente a B12, porque relatos de desencadeamento de
quadro neurológico em doente com carência de B12, quando
tratado com folato.

Diagnóstico diferencial de anemia ferropriva.


A talassemia é uma doença autossômica, pacientes têm além de
anemia microcítica, icterícia e esplenomegalia. Alias, a ausência
de resposta de anemia micro á terapia com ferro é fato relevante
na suspeita de talassemia.
OBS: intoxicação por chumbo relacionados a geofagia = doença
inflamatória crônica acompanha-se de anemia.

Diagnóstico diferencial de anemia por carência de folato e B12.


Na criança, as causas mais comuns de macrocitose sem
megaloblastos são as anemias hamolíticas e as hepatopáticas
crônicas. Já a hipotircoidismo pode ser oligossintomático, e a
macrocitose será chave diagnostica.

Tratamento.
Geral: transfusões de sangue devem ser evitadas, quando
necessário devem ser feitas com concentração de hemáceas e em
velocidade lenta.
–Na doença celíaca, deve ser retirado o glúten da dieta.
–O ferro presente em carne é melhor e mais absorvido que a da
gema, leite ou medicamentos e vegetais (ferro não heme).
–O ferro do leite materno é melhor absorvido que o ferro do leite
da vaca.
De reposição: a via oral é a preferida, já que a resposta terapêutica
independe da via de adm, desde que não haaja defeitos na
absorção intestinal.
Glossite melhora, enquanto as alterações ungueais podem
demorar até 6 meses para desaparecer.
A primeira alteração notada no hemograma, após o início do
tratamento, é o aumentam na contagem de reticulócitos que atinge
seu valor máximo entre 5 e 8 dias de terapia. A causa mais
comum de falha terapêutica é a não aderência ao tratamento.
Reposição de ferro: a dose diária de ferro elementar, preconizada
para o tratamento da anemia ferropriva, é de 4 a 6 mg Kg de peso
até o máximo de 200mg. Sulafato ferroso deve ser a droga de
escolha. A absorção de ferro inorgânico e maior quando dado em
jejum ou em associação com açucares e sucos cítricos e, menor
quando ingerido com leite, café ou chá. A dose diária e dividida
em 2 ou 3 tomadas para diminuir a irritação gástrica, a droga deve
ser mantida até normalização da ferritina ou, no mínimo por mais
2 ou 3 meses após o desaparecimento da anemia.
Reposição de folato: pteroilglutamato ou ácido fólico.
Nos casos de anemia magaloblástica secundária ao uso de
antifólicos, indica-se o ácido foliníco, composto que dispensa a
ação da enzima inibida Poe essas drogas. O único efeito colateral
de relevância é o desencadeamento ou a piora do quadro
neurológico por deficiência de B12.
Reposição de B12; 2 compostos de B12 podem ser usados no
tratamento: a hidroxicobalamina e cianocobalamina. O 1º é a
forma ativa da cobalamina, o 2º deve ser ainda metabolizado.
Como a retenção da hidro é maior, permitindo a sua prescrição a
intervalos maiores, prefere-se esse composto para o tratamento
das condições que cursam com carência de B12. Prescrição
100mg de cino diariamente por 1 semana, seguido de 100 mg em
dias alternados por 2 semanas e depois 100 mg 2 vezes por
semana, ou alternativa das desde o início 1000 mg de hidro
semanais por 5 semanas seguidas.