Você está na página 1de 2

29/04/2018 EPS

LUCIVALDO NASCIMENTO DE LIMA


201510760709 ALEXANDRINO

DIREITO ADMINISTRATIVO II

Avaliando Aprend.: CCJ0011_SM_201510760709 V.1

Aluno(a): LUCIVALDO NASCIMENTO DE LIMA Matrícula: 201510760709


Desemp.: 0,5 de 0,5 29/04/2018 14:15:20 (Finalizada)

1a Questão (Ref.:201511436698) Pontos: 0,1 / 0,1

Sobre a responsabilidade civil do Estado, segundo entendimento dos Tribunais Superiores, assinale a alternativa
correta:

As prestadoras de Serviço Público responderão de forma subjetiva caso a vítima seja usuária do serviço e
objetiva caso a vítima não seja usuária do serviço.
O oficial da polícia à paisana que se envolve em tiroteio em transporte público, com resultado morte de
passageiro, obriga o Estado a indenizar a vítima ou sua família no caso de morte.
O preso fugitivo que volta a cometer crime, a qualquer tempo após a sua fuga, caracteriza obrigação do
Estado indenizar na modalidade de responsabilidade objetiva.
O suicídio do preso sob custódia do Estado não caracteriza obrigação do Estado indenizar a não ser que fique
provada a desídia da vigilância dos presos.

2a Questão (Ref.:201511538944) Pontos: 0,1 / 0,1

3. (OAB.CESPE 2008.2) Assinale a opção correta com relação aos princípios que regem a administração pública.

C) Ato administrativo não pode restringir, em razão da idade do candidato, inscrição em concurso para cargo
público.
B) A administração pública pode, sob a invocação do princípio da isonomia, estender benefício ilegalmente
concedido a um grupo de servidores a outro grupo que esteja em situação idêntica.
D) O Poder Judiciário pode dispensar a realização de exame psicotécnico em concurso para investidura em
cargo público, por ofensa ao princípio da razoabilidade, ainda quando tal exigência esteja prevista em lei.
A) Não ofende o princípio da moralidade administrativa a nomeação de servidora pública do Poder Executivo
para cargo em comissão em tribunal de justiça no qual o vice-presidente seja parente da nomeada.

3a Questão (Ref.:201511478571) Pontos: 0,1 / 0,1

O Poder Público Municipal lançou mão, urgente e transitoriamente, de um prédio de quatro andares, pertencentes a
João da Costa, empresário do ramo de equipamentos de informática, para atender demanda de perigo iminente.
Nesse caso, ele o fez, corretamente, por meio de:

Desapropriação indireta
Limitação administrativa
Requisição
Tombamento
Servidão administrativa

4a Questão (Ref.:201511588282) Pontos: 0,1 / 0,1

http://simulado.estacio.br/bdq_sava_pres/ 1/2
29/04/2018 EPS

Levando-se em consideração a teoria do risco administrativo, usada para


disciplinar a responsabilidade patrimonial do Estado, analise as alternativas a seguir:
I. A responsabilidade do Estado é subjetiva, estando condicionada à demonstração
de culpa ou dolo do agente público.
II. A culpa exclusiva da vítima, o caso fortuito e força maior são causas excludentes
da responsabilidade do Estado.
III. As autarquias estão sujeitas a normas constitucionais relativas a
responsabilidade patrimonial do Estado.
É (são) afirmativa(s) verdadeira(a) somente

I e III.
II e III.
III.
I e II.
Nenhuma das alternativas estão corretas.

5a Questão (Ref.:201511519723) Pontos: 0,1 / 0,1

Astrobaldo, motorista de taxi há 25 anos, trafegava por via de rodagem como fazia por todos os dias de sua vida
profissional, quando foi surpreendido pela queda de um galho de mangueira. A queda foi provocada pelo acúmulo de
¿erva de passarinho¿ por conta de falta de manutenção cuja competência é da Secretaria Municipal de Meio
Ambiente. O galho atingiu em cheio o para-brisa de seu taxi. Tal acidente forçou Astrobaldo a submeter o veículo a
reparos, onde o carro ficou parado por dois dias inteiros, impossibilitando o motorista de realizar suas tarefas
laborais. Indique a alternativa correta:

O agente público que deveria ter realizado a manutenção na árvore poderá ser responsabilizado
objetivamente pelo dano causado a Astrobaldo.
A doutrina majoritária entende que mesmo em caso de omissão do Poder Público, este será responsabilizado
objetivamente, bastando Astrobaldo demonstrar o nexo de causalidade entre a conduta do Município e o dano
sofrido.
Astrobaldo não pode responsabilizar o Município, pois a queda do galho ocorreu por situação de força maior,
caso de excludente de responsabilidade.
Segundo a doutrina dominante, o Município deve ser responsabilizado subjetivamente por culpa do serviço,
visto que a falta de manutenção configura omissão do Poder Público.

http://simulado.estacio.br/bdq_sava_pres/ 2/2