Você está na página 1de 18

SOCIOLOGIA do TRABALHO

Introdução conceitual

Curso Técnico de Segurança do Trabalho


2017-1
Ricardo Cesar Costa
rcesarrc@gmail.com
TRABALHO:
sentido histórico e etimológico
17 E disse em seguida ao homem: "Porque ouviste a voz
de tua mulher e comeste do fruto da árvore que eu te
havia proibido comer, maldita seja a terra por tua
causa. Tirarás dela com trabalhos penosos o teu
sustento todos os dias de tua vida.
18 Ela te produzirá espinhos e abrolhos, e tu comerás a
erva da terra.
19 Comerás o teu pão com o suor do teu rosto, até que
voltes à terra de que foste tirado; porque és pó, e pó
te hás de tornar."
Gênesis 3:17-19
TRABALHO:
sentido histórico e etimológico

• Grécia antiga == Trabalho escravo.

• Aqueles que dependem do trabalho para


sobreviver (os escravos) não têm condições
de desenvolver a natureza humana, de usar a
razão (Aristóteles).
TRABALHO:
sentido histórico e etimológico
• "Tripalium (tripálio = três paus) instrumento feito de
três paus aguçados, algumas vezes até munidos de
pontas de ferro, no qual os agricultores batiam as
espigas de trigo, de milho ou de linha, para que
fossem debulhadas ou desfiadas”.

• Roma Antiga: o tripalium passou a ser um


instrumento de tortura de escravos.

Tripalium (tri + palus)  latim vulgar 


verbo tripaliare (ou trepaliare)=
torturar alguém com o tripálio.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• Desde as eras mais remotas – aquelas que
aprendemos nos livros didáticos a identificar
como “pré-história” –, os seres humanos
precisaram enfrentar os diferentes meios
físicos da natureza na sua luta pela própria
sobrevivência. Esse conflito entre o homem e
a natureza, através dos tempos, deu origem a
diversas e distintas formas de organização e
cultura dos seres humanos entre si.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• O contato entre os homens estabeleceu regras
de convívio e fez surgir diferentes
agrupamentos, identificados por características
comuns entre os membros do grupo, tais como,
por exemplo, uma determinada crença
sobrenatural ou a solidariedade necessária à
caça de um animal selvagem de grande porte.
• São esses pequenos grupos que vão estabelecer
o surgimento, mais tarde, de coletividades
maiores e mais complexas que podemos chamar
de sociedades humanas.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• Ao longo da História, diversos tipos de
sociedades se formaram e também
desapareceram. As diferentes sociedades
humanas, entretanto, podem ser classificadas
de acordo com a presença de algumas
características comuns. Estas podem ser
sintetizadas através do conceito teórico de
modo de produção, ou seja, a maneira como
a sociedade é organizada como um todo para
garantir a sua própria sobrevivência e a sua
continuidade (= a sua reprodução).
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• O conceito de modo de produção engloba três níveis
diferentes:

• O nível econômico: a forma pela qual a sociedade se


organiza para produzir os seus bens materiais.
• O nível jurídico-político: o estabelecimento de normas e a
sua transformação em leis que devem ser obedecidas por
todos os seus membros, com a consequente criação de
instituições que garantam o seu cumprimento.
• O nível ideológico: a invenção de tradições, costumes e
ideias que devem ser entendidas como “naturais” e que,
por isso, devem ser seguidas por todos aqueles que
pertençam a uma determinada coletividade. Representa a
forma pela qual aquela sociedade vê e analisa o mundo.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• Conceitos referentes ao chamado nível
econômico dos modos de produção

• Economia: a maioria das pessoas geralmente


“torce o nariz” quando se fala a respeito... E
nem poderia ser de outra forma, já que nos
habituamos a escutar nos telejornais termos
aparentemente incompreensíveis, tais como
inflação, juros, déficit, com destaque para
notícias importantes, como a “queda do índice
da Bolsa de Valores” ou ainda “a mais recente
alta do dólar”...
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• Economia: a forma pela qual o conjunto de
indivíduos existentes em uma sociedade
participa da produção, da distribuição e do
consumo de seus bens e serviços.
• Quando falamos em BENS estamos nos
referindo a qualquer coisa ou matéria produzida
pelo homem: automóveis, roupas, calçados,
gêneros alimentícios, cadernos, cadeiras etc.
• SERVIÇOS referem-se a atividades desenvolvidas
pelo homem, tão diversas como uma aula de
Sociologia ou de Matemática, uma consulta
médica, o atendimento ao público num
estabelecimento bancário ou no posto do INSS,
e assim por diante.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• Bens e serviços são desenvolvidos pelo homem
a partir da sua capacidade física e intelectual, a
qual chamamos de FORÇA DE TRABALHO.

• É através do trabalho que o homem transforma


e domina a natureza, contribuindo para a
melhoria da sua qualidade de vida (a construção
de uma hidrelétrica ou de uma ponte sobre um
rio) ou até mesmo para a sua destruição (a
poluição atmosférica provocada por uma fábrica
ou a invenção da bomba atômica).
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução

• Todas as vezes em que os elementos da


natureza são apropriados economicamente
pelo homem, eles se transformam em
recursos naturais. Assim podemos chamar as
árvores (matéria bruta) que são cortadas em
toras de madeira (matéria-prima) para a
fabricação de móveis (produto final).
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução

• INSTRUMENTO DE PRODUÇÃO é qualquer


bem utilizado pelo homem na transformação
da matéria-prima e produção de outros bens
e serviços. Definimos dessa forma as
ferramentas de trabalho, as máquinas e os
equipamentos (instrumentos de produção
diretos), assim como o local de trabalho e a
energia elétrica que utilizamos (instrumentos
de produção indiretos).
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução

• Como se pode perceber, tanto as matérias-


primas como os instrumentos de produção
citados acima formam o conjunto de “meios
materiais” necessários à produção de
qualquer tipo de bens ou de serviços. A esses
meios materiais damos o nome de MEIOS DE
PRODUÇÃO.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução

• Uma característica que vai distinguir os diversos


tipos de sociedades que se constituíram
historicamente é, exatamente, a forma pela qual
o homem, através do trabalho, utilizou os meios
de produção que lhe estavam, então,
disponíveis. A essa associação entre o trabalho
humano e os meios de produção damos o nome
de FORÇAS PRODUTIVAS. Cada sociedade,
portanto, apresenta o seu conjunto de forças
produtivas.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• Por fim, um último conceito, que define a forma
pela qual os diversos homens ou agrupamentos
se relacionam entre si em todo o processo de
produção material existente na sociedade: as
RELAÇÕES DE PRODUÇÃO.
• As relações de produção, como veremos a
seguir, é que vão condicionar, juntamente com
as forças produtivas, a organização e o
funcionamento da sociedade como um todo,
estabelecendo as distinções entre os diferentes
modos de produção que caracterizaram
historicamente a humanidade.
SOCIOLOGIA DO TRABALHO:
Introdução
• Por fim, um último conceito, que define a forma
pela qual os diversos homens ou agrupamentos
se relacionam entre si em todo o processo de
produção material existente na sociedade: as
RELAÇÕES DE PRODUÇÃO.
• As relações de produção, como veremos a
seguir, é que vão condicionar, juntamente com
as forças produtivas, a organização e o
funcionamento da sociedade como um todo,
estabelecendo as distinções entre os diferentes
modos de produção que caracterizaram
historicamente a humanidade.