Você está na página 1de 7

Pedro de Toledo, 15 de Maio de 2017

(Proposta de Apresentação de projeto)

ARTE DA TERRA, EDUCAÇÃO PELA VIDA E


CULTURA DA SUSTENTABILIDADE

"A educação socializa. A cultura identifica e move. E a arte...


Rompe!“
... A arte (estética) como vivência de humanidade. A educação
(ética) como sentimento de totalidade.
E a cultura (moral), como condição para a ampliação dos modos
de ser.

FUNDAMENTO

• A Arte como vivência de humanidade: • Ver: Manifesto Antes Arte do que


Tarde

• Educação como conceito amplo de cultura: Protagoniza as políticas


culturais com finalidades educativas

• Cultura como quarto pilar do desenvolvimento humano: Baseia-se nas


orientações de movimentos sociais na Rio+20 pela valorização das tradições
populares

OBJETO
· Arte, Educação para a Sustentabilidade / Cooperação Cultural para o
Desenvolvimento

ÁREAS, CONCEITOS E CONTEÚDOS

a) Diversidade Cultural

b) Sustentabilidade Ambiental

c)Arte educação, Permacultura

d) Gestão Cultural

AÇÕES, METAS E COMPETÊNCIAS

a) permeabilidade/ resiliência, identidades e processos de identificação

 Indivíduo como criação inicial, capital social- intelectual.

b) Educação como finalidade ampla de cultura (ampliação da presença do ser)

 Relações humano- ambiental

 Ecologicamente correto, socialmente justo e economicamente viável.

c) metodologias, técnicas/materiais, teorias- práticas

 arte da terra, arte ambiental

 modelo de gestão-redes
 design social- ambiental

 Paradgma da complexidade, aspectos vivenciais e dialógicos.

d) Institucionalidade, política transversal

 participação, apropriação, legalidade

 Organizações socioculturais

 Cooperação para o desenvolvimento

 Agenda 21/ convenção (unesco, 2005).

JUSTIFICATIVA

Uma constatação que fundamenta e apresenta os impasses para a


utilização destes conceitos, (considerando as metodologias da Eco-
Alfabetização, da Educação Biocêntrica, da Permacultura e Arte educação) para
o desenvolvimento de conteúdos e competências, seria entender que o ensino
da arte nas escolas, museus e instituições ainda hoje é um paradigma e um
desafio quando necessita de profissionais habilitados reformulando realidades
e conhecimento para a criação e interpretação das linguagens e códigos da
atualidade.

Nesse sentido, a educação, a cultura, e principalmente a arte como


ferramenta de transformação dos modos de pensar e agir, são referenciais que
possibilitam a criação compartilhada.
METODOLOGIA

Áreas Transversais e Princípios Norteadores


Arte da Terra, Arte Ambiental: Um caminho para a educação sensível-
conceitos da arte ambiental: Land art e Arte Póvera- relações e características,

Arte Educação: História, movimentos sociais, e questões atuais,

Novos atores, novos contextos: Interculturalidade, mapeamento para a


diversidade e cooperação em rede.

Museu, Escola, Política Pública e Instituição: Institucionalidade, arranjos


produtivos.

A proposta da Educação Biocêntrica: Complexidade vivencial e dialógica.


Permacultura: Princípios, negontropia e resiliência.

TEMAS GERADORES TRANSVERSAIS:

 ARTE E ECOLOGIA: ECO- ALFABETIZAÇÃO

 CULTURA E SOCIDADE: Arte, Natureza e Cultura.

 ORGANIZAÇÕES SOCIOCULTURAIS: Formação e Consumo

 Design de Projetos: Metodologias


DINÂMICA 1: FORMAÇÃO DE EDUCADORES

(Foco: formação continuada, Cursos, workshops, encontros com pais,


comunidades e educadores)

___________________________

Formação continuada de educadores que atuam na educação infantil,


fundamental I e II.

Os encontros serão realizados 1 vez por semana com 2 horas de duração, sendo
divididos entre teoria e prática.

Segue em anexo proposta formatada.

DINÂMICA 2: FORMAÇÃO DE AGENTES


CULTURAIS| SÓCIOAMBIENTAIS

(Foco: Artesanato, Ambiências Urbanas, Comunicação e Sociabilidade)

O estabelecimento de vínculos criativos e sustentáveis para a geração


de conhecimento cada vez mais necessita de uma educação sensível,
profunda e libertadora.
Com isso, as demandas solicitadas nas construções dos diálogos e na
utilização e criação dos diversos contextos de aprendizagem serão neste caso
pensadas e construídas com os princípios e fundamentos destas perspectivas
_________________________
Encontros de formação inicial e capacitação empoderada como proposta
de formação de público e agentes multiplicadores.

Os encontros serão realizados 2 vezes por semana, com duração de 2


horas, sendo divididas entre teoria e prática.

Públicos: jovens e adultos com ou sem experiância em arte e cultura (20 à 25


alunos)

Local: Espaços cuclturais, praças e parques.

Segue em anexo proposta formatada

DINÂMICA 3- CONSULTORIA, CAPTAÇÃO DE RECURSOS E


AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS

(Foco: Políticas Culturais\Educacionais\Ambientais)

Os estudos sobre cultura e as questões sobre o desenvolvimento


sustentável são hoje objetos de pesquisa emergente, que surgem como tentativa
de equiparar e igualar estas duas áreas incluindo-as como nos modelos de
desenvolvimento para as cidades, conforme visto recentemente na tentativa de
inclusão da cultura como quarto pilar do desenvolvimento na Rio+20 (A
Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável- CNUDS).

Este projeto (piloto) tenta aplicar os conceitos, técnicas e metodologias


existentes sobre a Diversidade Cultural e Sustentabilidade Ambiental existentes
no campo político institucional, nos movimentos sociais, e na educação.