Você está na página 1de 5

1.

INTRODUÇÃO

Durante muitos anos o ácido nitrico foi obtido a partir do salitre do Chile
mediante a reação. O processo corrente envolve a industrialização da reação
de oxidaçao da amônia ao ar. O processo tornou-se econômico em virtude da
diminuição do preço do amoníaco e graças às grandes economias que se
fazem diante do antigo processo ao nitrato de sódio. Não apenas o
investimento inicial na fábrica é menor, mas também ficam muito reduzidos os
custos de manutenção e de reparos.

2. OBJETIVO

Deseja-se instalar uma unidade para produzir 3.200Kg/h de ácido nítrico,


na forma de solução a 60%, pela oxidação da amônia, usando ar como agente
oxidante. O reator deverá operar em fase gás a 6 bar, empregando como
catalisador ródio depositado em pastilhas de alumina. A alimentação do reator
conterá excesso de 10% em oxigênio a 300°C e o produto da reação deixará o
reator a 600°C, com conversão de 100% da amônia alimentada.

3. MEMORIAL DESCRITIVO

As matérias primas essenciais da fabricação do ácido nítrico são o


amoníaco anidro, o ar, a água e uma tela de catalisador. Em virtude da sua
pequena massa molecular, o amoníaco pode ser transportado
economicamente desde as grandes usinas primárias de fixação do nitrogênio
atmosférico até as fábricas de oxidação, nos centros consumidores. Além
disso, o amoníaco anidro pode ser transportado em carros de aço, enquanto o
ácido nítrico requer carros-tanque em aço inoxidável que pesam muito mais.
A forma de comercialização da amônia anidra é normalmente feita em
cilindros ou a granel.
As reações essenciais para a produção do ácido nítrico pela oxidação da
amônia podem ser representadas da seguinte forma:

4NH3(g) + 5O2(g)  4NO(g) + 6H2O(g) ∆ H298°C = -216,6 kcal (1)


2NO(g) + O2(g)  2NO2(g) ∆ H298°C = -27,10 kcal (2)
3NO2(g) + H2O(l) + O2(g)  4HNO3(aq) ∆ H298°C = -32,20 kcal (3)

A primeira etapa consiste em aquecer os reagentes (corrente 1 e 2) até


aproximadamente 300°C a uma pressão de 7 bar absoluto. Como um dos
reagentes é o ar (corrente 1), ele é comprimido no CP-01 até a pressão
desejada enquanto que o amoníaco (corrente 2) é evaporado no EVAP-01
trocando calor com vapor de água. Deve-se ressaltar aqui a utilização do
compressor/turbina para geração de energia através da expansão dos gases
de saída da absorvedora ABS-01 economizando, portanto, energia.
Depois é feita a oxidação da amônia anidra em óxido nítrico(monóxido
de nitrogênio) no reator (REA-01) com catalisador de alumina (10%) e ródio. A
corrente de ar é alimentada com 10% de excesso de oxigênio com o intuito de
melhorar o rendimento das etapas seguintes do processo. Nas condições
sugeridas, a conversão do amônio em óxido é altamente elevada podendo ser
considerada igual a 100%.
A próxima etapa consiste em diminuir a temperatura da corrente 5 de
saída do reator passando a mesma por dois trocadores de calor TC-01 até
300°C e o TC-02 até 50°C. No primeiro trocador de calor o fluido de troca é a
corrente 7 de água condensada utilizada no EVAP-01 que volta a ser vapor e
pode ser reaproveitada na troca de calor do evaporador. No TC-02 a troca se
dá com água da torre de resfriamento.
Depois de diminuída a temperatura a corrente 9 vai entra no reator REA-
02 onde ocorre a reação de oxidação do monóxido de nitrogênio em dióxido de
nitrogênio. Sendo a reação exotérmica e sabendo que temperaturas baixas
favorecem a reação, tem-se o reator é resfriado com água de torre.
A última etapa é a absorção de água pelo dióxido de nitrogênio que deve
ocorrer numa absorvedora de aço inoxidável recheada com pratos ou recheios
de Raschig que devem ser resfriados a fim de garantir a formação do produto
desejado. Nas condições estipuladas o produto final é ácido nítrico a 60%.
4. BALANÇO DE MASSA

Segue abaixo a Tabela com a determinação do balanço de massa do


fluxograma.

Tabela 1. Balanço de massa do fluxograma.


BALANÇO DE MASSA – Parte 1
Corrente (Kg/h) 1 2 3 4 5 6 7
NH3 0,00 863,49 863,49 0,00 0,00 0,00 0,00
O2 3.453,97 0,00 0,00 3.453,97 1.422,22 1.422,22 0,00
NO 0,00 0,00 0,00 0,00 1.523,81 1.523,81 0,00
H2O 0,00 0,00 0,00 0,00 1.371,43 1.371,43 2.653,72
NO2 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
N2 11.225,40 0,00 0,00 11.225,40 11.225,40 11.225,40 0,00
CO2 6,17 0,00 0,00 6,17 6,17 6,17 0,00
Ar 199,43 0,00 0,00 199,43 199,43 199,43 0,00
HNO3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
TOTAL 14.884,96 863,49 863,49 14.884,96 15.748,45 15.748,45 2.653,72

BALANÇO DE MASSA – Parte 2


8 9 10 11 12 13 14
0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
0,00 1.422,22 609,52 203,17 0,00 0,00 0,00
0,00 1.523,81 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
2.653,72 1.371,43 1.371,43 914,29 0,00 1.920,00 600,00
0,00 0,00 2.336,51 0,00 0,00 0,00 0,00
0,00 11.225,40 11.225,40 11.225,40 0,00 0,00 0,00
0,00 6,17 6,17 6,17 0,00 0,00 0,00
0,00 199,43 199,43 199,43 0,00 0,00 0,00
0,00 0,00 0,00 0,00 3.200,00 0,00 0,00
2.653,72 15.748,45 15.748,45 12.548,45 3.200,00 1.920,00 600,00

Primeiro determinou-se o valor das correntes de entrada e saída do


reator através da reação 1 considerando uma conversão de 100%.

Tabela 2. Valores molares da reação 1.


Reação 1: 4NH3 + 5O2 → 4NO + 6H2O
Comp. Fração entra (Kmol/h) entra (Kmol/h) reage (Kmol/h) reage (Kmol/h) sai (Kmol/h) sai (Kmol/h)
NH3 1 100 50,79 100 50,79 0 0,00
O2 0,21 212,5 107,94 125 63,49 87,5 44,44
NO 1 0 0,00 100 50,79 100 50,79
H2O 1 0 0,00 150 76,19 150 76,19
NO2 1 0 0,00 0 0,00 0 0,00
N2 0,78 789,29 400,91 0 0,00 789,29 400,91
CO2 0,0003 0,30 0,15 0 0,00 0,30 0,15
Ar 0,0097 9,82 4,99 0 0,00 9,82 4,99
HNO3 1 0 0,00 0 0,00 0 0,00
TOTAL 564,78 577,48

Foi feito um balanço com base de cálculo molar e depois convertido para
os valores reais em kmol/h conforme Tabela 2.
O mesmo procedimento foi adotado para as reações 2 e 3,
respectivamente, nas Tabelas 3 e 4.

Tabela 3. Vazões molares na reação 2.


Reação 2 : 4NO + 2O2 → 4NO2
entra entra reage reage sai sai
Comp. (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h)
NH3 0 0,00 0 0,00 0 0,00
O2 87,5 44,44 50 25,40 37,5 19,05
NO 100 50,79 100 50,79 0 0,00
H2O 150 76,19 0 0,00 150 76,19
NO2 0 0,00 100 50,79 100 50,79
N2 789,29 400,91 0 0,00 789,29 400,91
CO2 0,30 0,15 0 0,00 0,30 0,15
Ar 9,82 4,99 0 0,00 9,82 4,99
HNO3 0 0,00 0 0,00 0 0,00
TOTAL 577,48 552,08

Tabela 4. Valores molares da reação 3.


Reação 3: 4NO2 + 2H2O + O2 → 4HNO3
entra entra reage reage sai sai
Comp. (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h) (Kmol/h)
NH3 0 0,00 0 0,00 0 0,00
O2 37,5 19,05 25 12,70 12,5 6,35
NO 0 0,00 0 0,00 0,00 0,00
H2O 150 76,19 50 25,40 100,00 50,79
NO2 100 50,79 100 50,79 0 0,00
N2 789,29 400,91 0 0,00 789,29 400,91
CO2 0,30 0,15 0 0,00 0,30 0,15
Ar 9,82 4,99 0 0,00 9,82 4,99
HNO3 0 0,00 100 50,79 100,00 50,79
TOTAL 552,08 513,98

Depois de determinadas as vazões molares, elas foram transformadas


em vazões mássicas.
A temperatura da corrente 1 foi determinada através da equação de
Antoine para determinação para temperatura do composto àquela pressão.
Para determinar a temperatura de saída do compressor o mesmo foi
considerado adiabático e nos trocadores de calor as temperaturas foram
determinadas através do balanço de energia considerando que não existem
perdas de calor no sistema.

5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] R. Norris Shreve Joseph A. Brink Jr. Indústrias de Processos Químicos. 4


ed. Editora LTC.
[2] VPH, Sistemas de Fluxo. Tabelas de Vapor. Disponível na Internet. Acesso
01set2010.
[3] Koretsky, Milo D. Termodinâmica para Engenharia Química. Editora LTC.
RJ, 2007.
[4] Ind. Eng Chem. Manufacture of Nitric Acid by the Oxidation of
Ammonia. 1931.
[5] Knol a unit of knowledge. Ácido Nítrico – Produção. Disponível na Internet.
Acesso 31ago2010. http://knol.google.com/k/%C3%A1cido-n%C3%ADtrico-
produ%C3%A7%C3%A3o#
[6] TutorVista.com. Nitric Acid. Disponível na Internet. Acesso 03set2010.
http://www.tutorvista.com/content/chemistry/chemistry-iii/p-blockelements/nitric-
acid.php.