Você está na página 1de 21

Compostos carbonílicos

 São compostos orgânicos contém um ou mais grupos


carbonilos, ou seja grupos caracterizados pela ligação
dupla entre átomos de oxigénio e cabono. A ligação
C=O é característica de várias familias, contudo refere
especialmente os aldeídos e cetonas.
Aldeídos Cetonas

Cloretos de ácidos Ácidos carboxílicos

Amidas Ésteres

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 1


Aldeídos e cetonas
 São compostos carbonílicos cujo grupo carbonilo terminal
(em aldeídos) e entre átomos de carbono (em cetonas).
O O O O

H C H H3C C H H3C CH2 C H H3C (CH2)2 C H


metanal ou etanal ou propanal ou butanal ou
formaldeído acetaldeído propionaldeído butiraldeído

O O O

H3C C CH3 H3C CH2 C CH3 H3C CH2 C CH2 CH3


propanona butanona ou pentanona-3
ou acetona etilmetilcetona ou dietilcetona

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 2


Carbonílicos casos na nomenclatura
O O O
CHO
H CH3

benzaldeído acetofenona benzofenona ciclohexanocarbaldeído

CHO O O O
H3C CH2 CH CH2 COH H3C CH2 C CH2 C CH3
ácido 3-formilpentanóico hexano-2,4-diona

O O O
H3C CH2 C CH2 CH H3C CH CH CH2 C CH3
3-oxopentanal hex-4-en-2-ona

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 3


Formaldeído: aldeído mais simples
 É um gás incolor, carcinogénico, de odor pungente, com
vapores irritantes aos olhos, vias respiratórias, à pele e
causa de tonturas, dores de cabeça e fadiga.
 Na industria, é um reagente na síntese de polímeros para
fazer tecidos, materiais de isolamento, forragem com
tapetes, madeira prensada e plásticos para balcões de
cozinha, etc.
 A sua solução aquosa de 37 a 40%, chamada formalina ou
formol, é usada como uma germicida e para preservar
espécimes biológicas.
O formaldeído tem o p. e. -21 oC.
O formol é um gem-diol.

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 4


Acetona: cetona mais simples

 É um líquido incolor cujo p. e. 56 oC, de odor suave e


que tem ampla utilização como solvente de limpeza,
em preparações que removem tintas, vernizes e
cimento de borracha.
 É extremamente inflamável e deve-se ter cuidado ao
usa-lo.
 No corpo, a acetona pode ser produzida em diabetes
não controladas, jejum e dietas ricas em proteínas e
quando grandes quantidades de gorduras são
metabolizadas para a energia.

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 5


Carbonílicos Exemplos na natureza

Muscona
(perfume de almíscar/musk) Carvona
(fragrância de hortelã)

Benzaldeído Vanilina Cinamaldeído


(em amêndoas) (no feijão baunilha/vanilla) (essência de canela)

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 6


Carbonílicos métodos de obtenção

 Revisão da oxidação de álcoois – slide 14:


 álcoois 1rios formam aldeídos e, depois, ácidos;
 álcoois 2rios formam cetonas.

 Revisão da ozonólise de alcenos – slide 26:


 carbonos 1rios e 2rios formam aldeídos;
 carbonos 3rios de formam cetonas.

 Revisão de hidratação de alcinos – slide 33:


 hidratação indirecta (BH3/H2O2) forma aldeídos;
 hidratação directa (H2O/Hg2+) forma cetonas.

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 7


Carbonílicos métodos de obtenção

 Revisão da acilação de aromáticos – slide 18:


 Acilação de Friedel-Crafts forma cetonas;
O
O H
AlCl3
+
Cl HCl
cloreto de
3-metilbutanoilo 1-fenil-3-metilbutan-1-ona

 Método de Gutterman-Koch
 Preparacao de benzaldeído a partir de CO, HCl e benzeno:
O

CO AlCl3/CuCl
+ HCl + H

benzaldeído

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 8


Carbonílicos métodos de obtenção
 Sínteses a partir de organometálicos:
 nitrilos com reagente de Grignard ou com organolítios:
O
N MgBr
C N C C
CH3CH2MgBr H3O+ CH2CH3
CH2CH3
éter

 Cloretos de acilos com redutor suave para evitar a


redução para álcoois primários – exemplo:
O O
LiAlH(O-t-Bu)3
CH3CH2CH2 C Cl CH3CH2CH2 C H

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 9


Carbonílicos propriedades físicas

 O grupo carbonilo/acilo é um dipolo, com as cargas


parciais, negativa e positiva, sobre oxigénio e carbono,
respectivamente:

 Esta característica confere a este grupo de compostos


propriedades singulares:
 Formam pontes de hidrogénio, portanto, têm pontos de ebulição
mais altos que os hidrocarbonetos e éteres, sendo mais baixos
que dos álcoois;
 A ligacao C=O é mais curta, mais forte e mais polar que a C=C em
alcenos;
 São misciveis em compostos polares (agua, álcoois).

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 10


Carbonílicos propriedades químicas

 Devido ao caracter bipolar do grupo carbonilo, aldeídos e


cetonas sofrem reacções de adição nucleofílica:
 partículas polarizadas negativamente atacam o grupo carbonilo
do lado do carbono, polarizado positivamente.
 partículas polarizadas positivamente atacam o grupo carbonilo
do lado do oxigénio, polarizado negativamente.

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 11


Carbonílicos adição nucleofílica
 Sob condições neutras a adição nucleofílica é lenta,
sendo a velocidade relativamente alta quando a
reacção ocorre activada, em meio ácido ou básico.
 Ataque nucleofílico  protonação  desidratação/desidrogenação

aldeído
ou
cetona

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 12


Carbonílicos adição nucleofílica

 Ex: hidratação de formaldeído  formação de formalina


 Em meio ácido:

 Em meio básico:

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 13


Carbonílicos adição nucleofílica
 Ex. reacção com álcoois  formação de acetais

protonação ataque nucleofílico desprotonação

hemiacetal protonação

hemiacetal acetal

desidratação
desprotonação ataque nucleofílico

acetal

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 14


Carbonílicos adição nucleofílica

 Ex: com reagente de Grignard  formação de álcoois

formaldeído álcool 1rio

aldeídos
álcool 2rio

cetonas
álcool 3rio

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 15


Carbonílicos condensação aldólica
 Sob influência de ácidos ou alcalis em solução diluída,
duas moléculas de aldeídos (ou cetonas) adicionam-se de
modo que o carbono  de um fique ligado carbonilo do
outro, formando um -aldol (-hidroxialdeido) ou -cetol
(-hidroxialdeido).
 Por exemplo, a condensação aldólica de acetaldeído:

O O OH
H
OH O
CH3 CH + CH2 CH CH3 CH CH2 CH
-hidroxibutiraldeído
ou 3-hidroxibutanal
Em aldeídos ou cetonas sem de H no -carbono (tal como PhCHO, HCHO,
PhCOPh, PhCOCR3, CR3CHO, etc.) não se observa esta condensação.

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 16


Carbonílicos -halogenação
 Os aldeídos e as cetonas podem ser α-halogenados,
simplesmente tratando-os com o halogénio (X2) em meio
ácido ou básico. Para que a substituição tenha lugar é
necessário que haja hidrogénios no α-carbono.
 Por exemplo:

A eliminação de -halogénio conduz a formação de compostos


carbonílicos (aldeídos ou cetonas) ,-insaturados.
O O

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 17


Carbonílicos testes de oxidação

 Ex: reagente de Tollens  solução Ag+ (AgNO3) e amónio


 oxida aldeídos, mas não as cetonas;
 O ião de prata é reduzido e forma um "espelho de prata".

espelho

 Ex: reagente de Benedict  solução Cu2+ (CuSO4)


 oxida aldeídos α-hidoxilados, mas não as cetonas.
Vermelho
tijolo

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 18


Carbonílicos testes de oxidação

 reagente de Benedict  teste positivo para açúcares

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 19


Carbonílicos reacções de redução
 Na redução de compostos oxigenados, há uma diminuição
no número de ligações carbono–oxigénio pela adição de
hidrogénio e/ou perda de oxigénio.
 São usados hidretos como NaBH4 ou H2/Pt (Pd ou Ni)
 Os aldeídos são reduzidos a álcoois 1rios
 As cetonas são reduzidas a álcoois 2rios
O OH
H2/Pt
H3C C CH3 H3C CH CH3
Cetona álcool 2rio
O OH
H2/Pt
H3C CH2 CH H3C CH2 CH2
aldeído álcool 1rio

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 20


Carbonílicos resumo de reacções

oxidação de aldeídos

23/04/2018 Química Orgânica I - Dr. Miguel Mussa 21