P. 1
TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA

|Views: 17|Likes:

More info:

Published by: Cicero Jose DE Oliveira Piga on Sep 23, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/09/2014

pdf

text

original

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP) CONCEITO A trombose venosa profunda (TVP) também conhecida popularmente com trombose, flebite

, tromboflebite, flebotrombose e doença tromboembólica é uma doença potencialmente grave causada pelo desenvolvimento de um trombo (coágulo de sangue) dentro de um vaso sangüíneo venoso com conseqüente reação inflamatória do vaso, podendo, esse trombo, determinar obstrução venosa total ou parcial. Na maior parte das vezes, o trombo se forma na panturrilha, ou batata da perna, mas pode também instalarse nas coxas e, ocasionalmente, nos membros superiores. O desprendimento do coágulo pode provocar complicações a curto ou longo prazo. A curto prazo, ele pode deslocar-se até o pulmão e obstruir uma artéria. Esse episódio tão temido é chamado de embolia pulmonar e, conforme o tamanho do coágulo e a extensão da área comprometida, pode ser mortal, mas que felizmente é raro. A longo prazo, o risco é a insuficiência venosa crônica ou síndrome pós-flebítica, que ocorre em virtude da destruição das válvulas situadas no interior das veias encarregadas de levar o sangue venoso de volta para o coração. A TVP é relativamente comum (50 casos/100.000 habitantes) e é responsável por seqüelas de insuficiência venosa crônica: dor nas pernas, edema (inchaço) e úlceras de estase (feridas). Além disso, a TVP é também responsável por outra doença mais grave: a embolia pulmonar. A coagulação do sangue é de fato um mecanismo de proteção do organismo que previne a perda de sangue e leva à formação de uma massa constituída por plaquetas e glóbulos vermelhos (coágulo). Diversos fatores podem ser responsáveis pela coagulação do sangue em veias inseridas em tecido muscular: lesões nas paredes dos vasos; abrandamento da corrente sanguínea (decorrente da imobilidade); mudanças na composição do sangue (decorrente de tratamentos oncológicos). Por ocorrer em veias dos membros inferiores, impede a recuperação do sangue devido à ação gravitacional. Se a circulação sanguínea abranda, o sangue tende a estagnar-se, situação ideal para a formação de coágulos. Quando a Trombose Venosa ocorre nas veias superficiais da perna é chamada de Trombose Venosa Superficial , esse tipo de trombose é muito freqüente em pacientes portadores de varizes nos membros inferiores. É fácil de ser notada, pois ocorre vermelhidão, endurecimento e dor local sendo a maioria de fácil tratamento. Quando a trombose ocorre nas veias profundas das pernas, aquelas que ficam nos músculos, chamamos de Trombose Venosa Profunda, na maioria das vezes, não é facilmente diagnosticada, sendo que em 50% dos casos não apresenta sinais e sintomas característicos. FISIOPATOLOGIA A normal fluidez do sangue venoso é consequência de uma complexa interação de fatores de coagulação e de fibrinólise, os quais são, por sua vez, controlados por fatores ativadores e inibidores. Alterações deste sistema complexo poderão levar a situações de hemorragia ou trombose. Quando existe um desvio da coagulação ou um déficit da fibrinólise, o sangue coagula preferencialmente nos membros inferiores, em particular, nas zonas de maior estase sanguínea, ou seja, nos seios venosos do solhar (85%) e, numa menor percentagem (15%), na veia femoral.

gravidez. a saber: • Estase venosa . como por exemplo.situações em que o sangue fica mais suscetível à formação de coágulos espontâneos. diabete. ● Idade acima de 40 anos (o risco aumenta para o dobro por cada acréscimo de 10 anos a partir dos 20). ● Edema (inchaço. calor. Determinadas pessoas possuem fatores de risco genético. em traumas. por exemplo. Lesões nos vasos e desequilíbrio nos fatores de coagulação do sangue também são responsáveis pela formação de trombos. ● Gravidez. infecções. tumores. cirurgias prolongadas. a doença ficou conhecida impropriamente como síndrome da classe econômica). dor. comum não só nas viagens aéreas e terrestres que obrigam a pessoa a ficar sentada por horas na mesma posição (por isso. úlceras são sintomas característicos da síndrome pós-flebítica. Lesões. Quaisquer cirurgias. causando a trombose. principalmente as ortopédicas. uso de anticoncepcionais. ● Obesidade. parto e pós-parto. FATORES DE RISCO Existe um grande número de fatores que aumentam o risco de trombose venosa profunda. atrás do joelho) na região em que se formou o trombo são os principais sintomas da embolia pulmonar. sensação de calor e peso na perna). A trombose ocorre de modo mais frequente após cirurgias de grande porte. que são as Trombofilias. endurecimento do tecido subcutâneo. continuam a ser considerados os clássicos da tríade de Virchow. doenças do sangue. posição sentada por muito tempo (viagens longas em espaços reduzidos . descrita em 1895.avião. eczemas. SINTOMAS A grande maioria dos trombos é pequena e não apresenta muitos sintomas que variam muito.o vaso sangüíneo normal possui paredes internas lisas por onde o sangue passa sem coagular (como uma mangueira por onde flui a água). e isto pode formar um coágulo. cor mais escura da pele. medicações endovenosas. rubor (vermelhidão) e empastamento (rigidez da musculatura da panturrilha ou na coxa.O desenvolvimento da TVP é complexo e como fatores etiopatogénicos da trombose venosa. ônibus). entre os quais: ● Predisposição genética. a TVP acomete principalmente as extremidades inferiores (coxas e pernas). mas também nos casos de permanência no leito em repouso por doenças e depois de cirurgias. . podem fazer com que a circulação fique diminuída nas veias das pernas. como.situações em que há diminuição da velocidade da circulação do sangue. rupturas na parede interna do vaso propiciam a formação de trombos. CAUSA A principal causa da trombose venosa profunda é a imobilidade prolongada. • Lesão do endotélio venoso . desde clinicamente assintomático (cerca de 50% dos casos de TVP passam desapercebidos) até sinais e sintomas clássicos como: ● Edema. Embora possa acometer vasos de qualquer segmento do organismo. ● Câncer e respectivo tratamento. • Alteração de fatores da coagulação no sentido da hipercoagulação . Por exemplo: pessoas acamadas.

Como se faz o diagnóstico da Trombose? TRATAMENTO No tratamento da TVP visa-se prevenir a ocorrência de embolia pulmonar fatal. e se não for bem tratado poderá evoluir para uma insuficiência venosa crônica irreversível. Após 7 a 10 dias. O repouso é muito importante na fase inicial para combater o edema. a Flebografia. podendo ser estabelecido com base nos sintomas clássicos e nos fatores de risco. ¾ ou 7/8. Para o paciente retornar as atividades. que são facilmente diagnosticados clinicamente.: cirurgias ortopédicas e abdominais). com o Duplex Scan Venoso e um experiente examinador é possível um diagnóstico seguro da Trombose Venosa Profunda. Alguns casos requerem intervenção cirúrgica. Consequentemente. Hoje. ● Desidratação. Na maioria das vezes isso não acontece e são necessários exames de laboratório e de imagem específicos. ● Veias varicosas. e nos casos em que há dúvida. A fisioterapia deve ser iniciada com o paciente anticoagulado. para impedir o aumento do trombo que pode levar a uma complicação fatal (embolia pulmonar) e seqüelas. fecha o diagnóstico. evitar a recorrência. ● Tabagismo. DIAGNOSTICO O exame clínico pode ser pouco característico em quase 50% no diagnóstico. para impedir o edema e melhorar o fluxo venoso na perna. para melhorar o retorno venoso e combater o edema ou inchaço. ● Viagens aéreas ou terrestres que obriguem o passageiro a ficar sentado por muitas horas. ● Traumas. com uma compressão de 30-40 mmHg. maior a probabilidade de desenvolver uma trombose venosa profunda ou uma embolia pulmonar. ● Lesões ou Cirurgias de longa duração nos membros inferiores.9%). deve-se indicar uma meia elástica. ● Dificuldade de deambulação. O diagnóstico tem que ser o mais precoce possível. minimizar o risco de complicações e seqüelas crônicas. Para isso utilizamse medicações anticoagulantes (heparina e warfarina que diminuem a chance do sangue coagular) e os fibrinolíticos que ajudam a dissolver os trombos. No caso de já tiver formados. ● Insuficiência cardíaca e/ou respiratória. o objetivo é promover sua reabsorção pelo organismo. o paciente inicia o uso de anticoagulante oral por um período de 3 a 6 meses. tais como: flebografia. numa fase inicial no hospital. PREVENÇÃO O fato de a TVP ocorrer em pacientes hospitalizados que ficam muito tempo acamados ou em cirurgias grandes faz com que a prevenção seja necessária. por esse motivo dependendo do risco de desenvolver Trombose Venosa a prevenção pode ser . Além disso. quantos mais fatores de risco a pessoa estiver sujeita. contraceptivos orais aumentam o fator de risco em 2. ● Distúrbios hematológicos (Hormonoterapia). as cirurgias são consideradas um dos fatores mais importantes quando as de grande porte e de longa duração (ex. apesar de ser um exame invasivo.● Uso de determinada medicação (por exemplo. ecodoppler colorido e ressonância nuclear magnética.

Portanto. não ficar muito tempo com as pernas na mesma posição. sentado propicia o aparecimento de TVP. movimentando as pernas.br/letras/t/trombosevenosa-profunda/ Trombose Venosa Profunda. REFERÊNCIAS Trombose Venosa Profunda.pdf Trombose Venosa Profunda. por conseguinte. Já para pessoas em geral o simples fato de caminhar já é uma forma de prevenção. Ficar muito tempo parado. Manter o peso dentro dos limites saudáveis.br/docsupload/ 1340061483trombose. sempre que possível.com.abcdasaude.com. para os que já tem insuficiência venosa e.br/artigo.feita com métodos farmacológicos (medicações anticoagulantes em baixas doses) e o uso de métodos físicos como levantando e andando precocemente após as cirurgias. Disponível em: http://drauziovarella. restringir o consumo de bebidas alcoólicas e praticar exercícios físicos são medidas importantes para prevenir a formação de trombos. Disponível em: http://www.com. maior risco de trombose.com.saudedireta. elevando os membros inferiores dos pacientes durante o período que estiver acamado e finalmente o uso de uma meia elástica anti-trombo.html Trombose Venosa Profunda. depois de cirurgias e quando tiverem necessidade de permanecer em repouso por muito tempo. Disponível em: http://enfermagemsimples. não fumar.blogspot.php? 431 . Disponível em: http://www.br/ 2009/04/o-que-e-trombose-venosa-profunda-tvp-e_02. Pessoas com predisposição a desenvolver trombos precisam movimentar-se tão logo seja possível nas viagens que pressupõem longos períodos de imobilização.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->