Design Instrucional Contextualizado: Educação e Tecnologia

José Alexandre Barbosa Pinto Fundação Joaquim Nabuco
Discussão do livro Design Instrucional contextualizado: educação e tecnologia da autora Andrea Filatro

Fundação Joaquim Nabuco, Recife, 21 de outubro de 2009

A aprendizagem humana é um processo constante, pois o indivíduo aprende em todos os momentos da vida. Thordinke em 1850, já desenvolvia estudos sobre a aprendizagem humana, através da teoria conexionista, estudando os estímulos e as respostas dos indivíduos. Bloom desenvolveu estudos sobre a aprendizagem humana em 1950, sobre a taxonomia envolvendo a avaliação, síntese e análise. Estas etapas do ensinoaprendizagem são de fundamental importância para tomadas de decisões e elaboração de projetos escolares.

Com o uso freqüente do computador nas escolas, a partir dos anos 80, Ted Nelson em 1990 criou a expressão linkar, que veio do termo inglês link,o que significa ligar.O computador mudou,significativamente,a forma do ensinoaprendizagem e fez com que o professor e o aluno tivessem novas posturas e desafios. Roland Barthes no seu livro S/Z sobre lexia influenciou Robert Gagné em 1965, que escreveu: The conditions of Learning, destacando a informação verbal, as habilidades intelectuais e psicomotoras e as atitudes e estratégias cognitivas.

A educação não é de um só modelo, ela perpassa toda a sociedade e sendo assim, há inúmeros modelos. A escola é um local de repasse do ensino-aprendizagem, e tantos outros locais também desempenham o papel de disseminar o conhecimento: a igreja, a família, a repartição de trabalho, etc. O estudo da autora, Andrea Filatro, é focalizado pelo insight da Tecnologia e da Educação. A tecnologia tem transformado as relações sociais e, por conseguinte, a educação.

A educação como repasse do ensinoaprendizagem no mundo do trabalho, especializado e digital, requer uma prática de aprendizagem continuada. Na educação continuada, a aprendizagem do aluno adulto é vista pela autora, como uma aprendizagem desafiadora. Com todas as evoluções no campo tecnológico e do trabalho, o Brasil tem direcionado esforços para o aumento dos usuários da educação a distância, para os adultos em especial, de forma presencial, semi-presencial, ou totalmente a distância

Os usuários da internet mais idôneos são mais experientes, mais centrados emocionalmente e psicologicamente com relação ao saber adquirido no dia-a-dia, mas no âmbito do uso da internet e do computador, eles têm um pouco de dificuldade, pois não foram acostumados a lidar com estas novas ferramentas digitais. A tecnologia e a educação como forma de repasses de conhecimentos, para os adultos ainda estão estatisticamente, precisando de um planejamento mais adequado no Brasil, visto que a evasão escolar, e tantos outros aspectos das relações humanas são fatores que obstruem o bom andamento na educação no Brasil.

Além da discussão da tecnologia e da educação dos adultos, pois, enquanto há desenvolvimento de grupos comunitários, onde se conhece pessoas, etc. por que os adultos não usam de forma mais versátil, e com mais criatividade. “Quem educa prática ações cujo alvo é tornar-se supérfluo, quem está sendo educado tem que aprender a fazer ele mesmo o que até então outros fizeram por ele.” (Kant). Hoje, a educação é repassada na sua maioria pela internet ou por meio digital, os pc’s,palmtops,e-books,têm revolucionado o mercado de consumo,e novas formas de produção têm surgido.

O design instrucional na educação, através dos modelos novos tecnológicos, utiliza, dentro de uma visão conjuntural, os hipertextos, os sons, as imagens, os signos etc. fazendo com que os arranjos espaciais e os fatores temporais sejam modificados. A divisão do trabalho social e as novas formas de produção fazem com que o profissional busque a todo instante mecanismo para competir e se manter no mercado de trabalho. Mas, com todo avanço tecnológico e digital, ainda é preciso avançar muito no nosso país para o alcance de uma educação de qualidade.

Andrea Filatro pesquisou com detalhes o design instrucional, conectando este a um amplo processo de arte e de comunicação. Esta forma de comunicação via internet, e computador tem levado muitas pessoas a aprenderem de forma autônoma e informalmente. Filatro, em parceria com a pesquisadora, Paula Calorei, tem estudado o design instrucional nas empresas, no contexto da tecnologia e da informação. A palavra design,do inglês e que significa,estilo,tipo,modelo,quando remetido para a educação está relacionado com o termo francês,ingéniere pédagogique.

A hipertextualidade está sendo usada com mais freqüência nas escolas atualmente, visto que é uma forma não-linear da apresentação das informações, diferentemente, da escola no processo de ensinoaprendizagem tradicional. A virtualidade está desterritorializando a entidades que, embora real, não pode ser fixada em nenhuma coordenada espaço-tempo. Ex: A digitalização da informação. Na realidade virtual há exploração de softwares, para as simulações dos ambientes e hoje as indústrias desses equipamentos fazem com que haja sempre mais inovações, para que esta exploração seja cada vez maior.

A educação mediada por computadores e com a prática também da EAD,e dos ambientes virtuais de Aprendizagem(AVAS)(Trabalhos Cooperativos).Então,o design instrucional passou pelo processo de expansão,por conta da tecnologia na educação. A aprendizagem cooperativa nessas redes cresce a cada momento, e também trabalhos voluntariados etc. Mas, é necessário que haja um planejamento, mediante uma ação intencional que, provoque nos usuários nas escolas, tanto professores e alunos e a comunidade escolar, um melhor rendimento dos trabalhos.

A educação é um processo de desenvolvimento de um ser humano com vista à sua integração individual e social, e envolve diversos atores, e técnicas cognitivas, emocionais, sociopolíticas e culturais. A educação on-line,cultiva,nutre, o indivíduo quer a distância ou presencial, rapidez nas informações e mais precisão. A rede é a principal mola, nesta modalidade de ensino, porque todos podem estar em vários lugares, através de links e numa fração de tempo muito reduzida, quando comparada a forma de ensino tradicional.

A autora destacou a importância da internet, no uso da educação on-line. Internet que é um conjunto de meios físicos, (linhas digitais de alta capacidade, computadores, roteadores, etc. Para o transporte das informações. Os indivíduos que estudam a distância, por meio do computador e utilizando a internet, tem mais flexibilidade de horário e mais economia de dinheiro, além de mais comodidade física.

Mas, também tem que se programar melhor para o acompanhamento das aulas, e estar sempre buscando cursos de aperfeiçoamento, para que as ferramentas possam ser utilizadas com maior produtividade. O ensino é o esforço intencional orientado a pessoas, ou a grupos de pessoas ou instituições, para que o indivíduo consiga mais informações e delas possam se transformar e atuar no meio em que atua.

A didática é uma teoria que é utilizada dentro do contexto de ensino-apredizagem.A aprendizagem tange ao ato de aprender quando criança,adolescente e na vida adulta.O ambiente de aprendizagem é variado,pois o indivíduo nasce aprendendo e continua a aprendizagem até a morte. Na opção pelos cursos a distância, o professor assume o papel diferenciado, ora tutor, mediador, colaborador etc. E utilizando as diversas ferramentas digitais e eletrônicas,pode se comunicar com o aluno diretamente,ou indiretamente,e as vezes um misto desses dois tipos.

Blend Learning é o tipo de ensino, que une o semipresencial e aulas somente, a distância. Também pode ser usada outras formas de repasse do ensino-aprendizagem, o que se chama Edutainment,que é a união de práticas da educação,associada a práticas recreativas,etc. A autora, neste livro destacou seu interesse somente, no tipo de educação on-line, presencial, semipresencial ou totalmente a distância. Mas, destacou a importância do Continuing Permanent Education,no cenário o qual se vive. (Tecnologia,Informação,e conhecimento).

A vontade política nos dias atuais, para com este novo cenário já é mais presente que nos tempos passados, os programas de apoio a educação e a tecnologia, começam a saírem dos papéis, e aos poucos chegam aos diversos rincões do país, transformado de forma gradativa as paisagens e os espaços. SOCINTO (Programa Sociedade da Informação) – Incluir o país na sociedade da informação e favorecer a competição da economia da economia nacional no mercado global. Incentivar as ações para a utilização de Tecnologias e da Comunicação.

PROINFO (1997) Programa Nacional de Informática na Educação. PROFORMAÇÂo (Programa de Formação de Professores em Exercício) (2000),este programa começou nos estados de Alagoas,Amazonas,Maranhão,Bahia e Tocantis.Outos tamtos programas estão sendo desenvolvidos e executados em diversos estados e municípios brasileiros visando a inclusão digital e social.

O poder público tem seu papel, em estimular a tecnologia e para isso precisa investir não somente nas ferramentas, mas também no material humano. O setor privado, também precisa desenvolver outros interesses na tecnologia na informação, e no conhecimento, além da sociedade em geral participar destes novos paradigmas. Atualmente, há esforços no intuito de tornar mais eficiente a gestão em todos os setores de trabalho, e o design instrucional na educação dentro da esfera global da tecnologia e do conhecimento (knowledge management ou KM) tem provocado grandes avanços e desafios na comunicação das pessoas e nas organizações.

GRÁFICO COMPLEMENTAR

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful