Você está na página 1de 26

PSICOLOGIA

HUMANISTA
Principais teóricos.
• Carl Rogers.

Teorias: Psicoterapia e personalidade

• Abraham Maslow.

Teoria: pirâmides iraquia das necessidades.

Taesio
Marcio
• PESSOAS AUTORREALIZADAS
• CENTRADAS NA REALIDADE
• CENTRADAS EM PROBLEMAS
• SOLIDÃO
• RELAÇÕES PROFUNDAS
• AUTONOMIA
• RESISTÊNCIA À ACULTURAÇÃO
• SENSO DE HUMOR NÃO HOSTIL
• ACEITAÇÃO DE SI MESMO E DOS OUTROS
• ESPONTANEIDADE E SIMPLICIDADE
• EXPERIÊNCIAS CULMINANTES
Joaquim Soares
• AMOR DE DEFICIÊNCIA
• OBSTÁCULO AO CRESCIMENTO
• SINERGIA

Joaquim Soares
Tornar-se Pessoa
• Carl Rogers elabora sua teoria não tanta de forma científica,
mas filosófica.

• Se utiliza das palavras de Kierkegaard “ Ser o que realmente


se é” para responder a questionamento como: “ Qual o meu
objetivo na vida? O que procuro? Qual é a minha
finalidade?”

• Utiliza-se dessa máxima para ajudar seus clientes a chegar


na autorrealização

João Paulo
• Isso sé possível quando o cliente se liberta das faixadas
que ele mesmo criou ou quando deixa de tentar ser quem
não é para agradar os outros.

• A força de mudança está no individuo, e ai está a principal


critica do Humanismo à Psicanálise e Behaviorismo.

João Paulo
• “Eu sei que não sou assim tão exuberante e tenho receio de
que o descubram. É por isso que faço estas coisas... Qualquer
dia descobrem que eu não sou assim tão impulsivo. Estou
precisamente fazendo tudo para que esse dia seja o mais
longínquo possível... Se me conhecesse como eu me conheço
– (Pausa). Não lhe vou dizer que eu pessoa eu penso
realmente que sou. Há apenas uma coisa que eu não quero
cooperar e que é esta... Não melhoraria a sua opinião a meu
respeito saber o que eu penso de mim mesmo”.
(ROGERS,1981, p.147).

João Paulo
Conceito de “Vida Plena”

• Entre 1952/1953, Carl Rogers escreve um artigo com o tema:


• “ O conceito de Pessoa que funciona plenamente”.

• Hipótese de o tratamento terapêutico atingir o seu resultado


máximo.

• O conceito baseia-se amplamente na experiência de “Rogers”


de trabalhar com indivíduos numa relação muito intima e
estreita a que se dá o nome de Psicoterapia.

• Afirma que a sua linha terapêutica seguiu linhas que parecem


ser mais eficazes. Conhecida como terapia “ Centrada no
Cliente. Markleyton
Observação Negativa:
• “Vida Plena” não é um estado fixo.

• Não é um estado de virtude, de contentamento, de


nirvana ou de felicidade.

• Não é uma condição em que o indivíduo esteja adaptado,


cumulado ou atualizado.

• Não é um estado de redução de impulsos, de redução de


tensão ou de homeostase.

Markleyton
Observação Positiva:
• “Vida Plena” é um processo, não um estado de ser.

• É uma direção, não um destino.

• A “Vida Plena” é o processo do movimento numa


direção que o organismo humano seleciona
quando é interiormente livre para se mover em
qualquer direção, e as características dessa direção
escolhida revelam uma certa universalidade.

Markleyton
Características do Processo
1. Uma Abertura Crescente à Experiência
• Esta atitude é oposta à atitude defensiva.

• A pessoa torna-se progressivamente mais capaz de ouvir a si mesma, de experimentar o que se


passa em si.

• Está mais aberta aos seus sentimentos de receio, de desânimo e de desgosto.

• Fica igualmente mais aberta aos seus sentimentos de coragem, de ternura e de fervor.

• É livre para viver os seus sentimentos subjetivamente, como eles em si existem, e é igualmente
livre para tomar consciência deles.

• Torna-se mais capaz de viver completamente a experiência do seu organismo, em vez de o


impedir de atingir a consciência.
Markleyton
2. Aumento da Vivência Existencial

• Esta característica implica uma tendência para viver plenamente cada


momento.

• Uma pessoa que esteja plenamente aberta a cada experiência nova,


completamente desprovida de uma atitude de defesa, vive cada
momento da sua vida como novo.

• Por conseguinte, essa pessoa compreenderia que “aquilo que eu vou


ser no próximo momento e aquilo que eu vou fazer nasce desse
momento e não pode ser previsto de antemão nem por mim nem pelos
outros”.
Markleyton
• Uma forma de exprimir a fluidez que está presente numa tal
vivência existencial é dizer que o eu e a personalidade emergem da
experiência, em vez de dizer que a experiência foi traduzida ou
deformada para se ajustar a uma estrutura preconcebida do eu. Isto
quer dizer que uma pessoa se torna um participante e um
observador do processo em curso da experiência organísmica, em
vez de controlá-lo.

• Esse viver no momento significa uma ausência de rigidez, de


organização estreita, de imposição de uma estrutura à experiência.

• Significa muito especialmente um máximo de adaptabilidade, uma


descoberta de estrutura na experiência, uma organização fluente,
mutável, do eu e da personalidade.
Markleyton
• A maior parte de nós, porém, aplica à experiência uma estrutura
pré-fabricada, uma apreciação, e nunca a abandona, comprimindo
e deformando a experiência para adaptá-la às nossas ideias
preconcebidas, irritados com os aspectos fugidios que a tornam tão
difícil de adaptar às nossas esquadrias cuidadosamente
construídas.

• Abrir o espírito àquilo que se está a passar agora, e descobrir no


processo presente a estrutura específica que se apresenta, tal é,
uma das características da “Vida Plena”.

Markleyton
3. Uma Confiança Crescente No Seu Organismo

• A pessoa torna-se mais capaz de confiar nas suas reações organísmicas


totais frente a uma nova situação porque foi progressivamente descobrindo
que, se estivesse aberta à sua experiência, se fizesse o que sente que seria
bom fazer, essas reações revelar-se-iam como um guia completo e digno
de confiança do comportamento que realmente satisfaz.

• Os defeitos que invalidam a confiança no processo em muitos de nós são a


inclusão de informações que não pertencem à situação presente, ou a
exclusão de informação que lhe diz respeito.

• É quando a memória e a aprendizagem anterior se introduzem nos cálculos,


como se fossem essa realidade e não memória e aprendizagem, que é
fornecido como resposta um comportamento errado.
Markleyton
4. O Processo De Um Funcionamento Mais Pleno

• A pessoa torna-se mais capaz de experimentar todos os seus


sentimentos e, por isso, passa a ter menos medo deles.

• Filtra a sua própria experiência e mostra-se mais aberto aos


testemunhos que provêm de outras fontes.

• Mergulha completamente no processo de ser e de se tornar o


que é, descobrindo então que é profunda e radicalmente social.

Markleyton
• Vive de um modo mais pleno no momento que passa, pois
aprende que é sempre essa a maneira mais saudável de
viver.

• A pessoa torna-se um organismo que funciona mais


plenamente e, devido à consciência de si mesmo que corre
livremente na e através da sua experiência, torna-se uma
pessoa que funciona de um modo pleno.

Markleyton
Consequências:
• Uma nova perspectiva sobre a liberdade e o determinismo.

• O Cliente sente dentro de si mesmo o poder nítido de escolha.


• Ele é livre
• Quanto mais a pessoa viver uma “Vida Plena”, mais experimentará a
liberdade de escolha se traduzirá eficazmente no seu comportamento.

• A Criatividade como um elemento da “Vida Plena”.

• A Natureza Humana é fundamentalmente digna de confiança.

• A Maior riqueza da vida.


Markleyton
Markleyton
CONCLUSÃO
Obrigado pela atenção!
Componentes:
• Markleyton Ferreira
• João Paulo
• Taesio
• Joaquim Soares
• Dario
• Marcio
• Marcos Aurélio