Você está na página 1de 55

Cotidiano

Escolar
2

Hello!
Professor Adriano Martins
Visite para mais material:
pedagogiaparaconcursos.blogspot.com.br
3

Neste material vamos encontrar os O processo de ensino pode ser


O que vamos seguintes tópicos:
visto como um conjunto de
encontrar aqui?  Integração Docente-discente;
 Conselho de Classe, reuniões tarefas que envolvem
pedagógicas, formação professores e alunos, visando à
continuada, planejamento,
acompanhamento e avaliação; assimilação ativa dos
 Educar e cuidar; conhecimentos, junto com o
Além destes tópicos, já foram desenvolvimento de
estudados:
 Modalidade de Gestão;
habilidades e competências.
 Projeto Político Pedagógico.
4
A didática é a parte
da pedagogia que
se ocupa dos Educação
métodos e técnicas Pedagogia
de ensino,
destinados a
colocar em prática
as diretrizes da
teoria pedagógica.

Didática
Na integração docente-discente são apresentados o conjunto de
tarefas que envolvem professor e alunos em instituições próprias
 Possui métodos;
 Pesquisas;
 Objetivos claros.
Desenvolve habilidades e competências. A aprendizagem escolar é
planejada, não podendo ser casual ou espontânea.

Nas palavras do educador Paulo Freire, não existe ensino sem aprendizagem. Para ele e vários
educadores contemporâneos, educar alguém é um processo dialógico, um intercâmbio constante.
Nessa relação educador e educando trocam de papéis o tempo inteiro: o educando aprende ao passo
que ensina seu educador e o educador ensina e aprende com seu estudante.
6
7
1.
Integração
Docente-discente
Visa alcançar os objetivos
com preparação acadêmica
9

○ Aspecto cognoscitivo – forma de


comunicação
Relação
Professor-aluno ○ Aspecto socioemocional – forma de
relação
Professor deve ter postura profissional.
Deve possuir metodologia.
10
11

Para esse autor “a disciplina em classe está


INDISCIPLINA ligada ao estilo da prática docente, ou seja, à
para Libâneo autoridade profissional, moral e técnica”.

Autoridade profissional Autoridade técnica Autoridade moral


Está ligada do domínio da Está relacionada ao Está ligada a qualidade
matéria que o professor emprego adequado dos da personalidade
ministra. métodos e técnicas de docente (dedicação e
ensino. compromisso, por
exemplo).
12
13

Perspectiva
transformadora e Modelo tradicional
COMPARAÇÃO democrática Memorização e
Desenvolve transmissão de
curiosidade e conhecimentos.
descoberta. Professor dono da razão.
Propõe assimilação Educação bancária.
ativa.
Aluno enciclopedista.
Promove interação
aluno e conhecimento.
Reavalia-se.
14
15

 Respeito aos alunos.


Educação é  Diálogo com a família.
relacionamento
 Compreensão dos problemas familiares
e sociais.
 Clima favorável (motivador)
 Organização.
 Sem negligência.
16
17

Não existe fórmula para aprender.


Aprendizagem Aprendizagem ocorre antes, durante e
depois da escola. Durante a vida toda.

 Aprendizagem casual - espontânea,


natural, social.
 Aprendizagem organizada - possui
finalidades e determinados
conhecimentos. Aprendizagem escolar.
2.
Conselho de
Classe
Experiência formativa e
reavaliação da prática
Na escola é divido em três momentos
Pré-conselho: levantamento de dados do processo de ensino e disponibilização
aos conselheiros (professores) para análise comparativa do desempenho dos
estudantes, das observações, dos encaminhamentos didático-metodológicos
realizados e outros, de forma a dar agilidade ao Conselho de Classe. É um espaço
de diagnóstico.
Conselho de Classe: momento em que todos os envolvidos no processo se
posicionam frente ao diagnóstico e definem em conjunto as proposições que
favoreçam a aprendizagem dos alunos.
Pós-conselho: momento e que as ações previstas no Conselho de Classe são
efetivadas.
19
20

A função do conselho Muitas escolas


CONSELHO DE não é julgar o organizam pré-
CLASSE comportamento dos conselhos durante o ano
alunos, mas para a divulgação dos
compreender a relação resultados parciais das
que eles desenvolvem avaliações. Já o encontro
com o conhecimento e do fim do ano tem o
como gerenciam a vida objetivo de decidir sobre
escolar para, quando aprovações ou
necessário, propor as retenções.
intervenções
adequadas.
O Conselho de Classe é um dos campos privilegiados de atuação da 21
supervisão educacional. Pode-se afirmar que é um espaço de grande
relevância, visto que nele se tem o encontro de vários segmentos
reunidos em torno da temática avaliação. Contudo, muitas vezes, esse
espaço tem sido utilizado para outros fins. Numa escola que busque um
trabalho crítico e transformador, pode-se afirmar que o Conselho de
Classe deve ser:

a) um momento de repasse das normas e avisos oriundos do sistema


escolar.
b) o momento em que todos os professores, já com seus conceitos
fechados, os ditam para que o supervisor os registre em ata.
c) o momento em que os professores relacionam os alunos que
apresentam problemas de disciplina ou outros, para que os pais possam
ser convidados, posteriormente, para uma conversa com a supervisão.
d) um momento para se pensar, coletivamente (professores, alunos, pais,
supervisores, orientadores, funcionários, diretores), a prática educativa
como um todo e como processo.
e) um momento de encontro de todos os professores da escola com a
supervisão, a orientação e a direção, para resolver problemas do grupo.
22
3.
Formação
Continuada
Valorizar o profissional é
valorizar a escola
24

Esta formação continuada, conforme Caldeira


(1993) citado por Cunha e Krasilchik, não se
esgota somente em um curso de atualização,
DEFINIÇÃO mas deve ser encarada como um processo,
construído no cotidiano escolar de forma
constante e contínua.
É o exercício de uma prática pedagógica de
qualidade diretamente relacionado à
formação de profissionais alicerçados em uma
fundamentação teórica consistente, associada
à continua articulação entre a teoria e a
prática.
25
OBSTÁCULOS:
○Não se refere as
pós-graduações. A  Falta de tempo
Melhores banca pode tentar
professores  Escassez de
te confundir.
recursos
formam ○Não é
melhores capacitação nem
 Alta rotatividade
alunos reciclagem.

○Pode ser a distância,


seminários, cursos completos,
entre outros.
○Para prova é importante
saber que se valoriza a
formação local por meio do
trabalho coletivo.

Para Severino, a formação docente é
26

tridimensional.
"É uma tarefa que pressupõe o
desenvolvimento harmonioso de três
grandes perspectivas que se impõem com a
mesma relevância. Conteúdos, habilidades
didáticas e das relações situacionais.
27
28
4.
Planejamento
30
○COMUNICAÇÃO:
○Formas de relacionar e interagir.
Relembrando ○TAYLORISMO E FORDISMO:
alguns
○Máximo de rendimento em menor tempo.
conceitos
Organização industrial com divisão de tarefas
como uma linha de montagem.
○LÓGICA DO CONFLITO:
○Homogeneização: grupos com pensamentos
iguais
○Heterogeneização: grupos com
pensamentos diferentes.
Planejamento: A realidade escolar 31

 Tarefa do professor.
 Previsão de atividades didáticas.
 É o meio pelo qual o professor se organiza para ação.
 Possibilita a ação do trabalho.
 É flexível.
 Leva em consideração o contexto social escolar e o nível
do aluno.
 Deve facilitar o trabalho do professor.
 Racionalização, organização e coordenação da ação docente.
32
33
Planejamento Planejamento do
educacional currículo
○É a parte em que ○É a parte em que
TIPOS DE o Estado são estabelecidos
PLANEJAMENTO desenvolve e os objetivos gerais
decide sobre com base nos
decisões sobre a guias curriculares
educação. oficiais de ensino.

○Planejamento de ensino

○É a especificação do planejamento do currículo. Consiste em


traduzir em termos mais concretos e operacionais o que o
professor fará na sala de aula para conduzir os alunos a alcançar
os objetivos educacionais propostos

Os métodos de ensino não podem estar desvinculados dos
34

objetivos e dos conteúdos. Nenhum funciona independente


do outro. Desse modo, podemos dizer que a matéria não
pode ser apenas transmitida. O professor deve entender
que a matéria está determinada por aspectos políticos,
pedagógicos, lógicos e psicológicos confirmando a relação
de subordinação que deve existir dos métodos aos
objetivos gerais e específicos.
35

A didática entra nesse processo,


destacando o que deve fazer parte
dentro do ensino da escola, selecionando
os elementos de cada conteúdo que será
trabalhado, de forma apropriada pelos
alunos.
36

É um papel burocrático que deve


ser preenchido
A banca
pode tentar
te confundir Pode ser fora do contexto
escolar

Não é flexível.
37
38
39
5.
Acompanhamento
e avaliação
É um componente do processo de ensino.
Não é o objeto final.
Compara o que se foi aprendido com o que se pretende alcançar.
Aponta o desenvolvimento do aluno, professor e da escola.
Caso 1: Eu tenho dez questões e grande parte dos alunos erram sempre as
questões nº 8, 9 e 10. Que isso significa?
Caso 2: Analise a frase “Avaliação é um processo de encino.”
Professor corrigirá para dar nota, classificar ou para ensinar corretamente?

41
42

Formas de avaliação:
 Formal – Provas, trabalhos, tarefas, etc.
 Informal – Elogios, castigos, ameaças, etc.
Princípios da avaliação:
 Integridade;
 Funcionalismo;
 Orientação;
 Sistematicidade.
Aprovado 43

Classificar
Reprovado
Avaliação
😒 Tradicional
Melhores • Avaliar para dar nota.
Hierarquizar • Professor autoritário.
• Avaliação para identificar a
Piores memorização.
• Não considera a diversidade de
pessoas.
Bons
Separar
Maus
44
45
Na atualidade a função da avaliação é
dividida em:

FUNÇÃO DA
AVALIAÇÃO ○ Diagnóstica: antes

○ Formativa: durante
Essa é a função que
mais cai em prova
○ Somativa: depois
46
Início do processo.
Durante o
processo
Direciona o trabalho
do professor
É possível
Levantamento dos
corrigir falhas
Diagnóstica conhecimentos
prévios
Formativa
Reorienta o
planejamento
Permite melhor
planejamento

Feedback do
Percebe a ensino
diversidade e
características dos
alunos
47

Ocorre após o
processo

Classifica o
aluno para
avançar
Somativa
É a nota
bimestral

É o registro
das
informações
48
49
Questões de
provas
51
52
53
54
55