Introdução

O mundo está cada vez mais rápido e o homem, por necessidade, acompanha a rapidez das máquinas em sua vida. Nesse processo, o homem é desvirtuado do processo produtivo particular de produção de comida, tornando se ou um consumidor ou um produtor capitalista de gêneros alimentares. Nessa nova ordem econômica, não há mais espaço, ou justificativa econômica de mercado para o pequeno produtor ou o produtor da própria comida. A produção dos alimentos transgênicos em larga escala beneficia o consumo humano, pois é menos onerosa e isso a tornaria acessível a toda a população. Mas além de questões ambientais, os alimentos transgênicos também geram dúvidas quanto aos riscos à saúde humana. Os efeitos que os transgênicos poderão causar no organismo humano e no meio-ambiente a médio e a longo prazo ainda são desconhecidos, não havendo nenhuma conclusão definitiva sobre o assunto. A produção orgânica, por sua própria natureza, se adequa à pequena propriedade rural, e com freqüência esses produtores se organizam em cooperativas para comercializar seus produtos. Essa organização permite o contato direto com o mercado consumidor, crescente nos grandes centros. A demanda por produtos orgânicos tem sido maior que a oferta, levando a um aumento dos preços dos alimentos orgânicos (e consequentemente, um aumento na renda dos seus produtores). Além disso, cresce o número de feiras de produtos orgânicos, onde o produtor vende direto ao consumidor. Também a pecuária orgânica, que utiliza sistemas como o pastoreio V oisin, escoa laticínios por este sistema sem intermediários. A conceituação do termo natural, do ponto de vista do fabricante, ou do ponto de vista do consumidor, em alimentos, tende a ser muito diferente. Para o fabricante, natural é tudo aquilo que possa valorizar seu produto, ainda que este contenha em sua fórmula vários elementos químicos e artificiais. Para o consumidor fica difícil saber ao certo o que seria realmente natural. Frases do tipo: Contém aroma natural de laranja, em embalagens de refrescos totalmente artificiais induzem ao erro e aumentam a confusão. A coisa se complica ainda mais a partir do momento em que, além da dificuldade de se estabelecer uma definição clara para fins legislativos, alguns aditivos químicos, apenas por terem sido desenvolvidos pela biotecnologia, já são legalmente considerados naturais. O trabalho a seguir falará sobre estes três tipos de produtos, com o objetivo de apresentar os principais conceitos, benefícios, malefícios, e também para saber mais sobre esse assunto.

que foi modificada de modo a produzir insulina humana em finais da década de 1970. espécies com um reduzido ciclo de vida podem ser utilizadas como "hospedeiras" para a inserção de um gene de uma planta com um ciclo de vida mais longo. por exemplo. já em 2007. Prevalência de culturas geneticamente modificadas . foi o fato de uma equipe de cientistas conseguir desenvolver mosquitos bobucha resistentes ao parasita da malária. O primeiro caso público foi a utilização da bactéria E. No caso das plantas. na qual foi desenvolvida a técnica do DNA recombinante. sendo a mosca da fruta um dos principais organismos modelos. mediante técnicas de engenharia genética. coli. A geração de transgênicos visa organismos com características novas ou melhoradas relativamente ao organismo original. Resultados na área de transgenia já são alcançados desde a década de 1970. por exemplo. podem ser combinados os DNAs de organismos que não se cruzariam por métodos naturais. Um exemplo recente. Estas plantas transgênicas poderão depois ser utilizadas para estudar a função do gene de interesse mas num espaço de tempo muito mais curto. Aplicações A aplicação mais imediata dos organismos transgênicos (e dos organismos geneticamente modificados em geral) é a sua ut ilização em investigação científica. A expressão de um determinado gene de um organismo num outro pode facilitar a compreensão da função desse mesmo gene. Por exemplo. Em outros casos. a utilização de transgênicos é uma abordagem para a produção de determinados compostos de interesse comercial.Transgênicos Transgênicos ou transgénicos são organismos que. A manipulação genética recombina características de um ou mais organismos de uma forma que provavelmente não aconteceria na natureza. contêm materiais genéticos de outros organismos. Este tipo de abordagem é também usado no caso de animais. através da inserção de um gene que previne a infecção destes insetos pelo parasita portador da doença. medicinal ou agronómico.

Vários países europeus. após solicitações dos Estados Unidos. a Argentina. (2004) referem que essa distância é de aproximadamente 30 metros. após seis anos de proibição. No caso do milho. sendo os principais produtores os Estados Unidos. soja e algodão. para a plantação de uma cultura transgênica. enquanto que outros. rejeitam fortemente a entrada de alimentos com estas características. Tais dados levam a que. Os investigadores defendem que esta distância deve ser avaliada . A batata transgênica será destinada para a fabricação de papel. Alguns mercados mundiais. baseadas principalmente na tecnologia Bt. As culturas prevalentes são as de milho. (2007). Vários estudos têm demonstrado que a existência de polinização cruzada é real. vários países africanos e asiáticos e a Austrália têm cultivado também milhões de hectares de culturas transgênicas. a União Européia aprovou o plantio de batata e milho transgênicos no continente. adesivos e têxteis. como o Japão. Desde 2004. O milho atenderá a indústria alimentícia. Polinização cruzada Uma das preocupações manifestadas em relação à utilização de plantas transgênicas prende-se com a possível polinização cruzada entre estas espécies com as existentes na natureza ou com culturas não modificadas. a polinização cruzada é negligenciável. No dia 2 de março de 2010. Polêmica Atualmente existe um debate bastante intenso relacionado à inserção de alimentos geneticamente modificados (AGM) no mercado. o Brasil. demonstraram que após 10 metros de distanciamento entre plantas de soja transgénica e soja convencional. Cada país da União Europeia poderá ser responsável pelo cultivo transgênico em suas fronteiras em votação marcada para o meio do ano. Abud et al. como o Norte e Sul -Americanos e o Asiático têm aceito estas variedades agronómicas. A área total plantada é já superior a 100 milhões de hectares. a China e a Índia. entre os quais Portugal. Ma et al. num estudo realizado no Brasil. o Canadá. a União Européia autorizou a importação de produtos transgênicos.É estimado que a área de cultivo deste tipo de variedades esteja com uma taxa de crescimento de 13% ao ano. tenha que ser respeitada uma determinada distânci a de segurança em relação às culturas vizinhas. a maioria dos países Sul Americanos. mas que diminui drasticamente com a distância à cultura transgénica.

. à planta em causa. A utilização desta ferramenta permitiria então a não propagação do pólen transgênico. peso e meio de transporte dos diferentes grãos de pólen. Esta tecnologia baseia -se na adição. ainda há alguma controvérsia quanto à interpretação dos resultados destes autores. baseando-se nas conclusões dos estudos entregues pela Monsanto. A European Food Safety Authority (Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar) aprovou o MON863 para consumo humano na União Europeia. opondo organizações não governamentais a alguns cientistas. que por si só tem um efeito tóxico no desenvolvimento dos mamíferos. * Em 1998. Uma outra controvérsia relacionada com a polinização cruzada foi a utilização da chamada tecnologia Terminator (em português Exterminador). * Outro caso de um estudo acerca do potencial efeito de transgênicos na saúde pública foi o de Séralini et al. obrigando -os a comprar novas sementes todas as temporadas.caso a caso devido às diferenças no tamanho. Estes investigadores sofreram pesadas críticas da classe política e da comunidade científica em geral. e declararam que a alimentação de ratos com milho transgénico MON8 63 provocou toxicidade hepática e renal. quando presente na alimentação de ratos. Estes investigadores reavaliaram estatisticamente dados publicados anteriormente pela multinacional Monsanto. Esta ação das empresas de produção de transgênicos foi largamente condenada por ser vista como uma tentativa de evitar que os agricultores pudessem propagar as planta s por mais que um ano. (2007). A Autoridade concluiu que as diferenças encontradas no estudo de Séralini não eram biologicamente relevantes e que os métodos estatísticos utilizados neste estudo eram incorrectos. No entanto. bem como alterações no crescimento. Quando estes resultados foram publicados verificou-se que o referido efeito tinha sido devido ao transgene inserido nessas batatas ser de uma lectina. ao afirmar que tinham obtido resultados que demonstravam o efeito nefasto de batata transgênica. Impacto na saúde humana/animal Várias informações contraditórias têm sido lançadas de diversos setores quanto aos potenciais danos que os organismos transgênicos possam pro vocar nos seus consumidores. o investigador Árpád Pusztai e a sua equipe lançaram o pânico na Europa. de um gene que não permite a produção de pólen viável. pelo que não procedeu à reavaliação da aprovação. evitando quaisquer cruzamentos com outras plantas.

Mais recentemente. o que levou a que a empresa responsável terminasse o desenvolvimento desta variedade. que acusam este painel de cientistas de parcialidade. um aminoácido essencial. testaram a resposta alérgica de diversos pacientes à alimentação com milho e soja transgênica. A noz em causa era já conhecida como causadora de alergia em determinados indivíduos. Este estudo não detectou qualquer diferença na reação às plantas transgênicas. O caso mais conhecido foi a utilização de um gene de uma noz brasileira com vista ao melhoramento nutricional da soja para alimentação animal. entre outros. Alergenicidade Algumas das críticas que os transgênicos têm recebido têm a ver com a potencial reação alérgica dos animais/humanos a estes alimentos. por exemplo. O gene utilizado para modificação da soja tinha como função aumentar os níveis de metionina. investigadores portugueses do Instituto de Tecnologia Química e Biológica. O Painel OGM responsável pela avaliação dos transgénicos da European Food Safety Authority foi também criticado por vários Estados-Membros. Países atualmente bem estabelecidos economicamente e que tiveram sua economia baseada nos avanços da chamada genética clássica são contra as inovações tecnológicas dos transgênicos. e do Instituto Superior de Agronomia. Estudos realizados verificaram que a capacidade alergênica da noz tinha sido transmitida à soja. Esta discussão acentuou a polêmica sobre quem deve ser responsável pela avaliação do impacto deste tipo de produtos. do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge.No entanto. casos da Itália e a Áustria. possui uma agricultura familiar baseada em cultivares desenvolvidos durante séculos e que não tem condições de competir com países que além de possuir grandes extensões de . Fatores Socioeconômicos Grande parte das polêmicas originadas com a questão dos transgênicos está diretamente relacionada a seu efeito na economia mundial. A Europa. O fato de algumas avaliações serem feitas pelas próprias empresas que os produzem tem levantado grande indignação por parte de organizações ambientalistas. até à data nenhum estudo científico foi publicado que tenha colocado em causa o estudo da equipa de Seraliny. quando comparada com as plantas originais.

localizam-se em espaço europeu muitas das empresas produtoras de herbicidas/pesticidas. como foi atrás referido. resultante de um melhoramento por transgenia (incorporando genes da bactéria Bacillus thuringiensis) que confere à planta uma proteção natural a larvas de certos insetos. tais como os peixes e anfíbios. poderiam agora cultivar os transgênicos. um estudo de uma equipe de investigadores da Universidade de Indiana descobriu que o pólen e outras partes da planta de milho transgênico Bt são lixiviadas para os cursos de água perto de campos de milho até distâncias de 2 km. que em culturas não transgênicas são utilizados em larga escala. que são naturalmente peças importantes na aceitação ou não de variedades agrícolas que possam comprometer os seus negócios. visto que aumentaria a produtividade de variadas culturas. como abelhas e borboletas. Tem sido posta em causa recentemente se esta tecnologia afetaria também insetos não-alvo. pesticidas. nomeadamente cereais. Dessa forma questiona -se a alegação de que a biotecnologia poderia provocar uma reduç ão no problema da fome no mundo. muitos estudos. inclusive o do ganhador do Prêmio Nobel de Economia. Para al ém disso. cuja acumulação pode causar sérios danos aos ecossistemas a eles expostos. Amartya Sen. mas à injusta distribuição de alimentos em função da baixa renda das populações pobres. que é um alimento importante para organismos superiores dos ecossistemas aquáticos. Mas recentemente. No entant o. revelam que o problema da fome no mundo hoje não é ligado à escassez de alimentos ou à baixa produção. . É também utilizado o argumento de que o cultivo de transgênicos poderia reduzir o problema da fome. fungicidas e certos adubos. Utilização de compostos químicos Argumentos a favor dos transgênicos incluem a redução do uso de compostos como herbicidas. têm sido publicados alguns artigos científicos demonstrando que os insetos não -alvo são mais abundantes nos campos de plantas transgênicas do que nos campos convencionais sujeitos a pesticidas. tornando praticamente desnecessário o controle destes por meio de pesticidas normalmente neurotóxicos.terra. apresentando efeitos de toxicidade na mosca-da-água. As organizações ambientalistas questionam se os benefícios da utilização destas plantas poderia compensar os possíveis potenciais malefícios por elas causados. de alta agressividade ambiental. Um exemplo interessante são as culturas baseadas na t ecnologia Bt. Porém.

desenvolvimento de nutricênicos (alimentos que teriam fins terapêuticos). canola. * União Européia: tomate. as transgênicas possuem maior resistência às pragas e pesticidas. algodão. * Apesar de eliminar pragas prejudiciais à plantação. minhocas e outros animais e espécies de plantas.Pontos positivos dos alimentos transgênicos * Aumento da produção de alimentos * Melhoria do conteúdo nutricional. pois. algodão. batata. matar populações benéficas como abelhas. soja. * As plantas que não sofreram modificação genética podem ser eliminada s pelo processo de seleção natural. pesquisadores e cientistas estão desenvolvendo pesquisas sobre quais são as reais consequências da utilização de alimentos genéticos no organismo humano e no m eio-ambiente. o culti vo de plantas transgênicas pode. também. milho. Consumidores de países onde já ocorre a comercialização de alimentos transgênicos exigem a sua rotulagem. * Maior resistência e durabilidade na estocagem e armazenamento Pontos negativos dos alimentos transgênicos * Aumento das reações alérgicas. . * Aumento da resistência aos pesticidas e gerando maior consumo deste tipo de produto. * Argentina: soja. algodão. Alguns países que cultivam alimentos transgênicos * Estados Unidos: melão. para que possam ser distinguidos na hora da escolha do alimento. soja. No mundo todo. milho. canola. assim como estão sendo feito com os orgânicos. tomate.

4. O lugar em que o gene é inserido não pode ser controlado completamente. Isso garante estabilidade dos preços e custos de produção. 2. cuja produção agrida menos o meio ambiente. 2. Os genes são transferidos entre espécies que não se relacionam. . A planta pode resistir ao ataque de insetos. Aumento da produtividade agrícola através do desenvolvimento de lavouras mais produtivas e menos onerosas. 3. A uniformidade genética leva a uma maior vulnerabilidade do cultivo porque a invasão de pestes. ou iogurtes fermentados com microrganismos geneticamente modificados que estimulem o sistema imunológico. doenças e ervas daninha sempre é maior em áreas que plantam o mesmo tipo de cultivo. através de plantas geneticamente modificadas para produzir vacinas. 3. como genes de animais em vegetais. doenças e mudanças climáticas que tendem a afetar apenas algumas variedades. seca ou geada. reduzir ou evitar riscos de doenças. Um microrganismo geneticamente modificado produz enzimas usadas na fabricação de queijos e pães o que reduz o preço deste ingrediente. o que pode causar resultados inesperados uma vez que os genes de outras partes do o rganismo podem ser afetados. Quanto maior for a variedade (genética) no sistema da agricultura. A engenharia genética não respeita as fronteiras da natureza ± fronteiras que existem para proteger a singularidade de cada espécie e assegurar a integridade genética das futuras gerações. O alimento pode ser enriquecido com um componente nutricional essencial. Sem falar ainda que aumenta o grau de pureza e a especificidade do ingrediente e permite maior flexibilidade para as indústrias. Um feijão geneticamente modificado por inserção de gene da castanha do Pará passa produzir metionina. Desvantagens dos alimentos transgênicos 1. mais este sistema estará adaptado para enfrentar pestes. O alimento pode ter a função de prevenir. de bactérias em plantas e até de humanos em animais.Vantagens dos alimentos transgênicos 1. um aminoácido essencial para a vida. Um arroz geneticamente modificado produz vitamina A.

Organismos antes cultivados para serem usados na alimentação estão sendo modificados para produzirem produtos farmacêuticos e químicos. o objetivo das corporações multinacionais é obter lucros e não praticar a filantropia. Muitas pessoas são alérgicas a determinados alimentos em virtude das proteínas que elas produzem. contaminar plantas utilizadas exclusivamente na alimentação.4. Comparando os mitos com a realidade é possível observar que os desenvolvimentos atuais na biotecnologia agrícola não satisfazem as promessas feitas e as expectativas criadas em torno deles. deste modo. No geral. Há evidencias de que os cultivos transgênicos podem proporcionar um potencial aumento de alergias em relação a cultivos convencionais. Essas plantas modificadas poderiam fazer uma polinização cruzada com espécies semelhantes e. Gresshoft 1996). Ainda que exista fome no mundo e se sofra devido à poluição por pesticidas. Os alimentos transgênicos poderiam aumentar as alergias. 5. Se os biotecnologistas e stiverem realmente interessados em alimentar o mundo. pobreza e fome (Molnar e Kinnucan 1989. Os mitos da Biotecnologia As corporações agroquímicas que controlam a orientação e os objetivos das inovações na agricultura através da biotecnologia argumentam que a engenharia genética estimulará a sustentabilidade na agricultura e solucionará os problemas que afetam a agricultura convenciona l e tirará os agricultores do Terceiro Mundo da baixa produtividade. as companhias que trabalham com biotecnologia estão dando ênfase a uma faixa limitada de culturas para as quais existe um mercado seguro e suficiente. A Biotecnologia beneficiará os pequenos agricultores e favorecerá os famintos e os pobres do Terceiro Mundo. porque o gênio científico da biotecnologia não procura desenvolver variedades de culturas que sejam mais tolerantes a ervas daninhas em vez de ser tolerantes a herbicidas? Ou porque não estão sendo desenvolvidos outros produtos mais promissores da biotecnologia tais como plantas fixadoras de nitrogênio e plantas resistentes à seca? No Brasil . visando os sistemas de produção exigentes em capital. É por isto que os biotecnologistas criam as culturas transgênicas para uma nova qualidade de mercado ou para substituir as importações e não para produzir mais alimentos (Mander e Goldsmith 1996).

Segundo o Artigo 225 da Constituição Federal Brasileira: ³Todos tem direito ao meio ambiente ecologicamente equi librado. Testes feitos em laboratórios europeus detectaram a presença de transgênicos em 11 lotes de produtos vendidos no Brasil. que gero u a constituição da CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança). não são usados produtos químicos sintéticos. e geralmente adere aos princípios de agricultura sustentável . Este fato permitiu que se iniciassem os testes de campo com cultivos geneticamente modificados. impondo -se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê -lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. em todos seus processos de produção. que são hoje mais de 800 transgênicos à venda. a maioria deles contendo a soja geneticamente modificada Roudup Ready. O conceito de alimentos orgânicos não se limita à produção agrícola. da Monsanto ou com o milho transgênico Bt. bem de uso comum do povo e essencial a sadia qualidade de vida. Desta forma. nem organismos geneticamente modificados. técnicas que respeitam o meio ambiente e visam a qualidade do alimento. tais como fertilizantes e pesticidas. foi aprovada a Lei de Biossegurança no Brasil. Alternativas ao uso de transgênicos * Agricultura natural * Agricultura orgânica * Agricultura convencional * Agroecologia Alimentos orgânicos Os alimentos orgânicos são aqueles que utilizam. estendendo -se também à pecuária (em que o gado deve ser criado sem remédios ou hormônios). da Novartis. . Em 1995. pertencente ao MCT (Ministério da Ciência e Tecnologia).

Australian Organic Standard / ACO . quando . Este sistema de produção. Pressupõe a inda a manutenção da estrutura e da profundidade do solo. A agricultura orgânica está diretamente relacionada ao desenvolvimento sustentável. os orgânicos apresentam a vantagem de seres mais saudáveis. hormônios e anabolizantes. pois não possuem agrotóxicos. legumes e verduras Na agricultura.Os seus proponentes acreditam que num solo saudável. Embora apresentem praticamente as mesmas propriedades nutricionais dos alimentos inorgânicos. Também são mais saborosos. além de outras substâncias químicas. mantido sem o uso de fertilizantes e pesticidas feitos pelo homem. Os proponentes das fibras orgânicas dizem que a utilização de pesticidas em níveis excepcionalmente altos. o Japão (JAS .Programa de Desenvolvimento da Agricultura). tem como base o uso de estercos animais. a Suíça (BioSuisse) a União Europe ia (CEE 2092/91).Japan Agricultural Standard). Agricultura orgânica: frutas. Há uma tendência de crescimento no mercado de produtos orgânicos não alimentares. na produção convencional de fibras. representa abuso ambiental por parte da agricultura convencional. os animais são criados sem a aplicação de antibióticos. Carne Orgânica e ovos orgânicos No tocante à produção carnes e ovos. compostagem e controle biológico de pragas e doenças. agrotóxicos e produtos reguladores de crescimento.Australia Certified Organic) e o Brasil (ProOrgânico . como fibras orgânicas de algodão (para serem usadas na produção de vestimentas). utiliza -se apenas sistemas naturais para combater pragas e fertilizar o solo. que exclui o uso de fertilizantes.National Organic Program). incluindo os Estados Unidos (NOP . sem alterar suas propriedades por meio do uso de produtos químicos e sintéticos. por exemplo. Em diversos países. já adotaram programas e padrões para a regulação e desenvolvimento desta atividade. Pesquisas demonstram que estes produtos podem provocar doenças nos seres humanos. a Austrália (AOS . adubação verde. os alimentos tenham qualidade superior a de alimentos convencionais. rotação de culturas.

Há estudos que mostram que na média. pois são produzidos em menor escala e os custos de produção também são maiores. Esses casos ocorrem devido à contaminação involuntária ou devido a fraudes. alimentos orgânicos teriam menos res íduos de substâncias químicas que os demais alimentos comerciais. Logo.isto é. pois são livres de agrotóxicos. Controvérsia Muitas pessoas consideram o alimento orgânico como muito superior a outros alimentos comerciais porque em sua opinião estes são alimentos mais puros . evitando a contaminação de solo. hormônios e outros produtos químicos. principalmente na valorização da mão-de-obra. água e vegetação. a s carnes e ovos orgânicos são muito mais saudáveis. * Sua produção respeita o meio ambiente. * São mais saborosos.consumidos por muito tempo. * A produção usa sistemas de responsabilidade social. Desvantagem: A única desvantagem é que são mais caros do que os convencionais. Benefícios e Vantagens: * Os alimentos são mais saudáveis. o que (aos olhos de muitos) põe em dúvida alimentos comerciais vendidos sob essa "grife". os produtos orgânicos apresentam menor quantidade de produtos químicos sintéticos. . Mas também são inúmeros os casos de produtos no mercado orgânico com níveis altos de substâncias químicas agrícolas. Hipocondríacos e pessoas que respondem fortemente a baixíssimas doses de substâncias químicas (através de enxaquecas alérgicas e outras reacções) estão entre os principais consumidores de produtos orgânicos.

as culturas de amendoim. produtor da aflatoxina.a Monsanto. Os proponentes da agricultura co nvencional também argumentam que fazendas orgânicas são menos produtivas. Ao contrário de técnicas agrícolas modernas (como o uso de organismos geneticamente modificados). atuando a nível nacional e internacional. os seres humanos tiveram índices de intoxicação tão baixos quanto nos dias atuais. Além disso. contaminado pelo fungo Aspergillus flavus. tanto por parte da academia. de cânceres provocados pelo amendoim. Este é o caso. alguns deles respaldados por instituições e movimentos antigos e teoricamente idôneos. sem conservação adequada) é comprovadamente maior do que o consumo de produtos químicos artificiais em níveis convencionais. da empresa americana Monsanto) reduz a erosão da terra em comparação com o uso de um arado. Por exemplo. como vírus e fungos potencialmente prejudiciais aos seres humanos. dizem que preparar a terra para plantar usando o herbicida glifosato (produto cujo nome comercial é Roundup. Há quem diga que os produtos genuinamente orgânicos. existe um número grande de certificadores orgânicos. os males provocados por um alimento estragado (isto é. De acordo com esses críticos. não contém mais riscos à saúde humana do que os produtos da agricultura convencional. que se conhece terem sido contaminadas por este fungo.Para evitar estes casos. No entanto. Nessa mesma linha de crítica. entre outros. requerem que mais terra seja . Há quem enxergue nos entusiastas da agricultura orgânica um viés do "bom selvagem" (de Rousseau). essas pessoas expõem uma tendência dos críticos da agricultura tradicional a ignorar o fato de que nunca. que (embora potencialmente perigosos) não tiveram até o momento malefícios documentados. especialmente por causa de problemas relacionados à sua conservação. na história mundial. e o que é artificialmente construído pelo homem é ruim". os danos provocados por fungos no corpo humano estão extensamente documentados. Os que defendem a agricultura tradicional dizem que as práticas de agricultura orgânica causam mais danos ambientais que as práticas convencionais. são culturas manejadas convencionalmente e não sob as normas que regem a agricultura orgânica. quanto por produtores agrícolas. segundo o qual "tudo o que vem da natureza é bom. há o risco aumentado de que alimentos cultivados organicamente apresentem doenças naturais. autoridades ambientais e por parte da três grandes empresas mundiais q ue praticamente monopolizam a produção de pesticidas (com mais de 90% do mercado) . pesquisadores dizem que o alimento orgânico é menos seguro que alimento não-orgânico. a Syngenta e a Bayer. Os benefícios ambientais da agricultura orgânica também são objeto de debate. N o entanto.

há o problema social e econômico da relação entre os produtores rurais e as grandes empresas agroquímicas. a retomada do sistema cabruca no plantio de cacau é recomendada pelos técnicos da Embrapa. Os produtores que utilizam insumos agrícolas produzidos por processos químicos sofisticados em suas técnicas de produção da agricultura convencional estão ficando c ada vez mais dependentes das grandes empresas químicas que os fabricam. Esse empobrecimento exige. Os produtores orgânicos por sua vez contra-argumentam atacando os efeitos ambientais da agricultura tradicional. A drenagem de fertilizantes nitrogenados para o lençol freático é uma importante causa de poluição da água doce nos país es desenvolvidos. não se disseminando assim às fazendas orgânicas. quantidas maiores de fertilizantes. pois salvou algumas culturas da extinção pela praga vassoura de bruxa. a agricultura orgânica não se limita a uma volta a um passado arcaico. A utilização de herbicidas e pesticidas sobre as pragas presentes no ambiente acaba selecionando. com o passar do tempo. De acordo com eles. e não apenas isolada em "ilhas". Isto implica que elas conseguem determinar os preços de seus produtos e elas fazem isso de maneira a maximizá -los (para . devido à prática da monocultura. Estas grandes empresas industriais. Se a agricultura orgânica se tornasse universal.usada para produzir a mesma quantidade de alimento e provocam mais perda de solo. este controle desapareceria e as pestes se tornariam um problema bem mais severo. A retomada de técnicas tradicionais tem sido a salvação de culturas consideradas perdidas para pragas. ao lado de fazendas que mantiveram a técnica agroflorestal tradicional e que continuaram operacionais. os proponentes da agricultura orgânica limitam -se a dizer que fazendas orgânicas não liberam pesticidas químicos e herbicidas. Por sua vez. Outro argumento contrário à agricultura orgânica é o que diz que ela só funciona de forma aceitável atualmente porque as doenças e as pragas dos vegetais e dos animais são barradas pelo controle realizado pelas fazendas convencionais. por serem em número muito restrito têm poder oligopolístico sobre esse mercado. De acordo com documentários veiculados na televisão estatal TV Cultura de São Paul o. há fazendas com os cacaueiros assolados pela doença devido à destruição da mata. Brasil. Além disso. Dizem que a agricultura convencional empobrece a terra ao eliminarem o ciclo vital criado pelos microorganismos naturais do solo. por exemplo. através da lei da seleção natural de Darwin (a lei da sobrevivência do mais apto) as pestes mais agressivas e perigosas (que são as que sobrevivem à aplicação dos produtos químicos). Na Bahia. nem causam a drenagem de fertilizantes sintéticos para o ambiente.

que é muito mais baixa que a demanda mundial. Nessas fazendas. estes produtores tendem a aumentar suas áreas de produção e os menos eficientes tendem a sair da atividade e desta maneira. e produzia alimentos e ervas para medicamentos utilizados pela cúpu la da SS. Os críticos concordam que eles não têm relevância nas técnicas agrícolas ou nas discussões ambientais sobre a agricultura orgânica. trabalham no que os economistas chamam de regime de "concorrência ou competição perfeita" . afirmam que tais informações só têm importância quando a agricultura . Já os proponentes da agricultura orgânica dizem que esta alta produtividade é resultado de décadas de pesquisa cien tífica e de extensão rural (pagas em sua maior parte pelos contribuintes. fungicidas. herbicidas. Os críticos da agricultura orgânica também atacam a sua produtividade. acaricidas e inseticida s. As cinco maiores empresas mundiais controlam cerca de 90% do mercado de insumos agrícolas industriais usados como pesticidas. Técnicas orgânicas de agricultura eram parte do treinamento obrigatório de todos soldados da SS. Como resultado dessa situação. Assim. Dizem também que a agricultura orgânica deverá aumentar sua produtividade para níveis semelhantes ao da agricultura convencional se valores semelhantes de tempo e dinheiro forem inve stidos com a abordagem da agricultura sustentável.fazendo com que uma parcela significativa da população mundial (justamente a parcela mais pobre dela) morresse de fome. empreendeu fazendas orgânicas em toda a Alemanha. apenas os produtores mais eficientes (os que conseguem produzir a custos menores que os custos médios de produção) conseguem ter lucro. ou tomar. Defensores da agricultura orgânica dizem que estes fatos históricos são irrelevantes. em média. se fosse possível forçar a implementação da agricultura orgânica no mundo inteiro. NO entanto. Isto é. Por fim. De acordo com eles. os críticos da chamada "ideologia" por trás da agricultura orgânica. os preços determin ados pelo poder oligopolístico dessas grandes empresas. Uma das fazendas orgânicas de Himmler (que aliás era agrônomo) ficava no campo de concentração de Dachau. faltariam alimentos para a atual população mundial .que por serem em grande número e por produzirem produtos homogêneos. exacerbam o problema social conhecido como êxodo rural). Por outro lado. classificada por eles como "quase religiosa" tentam desmistificá -la relembrando insistentemente que Adolf Hitler era um entusia sta da agricultura orgânica.são obrigados a aceitar. foram feitos diversos estudos (questionáveis) alertando sobre os efeitos "degenerativos" de alimentos cultivados com fertilizantes sobre a saúde humana. os produtores rurais . também ele um vegetariano e fervoroso defensor da agricultura orgânica.também maximizar seus lucros). Heinrich Himmler. o lucro dos produtores rurais que utilizam insumos técnicos industriais tenda a zero.

dos sucos de fruta concentrados que por serem feitos com a própria fruta. É o caso.orgânica é encarada como parte de um sistema moral (e de marketing). além da dificuldade de se estabelecer uma definição clara para fins legislativos. são somente naturais aqueles alimentos que forem realmente cultivados pela natureza e não necessitem de qualquer componente químico. primeiro é necessário entender as verdadeiras funções do solo. por exemplo. em vez dos pós artificiais. apesar de utilizarem conservantes. por exemplo. Porém. tende a ter vários significados diferentes de acordo com o grupo em questão. Para o consumidor fica difícil saber ao certo o que seria realmente natural. alguns aditivos quím icos. ainda que este contenha em sua fórmula vários elementos químicos e artificiais. Frases do tipo: Contém aroma natural de lar anja. Hoje em dia pode-se notar que algumas frutas permanecem o ano inteiro nas prateleiras dos supermercados. hortaliças. Alimentos Naturais O conceito de natural. quando c ada fruta tinha sua época. a melancia (setembro a dezembro) ou o morango (agosto a outubro). se anunciam como naturais. apenas por terem sido desenvolvidos pela biotecnologia. em embalagens de refrescos totalmente artificiais induzem ao erro e aumentam a confusão. De acordo com eles. Diferente de antigamente. frutas. Muitas pessoas usam a palavra natural para todos os alimentos. isentos de agrotóxicos. é cada vez mais comum a inclusão de agrotóxicos na lavoura. como. já são legalmente considerados naturais Para explicar o que é Agricultura Natural.. A agricultura atual menosprezou a força do solo com objetivo de obter melhores resultados e maiores lucros. Então. A coisa se complica ainda mais a partir do momento em que. alimentos importantíssimos para a manutenção da vida humana. ou seja. alimentos naturais são aqueles alimentos que foram cultivados em um processo de agricultura natural. . leguminosas. apesar de parecer estar na moda hoje em dia. natural é tudo aquilo que possa valorizar seu produto. Ele tem a função de proporcionar a cultura de cereais. informações como estas ajudam a desmistificá-la. Por isso. fazendo com que os alimentos orgânicos voltem a patamares de preço que reflitam o seu real valor de mercado. Para o fabricante. etc.

pois representa que a verdura ou o legume passou por menos processos químicos. de acordo com as Nações Unidas. existe a possibilidade da contaminação dos mananciais. Além disso.Existem determinados alimentos como o tomate. rios. . São mais suculentas leves e crocantes. a uva. mesmo com seu formato menor. Às vezes. O problema da fome está intimamente ligado com a desigualdade social. muitas pessoas ainda preferem os alimentos com agrotóxicos e deixam de lado os alimentos naturais devido ao seu alto custo. lençóis freáticos. e ainda uma em sete pessoas passam fome. através produção de proteínas e até mesmo vacinas. provavelmente foram lavados com algum tipo de produto químico para que ficassem assim. conclui -se que embora. Conclusão Após o término do trabalho. muitas vezes. escovados e brilhantes. pelo menos com o que mostrou até o momento. Isso ocorre justamente pela baixa procura e também porque os agricultores necessitam de mais recursos para o cultivo natural. O uso abusivo de resíduos químicos presentes nestes alimentos convencionais pode acarretar em doenças para as pessoas que os consome. Quando estão limpinhos. Consumir alimentos naturais promove ao organismo um equilíbrio. Um alimento pode ser enriquecido com um componente nutricional essencial. As plantas geneticamente modificadas também podem ter a função de prevenir. o que contribui com a degradação ambiental. Poucas são as pessoas que já experimentaram o verdadeiro sabor das verduras naturais. o uso da engenharia genética na agricultura seja justificada pelo aumento da população. reduzir ou evitar riscos de doenças. o morango. na mente e conseqüentemente na saúde. refletindo no corpo. também é comum encontrá-las com uma aparência de suja com a raiz e terra. como também aos trabalhadores que atuam diretamente com esses produtos. Uma das grandes causas dos transgênicos é em benefício da saúde. Mas isso é um bom sinal. Mesmo com esses riscos à saúde e à natureza. o mundo produz atualmente uma vez e meia a quantidade de alimento necessária para alimentar toda a população do planeta. a batata e a melancia que contém uma maior quantidade de fertilizantes devido à necessidade de uma grande produção anual. E não será a engenharia genética capaz de solucionar esse problema.

com isso. com isso. Uma empresa dos Estados Unidos patenteou um gene apelidado de "exterminador". o que pode causar resultados inesperados uma vez que os genes de outras partes do organismo podem ser afetados. baixando. minhocas e outros animais e espécies de plantas. Pod e-se introduzir numa planta um gene capaz de fazê -la ficar resistente a pragas e doenças. Essas plantas modificadas poderiam fazer uma polinização cruzada com espécies semelhantes e. O lugar em que o gene é inserido não pode ser controlado completamente. pode também. A uniformidade genética leva a uma maior vulnerabilidade do cultivo porque a invasão de pestes. o que determina uma colheita rápida e um aumento na produtividade. Novas proteínas que causam reações alérgicas podem entra r nos alimentos. o custo de produção e o preço do alimento para os consumidores. que após colhidas passar a ter sementes estéreis. O gene exterminador poderá ser levado pelo vento junto com os grãos de pólen e fecundar as flores de plantas silvestres ou domésticas. Ele é incorporado às sementes. não havendo nenhuma conclusão definitiva sobre o assunto. Entretanto. As pessoas normalmente identificam os produtos que as afetam. mas. os alimentos transgênicos também geram dúvidas quanto aos riscos à saúde humana. contaminar plantas utilizadas exclusivamente na alimentação. doenças e ervas daninha sempre é maior em áreas que plantam o mesmo tipo de cultivo. Muitos cientistas também alertam para o perigo da manipulação genética. sem que haja um aumento no preço do produto final. Também pode-se fazer com que a planta adquira genes que façam com que o seu período de desenvolvimento seja mais curto. Os efeitos que os transgênicos poderão causar no organismo humano e no meio -ambiente a médio e a longo prazo ainda são desco nhecidos. Isto obriga o agricultor a comprar a semente sempre que for plantar. Organismos antes cultivados para serem usados na alimentação. tornando -as também estéreis. doenças e mudanças climáticas que tendem a afetar apenas algumas variedades. mais este sistema estará adaptado para enfrentar pestes. deste modo. com a transferência das proteínas alérgicas de um produto para o . e provocando uma irreparável destruição no patrimônio biológico da humanidade. Quanto maior for a variedade (genética) no sistema da agricultura. Mas além de questões ambientais. matar populações benéficas como abelhas. estão sendo modificados para produzirem produtos farmacêuticos e químico s.Outro benefício está na diminuição do uso de agrotóxicos.

se possível. Uma alimentação equilibrada com alimentos naturais é tudo que você precisa para se manter saudável. Embora a biotecnologia ofereça a possibilidade de uma agricultura melhor. Tudo na natureza tem o seu tempo.terra.br www. Segundo a Associação de Agricultura Orgânica. Mas se o objetivo é um alimento sem agrotóxicos. com adubo orgânico. O ser humano precisa ter consciência e paciência. Mas. ela poderá representar uma ameaça ambiental e uma industrialização ainda maior da agricultura. eles podem custar de duas a dez vezes mais que os similares produzidos à base de tecnologia. O gosto amargo desses alimentos está no preço. como esterco e restos de vegetais.outro sem o provável conhecimento. uma das soluções poderia ser os alimentos orgânicos.com. perde -se a identificação e a pessoa só vai descobrir o que lhe fe z mal após a ingestão do alimento perigoso. fazendo com que poucos detenham a maior parte dos benefícios e aqueles que realmente necessitam. Um mundo cada vez mais automatizado e dependente da tecnologia não exclui a viabilidade de uma produção sustentável. sejam os maiores prejudicados. Bibliografia Portal São Francisco Wikipédia suapesquisa. opte pelos alimentos naturais.portaldovestibular. que em excesso podem ser responsáveis por inúmeras doenças. Enfim. Eles são mais nutritivos e não possuem produtos químicos. que respeite o solo . são muitos os malefícios que os transgênicos podem causar.com . produzidos da forma mais natural possível. o ar e principalmente o ser humano.com www.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful