Você está na página 1de 3

Leia o fragmento:

 O preço do feijão

não cabe no poema.

O preço do arroz

não cabe no poema.

Não cabem no poema o gás

a luz o telefone

a sonegação

do leite

da carne

do açúcar

do pão

A sua é uma poesia de protesto, principalmente em Poema sujo. Participou da

fase concretista. Exímio jornalista, privilegia o social.

1. Falamos de:

a) Carlos Nejar

b) João Cabral de Melo Neto

c) Ferreira Gullar

d) Moacyr Scliar

e) Gonçalves Dias

Sertão. Sabe o senhor: sertão é onde o pensamento da gente se forma mais

forte do que o poder do lugar. Viver é muito perigoso. 

2.Pelo fragmento acima de Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa,

percebe-se que neste romance, como em outros regionalistas do autor,

a)      O conflito entre o eu e o mundo se realiza pela interação entre as

personagens e o sertão que acaba por ser mítico e metafísico.

b)      O sertão é um lugar perigoso, onde os habitantes sofrem as agressões

do meio hostil e adverso à sobrevivência humana.   

c)      Não existe uma região a que geograficamente se possa chamar de

sertão: ele é fruto da projeção do inconsciente das personagens.

d)      A periculosidade da vida das personagens está circunscrita ao meio físico


e social em que vivem.

e)      Há um conceito muito restrito de sertão, reduzido a palco de lutas entre

bandos de jagunços.

3.Sobre o pós-modernismo, é correto afirmar, exceto:

a) Pós-modernismo é o nome dado às mudanças ocorridas nas ciências, nas

artes e nas sociedades desde 1950.

b) O pós-modernismo é um termo de periodização artística e literária que se

refere ao que vem depois do modernismo, abrangendo suas três fases:

primeiro modernismo dos anos 20, modernismo dos anos 30-45, modernismo

canônico de meados dos anos 40 e 60.

c) As narrativas pós-modernas apoiam-se no cotidiano, daí o seu caráter

espontâneo, e dão prioridade às temáticas que levam ao inconsciente coletivo.

d) Os temas da prosa pós-modernista são extraídos do cotidiano e tratados

com irreverência. Essa abordagem tinha como objetivo destruir e contestar os

valores artísticos do passado, bem como os valores ideológicos, sociais e

históricos que forjaram o patriotismo brasileiro.

e)  Enquanto o Concretismo consolidava suas características na poesia, a

prosa pós-modernista seguia por diferentes estilos, marcada por tendências

diversas: regionalista, urbana, intimista, política, realista-fantástica, além de

crônicas e contos.

4.Entre as principais obras literárias da prosa pós-modernista estão:

I. Morte e vida severina, de João Cabral de Melo Neto.

II. Memórias sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade.

III. As meninas, de Lygia Fagundes Telles.

IV. Amar, verbo intransitivo, de Mário de Andrade.

V. Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa.

a) I, III e V.

b) II e IV.

c) II, III e V.

d) I e V.

e) III, IV e V.
Morte e vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, identifica-se como:

a) uma obra que, refletindo inovações e experimentações linguísticas do autor,

torna tênues as barreiras entre a prosa e poesia.

b) um auto que explora a temática do nascimento como signo do ressurgir da

esperança.

c) um auto de Natal que rememora a visita dos reis Magos e pastores ao Deus

Menino.

d) um poema que encerra uma síntese das propostas vanguardistas contidas

na obra geral do autor.

e) um conto cujo interesse se centraliza na preocupação do autor como

problema da seca no Nordeste