Você está na página 1de 10

ALEX MONITO NHANCOLOLO

DÍVIDAS OCULTAS, QUESTÃO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL E DO BEM


COMUM.

Maputo, Outubro, 2020


Índice

Folha de Feedback ....................................................................................................................... i

Folhas para recomendações de melhorias .................................................................................. ii

1.0 Introdução ............................................................................................................................. 3

1.1 Objectivos ......................................................................................................................... 3

1.1.1 Geral ........................................................................................................................... 3

1.1.2 Específicos ................................................................................................................. 3

1.2 Metodologias .................................................................................................................... 3

2.0 Definição de conceitos.......................................................................................................... 4

2.1 Dívidas ocultas .................................................................................................................. 4

2.2 Responsabilidade social .................................................................................................... 4

2.3 Bem comum ...................................................................................................................... 4

3.0 Responsabilidades sociais e do bem comum face às dividas ocultas ................................... 4

3.1 Impactos da Dívida em Moçambique ............................................................................... 6

4.0 Bem comum Face a dívidas ocultas ..................................................................................... 6

5.0 Conclusão ............................................................................................................................. 7

6.0 Referencias Bibliográficas .................................................................................................... 8


i

Folha de Feedback
Classificação

Categorias Indicadores Padrões Pontuação Nota Subtotal


máxima do
tutor

 Capa 0.5

 Índice 0.5
Aspectos
 Introdução 0.5
Estrutura organizacionais
 Discussão 0.5

 Conclusão 0.5

 Bibliografia 0.5

 Contextualização (Indicação
clara do problema) 1.0

 Descrição dos objectivos 1.0

 Metodologia adequada ao
Introdução objecto do trabalho 2.0

 Articulação e domínio do
discurso académico
(expressão escrita cuidada,
coerência/coesão textual)
2.0

 Revisão bibliográfica
Análise e discussão nacional e internacionais
Conteúdo
relevantes na área de estudo
2.0

 Exploração dos dados 2.0

Conclusão  Contributos teóricos 2.0


práticos

 Paginação, tipo e tamanho


de letra, parágrafo,
espaçamento entre linhas
Aspectos gerais Formatação 1.0

Normas APA 6a  Rigor e coerência das


Referências edição em citações citações /referências 4.0
Bibliográficas e bibliografia bibliográficas
ii

Folhas para recomendações de melhorias


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
3

1.0 Introdução
É do conhecimento de muitos que Moçambique é assolado por dívidas ocultas feitas em nome
do povo e que fazem se sentir no povo desde 2015, tendo como consequências o agravamento
do estilo de vida dos Moçambicanos, principalmente nas zonas rurais onde a base do sustento
é a agricultura familiar, que a mesma acaba não sendo suficiente para cobrir a população pois
este pais em estudo nos últimos 5 anos desde a eclosão das dívidas ocultas tem registado
problemas graves resultantes de fenómenos naturais tais como ciclones e tentando recuperar-
se destas situações o país é abalado pela insurgência na zona norte e pela pandemia de covid-
19 que impôs limitação na prática de alguns hábitos que vinham sendo praticados pela
população para o seu auto sustento, isto tudo vai incidir nas famílias pobres e desfavorecidas,
mediante as ideias aqui deixadas houve necessidade de desenvolver o presente trabalho
intitulado: Dívidas ocultas, questão de responsabilidade social e do bem comum.
1.1 Objectivos
1.1.1 Geral
 Analisar as Dívidas ocultas, na perspectiva da responsabilidade social e do bem
comum.
1.1.2 Específicos
 Definir os conceitos dívidas ocultas, responsabilidade social e bem comum;
 Descrever as responsabilidades sociais e do bem comum face às dividas ocultas.

1.2 Metodologias
Para execução de qualquer actividade, é necessário ter o caminho e os procedimentos que o
guiarão ao alcance dos objectivos previamente traçados. Trabalho em estudo não distancia-se
do legado, assim sendo, para sua realização recor-se-á: Pesquisa Bibliográfica quanto aos
procedimentos, ao estudo de caso quanto ao método e pesquisa qualitativa quanto á
abordagem.
Segundo Magibire (2019, p.62), pesquisa Bibliográfica é aquela desenvolvida com base em
material já elaborado, constituído principalmente por livros e artigos científicos.
Segundo Teixeira (2000, p.124), na Pesquisa Qualitativa o pesquisador procura reduzir a
distância entre a teoria e dados, em contexto de acção usando a lógica fenomenológica.
Segundo Canastra, Haanstra e Vilanculos (2015, p.12) método de estudo de caso é um método
privilegiado para estudar fenómenos ou acontecimentos sociais que revelem uma
singularidade e, ao mesmo tempo, uma complexidade, em termos de apreensão global.
4

2.0 Definição de conceitos


2.1 Dívidas ocultas
É o acto de pedir ou contrair algo de alguém e em nome de outrem ou pessoal, seja ela,
vestuário, valor monetário, telemóvel ou outro material com promessa de devolver mediante
as condições impostas pelo dono, porem tornasse oculta se é feita de forma escondida ou se
não informar outras entidades que trabalham ou residem juntos ou que tenham um laço. Grifo
do autor (2020)
2.2 Responsabilidade social
A responsabilidade social pode ser entendida como um processo pelo qual uma entidade
singular ou composta assume a responsabilidade pelas consequências sociais, económicas e
ambientais da sua actividade, e isso através de dois mecanismos principais: na prestação de
contas nos três campos anteriores e no exercício do diálogo com as partes interessadas e
grupos afectados por essa actividade (Goméz, 2015, p.17).
2.3 Bem comum
O bem comum descreve o conjunto de benefícios que são compartilhados por todos e para
todos os membros de uma dado bairro, comunidade, distrito, província, pais ou mundo
(Santos, 2017, p.124)
Contudo o bem comum está relacionado com o ideal de progresso que todas as sociedades e
nações do mundo devem alcançar: a igualdade social e económica, onde todos possam ter
melhores condições de vida.

3.0 Responsabilidades sociais e do bem comum face às dividas ocultas


O fenómeno das dívidas ilegais e ocultas que lançou Moçambique numa crise económica e
financeira súbita e de proporções extraordinárias manifesta a realização de um tipo de risco
especial cuja prevenção é impossível porque nunca antes tinha acontecido, nem era conhecido
ou esperado no país (Golgmann, 2019, p.43).
Porém, uma vez acontecido, medidas robustas de mitigação têm o potencial de criar um
ambiente que pode desmotivar a sua repetição. Tais medidas envolvem a responsabilização
criminal dos perpetradores e o ressarcimento dos prejudicados.
De acordo com Goméz (2015, p.17), fazem parte da responsabilidade social, seguintes itens:
 Responsabilidades nas consequências sociais;
 Responsabilidades nas económicas e;
 Responsabilidades ambientais pela actividade ou prática resultante a sua interacção;
5

Analisando com muita atenção a questão de dívidas ocultas Moçambicanas, foram feitas em
nome do povo, porém sem o seu consentimento, e depois de serem feitas o povo
Moçambicano não foi dito.
Não só, o valor contraído nas dívidas ocultas, não foi usado de forma equitativa nas áreas
onde os dividendos haviam planeado aplicar e no que concerne á responsabilidade social,
essas dívidas não favoreceram nem 10% da população Moçambicana, quanto á
empregabilidade, o que na Ética social diz se falta ou ausência do respeito pelo bem comum,
pois este valor favoreceu a algumas entidades que por ventura já ocupavam um cargo que
permitia o autosustento e criação de auto empresas.
Em 2015 o Moçambique, regista uma subida exponencial no custo do produto sem um pré-
aviso e ó mais tarde é que terá se tornado público que Moçambique contraiu um divida em
nome do povo, e como sabe-se Moçambique faz parte dos países com maior desnutrição
crónica, o que com advindo das dívidas aumentou brutalmente, onde a população passou e
ainda passa fome e nenhuma entidade deu-se ao luxo de ajudar a população desfavorecida e
pobre que sofre por motivos desconhecidos, o que de certa forma mostra a falta da
responsabilidade social pelas entidades competentes e responsáveis pelas dívidas.
O governo tem responsabilidades na resolução do imbróglio das dívidas ocultas e ilegais.
Estas responsabilidades estendem-se à reposição da reputação do Estado na arena
internacional e perante os cidadãos. No entanto, de maneira alguma os pagadores nacionais de
impostos devem ser prejudicados. Antes pelo contrário, uma das responsabilidades do
governo é garantir o ressarcimento, pelos perpetradores do crime que se prove judicialmente,
não somente dos credores que porventura tenham sido efectivamente ludibriados
comprovadamente sem maneira de se precaverem, mas dos Moçambicanos em primeiro lugar.
A confiscação dos bens dos perpetradores, segundo mecanismos judiciais estabelecidos, deve
ser seguida da sua liquidação ordeira e aplicação dos resultados no ressarcimento do Tesouro
público e da sociedade prejudicada, e somente o remanescente deverá ser entregue aos
credores estrangeiros organizados de modo a distribuírem entre si as compensações possíveis.
Isto é diferente de fazer o contribuinte nacional pagar as dívidas ocultas e ilegais. Este deve
ser o sentido da expressão Não pago as dívidas ocultas e ilegais que deve ser complementada
pela expressão Exijo ressarcimento.
6

Figura 1. 1: Relação entre a evolução da Dívida Pública e a Inflação em Moçambique


Fonte: CDD, 2017, p.3

3.1 Impactos da Dívida em Moçambique


De acordo com a Mosca e Aiuba (2017, p.3), Os resultados do estudo indicam o seguinte:
 O serviço da dívida externa contribuiu para a depreciação acentuada do metical em
relação ao dólar americano verificada, sobretudo, a partir de 2015;
 O serviço da dívida interna influenciou a subida das taxas de juros passivas, tornando
deste modo, o acesso ao crédito para consumo e investimento bastante caro;
 Em última instância a dívida pública levou à uma subida do nível geral de preços e,
portanto, para o encarecimento do custo de vida dos moçambicanos.
 Aumento do índice de pobreza, desnutrição crónica, etc.

4.0 Bem comum Face a dívidas ocultas


No momento em que as dividas foram contraídas, a população não teve informação e sofreu
efeitos causados pelas divida ocultas e os proponentes das dívidas pouco fizeram ou fazem
como forma de mitigar esta situação e quando a população começou a usar camisetas que
reivindicavam o pagamento das dividas ocultas esta era interpelada pelas forças de segurança
e defesas, o que em ética significa a não observância e a inexistência do bem comum.
7

5.0 Conclusão
Durante a realização do trabalho o autor constatou que apôs a aquisição do valor das dívidas
sem o consentimento do povo moçambicano, onde só teve informação apôs sofrer as
consequências e efeitos da crise económica, que fazia-se sentir em 2015 pela subida de preços
e alto custo de vida dos mesmos, sendo que a base do sustento é a agricultura familiar e
nenhuma entidade fez diligências para ajudar esta população e em ética diz se que não houve
responsabilidade social por parte do governo.
Ainda no que concerne ausência de responsabilidade social, o serviço da dívida externa
contribuiu para a depreciação acentuada do metical em relação ao dólar americano verificada,
sobretudo, a partir de 2015, tendo influenciado a subida das taxas de juros passivas, tornando
deste modo, o acesso ao crédito para consumo e investimento bastante caro e em última
instância a dívida pública levou à uma subida do nível geral de preços e, portanto, para o
encarecimento do custo de vida dos moçambicanos.
O governo tem responsabilidades na resolução do imbróglio das dívidas ocultas e ilegais.
Estas responsabilidades estendem-se à reposição da reputação do Estado na arena
internacional e perante os cidadãos.
8

6.0 Referencias Bibliográficas


CANASTRA, F. (2012). Manual de Investigação da UCM. Moçambique, Nampula.
CANASTRA, F., HAANSTRA, F. & VILANCULOS, M. (2015). Manual de Investigação
Centro para Democracia e Desenvolvimento. (2019). Que Preço os Moçambicanos estão a
pagar pela dívida pública insustentável. Maputo
Científica da Universidade Católica de Moçambique (2.a ed.), UCM, Beira.
GOLDMANN, M. (2019). Como evitar a repetição das Dívidas odiosas: A lei e a economia
política da dívida odiosa de Moçambique. CIP, Maputo.
GÓMEZ, J. M. et al. (2015). Responsabilidade Social e Desenvolvimento: Apontamentos
para Moçambique. ONGAWA, Maputo.
MAGIBIRE, Z. M. (2019). Metodologias de Investigação Científica. ISCED
MOSCA, J & AIUBA, R. (2017). Forum de Monitoria: Conjuntura Económica da crise das
dívidas ocultas. Maputo
SANTOS, A. R. M. dos. (2017). O bem comum como um bem de todos e de cada um. Lisboa
TEXEIRA, E. (2001). As três metodologias: Académica, da Ciência e da Pesquisa (5.a Ed.),
Belém: UNAMA.