Você está na página 1de 2

INTRODUÇÃO

Os lipídios são caracterizados por serem componentes do alimento insolúveis em água, mas solúveis a solventes orgânicos. Seu termo é utilizado para definir as gorduras e substâncias ditas gordurosas, sendo os óleos, gorduras e graxas os lipídios mais encontrados, são também constituídos por triglicerídeos. Essas substâncias podem ser extraídas de plantas ou matéria animal, utilizando-se de solventes orgânicos apolares ou de baixa polaridade, como o clorofórmio, o tolueno e o n-hexano que será o solvente utilizado nessa atividade laboratorial. Para determinarmos o teor de lipídios em uma substância, podemos utilizar três métodos diferentes para a extração, são eles: Extração por partição gravimétrica, infravermelho e o método de extração Soxhlet. O Método adotado na aula prática foi, portanto, o método de Soxhlet.

EXTRAÇÃO DE LIPÍDIOS – MÉTODO DE SOXHLET

Já se sabe que os lipídios possuem como característica a alta solubilidade em solventes orgânicos,

assim como a baixa solubilidade em água que torna possível a sua separação de substâncias como proteínas, carboidratos, ácidos nucléicos e da própria água. Os procedimentos, citados anteriormente, incluem em suas metodologias de extração a mistura de solventes orgânicos apolares e polares. Isso é feito pelo fato de os lipídios possuírem uma faixa de hidrofobicidade que torna impossível a utilização de apenas um tipo de solvente para sua extração. Os triacilgliceróis são lipídios neutros, estabilizados por ligações de Van der Walls(ligações fracas) que necessitam de solventes apolares para sua extração. Por outro lado, os

lipídios polares como os fosfolipídios são unidos por ligações de hidrogênio e interações eletrostáticas, necessitando assim, para uma extração eficiente, de solventes polares capazes de romperem essas ligações. No método de Soxhlet, assim como nos outros, os óleos e graxas são extraídos por um solvente orgânico que será posteriormente separado. O teor desses compostos corresponderá ao peso do resíduo remanescente após a evaporação do solvente, vale salientar que os compostos que se volatilizam a uma temperatura igual ou menor que 70 °C serão perdidos durante o procedimento. O processo será depois detalhado. Alguns cuidados são necessários para a extração de lipídios, principalmente no que se diz respeito aos lipídios insaturados, isso pelo fato desses serem suscetíveis a oxidação. Por isso é necessário buscar- se o conhecimento da amostra, levantando dados sobre a estrutura química das classes lipídicas presentes na mesma para garantir sucesso e confiabilidade nos resultados da extração. A oxidação pode ser minimizada, por exemplo com o uso de temperatura baixas nas amostras e com a adição de anti-oxidantes. Quando preparam uma solução de café ou chá, ocorre a extração do tipo sólido-líquido, sendo que os componentes que estavam no estado sólido(pó de café por exemplo) passam para a fase líquida, contudo existem casos em que a solubilidade do soluto é pequena ou se quer realizar a maximização da extração do soluto, para isso utiliza-se a técnica de extração contínua que utilizará o aparelho conhecido como Extrator de Soxhlet. O Método de Soxhlet é um exemplo de processo contínuo para extração de

lipídios de alimentos. Os lipídios contidos em materiais sólidos são extraídos por repetidas lavagens com um solvente orgânico como o n-hexano utilizado na aula prática, sob refluxo em um vidro especial. Essa técnica

é útil nos casos em que o composto purificado é solúvel em um determinado solvente e as suas impurezas não são.

O procedimento ocorre da seguinte forma, a amostra é secada e moída em pequenas partículas

para serem colocadas em um cone de celulose porosa(cartucho de Soxhlet) que será colocada em uma câmara de extração que estará suspensa acima de um frasco(balão de fundo chato) contendo o solvente e abaixo do condensador. O frasco será aquecido fazendo com que o solvente evapore e suba para o condensador onde será convertido em um líquido que escorrerá para dentro da câmara de extração onde estará a amostra, essa câmara de extração é projetada de uma forma que quando o solvente em torno da

amostra for superior a altura máxima do sifão, o líquido transbordará para o balão onde anteriormente foi aquecido e novamente entrará em processo de evaporação por aquecimento completando o ciclo. O processo dura algumas horas, e ao final é possível retirar o balão contendo lipídios e o solvente será recuperado em um dispositivo localizado acima do condensador após o fechamento da torneira entre o funil

e a câmara de extração. O solvente no balão será então evaporado e a massa de lipídios no balão poderá ser medida.

PARTE EXPERIMENTAL

Pesar cerca de 3 g de raçao de frango, colocando no cartucho de Soxhlet e posteriormente coloca- lo dentro de um Becker;

Pesar um balão de fundo chato, previamente esterilizado;

Medir em uma proveta 125 ml de n-hexano e colocar no balão de fundo chato;

Colocar o cartucho dentro da câmara de extração

Conectar o balão e o condensador ao tubo contendo a câmara de extração;

Ligar a circulação de água para condensar o hexano, evitando que haja perda significativa do solvente;

Deixar o sistema em aquecimento e permitindo a circulação do solvente por um período de 4 horas;

Após esse período, interromper a extração após o esvaziamento da câmara de extração;

Retirar o cartucho contendo a amostra e reaquecer até que a câmara de extração esteja cheia;

Despejar o solvente destilado em um recipiente marcado;

Desconectar o sistema

Levar o balão de fundo chato para uma estufa a 100°C para evaporação do hexano;

Transferir o balão para um dissecador e quando a vidraria estiver na temperatura do ambiente, levar para pesagem;

Calcular a percentagem de lipídios, relacionando o peso do extrato hexânico com o peso da amostrar, expressando o resultado em relação ao peso seco da amostra;