Você está na página 1de 37

Conforto Térmico

nos
Ambientes de Trabalho

Marcio Batisteti
Fabricio C. Hito
História

 1845 - Walter Berman publicou um livro sobre ventilação


em Edifícios;
– Prevê a criação e controle de ambientes climáticos artificiais,
preservando a saúde e longevidade do ser humano;
 1913 a 1923 - Critérios de conforto térmico
 1970 a 1986 - Conforto Térmico está relacionado com o
equilíbrio térmico do Corpo Humano.
Equilíbrio Térmico do Corpo Humano

Fatores:
ambientais
pessoais
Fatores Ambientais

Condições são favoráveis ao equilíbrio térmico do


corpo humano
o Homem sente-se BEM DISPOSTO
AMBIENTES

Condições são desfavoráveis, provocam indisposições,


diminuem a sua eficácia no trabalho e aumentam a
possibilidade da ocorrência de ACIDENTES
O Corpo Humano

 Homem - Ser Homotérmico dentro de certos


limites, mantém a temperatura corporal interna
relativamente constante, independente da
temperatura ambiente.
Corpo Humano

Portanto, deve haver


permanente e imediata
eliminação do excesso de
calor produzido para que a
temperatura do corpo
possa ser mantida
constante.
Corpo Humano

 Controle da Temperatura Corporal por:


• Vaso Dilatação ou Vaso Constrição
Significa a quantidade de sangue que circula na
superfície do Corpo de modo:
+ externa ou + interna
com > troca ou < troca de calor com o meio.

Glândulas Sudoríparas aumento ou diminuição


de SUOR em função da necessidade de perda de
calor do corpo por evaporação de suor.
CORPO HUMANO

O Sistema Termorregulador
quanto mais trabalha,

maior será a sensação de


Desconforto.
Conforto Térmico

Conforto térmico num determinado ambiente, é


a sensação de BEM ESTAR experimentada por
uma pessoa, como resultado da combinação
satisfatória nesse ambiente, da:
temperatura radiante média (Trm);
 umidade relativa (Ur);
 temperatura do ambiente (Ta);
 velocidade relativa do ar (Vr);
 com a atividade lá desenvolvida e,
 com a vestimenta usada pela pessoa.
Conforto Térmico
Trm

Ur

Vr

Ta
n ta
e e
t i ad
m
e s id
V tiv
A
Conforto Térmico
as Sensações são Subjetivas

 No Inverno , o conforto térmico poderá ser obtido na maioria


dos casos com a simples utilização de vestimenta adequada.
Condições Ambientais de
Conforto

São aquelas condições que propiciam o


BEM ESTAR
ao maior numero possível de pessoas em
um determinado ambiente
Clima da Nossa Região

Clima
Quente e Úmido

Calor provocado Características


pelas Desconforto construtivas
atividades do ambiente
desenvolvidas Térmico de trabalho

Equipamentos
Processo Metabólico

Energia Interna
com a
transformação
dos alimentos.
METABOLISMO
Consumo de Energia

Manutenção das funções


fisiológicas vitais

Realização de trabalhos
mecânicos externos
(atividade muscular)

Liberado na forma
de calor

A produção de calor é contínua e aumenta com o


esforço físico executado
Metabolismo do Corpo Humano

1 Met = 58,2 W/m²


1 Met = 50 Kcal/m².h
Met é Variável de acordo com a área (m²) da pessoa.

Área Superficial do Corpo (Du Bois)

As = 0,202 x mc 0,425 x h 0,715

As = área superficial
mc = massa corpórea
h = altura da pessoa
Metabolismo do Corpo Humano

Homem Médio: 70kg e 1,70m As = 1,8 m²


Mulher Média: 60kg e 1,60m As = 1,6 m²

Homem Padrão: Met = 50 x 1,8 = 90 kcal/h


Mulher Padrão: Met = 50 x 1,6 = 80 kcal/h

Liberação de energia em forma de calor, em função da


área superficial do corpo
Balanço Térmico do Corpo Humano

Corpo Humano x
Ambiente
Troca de Calor entre o
Corpo e o Ambiente

Convecção

Radiação
Evaporação
Convecção - radiação - evaporação
Tc = temp.do corpo
Ta = temp.do
ambiente

Tc > Ta Tc = Ta Tc < Ta
convecção - Radiação - evaporação

Processo em que a Energia Radiante é


transmitida da SUPERFICIE QUENTA PARA A
FRIA, por meio de ondas eletromagnéticas que
ao atingirem a superfície fria, transforma-se
em calor.

“Temperatura superficial”
convecção – radiação - Evaporação

Quando as condições ambientais fazem com


que as perdas de calor do Corpo Humano por
Convecção e Radiação não sejam suficiente
para regular a temperatura interna, o
organismo intensifica a atividade das
glândulas sudoríparas e perde calor pela
Evaporação da Umidade (suor) que se forma na
pele, resfriando o corpo
Corpo Humano x Ambiente

C met ± C conv ± C rad - C evp = ± Q


C met - parcela da energia metabólica transformada em calor
C conv - calor trocado por convecção
C rad - calor trocado por radiação
C evp - calor trocado por evaporação se suor
Q = Calor total trocado pelo corpo

Quando Q = 0 (zero)
o corpo estará em Equilíbrio Térmico
Fatores que Influenciam na Remoção de
Calor do Corpo Humano

Temperatura do Ar (Ta)

Ta < T pele
Convecção
Ta > T pele
a influência da temperatura do ar dependerá
Convecção
da:
Umidade Relativa e da Velocidade do
ar
(evaporação)
UR = Qtmax vapor d'água que pode conter em 1 m³
saturado naquela temperatura.

Umidade Relativa do Ar

aumenta a quantidade max de


vapor d'água que 1 m³de ar
1m pode conter
Ur varia Tar
1m³ar diminui a quantidade max de
1m vapor d'água que 1 m³ de ar
pode conter

1m Reduz a quantidade de vapor d’água


Deseja Ur menor no ar
Aumentar a temperatura do ar
Deseja Ur ambiente Inverso
maior
No corpo Humano: a Ur baixa (ar seco) absorve
a
Fatores que influenciam na remoção de calor do Corpo
Humano Ventilação do Ambiente
Conhecendo a Ta e Ur ar analisa a capacidade de contrib
da ventilação na remoção de calor do corpo humano

AUMENTAR A VENTILAÇÃO:
•Aumenta o processo de
evaporação pois a umidade do
corpo é retirado rapidamente.
•O processo de convecção
aumenta, porque a velocidade do
ar que rodeia o corpo é maior.

DIMINUIR A VENTILAÇÃO : Inverso


Fatores que influenciam na remoção de calor do Corpo
Humano
Vestimenta Utilizada
A ROUPA é um elemento que DIFICULTA a REMOÇÃO de CALOR do
CORPO
• TROCA TERMICA POR CONVECÇÃO DIMINUI (mov. ar junto a pele);
• DIMINUI O PROCESSO DE EVAPORAÇÃO DO SUOR num grau que
varia conforme a PERMEABILIDADE DA ROUPA AO VAPOR
D’ÁGUA;
• TROCA TÉRMICA POR RADIAÇÃO DEPENDE DA EMISSÃO DAS
ONDAS E DA ABSORÇÃO DE RADIAÇÃO PELO MATERIAL DA ROUPA.
Radiações Ondas Longas
Ondas Curtas

Ondas Longas a emissividade é igual a absortância


1 para pele e 0,95 para roupas comuns independente da
cor;
Ondas Curtas a absortância depende da pigmentação da
Vestimenta Utilizada

Radiações de Ondas Longas : Não se discute a


vestimenta para a troca térmica por radiação
Radiações de Ondas Curtas : As vestimentas de cor
clara
absorverão menor quantidade de radiação do que a
Toda roupa promove determinado isolamento térmico
escura.
pois acrescenta resistência à transferencia de calor
entre o corpo e o ambiente. A magnitude dessa
resistência depende do Tecido e Modelo de fabricação

Roupa longa, justa e de lã oferece maior resistência


que uma curta, folgada e de algodão.
Desconforto Localizado
Conforto Térmico: Sensação agradável intimamente
relacionada com a temp. média da pele e com a
quantidade de calor perdida pelo corpo por evaporação
de suor.
Assim uma pessoa só estará em neutralidade térmica
se o seu corpo como um todo, estiver.

O desconforto localizado acontece:


• assimetria de radiação térmica;
• diferenças verticais na temperatura do ar;
• velocidade do ar;
• contato em superfícies quente ou frias.;
Assimetria de Radiação Térmica

A radiação assimétrica proveniente de


superfícies quentes e frias e da
incidência direta do sol pode causar
desconforto local e reduzir a
aceitabilidade térmica de um
ambiente.
Em geral , as pessoas são mais
sensíveis à radiação assimétrica
(calor ou frio) das superfícies
Diferenças Verticais na
Temperatura do Ar

Nos ambientes internos, a


temperatura do ar cresce do
piso para o teto.

Se a diferença for grande, há o


desconforto.
(serviço leve – variação de 3ºC).
Velocidade do Ar

Geralmente na industria, para


promover o resfriamento de
ambientes quentes. Conforto
ou Desconforto para o homem
dependendo da umidade/temperatura
Inverno max. 0,15 m/s
- ar
NR-17: 0,75 m/s Verão max 0,80 m/s
Atividades Leves
Contato com Superfícies
Quentes e Frias

- Desconforto local ou mesmo


acidentes em geral: pisos quentes
ou frios dependendo do material
da sala (condução).
DOENÇAS DO CALOR

4 categorias principais:

– Exaustão do Calor;
– Desidratação;
– Câimbras do calor;
– Choque térmico.
DOENÇAS DO CALOR – outras

– Hipertemia, intermação (ou insolação);


– Tonturas e desfalecimentos por insuficiência de sódio;
– Tonturas e desfalecimentos por hipovolemia relativa
(sincope do calor ou prostração térmica);
– Tonturas e desfalecimento por evaporação inadequada;
– Desidratação - perda de água;
– Distúrbios cutâneos (golpes de calor);
– Queimaduras;
– Catarata.