Você está na página 1de 158

CURSO BÍBLICO INTERNACIONAL

ENCONTRO COM A PALAVRA


Livro 11

ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO


(VERSÍCULO POR VERSÍCULO)
(SEGUNDA PARTE - CAPÍTULOS 11-21)

PR. DICK WOODWARD


Toda glória e honra ao Senhor nosso Deus! Este material foi escrito e
impresso pelo Ministério Cooperativo Internacional (ICM - International
Cooperating Ministries) para ser uma bênção em sua vida.

É permitida a reprodução total e parcial deste livro, sem a autorização


por escrito do ICM, para uso pessoal e na sua igreja.

“Portanto, fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus. E as coisas que


me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confia a homens
fiéis, que sejam também capazes de ensinar a outros” (II Timóteo 2.1,2).

Woodward, Dick

Estudo do Evangelho de João


Versículo por Versículo
(Capítulos 11–21)

Curso Bíblico Internacional


ENCONTRO COM A PALAVRA

Tradução em Português: Ruth Gialluca


Correção Ortográfica: Lídia Damasceno Gialluca e Marlene Frade
Editoração Eletrônica: Elen Canto
Capa: Paulo Sergio Baeta e Jersio Dreissing
Impresso no Brasil por: Fine Graf Gráfica e Editora Ltda.
Supervisão Geral: Pr. Leandro Ferreira
E-mail: pastorleandroferreira@gmail.com

1ª Edição: Março de 2005 = 1.000 exemplares


2ª Edição: Novembro de 2007 = 2.000 exemplares
3ª Edição: Junho de 2011 = 2.500 exemplares
4ª Edição: Novembro de 2014 = 3.000 exemplares
5ª Edição: Junho de 2017 = 3.500 exemplares
Nota Importante
O material que você tem em mãos é um complemento dos estudos
que vêm sendo ministrados por uma rede variada de emissoras de rádio e
pela internet (www.desfrutedeus.com) e é enviado, gratuitamente, ape-
nas aos ouvintes que estão acompanhando, regularmente, os estudos por
uma dessas emissoras. Para recebê-lo, basta solicitar, escrevendo para o
endereço divulgado no final de cada aula.
Por se tratar de um curso, é necessário responder o questionário de
cada livro; com isto você garante o recebimento do próximo, bem como de
um lindo Certificado de Conclusão ao término do curso.
ÍNDICE
Introdução (ao aluno iniciante) ...............................................................................06

CAPÍTULO 1
“Os Problemas Insolúveis da Vida” (João 11.1-16) ............................................07

CAPÍTULO 2
“Resposta e Relacionamento” (João 11.17-32)...............................................15

CAPÍTULO 3
“Tirem a Pedra da Incredulidade” (João 11.33-57) ........................................24

CAPÍTULO 4
“O Fim do Começo” (João 12.1-19) ............................................................28

CAPÍTULO 5
“Chegou a Hora“ (João 12.20-50) ....................................................34

CAPÍTULO 6
“O Novo Mandamento“ (João 13.1-38) ..................................................44

CAPÍTULO 7
“Perguntas e Respostas“ (João 13.33 - 14.31) ..............................................56

CAPÍTULO 8
“Uma Metáfora Magnífica” (João 15.1-16) ..............................................73

CAPÍTULO 9
“A Obra Tremenda” (João 15.18-27) ..........................................................82

CAPÍTULO 10
“O Caráter do Conselheiro” (João 16.1-33) .....................................................88

CAPÍTULO 11
“A Oração do Senhor” (João 17.1-26) ................................................102

CAPÍTULO 12
“A Prisão de Jesus” (João 18.1-27) ................................................................110
CAPÍTULO 13
“O Julgamento Romano de Jesus” (João 18.28 - 19.16) .........................116

CAPÍTULO 14
“Chegou a Hora” (João 19.17-42) .................................................................122

CAPÍTULO 15
“Ele Ressuscitou! - O Sinal Supremo” (João 20.1-31) ..............................132

EPÍLOGO
“Transformando Ninguém em Alguém” (João 21.1-25) ..........................142
Introdução (ao aluno iniciante)
Quando você se aprofunda na Palavra de Deus e deixa que a Palavra
transforme sua vida, coisas maravilhosas e tremendas acontecem.
Bem-vindo ao ENCONTRO COM A PALAVRA. Juntos faremos um
estudo de toda a Bíblia, dividido em 13 livros. Essa jornada nos levará
do Livro de Gênesis ao Apocalipse e nos dará uma visão panorâmica de
cada livro da Bíblia. Observaremos a estrutura do livro, o seu contexto
histórico e, o que é mais importante, buscaremos uma aplicação para
nossas vidas, a partir do ensino de cada livro.
Algumas pessoas acham a Bíblia um livro confuso. Realmente, não
é fácil relacionar os acontecimentos com a sua época e o seu significado.
Mas, cada versículo da Bíblia é um pedacinho desse quebra-cabeça, cujo
conteúdo é muito glorioso. Minha oração é que, no final dessa jornada,
você tenha adquirido uma compreensão maior de cada livro da Bíblia, do
modo como eles se completam, e possa situá-los dentro da história de
Deus com o homem. No final, você terá uma compreensão de como Deus
trabalhou nos tempos do Velho Testamento; terá também compreendido
o que mudou com a vinda de Jesus Cristo e a razão da mudança; aquilo
em que você antes cria no coração, será confirmado em sua mente, e
você poderá testemunhar sua fé com mais confiança e conhecimento.
Espero que você faça todo o curso e convide outras pessoas para que
nos acompanhem nesse estudo da Bíblia, o livro mais importante do mun-
do. Faça suas malas e prepare-se para embarcar. Estamos prestes a partir!

Ferramentas que serão utilizadas


Segundo o apóstolo Paulo, a única maneira de não passarmos ver-
gonha, quando se trata de Bíblia, é tornarmo-nos obreiros que manejem
bem a Palavra. A única maneira de entender a Bíblia é saber usá-la. Por
isso, o meu desafio é que você assuma o compromisso de estudá-la com
dedicação e sinceridade. Nenhum livro merece mais dedicação e em-
penho da nossa parte que a Bíblia. Se você quiser se aprofundar ainda
mais neste estudo, além de dedicação e empenho há outras ferramentas
que o ajudarão a ir mais fundo no conhecimento das Escrituras.
Antes de qualquer coisa você precisa de uma Bíblia e, se possível,
adquira mais de uma tradução. Você também vai precisar de um cader-
no para anotações.
Como qualquer outro trabalho, esse será cumprido com mais fa-
cilidade e atingirá melhores resultados, se você possuir as ferramentas
certas. O estudo da Bíblia fica mais produtivo, quando se utilizam os
recursos disponíveis. Procure equipar-se com as ferramentas que men-
cionamos e você se surpreenderá com os resultados.
ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 1
“Os Problemas Insolúveis da Vida” (João 11.1-16)

Continuaremos este estudo e lhe enxugara os pés com os ca-


de onde paramos no último livro, belos. Então as irmãs de Lázaro
isto é, no capítulo 11 de João, mandaram dizer a Jesus: Senhor,
um dos capítulos mais empol- aquele a quem amas está doente.
gantes deste Evangelho e, talvez, Ao ouvir isso, Jesus disse: Essa
de toda a Bíblia. Nele encontra- doença não acabará em morte; é
remos respostas maravilhosas para a glória de Deus, para que o
para as três perguntas que ser- Filho de Deus seja glorificado por
vem de base para nosso estudo: meio dela. Jesus amava Marta, a
“Quem é Jesus?”, “O que é fé?” e irmã dela e Lázaro. No entanto,
“O que é vida?”. quando ouviu falar que Lázaro
O contexto do capítulo 11 tem estava doente, ficou mais dois
início no versículo 40 do capítulo dias onde estava” (João 10.40-
10, onde lemos: “Então, Jesus 42; 11.1-6).
atravessou novamente o Jordão e Este capítulo maravilhoso se
foi para o lugar onde João batiza- inicia contando a história de um
va nos primeiros dias do seu mi- homem chamado Lázaro e suas
nistério. Ali ficou e muita gente duas irmãs, Marta e Maria, que vi-
foi até onde ele estava, dizendo: viam em Betânia, subúrbio distan-
Embora João nunca tenha reali- te três quilômetros de Jerusalém,
zado um sinal miraculoso, tudo onde Jesus costumava ficar, quan-
o que ele disse a respeito deste do se encontrava naquela cidade.
homem era verdade. E ali mui- O diálogo hostil que Jesus
tos creram em Jesus. Havia um manteve com os líderes religiosos
homem chamado Lázaro. Ele era de Jerusalém deve ter sido muito
de Betânia, do povoado de Maria exaustivo, por isso é provável que,
e de sua irmã Marta. Aconteceu nessas ocasiões, Jesus se retiras-
que Lázaro ficou doente. Maria, se para Betânia e se hospedasse
sua irmã, era a mesma que der- com estas três pessoas a quem Ele
ramara perfume sobre o Senhor muito amava.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 7


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

No final do capítulo 10, Jesus o que ele disse a respeito deste


se encontra num local árido, além homem era verdade” (10.41).
do Rio Jordão, onde João Batista É nesse momento que nossa
pregava e batizava. Hoje podemos história se inicia, na própria Be-
visitar a Terra Santa e fazer um tânia, onde Lázaro se encontra-
passeio de quatro horas de carro va doente. No original, a palavra
ou ônibus em direção ao sul, a traduzida para “doente”, usada
partir de Jerusalém. Em determi- no recado enviado pelas irmãs de
nado momento, no meio de uma Lázaro a Jesus, tem o significado
vasta região desértica, em direção de “doente de morte”.
à Jordânia, o guia mostra o local O Evangelho de Lucas regis-
onde João Batista exerceu o seu tra um episódio envolvendo Marta,
maravilhoso ministério. Dizem que Maria e Jesus. O texto original de
muitos viajavam quatro dias pelo Lucas usa a palavra “moça” para
deserto para ouvir a pregação des- se referir às duas mulheres que Je-
te homem, a quem Jesus se referiu sus estava indo visitar em Betânia
como o maior de todos os profetas (Lucas 10.38-42).
(Mateus 11.11; Lucas 7.28). Para Marta, Jesus estava indo
De acordo com os últimos visitar sua casa e o mais importan-
versículos do capítulo 10, Jesus te era que tudo estivesse o mais
estava no meio de uma minis- perfeito possível. Maria, porém,
tração muito frutífera, numa re- era diferente de Marta, e sua pre-
gião desértica, quando recebeu a ocupação com respeito à visita do
mensagem de que Lázaro estava Mestre era outra; para ela, a Pala-
gravemente enfermo. Nesse mo- vra de Deus tinha se tornado carne
mento do Seu ministério, Jesus e estava em sua casa. O que mais
estava enfrentando a oposição e a importava para Maria era estar
rejeição dos líderes religiosos de sentada aos pés de Jesus, ouvindo
Jerusalém. tudo o que Ele tinha a dizer.
Entretanto, lemos que quando Maria estava na sala partici-
Ele foi para o deserto, seguido por pando de um estudo bíblico e Mar-
uma multidão maior que a que se- ta ocupava-se dos preparativos da
guiu João Batista, entre eles se di- cozinha, até que interrompeu o
zia: “Embora João nunca tenha re- estudo e se queixou severamente
alizado um sinal miraculoso, tudo com Jesus. Não é preciso muita

8 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

imaginação para concluir o que deserto: “Senhor, aquele a quem


Marta estava pensando; o seu tom amas está doente” (v.3). Elas não
de voz deveria ser de impaciência pediram nem exigiram nada; sim-
ao queixar-se em alto e bom som plesmente informaram a Jesus o
que Maria não a estava ajudando, que estava acontecendo, porque
que a tinha deixado sozinha na sabiam que, mesmo sendo insolú-
cozinha tomando conta de tudo. vel o caso do irmão, Jesus teria a
Evidentemente, Marta esperava solução.
que Jesus interviesse a seu favor O tipo de fé e confiança que
naquele impasse. elas tinham em Jesus responde
Embora amasse Marta, Je- a uma das nossas perguntas, “O
sus não tomou o seu partido, e eu que é fé?”. O recado delas ensina
tenho plena convicção de que foi como devemos apresentar nossos
com todo amor que Jesus olhou problemas a Jesus, isto é, fazer
para Marta e lhe disse: “Marta, conhecido o nosso problema, a
Marta, você está preocupada e nossa necessidade a Ele.
inquieta com muitas coisas; to- Minha irmã mais velha levou-
davia, apenas uma é necessária me a Cristo, quando eu tinha 18
e Maria escolheu a boa parte, a anos, e durante muito tempo ela
qual não lhe será tirada” (Lucas e seu marido, que é pastor, me
10.41,42). ajudaram no meu caminhar de fé.
São estas duas mulheres que Diante de um problema, ela sem-
encontramos novamente no capí- pre dizia: “Ah, o Senhor sabe”.
tulo 11 de João, passando por dois Ela falou isso quando minha es-
terríveis problemas da vida: doen- posa ficou gravemente enferma.
ça e morte. Mesmo com todos os Lembro-me de ter-lhe dito: “E
avanços da ciência, as doenças e daí, você acha que isso me conso-
a morte ainda são dois problemas la?”, ao que ela respondeu: “Bem,
muitas vezes insolúveis. Imagine, você sabe que Ele é a essência do
então, como não se sentiram as amor, é Onipotente, o Todo Pode-
duas irmãs, quando tomaram co- roso; tudo o que você precisa sa-
nhecimento da doença do irmão, a ber mais é que Ele conhece o seu
qual, fatalmente, o levaria à morte. problema insolúvel”.
Esta foi a mensagem urgente Parece que foi nesse espírito
que elas mandaram para Jesus no que as duas irmãs mandaram o

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 9


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

recado para Jesus. Devemos se- não acabará em morte; é para a


guir o exemplo delas e apresentar glória de Deus, para que o Filho
nossos problemas a Ele. A resposta de Deus seja glorificado por meio
de Jesus foi extraordinária e repre- dela” (v. 4).
senta um desafio para nós, porque Isso mostra que o propósito
é outra resposta para a pergunta daquela doença em particular ia
“O que é fé?”. além do meio usado para levar
Jesus disse: “Esta doença não para a eternidade aquele homem
acabará em morte” (v.4), o que a quem Jesus amava; o propósito
não deixa de ser uma resposta de Jesus era a glória de Deus e,
deveras interessante, pois fica su- através da morte e ressurreição de
bentendido que o propósito de al- Lázaro, o filho seria glorificado.
gumas doenças seja a morte. Você Você deve se lembrar de que
já pensou nisso? Jesus falou a mesma coisa no ca-
A Bíblia ensina claramente pítulo 9, quando curou o cego de
que a eternidade é mais valiosa nascença: “Nem ele nem seus
que esta vida terrena; o eterno vale pais pecaram, mas isto aconteceu
mais que o temporal; não importa para que as obras de Deus se ma-
quantos anos Deus nos dê aqui na nifestassem na vida dele” (9.3).
terra, a eternidade é melhor. Não há dúvida de que Jesus esta-
Muitos de nós sabemos que va ensinando essa mesma verdade
a Bíblia afirma, em diversas pas- no capítulo 11.
sagens e de várias maneiras, que Se formos egocêntricos e esti-
bênçãos espirituais estão à nossa vermos sempre pensando no pro-
espera na eternidade, mas não pa- veito que podemos tirar de cada
ramos para refletir sobre a forma situação, jamais teremos em pers-
como o Senhor vai nos fazer pas- pectiva a providência e a glória de
sar deste estado temporal para o Deus; porém, se Deus estiver no
eterno. Na maioria das vezes, Ele centro de nossas vidas, quando
usa problemas insolúveis como do- nos sobrevierem problemas devas-
ença e morte para nos levar dessa tadores, aí então saberemos per-
dimensão para a dimensão eterna. guntar: “Senhor, como essa situa-
Foi isso o que Jesus quis dizer, ção devastadora, sobre a qual não
quando respondeu ao recado das tenho nenhum controle, pode glo-
irmãs de Lázaro: “Essa doença rificar o Seu nome em minha vida?

10 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Será que de alguma forma Jesus aquela experiência dolorosa glorifi-


pode ser exaltado nisso? Será que, caria a Deus Pai e, como Filho de
através dessa situação, vou con- Deus, Ele também seria glorificado.
seguir transmitir a Palavra de vida Entretanto, não devemos deixar
àqueles que estão vendo a minha passar despercebida a observação
dificuldade?”. Fazendo este tipo de de João: “Jesus amava Marta, a
pergunta você sempre encontrará irmã dela e Lázaro” (v.5).
propósito e significado para crises É interessante observar que no
de doença e sofrimento, inclusive recado das irmãs de Lázaro para
para um diagnóstico médico que Jesus: “Senhor, aquele a quem
signifique a morte. amas está doente”, a palavra gre-
Os versículos 5 e 6 do capí- ga usada para expressar esse amor
tulo 11 sempre me causaram es- foi “phileo”, que significa o amor
tranheza: “Jesus amava Marta, a de amigo ou o amor “filantrópico”;
irmã dela e Lázaro. No entanto, entretanto, quando lemos que Je-
quando ouviu falar que Lázaro es- sus amava Marta, a irmã dela e
tava doente, ficou mais dois dias Lázaro, a palavra grega usada foi o
onde estava”. amor “ágape”, o que significa que
Quantos de nós, pastores, se- Jesus amava aqueles três irmãos
ríamos mantidos numa igreja, se de uma maneira como eles jamais
acontecesse de receber um aviso tinham sido amados antes.
como este, de que um membro “Depois disse aos seus dis-
estava doente e prestes a morrer, cípulos: Vamos voltar para a Ju-
e disséssemos: “por amar muito deia, e estes disseram: Mestre, há
esta pessoa não vou atendê-la an- pouco os judeus tentaram apedre-
tes que ela morra?”. jar-te e assim mesmo vais voltar
No entanto, havia um propósi- para lá? Jesus respondeu: O dia
to naquela demora de Jesus e esta não tem doze horas? Quem anda
história tocante parece uma síntese de dia não tropeça, pois vê a luz
da que está narrada no Livro de Jó. deste mundo. Quando anda de
É incontestável que Jesus permitiu noite, tropeça, pois nele não há
àquelas duas irmãs e ao irmão de- luz. Depois de dizer isso, prosse-
las passarem por aquele problema guiu dizendo-lhes: Nosso amigo
de doença e morte, porque os ama- Lázaro adormeceu, mas vou até
va com amor ágape, sabendo que lá para acordá-lo. Seus discípulos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 11


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

responderam: Senhor, se ele dor- estar lá, assim eles poderiam crer.
me, vai melhorar. Jesus tinha fa- Será que Jesus estava querendo
lado de sua morte, mas os seus dizer que eles ainda não criam
discípulos pensaram que ele es- nEle? A primeira vez que Seus dis-
tava falando simplesmente do cípulos creram foi quando Jesus
sono. Então lhes disse claramen- operou Seu primeiro milagre num
te: Lázaro morreu e para o bem de casamento na Galileia. Aqueles
vocês estou contente por não ter homens já tinham sido testemu-
estado lá, para que vocês creiam; nhas dos milagres operados por
mas, vamos até ele. Então Tomé, Jesus e registrados por João nos
chamado Dídimo, disse aos outros dez primeiros capítulos do seu
discípulos: Vamos também para Evangelho.
morrermos com ele” (7-16). Lembre-se que por todo o
Jesus explica àqueles homens Evangelho de João encontramos
que agora Ele estava para voltar respostas para a pergunta “O que
para a Judeia, ou seja, para Je- é fé?” e aqui encontramos mais
rusalém, e é evidente que para uma resposta para esta pergunta:
Betânia, mas eles O lembraram “estou contente por não ter estado
que havia pouco tempo, conforme lá, para que vocês creiam”. Em vá-
lemos nos capítulos 8 e 10, que rias passagens, Jesus questionou
os judeus tinham tentado apedre- a fé dos Seus discípulos (Mateus
já-Lo, por isso Lhe perguntaram: 8.26; 14.31; Marcos 4.40; Lucas
“assim mesmo vais voltar para 8.25). Está evidente que o obje-
lá?”. A resposta de Jesus foi: “O tivo de Jesus nesta história é a fé
dia não tem doze horas? Quem de Marta, de Maria, de Lázaro, da-
anda de dia não tropeça, pois vê a queles que amavam essa família e
luz deste mundo. Quando anda de dos Seus discípulos!
noite, tropeça, pois nele não há Apesar de não ser esta a in-
luz” (9-10). Com isso Jesus esta- terpretação principal desta histó-
va dizendo: “Eu sei o que estou fa- ria, pode-se fazer uma aplicação
zendo. Estou andando na luz; não secundária muito interessante,
estou tropeçando na escuridão”. a partir desta pergunta que Je-
Jesus disse claramente aos sus fez: “O dia não tem doze
discípulos que Lázaro estava mor- horas?”. Geralmente ignoramos
to e que Ele estava feliz por não que antes de Deus mandar Seu

12 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

povo descansar no sétimo dia, aplicações do início desta história.


Ele ordenou que trabalhassem “Quem é Jesus”, no início
seis dias. Nesta passagem, Jesus do capítulo 11? Jesus é o Senhor
está dizendo que o dia tem 12 amoroso, o qual permite às pes-
horas. Será que Ele está dizendo soas que Ele ama profundamente
que devemos trabalhar 12 ho- passarem por problemas insolú-
ras por dia, 6 dias por semana? veis, a fim de que o Deus Pai e
Quantas horas por semana um o Filho sejam glorificados, e para
discípulo dedicado de Jesus deve que aqueles a quem Ele ama
trabalhar na Sua obra? Será que creiam nEle.
o apóstolo Paulo diria que são Reflita sobre algumas experi-
oito horas por dia, cinco dias por ências semelhantes às de Marta
semana? Existe algum sindicato e Maria, pelas quais você passou
que determine isso? nos últimos anos, ou que está pas-
Quando os irmãos de Jesus sando agora e, até mesmo, que
quiseram organizar Sua agen- possa vir a passar no futuro. Você
da, Ele não Se deixou influenciar acredita que Jesus nos ama o sufi-
com o que eles disseram, porque ciente para permitir que passemos
sempre fazia o que agradava o por experiências, algumas inso-
Pai (João 8.29). Devemos ter em lúveis, a fim de glorificar o Pai e
mente que neste episódio de Láza- Ele mesmo, para que a nossa fé
ro, mesmo quando questionado cresça nEle e no Seu amor? Este
por seus discípulos, Jesus sabia é Jesus, na primeira parte deste
por que deveria voltar para a Ju- capítulo.
deia naquele momento. “O que é fé” nos primeiros
versículos deste capítulo? Esta
Resumo pergunta é respondida por Marta
Agora o autor deste Evangelho e Maria, quando enviaram a men-
já estabeleceu o cenário para esta sagem para Jesus, crendo que, se
história maravilhosa. Ele soubesse que aquele a quem
Antes de falarmos da resposta Ele amava estava doente e pres-
de Marta e Maria, do fato de Jesus tes a morrer, o amor dEle resol-
não estar lá para impedir a morte veria aquele problema insolúvel.
do irmão delas e do grande milagre Fé é simplesmente colocar seus
que se seguiu, quero tirar algumas problemas diante de Jesus, tendo

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 13


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

a convicção de que a única coisa espiritualmente; é qualquer coisa


que você precisa é saber que Ele que nos leva para mais perto do
conhece tudo sobre os seus pro- nosso Deus e do nosso Senhor Je-
blemas. Fé é a convicção de que sus Cristo.
Ele é todo amor, Ele é onipotente Como somos chamados para
e Ele fará qualquer coisa para que andar e viver pela fé, vida é qual-
sua fé cresça. quer coisa que aumente nossa fé
Finalmente, “O que é vida”, nEle, que nos faça mais comple-
com base nas afirmações do iní- tos nEle; é qualquer coisa que Ele
cio deste capítulo? Vida é qualquer permita e que, no final, contribua
problema que nos faça crescer para nossa Vida Eterna.

14 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 2
“Resposta e Relacionamento”(João 11.17-32)

Continuando a leitura deste quilômetros de Jerusalém e mui-


capítulo, devemos destacar dois tos judeus tinham ido visitar Marta
aspectos importantes: a chegada e Maria para confortá-las pela per-
de Jesus à Betânia, que é a res- da do irmão. Quando Marta ouviu
posta para o problema insolúvel que Jesus estava chegando, foi
de Marta e Maria, isto é, a doença encontrá-lo, mas Maria ficou em
e a morte do irmão, e a respos- casa. Disse Marta a Jesus: Senhor,
ta de Jesus, que se refere ao Seu se estivesses aqui meu irmão não
relacionamento com elas, no meio teria morrido, mas sei que, mesmo
daquela crise, em razão de não ter agora, Deus te dará tudo o que pe-
chegado a tempo de salvar Lázaro dires. Disse-lhe Jesus: O seu irmão
da morte. Nosso relacionamento vai ressuscitar. Marta respondeu:
com o Senhor é sempre o fator Eu sei que ele vai ressuscitar na
crítico na resposta que damos aos ressurreição, no último dia. Disse-
problemas que nos sobrevêm. lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e
Tenho certeza de que a respos- a vida. Aquele que crê em mim,
ta de Marta foi a que Jesus espera- ainda que morra, viverá; e quem
va. Ela me faz lembrar que nossa vive e crê em mim, não morrerá
resposta imediata aos problemas eternamente. Você crê nisso? Ela
deve confirmar o nosso relaciona- lhe respondeu: Sim, Senhor, eu te-
mento com Cristo e a nossa fé no nho crido que tu és o Cristo, o Filho
amor dEle por nós. A resposta de de Deus, que devia vir ao mundo.
Marta é semelhante à maioria das Depois de dizer isso, foi para casa
nossas respostas, quando somos e, chamando à parte Maria, disse-
surpreendidos por alguma tragédia. lhe: O Mestre está aqui e está cha-
A partir do versículo 17, le- mando você. Ao ouvir isso, Maria
mos: “Ao chegar (em Betânia), levantou-se depressa e foi ao en-
Jesus verificou que Lázaro já es- contro dele. Jesus ainda não tinha
tava no sepulcro havia quatro entrado no povoado, mas estava
dias. Betânia distava cerca de três no lugar onde Marta o encontrara.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 15


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Quando notaram que ela se levan- comunicamos apenas 7% com


tou depressa e saiu, os judeus, nossas palavras; o tom de voz é
que a estavam confortando em responsável por 45% e 48% são
casa, seguiram-na, supondo que transmitidos através da nossa ex-
ela ia ao sepulcro, para ali chorar. pressão facial, gestos e outras ma-
Chegando ao lugar onde Jesus es- neiras que demonstram o signifi-
tava e vendo-o, Maria prostrou-se cado das nossas palavras.
aos seus pés e disse: Senhor, se Tudo o que temos registrado
estivesses aqui meu irmão não te- sobre a conversa de Jesus com as
ria morrido” (17-32). duas irmãs são as palavras. Em-
A primeira pessoa com quem bora não saibamos nada sobre o
Jesus conversou ao chegar em Be- tom de voz nem sobre a expressão
tânia foi Marta que, por sua própria de Marta, podemos ter uma ideia
iniciativa, foi até Ele. O ponto a ser da forma como ela falou: “Senhor,
destacado nessa conversa é a res- se estivesses aqui meu irmão não
posta que ela deu aos seus proble- teria morrido”.
mas insolúveis, que eram a doença Com amor, Jesus dá continui-
e a morte de Lázaro. Qual foi a res- dade ao diálogo: “O seu irmão vai
posta dela? Bem, vamos ver qual ressuscitar”. Jesus não estava se
foi a reação dela. Assim que soube referindo à ressurreição dos mor-
que Jesus estava chegando, Marta tos em Cristo que dará início à
foi encontrar-se com Ele e Maria fi- eternidade; Ele estava falando cla-
cou em casa. Quando Marta ficou ramente sobre o que estava para
frente a frente com Jesus, disse- acontecer em seguida.
lhe: “Senhor, se estivesses aqui Não devemos ser excessiva-
meu irmão não teria morrido”. É mente duros com Marta, porque,
interessante observar que, mais afinal, ela não sabia que Jesus
tarde, Maria fala a mesma coisa. estava falando sobre o que estava
Não sabemos nada sobre a para acontecer. No lugar dela você
expressão facial nem sobre o tom estaria acreditando que um mila-
de voz de Marta ao dizer aquelas gre ia acontecer? Em outras pala-
palavras, porque o apóstolo João vras, esta foi a resposta de Marta:
não informa nada a respeito. De “Senhor, conheço as Escrituras e
acordo com os especialistas de sei que haverá a ressurreição do
comunicação, quando falamos, último dia”.

16 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

A seguir, Jesus pronunciou Jesus perguntou a Marta: “Você


uma das frases mais fortes do crê nisso?”.
Evangelho de João; novamente Estou convencido de que Je-
Ele faz a afirmação “Eu Sou”. “Eu sus amava a honestidade de Mar-
sou a ressurreição e a vida; quem ta. Ela foi absolutamente sincera
crê em mim, ainda que morra, vi- quando, em outras palavras, res-
verá; e quem vive e crê em mim, pondeu a Jesus: “O que o Senhor
não morrerá eternamente. Você está me dizendo está acima do
crê nisso?”. nível da minha fé e eu não posso
Como gosto da honestida- dizer que acredito”.
de de Marta! Ela não disse: “Eu Quando estamos conversando
creio”. Acho que ela não enten- com Deus, sabemos exatamente
deu o que Jesus tinha acabado de onde termina o nível da nossa fé
dizer. Ela apenas declara no que e onde começa o nível da dúvi-
realmente acredita e que coincide da. Que tolice da nossa parte nos
com o tema básico do Evangelho aproximarmos do nosso Senhor
de João: “Sim, Senhor, eu tenho Vivo e Ressuscitado num momen-
crido que tu és o Cristo (ou o Mes- to de crise, sem essa honestidade
sias), o Filho de Deus que devia de Marta! Jesus Se sentia pertur-
vir ao mundo”. bado com aqueles que Ele intitu-
Marta sabia em que acredita- lou de “hipócritas”, que usavam
va e acreditava no que sabia. Uma máscaras; porém, Ele conhecia a
das orações mais sinceras da Bí- franqueza de Marta e sabia que
blia, feita em lágrimas foi: “Creio, ela não estava sendo hipócrita.
ajuda-me a vencer a minha incre- A declaração “Eu Sou”, que
dulidade” (Marcos 9.24). Jesus ouvimos de Jesus nesta conversa
atendeu a esse pedido, porque foi com Marta, é a essência do ca-
uma oração sincera. Todos nós pítulo 11 do Evangelho de João.
passamos por aquele ponto em Qualquer problema da vida que
que a fé termina e a incredulidade pareça insolúvel encontra respos-
começa. O pai que fez esta oração ta na solução de Jesus, chamada
a Jesus estava dizendo: “Aumenta “ressurreição”, cuja definição é
o nível da minha fé e diminui o ní- “vitória sobre a morte”. Jesus está
vel da minha incredulidade”. Pode dizendo: “Eu sou a solução para
ter sido com esse espírito que os problemas insolúveis, Marta.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 17


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Eu não sou apenas a vitória sobre importante observar que Ele re-
o problema da morte, Eu sou a so- pete esta promessa: “quem vive
lução para o problema da vida”. e crê em mim, não morrerá eter-
Mais tarde, Jesus faz a mesma namente”. Na verdade, Jesus está
declaração, quando diz: “Eu sou apresentando uma aliança de res-
o Caminho a Verdade e a Vida” surreição entre Ele e todo aque-
(14.6). le que crê nEle. Como em toda
Um dos primeiros versículos aliança, Jesus promete cumprir a
deste Evangelho é: “Nele estava a parte dEle e nós devemos cumprir
vida, e esta era a luz dos homens” a nossa. Aquele que entra nessa
(1.4). Para cada capítulo que es- aliança de ressurreição com Jesus
tudamos, fazemos a pergunta “O deve cumprir duas exigências: a
que é vida?”, porque, capítulo primeira é crer em Cristo (esta é
após capítulo, João fala do que é uma exigência óbvia); a segunda é
a vida. Ele fala neste livro sobre a viver em Cristo.
vida que é Jesus, mas vida tam- Você sabia que é possível vi-
bém é algo que Jesus faz em nós, ver em Cristo? Os autores do Novo
por nós e através de nós. A vida Testamento usam a expressão “em
está sempre relacionada com Je- Cristo” cerca de 200 vezes, refe-
sus, quando o autor deste Evange- rindo-se aos discípulos autênticos
lho fala de Vida Eterna. de Jesus Cristo.
Na conversa com Marta, Jesus Jesus mostrou o significado
afirma: “Aquele que crê em mim, desta expressão com uma metáfo-
ainda que morra, viverá”. Aqui, ra, quando ensinou os discípulos
Jesus está falando da ressurreição acerca de como ser frutífero, usan-
do discípulo autêntico. O apóstolo do a ilustração da videira e seus
Paulo se aprofunda mais no ensi- ramos carregados de frutos. Jesus
no desta questão. Ele afirma que os desafiou a viverem ligados a
quando os crentes em Jesus mor- Ele, como os ramos são ligados à
rem são plantados como uma se- videira e, por isso, dão frutos (João
mente que um dia será ressuscita- 15.1-16).
da (1 Coríntios 15; 2 Coríntios 5). A expressão “em Cristo” é
Jesus vai além, neste ensino uma das preferidas de Paulo para
tão poderoso, quando afirma que descrever o relacionamento de
Ele é a Ressurreição e a Vida. É um crente com o Cristo Vivo e

18 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Ressuscitado, tanto que ele usa O Mestre está aqui e está cha-
esta expressão 97 vezes em suas mando você. Ao ouvir isso, Maria
cartas. levantou-se depressa e foi ao en-
Estas duas palavras e a metá- contro dEle” (11.28,29).
fora usada por Jesus nos ajudam a Observe, ao estudar sobre as
entender a segunda parte da alian- duas irmãs, como elas lidaram
ça que Jesus apresentou a Marta: com a doença e a morte do irmão:
“quem vive e crê em mim, não Maria não vai ao encontro de Je-
morrerá eternamente”. Parece sus, enquanto Ele não a chama.
que Marta não entendeu o desa- Marta, no entanto, é o tipo de pes-
fio desta pergunta de Jesus: “Você soa que “faz a hora e não espera
crê nisso?”. E você, entendeu esta acontecer”, pois decide ir ao en-
pergunta? Talvez, se eles tivessem contro de Jesus na estrada, antes
tido um tempo para um estudo bí- que Ele entre em Betânia. Esta é
blico, Marta tivesse entendido. Marta! Maria não era como Marta,
Esta é outra resposta para a pois esperou até que o Senhor a
pergunta “O que é fé?”. Quando chamasse e, tão logo Ele o fez, ela
estudamos o capítulo 6, apren- respondeu imediatamente.
demos com o exemplo de Pedro Lemos, no versículo 32, que
que há momentos em que fé é “Chegando ao lugar onde Jesus
seguir Jesus, mesmo que não O estava e vendo-o, Maria prostrou-
compreendamos totalmente (João se aos seus pés e disse: Senhor,
6.67,68). se estivesses aqui, meu irmão não
O exemplo de Marta nos ensi- teria morrido”, exatamente como
na o que não é fé e mostra que, às Marta havia dito. Não sabemos
vezes, é necessário algum tempo e nada sobre a expressão ou sobre
esforço para que compreendamos o tom de voz de nenhuma delas,
o que o Senhor nos está dizendo, mas temos um detalhe a mais so-
quando, de repente, situações trá- bre a expressão corporal de Maria:
gicas nos advêm. O desafio para ela prostrou-se aos pés de Jesus.
nós é saber se cremos e se esta- O Novo Testamento cita sete
mos vivendo em Cristo. mulheres chamadas Maria. Temos
Depois da resposta sincera de alguns detalhes a mais sobre a vida
Marta, ela “foi para casa e, cha- desta de quem estamos tratando:
mando à parte Maria, disse-lhe: como já observamos, durante a

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 19


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

primeira visita de Jesus às duas a solução não venha nesta vida.


irmãs, Maria ficou aos Seus pés, Como morrer é tão natural como
ouvindo Suas palavras (Lucas nascer, o resgate pode vir só na
10.38-42); no capítulo 12, que volta de Jesus, com a ressurrei-
estudaremos posteriormente, en- ção dos crentes (I Tessalonicenses
contramos Maria mais uma vez aos 4.13-18).
pés de Jesus adorando-O, e aqui Além da doença e da morte,
ela está aos Seus pés, submeten- o Senhor permite outros tipos de
do-se à vontade dEle. Em outras problemas insolúveis. Ele sabe
palavras, ela estava dizendo: “Se o que, se tivermos a mesma respos-
Senhor estivesse aqui, meu irmão ta que Maria teve, o Deus Pai e o
não teria morrido, mas eu quero Deus Filho serão glorificados. Todo
que o Senhor saiba que eu O adoro esse processo aumentará nos-
do mesmo jeito. Tenho fé para acei- sa capacidade de crer, conhecer,
tar o fato de que o Senhor tem Suas amar e servir a Deus e ao nosso
razões para não ter vindo a tempo Senhor e Salvador.
de salvar a vida do meu irmão”. Deus também sabe que a fé
transparente e sincera que Marta
O resgate demonstrou ter, nos leva a experi-
Você consegue entender o que mentar a glória de Deus. Ele pro-
está acontecendo aqui? As duas meteu a Marta que, se ela cresse,
irmãs estão passando pelo proble- veria a glória de Deus.
ma mais difícil e insolúvel de suas Vamos ler agora a reação de
vidas, e o que o Senhor quer delas Jesus diante da resposta de Marta
é a resposta certa diante do pro- e Maria: “Ao ver chorando Maria
blema, resposta essa que começa e os judeus que a acompanha-
com o relacionamento delas com o vam, Jesus agitou-se no espírito e
Senhor. Após Jesus obter a respos- perturbou-se. Onde o colocaram,
ta de Maria e ter sido estabelecido perguntou ele. Vem e vê, Senhor,
o relacionamento entre eles, Jesus responderam eles. Jesus chorou.
resolve o problema insolúvel das Então os judeus disseram: Vejam
duas irmãs, relacionado à doença como ele o amava! Mas alguns
e morte de Lázaro. deles disseram: Ele, que abriu
Quando enfrentamos este os olhos do cego, não poderia
tipo de problema, pode ser que ter impedido que este homem

20 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

morresse? Jesus, outra vez, pro- Holocausto; tinha uma ótima for-
fundamente comovido, foi até o mação e eu gostava muito de con-
sepulcro. Era uma gruta com uma versar com ele; posso dizer que
pedra colocada à entrada. Tirem ele foi uma pessoa que me ajudou
a pedra, disse Ele. Marta, irmã muito nos primeiros e difíceis anos
do morto, respondeu: Senhor, ele de ministério.
já cheira mal, pois já faz quatro Depois do culto da manhã, eu
dias. Disse-lhe Jesus: Não lhe o cumprimentei na saída do tem-
falei que, se você cresse, veria a plo e lhe perguntei: “Dr. Pearl, o
glória de Deus? Então tiraram a senhor tem alguma dica para me
pedra. Jesus olhou para cima e dar para o culto fúnebre que vou
disse: Pai, eu te agradeço porque dirigir logo mais? Nunca oficiei um
me ouviste. Eu sei que sempre me velório”. Ele respondeu: “Nem Je-
ouves, mas disse isso por causa sus. Ele só oficiava ressurreições!”.
do povo que está aqui, para que O conselho dele não me serviu
creia que Tu me enviaste. Depois muito, mas, sem dúvida alguma,
de dizer isso, Jesus bradou em o que ele disse era a pura verda-
alta voz: Lázaro, venha para fora! de! Jesus só oficiou ressurreições e
O morto saiu, com as mãos e os essa é a nossa esperança.
pés ligados em faixas de linho e Neste capítulo, lemos que Je-
o rosto envolto num pano. Disse- sus estava indo para um velório,
lhes Jesus: Tirem as faixas dele e mas, antes de transformar este
deixem-no ir” (11.33,44). velório numa cerimônia de ressur-
Certo domingo, no início do reição, ele mostrou alguns pontos
meu pastorado, vi-me muito ner- que devem ser observados por
voso, porque, depois do sermão nós. Por exemplo, o menor versí-
e do encerramento do culto, teria culo da Bíblia conta que “Jesus
que dirigir um culto fúnebre. Havia chorou”. No original, a palavra
entre os membros da minha igreja usada para “chorar” indica que
um senhor que tinha sido pastor Jesus “chorou de soluçar”. Ele
e já havia dirigido muitas cerimô- demonstrou que estava triste em
nias fúnebres. Ele era um judeu relação a Lázaro, tanto que as pes-
messiânico, um crente avivado soas disseram: “Vejam como ele
que tinha fugido da Tchecoslová- o amava!”. Com isto Jesus mos-
quia para escapar de Hitler e do trou que, se chorarmos no funeral

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 21


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de algum ente querido, não quer mortos para mostrar que Ele pró-
dizer que estamos demonstrando prio é a vitória sobre a morte, e é a
que somos fracos na fé. Estamos Vida que todos buscamos.
apenas mostrando que amávamos A aplicação pessoal que tira-
aquela pessoa e que sentiremos mos para nossas vidas é que, se
sua falta. cremos nEle e mantivermos um
Quando um dos filhos de Davi relacionamento com Ele, jamais
morreu, ele chorou e lamentou: morreremos. Nossa morte será
“Eu irei até ela (a criança), mas apenas uma graduação e nosso
ela não voltará para mim” (II Sa- funeral uma celebração à Vida
muel 12.23). A convicção de que Eterna. Nossa morte significará
nos encontraremos com nossos apenas que o Pastor está nos con-
queridos faz com que nosso choro duzindo aos pastos verdejantes,
seja diferente do choro daqueles às águas tranquilas, onde passa-
que não têm esperança. Entretan- remos a eternidade (Salmo 23.2).
to, saber que eles não retornarão Resumindo o que já vimos
para nós nesta vida também é difí- nesta história de ressurreição, po-
cil de aceitarmos sem sofrer. demos responder às três pergun-
O ensino de Jesus que diz tas do nosso estudo.
“Bem-aventurados os que cho- Quem é Jesus? Ele é a Ressur-
ram” tem várias aplicações. Uma reição, a Vitória sobre a morte; Ele
delas pode ser literal. Não deve- é a Vida. Isso quer dizer que, dian-
mos jamais suprimir nem escon- te da morte, Ele é a Única Solução
der nossa dor. É bom poder chorar para os problemas, humanamente
e Jesus mostrou que o choro pode falando, insolúveis.
ser uma bênção. O que é fé? Fé é responder aos
problemas, por mais insolúveis que
Aplicação pessoal e devocional nos possam parecer, com um rela-
O ponto mais importante des- cionamento profundo com Jesus
te capítulo é a ressurreição de Cristo, como vimos na resposta de
Lázaro. Jesus não apenas faz uma Maria. É a convicção inabalável de
das Suas declarações mais impor- que, se nosso Senhor não aparecer
tantes, “Eu Sou”, como também no momento que achamos que Ele
demonstra e valida o que Ele de- deveria nos resgatar, certamente
clara. Ele ressuscitou Lázaro dos Ele tem razões para tal.

22 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Quando estamos ligados ao Ela dá o exemplo da fé ho-


nosso Senhor Vivo e Ressuscitado, nesta que declara em que re-
através do nosso relacionamento almente crê. O versículo 16 do
com Ele, nossos pensamentos e capítulo 5 de Tiago poderia ser
atitudes são como os de Jesus e assim traduzido: “As orações de
compreendemos que Ele não che- um homem honesto explodem
ga antes que nos aconteça algo em poder”. Às vezes, fé é concor-
que nos causa sofrimento, porque dar com Deus sobre onde nossa
está determinado a nos levar a ex- fé termina e onde nossa dúvida
perimentar a vida abundante nesta começa.
existência e na eternidade. E “O que é vida”, de acordo
Fé também é a resposta sin- com este capítulo extraordinário do
cera de Marta ao fato inegável de Evangelho de João? Vida é a espe-
doença e morte de alguém que rança e a paz que temos, quando
amamos muito. Diante daquela sabemos que, se morrermos hoje,
situação difícil, ela estava feri- nossa morte será apenas uma
da e magoada, porque o Senhor, graduação para a melhor dimen-
a quem ela tanto amava, não ti- são da nossa existência. Vida é a
nha aparecido a tempo de evitar convicção de que, porque vivemos
a morte do seu irmão. Ela sabia e cremos em Cristo, mesmo que
que Ele podia tê-lo curado e isso morramos fisicamente, viveremos
tornou sua dor quase insuportável. para sempre com Ele!

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 23


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 3
“Tirem a Pedra da Incredulidade” (João 11.33-57)

Os versículos que contam o eles estavam para remover a pe-


que aconteceu a seguir apresentam dra, ela disse: “Senhor, ele já chei-
a metáfora de fé mais eloquente ra mal, pois já faz quatro dias”.
deste capítulo. Lázaro tinha sido Depois de desafiar Marta e os que
enterrado em uma caverna e havia estavam presentes com a pergun-
uma grande pedra na entrada dela. ta “Não lhe falei que, se você
“Tirem a pedra, disse ele. Marta, cresse, veria a glória de Deus?”,
irmã do morto, respondeu: Senhor, Jesus faz uma oração muito inte-
ele já cheira mal, pois já faz qua- ressante. Nessa oração, Ele falou
tro dias. Disse-lhe Jesus: Não lhe ao Pai que estava dizendo aquelas
falei que, se você cresse, veria a palavras para que a multidão que
glória de Deus?” (39,40). estava ao redor cresse que Ele fora
Como já dissemos, o Evangelho enviado pelo Pai (41,42).
de João apresenta um significado Em Mateus 6.5 e 6 Jesus nos
muito profundo, como a passagem instruiu que devemos orar em se-
em que nos é mostrado que precisa- creto, somente para Deus, e não
mos retirar a pedra da incredulida- para uma plateia, mas aqui Jesus
de, quando nos encontramos diante está dizendo que parte de Sua
de uma terrível adversidade, como oração foi feita para aqueles que O
se encontravam aquelas irmãs. estavam ouvindo. Com isto, Jesus
Um dos textos bíblicos que mostrou que, quando oramos em
costuma ser lido nas cerimônias público, devemos ter a consciên-
fúnebres fala sobre nossa con- cia de que há pessoas nos ouvindo
vicção de que um dia a glória de e unindo seus corações ao que es-
Deus será revelada, quando aque- tamos dizendo.
la pessoa querida for levantada Depois que a pedra é removi-
dos mortos (I Coríntios 15.42-44; da, o grande milagre acontece com
I Tessalonicenses 4.13-18). esta ordem de Jesus dada em alta
Como eu aprecio a franqueza voz: “Lázaro, venha para fora!”. O
e a honestidade de Marta! Quando homem morto sai com seus pés e

24 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mãos enrolados em panos e, a se- ainda amarrado às roupas de sepul-


guir, Jesus ordena: “Tirem as fai- tura. Como já comentamos, quando
xas dele e deixem-no ir” (44). estudamos o capítulo 8, só depois
Alguns teólogos veem aqui um de dez anos seguindo a Cristo como
significado mais profundo e seme- Seu discípulo foi que eu experimen-
lhante ao que descobrimos no ca- tei a liberdade da qual Jesus fala.
pítulo 8 deste Evangelho (8.30- Para mim, pessoalmente, é muito
36). Aos líderes religiosos judeus significativa esta metáfora sobre re-
que professaram crer em Jesus Ele mover as “roupas de sepultura” da
disse: “Se vocês permanecerem antiga vida e ser libertado.
firmes na minha palavra, verdadei-
ramente serão meus discípulos. E A resposta dos judeus
conhecerão a verdade e a verdade Mais uma vez vamos ver res-
os libertará” (8.31,32). Quando nos postas divididas dos judeus, dian-
comprometemos a ser discípulos te dos milagres que acompanha-
verdadeiros de Jesus e permanece- vam o ministério de Jesus. João
mos na Sua Palavra, experimenta- afirma que alguns judeus presen-
mos a libertação, como se tivésse- tes ao funeral de Lázaro, respon-
mos sido libertados da prisão. deram favoravelmente diante do
Para alguns estudiosos, as fai- testemunho de Maria: “Muitos dos
xas que cobriam Lázaro, quando judeus que tinham vindo visitar
saiu do túmulo, representam uma Maria, vendo o que Jesus fizera,
metáfora para nós: o crente pode ex- creram nele” (45). Eles foram tes-
perimentar o poder de ressurreição temunhas de algo impressionante
no Novo Nascimento e ser libertado quanto ao milagre da ressurreição
algum tempo depois; porém, Jesus e creram, quando viram Maria aos
não quer que nós, os seus discípu- pés de Jesus, em atitude de ado-
los, sejamos pessoas nascidas de ração e submissão à Sua vontade.
novo e amarradas em “roupas de Vemos, também, a hostilida-
sepultura”, usadas quando éramos de dos líderes religiosos judeus,
mortos espiritualmente e vivíamos manifestada no diálogo entre eles
escravos do pecado. e Jesus, desde a cura do paralítico
Para mim este é o significado junto ao Tanque de Betesda (5.1-
mais profundo da cena de Lázaro 14), que agora chega ao seu clí-
saindo da tumba ressuscitado, mas max na formação de um conselho

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 25


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de fariseus, para arquitetarem umacapítulo, mas a melhor maneira de


estratégia, a fim de o prenderem resumi-lo é respondendo às três
(46-57). Antes mesmo de conclu- perguntas básicas do nosso es-
írem que era necessário levar Jesus
tudo: “Quem é Jesus?”, “O que é
à morte, o Sumo Sacerdote Caifás fé?” e “O que é vida?”, no capítulo
pronunciou uma palavra profética. 11 de João.
Ele achava que se não fosse “Quem é Jesus?”. Ele é a vitória
tomada nenhuma atitude em re- sobre a morte e Vida para aqueles
lação às multidões que se ajunta- que creem e vivem nEle, aqueles
vam em torno do ministério extra- que têm um relacionamento com o
ordinário de Jesus a ira de Roma Cristo Vivo e Ressuscitado, que têm
cairia sobre toda a nação; em Vida Eterna hoje e para sempre!
razão disso, ele declarou a atitu- “O que é fé?”. Fé é enfrentar a
de politicamente correta que eles,doença e a morte crendo e vivendo
líderes religiosos, deveriam ter: le-
nEle; é remover a pedra da incre-
var Jesus à morte (46-52). dulidade diante da morte para ver
O apóstolo João comenta que a glória de Deus, através do mi-
Caifás estava profetizando que Jesus
lagre da vitória sobre a morte. Fé
não seria apenas sacrificado pelosé pedir que Cristo remova nossas
judeus que viviam em Israel, mas “roupas de sepultura” e nos liberte
pelos judeus que estavam dispersosquando cremos. “Tirem as faixas
por todo o mundo. Involuntariamen-dele e deixem-no ir”: esta ordem
te, ele profetizou que a morte de de Jesus é uma metáfora que
Jesus resultaria na salvação física,
transmite o significado de fé.
ou seja, na libertação dos judeus, e “O que é vida?”. De acordo
também na salvação espiritual da- com o capítulo 11 do Evangelho
queles que cressem nEle. Não po- de João, vida é ter um relaciona-
demos esquecer que os apóstolos mento com o Cristo Vivo e Ressus-
só entenderam que o Evangelho é citado, através do qual sabemos
também para os gentios no capítuloque, porque estamos em união
10 do Livro de Atos. com Ele, viveremos eternamente.
Fé é compreender que a morte físi-
Resumo ca é apenas uma graduação desta
Poderíamos escrever muito vida, para a dimensão espiritual
mais sobre os 57 versículos deste da nossa vida em Cristo.

26 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Desde o Livro de Gênesis até Evangelho, qual seja: nos conven-


o Apocalipse, a Bíblia mostra que cer de que Jesus é o Cristo, sendo
fomos criados para existir em duas que a parte mais importante desta
dimensões e não em apenas uma. declaração é a promessa de que,
Fomos feitos pelo nosso Criador se crermos, teremos Vida Eterna.
para viver na terra por um curto pe- Neste capítulo, aprendemos
ríodo de tempo e, para isso, Ele nos que Deus, um dia, usará o mila-
deu um corpo terreno. No entanto, gre da ressurreição para tornar a
também fomos criados para viver Vida Eterna uma realidade para os
no céu, no estado eterno e, por essa crentes em Jesus Cristo; porém, as
razão, receberemos um corpo espi- palavras de Jesus para Marta mos-
ritual. A única maneira de o nosso tram que não precisamos esperar
corpo terreno ser equipado para morrer ou sermos ressuscitados
viver no estado eterno é através de para experimentarmos a Vida Eter-
uma metamorfose ou de uma mu- na. De acordo com Jesus, a Vida
dança completa, que só ocorre com Eterna começa quando cremos e
a ressurreição, como veículo dessa vivemos nEle.
mudança (I Coríntios 15). Uma das respostas mais im-
A ressurreição não é apenas portantes neste Evangelho e em
vitória sobre a morte. Deus usará toda a Bíblia para a pergunta “O que
este milagre para nos dar um corpo é Vida?” é o desafio que Jesus lan-
celestial, que nos equiparará para çou para Marta, quando seu irmão
vivermos com Ele para sempre, na morreu: “Eu sou a ressurreição e a
eternidade. Esta é a Vida Eterna vida; quem crê em mim, ainda que
descrita nesse capítulo maravilhoso morra, viverá; e quem vive e crê
da ressurreição. A Vida Eterna co- em mim não morrerá eternamente.
meça nesta vida, quando cremos e Você crê nisso?” (11.25,26).
estabelecemos um relacionamento Quando recebemos um diag-
com o Cristo Ressuscitado. nóstico de morte para nós mesmos
Neste contexto, considere ou para algum ente querido, ou
mais uma vez o propósito pelo quando estamos diante do túmu-
qual João escreveu este Evangelho lo de alguém que amamos, nosso
(João 20.30,31). Estes versículos desafio é crer nas Boas Novas que
são uma declaração do propósi- encontramos neste capítulo da res-
to de João ao escrever o quarto surreição do Evangelho de João.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 27


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 4
“O Fim do Começo” (João 12.1-19)

É assim que João inicia o ca- que Jesus estava ali, veio, não
pítulo 12: “Seis dias antes da Pás- apenas por causa de Jesus, mas
coa Jesus chegou a Betânia, onde também para ver Lázaro, a quem
vivia Lázaro, a quem ressuscitara ele ressuscitara dos mortos. As-
dos mortos. Ali prepararam um sim, os chefes dos sacerdotes fi-
jantar para Jesus. Marta servia, zeram planos para matar também
enquanto Lázaro estava à mesa Lázaro, pois por causa dele muitos
com ele. Então Maria pegou um estavam se afastando dos judeus e
frasco de nardo puro, que era um crendo em Jesus” (1-11).
perfume caro, derramou-o sobre Este capítulo começa com
os pés de Jesus e os enxugou com mais um jantar envolvendo Marta
os seus cabelos e a casa encheu- e Maria e, como era de se esperar,
se com a fragrância do perfume. Marta servia; este era o seu dom
Mas um dos seus discípulos, Ju- e o seu chamado. Por outro lado,
das Iscariotes, que mais tarde iria Maria também confirma o seu
traí-lo, fez uma objeção: Por que chamado e o seu dom aos pés de
este perfume não foi vendido e o Jesus, oferecendo-Lhe uma pre-
dinheiro dado aos pobres? Seriam ciosa oferta de adoração.
trezentos denários. Ele não falou Era costume, naquela época,
isso por se interessar pelos pobres, reclinar-se em sofás junto à mesa
mas porque era ladrão; sendo res- de refeições. Também fazia parte
ponsável pela bolsa de dinheiro, dos costumes daquela época recep-
costumava tirar o que nela era cionar os convidados, lavando-lhes
colocado. Respondeu Jesus: Dei- os pés, e é num desses cenários
xe-a em paz; que o guarde para o que Maria oferece o seu sacrifício
dia do meu sepultamento, pois os de adoração, derramando uma un-
pobres vocês sempre terão consi- ção perfumada e muito cara sobre
go, mas a mim vocês nem sempre os pés de Jesus, cujo valor corres-
terão. Enquanto isso, uma grande pondia ao salário de um ano de um
multidão de judeus, ao descobrir trabalhador comum.

28 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Você deve se lembrar de que, só aceita, mas defende o ato de


no final do capítulo 10 de Lucas, adoração que ela Lhe presta. Os
quando Marta perguntou a Jesus se apóstolos Pedro e Paulo não acei-
Ele não se importava com o fato de tavam que ninguém os adorasse
que Maria não a estivesse ajudan- (Atos 10.25 e 26; 14.11-18),
do, Jesus defendeu Maria. Aqui, mas Jesus era mais que um ho-
mais uma vez, Jesus a defende, mem; Ele era Deus na forma de
dizendo: “Deixe-a em paz; que o homem, por isso aceitou a adora-
guarde para o dia do meu sepulta- ção de Maria.
mento, pois os pobres vocês sem- Sem qualquer subterfúgio, o
pre terão consigo, mas a mim vo- autor deste Evangelho comenta
cês nem sempre terão” (7,8). que não foi porque se importasse
Este capítulo marca o início com os pobres que Judas se opôs
da segunda metade do Evangelho àquela oferta, alegando que ela
de João, totalmente dedicada à úl- poderia ser destinada a eles. De
tima e mais importante semana da forma direta, João comentou que
vida de Jesus na terra. Judas fez isto porque roubava o di-
Vimos, no exemplo de Láza- nheiro que era colocado na bolsa.
ro, que naquele tempo o corpo do Eu gosto da forma como João
morto era enrolado com panos, escreve. No final do Novo Testa-
como faziam com as antigas mú- mento, na chamada Primeira Epís-
mias, e colocadas especiarias ca- tola de João, ele ensina de forma
ras nas bandagens, para amenizar muito clara o meio de sabermos
o odor provocado pela decomposi- se somos crentes verdadeiros. Ele
ção do corpo. escreve que, se temos comunhão
Ao defender Maria, Jesus faz com Cristo e continuamos a an-
um comentário a respeito dEle dar nas trevas ou se dizemos que
mesmo: “os pobres vocês sem- amamos a Deus, mas não ama-
pre terão consigo, mas a mim vo- mos nosso irmão, somos mentiro-
cês nem sempre terão” (8). Esta sos! (I João 1.6; 4.20 e 21). Esta
é mais uma citação que João faz mesma forma direta ele usa para
neste Evangelho, com o objetivo comentar que Judas era um ladrão
de reforçar a divindade de Jesus. e roubava o dinheiro da bolsa.
Maria adora Jesus e Ele aceita Algumas pessoas interpretam
sua adoração. Na verdade, Ele não estas palavras “os pobres vocês

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 29


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

sempre terão consigo, mas a mim que surgiram coisas novas! Tudo
vocês nem sempre terão”, ditas isso provém de Deus” (II Coríntios
por Jesus, como se fosse uma afir- 5.17,18a).
mação de que não devemos aju- O Novo Nascimento provoca
dar os pobres. No entanto, o que em nós um tipo de metamorfose,
Jesus observou foi que sempre que nos dá vitória sobre a morte.
teremos a oportunidade de ajudar Tal experiência glorifica a Deus e
os pobres, mas Ele, os discípulos exalta o nome do Filho, quando
não teriam por muito mais tempo. outras pessoas veem nossa trans-
Desta forma, Jesus estava justifi- formação e se convertem a Jesus
cando a oferta feita por Maria, que Cristo, como aconteceu no caso de
simbolizava a Sua morte e o Seu Lázaro, cujo milagre atraiu pesso-
sepultamento. as a Jesus.
Na leitura desta passagem,
observamos que as pessoas se O “Domingo de Palmas”
ajuntaram ao redor da casa, não Agora que estamos iniciando
apenas para ver Jesus, mas tam- o estudo do capítulo 12 do Evan-
bém para ver Lázaro, a quem Je- gelho de João, chegamos a um
sus havia ressuscitado. Por esta ponto de transição, que divide os
razão, os chefes dos sacerdotes, capítulos deste Evangelho.
que já estavam planejando a mor- Aproximadamente, a primeira
te de Jesus, passaram a planejar metade dos capítulos deste Evan-
também a morte de Lázaro, uma gelho cobre os 33 anos de vida
vez que o milagre da ressurreição da pessoa mais importante que já
nele operado estava levando mui- existiu na Terra, mas, neste capítu-
tos judeus a crerem em Jesus. lo, descobrimos que a outra meta-
Como já vimos no capítulo de do livro é dedicada totalmente
11 deste Evangelho, quando cre- à última semana de vida de Jesus.
mos em Cristo e vivemos nEle, Como é comum nos quatro
não morremos, mas experimen- Evangelhos, a última semana de
tamos uma ressurreição pessoal. vida de Jesus Cristo é mais en-
Paulo descreve assim esta res- fatizada, porque foi durante esta
surreição: “Portanto, se alguém semana que Ele morreu e ressus-
está em Cristo, é nova criação. citou para a salvação do mundo.
As coisas antigas já passaram; eis A partir de agora, João passa a

30 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

descrever a semana crucialmente jumentinho e montou nele, como


importante na vida e no ministério está escrito: Não tenha medo, ó
de Jesus Cristo, a qual chamamos cidade de Sião; eis que o seu rei
“Semana Santa”, que começa no vem, montado num jumentinho.
“Domingo de Palmas” e termina A princípio seus discípulos não
no domingo seguinte, conhecido entenderam isso. Só depois que
como “Domingo de Páscoa” ou Jesus foi glorificado, eles se lem-
“Domingo da Ressurreição”. braram de que essas coisas es-
tavam escritas a respeito dele e
O fim do começo lhe foram feitas. A multidão que
Os três anos de pregação, en- estava com ele, quando mandara
sino, cura e treinamento dos após- Lázaro sair do sepulcro e o res-
tolos estão agora quase no fim e suscitara dos mortos, continuou a
a missão mais importante de Je- espalhar o fato. Muitas pessoas,
sus está prestes a acontecer. Je- por terem ouvido falar que ele re-
sus está agora iniciando Sua obra alizara tal sinal miraculoso, foram
mais importante, através da Sua ao seu encontro, por isso os fari-
morte e ressurreição, seguidas de seus disseram uns aos outros: não
Sua ascensão, do Dia de Pentecos- conseguimos nada; olhem como
tes e com o nascimento da Igreja. o mundo todo vai atrás dele!”
A partir daí, a obra de Jesus não (12.12-19).
parou mais. Conforme é mencionado por
No capítulo 12 do seu Evan- João, a importância deste episó-
gelho, João introduz o fim do co- dio foi anunciada pelos profetas
meço da vida e do ministério de Zacarias (9.9) e Malaquias (3.1).
Jesus Cristo, como podemos ver A expressão “de repente” significa:
neste texto: “No dia seguinte, a “de uma maneira inesperada”, ou
grande multidão que tinha vindo seja, o Messias não viria da ma-
para a festa ouviu falar que Je- neira como todos esperavam.
sus estava chegando a Jerusalém. Os líderes espirituais do povo
Pegaram ramos de palmeiras e judeu tinham ideias preconcebi-
saíram ao seu encontro, gritan- das sobre a forma como o Messias
do: Hosana! Bendito é o que vem viria ao mundo. Suas ideias base-
em nome do Senhor! Bendito é o avam-se em textos bíblicos como
Rei de Israel! Jesus conseguiu um o de Isaías 61.1-2 e até mesmo

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 31


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

os apóstolos achavam que o Mes- No capítulo 21 de Mateus,


sias subjugaria o Império Romano está registrada a declaração de
e libertaria Israel, politicamen- Jesus, que tomaria o Reino dos
te (Atos 1.6). Se aqueles que se judeus e o daria àqueles que pro-
diziam “povo de Deus” tivessem duziriam frutos para o Reino, aos
realmente compreendido os profe- gentios, ou seja, você e eu, que
tas, teriam se alegrado com Jesus não somos judeus (21.33-43).
entrando em Jerusalém montado O Livro de Atos registra o mi-
num jumentinho. lagre da Igreja que Cristo estava e
Ao tentarmos compreender o ainda está construindo, onde en-
significado do Domingo de Palmas, contramos o povo de Deus, para
devemos imaginar um embaixador quem o Cristo Vivo deu o Reino que
representando o seu rei ou chefe Ele tomou dos judeus. Isto não quer
de estado em um país estrangeiro. dizer que a Igreja foi uma segunda
Jesus é o Embaixador que veio do opção dentro do plano de Cristo,
céu, representando o Deus Pai em pois Jesus claramente anunciou,
um país estrangeiro. Jesus deixou o no Evangelho de Mateus, antes de
céu para vir ao mundo e, durante o tirar o Reino dos judeus, que nem
tempo que ficou aqui, fez uma obra todos os poderes do inferno con-
maravilhosa. Então, Jesus estava seguiriam impedir a edificação da
se apresentando formalmente ao Sua Igreja (Mateus 16.18).
mundo como Embaixador do Céu. De várias maneiras, a Igreja,
Jesus não foi para a capital do hoje, também se encontra como
mundo, para Roma, nem para as um gigante adormecido; mas, se
capitais do pecado, como Corinto ela fosse despertada e se posicio-
ou Éfeso, mas Ele foi para a capital nasse pelo seu Senhor neste mun-
espiritual do mundo, Jerusalém, o do, que gigante seria!
lugar do povo de Deus e dos seus É fácil perder a paciência com
líderes. Tenho certeza de que Je- o povo de Deus e achar que Deus
sus fez isso porque entendeu que não vai fazer mais nada através
o plano de Deus é usar o Seu povo dele, mas saiba que em toda a
para cumprir os Seus propósitos. História da Igreja a obra de Deus
Jesus sabia que o povo de Deus tem sido feita neste mundo, atra-
era um “gigante adormecido” e Ele vés do Seu povo. A palavra “igre-
queria acordar esse gigante. ja” significa “o povo chamado”, o

32 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

povo separado deste mundo para Nicodemos, aquele destacado


seguir e obedecer ao Cristo Vivo e rabino e mestre da Lei. Será que
Ressuscitado. Somos enviados ao Saulo de Tarso participou de al-
mundo como veículos, através dos gum daqueles diálogos que Jesus
quais o Senhor salva os perdidos travou com os líderes religiosos?
(João 17.18; 20.21). Depois de ressuscitado, Cristo
Alguns dos judeus foram al- voltou para alcançar este fariseu
cançados pelo sermão de Jesus, dos fariseus, na estrada de Da-
conforme está registrado no fi- masco. Foi então que Saulo de
nal do capítulo 10 deste Evan- Tarso tornou-se o grande apósto-
gelho. Jesus também alcançou lo Paulo.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 33


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 5
“Chegou a Hora“ (João 12.20-50)

O relato sobre os episódios pregava, estas palavras estavam


ocorridos no Domingo de Palmas é diante de mim: “Pastor, queremos
seguido de outro comentário sobre ver Jesus”. Eles estavam mais que
as pessoas que foram impactadas sugerindo; praticamente exigiam
pela ressurreição de Lázaro. Elas ver Jesus, quando eu ou algum
continuaram a espalhar a Palavra. pastor visitante estivesse pregando
Por causa das grandes multidões naquele púlpito.
que se aglomeravam ao redor de Assim que Jesus soube que
Jesus sempre que Ele aparecia, os gregos (gentios) estavam pro-
os fariseus fizeram a seguinte ob- curando por Ele, respondeu: “Che-
servação: “Olhem como o mundo gou a hora de ser glorificado o Fi-
todo vai atrás dele!” (19). Na ver- lho do homem” (12.23).
dade, essa observação era proféti- Até então, em todos os capí-
ca, pois o plano de Deus sempre tulos anteriores, Jesus havia dito:
foi que o ministério de Jesus al- “A minha hora ainda não chegou”
cançasse todo o mundo (Gênesis (2.4). Quando os irmãos de Jesus
12.3; Lucas 2.10). quiseram determinar o que Ele de-
João relata que, no auge da po- veria fazer, Ele deixou bem claro
pularidade de Jesus, alguns gregos que a Sua agenda era determinada
procuram o apóstolo Filipe e lhe fa- pela vontade do Pai, dizendo-lhes:
zem um pedido: “Senhor, queremos “Para mim ainda não chegou o
ver Jesus” (12.21). Filipe fala com tempo certo” (7.6,8).
André e os dois contam a Jesus. É No capítulo seguinte, lemos
com a mesma abordagem daqueles que ninguém conseguiu pren-
gregos que devemos ler este Evan- dê-lo, “porque a sua hora ainda
gelho, isto é, procurando por Jesus. não havia chegado” (8.20). Tudo
Os líderes da primeira igre- isso foi um preparo para se enten-
ja que pastoreei providenciaram der a seriedade das palavras de
uma placa que ficava em frente Jesus: “Chegou a hora” (12.23).
ao púlpito. Todas as vezes que eu Isto quer dizer que Jesus estava

34 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

prestes a iniciar a Sua obra mais ser julgado este mundo; agora será
importante, o caminho da cruz, da expulso o príncipe deste mundo.
morte, da ressurreição e o início Mas eu, quando for levantado da
da obra que continuará sendo feita terra, atrairei todos a mim. Ele dis-
até a Sua Vinda, quando Ele pas- se isso para indicar o tipo de mor-
sará a exercer o governo do Seu te que haveria de sofrer. A multi-
Reino que jamais findará. dão falou: A Lei nos ensina que o
Agora estamos prontos para Cristo permanecerá para sempre;
a passagem mais importante de como podes dizer: O Filho do ho-
todo este Evangelho: “Chegou a mem precisa ser levantado? Quem
hora de ser glorificado o Filho do é esse Filho do homem?” (23-34).
homem. Digo-lhes verdadeiramen- Na resposta à incredulidade
te que, se o grão de trigo não cair deles, Jesus citou duas passagens
na terra e não morrer, continuará de Isaías, o que nos leva a pergun-
ele só. Mas, se morrer, dará muito tar por que alguns creram e outros
fruto. Aquele que ama a sua vida não. Isaías iniciou um dos seus ca-
a perderá, ao passo que aquele pítulos (sermões) mais importantes
que odeia a sua vida neste mundo com a pergunta: “Quem creu em
a conservará para a vida eterna. nossa mensagem? E a quem foi re-
Quem me serve precisa seguir-me velado o braço do Senhor?” (53.1).
e onde estou o meu servo também Em outra passagem, Isaías ensina
estará. Aquele que me serve meu que, às vezes, a incredulidade dos
Pai o honrará. Agora meu coração homens é porque Deus lhes cegou
está perturbado e o que direi? Pai, os olhos para não crerem (6.10).
salva-me desta hora? Não, eu vim “Disse-lhes, então, Jesus: Por
exatamente para isto, para esta mais um pouco de tempo a luz es-
hora. Pai, glorifica o teu nome! En- tará entre vocês. Andem, enquan-
tão veio uma voz dos céus: Eu já to vocês têm a luz, para que as
o glorifiquei e o glorificarei nova- trevas não os surpreendam, pois
mente. A multidão que ali estava e aquele que anda nas trevas não
a ouviu disse que tinha trovejado; sabe para onde está indo. Creiam
outros disseram que um anjo lhe na luz enquanto vocês a têm, para
tinha falado. Jesus disse: Esta voz que se tornem filhos da luz. Ter-
veio por causa de vocês e não por minando de falar, Jesus saiu e
minha causa. Chegou a hora de ocultou-se deles” (35,36).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 35


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Nesta passagem, Jesus ex- profundo declarando que, se dize-


pressa a razão por que veio ao mos que somos Seus discípulos,
mundo: a cruz. Quando conversou vamos segui-Lo e servi-Lo, aplican-
com o rabino Nicodemos, deixou do este princípio em nossas vidas:
bem claro qual era a Sua missão: “Se alguém quiser acompanhar-
ser levantado, o que significa ser me, negue-se a si mesmo, tome
“crucificado”, porque Ele é a Úni- cada dia sua cruz e siga-me; pois,
ca Solução e o Único Salvador quem quiser salvar a sua vida, a
de Deus (João 3.14-21). Esta é perderá, mas, quem perder a sua
a mesma mensagem com a qual vida por minha causa, este a sal-
nos deparamos aqui no capítulo vará; pois, que adianta ao homem
12, onde Jesus declara mais uma ganhar o mundo inteiro e perder-
vez qual era a Sua missão. se ou destruir a si mesmo?” (Lu-
Chegada a Sua hora, dian- cas 9.23-25).
te da proximidade da cruz, Jesus Em tudo Jesus ensinava os
pronunciou esta linda metáfora: aspectos espirituais da vida. Para
“Digo-lhes verdadeiramente que, entendermos bem a ilustração que
se o grão de trigo não cair na terra Ele fez, imagine uma ampulheta.
e não morrer, continuará ele só. Essa ampulheta representa o seu
Mas, se morrer, dará muito fruto” corpo e a areia que está nela a
(24). Jesus usava as figuras da lei vida em seu corpo. Assim como
natural para explicar a lei espiri- não podemos impedir que o tempo
tual. Como Supremo Mestre, Ele passe, também não há como im-
parte do conhecido para ensinar pedir que a areia se escoe. Jesus
o desconhecido, a fim de que en- ensinou que não há como “econo-
tendamos as verdades espirituais. mizarmos” nossa vida, exatamente
Outro exemplo disto está em Ma- como o salmista escreveu: “todos
teus 6.28: “Por que vocês se pre- os que descem ao pó se prostrarão
ocupam com roupas? Vejam como perante ele, os que não podem re-
crescem os lírios do campo”. ter a sua vida” (Salmo 22.29b).
Jesus também fez uma aplica- Certa ocasião, em visita a um
ção deste princípio para todos os povo primitivo, resolvi correr na
que O chamam de Senhor e se tor- pista de pouso local, despertando
nam Seus discípulos e seguidores. a atenção das pessoas que sur-
Ele conclui este ensinamento tão giam da mata impressionadas com

36 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

o que eu estava fazendo, porque quiser salvar a sua vida, a perde-


achavam que aquilo era desperdi- rá; mas, quem perder a sua vida
çar a vida. Na concepção delas, a por minha causa e pelo evange-
melhor maneira de preservar a vida lho, a salvará. Pois, que adianta
era descansar o máximo possível, ao homem ganhar o mundo intei-
porque acreditavam que quanto ro e perder a sua alma? Ou, o que
mais trabalhassem e queimassem o homem poderia dar em troca de
energia mais rápido morreriam, sua alma?” (Marcos 8.35-37).
quando sabemos que a verdade é Existem duas perguntas de
exatamente o oposto disso. grande profundidade nesta passa-
Apesar de Jesus ter sido muito gem. A primeira: “o que o homem
mais profundo no uso dessa metá- poderá lucrar, se alguém o fizer
fora, o que Ele ensinou se aplica proprietário de todas as terras do
também ao nosso físico. Devemos, mundo e lhe der todo o dinheiro
literalmente, praticar exercícios do mundo em troca de sua vida?”.
para nos mantermos em forma e A outra pergunta é: “o que o ho-
prolongarmos nossa vida. mem dará em troca do seu eu?”.
Lemos o seguinte em II Sa- A definição que podemos dar,
muel 14.14: “Que teremos que neste caso, para a palavra “eu” se-
morrer um dia, é tão certo como ria “o ser humano considerado em
não se pode recolher a água que sua individualidade”, o que signi-
se espalhou pela terra”. Se você fica que Deus fez você único, por
esperar ter 85 anos para pensar isso Jesus ensina que você seria
em um propósito para sua vida, vai tolo se trocasse sua identidade,
ver que desperdiçou todos os seus mesmo que fosse por todos os bens
anos e que sua vida foi semelhan- do mundo e vendesse sua alma.
te à água que escorre sobre a terra Esta segunda pergunta é mais
seca e jamais pode ser recolhida. introspectiva: “O que o homem
Também podemos incorrer no dará em troca do seu eu?”. A res-
erro de Esaú, que vendeu seu di- posta bíblica para Esaú foi “um
reito de primogenitura em troca de prato de sopa”. Ele não se valori-
um prato de sopa (Gênesis 25.29- zou e se vendeu muito barato.
34). Hoje, existe muita gente que Ao morrer na cruz, Jesus es-
faz o mesmo, e Jesus nos advertiu tabeleceu um exemplo para nós,
quanto a este perigo: “Pois quem porque, além de se sacrificar

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 37


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

para a nossa salvação - e essa é Esta palavra significa “perder a


a essência do Evangelho de Jesus serenidade”.
Cristo e da mensagem das epísto- No caso da morte de Lázaro,
las do Novo Testamento - Ele dei- Jesus estava diante das duas piores
xou uma filosofia de vida com Sua consequências do pecado: doença
morte na cruz ao mostrar como e morte. Ele estava perturbado com
escolher acertadamente a maneira o poder do diabo e do pecado, cujo
da “areia escoar” da ampulheta da resultado estava ali, bem diante
nossa vida. Ao falar sobre o grão dEle, na tumba de Lázaro.
que só frutifica depois que é plan- A tentação de Jesus foi regis-
tado na terra, Jesus ensinou como trada nos três primeiros Evange-
sacrificar nossas vidas. lhos: Mateus, Marcos e Lucas. No
capítulo 4 do Evangelho de Lucas,
Resumo consta que, no final, “o diabo o
A lição básica que tiramos deixou até ocasião oportuna” (13).
deste ensino de Jesus é que não Ele voltou a tentá-Lo, quando che-
conseguimos salvar nossa pró- gou o momento da cruz. Jesus es-
pria vida. Podemos desperdiçá-la, tava frente a frente com os poderes
vendê-la ou sacrificá-la em pro- do inferno, quando decidiu deixar
pósitos que não levam a nada, ou Sua vida cair na terra como uma
podemos sacrificá-la em propósi- semente e morrer, para que desse
tos justos para Deus, naquilo que fruto. É dramática a descrição que
Deus quer que façamos. Esse foi o os Evangelhos fazem de Jesus, to-
exemplo que Jesus deixou, quan- mando a decisão de Se sacrificar,
do enfrentou o sacrifício da cruz, por causa da vontade do Pai, para
para o qual veio ao mundo. a salvação do mundo.
Vemos neste capítulo que, Lemos que Jesus, com o cora-
quando Sua hora chegou, Jesus ção perturbado, orou: “Agora meu
estava perturbado. A palavra “per- coração está perturbado, e o que
turbado” tem um significado in- direi? Pai, salva-me desta hora?
teressante; ela também foi usada Não; eu vim exatamente para
no capítulo 11, quando Jesus viu isto, para esta hora. Pai, glorifica
Maria chorando por causa da mor- o teu nome!” (12.27,28a).
te de Lázaro: “Jesus agitou-se no Enquanto Ele estava pen-
espírito e perturbou-se” (11.33). durado na cruz, Seus inimigos

38 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

caçoavam: “Salvou os outros, mas mim. Pode ser qualquer coisa, Pai,
não é capaz de salvar a si mesmo” mas glorifique o Seu Nome”. Esta
(Mateus 27.42a). Eles tinham ra- é a essência e o espírito da ora-
zão; não podemos salvar a nós ção que Jesus fez, quando optou
mesmos e aos outros ao mesmo por cumprir a tarefa, para a qual
tempo; há uma escolha que pre- o Deus Pai Lhe havia incumbido:
cisa ser feita: ou você salva os morrer na cruz. A resposta que o
outros ou se salva. Foi nesta linda Pai Lhe deu foi: “Eu já o glorifiquei
oração que Jesus fez sua opção: e o glorificarei novamente”.
“Pai, glorifica o teu nome”, e a Pense como o Pai foi glorifi-
resposta do Pai veio de uma for- cado tantas vezes, através da vida
ma linda: “Então veio uma voz dos perfeita de Jesus. Ao se deparar
céus: Eu já o glorifiquei e o glori- com a cruz e orar “Pai, glorifica o
ficarei novamente” (12.28). Que teu nome” e ouvir aquela respos-
epitáfio bonito para a vida perfeita ta tão linda do Pai, Jesus mostrou
que Jesus Cristo viveu! como devemos enfrentar as crises
Qual é o propósito de uma que vêm sobre a vida de todos nós.
vida? O propósito da vida é glori- Será que você consegue fazer
ficar a Deus. Como glorificamos a esta oração de coração? Somos tão
Deus? Jesus passou Suas últimas egocêntricos! Um dos pecados ci-
horas com Seus apóstolos e, quan- tados na Bíblia é o egoísmo, mas
do estava para ser preso e levado ela nos ensina que não fomos cria-
à cruz, fez uma oração magnífica dos para sermos egocêntricos e sim
(João 17). Jesus resumiu os seus para termos Deus no centro de nos-
33 anos de vida na terra com es- sas vidas. Deus não nos criou para
tas palavras: “Eu te glorifiquei na fazermos nossa própria vontade,
terra, completando a obra que me mas com a capacidade de escolher
deste para fazer” (17.4). Com entre a nossa vontade e a dEle.
esta oração Jesus mostrou como Jesus deixou o exemplo ao
glorificamos a Deus. escolher fazer a vontade do Pai,
O pastor e escritor americano mostrando que não fomos feitos
A.W. Tozer costumava dizer que to- para fazer a nossa própria vontade
dos nós deveríamos fazer a seguin- ou para glorificarmos a nós mes-
te oração: “Pai, glorifique o Seu mos, mas para fazer a vontade de
nome e pode mandar a conta pra Deus e O glorificarmos.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 39


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Jesus colocou em prática o que o único absolutismo que exis-


que ensinou, quando deixou sua te é o que você quer e o que você
vida cair na terra, como uma se- precisa fazer para conseguir o que
mente, e morrer, a fim de frutificar. quer”. Jesus, porém, ensinou:
Depois, Ele associa a Sua própria “Ninguém tem maior amor do que
morte e ressurreição a você e a aquele que dá a sua vida pelos
mim, quando diz: “Quem me ser- seus amigos” (João 15.13).
ve precisa seguir-me” (12.26). No capítulo 11, na oração que
Jesus deixa claro que Seus dis- fez antes de ressuscitar Lázaro,
cípulos verdadeiros, os que re- Jesus afirma que estava fazendo
almente O seguirem, viverão no aquela oração não porque o Pai
mesmo espírito, fazendo tudo o precisasse ouvir, mas por causa
que Ele fez e ensinou. Quanto à daqueles que estavam presentes e
promessa que acompanha os que O ouviram orar. Jesus também es-
compreendem e aplicam este ensi- clarece a dúvida que todos tiveram,
no é: “Aquele que me serve, meu quando pensaram ser um trovão ou
Pai o honrará”. a voz de um anjo falando com Ele,
Lembro-me que, quando era ao dizer: “Esta voz veio por causa
pequeno, perguntei à minha mãe, de vocês, e não por minha causa”
uma mulher temente a Deus, que (12.29,30). Em duas ocasiões Je-
teve onze filhos: “Se a senhora pu- sus disse que Ele e o Pai tinham
desse voltar atrás, teria tantos filhos comunhão perfeita; por estarem
assim?”. Ela me respondeu: “Teria, em constante união, um conhecia
mas só depois de assumir o com- os pensamentos do outro.
promisso de não ter vida própria”. Depois de afirmar que a razão
Há milhões de pessoas em daquela voz não era por causa dEle,
nossa cultura que rejeitariam essa Jesus fala de julgamento: “Chegou
opção da minha mãe, dizendo: a hora de ser julgado este mundo;
“Você tem que ter sua própria agora será expulso o príncipe des-
vida”. Hoje o pensamento que te mundo” (31). Ele agora estava
impera é que cada um tem que frente a frente com todos os pode-
ter sua própria vida, sua indivi- res do inferno e com o maligno.
dualidade. A filosofia humanista Como já dissemos, a tenta-
e secular afirma que “cada um é ção de Jesus começou no início
o centro do seu próprio universo, do Seu ministério e continuou até

40 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

o seu término, três anos depois. “Filho do homem” é uma expres-


A vitória final contra o mal se deu são bíblica que, às vezes, significa
quando Jesus enfrentou a cruz. apenas “homem”, mas, quando Je-
Naquela ocasião, Ele fez esta sus se referia a Ele mesmo como
importante declaração: “Mas eu, “Filho do homem”, a expressão ti-
quando for levantado (quer dizer, nha outro significado. Como somos
crucificado) da terra, atrairei to- filhos de Deus e Ele era o único
dos a mim. Ele disse isso para in- Filho de Deus, neste caso Jesus es-
dicar o tipo de morte que haveria tava declarando que Ele é O Filho
de sofrer” (32,33). do Homem. Eles não acreditavam
No terceiro capítulo deste num Messias que seria morto, por-
Evangelho, João relatou a con- que esperavam pelo Messias que
versa de Jesus com Nicodemos, conquistaria o reino para sempre.
a respeito da instrução que Moi- Se eles conhecessem melhor o
sés recebeu para colocar uma ser- Velho Testamento teriam crido no
pente de bronze numa haste, no Messias, que Ele era o Cordeiro de
centro do acampamento dos filhos Deus, e o cumprimento do sacrifí-
de Israel. Quando o povo olhasse cio animal oferecido na Tenda de
para aquela serpente, seria curado Adoração, no deserto e no Templo
das suas picadas. Jesus relacio- de Salomão (Êxodo 12.3; Isaías
nou aquele milagre à sua morte na 53.7; João 1.29).
cruz e, nos dois casos, usou a pa- Por fim, Jesus lhes respon-
lavra “levantar”. Aqui, Ele acres- deu, dizendo: “Por mais um pouco
centa uma linda promessa: “Mas de tempo a luz estará entre vocês.
eu, quando for levantado da terra, Andem enquanto vocês têm a luz,
atrairei todos a mim” (32). Jesus para que as trevas não os surpre-
foi levantado há quase dois mil endam, pois aquele que anda nas
anos e milhões de pessoas já olha- trevas não sabe para onde está
ram para Ele para serem salvas. indo. Creiam na luz enquanto vo-
Então os líderes religiosos per- cês a têm” (35,36a).
guntaram: “A Lei nos ensina que o Temos aqui uma ótima defi-
Cristo permanecerá para sempre; nição de fé. “O que você faz com
como podes dizer: O Filho do ho- aquilo que já sabe” é a maneira bá-
mem precisa ser levantado? Quem sica e bíblica de enfocar a fé. Basi-
é esse Filho do homem?” (34). camente, o que Jesus ensinou foi:

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 41


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

“Onde não há luz, não se vê o pe- jamais falou da maneira como esse
cado” (João 9.41; 15.22). Portan- homem fala” (46).
to, a definição básica de pecado é Jesus sabia como se comu-
“rejeição da luz”. Paulo ensina que nicar e como conversar com Seus
devemos viver de acordo com a luz apóstolos, como podemos perce-
que temos (Filipenses 3.16). Outra ber através dos sermões da Mon-
resposta básica para nossa pergun- tanha, do Monte das Oliveiras e
ta “O que é fé?” é: fé é andar sem- da Última Ceia. Ele também sa-
pre na luz daquilo que Deus revela. bia como se comportar diante de
uma conversa hostil, como a que
Temor do homem ou temor de Deus manteve com os líderes judeus.
Neste capítulo, encontramos Ele pregava em alta voz não ape-
outra resposta de Jesus para o que nas para que O escutassem, mas
não é fé. Lemos que algumas pes- porque tinha grande autoridade.
soas criam, mas valorizavam mais Conforme está registrado no
a aprovação dos fariseus que a capítulo 10, Jesus afirmou que
aprovação de Deus (12.42). Ele e o Pai eram absolutamente
Ainda neste capítulo, lemos: um (10.30). No sermão da Última
“Então Jesus disse em alta voz: Ceia, que logo estudaremos, Ele
Quem crê em mim, não crê ape- assim afirma no diálogo que teve
nas em mim, mas naquele que me com os apóstolos: “Quem me vê,
enviou. Quem me vê, vê aquele vê o Pai” (14.9). Que palavras
que me enviou. Eu vim ao mundo maravilhosas! Jesus fala a mes-
como luz, para que todo aquele ma coisa nesta passagem: “Quem
que crê em mim não permaneça me vê, vê aquele que me enviou”
nas trevas” (12.44-46). (45), acrescentando: “Eu vim ao
No capítulo 7, o apóstolo João mundo como luz, para que todo
já tinha feito referência à outra oca- aquele que crê em mim não per-
sião em que Jesus falou em alta voz, maneça nas trevas” (46).
quando Ele se dirigiu aos sedentos Jesus também fala sobre a di-
e os chamou para Ele (7.37,38). mensão do julgamento, acerca do
Ainda no capítulo 7, Jesus foi tão qual não pensamos muito: “Se al-
veemente em suas palavras que os guém ouve as minhas palavras e
soldados enviados para O prende- não lhes obedece, eu não o julgo,
rem voltaram dizendo: “Ninguém pois não vim para julgar o mundo,

42 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mas para salvá-lo” (47). Procure se sabemos”. Como Jesus disse, no


lembrar desta verdade ensinada no capítulo 9, e dirá novamente no ca-
capítulo 3: “Pois Deus enviou o seu pítulo 15: “Onde não há luz não há
Filho ao mundo, não para conde- pecado” (9.41; 15.22), porém a luz
nar o mundo, mas para que este que rejeitamos ou ignoramos nos
fosse salvo por meio dele” (3.17). julgará. “Eu não vim para conde-
Neste capítulo 12, Jesus nar vocês, mas vocês se condenam,
também falou: “Há um juiz para pois já Me ouviram falar as palavras
quem me rejeita e não aceita as do Pai e as rejeitam ou ignoram”.
minhas palavras; a própria pala- Foi isto o que Jesus ensinou: tudo o
vra que proferi o condenará no que sabemos será nosso juiz.
último dia, pois não falei de mim “Quem é Jesus”, no capítulo
mesmo, mas o Pai que me enviou 12 de João? Ele é aquele que Se
me ordenou o que dizer e como sacrifica e ora: “Glorifica o Seu
falar. Sei que o seu mandamento nome, Pai, e pode Me mandar a
é a vida eterna. Portanto, o que conta”. Quando Jesus diz isto,
eu digo é exatamente o que o Pai Deus responde: “Eu já fiz isso e
me mandou dizer” (48-50). vou fazer outra vez”.
No capítulo 7, consta a decla- “O que é fé?”. Fé é perceber
ração de Jesus dizendo que o Seu que o Espírito Santo lhe deu olhos
ensino não é propriamente Seu, para ver, ouvidos para ouvir e co-
mas de Deus (7.16), enquanto ração para entender. Fé é valorizar
que, na passagem citada no pa- mais a aprovação de Deus que a
rágrafo anterior, Ele declara que, aprovação dos homens; é viver de
como o Seu ensino e pregação são acordo com a luz que você já rece-
a Palavra de Deus, essa Palavra beu de Deus.
julgará você e eu (12.48). “O que é vida?”. Vida é ser
Por aplicação, a essência do frutífero; é o resultado de a semen-
que Jesus está dizendo é: “Se você te cair na terra e morrer para fru-
rejeita ou deixa de aplicar a Minha tificar. Vida é o que Paulo ensina,
Palavra, ela mesma será seu juiz quando ele afirma estar crucifica-
no dia do julgamento”. do com Cristo (Gálatas 2.20).
Como já observamos, este Este é Jesus, isto é fé e isto é
tema se repete no ensino de Jesus: vida, de acordo com o capítulo 12
“O que fazemos com aquilo que já do Evangelho de João.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 43


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 6
“O Novo Mandamento” (João 13.1-38)

Existem mais de 500 precei- Estudando os sermões mais


tos na Bíblia e todos eles estão importantes de Jesus, descobri-
contidos nos Dez Mandamen- mos que um deles foi iniciado na
tos (Êxodo 20.3-17; Deuteronô- forma de um diálogo (Mateus 24 e
mio 5.7-21). Além destes, existe 25). Durante estes sermões, Jesus
também o que Jesus chamou de fazia perguntas ou deixava implí-
o primeiro e maior mandamen- citas as que eles poderiam fazer,
to: “Ame o Senhor, o seu Deus, a fim de estimular o diálogo com
de todo o seu coração, de toda Sua audiência. Por exemplo, ao
a sua alma e de todo o seu en- estudar o sermão mais longo de
tendimento”; quanto ao segundo Jesus, contido no capítulo 13 e
maior mandamento é “Ame o seu início do 14 deste Evangelho, nós
próximo como a si mesmo” (Ma- descobrimos que os apóstolos fize-
teus 22.37-39). O capítulo que ram várias perguntas, e as respos-
enfocaremos a partir de agora nos tas de Jesus são a essência do que
introduz no “Novo Mandamento” consideramos um sermão.
de Jesus (13.34,35). O capítulo 13 é importante,
Antes de iniciarmos o estudo pois nele vemos o término do mi-
do capítulo 13 precisamos enten- nistério de três anos de Jesus, um
der que o apóstolo João, sob a ministério de pregação, cura, ensi-
inspiração do Espírito Santo, re- no e treinamento dos apóstolos. Je-
gistrou o maior sermão de Jesus, sus iniciou o Seu ministério público
o Sermão da Última Ceia. com o que chamamos de “retiro”.
Jesus pregou vários sermões, Se você tem acompanhado a trans-
dos quais destacamos o Sermão missão do Encontro com a Palavra
da Montanha (Mateus, capítulos 5 ou tem estudado, no material im-
ao 7), o Sermão do Monte das Oli- presso, o ensino acerca do Sermão
veiras (Mateus, capítulos 24 e 25) da Montanha, sabe que acredita-
e o Sermão da Última Ceia (João, mos que esse sermão se realizou
capítulos 13 ao 17). num retiro promovido por Jesus,

44 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

com o propósito de recrutar discí- mundo, amou-os até o fim. Estava


pulos, comissionados por Ele, para sendo servido o jantar e o diabo já
serem os apóstolos, os “enviados”. havia induzido Judas Iscariotes, fi-
No Evangelho de Marcos, en- lho de Simão, a trair Jesus. Jesus
contramos a descrição do contex- sabia que o Pai havia colocado to-
to, no qual Jesus escolheu os Doze das as coisas debaixo do seu po-
para estarem com Ele e, depois, der, e que viera de Deus e estava
serem enviados para pregarem voltando para Deus; assim, levan-
(Marcos 3.13-19). Por esta razão, tou-se da mesa, tirou sua capa e
eu intitulei esse sermão de “O Pri- colocou uma toalha em volta da
meiro Retiro Cristão”. cintura. Depois disso, derramou
Depois de três anos, Jesus ti- água numa bacia e começou a la-
nha treinado os apóstolos e o “se- var os pés dos seus discípulos, en-
minário” já tinha acabado. Antes xugando-os com a toalha que esta-
de ir para a cruz, a última coisa va em sua cintura” (13.1-5).
que Jesus faz é organizar outro reti- Que bela maneira de se ini-
ro com os doze homens, o qual in- ciar um retiro! Os outros Evange-
titulei de “O Último Retiro Cristão”. lhos registram que, enquanto os
Os capítulos que passamos apóstolos caminhavam para o lu-
a estudar são de um conteúdo gar onde se reuniriam para a Últi-
muito profundo, porque registram ma Ceia, discutiam entre si sobre
o testamento de Jesus, a comis- qual deles seria o maior no reino
são dos homens que Ele treinou que Jesus ia estabelecer (Ma-
durante três anos, Sua missão e teus 20.20-28; Lucas 9.46-48;
o ministério para o qual o Pai O 22.24-27). Alguns deles acredi-
comissionou. tavam que o Messias subjugaria
Roma e estabeleceria o Seu reino
Lavar os pés uns dos outros na Terra (Atos 1.6).
É assim que João começa o re- Os cinco primeiros versícu-
gistro do sermão mais longo de Je- los do capítulo 13 de João regis-
sus: “Um pouco antes da festa da tram a resposta de Jesus a essa
Páscoa, sabendo Jesus que havia discussão, sobre qual deles seria
chegado o tempo em que deixaria o maior. Jesus iniciou o Seu úl-
este mundo e iria para o Pai, ten- timo retiro com uma atitude que
do amado os seus que estavam no chocou aqueles doze homens. Ele

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 45


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

tirou Sua capa e assumiu o papel comentamos sobre o costume na-


de escravo. Naquela cultura, era quela cultura das pessoas se recli-
comum o convidado ter os seus narem ao redor da mesa. Imagine-
pés lavados, mas era sempre um mos todos os apóstolos reclinados
escravo que fazia isso. Jesus, por- à mesa com Jesus e Pedro sendo
tanto, estava assumindo o papel o quinto ou sexto da fila. Ao ver
de escravo ao pegar a bacia e co- Jesus se aproximando com a bacia
meçar a lavar-lhes os pés. e a toalha, chegando a sua vez, ele
Parece que a frase “e (Jesus) não aguenta e fala: “Senhor, vais
começou a lavar os pés dos discí- lavar os meus pés?”. É realmente
pulos” prepara-nos para algo que linda a maneira como Jesus lhe
ia acontecer, quando Ele lavasse respondeu: “Você não compreen-
os pés de Pedro. Vamos ver: “Che- de agora o que estou lhe fazendo;
gou-se a Simão Pedro, que lhe mais tarde, porém, entenderá”.
disse: Senhor, vais lavar os meus Algum irmão em Cristo já la-
pés? Respondeu Jesus: Você não vou os seus pés? Nunca me es-
compreende agora o que estou quecerei de quando o chefe de
lhe fazendo; mais tarde, porém, uma tribo que tinha se convertido
entenderá. Disse Pedro: Nunca lavou os meus pés. Eu não espe-
lavarás os meus pés. Jesus res- rava aquilo e me senti como Pe-
pondeu: Se eu não os lavar, você dro; fiquei surpreendido e me vi
não terá parte comigo. Respondeu falando exatamente as mesmas
Simão Pedro: Então, Senhor, não palavras de Pedro: “Você vai lavar
apenas os meus pés, mas tam- meus pés?”. Ele sorriu para mim
bém as minhas mãos e a minha e sabia falar em inglês o suficien-
cabeça. Respondeu Jesus: Quem te para responder: “Exatamente
já se banhou precisa apenas la- como Pedro”.
var os pés; todo o seu corpo está Eu lhe perguntei se alguma
limpo. Vocês estão limpos, mas vez algum irmão em Cristo lavou
nem todos. Pois ele sabia quem os seus pés, mas, talvez seja me-
iria traí-lo, por isso disse que nem lhor eu perguntar: como você se
todos estavam limpos” (13.6-11). sentiria se, sem que você esperas-
No capítulo anterior, quando se, Jesus Cristo, o Senhor dos se-
comentamos sobre o ato de Ma- nhores, o Criador do Universo, la-
ria lavar os pés de Jesus, também vasse os seus pés? Você consegue

46 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

imaginar o que Pedro sentiu quan- uma palavra para eu falar àquelas
do Jesus lhe lavou os pés? famílias e a que pareceu mais apro-
Que resposta linda Jesus deu priada foi a resposta de Jesus a Pe-
a Pedro: “Você não compreende dro: “Você não compreende agora
agora o que estou lhe fazendo; o que estou lhe fazendo; mais tar-
mais tarde, porém, entenderá”. de, porém, entenderá”.
Estas palavras são muito apro- Em muitas situações na vida
priadas para aquelas pessoas que ficamos sem ter ideia do que Deus
estão chorando a morte trágica de está fazendo. Creio, de todo cora-
um ente querido. Às vezes há mo- ção, que um dia, quando conhe-
mentos trágicos e difíceis de en- cermos como somos conhecidos,
tender na vida do crente, para os receberemos as respostas para
quais estas são as palavras mais todas as nossas perguntas (I Co-
apropriadas. ríntios 13.12), mas, até lá, essas
Preciso compartilhar pelo me- palavras de Jesus nos confortarão.
nos um desses momentos. Conhe- Podemos dizer que Jesus nun-
ci anos atrás um casal que estava ca se incomodou com as interrup-
planejando fazer o seminário teoló- ções, porque Ele as transformava
gico. Durante a última viagem de em oportunidades. Embora pareça
serviço do marido à marinha, sua que Pedro estivesse fazendo uma
jovem esposa, junto com a espo- interrupção, vemos que Jesus usou
sa de outro marinheiro, sofreu um aquela oportunidade para ensinar
terrível acidente automobilístico, algo. Além de falar para Pedro es-
em que as duas jovens foram car- perar, porque, no final, entenderia o
bonizadas na explosão do carro. As que estava acontecendo, Jesus traz
famílias, que viviam em outro esta- outro ensino. Quando Pedro pediu
do, pediram que eu oficiasse aque- um banho completo, Jesus disse a
la dupla cerimônia fúnebre, e que Pedro que ele não precisava de ou-
eu ficasse ali mais um dia, a fim tro banho, bastava limpar os pés.
de consolá-los, de fazê-los enten- Naquele tempo, existiam as
derem porque Deus permitiu que salas de banho públicas e, depois
aquela tragédia acontecesse. Como do banho, as pessoas iam a pé
é comum a esses acontecimentos, para casa; como seus pés estavam
o momento da verdade foi junto ao molhados, grudava-lhes o pó que
túmulo. Pedi a Deus que me desse pegavam durante o caminho. Por

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 47


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

isso, ao chegar em casa, lavavam quando Jesus lhes disse que eles
apenas os pés. já estavam limpos, pois já tinham
Nesta metáfora, o banho re- tomado banho e precisavam ape-
presenta a regeneração, o nascer nas lavar os pés.
de novo. Quando confiamos a A história continua, conforme
Cristo a nossa salvação e nasce- o relato de João: “Quando termi-
mos de novo, nossos pecados são nou de lavar-lhes os pés, Jesus tor-
lavados e nós somos purificados. nou a vestir sua capa e voltou ao
Em outras palavras, tomamos um seu lugar. Então lhes perguntou:
banho, porém, à medida que an- Vocês entendem o que lhes fiz?
damos no mundo, nossos pés se Vocês me chamam Mestre e Se-
sujam e, quando isso acontece, nhor, e com razão, pois eu o sou.
não precisamos “nascer de novo Pois bem, se eu, sendo Senhor e
outra vez” nem sermos regenera- Mestre de vocês, lavei-lhes os pés,
dos. Precisamos lavar os pés ou vocês também devem lavar os pés
ter uma contínua purificação. uns dos outros. Eu lhes dei o exem-
Foi por isso que o Senhor es- plo, para que vocês façam como
tabeleceu a Mesa do Senhor, a Eu- lhes fiz. Digo-lhes verdadeiramen-
caristia ou Comunhão, depende do te que nenhum escravo é maior
nome com o qual você está fami- que o seu senhor, como também
liarizado. Ele sabia que precisaría- nenhum mensageiro é maior que
mos ser lembrados constantemen- aquele que o enviou. Agora que
te da necessidade de lavar os pés. vocês sabem estas coisas, felizes
Quando pecamos, precisamos serão se as praticarem” (12-17).
confessar nossos pecados, confiar Jesus perguntou aos apósto-
que Ele nos perdoa, nos purifica los: “Vocês entendem o que lhes
de toda injustiça e nos mantém fiz?”. Você sabe dizer o que Jesus
puros (I João 1.9). tinha feito por eles? É claro que
A seguir, João escreve: “Pois Jesus lhes tinha lavado os pés e
ele sabia quem iria traí-lo e, por dado exemplo de humildade e de
isso, disse que nem todos es- serviço uns para com os outros.
tavam limpos” (11). Jesus teria Eles jamais se esqueceriam disso,
mais a falar sobre aquele que O mas o próprio Jesus explicou: “Eu
trairia, mas Pedro e os outros lhes dei o exemplo, para que vo-
apóstolos devem ter ficado felizes, cês façam como lhes fiz” (15).

48 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

O apóstolo Paulo, em sua anos, na dedicatória do Livro do


exortação à igreja de Filipos, mos- Apocalipse, ele escreveu sobre Je-
trou que podemos aplicar este sus: “Àquele que nos ama”.
ensino, tendo a mente de Cristo e Durante três anos, Jesus de-
servindo uns aos outros em amor monstrou o Seu amor pelos após-
(Filipenses 2.1-5). Desse ato sim- tolos de diferentes maneiras. La-
bólico, com o qual Jesus iniciou var-lhes os pés foi apenas uma
este sermão, tiramos uma apli- dessas maneiras. Observe que os
cação, através de duas perguntas apóstolos não estavam dispostos
que devemos fazer todos os dias: a amar uns aos outros da mesma
“Como posso servi-Lo, Senhor?” e maneira que Jesus os havia ama-
“Como posso servir os que estão do. Esta foi a lição básica, neste
ao meu redor?”. exemplo de amor que Jesus lhes
Talvez outra pergunta ainda deu, através da lavagem dos pés.
melhor que devamos fazer ao Se- Jesus confirma a ligação en-
nhor Jesus e àqueles com quem tre o Seu amor por eles e a lava-
nos relacionamos seja: “Como pos- gem dos pés, quando anuncia um
so amá-los?”. Apesar de não ser “Novo Mandamento”: “Amem-se
tão evidente, Jesus tinha feito mais uns aos outros. Como eu os amei
pelos apóstolos que simplesmente vocês devem amar-se uns aos ou-
lhes lavar os pés, o que fica explíci- tros. Com isso todos saberão que
to logo no início do capítulo: “ten- vocês são meus discípulos, se vo-
do amado os seus que estavam no cês se amarem uns aos outros”
mundo, amou-os até o fim”. (34,35). Ao lavar-lhes os pés, Je-
Ao lavar-lhes os pés Jesus sus os amou. Quando Jesus falou
os amou; Ele os amou desde o que eles deveriam seguir o Seu
momento em que os conheceu e exemplo e lavar os pés uns dos
de uma maneira completamente outros, estava lhes ensinando a
nova para eles. Várias vezes, nes- amarem uns aos outros, como Ele
te Evangelho, João refere-se a ele os tinha amado, durante três anos,
mesmo como “o discípulo a quem e quando lhes lavou os pés.
Jesus amava” (13.23; 19.26; Quando aqueles homens se
20.2; 21.20,24). João jamais se reuniram com Jesus, para o últi-
conformou com o amor com o qual mo retiro, todos tinham algo em
Jesus o amou. Depois de sessenta comum: todos amavam Jesus,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 49


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

porque Jesus os tinha amado. É interessante imaginar Si-


Mais tarde, João escreveu: “Nós mão, o zelote, olhando para Ma-
amamos, porque ele nos amou teus, o publicano, do outro lado
primeiro” (I João 4.19). Jesus da mesa, e os olhos de ambos
amou aqueles homens e eles só perguntando para Jesus: “O Se-
amaram conforme a capacidade nhor está dizendo que tenho que
que tinham para responder àquele amar este homem como o Senhor
amor. Tudo o que podemos dizer me amou? Um zelote lavar os pés
deles, naquele cenáculo, por oca- de um publicano e um publica-
sião da Última Ceia, é que Jesus no lavar os pés de um zelote?”,
os amou e eles amaram Jesus. enquanto os olhos de Jesus res-
A essência do que Jesus disse, pondem: “Exatamente! Quando o
quando anunciou o novo manda- mundo ouvir que um zelote está
mento para os apóstolos, foi: “Vo- lavando os pés de um publicano
cês estão vendo este homem do e um publicano está lavando os
outro lado da mesa? O Meu man- pés de um zelote; que um zelote
damento é que vocês o amem do está amando um publicano e um
mesmo modo como Eu os amei!”. publicano está amando um zelote,
Jesus prometeu duas consequên- então eles saberão que vocês são
cias resultantes da obediência a Meus discípulos”.
este mandamento: o mundo sabe- Depois de iniciar aquele retiro
rá que somos Seus discípulos e se- com o ato simbólico da lavagem
remos grandemente abençoados. dos pés, Jesus chocou a todos
Estudando a vida dos apósto- com as más notícias: Ele os deixa-
los, aprendemos que alguns deles ria. Aparentemente, eles compre-
eram zelotes, ou seja, acredita- enderam que Jesus estava falando
vam na resistência judaica contra da Sua morte: “Para onde vou,
o Império Romano. Um deles era vocês não podem seguir-me ago-
Simão. Outro apóstolo era um pu- ra, mas me seguirão mais tarde”
blicano que, ao invés de lutar con- (36). Eles sabiam que Jesus esta-
tra os romanos, trabalhava para va partindo e que não poderiam ir
eles, recolhendo impostos dos seus junto com Ele.
compatriotas judeus para o governo Minha mulher e eu criamos
romano. O que um publicano pode- cinco maravilhosos filhos. Sem-
ria ter em comum com um zelote? pre tivemos em mente que eles

50 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

estariam bem preparados para o como eles se amam!”. Segundo


relacionamento conjugal, se vis- dados históricos, houve pessoas
sem no dia a dia demonstração de que estavam assistindo àquelas
carinho entre nós. Um dia, duran- mortes no Coliseu de Roma que se
te o café da manhã, nós dois es- juntaram aos discípulos de Jesus
távamos bem carinhosos um com e morreram com eles, tão impres-
o outro e uma das nossas filhas, sionados ficaram com o amor que
antes de sair para a escola, dis- existia entre eles, enquanto mor-
se: “Ah, então é isso o que vocês riam juntos!
fazem quando a gente vai para a Ao escrever uma de suas epís-
escola?”. Essa nossa filha tem um tolas que se encontra no final do
relacionamento muito bom com Novo Testamento, o apóstolo João
seu marido, incluindo o relaciona- apresenta dez boas razões porque
mento afetivo e sexual. Ela apren- devemos amar uns aos outros (I
deu com seus pais que um crente João 4.7-21). A tradição conta
em Jesus tem tudo para usufruir que João, na sua velhice, era tão
um bom relacionamento conjugal. fraco que para ir à igreja precisava
Jesus estava dizendo para os ser carregado. Com sua voz fraca
Seus apóstolos que, durante três e baixa, ele costumava se dirigir à
anos, Ele os havia treinado e co- congregação, dizendo: “Filhinhos,
missionado para anunciarem ao amem uns aos outros!”. O apósto-
mundo cheio de violência e cruel- lo do amor aprendeu o novo man-
dade a mensagem de amor. Jesus damento de Jesus.
ensinou que a melhor maneira
de comunicar esta mensagem de A Nova Aliança e a Nova
amor é amando uns aos outros. Comunidade
Não foram necessários muitos Ao anunciar o novo manda-
anos para que o mundo pagão e mento durante a Última Ceia,
cruel visse os seguidores de Cris- Jesus estava dizendo aos Seus
to serem mortos no Coliseu de apóstolos: “Vocês assumiram um
Roma, todos juntos, abraçados, compromisso Comigo e Eu assu-
surpreendendo a todos com o mi um compromisso com vocês.
amor visível que tinham uns pelos Vocês estão em aliança comigo e
outros, mesmo naquela situação. Eu estou em aliança com vocês.
A plateia chegava a dizer: “Veja Esta aliança foi firmada, quando

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 51


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

lancei para vocês o seguinte de- muito valorizado em muitas cultu-


safio: Sigam-me, e eu os farei ras; quanto mais você sabe, mais
pescadores de homens (Mateus valorizado e reconhecido é na so-
4.19). Há três anos, vocês as- ciedade. Entretanto, esta virtude
sumiram o compromisso de Me não tem valor na Igreja, de acordo
seguir e eu fiz de vocês uma das com o que Jesus ensinou no Ser-
Minhas soluções e respostas mão na Última Ceia, isto é, que o
para o mundo; mas, agora, vocês mais importante é o que você faz
devem estabelecer uma aliança com aquilo que sabe.
e assumir um compromisso uns Nos quatro Evangelhos, ve-
com os outros. Amem uns aos mos que Jesus deu mais valor às
outros da mesma maneira que atitudes que às palavras (Mateus
Eu tenho amado vocês!”. 21.28-31). Ele ensinou que prova-
Eis aí o espírito e a essência mos que o ensino dEle é o ensino
do que Jesus começou a ensinar de Deus, quando nos dispomos a
com o Sermão da Última Ceia e o praticá-lo, ao invés de apenas estu-
Novo Mandamento, instruindo os dá-lo e conhecê-lo. Em outras pa-
apóstolos a colocarem em práti- lavras, Ele ensinou que o fazer leva
ca a verdade contida naquele ato ao conhecer, enquanto a maioria
simbólico, que iniciou o Último em todo o mundo crê que o conhe-
Retiro Espiritual. O novo manda- cer leva ao fazer (João 7.17).
mento introduziu nos apóstolos a Jesus deixou claro que apenas
ideia da nova aliança, e esta criou saber o que Ele ensinou, quando
uma nova comunidade, que hoje lavou os pés dos apóstolos, não
chamamos Igreja. Devemos todos vai trazer bênçãos para nossas vi-
orar para que a igreja que frequen- das e em nossos relacionamentos,
tamos seja a comunidade de amor, mas seremos abençoados se prati-
que Jesus instituiu, quando ensi- carmos o que Ele ensinou naquele
nou o novo mandamento. Último Retiro Cristão.
Finalizando a introdução do Jesus concluiu o Seu Primeiro
Último Retiro Espiritual, Jesus Retiro Cristão com uma ilustração
fez esta linda descrição de fé: muito profunda sobre a diferen-
“Agora que vocês sabem estas ça entre os discípulos que ouvem
coisas, felizes serão se as prati- Suas Palavras e as praticam, e
carem” (17). O conhecimento é aqueles que apenas as ouvem,

52 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

sem jamais pô-las em prática (Ma- vocês creiam que Eu Sou. Eu lhes
teus 7.24-27). garanto: Quem receber aquele que
O ato simbólico, com o qual eu enviar, estará me recebendo; e
Jesus iniciou este sermão, e o novo quem me recebe, recebe aquele
mandamento, que expressa o Seu que me enviou”.
amor pelos apóstolos, são os fun- Depois de dizer estas pala-
damentos, sobre os quais a Igreja vras, Jesus se perturbou no espíri-
foi erguida. Nenhuma igreja poderá to e testificou: “Digo-lhes que cer-
resistir às tempestades de proble- tamente um de vocês me trairá.
mas internos e externos, se não Seus discípulos olharam uns para
estiver sobre este fundamento de os outros, sem saber a quem Ele
amor a Cristo e aos irmãos. A igreja se referia. Um deles, o discípulo
que for erguida sobre o novo man- a quem Jesus amava, estava re-
damento e o princípio que Jesus clinado ao lado dele. Simão Pe-
ensinou, quando lavou os pés dos dro fez sinais para esse discípu-
discípulos, permanece firme, por- lo, como a dizer: Pergunte-lhe a
que está fundada sobre a Rocha, quem ele está se referindo. Incli-
que é o Cristo Vivo e Ressuscitado. nando-se esse discípulo para Je-
sus, perguntou-lhe: Senhor, quem
É isso mesmo? (13.18-38) é? Respondeu Jesus: Aquele a
Entre o ato simbólico da lava- quem eu der este pedaço de pão
gem dos pés e o novo mandamen- molhado no prato. Em seguida,
to, Jesus reafirmou o que já tinha Jesus molhou o pedaço de pão e
dito anteriormente, que nem todos o deu a Judas Iscariotes, filho de
os apóstolos estavam limpos e que Simão” (13.21-26).
Ele sabia qual deles O trairia. A Bíblia conta que assim que
Nos versículos 18-20, Jesus Judas pegou o pedaço de pão, Sa-
afirma: “Não estou me referindo a tanás entrou nele. “O que você está
todos vocês; conheço os que es- para fazer, faça depressa, Jesus
colhi. Mas isto acontece para que lhe disse. Mas ninguém ali com-
se cumpra a Escritura: Aquele que preendeu, porque Jesus disse isso
partilhava do meu pão voltou-se a ele. Como Judas era responsável
contra mim (Salmo 41.9). Estou pelo dinheiro, alguns deles pensa-
lhes dizendo antes que aconteça, ram que Jesus o estava mandando
a fim de que, quando acontecer, comprar o que precisavam para a

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 53


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

festa ou dar alguma coisa aos po- Imagine como eles estavam insegu-
bres” (26-29). A Bíblia conta que ros e como era frágil a fé e o com-
“Assim que comeu o pão, Judas promisso deles com Jesus, poucas
saiu. E era noite” (30). horas antes de o Senhor morrer na
Esta é a história da traição cruz pela salvação deles!
de Jesus. Observe que João con- Isto se aplicou, principalmen-
tinua enfatizando em seu registro te, ao apóstolo Pedro, pois este
que tudo o que ele está contando capítulo se encerra com o Senhor
é o cumprimento das Escrituras, prevendo a negação tripla de Pe-
como certos episódios que foram dro. Tente imaginar o seu conflito,
controlados pela Providência de depois de ouvir de Jesus que, an-
um Deus Soberano. tes que o galo cantasse, ele nega-
É o que vemos nas citações de ria o Senhor três vezes.
Jesus, que João registra nos versí- A previsão da negação de Pe-
culos 18 e 26: “Mas isto acontece dro foi uma resposta a duas per-
para que se cumpra a Escritura: guntas que ele fez. Durante todo o
Aquele que partilhava do meu tempo que passou com os apósto-
pão voltou-se contra mim” e “Res- los, era do estilo de Jesus desper-
pondeu Jesus: Aquele a quem eu tar perguntas da parte deles. Por
der este pedaço de pão molhado exemplo, quando Jesus disse que
no prato”. Naquele tempo, apenas estava indo para um lugar que eles
amigos próximos reclinavam jun- não podiam ir, Pedro fez estas duas
tos à mesa e molhavam o pão no perguntas: “Senhor, para onde
mesmo prato. Fazer isto e, depois, vais?” e “Senhor, por que não pos-
não ser amigo verdadeiro era con- so seguir-te agora? Darei a minha
siderado uma traição. vida por ti!” (João 13.36,37).
De acordo com os outros O final deste capítulo apresen-
Evangelhos, quando Jesus falou ta outro exemplo de um princípio
que um deles O trairia, “eles fica- bíblico que já vimos no livro ante-
ram tristes e, um por um, lhe dis- rior: não podemos deixar que a di-
seram: Com certeza não sou eu” visão em capítulos e em versículos
(Marcos 14.19). quebre a sequência da nossa lei-
Sempre quis saber qual foi a tura bíblica. As duas perguntas de
reação de cada um deles, quando Pedro levam os apóstolos Tomé, Fi-
Jesus falou acerca do que O trairia. lipe e Judas a fazerem perguntas,

54 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

cujas respostas de Jesus estão no Jesus a respeito de humildade


capítulo seguinte. e amor em nosso relacionamen-
O capítulo 13 registra, no seu to com o Senhor e com todos os
final, a resposta de Jesus à pergun- que fazem parte da nossa vida.
ta de Pedro, mas Ele continua a res- Fé é perguntar ao Senhor e àque-
ponder outras perguntas no capítulo les com quem nos relacionamos:
14. Essas perguntas e, principal- “Como posso servi-los?”; é fazer
mente, as respostas de Jesus são a pergunta: “Será que entre nós
a chave que desvendam o capítulo existe tanta evidência de amor
14 para nós. Na verdade, o capítulo como havia na primeira geração
14 é uma conclusão do 13. de crentes?”. Se não há evidência
Sugiro que você leia também suficiente quanto a isso, então a fé
o capítulo 14 e busque as respos- fará o que for preciso para produ-
tas para as perguntas que Pedro zir essa evidência.
fez, no final do capítulo 13, iden- “O que é vida?”. Vida é o que
tificando, também, as perguntas experimentamos quando somos
dos outros apóstolos. Enfoque o amados incondicionalmente, da
seu estudo nas respostas de Je- mesma forma que Cristo amou
sus, que são a parte central do os apóstolos; a verdadeira vida só
Seu mais longo sermão. existe quando amamos e somos
Ao concluir este magnífico ca- amados com o amor de Cristo.
pítulo, tenho que retomar as per- Minha oração é que através
guntas básicas do nosso estudo. deste estudo do Evangelho de
“Quem é Jesus”, neste capí- João você conheça Jesus, tenha fé
tulo? Jesus é o Senhor e Mestre, e experimente a qualidade de vida
humilde, que assume o papel de que Deus tem para você. Juntos ti-
servo e lava os pés dos apósto- ramos muitas lições dos capítulos
los, mostrando até onde ia o Seu 11 a 13 deste Evangelho.
amor por eles, ensinando, dessa Encerro agora com as pala-
forma, que o mesmo deveria ser vras do nosso Senhor Jesus Cristo:
feito por eles. “Um novo mandamento lhes dou:
“O que é fé?”. Fé é o que fa- Amem-se uns aos outros. Como
zemos com o que já conhecemos; eu os amei, vocês devem amar
é aplicar o que aprendemos com uns aos outros” (João 13.34).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 55


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 7
“Perguntas e Respostas“ (João 13.33 - 14.31)

João inicia a segunda parte, de- sermão, “O Sermão do Monte”,


dicando quatro capítulos ao relato que nós o chamamos de “O Pri-
do sermão mais longo de Jesus re- meiro Retiro Cristão”, porque tam-
gistrado nos Evangelhos, “O Sermão bém foi pregado no cenário de um
da Última Ceia” (capítulos 13-17). retiro. Dentre os discípulos que Je-
Os antigos rabinos ensinavam sus desafiou no alto da montanha,
fazendo perguntas. Na verdade, Ele comissionou doze homens
eles costumavam responder uma para serem os Seus apóstolos, “Os
pergunta com outra pergunta. Chamados”. Durante três anos Je-
Quando perguntaram ao rabino Hil- sus os ensinou e treinou e, depois,
lel porque os rabinos sempre res- os enviou em missões ministeriais.
pondem uma pergunta com outra, Agora, Jesus tinha Se retirado no-
ele respondeu: “E por que não?”. vamente com eles e estava preste
Conforme este Evangelho des- a graduá-los neste treinamento de
taca, Jesus era mais que um rabino três anos em Sua companhia.
comum. Embora sendo Mestre per- Os últimos versículos do capítu-
feito, Ele também usou este método lo 13 registram duas perguntas que
de perguntas e respostas para en- Pedro fez a Jesus: “Senhor, para
sinar e, deliberadamente, provocava onde vais?” e “Senhor, por que não
perguntas na mente dos apóstolos, a posso seguir-te agora? Darei a mi-
quem Ele dirigiu este longo sermão. nha vida por ti”. Jesus responde as
Jesus pregou este sermão, perguntas de Pedro prevendo a sua
quando Se encontrou pela última tríplice negação e continua a respos-
vez com seus discípulos, antes ta no início do capítulo seguinte.
da Sua morte. Como o sermão foi Depois que Jesus respondeu
pregado no cenário de um retiro, as perguntas de Pedro, os apósto-
nós o intitulamos de “O Último los Tomé, Filipe e Judas também
Retiro Cristão”. fizeram as suas perguntas e a res-
No início do Seu ministério posta de Jesus é a essência do ca-
de três anos, Jesus pregou outro pítulo 14 do Evangelho de João.

56 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Estou convencido de que Je- que não posso seguir-te agora?


sus, deliberadamente, provocou as Darei a minha vida por ti”.
perguntas, quando usou o trata- Aparentemente, Pedro perce-
mento carinhoso com eles, registra- beu que Jesus estava falando de
do no final do capítulo 13: “Meus Sua morte. Como já observamos,
filhinhos, vou estar com vocês os líderes religiosos estavam ma-
apenas mais um pouco. Vocês pro- nipulando as autoridades romanas
curarão por mim e, como eu disse num cerco contra Jesus e Seus
aos judeus, agora lhes digo: Para apóstolos. O perigo pairava sobre
onde eu vou, vocês não podem ir” eles e os apóstolos estavam as-
(13.33). A partir do versículo 31, sustados. Eles sabiam que talvez
do capítulo 13, até o versículo 31, tivessem que morrer com Jesus,
do capítulo 14, a cada cinco versí- principalmente porque Jesus havia
culos o texto trata do tema “ir e vir” dito que eles teriam que morrer e
Jesus veio a este mundo e agora serem enterrados como um grão
está voltando ao Pai. de trigo na terra (12.24).
Ao enfatizar repetidas vezes À declaração de Pedro, de
esse conceito, Jesus estava, inten- que estava disposto a morrer por
cionalmente, provocando na men- Jesus, Ele respondeu, dizendo:
te dos apóstolos as duas perguntas “Você dará a vida por mim? As-
de Pedro. Ele assim o fez, porque seguro-lhe que, antes que o galo
Suas respostas são a essência da cante, você me negará três vezes”
verdade, que Ele queria comparti- (13.38). Imagine como estas pa-
lhar com eles, naquele retiro. lavras foram como uma punhala-
Observe que ao dar esta res- da, no coração de Pedro.
posta para Pedro: “Para onde vou João não descreve nada sobre
vocês não me podem seguir ago- o tom de voz ou expressão de Je-
ra, mas me seguirão mais tarde”, sus ao falar aquelas palavras a Pe-
Jesus não estava exatamente res- dro, mas estou convencido, apesar
pondendo à pergunta do apósto- de não poder provar, de que na-
lo. Ele não disse exatamente para quela hora os olhos de Jesus esta-
onde estava indo. Ele simplesmen- vam cheios de amor por Pedro e o
te disse: “vocês não podem me Seu tom de voz era manso.
seguir agora”. Pedro, então, fez a Como as palavras de Jesus
segunda pergunta: “Senhor, por devem ter perturbado os outros

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 57


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

homens ao redor daquela mesa! bonitos do Evangelho de João, ou


A Bíblia conta que eles ficaram talvez de toda Bíblia: “Eu sou o
turbados em espírito, por isso as caminho, a verdade e a vida. Nin-
palavras seguintes de Jesus fo- guém vem ao Pai, a não ser por
ram: “Não se perturbe o cora- mim” (14.6).
ção de vocês. Creiam em Deus; Com esta resposta que deu a
creiam também em mim. Na casa Tomé, Jesus fez três declarações
de meu Pai há muitos aposentos; importantes: Ele é o Caminho, Ele
se não fosse assim, eu lhes teria é a Verdade e Ele é a Vida. Quando
dito. Vou preparar-lhes lugar. E, afirmou ser Ele o Caminho que os
se eu for e lhes preparar lugar, levaria ao lugar que estaria prepa-
voltarei e os levarei para mim, rando para eles, Jesus estava Se
para que vocês estejam onde eu referindo à Sua morte na cruz.
estiver. Vocês conhecem o cami- A cruz de nosso Senhor repre-
nho para onde vou” (14.1-4). senta muito mais que um bonito
Jesus disse “coração de vo- pingente para se usar no pescoço;
cês”, no plural, e, quando Ele ela representa o caminho da nossa
falou “creiam em Deus, creiam salvação e o caminho para o lugar
também em mim”, estava falando que Ele prometeu àqueles que cre-
com todos eles, declarando a Sua em em Deus e creem nEle como
Deidade, pois se colocou no mes- Salvador.
mo nível que Deus. A morte de Jesus na cruz repre-
“Vocês conhecem o caminho senta o seu ministério sacerdotal.
para onde vou”. Eu acredito que Um sacerdote é aquele que interce-
Jesus tenha dito isso para levantar de diante de Deus por outra pessoa
outra pergunta na mente deles. Ao e foi isso o que Jesus fez morrendo
dizer que eles sabiam para onde na cruz. Através do Seu sacrifício
Ele estava indo e de que maneira pelos nossos pecados, Jesus abriu o
iria, Tomé, o “apóstolo da dúvida”, caminho para você e para mim, pelo
mordeu a isca e reagiu com a per- qual chegaremos a um lugar celes-
gunta: “Senhor, não sabemos para tial, onde viveremos com Deus, por
onde vais; como então podemos toda a eternidade (Isaías 53.7; João
saber o caminho?” (14.5). 1.29; Hebreus 2.17; 9.11-28).
A resposta de Jesus a esta Jesus poderia ter cumpri-
pergunta é um dos versículos mais do Sua obra salvadora vindo ao

58 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mundo na Sexta-feira da Paixão a Palavra Viva que manifestou a


para morrer na cruz, mas Ele veio mensagem de Deus; a Palavra de
ao mundo e viveu aqui durante 33 Deus que viveu em carne, uma vida
anos, porque não veio apenas para perfeita. Deus quis que víssemos
morrer na cruz. como a verdade das páginas sagra-
Conforme já comentamos das pode operar e agir numa vida.
antes, o número de capítulos do Foi isto que Jesus quis dizer quan-
Evangelho de João dedicados à do declarou: “Eu sou a Verdade”.
última semana da vida de Jesus Ele é a Verdade em tudo o que fez
mostra que a Sua morte e ressur- e em tudo o que foi. Tal declaração
reição foram a parte essencial da com certeza inclui todas as vezes
Sua vida e de Seu ministério. En- que Ele abriu Sua boca e ensinou.
tão, por que Ele não veio na Sex- A terceira parte da declaração
ta-Feira da Paixão, quando morreu de Jesus é “Eu sou a Vida”, o que
na cruz? A resposta é que Ele tam- significa que Jesus viveu e ensinou
bém é a Verdade. como viver uma vida perfeita. Ele
Você se lembra do prólogo mostrou o que é a Vida Eterna, a
deste Evangelho? “Nele estava qualidade de vida sobre a qual João
a vida e a vida era a luz dos ho- fala do começo ao fim do seu Evan-
mens”. Ele era a Palavra, o veículo gelho. Esta declaração também sig-
do pensamento de Deus, que ma- nifica que Jesus veio revelar a “vida
nifestou tudo o que Deus pensa- mais que abundante” ao trazer a
va em relação ao homem e o que experiência do Novo Nascimento
pudesse ser compreendido por para aqueles com quem conversou
ele. Como Palavra, Ele estava com e ensinou (10.10).
Deus no princípio; Ele era Deus e As duas palavras mais im-
Se fez carne e habitou entre nós, portantes da declaração feita em
para que pudéssemos ver a Sua três partes são: “Eu Sou”. Quando
glória, cheio de graça e de verda- focalizamos a resposta de Jesus
de, (cf. 1.1-14). para Tomé, encontramos a mais
O povo de Deus já tinha a significativa declaração “Eu Sou”
verdade revelada através de Moi- no Evangelho de João. Jesus não
sés e dos profetas, mas Deus quis falou “Eu vim para pregar o ca-
que tivessem mais que as páginas minho para a salvação e ensinar
sagradas; Ele quis que tivessem algumas verdades sobre a vida”.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 59


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Não! A expressão mais importante De acordo com o prólogo,


da Sua declaração é “Eu Sou”: “Eu aqueles que respondem adequa-
Sou o Caminho para a salvação”, damente a Jesus recebem o poder
“Eu sou a Verdade que vocês estão de serem feitos filhos de Deus e
ouvindo e Eu sou a Vida que é a nascem novamente, “não pela
Luz dos homens”. vontade da carne nem pela von-
Devemos lembrar mais uma tade de algum homem” (1.13).
vez que, no prólogo do seu Evan- João declarou que Jesus era a
gelho, o apóstolo João destacou vida, o que significa que Ele deu
várias vezes que João Batista não ao homem poder para viver a mes-
era, mas que Jesus era. Sempre ma vida que Ele estava vivendo.
que João Batista aparece neste O estudo dos personagens do
Evangelho diz que ele não era, Velho Testamento revela um princí-
enquanto Jesus aparece repetidas pio que Deus usa quando quer en-
vezes afirmando “Eu Sou”. sinar uma verdade: “quando você
Uma das citações mais mar- quiser comunicar uma grande ideia,
cantes que João faz a respeito de vista esta ideia em alguém”. Por
Jesus são as declarações “Eu Sou” exemplo, quando Deus quis ensinar
que Jesus faz de Si próprio. Entre o conceito de fé, Ele vestiu esse con-
outras coisas essa afirmação signi- ceito em Abraão, da mesma forma
ficava que Ele era tudo o que ensi- que vestiu o conceito de graça em
nou. Ao declarar “Eu Sou a Vida”, Jacó e o conceito da Sua Providên-
Jesus estava dizendo que a vida cia na vida de José (Gênesis, capí-
que Ele viveu era um modelo que tulos 12 a 24; 25 a 32; 37 a 50).
Deus deseja para todo ser humano. Quando Deus quis transmitir
O significado principal da de- a ideia de vida eterna, mediante a
claração “Eu Sou a Vida” é encon- qualidade de vida que Ele plane-
trado no prólogo deste Evangelho. jou para você e para mim, Ele ves-
No livro anterior desta série de es- tiu este conceito na vida que Jesus
tudos do Evangelho de João, Ver- viveu durante 33 anos na terra.
sículo por Versículo, estudamos Em seu prólogo, João não apenas
qual foi o propósito de João ao declarou que a Palavra que se fez
escrever este livro. O prólogo fun- carne era a Luz, como também
ciona como uma lista do conteúdo anunciou que a graça e a verdade
descrito no Evangelho de João. vieram através de Jesus Cristo.

60 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Em outras palavras, Jesus que Ele diz que você pode fazer,
era a Vida e a Luz que Ele mes- porque Ele é e Ele está em você”.
mo nos veio dar; também era (e Estas são duas citações de
é) o único Caminho que devemos aplicações pessoais da terceira de-
seguir. Isso quer dizer que nós po- claração de Jesus: “Eu Sou a Vida”.
deremos experimentar e viver a
vida que nos faz autênticos filhos Só um Caminho
de Deus, através do Novo Nasci- Depois de declarar: “Eu sou o
mento, que é o veículo de trans- Caminho, a Verdade e a Vida”, Je-
formação que nos dá vida. sus não parou por aí. Ele fez outra
A empolgante aplicação pes- declaração dogmática: “Ninguém
soal e devocional desta verdade é vem ao Pai, a não ser por mim”.
que o Cristo Vivo e Ressuscitado é Por todo o Evangelho de João,
a Vida, e vida para hoje. O Evange- encontramos declarações dogmá-
lho de João não mostra apenas o ticas de Jesus. No terceiro capítu-
perfil de um personagem histórico lo, lemos que Jesus disse a Nico-
que viveu há quase dois mil anos, demos: “Eu sou o Filho Unigênito
mas um personagem que está vivo de Deus e como Filho Unigênito de
hoje, e pode estar vivo em você e Deus serei levantado numa cruz.
em mim. Eu sou a única Solução para o
Enquanto existem pessoas pecado deste mundo, o que quer
que questionam a existência de dizer que Eu sou o Único Salvador
um Jesus histórico, um verdadeiro de Deus, e é melhor você crer nis-
discípulo de Jesus escreveu: “Eu to; porque, se você crer em Mim,
creio que Ele é, enquanto eles não será salvo, mas, se você não crer,
sabem se Ele foi e, enquanto eles está condenado” (cf. 3.14-18).
não têm certeza do que Ele fez, eu Jesus foi dogmático, porque a
sei que Ele ainda faz”. verdade é sempre absoluta. Dois
Outro discípulo expressou a mais dois somam quatro e jamais
mesma aplicação devocional, da será diferente. Jesus estava afir-
seguinte maneira: “Jesus Cristo é mando que Ele era a personificação
tudo o que Ele diz que é e Ele faz da Verdade e que tudo o que Ele era
tudo que Ele diz que pode fazer. e declarava era verdade. Portanto,
Você é tudo o que Jesus diz que Ele só podia ser dogmático. Jesus
você é e você pode fazer tudo o tinha que desacreditar qualquer

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 61


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

outro tipo de salvação, porque Ele Basicamente, o que Filipe quis


disse a verdade, quando declarou dizer foi: “O Senhor está sempre
“Ninguém vem ao Pai senão por falando Pai, Pai, Pai. Mostra-nos
Mim”. Também por isso os após- o Pai e entenderemos porque Ele
tolos pregaram: “Não há salvação é tão importante para o Senhor e
em nenhum outro, pois, debaixo para nós”.
do céu não há nenhum outro nome A maneira como João regis-
dado aos homens pelo qual deva- trou a resposta de Jesus para Filipe
mos ser salvos” (Atos 4.12). revela uma declaração maravilho-
Vou repetir a conclusão de C. sa da deidade de Jesus. Enquanto
S. Lewis: “Depois de examinar as Lucas apresentou o Messias como
declarações dogmáticas de Jesus, um homem, que Se identificou
resta-nos três opções: concluir que com a nossa humanidade, o au-
Ele era um mentiroso, ser um pou- tor do quarto Evangelho apresen-
co menos agressivo e dizer que Ele ta Jesus como aquEle que é mais
foi um lunático ou nos prostrar- que um homem. O Jesus que João
mos com o rosto em terra, decla- quer que conheçamos é Deus. Vi-
rando que Ele é o nosso Senhor e mos como ele enfatizou isso nos
adorá-Lo”. capítulos 5 a 8, registrando todas
Jesus ainda faz outra decla- as declarações que Jesus fez.
ração, que desperta em Filipe o Assim como João destacou
desejo de formular outra pergunta: que Jesus era o Messias e o Filho
“Se vocês realmente me conhe- de Deus, ele também enfatizou a
cessem, conheceriam também o verdade, que Jesus era Deus em
meu Pai. Já agora vocês o conhe- forma humana (20:30,31). Quan-
cem e o têm visto. Disse Filipe: do Jesus diz a Filipe “Quem me vê,
Senhor, mostra-nos o Pai, e isso vê o Pai”, faz uma das declarações
nos basta. Jesus respondeu: Você mais claras e enfáticas de que Ele
não me conhece, Filipe, mesmo é Deus. Jesus ainda estava respon-
depois de eu ter estado com vo- dendo a pergunta de Filipe, quando
cês durante tanto tempo? Quem disse: “Você não me conhece, Fili-
me vê, vê o Pai” (7-9). pe, mesmo depois de eu ter estado
João registrou 124 referências com vocês durante tanto tempo?
de Jesus ao Pai, sendo 43 delas Quem me vê, vê o Pai. Como você
na Última Ceia com os apóstolos. pode dizer: Mostra-nos o Pai? Você

62 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

não crê que eu estou no Pai e que que Jesus lhes tinha ensinado e
o Pai está em mim? As palavras vivido. Depois disso, Jesus apre-
que eu lhes digo não são apenas sentou um conceito, o qual Ele vai
minhas. Ao contrário, o Pai, que reforçar no capítulo 15, com a me-
vive em mim, está realizando a sua táfora da videira e os ramos (15.1-
obra. Creiam em mim quando digo 16), embora já o tivesse ensinado,
que estou no Pai e que o Pai está quando disse “Eu e o Pai somos
em mim; ou pelo menos creiam um” (João 10.30).
por causa das mesmas obras. Di- Quando Jesus perguntou a Fi-
go-lhes a verdade: Aquele que crê lipe: “Você não crê que eu estou
em mim fará também as obras que no Pai e que o Pai está em mim?”,
tenho realizado. Fará coisas ainda desafiou a todos com base na ine-
maiores que estas, porque eu es- gável realidade das obras que eles
tou indo para o Pai. E eu farei o tinham testemunhado durante os
que vocês pedirem em meu nome, últimos três anos.
para que o Pai seja glorificado no Talvez, ao dizer “Eu e o Pai
Filho. O que vocês pedirem em somos um”, Jesus tenha unido as
meu nome, eu farei” (14.9-14). mãos, mostrando como Ele estava
Não esqueça que as pergun- em união com o Pai. Ele unido ao
tas de Pedro, Tomé, Filipe e Judas Pai e o Pai a Ele; Ele estava no
foram despertadas por afirmações Pai e o Pai estava nEle; os dois en-
que Jesus fez. Depois é a vez de trelaçados, e cada palavra que Je-
Judas questionar Jesus. A respos- sus falava fluía do relacionamento
ta de Jesus a Judas é encontrada dEle com o Pai.
no restante dos versículos deste Essencialmente, o que Jesus
capítulo. A maneira como Jesus estava dizendo era: “Durante três
responde às duas perguntas leva- anos, vocês ficaram fascinados
nos ao centro do diálogo que Ele com as palavras que ouviram de
teve com os apóstolos, naquele re- Mim e com as obras que Me viram
tiro que precedeu Sua prisão, mor- realizar. Vocês precisam entender
te e ressurreição. que tudo o que falei era a Palavra
O centro do diálogo da Última do Pai sendo falada na terra, atra-
Ceia gira em torno da dinâmica vés de Mim, e tudo o que fiz era
que eles deveriam ter, para alcan- a obra do Pai sendo feita na ter-
çar o mundo com o Evangelho, ra, através de Mim, porque somos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 63


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Um. Por isso, cada palavra que vo- O apóstolo Paulo afirmou, em
cês me ouvem falar e tudo o que Filipenses 2.7, que Jesus Se esva-
vocês me veem fazer, na verdade ziou de alguns dos Seus atributos
é um resultado da Minha unidade divinos como, por exemplo, a oni-
completa com o Pai”. presença, ou seja, a capacidade
O versículo 12 é um dos de estar em todos os lugares ao
maiores desafios do Novo Testa- mesmo tempo. Algum tempo de-
mento para nós: “Aquele que crê pois, seriam muitos os discípulos,
em mim fará também as obras aplicando a mesma dinâmica em
que tenho realizado. Fará coisas todo o mundo e ao mesmo tempo.
ainda maiores que estas, porque É impressionante pensar na
eu estou indo para o Pai”. repercussão da vida e do ministé-
Enquanto os apóstolos não rio de Jesus que, durante toda Sua
compreenderam o conceito de Je- existência terrena, viajou apenas
sus estar no Pai e o Pai estar nEle, algumas centenas de quilômetros
não puderam assimilar a realida- e não contou com rádio, televisão,
de gloriosa da Sua promessa, que computadores ou celulares.
aqueles que creem nEle falariam Jesus investiu três anos da
como Ele falava e fariam as obras Sua vida no treinamento dos após-
que Ele fazia. Com toda certeza, tolos e os desafiou naquele “Pri-
eles não compreenderam a pro- meiro Retiro Espiritual”. Foi depois
messa de Jesus, de que as obras do retiro que Ele os comissionou
maiores se referem à quantidade e para serem “apóstolos”, “os Cha-
não em qualidade. mados”, que hoje poderíamos de-
Mais adiante, no capítulo nominar “missionários”. O ensino
16, versículo 17, Jesus explica ministrado naquele retiro e regis-
que era melhor Ele partir e con- trado em três capítulos do Evange-
fiar Sua missão àqueles onze ho- lho de Mateus (5-7) é conhecido
mens. Eles iriam compreender como “O Sermão do Monte”.
que para experimentar essa dinâ- Os discípulos participaram
mica que Jesus estava começan- dos três anos de ministério de
do a ensinar e que, mais tarde, Jesus, ouviram o Seu ensino, vi-
Ele iria ilustrar com o episódio ram todos os Seus milagres, pre-
da videira, algumas coisas ainda senciaram o diálogo hostil que
precisavam acontecer. Ele teve com os fariseus e quase

64 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

todos os encontros que teve com dar a graça para que Sua comis-
muitas pessoas. são seja cumprida.
Conforme já aprendemos, Na resposta de Jesus a Filipe
quando alguns dos discípulos co- e a Judas, encontramos a descri-
nheceram Jesus, foram desafiados ção da dinâmica que alcançou o
pelo Senhor a ir e ver onde e como mundo para Ele. Quinhentos anos
Ele vivia. Na Grande Comissão depois de comissionar os apósto-
(Mateus 28.18-20), Jesus os cha- los, o Evangelho de Jesus Cristo já
mou para que fossem fazer discí- era conhecido e aceito em todo o
pulos e ensinar tudo que Ele tinha mundo romano.
ordenado, durante os três anos Como já observamos, no capí-
que estiveram com Ele, observan- tulo 16, Jesus diz o que seria ne-
do a Sua vida. cessário acontecer: “É necessário
Já ouvi o seguinte comentário que eu deixe este corpo, porque,
a respeito desse assunto: Jesus fez quando isto acontecer, onde quer
três coisas com aqueles homens: que estejam, Eu estarei em vocês
Ele os ensinou, enviou-os para que e vocês estarão em Mim, assim
tivessem experiência e os treinou. como agora Eu estou no Pai e o
Vamos ver, agora, na versão de Pai está em Mim. Portanto, onde
João, como Jesus comissionou os quer que vocês estejam, Eu tam-
apóstolos e os enviou para alcan- bém estarei”.
çarem o mundo para Ele. Jesus trabalha em você e
Quando João escreveu em através de você; quando você cai
seu prólogo que a graça e a verda- exausto na cama para dormir, do
de vieram através de Jesus Cristo, outro lado do mundo, irmãos e
ele quis dizer que a verdade veio irmãs que também andam com
através de Moisés e de Jesus, que Jesus e O servem estão se levan-
juntou a essa Verdade, que era tando e começando mais um dia
Ele próprio, a graça, a fim de que no andar com o Senhor e servi-Lo.
a Verdade fosse aplicada e vivi- Não existe um momento na face
da. Entre outras coisas, isto quer da terra em que Jesus não esteja
dizer que Deus jamais pretendeu sendo servido, em que Ele não es-
nos levar onde a Sua graça não teja Se manifestando na Sua Igreja
possa nos manter; que Jesus não e através dela. Este é um ensino
comissionaria ninguém sem lhe dinâmico e está ligado à promessa

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 65


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que Ele fez: “O que vocês pedirem Pai, e ele lhes dará outro Conse-
em meu nome, eu farei” (14.13). lheiro para estar com vocês para
Isto não quer dizer que po- sempre, o Espírito da verdade. O
demos ter tudo o que quisermos. mundo não pode recebê-lo, por-
Existem algumas condições para que não o vê nem o conhece. Mas
termos nossas orações atendi- vocês o conhecem, pois ele vive
das. Devemos pedir “em nome com vocês e estará em vocês. Não
de Jesus” ou de uma forma que os deixarei órfãos; voltarei para
traga glorificação para o Pai. Pe- vocês. Dentro de pouco tempo o
dir em nome de Jesus é pedir no mundo não me verá mais; vocês,
lugar dEle, perguntando: “O que porém, me verão. Porque eu vivo,
Jesus pediria?”. Paulo escreve vocês também viverão. Naquele
que, se amamos a Deus e somos dia compreenderão que estou em
chamados de acordo com o Seu meu Pai, vocês em mim, e eu em
propósito, então “todas as coi- vocês. Quem tem os meus man-
sas trabalham para o nosso bem” damentos e lhes obedece, este
(Romanos 8.28). Ao lermos estas é o que me ama. Aquele que me
palavras, devemos nos perguntar: ama será amado por meu Pai, e
“para o bem de quem? Nosso ou eu também o amarei e me revela-
de Deus?”. rei a ele” (14.15-21).
Na pequena carta de João, no A longa resposta de Jesus a
final do Novo Testamento, ele dá Filipe parece ter sido preparada
ênfase à condição que devemos para despertar outra pergunta de
cumprir, quando oramos. Deve- outro apóstolo chamado Judas,
mos pedir de acordo com a vonta- nome muito comum naquela épo-
de do Senhor (I João 5.14). Pedir ca. “Perguntou-lhe Judas, não o
em nome de Jesus significa pedir Iscariotes: Senhor, mas por que te
de acordo com a essência de Cris- revelarás a nós e não ao mundo?
to e com o que glorifica o Pai. En- E Jesus respondeu: Se alguém me
tão, podemos pedir qualquer coisa ama, obedecerá à minha palavra.
que seremos atendidos. Meu Pai o amará, nós viremos a
Jesus passa a mostrar a cha- ele e faremos morada nele. Aque-
ve para esta dinâmica: “Se vocês le que não me ama não obedece
me amam, obedecerão aos meus às minhas palavras. Estas pala-
mandamentos. E eu pedirei ao vras que vocês estão ouvindo não

66 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

são minhas; são de meu Pai que “Apenas quem crê obedece e ape-
me enviou” (22-24). nas quem obedece crê”.
A pergunta de Judas foi boa e Jesus também estava ensi-
prática. Jesus estava dizendo que nando que é através da obediên-
ia morrer, quando anunciou que cia que um discípulo verdadeiro
ia partir para um lugar onde eles mostra que realmente O ama: “Se
não podiam ir. Jesus também dis- vocês realmente Me amam, de-
se que, depois que Ele fosse para monstrarão e validarão o seu amor
esse lugar, eles estariam mais per- por Mim obedecendo aos Meus
to dEle. Judas queria saber como mandamentos” (15,21).
eles poderiam ter um relaciona- Jesus respondeu a Judas a
mento tão íntimo com Jesus, en- mesma coisa que respondeu a
quanto os incrédulos não teriam a Filipe (9-16), relacionando a obe-
menor ideia desse relacionamento diência aos Seus mandamentos e
com o Senhor. à Sua promessa: “Mas o Conse-
Jesus responde a pergunta lheiro, o Espírito Santo, que o Pai
de Judas repetindo o que disse a enviará em meu nome, lhes en-
Filipe: “Se vocês me amam, obe- sinará todas as coisas e lhes fará
decerão aos meus mandamentos” lembrar tudo o que eu lhes disse”
(15). Ao responder as perguntas (26). Essencialmente, o que Jesus
de Filipe e Judas, Jesus também estava dizendo a Filipe era: “Faça
responde “O que é fé?” e ensina a sua parte e Eu farei a Minha”.
que fé é sinônimo de obediência. Com relação a Judas, Jesus adver-
Tiago, o irmão de sangue de tiu: “Observe o mesmo princípio, a
Jesus, concorda com Ele ao es- obediência, que leva a um relacio-
crever que não existe “apenas fé”, namento com o Pai, com o Filho e
sem evidências que a validem. De com o Espírito Santo”.
acordo com Tiago, a fé sempre es- Temos sempre a tendência de
tará acompanhada e validada por achar que quando Deus quer fa-
obras ou obediência (Tiago 2.14- zer alguma coisa em nossas vidas
26). A ideia principal do que Tia- é como se fôssemos uma moeda
go disse é que “a fé isolada pode com os seus dois lados: a parte de
salvar, mas a fé nunca vem sozi- Deus e a nossa parte, para que as
nha”. Um pastor alemão chama- coisas aconteçam. Considerando
do Dietrich Bonhoeffer escreveu: as respostas de Jesus a Filipe e a

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 67


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Judas, podemos concluir que exis- amam, obedeçam aos meus man-
te a parte de Deus e a parte do damentos” (14.15).
homem no Novo Nascimento. Jesus dá o Espírito Santo
Será que cabe ao homem al- àqueles que O amam, demonstram
gum milagre no Novo Nascimen- e validam o amor pela obediência.
to? De acordo com Jesus e com No Dia de Pentecostes, quando
Tiago, definitivamente o nosso pa- todos aqueles sinais e maravilhas
pel no Novo Nascimento é “crer”. aconteceram, Pedro pregou que o
Nossa parte no Novo Nascimento Cristo Vivo e Ressuscitado estava
é ter fé, e fé autêntica. derramando o Espírito Santo sobre
Quando Jesus disse a Nico- os que Lhe obedecem (Atos 5.32).
demos que temos que nascer de O pré-requisito para Cristo lhe dar
novo, o destacado mestre da Lei o Espírito Santo com poder é a
perguntou duas vezes: “como?” e obediência.
Jesus respondeu com uma pala- Quando Jesus apresentou aos
vra: “crendo”. Nós cremos e Deus apóstolos o princípio para a vinda
faz a parte dEle no Novo Nasci- do Espírito Santo, deixou bem cla-
mento. A parte de Deus é miste- ro que a obediência é a chave para
riosa como o vento. Quando estu- recebê-Lo e ter um relacionamen-
damos o capítulo 3, aprendemos to com Ele. Portanto, não devemos
que não precisamos entender a nos surpreender com as palavras
parte de Deus no Novo Nasci- de Pedro, quando ele afirma que
mento, assim como não precisa- o Espírito Santo foi dado àqueles
mos entender os procedimentos que Lhe obedecem.
de um parto, quando nascemos De acordo com os primeiros
fisicamente. A única coisa que capítulos do Livro de Atos, o Es-
precisamos entender é que a nos- pírito Santo foi dado para revestir
sa parte é crer. os discípulos de poder, a fim de
De acordo com o ensino que obedecerem a Grande Comissão.
Jesus ministrou aos apóstolos, Quando Jesus comissionou Seus
quando anunciou a vinda do Es- seguidores, disse que eles não de-
pírito Santo, a palavra chave que veriam fazer nada até que recebes-
abre as portas para o ministério sem o poder do alto, o que acon-
do Espírito Santo em nossas vidas teceu no Dia de Pentecostes (Atos
é a “obediência”. “Se vocês me 1.8; 2.1,4; 5.32).

68 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

O Espírito Santo não foi derra- neste corpo, durante os últimos


mado apenas para que eles tives- 33 anos”.
sem uma experiência de alegria. Um estudo profundo da res-
O Espírito Santo foi dado para ca- posta de Jesus à pergunta de Judas
pacitar os crentes a obedecerem mostrará a dinâmica que nos leva
aos mandamentos de Jesus Cristo, a ter uma intimidade com Cris-
e principalmente para implemen- to, através do Espírito Santo, cuja
tarem a Grande Comissão. essência é: “Se alguém Me ama,
Jesus também disse aos Seus obedecerá ao Meu ensino. E quan-
discípulos, na Última Ceia, que man- do obedecer ao Meu ensino, Meu
daria o Espírito Santo, porque não Pai o amará e nós viremos e fare-
queria deixá-los órfãos, e fez uma mos nele morada. Aquele que não
promessa de difícil entendimento. Me ama não obedece ao Meu ensi-
Resumindo os versículos que no e Nós não estabeleceremos um
registram a resposta de Jesus à relacionamento com ele” (23,24).
pergunta de Judas, concluímos que Jesus sela esta resposta com a
Deus existe em três Pessoas e cada seguinte afirmação: “Essas palavras
uma dessas Pessoas é Deus. São que vocês estão ouvindo de Mim
mencionadas aqui as três Pessoas não são Minhas; elas pertencem ao
da Trindade: Deus Pai, Jesus Filho Pai que Me enviou... O Consolador,
e o Espírito Santo, todos habitando o Espírito Santo, que o Pai enviará
em você e em mim, quando obede- em Meu nome, ensinará tudo a vo-
cemos às palavras de Jesus. cês e os fará lembrar de tudo o que
A essência do que Jesus está Eu lhes disse” (24,26).
dizendo no capítulo 14 de João é: Jesus resume a resposta
“Eu vou partir, mas depois que Eu que deu às cinco perguntas dos
voltar para o Pai, após eu fazer o apóstolos, dizendo: “Deixo-lhes a
que é necessário, assim que Eu paz; a minha paz lhes dou. Não
deixar este corpo terreno, vocês a dou como o mundo a dá. Não
e Eu teremos um relacionamento se perturbe o seu coração, nem
mais íntimo que temos agora. Eu tenham medo. Vocês me ouviram
Me revelarei a vocês e, porque Eu dizer: Vou, mas volto para vocês.
vivo, vocês também viverão. Esta- Se vocês me amassem, ficariam
remos mais próximos que jamais contentes, porque vou para o Pai,
estivemos, enquanto eu habitei pois o Pai é maior que eu. Isso eu

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 69


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

lhes digo agora, antes que acon- quente e não morreu. Ele foi exilado
teça, para que, quando acontecer, na Ilha de Patmos, de onde escapou
vocês creiam” (27-29). e, quando já estava bem idoso, al-
Estas palavras de paz e con- gumas décadas depois de os Evan-
solo são seguidas por algumas gelhos sinópticos de Mateus, Mar-
realidades duras: “Já não lhes fa- cos e Lucas terem sido escritos, ele
larei muito, pois o príncipe deste escreveu este Evangelho. Os outros
mundo está vindo. Ele não tem dez apóstolos que ouviram as consi-
nenhum direito sobre mim. Toda- derações de Jesus morreram como
via é preciso que o mundo saiba mártires. Provavelmente, quando
que eu amo o Pai e que faço o que Jesus pronunciou aquelas palavras,
meu Pai me ordenou. Levantem- eles creram que tal sucederia.
se, vamo-nos daqui” (30,31). Depois que Jesus respondeu
Jesus ensinou verdades pro- as perguntas, pronunciou uma fra-
fundas nas respostas dadas aos se que pode trazer muito consolo
apóstolos. Pela segunda vez, Jesus para aqueles que tenham perdi-
os conforta, dizendo que eles não do alguém querido, que viveu em
deveriam se perturbar. Devemos Cristo e O serviu. Já li este versí-
lembrar que aqueles homens esta- culo várias vezes em velórios de
vam aterrorizados, porque sabiam servos do Senhor: “Se vocês me
que os judeus estavam tentando amassem, ficariam contentes
convencer os romanos a condena- porque vou para o Pai” (14.28).
rem Jesus à morte. Tudo o que Je-
sus havia dito os fez acreditar que O Sermão fúnebre de Jesus
eles iam morrer com Ele. Lemos, Resumindo este capítulo, pode-
no capítulo 12, que Jesus disse que mos dizer que Jesus sabia que Sua
eles iam cair no chão e serem en- morte era iminente e resolveu pre-
terrados como uma semente, para gar o Seu próprio sermão fúnebre.
que frutificassem. Era isso o que Hoje, com todos os aparatos
Ele esperava daqueles que se con- eletrônicos, acho que os pastores
sideravam Seus discípulos. No fim, podiam deixar o seu sermão fúne-
todos, com exceção de um, segui- bre preparado para ser exibido para
ram o Senhor e foram martirizados. toda igreja no dia do seu velório.
A tradição conta que o autor Nesta mensagem, Jesus fa-
deste Evangelho foi jogado no óleo lou: “Não se perturbem em seus

70 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

corações, porque para onde eu perturbados, porque o “Conselhei-


estou indo existe um lugar. Eu vou ro” estaria com eles.
preparar lugar para vocês, depois O terceiro ponto desse sermão
voltarei e os levarei para viverem fúnebre é “Não se perturbem em
nesse lugar Comigo para sempre”. seus corações, porque existe uma
A frase de Jesus anunciando que Paz”. O discípulo que crê em Deus
na Casa de Seu Pai há muitas e em Jesus tem um otimismo ines-
moradas pode ser assim parafra- gotável, uma esperança de que
seada: “Existem muitos lugares no existe um lugar e que ele vai estar
universo”. O céu é um lugar e nós, com o Senhor para sempre nesse
crentes em Jesus, vamos viver lá lugar. Eles creem na promessa de
com o Senhor para sempre. Como Jesus que existe Alguém, o Espíri-
acreditamos que esse lugar existe, to Santo, o Conselheiro, o Conso-
não deveríamos deixar nossos co- lador, que vai estar ao lado deles
rações se perturbarem. para ajudá-los e confortá-los. Nos
O segundo ponto do sermão versículos citados, Jesus afirma
fúnebre de Jesus é: “Não se per- que aqueles que acreditam nesse
turbem em seus corações porque lugar e nessa Pessoa já vivem a
Eu enviarei o Espírito Santo”, o paz que Ele prometeu deixar para
Paracleto. Ele seria a grande fon- cada um deles (27).
te de conforto que Jesus prometeu Quando eles creem em Jesus e
àqueles homens durante a Última experimentam um relacionamento
Ceia. A palavra grega “Paracleto” com o Espírito Santo, vivem o que
foi traduzida para “Consolador” ou o apóstolo Paulo chamou de “a
“Conselheiro” e significa “aquele paz de Deus, que excede todo o
que anda ao lado e nos ajuda, nos entendimento” (Filipenses 4.6-9).
assiste em tudo que necessitamos”. Também podemos dizer que essa
No capítulo 16, Jesus fala é “a paz que não faz muito sen-
mais sobre o Espírito Santo e O tido”, porque é a paz que Cristo
denomina “Conselheiro”. Esta é dá e que é descrita como fruto do
a segunda razão porque os Seus Espírito Santo (Gálatas 5.22,23).
discípulos não deveriam se per- Poucos acreditam nessa paz que
turbar em seus corações. Mesmo Jesus dá aos Seus discípulos, atra-
sabendo que Jesus ia morrer e os vés do Espírito Santo, em circuns-
deixaria, eles não deveriam ficar tâncias tão adversas.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 71


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Com exceção de João, todos os e com outras pessoas, enfim, Jesus


apóstolos morreram como mártires, ensinou o oposto da frágil e enga-
de maneiras indescritíveis, mas sa- nosa paz que há no mundo.
bemos que eles morreram com a Antes de encerrar aquele retiro,
paz que Jesus lhes prometeu du- Jesus adverte que eles haviam de
rante a Última Ceia. Ao fazer essa passar por tribulações neste mun-
promessa, Jesus não estava falan- do, mas, como Ele venceu o mun-
do da paz do mundo. Ele nos pro- do, eles poderiam superar os sofri-
meteu dar a paz que toda a huma- mentos que passariam por causa
nidade deseja, que é a paz interior da sua fé (16.33; I João 5.4).

72 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 8
“Uma Metáfora Magnífica” (João 15.1-16)

As últimas palavras do capí- Jesus descreve três níveis da


tulo 14 do Evangelho de João in- frutificação: nenhuma frutificação,
dicam que Jesus e Seus apóstolos alguma frutificação e muita frutifica-
estavam deixando o Cenáculo, o ção. Existem quatros símbolos muito
lugar onde ocorreu a Última Ceia. profundos nesta metáfora: a videira,
Eles foram para um jardim, os ramos, o fruto e o agricultor.
onde Jesus usou uma metáfora para Jesus é a videira; os apóstolos
ilustrar e aplicar a essência do que os ramos; o fruto é o milagre da
Ele tinha acabado de ensinar. Até pregação da Palavra e o agricultor
agora, a essência de tudo o que Je- que é Deus.
sus tinha dito era que a Palavra de Existem duas proposições cla-
Deus tinha sido anunciada e a obra ramente enfocadas nesta metáfo-
de Deus fora realizada, através de ra: sem Jesus, os apóstolos e Seus
Jesus, porque Ele e o Pai são um. discípulos não conseguem fazer
Tudo o que eles tinham ouvido nada, ao mesmo tempo em que,
e visto Jesus fazer era uma con- sem eles, Jesus não quer fazer
sequência da gloriosa realidade nada. O fruto não cresce na videi-
do perfeito alinhamento em que ra; ela é a fornecedora de energia
Ele vivia com o Pai. Agora Jesus para os ramos, onde nascem os
apresenta aos apóstolos uma das frutos. Nesta metáfora, Jesus é a
metáforas mais simples e profun- Videira à procura de ramos.
das que eles tiveram oportunida- Quando Jesus ensinou, in-
de de ouvir. Ele puxa o galho de terpretou e aplicou esta metáfo-
uma vinha carregado de frutos e, ra, apresentou oito razões por-
então, lhes diz: “Assim como estes que devemos ser frutíferos. Leia
ramos estão produzindo frutos em os dezesseis primeiros versículos
abundância, porque estão ligados do capítulo 15 de João e procure
à videira, se vocês estiverem em identificar essas oito razões.
alinhamento Comigo ou ligados a “Eu sou a videira verdadei-
Mim, também serão frutíferos”. ra, e meu Pai é o agricultor. Todo

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 73


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ramo, que estando em mim, não palavras para que a minha ale-
dá fruto, ele corta; e todo que dá gria esteja em vocês e a alegria
fruto ele poda, para que dê mais de vocês seja completa. O meu
fruto ainda. Vocês já estão lim- mandamento é este: Amem-se
pos, pela palavra que lhes tenho uns aos outros como eu os amei.
falado. Permaneçam em mim, e Ninguém tem maior amor do que
eu permanecerei em vocês. Ne- aquele que dá a sua vida pelos
nhum ramo pode dar fruto por si seus amigos. Vocês serão meus
mesmo, se não permanecer na amigos, se fizerem o que eu lhes
videira. Vocês também não po- ordeno. Já não os chamo servos,
dem dar fruto, se não permane- porque o servo não sabe o que o
cerem em mim. Eu sou a videira; seu senhor faz. Em vez disso, eu
vocês são os ramos. Se alguém os tenho chamado amigos, por-
permanecer em mim e eu nele, que tudo o que ouvi de meu Pai
esse dará muito fruto; pois sem eu lhes tornei conhecido. Vocês
mim vocês não podem fazer coi- não me escolheram, mas eu os
sa alguma. Se alguém não per- escolhi para irem e darem fruto,
manecer em mim, será como o fruto que permaneça, a fim de
ramo que é jogado fora e seca. que o Pai lhes conceda o que pe-
Tais ramos são apanhados, lan- direm em meu nome.” (15.1-16).
çados ao fogo e queimados. Se Os três anos que os apóstolos
vocês permanecerem em mim, passaram com Jesus foram como
e as minhas palavras permane- um tipo de seminário para eles. O
cerem em vocês, pedirão o que chamado “Último Retiro Cristão”
quiserem, e lhes será concedi- poderia ser considerado como a
do. Meu Pai é glorificado pelo cerimônia de formatura, e esta
fato de vocês darem muito fruto; parte do sermão, o discurso de-
e assim serão meus discípulos. dicado aos formandos. Esta men-
Como o Pai me amou, assim eu sagem de formatura é um desafio
os amei; permaneçam no meu para eles e apresenta oito razões
amor. Se vocês obedecerem aos porque eles devem ser frutíferos!
meus mandamentos, permane-
cerão no meu amor, assim como Primeira razão
tenho obedecido aos mandamen- A primeira coisa que Jesus
tos de meu Pai e em seu amor diz é que eles devem ser frutífe-
permaneço. Tenho lhes dito estas ros, porque é impossível haver um

74 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

discípulo dEle que não seja frutí- É inimaginável que um discípulo de


fero (2,6). Se algum ramo ligado Jesus Cristo não produza frutos.
a Jesus não der fruto, o Pai corta
esse ramo e o joga fora, ficando Segunda razão
no chão até ser colhido e atirado Ainda no versículo 8, Jesus
no fogo. Na verdade, Jesus está declarou a segunda razão porque
dizendo: “É inaceitável para Meu aqueles homens, nos quais Ele
Pai, o Agricultor, que um ramo em havia investido tanto, deveriam
Mim não dê fruto”. ser frutíferos: “Meu Pai é glori-
Suas últimas palavras para ficado pelo fato de vocês darem
aqueles homens que Ele treinou muito fruto”. De que maneira Je-
durante três anos revelam a pri- sus glorificou o Pai? A resposta a
meira razão porque eles devem esta pergunta está nesta oração de
ser frutíferos: “e assim serão Jesus: “Eu te glorifiquei na terra,
meus discípulos” (8). Isto quer completando a obra que me des-
dizer que não existe discípulo de te para fazer” (17.4). Como os
Jesus infrutífero. Esse é um dos apóstolos iriam glorificar a Deus?
exemplos retirados do livro “As Terminando a obra que Jesus lhes
Palavras Duras de Jesus”. Às tinha dado para fazer. Devemos
vezes, quando estou estudando ser frutíferos, porque, assim, glo-
algum sermão de Jesus, eu me rificamos a Deus.
pego pensando: “Não, Ele não fa-
lou isso”. Esta foi uma das vezes. Terceira e quarta razões
Há quase vinte séculos a His- No versículo 11, Jesus apre-
tória foi dividida entre “antes e de- sentou duas razões porque aque-
pois de Cristo”. Para um homem les Seus discípulos e nós também
ter vivido apenas trinta e três anos devemos ser frutíferos: “Tenho
e ter marcado a História de tal for- lhes dito estas palavras para que
ma é porque foi grande o impacto a minha alegria esteja em vocês
que Ele causou no mundo. Pode- e a alegria de vocês seja comple-
ríamos dizer a mesma coisa com ta”. Você já parou para pensar
estas palavras: a vida de Jesus que cada um de nós pode encher
foi muito frutífera, por isso, todo o coração do Senhor Jesus Cristo
aquele que se declara Seu discípu- de alegria? Quando frutificamos,
lo deve mostrar a validade da sua enchemos o Seu coração de ale-
declaração sendo também frutífero. gria. De acordo com o discurso de

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 75


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

formatura de Jesus, esta é a ter- e sobre outras não, mas não é isso
ceira razão porque os apóstolos o que as Escrituras ensinam”. De
devem ser frutíferos. acordo com o ensino de Jesus,
A quarta razão para ser frutífe- uma das causas da nossa alegria
ro é: “e a alegria de vocês seja com- é a frutificação. Paulo escreveu:
pleta”. Assim como a paz de Deus, “Cada um examine os próprios
a Sua alegria é condicional. Você já atos e, então, poderá orgulhar-se
parou para pensar o que a Bíblia de si mesmo, sem se comparar
ensina sobre as condições para que com ninguém” (Gálatas 6.4).
tenhamos a alegria do Senhor? A No início do meu ministério
alegria do Senhor faz parte do fru- eu era pastor assistente, quando
to do Espírito (Gálatas 5.22,23). o primeiro pastor da igreja onde
Um dos meus escritores preferidos eu estava trabalhando, que me
lembra que “a dor e o sofrimento tutelou e me ministrou em Cristo,
são inevitáveis, mas a miséria e o indicou-me para uma igreja em
desespero, opcionais” para o crente outra cidade. Eu não queria deixar
cheio do Espírito, porque o Espírito a equipe pastoral da igreja sede
Santo pode dar alegria, mesmo no para começar uma igreja nova,
meio da adversidade. pois estava usufruindo o milagre,
Essa alegria poderia ser cha- com o qual Deus estava abençoan-
mada “alegria que não faz sen- do aquele homem com um minis-
tido”. A paz e a alegria citadas tério tão frutífero, até que ele me
nesses versículos poderiam ser explicou que eu teria alegria ainda
chamadas de “paz, apesar de” e maior, se provasse que Deus pode-
“alegria, apesar de”. Podemos ex- ria fazer o meu ministério frutífero,
perimentar a paz e a alegria que citando esse versículo de Gálatas e
Jesus prometeu, independente- o aplicando ao meu chamado.
mente das circunstâncias, porque Depois de treze anos, quando o
elas não vêm de nós. A alegria e a Cristo Vivo e Ressuscitado me aben-
paz vêm do Espírito Santo ou do çoou com um ministério frutífero
Cristo Ressuscitado, que vive em naquela igreja nova, eu fiquei grato
nossos corações. ao meu pastor. Ele sabia que o meu
Outro escritor de quem eu chamado traria alegria para o meu
gosto muito escreveu: “Algumas Senhor e para mim. Eu não quero
pessoas imaginam que a alegria dizer que esse processo necessa-
despenca do céu e cai sobre elas riamente deva durar treze anos. Eu

76 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

quero dizer que esse é o tipo de ale- grega foi usada apenas três vezes
gria que Jesus está descrevendo e no Novo Testamento e significa
prescrevendo, quando diz: “Tenho ser estrategicamente posiciona-
lhes dito estas palavras para que a do, como uma candeia colocada
minha alegria esteja em vocês e a em um lugar onde ilumina todos,
alegria de vocês seja completa”. conforme a ilustração que Jesus
usou no Sermão do Monte (Ma-
Quinta razão teus 5.14-16). No versículo 16,
A quinta razão porque os Jesus está dizendo: “Eu os esco-
apóstolos deveriam ser frutíferos lhi e os posicionei em um ponto
está no versículo 16: “Vocês não estratégico, como uma candeia
me escolheram, mas eu os esco- neste mundo escuro, para que vo-
lhi para irem e darem fruto, fruto cês frutifiquem. Vocês têm que ser
que permaneça, a fim de que o frutíferos, porque Eu os escolhi”.
Pai lhes conceda o que pedirem
em meu nome”. Sexta razão
Aqueles homens tinham esco- A sexta razão porque os após-
lhido seguir Jesus. Eles, delibera- tolos devem ser frutíferos é porque
damente, fizeram escolhas e assu- já experimentaram o amor de Je-
miram compromissos com Jesus. sus Cristo; agora o Senhor quer que
Aqueles que eram pescadores não eles compartilhem esse amor com
O seguiram carregando suas re- o mundo “Como o Pai me amou,
des nas costas, mas abandonaram assim eu os amei; permaneçam no
seus barcos e o negócio de pesca- meu amor. Se vocês obedecerem
ria que tinham. Dá para imaginar aos meus mandamentos, perma-
o que passou pelas suas cabeças, necerão no meu amor, assim como
quando Jesus disse: “Vocês não tenho obedecido aos mandamen-
me escolheram, mas eu os esco- tos de meu Pai e em seu amor
lhi para irem e darem fruto, fruto permaneço” (9,10). Jesus estava
que permaneça, a fim de que o repetindo o Novo Mandamento re-
Pai lhes conceda o que pedirem gistrado em João 13.34,35.
em meu nome?” (15.16). Quando Jesus ora pelos após-
A expressão “eu os escolhi tolos e por aqueles que viriam a
para irem” tem o mesmo sentido crer nEle, pede que eles vivam de
de “eu os ordenei” para pastor, uma forma que o mundo saiba e
por exemplo. A palavra original creia que Deus amou o mundo de

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 77


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

tal maneira que deu o Seu Filho igualmente voltados para si mes-
Unigênito para a salvação dele. mos, sem condições de absorve-
Depois, Jesus pede que, através rem este ensino. Precisamos aten-
do amor dos Seus discípulos, o der o desafio de Jesus, de que não
mundo conheça que Deus os ama há maior amor que entregar sua
tanto quanto ama Seu único Filho própria vida em favor de outros, co-
(3.16; 17.22,23). meçando pelos da nossa casa.
Durante três anos, aqueles ho-
mens experimentaram o amor de Sétima razão
Jesus, mas o mundo perdido não o A sétima razão porque eles
fez. Por isso, Jesus diz aos apósto- devem ser frutíferos é por cau-
los que eles deveriam compartilhar sa do Agricultor, o Deus Pai, que
Seu amor com o mundo todo. Essa está determinado a vê-los frutifi-
comissão de amor é outra razão car. Leia com atenção João 15.2 e
porque aqueles que conhecem o observe comigo: quando nosso Pai
amor de Jesus devem ser frutíferos. do Céu encontra um ramo frutífe-
No contexto deste ensino, ro na Sua Videira, Ele o poda para
Jesus declara que não há maior que dê mais frutos.
amor no mundo que o amor de Muitos anos atrás, um casal
uma pessoa que entrega sua vida amigo me ajudou a compreender
em favor de outras (15.13). esta metáfora tão profunda de Je-
Nas inspiradas cartas do Novo sus. Eles me falaram acerca da
Testamento, este ensino é aplicado decisão que haviam tomado de
aos maridos, para que eles amem se aposentarem dos negócios em
suas esposas como Cristo ama a uma grande empresa e compra-
Sua Igreja e se entregou pela sal- rem algumas videiras no norte do
vação dela. As mulheres são ins- estado da Califórnia, nos Estados
truídas a completarem os seus Unidos. Como não sabiam cuidar
maridos, entregarem suas vidas de uma vinha, eles contrataram
pelos seus maridos e filhos, a não um vinhateiro experiente, para
viverem voltadas para si mesmas, mostrar o que eles deveriam fazer.
mas terem outras pessoas no cen- A primeira coisa que o agricultor
tro de suas vidas (Efésios 5.23- lhes disse foi que eles caminhassem
25; I Pedro 3.1-5). por toda a videira, cortando todos
Vivendo neste mundo “egocên- os ramos que não tinham produzido
trico”, homens e mulheres estão frutos, durante a época frutífera.

78 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Depois de fazer isso, eles fi- nos anos 70, e viu os frutos que
caram satisfeitos ao verem os no- eu estava produzindo. Eu estava
vos ramos brotarem, porém o vi- em alinhamento com Ele e esta-
nhateiro disse: “Estas são raízes va produzindo frutos para Ele, po-
parasitas; vocês precisam passar rém, Ele não estava satisfeito com
novamente pela videira, cortando a qualidade ou com a quantidade
todos estes ramos, porque vocês dos frutos que estava recebendo
jamais terão frutos de qualidade da minha vida, por isso disse: “Eu
e em quantidade, se não cortarem vou dar uma podada nele para que
os brotos parasitas. Tais ramos su- ele dê mais frutos”.
gam toda seiva das videiras, impe- No início dos anos 80, eu co-
dindo que venham os frutos que mecei a ficar paralisado por causa
esperamos delas”. de uma doença incurável. No final
Meus amigos ficaram anima- da década de 80, eu estava total-
dos, quando começaram a apa- mente paralisado, e há anos estou
recer os primeiros cachos de uva; tetraplégico. Quando as pessoas
entretanto, pela terceira vez, o me veem, dizem: “Meu Deus, que
velho vinhateiro disse: “Vocês vão provação!”. Eu, no entanto, digo
passar de novo pela videira, cor- que este é o tratamento de um
tando fora as uvas verdes, para Pai Amoroso, que me ama demais
que a colheita de vocês seja de para me ver correndo de um lado
qualidade e farta”. para outro, ocupado com milhões
Aquele casal me disse que, de coisas, frutífero, mas não da
pela primeira vez, eles entende- maneira que Ele quer.
ram esse texto tão importante da Desde 1980, estou envolvido
Bíblia. Jesus ensinou que quando no ministério mais frutífero de toda
o Pai, o Agricultor, encontra um a minha vida. Eu jamais seria tão
ramo com fruto na Videira, Ele o frutífero em meu ministério com
poda, porque quer ver mais frutos um corpo sadio; por esta razão,
produzidos naquele ramo. eu amo o Agricultor Divino que me
A experiência daquele casal podou. Desta maneira, não perdi a
me ajudou a aplicar esta metáfora grande oportunidade de dar fruto,
de Jesus a situações que eu estava o fruto que Jesus espera, “o fruto
enfrentando em minha vida e em que permanece” (16).
meu ministério. Acho que o Se- A sétima razão para que os
nhor olhou para o meu ministério, discípulos de Jesus dêem frutos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 79


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

é que o Pai do Céu está determi- mundo?”. O Senhor responde: “Eu


nado a que eles frutifiquem. Em não tenho outro plano”.
Seu amor, há momentos em que
Ele nos poda, para que aumente a Resumo
qualidade e a quantidade do fruto O plano de Deus é colocar o
da nossa vida. Seu poder no Seu povo, para atingir
os Seus propósitos, através do Seu
Oitava razão povo, de acordo com o Seu plano.
A oitava e última razão porque Este é o espírito desta primeira
os apóstolos devem ser frutíferos exortação que eu estou apresen-
encontra-se na primeira frase des- tando por último, a fim de deixá-la
te ensino. Eu não organizei as ra- bem enfatizada. Nesta linda metá-
zões em ordem de aparição no tex- fora, Jesus é a Videira à procura de
to, e estou me referindo à primeira ramos. O fruto não cresce na videi-
razão por último, porque creio que ra, mas nos ramos. Esta é uma re-
esta seja a mais importante. Es- velação profunda e verdadeira.
sencialmente, Jesus desafiou os Se eu estivesse com Deus,
Seus apóstolos a serem frutíferos, quando Ele estabeleceu as coisas,
porque não há outra forma de al- teria aconselhado o Senhor a mu-
cançar o mundo com o Seu Evan- dar esse plano, porque a natureza
gelho de salvação. humana é muito fraca. Você acha
Existe um poema que fala do que Deus sabia da fraqueza da car-
encontro de Jesus com anjos, de- ne quando tomou essa decisão? A
pois da Sua Ascensão, os quais Lhe palavra “carne” é usada na Bíblia
perguntam sobre os Seus 33 anos significando “a natureza humana
na terra e, principalmente, sobre a sem o cuidado de Deus”. Por que
Sua vitória na cruz, validada pela o Deus Todo Poderoso arquitetou
Sua ressurreição. Um dos anjos um plano que limitou a propaga-
pergunta a Jesus sobre a Grande ção do Evangelho à fraqueza do
Comissão e a obra de evangelis- ser humano só Ele mesmo sabe.
mo no mundo, e Jesus responde Jesus tem algumas respostas
que comissionou esta tarefa a para essa pergunta. Uma das ra-
onze apóstolos e a 500 discípulos, zões porque Deus usa os ramos
aproximadamente. O anjo, então, humanos para produzir o fruto
pergunta: “O que vai acontecer, se que permanece é porque, quando
eles não conseguirem alcançar o a vida e o poder de Deus fluem

80 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

através dos ramos humanos e eles do capítulo 15, quero fazer mais
frutificam, Deus é glorificado e os uma observação: alguns estudiosos
ramos se enchem de alegria. Po- do Velho Testamento acreditam que
rém, a resposta mais importante Jesus usou esta metáfora com base
para essa pergunta é que Deus e na pregação do profeta Isaías (Isaí-
o Cristo Vivo e Ressuscitado não as 5.1-7). Os profetas se referem a
têm outro plano. Israel como a videira, e uma videira
Vamos ver como Jesus usa a que não é frutífera. De acordo com
metáfora da videira e dos ramos o profeta, a vinha infrutífera é uma
para ilustrar e aplicar os conceitos figura da perversidade e displicên-
do Sermão da Última Ceia. “Digo- cia de Israel em ser o que Deus
lhes a verdade: Aquele que crê planejou para aquele povo como
em mim fará também as obras nação. Jesus usou esta metáfora
que tenho realizado. Fará coisas em algumas das Suas parábolas,
ainda maiores que estas, porque da mesma forma que os profetas
eu estou indo para o Pai” (14.12). a usaram (Mateus 21.33-40). É
É isso o que Jesus diz, quan- por isso que os estudiosos do Ve-
do pega um dos ramos carregados lho Testamento acreditam que Je-
de frutos: “Como esses ramos es- sus, ali, naquele jardim, começou
tão alinhados na videira, de forma esta metáfora, dizendo, em outras
que a vida flui da videira para os palavras, o seguinte: “Eu sou a
ramos, a fim de produzirem frutos, Videira Verdadeira, não aquela vi-
assim vocês precisam estar em deira infrutífera mencionada pelos
Mim e Eu em vocês, para que fru- profetas”.
tifiquem. Sem Mim não há nada Alguns sugerem que, nesta
que vocês possam fazer e Eu es- magnífica metáfora, Jesus está di-
colhi não fazer nada sem vocês. zendo aos apóstolos que a salvação,
Eu não tenho outro plano para a paz, o fruto do Espírito e a vida
realizar Minha obra neste mundo, abundante que Ele prometeu jamais
além de proclamar a Minha Pala- seriam encontrados em um judeu
vra e realizar a Minha obra, atra- religioso. Estas bênçãos sobrenatu-
vés de vocês e daqueles que se rais só podem ser vividas através de
tornam Meus discípulos, por meio um relacionamento vital com Jesus,
da frutificação”. como tinham os apóstolos, principal-
Antes de encerrarmos o comen- mente depois que se encontraram
tário sobre os dezesseis versículos com o Cristo Vivo e Ressuscitado.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 81


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 9
“A Obra Tremenda” (João 15.18-27)

A metáfora da videira e dos ra- Tratarão assim vocês por causa do


mos foi a aplicação que Jesus fez meu nome, pois não conhecem
para o ensino do Sermão da Última aquele que me enviou. Se eu não
Ceia. Ele agora passa a comparti- tivesse vindo e lhes falado, não
lhar com aqueles homens a dura seriam culpados de pecado. Ago-
realidade que eles enfrentariam, ra, contudo, eles não têm descul-
quando pusessem em prática tudo pa para o seu pecado. Aquele que
o que Ele lhes designara, em Seu me odeia, também odeia o meu
“discurso de formatura”, que fez Pai. Se eu não tivesse realizado
para eles. Depois de uma previsão no meio deles obras que ninguém
realista da oposição e perseguição mais fez, eles não seriam culpa-
que eles enfrentariam, Jesus pas- dos de pecado. Mas agora eles as
sa a dar informações mais especí- viram e odiaram a mim e a meu
ficas sobre o trabalho do Espírito Pai. Mas isto aconteceu para se
Santo neles, e através deles, de- cumprir o que está escrito na Lei
pois da vinda do Consolador. deles: “Odiaram-me sem razão”.
“Se o mundo os odeia, te- Quando vier o Conselheiro, que eu
nham em mente que antes me enviarei a vocês da parte do Pai,
odiou. Se vocês pertencessem ao o Espírito da verdade, que provém
mundo, ele os amaria como se do Pai, ele testemunhará a meu
fossem dele. Todavia, vocês não respeito. E vocês também teste-
são do mundo, mas eu os esco- munharão, pois estão comigo des-
lhi, tirando-os do mundo; por isso de o princípio.” (João 15.18-27).
o mundo os odeia. Lembrem-se Os versículos acima registram
das palavras que eu lhes disse: como Jesus preparou os apóstolos
Nenhum escravo é maior que o para a perseguição e sofrimen-
seu senhor. Se me perseguiram, to que estava por vir. Durante os
também perseguirão vocês. Se três primeiros séculos da História
obedeceram à minha palavra, da Igreja, ser cristão era viver na
também obedecerão à de vocês. ilegalidade. Houve dez períodos

82 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de terrível perseguição e só depois tornando uma realidade o que a


que o Imperador Constantino abra- Bíblia diz sobre os últimos capítu-
çou o cristianismo, em 312 dC, é los da História da Igreja.
que templos cristãos foram cons- Jesus alertou: “Se o mundo os
truídos. A partir daí, ser cristão odeia, tenham em mente que antes
deixou de ser uma condição ilegal. me odiou” (João 15.18). Quando
Antes de Constantino, a Igreja se Jesus usa a palavra “mundo”, Ele
reunia nas casas, geralmente em está se referindo à maneira de pen-
secreto, ou se escondia em cata- sar e sistema de valores seculares,
cumbas, como as que existiam na nos quais não há um absolutismo
capital do Império Romano. moral. Um autêntico seguidor de
Desde aquele tempo, a Igreja Jesus tem um absolutismo moral
foi chamada de “igreja subterrâ- e espiritual. Foi por isso que Jesus
nea”, devido à prática de se reunir ensinou que Seus discípulos seriam
secretamente. Apesar de muitos como uma cidade construída sobre
não terem consciência disso, ain- o monte, a qual não pode ser es-
da hoje milhões de cristãos se re- condida (Mateus 5.14). De acordo
únem em igrejas subterrâneas, em com Jesus, o mundo vai odiá-los,
países onde é proibido ser segui- porque em tudo o que Seus segui-
dor declarado de Cristo. dores creem e constituem como
A palavra grega para casa é seus valores entram em choque
“oikos”, por isso muitos estudiosos com o que o mundo crê e valoriza.
se referem à reunião em pequenos A aplicação para nós, discípulos de
grupos da igreja subterrânea como Jesus, é muito clara.
“movimento oikos”. As orientações No versículo 19, Jesus apre-
contidas no Novo Testamento a senta um perfil do crente e da
respeito da ordem, estrutura e fun- Igreja ao dizer “eu os escolhi, ti-
cionamento da Igreja, baseiam-se rando-os do mundo”. Esta é uma
no fato de que a Igreja se reunia descrição da Igreja.
nessas condições, em pequenos Na língua original em que João
grupos (I Coríntios 14.26-40). De- escreveu este Evangelho, a palavra
vido à terrível perseguição aos cren- traduzida para Igreja é “ekklesia”,
tes em algumas partes do mundo, que significa, literalmente, “os cha-
hoje a Igreja está novamente na mados”. Nós, que pertencemos à
direção de um “movimento oikos”, Igreja de Jesus, somos “chamados”,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 83


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mas para quê? Chamados para pre- mesmo mundo em que Eu vivi e
gar dentro em meio à filosofia secu- servi, e podem esperar receber as
lar, com sua maneira de pensar, seus mesmas respostas positivas e ne-
valores e estilo de vida mundanos. gativas que Eu recebi. Muitos Me
Como seguidores de Cristo, rejeitaram e Me perseguiram, mas
devemos entender que, quando alguns creram. Muitos vão perse-
cremos e assumimos o compro- guir vocês, esperem por isso; po-
misso de seguir Jesus, somos rém, muitos crerão, seguir-Me-ão e
chamados para não pertencermos viverão os Meus valores por causa
mais a este mundo. Não deve- da pregação e do ensino de vocês”.
mos ficar chocados quando des-
cobrimos que o mundo não tem Aplicação pessoal
os valores de Cristo. O mundo A palavra “testemunha”, em
jamais nos deixará esquecer que grego, é a mesma que “mártir”;
marchamos em um ritmo diferen- por esta razão, não devemos nos
te e não devemos nos surpreender surpreender, quando você e eu vi-
quando vemos que o mundo não vemos, pregamos e ensinamos a
tem os valores, os princípios mo- Cristo, e o mundo reage ao nosso
rais e propósitos que nós temos. testemunho com certa presunção
Se atentarmos para as palavras de intelectual, contrária aos valores
Jesus, estaremos preparados para de Cristo. Não devemos nos es-
tal experiência. quecer da promessa que Jesus
Jesus falou, ainda: “Lembrem- deixou para nós: “Vocês são exem-
se das palavras que eu lhes disse: plos de que alguns obedeceram
Nenhum escravo é maior que o seu ao ensino que recebi de Meu Pai.
senhor” (20), repetindo uma decla- Da mesma forma, receberão uma
ração que havia feito no início do resposta positiva no ministério de
retiro (13.16). Depois, continuou: vocês e farão discípulos que obe-
“Se me perseguiram, também per- decerão ao ensino que receberam
seguirão vocês”. Observe, agora, o de Mim”. Quando William Tyndale
lado positivo: “Se obedeceram à foi perseguido por traduzir a Bíblia
minha palavra, também obedece- para o inglês, a fim de que pes-
rão à de vocês” (20). soas comuns a pudessem ler, ele
Na verdade, Jesus quis dizer: reagiu dizendo: “Era exatamente
“Vocês devem viver e servir no isso o que eu esperava”.

84 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Devemos seguir seu exemplo antes do milagre do surgimento da


e não nos surpreendermos se as Igreja, o Senhor apareceu-lhe e lhe
pessoas nos ridicularizarem e nos disse: “Não tenha medo, continue
perseguirem, quando anunciamos falando e não fique calado, pois
e vivemos os valores de Cristo. estou com você, e ninguém vai
Lembremo-nos do alerta que lhe fazer mal ou feri-lo, porque
Jesus deixou, afirmando que foi tenho muita gente nesta cidade”
sempre essa a reação do mundo (Atos 18.9,10).
às Suas testemunhas e aos Seus Isto é empolgante! Quando pre-
profetas. Logo no início do Seu gamos o Evangelho, não sabemos
ministério, Jesus advertiu os Seus quem, mas sabemos, pela promes-
discípulos, dizendo: “Ai de vocês, sa de Jesus, que alguns responde-
quando todos falarem bem de vo- rão positivamente. Se você tiver
cês, pois assim os antepassados coragem para pregar o Evangelho,
deles trataram os falsos profetas” verá quem são essas pessoas.
(Lucas 6.26). Portanto, devemos Ansioso para visitar os crentes
esperar indiferença e até hostilida- de Roma e proclamar o Evangelho
de do mundo, e ficarmos preocu- naquela cidade, Paulo escreveu:
pados, quando formos elogiados “Sei que, quando for visitá-los, irei
e recebermos honras do mundo, o na plenitude da bênção de Cristo”
qual se opõe aos valores de Cristo (Romanos 15.29). Quando somos
que pregamos. convidados para pregar em algum
Existe, no entanto, a esperança lugar, para muitas pessoas ou para
de que, mesmo aqueles que zom- apenas uma, podemos dizer aos
bam e até nos perseguem, quando que nos convidaram que iremos
pregamos o Evangelho de Cristo, “na plenitude da benção de Cristo”.
possam um dia crer e obedecer, Devemos aceitar o convite sabendo
em resposta à nossa pregação e que, mesmo que haja oposição da
ensino. Esta não foi uma experiên- maioria ou até mesmo persegui-
cia única do nosso Senhor, mas de ção, haverá aqueles que são “cha-
todos os apóstolos, como podemos mados”, que crerão e obedecerão
constatar no Livro de Atos. à nossa pregação e ensino, assim
Quando Paulo chegou à cor- como houve aqueles que creram e
rupta cidade de Corinto, onde obedeceram à pregação e ao ensi-
Cristo nunca havia sido pregado, no de Jesus e dos apóstolos.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 85


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Jesus avisou: “Tratarão assim vocês podem ver. Portanto, ago-


vocês por causa do meu nome, ra o pecado permanece” (João
pois não conhecem aquele que 9.40,41). Que definição profunda
me enviou” (João 15.21). Ob- de pecado: onde não há luz, não
serve que Jesus não separava a há pecado. Em João 8.12, lemos
rejeição dEle da do Pai e do Es- que Jesus disse: “Eu sou a luz do
pírito: “Quem receber aquele que mundo”. Pecado é rejeitar aquEle
eu enviar, estará me recebendo; e que é a Luz do mundo. Portanto, a
quem me recebe, recebe aquele definição de um dos pecados mais
que me enviou” (13.20). Confira sérios é rejeitar Jesus Cristo.
também João 14.9-11. Jesus e o Isso nos faz perguntar: será
Pai são um e não dá para aceitar que existe algum ser humano na
Um e rejeitar o Outro. Jesus fez terra que jamais recebeu a luz es-
esta afirmação várias vezes e ex- piritual? O apóstolo Paulo escreve
plicou que, quando Ele é rejeita- que todos temos algum tipo de luz
do, fica evidente o fato de que não (Romanos 1.20), o que os teólo-
O conhecem e também rejeitam gos chamam de “revelação natu-
aquEle que O enviou. ral”. Jesus e Paulo ensinam que,
A partir do versículo 22, a se vivermos de acordo com a luz
declaração de Jesus é muito pa- que temos, receberemos mais luz:
recida com Suas palavras no ca- “Tão-somente vivamos de acordo
pítulo 9 deste Evangelho. Depois com o que já alcançamos” (Fili-
de curar o cego de nascença, Je- penses 3.16). Portanto, é pecado
sus afirmou ser um tipo especial não andarmos de acordo com a
de luz, a qual dava visão aos que luz que recebemos.
eram cegos, mas também revelava Muitos anos atrás, num grupo
a cegueira daqueles que achavam de estudo bíblico, que era feito em
que enxergavam. uma casa, uma senhora japonesa
Os líderes religiosos entende- respondeu entusiasticamente ao en-
ram o que Jesus estava falando sino do primeiro capítulo da Bíblia.
e disseram: “Você está tentando Com o rosto radiante, ela esperou
dizer que somos (espiritualmen- até que todos fossem embora para
te) cegos? E Jesus respondeu: que pudesse conversar comigo.
Se vocês fossem cegos, não te- Jamais vou me esquecer da-
riam pecado algum. Mas, agora quela conversa. Ela me disse:

86 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

“Durante a Segunda Guerra Mun- da verdade que provém do Pai,


dial, enquanto Tókio estava sendo ele testemunhará a meu respeito”
bombardeada, eu clamei a outro (26). Uma das funções mais im-
Deus. Eu sabia que existia outro portantes do Espírito Santo é dar
Deus, que era real, e eu O invoquei. testemunho de Jesus. O Espírito
Durante décadas, tive o forte pres- Santo não atrai atenção para Si
sentimento de que algum dia sabe- mesmo; Ele exalta Jesus. No ver-
ria tudo sobre Ele. Enquanto o se- sículo 27, Jesus acrescenta: “E vo-
nhor ensinava sobre este Livro, eu cês também testemunharão, pois
soube em meu coração que este é o estão comigo desde o princípio”.
Deus Verdadeiro que invoquei, na- É importante que não esque-
quele dia, no abrigo antibombas”. çamos a essência do que é e o
A essência do pecado é a re- que faz uma testemunha. Uma
jeição da luz, o que quer dizer que testemunha é alguém que viu ou
somos responsáveis e seremos co- vivenciou algo. Jesus estava di-
brados pela luz que recebemos. zendo que os apóstolos tinham
Ser exposto à luz espiritual é coi- estado com Ele desde o princípio
sa séria, porque aumenta a nossa e agora o Espírito Santo viria e
responsabilidade. Depois de ouvir- testificaria, mas eles também ti-
mos a Palavra de Deus e vermos nham que dar testemunho.
os Seus milagres, teremos que Para sermos testemunhas pre-
prestar contas pelo que ouvimos e cisamos da graça de Deus. Recebe-
vimos. “O que fazemos com aquilo mos a ordem para sermos candeias
que sabemos” é o padrão de res- posicionadas estrategicamente por
ponsabilidade encontrado em toda Jesus, mas, também recebemos a
a Bíblia, principalmente neste en- ordem de ser testemunhas, alguém
sino de Jesus e na conclusão do que abre sua boca e testifica sobre
capítulo 9 deste Evangelho. o que viu, ouviu e vivenciou.
O crente em Jesus tem que
O Conselheiro está chegando ser uma testemunha, alguém que
Nos últimos versículos do ca- testifica verbalmente. De acordo
pítulo 15, Jesus anuncia: “Quando com Jesus, o Espírito Santo vai
vier o Conselheiro, que eu enviarei testificar, mas nós também deve-
as vocês da parte do Pai, o Espírito mos fazê-lo.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 87


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 10
“O Caráter do Conselheiro” (João 16.1-33)

Vamos iniciar o estudo do ca- vocês podem suportar” (1-12 tex-


pítulo 16, observando que o dis- to parafraseado).
curso de Jesus não foi interrompi- Fica claro, nos primeiros ver-
do entre o final do capítulo 15 e o sículos deste capítulo, que Jesus
início do capítulo 16: “Eu digo isso contou tudo isso, porque eles
para que vocês não abandonem a seriam expulsos das sinagogas,
sua fé. Vocês serão expulsos das como expulsaram o cego de nas-
sinagogas e chegará o tempo em cença, que foi curado, conforme
que qualquer um que os matar vimos no capítulo 9. Jesus avisa
pensará que está fazendo a von- que chegaria o tempo em que eles
tade de Deus. Eles vão fazer es- seriam mortos, por alguns acha-
sas coisas porque não conhecem rem que com isso estariam pres-
o Pai nem a mim. Mas eu digo tando um serviço a Deus.
isso para que, quando essas coi- Você já foi perseguido por cau-
sas acontecerem, vocês lembrem sa de Jesus Cristo? Eu sei de cren-
que eu já os tinha avisado. Eu não tes em outras partes do mundo que
disse antes, porque ainda estava hoje oram pela Igreja em países,
com vocês“ (1-4). como o Brasil, onde há liberdade
Observe que, neste trecho, de culto e a Igreja não sofre, como
Jesus enfatiza várias vezes o por- acontece em outros lugares.
quê de estar falando estas coisas: A perseguição que esses ir-
“Eu já falei que vocês serão dis- mãos têm sofrido levou-os para
persos... Eu lhes disse isso para mais perto de Deus e lhes trouxe
que, quando chegar a hora, vocês amadurecimento de várias formas;
se lembrem de que Eu os avisei... por isso, eles não entendem que
Eu não contei logo no começo, crentes que não sofram persegui-
porque estava com vocês e, se ção possam crescer e amadurecer
Eu contasse, vocês se enche- espiritualmente.
riam de tristeza... Eu tenho muito Um grande historiador da Igre-
mais para contar, muito mais que ja observou que jamais aconteceu

88 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de um grupo não sofrer persegui- não virá para vocês; mas, se eu


ção por causa do Evangelho de for, eu o enviarei. Quando ele vier,
Jesus Cristo e por estabelecer Sua convencerá o mundo do pecado,
Igreja no mundo. da justiça e do juízo. Do pecado,
Será que Deus permitiu a per- porque os homens não creem em
seguição dos crentes, nos três pri- mim; da justiça, porque vou para
meiros séculos da Igreja, para que o Pai, e vocês não me verão mais,
ela crescesse forte, poderosa e sa- e do juízo, porque o príncipe deste
dia como aconteceu? Eu agradeço mundo já está condenado. Tenho
a Deus pela paz que temos onde ainda muito que lhes dizer, mas
vivemos, mas, se passássemos por vocês não o podem suportar agora.
sofrimento e perseguição, deverí- Mas, quando o Espírito da verdade
amos nos lembrar da recomenda- vier, ele os guiará a toda a verda-
ção de Pedro, que não devemos de. Não falará de si mesmo; falará
considerar anormalidade quando apenas o que ouvir, e lhes anun-
o Senhor permite tais provações (I ciará o que está por vir. Ele me glo-
Pedro 4.12). rificará, porque receberá do que é
Guarde as palavras de Jesus di- meu e o tornará conhecido a vocês.
tas durante a Última Ceia, quando Tudo o que pertence ao Pai é meu.
Ele preparou aqueles onze homens Por isso eu disse que o Espírito re-
que estavam ao redor daquela ceberá do que é meu e o tornará
mesa com Ele, para a perseguição conhecido a vocês. Mais um pouco
que começaria horas depois. e já não me verão; um pouco mais,
e me verão de novo” (5-16).
As três características do Ministério Eles estavam consumidos pela
do Espírito Santo tristeza de saber que iam perder Je-
No capítulo 16, lemos as se- sus. Neste contexto, nos deparamos
guintes palavras do Senhor: “Agora com uma das maiores declarações
que vou para aquele que me enviou, a respeito do Espírito Santo: “Mas,
nenhum de vocês me pergunta: eu lhes afirmo que é para o bem
Para onde vais? Porque falei estas de vocês que eu vou. Se eu não for,
coisas, o coração de vocês encheu- o Conselheiro não virá para vocês;
se de tristeza. Mas eu lhes afirmo mas se eu for, eu o enviarei” (16.7).
que é para o bem de vocês que eu Você já parou para pensar no
vou. Se eu não for, o Conselheiro carisma de Jesus e como era bom

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 89


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

estar ao lado dEle? Alguma vez homens são muito melhores que
você pensou: “eu adoraria ter es- os três anos que eles passaram
tado com Ele?”. Eu gosto de ima- juntos. Parafraseando o que Jesus
ginar como Jesus era fisicamente. lhes disse, seria o seguinte: “Para
Os Evangelhos e os profetas dão o bem de vocês é necessário que
algumas informações acerca das eu deixe este corpo físico e, de-
características físicas de Jesus. pois, retorne para vocês na forma
O Jesus apresentado nos de Conselheiro”.
Evangelhos é um homem de 30 Enquanto Jesus ocupou um
anos, facilmente reconhecido corpo físico, desistiu de alguns
como um judeu. Os profetas in- dos Seus atributos divinos, como
dicam que Ele era um homem de a onipresença; mas, depois dessa
dores, que sabia o que era padecer mudança necessária para o bem
e que teve sua aparência desfigu- dos apóstolos e da Igreja, Jesus
rada (Isaías 52.14; 53.3). O his- pode estar em todos os lugares do
toriador judeu Josefo escreveu que mundo ao mesmo tempo.
Jesus era mais alto que um forte Jesus também deixa bem cla-
pescador, como Pedro, por exem- ro porque é melhor que seja assim:
plo, com quem Ele andou durante “Quando ele vier, convencerá o
três anos, porque Ele podia ser vis- mundo do pecado, da justiça e do
to no meio da multidão, quando se juízo” (16.8). Em outra tradução,
aglomeravam ao Seu redor. lê-se: “Ele manifestará a culpa do
A maioria das pessoas imagi- mundo”. Nem sempre a culpa é
na Jesus com um aspecto triste, uma experiência emocional nega-
sisudo, aparência pesada por cau- tiva; de certa forma, a culpa pode
sa do peso do mundo sobre Seus ser sadia, pois, se uma pessoa sen-
ombros. Um livro intitulado “Jo- te culpa, quer dizer que ela tem al-
sué” levanta a seguinte pergunta: guma integridade moral e discerni-
“Como seria Jesus, se estivesse mento de que algumas coisas são
vivendo hoje entre nós?”. O objeti- certas e outras são erradas.
vo do autor é mostrar como temos Uma pessoa que não sente cul-
ideias pré-concebidas a respeito pa é indiferente quanto ao conceito
da aparência de Jesus. de certo e errado, ou seja, é uma
Entretanto, as últimas pala- pessoa que não acredita em moral.
vras de Jesus para aqueles onze Isso também pode ser chamado de

90 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

“relativismo moral”, que seria uma sentiram nenhuma culpa; na ver-


outra maneira de se referir à falta dade, podem até ter zombado da
de “absolutismo moral”. Muitas mensagem do Evangelho.
pessoas tentam fugir da sua pró- Como parte deste avivamento
pria culpa e da culpa dos outros, espiritual que aconteceu nos Esta-
afirmando que não existe esse ne- dos Unidos, Jonathan Edwards fez
gócio de certo e errado. Agir des- um sermão intitulado “Pecadores
ta forma, porém, é como jogar um nas Mãos de um Deus Irado”. A re-
perfume sobre um tumor maligno, ação da igreja a essa pregação foi
que precisa ser retirado. tremenda. As pessoas foram forte-
Eu gosto muito de ler sobre mente convencidas dos seus peca-
o despertamento do século XVIII, dos, seguravam-se nos bancos da
quando pregadores como George igreja, achando que iam “escorre-
Whitfield e os irmãos Wesley, na gar” para o inferno e, arrependidas,
Inglaterra, e Jonathan Edwards, confessavam seus pecados.
nos Estados Unidos, pregaram o Às vezes, eu penso que, se pre-
Evangelho, obtendo resultados so- gássemos esse mesmo sermão hoje,
brenaturais. Eu li o seguinte teste- sem a unção do Espírito Santo que
munho de um fazendeiro que ouviu estava sobre Jonathan Edwards,
a pregação de George Whitfield, as pessoas iam achar que era uma
nos Estados Unidos: “Quando ele encenação cômica, porque o que
começou a falar, eu senti aquela faz toda a diferença é a unção e o
queimação no meu coração e, no ministério do Espírito Santo descri-
meio de todos, caí de joelhos, cho- to por Jesus, ao falar sobre o que
rando, arrependido, confessando significaria a vinda do Conselheiro,
os meus pecados”. no ministério de pregação dos que
É assim que o Espírito Santo obedeceram à Grande Comissão.
expõe o pecado e a culpa. Por que Encontramos o mesmo tipo de re-
será que um fazendeiro se sentiu ação à pregação do Evangelho no
assim ao ouvir um homem pregar Livro de Atos, começando pela pre-
o Evangelho? De acordo com Je- gação de Pedro no Dia de Pentecos-
sus, essa é uma das funções do tes e por toda a primeira geração da
Espírito Santo. Muita gente no lu- Igreja (Atos 2.37-47; 10.44-46).
gar do fazendeiro sentiu um pouco Na Bíblia, nós encontramos
de culpa, enquanto que outros não respostas positivas e negativas a

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 91


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Cristo e ao Seu Evangelho. O que condenado, não por causa dos


determinava uma e outra? Por que seus pecados, mas porque não
alguns riem enquanto outros se creu em Mim quando afirmei que
comovem e clamam a Deus por Eu Sou o Único Filho de Deus e o
salvação? O ministério e a função Único Salvador de Deus” (3.18).
do Espírito Santo determinam uma Paulo escreveu que Deus es-
ou outra reação. tava em Cristo reconciliando Con-
Jesus disse que, quando o sigo o mundo, tirando do mundo
Conselheiro viesse, exporia a cul- a acusação dos pecados que pe-
pa do mundo ou convenceria o savam sobre ele. E Ele nos con-
mundo do pecado, da justiça e do fiou a mensagem e o ministério da
juízo. “Do pecado, porque os ho- reconciliação. Devemos sair pelo
mens não creem em mim; da jus- mundo, não mais para dizer que
tiça, porque vou para o Pai, e vo- todos vão para o inferno por causa
cês não me verão mais, e do juízo, dos seus pecados, mas para anun-
porque o príncipe deste mundo já ciar as Boas Novas: “Vocês não
está condenado” (9-11). precisam mais ir para o inferno
Há três maneiras pelas quais porque, a partir do momento em
o Espírito Santo convence do pe- que Cristo morreu na cruz, deixou
cado ou expõe a culpa do mundo. de pesar a acusação dos pecados.
De acordo com Jesus, o Espíri- Deus colocou sobre o Seu Único
to Santo convence do pecado de Filho, Jesus Cristo, toda acusação
não crer nEle. Você se lembra que que havia contra todos nós” (II
Jesus declarou a Nicodemos que Coríntios 5.13 - 6.2).
Ele era o Único filho de Deus, o Se compreendermos e crermos
Único Salvador de Deus e a Única no que Jesus e Paulo disseram, sa-
Solução de Deus para o problema beremos que Deus não manda nin-
do pecado do mundo? (João 3.14- guém para o inferno por causa dos
19). Depois de fazer esta decla- seus pecados, nem mesmo Adolph
ração, Jesus acrescentou algo Hitler. Ele não sofrerá condenação
ainda mais dogmático, que pode por causa dos seus pecados, mas
ser colocado desta forma: “Aque- por não crer em Jesus Cristo. Ele
le que crê nesta declaração terá zombou de Jesus Cristo, dos Seus
vida eterna, mas quem não crê valores, do Seu ensino e da Sua fi-
no que Eu estou declarando será losofia de vida.

92 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

De acordo com Jesus, o peca- encontramos neste Evangelho é a


do que nos condena é o de não Palavra Viva, é o padrão absoluto
crer nEle como o Único Salvador da justiça de Deus. Sua vida é a
que Deus providenciou para a re- definição viva do que é certo e do
denção das nossas almas. Quando que é errado.
Jesus diz aos apóstolos que o Es- Um poeta britânico escreveu
pírito Santo convencerá o mundo um poema sobre um soldado pe-
do pecado, da justiça e do juízo, cador que morreu na batalha e
Ele reforça a declaração dogmáti- foi parar no céu por engano. Ao
ca que fez a Nicodemos. encontrar-se com Jesus, ele não
A primeira coisa de que o Es- O podia encarar e, triste, pergun-
pírito Santo nos convence é acerca tou: “Senhor, por favor, posso ir
do pecado que cometemos, quando para o inferno?”.
não cremos em Jesus Cristo como Jesus era tão puro e santo
nosso Senhor e Salvador pessoal. quando estava aqui, que repre-
Como podemos saber o que é sentava o único padrão absoluto
certo e o que é errado? Será que de justiça. Ele convenceu o povo
existe um padrão absoluto para o da sua injustiça e nós, ao lermos
que é certo e o que é errado? Os no Novo Testamento, a respeito da
seguidores de Cristo respondem a vida de Jesus na terra, somos con-
esta pergunta, pensando nos Dez vencidos da nossa injustiça. Jesus
Mandamentos e no Sermão do estava dizendo que agora o Espírito
Monte. De acordo com Paulo, toda Santo assumiria a responsabilidade
a Escritura nos foi dada por Deus de convencer o mundo da injustiça,
para nos instruir sobre a justiça (II porque Ele estava indo para o Pai e
Timóteo 3.16). Em toda a Bíblia, eles não O veriam mais (16).
podemos encontrar orientação so- Quando Jesus estava no mun-
bre o que é certo e o que é errado. do, para descobrir o que era certo
No início deste Evangelho, ou errado, bastava segui-Lo por
João escreveu que nenhum ho- onde Ele fosse. Se alguém quises-
mem jamais viu Deus, mas o se saber alguma coisa sobre Sua
Seu Filho Unigênito O manifestou filosofia de vida, valores morais ou
plenamente. Jesus revelou tudo justiça, a vida de Jesus era o padrão
que o homem poderia compre- perfeito do que era certo; bastava
ender sobre Deus. O Jesus que ouvir os Seus ensinos tão profundos.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 93


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

A seguir, Jesus afirma que o agora” (12). Todas as afirmações


Espírito Santo vai convencer o de Jesus são tão profundas que
mundo do juízo, porque o “prínci- poderíamos escrever páginas e pá-
pe deste mundo já está condena- ginas sobre apenas uma delas.
do” (11). Com esta afirmação, Je- Os pregadores e professores
sus está declarando que Satanás precisam entender que seus ouvin-
já foi derrotado. Não existe maior tes têm uma capacidade limitada
poder na terra que o de Jesus Cris- para o que podem ouvir e aprender
to. Mesmo que Satanás tenha o a respeito da Palavra de Deus. Je-
controle do que está acontecendo sus era absolutamente Mestre em
no mundo, para o discípulo con- fazer discípulos. Para pequenos
trolado pelo Espírito Santo não grupos, Jesus ensinava colocando
existe poder na terra maior que o -os para aprender na prática. Gran-
poder encontrado no Espírito do de parte do Seu método de ensino
Cristo Vivo e Ressuscitado. era prático, suscitando perguntas
No versículo 11, lemos a de- e diálogos entre os homens. É ób-
claração de Jesus de que o prín- vio que Jesus sabia perfeitamente
cipe deste mundo pode ser der- quando eles tinham condição de
rotado pelo Espírito Santo. Com absorver o Seu ensino.
certeza, o apóstolo João estava se Depois de deixar claro que ti-
lembrando das palavras de Jesus, nha consciência do quanto eles po-
quando escreveu: “Filhinhos, vo- diam ou não compreender naquele
cês são de Deus e os venceram, contexto, Jesus disse: “Quando o
porque aquele que está em vocês Espírito da verdade vier, ele en-
é maior que aquele que está no sinará toda a verdade a vocês.
mundo” (I João 4.4). Ele não falará por si mesmo, mas
A aplicação pessoal é que nós dirá tudo o que ouviu e anunciará
não temos que ser derrotados nem a vocês as coisas que estão para
controlados pelo poder de Sata- acontecer” (13).
nás. Com essas palavras Jesus Esta profecia a respeito do
está apresentando o maravilhoso ministério do Espírito Santo cer-
ministério do Espírito Santo. tamente inclui o ensino de Jesus
A seguir, Jesus diz: “Tenho a respeito dos acontecimentos fu-
ainda muito que lhes dizer, mas turos, relacionados à Sua Segun-
vocês não o podem suportar da Vinda, citados tantas vezes em

94 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Suas parábolas e em Seus ensina- O Espírito Santo também re-


mentos, como no sermão do Mon- vela o que está por vir. Ele é o
te das Oliveiras (Mateus capítulos verdadeiro Autor das inspiradas
24 e 25), mas também tem a ver cartas dos apóstolos, as quais nos
com a dura realidade daqueles ho- contam de maneira maravilhosa o
mens que estavam prestes a en- que está por acontecer no mundo.
frentar um futuro cheio de incerte- Esta é uma aplicação pessoal
zas e perigos. e devocional para nós: o Espírito
Eles sabiam que provavel- Santo, descrito por Jesus com es-
mente seriam mártires por causa sas palavras, pode exercer a mes-
de Jesus e, com exceção do autor ma função em nossas vidas hoje.
deste Evangelho, todos eles o fo- Através do estudo das Escrituras,
ram. Porém, como eles saberiam Ele mostra o que está por vir em
que era a estratégia e plano de Je- relação à Segunda Vinda de Jesus
sus para a organização da Grande Cristo; também guia nossas vidas
Comissão, em meio àquela cultura hoje, dando a sabedoria de que ne-
hostil ao Senhor e ao Evangelho, cessitamos e, também, a graça e a
que Ele os tinha comissionado coragem para aplicar a sabedoria
para pregar? O que eles deveriam que Ele dá. Quando não sabemos
fazer, no caso de serem presos, e o que fazer, Tiago nos exorta a pe-
como deveriam reagir diante de dir sabedoria a Deus: “Se algum
uma iminente execução? A respos- de vocês tem falta de sabedoria,
ta é que, quando Jesus partisse, o peça-a a Deus, que a todos dá li-
Espírito Santo os faria saber tudo o vremente, de boa vontade; e lhe
que eles precisariam saber. será concedida” (Tiago 1.5).
No Livro de Atos, vemos Quando percebemos que não
cumprida, literalmente, a pre- conseguimos aplicar essa sabedo-
visão do ministério do Espírito ria sem a ajuda de Deus, Ele nos
Santo, quando Ele veio no Dia dá a graça. Em um versículo reple-
de Pentecostes. Certamente, eles to de superlativos, Paulo assegura
não sabiam o que fazer, mas o que Deus nos dará graça supera-
mesmo Espírito Santo lhes deu bundante, quando entendermos
a sabedoria acerca do que eles que não podemos aplicar Sua sa-
precisavam, além da graça e da bedoria sem a Sua ajuda: “Deus é
coragem para aplicá-la. poderoso para fazer que lhes seja

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 95


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

acrescentada toda a graça, para e “um pouco mais” Jesus introduz


que em todas as coisas, em todo o uma bonita ilustração sobre uma
tempo, tendo tudo o que é neces- mulher dando à luz uma criança
sário, vocês transbordem em toda (21,22). Esta metáfora refere-se
boa obra” (II Coríntios 9.8). ao curto período em que eles não
Depois de apresentar o futuro O veriam, quando Jesus seria tira-
ministério do Espírito Santo, Je- do deles, crucificado e sepultado,
sus diz aos Seus apóstolos: “Mais até Sua ressurreição.
um pouco e já não me verão; um Durante os quarenta dias que
pouco mais, e me verão de novo” Jesus esteve na terra, quando Se
(16). É claro que Jesus está jogan- mostrou vivo para Seus discípulos,
do mais uma isca para eles faze- provando Sua ressurreição, com
rem outra pergunta. “Alguns dos muitas evidências infalíveis, eles
seus discípulos disseram uns aos tiveram uma alegria como a da
outros: O que ele quer dizer com mulher depois que traz seu filho ao
isso: Mais um pouco e não me ve- mundo. Foi uma alegria tão inten-
rão; e um pouco mais e me verão sa, que apagou toda tristeza que
de novo, porque vou para o Pai? E sofreram com a morte de Jesus na
perguntavam: Que quer dizer um cruz, e aquela alegria jamais seria
pouco mais? Não entendemos o tirada deles.
que ele está dizendo”, (17,18). Na oração do Pai nosso (Ma-
Como já comentamos antes, teus 6.9-13), Jesus ensina que
neste discurso Jesus anuncia que devemos nos dirigir a Deus em ora-
vai morrer e que, depois da Sua ção, apresentando nossas petições
morte, eles passariam a ter um re- em Seu nome. Essa passagem é
lacionamento mais profundo com muito importante porque apresenta
Ele. Para nós é fácil entender o um modelo de oração pessoal e, ao
que Jesus estava falando; mas, mesmo tempo, de oração em gru-
se nos colocarmos no lugar dos po. Quando fazemos a oração que
apóstolos, podemos compreender Jesus ensinou aos apóstolos, nos
a dificuldade que eles tinham para dirigimos ao Pai e não a Jesus; fala-
entender esse discurso de Jesus. mos com o Pai, em nome de Jesus.
Quando os apóstolos come- A partir de versículos isolados
çam a questionar o que significaria do Novo Testamento, podemos ad-
“Mais um pouco e não me verão” quirir a impressão de que orar é

96 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

uma questão de entrar no quarto completa, quando as pessoas cre-


e apresentar uma lista de compras rem no Evangelho, e nós estare-
para Deus fazer. Se esta for nossa mos em um relacionamento com o
ideia de oração, realmente é por- Cristo Ressuscitado, enquanto Sua
que não entendemos a essência Igreja é edificada neste mundo.
da oração de Jesus, nem do que É isto o que todos nós realmente
significa orar em Seu nome, de queremos, se somos discípulos
acordo com a essência de quem verdadeiros de Jesus Cristo.
Jesus era, é e será eternamente. Ao concluir Seu ensino, Jesus
Ele mesmo orou assim: “não seja diz: “Embora eu tenha falado por
como eu quero, mas como tu que- meio de figuras, vem a hora em
res” (Mateus 26.39). Viver e orar que não usarei mais esse tipo de
como Jesus é viver e orar de acor- linguagem, mas lhes falarei aber-
do com a vontade de Deus. tamente a respeito de meu Pai.
Orar em nome de Jesus não Nesse dia, vocês pedirão em meu
significa usar uma fórmula mágica, nome. Não digo que pedirei ao
que abre o coração de Deus para Pai em favor de vocês, pois o pró-
alguma coisa que Lhe pedimos em prio Pai os ama, porquanto vocês
oração. Com esta instrução, Jesus me amaram e creram que eu vim
está dizendo que precisamos fazer de Deus. Eu vim do Pai e entrei
nossas petições de acordo com os no mundo; agora deixo o mundo e
Seus propósitos. Este é o mesmo volto para o Pai” (25-28).
princípio que o apóstolo Paulo en- Os discípulos de Jesus, então,
sinou, quando escreveu: “Sabe- disseram: “Agora estás falando cla-
mos que Deus age em todas as ramente, e não por figuras. Agora
coisas para o bem daqueles que o podemos perceber que sabes to-
amam, dos que foram chamados das as coisas e nem precisas que
de acordo com o seu propósito” te façam perguntas. Por isso cre-
(Romanos 8.28). mos que vieste de Deus” (29,30),
Quando estamos obedecendo ao que Jesus respondeu: “Agora
à Grande Comissão e construindo vocês creem? Aproxima-se a hora,
a Igreja de Jesus no mundo, pode- e já chegou, quando vocês serão
mos pedir qualquer coisa de acor- espalhados cada um para a sua
do com a vontade de Deus, a qual casa. Vocês me deixarão sozinho,
nos será dada; nossa alegria será mas eu não estou sozinho, pois

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 97


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

meu Pai está comigo. Eu lhes dis- acontecer em breve: “Aproxima-se


se estas coisas para que em mim a hora, e já chegou, quando vocês
vocês tenham paz. Neste mundo serão espalhados cada um para a
vocês terão aflições; contudo, te- sua casa. Vocês me deixarão so-
nham ânimo! Eu venci o mundo” zinho, mas eu não estou sozinho,
(31-33). É assim que Jesus encer- pois meu Pai está comigo” (32).
ra o Sermão da Última Ceia. Através dos outros Evangelhos sa-
Jesus disse a Seus apóstolos bemos que Judas ia chegar com
que até aquele momento tinha fa- as autoridades religiosas e com
lado por meio de parábolas e figu- soldados para prenderem Jesus.
ras de linguagem, com metáforas Não devemos ser tão duros
muito profundas, mas agora Ele com Pedro, por causa da sua trípli-
promete que chegou o tempo em ce negação, porque, quando Jesus
que falará claramente (25). Tenho foi preso, “todos os discípulos O
certeza que naquele exato momen- abandonaram e fugiram” (Mateus
to Jesus estava ensinando verda- 26.56; Marcos 14.50). Quando
des muito profundas que eles não Jesus foi preso, o número de mem-
compreendiam, mas eles disseram bros da Igreja passou a ser zero.
a Jesus: “Agora estás falando cla- A mesma coisa aconteceu
ramente, e não por figuras” (29). com o apóstolo Paulo. Em sua últi-
Existe certa ironia nesta passagem. ma carta, a segunda que escreveu
Não temos nenhum detalhe sobre a Timóteo, Paulo diz: “Na minha
o tom de voz ou a expressão facial primeira defesa, ninguém apa-
de Jesus ao responder a Pedro, que receu para me apoiar; todos me
estava se gabando diante de todos abandonaram. Que isso não lhes
que jamais O negaria. Mais uma seja cobrado” (II Timóteo 4.16).
vez, depois de três anos de trei- A seguir, ele também escreve que
namento e de um relacionamento não ficou sozinho: “Mas o Senhor
profundo com Jesus, eles finalmen- permaneceu ao meu lado e me
te creram. Tenho certeza que foi deu forças” (17). Jesus afirma:
com grande amor e compaixão que “Vocês me deixarão sozinho, mas
Jesus falou no versículo 31: “Agora eu não estou sozinho, pois meu
vocês creem?”. Pai está comigo” (João 16.32).
Jesus, então, faz uma im- Acho muito importante a
portante previsão do que iria pergunta de Jesus: “Agora vocês

98 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

creem?” feita àqueles homens, escribas nada amistosos, inquirin-


depois de ter vivido três anos com do o acusado. Se fosse dada algu-
eles. Quando foi que os apóstolos ma resposta considerada errada, o
creram? No primeiro capítulo deste Sinédrio ordenava o espancamen-
Evangelho, lemos que eles se com- to e até a morte do acusado. Ser
prometeram a segui-Lo; no segun- convocado pelo Sinédrio era uma
do capítulo, quando Jesus transfor- experiência aterrorizadora.
mou a água em vinho, lemos que De acordo com a Bíblia, Pe-
“os seus discípulos creram nEle”. dro e João tinham pouca instrução,
Depois de viver certo tempo mas se tornaram homens destemi-
com Ele e de ter visto Jesus operar dos, quando foram cheios do Espíri-
muitos milagres, quando eles fica- to Santo. Eles se apresentaram cal-
ram aterrorizados com os ventos e mos e seguros, demonstrando ter
as ondas daquela terrível tempes- grande sabedoria ao falar. A Bíblia
tade, perguntaram em desespero afirma que para o Sinédrio estava
a Jesus: “Mestre, não te importas bem claro que aqueles homens ti-
que morramos?”. E Jesus respon- nham estado com Jesus (Atos 4)
deu: “Por que vocês estão com Qual foi a causa de uma mu-
tanto medo? Ainda não têm fé?” dança tão drástica naqueles ho-
(Marcos 4.38,40). mens, que se mostraram assustados
Também acho impressionante e covardes, porém, apenas algumas
como o mesmo Pedro, que, nos semanas depois, tornaram-se tes-
Evangelhos, negou Jesus três ve- temunhas tão corajosas? A única
zes, algumas semanas mais tarde explicação é o Dia de Pentecostes,
é o mais destemido e corajoso lí- quando foi cumprida a promessa da
der dos seguidores de Jesus (Atos vinda do Espírito Santo, o Consola-
2.14-36). dor. O comportamento sobrenatural
Pedro e João foram chamados dos apóstolos também responde
diante do Sinédrio, que era forma- uma das perguntas que serviram de
do por líderes religiosos judeus. O base para o estudo do Evangelho de
Sinédrio se reunia em um círculo João: “O que é fé?”.
ao redor da pessoa convocada,
para se apresentar diante deles, o Breve resumo do capítulo 16
que quer dizer que a pessoa fica- Na parte final do Sermão da
va rodeada de fariseus, rabinos e Última Ceia, Jesus prepara os

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 99


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

apóstolos para a perseguição que Santo na vida deles, e através de-


eles enfrentariam. les (16.7-11).
A apresentação que Jesus fez A descrição que Jesus fez do
e as respostas dos apóstolos se ministério do Espírito Santo pode
encerram com o último versícu- ser sintetizada nestes versículos:
lo deste capítulo: “Eu lhes disse “Quando ele vier, convencerá o
essas coisas para que em mim mundo do pecado, da justiça e do
vocês tenham paz. Neste mundo juízo. Do pecado, porque os ho-
vocês terão aflições; contudo, te- mens não creem em mim; da jus-
nham ânimo! Eu venci o mundo”. tiça, porque vou para o Pai, e vo-
Podemos resumir as palavras cês não me verão mais; e do juízo,
de Jesus, na passagem que vai porque o príncipe deste mundo já
do capítulo 15, versículo 18, até está condenado” (16.8-11).
o final do capítulo 16, com estes
três tópicos: Como entender o que Jesus está
lhe dizendo
Como ver o mundo Este é um resumo das fra-
“Se o mundo os odeia, tenham ses de Jesus, que relacionam
em mente que antes me odiou... dois temas: a perseguição que se
Se me perseguiram, também per- aproxima e a chegada do Espíri-
seguirão vocês; se obedeceram to Santo, que os capacitará para
à minha palavra, também obe- suportar a perseguição: “Eu lhes
decerão à de vocês” (15.18,20). tenho dito tudo isso para que
“Vocês serão expulsos das sinago- vocês não abandonem a sua fé”
gas; de fato, virá o tempo quando (16.1). “Estou lhes dizendo isto
quem os matar pensará que está para que, quando chegar a hora,
prestando culto a Deus” (16.2). lembrem-se que eu os avisei.
Não lhes disse isso no princípio,
Como ver o Ministério do Espírito porque eu estava com vocês.
Santo Agora vou para aquele que me
É importante observar que enviou” (16.4,5). “Porque falei
foi quando falou da perseguição estas coisas, o coração de vocês
que os apóstolos enfrentariam que encheu-se de tristeza” (16.6).
Jesus apresentou uma descrição “Tenho ainda muito que lhes
profunda do ministério do Espírito dizer, mas vocês não o podem

100 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

suportar agora” (16.12). “Em- a obra miraculosa do Espírito San-


bora eu tenha falado por meio to em sua vida, como aconteceu
de figuras, vem a hora em que com os discípulos há quase dois
não usarei mais esse tipo de lin- mil anos.
guagem” (16.25). “Eu lhes disse Também oro para que esses
essas coisas para que em mim livros o ajudem a entrar na Pala-
vocês tenham paz” (16.33). vra de Deus, e que a Palavra de
Deus entre em você. Esta é a mi-
Conclusão nha oração constante, porque sei
Minha oração é que, através que Deus faz coisas miraculosas,
do estudo deste Evangelho, você quando permanecemos na Sua
tenha conhecido Jesus como seu Palavra e Sua Palavra permanece
Salvador, e que você esteja vivendo continuamente no Seu povo.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 101


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 11
“A Oração do Senhor” (João 17.1-26)

No capítulo 17 está registrada Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo,


a chamada “Oração do Senhor”, a a quem enviaste. Eu te glorifiquei
qual não devemos confundir com na terra, completando a obra que
a que Jesus ensinou aos Seus dis- me deste para fazer. E agora, Pai,
cípulos, a “Oração do Pai Nosso” glorifica-me junto a ti, com a gló-
(Mateus 6.9-13). ria que eu tinha contigo antes que
Existe outra oração de Jesus, o mundo existisse” (1-5).
que deveria ser chamada “Oração No primeiro versículo, João
do Senhor”, que está registrada escreveu: “Depois de dizer isso,
nos Evangelhos de Mateus, Mar- Jesus olhou para o céu e orou”.
cos e Lucas. Através dela, sa- Depois de dizer o quê? Depois de
bemos que, antes de enfrentar a ter dado todo o Seu ensino no ce-
cruz, Jesus disse: “Pai, se queres, náculo, durante a Última Ceia. Es-
afasta de mim este cálice; contu- sas palavras de João referem-se à
do, não seja feita a minha vonta- oração mais longa de Jesus e ao
de, mas a tua... estando angus- Seu discurso mais longo feito du-
tiado, ele (Jesus) orou ainda mais rante a Última Ceia.
intensamente; e o seu suor era Esta oração pode ser dividida
como gotas de sangue que caíam em três partes. A primeira parte cor-
no chão” (Lucas 22.42,44). responde aos cinco primeiros versí-
O relato desta oração inicia culos, citados acima; a segunda, do
assim: “Depois de dizer isso, Je- versículo 6 ao 19, e a terceira, do
sus olhou para o céu e orou: “Pai, versículo 20 até o versículo 26.
chegou a hora, glorifica o teu Fi- Nos primeiros cinco versículos
lho, para que o teu Filho te glo- da oração, depois de se dirigir a
rifique, pois lhe deste autoridade Deus como Seu Pai, aliás, como
sobre toda a humanidade, para Ele nos instruiu na oração do Pai
que conceda a vida eterna a to- nosso, Suas primeiras palavras fo-
dos os que lhe deste. Esta é a vida ram: “chegou a hora”. Como já co-
eterna: que te conheçam, o único mentamos, esta foi uma frase que

102 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Jesus usou em todo o Evangelho pelas obras, mas para as boas


de João, principalmente no capítu- obras, as quais Deus ordenou que
lo 12 e, agora, nesta oração. Esta fizéssemos.
“hora” obviamente não se refere Isso quer dizer que Deus nos
a uma hora de 60 minutos, mas salvou para um propósito nesta
ao momento da Sua morte na cruz vida. É claro que existe um propó-
para nossa salvação. sito na vida eterna; mas, a partir do
Nos cinco primeiros versícu- momento em que Ele nos salva, até
los, Jesus define um dos propósi- que nos leve para Sua casa, tam-
tos de João ao escrever este Evan- bém temos um propósito a cumprir
gelho, isto é, que crêssemos que nesta vida, que é a obra para a qual
Jesus é o Cristo e, assim, tivés- Ele nos escolheu, salvou e chamou
semos a Vida Eterna (20.30,31). (João 15.16; Efésios 2.8-10). As-
Nos primeiros versículos desta sim como Jesus orou pela obra que
oração, Jesus afirma que a Vida o Pai queria que Ele fizesse, nós
Eterna é conhecer o Pai e o Cristo devemos orar pela obra que o Se-
que está junto ao Pai. Ele também nhor quer que façamos.
coloca Sua própria vida e obra Na primeira parte desta ora-
diante do Pai. ção, Jesus faz referência à criação
Sabendo que Jesus orou pela e a Si próprio. No relato da criação,
Sua própria vida e obra, aprende- escrito em hebraico e registrado no
mos com Ele como podemos glori- primeiro capítulo do Livro de Gê-
ficar a Deus. Jesus glorificou o Pai, nesis, o pronome pessoal, que se
terminando a obra que o Pai desig- refere ao Criador, é usado no plural
nou para Ele, durante os 33 anos “Façamos (nós) o homem à nossa
em que viveu aqui, e nós também imagem” (Gênesis 1.26). Estu-
devemos glorificá-Lo. dando o “Sermão da Última Ceia”,
Assim como Jesus se preocu- concluímos que Deus existe em três
pou em viver e cumprir a obra de pessoas reveladas para nós como o
Deus aqui na terra, você e eu, de- Pai, o Filho e o Espírito Santo.
pois que conhecemos Jesus Cristo No versículo 5, do capítulo
como nosso Salvador e Senhor, de- 17 deste Evangelho, temos este
vemos ter a mesma preocupação. pedido de Jesus: “Pai, glorifica-
Paulo afirma em Efésios me junto a ti, com a glória que eu
2.8-10, que não somos salvos tinha contigo antes que o mundo

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 103


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

existisse”. Este pedido revela que 17.2). Ele conversou com Moisés
Ele existia antes da criação do e com Elias e foi completamente
mundo e que participou do mila- transformado. Mateus usa a pala-
gre da criação (João 1.1-3). A Bí- vra “transfigurado” e esta palavra
blia também afirma que o Espírito é a mesma usada para descrever
Santo pairava sobre os primeiros a transformação de uma lagarta
estágios da criação, o que nos faz em borboleta. Portanto, devemos
concluir que o Pai, o Filho e o Es- incluir a transfiguração de Jesus,
pírito Santo trabalharam juntos quando consideramos as diversas
em perfeita harmonia no milagre formas nas quais Jesus existiu.
da criação (Gênesis 1.2). Depois de escrever que ele e os
A partir desse pedido de Je- outros apóstolos tinham visto e to-
sus, também aprendemos que cado no corpo ressurreto de Jesus,
Ele não passou a existir, quando o apóstolo João também escreve,
nasceu em Belém. Teólogos cha- no terceiro capítulo da sua Primeira
mam esse fato de “existência pré Epístola, que ainda não foi revelado
-encarnada” de Jesus, o que quer o que seremos, mas que seremos
dizer que Ele já existia antes que a como Ele é agora (I João 3.1,2).
Palavra eterna se tornasse carne e Isto nos leva a perguntar: “Qual é a
habitasse entre nós (João 1.1,14). forma que Jesus tem agora?”.
Jesus já existia antes de Se O último pedido de Jesus nos
tornar carne e nascer em Belém; primeiros versículos que estamos
viveu em um corpo durante trin- estudando é de grande profundi-
ta e três anos; foi glorificado em dade, e nos leva a fazer a mesma
um corpo ressuscitado, no qual se pergunta que os apóstolos Lhe fi-
manifestou durante quarenta dias, zeram, durante o período em que
depois da Sua ressurreição; três viveram com Ele: “Quem é este
apóstolos estiveram com Jesus no que até o vento e o mar lhe obe-
chamado “Monte da Transfigura- decem?” (Marcos 4.41).
ção”. Mateus escreveu que Jesus Na segunda parte desta ora-
foi transfigurado diante desses ção (6-19), Jesus ora por aque-
apóstolos: “Ali ele foi transfigura- les homens em quem Ele tinha
do diante deles. Sua face brilhou investido tanto. Jesus os recru-
como o sol e suas roupas se torna- tou e, durante três anos, os ensi-
ram brancas como a luz” (Mateus nou e os treinou. Agora Jesus ia

104 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

comissioná-los e capacitá-los, a homens, pelos quais Ele está oran-


fim de que alcançassem o mundo do: “Eu revelei teu nome àque-
para Ele. Durante os três anos do les que do mundo me deste. Eles
ministério público de Jesus, eles eram teus; tu os deste a mim, e
estiveram com Ele constantemen- eles têm obedecido à tua palavra.
te e, agora, antes de enfrentar um Agora eles sabem que tudo o que
julgamento injusto e a cruz, a úl- me deste vem de ti, pois eu lhes
tima coisa que Jesus fez foi orar transmiti as palavras que me des-
por eles. te, e eles as aceitaram. Eles reco-
A essência do Novo Manda- nheceram de fato que vim de ti, e
mento que Jesus deu aos apósto- creram que me enviaste” (17.6-8).
los, durante o último retiro, deter- No capítulo 16, Jesus quase
minava que eles estabelecessem dá a impressão de que eles ain-
uma nova comunidade espiritual da não tinham crido nEle; mas, na
neste mundo. Observe quantas ve- Sua oração, diz que eles tinham
zes Jesus repete que eles devem aceitado e obedecido à Sua Pala-
ser um. Jesus pede por eles cinco vra e crido nela. É provável que Je-
vezes e, na terceira parte dessa sus já os tivesse vendo como eles
oração, Jesus pede por aqueles seriam, depois que recebessem o
que viriam a crer através deles. revestimento do Espírito Santo, no
Jesus ora para que eles sejam um, Dia de Pentecostes.
como Ele era um com o Pai e o Pai O mundo odeia aqueles que
um com Ele. creem na Palavra de Jesus, acei-
A essência do ensino de Je- tam-na e Lha obedecem. Jesus
sus na Última Ceia foi: “Eu estou orou ao Pai que os protegesse en-
no Pai e o Pai está em Mim. Toda quanto eles estivessem no mundo,
obra que eu faço e toda palavra porque Ele estava indo para o Pai.
que falo é resultado do fato de Eles estavam no mundo, mas não
que estou no Pai e o Pai está em eram do mundo. Jesus os prote-
Mim”. A essência da segunda e da geu, enquanto estava com eles;
terceira parte da oração de Jesus é mas, agora pede ao Pai para pro-
para que Seus discípulos vivam em tegê-los do mal. Na Oração do Pai
união com Ele e uns com os outros. Nosso, Jesus ensinou-lhes a pe-
Observe que, na segunda par- dir todos os dias “não nos deixes
te da oração, Jesus descreve os cair em tentação, mas livra-nos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 105


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

do mal” (Mateus 6.13). Jesus, fazerem discípulos em todas as


constantemente, mostra que o po- nações da terra.
der do mal deve ser vencido pela Jesus mostra outra preciosida-
fé naquEle que venceu o mundo de devocional, quando ora para que
(16.33; I João 4.4; 5.4). eles sejam santificados ou separa-
dos para o Pai pela verdade. Todo
Jesus enfatiza o dar pastor ou líder espiritual deve fazer
Jesus se referiu aos discípu- essa oração por aqueles que o Es-
los como aqueles que o Pai lhe pírito Santo lhe deu para pastorear:
tinha dado. Observe isto: o Pai “Em favor deles eu me santifico,
dá ao Filho, enquanto o Filho dá para que também eles sejam san-
àqueles homens e pede que eles tificados pela verdade” (17.19).
dêem ao mundo tudo o que o Pai Neste contexto, Jesus dá a
deu ao Filho. melhor definição de como buscar
Em uma sociedade ou parceria, a Palavra de Deus. Ele pede ao
tudo que você tem pertence ao seu Pai para santificá-los na verdade,
sócio e tudo o que ele tem perten- tendo pouco antes declarado: “a
ce a você. Jesus usa essa ilustração tua palavra é a verdade” (17). De
para falar do Seu relacionamento acordo com as palavras de Jesus,
com o Pai e com aqueles homens: a Bíblia é a verdade e nós deve-
“Tudo o que tenho é de vocês e tudo mos, ler a Bíblia buscando a ver-
o que vocês têm é Meu”. A bênção dade. Muitos a lêem perguntando:
está em dizermos a Cristo: “Tudo o “o que é isto?”.
que eu tenho é Teu”, e o desafio é No início deste Evangelho, vi-
dizer para Ele em oração: “Tudo o mos que Jesus disse que devemos
que o Senhor tem é meu”. buscar em Seu ensino a verdade
com o compromisso de aplicá-la
No mundo, mas não do mundo em nossas vidas. Só quando apli-
Jesus pede ao Pai que não os camos a verdade é que provamos
tire do mundo, mas que os proteja que os ensinos de Jesus são a Pa-
do mal e dos perigos que enfren- lavra de Deus. Se nós queremos
tariam no mundo. A ênfase agora comprovar que a Bíblia toda é a Pa-
está na iminente realidade: Jesus lavra infalível e inspirada de Deus,
os envia ao mundo como candeias devemos lê-la buscando a verda-
que Ele escolheu com a missão de de. Quando nos comprometemos

106 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

a aplicar e obedecer à verdade que um: eu neles e tu em mim. Que


encontramos na Bíblia, provamos eles sejam levados à plena unida-
que ela é a Palavra de Deus. Jesus de, para que o mundo saiba que
foi muito prático ao ensinar que tu me enviaste e os amaste como
apenas conhecer nem sempre leva igualmente me amaste” (20-23).
a praticar. Ele ensinou - e esta tem Observe, neste trecho da ora-
sido a minha experiência - que o ção, que a unidade que Jesus de-
praticar sempre leva à convicção seja para nós é exemplificada na
absoluta de que a Bíblia é a Pala- unidade que Ele tem com o Pai.
vra de Deus. No capítulo 10 deste Evangelho,
Jesus afirma que Ele e o Pai são
Jesus ora por Sua Igreja um (10.30). Esta unidade é o mo-
Na terceira parte da oração delo para nosso relacionamento
(20-26), Jesus ora por aqueles que com o Pai, com nosso Salvador e
viriam a crer, por causa daqueles uns com os outros.
onze homens. Isto quer dizer que Jesus não estava pedindo o
Ele orou por você e por mim, por- tipo de unidade anunciada por
que durante vinte séculos pessoas muita gente hoje, uma unidade
têm crido e se tornado parte da entre pessoas de diferentes credos,
Igreja que Cristo está construindo, entre pessoas que não creem mais
através do testemunho daqueles nas doutrinas básicas de sua fé. É
onze homens. fácil concordar com questões, nas
Na última parte desta ora- quais não cremos mais.
ção, Jesus está orando por você A principal interpretação e
e por mim: “Minha oração não é aplicação da unidade proposta por
apenas por eles. Rogo, também, Jesus é que Suas obras e palavras
por aqueles que crerão em mim, resultavam do fato de que Ele e o
por meio da mensagem deles, Pai são um: “para que todos se-
para que todos sejam um, Pai, jam um, Pai, como tu estás em
como tu estás em mim e eu em mim e eu em ti” (21). Jesus já
ti. Que eles também estejam em tinha ensinado esta verdade, atra-
nós, para que o mundo creia que vés da metáfora da videira e os ra-
tu me enviaste. Dei-lhes a glória mos. Foi esta unidade que Jesus
que me deste, para que eles se- pediu que o Pai desse aos após-
jam um, assim como nós somos tolos e àqueles que cressem, e se

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 107


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

tornassem parte de Sua Igreja, a o Pai O enviou ao mundo, e a se-


partir de então. gunda, que Ele os ama como ama
“Pai, quero que os que me o Seu Único Filho. Os pedidos de
deste estejam comigo onde eu Jesus, contidos nos versículos 20
estou e vejam a minha glória, a a 23, são de suma importância,
glória que me deste, porque me porque são a base desta oração.
amaste antes da criação do mun- A chave para compreender-
do” (24). Neste versículo, Jesus mos o foco desta oração está nes-
declara que queria que aqueles tes dois versículos: “Pai justo, em-
onze homens estivessem com Ele bora o mundo não te conheça, eu
para que vissem a Sua glória. Ele te conheço e estes sabem que me
prometeu que estaria com aqueles enviaste. Eu os fiz conhecer o teu
que pregassem o Evangelho e fi- nome, e continuarei a fazê-lo, a
zessem discípulos para Ele, atra- fim de que o amor que tens por
vés da História da Igreja (Mateus mim esteja neles, e eu neles es-
28.18-20). teja” (17.25,26).
Assim como Ele deu a Sua O foco desta oração de Jesus
glória àqueles onze homens, hoje é o mundo. Mesmo dizendo ao Pai
Ele continua dando Sua glória para que não está pedindo pelo mundo,
os que O invocam como Senhor e ele menciona o mundo dezenove
Salvador, e continuará a fazê-lo vezes nesta oração. O peso que
até que venha novamente. Jesus tinha no coração aparece
nestas palavras: “Pai justo, embo-
Para que o mundo saiba e creia ra o mundo não te conheça”. Jesus
Jesus garantiu àqueles onze declara que não está pedindo pelo
homens que, quando eles experi- mundo, porque o mundo não co-
mentassem essa unidade, fariam nhece o Pai. Ele pede pelos apósto-
as mesmas obras que Ele tinha fei- los, porque eles O conhecem e são
to. Agora entendemos porque Ele Seus instrumentos, para convence-
investiu três anos num treinamen- rem o mundo de dois fatos do Evan-
to com eles. Ele queria que eles gelho, demonstrados e anunciados
experimentassem essa unidade, e por Jesus, durante três anos.
fizessem as obras que Ele fez, para Primeiro fato: Deus enviou
que o mundo soubesse e cresse Seu Único filho para salvação do
em duas verdades. A primeira, que mundo. Segundo fato: Deus ama o

108 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

homem assim como ama Seu Úni- primeiros versículos deste capítulo,
co Filho. Ele estava orando pelos apóstolos,
Estes dois fatos do Evangelho porque eles foram Sua obra mais
estão registrados no terceiro capí- importante. Cinco séculos depois
tulo do Evangelho de João, quan- que Jesus fez esta oração, todo o
do Jesus disse ao rabino Nicode- Império Romano tinha abraçado a
mos: “Porque Deus tanto amou fé proclamada pelos apóstolos. Esta
o mundo que deu o seu Filho oração maravilhosa foi respondida,
Unigênito, para que todo o que quando o Pai abençoou de maneira
nele crer não pereça, mas tenha poderosa a estratégia do Seu Filho:
a vida eterna” (3.16). alcançar o mundo, por meio dos
De certa forma, quando Jesus apóstolos e daqueles que cressem
orou pela Sua própria vida, nos cinco através da pregação deles.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 109


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 12
“A Prisão de Jesus” (João 18.1-27)

Estamos estudando os últimos entrou com eles. Ora, Judas, o trai-


capítulos do quarto Evangelho, co- dor, conhecia aquele lugar, porque
meçando com o maior relato da Jesus muitas vezes se reunira ali
morte e ressurreição de Jesus en- com os seus discípulos. Então, Ju-
contrado nos Evangelhos. Como já das foi para o olival, levando con-
observamos, João dedicou aproxi- sigo um destacamento de soldados
madamente metade do seu Evan- e alguns guardas enviados pelos
gelho para registrar os trinta e três chefes dos sacerdotes e fariseus,
anos da vida terrena de Jesus; a levando tochas, lanternas e armas.
outra metade foi dedicada à últi- Jesus, sabendo tudo o que lhe ia
ma semana de Sua vida. A partir acontecer, saiu e lhes perguntou:
do capítulo 12, João inicia uma A quem vocês estão procurando?
narração detalhada da última se- A Jesus de Nazaré, responderam
mana de Jesus aqui na terra. eles. Sou eu, disse Jesus. (E Ju-
Nos quatro últimos capítulos, das, o traidor, estava com eles.)
João conta em detalhes a prisão, Quando Jesus disse: Sou eu, eles
o julgamento, a crucificação e a recuaram e caíram por terra. No-
ressurreição de Jesus Cristo. O co- vamente lhes perguntou: A quem
mentário sobre estes últimos capí- procuram? E eles disseram: A Je-
tulos será na forma de um resumo sus de Nazaré. Respondeu Jesus:
dos acontecimentos cruciais na Já lhes disse que sou eu. Se vocês
vida do Filho Unigênito de Deus. estão me procurando, deixem ir
O primeiro dos quatro últimos embora estes homens. Isso acon-
capítulos do Evangelho de João teceu para que se cumprissem as
descreve a prisão de Jesus. O capí- palavras que ele dissera: Não per-
tulo 18 inicia com a seguinte pas- di nenhum dos que me deste. Si-
sagem: “Tendo terminado de orar, mão Pedro, que trazia uma espa-
Jesus saiu com os seus discípulos da, tirou-a e feriu o servo do sumo
e atravessou o vale do Cedrom. Do sacerdote, decepando-lhe a orelha
outro lado havia um olival, onde direita. (O nome daquele servo era

110 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Malco). Jesus, porém, ordenou a ao registrar a prisão de Jesus, que


Pedro: Guarde a espada! Acaso é um grupo de seiscentos soldados
não haverei de beber o cálice que romanos. É provável que aqueles
o Pai me deu?” (18.1-11). soldados estivessem fortemente
João destaca que Jesus es- armados, por temerem uma re-
tava cumprindo as Escrituras e a ação da parte dos discípulos, ou
hora, para a qual tinha vindo ao que Jesus usasse poderes sobre-
mundo. Ele foi consistente ao res- naturais para resistir à prisão.
saltar que aqueles acontecimen- Era típico do exército romano
tos faziam parte da Providência mandar um número grande de sol-
de Deus. Por exemplo, Jesus sa- dados para efetuar uma prisão. O
bia tudo o que ia Lhe acontecer e Livro de Atos conta que foram des-
cumpriu as Escrituras, livrando a tacados 470 homens, para escol-
vida dos Seus apóstolos. tar o apóstolo Paulo de uma prisão
A pergunta que Jesus fez para para outra (Atos 23.23).
Pedro enfatiza o fato de que Ele A palavra empregada por João
estava preste a beber o cálice que para se referir à espada que Pedro
o Pai queria que Ele bebesse (11). usou é o termo grego que signifi-
Os outros autores dos Evangelhos, ca uma faca longa. O que Pedro
principalmente Mateus, acrescen- estava fazendo com aquela arma?
taram o mesmo tipo de comentá- Será que ele havia se juntado a
rio às biografias de Jesus. outros discípulos que acreditavam
João, também, sempre enfati- que Jesus iria combater o poder de
zou o fato de Jesus ser mais que um Roma para estabelecer o Seu reino
simples homem. Isto acontece nes- na terra? (Atos 1.6).
ta passagem, quando João registra A reação de Pedro à prisão de
a prisão de Jesus; no momento em Jesus pode nos levar a várias inter-
que aqueles homens O foram pren- pretações; entre elas, poderíamos
der, caíram por terra, ao ouvir Jesus dizer que Pedro demonstrou ser
dizer “Sou eu” (6), significando, es- muito corajoso ao enfrentar 600
sencialmente: “Eu sou aquEle que soldados romanos, ou que ele não
era, que é e que sempre será”. tinha assimilado o ensino que Je-
Gostaria de ressaltar o signi- sus tinha dado no alto da monta-
ficado e a importância da palavra nha, quando disse que devemos
“destacamento” usada por João, amar os inimigos e não resistir ao

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 111


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

perverso (Mateus 5.39,44). As pa- sobre isso com maiores detalhes,


lavras de Jesus dirigidas a Pedro, quando resumirmos o último capí-
mandando-o guardar a arma, con- tulo deste Evangelho.
firmam esta segunda interpretação. João, também, relata como
O relato de João continua: “As- foi a apresentação de Jesus diante
sim, o destacamento de soldados de Anás: “Enquanto isso, o sumo
com o seu comandante e os guar- sacerdote interrogou Jesus acerca
das dos judeus prenderam Jesus. dos seus discípulos e dos seus en-
Amarraram-no e o levaram primei- sinamentos. Respondeu-lhe Jesus:
ramente a Anás, que era sogro de Eu falei abertamente ao mundo;
Caifás, o sumo sacerdote naquele sempre ensinei nas sinagogas e no
ano. Caifás era quem tinha dito templo, onde todos os judeus se
aos judeus que seria bom que um reúnem. Nada disse em segredo.
homem morresse pelo povo. Simão Por que me interrogas? Pergunta
Pedro e outro discípulo estavam aos que me ouviram. Certamente
seguindo Jesus. Por ser conhecido eles sabem o que eu disse. Quan-
do sumo sacerdote, este discípulo do Jesus disse isso, um dos guar-
entrou com Jesus no pátio da casa das que estava perto bateu-lhe no
do sumo sacerdote, mas Pedro teve rosto. Isto é jeito de responder ao
que ficar esperando do lado de fora sumo sacerdote?, perguntou ele.
da porta. O discípulo que era co- Respondeu Jesus: Se eu disse algo
nhecido do sumo sacerdote voltou, de mal, denuncie o mal, mas, se
falou com a moça encarregada da falei a verdade, por que me ba-
porta e fez Pedro entrar. Ela, en- teu? Então, Anás enviou Jesus, de
tão, perguntou a Pedro: Você não é mãos amarradas, a Caifás, o sumo
um dos discípulos desse homem? sacerdote” (19-24).
Ele respondeu: Não sou. Fazia frio; A maneira como Jesus foi
os servos e os guardas estavam ao preso e tratado pelos soldados ro-
redor de uma fogueira que haviam manos obedeceu aos padrões da
feito para se aquecerem. Pedro época. O inusitado foi que eles
também estava em pé com eles, levaram Jesus primeiro diante de
aquecendo-se” (12-18). Anás e só depois diante de Caifás,
Não devemos ser severos com o sumo sacerdote. Por que Jesus
Pedro; afinal, os outros fugiram, foi levado diante de Anás, se este
quando Jesus foi preso. Falaremos não era o sumo sacerdote?

112 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Anás representava o poder que de oração para todos os povos,


estava por trás de toda corrupção mas vocês fizeram dela um covil
daquele sistema religioso que ex- de ladrões” (Marcos 11.17).
plorava os judeus peregrinos, aque- Estas informações nos aju-
les que iam a Jerusalém para as dam a compreender porque Anás
festas sagradas, as quais requeriam exigiu que Jesus se apresentasse
ofertas de sacrifícios de animais. diante dele, logo depois de ter sido
Ele controlava toda a venda reali- preso. Também podemos enten-
zada nos quatro hectares e meio der a cena de Jesus purificando
do pátio do Templo, assim como os o Templo, confrontando-se com o
mercados, onde os peregrinos pa- perverso Anás. A apresentação de
gavam setenta e cinco vezes mais Jesus diante de Anás não foi um
o preço pelos animais que compra- julgamento, mas uma confronta-
vam. Caso os peregrinos adquiris- ção com o Seu pior inimigo.
sem seus animais em outro lugar, A lei judaica dava direito ao
estes eram considerados impuros réu de não responder nada que o
pelos sacerdotes e não podiam ser pudesse incriminar. Anás mostrou
oferecidos como sacrifício. que aquele julgamento era ilegal,
Quando os romanos destruí- quando interrogou Jesus. Por isso,
ram completamente Jerusalém, no podemos compreender, também,
ano 70 d.C., foi encontrado no co- a razão da pergunta de Jesus: “Por
fre do Templo o equivalente ao que que me interrogas?” Um dos guar-
seria hoje cinco milhões de dólares. das do Templo bateu-lhe no rosto.
Essa atividade corrupta era No contexto político, o povo
extremamente lucrativa para os judeu tinha sido conquistado e
líderes religiosos e, com certeza, estava sofrendo a dura realidade
gerava muito lucro para Anás. da ocupação romana. Os líderes
Tendo conhecimento dessas coi- religiosos podiam realizar julga-
sas, podemos entender muito bem mentos que se referiam às infin-
porque Jesus, indignado, tirou do dáveis restrições e leis, as quais
pátio do Templo todas a mesas eles tinham acrescentado aos
dos comerciantes; também estas mandamentos que Deus lhes en-
palavras de Jesus adquirem em tregara através de Moisés. Entre-
nós sua devida importância: “A tanto, Roma não dava a esses tri-
minha casa será chamada casa bunais a autoridade para executar

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 113


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ninguém. Como os judeus queriam Jesus foi tratado diante de Anás e,


que Jesus fosse crucificado, além também, de quando Pedro o ne-
do julgamento religioso, seria ne- gou pela terceira vez e o galo can-
cessário também um julgamento tou; então, Jesus olhou para ele e,
romano. O julgamento religioso quando os seus olhos se encontra-
de Jesus acontece, quando Anás ram, Pedro lembrou–se de que Je-
manda Jesus para Caifás. sus o advertira que ele O negaria.
Os outros Evangelhos regis- Assim, ele se afastou e, em meio
tram esse julgamento religioso, à escuridão, chorou amargamente
menos João. O que ele fez foi re- (Lucas 22.60-62).
gistrar em detalhes o julgamento Por que o Espírito Santo usou
de Jesus pelo tribunal romano, Pedro para pregar com tanta ousa-
diante de Pôncio Pilatos, governa- dia no Dia de Pentecostes? Tenho
dor romano, na Judeia. certeza de que foi porque ele apren-
João retoma o relato da nega- deu algo com aquele episódio que
ção tríplice de Pedro: “Enquanto o fez um canal do poder do Espírito
Simão Pedro estava se aquecen- Santo. Pedro aprendeu o que é ser
do, perguntaram-lhe: Você não é “quebrantado”. Jesus havia mos-
um dos discípulos dele? Ele ne- trado isso no ensino das bem-a-
gou, dizendo: Não sou. Um dos venturanças: “bem-aventurados os
servos do sumo sacerdote, paren- pobres em espírito, porque deles
te do homem cuja orelha Pedro é o reino dos céus” (Mateus 5.3).
cortara, insistiu: Eu não o vi com De acordo com estudiosos,
ele no olival? Mais uma vez Pedro a expressão “pobre em espírito”
negou e, no mesmo instante, um também pode ser traduzida por
galo cantou” (18.25-27). “quebrantado no espírito”. A se-
Como João focalizou sua nar- gunda atitude que Deus abençoa
rativa na prisão e no julgamento é “chorar” (Mateus 5.4). Uma das
de Jesus pelo tribunal romano, ele aplicações da segunda atitude
não contou que Pedro, depois de bem-aventurada é que choramos
ter negado três vezes Jesus, saiu enquanto aprendemos a ser que-
correndo na escuridão e chorou brantados ou pobres em espírito.
amargamente. Pedro foi usado poderosamente no
O Evangelho de Lucas traz Dia de Pentecostes porque, quan-
um relato emocionante de como do saiu chorando amargamente

114 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

no meio da escuridão, depois de “Eu não posso, mas Ele pode”. Es-
ter negado Jesus três vezes, ele tou convencido de que Deus usou
foi quebrantado no espírito. Pedro Pedro com poder, como líder da
foi escolhido para ser o vaso usa- primeira geração da Igreja de Jesus
do pelo Espírito Santo no Dia de Cristo, porque, enquanto ele chora-
Pentecostes e para liderar a Igreja va na escuridão, aprendeu a confes-
do Novo Testamento, porque ele sar “eu não posso, mas Ele pode”.
tinha aprendido e experimentado Pedro, certamente, experimentou
as duas primeiras verdades que a segunda atitude bem-aventura-
Jesus ensinou no alto do monte da, enquanto aprendia a primeira.
na Galileia. Aprenderemos muito mais sobre
Podemos parafrasear as duas Pedro, no último capítulo deste
bem-aventuranças com a confissão: Evangelho.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 115


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 13
“O Julgamento Romano de Jesus” (João 18.28 - 19.16)

Foi assim que João registrou o os judeus, teríamos a constatação


julgamento romano de Jesus: “Em de como Pilatos odiava os líderes
seguida, os judeus levaram Jesus religiosos judeus e eles também o
da casa de Caifás para o Pretório. odiavam.
Já estava amanhecendo e, para Antes de continuarmos o re-
evitar contaminação cerimonial, os sumo do julgamento romano de
judeus não entraram no Pretório, Jesus, acho importante que sai-
pois queriam participar da Páscoa. bamos alguns detalhes sobre esse
Então Pilatos saiu para falar com governador romano, chamado
eles e perguntou: Que acusação Pôncio Pilatos. O historiador judeu
vocês têm contra este homem? Flávio Josefo, que viveu durante os
Responderam eles: Se ele não fos- tempos do Novo Testamento, e es-
se criminoso, não o teríamos en- creveu sobre a história dos judeus,
tregado a ti. Pilatos disse: Levem- conta que Pilatos se tornou o go-
no e julguem-no conforme a lei de vernador da Judeia no ano de 26
vocês. Mas nós não temos o direito d.C. e ocupou este posto durante
de executar ninguém, protestaram dez anos. Ele não teve um bom
os judeus. Isto aconteceu para que começo com os líderes religiosos
se cumprissem as palavras que Je- judeus, pois, na primeira vez que
sus tinha dito, indicando a espécie visitou Jerusalém, vindo do seu
de morte que ele estava para so- quartel general na Cesareia, região
frer” (28-32). da Palestina, os soldados o escol-
Ao estudarmos esta narrativa taram portando bandeiras que exi-
de João, devemos lembrar que ela biam o busto do Imperador Tibério
não fala sobre o tom de voz usado César, o qual era considerado um
nesse diálogo e, também, não diz deus em Roma.
nada sobre as expressões faciais Depois do cativeiro na Babilô-
e corporais daquelas pessoas. Se nia, os judeus determinaram nun-
tivéssemos esse tipo de informa- ca mais adorar ídolos; por isso,
ção sobre o diálogo de Pilatos com eles se opuseram àquela imagem

116 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

adorada pelos romanos, a qual recursos seriam tirados do tesouro


deveriam respeitar. Eles, constan- do Templo.
temente, mandavam delegações a No incidente que envolveu a
Pilatos, insistindo que aquela ima- construção do ducto, houve pro-
gem fosse removida das bandeiras testos e revoltas nas ruas, quan-
de seus soldados. Como gover- do Pilatos colocou soldados infil-
nador romano, Pilatos não tinha trados no meio da multidão com
nenhuma disposição de contentar roupas civis, portando armas. Ao
aqueles líderes religiosos. seu sinal, os soldados começaram
Quando essa tensão atingiu a espancar e a esfaquear pessoas,
o seu apogeu, Pilatos chamou os ocorrendo a morte de centenas de
líderes religiosos para um encon- judeus, o que fomentou o ódio dos
tro no anfiteatro, a fim de discutir líderes religiosos por Pilatos.
essa controvérsia. Todo o anfitea- Um terceiro episódio ocorreu
tro foi cercado e a intenção de Pi- quando Pilatos postou seus solda-
latos era matar todos eles; porém, dos com escudos dourados e com
os judeus foram tão convictos em a imagem do imperador, no palá-
seus protestos que se ajoelharam, cio de Herodes. A manifestação
descobriram seus pescoços e dis- contrária a esse ato foi tão grande
seram: “Preferimos ser decepados que o próprio imperador ordenou
com suas espadas a ver ídolos em que Pilatos providenciasse a remo-
nossa cidade santa”. ção da imagem dos escudos.
Não sabemos bem o porquê, Josefo conta que, depois da
mas Pilatos voltou atrás, o que foi morte e ressurreição de Jesus, um
uma vitória para os judeus. Entre- último incidente encerrou a carreira
tanto, por causa do orgulho ferido do política de Pilatos. No ano 36 d.C.,
governador romano, somos levados houve uma revolta em Samaria,
a concluir que a relação entre eles que Pilatos conteve com métodos
ficou mais difícil, a partir desse dia. tão cruéis, que a própria liderança
O segundo incidente que pro- romana, na Síria, informou o impe-
vocou o abalo no relacionamento rador, o qual substituiu Pilatos.
entre Pilatos e os líderes religiosos Quando ele estava a cami-
foi a construção de um ducto, para nho de Roma, o imperador Tibério
melhorar o abastecimento de água morreu. Calígula assumiu o poder
na cidade de Jerusalém, cujos e, como ele era um homem louco,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 117


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

podemos imaginar qual foi o fim julgamento, mas a manifestação


de Pilatos, quando chegou em de uma multidão assassina.
Roma. Ele sumiu das páginas da Todo esse cenário mostra o
história, a partir de então. conflito que existia entre inimigos,
Estes dados históricos foram neste julgamento romano - de um
acrescentados, a fim de que com- lado Pilatos e do outro os judeus, e
preendamos melhor a hostilidade entre eles muita hostilidade. João
entre Pilatos e os líderes religiosos. acrescenta o comentário de que
O julgamento romano de Je- tudo o que estava acontecendo
sus começou com Pilatos saindo era o cumprimento das profecias
do seu palácio, para tratar com bíblicas sobre a morte de Jesus, o
os judeus, porque estes não que- Messias (29-32).
riam entrar no Pretório, pois não Pilatos, então, voltou para o pa-
queriam se contaminar e serem lácio e ordenou que Jesus se apre-
impedidos de celebrar a Páscoa. É sentasse diante dele. Eles conversa-
irônico pensar que, enquanto eles ram e Pilatos perguntou a Jesus se
levavam o Filho de Deus para ser Ele era o rei dos judeus. Jesus res-
sacrificado, estivessem preocupa- pondeu dizendo que o Seu reino não
dos em se santificarem para a ce- era deste mundo. Durante o diálogo
rimônia da Páscoa. com Pilatos, Jesus fez uma impor-
Pilatos saiu e perguntou aos tante declaração sobre Sua missão
judeus quais eram as acusações na terra: “por esta razão nasci e para
contra aquele homem. A resposta isto vim ao mundo: para testemu-
deles foi que, se Jesus não fosse nhar da verdade. Todos os que são
um criminoso, não teria sido soli- da verdade me ouvem” (18.37).
citado aquele julgamento. Pilatos Foi aí que Pilatos fez sua famo-
respondeu que eles deveriam levar sa pergunta: “Que é a verdade?”.
Jesus e julgá-Lo eles próprios, de Ele não esperou pela resposta e
acordo com suas leis religiosas. saiu para anunciar que não tinha
Eles disseram que não tinham encontrado bases para a acusação
autoridade para condenar nin- que pesava sobre Jesus. Pode ser
guém à morte, porque era isso o que ele tenha dito isso, porque fi-
que eles queriam que aconteces- cou impressionado com Jesus, ou
se. Certamente, Pilatos previu que por odiar os judeus e não querer
aquele não seria apenas mais um fazer a vontade deles.

118 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

A resposta à pergunta “Quem No original grego, estas pala-


é Jesus?”, com base no capítulo vras têm esta conotação: “Vejam
18 de João, é: Ele é a testemunha que figura patética! Vejam que po-
fiel, aquEle que veio dar testemu- bre coitado!”. Alguns estudiosos
nho da verdade. É trágico pen- acreditam que Pilatos estivesse
sar que Pilatos fez esta pergunta tentando despertar a compaixão
àquEle que é a própria Verdade e dos líderes religiosos; porém, ele
não esperou pela resposta. deveria saber que pessoas como
De acordo com o costume ju- Anás, bem como todos que faziam
daico-romano, um prisioneiro era parte daquele sistema corrupto,
colocado em liberdade durante não tinham compaixão de alguém
a celebração da Páscoa. Pilatos que significava uma ameaça à so-
ofereceu soltar Jesus e os judeus brevivência daquele esquema.
gritaram pelo nome do prisionei- Foi por isso que acrescentei
ro Barrabás, para que este fosse todo o conteúdo histórico, pois eu
solto (33-40). tenho certeza de que Pilatos foi mo-
O governador romano, obede- vido pela raiva que tinha dos judeus.
cendo a um procedimento padrão, Todas as suas atitudes com Jesus e
ordenou que Jesus fosse cruelmen- com os líderes religiosos judeus con-
te açoitado, como um criminoso tinham sarcasmo e desprezo. Por
comum. Eles costumavam agredir esta razão, não nos surpreendemos,
o prisioneiro com um chicote feito quando lemos: “Ao vê-lo, os chefes
de tiras de couro e pontas de me- dos sacerdotes e os guardas grita-
tal, ou de osso, que rasgavam a ram: Crucifica-o! Crucifica-o! Pila-
pele da vítima. tos, porém, respondeu: Levem-no
Depois de açoitarem Jesus, vocês e crucifiquem-no. Quanto a
puseram sobre a Sua cabeça uma mim, não encontro base para acu-
coroa de espinhos e Lhe vestiram sá-lo. Os judeus insistiram: Temos
um manto púrpura; também colo- uma lei e, de acordo com essa lei,
caram uma venda em Seus olhos, ele deve morrer, porque se declarou
a fim de O ridicularizarem, en- Filho de Deus” (19.6,7).
quanto O espancavam, sem qual- É interessante e triste ao mes-
quer compaixão. Depois disso, Pi- mo tempo ver que os mesmos que
latos O conduziu para fora e disse: gritaram “Hosanas”, quando Jesus
“Eis o homem!” (19.5). entrou em Jerusalém, montando

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 119


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

um jumentinho, no início daquela Qualquer um que se declarasse rei


semana, agora gritavam pedindo se opunha a César e isto, no Império
Sua crucificação. Romano, era punido com a morte.
Pilatos voltou para o Pretório Impressiona-me ler que os lí-
e, quando viu que Jesus não lhe deres judeus declararam: “Não te-
falava, disse-Lhe: “Não me res- mos rei, senão César” (15). Quan-
pondes? Não sabes que eu tenho do era para se opor aos impostos
autoridade para te soltar e autori- de Roma, eles se rebelavam, di-
dade para te crucificar? Jesus lhe zendo que Deus era Rei e que eles
respondeu: Nenhuma autoridade não deveriam pagar impostos a
terias sobre mim, se de cima não um rei terreno. O ódio que sentiam
te fora dado” (10,11). A referên- por Jesus e a corrupção espiritu-
cia de que Deus está no controle al em que viviam revelam como
de todas as coisas é enfatizada eles estavam longe de Deus, na-
pelo autor deste Evangelho quele período da história hebraica,
A partir daquele momento, Pi- quando Jesus esteve entre eles.
latos quis libertar Jesus. Os judeus, Pilatos saiu novamente levan-
entretanto, o pressionaram, dizen- do Jesus com ele e, sentando-se
do que qualquer um que libertasse no Tribunal, anunciou: “Eis o rei
Jesus não era amigo de César (12). de vocês” (13,14).
Havia um círculo político em Roma Quando os judeus disseram:
chamado “Os Amigos de César”. A “Se deixares este homem livre,
carreira política de Pilatos, como não és amigo de César, pois todo
governador da Judeia, não ia muito que se diz rei opõe-se a César”
bem, principalmente por causa dos (12), Pilatos, literalmente, lava
líderes religiosos judeus, que, cons- suas mãos e entrega Jesus para
tantemente, reclamavam dele. Eles ser crucificado (Mateus 27.24).
instigaram uma investigação que Esse julgamento forjado de Je-
Pilatos, definitivamente, não que- sus nos traz algumas respostas para
ria que acontecesse. Ele não queria uma das três perguntas básicas do
que chegasse aos ouvidos de Roma nosso estudo. “Quem é Jesus?”.
a acusação de que ele não era ami- Ele é a Verdade e aquEle que veio
go de César. dar testemunho da verdade. Ele é
Também pressionaram Pilatos, o Rei dos judeus e o Juiz de toda
dizendo que Jesus se declarara rei. a Terra. Quando eu penso em tudo

120 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

o que aconteceu, vem-me à mente Testemunha da verdade que o


que um dia Pilatos será julgado por mundo já teve, através de Sua
Jesus, o Rei dos reis e Senhor dos vida e de Seus ensinamentos, que
senhores (João 5.22-24; Romanos revelaram as verdades mais pro-
14.11; I Timóteo 6.13-16). fundas que o mundo já conheceu.
O que é fé? Em tudo o que Ele é aquEle que declarou: “Eu sou
Pilatos fez, descobrimos uma res- o caminho, a verdade e a vida”
posta negativa para esta pergunta. (14.6). Jesus disse a mesma coi-
Pilatos julgou Jesus pelos padrões sa em Sua oração sacerdotal: “a
da lei romana e declarou três ve- tua palavra é a verdade” (17.17).
zes que não tinha base para acusá Ao deparar-se com os retratos de
-Lo de nada. Cristo e os Seus ensinos tão pro-
Mesmo tendo visto a verdade fundos neste Evangelho, desejo
sobre Jesus, Pilatos não creu nEle. que a sua busca pela verdade se
Ele ficou frente a frente com a Ver- encerre, como aconteceu comigo,
dade e ainda perguntou: “Que é a ao perceber que está face a face
verdade?” (18.38), sem esperar com a Verdade Absoluta que, pela
pela resposta. Pilatos é um triste fé, encontramos em Cristo.
exemplo do que não é fé. Minha experiência mostra
E você? É igual a Pilatos? Será que, quando a busca pela verda-
que você também não está frente a de começa e termina em Cristo,
frente com a verdade e ainda per- depara-se com, pelo menos, uma
gunta: “Que é a verdade?”. Eu bus- resposta para a pergunta “O que
quei muito a verdade até perceber é a vida?”. Vida é estar continu-
que estava diante dela sempre que amente envolvido num relaciona-
pensava em Jesus. Durante anos, mento com aquEle que é a Verda-
busquei a verdade na teologia, na de; é ir além das páginas sagradas
filosofia e na psicologia. das Escrituras e encontrar comu-
O mundo inteiro está à pro- nhão com a Palavra Viva, Jesus
cura da verdade. A Verdade é Cristo. Principalmente para quem
Jesus Cristo! Ele era e é a verda- busca a verdade, vida é encontrar,
de personificada. Ele foi a maior conhecer e viver essa Verdade.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 121


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 14
“Chegou a Hora” (João 19.17-42)

Em todo o Evangelho de João, Os autores dos Evangelhos sinóp-


encontramos referências do autor ticos não descreveram os detalhes
a uma determinada hora, na vida cruéis da crucificação. Pode ser
e no ministério de Jesus. João que não o tenham feito, porque
não estava falando de uma hora seus leitores conheciam bem a
com sessenta minutos, mas da crueldade dos detalhes dessa pena
hora para a qual Jesus veio a este de morte, ou talvez porque o mais
mundo. Na metade deste Evange- importante não seja o sofrimento
lho, no capítulo 12, versículo 23, físico de Jesus, mas Sua agonia
consta esta declaração de Jesus: ou sofrimento espiritual, o que
“Chegou a hora”. Também em foi enfatizado tanto pelos autores
17.1, João cita estas palavras de dos Evangelhos como pelos profe-
Jesus em Sua oração: “Pai, che- tas: “Depois do sofrimento de sua
gou a hora. Glorifica o teu Filho, alma, ele verá a luz e ficará satis-
para que o teu Filho te glorifique”. feito” (cf. Isaías 53.10,11).
Essa hora refere-se à morte de E agora “O crucificaram”.
Jesus na cruz. A crucificação de Je- Roma crucificou centenas de mi-
sus foi o propósito principal da Sua lhares de pessoas. Às vezes, eles
vinda ao mundo (3.14-21). Os au- crucificavam cidades ou vilas intei-
tores dos três primeiros Evangelhos, ras que se revoltavam ou se recusa-
ao registrar a morte de Jesus na vam a pagar impostos. Milhares de
cruz, escreveram apenas: “E o cru- cristãos foram crucificados duran-
cificaram”. Quem O crucificou? Os te os primeiros trezentos anos da
romanos? Os judeus? Deus sacrifi- História da Igreja. Nero derramava
cou Seu único Filho para nos salvar cera derretida sobre os corpos dos
(Isaias 53.10; II Coríntios 5.21). cristãos crucificados e os incendia-
“Crucificaram”. Esta palavra va, para que servissem de ilumina-
revela o método usado pelos roma- ção nos jardins de suas festas.
nos, pelos judeus e por Deus, para A morte de todos que Roma
cumprir nosso meio de salvação. crucificou não servia como sacrifício

122 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

para conquistar a nossa salvação. explicam o significado da frase “E


Crucificaram o Deus encarnado, e o crucificaram”.
isto fez da morte de Jesus o sacri- No Velho Testamento, em um
fício aceitável a Deus, para salva- dos capítulos que eu mais gosto,
ção de todo aquele que crê, porque Isaías 53, encontramos uma pro-
somente Ele é o Cordeiro de Deus, fecia com o significado da cruci-
que tira o pecado do mundo (cf. ficação de Jesus Cristo: “Mas ele
Efésios 5.2, Hebreus 7.26-28, foi transpassado por causa das
10.10; 1 João 2.2, 4.10). nossas transgressões, foi esma-
Em Roma não houve muitos gado por causa de nossas iniqui-
casos de crucificação, porque ci- dades; o castigo que nos trouxe
dadãos romanos não podiam ser paz estava sobre ele, e pelas suas
crucificados. Esta pena de morte feridas fomos curados. Todos nós,
era aplicada, em sua maioria, nas tal qual ovelhas, nos desviamos,
províncias dominadas pelos roma- cada um de nós se voltou para o
nos, e era restrita aos escravos e seu próprio caminho; e o Senhor
aos que se rebelavam contra o Im- fez cair sobre ele a iniquidade de
pério Romano, como os zelotes. todos nós. Contudo, foi da vonta-
A crucificação era reservada de do Senhor esmagá-lo e fazê-lo
aos criminosos mais desprezados sofrer, e, embora o Senhor tenha
e odiados; além de ser uma for- feito da vida dele uma oferta pela
ma torturante de alguém morrer, culpa, ele verá sua prole e prolon-
também era vergonhosa. Os sen- gará seus dias, e a vontade do Se-
tenciados eram crucificados nus e nhor prosperará em sua mão. De-
deixados na cruz por uma semana pois do sofrimento de sua alma,
ou mais, até que os abutres comes- ele verá a luz e ficará satisfeito;
sem seus corpos. Quando eram re- pelo seu conhecimento meu servo
tirados da cruz, muitas vezes não justificará a muitos, e levará a ini-
eram nem mesmo enterrados, mas quidade deles. Por isso eu lhe da-
deixados para serem devorados rei uma porção entre os grandes,
pelos animais selvagens. A cruci- e ele dividirá os despojos com os
ficação era uma maneira terrível e fortes, porquanto ele derramou
horrorosa de alguém morrer. sua vida até a morte, e foi con-
Tanto os profetas do Velho tado entre os transgressores. Pois
Testamento como os apóstolos ele levou o pecado de muitos, e

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 123


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

pelos transgressores intercedeu” Isto quer dizer que Jesus, pendu-


(5, 6, 10-12). rado na cruz, trouxe ao mundo
O profeta Daniel, de uma for- inteiro a reconciliação com Deus.
ma resumida, também descreve o Essa passagem de II Coríntios afir-
que aconteceu, quando Jesus mor- ma que, a partir do momento que
reu na cruz. Ele trouxe a reconci- Jesus terminou na cruz a obra da
liação entre Deus e o homem, a nossa salvação, Deus não mais le-
justiça eterna, o cumprimento da vou em conta os nossos pecados,
visão e da profecia e, de uma ma- porque todos eles estavam sobre
neira muito especial, a unção do o Seu único Filho. Para tanto, de-
Santo dos Santos (Daniel 9.24). vemos aceitar pessoalmente o Seu
No Novo Testamento, os sacrifício e confessar Cristo como
apóstolos da Igreja interpretaram nosso Senhor e Salvador.
e aplicaram o significado da morte Esta é a mensagem central das
de Cristo na cruz. Pedro fez uma Boas Novas que devemos anunciar
aplicação do texto de Isaías citado aos perdidos deste mundo: que
acima: “Ele mesmo levou em seu eles não vão mais para o inferno,
corpo os nossos pecados sobre o por causa dos seus pecados. Fomos
madeiro, a fim de que morrêsse- encarregados de anunciar, pessoal-
mos para os pecados e vivêsse- mente o Evangelho aos perdidos
mos para a justiça; por suas fe- do mundo, dizendo-lhes que não
ridas vocês foram curados. Pois precisam ir para o inferno. Se cre-
vocês eram como ovelhas desgar- rem e confessarem seus pecados
radas; mas, agora se converteram serão salvos, pois não pesará mais
ao Pastor e Bispo de suas almas” acusação sobre eles (cf. Marcos
(I Pedro 2.24,25). 16.15,16; Romanos 10.9-11).
No capítulo 5 da Segunda O capítulo 5 de II Coríntios
Carta aos Coríntios, Paulo escre- termina com estas palavras: “Deus
ve a respeito da morte de Cristo tornou pecado por nós aquele que
na cruz e afirma que Deus esta- não tinha pecado, para que nele
va em Cristo, reconciliou o mundo nos tornássemos justiça de Deus”.
com Ele mesmo, não levou mais Ignoremos a divisão em capítulos
em conta os pecados dos homens dessa passagem e vamos dire-
e nos confiou a mensagem da re- to para o versículo seguinte, que
conciliação (II Coríntios 5.18,19). é um desafio para nós: “Como

124 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

cooperadores de Deus, insistimos fatos relacionados a Jesus Cristo,


com vocês para não receberem em que são: Ele morreu e ressuscitou
vão a graça de Deus. Pois ele diz: dos mortos para perdão dos peca-
Eu o ouvi no tempo favorável e o dos, de acordo com as Escrituras
socorri no dia da salvação. Digo- (cf. I Coríntios 15.1-4).
lhes que agora é o tempo favo- João também escreve: “O
rável, agora é o dia da salvação” Crucificaram”, e foi ele quem fez o
(5.21; 6.1,2). relato mais completo sobre a mor-
Em sua Primeira Carta aos Co- te de Jesus, na cruz, encontrado
ríntios, Paulo registra a declaração nos Evangelhos.
mais clara contida na Bíblia sobre Agora que já falamos sobre as
o que é o Evangelho (I Coríntios aplicações pessoais do significado
15.3,4), para o qual fomos chama- da morte de Jesus, iniciaremos
dos, a fim de pregar para toda cria- um resumo da narrativa de João
tura na terra (cf. Marcos 16.15). sobre a hora mais importante da
Nessa carta, Paulo declara vida e do ministério de Jesus.
que, quando chegou em Corinto, No capítulo 19, a partir do ver-
tinha decidido pregar nada além sículo 17, lemos: “Então os soldados
de Jesus Cristo e Este crucificado encarregaram-se de Jesus. Levando
(I Coríntios 2.1,2). Talvez ele esti- a sua própria cruz, ele saiu para o
vesse dizendo que não faria cita- lugar chamado Caveira (que em
ções de filósofos e poetas gregos, aramaico é chamado Gólgota). Ali o
como fez em Atenas, antes de via- crucificaram, e com ele dois outros,
jar para Corinto (Atos 17). um de cada lado de Jesus. Pilatos
No final da sua Primeira Carta mandou preparar uma placa e pre-
aos Coríntios, Paulo lembra a igreja gá-la na cruz com a seguinte inscri-
que ele tinha plantado exatamen- ção: JESUS NAZARENO, O REI DOS
te o Evangelho que lhes tinha pre- JUDEUS. Muitos dos judeus leram a
gado, no qual eles tinham crido, e placa, pois o lugar em que Jesus foi
este Evangelho os tinha salvado. crucificado ficava próximo da cida-
Ao lembrar-lhes que o Evan- de, e a placa estava escrita em ara-
gelho que lhes tinha sido prega- maico, latim e grego. Os chefes dos
do era o fundamento da fé deles, sacerdotes dos judeus protestaram
Paulo também declarou que esse junto a Pilatos: Não escreva “Rei
Evangelho tem como base dois dos Judeus”; escreva: “Este homem

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 125


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

disse: Eu sou o Rei dos Judeus”. Pi- O relato de João continua:


latos respondeu: O que escrevi, es- “Tendo crucificado Jesus, os sol-
crevi!” (16-22). dados tomaram as roupas dele e
O latim era para os romanos, as dividiram em quatro partes,
enquanto que o grego era o idio- uma para cada um deles, restan-
ma mais comum naquele tempo; do a túnica. Esta, porém, era sem
quanto ao aramaico, era para os costura, tecida numa única peça,
judeus. Muitos perguntam por que de alto a baixo. Não a rasguemos,
não foram usados o hebraico, o la- disseram uns aos outros. Vamos
tim e o grego, e a resposta é que, decidir por sorteio quem ficará
enquanto os judeus estiveram no com ela” (19:23,24a).
cativeiro, aprenderam o aramaico. João acrescenta um comentá-
Aqueles que estudaram o Velho rio pessoal: “Isto aconteceu para
Testamento conosco lembram- que se cumprisse a Escritura, que
se que Neemias ficou muito tris- diz: Dividiram as minhas roupas
te, porque os judeus que tinham entre si, e tiraram sortes pelas
voltado do cativeiro não estavam minhas vestes” (João 19.24b;
ensinando o hebraico para seus fi- Salmo 22.18).
lhos (Neemias 13.23,24). A seguir, lemos uma obser-
Quando um prisioneiro era vação feita apenas pelo apóstolo
crucificado, um oficial romano do amor: “Perto da cruz de Jesus
precedia a procissão carregando estavam sua mãe, a irmã dela,
uma placa que dizia a razão da- Maria, mulher de Clopas, e Maria
quela crucificação. Depois de cru- Madalena. Quando Jesus viu sua
cificarem o prisioneiro, a placa era mãe ali e, perto dela, o discípulo a
pregada na cruz. A justiça romana quem ele amava, disse à sua mãe:
determinava que, se qualquer pes- Aí está o seu filho, e ao discípulo:
soa na multidão pudesse provar Aí está a sua mãe. Daquela hora
que as acusações não eram ver- em diante, o discípulo a recebeu
dadeiras, a condenação poderia em sua família” (19.25-27).
ser protestada e seria feito outro Em Marcos 14.50, lemos que
julgamento. Alguém somente se “todos o abandonaram e fugiram”.
manifestaria se pudesse provar a É interessante observar que aque-
inocência do prisioneiro, caso con- las quatro mulheres e o apósto-
trário seria crucificado também. lo João estavam junto à cruz de

126 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Cristo. A irmã de sua mãe, men- Devemos lembrar que, do come-


cionada no texto, seria a esposa de ço ao fim deste Evangelho, João
Zebedeu, mãe de Tiago e João. registrou frases de Jesus que mos-
A narrativa de João continua: tram Sua preocupação em reali-
“Mais tarde, sabendo que tudo zar a obra que o Pai lhe deu para
estava concluído, para que a Es- fazer. “Enquanto é dia, precisa-
critura se cumprisse, Jesus disse: mos realizar a obra daquele que
Tenho sede. Estava ali uma vasi- me enviou. A noite se aproxima,
lha cheia de vinagre. Então, em- quando ninguém pode trabalhar”
beberam uma esponja nela, colo- (9.4). “A minha comida é fazer a
caram a esponja na ponta de um vontade daquele que me enviou e
caniço de hissopo e a ergueram concluir a sua obra” (4.34). “Eu
até os lábios de Jesus. Tendo-o te glorifiquei na terra, completan-
provado, Jesus disse: Está consu- do a obra que me deste para fa-
mado! Com isso, curvou a cabeça zer” (17.4). No momento de Sua
e entregou o espírito” (28-30). morte, que foi Sua obra mais im-
“Está consumado!”. Foi assim portante, durante o Seu sofrimento
que João registrou a exclamação de na cruz, Jesus bradou: “Está Con-
Jesus, feita em alta voz. Esta frase, sumado!” (19.30).
no original grego, “Tetelestai”, tam- Esta expressão é de funda-
bém pode ser traduzida por “está mental importância, pois ela mos-
acabado” ou “está pronto”. tra que não há nada mais que pos-
Quando uma sentença era samos acrescentar ao que Jesus
executada, os romanos escreviam fez por nós na cruz, para termos
“Tetelestai” no relatório do prisio- certeza do nosso perdão e reconci-
neiro, que significa: “cumprida”. liação com Deus, através de Cristo.
Enquanto o prisioneiro agoniza- Vou fazer-lhe uma pergunta.
va até morrer, e por muito tempo Você acha que precisamos acres-
depois que ele morria, a palavra centar mais alguma coisa a esta
“Tetelestai” mostrava a execução obra de Jesus, chamada pelos
da justiça romana, aterrorizando o teólogos de “obra consumada de
povo conquistado e subjugado. Cristo na cruz”? A resposta é que,
É interessante observar que como Jesus já fez e conquistou
Jesus usou a mesma palavra, mas tudo o que era necessário para
como um grito de triunfo na cruz. nos salvar, quando morreu na cruz

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 127


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

e ressuscitou, tudo que nos resta “Ninguém a tira de mim, mas eu a


fazer é crer em Deus e também dou por minha espontânea vonta-
em Jesus, conforme Ele exortou os de. Tenho autoridade para dá-la e
apóstolos, no início do Sermão da para retomá-la. Esta ordem rece-
Última Ceia (14.1). bi de meu Pai” (10.18). Jesus en-
No Livro de Hebreus, encon- tregou Sua vida voluntariamente.
tramos esta afirmação: “Ao con- A história continua no versícu-
trário dos outros sumos sacerdo- lo 31: “Era o Dia da Preparação
tes, ele não tem necessidade de e o dia seguinte seria um sábado
oferecer sacrifícios dia após dia, especialmente sagrado. Como não
primeiro por seus próprios peca- queriam que os corpos permane-
dos e, depois, pelos pecados do cessem na cruz durante o sábado,
povo. Ele o fez uma vez por todas, os judeus pediram a Pilatos que
quando a si mesmo se ofereceu” mandasse quebrar as pernas dos
(Hebreus 7.27). E ainda: “Mas, crucificados e retirar os corpos”.
quando este sacerdote acabou de Apenas mais alguns detalhes
oferecer, para sempre, um único do horror da crucificação: quando
sacrifício pelos pecados, assen- uma vítima estava morrendo na
tou-se à direita de Deus” (He- cruz, as dores nas mãos e nos pés
breus 10.12). que sustentavam o peso do corpo
Se Cristo declarou “Tetelestai” eram indescritivelmente insuportá-
e Deus ficou satisfeito, é ignorân- veis. Com o peso no corpo sobre-
cia, tolice e ingratidão tentar acres- carregando os braços estendidos,
centar qualquer coisa ao que nosso os pulmões começavam a falhar,
Salvador fez por nós na cruz. Quan- causando sérios problemas de res-
do a Bíblia ensina que obedecer ao piração. Para respirar e aliviar a dor
que já sabemos valida a fé verda- nas mãos, ombros e braços, a víti-
deira, quer dizer que não podemos ma tentava colocar o peso nos pés.
acrescentar qualquer coisa à obra Tente imaginar esta cena de
acabada de Cristo na cruz. horror: a vítima sofrendo dessa
É fascinante o que João es- maneira por cinco a sete dias, até
creve: “Com isto, curvou a cabe- que fosse resgatada pela morte.
ça e entregou o espírito” (19.30). Quebrar as pernas da vítima era
Lembremo-nos do que Jesus falou uma forma de acelerar a mor-
sobre Sua vida e João registrou: te, porque ela não poderia mais

128 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

colocar o seu peso sobre a parte mundo!” (1.29). Foi assim que o
inferior do corpo. Assim, com um autor deste Evangelho aplicou o
enorme bastão de madeira e uma significado desse episódio tão trá-
grande bola na ponta quebravam- gico da crucificação do Senhor.
se as pernas da vítima e acelera- Os teólogos consideram muito
va-se o processo da sua morte. importante o fato de um dos solda-
Acompanhe o texto bíblico: dos ter perfurado o lado de Jesus
“Vieram, então, os soldados e com uma lança, e ter saído dele
quebraram as pernas do primeiro sangue e água (34). O sangue re-
homem que fora crucificado com presenta a base da nossa salvação
Jesus e, em seguida, as do outro. e a água representa nossa profissão
Mas, quando chegaram a Jesus, de fé no sangue sagrado, através
constatando que já estava morto, do batismo, em obediência à Gran-
não lhe quebraram as pernas. Em de Comissão (Mateus 28.18-20).
vez disso, um dos soldados perfu- João fala mais sobre este assunto
rou o lado de Jesus com uma lança, na sua primeira epístola, no final
e logo saiu sangue e água. Aquele do Novo Testamento (I João 5.6).
que o viu, disso deu testemunho, No último parágrafo do capí-
e o seu testemunho é verdadeiro. tulo 19 do Evangelho de João, o
Ele sabe que está dizendo a ver- autor menciona dois homens: José
dade, e dela testemunha para que de Arimateia e Nicodemos, dois
vocês também creiam” (32-35). membros do Sinédrio e crentes
Mais uma vez João acrescen- secretos, aparentemente por medo
ta um comentário: “Estas coisas dos seus colegas judeus.
aconteceram para que se cum- A realidade negativa desse pa-
prisse a Escritura: Nenhum dos rágrafo final é que esses homens
seus ossos será quebrado” (João poderiam ter tentado convencer o
19.36; Salmo 34.20). Sem dúvida Sinédrio a suspender o julgamen-
nenhuma, esta é uma referência ao to que levou Jesus à crucificação,
Cordeiro da Páscoa, que não devia pelo pecado de blasfêmia. O fato
ter nenhum dos seus ossos quebra- positivo é que, quando eles viram
dos (Êxodo 12.46). É importante que Jesus tinha morrido, não pu-
lembrar como João Batista apre- deram mais se manter em segredo.
sentou Jesus: “Vejam! É o Cordei- É interessante notar que o que
ro de Deus, que tira o pecado do os levou a confessarem que eram

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 129


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

discípulos de Jesus foi Sua mor- de João. Lembre-se que não são
te e não Sua vida. Certa ocasião, os detalhes grotescos da morte por
Jesus disse: “Mas eu, quando for crucificação que são importantes;
levantado da terra, atrairei todos a afinal, foi o sofrimento de Jesus, na
mim” (12.32). cruz, que conquistou nossa salva-
Segundo alguns estudiosos, ção. O capítulo 53 de Isaías conta
Nicodemos era irmão do historiador que foi o sofrimento do espírito e
judeu Flávio Josefo, e sua declara- da alma de Jesus, quando todos os
ção de fé em Jesus mudou o seu nossos pecados pesaram sobre Ele,
status de “rabino renomado em Je- que conquistou nossa salvação.
rusalém” para o mais desprezado. Paulo conta, em II Coríntios
Quanto a José de Arimateia, 5.21, que Deus fez aquEle que não
lemos que ele pediu a Pilatos o cor- conhecia pecado ser pecado por
po de Jesus (19.38). Como já ob- nós. Esta verdade deveria ter sido
servamos, os romanos não enterra- colocada junto à cruz de Jesus, de
vam as vítimas de crucificação, mas acordo com a citação que Ele fez do
deixavam seus corpos para serem Salmo 22.1, mencionada em Mar-
devorados pelos abutres e pelos cos 15.34: “Eloí, Eloí, lamá sabac-
animais selvagens. Ser identificado tâni?”, que significa meu Deus, meu
com um prisioneiro que tinha sido Deus, por que me desamparaste?
crucificado pelos romanos poderia A convicção de teólogos con-
levar à sua própria crucificação. servadores é de que, no momento
Conforme aprendemos, atra- em que os pecados de todas as
vés da história de Lázaro, eles pessoas vivas, das que já tinham
costumavam enrolar os corpos vivido e das que ainda viveriam
com bandagens embebidas em es- pesaram sobre Jesus, a perfeita
peciarias para combater o odor da comunhão entre Jesus e o Pai foi
decomposição que sempre acom- quebrada, porque um Deus Santo
panha a morte. É possível que não pode contemplar o pecado. Foi
José de Arimateia tenha aparecido essa momentânea ruptura com o
diante de Pilatos, pedindo o cor- Pai que fez a alma de Jesus sofrer
po de Jesus, com especiarias sufi- e conquistou a nossa salvação. Os
cientes para enterrar um rei. autores dos Evangelhos não enfati-
É assim que termina este im- zam os detalhes físicos da horroro-
pressionante capítulo do Evangelho sa morte por crucificação, porque

130 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

foi o sofrimento espiritual de Jesus, única coisa grotesca em toda essa


expresso pelo Seu brado na cruz, história é o seu e o meu pecado,
que nos salvou. que tornaram necessária a morte
O pastor inglês Campbell Mor- na cruz do nosso Salvador!”.
gan fez a seguinte ilustração do “Quem é Jesus”, neste mag-
conceito dos nossos pecados sobre nífico capítulo do Evangelho de
Jesus: “Imagine que todo o enca- João? Jesus é o Cordeiro de Deus
namento de esgoto do mundo te- que veio tirar o pecado do mundo.
nha que ser purificado por causa “O que é fé”, de acordo com
da mente de alguém obstinado em este capítulo? Fé é seguir o exem-
limpeza”. Esta foi a ideia do que plo de José de Arimateia e de Ni-
Isaías quis dizer, quando profeti- codemos, que se identificaram
zou que toda a iniquidade e todo o aberta e publicamente com Jesus
castigo que merecíamos para que em Sua morte e ressurreição.
tivéssemos paz com Deus estava “O que é vida”, de acordo
sobre o Messias. Agora podemos com o capítulo 19 do Evangelho
entender as palavras do apóstolo de João? Vida é a salvação do
Paulo: Deus tornou pecado por nós único Filho de Deus trazida para
aquele que não tinha pecado (cf. todos nós, quando Ele foi pendura-
Isaías 53.5,6; II Coríntios 5.21). do na cruz. Vida é reconciliação e
Na saída do templo, depois paz com Deus. O que João chama
de um culto, uma senhora mui- de “Vida Eterna” é a qualidade de
to educada disse a esse pastor: vida que experimentamos, quando
“Acho que o senhor usou uma ilus- somos reconciliados com Deus,
tração muito grotesca no sermão depois de colocarmos nossa con-
de hoje”. O pastor respondeu: “A fiança em Jesus Cristo.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 131


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 15
“Ele Ressuscitou - O Sinal Supremo” (João 20.1-31)

No capítulo 20 deste Evange- do profeta Jonas. Pois, assim


lho, lemos a descrição que João como Jonas esteve três dias e três
fez das últimas evidências e sinais noites no ventre de um grande
de Jesus, que comprovam ser Ele peixe, assim o Filho do homem
o Cristo, o Filho de Deus. Neste ficará três dias e três noites no
capítulo, a versão biográfica de Je- coração da terra. Os homens de
sus, João relata o último e mais Nínive se levantarão no juízo com
importante destes sinais, porque esta geração e a condenarão, pois
não pôde esperar para fazê-lo no eles se arrependeram com a pre-
último capítulo do seu Evangelho. gação de Jonas, e agora está aqui
No capítulo 2, do versículo o que é maior que Jonas” (Mateus
13 ao 25, João fala a respeito de 12.39-41).
sinais. No episódio em que Jesus Como já vimos, este foi o pro-
purificou o Templo, as autoridades pósito principal do apóstolo João
religiosas Lhe pediram uma cre- ao escrever este Evangelho: apre-
dencial ou um sinal que provasse sentar sinais e evidências que va-
a Sua autoridade para uma atitude lidassem todas as declarações que
tão drástica, ao que Jesus respon- Jesus fez referentes a Ele próprio,
deu: “Destruam este templo e eu tais como: Quem Ele é e porque
o levantarei em três dias” (2.19). veio ao mundo. A evidência enfa-
Ao narrar este diálogo acirrado en- tizada nos capítulos 2 e 20 deste
tre Jesus e os líderes religiosos, o Evangelho foi a ressurreição de Je-
autor deste Evangelho acrescentou sus Cristo.
que eles pensaram que Jesus, ao Também acredito que foi por
fazer esta declaração, estivesse se este motivo que João relatou a pu-
referindo ao Templo de Salomão. rificação do Templo, logo no início
Jesus continuou: “Uma gera- do seu Evangelho, enquanto os
ção perversa e adúltera pede um outros evangelistas mencionaram
sinal miraculoso, mas nenhum si- o mesmo fato no final. Creio que
nal lhe será dado, exceto o sinal João teve duas razões para isso:

132 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

o milagre da ressurreição, que for- O Evangelho se compõe de


talece o propósito básico que o dois fatos básicos a respeito de Je-
moveu a escrever este Evangelho, sus: Ele morreu pelos nossos peca-
qual seja, convencer que Jesus é o dos e ressuscitou, provando ser o
Cristo, o Messias; a segunda razão Cordeiro de Deus, cuja morte tirou
foi mostrar que Jesus é Deus. todo o castigo do pecado que me-
A preocupação de João não recíamos - passado, presente e fu-
era a ordem cronológica dos fatos, turo. No capítulo 19 deste Evange-
mas convencer todos os seus lei- lho, João apresenta o primeiro fato
tores das verdades básicas citadas do Evangelho: a morte de Jesus na
no final do capítulo 20. cruz e, no capítulo 20, o segundo:
Este capítulo apresenta o pon- a ressurreição de Jesus Cristo.
to principal do Evangelho, para O capítulo 20 registra três
o qual Jesus comissionou Seus episódios distintos. O primeiro é
apóstolos e discípulos, isto é, pre- quando os apóstolos descobrem o
gar o Evangelho a toda criatura, milagre glorioso: a tumba estava
em todas as nações da terra (Mar- vazia! Este episódio ocorreu nas
cos 16.15). primeiras horas do dia, que cha-
No capítulo 15 de I Coríntios, mamos “Domingo de Páscoa”.
Paulo fez um resumo do que é o O dia em que Jesus ressusci-
Evangelho: “Irmãos, quero lem- tou dos mortos não é apenas a ra-
brar-lhes o evangelho que lhes zão para a chamada “Páscoa” ou
preguei, o qual vocês receberam “Domingo da Ressurreição”, mas
e no qual estão firmes. Por meio é também o fenômeno que trocou
deste evangelho vocês são salvos, o dia de adoração dos judeus, que
desde que se apeguem firme- faziam parte da Igreja, o sétimo dia
mente à palavra que lhes preguei; da semana, ou o “Sabath”, para o
caso contrário, vocês têm crido primeiro dia da semana, o domingo.
em vão. Pois o que primeiramen- Depois de uma leitura cuida-
te lhes transmiti foi o que recebi: dosa, observamos que eles nunca
que Cristo morreu pelos nossos se referiram ao primeiro dia da se-
pecados, segundo as Escrituras, mana como “Sabath”, mas como
foi sepultado e ressuscitou no ter- “Dia do Senhor”. Eles trocaram
ceiro dia, segundo as Escrituras” o dia de adoração, porque o pri-
(I Coríntios 15.1-4). meiro dia da semana foi o dia em

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 133


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que Jesus ressuscitou dos mortos. removida da trilha de rolagem, a


O fato de há quase dois mil anos mesma que guiou a pedra, quando
os cristãos adorarem em um do- a tumba foi selada.
mingo é uma das provas da Sua Existem várias palavras na
ressurreição. A história relata que língua grega para o verbo “ver”.
esse episódio ocorreu antes de A primeira delas, usada por João,
amanhecer o domingo seguinte à está no primeiro versículo: “Maria
crucificação de Jesus. Madalena chegou ao sepulcro e
O segundo episódio deste viu”, significando que Maria viu à
capítulo ocorreu no domingo de distância e, imediatamente, correu
Páscoa, à tarde (19-23) e o tercei- para contar a Simão Pedro o que
ro, uma semana depois, quando tinha visto.
Tomé aprendeu e nos ensinou uma Acho impressionante a rea-
resposta vital à pergunta “O que é ção de Maria Madalena. Pedro
fé?” (24-29). tinha negado o Senhor três vezes
Foi assim que João registrou o e, mesmo assim, foi a ele que ela
primeiro desses três acontecimen- quis dar a notícia. É como se na-
tos: “No primeiro dia da semana, quele momento ela já o conside-
bem cedo, estando ainda escuro, rasse como líder.
Maria Madalena chegou ao sepul- Pode ser que ninguém sou-
cro e viu que a pedra da entrada besse das negações de Pedro,
tinha sido removida. Então, cor- apenas Jesus, ou mais alguns dos
reu ao encontro de Simão Pedro e apóstolos. Também não sabemos
do outro discípulo, aquele a quem como Pedro usou o seu tempo,
Jesus amava, e disse: Tiraram o desde o momento em que saiu
Senhor do sepulcro e não sabe- correndo e chorando no meio da
mos onde o colocaram” (20.1,2). escuridão até receber a notícia da
Quando Maria Madalena che- ressurreição de Jesus. Alguns es-
gou à tumba, ainda estava escu- tudiosos acham que existem evi-
ro, mas ela viu que a pedra tinha dências nas Escrituras de que ele
sido removida. No original grego, passou esse período com João. Se
fica claro que era um tipo de gru- foi realmente isso o que aconte-
ta longa, com uma pedra grande, ceu, João amava Pedro o suficien-
que selava sua entrada. João con- te para recebê-lo em sua casa.
ta que Maria viu esta pedra grande O apóstolo do amor, autor deste

134 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Evangelho, não amava apenas Je- à parte, separado das faixas de


sus, mas amava Pedro também. linho. Depois, o outro discípulo,
Com certeza, Pedro não tinha que chegara primeiro ao sepulcro,
esquecido a promessa de Jesus de também entrou. Ele viu e creu.
que, na construção da Sua Igreja, (Eles ainda não haviam compre-
ele seria o porta-voz de Deus (Ma- endido que, conforme a Escritura,
teus 16.13-18). Como ele tinha era necessário que Jesus ressus-
negado Jesus três vezes, já deveria citasse dos mortos.)” (3-9).
ter-se perguntado de que maneira O apóstolo do amor, que usa
essa promessa se cumpriria. A res- a palavra “amor” muito mais que
posta para esta pergunta nós a en- qualquer outro escritor do Novo Tes-
contraremos no último capítulo do tamento, nunca se conformou com
Evangelho de João. todo o amor que Jesus demonstrou,
Maria correu para Pedro e um amor que ele jamais tinha co-
João, dizendo: “Tiraram o Senhor nhecido. Alguns anos depois de
do sepulcro, e não sabemos onde o escrever este Evangelho, João dedi-
colocaram”. Tiraram? Quem tirou? cou a Jesus o último livro da Bíblia,
Talvez ela estivesse se referindo o Livro do Apocalipse, fazendo esta
aos judeus que tinham crucificado declaração: “Ele nos ama” (Apoca-
o Senhor; também poderia estar lipse 1.5). Também em suas epís-
se referindo aos romanos que exe- tolas, encontradas no final do Novo
cutaram a pena da crucificação. Testamento, João apresenta dez
A história continua: “Pedro e razões, porque devemos amar uns
o outro discípulo saíram e foram aos outros (I João 4.7-21).
para o sepulcro. Os dois corriam, Segundo a História da Igre-
mas o outro discípulo foi mais rá- ja, João foi o único apóstolo que
pido que Pedro e chegou primeiro viveu até idade avançada. No fi-
ao sepulcro. Ele se curvou e olhou nal da vida, ele estava tão fraco,
para dentro, viu as faixas de linho que tinha de ser carregado para as
ali, mas não entrou. A seguir, Si- reuniões da igreja em Éfeso, onde
mão Pedro, que vinha atrás dele, viveu seus últimos anos. Velhinho,
chegou, entrou no sepulcro e viu com uma longa barba branca, o
as faixas de linho, bem como o apóstolo do amor levantava a mão
lenço que estivera sobre a cabe- para dar a bênção e dizia fraqui-
ça de Jesus. Ele estava dobrado nho: “Filhinhos, não amemos de

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 135


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

palavra nem de boca, mas em direto por Maria Madalena e nem


ação e em verdade” (I João 3.18). lhe explicaram o que tinham vis-
Em João 20.5,6, temos ou- to e o que tudo aquilo significava.
tros significados para a palavra Imagine o que essa notícia signifi-
“ver”. Nestes versículos, quando caria para Maria.
João diz que Pedro “viu” alguma É compreensível que Pedro e
coisa, no original significa que João, eufóricos, deixassem de dar
Pedro olhou, atentamente, exami- atenção à Maria Madalena, que
nando o que estava vendo. Pedro chorava fora da tumba, pois, cer-
examinou bem de perto o maior tamente, só pensavam em voltar
milagre registrado nos Evangelhos. para casa e dar as boas novas da
Estudando esta passagem, ressurreição de Jesus.
descobrimos que o que Pedro e Os inimigos de Jesus tinham
João viram foi o milagre de Jesus destruído o templo, isto é, o corpo
não estar mais dentro daquelas de Jesus, como Ele havia predito,
faixas, que não tinham sido desen- quando falou da maior de Suas
roladas, mas estavam empilhadas evidências (2.19). Em todo o
no canto da tumba. Eles estavam Evangelho, João deixa bem claro
olhando para o milagre mais im- que Jesus foi para a cruz por livre
pressionante do mundo! vontade. Ele tinha poder para en-
João entrou na tumba, “viu e tregar Sua vida e para retomá-la
creu” (8). O autor usou outra pala- (10.18).
vra grega para “ver”. Esta palavra Mas, vamos voltar ao pranto
usada por João tem o mesmo sig- de Maria: “Maria, porém, ficou
nificado da expressão: “Você está à entrada do sepulcro, choran-
entendendo?”. Isto quer dizer que, do. Enquanto chorava, curvou-se
naquele momento, João compre- para olhar dentro do sepulcro e
endeu o que tinha acontecido e viu dois anjos vestidos de branco,
creu, acrescentando o comentário: sentados onde estivera o corpo de
“Eles ainda não haviam compre- Jesus, um à cabeceira e o outro
endido que, conforme a Escritura, aos pés. Eles lhe perguntaram:
era necessário que Jesus ressus- Mulher, por que você está cho-
citasse dos mortos” (João 20.9). rando? Levaram embora o meu
Parece que Pedro e João es- Senhor, respondeu ela, e não sei
tavam tão eufóricos que passaram onde o puseram. Nisto, ela se

136 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

voltou e viu Jesus ali, em pé, mas quer dizer que ela estava completa-
não o reconheceu” (20.11-14). mente possessa, mas Jesus expul-
Observe que aqueles que co- sou todos os demônios dela (Lucas
nheceram e amaram Jesus antes 8.1,2). Fico imaginando a cena de
da Sua morte não O reconhece- Maria aos pés da cruz, como se ela
ram, quando apareceu ressusci- estivesse dizendo: “Jamais esque-
tado. O Seu corpo ressurreto era cerei o que o Senhor fez por mim!”.
certamente diferente daquele que Imagine como você amaria o
eles haviam conhecido. Jesus fa- Senhor, se também tivesse passado
lou com Maria: “Mulher, por que por um processo de libertação tão
está chorando? Quem você está maravilhoso como ocorreu com ela.
procurando? Pensando que fosse Em Lucas 7.47-50, Jesus comen-
o jardineiro, ela disse: Se o senhor ta a respeito de Maria e fala que
o levou embora, diga-me onde o ela pecou muito, foi perdoada de
colocou, e eu o levarei” (15). De muitos pecados e, por isso, ama-
acordo com o texto original, Maria va tanto o Senhor, permanecendo
disse: “eu O carregarei”. junto à cruz, quando todos os Seus
Acompanhe a continuação da discípulos O haviam abandonado.
narração. “Jesus lhe disse: Maria! Durante a Última Ceia, Jesus
Então, voltando-se para ele, Ma- tinha explicado aos apóstolos que
ria exclamou em aramaico: Rabô- haveria um novo tipo de relacio-
ni! (que significa Mestre). Jesus namento com Ele, depois da Sua
disse: Não me segure, pois ainda morte, ressurreição e vinda do Es-
não voltei para o Pai. Vá, porém, pírito Santo. Eles estariam juntos,
a meus irmãos e diga-lhes: Es- mas de uma maneira que ainda
tou voltando para meu Pai e Pai não tinham estado, durante os úl-
de vocês, para meu Deus e Deus timos três anos. Isto, porém, não
de vocês. Maria Madalena foi e tinha sido explicado à Maria.
anunciou aos discípulos: Eu vi o No momento do encontro com
Senhor! E contou o que ele lhe Maria Madalena, Jesus se refere
dissera” (16-18). aos apóstolos como Seus irmãos:
Que história emocionante! Os “Vá, porém, a meus irmãos e di-
outros Evangelhos revelam que Ma- ga-lhes: Estou voltando para meu
ria Madalena foi a mulher de quem Pai e Pai de vocês, para meu Deus
Jesus expulsou sete demônios. Isto e Deus de vocês” (17). O autor do

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 137


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Livro de Hebreus demonstra admi- com vocês. Assim como o Pai me


ração em ver que Jesus não tinha enviou, eu os envio. E com isso,
vergonha de chamar os homens de soprou sobre eles e disse: Re-
Seus irmãos (Hebreus 2.11). cebam o Espírito Santo. Se per-
Pode ser que Jesus estivesse doarem os pecados de alguém,
enfatizando o que Ele ensinou por estarão perdoados; se não os per-
ocasião da Última Ceia: “Meu Pai é doarem, não estarão perdoados”
a explicação para cada palavra que (João 20.19-23).
falo e cada obra que realizo. Eu Sou Esta é uma passagem fasci-
o caminho para o Pai e Ele é o Pai nante das Escrituras. Os apóstolos,
de vocês também. Meu Deus é a temendo muito que os líderes reli-
explicação para tudo o que vocês giosos corruptos que tinham levado
me viram fazer e ouviram de mim. o Senhor à cruz fossem atrás deles,
Agora vocês podem estar tão perto reuniram-se a portas trancadas.
do Pai como eu estou”. Sem que eles as abrissem, de re-
Maria correu para os apósto- pente Jesus aparece no meio deles
los e anunciou: “Eu vi o Senhor!” e lhes dá a bênção da Sua paz duas
(20.18). Que boas novas glorio- vezes, confiando-lhes, em seguida,
sas! Maria foi e anunciou tudo o a Grande Comissão, a qual, de
que Jesus lhe havia dito. Pode ser acordo com João, poderia ser as-
que Jesus lhe tenha falado sobre sim traduzida: “Estou lhes envian-
Sua ascensão. do ao mundo exatamente como o
Pai me enviou” (17.18; 20.21).
A Grande Comissão no Evangelho Ao confiar-lhes a Grande Co-
de João missão, Jesus sopra sobre eles e
“Ao cair da tarde daquele diz: “Recebam o Espírito Santo”
primeiro dia da semana, estando (22). Os estudiosos das Escrituras
os discípulos reunidos a portas não são unânimes quanto à inter-
trancadas, por medo dos judeus, pretação desta passagem. Alguns
Jesus entrou, pôs-se no meio de- acreditam que Jesus tenha dito
les e disse: Paz seja com vocês. isso somente para o dia de Pente-
Tendo dito isso, mostrou-lhes as costes, quando os discípulos rece-
mãos e o lado. Os discípulos ale- beram o Espírito Santo. O original
graram-se quando viram o Senhor. grego sugere que Jesus tenha ins-
Novamente Jesus disse: Paz seja pirado e expirado, dizendo após:

138 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

“Recebam o Espírito Santo”. O que fazer um convite para que pessoas


Jesus disse pode ter este signifi- aceitem o perdão de Deus, e assim
cado: “Recebam o Espírito Santo, pode fazer todo aquele que procla-
quando Ele vier, assim como vocês ma o Evangelho.
inspiram e expiram”. O terceiro grande ensino des-
No contexto da obediência à te capítulo começa no versículo
Grande Comissão, a afirmação de 24, antes de João dizer qual foi o
Jesus é basicamente esta: “Se per- seu propósito ao escrever o quarto
doarem os pecados de alguém, es- Evangelho. Este importante ensi-
tarão perdoados; se não os perdoa- no responde a pergunta “O que é
rem, não estarão perdoados” (23). fé?”. Lemos que Tomé não estava
Este ensino de Jesus pode ser presente, quando Jesus apareceu
interpretado de duas maneiras. Al- aos apóstolos: “Tomé, chamado
gumas pessoas interpretam que o Dídimo, um dos doze, não estava
ministro do Evangelho, aquele que com os discípulos, quando Jesus
prega as Escrituras aos pecadores, apareceu. Os outros discípulos
tem o poder e a opção de perdoar lhe disseram: Vimos o Senhor,
ou deixar de perdoar. Acreditam mas ele lhes disse: Se eu não vir
que essa pessoa pode dizer: “Eu as marcas dos pregos nas suas
perdoo ou absolvo você”. mãos, não colocar o meu dedo
Mas, não é isso que esta pas- onde estavam os pregos e não pu-
sagem quer dizer, porque apenas ser a minha mão no seu lado, não
Deus pode perdoar pecados (Lucas crerei. Uma semana mais tarde,
5.17-25, Colossenses 1.13,14). os seus discípulos estavam outra
Creio que a interpretação correta é vez ali, e Tomé com eles. Apesar
que, quando pregamos ou ensina- de estarem trancadas as portas,
mos o Evangelho aos pecadores, se Jesus entrou, pôs-se no meio de-
eles crerem, podemos lhes garantir les e disse: Paz seja com vocês.
que Deus lhes perdoou os pecados, E Jesus disse a Tomé: Coloque
por causa do que Cristo fez por eles o seu dedo aqui; veja as minhas
na cruz. Se não crerem no Evan- mãos. Estenda a mão e coloque
gelho, podemos declarar que seus -a no meu lado. Pare de duvidar
pecados não foram perdoados. e creia. Disse-lhe Tomé: Senhor
Como pastor, já procedi des- meu e Deus meu! Então Jesus lhe
ta maneira incontáveis vezes, ao disse: Porque me viu, você creu?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 139


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Felizes os que não viram e cre- Da mesma forma que não de-
ram” (20.24-29). vemos ser tão duros com Pedro por
Podemos dizer que esta de- ter negado Jesus, quando todos os
claração de Jesus feita para Tomé outros apóstolos O haviam aban-
“Bem-aventurados os que não vi- donado (Marcos 14.50), também
ram, mas creram” poderia ser uma não devemos ser tão rigorosos com
nova bem-aventurança, e, se pos- Tomé que, depois de três anos an-
sível fosse, deveríamos acrescentá dando com Jesus, somente creu
-la ao ensino que Jesus ministrou quando O viu e O tocou, depois
no monte (Mateus 5.3-11). de ressuscitado. A mesma coisa
Não podemos ser muito críti- aconteceu com os outros apósto-
cos com Tomé. Devemos lembrar los. Eles creram, porque viram a
que quando eles estavam todos água ser transformada em vinho
com medo, porque Jesus esta- em Caná da Galileia, porque viram
va voltando para a Judeia, onde o Senhor acalmar a tempestade,
a hostilidade dos judeus tinha se curar centenas de pessoas e res-
intensificado e, certamente, Ele suscitar Lázaro dos mortos, mas,
corria perigo, foi o apóstolo Tomé mesmo crendo, O abandonaram.
quem disse: “Vamos também para Jesus não ensinou apenas a Tomé,
morrermos com ele” (João 11.16). mas a todos os apóstolos a respos-
Esta aparição miraculosa de ta à pergunta “O que é fé?”.
Jesus aos Seus discípulos é o últi- Considere agora a nova bem
mo sinal que João registrou, antes -aventurança: “Felizes os que não
de dizer qual foi o seu propósito ao viram e creram”. A quem você acha
escrever este Evangelho. Nos vinte que se aplica esta bênção prome-
capítulos do seu Evangelho, João tida? Não se aplica aos apóstolos,
apresentou evidências miraculosas porque eles creram em razão de
para nos convencer de que Jesus ter visto. Jesus ensinou esta nova
é o Cristo, o Filho de Deus. O pro- bem-aventurança a Tomé e aos
pósito de João é que todos os seus outros apóstolos, abençoando mi-
leitores digam como Tomé: “Senhor lhões de crentes que Ele sabia que
meu e Deus meu!”. Tomé não reco- O seguiriam, durante séculos de
nheceu Jesus apenas como Salva- História da Igreja, e que viriam a
dor; ele professou sua fé em Jesus crer no Cristo Vivo e Ressuscitado,
como seu Senhor e seu Deus. sem jamais tê-Lo visto.

140 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Esta lição de fé que Jesus Evangelho de João. Para os teó-


ensinou está muito bem descrita logos, esta declaração do capítulo
nestas palavras inspiradas de Pe- 20 encerra o testemunho de Jesus,
dro: “Mesmo não o tendo visto, apresentado por João neste Evan-
vocês o amam e, apesar de não o gelho. O último capítulo é um epí-
verem agora, creem nele e exul- logo ou um pós-escrito, inspirado
tam com alegria indizível e glorio- pelo Espírito Santo, com verdades
sa, pois vocês estão alcançando profundas relacionadas à implan-
o alvo da sua fé, a salvação das tação da Grande Comissão, que
suas almas” (I Pedro 1.8,9). Jesus passou para os apóstolos.
Isto quer dizer que a intenção A conclusão do que podemos
de Jesus é que esta bem-aventuran- chamar de “tema” deste Evange-
ça seja a experiência de fé de pes- lho, iniciado com as primeiras pa-
soas como eu e você. Esta atitude lavras do primeiro capítulo até o
é precedida de uma promessa de último versículo do vigésimo capí-
bênção, pronunciada por Jesus a to- tulo é: “Jesus realizou na presen-
dos os que creem em Sua ressurrei- ça dos seus discípulos muitos ou-
ção, mesmo sem jamais tê-Lo visto. tros sinais miraculosos, que não
João conclui o capítulo 20, estão registrados neste livro. Mas
apresentando uma importante de- estes foram escritos para que vo-
claração de propósito. Podemos cês creiam que Jesus é o Cristo, o
dizer que já concluímos o comen- Filho de Deus e, crendo, tenham
tário, versículo por versículo, do vida em seu nome” (20.30,31).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 141


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Epílogo
“Transformando Ninguém em Alguém” (João 21.1-25)

Este é o início do epílogo do a menos de cem metros da praia.


Evangelho de João: “Depois dis- Quando desembarcaram, viram ali
so, Jesus apareceu novamente uma fogueira, peixe sobre brasas,
aos seus discípulos, à margem do e um pouco de pão. Disse-lhes Je-
mar de Tiberíades. Foi assim: Es- sus: Tragam alguns dos peixes que
tavam juntos Simão Pedro, Tomé, acabaram de pescar. Simão Pedro
chamado Dídimo, Natanael, de entrou no barco e arrastou a rede
Caná da Galileia, os filhos de Ze- para a praia. Ela estava cheia: ti-
bedeu e dois outros discípulos. nha cento e cinquenta e três gran-
Vou pescar, disse-lhes Simão Pe- des peixes. Embora houvesse tan-
dro. E eles disseram: Nós vamos tos peixes, a rede não se rompeu.
com você. Eles foram e entraram Jesus lhes disse: Venham comer.
no barco, mas, naquela noite, não Nenhum dos discípulos tinha co-
pegaram nada. Ao amanhecer, Je- ragem de lhe perguntar: Quem és
sus estava na praia, mas os dis- tu? Sabiam que era o Senhor. Je-
cípulos não o reconheceram. Ele sus aproximou-se, tomou o pão e o
lhes perguntou: Filhos, vocês têm deu a eles, fazendo o mesmo com
algo para comer? Eles responde- o peixe. Esta foi a terceira vez que
ram que não. Ele disse: Lancem a Jesus apareceu aos seus discípu-
rede do lado direito do barco e vo- los, depois que ressuscitou dos
cês encontrarão. Eles a lançaram mortos” (21.1-14).
e não conseguiam recolher a rede, Muitos estudiosos acreditam
tal era a quantidade de peixes. que o tema do Evangelho de João
O discípulo a quem Jesus amava acaba no versículo 31 do capítulo
disse a Pedro: É o Senhor. Simão 20. No capítulo 21, o capítulo-epí-
Pedro, ouvindo-o dizer isso, vestiu logo, Jesus lembra a sete dos doze
a capa, pois a havia tirado, e lan- apóstolos, principalmente Pedro,
çou-se ao mar. Os outros discípu- que os havia escolhido e comissio-
los vieram no barco, arrastando a nado, não para pescar peixes, mas
rede cheia de peixes, pois estavam para pescar homens (Lucas 5.10).

142 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Estes apóstolos tiveram uma A confirmação de Pedro


noite de pescaria perdida até que Na metade do capítulo 21, a
Jesus mandou que eles jogassem partir do versículo 15, deparamo-
as redes do outro lado do barco. nos com um relato maravilhoso do
Assim que o fizeram, as redes se relacionamento de Pedro com Je-
encheram de peixes e, imediata- sus. Por três vezes, Jesus pergun-
mente, eles reconheceram que ta a ele: “Pedro, você me ama?”.
aquEle estranho na praia era o O texto a seguir é uma tradução
Senhor. Ficou registrado o número livre do original grego deste diálo-
preciso daquela pescaria: 153 pei- go profundo entre Jesus e Pedro:
xes (21.11). “Depois do café da manhã, Jesus
O Evangelho da salvação não perguntou a Simão Pedro: Simão,
foi anunciado apenas para os ju- filho de João, você me ama mais
deus ou para uma classe especial que estes? Sim, Pedro respondeu,
de pessoas. Como os anjos procla- o Senhor sabe que sou Seu amigo.
maram, quando Cristo nasceu, Je- Então alimenta os Meus cordeiros.
sus estava lembrando aos apósto- Jesus repetiu a pergunta: Simão,
los que o Evangelho era para todos filho de João, você realmente Me
(Lucas 2.10). ama? Sim, Senhor, disse Pedro, o
Alguns estudiosos acreditam Senhor sabe que sou Seu amigo.
que o fato das redes não terem se Então, cuide das Minhas ovelhas,
rompido com tantos peixes tem disse Jesus. Mais uma vez Ele
um significado. A interpretação e perguntou: Simão, filho de João,
aplicação que tiramos para nós, será que você é meu amigo? Pedro
para os apóstolos e para todos os ficou triste com a terceira pergun-
pescadores de homens é que ne- ta de Jesus e respondeu: Senhor,
nhum dos peixes pegos vai cair o Senhor conhece o meu coração;
fora da rede. Como Jesus declarou o Senhor me conhece. Jesus lhe
em outra passagem deste Evange- disse: Então, alimente as Minhas
lho, o Pai é a força motriz por trás ovelhas” (21.15-17).
da nossa resposta a Cristo, e nós Leia com atenção esta passa-
estamos seguros nas mãos do Fi- gem e observe que foi na presença
lho e do Pai, quando respondemos de seis homens, os quais tinham
ao Evangelho e nos tornamos ove- ouvido Pedro se gloriar, durante a
lhas dEles (6.44; 10.28,29). Última Ceia, dizendo que jamais

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 143


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

negaria o Senhor, que Jesus pergun- perguntando: “Pedro, você me ama


tou a Pedro três vezes: “Pedro, você de todo coração, alma e forças?” e
me ama?”. Na segunda vez que Je- Pedro estivesse respondendo: “O
sus fez a pergunta, Ele não mais se Senhor sabe a resposta para esta
referiu aos outros homens presen- pergunta. O Senhor sabe que meu
tes. Será que Jesus fez a mesma amor por Ti não passa de um amor
pergunta para Pedro três vezes, por- superficial de amigo”.
que não sabia a resposta? Claro que Pedro estava sendo “quebran-
não! Na primeira pergunta de Jesus tado em seu espírito”. Podemos
foi usada a palavra “ágape” para dizer também que ele estava expe-
amor, que significa amor completo, rimentando a primeira bem-aven-
o mesmo amor descrito por Paulo turança que Jesus ensinou no alto
em I Coríntios 13.4-7. do monte: ele estava se tornando
João registra que Pedro res- “pobre em espírito” (Mateus 5.3).
pondeu a pergunta de Jesus com
a palavra “phileo”, que é um tipo O Versículo mais bonito da Bíblia
de amor inferior ao amor ágape, o Quando Pedro confessa que
amor de amigo. Pedro estava di- seu amor pelo Senhor não passa
zendo: “O Senhor sabe a resposta de amor de amigo, Jesus respon-
para esta pergunta e sabe que sou de: “Alimente as Minhas ovelhas,
apenas Seu amigo”. Pedro confes- Pedro”. Eu considero esta uma das
sou um tipo de amor por Jesus que passagens mais bonitas da Bíblia.
não era o amor ágape, ordenado A essência do que o Senhor está
por Jesus durante a Última Ceia, dizendo a Pedro é: “Pedro, Eu que-
o amor que vem de Deus e resulta ro alguém como você alimentando
em compromisso total. Minhas ovelhas; alguém que sabe
Uma das observações mais o que é errar e que não exige das
importantes que podemos fazer Minhas ovelhas uma perfeição ir-
sobre este diálogo é a mudan- real. Quero alguém quebrantado e
ça que vemos em Pedro. Quando humilde cuidando das Minhas ove-
Jesus perguntou se o amor dele lhas, pelas quais Eu morri. Quero
era maior que o amor daqueles alguém que tenha compaixão e
homens, Pedro não se vangloriou que se importe com Minhas ove-
de O amar mais que os outros. Foi lhas; alguém que saiba tratar as
quase como se o Senhor estivesse falhas das minhas ovelhas que Eu

144 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

amo tanto. Eu quero alguém como Como já observamos, a parte


você alimentando e cuidando das mais bonita deste diálogo entre Je-
Minhas ovelhas tão preciosas”. sus e o apóstolo que O havia nega-
Ao registrar a pergunta que Je- do três vezes é quando Pedro con-
sus fez, pela segunda vez, João re- fessa seu quebrantamento e Jesus
lata que Jesus usou mais uma vez responde pela última vez: “Alimen-
a palavra “ágape”, mas Pedro res- te Minhas ovelhas, Pedro”. Acho
pondeu usando a mesma palavra isso tudo lindo! Você, que já falhou
“phileo”. Em resposta à segunda com o Senhor, também deve achar
confissão de Pedro, João usa uma essas palavras de Jesus para Pedro
palavra grega, que dá este sentido as mais bonitas da Bíblia.
à resposta de Jesus: “Então pasto- As palavras de confirmação
reie as Minhas ovelhas, Pedro. Eu que Jesus repete para Pedro três
quero alguém como você cuidan- vezes significam que o Cristo vivo
do das necessidades das Minhas e ressuscitado não quer pessoas
ovelhas, Pedro” (21.16). perfeccionistas, que fazem exi-
Esse diálogo, na praia, entre gências impossíveis para Suas
Jesus e Pedro, atinge o seu auge ovelhas. Os fariseus foram os úni-
com a terceira pergunta: “Pedro, cos que conseguiram irar aquEle
você me ama?”. Desta vez aparece que era “Deus conosco”. Uma
a palavra “phileo”. Isto quer dizer das razões porque Jesus ficava in-
que Jesus estava perguntando ao dignado com os fariseus eram as
futuro líder da Igreja: “Você é pelo exigências deles sobre o povo de
menos meu amigo, Pedro?”. Deus (Mateus 23.3,4,13).
Quando conhecemos essas Um dos tutores que eu tive
palavras gregas, percebemos por me disse certa vez: “Você não é
que Pedro ficou triste, quando o Deus, por isso permita-se o direito
Senhor fez a terceira pergunta. de errar e permita aos outros o que
Também percebemos o quebran- você permite a si mesmo. As pes-
tamento de Pedro ao responder soas que não se permitem errar,
à terceira pergunta de Jesus: “O nem permitem que outros errem
Senhor conhece o meu coração levam as pessoas e a si mesmas
e sabe todas as coisas. O Senhor ao desespero”.
sabe que eu O amo pelo menos Outro tutor contou-me que,
como amigo” (17). quando se despediu de sua mulher

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 145


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

para o primeiro dia de trabalho Primeira lição: “Você não é


como Capelão do Senado dos Es- ninguém”. Segunda lição: “Você
tados Unidos, todos os dias que é alguém”. Terceira lição: “Vou
tinha vivido e todos os erros que mostrar para você o que faço com
tinha cometido o tinham prepara- alguém que aprendeu que não é
do para aquele dia. ninguém”. No início de nosso es-
O diálogo entre Jesus e Pedro tudo, quando comentamos o Livro
é emocionante, pois nele percebe- de Êxodo, vimos essas três lições
mos que Jesus estava convencen- na vida de Moisés e, em toda a
do Pedro, você e eu de que nossas Bíblia, vemos Deus ensinando-as
vitórias e falhas são ferramentas para aqueles que Ele usou. Você
que Ele usa para desenvolver nos- também pode ver Deus ensinando
so caráter, além de nos convencer a mesma lição hoje, quando Ele
da verdade que Ele ensinou no Úl- quer usar você.
timo Retiro. Com a metáfora da vi- Outra maneira de resumir as
deira e seus ramos, Jesus ensinou três lições é dizer que pessoas
que sem Ele não podemos fazer como Moisés e Pedro descobri-
absolutamente nada (15.5). ram a bênção resultante do co-
Quase tudo que nos acontece, nhecimento de três segredos es-
quando seguimos Jesus, faz parte pirituais: “A questão não é quem
do Seu “seminário” em nossas vi- eu sou, mas quem Deus é. O que
das, o qual não terminará, enquan- realmente importa não é o que eu
to estivermos dispostos a aprender. posso fazer, mas o que Ele pode e
Por que o Cristo Ressuscitado vai fazer. Portanto, o que vale não
demonstrou tanto poder através é o que eu quero, mas o que Ele
de Pedro, no Dia de Pentecostes? quer”. Quando aprendemos estes
Acredito que encontramos a res- segredos espirituais e permitimos
posta para esta pergunta, quando que Deus nos use, podemos olhar
compreendemos a dinâmica da para trás e dizer: “Quando penso
conversa que Jesus teve com Pe- no valor da vida, percebo que não
dro na praia, naquela manhã. foi o que eu fiz, mas o que Ele fez
Jesus ensinou três lições a Pe- através de mim que terá consequ-
dro que todo cristão deve apren- ências eternas. Só depois que ex-
der antes de se tornar instrumento perimentei essas verdades espiri-
usado por Deus com poder. tuais foi que minha vida produziu

146 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

o que Jesus chamou de fruto que de Jesus para Pedro: “Quando você
permanece” (João 15.16). era mais jovem, vestia-se e ia para
Certo jovem, que era muito onde queria, mas, quando for ve-
ativo e empreendedor, antes de lho, estenderá as mãos e outra pes-
aprender esses quatro segredos soa o vestirá e o levará para onde
espirituais, fez a seguinte decla- você não deseja ir” (18).
ração: “Jesus Cristo somado a Jesus podia simplesmente es-
alguma coisa é nada; Jesus Cris- tar Se referindo à velhice, quando
to somado a nada é tudo!”. Hoje muitas vezes as pessoas requerem
o Senhor o usa poderosamente cuidados, mas, para que não pen-
como um evangelista internacio- semos assim, João escreveu: “Je-
nal, porque ele aprendeu o que sus disse isso para indicar o tipo
Deus pode fazer com alguém que de morte com a qual Pedro iria
aprendeu que não é ninguém. glorificar a Deus” (19).
Tenho certeza de que o Cristo Ao dizer “estenderá as mãos”,
Vivo e Ressuscitado escolheu mi- Jesus estava falando da crucifica-
nistrar através de Pedro, no Dia de ção de Pedro. Esta era uma expres-
Pentecostes, porque ele tinha apren- são comum para se referir à crucifi-
dido que não era ninguém. Naquela cação, assim como “ser levantado”,
manhã, na praia, Jesus mostrou a usada no capítulo 3, versículo 14.
Pedro que ele era alguém que Deus O texto continua: “Pedro vol-
poderia usar, porque ele tinha apren- tou-se e viu que o discípulo a
dido que não era ninguém. No Dia quem Jesus amava os seguia.
de Pentecostes, a Igreja e o mundo (Este era o que estivera ao lado
inteiro descobriram o que o Cris- de Jesus durante a ceia e pergun-
to Vivo e Ressuscitado pode fazer, tara: Senhor, quem te irá trair?).
através de alguém que aprendeu Quando Pedro o viu, perguntou:
que não é ninguém (Atos 2.32,33). Senhor, e quanto a ele?” (20,21).
Pedro sempre gostou de dizer
A vontade de Deus para sua vida que estava pronto para morrer por
(21.18-23) Jesus e, neste capítulo, Jesus de-
Jesus também ensinou uma li- cidiu contar-lhe como ele morre-
ção vital sobre a vontade de Deus ria. Se os dados históricos forem
para a vida de um discípulo seu. corretos, Jesus estava anuncian-
João escreveu as seguintes palavras do a Pedro que teria o privilégio

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 147


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de ser crucificado de cabeça para irmãos o rumor de que aquele dis-


baixo por causa do seu Senhor! cípulo não iria morrer, mas Jesus
Ao ouvir aquelas palavras, não disse que ele não iria morrer;
a parte humana de Pedro veio à apenas disse: Se eu quiser que
tona. Ele apontou para João, o seu ele permaneça vivo até que eu
sócio no negócio de pescaria, e volte, o que lhe importa?”.
perguntou a Jesus: “Senhor, eu sei Toda vez que Deus recria um
que o Senhor vai me dar a graça e de nós, através do Novo Nascimen-
a paz para passar por este tipo de to, Ele joga a forma fora. Quando
morte tão terrível, mas e quanto somos salvos nos tornamos feitu-
a ele? Qual é a Sua vontade para ra de Deus (II Coríntios 5.17,18;
a vida e morte dele?”. Creio que Efésios 2.10). Deus, em Sua pro-
Pedro fez esta pergunta porque vidência, criou todos, embora dife-
amava João, o qual também de- rentes uns dos outros; seres únicos,
monstrou amá-lo nos momentos distintos de qualquer outra pessoa
difíceis, quando ele negou Jesus e, sobre a terra (Salmo 139.16).
depois, no momento de confirma- Descobrimos nossa indivi-
ção com o Senhor. dualidade, através da salvação (I
Jesus respondeu a Pedro que Timóteo 4.16). Por que, então,
a Sua vontade para a vida e para esperamos encontrar a vontade de
a morte de João não era da conta Deus para nossas vidas, compa-
dele: “Se eu quiser que ele per- rando a vontade dEle para a vida
maneça vivo até que eu volte, o de outras pessoas?
que lhe importa? Quanto a você, Esta é uma verdade, da qual
siga-me” (22). Em outras pala- devemos nos apropriar, e não gastar
vras, Jesus estava dizendo a Pe- tanto tempo pensando sobre o que
dro: “Meus planos para João são o Senhor está fazendo na vida dos
para a vida dele, e Meus planos outros. Eu sou responsável apenas
para você são para a sua vida. por mim mesmo diante de Cristo.
Não se preocupe com Meus pla- Por isso, devo me preocupar em
nos para a vida dele; preocupe-se fazer o que o Senhor quer que eu
em descobrir qual é o Meu plano faça e não com os planos de Deus
para você e em Me seguir”. para a vida de outras pessoas.
No versículo 23, lemos: “Foi Existe uma metáfora, na Bí-
por isso que se espalhou entre os blia, a qual não é muito bem

148 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

compreendida nas sociedades em apóstolos mostrou que eles esta-


que se vive sob regime democrá- vam voltando às suas antigas ati-
tico. Nas cidades antigas, como vidades, ignorando a missão que
Roma, havia milhões de escravos Jesus lhes tinha deixado, na qual
entre a população. Os profetas tinha investido os três anos de Seu
do Velho Testamento se conside- ministério com eles. Na aparição
ravam escravos de Deus. Paulo pós-ressurreição de Jesus, Ele
começava suas cartas se apresen-estava lembrando esses apósto-
tando como servo do Senhor Jesuslos que eles não tinham sido co-
Cristo, deixando implícito que to-
missionados para pescar peixes,
dos nós somos escravos dEle. mas para pescar homens (Mateus
Ao escrever suas cartas, Paulo
4.19; Lucas 5.10).
sabia que a principal prioridade de A segunda verdade ensinada
um escravo era agradar e obedecer
por Jesus e registrada neste epílo-
ao seu senhor, e é neste contexto
go é o Seu desafio para Pedro e os
que ele escreveu: “quem é você demais apóstolos, para se envol-
verem no pastoreio daqueles que
para julgar o servo alheio? É para
o seu senhor que ele está em pé seriam ceifados no Pentecostes
ou cai” (Romanos 14.4). De acor- Em I Coríntios 15.5, Paulo
do com Paulo, não vamos respon- escreveu que Jesus apareceu a
der pelo nosso companheiro, mas Pedro, provavelmente referindo-se
por nós mesmos, diante do Mestreàquela conversa que houve entre
Jesus Cristo. eles. As palavras de Paulo nos le-
Tal como para Paulo, Jesus vam a concluir que Jesus teve esta
não era para Pedro apenas seu conversa com Pedro em particular;
Salvador, mas também seu Se- porém, mesmo que tenha sido,
nhor. Pedro era o escravo do seuPedro compartilhou seu conteúdo
mestre Jesus e, como tal, ele não
com os outros apóstolos.
tinha porque lhe perguntar quais Podemos ver os resultados da
eram Seus planos para a vida de negação de Pedro, da sua confir-
outro escravo. mação e restauração nas últimas
palavras da sua primeira carta,
Resumo que se encontra no final do Novo
Alguns teólogos argumentam Testamento, dirigida aos líderes da
que aquela pescaria perdida dos Igreja: “O Deus de toda a graça,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 149


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que os chamou para a sua glória ou “o outro discípulo”, aquele que


eterna em Cristo Jesus, depois de se reclinou no peito de Jesus e Lhe
terem sofrido um pouco de tem- fez aquela pergunta, durante a Úl-
po, os restaurará, os confirmará, tima Ceia. João nunca se referiu a
lhes dará forças e os porá sobre ele mesmo pelo nome, mas, no fi-
firmes alicerces” (I Pedro 5.10). nal do Evangelho, escreveu: “Este
Durante a Última Ceia, a ên- é o discípulo que dá testemunho
fase de Jesus foi: “Se vocês me destas coisas e que as registrou.
amam, obedecerão aos meus Sabemos que o seu testemunho é
mandamentos”; o Novo Manda- verdadeiro” (24).
mento dado foi que amassem uns Faça um rastreamento da as-
aos outros como Ele os tinha ama- sinatura humilde de João e descu-
do, durante três anos. Depois de bra como nos últimos capítulos ele
Sua ressurreição, principalmente revela ser o discípulo a quem Jesus
no diálogo com Pedro, e para ins- amava, que escreveu este Evange-
truir todos os apóstolos que es- lho (13.23; 19.26; 21.24).
tavam presentes naquele café da Ele concluiu este Evangelho
manhã, na praia, Jesus enfatizou: com estas impressionantes pala-
“Se vocês Me amam, alimentem e vras: “Jesus fez também muitas
pastoreiem Meus cordeiros e Mi- outras coisas. Se cada uma de-
nhas ovelhas”. las fosse escrita, penso que nem
O terceiro grande ensino de Je- mesmo no mundo inteiro haveria
sus para eles, também para você e espaço suficiente para os livros
para mim é que devemos descobrir que seriam escritos” (25).
a vontade de Deus para nós, indi- Meu tutor, que foi capelão do
vidualmente, e para Sua Igreja, no Senado dos Estados Unidos, con-
cumprimento da Grande Comissão. sultou uma das maiores biblio-
tecas do mundo, a biblioteca do
As últimas palavras do meu Congresso Nacional americano,
Evangelho preferido (21.24,25) para saber quantos livros sobre
Já chegamos à conclusão des- Jesus Cristo eles tinham. A res-
te magnífico Evangelho. Em todo o posta obtida foi que era difícil dar
livro, com muita humildade, João um número preciso; os livros eram
se referiu a ele mesmo como o tantos, que era quase impossível
“discípulo a quem Jesus amava” calcular.

150 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Certo rabino, que viveu por o Filho de Deus, e assim recebam


volta dos anos 80 d.C., no final de a Vida Eterna. Mas, eu não lhes
sua longa vida de aprendizado, es- contei tudo sobre Jesus. Esta foi
creveu: “Nem que todo o céu fos- apenas uma pequena parte de
se transformado em papel, todas tudo o que existe para ser dito e
as árvores em lápis e todo o oce- conhecido a respeito dEle”.
ano em tinta, haveria o suficien- O apóstolo do amor escreveu
te para escrever toda a sabedoria outra conclusão para este Evange-
que aprendi dos meus professores; lho, no último capítulo de sua car-
mesmo assim, a sabedoria que ta: “E este é o testemunho: Deus
adquiri é comparada à quantida- nos deu a vida eterna, e esta vida
de de água que um pássaro tira do está em seu Filho. Quem tem o
oceano num de seus mergulhos”. Filho, tem a vida; quem não tem
Imagine uma ave mergulhan- o Filho de Deus, não tem a vida”
do no mar e quanto de água ela (I João 5.11,12).
levaria em suas asas, quando le- Conta-se que certo homem
vantasse vôo novamente. O velho muito rico morreu; sua mansão
rabino usou essa metáfora para se encheu de parentes, amigos e
mostrar tudo o que sabemos em sócios para ouvirem a leitura do
comparação ao que podemos sa- seu testamento, uma vez que seus
ber. Outro tutor me disse certa vez bens eram avaliados em bilhões
que meus estudos ministeriais me de dólares. O advogado anunciou
levariam de uma ignorância in- que deveria ser leiloado um qua-
consciente a uma ignorância cons- dro do filho do falecido, antes da
ciente. Quanto mais sabemos, leitura do testamento. O filho tinha
mais aumenta nossa consciência causado muito constrangimento
do quanto não sabemos. para seu pai e poucas pessoas
É neste espírito que João con- gostavam dele.
clui este Evangelho: “Falei a vocês O leilão foi iniciado e, depois
todas estas coisas sobre Jesus, de alguns minutos de silêncio
mas existe muito mais para con- constrangedor, sem que ninguém
tar. Apenas alguns sinais foram desse qualquer lance para o qua-
registrados neste relato, para que dro, uma senhora que tinha sido a
vocês examinem o meu testemu- governanta da casa e tinha cuida-
nho, creiam que Jesus é o Cristo, do daquele jovem desde pequeno,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 151


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

fez o lance de apenas cinco dóla- outras com mais cultura seriam
res, pois era tudo que podia dar. crentes, e as pessoas menos privi-
Como não houve outros lances, já legiadas não creriam.
que ninguém estava interessado De acordo com o que aprende-
no quadro, ela tomou posse dele. mos com Jesus neste Evangelho, a
Foi dado início à leitura do Testa- fé está relacionada à nossa vonta-
mento com o seguinte anúncio: de e liberdade para fazer escolhas,
“Deixo todos os meus bens terre- não apenas com a nossa mente.
nos para a pessoa que comprou o A fé está sempre baseada na
retrato do meu filho”. nossa resposta ao Espírito San-
Esta é uma ilustração do es- to, que nos atrai para a salvação
pírito com que João concluiu este e para um relacionamento com o
Evangelho e suas cartas, as quais Cristo Vivo e Ressuscitado. Por
ele pretendeu que fossem uma isso, ao ler este Evangelho, busque
continuação do Evangelho: “Aque- ver Cristo e entender que Ele dese-
le que tem o Filho tem tudo e ja ter um relacionamento com você
aquele que não tem o Filho não e uma resposta sua. Depois de
tem nada”. aprendermos que o Espírito Santo
é nosso Mestre, leia o Evangelho de
Aplicação pessoal João, pedindo a Ele que revele as
Estudamos os vinte e um ca- verdades espirituais nele contidas.
pítulos deste Evangelho fazendo a Isaías começou sua profecia
pergunta “Quem é Jesus?”. Jesus sobre a cruz de Cristo, no capítulo
foi apresentado em uma “galeria 53 do seu livro, com a pergunta:
de arte” repleta de retratos de Cris- “Quem creu em nossa mensa-
to, que chamamos de “sinais”, os gem?”, respondendo ele próprio
quais provam que Jesus é o Cristo, com outra pergunta: “E a quem
o Messias e o único Filho de Deus! foi revelado o braço do Senhor?”,
Respondemos várias vezes a ou seja, a quem foi revelada a for-
pergunta “O que é fé?” e apren- ça do Senhor? Os que creem são
demos com este Evangelho que a aqueles a quem a verdade foi re-
fé não é uma questão intelectual velada; a verdade que vimos nesta
nem de conclusões lógicas, caso leitura do Evangelho de João.
contrário, qualquer pessoa que Você, que tem estudado o
tivesse um bom raciocínio creria; Evangelho de João conosco, o

152 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Espírito Santo lhe fez saber que Ele ainda hoje faz”. O Jesus Cristo
essas coisas são verdadeiras? João do quarto Evangelho é tudo o que
contou “Quem é Jesus”, “O que é Ele diz ser, e Ele pode fazer tudo o
fé” e, também, “O que é vida”. que Ele quiser por mim e por você.
Você tem encontrado respostas Nós somos tudo o que Jesus Cristo
para estas perguntas, através do afirma que somos e podemos fazer
Espírito Santo? tudo o que Jesus Cristo diz que po-
Em relação aos dois últimos demos fazer, porque Ele está com
sinais apresentados por João, no você e comigo, quando confiamos
capítulo 20, você crê na ressurrei- nEle e O seguimos.
ção de Jesus Cristo? A ressurrei- Tenho visto mais pessoas
ção de Jesus Cristo significa que receberem a fé salvadora em Je-
Ele foi, é e continua trabalhando sus Cristo através do estudo des-
na vida daqueles que creem nEle e te Evangelho que com o estudo
O recebem (João 1.12,13). de qualquer outro livro da Bíblia.
Eu gostaria de saber se na lei- Existem muitas bênçãos espiritu-
tura que você fez dos vinte e um ais neste estudo, para os que já
capítulos do Evangelho de João, o creem em Jesus Cristo, mas ele
Espírito Santo tem feito você saber é, principalmente, evangelístico.
que esse milagre é também possí- Posso dizer que este é o meu es-
vel na sua vida. tudo bíblico preferido, para fazer
Apesar de estar estudando e com pessoas que ainda não creem
ensinando o Evangelho de João há em Jesus.
cinquenta e três anos, este estudo
ainda mexe comigo. Esta experi- DESAFIO FINAL
ência de explorar a galeria de arte Você quer nascer de novo?
de Cristo e ver Seus retratos no- Você quer ter a qualidade de vida
vamente, refletindo sobre as per- eterna, sobre a qual João fala nes-
guntas “Quem é Jesus?”, “O que te Evangelho? Você está pronto
é fé?” e “O que é vida?” me faz para tomar a decisão mais impor-
exclamar: “Eu creio que Ele é, en- tante do mundo e crer na decla-
quanto muitos nem mesmo têm a ração de Jesus Cristo? Você está
certeza de que um dia Ele existiu. disposto a oferecer sua vida, in-
Mesmo que muitos não tenham condicionalmente, a Jesus? Você
certeza do que Ele fez, eu sei que já decidiu receber agora o maior

CBI - Encontro com a Palavra Livro 11 153


ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

poder do mundo e se compro- relacionamento comigo. Neste


meter a seguir Jesus Cristo? Se momento, eu declaro, pela fé, que
você quer começar sua jornada Jesus Cristo é meu Senhor e meu
de fé espiritual com Jesus, abra Salvador e entrego minha vida,
seu coração e faça esta oração a de maneira incondicional, ao Seu
Deus comigo: Querido Pai do Céu, controle e direção. Faça com que
confesso que sou pecador e que eu esteja em perfeito alinhamento
confio em Seu Filho, Jesus Cris- com o que o Senhor sempre de-
to, como meu Salvador. Coloco sejou para minha vida. Ajuda-me
toda a minha confiança na morte na minha caminhada, seguindo
de Jesus na cruz, para o perdão Seu Filho, Jesus Cristo; ajuda-me
de cada um dos meus pecados. a confiar em Seu poder e autori-
Eu rejeito e renuncio a todos os dade, a fim de que a minha vida
meus pecados. Quero desfazer o seja para Sua glória e exaltação.
divórcio entre mim e Ti. Dá-me a Obrigado(a) pela minha eterna
fé para crer que Jesus ressusci- salvação. Amém! (João 1.12,13;
tou dos mortos e entrar no meu 3.3-8; Efésios 2.8-10; Filipenses
coração, na minha vida, e ter um 1.6; 2.13; I Pedro 1.22,23).

154 Livro 11 CBI - Encontro com a Palavra


C.B.I. ENCONTRO COM A PALAVRA – QUESTIONÁRIO DO LIVRO 11
ESTUDO DO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ALUNO(A):______________________________________________________
RUA:__________________________________________________________
BAIRRO:_____________________________FONE:______________________
CEP:_______________CIDADE:______________________________________
EST:________E-MAIL:______________________________________________
NASC:_____/_____/_____ SEXO: ( )M ( )F EST. CIVIL:__________________
ESCOLARIDADE:________________IGREJA:____________________________
ESPOSO(A):_____________________________ NASC:____/____/____
Aulas através de: ( )Rádio ( )Internet ( )CDs

Leia com atenção o livro e responda o questionário. Em cada questão, apenas


uma das três alternativas está correta e deverá ser assinalada. Ao recebermos
este questionário respondido, enviaremos GRÁTIS o próximo número, na medi-
da que o estudo pelo rádio for avançando.

QUESTIONÁRIO

1. O propósito de Jesus era a glória de Deus e, através da morte e ressurreição


de Lázaro:
A( ) Muitos seriam convertidos
B( ) Ele (Jesus) seria coroado Rei
C( ) O Filho seria glorificado

2. Também fazia parte dos costumes daquela época:


A( ) Aperto de mão
B( ) Beijo na mão
C( ) Recepcionar os convidados, lavando-lhes os pés

3. O “Novo Mandamento” introduziu nos apóstolos a ideia da “Nova Aliança”


e esta criou:
A( ) Uma nova religião
B( ) Um novo estilo de vida
C( ) Uma nova comunidade

4. A cruz de Jesus Cristo representa:


A( ) O símbolo do cristianismo
B( ) Um instrumento de tortura
C( ) O caminho da nossa salvação
5. A expressão “Eu os escolhi para irem” tem o mesmo sentido de:
A( ) “Eu os preparei”
B( ) “Eu os ordenei”
C( ) “Eu os aconselhei”

6. Enquanto Jesus ocupou um corpo físico, desistiu de alguns de Seus atribu-


tos divinos como:
A( ) O amor
B( ) A onipresença
C( ) O poder

7. Na parte final do Sermão da Última Ceia, Jesus preparou os apóstolos para:


A( ) Pregar o Evangelho
B( ) A perseguição que enfrentariam
C( ) Enfrentar os inimigos

8. Depois do cativeiro na Babilônia, os judeus:


A( ) Determinaram nunca mais adorar ídolos
B( ) Passaram a guardar o sábado
C( ) Ficaram ricos

9. No momento do encontro com Maria Madalena, Jesus se refere aos após-


tolos como:
A( ) “Seus companheiros”
B( ) “Responsáveis pela Sua Igreja”
C( ) ”Seus irmãos”

10. O propósito de João é que todos os seus leitores digam como Tomé:
A( ) “Eu sei em quem tenho crido”
B( ) “Senhor meu e Deus meu”
C( ) “Eu sei que o meu Redentor vive”

Enviar para:

ENCONTRO COM A PALAVRA


Caixa Postal 2011
89201-970 - Joinville-SC
Obs.: Você também pode digitalizar e enviar pelo
e-mail: encontrocomapalavra@desfrutedeus.com
MEU TESTEMUNHO

Obrigatório marcar á Autorizo a divulgação de meu testemunho


uma das duas opções á Não autorizo a divulgação de meu testemunho.
Município: _________________________________________________________ UF: ______
Nome: ____________________________________________________ Data: ___/___/_____

_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________