Você está na página 1de 28

ASCARIDÍASE

Ascaris lumbricoides
Classificação
• Reino: Animalia
• Filo: Nematelminthes
• Classe : Nematoda
• Ordem: Ascaridida
• Família: Ascarididae
• Gênero: Ascaris
• Espécie: Ascaris lumbricoides
OBJETIVO

 Estudar a classificação, morfologia,


biologia ações patogênicas,
diagnóstico, epidemiologia, profilaxia e
tratamento.
ASCARIDÍASE:
. É o parasitismo desenvolvido no homem pelo Ascaris lumbricoides.

. Nome popular – lombrigas ou bichas.

EPIDEMIOLOGIA

. Stool (1947) – 644 milhões de pessoas infectadas no mundo.


. OMS (1987) – 1 bilhão de pessoas infectadas no mundo.
. Brasil: (1970) – 90 mi. hab. - 54 mi. Estavam infectados por Ascaris.
(1998) – 160 mi. Hab – 96 mi. Infectados por Ascaris.

. Infecção disseminada – quadros clínicos graves e fatais.

. Atitudes de tolerância e indiferença da classe médica.


MORFOLOGIA:

• Macho: 20 a 30 cm, branco leitoso, boca com 3 lábios e


extremidade posterior fortemente encurvada
ventralmente.

• Fêmea: 30 a 40 cm, mais grossa, cor e boca semelhante


ao do macho e extremidade posterior retílínea.

• Ovo: 50 um, castanho, com duas membranas internas e


uma externa mamilonada.
Ovo de Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
CICLO DE VIDA
ASCARIDÍASE:

• HABITAT:
Intestino delgado ( jejuno e íleo).

• TRANSMISSÃO:
Ingestão de ovos contendo a L3.

• CICLO EVOLUTIVO:
Monoxênico.
PATOGENIA:
Larvas:
• Lesões hepáticas e pulmonares (infecções maciças).
- Fígado – focos hemorrágicos e de necrose fibrosada.
- Pulmões – Edemaciação dos alvéolos, com infiltrado
eosinofílico, febre, bronquite e pneumonia.

Adultos: Ação:
- Expoliadora – consomem grande quantidade de Vitaminas (A e C),
proteína, lipídios, carboidratos ... Desnutrição e depauperamento.

- Tóxica: Ag parasitários X Ac alergizantes do hospedeiro.

- Mecânica: Irritação na parede intestinal (novelos).

- Localização ectópica: apêndice cecal, colédoco, canal pancreático,


eliminação pela boca e narinas.
Ascaris: Patogenia e Clínica

• S. de Loeffler ou pneumonite eosinófila


– Tosse
– Dispneia asmatiforme
– Expectoração
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL:

- Reconhecimento do parasito nas fezes.

- Detecção de ovos na matéria fecal – exame de fezes.


TRATAMENTO:
- Piperazina.

- Pomoato de Pirantel (Piranver).

- Levamizole(Ascaridil).

- Mebendazol ( Panthelmin, Sirbem).

- Albendazol (Zentel).

- Ivermectina (Revectina).
EPIDEMIOLOGIA:
- Cosmopolita, clima tropical com temperatura média anual
elevada, umidade elevada.

- Dispersão dos ovos através da chuva, vento e insetos.

- Grande produção de ovos por fêmea.

- Viabilidade do ovo infectante de até 1 ano.


- 68ºC – inviável.
- 65ºC – 90% sobrevivem.
- Ovos embrionados - 30 dias a -10ºC.

- Mortalidade anual na AL, Ásia e África – 20 mil óbitos/ano.


Ascaris: complicações