Você está na página 1de 196

CURSO BÍBLICO INTERNACIONAL

ENCONTRO COM A PALAVRA


Livro 12

ESTUDO DE ROMANOS
VERSÍCULO POR VERSÍCULO
(UMA OBRA-PRIMA TEOLÓGICA)

PR. DICK WOODWARD


Toda glória e honra ao Senhor nosso Deus! Este material foi escrito e
impresso pelo Ministério Cooperativo Internacional (ICM - International
Cooperating Ministries) para ser uma bênção em sua vida.

É permitida a reprodução total e parcial deste livro, sem a autorização


por escrito do ICM, para uso pessoal e na sua igreja.

“Portanto, fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus. E as coisas que


me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confia a homens
fiéis, que sejam também capazes de ensinar a outros” (II Timóteo 2.1,2).

Woodward, Dick

Estudo de Romanos
Versículo por Versículo
(Uma Obra-Prima Teológica)

Curso Bíblico Internacional


ENCONTRO COM A PALAVRA

Tradução em Português: Ruth Gialluca


Correção Ortográfica: Lídia Damasceno Gialluca e Marlene Frade
Editoração Eletrônica: Elen Canto
Capa: Paulo Sergio Baeta e Jersio Dreissing
Impresso no Brasil por: Fine Graf Gráfica e Editora Ltda.
Supervisão Geral: Pr. Leandro Ferreira
E-mail: pastorleandroferreira@gmail.com

1ª Edição: Março/2005 = 1.000 exemplares


2ª Edição: Fevereiro/2008 = 2.000 exemplares
3ª Edição: Setembro/2011 = 3.000 exemplares
4ª Edição: Janeiro/2015 = 3.000 exemplares
5ª Edição: Setembro/2017 = 3.500 exemplares
Nota Importante
O material que você tem em mãos é um complemento dos estudos
que vêm sendo ministrados por uma rede variada de emissoras de rádio e
pela internet (www.desfrutedeus.com) e é enviado, gratuitamente, ape-
nas aos ouvintes que estão acompanhando, regularmente, os estudos por
uma dessas emissoras. Para recebê-lo, basta solicitar, escrevendo para o
endereço divulgado no final de cada aula.
Por se tratar de um curso, é necessário responder o questionário de
cada livro; com isto você garante o recebimento do próximo, bem como de
um lindo Certificado de Conclusão ao término do curso.
ÍNDICE
Introdução (ao aluno iniciante) ...............................................................................06

Introdução da Carta aos Romanos ...............................................................07

CAPÍTULO 1
Visão Panorâmica da Carta de Paulo aos Romanos ........................................ 10

CAPÍTULO 2
Este é o Apóstolo Paulo (Romanos 1.1-16) .........................................................17

CAPÍTULO 3
O Evangelho de Acordo Com Paulo (Romanos 1.17-32) ................................25

CAPÍTULO 4
O Julgamento de Deus (Romanos 2.1-29) .......................................................31

CAPÍTULO 5
Justificado Pela Fé (Romanos 3.1-31) .............................................................37

CAPÍTULO 6
A Definição Ambulante de Fé (Romanos 4.1-25) .........................................43

CAPÍTULO 7
Introdução a Uma Vida Justa (Romanos 5.1-21) .........................................49

CAPÍTULO 8
Dois Tipos de Escravos (Romanos 6.1-23) ....................................................57

CAPÍTULO 9
As Quatro Leis Espirituais de Paulo (Romanos 7.1-8.13) .............................62

CAPÍTULO 10
Mais Que Vencedores (Romanos 8.14-39) .......................................................78

CAPÍTULO 11
Eleição e Graça (Romanos 9.1-33) ...................................................................95
CAPÍTULO 12
“Senhores, O Que Devo Fazer Para Ser Salvo?” (Romanos 10.1-13) ......108

CAPÍTULO 13
Colaboradores de Deus (Romanos 10.14-21) ..............................................115

CAPÍTULO 14
O Mistério de Israel (Romanos 11.1-12.2) ...................................................125

CAPÍTULO 15
E Agora? (Romanos 12.1-21) .......................................................................143

CAPÍTULO 16
Ministros de Deus (Romanos 13.1-14) ............................................................160

CAPÍTULO 17
Controvérsia Entre os Discípulos (Romanos 14.1-15.33) ...............................167

EPÍLOGO
Conheça a Igreja (Romanos 16.1-27) .............................................................184
Introdução (ao aluno iniciante)
Quando você se aprofunda na Palavra de Deus e deixa que a Palavra
transforme sua vida, coisas maravilhosas e tremendas acontecem.
Bem-vindo ao ENCONTRO COM A PALAVRA. Juntos faremos um
estudo de toda a Bíblia, dividido em 13 livros. Essa jornada nos levará
do Livro de Gênesis ao Apocalipse e nos dará uma visão panorâmica de
cada livro da Bíblia. Observaremos a estrutura do livro, o seu contexto
histórico e, o que é mais importante, buscaremos uma aplicação para
nossas vidas, a partir do ensino de cada livro.
Algumas pessoas acham a Bíblia um livro confuso. Realmente, não
é fácil relacionar os acontecimentos com a sua época e o seu significado.
Mas, cada versículo da Bíblia é um pedacinho desse quebra-cabeça, cujo
conteúdo é muito glorioso. Minha oração é que, no final dessa jornada,
você tenha adquirido uma compreensão maior de cada livro da Bíblia, do
modo como eles se completam, e possa situá-los dentro da história de
Deus com o homem. No final, você terá uma compreensão de como Deus
trabalhou nos tempos do Velho Testamento; terá também compreendido
o que mudou com a vinda de Jesus Cristo e a razão da mudança; aquilo
em que você antes cria no coração, será confirmado em sua mente, e
você poderá testemunhar sua fé com mais confiança e conhecimento.
Espero que você faça todo o curso e convide outras pessoas para que
nos acompanhem nesse estudo da Bíblia, o livro mais importante do mun-
do. Faça suas malas e prepare-se para embarcar. Estamos prestes a partir!

Ferramentas que serão utilizadas


Segundo o apóstolo Paulo, a única maneira de não passarmos ver-
gonha, quando se trata de Bíblia, é tornarmo-nos obreiros que manejem
bem a Palavra. A única maneira de entender a Bíblia é saber usá-la. Por
isso, o meu desafio é que você assuma o compromisso de estudá-la com
dedicação e sinceridade. Nenhum livro merece mais dedicação e em-
penho da nossa parte que a Bíblia. Se você quiser se aprofundar ainda
mais neste estudo, além de dedicação e empenho há outras ferramentas
que o ajudarão a ir mais fundo no conhecimento das Escrituras.
Antes de qualquer coisa você precisa de uma Bíblia e, se possível,
adquira mais de uma tradução. Você também vai precisar de um cader-
no para anotações.
Como qualquer outro trabalho, esse será cumprido com mais fa-
cilidade e atingirá melhores resultados, se você possuir as ferramentas
certas. O estudo da Bíblia fica mais produtivo, quando se utilizam os
recursos disponíveis. Procure equipar-se com as ferramentas que men-
cionamos e você se surpreenderá com os resultados.
ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Introdução da Carta aos Romanos

Um antigo provérbio diz que, e, depois, passamos a focalizá-la


se dermos um peixe a alguém, através de um estudo mais analíti-
saciamos sua fome por um dia; co de cada um de seus livros.
mas, se o ensinarmos a pescar, ele Os estudos do Encontro com
será alimentado por toda a vida. a Palavra começam com uma aná-
Por isso, eu creio que, se eu apre- lise de toda a Bíblia, visando dar
sentar o estudo da Carta de Paulo uma ideia geral e uma introdução
aos Romanos “mastigadinho” em à Palavra de Deus como um todo.
sua boca, você poderá ficar ali- Depois, continuam com a Car-
mentado por um dia; porém, se eu ta de I Coríntios, o Evangelho de
o ensinar a estudar esta carta, o João e a Carta de Paulo aos Ro-
Espírito Santo o alimentará para o manos, analisando, versículo por
resto de sua vida. Portanto, antes versículo, cada um desses livros,
de iniciarmos este estudo, eu gos- separadamente.
taria de apresentar alguns princí- Minha oração é que todos
pios que servem para a leitura da que iniciarem este estudo sejam
Bíblia, em geral, e para esta carta, salvos e que cada um conheça,
em particular. particularmente, o Salvador Je-
Existem várias maneiras de sus. Esta também era a oração e
se estudar a Bíblia e a primeira o desejo do coração do apóstolo
coisa que devemos fazer, quando Paulo ao escrever esta magnífica
iniciamos um estudo da Palavra carta.
de Deus, é uma pesquisa sobre Neste estudo, apresentamos
os seus 66 livros. Enquanto num algumas observações para aqueles
seminário você começa com uma que acompanham as aulas pelo
análise do Velho e do Novo Tes- rádio e para os que desejam estu-
tamento, num estudo tradicional, dar mais profundamente, até para
geralmente, começamos com o ensino, acerca da Carta de Paulo
uma visão panorâmica da Bíblia aos Romanos.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 7


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

A importância do estudo das livro inteiro em apenas uma mor-


palavras dida. Algumas vezes estas mordi-
Jeremias apresentou uma ma- das serão tão pequenas, que es-
neira de estudar a Bíblia que não tudaremos uma palavra de cada
tem nada a ver com uma pesqui- vez, como é o caso da palavra
sa, ao se referir à Palavra de Deus, “justificação”, que resume toda a
dizendo: “Quando as tuas pala- mensagem da Carta de Paulo aos
vras foram encontradas, eu as Romanos. Outras vezes, estuda-
comi; elas são a minha alegria e remos um versículo, um conjunto
o meu júbilo, pois pertenço a ti, de versículos ou um capítulo intei-
Senhor Deus dos Exércitos” (Je- ro. Com relação a esta carta co-
remias 15.16). Jeremias estudou meçaremos com uma visão geral,
uma palavra de cada vez das Es- depois um esboço, prosseguindo
crituras. Ele diz que “comeu” uma com uma análise e, por último, um
palavra de cada vez e seu coração resumo das suas passagens.
se encheu de alegria, quando estu- Primeiro mordemos e masti-
dou a Palavra de Deus dessa ma- gamos um capítulo, um versículo
neira. A abordagem que Jeremias ou uma palavra. No momento em
fez da Palavra de Deus é muito que “engolimos” a Palavra, esta-
boa, quando estudamos uma car- mos respondendo à pergunta: “O
ta tão profunda, como a Carta aos que significa para mim o que eu
Romanos, versículo por versículo. acabei de estudar?”.
O ato de “comermos” al- Depois de mordermos, masti-
guma coisa acontece em quatro garmos e engolirmos a Palavra de
etapas: mordemos, mastigamos, Deus, a digestão é a parte mais
engolimos e digerimos. “Como se importante: esta é a aplicação. Só
come um elefante? Comendo um depois de digerirmos a comida é
pedaço de cada vez”. E como es- que obtemos energia e sustento
tudamos a Bíblia, que corresponde para nossos corpos. Da mesma
a uma biblioteca de 66 livros? Es- forma, quando digerimos a verda-
tudando um livro de cada vez. de encontrada na Palavra de Deus,
Quando aplicamos os quatro obtemos a força espiritual para as
passos da alimentação ao estu- nossas vidas.
do dos livros da Bíblia, devemos Eu quero que você entenda a
lembrar que não podemos comer o importância de se aplicar em nossas

8 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

vidas a verdade que encontramos na ela penetra até o ponto de dividir


Palavra de Deus. De acordo com Je- alma e espírito, juntas e medulas,
sus e os apóstolos, só quando obe- e julga os pensamentos e intenções
decemos à verdade das Escrituras e do coração” (Hebreus 4.12). É isto
a aplicamos obtemos a energia es- que a Bíblia afirma a respeito de Si
piritual de que necessitamos, para mesma. A Palavra de Deus é um po-
vivermos uma vida plena no Espí- der que nos aviva espiritualmente,
rito Santo, pois “A palavra de Deus quando lhe obedecemos. Ela não é
é viva e eficaz, e mais afiada que apenas uma matéria acadêmica a
qualquer espada de dois gumes; ser estudada.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 9


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 1
Visão Panorâmica da Carta de Paulo aos Romanos

Mais uma vez, devemos lem- completo, no que se refere à teolo-


brar que os livros da Bíblia não gia da salvação, é considerado um
foram organizados na mesma or- tratado teológico da Igreja do Novo
dem cronológica em que foram Testamento.
escritos. Apesar de esta ser a pri- Devido à sua organização e
meira carta de Paulo que aparece planejamento, muitos teólogos
no Novo Testamento, ela não foi a acreditam que Paulo ponderou
primeira que ele escreveu. A Carta em seu coração por muito tempo
de Paulo aos Romanos foi escrita antes de escrevê-la. Quem sabe a
vários anos depois do início do seu essência do seu conteúdo lhe te-
ministério, durante sua terceira nha sido revelada por Jesus, no
viagem missionária, quando ele se deserto da Arábia (Gálatas 1.17).
encontrava na cidade de Corinto, Também pode ser que Paulo tenha
de onde ele foi para Éfeso, lá per- pensado a respeito de tudo o que
manecendo três anos. escreveu, durante os dois anos
Quando Paulo escreveu esta que ficou preso em Cesareia, na
carta, ele já era um homem ama- Palestina, quando houve a troca
durecido e experiente. Talvez ela dos governadores (Atos 24.27).
tenha sido a primeira de suas car- Devido ao seu conteúdo universal
tas a ser registrada no Novo Testa- e, também, pela circulação que
mento, porque, segundo alguns te- ela teria em Roma, a capital do
ólogos, esta carta é “a obra-prima mundo naqueles dias, talvez Pau-
de todo o Novo Testamento”. lo tenha preferido dirigir esta carta
A maioria das cartas de Pau- aos romanos.
lo se refere, especificamente, a O mesmo tema e a mesma ar-
problemas enfrentados na igreja gumentação estão presentes, des-
ou na cidade de onde eram aque- de o primeiro até o último capítulo
les a quem a carta foi dirigida, da carta, a qual deve ser lida de
o que não é o caso desta carta, uma única vez, a fim de que pos-
cujo conteúdo profundo, conciso e samos acompanhar e perceber a

10 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

argumentação de Paulo do come- criminoso confessa ter cometido o


ço ao fim. crime, pelo qual ele foi sentencia-
Como já dissemos, a palavra do e cumpriu os 20 anos de prisão.
“justificação” sintetiza a mensa- Depois de comprovadas as decla-
gem e a essência desta magnífica rações do verdadeiro criminoso,
carta. No capítulo 18 do Evange- você acha que aquele condenado
lho de Lucas, lemos sobre a Pará- precisa ser perdoado? Como a jus-
bola do Fariseu e o Publicano, na tiça pode perdoar alguém por algo
qual Jesus ensina que todo aquele que ele não fez? O que acontece
que orar “Senhor, tem misericórdia com ele é que a justiça o declara
de mim, pecador”, vai para casa inocente, como quem nunca prati-
“justificado”. cou aquele crime, pelo qual havia
A palavra “justificado” signifi- sofrido os horrores de uma prisão
ca “como se nunca tivesse peca- por longos 20 anos.
do”. Quando uma pessoa reconhe- É mais ou menos isto que
ce que é pecador e que necessita Paulo fala nesta carta, mas com
da misericórdia de Deus, além de uma grande diferença. Paulo afir-
ser perdoado, aos olhos de Deus é ma que Deus pode declarar um
como se ele jamais tivesse pecado. homem justificado; porém, um
Para ilustrar o que é a justi- homem que é realmente culpado!
ficação, imagine dois prisioneiros O nosso sistema penal não
cumprindo pena em um presídio pode fazer isto. Apenas Deus pode
de segurança máxima. Depois de e faz, em razão da morte vicária
cumprirem 20 anos de suas sen- de Jesus, naquela cruz, por todo
tenças, um deles é perdoado e li- pecador que se arrepende. A Car-
bertado da prisão, mas terá sem- ta de Paulo aos Romanos mostra
pre que carregar o estigma de seu como Deus declara uma pessoa
passado, o que pode limitar sua inocente, como se nunca tivesse
vida e seu lugar na sociedade, praticado qualquer pecado, mes-
onde será discriminado até para mo tendo sido pecadora.
conseguir um trabalho que garan- Com a Parábola do Fariseu e
tirá a sua sobrevivência. o Publicano aprendemos que qual-
Outra coisa bem diferente quer um que fizer a “oração do
acontece com o outro condena- pecador” pode experimentar o mi-
do. Num leito de morte, um outro lagre da justificação. Quando um

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 11


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

homem confessa que é pecador e confessado o seu terrível pecado.


que precisa da salvação, ele colo- Quando comparamos os Livros de
ca sua confiança na obra acabada Samuel com os Livros das Crô-
de Jesus na cruz, crê que Ele é o nicas, sem negar a existência do
Único Filho de Deus, que ressus- pecado hediondo de Davi, vemos
citou dos mortos e que, através as coisas de acordo com a pers-
dEle, tem o perdão total dos seus pectiva de Deus: o pecado de Davi
pecados. Esta é a chamada “ora- jamais existiu! Esta ilustração do
ção do pecador”. Velho Testamento é um exemplo
Nesta carta, Paulo conta como da justificação, o tema central da
um Deus Justo e Santo transforma Carta de Paulo aos Romanos.
pecadores como eu e você em pes- Tanto as Escrituras do Velho
soas justificadas. É uma resposta Testamento como o Livro de Ro-
inspirada, completa, lógica e siste- manos servem de base para nós
mática para essa questão. A men- dizermos que nossas vidas são
sagem desta obra-prima é um trata- como uma fita de vídeo. Imagine
do teológico que conta, de maneira que toda sua vida esteja gravada
precisa, o que Deus teve de fazer em uma fita de vídeo. Quando
para declarar justificados pecadores Deus encontra um pecado na fita
convictos como nós, e o que preci- da sua vida, tendo você fé no que
samos fazer para aplicar esta decla- Jesus fez a seu favor, na cruz, Ele
ração aos nossos pecados. edita a fita e tira dela o pecado;
O rei Davi é um ótimo exem- quando a fita da sua vida aparecer
plo do que significa ser justifi- no dia do julgamento, não haverá
cado. O Segundo Livro de Sa- registro de nenhum pecado nela,
muel descreve com detalhes os porque você foi perdoado e, para
pecados de Davi. Entretanto, o Deus, é como se o seu pecado ja-
Livro das Crônicas, que relata o mais tivesse existido. Isto é o que
mesmo período da história dos significa ser justificado.
judeus, foi escrito sob a perspec-
tiva de Deus e sequer menciona Mastigando a Carta de Paulo aos
o pecado de Davi. Romanos
O Salmo 51 registra a confis- Ao iniciar o estudo da magnífi-
são de Davi e o Salmo 32 as bên- ca Carta de Paulo aos Romanos, a
çãos que ele experimentou por ter primeira coisa que devemos fazer

12 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

é dividir os 16 capítulos em quatro o discernimento do Espírito San-


grupos: to. Existem momentos em que os
• Nos capítulos de 1 a 4, limites da nossa humanidade nos
Paulo aborda a justifica- levam a concluir que certas ques-
ção para o pecador; tões, aparentemente contraditórias,
• Nos capítulos de 5 a 8, ele jamais serão resolvidas, pelo me-
relaciona a justificação à nos nesta vida. Devemos entender
pessoa que foi justificada. que os caminhos e pensamentos
Como deve viver a pessoa de Deus são tão diferentes dos nos-
que foi declarada justa por sos, como os céus se distanciam da
Deus? Como ela encontra terra (Isaías 55.8,9).
força espiritual para viver Nos capítulos 9 ao 11, que
uma vida de justiça? se constituem um dos grandes pa-
• Nos capítulos de 9 a 11, radoxos no ensino da Palavra de
Paulo relaciona a justifi- Deus, Paulo usa Israel para ilus-
cação ao povo de Israel. trar um princípio muito importante
Estes três capítulos são para Deus: o livre arbítrio. Nosso
muito importantes e pro- Criador nos deu a liberdade e a
fundos quanto à profecia responsabilidade de livre escolha.
bíblica. Paulo se refere a Os judeus fizeram a escolha erra-
Israel como um exemplo da, quando não aceitaram Jesus
máximo na Bíblia do que Cristo como o Messias e, através
ele chama de “eleição”, do erro que cometeram, acabaram
ou seja, o fato de Deus sendo um veículo de salvação para
escolher pessoas que são este mundo. Paulo usa estes três
salvas; capítulos como exemplo bíblico
• Nos capítulos 12 a 16 en- máximo da liberdade e da respon-
contramos a parte prática sabilidade que Deus nos conce-
da Carta. deu, para fazermos as nossas pró-
prias escolhas, certas ou erradas.
Nessa seção da carta, estuda- Os últimos quatro capítulos
mos o controverso tema da “pre- desta carta são muito práticos. Em
destinação”. Esta questão pode todas as cartas de Paulo as seções
parecer contraditória, mas deixa de de ensino e aplicação são bem di-
ser com o estudo da Palavra e com ferenciadas. Uma das suas cartas

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 13


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

chega a ser dividida quase com A importância da Carta aos


exatidão com três capítulos de en- Romanos
sino e três capítulos de aplicação. Antes de iniciarmos o estudo,
Na Carta aos Romanos, encontra- versículo por versículo, desta car-
mos, aproximadamente, três quar- ta tão inspirada, devo dar alguns
tos dos capítulos destinados ao exemplos da influência deste do-
ensino, do capítulo 1 ao 11, e um cumento na vida de várias pes-
quarto à aplicação, do capítulo 12 soas, pois nenhum outro livro do
ao 16. Novo Testamento impactou tanto
Os quatro últimos capítulos a Igreja, como esta carta de Paulo.
desta carta são extremamente Uma das pessoas impacta-
práticos. Neles, Paulo explica e faz das foi Agostinho, um importante
a aplicação de como pessoas jus- líder da Igreja, no Norte da África.
tificadas devem aplicar o Evange- Agostinho se converteu de uma
lho da justificação em suas vidas, vida terrível de pecados por causa
através do seu comprometimento de um versículo, no Livro de Ro-
com Deus, subordinando-se à Sua manos. Em resposta às orações
vontade, no relacionamento com de sua mãe, que era uma mulher
as autoridades, uns com os outros temente a Deus, ele ouviu a voz
e com o mundo, que precisa ouvir de uma criança que lhe dizia para
as Boas Novas de Jesus. se levantar e ler aquele versículo.
Ao fazer as aplicações prá- Quando ele fez isso, converteu-se
ticas nesta carta, Paulo aborda e miraculosamente! A História da
confronta problemas que os discí- Igreja foi fortemente influenciada
pulos de Jesus estavam enfrentan- pela conversão de Agostinho, re-
do em Roma, mesmo sem ter tido sultado da leitura de um versículo
ainda a oportunidade de conhecer desta carta de Paulo.
aquela cidade pessoalmente, em- Um dia, um monge católico
bora durante suas viagens tenha do século 16, chamado Martinho
conhecido vários crentes, que se Lutero, que sofria com dúvidas e
tornaram participantes das muitas agonia por causa da sua salvação e
igrejas nos lares, em Roma. Por do seu relacionamento com Deus,
este motivo, ele tinha informações experimentou a intervenção divina,
sobre os problemas que tratou nos durante seus momentos de devo-
capítulos práticos desta carta. ção. Ele estava se preparando para

14 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ensinar as Escrituras na Universi- leitura que Agostinho fez de um


dade de Wittenberg, na Alemanha, versículo da carta de Paulo aos Ro-
quando o versículo 17 do capítu- manos, tanto quanto o continente
lo 1 desta carta pareceu saltar da europeu com a nova tomada de
página: “Porque no Evangelho é posição de Lutero, e a Inglaterra,
revelada a justiça de Deus, uma sendo impactada pelas revelações
justiça que do princípio ao fim é de John Wesley. As denominações
pela fé, como está escrito: ‘O justo protestantes existem hoje como
viverá pela fé’”. Como Agostinho, resultado direto da influência des-
Martinho Lutero se converteu de ta carta que estudaremos, versícu-
maneira miraculosa, e toda a Eu- lo por versículo.
ropa foi impactada pelo que conhe- Quando pensamos no número
cemos como “Reforma”, resultante incontável de pessoas que foram
da conversão de Lutero. Este único influenciadas por esta carta, de-
versículo não só transformou a vida vemos estudá-la, pedindo a Deus
e a fé daquele padre católico, como que transforme nossas vidas tam-
todo o continente europeu. bém. Peça ao Espírito Santo que
Dois séculos depois, um ho- aqueça o seu coração durante a
mem chamado John Wesley con- leitura desta carta.
fessou que seu coração foi estra-
nhamente confortado em um lugar Um obreiro da Palavra de Deus
chamado “Aldergate”, na Inglaterra. Muita gente considera esta
John Wesley se converteu ao carta do apóstolo Paulo difícil
ouvir o comentário de Lutero so- de ser estudada. Este apóstolo
bre a Carta de Paulo aos Roma- afirmou em I Coríntios 9.22 que
nos. Segundo os historiadores da “tornou-se tudo para com todos”
Igreja, “O Grande Despertamento” e, nos primeiros versículos desta
transformou o curso da história carta, disse que se sentiu devedor
inglesa, impedindo a Inglaterra para apresentar o Evangelho tanto
de ter uma revolução semelhante para os sábios, como para os igno-
à ocorrida na França que, de tão rantes (1.14). Aos coríntios, Paulo
sangrenta, constitui-se numa par- declarou que o Espírito Santo re-
te triste da história daquele país. vela verdades espirituais ao povo,
Também o Norte da África independentemente do nível cultu-
foi fortemente influenciado pela ral que ele tenha. Em I Coríntios

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 15


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

2.6, Paulo explica que pretende Acho engraçada essa gente


falar de sabedoria entre os que já que se esforça tanto para estudar
tinham maturidade espiritual. álgebra, geometria, química ou
Nesta Carta aos Romanos, biologia e acha que para enten-
Paulo diz a mesma coisa. Se você der a Bíblia, esta carta de Paulo,
quiser compreender o que ele es- por exemplo, não precisa estudar.
creveu nesta carta, precisa apren- Há pessoas que pensam que se
der a estudá-la. Por “compreender” colocarem a Bíblia debaixo do
quero dizer a mesma coisa que travesseiro, durante a noite, Deus
Paulo disse, quando escreveu para vai passar o conhecimento da Sua
Timóteo: “Procure apresentar-se a Palavra, automaticamente, en-
Deus aprovado, como obreiro que quanto elas dormem; não enten-
não tem do que se envergonhar e dem que a revelação da Palavra
que maneja corretamente a pala- de Deus não vem como um passe
vra da verdade” (II Timóteo 2.15). de mágica.
O que Paulo estava dizendo a Ti- Se quisermos ser abençoados
móteo é semelhante ao que Jere- e recebermos poder em nossas vi-
mias disse, quando falou sobre “co- das, através da Palavra de Deus,
mer” a Palavra de Deus. O obreiro devemos estudá-la. Isto se aplica,
de Deus precisa saber manejar a principalmente, ao estudo da Car-
Palavra de Deus. A chave, então, é ta de Paulo aos Romanos. Por isso,
“manejar bem a Palavra”. peça ao Espírito Santo que revele
Na minha primeira aula de gre- a mensagem desta carta e, além
go, deparei-me com um quadro bem disso, esforce-se, desde já, quan-
acima da mesa do professor, onde do estamos iniciando este estudo.
estavam escritas estas palavras de Coloque tanto empenho para estu-
Paulo a Timóteo. O professor iniciou dar esta carta quanto para estudar
a aula apontando para o quadro e as matérias na escola ou para a
perguntando: “Vocês sabem o que atividade que é o seu ganha-pão.
significa a palavra ‘manejar’ em gre- Se você fizer isso, entenderá por-
go? Significa colocar toda a sua for- que a Carta de Paulo aos Romanos
ça em algo e todo o seu esforço para é considerada um dos livros mais
saber usar esta força”. importantes da Bíblia.

16 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 2
Este é o Apóstolo Paulo (Romanos 1.1-16)

“Paulo, servo de Cristo Jesus, em pergaminhos, em rolos, por


chamado para ser apóstolo, sepa- isso colocava-se o nome do autor
rado para o evangelho de Deus, o logo no começo, a fim de que a
qual foi prometido por ele de an- pessoa que a recebesse não preci-
temão, por meio dos seus profetas sasse desenrolar todo o rolo para
nas Escrituras Sagradas, acerca saber quem era o remetente. Nes-
de seu Filho, que, como homem, ta introdução, Paulo apresentou-se
era descendente de Davi, e que, dizendo quem ele era, o que ele
mediante o Espírito de santidade, era, e onde estava em sua jorna-
foi declarado Filho de Deus com da de fé. Além disso, também quis
poder, pela sua ressurreição den- deixar claro porque ele era quem
tre os mortos: Jesus Cristo, nosso ele era e estava onde estava. Na
Senhor. Por meio dele e por cau- verdade, ele fala mesmo sobre
sa do seu nome, recebemos graça quem é o Cristo Vivo e Ressusci-
e apostolado para chamar dentre tado. Através desta introdução de
todas as nações um povo para a Paulo, descobrimos quem e por
obediência que vem pela fé. E vo- que estamos em Cristo.
cês também estão entre os cha- A fim de enfocar a identidade
mados para pertencerem a Jesus espiritual de Paulo e a nossa própria
Cristo. A todos os que em Roma espiritualidade, reflita comigo so-
são amados de Deus e chamados bre este versículo: “Paulo, servo de
para serem santos: A vocês, graça Cristo Jesus”. A palavra em grego
e paz da parte de Deus nosso Pai usada para “servo” é “doulos”, que
e do Senhor Jesus Cristo” (1.1-7). significa escravo. Quando Paulo es-
creveu esta carta, cerca da metade
Paulo diz aos crentes de Roma da população de Roma era escra-
quem ele é va, assim como em outras cidades,
A primeira palavra menciona- onde ele estabeleceu igrejas.
da nesta carta é “Paulo”. As cartas Hoje é difícil para nós imagi-
do primeiro século eram escritas narmos como era a vida escrava;

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 17


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

no entanto, quando Paulo escreveu de todos aqueles que precisassem


esta carta aos crentes da capital ouvir o Evangelho.
romana, todos sabiam muito bem Na passagem em estudo, Pau-
o que significava esta deprimente lo também afirma que é apóstolo.
condição humana. Um escravo era Ele escreveu, literalmente, que foi
apenas um bem de outro ser hu- “chamado para ser apóstolo”. Ma-
mano, sem qualquer direito. Tudo tias foi o apóstolo indicado para
o que um escravo pensava e de- substituir Judas, o traidor de Jesus
sejava era totalmente irrelevante, (Atos 1.15-26). Às vezes fico pen-
pois ele tinha tanto direito quanto sando que o substituto de Judas
um animal. Quando você tem um poderia ter sido o apóstolo Paulo,
cavalo, ele não tem direitos. Você porque Matias, o apóstolo indica-
simplesmente compra o cavalo do pelos outros discípulos, só foi
para servi-lo, de acordo com o que mencionado no Novo Testamento
você deseja. Foi exatamente neste quando foi escolhido. Por outro
sentido que Paulo se apresentou, lado, Paulo escreveu quase meta-
quando se denominou “servo de de do Novo Testamento, e levou o
Cristo Jesus”. Evangelho para todo o mundo da
Aos Coríntios, Paulo escreveu sua época.
que, apesar de ter nascido livre, A palavra “chamado” era mui-
tinha escolhido se tornar escravo to importante para Paulo e ele a
e servir a quem quer que fosse, se usou para falar da salvação. Ele
isso oferecesse a oportunidade para escreveu aos coríntios que, quan-
alguém crer no Evangelho de Jesus do somos salvos, somos chama-
Cristo e ser salvo (I Coríntios 9.19). dos para ter comunhão com Je-
Paulo, de fato, nasceu livre. sus Cristo (I Coríntios 1.9); mais
Ele não era escravo; era um cida- adiante, na mesma carta, lemos
dão romano, o que era inusitado que Paulo considerava a experiên-
para um judeu sob o regime ro- cia da salvação como um chama-
mano. Ele tinha nascido livre e do (I Coríntios 1.24-29).
poderia se gabar disso, mas o que Por que Paulo foi chamado
Paulo escreveu para os romanos e para ser apóstolo? Ele escreveu:
para os coríntios foi que tinha es- “Por meio dele e por causa do seu
colhido, deliberadamente, ser es- nome, recebemos graça e apos-
cravo não apenas de Cristo, mas tolado para chamar dentre todas

18 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

as nações um povo para a obedi- para não desonrar aquelas bandei-


ência que vem pela fé” (Roma- ras?”. O diretor respondeu: “Eu
nos 1.5). Ele disse, literalmente, pensei que todo mundo passa por
“para a obediência que vem pela momentos em que tem de mos-
fé”. Hoje temos uma ideia superfi- trar, com suas atitudes, aquilo em
cial do que é fé. Se mais uma vez que realmente crê, e aquela era a
buscarmos no grego o significado minha hora”.
da palavra “crer” descobriremos De acordo com o Novo Tes-
que “crer” significa assumir um tamento, estamos sempre con-
compromisso de seguir e obedecer. firmando, pelas nossas atitudes,
Nos primeiros anos da Segun- aquilo em que cremos. Este é o
da Guerra Mundial, os japoneses significado literal da palavra grega
invadiram as Ilhas Filipinas. Du- para “crer”.
rante esta invasão, o diretor de Imagine que você fosse invá-
uma escola cristã estava dirigindo lido e sua casa estivesse pegando
um culto na capela, quando sol- fogo; que a única maneira de você
dados japoneses entraram na es- colaborar para o seu salvamento
cola. Um oficial japonês ordenou fosse apoiar todo o seu peso so-
que o diretor da escola rasgasse bre o bombeiro, quando ele o pe-
a bandeira filipina e a cristã, cus- gasse para resgatá-lo da casa em
pisse nelas e as pisasse. Aquele chamas. No Evangelho de João,
pobre diretor estava tão assustado lemos: “Porque Deus tanto amou
que não podia nem falar, mas ba- o mundo que deu o seu Filho Uni-
lançou a cabeça, recusando-se a gênito, para que todo o que nele
fazer aquilo. O oficial japonês co- crer não pereça, mas tenha a vida
locou sua pistola no estômago do eterna” (João 3.16). A palavra
diretor e deu a ordem, aos gritos, grega traduzida para “crer” signi-
mais uma vez. O diretor continuou fica isto: colocar todo o peso sobre
a recusar e, por isso, levou um tiro Jesus, como aquela pessoa imagi-
no estômago. Este homem sobre- nária, sendo carregada para fora
viveu, miraculosamente, e, depois da casa em chamas.
de sair do campo de concentração, O apóstolo Paulo não estava
um repórter lhe perguntou: “O que manifestando uma atitude intelec-
passou pela sua cabeça, quando tual, quando usou a palavra “crer”.
você decidiu pelo tiro no estômago, Era mais que isso. Há um quadro

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 19


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

pendurado em meu escritório com “dentre todas as nações”. Vere-


as seguintes palavras: “Aquilo em mos nesta carta o coração mis-
que realmente cremos é o que sionário de Paulo, incomparável a
praticamos. O resto não passa de qualquer outro na Igreja de Jesus
discurso religioso”. Quando Jesus, Cristo. Podemos ver isto claramen-
a Palavra, fez-se carne e veio ao te no capítulo 15, onde Paulo fala
mundo, mostrou para nós que a aos cristãos de Roma acerca do
Palavra de Deus deve se encarnar seu forte desejo de ir visitá-los,
também na minha e na sua vida. porque ele queria que eles o aju-
Já ouvi dizer que, “quando a Pala- dassem a alcançar a Espanha com
vra de Deus habita em nossa carne, o Evangelho de Jesus Cristo.
ela se torna mais que palavras”. Na saudação e introdução
Jesus perguntou: “Contudo, desta carta, Paulo também apre-
quando o Filho do Homem vier, senta Jesus Cristo e diz quem Ele
encontrará fé na terra?” (Lucas é e porque Ele está onde está.
18.8). Hoje não vemos muita ma- Em apenas sete versículos, Paulo
nifestação de fé. A verdadeira fé se mencionou Jesus sete vezes.
reflete num compromisso verdadei- Quem é Jesus? Primeiro, Paulo
ro que se expressa em obediência. afirma que Jesus é aquEle prometi-
A motivação para ser quem do através dos profetas nas Santas
Paulo foi está nestas suas pala- Escrituras; ele queria que os roma-
vras: “por causa do seu nome”. nos e também eu e você soubésse-
O nome de Deus representa a es- mos que as “boas notícias” expres-
sência de quem Deus é. Agir “por sas pela palavra “justificado”, que
causa do seu nome” significa agir ele estava prestes a apresentar, não
de acordo com tudo o que Deus é, era uma novidade que tinha surgi-
e de acordo com a vontade dEle. do da sua imaginação.
Também agimos assim, com uma Paulo poderia ter dito, como
expressão de adoração e de grati- disse em sua Carta aos Gálatas,
dão por tudo o que Deus é e por que a verdade que ele estava
tudo o que Ele está fazendo em prestes a apresentar-lhes fora-lhe
nossas vidas e no mundo, através revelada pelo próprio Cristo Res-
de nós, quando andamos com Ele. suscitado, no deserto da Arábia
Por quem Paulo foi chama- (Gálatas 1.11-17). Como ele esta-
do apóstolo? Paulo respondeu: va se dirigindo primeiro aos judeus

20 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

e, depois, aos romanos gentios, tempo, simples. Antes disso, po-


afirmou que o Evangelho da salva- rém, Paulo quer deixar bem claro
ção já tinha sido apresentado pro- que o Evangelho tem suas raízes
feticamente no Velho Testamento, no Velho Testamento.
muitos séculos atrás. Paulo está se Paulo também escreveu que
dirigindo aos seus leitores judeus Jesus, como homem, era descen-
com esta perspectiva do Velho dente de Davi; mas, mediante o
Testamento e, ao mesmo tempo, Espírito, Filho de Deus com poder
queria que os gentios soubessem (1.3,4). Com estas palavras, Pau-
que tudo aconteceu de acordo lo declara que Jesus era um ser
com o que Deus havia planejado. humano e, ao mesmo tempo, o Fi-
Estudando o Velho Testamen- lho de Deus com poder, por causa
to, compreendemos que todo ele da ressurreição, ou seja, Ele era
converge para Jesus Cristo. Você muito mais que um ser humano.
deve se lembrar que, quando estu- Paulo disse aos romanos e
damos o Evangelho de Lucas, vi- também a você e a mim quem nós
mos, no último capítulo, que Jesus somos: “A todos os que em Roma
abriu os olhos dos discípulos, para são amados de Deus e chamados
compreenderem as Escrituras. para serem santos” (1.7). Ele ti-
Como Jesus fez isso? Jesus falou- nha se definido como um apóstolo
lhes que Moisés, os salmistas e os “chamado”, o que para Paulo ex-
profetas, todos eles, escreveram pressava um conceito muito im-
sobre Ele: “Então lhes abriu o en- portante; por isso, ele faz questão
tendimento, para que pudessem de ressaltar quando escreve que
compreender as Escrituras” (Lu- todo o que crê é um “chamado”
cas 24.25-27,44,45). Os discípu- para ser santo. Esta era uma das
los compreenderam, pela primeira maneiras preferidas de Paulo para
vez, o mesmo que Paulo escreveu se referir aos seguidores de Cristo.
aos romanos: que o Velho Testa- Existe uma definição bíblica e
mento é o fundamento e o cená- uma tradicional do termo santo. Na
rio histórico para que o Evangelho definição tradicional, santo é aque-
seja compreendido e comprovado. le servo extraordinário do Senhor,
Nesta obra-prima, Paulo explica o qual obedece a certos critérios,
o Evangelho de maneira extraor- como a canonização, por exem-
dinária, profunda e, ao mesmo plo, o que não é compatível com

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 21


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

a definição bíblica desta palavra. Testamento, mesmo que, enquan-


De acordo com o Novo Testamen- to humanos, estejamos sempre
to, todo crente é considerado santo, em constante luta para vivermos
porque é santificado ou separado dentro do propósito divino para
para Cristo, e apartado do mundo. nossas vidas (7.14-8.2).
Quando a santificação vem de Paulo continua sua saudação
fora para dentro, ao invés do con- com uma bênção: “... graça e paz
trário, ela se transforma em “lega- da parte de Deus nosso Pai e do
lismo”. A santificação autêntica Senhor Jesus Cristo” (1.7). Esta
preza a separação do crente para saudação continua até o versículo
Cristo, porque, vivendo nEle, ofen- 17, onde ele informou aos santos
de-se com o pecado, com aquilo em Roma que tinha ouvido da fé
que é contrário à vontade de Deus. deles por todo o mundo. Como já
A santificação verdadeira dissemos, apesar de Paulo ainda
acontece quando um verdadeiro não ter estado em Roma, por to-
seguidor de Cristo se separa do das as cidades pelas quais passou
pecado, porque é separado para em suas viagens missionárias ele
Cristo. Esta é a definição bíblica e se encontrou com pessoas que
autêntica de santificação, que se eram daquela cidade.
baseia no nosso relacionamento Nos versículos 9 e 10, Paulo
pessoal com Cristo. escreveu: “Deus, a quem sirvo de
A vida “santificada” não impli- todo o coração, pregando o evan-
ca em uma vida sem pecado. Paulo gelho de seu Filho, é minha teste-
se dirige aos coríntios como “santi- munha de como sempre me lembro
ficados” e, depois, apresenta uma de vocês em minhas orações”. Tem
lista de pecados existentes na igreja gente que diz: “Vou orar por você
de Corinto, o que mostra que um todos os dias”; mas, quantos real-
povo santificado não é um povo que mente cumprem este compromisso?
não peca. Um povo santificado é Quando Paulo disse isso, ele estava
um povo separado para Cristo, para falando sério. Observe que ele es-
segui-Lo e fazer a Sua vontade. creveu: “Deus é minha testemunha
Separar-se totalmente para de como sempre me lembro de vo-
Cristo é separar-se totalmen- cês em minhas orações”.
te do pecado, o que é o objetivo Ao ler esta carta inspirada de
principal deste ensino, no Novo Paulo, assinale cada vez que ele se

22 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

compromete a orar por alguém ou a bárbaros, tanto a sábios como


por algum grupo de pessoas. Você a ignorantes” (14). Ele se decla-
perceberá que a lista de oração rou devedor de todos os que tinha
de Paulo era bem longa e que ele conhecido.
devia gastar horas em oração. Se Naquela cultura existia um
tivéssemos consciência do poder estigma associado à dívida. Estar
da oração, também teríamos uma em dívida era um crime que podia
lista longa e passaríamos horas levar o devedor à cadeia, de onde
em oração, dia e noite, e, como dificilmente conseguiria pagá-las.
acontecia com esse amado após- Era, realmente, uma situação mui-
tolo, veríamos muitas respostas às to constrangedora e, dentro desse
nossas orações. contexto cultural, Paulo afirmou
Paulo afirmou que orou cons- aos seus leitores que havia feito a
tantemente por eles e que deseja- escolha de se tornar devedor de to-
va encontrá-los; que, na verdade, dos aqueles que ele conhecia, no
tinha tentado visitá-los em várias sentido de que serviria a cada um
ocasiões, mas sempre houve um com o objetivo de ter o privilégio
obstáculo que o impediu. O objeti- de lhes apresentar o Evangelho.
vo desta visita era compartilhar al- Assim, no versículo 15, ele
guns dons espirituais e, também, escreveu: “Por isso, estou dispos-
para que ambas as partes contri- to a pregar o evangelho também a
buíssem para um encorajamento vocês que estão em Roma”. Paulo,
pela fé (1.11,12). Paulo sabia que na verdade, estava ansioso para
Cristo vive em Seus discípulos, pregar o Evangelho em Roma.
nos nascidos de novo, e que uma Ele tinha proclamado o Evange-
grande bênção paira entre eles, lho com resultados sobrenaturais
quando estão reunidos. em cidades moralmente decaden-
tes, como Éfeso, Filipos e Corin-
As três declarações do apóstolo to; como resultado de sua prega-
Paulo (versículos 13-16) ção, plantou igrejas em cada uma
Na segunda parte da sua sau- dessas cidades. Paulo almejava
dação, Paulo inicia, efetivamente, pregar o Evangelho também em
a apresentação do Evangelho da Roma, porque estava convencido
salvação com três declarações: de que o Espírito Santo converte-
“Sou devedor tanto a gregos como ria os pecadores daquela cidade,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 23


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

assim como aconteceu, de manei- Evangelho na cidade de Corinto, o


ra miraculosa, em outras “capitais Senhor lhe apareceu e, entre ou-
do pecado” do império romano. tras coisas, disse-lhe: “Não tenha
Isso nos leva à terceira decla- medo, continue falando e não fi-
ração do apóstolo: “Não me en- que calado, pois estou com você
vergonho do evangelho, porque é e ninguém vai lhe fazer mal ou
o poder de Deus para a salvação feri-lo, porque tenho muita gente
de todo aquele que crê: primeiro nesta cidade” (Atos 18.9,10; cf. I
do judeu, depois do grego” (16). Coríntios 2.1-5; 15.1-4).
Se você estudou o Novo Testa- A partir daí, Paulo passou a
mento conosco, deve se lembrar da basear sua pregação em dois fatos
comparação que fizemos de uma sobre Jesus Cristo, que constituem
passagem no Livro de Atos com al- o Evangelho. Ele sempre dizia o
guns versículos na Primeira Carta que significava crer nestes dois fa-
de Paulo aos Coríntios. Paulo teve tos, quando os aplicava à sua fé e
uma forte experiência na cidade à sua vida pessoal em Cristo. Ele
de Corinto, que mudou comple- confiava na ação do Espírito Santo
tamente sua filosofia de pregação para levar todos os que o ouvissem
do Evangelho. Quando ele estava pregar o Evangelho a crer e experi-
prestes a iniciar a pregação do mentar a salvação em Cristo Jesus.

24 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 3
O Evangelho de Acordo Com Paulo (Romanos 1.17-32)

As últimas palavras da intro- obras jamais seremos justos o su-


dução que Paulo fez nesta carta o ficiente para nos salvarmos. Es-
levaram ao início da argumenta- sas realidades sobre Deus podem
ção sistemática desta obra-prima ser consideradas as más notícias
teológica. Como esses versículos que nos levam às Boas Novas, o
foram comentados em detalhes, tema central desta carta, quando
nos programas de rádio, vamos Paulo fala do que Deus fez. Deus
falar deles resumidamente. Ao de- manifestou-Se ao mundo, através
clarar que não se envergonhava de Seu Filho, e O ofereceu como o
do Evangelho, Paulo revelou duas único sacrifício que pode nos sal-
grandes realidades sobre Deus: o var dos pecados e que possibilita
Evangelho revela a justiça que é a você e a mim sermos declarados
dada por Deus a você e a mim, justos. Paulo também conta que
através da fé, e também revela a Deus quer que você e eu creiamos
ira de Deus sobre todo aquele que nEle, quando Ele diz em Sua Pala-
não é justificado (1.16-18). vra o que fez para nos salvar dos
Como uma introdução ao es- pecados e nos declarar justos”.
tudo desta carta, gostaria de apre- A primeira parte desta ex-
sentar um resumo dos primeiros plicação profunda e completa do
quatro capítulos, feito por um dos Evangelho está resumida nos pri-
teólogos que eu mais admiro, o Dr. meiros versículos do capítulo 5,
David Stuart Bricoe: “Nos primei- quando Paulo afirma: ”Tendo sido,
ros quatro capítulos desta carta, pois, justificados (declarados jus-
Paulo afirma que Deus é justo; tos) pela fé, temos paz com Deus,
depois, ele afirma que Deus quer por nosso Senhor Jesus Cristo”.
que eu e você sejamos justos; a Ao escrever que a justiça de
seguir, ele afirma que Deus conde- Deus é revelada no Evangelho, Pau-
na todos que não são justos; por lo citou a profecia de Habacuque:
fim, ele diz que Deus sabe que por “Porque no evangelho é revelada
nossos próprios esforços e boas a justiça de Deus, uma justiça que

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 25


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

do princípio ao fim é pela fé, como Deus revelada no Evangelho: a ira


está escrito: ‘O justo viverá pela fé’” de Deus é para os injustos. “Por-
(1.17; Habacuque 2.4). Este foi o tanto, a ira de Deus é revelada dos
versículo que Deus usou para mexer céus contra toda impiedade e in-
com o coração de Martinho Lutero, justiça dos homens que suprimem
o qual o levou ao movimento da Re- a verdade pela injustiça” (1.18).
forma Protestante. Podemos dizer A partir de então, Paulo passa
que todas as denominações protes- a estudar o caráter de Deus e o
tantes devem sua existência a este caráter do homem e, assim como
versículo das Escrituras. era, ainda é hoje. No Livro de Gê-
Quando Lutero descobriu este nesis, encontramos um estudo se-
versículo, o ensino vigente dizia melhante de Deus e do homem. A
que a salvação se baseava nas palavra “homem” é usada de ma-
obras individuais de justiça. Lu- neira genérica nas Escrituras e se
tero estava buscando a salvação refere ao homem e à mulher.
através de uma maratona de obras Jesus mostrou como inter-
de justiça, as quais incluíam a au- pretar passagens bíblicas como
toflagelação com chicotes e até as que foram escritas por Moisés
penitências como subir escadas e por Paulo. Quando questionado
de joelhos, acreditando-se que, sobre o casamento, Jesus mostrou
assim, ganhava-se a salvação. que, se queremos entender o casa-
Podemos ter uma ideia de como mento hoje, devemos voltar ao iní-
aquelas palavras saltaram aos cio de tudo e entender como era o
seus olhos, naquele dia. Na mar- casamento, quando foi planejado
gem da sua Bíblia, Lutero escre- por Deus (Mateus 19.3-9). Paulo
veu a palavra “Sola”, que significa estava mostrando que, se quere-
“apenas” e, a partir daí, passou a mos entender o caos em que se
entender que a salvação dependia encontra a família humana, hoje,
apenas da fé e não de obras. devemos compreender como ela
A apresentação que Paulo es- era, no princípio.
tava fazendo do Evangelho estava Observe que, no início do ver-
ficando mais completa e profunda. sículo 18, Paulo se refere à ira de
Tendo começado com as boas novas Deus, que trata questões como
da justiça, que é pela fé, ele com- a impiedade e a injustiça dos ho-
partilha a segunda realidade sobre mens. Teólogos com uma visão

26 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mais apurada argumentam que es- que neles existe; mas, no sétimo
tas duas questões têm a ver com as dia, descansou” (Êxodo 20.3-11).
duas tábuas dos Dez Mandamen- Ao mencionar a “injustiça” dos
tos. A primeira tábua continha os homens, Paulo estava se referin-
quatro mandamentos que gover- do à quebra dos seis mandamen-
nam o relacionamento do homem tos da segunda tábua, que são os
com Deus; a segunda, os seis man- mandamentos que governam o re-
damentos que governam o relacio- lacionamento dos homens entre si.
namento dos homens entre si. Quando o povo de Deus não conse-
Esses teólogos acreditam que, gue fazer o que é correto em seus
ao mencionar a impiedade dos ho- relacionamentos, torna-se culpado
mens, Paulo estava se referindo à de injustiça: “Honra teu pai e tua
violação dos quatro mandamentos mãe, a fim de que tenhas vida
da primeira tábua. Em outras pa- longa na terra que o SENHOR, o
lavras, quando o homem viola os teu Deus, te dá. Não matarás. Não
quatro primeiros mandamentos ele adulterarás. Não furtarás. Não da-
é culpado de impiedade: “Não te- rás falso testemunho contra o teu
rás outros deuses além de mim... próximo. Não cobiçarás a casa do
Não te prostrarás diante deles teu próximo. Não cobiçarás a mu-
nem lhes prestarás culto, porque lher do teu próximo, nem seus ser-
eu, o SENHOR, o teu Deus, sou vos ou servas, nem seu boi ou ju-
Deus zeloso, que castigo os filhos mento, nem coisa alguma que lhe
pelos pecados de seus pais até a pertença” (Êxodo 20.12-17).
terceira e quarta geração daque- A ira de Deus é a Sua resposta
les que me desprezam, mas trato à impiedade e à injustiça do ho-
com bondade até mil gerações os mem. A respeito desta resposta de
que me amam e obedecem aos Deus, sobre a qual Paulo escreve,
meus mandamentos. Não toma- deveríamos fazer a nós mesmos a
rás em vão o nome do SENHOR, seguinte pergunta: o que Paulo,
o teu Deus, pois o SENHOR não Moisés, os profetas e outros au-
deixará impune quem tomar o tores das Escrituras querem dizer
seu nome em vão... Lembra-te do quando se referem à ira de Deus?
dia de sábado, para santificá-lo... Muita gente acredita que o con-
pois em seis dias o SENHOR fez ceito de “ira de Deus” se encontra
os céus e a terra, o mar e tudo o apenas no Velho Testamento e que

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 27


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

a ideia de que Deus iluminou um estava dizendo que eles eram es-
povo que escolheu para Si, não piritualmente cegos. A resposta de
existe mais. Qual foi a última vez Jesus foi: “Se vocês fossem cegos,
que você ouviu um sermão sobre a não seriam culpados de pecado;
Ira de Deus? mas, agora que dizem que podem
ver, a culpa de vocês permanece”.
O caráter do homem Em outra ocasião, Jesus disse: “Se
No texto do primeiro capítulo eu não tivesse vindo e lhes fala-
de Romanos, Paulo usou três ve- do, não seriam culpados de peca-
zes a expressão: “Deus os entre- do. Agora, contudo, eles não têm
gou” (1.24,26,28). Isto não quer desculpa para o seu pecado” (João
dizer que Deus desistiu do homem, 9.40,41; 15.22).
mas que Deus os entregou ao que Portanto, a primeira acusação
eles queriam fazer. Cada vez que de Deus contra o homem, que é
aparece essa expressão, três coi- válida até hoje, é que o homem
sas acontecem: A recriminação de suprime a luz ou a verdade que
Deus à conduta do homem, a res- Deus tenta lhe revelar. O homem
posta de Deus para o homem e as vive tão absorvido no seu estilo
consequências morais permitidas próprio de vida que rejeita a ver-
por Deus ao homem. Poderíamos dade do que é moralmente certo,
chamar esta passagem de “Um quando Deus lhe revela a justiça.
Estudo da Queda Moral da Família De acordo com Paulo, a criação de
Humana”. Deus - que o homem pode obser-
A primeira acusação de Deus var a todo o momento - deveria ser
contra o homem é: “suprimem a o suficiente para fazê-lo conscien-
verdade pela injustiça”. Isto coin- te da existência de um Criador,
cide com a definição de pecado a Quem ele deveria adorar como
que Jesus deu no Evangelho de Deus Todo-Poderoso (1.18-23).
João, quando Ele diz: “onde não há Este fato é chamado pelos te-
luz, não há pecado” (João 9.41). ólogos de “revelação natural”. Exis-
Quando Jesus declarou ser a te muita discussão sobre o que o
Luz que dava visão aos que sabiam homem pode aprender a respei-
que eram espiritualmente cegos e to de Deus para ser salvo, apenas
revelava a cegueira espiritual da- estudando a natureza. Paulo não
queles que se gabavam que podiam declarou nesta passagem que o ho-
ver, os fariseus perguntaram se Ele mem pode ser salvo observando a

28 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

natureza, mas ensinou que os pri- Deus, ele os entregou a uma dis-
meiros passos no caminho da de- posição mental reprovável, para
pravação do caráter do homem é a praticarem o que não deviam. Tor-
rejeição ou supressão deliberada da naram-se cheios de toda sorte de
luz que Deus está tentando revelar. injustiça, maldade, ganância e de-
A razão da segunda acusação pravação. Estão cheios de inveja,
de Deus contra o homem foi - e homicídio, rivalidades, engano e
ainda é - que o homem não glorifi- malícia. São bisbilhoteiros, calu-
ca a Deus, nem Lhe dá o lugar que niadores, inimigos de Deus, inso-
Ele merece ter em sua vida. Esta lentes, arrogantes e presunçosos;
é outra passagem das Escrituras, inventam maneiras de praticar o
onde encontramos o conceito de mal; desobedecem a seus pais;
colocar Deus em primeiro lugar são insensatos, desleais, sem amor
nas nossas vidas. Se Deus signi- pela família, implacáveis. Embora
fica alguma coisa para nós, então conheçam o justo decreto de Deus,
Ele é tudo, porque enquanto Deus de que as pessoas que praticam
não for tudo para nós, na verdade, tais coisas merecem a morte, não
Ele não é nada. De acordo com somente continuam a praticá-las,
Paulo, a recusa do homem em co- mas também aprovam aqueles
locar Deus em primeiro lugar em que as praticam” (1.28-33).
sua vida é o segundo passo em di-
reção à depravação moral. O caráter de Deus
A terceira acusação de Deus Quando a Bíblia menciona a
contra o homem foi - e ainda é - ira de Deus, não fala do mesmo
a ingratidão. Paulo faz uma lista sentimento de raiva que nós, seres
de pecados e apresenta seu estu- humanos, experimentamos. A pala-
do sobre a decadência do caráter vra “ira”, em hebraico, significa “ul-
do homem, como este era e como trapassar”. A essência do caráter e
é hoje, em todo o mundo. Em II da natureza de Deus é amor, mas o
Timóteo 3.1-5, lemos que a ingra- amor não é o Seu único atributo. O
tidão é um dos sinais de que esta- caráter de Deus é um conjunto de
mos nos últimos dias. atributos e um deles é a santidade
Paulo continua relatando as ou o que podemos chamar de “jus-
consequências da rebeldia sobre o tiça perfeita”. O caráter de Deus é
homem: “Além do mais, visto que a própria definição do que é certo e
desprezaram o conhecimento de justo, por isso Ele não pode deixar

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 29


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de fazer alguma coisa a respeito da Foram necessários todos os poli-


impiedade e da injustiça. ciais daquele posto para segurar
Imagine Deus, o Justo Juiz, cujo aquele pai, a fim de impedi-lo de
caráter é a essência da justiça per- tentar aniquilar o homem que tinha
feita. Ele não pode ignorar um ato destruído o objeto do seu amor.
de injustiça e impiedade do homem, Mesmo que esta ilustração nos
pois o Seu caráter exige que Ele faça ajude a entender a ira de Deus, ain-
isso. Por esta razão, Paulo escreveu: da não é uma metáfora precisa do
“a ira de Deus é revelada dos céus caráter de Deus, porque este pai
contra toda impiedade e injustiça perdeu o controle e ficou cheio de
dos homens que suprimem a ver- raiva. Como já dissemos, Deus não
dade pela injustiça” (1.18). perde o controle, quando Ele ultra-
Isto não significa que Deus passa o limite do amor para a ira.
observa a impiedade e a injustiça No segundo capítulo desta car-
até que, finalmente, Se ire e perca ta, Paulo escreveu sobre a ira futu-
o controle. Sendo consistente no ra de Deus, que será manifestada
Seu caráter justo e santo, Sua ira em julgamento. No capítulo 13, ele
entra em ação quando a impieda- descreveu a presente ira de Deus,
de e a injustiça do homem atingem que é manifestada através das au-
certo ponto que ultrapassa o Seu toridades, as quais aplicam a lei
atributo de amor. O profeta Joel e contra aqueles que a infringem.
o apóstolo Pedro referem-se a esse Paulo fala dessas autoridades três
acontecimento como o grande e vezes como “Ministros de Deus”,
terrível Dia do Senhor (Joel 2.11, os quais expressam a ira de Deus
31; II Pedro 3.10). A ira de Deus, contra aqueles que quebram a Lei.
portanto, pode ser definida como Nos anos 40, muitos países se
“A aniquilação da injustiça pela uniram para destruir Adolf Hitler e o
justiça perfeita” ou, também, “A Partido Nazista, que tinham como
aniquilação daquilo que ameaça o objetivo matar todos os judeus da
objeto do amor de Deus”. face da terra. Durante toda aque-
Quando uma garotinha de sete la década, muitos que lutaram na
anos foi violentada e assassinada, guerra o fizeram como uma forma
e seu pai, um homem amoroso e de expressão da ira de Deus contra o
gentil, estava na delegacia, trouxe- poder do mal, que estava matando,
ram o homem que cometeu aque- sistematicamente, milhões de pesso-
le terrível ato contra sua filhinha. as em seus campos de concentração.

30 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 4
O Julgamento de Deus (Romanos 2.1-29)

Como Paulo sempre quis, de- depois disso, enfrentar o juízo”


pois de uma perigosa viagem por (Hebreus 9.27).
mar, finalmente chegou à Roma, Em toda a Bíblia, encontramos
na condição de prisioneiro. Ape- o ensino de um futuro julgamento.
sar disso, Paulo era bem tratado Salomão foi um grande pensador
pelas autoridades romanas, as e concluiu que a única maneira
quais permitiam que ele recebes- de enfrentarmos as injustiças que
se visitas. As primeiras pessoas vemos nesta vida é compreender
que ele pediu que fossem vê-lo fo- que haverá um julgamento (Ecle-
ram os líderes judeus da cidade, siastes 3.16,17; 12.13,14). De
com os quais discutiu passagens acordo com Paulo e com muitos
das Escrituras que falavam de outros autores do Novo e do Velho
Jesus e do Reino de Deus (Atos Testamento este julgamento futuro
28.17-29). é inevitável.
No capítulo 2, Paulo fala do Paulo escreveu que este jul-
julgamento futuro de Deus e da ma- gamento de Deus será de acordo
nifestação da Sua ira contra toda com a verdade (2.2). Ele se diri-
impiedade e injustiça do homem. giu primeiro aos judeus e, depois,
A resposta de um Deus Santo aos gregos, aos gentios, como eu e
para o caráter pecador do homem você. Todos temos a tendência de
sempre se manifesta através de um julgar outras pessoas, principal-
julgamento. O Livro de Gênesis re- mente outros crentes, mas Paulo
lata o julgamento de Deus sobre as atacou este padrão de julgamento
cidades de Sodoma e Gomorra, as- horizontal e declarou que o julga-
sim como ocorrera sobre a humani- mento de Deus será baseado na
dade, na forma do dilúvio, nos dias verdade, que Ele conhece sobre
de Noé (Gênesis 19.24-29; 6-9). cada um de nós. Ao dissertar so-
O autor do Livro de Hebreus bre esse assunto, Paulo acrescen-
declarou que: “... o homem está tou que ninguém escapará do jul-
destinado a morrer uma só vez e, gamento de Deus (2.3).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 31


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Além disso, Paulo ensinou a mostrar Suas credenciais, en-


que estamos aguardando o julga- quanto ensinava no Templo, lan-
mento de Deus sobre os nossos çou-lhes a seguinte parábola: “O
pecados, que serão considerados que acham? Havia um homem
neste julgamento final, ressaltan- que tinha dois filhos. Chegando ao
do que Deus tolera nossos muitos primeiro, disse: ‘Filho, vá trabalhar
pecados porque, na Sua bondade, hoje na vinha’, e este respondeu:
Ele quer que cheguemos ao arre- ‘Não quero!’. Mas, depois mudou
pendimento (2.3,4). de ideia e foi. O pai chegou ao
Pedro também ensina esta outro filho e disse a mesma coi-
verdade em sua Segunda Carta e sa. Ele respondeu: ‘Sim, senhor!’
acrescenta que o querer de Deus Mas, não foi. Qual dos dois fez a
não é que pereçamos, mas que to- vontade do pai?’. ‘O primeiro’, res-
dos cheguemos ao arrependimento ponderam eles. Jesus lhes disse:
(3.9). Estes dois importantes líde- Digo-lhes a verdade: Os publica-
res da Igreja do Novo Testamento, nos e as prostitutas estão entrando
Paulo e Pedro, concordam que o antes de vocês no Reino de Deus”
julgamento de Deus é de acordo (Mateus 21.28-31).
com a verdade e é inevitável. Aqueles dois filhos professa-
A seguir, Paulo escreveu que o ram uma coisa e fizeram outra, e o
julgamento de Deus será um julga- que realmente teve valor foi o que
mento justo. Ele não será baseado eles fizeram. Com isso Jesus estava
na nossa profissão de fé, mas no ensinando que, do ponto de vista
nosso comportamento na terra. O humano, Suas únicas credenciais
julgamento de Deus será de acor- eram os milagres que Ele estava re-
do com o que fizemos ou deixamos alizando. Suas atitudes mostravam
de fazer (2.6; II Coríntios 5.10). que Ele estava na vinha do Pai, ao
Paulo foi consistente no ensi- contrário daqueles com quem Ele
no do seu Senhor e Salvador Jesus, estava falando, mesmo que esse
o qual nos deixou claro que para fosse o discurso deles.
Deus as atitudes contam mais que Apesar da mensagem central
o discurso das pessoas (Mateus desta carta ser a justificação, atra-
7.24-27; Lucas 6.46). Quando Je- vés da obra acabada de Cristo na
sus foi desafiado pelos chefes dos cruz, e não as nossas boas obras,
sacerdotes e pelos líderes religiosos neste capítulo, Paulo acrescenta o

32 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que Jesus e Tiago ensinaram: que a um judeu, um gentio tinha a es-


as boas obras dão validade à fé, piritualidade e a consciência se-
através da qual Deus nos declara melhantes a de um cachorro. Para
justos (Tiago 2.21-24). eles, o resto do mundo estava em
No versículo 11, Paulo afir- trevas, enquanto eles eram guias
mou que o julgamento de Deus para os cegos espirituais.
será imparcial. Os judeus, a quem Paulo, então, os desafiou a
Paulo se dirigiu neste capítulo, praticarem o que pregavam. Eles
achavam que eles não precisavam ensinavam a não roubar, mas será
de salvação, pelo simples fato de que não roubavam? Eles estavam
serem judeus. Paulo confirmou o tão preocupados em combater a
princípio de que seremos julgados adoração de ídolos, mas rouba-
pelas nossas ações e não pela nos- vam imagens de templos pagãos,
sa profissão de fé, afirmando que o pegavam o ouro, a prata e as pe-
fato de ser judeu não é o suficiente dras preciosas de que geralmente
no dia em que ficarmos frente a eram feitas, vendiam tudo e lu-
frente com Deus, o nosso Juiz. cravam com essa prática, sem se
Este ensino se aplica a todos sentirem culpados por isso. A ca-
aqueles que acreditam que são pacidade de um ser humano, prin-
salvos pelo simples fato de te- cipalmente um religioso, de justifi-
rem nascido numa família cristã e car os seus erros é quase infinita.
por terem sido batizados, quando Paulo conclui sua condenação aos
crianças. Também se aplica àque- judeus, declarando que o nome
las pessoas que acreditam que de Deus era blasfemado entre os
praticar boas obras tem mais valor gentios, porque o comportamen-
que ser discípulo de Jesus Cristo. to dos judeus não condizia com
A seguir, Paulo desafiou os ju- o que pregavam. Fazendo uma
deus de nascimento a serem judeus aplicação destes ensinos na nossa
na prática e viverem o que profes- vida, se estamos confiando no que
savam. Os judeus se orgulhavam recebemos da nossa família ou na
pelo fato de Deus lhes ter dado a fé dos nossos pais, será que este
Lei, e por serem o povo escolhido comportamento é compatível com
para ensiná-la ao mundo. Eles se a nossa profissão de fé?
referiam aos gentios como “cães”, Paulo ensinou que aque-
porque achavam que, comparado les a quem Deus deu a Lei terão

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 33


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

julgamento de acordo com esta Lei e ele afirmou que muitos pratica-
(2.12-15). Isto coincide com o que vam o ritual da circuncisão sem
o profeta Amós ensinou, que ter viverem a realidade interior dela.
privilégios espirituais implica em Foi aí que ele falou sobre a “cir-
ter mais responsabilidades diante cuncisão do coração”.
de Deus (Amós 5.21-27). Paulo A circuncisão era uma forma
acrescentou que o julgamento de de professar a santificação, ou
Deus será feito por Jesus Cristo, o seja, a separação para Deus e para
que coincide com a afirmação de uma vida santa. Paulo exortou
Jesus, em João 5.22, que o Pai aqueles judeus a circuncidarem
Lhe deu a responsabilidade de fa- seus corações, o que significava
zer todos os julgamentos. eles serem separados para Deus e
Apesar de muitos estudiosos santos em seus corações, onde re-
terem tentado desacreditar os en- sidem a vontade e as verdadeiras
sinamentos de Paulo, afirmando intenções que levam às decisões.
que estes não condiziam com os Ele encerra o seu ensino sobre
ensinamentos de Jesus, a verda- julgamento, falando aos judeus
de é que Paulo sempre enfatizou acerca da importância de haver
estes ensinamentos e esteve em um acordo entre o que discursa-
concordância com eles. Em alguns vam com a prática de uma vida
momentos, Paulo complemen- autêntica, a qual testemunhasse
tou o ensino do Senhor, como na diante de Deus e dos homens o
revelação que ele teve acerca do que realmente significa ser judeu.
arrebatamento da Igreja (I Tessalo- Neste contexto, Paulo mostrou
nicenses 4.13-18). Paulo sempre um princípio que deve ter apren-
esteve em alinhamento com tudo dido com Cristo sobre o “espírito
o que Jesus ensinou, e outro bom da lei” comparado à “letra da lei”
exemplo disso é o capítulo 7 de I (II Coríntios 3.6). Podemos dizer
Coríntios, no qual ele respondeu que, neste capítulo, Paulo descre-
as perguntas que os coríntios fize- ve o que significa ser um judeu
ram a respeito do casamento. autêntico.
A seguir, Paulo escreveu sobre Existe uma aplicação pessoal
o judeu interior e o judeu exterior. para os crentes de Roma que não
A circuncisão era a expressão exte- eram judeus, assim como para
rior da realidade interior do judeu, nós: o batismo, que é a expressão

34 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

exterior de uma realidade interior, Davi e Jeremias ensinaram


de que cremos no Evangelho e sobre as motivações dos nossos
nos identificamos com Jesus Cris- corações e lançaram um desafio.
to na Sua morte e ressurreição. O Jeremias ensinou que nossos co-
batismo ordenado por Jesus, na rações são desesperadamente cor-
Grande Comissão, é uma declara- ruptos e enganosos: “O coração é
ção pública de uma decisão pes- mais enganoso que qualquer ou-
soal que tomamos. É comparável tra coisa e sua doença é incurável.
a uma cerimônia de casamento, Quem é capaz de compreendê-lo?
quando um homem e uma mulher ‘Eu sou o Senhor que sonda o co-
decidem se casar e tornam públi- ração e examina a mente, para
ca uma decisão que os dois já to- recompensar a cada um de acor-
maram em particular. Confiar em do com a sua conduta, de acor-
Jesus Cristo como nosso Salvador do com as suas obras’” (Jeremias
e entregar nosso coração a Ele é 17.9,10). Davi mostrou grande
uma decisão pessoal. discernimento e sabedoria, quan-
Assim como havia judeus, que do pediu a Deus que sondasse e
praticavam a circuncisão sem viver conhecesse os seus pensamentos
a realidade deste ato simbólico, e as motivações que não deveriam
pode também haver a prática do estar em seu coração, porque ele
ato do batismo sem a vivência do queria andar no caminho eterno
que ele realmente representa; por (Salmo 139.23,24).
isso, Paulo enfatizou que, no dia do Ainda neste capítulo, Paulo
julgamento, Deus vai nos conside- escreveu sobre o julgamento de
rar responsáveis pela realidade in- Deus que está por vir, no qual as
terior do nosso coração confessada razões secretas dos nossos cora-
publicamente. Ele ensinou como ções serão expostas. A lição que
ser um judeu autêntico, dizendo tiramos para nós é que devemos
que o julgamento de Deus atinge as aprender com Paulo, Jeremias e
motivações secretas dos corações Davi a considerar as verdadeiras
(2.16). Ele escreveu aos coríntios intenções dos nossos corações e
que só receberemos louvor ou con- não deixar que sejam reveladas
denação, depois que Deus expuser apenas no dia do julgamento.
as motivações dos nossos corações Como Davi, devemos confessar,
(I Coríntios 43-5). arrepender-nos e afastar de nós os

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 35


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

pensamentos e intenções que não que haverá um julgamento, mas


devem estar em nossos corações, confiam no fato de serem boas e
porque também queremos andar nunca terem prejudicado ninguém.
no caminho eterno. Você é uma dessas pessoas? Será
A aplicação deste capítulo re- que você não está fazendo a mes-
laciona a questão da profissão de ma coisa que os judeus de Roma
fé com nossas atitudes. Conside- estavam fazendo? Neste capítulo,
rando que morreremos e, depois, Paulo mostrou em que devemos
virá o juízo, será que confiamos basear nossa salvação.
apenas no fato de sermos mem- Na continuação desta obra
bros de uma igreja? Será que você -prima teológica, aprenderemos
se sente seguro, porque pratica onde deve estar nossa confiança
boas obras e é uma pessoa ínte- diante da morte, que é tão certa
gra? Milhões de pessoas crêem quanto o julgamento.

36 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 5
Justificado Pela Fé (Romanos 3.1-31)

Depois de se dirigir aos judeus 1.23,24). O fato de os judeus não


de Roma e lançar o desafio do se- terem obedecido à Palavra que eles
gundo capítulo desta carta, Paulo receberam de Deus, de modo ne-
inicia o terceiro capítulo colocando nhum a invalida; apenas confirma
em questão se existe alguma van- o seu propósito, que é convencer
tagem em ser judeu, respondendo todos os homens da inegável reali-
ele mesmo esta pergunta. dade de que eles são pecadores.
Paulo, então, declarou que to-
Todos estão sob a Lei dos os homens estão sob o que ele
De acordo com Paulo, o fato chamou de “lei do pecado” (7.23).
de os judeus não terem obedecido Ele citou o Velho Testamento para
à Palavra de Deus, confirmava o mostrar que todos são pecadores
que a própria Lei de Deus diz: que (Salmo 14.1-3; 53.1-5). Paulo
eles eram pecadores. No capítulo afirmou que o pecado do homem
3, versículo 4, lemos: “Seja Deus confirma a verdade da Palavra de
verdadeiro, e todo homem men- Deus. A partir desta afirmação, ele
tiroso”. Conforme o próprio Paulo teve que repreender os que diziam
afirmou no capítulo 2, a consciên- que ele ensinava que devemos pe-
cia dos gentios mostrou que Deus car para que o bem venha sobre
plantou Sua Lei no coração dos nós, e que o significado daquela
não judeus (2.15) e que todos os afirmação seria que confirmamos
homens, judeus ou gentios, estão a Palavra de Deus, quando peca-
sob a Lei de Deus. mos. Paulo negou, categoricamen-
Uma das funções da Lei de te, esta acusação, dizendo: “Seja
Deus é revelar a dura realidade de Deus verdadeiro e todo homem
que somos todos pecadores. Tiago mentiroso”. De acordo com Pau-
usou a figura do espelho para falar lo, o propósito da Lei de Deus não
da Palavra de Deus, a qual devemos era a salvação, mas nos revelar
olhar todos os dias, porque ela nos o pecado e mostrar a necessida-
revela nossas imperfeições (Tiago de de salvação e de um Salvador.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 37


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Nenhum de nós pode viver o pa- própria justiça, até mesmo inven-
drão perfeito de vida estabelecido tando desculpas para suas falhas
por Deus. Neste sentido, não so- morais e espirituais?
mos nós que quebramos a Lei de De tudo o que Paulo escre-
Deus e sim ela que nos quebra! veu até aqui nesta obra-prima te-
O capelão de um presídio obte- ológica, uma das passagens mais
ve permissão para falar a uns con- importantes de todos os seus es-
denados recém-chegados. Próximo critos é esta: “Mas, agora se ma-
ao portão de entrada havia duas nifestou uma justiça, que provém
paredes de pedra com a inscrição de Deus, independente da Lei, da
dos Dez Mandamentos e algumas qual testemunham a Lei e os Pro-
leis do Estado quebradas por aque- fetas, justiça de Deus mediante a
les prisioneiros. Antes de começar fé em Jesus Cristo para todos os
a falar, o capelão se dirigiu a um que crêem. Não há distinção, pois
dos prisioneiros que tinha acabado todos pecaram e estão destituídos
de ler os Dez Mandamentos e as da glória de Deus, sendo justifi-
outras leis e perguntou: “Qual des- cados gratuitamente por sua gra-
tas leis você quebrou, filho?”. O pri- ça, por meio da redenção que há
sioneiro respondeu: “Eu não que- em Cristo Jesus. Deus o ofereceu
brei nenhum destes mandamentos, como sacrifício, para propiciação,
não, senhor. Eles me quebraram!”. mediante a fé, pelo seu sangue,
No terceiro capítulo de Roma- demonstrando a sua justiça. Em
nos, Paulo escreveu que jamais sua tolerância, havia deixado im-
seremos justificados aos olhos de punes os pecados anteriormen-
Deus por não termos feito algo er- te cometidos; mas, no presente,
rado ou pela prática de boas obras demonstrou a sua justiça, a fim
contidas na Lei de Deus, pois não de ser justo e justificador daquele
foi com tal propósito que Deus nos que tem fé em Jesus” (3.21-26).
deu Sua Lei, mas para que ela re- Nesta passagem, temos a par-
velasse o pecado. De acordo com te central e mais importante desta
Paulo, o propósito da Lei de Deus declaração teológica, referente à
é que “toda boca se cale e todo o “justificação”. Paulo primeiro dá
mundo esteja sob o juízo de Deus” as boas notícias e, depois, as más.
(3.19). Será que a Palavra de Deus As boas novas anunciadas nesta
já calou a sua boca ou você ainda carta são que existe uma justiça
está falando e confiando em sua revelada por Deus, que vai além

38 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

do obedecer à Sua Lei. Essa jus- Paulo escreveu que somos todos pe-
tiça é adquirida pela fé em Jesus cadores, porque não conseguimos
Cristo, através da obra que Ele re- manter o padrão que Deus estabe-
alizou, na cruz, e não pelas obras leceu para nós em Sua Palavra. Este
de justiça do homem. padrão estabelece que todo e qual-
Para enfatizar esse princípio, quer pensamento, palavra ou atitu-
Paulo repete a mesma verdade re- de do povo de Deus deve se reverter
gistrada em 1.17, onde falou que em glória para Deus. Somos peca-
existe uma justiça revelada no Evan- dores, quando não cumprimos este
gelho, o qual ele se sente obrigado padrão. Esta é outra maneira de di-
e desejoso, mas não envergonha- zer que devemos cumprir o maior de
do, de pregar em Roma (1.16,17). todos os mandamentos, qual seja,
Lembre-se que, nestes versículos, amar a Deus com todo o coração,
ele disse que a justiça é adquirida mente e forças, o dia inteiro, todos
por fé e não por obras e que só Deus os dias, enquanto vivermos (Deute-
pode declarar alguém justo. ronômio 6.5; Mateus 22.35-38; I
Coríntios 10.31).
Todos estão sob o pecado Durante todos os anos de
Após dar as boas notícias, Pau- pastorado, encontrei dois tipos
lo prossegue com as más: “todos de pessoas que precisam ouvir
pecaram e estão destituídos da esta definição bíblica de pecado.
glória de Deus”. As línguas origi- Primeiro, são as pessoas que se
nais, nas quais a Bíblia foi escrita, sentem ofendidas, quando ouvem
possuem várias palavras que, em que são pecadoras, e consideram
português, são traduzidas para “pe- que pecadores são apenas os as-
cado”. Uma dessas palavras tem o saltantes de bancos, os adúlteros
significado de uma flecha que erra e os assassinos. Como elas não se
o alvo, um conceito que ultrapas- encaixam em nenhum destes gru-
sa algum limite ou uma regra que é pos, chocam-se, quando alguém
quebrada. Para escrever que “todos lhes diz que são pecadoras.
pecaram”, Paulo usou o termo refe- O problema dessas pessoas
rente à flecha que erra o alvo. Esta está no conceito que elas têm de
é a definição de pecado, nas Escri- pecado. Depois de compreende-
turas, de que eu mais gosto. rem a definição de Deus para o
Continuando na mesma linha pecado, de que todos somos pe-
que já tinha começado a desenvolver, cadores, porque não conseguimos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 39


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

manter o padrão de comporta- passagem, entendem que, para


mento que Deus estabeleceu para considerar que não pecam, preci-
o Seu povo, essas pessoas perce- sam ser perfeitas.
bem que são pecadoras, mesmo Quando Jesus cumpriu a Lei
que não pratiquem nada associado de Deus, ao ensinar o espírito da
ao antigo conceito de pecado que Lei de Moisés aos galileus, no
tinham. Nenhum desses pecado- alto do monte, Ele elevou a Lei de
res consegue cumprir o propósito, Deus a um ponto tão alto que ela
para o qual Deus nos criou, que é: nos quebra e cala a nossa boca,
glorificar a Deus com todo pensa- exceto para orar como o pecador
mento, palavra e obra, o dia intei- e clamar por misericórdia (Mateus
ro, todos os dias de suas vidas. 5.17-48). As boas notícias são
O outro tipo de pessoa é aque- que, quando oramos e clamamos
le que acha que já foi “santificado”. por misericórdia, Jesus afirma que
Para essas pessoas, “santificação” podemos ir para casa “justifica-
significa nunca pecar. O problema dos”, ou seja, declarados justos
deste grupo é o conceito que tem de por Deus (Lucas 18.10-14).
“santificação” (I João 1.8-10). Con-
forme já vimos, Paulo se dirigiu aos Todos podem ser justificados pela fé
crentes de Corinto como “santos” Paulo volta rapidamente às
e, depois, apresentou uma lista dos boas notícias, as quais são a força
pecados praticados pelos crentes motriz e o propósito desta decla-
daquela igreja. Com isso aprende- ração teológica da Igreja do Novo
mos que ser “santificado” não im- Testamento. Ao estudar cuidado-
plica em ser perfeito e sem pecado. samente os primeiros quatro capí-
Também existem pessoas que tulos desta carta, percebemos que
não têm um bom conceito ou uma Paulo está apresentando um pla-
boa definição de pecado e precisam no, através do qual os pecadores
entender que “pecar” é não conse- podem ser declarados justificados
guir atingir o padrão estabelecido por Deus, como se nunca tivessem
por Deus e endossado por Jesus, pecado antes.
que nos manda sermos perfeitos Deus é o autor deste plano,
(Gênesis 17.1; Mateus 5.48). Pes- o que fica bem claro nos quatro
soas que afirmam que não pecam, primeiros capítulos desta carta de
quando aceitam a definição de pe- Paulo. No capítulo 8, Paulo chega
cado apresentada por Paulo, nesta a declarar, explicitamente: “É Deus

40 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

quem os justifica” (8.33). O sacri- Abraão creu em Deus e isto lhe foi
fício de Jesus Cristo, o Cordeiro de imputado por justiça, quer dizer
Deus, é o fundamento deste plano que esta justiça foi dada a Abraão
(3.24,25). A ressurreição de Jesus e não conquistada por mérito dele.
Cristo é a garantia de que aquEle Mais adiante, no capítulo
que morreu na cruz é o Cordeiro 9, Paulo usa o personagem Jacó
de Deus, que Se sacrificou pelos como um exemplo de graça. Gra-
pecados do mundo (4.25). A fé é ça é a obra de Deus em nós e por
o primeiro passo para a aplicação nós, sem que haja qualquer aju-
do milagre da justificação aos nos- da da nossa parte. A misericórdia
sos pecados pessoais (3.28,30). de Deus impede que recebamos
A fé é uma dimensão tão im- o que realmente merecemos, en-
portante da nossa justificação, quanto a graça de Deus derrama
que Paulo dedica quase todo o sobre nós a salvação e todo o tipo
capítulo 4 desta carta ao exemplo de bênçãos que não merecemos
de Abraão, o “Pai da Fé”. Quando ou jamais conseguiríamos por
Deus quer comunicar uma grande nossos próprios esforços. Paulo
ideia a alguém, Ele envolve uma explica que jamais encontraremos
pessoa com essa ideia. Deus con- a fonte da nossa salvação em nos-
sidera a fé um conceito muito im- sos próprios esforços, mas apenas
portante e, por isso, reservou vá- na graça de Deus.
rios capítulos do Livro de Gênesis, De acordo com Tiago, a fé que
para contar a história de Abraão, salva vem acompanhada de obras
porque este homem foi uma defi- (Tiago 2.14-26). Já disseram que
nição ambulante de fé. “a fé sozinha pode salvar, mas a fé
Quando os autores do Novo que salva nunca está sozinha”. So-
Testamento se referiram à fé, cita- mos salvos pela fé que é acompa-
ram o nome de Abraão. Talvez, por nhada e validada por boas obras.
isso, ele tenha sido o personagem Apesar do tema central desta carta
do Velho Testamento mais citado ser “a justificação pela fé e não pe-
no Novo Testamento. las obras”, Paulo enfatiza, em to-
A graça de Deus é a fonte para das as suas cartas, a importância
sermos declarados justos por Ele das obras na caminhada de fé de
(3.24). Esta verdade também está um crente (2.6-10).
ilustrada na vida de Abraão. Paulo Paulo ensina que pecadores
explicou que, quando lemos que jamais são salvos por boas obras

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 41


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

(Efésios 2.8-10). Em todas as tinha sido culpado do orgulho da


suas cartas, Paulo enfatizou que autojustificação (Filipenses 3.4-
não somos salvos, nem podere- 9). Como Jesus, Paulo também
mos manter nossa salvação, atra- dirigiu muitos dos seus ensinos
vés das boas obras. Este é o tema aos líderes religiosos judeus. A
principal desta carta e também da resposta à sua própria pergunta
Carta aos Gálatas. é que, quando compreendemos o
plano de Deus para nos declarar
Resumo justos, deixa de existir qualquer
Deus é o autor de um plano, espaço para a autoglorificação. Foi
no qual Ele declara que os peca- por isso que o apóstolo escreveu
dores justificados vivem como se na Carta aos Gálatas: “Quanto a
nunca tivessem pecado, e a cruz mim, que eu jamais me glorie, a
de Cristo é a base deste plano. A não ser na cruz de nosso Senhor
ressurreição de Jesus Cristo é a Jesus Cristo” (Gálatas 6.14).
garantia de que Jesus era o úni- Como antigo rabino, Paulo en-
co Filho de Deus, quando sofreu cerra este capítulo, fazendo esta
e morreu na cruz nos redimindo. pergunta, que ele mesmo responde:
A graça de Deus é a fonte do Seu “Deus é Deus apenas dos judeus?
plano de sacrificar Seu Filho para Ele não é também o Deus dos gen-
nossa salvação. A fé é o princípio, tios? Sim, dos gentios também,
através do qual aplicamos este visto que existe um só Deus que,
plano maravilhoso de justificação, pela fé, justificará os circuncisos e
para nossos pecados e para nos- os incircuncisos” (3.29,30).
sa salvação. As obras não salvam, O pensamento conclusivo de
mas dão validade à fé autêntica Paulo é que a justificação pela fé
que salva. não invalida a Lei de Deus. A lei
Depois de apresentar, a parte da fé, pela qual Deus justifica ju-
principal deste plano, Paulo per- deus e gentios, estabelece a Lei de
gunta: “Que concluiremos, então? Deus. A Lei é um eco das pala-
Estamos em posição de vanta- vras que o Senhor falou no alto do
gem?” (3.9). Paulo ainda estava monte da Galileia, quando disse
se dirigindo a um judeu orgulho- que Ele não veio destruir a Lei e os
so pelo fato de Deus lhe ter dado Profetas, mas cumprir a essência
a Lei e por ser capaz de cumpri do que a Lei e os Profetas nos en-
-la. Como fariseu, Paulo também sinam (Mateus 5.17).

42 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 6
A Definição Ambulante de Fé (Romanos 4.1-25)

Quando Deus quer transmitir Abrão para Abraão, que significa


uma ideia, Ele envolve alguém com ‘pai de muitas nações’”. Então, viria
esta ideia. Como já observamos, outra pergunta: “Ah, então você já
Deus quer que compreendamos o teve filhos?”. Abraão responderia:
conceito de fé e, por isso, incluiu “Na verdade, ainda não tenho ne-
Abraão na narrativa bíblica, para nhum, mas...”, e Abraão repetiria a
transmitir a ideia de fé para nós. No promessa que Deus lhe havia feito,
princípio, esse personagem apare- que seus descendentes seriam tão
ce com o nome de Abrão, que quer numerosos quanto as estrelas e os
dizer “pai de muitos filhos”. Aos 75 grãos de areia da praia.
anos, Abrão ainda não tinha tido O milagre é que todos os ju-
filhos. Imagine-o se apresentando: deus e todos os árabes, que são
“Prazer, eu sou Abrão!”. Talvez até islâmicos, bem como todos os
as pessoas perguntassem: “Quan- cristãos, consideram Abraão como
tos filhos este velho homem tem?”. seu pai. Você entende agora, por
Imagine-o explicando que não que todos os autores da Bíblia
tinha nenhum filho, mas que um mencionam o nome de Abraão ao
dia sua descendência seria tão escreverem sobre fé?
numerosa como as estrelas do No estudo que fizemos sobre
céu ou os grãos de areia no mar. o Livro de Gênesis, comentamos
Se alguém lhe perguntasse como que nos primeiros onze capítulos
ele sabia disso, ele responderia: Deus registrou o princípio de to-
“Deus me disse!”. das as coisas: o universo, a terra,
Force um pouco mais sua o homem, a mulher, o casamento,
imaginação e pense nas mesmas a família, o pecado, o conflito, o
pessoas, alguns anos mais tarde, julgamento, as línguas, as nações
perguntando: “Abrão, e aí? Você já antigas e outras coisas que consi-
tem algum filho?” e ele responden- derou importante deixar registra-
do: “Desde a última vez que eu vi das. Os 38 capítulos restantes de
vocês, Deus mudou meu nome de Gênesis registram a vida de três

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 43


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

personagens, porque Deus sabe como ele. A única proteção de um


que gente se interessa por gente e homem como Abraão era a garan-
que nós aprendemos conceitos im- tia de que aqueles homens com
portantes, quando Ele coloca es- quem ele tinha firmado aliança
ses conceitos em vidas humanas. viriam em seu socorro com suas
A fé foi o conceito que Deus forças de guerra, para combater
colocou na vida de Abraão. Ao ler- um inimigo em comum.
mos sobre a justificação pela fé, Para entrar nesta aliança, reali-
podemos ver por que Deus priori- zava-se uma cerimônia, na qual as
zou deixar registrada, na Bíblia, a partes se comprometiam uma com
vida do homem que é um reflexo a outra, selando o trato. Nesta ce-
da fé. Se você consultar o estudo rimônia, as partes ficavam uma de
do Livro de Gênesis, descobrirá o frente para outra diante do sacrifí-
traçado que fizemos da fé, como cio de um animal; cada uma cami-
Deus encontrou Abraão e como nhava pelo sacrifício em um círcu-
Deus foi encontrado por ele. lo, em direções opostas, formando
Ao enfocar esta definição a figura do número oito. Enquanto
ambulante de fé que era Abraão, eles faziam essa caminhada, uma
Paulo aborda uma das aparições espada era aquecida no fogo e
mais dramáticas de Deus para ele, eles selavam a aliança, marcando
quando tinha quase cem anos. seus pulsos com a ponta da espa-
Deus tinha trocado o nome dele da aquecida no fogo, o que deixava
e confirmado a promessa de que neles uma cicatriz, que carregavam
sua descendência seria tão nume- para o resto da vida. O costume
rosa quanto as estrelas no céu ou de apertar as mãos fechando um
os grãos de areia no mar. Nesta negócio pode ter sua origem neste
aparição, Deus mostrou a Abraão antigo selo de aliança. Quando um
que estava em aliança com ele. inimigo em potencial via a cicatriz
Nos tempos em que Abraão na pessoa, sabia que ela estava
fazia sua jornada de fé, não existia em aliança com alguém de forças
a polícia para garantir o cumpri- iguais ou mais poderosas.
mento da lei. Naquele tempo, a Todas as vezes que Deus apa-
sobrevivência de um homem rico receu a Abraão e prometeu que
como Abraão dependia de ele estar seus descendentes seriam numero-
em aliança ou ter um pacto com sos, Ele estava firmando uma alian-
outros homens ricos e poderosos ça com Abraão. No capítulo 15 de

44 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Gênesis, Deus repetiu a promessa disto! Vou declará-lo justo, porque


mais uma vez e o mandou prepa- ele creu no que Eu lhe disse”.
rar um sacrifício, fazendo cair sobre Paulo continua escrevendo
Abraão um sono profundo. “Depois que, quando fazemos como Abraão,
que o sol se pôs e veio a escuridão, experimentamos o mesmo tipo de
eis que um fogareiro esfumaçan- fé que ele experimentou. Qualquer
te, com uma tocha acesa, passou que crer com a fé de Abraão é fi-
por entre os pedaços dos animais” lho de Abraão. Quando cremos no
(Gênesis 15.17). Através desta Evangelho da justificação, que Pau-
metáfora, Deus estava dizendo a lo pregou nesta carta, tornamo-nos
Abraão: “Eu estou em aliança com “espiritualmente judeus”.
você”. Foi a este episódio que Paulo Paulo continuou dirigindo-se
se referiu nesta carta: “Abraão creu aos judeus, que eram como o Sau-
em Deus e isso lhe foi creditado lo de Tarso que ele tinha sido um
como justiça” (Gênesis 4.3). dia, e observou que Deus decla-
O Livro de Gênesis contém 14 rou Abraão justo, antes deste ser
capítulos destinados ao registro da circuncidado: “Sob quais circuns-
história desse homem, que Deus tâncias? Antes ou depois de ter
quis deixar registrada, para mos- sido circuncidado? Não foi depois,
trar a você e a mim o que é fé. mas antes! Assim ele recebeu a
circuncisão como sinal, como selo
Principal aplicação da justiça que ele tinha pela fé,
A principal aplicação da fé de quando ainda não fora circun-
Abraão, que Paulo faz neste capí- cidado. Portanto, ele é o pai de
tulo, é que Deus declarou Abraão todos os que crêem, sem terem
justo, depois de ver que ele creu. sido circuncidados, a fim de que
Com esta aplicação, Paulo ilustra a justiça fosse creditada também
a verdade ensinada nos quatro pri- a eles; e é igualmente o pai dos
meiros capítulos desta carta, nos circuncisos, que não somente são
quais falou sobre a obra que Deus circuncisos, mas também andam
fez, através de Cristo, e o que Ele nos passos da fé, que teve nosso
espera de nós a esse respeito. pai Abraão, antes de passar pela
Paulo escreveu, basicamente, circuncisão” (4.10-12).
que Deus olhou para Abraão, sor- A circuncisão foi o selo da
riu e disse: “Este velho acreditou aliança de Deus com Abraão. As-
em tudo o que Eu disse e Eu gosto sim como o batismo não salva

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 45


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ninguém, antes funciona como o que Paulo quis dizer foi que o
um selo da nossa aliança de fé na mesmo Deus que deu fé a Abraão,
salvação, Paulo enfatiza que a cir- também dá fé àqueles que crêem
cuncisão não garantiu a justiça a no Evangelho (Efésios 2.8,9; Fi-
Abraão e a nenhum de seus des- lipenses 1.29). Ele também quis
cendentes. Ele explicou o significa- dizer que, assim como os judeus
do da frase: “isso lhe foi credita- foram escolhidos por Deus, tam-
do como justiça”. De acordo com bém nós, os que cremos, o fomos,
Paulo, ao contrário do que se pu- para sermos mordomos da Sua
desse comparar, a justiça não foi Palavra, Jesus Cristo (João 15.16;
conquistada ou merecida, como o Efésios 1.4).
pagamento de um dia de trabalho. Paulo conclui a introdução
Essa justiça foi um presente dado desta carta nos quatro primeiros
graciosamente a Abraão, porque capítulos, com o primeiro versí-
ele creu em Deus. culo do capítulo 5: “Tendo sido,
Paulo aplicou a aliança que pois, justificados pela fé, temos
Deus fez com Abraão, prometen- paz com Deus, por nosso Senhor
do-lhe uma descendência tão nu- Jesus Cristo”.
merosa quanto as estrelas do céu Isto nos faz lembrar de um
e os grãos de areia, ao fato de to- dos princípios para o estudo da
dos os que crêem no Evangelho da Bíblia: não podemos deixar que a
justificação pela fé serem filhos de divisão em capítulos interrompa a
Abraão. Quanto a Abraão ter rece- linha de pensamento ou a lógica
bido a promessa antes de ser cir- que o autor bíblico está desenvol-
cuncidado significa que a justiça vendo. Alguém já sugeriu que toda
que lhe foi creditada não se deveu vez que lemos nos escritos de Pau-
à circuncisão. Segundo Paulo, a lo as palavras “portanto”, “pois” e
promessa feita a Abraão ilustra- “por isso” devemos parar e ver o
va que ele seria pai também dos que ele escreveu antes, já que es-
incircuncisos, isto é, os gentios, tas palavras introduzem uma con-
quando estes cressem em Deus e clusão ou um passo importante na
soubessem o que Deus tinha feito lógica do seu ensino.
por eles, através de Jesus Cristo. A argumentação propriamente
Paulo escreveu sobre este dita desta obra-prima de Paulo co-
mesmo assunto em sua Carta aos meça no versículo 16 do primeiro
Gálatas (3.6-9). Basicamente, capítulo, onde ele afirmou que não

46 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

se envergonhava do Evangelho de que possa ser acrescentado à obra


Jesus Cristo. de salvação que Jesus realizou, na
De maneira clara e objetiva, cruz? Deus fez você saber quem
Paulo fez a declaração teológica Ele é, o que Ele condena, o que
que ele desenvolveu em profun- Ele sabe, o que Ele fez e o que Ele
didade nos quatro primeiros capí- quer que você faça?
tulos: esta justiça, que é revelada Deus é Justiça e condena a in-
no Evangelho, é adquirida e viven- justiça. Ele sabe que nem em um mi-
ciada pela fé. O ensino de Jesus lhão de anos você poderia fazer boas
declara que fé é um dom de Deus obras o suficiente para lhe garantir a
(Mateus 13.11-17). salvação. Foi por isso que Deus en-
Paulo apresentou um plano viou o Seu Filho amado, para morrer
completo, no qual Deus declara os em uma cruz por você. Depois de
pecadores justos. Este plano en- revelar tudo o que Ele fez, através
volve a cruz de Cristo, Sua ressur- desta carta inspirada de Paulo, Deus
reição, a graça de Deus, a fé e até quer que você creia nEle.
as boas obras, as quais validam a Convido-o a usar a sua ima-
fé verdadeira. Como um advogado ginação. Suponhamos que para
apresentando sua defesa diante de conquistar a salvação fosse neces-
um júri, ele sela sua apresentação sário atravessar o Oceano Atlânti-
no capítulo 4, com o exemplo de co a nado. Pessoas sem nenhuma
Abraão, reforçando a ideia desen- moral jamais conseguiriam sair da
volvida no capítulo 3: a justiça re- praia; outras com certa integrida-
velada no Evangelho é adquirida de avançariam alguns metros no
pela fé e não pelas obras. oceano; algumas com alto senso
moral e extremamente boas, como
Aplicação pessoal Gandhi, por exemplo, seriam óti-
Quando demos a visão pa- mos nadadores, mas se afogariam
norâmica desta carta, no início quando atingissem a exaustão.
deste estudo, desafiamos você a Paulo escreveu aos Gálatas
orar, pedindo a Deus que falasse que se pudéssemos ser justificados
diretamente ao seu coração. Agora pelas nossas boas obras significa-
quero saber: assim como aconte- ria que Jesus teria morrido na cruz
ceu com Lutero, Agostinho, John em vão (Gálatas 2.20,21). Quando
Wesley e tantos outros, Deus tam- Jesus suou gotas de sangue, orou:
bém lhe revelou que não há nada “Meu Pai, se for possível, afasta de

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 47


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mim este cálice; contudo, não seja convido a fazer esta oração, como
como eu quero, mas como tu que- eu fiz anos atrás: “Querido Pai,
res” (Mateus 26.39). Jesus estava eu sei que sou pecador e confio
pedindo ao Pai que, se houves- no Seu Filho, Jesus Cristo, como
se outro jeito de salvar o mundo, meu Salvador. Confio no poder
sem que Ele tivesse que morrer na manifestado na morte de Jesus,
cruz, que assim fosse feito; mas, a na cruz, e na Sua ressurreição,
resposta do Pai foi que não havia para me dar perdão de cada um
outra maneira de salvar o mundo, dos meus pecados, aos quais re-
por isso Jesus acabou indo para nuncio. Quero me reconciliar com
a cruz e morrendo nela. Mediante o Senhor. Aqui e agora declaro,
esta realidade, não há como acre- pela fé, que Jesus Cristo é o meu
ditar que podemos chegar a Deus Salvador. Eu entrego minha vida,
e dizer-Lhe que não precisaria ter de maneira incondicional, ao Seu
mandado Seu Filho para a cruz, controle e direção. Faça com que
pois nós mesmos poderíamos nos eu fique em total alinhamen-
salvar com as nossas boas obras. to com o Seu plano para minha
Qualquer pessoa que acredi- vida. Ajude-me, pois quero seguir
ta na salvação pelas obras deve e confiar, incondicionalmente, em
responder pelo menos a estas três Jesus Cristo, no Seu poder e auto-
perguntas: você já realizou obras ridade; quero viver para exaltá-Lo
suficientes para sua salvação? e glorificá-Lo. Eu agradeço pela
Você tem certeza da sua salvação? salvação eterna que o Senhor pro-
Se você pode se salvar praticando videnciou para mim. Em nome de
boas obras, por que, então, Jesus Jesus. Amém!”.
morreu na cruz? Se você fez esta oração, escre-
Assim como Abraão creu e va-nos contando. Filie-se a uma
sua fé lhe foi creditada por justi- igreja próxima que ensine com fi-
ça, você tem a garantia de Deus delidade a Palavra de Deus.
de que Ele também vai declará-lo Se você já crê em Deus e é um
justo, se você crer no que Ele fa- seguidor de Cristo, eu o desafio a
lou, através da palavra inspirada ser como Paulo e a compartilhar
de Paulo, nos quatro primeiros ca- as Boas Novas com outros, a fim
pítulos desta carta. de que eles também sejam decla-
Você está pronto para crer e rados justos e tenham paz eterna
ser justificado pela fé? Então, eu o com Deus.

48 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 7
Introdução a Uma Vida Justa (Romanos 5.1-21)

Nos quatro primeiros capítulos quem obtivemos acesso pela fé a


desta carta, Paulo fala da justifica- esta graça, na qual agora estamos
ção, concluindo que todos somos firmes e nos gloriamos na espe-
pecadores. Depois de dar esta má rança da glória de Deus”. Pela fé,
notícia, ele anunciou as boas no- somos justificados, através de Jesus
tícias de que Deus declarou justo Cristo, e temos acesso à graça que
todo aquele que crer, quando lhe é nos possibilita ficar firmados nEle.
revelado o que Deus fez por nós, Quando aprendemos esta verdade,
através de Jesus Cristo. A conclu- continuamos a viver neste mundo,
são dos quatro primeiros capítulos mas, agora, livres da escravidão do
desta carta está no primeiro ver- pecado, passamos a viver uma vida
sículo do capítulo 5: “Tendo sido, que glorifica a Deus.
pois, justificados pela fé, temos No resumo que fizemos do pri-
paz com Deus, por nosso Senhor meiro estudo deste livro, comenta-
Jesus Cristo”. mos sobre os dois fatos do Evan-
Nos quatro capítulos seguintes, gelho: a morte e a ressurreição de
Paulo fala da justificação para aque- Jesus Cristo. Pela fé, no primeiro
les que foram declarados justos, por fato do Evangelho, somos justifi-
terem fé no sacrifício de Jesus Cris- cados, reconciliados com Deus e
to, na cruz. Os pecadores que fo- temos paz com Ele. Ao escrever
ram declarados justos por Deus não que temos acesso pela fé à graça,
podem mais viver como tal. Como Paulo nos leva a colocarmos nossa
conseguimos isto? Será que quando fé no segundo fato do Evangelho, a
cremos em Cristo como nosso Sal- ressurreição de Jesus Cristo.
vador nossa natureza pecaminosa é A palavra usada por Paulo,
retirada de nós? Onde encontramos no original grego, traduzida aqui
a força para viver de maneira justa por “graça” é “charis”. A graça de
e correta? Paulo começa a respon- Deus não é apenas o Seu favor
der esta pergunta no segundo ver- imerecido, que não conseguimos
sículo do capítulo 5: “por meio de com nossos próprios esforços. A

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 49


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

graça de Deus é a vida e o poder Resumindo, toda graça, em


de Deus em ação em nós e atra- todas as coisas, em todo o tem-
vés de nós. A palavra grega usada po, tendo tudo o que é necessário,
para a “graça atuando em nós e transbordando em toda boa obra
através de nós” é “charisma”. que Deus quer fazer através de você!
A Igreja do Novo Testamento virou o
Graça maravilhosa mundo de cabeça para baixo, por-
Da pena do apóstolo Paulo que creu e viveu a verdade que Pau-
veio outro versículo maravilhoso lo proclamou neste versículo sobre a
sobre graça: “E Deus é poderoso maravilhosa graça de Deus.
para fazer que lhes seja acres-
centada toda graça, para que, em Essa graça está disponível para os
todas as coisas, em todo o tempo, crentes de hoje?
tendo tudo o que é necessário, Certa vez, ouvi do teólogo A.
vocês transbordem em toda boa W. Tozer o seguinte comentário:
obra” (II Coríntios 9.8). Este é o “Temos lido a respeito da Igreja do
versículo sobre graça mais enfáti- Novo Testamento e, como é inevi-
co de toda a Bíblia, que Deus dei- tável, fazemos comparações com
xou registrado para o Seu povo. as igrejas de hoje. Por vezes, pen-
De acordo com Paulo, Deus samos: Será que devemos achar
é poderoso para manifestar toda que Deus é culpado ‘de propagan-
graça; não apenas um pouco. Ele da enganosa’, por causa de tudo o
nos faz abundar em graça. Ele não que Ele anunciou sobre a Igreja no
só concede a Sua graça ao pastor Novo Testamento?”. Como expli-
ou ao missionário, mas a você e a car o marasmo das igrejas de hoje,
todos os que fizeram sua confis- diante de todos os superlativos usa-
são de fé em Jesus Cristo. Paulo dos por Paulo naquele versículo?
enfatizou: “para que vocês sempre Um pastor disse para a sua
- e não de vez em quando; tendo igreja que ouvia apática um dos
toda a suficiência - e não apenas seus sermões: “Quando o Senhor
um pouquinho; em todas as coi- voltar, esta igreja será a primeira
sas - e não apenas em algumas a ser arrebatada. Sabem por quê?
coisas; sejam abundantes - e não Porque o Novo Testamento afirma
escassos; em toda boa obra - não que os “mortos” vão ressuscitar
apenas em alguma”. primeiro!”.

50 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Deus nos disse, através do Paulo descreveu aos coríntios, que


apóstolo Paulo: “Minha graça é está disponível a todo discípulo ver-
suficiente para você”. Diante de dadeiro de Jesus Cristo.
toda esta “apatia” em que muitas Como você acha que Deus se
igrejas se encontram hoje, con- sente quando nos vê lutando para
cluímos que essa graça hoje está vivermos neste mundo como de-
disponível, mas não está sendo veríamos viver, sendo que Ele já
acessada. Será que é por não sa- providenciou um caminho para
bermos acessá-la ou porque que acessarmos toda graça que preci-
não cremos mais nela? samos e não o fazemos? Depois de
Paulo inicia esta seção da car- afirmar que podemos ter acesso à
ta, escrevendo que aqueles que fo- graça de Deus pela fé, Paulo mos-
ram declarados justos podem viver trou outra maneira para a acessar-
como tais, se tiverem fé para aces- mos, que é através da alegria em
sar a graça de Deus. Isso introduz meio ao sofrimento.
o tema dos próximos quatro capí- Existem níveis de sofrimento
tulos, que mostra, essencialmen- que sem a graça de Deus não po-
te, como pecadores que foram de- demos suportar. Quando atingimos
clarados justos podem ter acesso um limite além das nossas forças,
à graça de Deus, para viverem de Deus derrama Sua graça. Deve-
maneira que O glorifiquem. mos nos alegrar pelo sofrimento
que nos leva a conhecer a graça
Alegria no sofrimento de Deus. Paulo descreve este pro-
Paulo falou sobre outra ma- cesso, nos versículos seguintes:
neira de acessar a graça de Deus, “Não só isso, mas também nos
quando exortou os crentes de gloriamos nas tribulações, por-
Roma, você e eu a nos alegrarmos que sabemos que a tribulação
no sofrimento. Mas, por que ele produz perseverança; a perseve-
nos exortou a nos alegrarmos no rança, um caráter aprovado, e o
sofrimento e qual a relação com caráter aprovado, esperança. E a
acessar a graça de Deus? esperança não nos decepciona,
Paulo afirmou que devemos nos porque Deus derramou seu amor
alegrar no sofrimento, porque, às em nossos corações, por meio do
vezes, Deus usa o nosso sofrimento Espírito Santo que ele nos conce-
para nos levar a acessar a graça que deu” (5.3-5).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 51


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Paulo fala, nestes versículos, experiência própria, o que estava


que a vontade de Deus jamais nos ensinando aos romanos.
levará onde a graça de Deus não Quando ele chegou à Galácia,
pode nos manter. Esta verdade é pela primeira vez, foi proibido pelo
sempre reavivada durante a tri- Espírito Santo de entrar na Ásia.
bulação ou o sofrimento. Quando Nesse ponto da sua viagem mis-
não suportamos mais o sofrimento sionária, Paulo passou a ser acom-
e clamamos pela graça de Deus, panhado por seu querido amigo, o
uma virtude espiritual chamada médico Lucas, que estava escre-
“perseverança” é produzida em vendo o Livro de Atos e que, a par-
nós. A palavra grega traduzida tir daí, deixou de usar o pronome
para “perseverança” é “hupo-mo- “eles”, na narração dos fatos rela-
ne”, que é a junção das palavras cionados a Paulo, passando a usar
“suportar” e “sob”. o pronome “nós” (Atos 16.6,10).
Existem momentos em que Segundo Paulo, é assim que
nos encontramos em dificuldade funciona: quando Deus nos dá a
e, quando clamamos a Deus por graça para lidarmos com algum pro-
libertação, Ele nos livra. Porém, há blema, adquirimos perseverança,
outros momentos em que Ele não o que se torna um fator vital para
tira a dificuldade, mas nos dá a aquele que está em Cristo. Uma la-
graça suficiente para suportarmos ranja só é uma laranja depois de
a pressão e o estresse causados ter permanecido na laranjeira por
pela dificuldade. algum tempo, ter-se desenvolvido e
Paulo disse aos filipenses que amadurecido. De acordo com Pau-
orassem para que ele fosse liber- lo, esse nível especial de perseve-
tado da prisão e isso aconteceu. rança produz em nós um caráter e
No entanto, Paulo tinha um pro- o caráter produz esperança. A se-
blema que ele mesmo chamou de guir, Paulo afirma que “a esperan-
“espinho na carne”, pelo que orou ça não nos decepciona” (5.5). Isto
três vezes, pedindo a Deus que o quer dizer que um discípulo com o
livrasse, mas Deus lhe respondeu seu caráter provado e aprovado não
que não faria isso, porém lhe da- vai abandonar desanimar, como fez
ria a Sua graça para que ele o pu- João Marcos que, na sua primeira
desse suportar (II Coríntios 12.7- viagem missionária, voltou para
10). Paulo tinha aprendido, por casa (Atos 15.37,38).

52 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Durante uma visita que fiz em Você entende, agora, porque


1977 a missionários que trabalha- Paulo disse que devemos nos ale-
vam numa região entre o Paquistão grar na tribulação? O sofrimento
e o Afeganistão, aprendi que uma produz perseverança, a perseve-
das qualidades mais importantes rança, um caráter aprovado e um
que um líder busca em seu gru- caráter aprovado, a esperança. De-
po de missionários é a “perseve- vemos nos alegrar no sofrimento e
rança” em permanecer onde Deus na tribulação porque, através do
o colocou. Será que você partici- sofrimento e da tribulação, somos
paria de um trabalho missionário levados a acessar a graça de Deus.
como médico, enfermeiro ou en- A partir do versículo 12, na
genheiro numa cultura estranha, segunda metade deste capítulo,
durante 15, 20 ou 25 anos? Será Paulo começa a escrever a pas-
que sua vida seria uma fragrância sagem que consideramos a mais
de Cristo e uma declaração irrefu- difícil das Escrituras. Vamos usar o
tável do Evangelho de Jesus àque- resumo brilhante que David Stuart
les que são hostis a Cristo e a Seus fez dessa passagem tão importan-
seguidores? te, que contém a essência teológi-
As organizações missionárias ca da Igreja do Novo Testamento:
buscam candidatos que tenham
esta qualidade em seu caráter, Os quatro conquistadores
porque sabem que para ser um Nesta passagem, de acordo
missionário frutífero é necessário com o meu teólogo preferido, Paulo
ter perseverança. A maioria dos fala de quatro conquistadores, que
trabalhos missionários não consis- já entraram no mundo. Eles entra-
te em pregar, mas em viver como ram, abundaram, reinaram e con-
Cristo em um contexto cultural quistaram. O primeiro conquistador
diferente, até que as pessoas que é chamado “Rei Pecado”. Paulo
você deseja alcançar vejam Cristo não apresentou nenhum tratado
em você (II Coríntios 4.11). sobre a entrada do pecado no mun-
Jesus também falou sobre do; ele simplesmente reconheceu a
este assunto no Sermão do Monte: realidade de que o pecado e o mal
“Bem-aventurados os perseguidos estão presentes em nossas vidas.
por causa da justiça, pois deles é A origem do mal é discutida
o Reino dos céus” (Mateus 5.10). há milhares de anos por filósofos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 53


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

e teólogos, e a Bíblia reconhece vidas, com a intenção de reinar so-


a sua existência, mas não explica bre nós. Certo pastor me ensinou:
como Deus permitiu sua entrada “você não pode co-existir com o
no mundo. pecado, assim como não pode co
A melhor explicação que temos -existir com um câncer”. Todo cris-
sobre este assunto é a Parábola do tão verdadeiro precisa saber que o
Joio que Jesus ensinou em Mateus pecado é um conquistador. Quan-
13.24-30. A boa semente é plan- do o pecado entrou neste mundo,
tada, mas a plantação é sabotada, teve como intenção - e ainda tem
durante a noite, por alguém que, - crescer e florescer até conquistar
não desejando o bem do agricultor e reinar sobre nós.
e da plantação, semeou também O segundo conquistador é o
o joio, que é semelhante ao trigo. “Rei Morte”. Paulo encerra o ca-
Quando os dois crescem juntos, pítulo seis, concluindo que o “Rei
fica difícil identificar um e outro. A Pecado” paga um salário e este é
pergunta feita foi: “O senhor não sempre a morte. Quando lemos a
semeou boa semente em seu cam- referência que Paulo fez à morte,
po? Então, de onde veio o joio?” E pensamos em morte física, porém
a resposta dada foi: “Um inimigo é mais que isso. Ele inclui como
fez isso” (Mateus 13.27,28). “morte” todas as consequências
Quero lembrar que, como negativas do pecado no mundo e
Moisés, no Livro de Gênesis, Pau- em nossas vidas.
lo não falou apenas de algo que O salmista afirma que todos
aconteceu no passado. Ele escre- nós comeremos do trabalho de
veu sobre quatro conquistadores nossas mãos (Salmo 128.2). Um
que até hoje estão ativos. Não va- poeta escreveu que “cedo ou tar-
mos perder a linha de pensamen- de, todo homem deve se sentar à
to da argumentação de Paulo. Ele mesa do banquete de consequên-
ensinou que pecadores que foram cias de suas atitudes”. Jesus en-
declarados justos podem acessar a fatizou a mesma realidade irrefu-
graça de Deus pela fé e viverem de tável de que cada uma de nossas
maneira justa, neste mundo deca- escolhas tem suas consequências
dente e pecador. (Mateus 7.24-27). É esta mesma
Paulo falou do “Rei Pecado”, verdade que Paulo está ensinando
que entra no mundo e em nossas ao declarar que o “Rei Morte” vem

54 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

sempre atrás do “Rei Pecado”. Es- Se você ainda é derrotado


tes dois conquistadores são a “má pelo pecado e por suas consequ-
notícia”. ências, você está pronto para ou-
O terceiro e o quarto conquis- vir as Boas Novas, o Evangelho do
tadores são as “boas notícias”. terceiro conquistador apresenta-
O terceiro conquistador é o “Rei do por Paulo, neste tratado sobre
Jesus”, o maior conquistador que como viver uma vida justa.
este mundo já conheceu. Há qua- O quarto conquistador é o “Rei
se dois mil anos, Jesus tem con- Você”. Depois de falar sobre os qua-
quistado vidas em todo o mundo tro conquistadores, Paulo escreveu:
e chegará o dia em que todos re- “Se pela transgressão de um só a
conhecerão Sua conquista e o Seu morte reinou por meio dele, mui-
Reino sobre todas as nações, raça to mais aqueles que recebem de
e etnia (Mateus 24.14; Apocalipse Deus a imensa provisão da graça
5.9). De acordo com o último livro e a dádiva da justiça reinarão em
da Bíblia, um dia Jesus se mani- vida por meio de um único ho-
festará como Rei dos reis e Senhor mem, Jesus Cristo” (5.17).
dos senhores (Apocalipse 19.16). Poderíamos escrever e fazer
A verdade mais importante do muitos comentários sobre esta
Novo Testamento são as Boas No- passagem tão profunda, mas não
vas, Jesus, que entrou no mundo teríamos espaço suficiente aqui. A
para nos salvar dos nossos peca- essência dessa verdade, entretan-
dos e que, tendo ressuscitado dos to, é que podemos estar em Cris-
mortos, como Cristo Vivo, pode to, abundar em Cristo, reinar em
entrar em sua vida hoje. Cristo e sermos vitoriosos sobre o
Isto pode levantar algumas pecado e a morte.
dúvidas em nossos corações: Será Esta linda metáfora sobre os
que já fui justificado pela fé em Je- quatro conquistadores inicia a di-
sus Cristo? Eu ainda sou conquista- visão dos três próximos capítulos,
do regularmente pelo “Rei Pecado” os quais ensinam como podemos
e seu irmão gêmeo, “Rei Morte”? conquistar os dois primeiros reis,
Será que estou comendo regular- o “Rei Pecado” e o “Rei Mor-
mente do “banquete de consequ- te”, e entrar numa vida de união
ências”, que mostra que ainda sou com Cristo. No capítulo 8, Pau-
derrotado por estes dois reis? lo afirma que podemos ser super

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 55


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

conquistadores em Cristo, através que são filhos de Abraão, pela fé


dEle que nos amou (8.37). no que Deus afirmou ter feito em
Paulo concluiu o ensino dos Cristo Jesus.
quatro conquistadores, relacionan- Paulo resumiu esse ensino,
do o pecado de Adão, através do escrevendo que a Lei de Deus en-
qual todos se tornaram pecadores, trou no mundo através de Moisés,
com a obra de Cristo, através da uma vez que a função da Lei sem-
qual todos os que crêem se tor- pre foi e é nos fazer conscientes do
nam justos: “Consequentemente, nosso pecado, ou seja, a Lei fez a
assim como uma só transgressão ofensa transbordar. Mas, as boas
resultou na condenação de todos notícias são que quando o peca-
os homens, assim também um só do abundou, a graça transbordou:
ato de justiça resultou na justi- “A Lei foi introduzida para que
ficação que traz vida a todos os a transgressão fosse ressaltada.
homens. Logo, assim como por Mas, onde aumentou o pecado,
meio da desobediência de um só transbordou a graça, a fim de
homem muitos foram feitos peca- que, assim como o pecado reinou
dores, assim também, por meio na morte, também a graça reine
da obediência de um único ho- pela justiça, para conceder vida
mem, muitos serão feitos justos” eterna, mediante Jesus Cristo,
(5.18,19). nosso Senhor” (5.20,21).
O pecado de Adão resultou no O reino do pecado leva à mor-
julgamento, na condenação e na te, mas o reino da graça leva à
morte, enquanto que a obra de Je- vida eterna, através de Jesus Cris-
sus Cristo resultou no dom da jus- to, nosso Senhor. Paulo fala mais
tificação e na vida, para aqueles sobre este assunto, no capítulo 6.

56 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 8
Dois Tipos de Escravos (Romanos 6.1-23)

Como vivem aqueles que fo- aumentou o pecado, transbordou


ram declarados justos por terem fé a graça” e, adiantando-se aos seus
no sacrifício de Jesus Cristo? Onde leitores, ele mesmo perguntou:
essas pessoas encontram forças “Que diremos, então? Continua-
para viver da forma que agrada a remos pecando para que a graça
Deus? Este é o tema da passagem aumente?”. Ele mesmo respondeu:
que vai do capítulo 5 até a primei- “De maneira nenhuma!” e passou
ra parte do capítulo 8 desta carta. a usar metáforas para ilustrar o que
ele estava dizendo.
Perspectiva do capítulo 6 A primeira metáfora foi a do
Agora que vamos iniciar o es- batismo, que é interpretado de
tudo deste capítulo, quero destacar duas maneiras. Para aqueles que
um versículo e considerá-lo junto praticam o batismo por imersão,
com a metáfora usada por Paulo: Paulo estava falando do batismo
“Falo isso em termos humanos, que Jesus ordenou na Grande Co-
por causa das suas limitações hu- missão (Mateus 28.18-20). Paulo
manas” (6.19a). Devemos estudar afirmou em outra carta que, quan-
este capítulo, considerando a ver- do cremos no Evangelho, somos
dade contida nestes dois versícu- todos batizados em Cristo (I Co-
los: “Portanto, não permitam que ríntios 12.13). Muitos acreditam
o pecado continue dominando os que Paulo estava falando do nosso
seus corpos mortais... Pois o pe- batismo em Cristo.
cado não os dominará, porque vo- Quando somos justificados,
cês não estão debaixo da Lei, mas mesmo que isto seja um mistério
debaixo da graça” (6.12,14). que não compreendemos total-
Não podemos desassociar os mente, somos batizados na morte
primeiros versículos deste capítu- e na ressurreição de Cristo. Pau-
lo 6 com o último pensamento de lo escreveu, no capítulo 5, sobre
Paulo no capítulo 5. Paulo encerrou estarmos “em Adão”, desde o
o capítulo 5, dizendo que “onde momento em que o primeiro ser

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 57


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

humano pecou. Através do homem que Paulo escreveu neste capítu-


Adão, e por estarmos identificados lo. Ele identifica o ato do batismo
com ele, todos pecamos. Enquan- com os dois fatos do Evangelho:
to somos apenas expressão da na- a morte e a ressurreição de Jesus
tureza de Adão ou da nossa carne, Cristo. Quando descemos às águas
somos pecadores que precisam batismais, fazemos nossa confis-
ser justificados pela fé. são pública de fé na morte de Je-
Foi isso o que Jesus ensinou, sus, para nossa salvação; quando
quando disse a Nicodemos que descemos às águas, professamos
aquele que não crê nEle já está nosso compromisso de morrer
condenado (João 3.18). Quando para nossa velha vida de pecado;
este milagre acontece, passamos assumimos a responsabilidade de
a viver em Cristo, batizados na viver uma nova vida e passamos a
Sua morte e na Sua ressurreição. ter um relacionamento com Cris-
Assim como antes estávamos em to, desfrutando a vida abundan-
Adão, passamos a estar em Cristo. te que só obtemos através deste
Por isso Jesus é chamado de “O relacionamento.
último Adão” (I Coríntios 15.45). Quando Paulo passa da metá-
O batismo em águas, como fora do batismo para a da morte e
Jesus ordenou, é um significado ressurreição de Cristo, desafia-nos
mais profundo do batismo espiri- a identificar a morte e a ressurrei-
tual. Quando cumprimos a Grande ção de Jesus com o nosso peca-
Comissão de Jesus e somos bati- do e com a nossa vida justificada.
zados, fazemos uma profissão pú- Lembre-se do versículo-chave des-
blica de fé. te capítulo: “Falo isso em termos
O batismo em águas represen- humanos, por causa das suas li-
ta uma realidade mais profunda. mitações humanas” (6.19). Isto
Os mortos não pecam; portanto, quer dizer, basicamente, o seguin-
se estivéssemos mortos, não pe- te: “Estou usando uma ilustração
caríamos. Porém, no que se refere humana para ajudá-los a compre-
ao pecado, mesmo que não este- enderem as verdades espirituais
jamos mortos, devemos agir como que estou ensinando”.
se o estivéssemos para o pecado. Jesus foi o maior Mestre que
O batismo em águas faz um o mundo já teve; Ele sabia fazer
paralelo muito bonito e ilustra o uso das parábolas e metáforas de

58 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

maneira perfeita. De acordo com o pecado não seria problema para


que Paulo escreveu em sua Carta nós. O que Paulo ensina é que de-
aos Gálatas, ele aprendeu a usar este vemos responder ao pecado e às
recurso de linguagem com Jesus, tentações como se estivéssemos
que o ensinou no deserto da Arábia mortos para eles.
(Gálatas 1.15-17). O uso que Paulo Como muitas outras pessoas,
fez destas metáforas mostra que ele jamais me esquecerei de como
seguiu os passos do melhor Mestre meus antigos amigos de farra fica-
que o mundo conheceu. ram tristes, quando anunciei que
Este capítulo possui outras não ia mais acompanhá-los na-
palavras-chave na interpretação e quele estilo de vida. Quando con-
aplicação que devemos fazer des- tei a um desses amigos que tinha
sas ilustrações de Paulo em nos- decidido entrar para o seminário,
sa luta contra o pecado. Observe foi como se eu tivesse anunciado
o versículo 5, onde Paulo afirma o meu velório: “Poxa, você era um
que, se formos unidos a Jesus na cara tão legal!”.
semelhança da Sua morte, tam- As palavras de Paulo, no final
bém o seremos na semelhança da da sua Carta aos Gálatas, servi-
Sua ressurreição. No versículo 11, ram de encorajamento para mim,
Paulo escreveu: “Da mesma for- durante meus estudos. Nessa pas-
ma, considerem-se mortos para sagem, Paulo anunciou que, por
o pecado, mas vivos para Deus, causa da cruz de Jesus Cristo, o
em Cristo Jesus”. Com base no mundo estava crucificado para
original grego, podemos adotar a ele e ele estava crucificado para o
seguinte tradução alternativa para mundo (6.14).
este versículo: “Da mesma forma, Uma das principais verdades
considerem-se mortos para a apa- contidas neste capítulo que estu-
rência e poder do pecado, mas damos foi enfatizada por Paulo, no
vivos para Deus, através de Jesus capítulo 2. Não devemos jamais
Cristo, nosso Senhor”. participar de uma cerimônia re-
É importante observar que ligiosa sem a consciência do que
Paulo não estava dizendo que es- ela representa. O batismo é para
tamos literalmente mortos, pois nossa profissão de fé o que a cir-
um morto não peca nem é ten- cuncisão era para os judeus. Não
tado; se estivéssemos mortos, o podemos jamais reduzir o batismo

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 59


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

a uma cerimônia religiosa vazia vivo-a pela fé no filho de Deus,


e sem significado algum para a que me amou e se entregou por
nossa fé e experiência de vida, no mim” (Gálatas 2.20).
poder de Cristo. Não perca essa A seguir, Paulo inicia a parte
perspectiva, quando interpretar e mais importante deste capítulo,
aplicar as metáforas usadas por falando da escravidão: “E então?
Paulo neste capítulo. Vamos pecar porque não esta-
mos debaixo da Lei, mas debaixo
Resumo do ensino de Paulo no da graça? De maneira nenhuma!
capítulo 6 Não sabem que, quando vocês se
A primeira verdade que Pau- oferecem a alguém para lhe obe-
lo ensinou neste capítulo é ilus- decer como escravos, tornam-se
trada pela metáfora do batismo: escravos daquele a quem obe-
devemos relacionar o nosso ato de decem: escravos do pecado que
descer às águas com a morte e o leva à morte ou da obediência
sepultamento de Jesus, deixando que leva à justiça? Mas, graças a
nossa antiga vida de pecado e, Deus, porque, embora vocês te-
com a ressurreição de Jesus, pas- nham sido escravos do pecado,
samos a viver uma nova vida, li- passaram a obedecer de coração
vres do pecado (6.1-4). à forma de ensino que lhes foi
Nos próximos sete versículos transmitida. Vocês foram liber-
(5-11), Paulo reforçou este ensino tados do pecado e tornaram-se
com uma verdade frequentemen- escravos da justiça. Falo isso em
te apresentada por ele em suas termos humanos, por causa das
cartas: “Da mesma forma, consi- suas limitações humanas. Assim
derem-se mortos para o pecado, como vocês ofereceram os mem-
mas vivos para Deus, em Cristo bros do seu corpo em escravidão à
Jesus” (6.11). impureza e à maldade, que leva à
Paulo ensinou esta mesma maldade, ofereçam-nos agora em
verdade aos gálatas, quando fa- escravidão à justiça, que leva à
lou da sua própria experiência santidade” (6.15-19).
com Cristo: “Fui crucificado com Como já comentamos no iní-
Cristo. Assim, já não sou eu quem cio deste estudo, quando Paulo es-
vive, mas Cristo vive em mim. creveu esta carta, metade da po-
A vida que agora vivo no corpo, pulação de Roma era constituída

60 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de escravos. Para aquelas pessoas Nestes quatro últimos versícu-


que tinham nascido livres, como los do capítulo 6, Paulo voltou a
era o caso de Paulo, a simples ideia falar das consequências do peca-
de se tornar escravo lhes causava do e desafiou seus leitores a refle-
horror. O que Paulo disse com esta tirem sobre o “banquete de con-
metáfora foi que somos escravos sequências” que nos advem, se
de quem ou do quê servimos. Se deixarmos os membros do nosso
você é controlado pelo pecado, corpo serem escravos do pecado.
você é escravo do pecado; mas, se Paulo argumentou que, quando os
você confia em Jesus Cristo como membros do nosso corpo serviam
Seu Salvador e O escolheu como ao pecado, eram impossibilitados
seu Senhor, ser escravo do peca- de servirem à justiça. Ele lembrou
do é uma negação da sua fé em das consequências do pecado, que
Cristo (Lucas 6.46). Você deve ser são vergonhosas, e as denominou
escravo de Jesus Cristo apenas, o como “morte”.
que o deixa livre do poder do pe- Paulo exortou seus leitores a
cado e da morte. Por isso, Paulo se entenderem que o fruto ou a con-
apresentava em suas cartas como sequência de se servir à justiça é o
servo, ou seja, escravo de Jesus caminho para a santidade e a qua-
Cristo (Romanos 1.1; Filipenses lidade de vida eterna, que Jesus
1.1; Tito 1.1). Cristo promete a todo que confiar
“Quando vocês eram escra- nEle como Salvador. Ele desafiou
vos do pecado, estavam livres da seus leitores a declararem Jesus
justiça. Que fruto colheram então “Senhor de suas vidas”, a mor-
das coisas das quais agora vocês rerem para si mesmos e viverem
se envergonham? O fim delas é para Cristo.
a morte! Mas, agora que vocês Paulo finalizou este ensino,
foram libertados do pecado e se afirmando que existe sempre um
tornaram escravos de Deus, o fru- pagamento para o pecado, que não
to que colhem leva à santidade e muda e continua sendo a morte. Se
o seu fim é a vida eterna. Pois o as “más notícias” são que “o salá-
salário do pecado é a morte, mas rio do pecado é a morte”, as “boas
o dom gratuito de Deus é a vida notícias” são que “o dom gratuito
eterna em Cristo Jesus, nosso Se- de Deus é a vida eterna em Cristo
nhor” (6.20-23). Jesus, nosso Senhor” (6.23).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 61


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 9
As Quatro Leis Espirituais de Paulo (Romanos 7.1-8.13)

No capítulo 7 de Romanos, conhecem a Lei. Acaso vocês não


Paulo manifestou seu desaponta- sabem que a Lei tem autoridade
mento com relação ao desafio de sobre alguém apenas enquan-
vencer o pecado em sua própria to vive? Por exemplo, pela lei, a
vida, e compartilhou sua batalha mulher casada está ligada ao seu
para conquistar uma vida de san- marido, enquanto ele estiver vivo;
tificação, deixando registrada uma mas, se o marido morrer, ela es-
passagem que se tornou a favorita tará livre da lei do casamento.
de milhões de pessoas. Por isso, se ela se casar com ou-
Na introdução desta seção, o tro homem, enquanto seu marido
apóstolo enfatizou o conceito da ainda estiver vivo, será conside-
Lei. A partir deste capítulo e até o rada adúltera. Mas, se o marido
versículo 17 do capítulo 8, Paulo morrer, ela estará livre daquela
apresentou as “quatro leis espiritu- lei e, mesmo que venha a se ca-
ais”. Aqueles que foram declarados sar com outro homem, não será
justos, que desejam sinceramente adúltera. Assim, meus irmãos,
viver uma vida de santidade, têm vocês também morreram para a
que compreender estas quatro leis Lei, por meio do corpo de Cristo,
espirituais apresentadas por Pau- para pertencerem a outro, àquele
lo. Vejamos como, nos capítulos 7 que ressuscitou dos mortos, a fim
e 8 desta carta, Paulo desenvolveu de que venhamos a dar fruto para
estes importantes ensinos sobre: Deus, pois quando éramos con-
A Lei de Deus trolados pela carne, as paixões
A Lei do Pecado e da Morte pecaminosas despertadas pela
A Lei do Espírito da Vida em Lei atuavam em nosso corpo, de
Cristo forma que dávamos fruto para a
A Lei da Disposição Mental morte. Mas, agora, morrendo para
Paulo inicia o capítulo 7 com aquilo que antes nos prendia, fo-
outra metáfora: “Meus irmãos, mos libertados da Lei, para que
falo a vocês como a pessoas que sirvamos, conforme o novo modo

62 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

do Espírito, e não segundo a velha judaica, isto é, a doutrina defini-


forma da Lei escrita” (7.1-6). da pela Lei. Fariseus como Saulo
de Tarso tinham na memória toda
Lei espiritual número um: a Lei de a Lei de Moisés, ou seja, os cin-
Deus co primeiros livros do Velho Tes-
Paulo passou a desenvolver o tamento. A maioria dos cristãos,
que tinha escrito sobre justifica- hoje, jamais leu os cinco primeiros
ção pela fé. Ele já tinha afirmado livros da Bíblia.
que todos estamos sob o pecado, Os fariseus se consideravam
porque todos estamos sob a Lei de pessoas corretas e justas, mas a
Deus, que nos mostra que somos justiça legalista que eles defen-
pecadores. diam foi muitas vezes confrontada
Observe que, antes de Paulo por Jesus. Eles obedeciam à Lei de
apresentar a metáfora com a qual Deus com zelo, porque acredita-
inicia este capítulo, ele admitiu vam que a sua salvação dependia
que sabia que estava escrevendo dessa obediência.
para pessoas que conheciam a Lei Observe nos Evangelhos o
de Deus. No estudo dos primeiros amor e a paciência de Jesus com
versículos do capítulo 9, vamos fariseus como Nicodemos e até
ver porque este apóstolo, quando com aqueles com quem Ele tra-
escrevia, pregava e ensinava, diri- vou um longo diálogo, mesmo que
gia-se sempre aos judeus em pri- hostil. Porém, o maior exemplo do
meiro lugar e, depois, aos gregos. amor de Jesus pelos fariseus é a
Ele estava se dirigindo a pes- conversão do apóstolo Paulo, na
soas que eram como ele tinha sido estrada de Damasco, quando o
no seu tempo de rabino. Como fa- Cristo Vivo escolheu um fariseu dos
riseu dos fariseus, Saulo de Tarso fariseus para ser o maior missioná-
tinha se dedicado inteiramente a rio que a Sua Igreja conheceu.
cumprir a Lei de Deus. Embora Em uma passagem autobio-
os fariseus não tivessem um bom gráfica escrita aos filipenses (3.8),
conceito do Evangelho, devemos Paulo afirmou que, agora, o com-
entender que existia alguma coisa promisso de guardar a Lei era para
boa na doutrina dos fariseus. Por ele como refugo, porque, como um
exemplo, eles eram doutrinados fariseu, ele tinha crido que guardar
para preservar a ortodoxia da fé a Lei lhe traria a salvação.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 63


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Nesta carta, Paulo se dirigiu afirmação. Quando Jesus entrou


àqueles que tinham o mesmo ní- em Jerusalém, havia uma multi-
vel de comprometimento com a dão de doentes e debilitados junto
Lei que ele tivera. E como era o a um tanque chamado Betesda.
relacionamento deles com a Lei de Essa multidão era supersticiosa e
Deus, depois de descobrirem que acreditava que, quando a água do
não podiam ser justificados por tanque fosse agitada, o primeiro
ela? A resposta a esta pergunta se que mergulhasse nela seria curado.
encontra na metáfora que Paulo Jesus curou um homem naquele
usou para iniciar este capítulo. lugar porque ele tinha perdido toda
Quando os fariseus entendiam sua esperança de entrar no tanque.
que a Lei de Deus que eles tanto No comentário que fizemos ante-
amavam não podia salvá-los, cho- riormente sobre essa passagem,
ravam e lamentavam como uma vi- comparamos aquela supersticiosa
úva que perdeu o seu companhei- multidão com todos aqueles que
ro. Com esta metáfora tão brilhante buscam salvação em pessoas ou
e inspirada, Paulo ensinou que as- coisas e não em Jesus Cristo.
sim como o homem ou a mulher Pedro afirmou que não há sal-
que perdeu o seu cônjuge está livre vação em nenhum outro, senão
para se casar novamente, aqueles em Jesus Cristo: “Não há salvação
que tinham perdido a Lei estavam em nenhum outro, pois, debai-
livres para se casarem com o Se- xo do céu não há nenhum outro
nhor e Salvador Jesus Cristo. nome dado aos homens pelo qual
devamos ser salvos” (Atos 4.12).
Aplicação pessoal Se você confia que algo ou alguém
Qual é a aplicação pessoal além de Jesus Cristo pode salvá
para os leitores daquela época e -lo, você está confiando em um
para nós que hoje lemos a Carta “Tanque de Betesda”.
aos Romanos? Este ensino se apli- Quando você crê no meio de
ca a todos os que sempre atribuí- salvação apresentado por Paulo
ram sua salvação a alguém ou a nos seis primeiros capítulos desta
algo e descobriram que nada da- carta, o que você faz com aquilo
quilo podia salvá-los. em que antes acreditava que lhe
O Evangelho de João registra traria salvação? Você considera
um episódio que ilustra bem essa esta situação como um cônjuge

64 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que morreu, ficando o outro com Lei espiritual número dois: a Lei do
a liberdade para se casar com ou- Pecado
tra pessoa - no nosso caso, com Paulo enfatizou a verdade que
Jesus Cristo? já tinha deixado bem clara: o pro-
Outra aplicação pessoal é pósito da Lei nunca foi a salvação,
que, assim como esta carta foi mas conscientizar o homem do
dirigida aos bons judeus daquela seu pecado e da necessidade de
época, hoje ela se destina a todos salvação. De acordo com Paulo, a
aqueles que se consideram boas Lei é como uma linha demarcató-
pessoas e acham que sua bonda- ria de Deus em nossos caminhos
de lhes garante a salvação. Existe tortuosos. Assim como Paulo, Tia-
muita gente no mundo acreditan- go falou sobre a Lei de Deus ou
do que a salvação se baseia em a Palavra de Deus, comparando-a
fazer o melhor possível e viver sem com um espelho, no qual vemos
prejudicar ninguém. Se você é refletidas as nossas imperfeições
uma dessas pessoas que acredita (Tiago 1.23,24). Ele também afir-
na bondade, na integridade e na mou que a Lei é como um profes-
justiça própria para ser salvo, essa sor severo, cuja função é nos con-
metáfora se aplica a você. duzir até Cristo (Gálatas 3.24).
Jesus falou com amor a um jo- Paulo estabeleceu o propósi-
vem que era bom e de boa moral, to e o valor da Lei de Deus nesta
que nós denominamos “jovem rico”, passagem: “Que diremos, então?
que a bondade e a integridade dele A Lei é pecado? De maneira ne-
não eram suficientes para lhe darem nhuma! De fato, eu não saberia
a vida eterna (Marcos 10.21). o que é pecado, a não ser por
Nos versículos 8 a 12 do ca- meio da Lei, pois, na realidade,
pítulo 7, Paulo fez uma mudança eu não saberia o que é cobiça, se
muito importante no assunto da a Lei não dissesse: ‘Não cobiça-
carta. Até então ele se tinha diri- rás’. Mas, o pecado, aproveitando
gido aos romanos como “meus ir- a oportunidade dada pelo man-
mãos”. Neste ponto, ele fez uma damento, produziu em mim todo
relação do que estava escrevendo tipo de desejo cobiçoso. Pois, sem
com a sua própria vida, sua expe- a Lei, o pecado está morto. Antes
riência com a Lei de Deus e a ba- eu vivia sem a Lei, mas, quando
talha contra o pecado. o mandamento veio, o pecado

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 65


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

reviveu e eu morri. Descobri que o do que era bom, de modo que por
próprio mandamento, destinado a meio do mandamento ele se mos-
produzir vida, na verdade produ- trasse extremamente pecamino-
ziu morte, pois o pecado, aprovei- so” (7.12,13).
tando a oportunidade dada pelo Paulo se junta ao ensino de
mandamento, enganou-me e, por Jesus ao dizer que a Lei de Deus é
meio do mandamento, me matou” boa, se a interpretarmos e a apli-
(7.7-11). Paulo conclui que não carmos de acordo com os propó-
existe nada de errado com a Lei de sitos de Deus para ela (Mateus
Deus e que o problema não está 5.17-20). Jesus cumpriu a Lei,
nela, mas em nós mesmos. passando-a pelo prisma do amor
O profeta Jeremias e Paulo de Deus, antes de aplicá-la na vida
pregaram que, se queremos saber das pessoas. Paulo fez o mesmo,
qual é o problema, devemos olhar destacando que o propósito para o
para nós mesmos. Jeremias pregou qual Deus deu a Lei foi para reve-
muito sobre o julgamento de Deus, lação da “Lei do Pecado”.
que estava para acontecer, atra-
vés do cativeiro babilônico. Uma Três confissões de um fariseu
das passagens referentes a este Paulo inicia a passagem mais
episódio está em Jeremias 23.33: transparente e honesta das Escritu-
“Quando este povo ou um profe- ras sobre a santificação ou a vitória
ta ou um sacerdote lhe perguntar: sobre o pecado. Todo crente luta
‘Qual é a mensagem pesada da com o “Rei Pecado”, cuja intenção
qual o Senhor o encarregou? ‘, di- é dominar nossas vidas até que se-
ga-lhes: Vocês são o peso!”. jamos destruídos pelo “Rei Morte”.
Paulo escreveu a versão que Esses versículos mostram como
ele deu para este sermão pregado Paulo aplicava o ensino bíblico so-
por Jeremias com as seguintes pa- bre santificação em sua vida.
lavras: “De fato, a Lei é santa e o Ele estava resumindo e che-
mandamento é santo, justo e bom. gando à essência do ensino que ha-
E então, o que é bom se tornou via iniciado ao escrever o versículo
em morte para mim? De maneira 2 do capítulo 5: “por meio de quem
nenhuma! Mas, para que o peca- (nosso Senhor Jesus Cristo) obtive-
do se mostrasse como pecado, ele mos acesso pela fé a esta graça, na
produziu morte em mim por meio qual agora estamos firmes; e nos

66 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

gloriamos na esperança da glória ser também a chave da nossa vitó-


de Deus”. Lembre-se de que foi ria. Este tema é encontrado desde
a partir deste versículo que Paulo o capítulo 7, versículo 13, até o
começou a ensinar como podemos final do capítulo 8. Poderíamos di-
acessar a graça de que precisamos zer que se estende ao capítulo 11
para viver como pessoas que foram dessa obra-prima teológica.
declaradas justas. Ao ler essa passagem biográ-
Ele continuou dizendo que fica, busque encontrar as quatro
devemos nos alegrar em todas as leis espirituais apresentadas nela.
coisas que tornam a graça de Deus Lembre-se de que esta passagem
acessível para nós, por fé, mesmo parece mais com um diário espi-
que sejam sofrimentos e tribula- ritual de um homem que amava a
ções. Depois disso, ele apresentou Lei de Deus, que, provavelmente,
a metáfora dos quatro conquista- tentou mais que qualquer outro
dores, Rei Pecado, Rei Morte, Rei cumprir esta Lei: “Sabemos que a
Jesus e Rei você e eu, para ensinar Lei é espiritual; eu, contudo, não
que o Espírito Santo veio para ter o sou, pois fui vendido como es-
o controle das nossas vidas e nos cravo ao pecado. Não entendo o
fazer mais que vitoriosos. que faço, pois não faço o que de-
Depois, no capítulo 6, ele sejo, mas o que odeio. E, se faço
usou as metáforas do batismo, da o que não desejo, admito que a
morte, da ressurreição e da escra- Lei é boa. Neste caso, não sou
vidão para nos convencer de que mais eu quem o faz, mas o peca-
o pecado jamais deve controlar a do que habita em mim. Sei que
vida de alguém que já foi declara- nada de bom habita em mim, isto
do justo, por causa da sua fé em é, em minha carne. Porque tenho
Jesus Cristo. o desejo de fazer o que é bom,
Paulo continuou o seu ensi- mas não consigo realizá-lo. Pois o
no sobre este tema com as qua- que faço não é o bem que desejo,
tro leis espirituais e ilustrou essas mas, o mal que não quero fazer
leis com a confissão da luta que esse eu continuo fazendo. Ora,
ele próprio enfrentava. Ao deter- se faço o que não quero, já não
minar que o pecado não reinaria sou eu quem o faz, mas o pecado
em sua vida, Paulo compartilhou que habita em mim. Assim, en-
a chave da sua vitória, que pode contro esta lei que atua em mim:

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 67


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Quando quero fazer o bem, o mal O apóstolo concluiu que não


está junto a mim. No íntimo do havia nada de bom em sua car-
meu ser tenho prazer na Lei de ne até que sua natureza humana
Deus; mas vejo outra lei atuando passou para os cuidados de Deus.
nos membros do meu corpo, guer- Devemos acrescentar que aqueles
reando contra a lei da minha men- que vivem na carne ou que têm
te, tornando-me prisioneiro da sua natureza humana sem o tra-
lei do pecado que atua em meus tamento de Deus vivem de acordo
membros. Miserável homem que com a filosofia da natureza huma-
eu sou! Quem me libertará do cor- na, sem acesso à graça e à verda-
po sujeito a esta morte? Graças a de reveladas e ordenadas na Pala-
Deus por Jesus Cristo, nosso Se- vra de Deus.
nhor! De modo que, com a mente, Essa definição é muito impor-
eu próprio sou escravo da Lei de tante para qualquer pessoa jus-
Deus; mas, com a carne, da lei do tificada pela fé, que queira viver
pecado” (7.14-25). de maneira justa e firmar-se no
Veja que esta declaração de Senhor. Ao olhar para o seu pró-
Paulo é sua própria experiência prio coração, o apóstolo Paulo foi
sobre a luta para vencer o pecado. honesto e transparente acerca do
Ele escreveu: “... a Lei é espiritu- que viu em sua natureza humana.
al; eu, contudo, não o sou, pois fui Além de não ver em si nada de
vendido como escravo ao pecado” bom, descobriu uma lei que agia
(7.14). Disse mais: que nele não revelando o mal que estava nele,
havia nada de bom (7.18). quando queria fazer o bem.
Encontramos, frequentemen- Paulo concordava com o que
te, a palavra “carne” nos escritos a Lei de Deus lhe dizia para fazer
de Paulo, por isso é importante e cria que ela era boa. Na verdade
que entendamos o que ele que- ele amava a Lei de Deus. Talvez,
ria dizer com essa palavra. Um antes, quando era um fariseu, ele
famoso teólogo e professor, num acreditasse que cumprir a Lei de
seminário de Edimburgo, na Irlan- Deus era uma questão de força
da, definiu o termo “carne”, usado de vontade, mas, agora, ele esta-
tantas vezes por Paulo, como “na- va dizendo que, por causa da “Lei
tureza humana sem o tratamento do Pecado”, ele tinha descoberto
de Deus”. que, quando decidia obedecer à

68 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Lei de Deus, a sua força não tinha enquanto vivermos. Quando Cristo
nenhum poder sobre a sua própria vive em nossos corações, através
vontade. do milagre do Espírito Santo, des-
Paulo também concluiu que a cobrimos que aquEle que está em
“Lei do Pecado” estava em guer- nós é maior que o que comanda a
ra com o que ele chamou de “Lei força do pecado, o diabo, e que nós
da Mente”. Ele declarou que sua encontramos vitória em Cristo.
batalha contra o pecado não era
vencida com sua força de vontade A vitória! Mais duas Leis espirituais
nem com sua intelectualidade. De- Iniciando o capítulo 8, quero
pois da confissão desesperada de lembrá-lo de que Paulo não escre-
que era um homem miserável, ele veu esta carta com essa divisão
clamou por livramento e declarou de capítulos e versículos. Algumas
que a batalha contra o pecado não vezes, e isso acontece neste caso,
poderia ser vencida com o olhar a divisão em capítulos interrompe
voltado para dentro de si mesmo. a linha de pensamentos do autor.
De acordo com Paulo, não encon- Observe a presença da palavra
tramos nada em nós mesmos que “portanto”, no início deste capítulo.
possa nos fortalecer para vencer a A função desta palavra é relacionar
batalha, que será vencida apenas o que ele vai dizer neste capítulo
quando Deus acrescentar à nos- com o que disse anteriormente,
sa natureza humana uma dimen- através das metáforas do capítulo
são espiritual. Isto quer dizer que, 7, e com o que declarou, de ma-
quando somos justificados pela fé, neira honesta e transparente, sobre
a “Lei do Pecado” não é removida sua própria luta contra o pecado.
da nossa carne. Atente também para a terceira
No capítulo seguinte, Paulo e quarta Leis espirituais que extra-
anuncia as boas notícias de que, ímos do texto: “Portanto, agora já
quando somos justificados pela fé, não há condenação para os que
algo espiritual, sobrenatural e mi- estão em Cristo Jesus, porque por
raculoso é acrescentado à nossa meio de Cristo Jesus a lei do Es-
carne. Entretanto, mesmo depois pírito de vida me libertou da lei
deste milagre, continuamos a lidar do pecado e da morte. Porque,
com a dura realidade da “Lei do Pe- aquilo que a Lei fora incapaz de
cado”, que persiste dentro de nós, fazer por estar enfraquecida pela

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 69


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

carne, Deus o fez, enviando seu a seus corpos mortais, por meio
próprio Filho, à semelhança do do seu Espírito, que habita em
homem pecador, como oferta pelo vocês. Portanto, irmãos, estamos
pecado. E assim condenou o pe- em dívida, não para com a carne,
cado na carne, a fim de que as para vivermos sujeitos a ela. Pois
justas exigências da Lei fossem se vocês viverem de acordo com
plenamente satisfeitas em nós, a carne, morrerão; mas, se pelo
que não vivemos segundo a car- Espírito fizerem morrer os atos do
ne, mas segundo o Espírito. Quem corpo, viverão” (8.1-13).
vive segundo a carne tem a mente
voltada para o que a carne dese- Lei espiritual número três: a Lei do
ja; mas quem vive de acordo com Espírito da Vida em Cristo Jesus
o Espírito, tem a mente voltada Existem três verdades muito
para o que o Espírito deseja. A importantes na introdução do capí-
mentalidade da carne é morte, tulo 8. Se voltarmos ao início desta
mas a mentalidade do Espírito é carta, no capítulo primeiro, verso
vida e paz; a mentalidade da car- 17, vemos que se trata de uma
ne é inimiga de Deus, porque não afirmação semelhante à conclusão
se submete à Lei de Deus, nem de Paulo, no início do capítulo 8,
pode fazê-lo. Quem é dominado de que não há condenação para os
pela carne não pode agradar a que estão em Cristo Jesus. Nesta
Deus. Entretanto, vocês não estão passagem, ele instruiu a não andar-
sob o domínio da carne, mas do mos de acordo com nossa natureza
Espírito, se de fato o Espírito de humana, ou seja, sem o tratamen-
Deus habita em vocês. E, se al- to de Deus, mas de acordo com o
guém não tem o Espírito de Cris- Espírito. Como Jesus, Paulo ensina
to, não pertence a Cristo. Mas, se que aqueles que não crêem estão
Cristo está em vocês, o corpo está condenados (João 3.18).
morto por causa do pecado, mas Paulo também mostra, neste
o espírito está vivo por causa da capítulo, que Cristo não nos conde-
justiça. E, se o Espírito daquele na quando erramos. Ele é o nosso
que ressuscitou Jesus dentre os Pai do Céu perfeito e, como qual-
mortos habita em vocês, aque- quer outro pai, Ele tem compaixão
le que ressuscitou a Cristo den- dos Seus filhos e sabe que somos
tre os mortos também dará vida apenas pó (Salmo 103.14).

70 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Será que dá para imaginar assim como um ramo que está liga-
um pai terreno ensinando seu fi- do à videira e dela tira a vida que o
lho a andar e castigando-o quan- faz ser frutífero (João 15.1-16).
do tropeça? Jesus fez esta mesma Paulo introduz a terceira lei
comparação em Lucas 11.11-13: espiritual ao escrever: “a lei do Es-
“Qual pai, entre vocês, se o filho pírito de vida me libertou da lei
lhe pedir um peixe, em lugar disso do pecado e da morte” (8.2). Para
lhe dará uma cobra? Ou, se pedir falar da terceira lei e o que ela
um ovo, lhe dará um escorpião? pode fazer, Paulo volta à segunda
Se vocês, apesar de serem maus, lei, a “Lei do Pecado”, e acrescen-
sabem dar boas coisas aos seus ta-lhe “Lei do Pecado e da Morte”.
filhos, quanto mais o Pai que está Desta forma, as quatro leis espi-
nos céus dará o Espírito Santo a rituais de Paulo ficam relaciona-
quem o pedir?”. das com os quatro conquistadores
Paulo também concordou com apresentados no capítulo 5. Você
o que Tiago escreveu sobre obras está lembrado do “Rei Pecado” e
da fé e andar na fé (Tiago 2.14- do “Rei Morte”? As consequências
26). A fé por si só salva, mas a do pecado são sempre a morte.
fé que realmente salva nunca está Assim como os dois conquis-
sozinha. Aqueles que não são con- tadores eram as más notícias e o
denados, porque são justificados terceiro e o quarto conquistadores
pela fé, têm sua fé validada, mos- as boas, as duas primeiras leis es-
trando que não andam de acordo pirituais são as más notícias e a
com a carne, mas de acordo com terceira e a quarta leis espirituais
o Espírito. são as boas.
Outra verdade ensinada por Imagine um avião de grande
Paulo, no primeiro versículo, está porte, taxiando pela pista até con-
em duas palavras que ele usa cen- seguir velocidade, levando cerca
tenas de vezes, no Novo Testamen- de 380 passageiros, além de vá-
to. Uma das maneiras preferidas de rias toneladas de bagagens, quan-
Paulo se referir aos pecadores jus- do alcança uma altitude de dez
tificados, que descobrem a terceira mil metros. Assim é a boa notícia
lei espiritual, é dizer que eles estão da Lei do Espírito e da Vida, nos
“em Cristo”. Com isso, ele está se libertando do poder do pecado e
referindo àquele que está em Cristo, da morte.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 71


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Certa vez eu estava pregan- que já foram justificados pela fé e


do sobre a terceira lei espiritual que ocupam os bancos das nossas
e usei essa ilustração. Depois do igrejas?
sermão, um professor de física me Com base na experiência de
explicou o que acontece. Ele disse alguém que já é pastor há quase
que, enquanto o avião corre pela cinco décadas, estou convencido
pista, a sua velocidade e a força de que a resposta mais transpa-
dos seus motores permitem que a rente e honesta que encontro para
lei da aerodinâmica supere a lei da esta pergunta é que muitos de nós,
gravidade. Quando a lei da aerodi- na maior parte do tempo, somos
nâmica supera a lei da gravidade, como grandes aviões aterrissados
o avião levanta vôo ao céu e flutua nas pistas da vida, com motores
a dez mil metros de altitude, por incapazes de superar a “lei espi-
milhares de quilômetros, até al- ritual da gravidade”, funcionando
cançar o seu destino. durante 30 ou 40 anos – às vezes
Agora, compare a segunda por toda vida - sem jamais levan-
lei espiritual, a Lei do Pecado e tar vôo!
da Morte, com a “lei da gravidade
espiritual”, que nos mantém para Lei espiritual número quatro: a Lei
baixo, incapazes de flutuar espiri- da Disposição Mental
tualmente. Paulo apresentou a ter- Nós, simplesmente, não sa-
ceira lei espiritual, a Lei do Espíri- beremos usufruir a graça de Deus
to e da Vida em Cristo Jesus, como ou a terceira lei espiritual, se não
a lei da “aerodinâmica espiritual”, compreendermos a quarta lei es-
que nos eleva e nos faz flutuar so- piritual apresentada pelo apóstolo
bre o poder e as consequências da Paulo. Leia mais uma vez os versí-
Lei do Pecado e da Morte. culos 5 ao 8 e procure identificar a
As boas notícias da terceira lei quarta lei espiritual.
espiritual são parte integrante do Você acha que a mentalida-
Novo Testamento, desde que ele de de uma pessoa tem um papel
foi escrito. Será que os crentes jus- importante em sua vitória contra
tificados não deveriam estar flutu- o pecado? Na passagem citada,
ando sobre o poder e as consequ- onde Paulo fala sobre a quarta lei
ências do pecado? Qual tem sido espiritual, que tem um papel im-
a experiência de tantos pecadores portante na nossa luta contra o

72 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

pecado, a palavra mentalidade foi não consegue entender conceitos


citada cinco vezes. espirituais, porque são loucura
A Lei de Deus já revelou a Lei para ele, pois apenas aqueles que
do Pecado em sua vida? Você já são espirituais conseguem enten-
descobriu a boa notícia da Lei do der verdades espirituais (I Corín-
Espírito da Vida em Jesus Cristo? tios 2.9-16).
Você tem flutuado sobre o poder Quando Paulo escreveu acer-
do pecado? Você tem superado a ca dos que vivem segundo a car-
“gravidade espiritual” com a “ae- ne, ele estava declarando que as
rodinâmica espiritual”? Será que pessoas, que escolheram viver se-
você está com suas “turbinas” liga- gundo a carne, fizeram a escolha
das nas pistas da vida cristã, sem deliberada de voltar suas mentes
nunca decolar espiritualmente? Se para a carne, enquanto que pes-
sua resposta for “sim”, você preci- soas espirituais, que vivem de
sa, desesperadamente, da quarta acordo com o Espírito, têm suas
lei espiritual do apóstolo Paulo: A mentes voltadas para as coisas do
Lei da Disposição Mental. Espírito, por escolha própria.
De acordo com Paulo, quando Paulo declarou que mesmo
temos à nossa disposição a Lei do aqueles que são espirituais, que as-
Espírito da Vida em Cristo Jesus, te- sumiram o compromisso de serem
mos uma opção: podemos escolher seguidores de Cristo, não conse-
viver e andar de acordo com a carne guem agradar a Deus, quando pas-
(nossa natureza humana sem o tra- sam a viver para a carne. Ele ainda
tamento de Deus) ou viver e andar acrescentou que estes vão desco-
em submissão, sob o controle do brir que, quando nossas mentes es-
Espírito Santo (Gálatas 5.16-25). tão voltadas para a carne, o pecado
Paulo alertou para não viver- paga o seu salário, que é o banque-
mos na carne, mas no Espírito, e te de consequências negativas de-
nos disse que, se o Espírito não finidas como “morte” (6.23; 8.2).
habita em nós, não pertencemos a Paulo não se referiu à morte física
Deus. Ele divide toda a família hu- nem à morte eterna, mas à morte
mana em dois grupos: os espiritu- espiritual, no sentido de separação
ais e os não espirituais. Quem ain- de Deus e da qualidade de vida, re-
da está na carne não é espiritual. sultante do conhecimento de Deus
De acordo com Paulo, tal homem (João 17.3).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 73


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Ter a mente voltada para o Es- estas palavras: “Até quando vocês
pírito é a conquista para uma vida vão oscilar para um lado e para
espiritual abundante, definida pelo o outro? Se o SENHOR é Deus,
próprio Senhor Jesus (João 10.10). sigam-no; mas, se Baal é Deus,
Também o apóstolo João resumiu sigam-no” (I Reis 18.21).
esta verdade: “E este é o testemu- O apóstolo João registrou em
nho: Deus nos deu a vida eterna, e Apocalipse uma carta de Jesus
essa vida está em seu Filho. Quem Cristo para a igreja em Laodiceia,
tem o Filho, tem a vida; quem não que contém a seguinte mensa-
tem o Filho de Deus, não tem a gem: “Conheço as suas obras, sei
vida” (I João 5.11,12). que você não é frio nem quente.
Jesus ensinou que, se nossa Melhor seria que você fosse frio
mente for saudável, todo o nosso ou quente! Assim, porque você
corpo será cheio de luz; mas, se é morno, não é frio nem quente,
nossa mente não for saudável, o estou a ponto de vomitá-lo da mi-
nosso corpo será cheio de trevas. nha boca” (Apocalipse 3.15,16).
De acordo com Jesus, depende da Tiago, como Pedro e Paulo foi
nossa disposição mental termos um dos líderes mais importantes da
uma vida cheia de luz ou uma vida primeira geração da Igreja do Novo
cheia de trevas (Mateus 6.22,23). Testamento. Ele instruiu os crentes
Com este ensino, Jesus nos a pedirem sabedoria a Deus. Como
adverte contra o que chamamos parte vital desta exortação, Tiago
de “esquizofrenia espiritual” ou “vi- lançou o desafio de sermos firmes
são espiritual distorcida”. Em Tiago na fé, quando pedirmos sabedoria
1.8, lemos sobre um homem com a Deus. Não devemos ser como a
mente dividida, instável, hesitante onda do mar, levados de um lado
a respeito de tudo o que faz e sen- para outro. Ele deu a seguinte des-
te, enquanto que, nos capítulos 6, crição do mesmo problema enfoca-
7 e 8 de Romanos, encontramos o do por Jesus, Paulo, Elias e João:
alerta de Paulo quanto às distor- “pois tem mente dividida e é instá-
ções espirituais no caráter cristão. vel em tudo o que faz” (Tiago 1.8).
Jesus, Paulo, os apóstolos
e profetas deram vários nomes Resumo
para a mente dividida. O profeta Jesus ensinou que a Palavra de
Elias desafiou o povo de Deus com Deus é a Verdade e que devemos

74 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

lê-la buscando a Verdade. Além não apenas em minhas pregações,


disso, devemos assumir o compro- nas igrejas, mas também com vá-
misso de aplicar a Verdade em nos- rios psiquiatras e psicólogos, que
sas vidas, quando a encontrarmos acreditam que aqueles que ensi-
(João 7.17; 13.17; 17.17). nam a Palavra de Deus estão dei-
Esse esclarecimento do Se- xando seus ouvintes mentalmente
nhor moldou a abordagem que eu perturbados”.
faço da Palavra de Deus. Descobri, Desde 1949, descobri a Pa-
e você também descobrirá, que é lavra de Deus e passei a obede-
dessa forma que provamos que a cer à verdade; a partir daí, tenho
Palavra de Deus é inspirada! comprovado a Sua veracidade.
Jesus também mostrou que o Entretanto, devemos nos lembrar
Seu ensino é como o vinho, que que existe a verdade revelada e a
ainda não foi fermentado, e aler- verdade descoberta. Quando con-
tou para o fato de que, se esse selheiros, juízes, médicos e cente-
“vinho” for colocado em odres nas de outros profissionais desco-
velhos, quando ele fermentar, vai brem a verdade em suas áreas de
causar uma pressão tão forte na atuação, simplesmente concluem
bolsa em que foi armazenado, que o que a Bíblia já tinha revelado
poderá explodi-la. Isto quer dizer com excelência. Podemos também
que o “vinho” será desperdiçado afirmar que a Bíblia é divinamente
(Lucas 5.37,38). inspirada, porque a verdade que
Jesus estava alertando aque- nela encontramos é incontestável.
les que ouviam Seu ensino que, Doenças psicossomáticas são
se eles não aplicassem a Palavra causadas pela mente, que é o es-
que estavam ouvindo nem a obe- pelho da nossa alma, sendo a cul-
decessem, ela acabaria por “ex- pa a que mais atinge os cristãos,
plodir” suas mentes. Compartilhei sobretudo quando não conseguem
esta parábola com um professor viver de acordo com o padrão es-
de psicologia e ele me perguntou: tabelecido pela Palavra de Deus.
“Vocês pregam este ensino de Je- Davi foi um desses exem-
sus nas suas igrejas?”. Respon- plos, mesmo tendo sido descrito
di-lhe: “Certamente que sim! Há como o “homem segundo o co-
quase cinco décadas tenho com- ração de Deus” (I Samuel 13.14;
partilhado esta parábola de Jesus, Atos 13.22). Além de Moisés,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 75


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

não houve outro homem que me- enfrentava contra a carne. Encon-
lhor demonstrasse o que é adora- tramos, no Velho Testamento, o
ção e como se deve adorar, como exemplo de Davi, que faz um para-
Davi, apesar de, em determinado lelo com a confissão de Paulo, no
momento de sua vida, ter come- Novo Testamento. As confissões
tido graves transgressões, quando destes dois homens de Deus ser-
adulterou, traiu e premeditou um vem de exemplos para nós.
assassinato, encobrindo por um De acordo com Jesus, pecado
ano esses delitos. é rejeitar ou não conseguir viver
Preste atenção nestas pala- de acordo com a luz já recebida.
vras de Davi, que revelam a terrí- Será que existe alguém que consi-
vel culpa que o afligiu física, emo- ga viver de acordo com o seu pro-
cional e espiritualmente: “Como é pósito de vida? Se existisse, não
feliz aquele que tem suas trans- haveria pecado nem culpa e as
gressões perdoadas e seus pe- pessoas não sofreriam com úlce-
cados apagados”. Que alívio é ras, enxaquecas, gastrites e outras
confessar os pecados e saber que enfermidades.
Deus se esqueceu completamente Leia o capítulo 6 de Roma-
deles! Davi continua: “Enquanto nos e pense em alguém com uma
eu mantinha escondidos os meus mente que não seja dividida, que
pecados, o meu corpo definhava só tem sinais negativos. Essa pes-
de tanto gemer. Pois dia e noite soa não tem padrões morais para
a tua mão pesava sobre mim; mi- se conduzir. Hoje se usa o termo
nhas forças foram-se esgotando “amoral”, que quer dizer: sem pa-
como em tempo de seca. Então, drões absolutos de moral, do que é
reconheci diante de ti o meu pe- certo ou errado. Portanto, aqueles
cado e não encobri as minhas cul- que crêem na Lei de Deus sabem
pas. Eu disse: Confessarei as mi- que existem padrões absolutos de
nhas transgressões ao SENHOR, e moral que nos mostram o que é
tu perdoaste a culpa do meu pe- certo ou errado.
cado” (Salmo 32.1,3-5). Quando você ler o capítulo 8
Estas palavras de Davi es- desta carta, imagine um círculo
tão em concordância com toda a com apenas sinais positivos, re-
transparência e honestidade de presentando uma mente que não
Paulo ao admitir a luta que ele está dividida, mas que está como

76 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Jesus falou: cheia de luz. Esta é a Paulo resume o que já tinha


aplicação e o tipo de obediência escrito sobre suas quatro leis es-
que, entre outros, Abraão, José, pirituais nestes versículos: “Por-
Moisés, Davi, Neemias, os profe- tanto, irmãos, estamos em dívida,
tas e os apóstolos buscaram. Este não para com a carne, para viver-
círculo cheio de sinais positivos mos sujeitos a ela. Pois, se vocês
também representaria a aplicação viverem de acordo com a carne,
da terceira lei espiritual defini- morrerão; mas, se pelo Espírito
da por Paulo, que dá ao pecador fizerem morrer os atos do corpo,
justificado a força necessária para viverão” (8.12,13).
obedecer à Lei de Deus e superar a
Lei do Pecado e da Morte. Aplicação pessoal: onde você está?
Leia mais uma vez os versícu- Em qual destes círculos você
los 9 ao 11 e observe que Paulo se encontra: no que representa a
reforça a ideia de que, sem a força verdade ensinada por Paulo, no
do Espírito de Deus, não podemos capítulo 6? Ou você está no cír-
vencer nossa batalha contra o pe- culo que possui sinais negativos?
cado. Se não tivermos o Espírito Se a sua resposta estiver enqua-
Santo, não pertencemos a Deus e drada na segunda pergunta, você
não somos herdeiros da promessa precisa ouvir e compreender o
de que Ele dará vida aos nossos Evangelho proclamado por Paulo
corpos mortais. nesta carta.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 77


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 10
Mais Que Vencedores (Romanos 8.14-39)

No restante do capítulo 8, en- podemos ser mais que vencedores


contramos a declaração de Paulo por meio de Cristo. A verdade que
de que Deus não está em todas as Paulo apresenta agora é que po-
pessoas. Deus está apenas naque- demos ser mais que vencedores,
les que, pela fé, foram justificados porque Deus é a fonte, o poder e
e, através da justificação, encon- o propósito que está por trás das
traram acesso pessoal à graça di- nossas conquistas espirituais.
vina; Deus está naqueles que Lhe No ponto mais alto da inspira-
obedecem, naqueles que O amam da apresentação da vitória espiritual
e que são chamados de acordo do crente, Paulo inicia outro tema:
com os Seus propósitos. Paulo as- a intervenção de um Deus soberano
severa que, se Deus está em nós, e conquistador, que vence a batalha
não há poder na terra nem debai- por nós e através de nós.
xo da terra, no presente, nem no Para Paulo só existem duas
passado que possa nos separar do possibilidades: se o Espírito Santo
Seu amor e do que Ele deseja fazer habita em você, você é uma pes-
em nós, e através de nós. soa espiritual; se não, você é uma
Os últimos 26 versículos do pessoa não espiritual, ou seja, na-
capítulo 8 de Romanos são consi- tural, e nada do que ele escreveu se
derados uma das passagens mais aplica a você. Porém, se o Espírito
sublimes de toda a Escritura Sagra- habita em você, este mesmo Espí-
da. O ensino que eu chamei de “As rito, que levantou Jesus de entre
Quatro Leis Espirituais de Paulo” os mortos, dará vida ao seu corpo
foi apresentado e concluído por ele. mortal. A mortalidade pressupõe
No entanto, o tema que ele iniciou, estar nesta terra por um tempo de-
no capítulo 5, referente aos peca- terminado. Normalmente, quando
dores que foram declarados justos, estamos num funeral, refletimos
e como eles devem viver, é reto- sobre nossa mortalidade, porque
mado nos últimos versículos deste estamos frente a frente com a reali-
capítulo, quando Paulo declara que dade de que um dia vamos morrer.

78 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

A pergunta sobre a identida- Jesus a esta terra e a sua morte


de espiritual é seguida por outra: teriam sido desnecessárias.
“Você é filho de Deus?”. Paulo Escrevendo aos filipenses,
combina estas duas perguntas ao Paulo fez referência a um homem
escrever: “porque todos os que chamado Epafrodito, que lhe pres-
são guiados pelo Espírito de Deus tou ajuda, na prisão (Filipenses
são filhos de Deus. Pois vocês não 2.25-30). Ele se referiu a esse
receberam um espírito que os es- homem como seu irmão, seu cola-
cravize para novamente temerem, borador, seu companheiro de lutas
mas receberam o Espírito que os e mensageiro dos que o enviaram
adota como filhos, por meio do para ajudá-lo em suas necessida-
qual clamamos: ‘Aba, Pai’. O pró- des. A palavra “irmão” se referia ao
prio Espírito testemunha ao nos- crente a quem tinha sido dada au-
so espírito que somos filhos de toridade para se chamar “filho de
Deus. Se somos filhos, então so- Deus”. Ele também usou o termo
mos herdeiros; herdeiros de Deus “companheiro de luta”, para se re-
e co-herdeiros com Cristo, se de ferir a uma pessoa que tinha ficado
fato participamos dos seus sofri- com ele, arriscando a própria vida
mentos, para que também parti- por causa de Cristo e do Evangelho.
cipemos da sua glória” (8.14-17). Paulo declara, de forma explí-
Muitos dizem que todos são cita e dogmática, que só pertencem
filhos de Deus e, por isso, somos a Cristo aqueles em quem o Espírito
todos irmãos. O Evangelho de Santo habita. A seguir, ele relacio-
João declara, explicitamente, que na essa identidade espiritual com a
somente aqueles que crêem e re- condição de “ser filho de Deus” ao
cebem Jesus Cristo têm o poder, escrever “porque todos os que são
ou seja, a autoridade, o direito, de guiados pelo Espírito de Deus são
se tornarem filhos de Deus. João filhos de Deus”. De acordo com
ensinou que, quando Jesus veio ao Paulo, pertencemos a Cristo, quan-
mundo, aqueles que O receberam, do o Espírito Santo habita em nós,
isto é, aqueles que tiveram fé nEle, e somos filhos de Deus, quando so-
nasceram de novo, e lhes foi dada mos guiados pelo Espírito.
autoridade para serem feitos filhos Esta verdade coincide com um
de Deus (João 1.12,13). Se todos maravilhoso ensino que Paulo es-
fossem filhos de Deus, a vinda de creveu aos gálatas. Essencialmente,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 79


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Paulo escreveu nestas duas cartas adotavam legalmente essa criança


que, quando o Espírito Santo testifi- como seu filho, tornando-a herdei-
ca com o nosso espírito que somos ra dos seus bens.
filhos de Deus, podemos exclamar: Esta foi a metáfora usada por
“Aba, Pai” (Gálatas 4.6). A pala- Paulo para falar que somos fi-
vra “Aba”, em aramaico, significa lhos, nascidos na família de Deus,
“Pai”. Aqui ela está se referindo a através do nascimento espiritual
uma experiência pessoal, íntima e (8.16,17). Herdamos com Je-
espiritual. sus Cristo, que é o amado Filho
Certa vez, no início do meu mi- de Deus, tudo o que Ele herdou
nistério, quando eu ainda era bem do Pai e isto não é pouca coisa!
jovem, perguntei ao pastor que me Existe, porém, um custo, porque
aconselhava: “O que podemos fazer não podemos esquecer que somos
para que um crente inseguro tenha identificados com Cristo na Sua
certeza da salvação?”. Eu estava morte e na Sua ressurreição.
com meu caderno e caneta prontos Paulo inicia seu louvor pela
para anotar sua resposta, que foi: conquista e vitória, relacionando
“Não há como assegurar a salvação a identificação com a morte e a
para ninguém. Esse é um ministério ressurreição de Cristo, ensinadas
do Espírito Santo”. Ele me explicou no capítulo 6, quando ele falou do
que podemos mostrar muitos versí- nosso sofrimento neste mundo por
culos e buscar evidências de fé e de causa de Cristo, proclamando que,
salvação, além de fazer perguntas se sofremos com Cristo, também
e oferecer apoio e encorajamento; seremos glorificados com Ele na
porém, em última análise, apenas vida por vir. Ele continua: “Con-
o Espírito Santo pode testificar com sidero que os nossos sofrimentos
nosso espírito e assegurar que so- atuais não podem ser comparados
mos filhos de Deus. com a glória que em nós será re-
Seguindo o pensamento de velada. A natureza criada aguar-
Paulo, é necessário compreender da, com grande expectativa, que
um detalhe da cultura romana os filhos de Deus sejam revela-
daqueles dias. Os romanos consi- dos” (8.18,19).
deravam seus filhos crianças até Paulo apresentou dois aspec-
a idade de quatorze anos. Depois tos da vitória sobre o pecado na
disto, eles iam a um tribunal e vida de alguém que foi justificado.

80 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Primeiro ele relacionou a vitória frequentes prisões que permiti-


espiritual e o crescimento com o ram que ele produzisse cinco das
sofrimento. Da vitória espiritual de suas mais importantes cartas. Ele
um crente, Paulo passou a falar poderia ter sido muito produtivo,
sobre a Vida Eterna. Entretanto, pregando e ensinando, mas Deus
antes de enfocar o que Paulo es- quis que ele gastasse algum tem-
creveu sobre o crescimento espi- po na prisão. O resultado é que,
ritual e a vitória que teremos na passados quase dois mil anos, as
dimensão futura, é importante cartas que ele escreveu na prisão
considerar o que ele escreveu so- têm trazido salvação e bênçãos
bre a relação do sofrimento com para milhões de pessoas.
nosso crescimento espiritual e a Considere este texto, para-
vitória nesta vida. fraseado ou com tradução livre, e
Erroneamente, prega-se por aí veja como ele nos revela um pouco
que Deus não quer que Seu povo do sofrimento do apóstolo Paulo:
sofra, fique doente, seja pobre ou “São eles servos de Cristo? - es-
passe por dificuldades. Não é isto tou fora de mim para falar desta
o que a Bíblia ensina, nem é assim forma - eu ainda mais: trabalhei
que Paulo quer que entendamos muito mais, fui encarcerado mais
essa verdade. Será que durante vezes, fui açoitado mais severa-
o seu tempo de vida como crente mente e exposto à morte repe-
não deu para perceber que o cres- tidas vezes. Cinco vezes recebi
cimento espiritual e a vitória sobre dos judeus trinta e nove açoites.
o pecado podem estar relaciona- Três vezes fui golpeado com va-
dos com o sofrimento? De acordo ras (forma de punição comum
com Jesus, nós somos os ramos e em Roma, semelhante ao que é
Ele a Videira, e só frutificaremos praticado hoje em lugares como
depois de sermos devidamente po- Singapura, pior que o simples
dados pelo Pai (João 15.2). Neste açoite, pois as varas cortam o te-
sentido, o sofrimento serve mais cido muscular e podem inclusive
como um tratamento que como quebrar ossos), uma vez apedre-
um empecilho em nossa vida. jado (Atos 14.19), três vezes sofri
O apóstolo Paulo é um exem- naufrágio (Atos 27.27-41), passei
plo de quem passou por esse tipo uma noite e um dia exposto à fú-
de sofrimento. Foram as suas ria do mar. Estive continuamente

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 81


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

viajando de uma parte a outra, de nós e dizer: “Esta é a minha


enfrentei perigos nos rios, perigos criação!” (Efésios 2.10).
de assaltantes, perigos dos meus Havia um pastor meu conhe-
compatriotas, perigos dos gentios; cido que, depois de realizar um
perigos na cidade, perigos no de- casamento, enquanto o casal es-
serto, perigos no mar e perigos tava em viagem de lua-de-mel, ele
entre os falsos irmãos. Trabalhei ia até a casa onde o casal ia mo-
arduamente; muitas vezes fiquei rar e colocava na porta da frente
sem dormir, passei fome e sede, o seguinte aviso: “Cuidado! Deus
e muitas vezes fiquei em jejum; trabalhando!”. A mensagem que
suportei frio e nudez” (II Coríntios ele queria passar para o casal era
11.23-27). a de que marido e esposa preci-
Deu para entender por que savam ser pacientes um com o
Paulo relacionou o crescimento outro e entender que Deus estava
espiritual e a vitória sobre o peca- trabalhando em suas vidas. Este
do com o sofrimento? O sofrimento é um aviso que deveria estar na
é uma das ferramentas que Deus porta da casa de todos os crentes
usa para nos fazer novas criatu- justificados pela fé. A criação de
ras dEle. Você tem permitido que Deus não estará completa até que
o sofrimento o faça crescer espi- sejamos aperfeiçoados, na eterni-
ritualmente? Será que você tem o dade, através da nossa morte físi-
que contar em sua jornada de fé? ca e ressurreição (Filipenses 1.6).
Cuidado para não desperdiçar o Certa vez, um pregador estava
sofrimento na sua vida! tão deprimido que não tinha con-
Em outra de suas inspiradas dições de escrever o seu sermão.
cartas, Paulo escreveu que somos Decidiu, então, dar uma caminha-
criaturas de Deus. Eu conheci um da pela cidade, vagueando até
construtor empreiteiro que, ao ter- chegar, sem perceber, a uma cate-
minar uma obra, sempre levava to- dral antiga, que estava passando
dos os seus possíveis clientes para por uma grande reforma. Aquele
ver a casa que ele tinha acabado pastor parou em frente a um can-
de construir e dizia: “Pela graça de teiro de obras e ficou observando
Deus, esta é a minha mais recente alguns homens trabalhando numa
criação!”. De acordo com Paulo, grande pedra em forma de cruz.
Deus quer apontar para cada um Depois de algum tempo, um dos

82 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

trabalhadores observou aquele ho- deles possibilita que ela tire oxi-
mem parado, olhando para eles. gênio da água, como fazem tantas
Quando seus olhares se encontra- criaturas aquáticas.
ram, o pastor lhe perguntou: “O O segundo sistema respirató-
que vocês estão fazendo?”. Aquele rio é o que será usado na segunda
homem apontou para a torre da fase da sua vida. Depois de cum-
catedral, onde havia uma abertura prido o seu período sob a água, a
no formato de uma cruz e falou: libélula sobe à superfície, vai para
“Está vendo aquela abertura lá em a terra, estende suas asas e, de-
cima? Estamos esculpindo a pedra pois de secá-las ao sol, inicia a se-
que se encaixa ali”. gunda fase de sua existência.
Ao se afastar daquela cons- Temos uma semelhança com
trução, o pastor disse: “Obrigado, a libélula. De acordo com Paulo,
Senhor, era exatamente isto o que também fomos feitos por Deus
eu precisava ouvir!”. Ele perce- para vivermos duas dimensões.
beu que a maioria dos problemas Deus nos deu este corpo, para vi-
e pressões que o tinham levado vermos aqui na terra, mas vai nos
àquela depressão era uma forma dar um corpo celestial, para viver-
de Deus moldá-lo aqui, para ele se mos a segunda dimensão da nossa
encaixar lá em cima. existência, no céu, para sempre.
Se fôssemos fazer um exa-
Vida em duas dimensões: me na vida de alguém nascido de
Você já viu uma libélula voan- novo, como o da libélula, desco-
do, com suas asas duplas, de uma briríamos que o nascido de novo
flor para outra? Ela pode ficar sus- também é equipado com dois
pensa no ar, como um helicóptero, sistemas de vida. Todo autêntico
o dia todo. Esta criatura representa seguidor de Cristo tem um corpo
uma maravilha da aerodinâmica. terrestre ou um sistema de vida
Uma libélula passa os primei- que o capacita a viver a primei-
ros quatro anos de sua vida dentro ra dimensão da sua existência e,
da água. Observando-a durante também, o que Paulo chamou de
este período, veremos que, duran- “nova criação”, “novo homem” ou
te os primeiros anos de sua vida “homem interior”.
submarina, ela é equipada com De acordo com Paulo, assim
dois sistemas respiratórios. Um como acontece com o sistema

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 83


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

respiratório da libélula, o milagre Os filhos de Deus não são apenas


da nova criação pelo Espírito San- uma criação de Deus, que preci-
to nos reveste com um corpo espi- sa constantemente de um toque
ritual, o qual Deus vai dar a todo do Criador: “Pois ela (a criação)
crente, o qual nos capacita para foi submetida à inutilidade, não
vivermos no céu eternamente. pela sua própria escolha, mas por
Em I João, o já idoso líder da causa da vontade daquele que a
Igreja do Novo Testamento reflete sujeitou, na esperança de que a
sobre o que somos e o que vamos própria natureza criada será liber-
ser. Ele afirma que o que seremos tada da escravidão da decadência
ainda não foi revelado, mas será em que se encontra, recebendo
maravilhoso, muito além do que a gloriosa liberdade dos filhos de
podemos imaginar, porque, no Deus. Sabemos que toda a natu-
céu, seremos exatamente como reza criada geme até agora, como
Cristo é agora (I João 3.2). em dores de parto” (8.20-22).
Paulo escreveu que o mundo Para interpretar estes três ver-
inteiro espera ansioso para ver o sículos precisamos compreender
milagre glorioso que nos aconte- a queda do homem, descrita nos
cerá. Já ouvi dizer que envelhecer primeiros capítulos do Livro de
é para valentes. Conforme enve- Gênesis e no primeiro capítulo de
lhecemos ou vemos nossos ama- Romanos. O pecado do homem
dos envelhecerem, não podemos mudou tudo o que ele toca; sua
nos esquecer de que este corpo é ambição desmedida chega a po-
apenas o “traje terreno” do crente. luir as águas, o ar que respiramos
Deus preparou este corpo para que e até a comida que comemos.
possamos viver na terra, mas, para Com base no relato da criação,
cada seguidor de Cristo Ele prepa- podemos afirmar que tudo que exis-
rou um corpo espiritual, para viver- te sofreu influência com a queda do
mos no céu como filhos de Deus. homem. De acordo com os versí-
Seguem-se outros versículos culos citados, quando se completar
muito profundos que relacionam a redenção do homem, o mundo
o crescimento e a vitória com o também passará por uma redenção
sofrimento, os quais contém ver- completa e final. Paulo ensina, nes-
dades fascinantes sobre este mun- ta carta, que nosso velho homem
do criado e sustentado por Deus. morre para que nossa nova vida se

84 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

inicie. As Escrituras ensinam que tenha início, a cura também não


um dia Deus criará um novo céu e será completa até que ressuscite-
uma nova terra, nos quais a justiça mos. Quando se transformarem os
reinará (II Pedro 3.13). corpos para viverem no céu, a cura
“Sabemos que toda a nature- e a redenção serão completas.
za criada geme até agora, como
em dores de parto. E não só isso, Mesmo assim, ore!
mas nós mesmos, que temos os “Da mesma forma o Espíri-
primeiros frutos do Espírito, ge- to nos ajuda em nossa fraqueza,
memos interiormente, esperando pois não sabemos como orar, mas
ansiosamente nossa adoção como o próprio Espírito intercede por
filhos, a redenção do nosso cor- nós com gemidos inexprimíveis.
po. Pois nessa esperança fomos E aquele que sonda os corações
salvos. Mas, esperança que se vê conhece a intenção do Espírito,
não é esperança. Quem espera porque o Espírito intercede pelos
por aquilo que está vendo? Mas, santos, de acordo com a vontade
se esperamos o que ainda não ve- de Deus” (8.26,27).
mos, aguardamo-lo pacientemen- Nos versículos 23 a 25, Pau-
te” (8.22-25). lo escreveu que nossos corpos e a
Agora, Paulo volta à questão criação gemem, esperando a reden-
da nossa redenção completa e fi- ção plena, prosseguindo com estes
nal, escrevendo que somos salvos versículos que trazem tanto confor-
para essa esperança de redenção to para um número incontável de
dos nossos corpos. Por isso, afir- cristãos, há quase dois mil anos,
mamos que jamais seremos total- afirmando que Deus nos ouve e mi-
mente redimidos até que ressusci- nistra em nossas fraquezas, mesmo
temos para a eternidade. quando não sabemos como orar.
Quando um servo do Senhor Qualquer pessoa que ora,
adoece e morre, costumamos sabe que devemos pedir de acor-
questionar, porque ele não foi fi- do com a vontade de Deus, mas
sicamente curado. A resposta par- o problema é que nem sempre sa-
cial a esta pergunta encontra-se bemos qual é a Sua vontade e, por
nos versículos acima citados. Da esta razão, há pessoas que não
mesma forma que a redenção não oram, nem apresentam a Deus
será completa até que a eternidade suas petições.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 85


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

O que este apóstolo ensina é seus corações eram retos diante


que devemos orar mesmo assim, de Deus, nosso Pai amoroso não
porque o Espírito Santo conhece a atendeu o pedido deles.
vontade de Deus para cada uma de Deus deu a Moisés setenta ho-
nossas petições. Por isso, quando mens, que o ajudaram a carregar a
oramos, pedindo ou não dentro da carga que o tinha deixado esgotado.
vontade de Deus, o Espírito Santo Durante quase quarenta anos, Moi-
intercede por nós, de acordo com a sés tinha guiado os filhos de Israel
vontade dEle. Em uma linguagem pelo deserto, percorrendo uma dis-
simples, isto significa que, quan- tância que poderia ter sido feita em
do pedimos alguma coisa errada, onze dias. Moisés estava realmente
se nossos corações forem sinceros esgotado! (Números 11.10-17).
diante de Deus, o Espírito Santo in- Paulo ensina que não podemos
tercede por nós e Deus nos conce- deixar que o fato de não conhecer-
de, ou àqueles por quem oramos, o mos a vontade de Deus nos impeça
que é da vontade dEle. de continuar orando. Devemos orar
Agradeço a Deus por esta mesmo assim, porque o Espírito
promessa e por Deus não me dar Santo vai interceder por nós e Deus
tudo o que peço. Agora que sou vai nos dar o que está em alinha-
um cristão mais maduro, pos- mento com a Sua vontade.
so olhar para trás e, vendo como Quando Elias pediu a Deus
Deus trabalhou em minha vida, di- para morrer, Deus o fez adorme-
zer: “Espírito Santo, obrigado por cer, depois o acordou para alimen-
interceder por mim, quando meus tá-lo e o fez dormir novamente.
pedidos são errados”. Este profeta que, antes, queria
O Velho Testamento regis- morrer, depois de descansar e co-
tra que alguns homens de Deus, mer, recebeu energia e disposição
como Moisés, Elias, Jó e Jeremias, para viajar durante quarenta dias e
chegaram a tal ponto de exaustão quarenta noites! Ele pediu a coisa
e desânimo que pediram para errada para Deus, mas Deus lhe
morrer. Mesmo sendo homens es- deu a coisa certa (I Reis 19.1-8).
pirituais, estavam física, mental, Lendo cuidadosamente os dis-
emocional e até espiritualmente cursos de Jó e as situações vividas
esgotados, por isso não pediram a por Jeremias, vemos que o seu so-
coisa certa a Deus. Porém, como frimento os levou até o ponto de

86 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

fazer a mesma oração que Moisés perdas familiares, entre outras ad-
e Elias fizeram (Jó 3.11; 10.18; versidades, questionaram essas
Jeremias 8.18-9.1; 20.17,18). palavras de Paulo. Tragédias, mui-
O profeta Jonas fez oração seme- tas vezes, parece que só podem
lhante (Jonas 4.3), mas, como ser explicadas como um caos aci-
com ocorreu nos exemplos ante- dental ou uma triste constatação
riores, Deus não o atendeu. Ao de que se está no lugar errado, na
contrário do que aqueles homens hora errada.
pediram, Deus lhes deu o conteú- Preste atenção nesta tradu-
do dos livros que narram suas his- ção livre deste texto: “Além disso,
tórias, as quais servem de ensino sabemos que para aqueles que
e alento a todos nós. amam a Deus, que são chamados
Os versículos 26 e 27 são de acordo com o Seu plano, tudo
uma preparação para os seguin- o que lhes acontece se encaixa
tes, os quais têm servido de con- para o bem deles” (8.28).
solo e inspiração, desde que foram Quero fazer duas observações
escritos, a milhões de discípulos a respeito deste versículo. A pri-
cristãos. O versículo 28, entretan- meira é que a promessa que inicia
to, tem sido muito questionado, este versículo está sujeita a dois
quando temos dificuldade para pré-requisitos muito importantes:
entender alguma fatalidade: “Sa- 1) Amar a Deus.
bemos que Deus age em todas as 2) Atender ao chamado, se-
coisas para o bem daqueles que o gundo o propósito de Deus.
amam, dos que foram chamados O que significa exatamente
de acordo com o seu propósito”. amar a Deus? O apóstolo João en-
Este versículo começa com a sina que não é fácil amar a Deus
promessa maravilhosa de que to- e lança um desafio: “Se alguém
das as coisas colaboram para o afirmar: ‘Eu amo a Deus’, mas
bem. Paulo escreveu “todas as coi- odeia o seu irmão, é mentiroso,
sas” várias vezes, mas nunca usou pois quem não ama seu irmão, a
a expressão “de vez em quando” quem vê, não pode amar a Deus,
ou “casualmente”. Crentes e incré- a quem não vê” (I João 4.20).
dulos que passaram por tragédias De acordo com Paulo, mostra-
como, por exemplo, as consequên- mos que amamos a Deus, quando
cias de uma guerra, enfermidades, a prioridade em cada fibra do nosso

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 87


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ser é atender ao Seu chamado, Isto levanta outra pergunta:


como fez Moisés, Elias, Jó, Jere- esse versículo está se referindo ao
mias; quando satisfazemos as con- bem de quem? Ao nosso bem ou ao
dições para aplicarmos esse versí- bem de Deus? A resposta está nos
culo em nossas vidas e em nossos requisitos desta promessa. Se ama-
problemas, independentemente da mos a Deus e temos como priorida-
tragédia que possa nos sobrevir. de atender ao Seu chamado, a úni-
Algumas vezes, depois de pre- ca coisa que nos interessa é o bem
gar que todas as coisas colaboram de Deus. Sempre que passamos por
para nosso bem, crentes e incré- problemas, devemos reagir, imedia-
dulos vieram me procurar, questio- tamente, com a pergunta: “Como
nando a minha pregação. O fato esta situação se encaixa para o bem
é que, se toda sua vida tiver sido e para a glória de Deus?”.
dirigida por valores egoístas e per- Para as situações de sofrimen-
tencentes a este mundo, não lhe to, o salmista lançou uma pergun-
poderá ser aplicado esse versículo. ta semelhante: “Quando os funda-
Minha segunda observação mentos estão sendo destruídos,
é que esse versículo não está di- que pode fazer o justo?” (Salmo
zendo que tudo que acontece em 11.3). Com base em comentários
nossas vidas é bom. Às vezes, pa- de estudiosos do hebraico, este
rece que nada que nos acontece é versículo poderia ser assim tra-
bom; por esta razão, Jesus e Paulo duzido: “Quando os fundamentos
trataram desse assunto com muita das nossas vidas estão caindo, o
propriedade. que o Justo está fazendo?”.
Jesus nos ensina que passa- Antes de aplicarmos essa pro-
remos por aflição neste mundo messa maravilhosa de que todas
(João 16.33) e, em concordância as coisas cooperam para o bem,
com este ensino, o apóstolo Paulo devemos entender e aplicar esses
deixou claro que, frequentemente, pré-requisitos. Só assim entende-
seremos perseguidos por amor a remos este versículo.
Jesus. A promessa deste versícu-
lo é que, cumpridos os requisitos, A providência de Deus
nosso Deus pode transformar tudo Paulo dá continuidade à sua
o que nos acontece, mesmo que carta, escrevendo uma das pa-
seja um trágico problema, em algo lavras mais inspiradas da Bíblia,
bom para nossa vida. tratando ainda do tema que tinha

88 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

iniciado no capítulo 5, versículo 2. dimensão futura em nosso viver


“Como pecadores, que foram de- justo, envolvendo um milagre,
clarados justos por Deus, podem que só depende de Deus: “Pois
viver uma vida justa?”. Os quatro aqueles que de antemão conhe-
conquistadores e as quatro leis es- ceu, também os predestinou para
pirituais são a resposta de Paulo serem conformes à imagem de
para esta pergunta. Porém, ago- seu Filho, a fim de que ele seja o
ra, Paulo apresenta uma resposta primogênito entre muitos irmãos.
mais convincente e inspiradora, E aos que predestinou, também
concluindo que podemos ser mais chamou; aos que chamou, tam-
que simples conquistadores, pois bém justificou; aos que justificou,
somos mais que vencedores! também glorificou” (8.29,30).
O ponto máximo deste ensi- O primeiro milagre da pro-
no de Paulo é que a nossa vitória vidência de Deus na nossa justi-
não é uma questão de quem ou o ficação pela fé é o fato de Deus
que somos. Vitória espiritual não conhecer com antecedência aque-
consiste no que podemos ou não les que Ele declararia justos. A
fazer; não tem nada a ver com o onisciência é um dos atributos de
que desejamos. A nossa vitória es- Deus e significa que Ele sabe tudo
piritual está em quem Deus é, no sobre o passado, o presente e o
que Ele pode e quer fazer. Ele é a futuro: Deus jamais se surpreende
fonte da nossa conquista, o poder com nada que acontece. Quando
que está por trás da nossa vitória. o homem caiu com o pecado de
A glória de Deus é o propósito de Adão, Deus não Se surpreendeu.
tudo o que nos acontece. Ele não teve que acionar o “Plano
Ao concluir esta seção da sua B”, porque a redenção do homem
obra-prima, Paulo usa novamente caído sempre fez parte do plano
estas palavras: “todas as coisas”: de Deus.
“Pois dele, por ele e para ele são O fato de Deus saber com
todas as coisas. A ele seja a glória antecedência aqueles que seriam
para sempre. Amém!” (11.36). justificados, não implica em uma
Paulo começa explicando violação do livre arbítrio do ho-
que, quando Deus decidiu enviar mem. Estudaremos o conceito de
Seu Filho ao mundo, a fim de nos eleição no capítulo 9, onde tere-
justificar, foram necessários três mos a oportunidade de enfocar
milagres. Além disso, existe uma mais de perto este assunto.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 89


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Como sabem aqueles que fo- dimensão do presente e do futu-


ram declarados justos o que é vi- ro para esse importante milagre.
ver de maneira justa? Esta foi uma Aqueles que Ele justificou, tam-
das razões porque Deus enviou o bém glorificou. Esta palavra está
Seu Filho a este mundo. Deus pre- de acordo com o que Paulo escre-
destinou, isto é, determinou com veu aos coríntios: Deus nos deu
antecipação, que Seu Filho fosse o um corpo terreno para viver nesta
primeiro dentre muitos como Ele, vida e nos dará um corpo espiri-
que seriam Seus irmãos; por isso, tual ou celestial para vivermos no
lemos que Jesus não Se envergo- céu (I Coríntios 15).
nha de nos chamar irmãos (He- Entretanto, este versículo
breus 2.11). também revela que a experiência
O terceiro milagre de Deus da glorificação começa, median-
para que nos tornemos conforme te a justificação pela fé, quando
a imagem de Seu Filho é que, de- acessamos a graça de Deus, que
pois de conhecer antecipadamente transforma as nossas vidas, tor-
e predestinar, Deus também cha- nando-nos novas criaturas.
mou. Parece que a palavra chamar
é uma das preferidas de Paulo, Perguntas e respostas
quando se refere aos seguidores Paulo formula sete perguntas,
de Cristo que experimentam a sal- cujas respostas são empolgantes:
vação. Ser justificado pela fé e ter “Que diremos, pois, diante
acesso à graça de Deus, através dessas coisas? Se Deus é por nós,
dela, é mais que uma mera dispo- quem será contra nós? Aquele
sição intelectual: é um “chamado” que não poupou seu próprio Filho,
para ter um relacionamento com mas o entregou por todos nós,
Cristo (I Coríntios 1.9). Deus quer como não nos dará juntamente
que conheçamos o Seu Filho e que com ele, e de graça, todas as coi-
nos tornemos como Ele é. sas? Quem fará alguma acusação
Esses três milagres formam o contra os escolhidos de Deus? É
contexto para a mensagem princi- Deus quem os justifica. Quem os
pal desta carta: aqueles que Ele condenará? Foi Cristo Jesus que
conheceu, predestinou e chamou, morreu; e mais, que ressuscitou
Ele justificou. Paulo vai além des- e está à direita de Deus, e tam-
ta vida terrena e profetiza uma bém intercede por nós. Quem

90 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

nos separará do amor de Cristo? Considere a quarta pergunta


Será tribulação, ou angústia, ou de Paulo, no contexto do julga-
perseguição, ou fome, ou nudez, mento, sobre o qual ele escreveu
ou perigo, ou espada? Como está no segundo capítulo: “Quem fará
escrito: ‘Por amor de ti enfrenta- alguma acusação contra os esco-
mos a morte todos os dias; somos lhidos de Deus?”. Deus certamen-
considerados como ovelhas des- te não fará isto, porque Deus é
tinadas ao matadouro’. Mas, em aquEle que nos declara justos. Ele
todas estas coisas, somos mais desfalcou o céu e sacrificou o Seu
que vencedores, por meio daque- Filho para nos justificar. Certa-
le que nos amou” (8.31-37). mente, Ele não vai nos condenar.
A primeira pergunta que Paulo A quinta pergunta de Paulo
fez foi: “Que diremos, pois, diante foi: “Quem os condenará?”. Exis-
dessas coisas?”. Ele mesmo res- tem dois pensamentos implícitos
ponde esta pergunta com outra que aqui. Deus submeteu todo julga-
revela o seu próprio pensamento: mento a Jesus Cristo (João 5.22),
“Se Deus é por nós, quem será o que quer dizer que Jesus está
contra nós?”. Se Deus está nos qualificado para nos condenar.
chamando para experimentarmos Entretanto, Jesus declarou que
os cinco milagres mencionados, a não veio ao mundo para condenar
redenção final depende mais dEle o mundo, mas para que o mun-
que de nós. Então, quem pode vir do fosse salvo através dEle (João
contra nós? 3.17). Como Jesus pagou o preço
A terceira pergunta acrescen- da nossa redenção, Ele não nos
ta um conceito muito importan- condenará. Jesus está assentado à
te a esta carta: “Aquele que não direita de Deus, intercedendo por
poupou seu próprio Filho, mas o nós (Hebreus 7.25; I João 2.1).
entregou por todos nós, como não O segundo pensamento implí-
nos dará juntamente com ele, e cito na pergunta de Paulo refere-se
de graça, todas as coisas?”. Se à forma como o mal trabalha. A
Deus nos amou a ponto de dar o Bíblia afirma que o diabo nos acu-
Seu Filho por nós, você não acha sa diante de Deus, de dia e de noi-
que Ele dará tudo o que precisa- te. Quando o acusador for destruí-
mos para seguir o Seu Filho, nosso do, o Reino de Deus emergirá com
Salvador e Senhor? grande poder (Apocalipse 12.10).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 91


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Um dos meus estudiosos da e misericórdia de Deus: existe per-


Bíblia preferidos, com quem servi dão, quando você erra. É Deus
como pastor assistente, parafra- quem nos justifica.
seou a palavra “justificado”, que À sexta pergunta: “Quem nos
significa “declarado justo”, como separará do amor de Cristo?” se-
“declarado digno”. Muita gente gue-se o que podemos classificar
sofre em agonia, tentando con- como uma lista de circunstâncias
quistar valor próprio por meio de que, muitas vezes, acreditamos
boas obras. A mensagem desta poderem nos separar do amor de
obra-prima teológica da Bíblia é Jesus. O consolo está na informa-
que Deus mostrou a este mundo ção que Paulo dá de que nenhuma
de “pecadores declarados dignos” dessas coisas pode nos separar do
que isto não depende das nossas amor de Deus, que está em Cristo
boas obras. Jesus, nosso Senhor.
Paulo está dizendo nesta carta A vida é difícil. Tanto Jesus
que, quando Deus nos declara dig- quanto os apóstolos foram muito
nos, o diabo se apresenta para di- realistas com respeito à tribula-
zer exatamente o contrário: “Você ção e ao sofrimento que o mundo
não é digno. Você não merece”. impõe àqueles que decidiram se-
Quando você se sentir condenado guir Jesus, a quem o mundo odeia
ou alguém lhe disser que você não (João 16.33; Atos 14.6-22).
tem valor, pense neste versícu- Paulo mencionou muitos de-
lo (Apocalipse 12.10). O Espírito safios que hoje os discípulos de
Santo, então, vai testificar com o Jesus Cristo enfrentam, cuja lista
seu espírito que você é um filho de inclui tribulação, perseguição e até
Deus e tem valor. morte. A impressionante resposta
O seu valor está garantido de Paulo é que somos mais que
porque ele não se baseia na sua vencedores em todas estas coisas,
capacidade de fazer tudo certo e porque nada pode nos separar do
não falhar. A declaração de que amor de Deus!
você é justo e tem valor é como o No Salmo 23, Davi fala da mi-
amor incondicional de Cristo, que sericórdia e do amor incondicional
não é obtido ou perdido de acordo de Cristo, que nos seguem todos
com o nosso bom ou mau desem- os dias de nossas vidas e que es-
penho. É isto o que significa graça tará conosco para sempre (Salmo

92 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

23.6). Pode ser que o apóstolo que “estar ausente do corpo é


Paulo tivesse em mente este tex- estar presente com o Senhor” (II
to de Davi, quando respondeu a Coríntios 5.6-8). Aos filipenses ele
sétima e última pergunta: “Pois escreveu que ”o viver é Cristo e o
estou convencido de que nem morrer é lucro”; que ele preferia
morte nem vida, nem anjos nem morrer e estar com Cristo (Filipen-
demônios, nem o presente nem o ses 1.21-23); porquanto a morte
futuro, nem quaisquer poderes, não o separaria como não nos se-
nem altura nem profundidade, parará do amor de Cristo.
nem qualquer outra coisa na cria- Paulo ensinou que existe a di-
ção será capaz de nos separar do mensão espiritual nesta vida, na
amor de Deus que está em Cristo qual anjos, principados e potes-
Jesus, nosso Senhor” (8.38,39). tades têm um impacto positivo ou
Este é o resumo e a conclu- negativo sobre nós. Ele escreveu
são maravilhosa que Paulo fez da aos efésios que “a nossa luta não
argumentação iniciada no capítulo é contra seres humanos, mas con-
5, versículo 2. Ele explicou com tra os poderes e autoridades, con-
detalhes como um ímpio, um pe- tra os dominadores deste mundo
cador, que antes era inimigo de de trevas, contra as forças espi-
Deus, pode ser declarado digno rituais do mal nas regiões celes-
de alguma coisa e, através dessa tiais” (Efésios 6.12). Paulo sabia
declaração, acessar a graça que o que nenhuma dessas forças espiri-
permitirá viver uma vida que glori- tuais pode nos separar do amor de
fique o Senhor. Deus em Cristo Jesus. Não existe
A chave para a conquista mais absolutamente nenhuma circuns-
importante do pecador que foi de- tância no presente e não haverá
clarado justo pela fé é o amor de no futuro que possa nos separar
Deus em Cristo Jesus, nosso Se- deste amor.
nhor. Essa vitória não vem de nós, A seguir, Paulo falou sobre al-
mas vem de Deus e está em Cristo. tura e profundidade, referindo-se
Isto é a síntese de tudo o que ao fato de Jesus ter subido às al-
ele ensinou. Paulo anunciou que turas e ter descido às profundida-
estava certo de que a morte não des, libertando os cativos e conce-
nos separará do amor de Cristo, dendo dons aos homens (Efésios
como já escrevera aos coríntios 4.8-10).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 93


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

A última declaração de Pau- mostram como pecadores justi-


lo foi: “nem qualquer outra coisa ficados podem reinar nesta vida.
na criação poderá nos separar do Quatro leis espirituais mostram
amor de Deus”. como flutuar sobre a lei do pecado
Há quase um século, um e suas terríveis consequências. A
importante teólogo questionou: seguir, temos a majestosa decla-
“Como se salvariam os marcianos, ração de Deus, que, de antemão
se houvesse vida em Marte?”, ele conheceu, chamou, justificou e
mesmo respondendo: “Se existisse glorificou pecadores indignos para
vida em Marte, eles teriam uma serem mais que vencedores nesta
Bíblia que se iniciaria com as pa- vida e na que está por vir.
lavras ‘No princípio, criou Deus os Paulo escreveu que estava
céus e Marte’”. plenamente convencido de que
Paulo poderia estar declaran- essa lista de milagres é absoluta-
do que, mesmo que exista uma mente verdadeira. Você também
criação em algum lugar do uni- está convencido disso? Você é jus-
verso, não poderia nos separar do tificado pela fé ou ainda acha que
amor de Deus em Cristo Jesus. pode se salvar por si mesmo?
Você está convencido de que
Aplicação pessoal Deus, que é a Fonte deste milagre,
Somos pecadores declarados acabará a obra que Ele iniciou,
dignos por causa da vida e da quando o declarou justo? Creia no
morte do Filho de Deus. Temos que você acabou de ler nos oito
acesso à graça que nos permite primeiros capítulos desta obra-pri-
viver de maneira justa, que glorifi- ma teológica. Atenda o chamado
ca a Deus. Quatro conquistadores de Deus e seja justificado pela fé.

94 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 11
Eleição e Graça (Romanos 9.1-33)
Por que Deus escolheu os judeus? pelos nossos queridos chegue a
De toda a Bíblia, o capítulo ponto de desejarmos trocar nossa
9 de Romanos é um dos mais di- salvação pela salvação deles. Po-
fíceis de entender e aplicar. Paulo rém, será que teríamos o mesmo
o inicia expressando o seu amor sentimento por alguém que não
sincero e o peso do seu coração fosse gerado de nós ou por quem
por Israel. Ele, frequentemente, fomos gerados?
manifestava em seus escritos esta Analise este texto: “Digo a ver-
meta: “primeiro do judeu, depois dade em Cristo, não minto; minha
do grego” (1.16; Atos 20.21). Em consciência o confirma no Espíri-
suas viagens missionárias, ao en- to Santo: tenho grande tristeza e
trar nas cidades, Paulo seguia o constante angústia em meu co-
padrão de ir primeiro à sinagoga ração. Pois eu até desejaria ser
local explicar aos rabinos que “Je- amaldiçoado e separado de Cristo
sus é o Cristo” (Atos 18.4,5). Em por amor de meus irmãos, os de
uma das vezes que anunciou sua minha raça, o povo de Israel. Deles
missão e estratégia, escreveu que é a adoção de filhos; deles é a gló-
sua prioridade era se tornar pri- ria divina, as alianças, a conces-
meiro judeu para os judeus, refe- são da Lei, a adoração no templo
rindo-se a seu desejo maior de ver e as promessas. Deles são os pa-
os judeus crerem e serem salvos (I triarcas e, a partir deles, se traça a
Coríntios 9.20). linhagem humana de Cristo, que é
Paulo escreveu que trocaria Deus acima de todos, bendito para
sua salvação eterna pela salvação sempre. Amém!” (9.1-5).
do povo que ele tanto amava. Mui- Ao escrever estas palavras,
tos de nós, crentes, e, principal- Paulo expressa com lágrimas o
mente, quem têm filhos, conhe- peso que tinha no coração pelos
cem a dor que é ter um filho longe judeus, principalmente por aque-
da fé e num estilo de vida que les que eram como ele tinha sido
não agrada a Deus. Talvez o amor antes de se encontrar com Cristo,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 95


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

na estrada de Damasco, quando “Shekinah” ou à presença de Deus,


ainda era Saulo de Tarso. que enchia a Tenda da Adoração e
Paulo apresentou vários moti- o Templo de Salomão, quando fo-
vos porque os judeus estavam em ram construídos e consagrados. A
vantagem espiritual. A primeira nuvem, durante o dia, e a coluna
delas, segundo ele, seria a adoção de fogo, durante a noite, eram ma-
de filhos. É importante que nos nifestações dessa glória e guiava o
lembremos que, na cultura roma- povo na marcha pelo deserto, con-
na, somente depois dos 14 anos forme está descrito nos Livros de
o filho era adotado legalmente em Êxodo e Números.
um tribunal, quando passava a ser Paulo cita as alianças que
herdeiro dos bens paternos. Foi Deus estabeleceu com o Seu
nesse contexto que Paulo usou o povo escolhido. Podemos, tam-
termo “adoção”. bém, chamar “Velho Testamento”
Por alguma razão que só Deus e “Novo Testamento” de “Velha
sabe, dentre todos os povos da an- Aliança” e “Nova Aliança”. Além
tiguidade, Ele escolheu ou adotou dessas alianças gerais, Deus fez
os descendentes de Abraão para outras alianças individuais como
serem o Seu povo escolhido. É com Noé, Abraão e Davi.
inevitável que questionemos o por- O milagre da Lei de Deus dada
quê desta escolha. Podemos pen- a Israel, através de Moisés, no
sar que, se Deus tivesse escolhido Monte Sinai, é a terceira vantagem
uma raça pela sua cor ou por uma espiritual citada por Paulo. Já fala-
origem em especial, este povo mos sobre o amor que os judeus
acreditaria que tinha a supremacia devotavam à Lei, quando comenta-
racial. Tanto no Velho Testamento, mos o capítulo 7 de Romanos; para
como no Novo, na antiga história compreender bem esta carta deve-
hebraica, como na contemporânea mos entender qual foi o propósito
encontramos a afirmação de que da Lei de Deus dada ao povo de
aqueles que foram escolhidos por Israel. O peso que Paulo sentia era
Deus podem não dar crédito ou que esse propósito não tinha sido
valorizar esta escolha. cumprido na vida dos judeus, para
A segunda vantagem espiritu- quem ele estava escrevendo.
al dos judeus era a glória que lhes Paulo se referiu a uma di-
foi dada. Esta é uma referência à mensão muito importante da Lei e

96 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

do ministério de Moisés como “o o gentio através desse povo esco-


serviço de Deus”. Esta é uma re- lhido. Por meio de Israel, Deus se
ferencia às especificações detalha- tornou carne e viveu neste mun-
das de Deus encontradas no Livro do durante trinta e três anos. Ao
de Êxodo, referentes à “Tenda da concluir essa lista de vantagens de
Adoração” ou ao “Tabernáculo do Deus para Israel, falando sobre o
Deserto”. Todas as especificações Messias, que foi dado a eles, Paulo
e instruções do Livro de Levítico escreveu o versículo que proclama
relacionadas à Tenda da Adoração o que Jesus declarou repetidas ve-
mostravam àquele povo escolhido zes no Evangelho de João: “Cristo,
como se aproximar de um Deus que é Deus acima de todos, ben-
Santo e adorá-Lo. dito para sempre. Amém!” (9.5).
Paulo, então, fez referência às
promessas, o que é um conceito Deus falhou?
muito importante dentro do rela- “Não pensemos que a palavra
cionamento entre Deus e Israel. de Deus falhou, pois nem todos os
Tudo o que Deus faz é previsto por descendentes de Israel são Israel,
Ele e precedido de uma promes- nem por serem descendentes de
sa. Lemos sobre a Terra Prometi- Abraão passaram todos a ser filhos
da e as promessas que Deus fez a de Abraão. Ao contrário: Por meio
Abraão, referentes à sua vida e à de Isaque a sua descendência será
sua descendência. considerada. Noutras palavras,
Outros patriarcas como Isa- não são os filhos naturais que são
que, Jacó e outros foram chama- filhos de Deus, mas os filhos da
dos e capacitados por Deus para promessa é que são considerados
gerar nações, dar-lhes os seus no- descendência de Abraão, pois foi
mes e liderá-las. Paulo considerou assim que a promessa foi feita:
esses patriarcas outra vantagem ‘No tempo devido virei novamente
extraordinária de Deus para Israel. e Sara terá um filho’” (9.6-9).
Entretanto, a melhor vanta- Para Paulo, ser um judeu era
gem espiritual que Deus deu a mais que um simples nascimento.
Israel foi o Salvador, através de Aqueles que são nascidos de pais
quem o amor de Deus pelo mundo judeus não são, necessariamen-
foi manifestado. A salvação se tor- te, o verdadeiro Israel. Um genu-
nou possível para o judeu e para íno descendente de Abraão é um

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 97


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

“chamado”. Como costumamos através da salvação. Em um dos


observar, a palavra “carne”, fre- grandes paradoxos das Escrituras,
quentemente usada nas Escritu- Paulo também usa Israel como o
ras, significa “a natureza humana exemplo máximo da Bíblia no cha-
sem o tratamento de Deus”. Nesta mado “livre arbítrio do homem”,
carta, Paulo está dizendo que os que é a inegável realidade de que
que não receberam o tratamento o homem é uma criatura com ca-
de Deus, ou seja, não passaram pacidade para escolher.
por um novo nascimento, não são Este é um paradoxo, porque
o verdadeiro Israel. Aqueles que parece se constituir de duas verda-
são justificados pela fé e recebem des contraditórias, mas deixará de
a justiça que não é conquistada sê-lo, quando nosso pensamento
por obras humanas, mas dada aos se alinhar com o de Deus. O fato
que crêem na obra de Jesus Cris- de Israel ser um exemplo bíblico do
to, na cruz, estes são a verdadeira livre arbítrio do homem e da sua
semente de Abraão. Paulo escre- eleição constitui-se o paradoxo má-
veu esta mesma verdade em sua ximo da Bíblia. Este mesmo para-
carta aos gálatas (3.29). doxo é encontrado nos Evangelhos,
O coração desse apóstolo pe- quando lemos que os apóstolos,
sava ao pensar que quanto maior deliberadamente, escolheram crer
é a vantagem espiritual, maior é e seguir Jesus, mas, depois de três
a responsabilidade. Ao iniciar os anos seguindo-O, Jesus lhes decla-
capítulos que falam sobre eleição rou: “Vocês não me escolheram,
ou sobre o fato de Deus ter esco- mas eu os escolhi...” (João 15.16).
lhido os judeus, Paulo ensina, cla- Sendo a nossa mente limita-
ramente, que o fato de eles terem da, não entendemos como a Bíblia
sido escolhidos por Deus não os pode afirmar que Deus nos escolhe
neutralizava, não tirava deles a para a salvação, mas nós escolhe-
responsabilidade de escolha. mos ser salvos. Achamos que só
Nestes três capítulos tão pro- pode ser uma coisa ou outra, mas
fundos (9-11), Paulo usa Israel não as duas ao mesmo tempo. No
como o maior exemplo bíblico da entanto, não é isto o que a Bíblia
escolha de Deus e da eleição da- ensina. Apesar de não conseguir-
queles que são predestinados, cha- mos entender, Deus nos escolhe
mados, justificados e glorificados, e, ainda assim, nós exercitamos

98 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

nossa liberdade de escolha. Deve- nós somos, pensamos e agimos


mos aceitar o fato inegável de que, (Isaías 55.8,9).
de alguma forma, estas duas pro- Houve um tempo em que to-
posições, que parecem ser contra- dos acreditavam que a Terra fosse
ditórias entre si, são verdadeiras, plana, menos aqueles que criam
porque a Bíblia assim o ensina. nas Escrituras e que encontraram
Com esta perspectiva, esta- nelas a confirmação da verdade.
mos prontos para encarar esta Os que conheciam as Escrituras
passagem tão difícil das Escritu- começaram a divulgar suas con-
ras: “E esse não foi o único caso; vicções de que a Terra era redon-
também os filhos de Rebeca ti- da, que ela gira em torno do seu
veram um mesmo pai, nosso pai eixo dentro da amplidão do siste-
Isaque. Todavia, antes que os gê- ma solar, que é apenas parte de
meos nascessem e fizessem qual- um universo imensurável, o qual
quer coisa boa ou má - a fim de contém mais sistemas solares que
que o propósito de Deus, confor- podemos contar.
me a eleição permanecesse, não Gostamos de ter toda a nos-
por obras, mas por aquele que sa perspectiva do mundo em que
chama - foi dito a ela: ‘O mais ve- vivemos, nossa filosofia de vida e
lho servirá ao mais novo’. Como nosso conceito de Deus bem ela-
está escrito: ‘Amei Jacó, mas re- borados, armazenados em uma
jeitei Esaú’” (9.10-13). caixa imaginária. Mas, o Deus que
Com base no que Paulo escre- encontramos na Bíblia, nem sem-
veu neste capítulo, Deus não age pre se encaixa em nosso intelecto.
como achamos que Ele deveria Não podemos compreender
agir, pois gostamos de pensar em Deus, o porquê de Ele fazer o que
Deus como se Ele fosse um homem faz, nem a maneira como Ele deci-
e, portanto, devesse agir como de agir. Para estudarmos os capí-
nós agiríamos, se fôssemos Deus. tulos 9, 10 e 11 desta obra-prima
Através do profeta Isaías, somos de Paulo, precisamos nos lembrar
alertados de que assim como os da perspectiva que Deus deu dEle
céus estão distantes da terra, as- mesmo, através de Isaías. Nestes
sim Deus é diferente de nós, bem três capítulos, Paulo relaciona a
como a sua maneira de pensar e justificação pela fé a Israel, usando
agir é diferente da maneira como esta nação como uma ilustração

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 99


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de Deus, a Sua escolha e o livre salvação não se baseia no fato de


arbítrio do homem. que somos bons ou maus, nem
se fizemos ou não boas obras. Na
Três princípios da eleição e da graça alegoria histórica usada por Paulo
Paulo estabelece três princí- acerca de Jacó e Esaú, sabemos
pios da graça que devemos enten- que estes gêmeos não tinham feito
der para estudarmos o capítulo 9. absolutamente nada de bom nem
O primeiro princípio é que a sal- de ruim no ventre de Rebeca, sua
vação não é herdada. Imagine al- mãe, mas a Bíblia conta que Deus
guém que nasceu de pais crentes, amou e escolheu Jacó, mas despre-
que foi criado na Palavra, levado zou Esaú e que este serviria Jacó.
para uma igreja maravilhosa e que, Em algumas traduções lemos
talvez, até tenha frequentado uma que Deus “odiou” Esaú. Isso quer
escola evangélica do jardim de in- dizer que, comparado com o amor
fância até a faculdade. Essa pessoa que Deus demonstrou por Jacó,
está em vantagem espiritual e será Ele reteve sua graça sobre a vida
responsável por essa herança, mas de Esaú. Jesus usou a mesma fi-
isso não quer dizer que ela seja sal- gura de linguagem, quando disse:
va. Deus não tem netos, só filhos! “Se alguém vem a mim e ama o
O primeiro princípio espiritual da seu pai, sua mãe, sua mulher,
eleição e da graça é que a salvação seus filhos, seus irmãos e irmãs,
não é herdada de pai para filho. e até sua própria vida mais que a
O segundo princípio que Pau- mim, não pode ser meu discípu-
lo estabelece neste capítulo é que lo” (Lucas 14.26). As Escrituras
a salvação não se baseia em es- ensinam claramente que devemos
colhermos ou não nos comprome- amar nossos pais (Êxodo 20.12)
termos com Deus, mas no fato de e que devemos amar uns aos ou-
Deus nos escolher ou não para a tros (I João 4.7-21). Jesus ensi-
salvação. Costumamos rejeitar nou que nosso amor por Ele deve
este princípio, porque queremos ser tão intenso que não pode ser
sempre estar no comando. Se este comparado com o sentimento que
princípio é verdadeiro, então o temos por outras pessoas.
controle está nas mãos de Deus. Certo teólogo americano foi
O terceiro princípio espiritu- procurado por uma senhora que
al que Paulo estabelece é que a lhe disse: “Dr. Ironside, tenho

100 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

dificuldade para entender este tex- não é conquistada por boas obras,
to de Paulo, onde ele afirma que mas é um dom da graça de Deus.
Deus amou Jacó, mas rejeitou Mesmo antes dos dois gême-
Esaú”. O teólogo respondeu: “Eu os fazerem qualquer coisa boa ou
também tenho dificuldade com má, Jacó foi escolhido para sal-
este versículo, mas o meu proble- vação, porque Deus o amou. Isto
ma é entender como Deus pode nos leva a questionar sobre o fato
dizer que amava Jacó!”. de Deus ter, deliberadamente, es-
Dá para entender a afirmação colhido Jacó. Será que Deus real-
desse teólogo, quando compre- mente escolhe aqueles que serão
endemos a história de Jacó, cujo salvos? Todo o Velho Testamento
nome era usurpador, suplantador, mostra que sim, porque Deus es-
e vemos, pela sua história, que ele colheu os judeus.
fez jus ao nome que recebeu. No Diante dessa proposição, de-
capítulo 5 desta carta, Paulo es- paramo-nos com dois problemas.
creveu maravilhado que o amor de Gostamos de pensar que temos o
Deus foi manifestado através de controle sobre a nossa salvação e
Cristo para nossa salvação, quan- que não é justo Deus escolher al-
do éramos inimigos de Deus. To- gumas pessoas em detrimento de
dos ficamos maravilhados ao ver- outras.
mos que, através de Jesus Cristo, O que Paulo ensina é que de-
Deus amou não apenas Jacó, mas vemos confiar nossa salvação à gra-
todos os pecadores. ça, às escolhas soberanas de Deus
Outra observação com relação e à obra de Jesus Cristo, na cruz,
a essa passagem tão importante é e não em nossas próprias escolhas
que perdemos a força do seu ensi- e boas obras. Entretanto, Paulo
no, quando enfocamos totalmente também apresenta este paradoxo:
o conceito passado pela palavra mesmo sendo escolhidos, devemos
“eleição”. Vou tratar deste assun- acolher essa escolha, confiando em
to, mas antes quero que você en- Cristo como nosso Salvador e ser-
tenda a verdade principal que Pau- mos justificados pela fé.
lo ensina nesses capítulos. O que Se você já está familiarizado
ele chama de “eleição” está sendo com a Lei de Moisés, entenderá
enfatizado porque ilustra o ensino porque era tão difícil para um fa-
principal desta carta: a salvação riseu entender e crer no que Paulo

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 101


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ensinou aqui. Os judeus estavam vocês, rabinos, estão sempre per-


muito familiarizados com os livros guntando e até respondem com
da Lei, sendo que dois deles termi- perguntas?”. Hillel diz: “E por que
nam com exortações muito fortes não deveríamos responder uma
para escolhermos entre a vida e a pergunta com uma pergunta?”.
morte, entre obedecer às leis de Como bom rabino que era, Paulo
Deus e servi-Lo ou rebelar-se (Le- imaginou que seus leitores lhe fa-
vítico 26; Deuteronômio 28,30). riam perguntas e as respondeu: “E,
Por isso, era difícil para os ju- então, que diremos? Acaso Deus
deus entenderem que a vida e a é injusto? De maneira nenhuma!
morte espirituais não eram esco- Pois ele diz a Moisés: ‘Terei mi-
lhas suas, mas de Deus. O conhe- sericórdia de quem eu quiser ter
cimento dessas coisas nos faz en- misericórdia e terei compaixão
tender porque era difícil para eles de quem eu quiser ter compai-
crerem que a salvação e a justifi- xão’. Portanto, isso não depende
cação são um chamado e um dom do desejo ou do esforço humano,
da graça de Deus recebidos por fé, mas da misericórdia de Deus.
e não um direito herdado ou uma Pois a Escritura diz ao faraó: ‘Eu
consequência da obediência às o levantei exatamente com este
leis de Deus. propósito: mostrar em você o meu
Também podemos dizer que poder, e para que o meu nome
Paulo, fariseu dos fariseus, preci- seja proclamado em toda a terra’.
sou de anos no deserto da Arábia Portanto, Deus tem misericórdia
para aprender essas verdades com de quem ele quer, e endurece a
Cristo, conforme ele mesmo contou quem ele quer” (9.14-18).
em sua Carta aos Gálatas (Gálatas O exemplo citado por Paulo de
1.11-17). Obviamente, ele preci- Moisés e Faraó é ainda mais difícil
sou de tempo e de revelação sobre- de entender e aceitar que o exem-
natural para entender essa verdade plo de Jacó e Esaú. Ele retoma as
e integrar este dom de justificação perguntas e respostas, imaginando
pela fé à sua teologia. que seus leitores poderiam achar
Rabinos como Paulo ensi- injusto da parte de Deus criar um
navam fazendo perguntas, como faraó com o propósito explícito de
ocorreu com o rabino Hillel, quan- se opor ao que Ele estava fazen-
do lhe perguntaram: “Por que do no Egito. Não parecia justo que

102 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Deus tivesse criado um faraó rebel- um anjo, Deus o fez saber que ele
de para demonstrar o Seu tremen- era grandemente abençoado, não
do poder através dele e, depois, por causa do que ele tinha con-
mandar as dez pragas que caíram quistado ou que fosse merecedor
sobre os egípcios. A resposta de pelo seu esforço próprio, mas por
Paulo a esta pergunta imaginária causa da graça de Deus.
foi: “Mas quem é você, ó homem, Embora tivesse tentado aben-
para questionar a Deus?” (9.20). çoar Jacó com Sua graça durante
A seguir, ele usou uma metá- vinte anos, Deus não havia con-
fora que foi uma das favoritas do seguido fazê-lo aquietar-se o su-
profeta Jeremias (Jeremias 18.1- ficiente para isso. Em uma das
6). Ele escreveu que nós, simples alegorias mais marcantes da graça
mortais, somos como o barro, encontradas na Bíblia, Deus pe-
enquanto Deus é o divino oleiro. gou este homem, Jacó, que esta-
Quando um oleiro está fazendo va sempre inquieto, correndo de
seus potes, a partir de um monte um lado para outro, manipulando
de argila, esta não argumenta com tudo e todos, levou-o para um lu-
o oleiro, nem diz ao artista como gar chamado “Jaboque” que, em
ela quer ser moldada. O oleiro é hebraico, significa “correr” e, ali,
soberano sobre o barro e ele de- Deus o deixou manco, para que
cide se da mesma argila faz um ele não pudesse mais correr (Gê-
lindo vaso e um pote, o qual era nesis 32.22-32).
um utensílio que as pessoas usa- Outra maneira de declarar a
vam para suas necessidades fisio- mesma verdade seria dizer que Deus
lógicas. A seguir, Paulo aplica esta tinha tentado ensinar Jacó a fazer
metáfora ao escultor que é Deus, algo que é um mandamento cons-
formando Moisés e Faraó a partir tante no Velho Testamento: “Espe-
do mesmo barro. rar no Senhor”. Deus exorta homens
Jacó é um dos maiores exem- como Jacó a apenas esperarem no
plos de graça na Bíblia. Ele co- Senhor e verem o que Ele faz. Ao
meçou sua jornada pensando que escrever o versículo 16, o qual afir-
todas as suas bênçãos eram uma ma que a eleição não é daquele que
consequência da sua maneira de corre, mas de Deus, creio que Paulo
manipular tudo que surgia no seu está se referindo a essa experiência
caminho. Quando ele lutou com que Jacó teve em “Jaboque”.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 103


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Quando Paulo escreveu que então, que diremos? Acaso Deus


Deus fez Faraó e Moisés do mes- é injusto?” (9.14). A essência de
mo barro, voltou ao assunto da sua resposta a esta pergunta é que
pergunta que mencionei, quando Deus é absolutamente soberano e
estávamos estudando o capítulo 5: faz aquilo que deseja fazer. Como
“Como o pecado entrou no mun- Deus é onisciente e, portanto, sabe
do?”, pergunta esta que tem tortu- todas as coisas, Ele nunca precisa
rado filósofos e teólogos em todos dos nossos conselhos e opiniões.
os tempos. Existe um versículo na Paulo conclui esses três capítulos
profecia de Isaías, no qual Deus com uma doxologia, na qual cita
afirma: “Eu formo a luz e crio as o profeta Isaías, quando pergunta:
trevas, promovo a paz e causo a “Quem conheceu a mente do Se-
desgraça; eu, o Senhor, faço todas nhor? Ou quem foi seu conselhei-
essas coisas” (Isaías 45.7). ro?” (11.34; Isaías 40.13).
Quando um joalheiro quer exi- Paulo retoma seus ensinos,
bir seus diamantes, ele os coloca fazendo outras perguntas: “Mas,
sobre um fundo de veludo preto algum de vocês me dirá: ‘Então,
para que a beleza deles seja des- por que Deus ainda nos culpa?
tacada. Segundo as Escrituras, o Pois, quem resiste à sua vonta-
mal está no mundo pela vontade de?’. Mas quem é você, ó homem,
permissiva de Deus. Na Bíblia, ve- para questionar a Deus? Acaso
mos que Deus usa o mal como um aquilo que é formado pode dizer
pano de fundo preto, sobre o qual ao que o formou: ‘Por que me fi-
Ele exibe as joias do Seu amor e zeste assim?’. O oleiro não tem
da Sua Redenção. direito de fazer do mesmo barro
O nome de Deus representa um vaso para fins nobres e outro
a essência de quem Ele é e, cer- para uso desonroso?” (9.19-21).
tamente, Deus não é o mal. Deus Paulo consegue muito bem
usou Faraó como um pano de fun- imaginar seus leitores responden-
do para mostrar todo o Seu poder. do: “Isso não é justo! Como pode
O propósito de Deus com isso é Deus criar Faraó para esse propó-
que o Seu nome seja conhecido sito e, depois, condená-lo por ter
em toda a terra. feito aquilo para o que foi cria-
Paulo iniciou a passagem do?”. A resposta básica desta vez
seguinte fazendo perguntas: “E, é: Como nós, criaturas, podemos

104 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

questionar nosso Deus Criador? poder e controle absolutos sobre


Será que o barro pode perguntar Sua criação, principalmente suas
para o oleiro quem está mexendo vidas. A democracia se baseia
com ele ou em que pretende trans- na convicção de que nenhum ser
formá-lo? Como não passamos de humano deve ter poderes absolu-
barro nas mãos do oleiro, quem tos sobre outros seres humanos.
somos nós para fazermos o papel Governos democráticos dividem
de conselheiros de Deus? poderes e responsabilidades e fa-
No Livro de Jó existe um boni- zem seus governantes prestarem
to exemplo da verdade que Paulo contas ao povo que governa. Não
apresenta nesta passagem de per- importa sob que tipo de governo
guntas e respostas. Jó foi conside- vivemos; o problema em aceitar
rado um dos homens mais justos este ensino pode estar na resistên-
da sua época e, quando lemos a cia que temos ao conceito de um
saga do seu sofrimento, ao chegar- Deus Soberano e Absoluto, porque
mos ao capítulo 38 do seu livro, não confiamos a Ele o controle in-
Deus inicia um diálogo fascinante questionável de nossas vidas.
com Jó. Entretanto, o conceito do Rei-
Deus humilha Jó ao fazer- no de Deus implica que Deus é o
lhe incontáveis perguntas, para Rei Soberano, que governa com au-
as quais ele não tinha respostas, toridade e controle absolutos sobre
como: “O que você pode saber so- seus súditos. O Reino de Deus não
bre criação, Jó? Onde você estava é uma democracia, pois não exis-
quando Eu criei os céus e a ter- te nada de democrático na relação
ra?”. Deus também fez perguntas entre o pastor e suas ovelhas. Deus
para Jó sobre o sistema solar, as é o Bom Pastor de Israel e Jesus “O
estrelas, o tempo, raios e outras Grande Pastor das Ovelhas” (João
questões que Jó não sabia respon- 10.11; Hebreus 13.20).
der, nem tinha controle sobre elas. Um dia Jesus virá como Rei
Foi basicamente isso que Paulo dos reis e Senhor dos senhores.
fez, quando pergunta quem é o Paulo declara, sob a inspiração di-
homem para questionar Deus. vina, que Deus é o Rei acima de to-
As pessoas vivem hoje sob go- dos os reis e o Senhor Soberano de
vernos democráticos e não gostam todos os senhores; portanto, faz o
da ideia de um Deus Soberano ter que Ele quer fazer (I Timóteo 6.15).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 105


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

O apóstolo introduz o tema povo; e chamarei ‘minha amada’


central destes três capítulos ao fa- a quem não é minha amada”, e:
lar sobre dois tipos de vasos: “E se “Acontecerá que, no mesmo lugar
Deus, querendo mostrar a sua ira em que se lhes declarou: ‘Vocês
e tornar conhecido o seu poder, não são meu povo’, eles serão
suportou com grande paciência os chamados ‘filhos do Deus Vivo’”
vasos de sua ira, preparados para (9.25,26; Oseias 2.23).
a destruição? Que dizer, se ele fez A seguir, Paulo também cita
isto para tornar conhecidas as ri- passagens de Isaías, as quais mos-
quezas de sua glória aos vasos de tram que, quando os gentios se
sua misericórdia, que preparou de tornassem parte da Igreja, have-
antemão para glória, ou seja, a nós, ria ainda um remanescente de ju-
a quem também chamou, não ape- deus, como ele mesmo, que seria
nas dentre os judeus, mas também salvo (9.27-29; Isaías 10.22,23).
dentre os gentios?” (9.22-24). Depois de citar Isaías, Paulo
A partir deste ponto do capítu- junta este tema profético referente
lo 9 até o final do capítulo 11, es- a Israel à sua argumentação dos
tes três capítulos constituem uma quatro primeiros capítulos desta
das passagens proféticas mais sig- carta, escrevendo: “Que diremos,
nificativas da Bíblia. Nela, Paulo então? Os gentios, que não bus-
mostra, a partir do Velho Testa- cavam justiça, a obtiveram, uma
mento, que sempre foi o plano de justiça que vem da fé; mas Israel,
Deus trazer a salvação tanto para que buscava uma lei que trouxes-
os gentios como para os judeus. se justiça, não a alcançou. Por
Quando Deus comissionou Abraão que não? Porque não a buscava
para ser o pai do povo escolhido, pela fé, mas como se fosse por
também prometeu que todas as obras. Eles tropeçaram na pedra
nações da terra seriam abençoa- de tropeço” (9.30-32).
das através dele (Gênesis 12.3). Dá para imaginar como deve
Paulo cita Oseias para mostrar ter sido difícil para esse rabino or-
que a salvação dos gentios não foi todoxo, que antes era um “hebreu
um plano alternativo que Deus de hebreus” e, “quanto à Lei, fa-
programou depois que os judeus riseu” entender e interiorizar a ver-
rejeitaram o Messias. “Chamarei dade representada nesta passa-
‘meu povo’ a quem não é meu gem? (Filipenses 3.4-6).

106 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Os fariseus visavam a preser- escreveu nos primeiros quatro ca-


vação da ortodoxia da fé judaica. pítulos. Aqui ele está declarando
Durante toda a sua fase adulta, o que tinha pregado e escrito aos
esse homem tinha se dedicado to- coríntios: “Nós, porém, pregamos
talmente à preservação do que ele a Cristo crucificado, o qual, de
acreditava, isto é, que a justiça e fato, é escândalo para os judeus
a salvação poderiam ser alcança- e loucura para os gentios” (I Co-
das com o cumprimento da Lei de ríntios 1.23).
Deus. Mas, depois que ele teve um Ninguém melhor que Paulo
encontro sobrenatural com Cristo, compreendeu porque os judeus
na estrada de Damasco, e após ter tropeçaram nesta questão simples
passado um tempo com Ele, no do Evangelho acerca da salvação
deserto da Arábia, ele descobriu pela justiça, como um dom gratui-
o Evangelho da salvação, da justi- to de Deus pela Sua graça e fé em
ça pela fé e do dom de Deus pela Jesus Cristo. Por esta mesma cau-
graça para aqueles que crêem em sa ele tinha perseguido com tan-
Jesus Cristo, o que deve ter sido to afinco a Igreja de Jesus Cristo,
como um “terremoto teológico” no antes de se converter, na estrada
coração e na mente desse fariseu! de Damasco, quando Jesus o con-
Você deve recordar que foi vocou para ser o grande “Apóstolo
essencialmente isso que Paulo dos Gentios” (Romanos 11.13).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 107


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 12
“Senhores, O Que Devo Fazer Para Ser Salvo?”
(Romanos 10.1-13)
O título deste capítulo é a per- da morte são: céu ou inferno. Ses-
gunta que o carcereiro fez para senta por cento das vezes restan-
Paulo, na prisão da cidade de Fi- tes, Jesus usou a mesma palavra
lipos (Atos 16.30), cuja resposta para se referir ao livramento do
foi: “Creia no Senhor Jesus e serão presente castigo do pecado. Pesso-
salvos você e os de sua casa” (Atos as são libertas de prisões, como a
16.31). Neste capítulo de Roma- mulher que, durante 18 anos, an-
nos, que ora vamos estudar, vamos dou encurvada e Jesus disse que
encontrar a resposta mais explícita ela esteve presa por Satanás todos
do Novo Testamento para a per- aqueles anos (Lucas 13.11-16).
gunta que o carcereiro fez a Paulo. Pedro fez uma das orações
Às vezes, os seguidores de mais curtas e eloquentes da Bí-
Cristo podem usar a palavra “sal- blia, quando estava andando no
vo” de maneira confusa e até ofen- Mar da Galileia, durante uma
siva para um incrédulo. Usamos noite de tempestade. Ele desviou
tanto esta palavra com outros seus olhos do Senhor e, quando
crentes, que nem sempre percebe- começou a afundar, orou: “Se-
mos que os incrédulos não têm a nhor, salva-me!” (Mateus 14.30).
menor ideia do seu significado. Li- Jesus, imediatamente, livrou-o do
teralmente, “salvo” significa “liber- afogamento. Em nossa jornada de
to”. “Salvo, liberto do quê?”. É isso fé, frequentemente, enfrentamos
que um incrédulo pode perguntar. crises que proporcionam o cresci-
Aproximadamente quaren- mento da nossa fé.
ta por cento das vezes que Jesus Neste capítulo, quando Paulo
usou esta palavra foi para se re- fala sobre como ser salvo, ele tra-
ferir ao livramento do castigo do ta, principalmente, da eternidade,
pecado que está por vir. Jesus en- da dimensão futura da nossa sal-
fatizou, no Novo Testamento, que vação. Quer seja ofensivo ou não,
as duas possibilidades para depois os discípulos de Jesus, que estão

108 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

comprometidos, realmente, com Paulo os elogia pelo zelo que ti-


o cumprimento da Grande Comis- nham para serem justos. Ele se en-
são, devem usar a palavra “salvo”, xergava nessa busca de justiça pró-
porque o fato fundamental da vida pria, porque tinha sido assim antes
e da morte eternas é que, sem de ter um encontro com Cristo. O
Deus, a humanidade está espiritu- apóstolo encerra esta passagem,
almente perdida. Não temos que escrevendo que Cristo é o fim da
esperar até a morte para ficarmos Lei para todo aquele que crê. Paulo
perdidos: sem Jesus, todos esta- quis dizer que o propósito da Lei
mos perdidos. É por isso que de- de Deus foi ser um guia que nos
vemos ser salvos! levasse a Cristo (Gálatas 3.24). Ele
Para as pessoas que desco- também quis dizer que Cristo era e
brem que estão perdidas, as Boas é o cumprimento da Lei (Romanos
Novas são estas: “Porque Deus 10.4; Mateus 5.17).
tanto amou o mundo que deu o O seu coração pesava muito
seu Filho Unigênito, para que todo por causa dos judeus, porque ele
o que nele crer não pereça, mas sabia que o seu zelo e justiça pró-
tenha a vida eterna” (João 3.16). pria em busca da salvação tinha
Paulo inicia este capítulo, ex- resultado apenas em frustração
pressando mais uma vez o peso que e fracasso. Durante anos, ele ex-
tinha no coração, por causa da sal- perimentou o desespero de tentar
vação dos judeus: “Irmãos, o desejo conquistar a justiça, que Cristo
do meu coração e a minha oração a lhe mostrou ser um dom de Deus,
Deus pelos israelitas é que eles se- para ser recebido, pela fé, na obra
jam salvos. Posso testemunhar que do nosso Salvador por nós.
eles têm zelo por Deus, mas o seu No capítulo 9 desta carta, Pau-
zelo não se baseia no conhecimen- lo usou Israel para ilustrar o oposto
to, porquanto, ignorando a justiça do que foi ensinado no capítulo 8,
que vem de Deus e procurando es- no qual, e até a primeira parte do
tabelecer a sua própria, não se sub- capítulo 9, ele falou sobre o milagre
meteram à justiça de Deus. Porque da eleição de Deus, assegurando a
o fim da Lei é Cristo, para a justifi- vitória espiritual daqueles que Deus
cação de todo o que crê” (10.1-4). conheceu de antemão, predestinou,
Com o seu coração ardendo chamou, justificou e glorificou. De-
de amor e compaixão pelos judeus, pois de ensinar que Deus escolheu

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 109


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Jacó e rejeitou Esaú, antes mesmo Paulo era enfático ao falar


de eles nascerem, ele falou sobre a com os judeus que estavam ten-
liberdade que Israel teve para fazer tando se salvar através da sua
a opção de não ser o povo escolhi- autojustiça, porque ele próprio ti-
do de Deus. nha feito isso mais que qualquer
Agora, no capítulo 10, ele outro. No capítulo 7 desta carta
apresenta a salvação para judeus, e no capítulo 3 de Filipenses, ele
gentios e para todo aquele que in- compartilhou sua luta e esforço
vocar o nome do Senhor para ser inúteis para conseguir esse tipo de
salvo. Como já observamos, este justiça. Cheio de paixão, ele assim
é um dos grandes paradoxos da escreve sobre os judeus: “Moi-
Bíblia e a única maneira de solu- sés descreve desta forma a jus-
cioná-lo é aceitar que Deus nos es- tiça que vem da Lei: ´O homem
colhe, mas nós tomamos a atitude que fizer estas coisas viverá por
que vai determinar nosso destino meio delas´. Mas, a justiça que
eterno. Portanto, é uma questão vem da fé, diz:´Não diga em seu
de eleição ou livre arbítrio. coração: Quem subirá aos céus?’
Mesmo acreditando na elei- (isto é, para fazer Cristo descer)”
ção soberana, Paulo ora pela sal- (10.5,6; Deuteronômio 30.12).
vação dos seus irmãos judeus. Esta passagem mostra que
Jamais devemos nos permitir o Moisés sempre soube quais eram
pensamento de que, pelo fato de os propósitos e limites da Lei da-
Deus ser soberano, as circuns- dos ao povo de Deus, através dele,
tâncias não possam ser mudadas no Monte Sinai. Moisés sabia que
com nossas orações. Em suas car- o propósito da Lei era mostrar que
tas inspiradas, Paulo afirma “que precisamos de um Redentor, o
Deus deseja que todos os homens Cristo; que o Cordeiro perfeito do
sejam salvos e cheguem ao co- sacrifício viria do céu, morreria e
nhecimento da verdade” (I Timó- se levantaria dos mortos, para que
teo 2.1-4). Quando nossas igrejas tivéssemos justiça, que é pela fé e
elaboram a sua declaração de mis- pela graça.
são e estabelecem suas priorida- Moisés viu, profeticamente, a
des, devem entender que a oração verdade do Evangelho. O anúncio
para que todos se salvem deve es- das Boas Novas feito pelos anjos
tar em primeiro lugar. de que o Cristo ia nascer, o que

110 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

seria uma alegria para todos os Paulo, portanto, dá uma pres-


povos, foi o auge do que Deus ti- crição para ser salvo: “Se você
nha começado com Abraão e con- confessar com a sua boca que Je-
tinuou através de Moisés ao dar a sus é Senhor e crer em seu cora-
Lei (Lucas 2.10,11). Moisés viu ção que Deus o ressuscitou dentre
que, mesmo que a verdade viesse os mortos, será salvo. Pois, com o
para o povo de Deus por seu in- coração se crê para justiça e com
termédio, a graça viria através de a boca se confessa para salvação.
Jesus Cristo. Como diz a Escritura: ‘Todo o que
Ele também sabia acerca da nele confia jamais será envergo-
conquista espiritual que Paulo des- nhado’. Não há diferença entre
creveu no capítulo 8 desta carta e judeus e gentios, pois o mes-
percebeu que não bastaria cumprir mo Senhor é Senhor de todos, e
a Lei, mas que era necessária uma abençoa ricamente todos os que o
força sobrenatural que Deus colo- invocam, porque ‘todo aquele que
caria no coração do Seu povo. invocar o nome do Senhor será
A justiça que é da fé e pela fé salvo’” (10.9-13).
afirma que a Palavra de Deus está Essa é a resposta mais com-
em nossos corações e em nossa pleta à pergunta que o carcereiro
boca. A boca representa o homem fez para Paulo, na cidade de Fili-
exterior, e o coração, o homem in- pos, além da prescrição mais sim-
terior. Jesus ensinou que “a nos- ples do Novo Testamento para a
sa boca fala do que está cheio o salvação, pois ela ensina a crermos
coração” (Lucas 6.45). Em outras em nossos corações e a confessar-
palavras, você pode dizer o que mos com nossas bocas para sermos
se passa no seu coração com o salvos. Será que realmente cremos
que a sua boca expressa. O cora- em nossos corações e confessamos
ção é mencionado mais de mil ve- o que cremos com nossa boca?
zes na Bíblia. Quando as Escritu- Se você consultar as mil refe-
ras falam do coração, referem-se rências ao coração que há na Bí-
à essência do nosso ser, de onde blia, verificará que, às vezes, ela
parte nosso amor a Deus, nossas se refere ao espírito, à vontade, à
decisões, nossas motivações e o mente, à emoção e a muitas ou-
estabelecimento das prioridades tras dimensões do nosso ser criado
em nossas vidas. à imagem e semelhança de Deus.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 111


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Existe uma expressão no Novo Uma dessas referências bí-


Testamento que engloba todas as blicas traz a seguinte exortação:
áreas da vida humana: “Embora “Acima de tudo, guarde o seu
exteriormente estejamos a des- coração, pois dele depende toda
gastar-nos, interiormente estamos a sua vida” (Provérbios 4.23). A
sendo renovados dia após dia” (II decisão deliberada de confessar
Coríntios 4.16). Todas as áreas, com a nossa boca que Jesus é o
às quais a Bíblia se refere, quando Senhor, porque cremos em nosso
fala do coração, podem ser cha- coração que Ele morreu para pa-
madas de “homem interior”. gar o preço da nossa salvação e
Muitos anos atrás, um homem ressuscitou dos mortos para ser o
chamado John Quincy Adams es- Senhor da nossa vida é o resumo e
tava atravessando a rua. Ele es- a conclusão da nossa fé.
tava tão doente que precisou de Através de todo o capítulo 9
quase cinco minutos para chegar e parte do 8, temos a impressão
ao outro lado. Um amigo estava de que a salvação depende intei-
passando e perguntou: “Como vai, ramente da eleição soberana de
John Quincy, nesta manhã?”. Ele Deus. No entanto, a seguir, o texto
respondeu: “John Quincy vai bem; de Paulo enfoca a responsabilida-
apenas a casa onde ele mora é de que temos na nossa salvação,
que precisa de umas reformas! Na quando escreve que devemos crer
verdade, esta casa está tão aca- com o nosso coração e confessar
bada que John Quincy Adams vai com a nossa boca. Paulo enfatiza
ter que sair dela logo, logo. Porém, que, sem estas duas realidades,
John Quincy Adams vai muito interior e exterior, não há salvação.
bem, obrigado!”. Ele conclui o seu pensamento, ci-
John Quincy Adams era um tando os profetas Isaías e Joel, os
ótimo teólogo e sabia distinguir quais pregaram que Deus salva
claramente o homem interior, nos- quem O invocar, pedindo salvação.
so homem espiritual, que é eterno, Observe que a confissão que
do homem exterior, nosso corpo, devemos fazer é que Jesus é o
que é temporal. Ele explicou o que Senhor. A sociedade, na qual foi
Paulo quis dizer ao prescrever o plantada a Igreja do Novo Testa-
que devemos crer em nossos cora- mento, era controlada pelo Impé-
ções, se queremos ser salvos. rio Romano. Os cidadãos romanos

112 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que queriam ser politicamente é “dizer a mesma coisa”. Confes-


corretos ou estar de acordo com sar Jesus como Senhor é dizer a
aquele grande império mundial mesma coisa que Ele disse sobre
deveriam participar de uma ceri- Si mesmo, quando estava aqui na
mônia que acontecia anualmente. terra e, também, o que Deus disse
Todos deveriam jogar certa quan- sobre o Seu Filho em Sua Palavra.
tidade de incenso em um altar e Quando Jesus estabeleceu a
proclamar, solenemente: “César é Grande Comissão, Ele nos disse
Senhor!”. Milhares de discípulos como confessar com nossa boca
de Jesus foram martirizados por- o que cremos em nosso coração,
que não cumpriram esse ritual. O que Deus ressuscitou Jesus dos
grito de guerra da Igreja primitiva mortos. Jesus tornou impossível
eram estas três palavras: “Jesus é sermos discípulos secretos, quan-
Senhor” (I Coríntios 12.3). do instituiu o batismo como parte
Ao ler o Novo Testamento, da Sua Grande Comissão, onde ele
observe que nós, também, so- determina quatro coisas: ir, fazer
mos convidados a confessar Je- discípulos, ensiná-los e batizar to-
sus não somente como Salvador, dos aqueles que professarem ser
mas como Senhor. A resposta de Seus discípulos.
Paulo à pergunta do carcereiro foi: Paulo definiu de maneira sim-
“Creia no Senhor Jesus, e serão ples e clara o Evangelho que pre-
salvos, você e os de sua casa” gou em Corinto, quando concluiu
(Atos 16.31). Nos quatro Evan- sua carta para o povo daquela ci-
gelhos, vemos que Jesus declarou dade, o qual tinha sido salvo atra-
que a salvação viria para aqueles vés de sua pregação. Basicamen-
que O confessassem como Senhor te, este Evangelho é constituído de
(Lucas 19.8-10; João 8.11). dois fatos a respeito de Jesus Cris-
Lendo o Evangelho de João, to: Sua morte e Sua ressurreição (I
observamos as declarações que Coríntios 15.1-4).
Jesus fez de que Ele era Deus em Paulo explica como o batis-
forma humana. A palavra “con- mo é uma profissão da nossa fé
fessar”, em grego, é composta de no Evangelho que Jesus Cristo co-
dois vocábulos que significam: missionou Seus discípulos a pre-
“falar” e “a mesma coisa”. Portan- garem. Estou convencido de que
to, no sentido literal, “confessar” Jesus ordenou o batismo para que

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 113


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

confessássemos exteriormente a Sua Igreja de tantas maneiras, só


realidade interior de que acredita- podemos concluir que, como o
mos na Sua morte e ressurreição Bom Pastor da Igreja, Ele não ape-
como meios para nossa salvação. nas recomendou o batismo àque-
Nos vinte séculos de histó- les que professam ser Seus discí-
ria da Igreja, milhões de crentes pulos. Estou convencido de que as
morreram, porque Jesus incluiu águas do batismo foram prescritas
o batismo na Sua Grande Comis- por Jesus para confessarmos com
são. Com toda certeza Jesus sabia nossa boca o que cremos em nos-
que o batismo causaria a morte de sos corações: que Jesus Cristo é
milhões de ovelhas Suas, aqueles Senhor e que Deus ressuscitou
que eram Seus seguidores. Como Seu Filho dos mortos, para nos
Jesus mostrou o Seu amor pela salvar e ser nosso Senhor.

114 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 13
Colaboradores de Deus (Romanos 10.14-21)

Conforme já observamos, chamou, justificou e glorificou


Paulo conclui o raciocínio apresen- aqueles que Ele escolheu para a
tado nos treze primeiros versículos salvação. Ainda nesse contexto,
do capítulo 10, citando os profetas Paulo escreveu que, a não ser que
Isaías e Joel, que pregaram sobre se pregue e que obreiros sejam en-
a alegria de Deus em salvar todos viados, não haverá salvação.
os que O invocam. Agora ele passa No capítulo 8, a magnificen-
a dizer que podemos nos associar te apresentação da soberania de
a Deus, que é a fonte e o poder Deus na salvação e o seu ensino
por trás de tudo, cuja glória é o sobre eleição, também nos capítu-
propósito do milagre da salvação: los 9 e 11, são mal compreendi-
“Como, pois, invocarão aquele em dos por algumas pessoas. Alguns
quem não creram? E como crerão afirmam que podemos deixar a
naquele de quem não ouviram fa- questão da salvação e tudo o que
lar? E como ouvirão, se não hou- se refere à vida espiritual nas mãos
ver quem pregue? E como prega- de Deus, pois, sendo Ele a grande
rão, se não forem enviados? Como fonte e o poder por trás da nos-
está escrito: ‘Como são belos os sa salvação, nos levará, e a todos
pés dos que anunciam boas no- os que estão perdidos, à salvação,
vas!’” (10.14,15). sem que para isso haja qualquer
Depois de fazer parecer nos participação da nossa parte.
capítulos 8 e 9 que a salvação é Certa vez, ouvi a história de
uma obra inteiramente de Deus, um fazendeiro, cristão genuíno,
Paulo passa a escrever que ela de- que tinha trabalhado duro para
pende da resposta da fé interior e transformar uma fazenda, que
da confissão exterior. Este é o pon- antes era dominada por ervas da-
to alto desses três capítulos, onde ninhas e se encontrava em condi-
Paulo apresenta a providência so- ções deploráveis, em uma bonita
berana de um Deus que antecipa- e produtiva fazenda. Alguns dos
damente conheceu, predestinou, seus companheiros contaram ao

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 115


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

seu pastor que aquele homem de- estavam ligados à videira, da qual
veria estar cometendo o pecado do tiravam o princípio doador da vida
orgulho. O pastor chamou o fazen- que os fazia frutificar. Jesus fez a
deiro para uma conversa e, no mo- seguinte alegação: “Eu sou a vi-
mento propício, disse-lhe: “Você e deira; vocês são os ramos” (João
o Senhor fizeram um trabalho ma- 15.5). Ele também os avisou que,
ravilhoso nesta fazenda, não foi?”. sem Ele, não havia nada que eles
O fazendeiro respondeu: “Acho pudessem fazer.
que sim, pastor. Jamais poderia Realmente, sem Ele não “po-
ter transformado esta fazenda sem demos” fazer absolutamente nada,
a ajuda do Senhor; porém, o se- enquanto que Ele não “quer” fa-
nhor deveria ter visto esta mesma zer nada sem nós, como podemos
fazenda, quando o Senhor tomava constatar, se atentarmos para o
conta dela sozinho!”. fato de que o fruto não dá na vi-
As maiores bênçãos do Senhor deira. Nesse contexto, Jesus é a
vêm sobre nós, quando Ele decide Videira à procura de ramos com
que não vai mais fazer a Sua obra os quais possa se unir para dar
sozinho. Jesus deixou um ensino frutos. O desafio que se apresenta
muito importante para Seus após- diante de nós é: sermos um com
tolos, quando todos estavam no Ele e frutíferos.
jardim. Ele apresentou seis razões Se eu fosse o Senhor jamais
porque devemos ser frutíferos e a teria usado o homem em Sua obra,
chave para Ele próprio dar frutos, mas Deus não pensa assim e nos
que era o fato de Ele e o Pai se- escolhe, capacita e envia para pro-
rem um. Jesus vivia em unidade clamar a salvação a este mundo
perfeita com o Pai todo o tempo perdido. Isto é motivo para louvar-
e este relacionamento era a chave mos e adorarmos a Deus! Ele deu
dos Seus frutos. Naquele jardim, significado às nossas vidas ao fazer
Ele os desafiou a serem um com de nós Seus parceiros e ao realizar
Ele, depois da Sua ressurreição. Sua obra através de nós. A alegria,
Jesus mostrou-lhes a videira e como a paz, tem condições e cau-
todos os seus ramos e disse que sas. Jesus disse aos apóstolos que
a chave para eles serem frutífe- eles deveriam ser frutíferos para
ros estava em serem um com Ele, que a Sua alegria estivesse neles e
assim como os ramos frutíferos ela fosse completa (João 15.11),

116 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

assim como Ele tinha alegria em enviar pregadores, usando uma


fazer a vontade e a obra de Seu Pai passagem de Isaías: “Como são
(Hebreus 10.7). belos os pés dos que anunciam
A passagem acima declara, boas novas!” (10.15 e Isaías
de maneira explícita, que as pes- 52.7). É muito bonita esta pas-
soas perdidas, os eleitos de Deus, sagem, porque ela mostra como
os predestinados, chamados e Deus valoriza aqueles que são
escolhidos para serem salvos, só enviados para proclamar o Evan-
o serão depois que a Igreja cum- gelho àqueles que precisam ouvir.
prir sua quota de responsabilidade Também devemos valorizar aquele
neste processo. A pessoa perdida que nos foi enviado para que ou-
não pode clamar pelo nome da- víssemos e crêssemos nas Boas
quEle em quem não acredita, e Novas de salvação.
como vai crer, se não ouvir o Evan- Precisamos fazer duas obser-
gelho de Jesus Cristo? Como ouvi- vações aqui. A palavra “pregador”
rá, se ninguém pregar, e como pre- pode ser confundida por “pastor”
garão, se não são enviados para os ou por aqueles que falam de um
que devem ouvir e crer? púlpito. É claro que estes também
Lendo os capítulos 8 e 9, te- são pregadores, mas a palavra usa-
mos a impressão de que toda res- da por Paulo tem um sentido mais
ponsabilidade pela salvação dos amplo. Quando ele disse: “E como
perdidos está nas mãos de Deus, ouvirão, se não houver quem pre-
mas, no capítulo 10, começamos gue?”, não devemos pensar ape-
a entender a necessidade do per- nas nos pastores, evangelistas ou
dido crer e confessar Jesus Cris- missionários.
to para salvação. A seguir, Paulo Sabemos que a primeira gera-
mostra o objetivo real da Igreja na ção de discípulos de Jesus anun-
terra, quando escreve sobre a sua ciou o Evangelho para seus fami-
incumbência de enviar pregadores liares, amigos, companheiros de
para divulgarem o Evangelho ao trabalho e para todos que faziam
mundo perdido, a fim de que ou- parte de suas vidas. Além daqueles
çam, creiam, invoquem o nome do que foram enviados, como Paulo,
Senhor e sejam salvos. o Evangelho se espalhou através
Paulo abençoa a Igreja com de discípulos anônimos, os quais
a responsabilidade de pregar e também devem ser considerados

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 117


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

pregadores, como os citados no respeito por elas. Existe um ditado


texto que ora estudamos. popular que diz que uma ando-
Escrevendo aos coríntios, rinha só não faz verão, o que se
Paulo afirmou que foram confiados pode aplicar à Igreja do Senhor,
a todos que passaram pelo mila- quando se trata de trazer à tona a
gre da reconciliação com Deus, realidade do Evangelho na vida de
através de Cristo, a mensagem e o pessoas perdidas.
ministério da reconciliação (II Co- Minha segunda observação se
ríntios 5.18-6.2). refere à citação dos pés dos que
Quando os crentes de uma anunciam o Evangelho. Quem en-
igreja acham que Deus deu a res- via os pregadores para anuncia-
ponsabilidade de anunciar o Evan- rem o Evangelho para os perdidos
gelho apenas aos pastores, evan- deste mundo? Apesar de parecer,
gelistas ou missionários, a igreja aparentemente, que é a igreja, o
se torna um “gigante adormeci- poder que está por trás de tudo é
do”. A verdade que pode desper- Cristo. Jesus ensinou Seus apósto-
tar esse “gigante adormecido” é a los a orarem ao Senhor da seara,
constatação de que somos todos para que Ele mande mais traba-
comissionados para anunciar o lhadores (Lucas 10.2).
Evangelho aos que estão perdidos. Devemos compreender que
Portanto, precisamos entender que ninguém vem a Cristo se o Pai não
ou somos um missionário ou ainda o atrair (João 6.44). Às vezes, as
somos um alvo para missões. pessoas perguntam: “E se eu não
Para Deus têm muito valor for escolhido, mesmo que eu quei-
aqueles que levam o Evangelho ra ser salvo?”. A resposta a esta
aos perdidos. Pense o seguinte: pergunta é que, se a pessoa não
Deus tinha um Filho e esse Fi- tiver sido escolhida nem atraída
lho era um missionário. Você dá pelo Espírito, ela não vai querer
valor às pessoas que anunciam ser salva.
o Evangelho para que outros ou- Precisamos entender que uma
çam, creiam, invoquem o nome igreja envia pessoas como Paulo e
do Senhor e sejam salvos? Essas Barnabé, por exemplo, porque o
pessoas são as mais importantes Espírito leva a igreja a isso e move
que você já conheceu em toda a o coração dos enviados a respon-
sua vida e, por isso, você deve ter derem ao chamado para fazerem

118 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

parte do ministério (Atos 13.2). Es- providência divina, que não pode-
crevendo à igreja de Filipos, Paulo mos enxergar, mas sentimos sua
explicou que é Deus quem trabalha manifestação toda vez que um pe-
na nossa vontade, para desejarmos cador ouve, crê, confessa e é salvo.
e agirmos de acordo com o que Lhe Jesus e Paulo afirmam que,
agrada (Filipenses 1.6; 2.13). quando as Boas Novas são anun-
Mais uma vez não posso dei- ciadas aos perdidos, alguns crêem,
xar de perguntar: Quem está esco- mas não a maioria. Por que sem-
lhendo, então? É Deus ou somos pre encontramos essas duas res-
nós que acolhemos o grande privi- postas à pregação do Evangelho?
légio de levar a mensagem de sal- Paulo responde a esta pergunta,
vação aos perdidos deste mundo? afirmando que a inteligência não é
A resposta é que não é, espe- a explicação para a maneira como
cificamente, um ou outro, isto é, as pessoas respondem ao Evan-
Deus ou nós, mas ambos somos gelho. Jesus e Paulo afirmam que
participantes dessa escolha. Ele aqueles que crêem têm essa res-
nos chama e nós escolhemos per- posta, porque lhes foi dado o dom
manecer nEle, como um ramo da da fé (Mateus 13.11; 19.11; I Co-
Videira, que é Jesus. ríntios 2.9-16; Filipenses 1.29).
De acordo com Isaías, as duas
O mistério de crer e de não crer respostas à pregação do Evange-
A iluminação de um local lho, crer e não crer, não são um
implica no uso de uma energia fato restrito ao período do Novo
elétrica que não podemos ver. Não Testamento, na história dos he-
conseguimos visualizar a eletri- breus. Isaías descreveu mais que
cidade, nem a imensa extensão qualquer outro profeta do Velho
de fios que a trazem para nossa Testamento a vinda do Messias,
casa, tanto quanto não temos co- e até o significado da sua morte,
nhecimento dos geradores, trans- na cruz, 700 anos antes desses
formadores e tudo o mais que é acontecimentos.
utilizado para o fornecimento da Os seis primeiros versículos do
energia que utilizamos, através de capítulo 53 de Isaías são os mais
um simples toque num interruptor. eloquentes da Bíblia, a respeito do
Da mesma forma, Paulo de- significado da morte de Jesus Cris-
fine a obra do Espírito Santo e a to, na cruz: “Quem creu em nossa

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 119


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mensagem? E a quem foi revela- Isaías diz: ‘Senhor, quem creu em


do o braço do Senhor? Ele cresceu nossa mensagem?’. Consequen-
diante dele como um broto tenro temente, a fé vem por se ouvir a
e como uma raiz saída de uma mensagem, e a mensagem é ouvi-
terra seca. Ele não tinha qual- da mediante a palavra de Cristo”
quer beleza ou majestade que nos (10.16,17).
atraísse, nada havia em sua apa- De acordo com Paulo, quan-
rência para que o desejássemos. do Isaías começou sua magnífica
Foi desprezado e rejeitado pelos profecia, que descreve a morte de
homens, um homem de dores e Cristo, ele enfocou nossa atenção
experimentado no sofrimento. para o mistério de crer e não crer,
Como alguém de quem os homens com a pergunta citada acima. De
escondem o rosto, foi desprezado, acordo com Isaías, quem vai se-
e nós não o tínhamos em estima. parar o salvo do que está perdido
Certamente ele tomou sobre si as será Jesus Cristo. Isaías começa
nossas enfermidades e sobre si esse maravilhoso capítulo, decla-
levou as nossas doenças; contudo rando: “Tenho a maior de todas
nós o consideramos castigado por as profecias para compartilhar
Deus, por Deus atingido e afligi- com vocês, a qual profeta algum
do. Mas ele foi transpassado por jamais proclamou, mas quem vai
causa das nossas transgressões, crer nela?”.
foi esmagado por causa de nos- Paulo continua escrevendo
sas iniquidades; o castigo que sobre como o Espírito Santo usa
nos trouxe paz estava sobre ele, a Palavra de Deus para atrair as
e pelas suas feridas fomos cura- pessoas à fé e a Cristo. O apósto-
dos. Todos nós, tal qual ovelhas, lo afirma, explicitamente, que a fé
nos desviamos, cada um de nós vem pelo ouvir a Palavra de Deus.
se voltou para o seu próprio cami- Pedro se une a Paulo no ensi-
nho; e o Senhor fez cair sobre ele no dessa mesma verdade. De acor-
a iniquidade de todos nós”. do com Pedro, a Palavra de Deus
Paulo nos desafia a observar é uma semente incorruptível, que
a maneira como Isaías iniciou esta concebe vida espiritual naqueles
inspirada profecia messiânica: que respondem, devidamente, a
“No entanto, nem todos os israeli- ela, quando a ouvem ou a lêem (I
tas aceitaram as boas novas, pois Pedro 1.23).

120 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Paulo ensina essa mesma ver- pergunta que sempre surgia, quan-
dade pela segunda vez, com outra do eu falava do Evangelho nas fa-
metáfora muito bonita, ao exortar culdades: “O que acontece com
seus leitores a virem à Palavra aquelas pessoas que nunca ouvi-
como sendo ela a luz em um mun- ram o Evangelho?”.
do de escuridão. Segundo Pedro, Paulo respondeu: “Mas, eu
à medida que nos aproximamos pergunto: Eles não a ouviram? Cla-
da luz, experimentamos dois mi- ro que sim: ‘A sua voz ressoou por
lagres: o dia amanhece e a estrela toda a terra, e as suas palavras até
da manhã nasce nos nossos cora- os confins do mundo’. Novamente
ções (II Pedro 1.19). pergunto: Será que Israel não en-
As duas metáforas de Pedro, tendeu? Em primeiro lugar, Moisés
que formam um paralelo com a disse: ‘Farei que tenham ciúmes
declaração de Paulo, definiram a de quem não é meu povo; eu os
filosofia do meu ministério, desde provocarei à ira por meio de um
1949. Isaías disse em sua profe- povo sem entendimento´. Isaías
cia que ele pregou a Palavra de diz, ousadamente: ´Fui achado
Deus, porque ela uniu os pensa- por aqueles que não me procura-
mentos e os caminhos de Deus ao vam; revelei-me àqueles que não
homem (Isaías 55.8-11). Desco- perguntavam por mim´. A respeito
bri que, quando levamos pessoas de Israel, porém, ele diz: ´O tempo
à Palavra de Deus e a Palavra de todo estendi as mãos a um povo
Deus às pessoas, a fé vem e elas desobediente e rebelde´”. (10.18-
nascem de novo. Esse novo nasci- 21; Deuteronômio 32.21; Salmo
mento é descrito de uma maneira 19.1-4; Isaías 65.1).
muito bonita nas duas metáforas Para responder sua própria
de Pedro. pergunta, Paulo recorreu a Davi,
Moisés e Isaías. Com Davi e a pas-
Outras perguntas e respostas sagem do Salmo 19, que fala, no
Paulo encerra o capítulo 10, primeiro verso: “Os céus declaram
antecipando mais uma vez as per- a glória de Deus; o firmamento
guntas que seus leitores fariam. proclama a obra das suas mãos”,
Ao enfocar a importância crucial aprendemos o que os teólogos
de se ouvir a Palavra para que haja chamam de “revelação natural”.
fé, o apóstolo formula a mesma Nas minhas viagens a campos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 121


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

missionários, em áreas remotas princípio muito importante presen-


do globo, descobri que quando te nas Escrituras (João 9.40,41;
nós, das grandes cidades, visita- 15.22; Filipenses 3.16).
mos lugares sem iluminação, nos Os missionários contam que,
damos conta das estrelas e deste quando eles levam o Evangelho
grande universo, no qual vivemos. às áreas primitivas e remotas do
Provavelmente, Davi, como pastor mundo, os seus habitantes costu-
de ovelhas, passou muitas noites mam afirmar que estavam espe-
deitado, olhando as estrelas, até o rando que alguém viesse e lhes
Espírito Santo inspirá-lo a escrever contasse a respeito deste Deus a
o Salmo 19, dizendo que os céus quem buscavam há muito tempo.
e o espaço celeste pregam sobre Eu mesmo tive uma experiên-
a glória de Deus. Não existe uma cia que confirmou esta afirmação.
noite em que eles deixam de pre- Quando eu dirigia um Estudo Bíbli-
gar esse sermão. De acordo com co nos lares, conheci uma senhora
Davi, mesmo que eles não emitam japonesa com um rosto radiante,
nenhum tipo de som, não existe que quis falar comigo, depois da
lugar na terra em que esse sermão aula. Ela me disse que, enquanto
não seja ouvido. estava em um abrigo antibombas,
No primeiro capítulo des- em Tóquio, durante os últimos
ta carta, Paulo declara que, por meses da Segunda Grande Guer-
causa da mensagem que é trans- ra, ela orou ao Deus que eu estava
mitida através da criação, não há apresentando naquele estudo. Até
desculpa para os que estão perdi- então ela era budista, mas sabia,
dos (1.20). Será que os perdidos em seu coração, que havia um
conhecem a revelação natural o Deus verdadeiro que a salvaria, se
suficiente para serem justificados ela orasse a Ele.
pela fé? A resposta óbvia para esta Ela colocou sua fé em Jesus
pergunta é “Não!”. Entretanto, as Cristo até que o dia raiou e a es-
Escrituras ensinam que, se através trela da alva brilhou em seu cora-
da criação o perdido entender que ção, o que a tornou uma discípula
tem que haver um Criador, e se de Jesus Cristo radiante! Naquele
ele buscar este Criador em respos- abrigo, ela tinha respondido ao
ta à luz que recebeu da criação, Deus que lhe tinha dado luz e, na-
Deus lhe dará mais luz. Este é um quela noite, ela partiu dizendo: “O

122 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Senhor é a minha luz e a minha nobres, poderosos ou inteligentes (I


salvação” (Salmo 27.1). Coríntios 1.26-29).
Paulo também cita um versícu- Além da profecia de Moisés,
lo muito profundo do Livro de Deu- Paulo citou Isaías, que também
teronômio, no qual Moisés apresen- afirma que Deus provocaria o ci-
ta uma profecia que se torna o tema úme dos judeus, escolhendo um
do resto deste capítulo e de todo povo que nunca O tinha buscado.
o capítulo 11. Moisés previu que Paulo já tinha reconhecido o zelo
Deus ia levar Israel ao ciúme, esco- que os judeus tinham por Deus,
lhendo os gentios para a salvação. mas era um zelo enganoso, por-
Os judeus se referiam aos que eles olhavam para dentro de
gentios como “cães”, o que signifi- si mesmos obcecados com a sua
cava ter o discernimento espiritual autojustiça, exatamente como ele
de um cachorro. O fato de Deus havia sido, antes de encontrar-se
ter se voltado para os gentios e ter com Jesus Cristo.
escolhido os “cães” para serem o Durante mais de cinco décadas
Seu povo certamente provocou o como pastor, tenho me fascinado
ciúme dos judeus. Com esta ci- ao ouvir as histórias e os testemu-
tação, Paulo confirma uma das nhos de como crentes encontraram
profecias mais extraordinárias da Deus. Não existe uma história igual
Bíblia, proferida por Moisés. a outra, mas um padrão que ob-
Você já reparou como os ju- servei, que é a chamada “grande
deus são dotados de uma inteligên- intervenção”, apresentada, metafo-
cia destacada? Observe o número ricamente, com a história de Davi,
de judeus agraciados com o Prêmio quando ele conta, no Salmo 23,
Nobel, especialistas e estudiosos como o Senhor se tornou o seu Pas-
célebres, músicos, compositores tor. Davi escreveu que “...(Ele) me
talentosos e tantos outros desta- faz repousar” (23.2).
cados em áreas envolvendo a cul- Fico impressionado com as
tura. Não parece uma ironia Deus histórias de inúmeras pessoas
escolher um povo menos dotado que tiveram um encontro com
em tudo o que os judeus possuem Jesus Cristo sem nem mesmo es-
em abundância? Paulo documenta tarem à procura dEle, mas Deus
o fato de que os gentios que Deus estava à procura delas! Deus fez
escolheu não o foram por serem essas pessoas se deitarem no

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 123


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

chão, batendo em suas cabeças a Bíblia mostra Deus buscando


com Seu cajado de Pastor, o que o homem”. Citando Isaías, Paulo
muitas vezes acontece na forma prevê um acontecimento extraor-
de problemas que elas não po- dinário que vemos hoje em nossas
diam resolver. Mais tarde, elas próprias vidas e na caminhada de
viram que o problema insolúvel fé de outras pessoas. Ao contrário
serviu como uma intervenção do dos judeus, que eram extrema-
amor do seu Pastor, o que as fez mente zelosos com Deus, pessoas
agradecer a Deus pelo problema, que não se interessavam por en-
reconhecendo que Ele continua a contrar Deus são encontradas por
intervir em conjunturas importan- Ele. Moisés, Isaías e Paulo acres-
tes de suas jornadas de fé. Obvia- centam a este fato extraordinário
mente, a iniciativa parte de Deus o ensino de que Deus tem feito
e não da busca dessas pessoas. isto com os gentios, para provo-
Alguém disse que “a religião car uma restauração espiritual
é o homem buscando Deus, mas nos judeus.

124 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 14
O Mistério de Israel (Romanos 11.1-12.2)

A palavra “mistério”, na Bí- resposta de Paulo foi: “De maneira


blia, além de se referir a um segre- nenhuma!”. A mensagem deste ca-
do a ser revelado, também alude a pítulo é que Deus ainda não aca-
um acontecimento futuro, que só bou o Seu tratamento com Israel,
pode ocorrer pelo poder sobrena- a quem o apóstolo se refere como
tural do Deus Todo- Poderoso. o “mistério”. O relacionamento en-
No capítulo 11 desta carta, tre Deus e Israel é um segredo que
Paulo se refere a Israel como um mais tarde será revelado. Quando
mistério (11.25). Todo o Velho Tes- isto ocorrer, tudo o que o apóstolo
tamento mostra que Israel ilustra fala, neste capítulo, será possível
o que Paulo chama de “eleição”. pelo poder do Deus Todo-Poderoso.
Os judeus são o povo escolhido de Paulo iniciou o capítulo, per-
Deus. Como um grande paradoxo, guntando: “Acaso Deus rejeitou o
Israel também é o melhor exemplo seu povo? De maneira nenhuma!
bíblico do “livre arbítrio”, porque não Eu mesmo sou israelita, descen-
quis ser o povo escolhido de Deus. dente de Abraão, da tribo de Ben-
O fato de ser uma nação e não jamim. Deus não rejeitou o seu
estar mais dispersa pelo mundo povo, o qual de antemão conhe-
é um cumprimento da pregação ceu” (11.1, 2).
de profetas do Velho Testamento Depois que um pastor, ju-
como Ezequiel, Zacarias e Isaías. deu-cristão, pregou sobre esse
Porém, o retorno espiritual de Is- tema, em um seminário, um dos
rael, que também foi profetizado, formandos lhe cumprimentou, di-
ainda não aconteceu. zendo: “O senhor é o primeiro ju-
Paulo faz a mesma pergunta deu cristão que eu já ouvi falar”.
duas vezes, neste capítulo: “Aca- O palestrante respondeu: “E você
so Deus rejeitou o seu povo?” nunca tinha ouvido falar dos doze
(11.1,11). Deus rejeitou Isra- apóstolos?”. Todos os doze apósto-
el, porque Israel rejeitou Seu Fi- los eram judeus e, quando lemos
lho, o Messias, que Ele enviou? A o Livro de Atos, vemos que, até o

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 125


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

capítulo 10, todos os crentes da pequena fração do que pode ser


Igreja eram judeus. conhecido. O crescimento espi-
A seguir, Paulo apresenta uma ritual é um processo que nos faz
ilustração do Velho Testamento, passar da ignorância inconscien-
acerca de um profeta, que pensava te para a ignorância consciente.
que Deus tinha abandonado a na- Nossa situação nunca é tão ruim
ção de Israel, e que ele era o único quanto parece, já que nunca te-
que não tinha adorado o deus Baal: mos conhecimento completo de
“Deus não rejeitou o seu povo, o tudo o que envolve nossos proble-
qual de antemão conheceu. Ou vo- mas. Se soubéssemos o que Deus
cês não sabem como Elias clamou sabe, ficaríamos encorajados e
a Deus contra Israel, conforme diz não pediríamos para morrer.
a Escritura? ‘Senhor, mataram os O tema da segunda parte do
teus profetas e derrubaram os teus capítulo 8 foi: “Deus no controle”.
altares; sou o único que sobrou, Ele sabe o que está fazendo e tem
e agora estão procurando matar- todo o poder que precisa para con-
me’. E qual foi a resposta divina? quistar nossa vitória espiritual. Po-
‘Reservei para mim sete mil ho- demos fazer com que tudo o que
mens que não dobraram os joelhos nos acontece, mesmo quando tudo
diante de Baal’” (11.2-4). é ruim, se encaixe de forma que
Quando servimos ao Senhor vai cumprir o plano de Deus para
em um lugar onde há poucos nós. Quando recuperamos a visão
crentes ou quase nenhum, é fácil do poder absoluto do nosso Deus
nos sentirmos como Elias, o único soberano, o desespero vai embora
crente que servia ao Senhor fiel- e não pedimos mais para morrer.
mente, sendo deixado para trás. Paulo também nos mostra a
Se soubéssemos o que Deus sabe, diferença entre graça e obra: “As-
perceberíamos que Ele tem milha- sim, hoje também há um rema-
res ou até mesmo milhões de ser- nescente escolhido pela graça. E,
vos fiéis no mundo. se é pela graça, já não é mais pe-
Elias cometeu muitos erros las obras; se fosse, a graça já não
que acabaram por levá-lo ao de- seria graça” (11.5,6). Entramos
sespero, pedindo a Deus para em desespero quando imagina-
morrer. O primeiro deles foi es- mos que a obra de Deus depende
quecer que sabemos apenas uma de quem e do que somos, do que

126 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

podemos ou não fazer. Nossa vi- seguintes, quando escreve que o


tória virá, quando recuperarmos a povo de Israel sofreu de uma ce-
perspectiva de que a obra de Deus gueira misteriosa: “Que dizer en-
depende de quem e do que Deus tão? Israel não conseguiu aquilo
é, e do que Ele pode ou não fazer que tanto buscava, mas os elei-
em nós e através de nós. tos o obtiveram. Os demais foram
O grande profeta Elias também endurecidos, como está escrito:
se esqueceu de que sua vida espiri- ‘Deus lhes deu um espírito de
tual está interligada à sua vida física atordoamento, olhos para não ve-
e mental. Ele estava negligencian- rem e ouvidos para não ouvirem,
do suas necessidades físicas, pois até o dia de hoje’” (11.:7-10).
estava exausto, sem comer e sem A cegueira espiritual sobre a
dormir havia muito tempo. Então, qual Paulo escreve ainda é evidente
Deus o fez cair num sono profundo, nos dias de hoje. Um dos sintomas
depois o despertou, alimentou-o, desta cegueira é a direção oposta
colocou-o para dormir de novo e à graça e à misericórdia de Deus,
o restaurou completamente para o apresentadas, consistentemente,
seu maravilhoso ministério (I Reis, na Palavra de Deus, do Gênesis ao
capítulos 17 ao 19). Apocalipse. O judeu ortodoxo era,
Paulo aplicou a Israel o que e ainda hoje é, determinado a con-
Deus disse a Elias sobre um rema- seguir a salvação pela obediência
nescente de judeus fiel ao plano de à Lei de Deus. Existe algo na natu-
Deus. Nos quase dois mil anos de reza humana que recusa confiar a
História da Igreja tem havido ju- salvação a Deus e a confessar que
deus que confiam em Jesus como somos impotentes para salvarmos
seu Messias, Salvador e Senhor, a nós mesmos.
apesar de não serem muitos. Eu Jesus nos orienta acerca da
mesmo tive a alegria de levar um importância dessa atitude de im-
amigo judeu à fé em Cristo. Estou potência nas bem-aventuranças,
no ministério desde 1953 e já vi quando ensinou o que, realmen-
muitas pessoas passarem a crer te, nos leva ao Reino dos Céus e
em Jesus Cristo; infelizmente, me- nos faz ser o sal da terra e a luz
nos de dez delas eram judias. do mundo: “Bem-aventurados os
Paulo apresenta uma expli- pobres em espírito” (Mateus 5.3).
cação para isso, nos versículos Ele prosseguiu com essa atitude

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 127


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

bem-aventurada: “Bem-aventura- a fazer a oração do publicano:


dos os que choram” (5.4). Pelo me- “Deus, tem misericórdia de mim,
nos uma aplicação desta segunda que sou pecador!” (Lucas 18.13).
bem-aventurança é que choramos Quando oramos desta manei-
enquanto aprendemos a confessar ra, aplicamos a primeira bem-a-
que somos pobres em espírito. venturança, que Jesus ensinou,
Outra dimensão da autojustiça para que sejamos sal da terra e luz
e da cegueira espiritual dos judeus do mundo: ser pobre em espírito.
estava na convicção de que, pelo Outra tradução para “pobre em
fato de cumprirem a Lei e fazerem espírito” é “quebrantado de espí-
o que era certo, ou seja, pratica- rito”. Neste contexto, Deus deseja
rem boas obras, Deus lhes devia usar as consequências adversas
a salvação. Paulo conclui a seção de nosso “eu”, para nos levar a
doutrinária desta carta, destacan- um quebrantamento, à confissão
do que nenhum homem pode dizer da nossa impotência e ao reco-
que já ofertou o suficiente a Deus, nhecimento de que não podemos
a ponto de Deus lhe dever alguma fazer nada para alcançar nossa
coisa (11.35). salvação.
A misericórdia é um atributo A cegueira espiritual do judeu
de Deus que impede que receba- o manteve negando a necessida-
mos o que merecemos. Paulo fa- de que ele tem da misericórdia e
lou sobre isto nos quatro primeiros da graça de Deus, o que dificulta
capítulos desta carta ao afirmar a sua salvação. Existem milhões
que não merecemos nada a não de pessoas neste mundo que são
ser a ira de Deus, a qual é reser- como os judeus, determinadas a
vada para nossa injustiça. Tudo o buscar a salvação por si mesmas,
que for contrário à ira de Deus e à por meio de obras. Essas pessoas
condenação é resultado da miseri- estão convencidas de que podem
córdia de Deus. conseguir a salvação e colocam
A graça de Deus é o atribu- todo o seu empenho para ganhar
to divino que derrama sobre nós a graça de Deus.
as bênçãos da salvação que não Quando Paulo fez, pela se-
merecemos. Deus faz a parte dEle gunda vez, a pergunta com a qual
na nossa salvação, ao usar todos iniciou este capítulo, ele o fez de
os meios possíveis, para nos levar outra maneira: “Acaso tropeçaram

128 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

para que ficassem caídos? De que são justificados pela fé e equi-


maneira nenhuma!” (11.11). Ao pados pela graça de Deus, para vi-
responder esta pergunta, ele che- verem uma vida que O glorifique?
ga ao coração da mensagem deste Devemos ter um relacionamento
capítulo e dos dois anteriores. Na vital com Deus, através de Cristo,
segunda metade do capítulo 11, a fim de que os judeus percebam
Paulo apresenta cinco razões por o amor, a alegria e a paz que fluem
que Israel, como uma nação, um dessa união, a ponto de dizerem:
dia será novamente um povo te- “O que esses gentios estão experi-
mente a Deus e tomará a sua po- mentando Deus planejou para nós,
sição de povo escolhido. judeus, o Seu povo escolhido”.
Sua primeira razão para crer Quantos de nós, discípulos do
na restauração espiritual de Israel é Senhor Jesus Cristo, temos este
que a salvação dos gentios sempre tipo de relacionamento com Deus,
foi o objetivo de Deus, para chegar que provoca ciúme nos judeus ou
à salvação de Israel: “por causa da em qualquer outra pessoa? Infeliz-
transgressão deles, veio salvação mente, as igrejas dão poucos moti-
para os gentios, para provocar ci- vos para que judeus ou incrédulos
úme em Israel” (11.11). tenham qualquer ciúme ou dese-
Se você está familiarizado jem ter o que temos ou ser o que
com o Livro de Atos, sabe que somos. Na verdade, existe muita
Paulo, ao entrar em uma cidade, coisa em nossas igrejas que pro-
sempre procurava antes os judeus. vocam até uma reação contrária.
Quando estes rejeitavam sua pre- O nosso testemunho para judeus
gação, às vezes perseguindo-o e, ou para todos os que nos obser-
em outras, incitando manifesta- vam deve ser guiado pela seguinte
ções contra ele, dirigia-se aos gen- pergunta: eles querem ter o que
tios e lhes pregava a mensagem temos e ser o que somos?
do Evangelho, o que provocava A segunda razão para crer na
o ciúme dos judeus, exatamente restauração espiritual do judeu é
como Moisés profetizou, enquanto que o mundo inteiro será abenço-
Paulo esperava que o ciúme deles ado, quando isto acontecer: “Mas,
resultasse em sua salvação. se a transgressão deles significa
Você entende agora como es- riqueza para o mundo, e o seu
sas palavras desafiam os gentios, fracasso, riqueza para os gentios,

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 129


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

quanto mais significará a sua ple- de Jesus Cristo, porque os judeus


nitude! Estou falando a vocês, gen- rejeitaram Cristo. O que Paulo es-
tios. Visto que sou apóstolo para os creveu aqui foi que essa rejeição
gentios, exalto o meu ministério, levou aquelas nações a ouvirem o
na esperança de que de alguma Evangelho de Jesus Cristo. Imagi-
forma possa provocar ciúme em nem, então, como o mundo será
meu próprio povo e salvar alguns abençoado, quando os judeus
deles. Pois, se a rejeição deles é crerem no Evangelho e escolhe-
a reconciliação do mundo, o que rem tornar-se o povo escolhido de
será a sua aceitação, senão vida Deus. Este é o maravilhoso mila-
dentre os mortos?” (11.12-15). gre proclamado por Moisés, Isaías,
O ministério que patrocina Davi e pelo apóstolo Paulo, neste
nossos estudos bíblicos é chamado magnífico capítulo da Bíblia.
de “Ministério Cooperativo Inter- Paulo usa duas metáforas
nacional”. Nosso fundador e pre- muito profundas para apresentar
sidente participou do Congresso a terceira razão da crença na res-
Internacional para a Evangelização tauração espiritual de Israel: “Se é
do Mundo em Lausane, na Suíça, santa a parte da massa que é ofe-
alguns anos atrás. Ele ficou muito recida como primeiros frutos, toda
impressionado ao ver as bandeiras a massa também o é; se a raiz é
de todos as nações livres da ter- santa, os ramos também o serão”
ra que já foram impactadas pelo (11.16). Apenas um judeu devoto
Evangelho de Jesus Cristo. entenderia estas metáforas e, por
Toda nação onde o Evange- esta razão, esta carta é de difícil
lho é proclamado livremente é entendimento para nós, gentios.
uma nação livre. A sua visão para A primeira metáfora tem a ver
impactar todas as nações com a com a adoração que Deus ordenou
Palavra de Deus nasceu neste con- no Tabernáculo no Deserto, prin-
gresso. Nossa declaração de fé é a cipalmente a oferta do primeiro
declaração doutrinária que foi fei- fruto. Para apresentar a oferta ao
ta por aqueles representantes das Senhor era preparada uma grande
nações livres, que participaram quantidade de massa. Um sacer-
daquele congresso. dote separava uma pequena por-
Isso implica que todas aque- ção dessa massa e a oferecia ao
las nações ouviram o Evangelho Senhor como a oferta do primeiro

130 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

fruto. Esta metáfora ensina que, participa da seiva que vem da


se a porção separada fosse santa, raiz da oliveira cultivada, não se
todo o resto também o seria. glorie contra esses ramos. Se o fi-
A aplicação desta metáfora é zer, saiba que não é você quem
que o primeiro fruto representa- sustenta a raiz, mas a raiz a você.
va os patriarcas Abraão, Isaque e Então, você dirá: ‘Os ramos foram
Jacó, que eram santos. Se Abraão, cortados, para que eu fosse en-
Isaque e Jacó eram santos, e eles xertado’. Está certo. Eles, porém,
eram o primeiro fruto, ou seja, foram cortados devido à incredu-
os pais do povo escolhido, então lidade e você permanece pela fé.
este, como uma nação, também Não se orgulhe, mas tema. Pois,
seria santo. se Deus não poupou os ramos
A segunda metáfora, que leva naturais, também não poupará
Paulo à quarta razão para crer na você” (11.17-21).
restauração espiritual de Israel, re- Os gentios redimidos são en-
laciona-se às raízes e aos ramos. xertados nos ramos, mas os filhos
Quando um judeu se torna cristão, naturais de Abraão são as raízes
não troca sua herança espiritual, que suportam esses ramos. Paulo
mas se torna um judeu completo. acreditava, plenamente, que Moi-
Entretanto, quando um gentio se sés, Isaías e Davi tinham previsto
torna um cristão, ele se torna um a restauração espiritual de Israel.
judeu espiritual. Os judeus são a É inconcebível para Paulo que es-
raiz que sustenta os ramos da oli- sas raízes, que suportam os ramos
veira brava (os gentios), enquanto bravos enxertados da oliveira, não
que os gentios são apenas enxer- sejam restauradas um dia. Esta é
tados na oliveira (os judeus). Con- a quarta razão para crer na restau-
cluindo, os judeus são os ramos ração espiritual de Israel.
naturais da oliveira, representada Às vezes, a Bíblia é menciona-
pelo povo, originalmente, escolhi- da como “A Revelação Hebraico-
do de Deus. Cristã de Deus”, assim como a “Re-
Paulo estava se dirigindo aos velação Hebraica” e, depois, como
gentios, quando escreveu: “Se a “Revelação Cristã”, referindo-se
alguns ramos foram cortados e ao Velho e ao Novo Testamento.
você, sendo oliveira brava, foi en- É importante saber que os
xertado entre os outros, e agora cinco primeiros livros do Velho

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 131


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Testamento, ou Livros da Lei, são ansioso por realizar aquela celebra-


a base que precisamos para en- ção com eles, pois Ele não a iria
tender os Evangelhos, a vida e celebrar outra vez até que ela fosse
os ensinos de Jesus Cristo. Nesta cumprida no Reino de Deus (Lucas
carta, Paulo ensina que a morte 22.15,16). Logo depois de profe-
de Cristo, na cruz, foi e é a base rir aquelas palavras, Jesus se fez o
sobre a qual nossos pecados são Cordeiro Pascal, morrendo na cruz.
perdoados e, através dela, somos Do começo ao fim desta car-
declarados justos. ta, Paulo apresenta aos romanos
Quando lemos a apresenta- dois conceitos: “A Lei” e “O Cum-
ção que João Batista fez de Je- primento da Lei”. De acordo com
sus, como o Cordeiro de Deus, ou Paulo, a Lei de Deus dada por
o ensino dos apóstolos em suas Moisés é cumprida através de Je-
cartas inspiradas, como nesta de sus Cristo, na cruz.
Paulo, de que somos justificados Quando dizemos que cremos
pela fé no que Jesus fez por nós, que Jesus morreu na cruz por nos-
na cruz, devemos entender que a sos pecados, podemos, como base
melhor argumentação para este para nossa afirmação, usar as pa-
ensino está nos Livros da Lei, Êxo- lavras de Jesus, por ocasião da
do e Levítico (João 1.29). Neles, Última Páscoa, a respeito da Sua
lemos sobre o sangue do Cordeiro morte, na cruz.
Pascal oferecido como expiação, o A quinta razão por que Paulo
qual protegeu as famílias hebreias acredita na restauração espiritual
da ira de Deus. Quando o Anjo de de Israel é encontrada nos seguin-
Jeová viu o sangue do cordeiro, tes versículos: “Portanto, conside-
passou direto por aquelas famílias re a bondade e a severidade de
(Êxodo 12). Deus: severidade para com aque-
Umas das últimas declarações les que caíram, mas bondade
de Jesus antes de ser preso e cru- para com você, desde que perma-
cificado foi feita durante a Última neça na bondade dele. De outra
Ceia, enquanto Ele celebrava Sua forma, você também será corta-
última Páscoa com os apóstolos. do. E quanto a eles, se não con-
Ele começou aquela Páscoa, dizen- tinuarem na incredulidade, serão
do para aqueles homens a quem enxertados, pois Deus é capaz
Ele tanto amava que Ele estava de enxertá-los outra vez. Afinal

132 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de contas, se você foi cortado de Estamos considerando dois po-


uma oliveira brava por natureza vos diferentes, hebraico e cristão,
e, de maneira antinatural, foi en- que têm tido um relacionamento
xertado numa oliveira cultivada, conflitante há quase dois mil anos.
quanto mais serão enxertados os Na maioria das culturas, mesmo
ramos naturais em sua própria os parentes que não têm muito em
oliveira?” (11.22-24). comum, e quase não se vêem du-
Para compreendermos a pri- rante o ano, quando se encontram
meira razão de Paulo acerca da conversam e até participam de al-
convicção de que Israel, um dia, guma celebração. A Igreja de Jesus
será restaurado espiritualmente, Cristo e a nação judaica são como
precisamos entender como pensa- parentes que se encontram ocasio-
va um judeu instruído de acordo nalmente, mas acham difícil, em-
com o Velho Testamento. baraçoso e, às vezes, até impossí-
Paulo, neste texto, escreveu vel ter um relacionamento tranquilo
sobre “ser enxertado numa oli- um com o outro.
veira cultivada de maneira anti- Devemos entender que isso é
natural”. Através desta metáfora, mais que uma convicção ou uma
Paulo está dizendo aos gentios: mera profecia do apóstolo Paulo.
“Vocês, gentios, foram cortados Lembre-se que ele tinha como
de uma oliveira brava e, como tal, base para a sua esperança com re-
foram enxertados em uma oliveira lação à Israel, a quem tanto ama-
cultivada; desta forma, vocês só va, as profecias de Moisés, Isaías e
podem produzir frutos mirrados, Davi. Ele poderia ter citado outros
azedos e que não servem para profetas, principalmente Zacarias
nada. No entanto, “de maneira an- (8.20-23; 13.6), que, depois de
tinatural”, vocês estão produzindo Isaías, foi o que mais profetizou
frutos do Espírito Santo! Se Deus sobre o Messias.
fizer uma criação nova a partir de A última razão para Paulo crer
vocês, ramos de uma oliveira bra- na restauração espiritual de Israel
va, Ele pode produzir frutos sobre- tem uma aplicação no passado,
naturais do ramo natural, quando no presente e no futuro. Ao lermos
eles crerem e forem enxertados de que Deus pode enxertar de volta
volta em sua oliveira de origem, na oliveira os judeus que crêem,
como filhos naturais de Abraão”. não podemos nos esquecer que

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 133


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

os primeiros membros da Igreja Concílio da Igreja (Atos 15.1-29).


de Jesus Cristo eram judeus, o Nesse Concílio, ficou decidido que
que podemos constatar, quando os gentios que se tornavam dis-
lemos, no Livro de Atos, que três cípulos de Jesus não tinham que
mil pessoas se converteram no Dia viver como judeus, pelo fato de o
de Pentecostes, e que, nos dias e Senhor e Salvador deles, o Mes-
semanas que se seguiram, outros sias, ser um judeu. É interessante
milhares se converteram. observar o que Paulo escreveu aos
Como já comentamos, hoje Gálatas: “os verdadeiros seguido-
achamos inusitado um judeu con- res de Cristo, que têm fé autêntica
fessar Jesus como seu Messias, nEle, são judeus espirituais ou fi-
Salvador e Senhor, mas precisa- lhos autênticos de Abraão, porque
mos ter em mente que não é im- têm a mesma fé que Abraão teve”
possível um judeu se converter a (Gálatas 3.29).
Jesus Cristo. No capítulo 10 de Quando um judeu se tornava
Atos, nós lemos que o Senhor pre- discípulo de Jesus não tinha que
cisou dar a Pedro uma revelação abdicar da sua identidade de ju-
sobrenatural, repetindo-a três ve- deu nem das práticas como, por
zes, para convencê-lo de que os exemplo, as leis referentes à ali-
gentios poderiam ser justificados mentação. Enquanto os crentes
pela fé e nascerem de novo. gentios são considerados judeus
Até o capítulo 10 de Atos, to- espirituais, os judeus messiânicos
dos os crentes mencionados eram são considerados judeus comple-
judeus. Na primeira geração da tos. Esses capítulos maravilhosos
Igreja, judeus e gentios eram dis- registram esta revelação profética
cípulos verdadeiros de Jesus Cris- que Deus deu a esse apóstolo.
to e trabalhavam em unidade. Em O capítulo 11, que continuare-
algumas igrejas, como a de An- mos a enfocar, a seguir, retrata a
tioquia, eles viviam, literalmente, nação de Israel como um paradoxo
juntos e compartilhavam as refei- e uma curiosidade bíblica, teoló-
ções (Gálatas 2.11,12). Os judeus gica, política e internacional. Este
observavam todas as restrições ali- capítulo e todas as suas referências
mentares contidas na Lei de Moi- ao valor dos ramos de oliveira natu-
sés e os gentios cristãos não; por rais, aos enxertados, aos discípulos
essa razão, foi formado o primeiro não judeus (gentios) e à profecia da

134 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

restauração espiritual dos judeus,


e um paradoxo da Bíblia. É uma
tudo isso representa um desafio ironia pensar que, mesmo tendo
muito grande para nossa fé. persistido na busca pela sua pró-
Tenho uma filha que viveu du-
pria justiça, os filhos naturais de
rante cinco anos na região de Gaza,
Abraão não encontraram Deus,
na Palestina, trabalhando com a pois creram, e ainda crêem, que
organização “World Vision Jerusa-podem encontrá-Lo por meio dos
lém”, que visava levar alento para
seus próprios esforços, sua religio-
o povo palestino oprimido, cuja ex-
sidade e sua justiça própria.
periência deu à minha filha e a nós, Até agora Paulo usou as Escri-
seus pais, uma visão da maneira turas e a sua lógica para apresen-
como os militares israelitas tratam
tar cinco razões porque ele acre-
o povo palestino. Devemos confes-ditava na restauração espiritual
sar que é um desafio para nossa de Israel. Ele continua usando as
fé ver a nação moderna de Israel,Escrituras, mas, desta vez, descre-
através da revelação profética devendo como este milagre ou misté-
Paulo e de outros profetas. Pode-rio vai acontecer. Tudo o que Paulo
mos dizer, com certeza, que toda a
escreveu nos capítulos 9, 10 e nos
profecia ainda não foi cumprida eprimeiros vinte e quatro versículos
que estamos ansiosos pelo retornodo capítulo 11 é uma preparação
espiritual do povo judeu. para o que ele vai compartilhar em
De acordo com Paulo, é evi- seguida: “Irmãos, não quero que
dente que, com exceção dos ju- ignorem este mistério, para que
deus messiânicos, os judeus de não se tornem presunçosos: Israel
hoje não são o povo escolhido de experimentou um endurecimento
Deus. Eles são os ramos cortados em parte, até que chegue a pleni-
(11.17,21); mas, pela fé, cremos tude dos gentios. Assim, todo o Is-
que Deus cumprirá Sua Palavra rael será salvo, como está escrito:
em relação a Israel, no tempo dEle
‘Virá de Sião o redentor que des-
e da maneira dEle. viará de Jacó a impiedade. Esta é
a minha aliança com eles, quan-
Uma grande ironia da Bíblia do eu remover os seus pecados’.
Nos versículos que acabamos Quanto ao evangelho, eles são
de comentar, Paulo mostra que inimigos por causa de vocês; mas
Israel é uma das maiores ironias quanto à eleição, são amados por

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 135


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

causa dos patriarcas, pois os dons sobre a misericórdia de Deus, a


e o chamado de Deus são irrevo- qual impede que recebamos o que
gáveis” (11.25-29). nós merecemos por nossos peca-
No primeiro versículo desta dos. Poderíamos pensar que eles
passagem maravilhosa das Escri- estariam prontos e até ansiosos
turas, Paulo se refere à maneira para ouvirem como Deus gosta-
como Israel rejeita o Evangelho ria de derramar a Sua graça sobre
como um mistério. Conforme já eles e lhes dar o poder para serem
comentamos, na Bíblia, a palavra novas criaturas em Cristo, operan-
“mistério” refere-se a um mila- do neles o que não podem fazer
gre que acontecerá pelo poder do por seus próprios méritos.
Deus Todo-Poderoso. Um milagre Paulo encontrou sua vitória
ou mistério da Bíblia não acontece através de Cristo, mas, para con-
pelos meios naturais. Além disso, duzir sua vida e trabalhar esta vi-
o homem não vê o que Deus está tória em sua jornada de fé, Deus
fazendo por trás do pano, para que teve que intervir sobrenaturalmen-
o milagre aconteça. É um aconte- te em sua vida, levando-o para o
cimento sobrenatural e nós só po- deserto da Arábia por, pelo menos,
deremos entender como Deus o três anos, a fim de prepará-lo para
efetua, se nos for revelado. comunicar o que ele escreveu nes-
A primeira dimensão deste ta carta Gálatas 1.11-18).
mistério é a resistência dos judeus A necessidade dessa inter-
ao Evangelho. Se você alguma vez venção e os seus resultados estão
já tentou falar do Evangelho para bem claros nos capítulos 7 e 8,
um judeu deve ter percebido essa quando vemos sua transparência
resistência. Deus, de maneira so- e honestidade ao contar sua luta
brenatural, permitiu uma cegueira com o pecado e justiça própria. Os
espiritual em Israel, e esta misterio- judeus por quem Paulo tanto se
sa obra de Deus é a causa dessa re- incomodava não tinham usufruí-
sistência coletiva dos judeus, quan- do os benefícios que ele recebeu,
do o Evangelho lhes é apresentado. quando se encontrou com Cristo e
Poderíamos achar que, depois foi por Ele ensinado.
de tantos séculos buscando a sal- Apesar de Paulo acreditar pia-
vação por eles mesmos, os judeus mente que o despertamento es-
já estariam prontos para ouvirem piritual de Israel aconteceria, ele

136 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

também enfatizou a cegueira sobre desse terrível acontecimento. Eles


eles, da parte de Deus, fazendo es- jamais adoraram a Deus nem tive-
tas observações: Primeiro, ele ob- ram o tipo de liturgia que tinham
servou que ela, em parte, perma- praticado, durante toda sua histó-
necerá até que chegue a “plenitude ria, depois desse acontecimento e
dos gentios”. Paulo quis dizer o que de serem dispersos por todas as
eu já observei algumas vezes: nem nações do mundo. Ao se referir à
todos os judeus experimentaram ou plenitude dos judeus, Paulo esta-
experimentarão essa cegueira. va falando da plenitude espiritual
Sua segunda observação é que deles. A mesma palavra foi usada
a cegueira será por um tempo limi- para falar dos gentios, cuja pleni-
tado. Mantendo a coerência com a tude marcará o fim do período de
profecia da restauração espiritual cegueira espiritual dos judeus.
dos judeus, ele escreveu que essa Tudo isso é ao mesmo tempo
cegueira e a resistência dos judeus empolgante e desafiador. A essên-
ao Evangelho não vão durar para cia dessa profecia é a afirmação
sempre. Apesar de estar persis- de que, quando a Igreja gentílica
tindo por quase dois mil anos, ao de Jesus Cristo viver a plenitude
prever a cegueira “até que chegue espiritual, os judeus se sentirão
a plenitude dos gentios” (11.25), enciumados e exclamarão: “So-
ele não se referiu a um número es- mos nós que deveríamos estar
pecífico de gentios convertidos. A vivendo isso!”. Infelizmente, são
palavra “plenitude” também é usa- ainda muito poucos os registros de
da no versículo 12 deste capítulo: que a plenitude espiritual da Igreja
“Mas se a transgressão deles sig- de Jesus Cristo tenha provocado
nifica riqueza para o mundo, e o ciúme nos judeus. A História da
seu fracasso, riqueza para os gen- Igreja é repleta de exemplos exa-
tios, quanto mais significará a sua tamente contrários a esse milagre.
plenitude!”. Desta vez, Paulo falou Durante os terríveis anos das Cru-
da “plenitude dos judeus”. Essa zadas feitas em nome de Cristo,
“transgressão” e “fraqueza” se refe- os cristãos fiéis eram brutalmente
rem à destruição de Jerusalém pelo perseguidos e dizimados.
exército romano, no ano 70 d.C. Essa esplêndida profecia de
Toda a liturgia de adoração judaica Paulo e dos profetas do Velho Tes-
mudou profundamente por causa tamento possui duas dimensões: a

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 137


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

plenitude da Igreja e a restauração nem da boca dos seus filhos e dos


espiritual de Israel. De acordo com descendentes deles, desde agora e
essa profecia, a plenitude dos ju- para sempre, diz o Senhor” (Isa-
deus virá depois do poderoso rea- ías 59.20,21). “Esta é a aliança
vivamento da Igreja. que farei com a comunidade de
Estamos começando a ver al- Israel, depois daqueles dias, de-
guns sinais das duas dimensões clara o Senhor: Porei a minha lei
dessa profecia. A maravilhosa ex- no íntimo deles e a escreverei em
periência de levar a Cristo um casal seus corações. Serei o Deus deles
de judeus envolveu dois anos de e eles serão o meu povo. Ninguém
amizade e um grupo de vinte casais mais ensinará ao seu próximo nem
que se juntaram a mim e à minha ao seu irmão, dizendo: ‘Conheça
esposa neste trabalho. Ele iniciou ao Senhor’, porque todos eles me
uma sinagoga messiânica e pode conhecerão, desde o menor até
levar muitos outros judeus ao Mes- o maior, diz o Senhor. Porque eu
sias, o Cristo, Salvador e Senhor. lhes perdoarei a maldade e não
Este casal judeu se converteu me lembrarei mais dos seus peca-
porque teve ciúme da realidade dos” (Jeremias 31.33,34).
espiritual, da presença de Deus na Existem dois fatos a respeito
vida daqueles discípulos fiéis de Je- dos judeus que Paulo quer que nos
sus. Entretanto, estou convencido lembremos: Deus os ama e ainda
de que Paulo e os profetas do Velho não terminou a obra que está fa-
Testamento não se referiam apenas zendo neles, e quanto ao chamado
a um pequeno grupo de judeus se e os dons de Deus, que são irre-
convertendo a Cristo, mas à volta vogáveis. Mais de uma vez, Pau-
de Israel, como nação, a Deus. lo nos desafiou, perguntando se
Isaías e Jeremias profetizaram: Deus falhou ou se abandonou o
“O Redentor virá a Sião, aos que Seu povo. Ele mesmo responde e,
em Jacó se arrependerem dos seus nesses três capítulos, sua respos-
pecados, declara o Senhor. Quan- ta é um enfático “NÃO!”. Ele quer
to a mim, esta é a minha aliança que a Igreja dos gentios saiba que
com eles (Israel), diz o Senhor. O “Quanto ao evangelho, eles são
meu Espírito que está em você e inimigos por causa de vocês; mas,
as minhas palavras que pus em quanto à eleição, são amados por
sua boca não se afastarão dela, causa dos patriarcas” (11.28).

138 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Em outras palavras, hoje eles po- possível sondar, compreender


dem ser inimigos do Evangelho, ou questionar os julgamentos de
mas Deus os ama e ainda não ter- Deus? Existe alguém qualificado
minou Sua obra com eles. para ser o conselheiro de Deus?
Nos versículos 31 e 32, Pau- Deus deve algo a alguém? Existe
lo escreveu sobre a estratégia de algum ser humano que tenha fei-
provocar ciúme em Israel, mar- to tanta coisa para Deus, que Ele
cando todas as nações para Cris- ficou em débito com essa pessoa?
to: “assim também agora eles se As respostas a essas pergun-
tornaram desobedientes, a fim tas são tão óbvias que chegam a
de que também recebam agora ser desnecessárias; porém, depois
misericórdia, graças à misericór- de enfocarmos as questões que
dia de Deus para com vocês. Pois foram tratadas nos três últimos
Deus colocou todos sob a desobe- capítulos, elas até são oportunas.
diência, para exercer misericórdia Deus sabe todas as coisas e tem
para com todos”. plena sabedoria para aplicar o
Paulo, então, concluiu esses que sabe; por essa razão, Deus,
capítulos com uma bênção sobre certamente, sabe o que fazer com
tudo o que tinha escrito nesta car- relação a tudo. Deus é a fonte de
ta, principalmente no que se refere toda a sabedoria e as Suas ações
a Israel com as palavras do profeta são manifestações do Seu conhe-
Isaías: “Ó profundidade da rique- cimento; portanto, questionar as
za da sabedoria e do conhecimen- ações de Deus é inconcebível.
to de Deus! Quão insondáveis são Deus não é devedor de coisa algu-
os seus juízos e inescrutáveis os ma a ninguém!
seus caminhos! Quem conheceu Essa bênção deveria se tornar
a mente do Senhor? Ou quem foi a declaração de propósito de vida
seu conselheiro? Quem primeiro de todos nós, quando determina-
lhe deu, para que ele o recom- mos como vamos usar o tempo,
pense? Pois dele, por ele e para a energia, os dons e todos os re-
ele são todas as coisas. A ele seja cursos que recebemos da parte de
a glória para sempre. Amém!” Deus, já que fomos constituídos
(11.33-36; Isaías 40.13,14). Seus mordomos. Devemos tomar
Alguém pode dizer o que a decisão de nos envolvermos
se passa na mente de Deus? É apenas em projetos, missões e

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 139


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

trabalhos dos quais Deus é a fon- para que sejam capazes de expe-
te, porque a vida é muito curta e rimentar e comprovar a boa, agra-
preciosa para ser gasta em proje- dável e perfeita vontade de Deus”
tos e trabalhos, cujos propósitos (12.1,2).
não sejam a glória de Deus. Quando Paulo termina a seção
Já comentei várias vezes que doutrinária, ele inicia a seção prá-
devemos ignorar a divisão de ver- tica, no capítulo 12, e o seu “por-
sículos e capítulos desta carta, tanto” é seguido de um forte apelo
pois não foi com essa divisão que àqueles que compreenderam o seu
Paulo a escreveu. A divisão em ensino, para que se entreguem ple-
versículos e capítulos apareceu só na e incondicionalmente à boa, per-
no século XIII e, muitas vezes, ela feita e agradável vontade de Deus.
quebra a linha de pensamento e Essa rendição incondicional é
a lógica do autor, principalmente a única aplicação para tudo o que
nesta carta. Isto é mais acentua- ele escreveu, desde o primeiro ca-
do, quando lemos a conclusão de pítulo, e a única que pode ser acei-
Paulo no capítulo 11 e início do tável para Deus, pois se trata de
capítulo 12, onde ele inicia o pa- uma adoração dos que crêem em
rágrafo com a palavra “portanto”. seus corações e confessam com
De todo o Novo Testamento, este seus lábios que Jesus é Senhor.
talvez seja o ponto em que tenha Podemos resumir, parafrasean-
havido maior prejuízo para acom- do o que Paulo ensinou, com estas
panhamento da lógica do apósto- palavras: “Se Jesus Cristo significa
lo, por causa desta divisão. alguma coisa para você, então Ele
A bênção maravilhosa que significa tudo para você; se Jesus
Paulo utilizou do texto de Isaías Cristo é tudo para você, então Ele
deveria ter sido imediatamente se- não é apenas alguma coisa. Se
guida destes versículos: “Portanto, você crê em tudo o que escrevi nes-
irmãos, rogo-lhes pelas misericór- ta carta, então se entregue incondi-
dias de Deus que se ofereçam em cionalmente a Cristo e faça a Ele a
sacrifício vivo, santo e agradável mesma pergunta que fiz, no início
a Deus; este é o culto racional de da minha jornada de fé: ‘Que devo
vocês. Não se amoldem ao padrão fazer, Senhor?’” (Atos 22.10).
deste mundo, mas transformem- Existem milhões de pesso-
se pela renovação da sua mente, as que já creram e confessaram

140 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Jesus como Senhor e Salvador Testamento, os animais estavam


de suas vidas, mas alguns crêem mortos, quando eram oferecidos a
que podem confessar que “Jesus Deus. O conceito de um sacrifício
é Senhor” só mais tarde. Lendo os vivo desafiou os leitores de Pau-
Evangelhos e as cartas dos após- lo a não só morrerem por Cristo,
tolos com a mente aberta, concluí- se preciso for, mas a viverem por
mos que devemos primeiro confes- Ele e para Ele, o dia todo, todos
sar que Jesus é Senhor e, depois, os dias. Este sacrifício é descrito
crer nEle como Salvador. Muitos como “vivo, santo e agradável a
querem um Salvador, mas não Deus”. Qualquer coisa menos que
querem se entregar totalmente a isso não é aceitável para Deus.
um Senhor. Precisamos determinar que
Também somos instruídos a não nos conformaremos com os
aceitar Jesus como nosso Salva- valores e a moral do mundo em
dor. As cartas dos apóstolos ensi- que vivemos: “Não se amoldem ao
nam que Deus deu Seu Filho para padrão deste mundo”. Além desta
que O aceitemos em amor (Efésios exortação, Paulo acrescenta: “mas
1.5,6). Aqueles que simplesmente transformem-se” (12.2). A exor-
“crêem em Jesus como Salvador” tação não é para nos transformar-
precisam examinar, cuidadosamen- mos por nós mesmos. As Escritu-
te, a exortação com a qual Paulo ras não falam nada sobre fazer as
inicia a nova seção desta carta. mudanças que Paulo está suge-
O importante é que haja um rindo aqui. O profeta Jeremias até
momento que marque nossa rendi- ironizou o povo de Deus por tentar
ção incondicional ao nosso Senhor se transformar. Ele fez a pergunta:
Jesus Cristo. Devemos confiar em “Será que o etíope pode mudar a
Jesus como Salvador e Senhor das sua pele? Ou o leopardo as suas
nossas vidas e estarmos prontos a pintas? Assim também vocês são
morrer para nós mesmos e vivermos incapazes de fazer o bem, vocês,
para Ele como um “sacrifício vivo”. que estão acostumados a praticar
Paulo foi específico ao citar o mal” (Jeremias 13.23).
“nossos corpos” e ao referir-se Profetas e apóstolos instruí-
à rendição deles a Deus como ram o povo de Deus a atender cer-
um sacrifício vivo. No cerimo- tas condições que permitem que
nial judaico de sacrifício do Velho Deus o transforme. Jesus falou

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 141


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

para o rabino Nicodemos que de- como Senhor de sua vida? Você já
vemos nascer de novo (João 3.3- confessou Jesus Cristo como seu
5). O nascimento espiritual, assim Salvador? Você já se entregou, in-
como o nascimento físico, é uma condicionalmente, a Ele e Lhe per-
experiência passiva para quem guntou “Que devo fazer, Senhor?”.
nasce. Quando somos “nascidos Você pode fazer isso em sua casa
de Deus”, esta experiência é uma ou em qualquer lugar.
obra de Deus (João 1.12,13; II Se você já assumiu esse com-
Coríntios 3.18; 5.17,18). Não po- promisso de fé, responda estas per-
demos produzir em nós mesmos guntas: Você é um “sacrifício vivo”?
as mudanças que ocorrem na vida Você está disposto a compartilhar
daqueles que já nasceram de novo. o Evangelho com outras pessoas,
Concluindo, quero lhe fazer a fim de que elas também sejam
algumas perguntas: Você tem libertas, espiritualmente, das ca-
um dia que marca a sua entrega deias do pecado e experimentem a
a Jesus? Você já confessou Jesus graça maravilhosa de Deus?

142 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 15
E Agora? (Romanos 12.1-21)

Todas as cartas de Paulo po- incondicional a Deus. Isto só é ra-


dem ser divididas em duas partes: cional quando entendemos que a
uma parte é ensino e a outra é a perfeição do conhecimento e da
aplicação do que foi ensinado. A sabedoria de Deus está expressa
Carta aos Efésios possui três capí- em tudo o que Paulo escreveu nes-
tulos de ensino e três de aplicação. ta carta.
Nesta carta, os onze primeiros ca- Os dois primeiros versículos
pítulos são de ensino e os cinco do capítulo 12 também podem ser
últimos de aplicação. No capítulo considerados como uma prescri-
16, encontramos cumprimentos ção para descobrir a vontade de
muitas vezes ignorados pelos lei- Deus para nossa vida e colocá-la
tores; entretanto, vamos ver que em prática. A Bíblia registra per-
esse capítulo também se encaixa guntas muito significativas (Gêne-
na aplicação da carta. Paulo sa- sis 27.32-34; João 1.22): “Quem
bia que a verdade sem aplicação é você?”. A implicação desta per-
é inútil, e agora começa a mostrar gunta é que fomos feitos para ser-
como viver essas verdades profun- mos alguém. A primeira coisa que
das no dia-a-dia. Deus perguntou para o homem,
A convocação de Paulo, sub- depois da queda foi: “Onde está
sequente à bênção, exige o “culto você?”; a segunda foi: “Quem lhe
racional” de alguém que se ofe- disse?”. O que podemos entender
receu de maneira incondicional a com estas perguntas é que fomos
Deus. As palavras que precedem feitos com um propósito específi-
esse chamado afirmam que Deus co. Estamos sempre em algum lu-
é a fonte de todas as coisas, o gar relacionado a esta identidade
poder que está por trás de tudo e pessoal e, se ficarmos atentos, ou-
que a glória de Deus é o propó- viremos Deus nos dizer onde de-
sito de todas as coisas. Nos dois vemos estar. Paulo mostra como é
primeiros versículos de aplicação, estar no lugar para o qual fomos
Paulo chama todos a uma entrega feitos, assim como podemos ser o

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 143


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que Deus planejou que sejamos. vida como “santo”, ou seja, “per-
Ele faz isso ao ensinar os passos tencente a Deus”, e nós, como
que nos levam a experimentar a propriedade exclusiva dEle, deve-
boa, agradável e perfeita vontade mos estar disponíveis para sermos
de Deus para nossas vidas. usados por Ele todo tempo, em
A pergunta que um pastor qualquer lugar, da maneira que
mais ouve é: “Pastor, como posso Ele quiser. Quando somos santos,
descobrir a vontade de Deus para quando nos rendemos incondicio-
minha vida?”. O maior obstáculo nalmente a Deus e vivemos como
para conhecermos a vontade de sacrifícios vivos para Cristo, esta-
Deus para nós é a nossa própria mos vivendo o único tipo de vida
vontade. É por isso que o primeiro aceitável a Deus.
passo dessa prescrição para des- Como vimos no capítulo 5, se
cobrir e fazer a vontade de Deus é para Deus custou a vida do Seu Fi-
o despojamento de nossa vontade, lho, para que fôssemos declarados
a fim de que sejamos um sacrifício justos, devemos encontrar, pela fé,
vivo para Deus, como seguidores o acesso à graça, que nos possi-
do Senhor Jesus Cristo. bilita vivermos de maneira reta e
No Velho Testamento, havia justa. Dentro dessa mesma lógica,
a prática do sacrifício de animais, Paulo nos chama para uma ado-
para que o povo de Deus fosse re- ração racional, de rendição incon-
dimido dos seus pecados. Todos dicional a Deus, oferecendo-nos a
aqueles sacrifícios representavam Ele como sacrifício vivo, todos os
o “Cordeiro de Deus” e foram to- dias, o dia inteiro.
dos cumpridos por Jesus. Ele foi o Para o judeu, os conceitos de
Cordeiro apresentado por João Ba- adoração e sacrifício eram insepa-
tista, no início do Seu ministério ráveis. Quando Abraão estava para
(João 1.29). O desafio de Paulo é subir o Monte Moriá e oferecer seu
para que estejamos prontos a se- filho Isaque em sacrifício a Deus,
guir as pisadas de Jesus e fazer a disse a seus servos: “Fiquem aqui
Sua vontade, incondicionalmente. com o jumento, enquanto eu e
Esta é a primeira prescrição para o rapaz vamos até lá. Depois de
encontrar e experimentar a vonta- adorarmos, voltaremos” (Gênesis
de de Deus para nossas vidas. 22.5). Este versículo revela duas
Paulo se refere a este estilo de características importantes da fé

144 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de Abraão. Ele sabia que voltaria racional entreguem seus corpos


da montanha com o seu filho. En- a Deus, como um sacrifício vivo,
tretanto, o mais importante é que consagrado e aceitável a Ele. Não
ele usou a palavra “adorar”. Ele deixem que o mundo molde vocês,
disse que iria adorar junto com seu mas permitam que Deus remodele
filho, quando estava indo sacrificá suas mentes de dentro para fora,
-lo na montanha. A isto chamaría- para que vocês experimentem, na
mos sacrifício de “adoração”. prática, que o plano de Deus para
Quando uma mulher adorou suas vidas é bom, satisfaz todas
Jesus, derramando um perfume as Suas exigências e os leva à ma-
muito caro sobre os Seus pés, sen- turidade verdadeira”.
do criticada por Judas Iscariotes, A segunda prescrição de Pau-
o qual sugeriu que todo aquele lo para conhecermos a vontade
dinheiro, que correspondia a um de Deus enfoca a maneira como
ano de salário de um trabalhador, nos relacionamos com o mundo
poderia ter sido dado aos pobres, em que vivemos. O seu alerta é
Jesus defendeu a mulher naquele para que não tomemos a forma
ato de adoração, porque para Ele do mundo e que resistamos a toda
“adoração e sacrifício” têm o mes- pressão que ele exerce sobre nós.
mo conceito (João 12.3-8). Uma maneira superficial de
Qual é o valor de Deus? Cada interpretar e aplicar a segunda
vez que adoramos a Deus revela- prescrição de Paulo consiste em
mos nossa resposta a esta per- proibir os cristãos de fazer algu-
gunta, principalmente quando ex- mas coisas que eles faziam antes
pressamos nosso culto racional, de se converterem. É claro que
aplicando esta prescrição de Paulo essa questão é importante, mas o
para descobrirmos e vivermos a que Paulo quis dizer tem um signi-
vontade de Deus para nossas vidas. ficado mais profundo que apenas
Esta tradução de J. B. Phillips, os hábitos mundanos, que eram
dos versículos 1 e 2 do capítulo parte das nossas vidas, antes de
12, torna a sua compreensão mais aceitarmos Jesus Cristo. Na Carta
fácil e clara: “De olhos bem aber- aos Filipenses, ele descreve a revo-
tos para as misericórdias de Deus, lução e a mudança de valores que
suplico a vocês, meus irmãos, sofreu depois de ter um encontro
para que em um ato de adoração com Cristo (Filipenses 3.7-11).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 145


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

A terceira prescrição de Pau- esses membros não exercem to-


lo para provarmos que o plano de dos a mesma função, assim tam-
Deus para nossas vidas é bom e bém em Cristo nós, que somos
satisfaz todas as Suas exigências muitos, formamos um corpo, e
é a exortação para que experimen- cada membro está ligado a todos
temos a transformação que renova os outros. Temos diferentes dons,
completamente nossas mentes. de acordo com a graça que nos foi
Resumindo, a prescrição de Pau- dada. Se alguém tem o dom de
lo para descobrirmos e vivermos profetizar, use-o na proporção da
a perfeita vontade de Deus para sua fé” (12.3-6).
nossas vidas é submetermos nossa Fica clara a intenção de Paulo
própria vontade aos valores divinos quanto à prática do ensino desta
e termos nossas mentes converti- carta. Paulo exorta para que, em
das. Então, descobriremos a res- primeiro lugar, o ensino seja posto
posta à pergunta que Paulo fez a em prática na nossa própria vida:
Jesus, quando O conheceu: “Que “... digo a todos vocês: Ninguém
devo fazer, Senhor?” (Atos 22.10). tenha de si mesmo um conceito
O apóstolo não mudou de as- mais elevado do que deve ter”.
sunto, quando passou em seguida Daí surge a pergunta: “O que um
a falar dos dons espirituais. O ra- crente deve pensar dele mesmo?”
ciocínio dele é que, se descobrir- e “O que a Bíblia diz sobre isto?”.
mos nossos dons espirituais e os Quando João Batista começou
entregarmos a Deus, essa disci- a pregar no deserto, foi-lhe envia-
plina nos levará ao centro da boa, da uma comissão para lhe pergun-
agradável e perfeita vontade de tar: “Que diz você acerca de si
Deus para nossas vidas: “Por isso, próprio?” (João 1.22). De acordo
pela graça que me foi dada digo a com Jesus, “entre os que nasce-
todos vocês: Ninguém tenha de si ram de mulher não há ninguém
mesmo um conceito mais elevado maior que João” (Mateus 11.11;
do que deve ter; mas, ao contrá- Lucas 7.28). A sua grandeza ficou
rio, tenha um conceito equilibra- evidenciada na resposta que deu
do, de acordo com a medida da aos seus inquiridores. Basicamen-
fé que Deus lhe concedeu. As- te, em sua resposta ele disse o que
sim como cada um de nós tem ele era e onde estava, de acordo
um corpo com muitos membros e com a vontade de Deus para ele.

146 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Em outras palavras, ele estava fa- como sendo algo comparado a


zendo a boa, agradável e perfeita “Deus jogando o molde fora cada
vontade de Deus para sua vida. Eu vez que cria um ser humano”. Ten-
gostaria de saber como você res- do em mente essa perspectiva do
ponderia a esta pergunta. O que “eu”, veremos agora alguns exem-
você diria a respeito de você mes- plos de como Jesus e Paulo usa-
mo? É de muita importância a res- ram este conceito.
posta que damos a esta pergunta. Jesus contou a Parábola do
Não devemos confundir o Filho Pródigo e disse que, enquan-
conceito bíblico do “eu” com o uso to ele estava no chiqueiro dos por-
que a Bíblia faz da palavra “car- cos, percebeu que ele mesmo não
ne”. De acordo com um teólogo, era um porco. Ele podia estar em
“carne” é “a natureza humana um chiqueiro e até desejar comer
sem o tratamento de Deus”. Outro o que os porcos comiam, mas ele
teólogo escreveu: “A carne pode não era um porco. Ele era filho e
guiá-lo e escravizá-lo, mas o ‘eu’ não pertencia àquele chiqueiro.
que a carne guia e escraviza não é Ele pertencia à casa do seu pai e
a carne”. Quando Paulo fala sobre com essa convicção decidiu retor-
“conceito de si mesmo”, ou seja, o nar para lá. Jesus diz que o filho,
seu “eu”, ele não está falando da “caindo em si”, decidiu voltar para
“carne”, do “velho homem” ou da casa e para o amor do seu pai,
sua “velha natureza”. onde ele seria aquilo para o que
Se fizermos um estudo enfo- tinha nascido (Lucas 15.11-18).
cando essa questão, veremos que Em sua Carta a Timóteo, seu
tanto Jesus como Paulo falaram filho na fé, Paulo ensinou como
do conceito do “eu”, mas nunca aconselhar pessoas difíceis. Refe-
de maneira displicente. Antes de rindo-se a Timóteo como “servo do
continuarmos, é importante saber Senhor”, Paulo o aconselhou a tra-
que o significado da palavra “eu”, tar com mansidão aqueles “que se
no Novo Testamento, é “a carac- lhe opõem, para que assim voltem
terística única criada e dada por à sobriedade e escapem da arma-
Deus, a individualidade de cada dilha do diabo” (II Timóteo 2.23-
ser humano, que o faz diferente de 26). A instrução de Paulo é para
todos os outros”. A Bíblia destaca que, com mansidão, paciência e
a importância da individualidade, amabilidade, qualidades que fazem

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 147


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

parte do fruto do Espírito, Timóteo isto é, para olhar para si mesmo,


continue a ouvi-las. Se Deus lhes comparando-se constantemente à
der o Espírito de arrependimento e Palavra de Deus. Esta instrução
elas reconhecerem a verdade ensi- de Paulo vem com uma grande
nada por Timóteo, então voltarão à promessa: vivendo de acordo com
sobriedade e escaparão da armadi- as Escrituras, Timóteo não só al-
lha do diabo. A importância dessa cançaria a própria salvação, como
instrução sobre aconselhamento levaria outros a ela.
está na maneira como Paulo ensi- Jesus ensinou que devemos
na que a pessoa pode se perder e, amar a Deus de todo o coração
depois, voltar à sobriedade. e ao nosso próximo como a nós
Escrevendo aos coríntios, mesmos (Mateus 22.35-40).
Paulo os exorta a não “se medi- O Senhor ensinou que devemos
rem nem se compararem consigo amar a Deus integralmente, ao
mesmos”. De acordo com Paulo, nosso próximo incondicionalmente
quando eles fazem isso, agem sem e a nós mesmos corretamente.
entendimento (II Coríntios 10.12). Foi nesse contexto que Paulo
Não devemos nos medir nem nos escreveu aos coríntios: “recomen-
compararmos conosco mesmos damo-nos à consciência de todos,
nem com os outros. Não vamos diante de Deus” (II Coríntios 4.2).
descobrir a individualidade que O que as pessoas vêem em nossas
Deus deu para nós, comparando- vidas, quando andamos com Cris-
nos com o que Deus planejou para to, é o trabalho criativo de Deus
outras pessoas. em nós (Efésios 2.10). Quando
Jesus também falou sobre isto, isso acontece, devemos dizer para
no último capítulo do Evangelho aqueles que nos observam: “Não
de João, quando Pedro perguntou é um milagre, tudo isso que Deus
de que forma João morreria, res- tem feito em mim?”.
pondendo-lhe: “Se eu quiser que Jesus ensinou que devemos
ele permaneça vivo até que eu negar a nós mesmos; mas, nes-
volte, o que lhe importa? Quanto te contexto de autonegação, Ele
a você, siga-me!” (João 21.22). também ensinou que não adian-
Paulo desafia Timóteo a aten- ta nada ganharmos o mundo in-
tar para sua própria vida e para teiro e perdermos a nossa alma.
as Escrituras (I Timóteo 4.16), Não importa pelo que tenhamos

148 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

de passar; não podemos perder que devemos pensar sobre o nos-


a nossa salvação ou trocá-la por so “eu”, aprendemos que os dons
qualquer coisa que seja. No Velho espirituais diferem de uma pessoa
Testamento, está exemplificado o para outra. Em uma igreja contro-
ensino de Jesus, através da histó- lada pelo Espírito Santo, onde são
ria de Esaú que, por um prato de exercidos os dons espirituais, ve-
sopa, trocou o seu direito de filho mos a maravilhosa diversidade de
primogênito com seu irmão Jacó indivíduos atuando como verdadei-
(Gênesis 25.29-34). ros membros do corpo de Cristo.
Estes são alguns exemplos do Deus sabe que, se dois de
que as Escrituras falam sobre o nós fôssemos exatamente iguais,
que devemos pensar de nós mes- um seria desnecessário; portanto,
mos. Paulo começa seu ensino so- Deus está comprometido com a
bre este assunto, escrevendo que individualidade de cada crente, o
a graça de Deus o tinha equipado que faz que cada um seja diferente
para compartilhar os ensinos dos do outro e, ao mesmo tempo, ne-
dons espirituais que Cristo dá ao cessário um ao outro.
Seu povo, através do Espírito San- Paulo também põe em desta-
to. Ele diz: “pela graça de Deus, que o princípio de unidade, quan-
sou o que sou” (I Coríntios 15.10). do escreve que os dons espirituais
Ele sempre creu que os dons espi- são derramados sobre a igreja local
rituais nos levam à boa, perfeita (I Coríntios 12). Os princípios da
e agradável vontade de Deus, por diversidade e da unidade parecem
isso deixou escrito este ensino. se opor um ao outro, mas Paulo
Uma rendição completa e in- usa a metáfora do corpo para des-
condicional à renovação da nossa crever a natureza e a função dos
mente, através da transformação dons, no trabalho da igreja local.
para uma vida santa, e a descober- Este grande apóstolo, respon-
ta dos dons espirituais, nos levam sável em grande parte pela implan-
às respostas do que somos, onde tação da Igreja do Novo Testamento,
estamos e o que Deus quer de nós. compartilha mais dessas verdades
De acordo com Paulo, os em suas outras cartas. Ele fala dos
dons espirituais são uma expressa dons espirituais, neste contexto,
manifestação da graça de Deus. porque acredita que isso nos aju-
Dentro deste ensino acerca do dará a saber o que devemos pensar

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 149


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

sobre nós mesmos, o que nos leva- Palavra de Deus. A exortação é par-
rá à vontade de Deus para nossas te deste dom, porque aqueles que
vidas. Vejamos este texto: “Temos profetizam, geralmente exortam os
diferentes dons, de acordo com a crentes a obedecerem e a aplica-
graça que nos foi dada. Se alguém rem a Palavra de Deus que é anun-
tem o dom de profetizar, use-o na ciada. De uma perspectiva mais
proporção da sua fé. Se o seu dom ampla, podemos dizer que toda vez
é servir, sirva; se é ensinar, ensine; que Deus fala com alguém, através
se é dar ânimo, que assim faça; se de nós, estamos exercitando o dom
é contribuir, que contribua gene- da profecia.
rosamente; se é exercer liderança, Lemos em Atos 6.4 que os
que a exerça com zelo; se é mos- apóstolos se dedicaram à “oração
trar misericórdia, que o faça com e ao ministério da palavra”. O mi-
alegria” (12.6-8). nistério da Palavra engloba a pre-
Nestes versículos, Paulo dá al- gação, o ensino ou ministração da
guns exemplos de dons espirituais. Palavra para um indivíduo, o que
Profetizar é falar por Deus ou ser a hoje pode ser considerado como
pessoa, através de quem Deus fala. aconselhamento. Obviamente, es-
A palavra “profetizar” tem origem ses dons trabalham interligados,
em duas outras, cujo significado é: por isso não devemos questionar
“ficar diante de” e “fazer brilhar”. qual é o nosso dom, mas qual é o
Os profetas recebiam revelações nosso “conjunto de dons”.
especiais e previam acontecimen- Paulo também fala sobre os
tos futuros, mas isso não fazia dons espirituais nas cartas que es-
deles meros “homens do tempo”, creveu aos coríntios e à igreja em
que falavam de coisas que estavam Éfeso (I Coríntios 12.4-11; Efésios
para acontecer. Eles foram os gran- 4.11-13). Em sua primeira carta,
des pregadores dos tempos históri- Pedro também dá alguns exem-
cos do Velho Testamento. Jesus de- plos de dons espirituais (I Pedro
clarou que João Batista foi o maior 4.10,11). Não pretendemos afir-
profeta que já viveu sobre a terra e mar que a lista de dons espirituais
ele pregava os sermões do profeta apresentada no Novo Testamento
Isaías. Estou convencido de que o seja completa, mas ela apresenta
dom espiritual da profecia é, essen- exemplos de como os dons espi-
cialmente, o dom de proclamar a rituais podem ser identificados e

150 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

como funcionam na igreja local. Outro dom citado é o dom


Juntando todas as listas de dons da misericórdia. Da mesma for-
espirituais presentes nas Escritu- ma todos recebemos o desafio e a
ras, chegamos ao número de vinte ordem para exercer misericórdia;
e um dons diferentes. no entanto, alguns cristãos são
Muitos dons espirituais pre- capacitados de uma forma espe-
sentes na vida de cristãos em nos- cial para exercer a misericórdia
sas igrejas não estão listados no para com os feridos deste mundo.
Novo Testamento. Considere, por Deus, geralmente, permite o sofri-
exemplo, os vários dons relaciona- mento na vida dessas pessoas e
dos à música, os quais Deus usa lhes dá graça para lidar com ele,
de maneira tão poderosa para con- a fim de que elas, após encontra-
duzir Seu povo à fé, à adoração e rem o consolo em Deus, se tornem
ao serviço frutífero. Os dons espi- ministros do consolo e passem a
rituais, geralmente, se apresentam exercer o dom de misericórdia (II
em conjunto. Uma pessoa que tem Coríntios 1.3,4).
o dom do ensino deverá ter tam- Paulo também cita a liderança
bém o dom da sabedoria e do co- como um dom espiritual. Um líder
nhecimento. Quanto à exortação, é uma pessoa ungida com a graça
está ligada ao dom da profecia. de Deus e o Espírito Santo, o que o
Paulo apresenta a generosi- capacita a conquistar seguidores.
dade como um dom. É claro que Ele aconselha que os que doam,
todos nós temos o privilégio, a res- o façam com liberalidade; aqueles
ponsabilidade e a ordem para con- que mostram misericórdia, que a
tribuir, mas existem alguns irmãos mostrem com alegria, e os que li-
na igreja que contribuem e doam deram, que exerçam essa lideran-
movidos pela graça de Deus, de ça com diligência.
uma forma especial, não apenas Listamos, a seguir, alguns
com relação a dinheiro e bens ma- exemplos de dons espirituais ci-
teriais, mas também com relação tados por Paulo em suas cartas e
a tempo, amor e compaixão para uma breve definição de cada um:
com aqueles que estão sofrendo ou Profecia: capacidade de pro-
passando necessidade. Conheço clamar com ousadia a Palavra de
pessoas que são exemplos extraor- Deus e falar o que Deus nos trans-
dinários no exercício deste dom. mite, de forma sobrenatural;

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 151


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Conhecimento: capacidade Misericórdia: capacidade de


de entender e sistematizar os fatos ser um canal do amor de Cristo
mais importantes contidos na Pa- para encorajar, animar, solidarizar-
lavra de Deus; se e fortalecer os necessitados;
Sabedoria: capacidade de Dons de Cura: capacidade de
aplicar as revelações bíblicas em ser para alguém um canal da cura
situações específicas; sobrenatural de Deus para o cor-
Ensino: capacidade de re- po, a mente, a alma, as emoções
ter e passar para outros os fatos e o espírito;
e revelações descobertos, através Milagres: capacidade de ser
do dom do conhecimento e da um veículo, através do qual Deus
sabedoria; opera, de acordo com leis superio-
Fé: capacidade de ver o que res e sobrenaturais, desconheci-
precisa ser feito e acreditar que das por nós.
Deus pode fazer acontecer, inde- Como Paulo acreditava que
pendentemente das dificuldades; os dons nos levam a encontrar a
Discernimento: capacidade boa, agradável e perfeita vontade
de distinguir entre o espírito do erro de Deus para nossas vidas, o que
e o espírito da verdade, antes que devemos saber é como identificar e
essa diferença seja evidente para fazer o melhor uso deles, já que só o
todos por causa dos resultados; obtemos pela infinita graça de Deus.
Ajuda: capacidade de dar Quero, portanto, compartilhar
assistência onde surgir uma ne- com você alguns pensamentos que
cessidade, de maneira que outros podem ser de muita importância
sejam encorajados e fortalecidos nesta descoberta.
espiritualmente; Aprendemos três princípios
Exortação: capacidade de de- muito importantes com os ensinos
safiar pessoas a aplicarem a Pala- de João Batista, que podem ser a
vra de Deus; chave para que sejamos como ele.
Dom de Oferta: capacida- O primeiro deles é que devemos
de de dar generosa e sabiamente aprender a aceitar nossas limita-
para Deus e Sua obra; ções, o que ficou demonstrado nele,
Administração: capacidade de quando declarou, referindo-se a Je-
inspirar, liderar, organizar, delegar e sus: “É necessário que ele cresça e
supervisionar a obra de Deus; que eu diminua” (João 3.30).

152 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Na introdução do Evangelho para ser o que eu sou e para estar


de João, lemos que João Batista onde estou que eu fui chamado”.
falou várias vezes o que ele “não João não só aceitou suas limita-
era”. Jesus era, mas João Batista ções, mas, também, a responsabi-
não era. Quando lhe perguntaram lidade pelas habilidades que Deus
se ele era o Messias, ele respondeu: lhe tinha dado.
“Eu não sou”. Mais tarde, quando Uma maneira de fazer um
lhe contaram que todos estavam levantamento dos seus dons es-
seguindo Jesus e ouvindo Suas pre- pirituais é seguindo este processo
gações, ele disse: “Vocês mesmos ensinado por um dos meus con-
são testemunhas de que eu disse: selheiros. O processo chama-se
Eu não sou o Cristo, mas sou aque- “Chaves para descoberta dos Dons
le que foi enviado adiante dele. A Espirituais”:
noiva pertence ao noivo. O amigo “Creia que Deus lhe deu um
que presta serviço ao noivo e que dom ou dons;
o atende e o ouve enche-se de ale- Descubra o que você mais
gria, quando ouve a voz do noivo. gosta de fazer e faz bem;
Esta é a minha alegria, que agora Diferencie os dons naturais
se completa” (João 3.28.29). dos dons espirituais;
O segundo princípio que Permita que outras pessoas
aprendemos com João é que deve- o ajudem a identificar seus
mos aceitar a responsabilidade pe- dons;
las nossas habilidades. João sabia Busque oportunidade para
o que ele era e o que ele não era; exercer os dons recebidos;
ele sabia qual tinha sido o seu cha- Dê a você mesmo um tempo
mado. Quando lhe perguntaram para se conscientizar e experi-
“Que diz você acerca de si pró- mentar os dons;
prio?”, João só falou sobre Jesus. Em um culto de consagração,
Mas, quando o pressionaram para entregue todos esses dons
dar uma resposta, ele finalmente e ministérios a Deus, de maneira
disse “Eu sou a voz do que clama incondicional, para serem usados
no deserto: ‘Façam um caminho em benefício da obra de Deus e
reto para o Senhor’” (João 1.23; para a Sua glória”.
Isaías 40.3). Em outras palavras, Reflita sobre os textos bíblicos
foi como se ele tivesse dito: “Foi mencionados que descrevem os

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 153


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

dons espirituais. Como não existe evangelizar e curar. Eles podem


um crente nascido de novo sem ser também serviços práticos que
dons do Espírito Santo, creia que os crentes oferecem para o Senhor.
você os tem. Observe, no “Capí- Os dons espirituais dividem-
tulo dos Dons”, I Coríntios 12, se em duas categorias: alguns
quantas vezes Paulo usou a pala- são dons pastorais e outros dons
vras “todos”. Ele repetiu esta pala- práticos. No capítulo 6 de Atos,
vra várias vezes, enfatizando que o essa diferença é bem distinguida.
Espírito Santo deu dons a todos os Os apóstolos tinham convocado a
membros do corpo de Cristo. primeira eleição para diáconos e
Depois, considere estas duas os sete homens escolhidos foram
chaves: Deus, geralmente, nos comissionados para cuidar dos
dá amor pelos ministérios onde assuntos práticos da igreja. A es-
exercemos nossos dons; por isso, tratégia era manter os apóstolos
procure descobrir o que você, re- com os dons pastorais continua-
almente, gosta de fazer e tem feito mente em oração e na ministração
da melhor forma para o Senhor. da Palavra de Deus. Essa decisão
A próxima chave é distinguir foi muito abençoada pelo Senhor e
os dons espirituais dos dons natu- toda a cidade de Jerusalém foi for-
rais. Os dons naturais são talentos temente impactada com o Evange-
e aptidões que temos ao nascer. lho de Cristo.
Quando os dons naturais são en- Precisamos de outros mem-
tregues ao Senhor, de certa forma bros da nossa igreja para descobrir
eles se tornam dons espirituais. nossos dons espirituais. Uma das
Porém, existem dons na vida dos chaves mais importantes para os
crentes, que não existiam antes de descobrirmos é medir o impacto
o Espírito Santo transformá-los em da nossa vida espiritual na vida de
templos Seus. outros membros da igreja local.
Lemos, no Velho Testamen- Se existem pessoas que es-
to, que quando o Templo estava tão na igreja, porque um dia você
sendo construído, o Espírito Santo compartilhou o Evangelho com
deu talentos específicos para os elas e elas creram, então você tem
artesãos que trabalharam naquela o dom do evangelismo. Se cristãos
obra. Os dons espirituais não são compreendem conceitos comple-
apenas os dons de pregar, ensinar, xos com a sua explicação, você

154 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

tem o dom do ensino. Se você tem que fazemos com eles é o nosso
o dom da organização e de delegar presente para o Senhor e, tam-
tarefas difíceis para muita gente, bém, para os irmãos que forem
você tem o dom da administração. beneficiados pelo uso que fazemos
Se crentes aceitam o desafio que deles, já que os dons espirituais
você lança para fazer a obra do são dados para bênção e edifica-
Senhor, você tem o dom da lide- ção dos membros do Corpo (I Co-
rança. Você pode descobrir se o ríntios 12.7).
seu dom é o da misericórdia e da Lembre-se que Paulo come-
ajuda, aplicando-se e assistindo çou a falar sobre os dons espiri-
os necessitados de sua igreja. tuais para mostrar como devemos
Como você vai saber se tem provar que o plano de Deus para
ou não esses dons espirituais, se nós é bom, satisfaz todas as exi-
não experimentar servir a Deus gências de Deus e nos leva à ma-
nessas áreas? Você vai entender turidade espiritual.
porque precisamos ter fé, a fim de O grande apóstolo sabia que
encontrar oportunidade para expe- uma vez que fomos justificados
rimentar os dons que supomos ter. pela fé e pela graça de Deus, a qual
Como você se sentiria se des- nos capacita a vivermos retamente,
se um presente a alguém e essa também somos equipados com os
pessoa sequer o desembrulhasse? dons espirituais, que nos capaci-
Como você acha que o Senhor se tam, à medida que aplicamos o en-
sente tendo nos dado dons espiritu- sino desta carta em nossas vidas.
ais e nós não nos esforçamos para De certa forma, somos como
descobrir o que Ele nos deu? Uma cubos, temos seis lados em nossas
aula bíblica que você deu e não se vidas. Um lado para se mostrar ao
saiu bem, não quer dizer que você mundo, outro aos amigos, um ter-
não tem o dom do ensino. É por ceiro à família, talvez o quarto para
isso que devemos nos dar tempo ser revelado ao nosso cônjuge, o
para identificar, exercitar e provar quinto é reservado a nós mesmos
os dons que supomos ter. e o último, que não é mostrado a
Finalmente, depois de identi- ninguém, a não ser a Deus.
ficar nossos dons, devemos con- Cada um desses lados, cada
sagrá-los e entregá-los ao Senhor. uma dessas nossas diferentes
Esses dons são dEle para nós e o dimensões tem um nome. Por

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 155


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

exemplo, um dos nossos lados é de salvar “a si mesmo e a outros”


o nosso caráter; o segundo, a pes- (I Timóteo 4.16). Este é o nosso
soa que achamos que somos, ou lado que, constantemente, pela
seja, o nosso ego; o terceiro pode graça de Deus, é recuperado das
ser considerado o que os outros armadilhas do mal.
acham que somos, baseados em Esta é a pessoa que nos tor-
nossa reputação; o quarto lado se- namos, quando provamos e experi-
ria representado pela pessoa que mentamos a boa, agradável e per-
nós achamos que os outros acham feita vontade de Deus (12.2). Todo
que somos, por causa do respeito o ensino tão profundo desta carta
próprio ou da imagem que passa- tem sua aplicação, quando nos tor-
mos a eles; o quinto lado poderia namos uma dessas novas criaturas,
ser representado pela pessoa que a respeito das quais, Paulo escre-
tentamos demonstrar que somos. veu: “Portanto, se alguém está em
O sexto lado aparece, quando Cristo, é nova criação. As coisas an-
nos tornamos novas criaturas em tigas já passaram; eis que surgiram
Cristo. Então, o lado pecaminoso é coisas novas! Tudo isso provém de
totalmente visível para Deus e, quan- Deus” (II Coríntios 5.17,18).
do somos salvos e nos confessamos Paulo continua a aplicação
a Ele, esse lado é transformado na desta carta, dando uma lista de
pessoa que Deus quer que sejamos conselhos, o que deixa este capí-
em Cristo. Esta é a pessoa a que tulo ainda mais prático com re-
Jesus se referiu em Mateus 16.26: lação a tudo o que ele escreveu.
“Pois, que adiantará ao homem ga- Esta é a parte do capítulo 12 de
nhar o mundo inteiro e perder a sua Romanos que eu mais gosto: “O
alma? Ou, o que o homem poderá amor deve ser sincero. Odeiem o
dar em troca de sua alma?”. que é mau; apeguem-se ao que
Foi essa compreensão que o fi- é bom. Dediquem-se uns aos ou-
lho pródigo obteve, quando caiu em tros com amor fraternal. Prefiram
si, estando com os porcos (Lucas dar honra aos outros mais que a si
15.17-19). Jamais vamos assimilar próprios. Nunca lhes falte o zelo,
essa parte de nós mesmos compa- sejam fervorosos no espírito, sir-
rando-nos com outras pessoas. vam ao Senhor” (12.9-11).
Paulo exortou Timóteo a se Uma das perguntas que os jor-
medir pela Palavra de Deus, a fim nalistas gostam de fazer é: “Como

156 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

você vai querer ser lembrado?”. com nossos lábios que Jesus é Se-
Costumo responder a esse tipo de nhor, todos que também creram
pergunta, dizendo que gostaria de se tornam nossos irmãos em Cris-
ser lembrado por ser verdadeiro. to. Jesus prometeu que aqueles
Nesses conselhos, o conceito que que perderem irmãos, irmãs, pai
predomina é “ser um verdadeiro e mãe por se tornarem discípulos
seguidor de Jesus Cristo”, distante dEle receberão pais, mães, irmãos
da hipocrisia e da falsidade. e irmãs espirituais, quando O se-
Paulo exorta seus leitores a te- guirem (Marcos 10.29,30). Não
rem o verdadeiro amor de Cristo. basta apenas professarmos nossa
Em sua Carta aos Gálatas, Paulo fé, temos que viver como verda-
chamou esse amor de “Fruto do deiros irmãos.
Espírito” (Gálatas 5.22). Também, Paulo também insiste que se-
na Carta aos Coríntios, fez uma jamos humildes e deixemos que
bela descrição desse amor, no ca- os outros recebam o crédito pelo
pítulo 13. bem que acontece em nossa famí-
A seguir, ele desafia os roma- lia espiritual. “Prefiram dar honra
nos a terem um arrependimento aos outros mais que a si próprios”
verdadeiro. Quando pecadores (12.10b). Deus odeia o orgulho
são justificados pela fé e recebem (Provérbios 6.16,17). Jesus disse:
a graça para viverem de maneira “Pois quem se exalta será humi-
justa, há uma quebra com o mal lhado, e quem se humilha será
e uma dedicação verdadeira ao exaltado” (Lucas 18.14).
bem. Um dos sinais de uma con- Paulo repreende toda forma
versão verdadeira é esta quebra de letargia e negligência no traba-
genuína com o mal e a dedicação lho para Cristo: “Nunca lhes falte
a uma vida justa, fazendo o que é o zelo, sejam fervorosos no espí-
bom, o que glorifica a Deus, que rito, sirvam ao Senhor” (12.11).
justifica os pecadores. Ele entra na questão da movimen-
A seguir, Paulo aconselha tação, da unção espiritual, dos
seus leitores a terem amor uns padrões de excelência e da nossa
pelos outros. “Dediquem-se uns eficiência no serviço de Cristo.
aos outros com amor fraternal” Paulo nos exorta a aceitar o
(12.10a). Quando cremos em desafio apresentado no capítulo
nossos corações e confessamos 10 desta carta: sermos dos que

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 157


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

levam o Evangelho aos perdidos. sofrimento a fazerem da oração


Será que nosso coração arde pela um hábito diário. Ele exorta os
Grande Comissão? Será que so- crentes a serem verdadeiramente
mos tão motivados pelo amor de hospitaleiros e solidários, a terem
Cristo como era esse apóstolo? (II compaixão por aqueles com quem
Coríntios 5.14). Um ministro mui- eles repartem as refeições e ofe-
to conhecido, líder de um grande recem uma cama para dormir. A
grupo de missionários, tinha um verdadeira comunhão e unidade
quadro na parede do seu escritório devem incluir pessoas comuns.
com a seguinte frase: “Você está Para cultivar esta unidade em
sobrecarregado ou desmotivado?”. Cristo, os crentes não podem ter
A exortação continua: “Ale- ideias fixas nem serem irredutíveis
grem-se na esperança, sejam em suas opiniões. Uma pessoa
pacientes na tribulação, perseve- que age assim não ouve o que os
rem na oração. Compartilhem o outros falam.
que vocês têm com os santos em Paulo continua com as apli-
suas necessidades. Pratiquem a cações que se referem, princi-
hospitalidade. Abençoem aqueles palmente, ao relacionamento do
que os perseguem; abençoem, e crente com o incrédulo: “Não re-
não os amaldiçoem. Alegrem-se tribuam a ninguém mal por mal.
com os que se alegram; chorem Procurem fazer o que é correto
com os que choram. Tenham uma aos olhos de todos. Façam todo
mesma atitude uns para com os o possível para viver em paz com
outros. Não sejam orgulhosos, todos. Amados, nunca procurem
mas estejam dispostos a associar- vingar-se, mas deixem com Deus
se a pessoas de posição inferior. a ira, pois está escrito: ‘Minha é
Não sejam sábios aos seus pró- a vingança; eu retribuirei’, diz o
prios olhos” (12.12-16). Senhor. Ao contrário: ‘Se o seu
Nestes versículos, Paulo está inimigo tiver fome, dê-lhe de co-
nos incentivando a termos pers- mer; se tiver sede, dê-lhe de be-
pectiva e fé nos valores eternos. ber. Fazendo isso, você amontoará
Neles também somos alertados brasas vivas sobre a cabeça dele’.
a sermos perseverantes nas difi- Não se deixem vencer pelo mal,
culdades. Neste contexto, Paulo mas vençam o mal com o bem”
desafia os santos que estão em (12.17-21).

158 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Nos versículos 12 a 16, as os outros fazem, pois não somos


exortações que Paulo fez foram responsáveis por suas atitudes.
dirigidas, principalmente, aos re- Com a ajuda de Deus, podemos
lacionamentos dentro da igreja, controlar o que nós fazemos. Por-
com outros crentes. De 17 a 21, tanto, podemos agir até onde vai a
ele prescreveu aos crentes com- nossa responsabilidade, para que
portamentos aplicáveis, princi- haja paz em nossos relacionamen-
palmente no relacionamento do tos. Esse princípio de saber onde
crente com o mundo, inclusive começa a nossa responsabilidade
com os seus perseguidores, como e onde ela termina pode nos li-
as autoridades religiosas e os mi- vrar de vivermos ansiosos. Essa
litares romanos, que executavam passagem se encerra lembrando
as ordens de imperadores loucos que a nossa vingança pertence a
como Nero. Deus: “Minha é a vingança; eu
Não podemos deixar de dar retribuirei”. Existem muitas cita-
importância ao que pensa o in- ções, no Velho Testamento, que
crédulo a respeito do crente. A nos lembram que, quando decidi-
recomendação aqui é que nossa mos nos vingar com nossas pró-
conduta com o mundo secular prias mãos, estamos “brincando
esteja acima de qualquer repro- de Deus”. Mais uma vez, tendo
vação. Paulo recomenda que se- no coração o espírito do Sermão
jamos íntegros e verdadeiros no da Montanha, Paulo não apenas
nosso trato com o mundo. desaconselha a vingança, como
Paulo foi enfático ao exortar os orienta que alimentemos o inimi-
crentes de Roma a não retaliarem go, quando ele estiver com fome,
qualquer tipo de perseguição, apli- e lhe demos água, quando estiver
cando o ensino de Jesus, que diz: com sede.
“Mas, eu lhes digo: Não resistam Durante os três primeiros sé-
ao perverso. Se alguém o ferir na culos da Igreja, ser cristão era con-
face direita, ofereça-lhe também a tra a lei. Uma das forças no teste-
outra” (Mateus 5.39). Considere as munho da Igreja perseguida, que
palavras profundas de Paulo: “Fa- ecoa até hoje, está sintetizada nas
çam todo o possível para viverem últimas palavras deste capítulo:
em paz com todos” (12.18). “Não se deixem vencer pelo mal,
Não podemos controlar o que mas vençam o mal com o bem”.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 159


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 16
Ministros de Deus (Romanos 13.1-14)

“Todos devem se sujeitar às lhe é devido: se imposto, imposto;


autoridades governamentais, pois se tributo, tributo; se temor, temor;
não há autoridade que não venha se honra, honra”(13.1-7).
de Deus; as autoridades que exis- A seção prática desta carta
tem foram por ele estabelecidas. inicia com uma exortação para
Portanto, aquele que se rebela que apliquemos os seus ensinos
contra a autoridade está se co- na nossa própria vida, com os ir-
locando contra o que Deus insti- mãos da nossa comunidade espi-
tuiu, e aqueles que assim proce- ritual e, depois, com os incrédulos
dem trazem condenação sobre si da nossa sociedade. Agora, Paulo
mesmos. Pois os governantes não exorta a que apliquemos a doutri-
devem ser temidos, a não ser pe- na desta carta junto às autorida-
los que praticam o mal. Você quer des que governam sobre nós.
viver livre do medo da autoridade? Em outras palavras, Paulo
Pratique o bem, e ela o enaltecerá. está mandando aplicar a sua obra
Pois é serva de Deus para o seu -prima teológica às responsabili-
bem. Mas, se você praticar o mal, dades que temos como cidadãos
tenha medo, pois ela não porta da comunidade e do país em que
a espada sem motivo. É serva de vivemos, como discípulos de Jesus
Deus, agente da justiça para pu- Cristo. O assunto do capítulo 13
nir quem pratica o mal. Portanto, trata do cristão como cidadão.
é necessário que sejamos submis- O fato é que milhões de cris-
sos às autoridades, não apenas tãos vivem na terra como cidadãos
por causa da possibilidade de uma terrenos. Este capítulo fala como ci-
punição, mas também por questão dadãos do céu puderam aplicar os
de consciência. É por isso também ensinos desta carta, vivendo sob o
que vocês pagam imposto, pois governo imoral, injusto e corrupto de
as autoridades estão a serviço de Roma. Esta palavra também se apli-
Deus, sempre dedicadas a esse ca ao governo do país, da cidade, da
trabalho. Dêem a cada um o que vila ou do bairro em que vivemos.

160 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

O capítulo inicia com uma Paulo ensinou que não devemos


declaração: “não há autoridade resistir a esses governos, porque,
que não venha de Deus; as au- se o fizermos, estaremos resistin-
toridades que existem foram por do a Deus. Ele acrescentou que
ele estabelecidas”. Por três vezes, aqueles que lhes resistirem trarão
Paulo se referiu às autoridades ro- julgamento sobre si mesmos. Pau-
manas como “ministros de Deus”, lo explicou que os governantes não
enquanto o louco e perverso im- são um terror para as boas obras,
perador Nero ocupava o trono do mas para as obras do mal. O ci-
Império Romano. dadão que cumpre a lei não deve
Daniel também fez a mesma temer as autoridades, ou seja, se
declaração de maneira bem explí- não quisermos ter medo das auto-
cita, quando, ainda adolescente, ridades, devemos obedecer às leis.
se colocou diante do maior im- Nesse contexto, Paulo volta ao
perador que já existiu e disse que tema da ira de Deus. No capítulo
Deus “destrona reis e os estabele- primeiro, ele escreveu que “a ira
ce” (Daniel 2.21). de Deus é revelada dos céus con-
O capítulo 4 de Daniel é im- tra toda impiedade e injustiça dos
pressionante! Nele está registrada homens, que suprimem a verdade
a confissão de fé do imperador pela injustiça” (1.18), referindo-se
babilônico Nabucodonosor. De- à futura ira de Deus, ao julgamento
pois de vários anos dando provas que está por vir. Mas, nesta pas-
da Sua existência, através da vida sagem do capítulo 13, Paulo está
de Daniel, Deus afligiu aquele im- declarando que a presente ira de
perador com uma doença mental. Deus é contra os que quebram a
Ele viveu sete anos nos campos, Lei que Deus instituiu. A ira presen-
completamente insano, como um te de Deus é manifestada e aplica-
animal, até que Deus o fez saber da pelas autoridades que executam
que “o Altíssimo domina sobre os a lei. Paulo estava falando das au-
reinos dos homens e os dá a quem toridades policiais ou fazendo uma
quer, e põe no poder o mais sim- aplicação mais profunda acerca dos
ples dos homens” (Daniel 4.17). exércitos que são usados, quando
Ainda hoje milhões de crentes as autoridades policiais locais en-
vivem sob o governo e a autoridade frentam desafios, que vão além das
de ditadores injustos e perversos. suas capacidades.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 161


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Existe nas Escrituras uma pas- e não a Deus” (Atos 4.19; 5.29).
sagem muito importante para aque- Este incidente nos ensina que exis-
les que se opõem à guerra e que tem situações que envolvem auto-
se consideram pacifistas. Eu tenho ridades corruptas e a única saída
grande respeito por um pacifista possível para os crentes é a deso-
verdadeiro. Eu não sou pacifista e a bediência civil.
razão para isso está nos primeiros Quando as autoridades religio-
sete versículos deste capítulo. sas perguntaram a Jesus se era certo
Devemos fazer duas observa- pagar imposto a César, Ele deu um
ções a respeito destes versículos: ensino profundo sobre a cidadania
A primeira é que eles não são o de um cristão (Mateus 22.17-21).
único ensino na Bíblia a respeito Aqueles religiosos estavam tentando
deste assunto. A segunda obser- desacreditar Jesus e pensavam que
vação diz respeito à afirmação de O deixariam sem resposta. Se Jesus
Paulo de que as autoridades são tivesse dito que era errado pagar im-
ministros de Deus. Entretanto, posto à Roma, os soldados romanos
esta afirmação não é aplicável, presentes no Templo O teriam pren-
quando se trata de “desobediên- dido imediatamente. Se ele dissesse
cia civil”, conforme alguns exem- que era certo, os judeus teriam se
plos encontrados na Bíblia. No sentido ofendidos, principalmente
início da Igreja, houve situações os zelotes, que resistiam à ocupa-
em que as autoridades religiosas ção romana.
oficiais ordenaram aos apóstolos Jesus pediu uma moeda e, se-
que não falassem de Cristo. Quan- gurando-a, perguntou: “De quem
do os apóstolos ouviram isso pela é esta imagem e esta inscrição?”.
primeira vez, foram políticos e res- E a resposta foi: “De César”. Je-
ponderam que aquelas autorida- sus fez esta declaração profunda:
des tão bem conceituadas sabiam “Então, dêem a César o que é de
a quem eles deveriam obedecer, se César e a Deus o que é de Deus”
a Deus ou aos homens. Na segun- (Mateus 22.19-21). Em todos os
da vez em que foram proibidos de ensinos de Jesus, as coisas mais
pregar acerca de Cristo, a resposta simples são as mais importantes.
foi imediata: “Julguem os senho- A moeda tinha a imagem de Cé-
res mesmos se é justo aos olhos sar, por isso o imposto deveria ser
de Deus obedecer aos senhores pago a César.

162 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Você tem a imagem de Deus que os governos impõem impostos


em você; por isso, coloque-se to- a seus cidadãos, os quais devemos
talmente em aliança com Ele. Em pagar, segundo o próprio Jesus e,
outras palavras, pague seus im- também, Paulo. Além deles, Pedro
postos, mas esteja em aliança ple- nos exortou a honrarmos o rei (I
na com Deus. Algumas vezes Cé- Pedro 2.17).
sar vai lhe pedir o que é de Deus Paulo, então, retorna à apli-
e, quando isto acontecer, não co- cação prática dos seus ensina-
loque César em primeiro lugar e mentos, como os que vimos no
nem se entregue a ele. capítulo 12: “Não devam nada a
Não devemos obedecer às leis ninguém, a não ser o amor de uns
de César só porque tememos a ira pelos outros, pois aquele que ama
de Deus sobre nós, através da puni- seu próximo tem cumprido a Lei.
ção das autoridades. Devemos obe- Pois estes mandamentos: ‘Não
decer à lei e ser bons cidadãos por adulterarás’, ‘Não matarás’, ‘Não
causa da nossa consciência. Um furtarás’, ‘Não cobiçarás’ e qual-
crente deve obedecer às leis, porque quer outro mandamento, todos se
esta é a melhor conduta e porque, resumem neste preceito: ‘Ame o
se for diferente, nossa consciên- seu próximo como a si mesmo’.
cia vai nos acusar. Devemos pagar O amor não pratica o mal contra
nossos impostos e jamais deixar de o próximo. Portanto, o amor é o
cumprir aquilo que nos é devido. cumprimento da Lei” (13.8-10).
Conta-se que um cidadão nor- Paulo foi consistente em fun-
te-americano escreveu o seguinte damentar-se nos ensinos de Je-
para a Receita Federal do seu país: sus, pois Ele próprio afirmou que
“Estou enviando quinhentos dó- veio para cumprir a Lei de Moisés,
lares que devo, em razão de uma dada por Deus (Mateus 5.17-20).
fraude que cometi na declaração Ele fez isto, passando a Lei de
do meu imposto de renda, quinze Deus pelo prisma do Seu amor,
anos atrás. Desde então, minha antes de aplicá-la na vida do povo
consciência me tem acusado e não de Deus. Em II Coríntios 3.6, Pau-
consigo dormir, por isso estou en- lo referiu-se ao “Espírito da Lei”.
viando o saldo da minha dívida”. Se amarmos nosso próximo, não
A aplicação deste capítulo é quebraremos nenhum mandamen-
muito clara. Há milhares de anos to que envolve o “Espírito da Lei”.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 163


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Nesses versículos, Paulo explica o Quando experimentamos o


que quer dizer “Espírito da Lei” e novo nascimento, temos a capaci-
o que Jesus quis dizer ao declarar dade de ser luz neste mundo (Ma-
que veio para cumprir a Lei. teus 5.14-16; Filipenses 2.15). A
A aplicação prática continua, exortação é para que sejamos luz
quando ele conclui este capítulo: “do” mundo e luz “neste” mundo
“Façam isso, compreendendo o até que Jesus volte.
tempo em que vivemos. Chegou Segundo o apóstolo Paulo, a
a hora de vocês despertarem do partir do momento em que cremos,
sono, porque agora a nossa salva- o dia clareia cada vez mais em nos-
ção está mais próxima que quando sas vidas. Ele não estava falando
cremos. A noite está quase aca- da volta do Senhor, mas desafiando
bando; o dia logo vem. Portanto, os cristãos a aplicarem suas exorta-
deixemos de lado as obras das tre- ções sobre o amor enquanto ainda
vas e revistamo-nos da armadura é dia, porque a noite vem, quando
da luz. Comportemo-nos com de- não será mais possível amar uns
cência, como quem age à luz do aos outros ou ajudar os feridos que
dia, não em orgias e bebedeiras, nos rodeiam. Jesus deu o exemplo
não em imoralidade sexual e de- e fez a mesma exortação a Seus
pravação, não em desavença e in- discípulos, dizendo: “Enquanto é
veja. Ao contrário, revistam-se do dia, precisamos realizar a obra da-
Senhor Jesus Cristo, e não fiquem quele que me enviou. A noite se
premeditando como satisfazer os aproxima, quando ninguém pode
desejos da carne” (13.11-14). trabalhar” (João 9.4).
Paulo escreveu que a noite já Muitas religiões e muitos po-
está quase acabando e que o dia etas falam da morte como um
está chegando. Jesus era a Luz do sono. As Escrituras, porém, falam
mundo e, enquanto Ele estava nes- da vida como um sono e da morte
te mundo, havia luz espiritual do como um despertamento (Salmo
dia. Pedro escreveu que, quando 90.5). Certamente, Paulo estava
buscamos a Palavra de Deus em pensando na volta de Cristo e no
nossa escuridão espiritual, dois fim desta vida terrena ao escrever
milagres acontecem: o Dia clareia essas exortações. Ele nos desafiou
e a Estrela da Manhã nasce em a despertarmos e a nos despirmos
nossos corações (II Pedro 1.19). da nossa velha natureza, usando a

164 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

mesma metáfora ao escrever aos dia, não em orgias e bebedeiras,


efésios (Efésios 4.22-24). não em imoralidade sexual e de-
Os trapos da velha vida são pravação, não em desavença e in-
coisas como a raiva, a ira, a amar- veja. Ao contrário, revistam-se do
gura, a malícia, conversas tolas, Senhor Jesus Cristo, e não fiquem
mentira, roubo e pecados sexuais. premeditando como satisfazer os
Ele também dá nome às vestes da desejos da carne” (13.13,14).
nova vida: verdade, conversa que Naquele momento, Cristo en-
edifica e ministra graça aos que trou na vida de Agostinho. Ele foi
ouvem, amor, mansidão e perdão transformado e se tornou um dos
mútuo. Depois, devemos nos reves- cristãos mais importantes de to-
tir do Senhor Jesus Cristo e não ali- dos os tempos, um grande líder
mentar mais a carne, isto é, a natu- da Igreja na África do Norte. Atra-
reza humana sem o tratamento de vés dos seus escritos, milhões de
Deus, satisfazendo suas vontades. cristãos em todo o mundo, desde
Esta passagem ficou famosa o século IV, têm sido abençoados.
com a conversão de Agostinho, A aplicação para este ensino é
que viveu no século IV. Ele vivia que os pecadores que foram decla-
uma vida de libertinagens, em rados justos devem viver de maneira
meio a todo tipo de pecados se- justa. Paulo nos mostra como isso
xuais. Um dia, ele foi ao jardim pode acontecer, quando escreve
com um amigo e começou a falar que não devemos alimentar nossa
do seu desespero, lamentando-se carne, para que ela não nos induza
pelas várias tentativas, sem resul- a viver segundo as nossas paixões.
tado, de mudança de sua conduta Apesar de este texto ter uma apli-
moral, quando, do meio de umas cação mais ampla que meramente
crianças que brincavam do outro a sexual, Paulo estava falando dos
lado do muro, ele creu ter ouvido pecados sexuais, especificamente.
a voz de uma delas dizer: “pegue e Ele escreveu mais sobre este assun-
leia”. Como havia sobre uma mesa to em sua Carta aos Coríntios, por-
próxima uma cópia da Carta de que aqueles cristãos enfrentavam
Paulo aos Romanos, ele a pegou dificuldades nesta área.
e seus olhos se detiveram nestes A adoração a ídolos em Co-
versículos: “Comportemo-nos com rinto era grande e seus deuses
decência, como quem age à luz do eram vistos como uma fonte do

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 165


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

amor erótico, o que envolvia um que o corpo de vocês é santuário


sistema elaborado de prostituição, do Espírito Santo que habita em
inclusive com perversões como vocês, que lhes foi dado por Deus,
homossexualismo e prostituição e que vocês não são de si mes-
infantil. Muitos cristãos daquela mos? Vocês foram comprados por
cidade, que faziam parte da igreja alto preço. Portanto, glorifiquem
que Paulo lá estabeleceu, outrora a Deus com o seu próprio corpo”
haviam se envolvido com aquelas (I Coríntios 6.19,20). Ele também
imoralidades. Agora, como segui- escreveu: “O corpo, porém, não é
dores de Cristo, Paulo, confrontan- para a imoralidade, mas para o
do-os com a impureza sexual, per- Senhor, e o Senhor para o corpo”
guntou-lhes: “Acaso não sabem (I Coríntios 6.13).

166 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Capítulo 17
Controvérsia Entre os Discípulos (Romanos 14.1-15.33)

Viver lá no céu com os santos Carta aos Romanos, a Carta de


que amamos será a glória, mas vi- Paulo aos Gálatas.
ver aqui embaixo com nossos co- A controvérsia entre os discí-
nhecidos é outra história! pulos em Roma levou Paulo a tratar
Há mais de 40 anos que sou deste assunto neste capítulo, cuja
pastor e qualquer um que já cuidou obra chamamos de “Amor Apli-
do povo do Senhor por tanto tempo cado”. Mais uma vez, temos um
sabe como é difícil viver aqui embai- exemplo de divisão em capítulos
xo com os santos que conhecemos. que interrompe a linha de pensa-
Quando estudamos as cartas mento do autor. O tema que Paulo
de Paulo, fica bem claro que as trata no capítulo 14 continua até o
igrejas que ele estabeleceu não capítulo 15, versículo 13.
eram perfeitas, o que fica bem Esta passagem longa das Es-
claro em suas duas cartas aos co- crituras conclui o ensino extraor-
ríntios. O capítulo 14 de Romanos dinário desta carta. No restante
mostra que os discípulos em Roma do capítulo 15, Paulo comparti-
não tinham uma igreja perfeita, lhou seus objetivos pessoais. No
porque eles não eram perfeitos! capítulo 16, cumprimentou vinte
Os problemas surgidos nas igre- e quatro pessoas que conhecia
jas que Paulo estabeleceu e o trata- na igreja de Roma e mais nove
mento que ele deu a estes problemas que estavam com ele em Corinto,
deram origem a verdadeiras obras quando ele escreveu esta carta. O
-primas com soluções inspiradas. ensino teológico e suas aplicações
Os judeus que tinham segui- nesta carta terminam no versículo
do Paulo confundiram os crentes, 13 do capítulo 15.
ensinando que os gentios conver- Paulo escreveu três capítulos
tidos tinham que cumprir a Lei aos coríntios, apresentando princí-
para serem justificados. Daí surgiu pios semelhantes aos que ele pres-
outra obra clássica sobre a justifi- creve aqui para os discípulos de
cação pela fé, uma miniatura da Roma (I Coríntios 8-10). Ambas

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 167


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

passagens são obras-primas que No entanto, não eram apenas


ensinam como viver com os santos estes os pontos de discórdia entre
aqui na terra, tendo como base o os discípulos judeus e gentios. Eles
amor que Paulo definiu magistral- também enfrentavam os desafios
mente em I Coríntios 13). relativos à unidade espiritual que
Judeus e gentios cristãos ado- hoje nossas igrejas enfrentam.
ravam o Senhor e, frequentemen- Um dos desafios que enfren-
te, viviam juntos, durante a pri- tamos no relacionamento com
meira geração da Igreja do Novo outros crentes são os chamados
Testamento. Percebemos que, “tabus”. As Escrituras ensinam
nesta carta, do começo ao fim, valores morais absolutos como,
Paulo se dirigiu a judeus e gentios, por exemplo, fornicação, adultério,
porque ele estava tentando ganhar roubo, mentira e outros compor-
os judeus que não estavam con- tamentos negativos, os quais são
vencidos de que Jesus é o Cris- claramente proibidos na Palavra
to, o Messias prometido no Velho de Deus. Entretanto, existem ou-
Testamento, tanto quanto os que tras questões que não são clara-
haviam crido, já que ambos eram mente tratadas na Bíblia, que po-
importantes para a vida da igreja. deríamos denominar de “questões
Grande parte da discórdia en- cinzas” do comportamento cristão.
tre os discípulos em Roma tinha Quando eu era ainda recém
suas raízes nas diferenças entre convertido, cursei uma faculdade,
judeus e gentios cristãos. Estas a fim de me preparar para o semi-
mesmas questões foram tratadas nário e para o ministério, a 800
no Primeiro Concílio da Igreja, re- quilômetros de distância de onde
gistrado no capítulo 15 do Livro eu morava. A igreja na qual eu me
de Atos. Os gentios convertidos converti tinha um livrinho azul,
deveriam tornar-se “judeus” em com uma lista de tudo o que um
sua maneira de viver a fé e a vida crente daquela igreja não podia fa-
em Cristo? Os discípulos judeus zer. A pessoa que não concordasse
deveriam abandonar todas as ob- com aquele livrinho azul não seria
servâncias judaicas, referentes aos aceita como um de seus membros
alimentos que eles podiam ou não e jamais seria um líder. Uma das
comer, bem como os dias que de- coisas que não era permitido fazer
viam guardar? era fumar tabaco.

168 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Num determinado domingo, pelos crentes, como o que vestir,


quando eu me apresentei em uma o que comer e o que beber, quan-
pequena igreja, onde eu seria o to à consagração do sábado ou do
pregador convidado daquela ma- domingo e muitas outras questões
nhã, parecia que toda a igreja es- que não são explicitamente cita-
tava fumando, inclusive o pastor. A das na Bíblia.
maioria daquelas pessoas vivia do Por exemplo, fumar não é
cultivo de tabaco. Enquanto sol- mencionado na Bíblia. Quando os
tava algumas baforadas, o pastor crentes concordam que certo com-
me informou que eu não poderia portamento é errado e o mesmo
pregar na sua igreja naquele dia, não é tratado na Bíblia, essa ques-
porque eu tinha viajado num do- tão “cinza” se torna um “tabu”.
mingo. Ele me disse que todo pre- Algumas pessoas ensinam
gador deveria saber que viajar aos que fumar, por exemplo, é erra-
domingos era pecado! Enquanto do porque, é evidente, não é sau-
eu ainda estava em choque com dável. Entretanto, eu ainda não
a fumaça do pastor, ele me reve- encontrei uma igreja que inclua
lou algo que não estava no livrinho obesidade em seu “livro azul”, em-
azul da minha igreja, que ficava a bora não faltem evidências de que
800 quilômetros de distância. obesidade diminui em um terço a
Quando pecadores se conven- expectativa de vida e está, muitas
cem de seus pecados, às vezes, vezes, comprometida com a gluto-
descobrem que aquilo que faziam naria, mesmo que muitos crentes
antes do seu novo nascimento não não concordem com isso.
é bom apenas para eles, mas tam- Comentei todas estas coisas
bém para todos os crentes. Crêem como uma introdução para que
que porque o Espírito Santo os con- você aproveite melhor os ensinos
venceu de que alguma coisa não de Paulo à igreja de Roma, os
serve para eles, também não serve quais nos mostram como podemos
para os demais crentes da igreja. ser uma colônia de amor e viver o
Eu não estou falando dos pe- céu na terra, desde que resolva-
cados explicitamente condenados mos os conflitos que nos dividem.
na Bíblia. Paulo ensinou vários Ao encerrar esta carta, Pau-
princípios práticos neste capítu- lo prioriza trinta e seis versículos
lo, os quais devem ser aplicados para tratar do mesmo assunto que

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 169


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

tratou em três capítulos inteiros Nos três capítulos que Paulo


numa de suas cartas aos coríntios escreveu aos coríntios, a questão
(I Coríntios 8-10). O assunto, ba- não era decidir se comer aquela
sicamente, é: como viver aqui na carne era certo ou errado. A es-
terra com os santos que conhece- sência era: “quanto você ama o
mos, quando encontramos pon- irmão que acha errado comer da-
tos discordantes com eles. Nes- quela carne?”. Cristo o amou tan-
tas duas passagens, Paulo ensina to, a ponto de morrer por ele. Você
princípios profundos que devem o ama o suficiente para abrir mão
reger nossas atitudes, quando li- do seu direito de comer um prato
damos com questões que dividem de carne e impedir que ele tropece
os crentes, princípios estes que ou fique escandalizado?
nos fazem apreciar os relaciona- Além do princípio do amor,
mentos que temos com Cristo e Paulo conclui os três capítulos,
com outros irmãos. apresentando três princípios que
A primeira questão tratada na deveriam guiar os coríntios, e a nós
carta aos coríntios é que muitos de- também, ao aplicar este ensino (I
les, antes de se converterem, adora- Coríntios 10.30,31). O primeiro
vam ídolos. A carne que era sacrifi- princípio é: “quer vocês comam,
cada naqueles templos, mais tarde, bebam ou façam qualquer outra
era vendida por um preço mais coisa, façam tudo para a glória de
barato nos mercados da cidade. Deus” (I Coríntios 10.31). O se-
Havia muita imoralidade associada gundo princípio é a salvação dos
à adoração de ídolos. No entanto, demais irmãos, ou seja, a bênção
muitos discípulos de Jesus, em Co- espiritual e a edificação do irmão
rinto, acreditavam que não havia mais fraco, que acha ser errado co-
nenhum problema em comprar e mer aquela carne. O terceiro prin-
comer aquela carne, enquanto que cípio é certificar-se de não estar
aqueles que tinham vivido aquela buscando o seu próprio interesse.
vida de adoração a ídolos achavam No texto de Romanos, ele co-
que era pecado comer a carne que meçou este assunto, apresentan-
tinha sido usada para a idolatria que do o mesmo conceito: devemos
eles estavam deixando para trás, o aceitar em nosso meio e na nossa
que se tornou motivo de grande de- comunhão aquele que é fraco. A
savença na igreja de Corinto. partir daí, ele escreveu trinta e seis

170 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

versículos, tratando das questões Outro princípio que Paulo


que estavam causando discórdia compartilha com os romanos é
entre os discípulos de Jesus, em que essas questões devem ser re-
Roma. solvidas com base na convicção.
Quero iniciar o comentário so- Quando o Espírito Santo nos con-
bre esta passagem das Escrituras vence de que alguma coisa é er-
com um resumo introdutório do rada, devemos obedecer, mesmo
que Paulo ensina aqui. Se lermos que tenhamos aprendido de outra
as Escrituras procurando por nada, forma, através dos nossos pais ou
é nada que vamos encontrar. Nas de outros crentes, pois a chave
próximas páginas, mostrarei o que para o nosso relacionamento com
você deve procurar neste estudo o Espírito Santo é a obediência.
da conclusão desta carta. Logo depois do Dia de Pentecos-
Ao estudar esta passagem, tes, Pedro declarou que o Espíri-
observe como Paulo compartilha to Santo foi dado a todos que lhe
princípios com os discípulos roma- obedecem (Atos 5.32). Devemos
nos exatamente como os que com- sempre submeter tudo à convicção
partilhou com os coríntios. Ele os do Espírito Santo.
desafia a resolver esses conflitos Entretanto, isso levanta algu-
usando a consciência (14.22,23). mas perguntas muito importantes:
A consciência não é um guia “Quando o Espírito Santo nos con-
infalível e seguro, porque está con- vence de que algo é errado para
dicionada à educação que recebe- nós, será que também o é para ou-
mos de nossos pais ou ao ensino tros crentes?”. Minha consciência
que aprendemos com aqueles que não deve ser guiada pela consci-
nos iniciaram na vida cristã, quan- ência de outras pessoas, nem eu
do nascemos de novo, que podem devo assumir o lugar do Espírito
ou não estar contidos na Bíblia Santo na vida de outros crentes. O
e nos conduzem, vez ou outra, a Espírito Santo dá a mesma convic-
um comportamento absolutamen- ção em relação a estas questões
te certo ou absolutamente errado. para todos os crentes? Será que é
Portanto, se a nossa consciência é possível, devido à vida que tinha
falível para nós mesmos, não po- antes de me converter, que algu-
demos esperar que ela seja guiada ma coisa seja errada para mim,
por outros crentes. mas não seja para outros crentes?

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 171


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Isso nos leva ao terceiro prin- escreveu aos coríntios, também


cípio, também compartilhado com escreveu aos romanos, que nem
a igreja de Corinto. Paulo desafiou todos os crentes têm a mesma li-
as duas igrejas, de Roma e de Co- berdade. O princípio que nos guia
rinto, a resolverem seus pontos é saber o quanto amamos o irmão,
discordantes, aplicando o princí- que não tem a mesma liberda-
pio da consideração. Ele os exor- de que nós temos, por causa da
tou a levarem em consideração nossa consciência e das nossas
a consciência e as convicções do convicções. Alguém já disse que
outro irmão. temos a liberdade para levantar o
Paulo elogiou os crentes de braço para nosso irmão, mas nos-
Corinto, que sabiam não ter nada sa liberdade acaba onde começa o
errado em comer carne que tives- nariz dele.
se sido sacrificada a ídolos, porque Isso nos leva ao quarto princí-
os ídolos não passavam de madei- pio que Paulo ensinou aos roma-
ra, pedra, prata ou ouro e não ti- nos e aos coríntios: o amor. Pedro
nham nada a ver com o Deus Vivo escreveu que “o amor perdoa mui-
e Verdadeiro, que nós conhecemos, tíssimos pecados” (I Pedro 4.8).
através de Cristo. Porém, ele escre- Na Carta aos Coríntios, Paulo de-
veu: “Nem todo homem tem esse clara, no “Capítulo do Amor”, que
conhecimento. Alguns, sendo fra- esta era a solução para todos os
cos, pensam que é errado comer problemas daquela igreja.
essa carne” (I Coríntios 8.4-13).
Portanto, a questão era quanto eles Controvérsia entre os discípulos,
amavam o irmão mais fraco. versículo por versículo
Ele apresenta este mesmo “Aceitem o que é fraco na
princípio aos romanos com estas fé, sem discutir assuntos contro-
belas palavras: “Pois nenhum de vertidos. Um crê que pode comer
nós vive apenas para si, e ne- de tudo; já outro, cuja fé é fra-
nhum de nós morre apenas para ca, come apenas alimentos ve-
si” (14.7). Com base na nossa getais. Aquele que come de tudo
consciência e nas convicções que não deve desprezar o que não
o Espírito Santo nos dá, somos come, e aquele que não come de
livres para ter certos comporta- tudo não deve condenar aquele
mentos ou não. Assim como Paulo que come, pois Deus o aceitou.

172 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Quem é você para julgar o servo um conselho parecido a Timóteo,


alheio? É para o seu Senhor que quando o aconselhou como alcan-
ele está em pé ou cai. E ficará çar, ensinar ou aconselhar pessoas
em pé, pois o Senhor é capaz de difíceis (II Timóteo 2.23-26).
sustentá-lo. Há quem considere Deus respondeu várias per-
um dia mais sagrado que outro; guntas de Jó, revelando-Se para
há quem considere iguais todos ele, estabelecendo, assim, um
os dias. Cada um deve estar ple- relacionamento entre ambos. Da
namente convicto em sua própria mesma forma, quando um novo
mente. Aquele que considera um cristão busca conhecer mais a
dia como especial, para o Senhor Deus, através de Cristo, suas per-
assim o faz. Aquele que come guntas são respondidas. Além
carne, come para o Senhor, pois disso, ele verá a importância da
dá graças a Deus; e aquele que se santificação e o que é ser separa-
abstém, para o Senhor se abstém, do para Cristo, deixando para trás
e dá graças a Deus. Pois nenhum seus antigos pecados.
de nós vive apenas para si, e ne- Quando Paulo escreveu esta
nhum de nós morre apenas para carta, metade da população na
si. Se vivemos, vivemos para o cidade de Roma era escrava, por
Senhor; e, se morremos, morre- isso ele iniciou afirmando que,
mos para o Senhor. Assim, quer assim como eles eram servos, ele
vivamos, quer morramos, perten- também era servo do Senhor Jesus
cemos ao Senhor” (14.1-8). Cristo; que eles não tinham o di-
Paulo escreveu que a igreja reito de julgar os irmãos, que eram
deve receber aquele que é fraco, também escravos de Cristo, porque
mas deve evitar discussões com ambos teriam que prestar contas
ele. Ele quis dizer que nós deve- ao Senhor Jesus e não um ao outro.
mos estar de braços abertos para A seguir, Paulo trata da ques-
os novos salvos, que são fracos na tão dos dias sagrados. Parece óbvio
fé, porque eles não tiveram o tem- que o problema era a observância
po que nós tivemos para aprender do sábado e todas as proibições
e crescer em Cristo. Paulo quis decorrentes dela. Uma das evidên-
dizer que não devemos nos en- cias mais fortes da ressurreição
volver em discussões com aque- de Jesus Cristo é o fato de que os
les que são novos na fé. Ele deu apóstolos judeus mudaram o dia de

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 173


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

adoração do sábado para o primei- concordam devem mostrar amor e


ro dia da semana, referindo-se ao respeito, e aceitar o direito de cada
domingo como o “Dia do Senhor”. um ter sua própria opinião.
Obviamente, eles trocaram o dia de Tudo que fizermos, façamos
adoração, porque o Senhor tinha para o Senhor. Mesmo que a ênfase
ressuscitado dos mortos no primei- agora seja os relacionamentos entre
ro dia da semana. os irmãos, não podemos nos esque-
Além da questão do sábado, cer das Palavras de Deus a Abraão:
alguns discípulos em Roma acre- “Eu sou o Deus Todo-Poderoso;
ditavam que o Dia do Senhor de- ande segundo a minha vontade e
veria ser observado da mesma for- seja íntegro” (Gênesis 17.1).
ma que o sábado. Muitos crentes A seguir, Paulo coloca diante
hoje consideram o domingo o “Dia de seus leitores a realidade final e
do Senhor”, como o sábado dos o exemplo perfeito do que estava
judeus, e fazem certas restrições ensinando: “Por esta razão Cris-
em suas atividades. Outros cren- to morreu e voltou a viver, para
tes questionam: “E quanto aos ou- ser Senhor de vivos e de mortos.
tros dias da semana?”. Estes têm Portanto, você, por que julga seu
convicção de que todos os dias irmão? E por que despreza seu ir-
são do Senhor. mão? Pois todos compareceremos
Este foi um dos problemas diante do tribunal de Deus. Por-
que a primeira geração da Igre- que está escrito: ‘Por mim mes-
ja do Novo Testamento enfren- mo jurei’, diz o Senhor, ‘diante de
tou: “Há quem considere um dia mim todo joelho se dobrará e toda
mais sagrado que outro; há quem língua confessará que sou Deus’.
considere iguais todos os dias. Assim, cada um de nós prestará
Cada um deve estar plenamente contas de si mesmo a Deus. Por-
convicto em sua própria mente” tanto, deixemos de julgar uns aos
(14.5). Como esta é mais uma outros. Em vez disso, façamos o
questão “cinza”, na opinião do propósito de não colocar pedra de
apóstolo, ele simplesmente de- tropeço ou obstáculo no caminho
clara que cada pessoa deve estar do irmão” (14.9-13).
convicta dos seus próprios atos e Depois de ensinar que, como
agir de acordo com a orientação escravos, todos teremos que pres-
do Espírito Santo. Aqueles que não tar contas ao nosso Senhor Jesus

174 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Cristo, Paulo fala sobre a prestação sejamos pedra de tropeço ou mo-


de contas final. Jesus Cristo não é tivo de queda para nosso irmão e
apenas o Senhor dos vivos, mas fala acerca da responsabilidade que
também aquEle a Quem foi subme- temos com os mais fracos: “Como
tido todo julgamento (João 5.22). alguém que está no Senhor Jesus,
Ele também é Senhor dos mortos. tenho plena convicção de que ne-
Paulo, frequentemente, dá nhum alimento é por si mesmo im-
esse enfoque aos seus ensinos. puro, a não ser para quem assim o
Ele lembra àqueles que construí- considere; para ele é impuro. Se o
ram em cima do fundamento do seu irmão se entristece devido ao
seu ministério em Corinto que um que você come, você já não está
dia eles enfrentarão o Tribunal de agindo por amor. Por causa da sua
Cristo (I Coríntios 3.12-15). comida, não destrua seu irmão,
Ele disse àqueles que apoia- por quem Cristo morreu. Aquilo
ram o seu ministério e rejeitaram o que é bom para vocês não se tor-
ministério de outros, como de Pe- ne objeto de maledicência. Pois o
dro e de Apolo, que também pre- Reino de Deus não é comida nem
garam em Corinto, que eles não bebida, mas justiça, paz e alegria
deveriam fazer julgamento dele, no Espírito Santo; aquele que as-
porque um dia o Senhor trará à sim serve a Cristo é agradável a
luz as motivações ocultas do seu Deus e aprovado pelos homens”
coração e, então, ele será julgado (14.14-18).
(I Coríntios 4.3-5). Paulo asseve- Ao escrever “Como alguém
rou aos coríntios e aos romanos que está no Senhor Jesus, tenho
que todos nós estaremos diante de plena convicção”, Paulo, possivel-
Cristo e Lhe prestaremos contas de mente, estava se referindo à expe-
tudo que fizermos, quer tenha sido riência que ele descreveu em sua
bem ou mal (II Coríntios 5.10). Carta aos Gálatas (1.1-2.10). Je-
Se vamos ser julgados pelo sus ensinou que todos os alimen-
Senhor, por que julgamos uns aos tos são puros (Marcos 7.18,19),
outros? Numa linguagem simples, o que era um ensino revolucioná-
ele estava perguntando: “Quem no- rio para um judeu. A verdade que
meou vocês juizes dos seguidores Jesus ensinou, nos Evangelhos, e
de Cristo?”. Paulo conclui o seu en- Paulo, nesta carta, foi que a con-
sino com a exortação para que não dição espiritual da pessoa que está

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 175


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

comendo o alimento é que determi- nosso Pai do Céu sabe do que pre-
na se o alimento é puro ou impuro. cisamos (Mateus 6.25-33).
Ele resume a essência do Ele garante uma recompen-
Reino de Deus de três maneiras: sa neste conselho ao acrescentar:
justiça, paz e alegria. Na verdade, “aquele que assim serve a Cristo
o assunto desta carta é a justiça, (nessas três coisas) é agradável a
que é um dom de Deus recebido Deus e aprovado pelos homens”
por fé. As atitudes do crente em (14.18).
relação ao seu irmão devem ser Como grande professor que
um exemplo que o inspire e o ins- era, Paulo sabia que sem repeti-
trua a andar com Jesus Cristo para ção não há aprendizado, pois a
essa justiça que é pela fé. repetição é a essência do ensino.
A paz que Paulo escreve aqui Sendo assim, em sua conclusão,
é fruto do Espírito, para nós, in- para enfatizar, ele repetiu: “Por
compreensível, que se manifesta isso, esforcemo-nos em promover
em meio à pior adversidade. O tudo quanto conduz à paz e à edi-
mesmo se refere à alegria como ficação mútua” (14.19).
fruto do Espírito, quando temos Na Primeira Carta aos Corín-
infinitas razões para estarmos tris- tios, Paulo fez uma pergunta mui-
tes. O amor descrito aqui também to importante, que ele mesmo res-
é uma evidência da presença do pondeu: “Portanto, que diremos,
Espírito Santo na vida dos crentes irmãos? Quando vocês se reúnem
(Gálatas 5.22). ... tudo seja feito para a edifica-
Paulo está ensinando que o ção da igreja” (I Coríntios 14.26).
Reino de Deus, com seus valores Neste capítulo, Paulo prescreve
eternos e suas bênçãos, não é o a ordem que deve haver entre os
que comemos ou bebemos. Mais crentes durante a manifestação
uma vez ele ensina, com base no dos dons do Espírito Santo, repe-
sermão de Jesus Cristo, que a vida tindo incessantemente que, quan-
é mais que a carne que comemos, do os crentes se reúnem, um deve
e o corpo é mais que a roupa que buscar a edificação do outro.
usamos. Devemos buscar em pri- Existe uma passagem na Carta
meiro lugar o Reino de Deus e a Sua aos Hebreus que nos ensina que,
justiça e, depois, todas as questões quando nos congregamos, devemos
secundárias serão ganhas, porque procurar satisfazer as necessidades

176 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

e expectativas dos irmãos (Hebreus a respeito destas coisas, que isso


10.21-24). O Novo Testamento é permaneça entre você e Deus. Fe-
consistente ao ensinar que deve- liz é o homem que não se condena
mos olhar não apenas para as nos- naquilo que aprova. Mas, aquele
sas necessidades, mas, também, que tem dúvida é condenado se
para as de nossos irmãos em Cristo comer, porque não come com fé;
(Filipenses 2.4). e tudo o que não provém da fé é
No resumo desses princípios, pecado” (14.22,23).
Paulo enfatiza fortemente nos- Nesta passagem magnífi-
sa responsabilidade de edificar e ca, Paulo desafiou os cristãos de
abençoar nossos irmãos mais fra- Roma a olharem para dentro de si
cos. Estudando esta passagem, as mesmos e examinarem suas cons-
pessoas geralmente perguntam: ciências e convicções. Depois, ele
“Até onde vai o nosso amor pelo os desafiou a olharem ao redor,
irmão mais fraco?”. Paulo respon- com amor, e considerarem seus
de: “Não destrua a obra de Deus irmãos, principalmente os mais
por causa da comida. Todo ali- fracos. Agora, ele estava exortan-
mento é puro, mas é errado comer do que olhassem para cima e an-
qualquer coisa que faça os outros dassem diante de Deus, trazendo
tropeçarem. É melhor não comer diante dEle todas estas questões
carne nem beber vinho, nem fazer que estavam causando discórdia
qualquer outra coisa que leve seu entre eles.
irmão a cair” (14.20,21). O Novo Testamento declara
Outra pergunta que surge é: objetivamente: “Sem fé é impos-
“Mas, se aceitarmos a fraqueza sível agradar a Deus, pois quem
do nosso irmão, não poderá ele dele se aproxima precisa crer que
se acomodar à sua condição?”. Ao ele existe e que recompensa aque-
aconselhar os coríntios, o primeiro les que o buscam” (Hebreus 11.6).
dos três princípios ensinados era Se não podemos nos aproximar de
“fazer tudo para a glória de Deus”. Deus nem agradá-Lo sem fé, então,
Andar diante de Deus e fazer o que qualquer coisa fora da fé em Cristo
O glorifica é mais importante que é pecado. Apesar da essência des-
melindrar nosso irmão mais fraco, te capítulo ser o dever de olharmos
por isso Paulo escreveu: “Assim, para dentro de nós mesmos e, de-
seja qual for o seu modo de crer pois, ao redor, aqueles discípulos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 177


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que estavam em discórdia tinham Depois de resumir, nestes


que olhar para o alto, com fé, caso dois versículos, o que ele ensinou
contrário jamais teriam a sabedoria no capítulo 14, Paulo continua o
e a graça necessárias, para olha- mesmo assunto até o versículo
rem para dentro e ao redor deles, 13. Ele não conseguia pensar em
como deveriam. outro exemplo de tudo o que es-
Jesus ensinou que devemos tava ensinando melhor que o seu
levantar os nossos olhos e olhar Senhor e Salvador: “Pois também
para os campos que estão pron- Cristo não agradou a si próprio,
tos para a colheita, apenas es- mas, como está escrito: ‘Os in-
perando os trabalhadores (João sultos daqueles que te insultam
4.35). Quando Jesus disse isso caem sobre mim’” (15.3; Salmo
aos apóstolos, estava falando de 69.9). “Pois tudo o que foi escri-
gente e não de campos. Jesus es- to no passado foi escrito para nos
tava ensinando que devemos olhar ensinar, de forma que, por meio
para cima antes de olhar ao redor, da perseverança e do bom ânimo
para que possamos ver as pesso- procedentes das Escrituras, man-
as como Deus as vê. Se olharmos tenhamos a nossa esperança. O
para as pessoas, através do amor Deus que concede perseverança e
de Deus, jamais enxergaremos ânimo dê-lhes um espírito de uni-
pessoas impossíveis de serem al- dade, segundo Cristo Jesus, para
cançadas pelo amor divino. que com um só coração e uma só
Quando chegamos ao capítulo voz vocês glorifiquem ao Deus e
15 desta carta, há outra divisão Pai de nosso Senhor Jesus Cris-
que poderia ter sido diferente, já to. Portanto, aceitem-se uns aos
que a questão da discórdia entre outros, da mesma forma que Cris-
os discípulos da igreja de Roma to os aceitou, a fim de que vocês
continua sendo o assunto do início glorifiquem a Deus” (15.4-7).
deste capítulo: “Nós, que somos No contexto do seu ensino re-
fortes, devemos suportar as fra- ferente ao irmão mais fraco, Paulo
quezas dos fracos, e não agradar reduziu sua exortação a princípios
a nós mesmos. Cada um de nós como consciência, convicção, con-
deve agradar ao seu próximo para sideração e amor. Ao escrever aos
o bem dele, a fim de edificá-lo” coríntios, ele sintetizou seu ensino
(15.1,2). a três princípios: (1) Faça tudo

178 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

para a glória de Deus; (2) Busque assunto tratado nos capítulos 9 a


o interesse do próximo para que 11, citando os profetas que pre-
ele seja salvo e edificado; (3) Não viram o retorno espiritual dos ju-
busque o seu próprio interesse (I deus: “Pois eu lhes digo que Cris-
Coríntios 10.31,33). to se tornou servo dos que são da
Será que existe na Bíblia o circuncisão, por amor à verdade
exemplo de alguém que melhor de Deus, para confirmar as pro-
aplicou esses princípios que Jesus? messas feitas aos patriarcas, a
Ele sempre buscou a glória do Pai fim de que os gentios glorifiquem
em tudo, terminando sua vida ter- a Deus por sua misericórdia,
rena numa cruz, em sacrifício por como está escrito: ‘Por isso, eu te
todos nós. A exortação de Paulo, louvarei entre os gentios; Cantarei
portanto, é para que sejamos como louvores ao teu nome’. E também
Cristo. Daí a palavra “cristão”, que diz: ‘Cantem de alegria, ó gentios,
significa “igual a Cristo”. com o povo dele’. E mais: ‘Lou-
Paulo citou o Velho Testamen- vem o Senhor, todos vocês, gen-
to, quando apresentou Jesus como tios; cantem louvores a ele todos
o maior exemplo desses princí- os povos’. E Isaías também diz:
pios. Quando Jesus Se fez pecado ‘Brotará a raiz de Jessé, aquele
por nós, tornou-Se o modelo abso- que se levantará para reinar sobre
luto do que Paulo ensinou. Só vi- os gentios; estes colocarão nele
veremos em unidade com Cristo e a sua esperança’. Que o Deus
com os irmãos quando pensarmos da esperança os encha de toda
e agirmos com a mente de Cristo, alegria e paz, por sua confiança
sejam os irmãos fortes ou fracos. nele, para que vocês transbordem
Paulo, então, conclui o ensino de esperança, pelo poder do Espí-
e apresenta a sua aplicação nesta rito Santo” (15:.8-13).
carta, mostrando a maneira como Preste atenção na maneira
Jesus tratou seus irmãos mais fra- como Jesus tratou aqueles líderes
cos, os judeus. Durante três anos, religiosos. Ele teve alguns diálogos
Jesus teve algumas discussões hostis com eles e, em alguns mo-
com os líderes religiosos judeus, mentos, o confronto foi acirrado.
sem que muitos deles conseguis- Entretanto, Jesus os alcançou dan-
sem entender Sua missão neste do o exemplo que Paulo usou em
mundo, por isso Paulo retoma o sua declaração de missão, quando

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 179


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

escreveu que se fez judeu para al- 13.13), ressaltando que o amor é
cançar aqueles que eram judeus, o maior desses valores.
a fim de que eles fossem salvos (I No “Capítulo da Fé” (Hebreus
Coríntios 9.19-23). 11), lemos que a fé fortalece nossa
Talvez Paulo estivesse suge- esperança. Se não temos evidên-
rindo que Jesus foi motivado a cia alguma, nem razão para crer
passar tanto tempo com os líde- em algo bom, dificilmente teremos
res religiosos judeus, porque Ele esperança de que algo acontece-
tinha a compreensão exata do que rá. Mas, quando cremos em Deus
os profetas tinham falado. É im- e que Ele é galardoador daqueles
portante que nos lembremos que que O buscam, temos uma base
Paulo estava ensinando como os sólida para acreditar que o bem
discípulos deveriam resolver seus que esperamos acontecerá.
problemas, zelando pelo relacio- O amor não é apenas um ca-
namento deles com Cristo e de minho até Deus. Paulo afirmou
uns para com os outros. que dos três valores eternos – fé,
O versículo 13 finaliza este esperança e amor – este último é
ensino com uma bênção: “Que o o maior deles, porque Deus é amor
Deus da esperança os encha de (I João 4.8). Quando experimen-
toda alegria e paz, por sua con- tamos o amor descrito por Paulo,
fiança nele, para que vocês trans- criamos um relacionamento per-
bordem de esperança, pelo poder manente com Deus e Ele conosco
do Espírito Santo”. (I João 4.16).
A esperança é a convicção de Paulo passa a compartilhar
que existe algo de bom neste mun- alguns objetivos com os discípu-
do e que um dia viveremos esta los de Roma, recrutando-os para
experiência boa. No Velho Testa- o ajudarem a cumprir o seu cha-
mento, encontramos referência mado: “Meus irmãos, eu mesmo
a esta esperança no que é bom, estou convencido de que vocês
no Salmo 34.12: “Quem de vocês estão cheios de bondade e plena-
quer amar a vida e deseja ver dias mente instruídos, sendo capazes
felizes?”. Na conclusão do “Ca- de aconselhar-se uns aos outros.
pítulo do Amor”, Paulo falou so- A respeito de alguns assuntos, eu
bre os valores eternos desta vida: lhes escrevi com toda a franque-
esperança, fé e amor (I Coríntios za, principalmente para fazê-los

180 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

lembrar-se novamente deles, por diante do rei Agripa que ele não
causa da graça que Deus me deu era desobediente à visão celestial
de ser um ministro de Cristo Jesus que tinha recebido de Jesus Cris-
para os gentios, com o dever sa- to, para proclamar o Evangelho
cerdotal de proclamar o evange- aos gentios (Atos 26.19,20). Ele
lho de Deus, para que os gentios continua escrevendo aos roma-
se tornem uma oferta aceitável a nos: “Portanto, eu me glorio em
Deus, santificados pelo Espírito Cristo Jesus, em meu serviço a
Santo” (15.14-16). Deus. Não me atrevo a falar de
Paulo estava refletindo sobre nada, exceto daquilo que Cristo
o que tinha escrito nesta carta, ao realizou por meu intermédio em
mesmo tempo em que reafirma a palavra e em ação, a fim de levar
sua confiança neles, em sua ca- os gentios a obedecerem a Deus,
pacidade de obedecerem a tudo pelo poder de sinais e maravilhas
e aplicarem o que lhes tinha sido e por meio do poder do Espírito de
ensinado, nos capítulos anteriores. Deus. Assim, desde Jerusalém e
Ele reconhece certa ousadia arredores, até o Ilírico, proclamei
na maneira como lhes escreveu e plenamente o evangelho de Cris-
lembra que, apesar de o seu cora- to. Sempre fiz questão de pregar
ção ter esse peso pelos judeus, ele o evangelho onde Cristo ainda não
tinha sido chamado e comissiona- era conhecido, de forma que não
do por Jesus para levar os gentios, estivesse edificando sobre alicer-
como os discípulos de Roma, para ce de outro. Mas, antes, como
quem ele estava escrevendo, a está escrito: ‘Hão de vê-lo aque-
Cristo. De uma maneira muito bo- les que não tinham ouvido falar
nita, Paulo descreve o seu ministé- dele, e o entenderão aqueles que
rio para com os gentios, afirmando não o haviam escutado’. É por isso
que apresentava aqueles que ele que muitas vezes fui impedido de
tinha levado a fé em Cristo, como chegar até vocês” (15.17-22).
uma oferta aceitável a Deus e san- Nesta passagem, Paulo está
tificada pelo Espírito Santo. dizendo que, se você traçar um cír-
Paulo continua sua reflexão, culo num mapa, de Jerusalém até
contando como ele estava cum- o centro da Itália, não encontrará
prindo o objetivo e o comissio- nenhum ponto onde ele não te-
namento de Cristo. Ele declarou nha pregado o Evangelho de Jesus

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 181


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Cristo, revelando o coração de um essa persistência em alcançar esta


verdadeiro missionário, ao declarar cidade, porque esperava que a igre-
que não queria pregar o nome de ja de Roma o enviasse e lhe desse
Cristo onde Ele já fosse conheci- todo o apoio para ir à Espanha, a
do, porque não queria construir em fim de proclamar o Evangelho ali.
cima de fundamento alheio. Em várias de suas cartas,
Isto quer dizer que ele tinha Paulo menciona a oferta que es-
o mundo inteiro em seu coração, tava juntando com as igrejas gen-
da mesma maneira que o mun- tílicas que ele tinha estabelecido,
do todo está no coração de Deus, como, por exemplo, as igrejas de
como podemos observar na de- Filipos e de Corinto, para aliviar
claração do grande apóstolo dos o sofrimento dos crentes judeus
gentios, que mostra a extensão que viviam em Jerusalém: “Ago-
da sua visão celestial: “É por isso ra, porém, estou de partida para
que muitas vezes fui impedido de Jerusalém, a serviço dos santos.
chegar até vocês. Mas, agora, não Pois a Macedônia e a Acaia tive-
havendo nestas regiões nenhum ram a alegria de contribuir para
lugar em que precise trabalhar e, os pobres dentre os santos de Je-
visto que há muitos anos anseio rusalém. Tiveram prazer nisso e,
vê-los, planejo fazê-lo quando for de fato, são devedores aos santos
à Espanha. Espero visitá-los de de Jerusalém. Pois, se os gentios
passagem e dar-lhes a oportuni- participaram das bênçãos espiri-
dade de me ajudarem em minha tuais dos judeus, devem também
viagem para lá, depois de ter des- servir aos judeus com seus bens
frutado um pouco a companhia materiais. Assim, depois de com-
de vocês” (15.22-24). pletar essa tarefa e de ter a cer-
Os últimos capítulos do Livro teza de que eles receberam esse
de Atos mostram que Paulo tinha fruto, irei à Espanha e visitarei
verdadeira obstinação para ir à vocês de passagem” (15.25-28).
Roma. Quando ele finalmente che- Este grande apóstolo jamais
gou lá, quase dá a impressão de perdia a oportunidade de lembrar
que ele tinha cumprido sua missão os gentios que eles estavam em
com os gentios, porque tinha al- débito com os judeus, por causa
cançado a capital daquele império das bênçãos espirituais que ti-
mundial. Entretanto, na declaração nham recebido, em razão da in-
acima, percebemos que ele tinha credulidade deles.

182 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Paulo fez outra declaração quem estava escrevendo esta carta,


muito bonita referente à sua visita os quais tinham viajado certa dis-
à Roma e aos discípulos daquela tância para encontrá-lo e ficarem
cidade: “Sei que, quando for visi- um pouco com ele (Atos 28.15).
tá-los, irei na plenitude da bênção Você não se sentiria honrado se ti-
de Cristo” (15.29). O que ele quis vesse sido um destes discípulos,
dizer por “plenitude da bênção de que receberam a versão original
Cristo”? Ele responde esta pergunta desta obra-prima teológica e conhe-
ao escrever aos coríntios e explica ceram o seu prestigiado autor?
como chegou à cidade de Corinto: Antes de registrar seus cum-
“Eu mesmo, irmãos, quando estive primentos pessoais, Paulo escre-
entre vocês, não fui com discurso veu estas palavras: “Recomendo-
eloquente, nem com muita sabe- lhes, irmãos, por nosso Senhor
doria para lhes proclamar o mis- Jesus Cristo e pelo amor do Espíri-
tério de Deus. Pois decidi nada to, que se unam a mim em minha
saber entre vocês, a não ser Jesus luta, orando a Deus em meu favor.
Cristo, e este, crucificado. E foi Orem para que eu esteja livre dos
com fraqueza, temor e com muito descrentes da Judeia e que o meu
tremor que estive entre vocês. Mi- serviço em Jerusalém seja aceitá-
nha mensagem e minha pregação vel aos santos, de forma que, pela
não consistiram de palavras persu- vontade de Deus, eu os visite com
asivas de sabedoria, mas consisti- alegria e, juntamente com vocês,
ram de demonstração do poder do desfrute um período de refrigério.
Espírito, para que a fé que vocês O Deus da paz seja com todos vo-
têm não se baseasse na sabedoria cês. Amém!” (15.30-33).
humana, mas no poder de Deus” (I Paulo tinha boas razões para
Coríntios 2.1-5). temer os judeus descrentes de Jeru-
A chegada de Paulo à Roma salém e da Judeia. De acordo com
foi semelhante ao que ele descre- o livro histórico da Igreja do Novo
veu sobre sua chegada em Corinto. Testamento, o Livro de Atos, quando
Ele foi para Roma na condição de ele chegou em Jerusalém, passou
prisioneiro; tinha sobrevivido a uma por duras perseguições, que resul-
turbulenta viagem de navio, regis- taram em sua prisão. Posteriormen-
trada com detalhes nos dois últimos te, foi como prisioneiro para Roma,
capítulos do Livro de Atos. Ele foi com todas as despesas pagas pelo
recebido pelos cristãos romanos, a governo romano (Atos 27,28).

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 183


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Epílogo
Conheça a Igreja (Romanos 16.1-27)

Quando estudamos a História Deus tem prazer em fazer coisas


da Igreja do Novo Testamento, no extraordinárias, através de pessoas
Livro de Atos, percebemos que a absolutamente comuns”.
Igreja de Jesus Cristo não é feita Esta verdade está presente em
de templos, mas de pessoas. Ali- toda a Bíblia e também é a mensa-
ás, nos três primeiros séculos da gem transmitida, no último capítu-
História da Igreja, não havia tem- lo desta carta. O epílogo deste ex-
plos nem qualquer tipo de cons- traordinário ensino de Paulo, feito
trução, onde a Igreja pudesse se a partir de muitos cumprimentos,
reunir. As pessoas enfrentaram resume-se em “pessoas”.
todo tipo de problemas, desafios e Nos primeiros vinte e três ver-
obstáculos à fé que muitos ainda sículos deste capítulo, Paulo cita o
enfrentam hoje. nome de trinta e três pessoas, sen-
O único livro inspirado da His- do que vinte e quatro delas viviam
tória da Igreja (Atos dos Apóstolos) em Roma - dezessete homens e
revela que as pessoas são veículos, sete mulheres. Elas foram citadas,
através dos quais Cristo edifica Sua mesmo Paulo nunca tendo visitado
Igreja e discipula este mundo de a cidade de Roma, quando escreveu
pessoas feridas, às vezes hostis, esta carta, da cidade de Corinto.
que precisam, desesperadamente, Hoje o percurso entre essas
ouvir o Evangelho de Jesus Cris- cidades pode ser feito de avião
to. No Estudo acerca da vida de em uma hora, mas, no tempo de
Abraão, vimos que, quando Deus Paulo, eram necessárias algumas
quer passar uma ideia, Ele coloca semanas. Mesmo assim, obser-
esta ideia numa pessoa. Deus tra- vamos, impressionados, como as
balhou, e trabalha até hoje, de ma- pessoas do primeiro século faziam
neira coletiva, usando o Seu povo, este percurso entre essas duas ci-
através do qual proclama esta men- dades do Império Romano. Este
sagem: “Deus não procura pessoas capítulo é uma evidência do quan-
extraordinárias para fazer Sua obra. to essas pessoas viajavam.

184 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Uma explicação para esta ex- não foram citados. A mulher inte-
tensa viagem era a extraordinária grante do grupo que estava com
rede de estradas que foi construída Paulo, quando ele escreveu esta
pelos romanos. Através da arque- carta, chamava-se Febe e era de
ologia, temos conhecimento da in- Cencreia, região do Porto, a quin-
crível capacidade que os romanos ze quilômetros ao leste da cidade
tinham para a construção civil. O de Corinto. Era ela uma mulher de
Livro de Atos conta que o Império negócios e, conforme o texto, ia le-
Romano providenciou a viagem de var a carta de Corinto para Roma:
Paulo de Jerusalém para a capital “Recomendo-lhes nossa irmã
do Império. Deus usou este meio Febe, serva da igreja em Cen-
para viabilizar as viagens dos Seus creia. Peço que a recebam no Se-
servos, no início da Igreja, para o nhor, de maneira digna dos san-
cumprimento da Grande Comissão tos, e lhe prestem a ajuda de que
do Senhor. venha necessitar, pois tem sido
Podemos dividir este capítu- de grande auxílio para muita gen-
lo em três partes: nos dezesseis te, inclusive para mim” (16.1,2).
primeiros versículos, Paulo cum- Paulo se refere a Febe como
primenta as pessoas que eram de “serva da igreja em Cencreia”. Em
Roma, amigos que ele tinha co- grego, a palavra usada para “ser-
nhecido em outras viagens, foram va” é “diácono”. Quando a igreja
para Roma e se tornaram parte da dava uma responsabilidade para
igreja, naquela cidade. Na segun- um homem ou para uma mulher,
da parte, encontramos algumas esta pessoa era chamada de “servo
recomendações de Paulo para os e serva” ou “diácono” e “diaconi-
crentes que estavam causando sa”. Qualquer que tivesse recebido
discórdia e divisões na igreja (17- uma tarefa na igreja, como os que
20) e, na terceira parte (21-23), serviam às mesas, nos primeiros
Paulo cumprimentou oito pessoas dias depois do Pentecostes, eram
que estavam com ele em Corinto, chamados de servos ou diáconos
quando ele escreveu esta carta. (Atos 6.2-6).
Ele também citou duas casas, cer- Febe tinha recebido a incum-
tamente localizadas na cidade de bência de fazer o longo trajeto de Co-
Corinto, nas quais se reunia a igre- rinto à Roma para entregar esta car-
ja e alguns homens, cujos nomes ta. Algumas pessoas consideram que

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 185


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Paulo menosprezava as mulheres e exemplo de muitas mulheres que


tinha preconceito contra elas. Na- receberam de Paulo importantes
quele tempo, os fariseus agradeciam missões. Ele inicia a parte de cum-
a Deus todas as manhãs, porque não primentos, citando um casal que o
tinham nascido gentio nem mulher. tinha servido durante vários anos,
Observando a cultura daquele tempo arriscando suas vidas e demons-
e os valores culturais herdados por trando por ele grande amor e cui-
Paulo, como um fariseu, percebemos dado: “Saúdem Priscila e Áquila,
que ele era um homem à frente do meus colaboradores em Cristo Je-
seu tempo em tudo. sus. Arriscaram a vida por mim.
Ele não ensinou que os ho- Sou grato a eles; não apenas eu,
mens e as mulheres têm os mes- mas todas as igrejas dos gentios.
mos papéis e funções, mas que os Saúdem também a igreja que se
homens devem amar suas mulhe- reúne na casa deles” (16.3-5).
res e se entregar por elas, como Lemos, no capítulo 18 de
Cristo amou e entregou Sua vida Atos, que Paulo conheceu este ca-
pela Igreja (Efésios 5.25). Neste sal na cidade de Corinto. Lucas,
capítulo, Paulo citou várias mulhe- autor do Livro de Atos, conta que
res que trabalharam com ele em eles foram levados para fora de
seu ministério. Estudando, cuida- Roma, quando o Imperador Cláu-
dosamente, a vida das mulheres dio decretou que todos os judeus
que Paulo citou em suas cartas, deixassem a capital do Império Ro-
vemos que elas foram suas cola- mano. Paulo se recusava a aceitar
boradoras fiéis, exercendo a fun- ajuda financeira dos irmãos car-
ção de professoras, diaconisas e nais de Corinto e, por isso, juntou-
evangelistas. Ele seguiu o exem- se a este casal para fazer tendas.
plo do Senhor Jesus, encontrado Eles se tornaram muito amigos e a
nos Evangelhos, com referência casa deles se tornou a primeira de
às mulheres que O auxiliaram em muitas das “igrejas nos lares” da
Seu ministério (Lucas 8.1-3). cidade de Corinto.
Esta carta era muito precio- Depois de passar dois anos em
sa para Paulo e ele a entregou Corinto, quando Paulo viajou para
nas mãos de Febe, incumbindo-a a cidade de Éfeso, levou consigo o
de viajar até Roma com a sua re- querido casal e mais uma vez eles
comendação. Febe é apenas um acolheram a igreja na casa deles

186 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

(I Coríntios 16.19). Das seis ve- primeiro convertido a Cristo na


zes que é citado o nome deles, o província da Ásia. Saúdem Maria,
de Priscila é mencionado primeiro, que trabalhou arduamente por vo-
o que pode significar que era ela cês. Saúdem Andrônico e Júnias,
quem ensinava a igreja que se reu- meus parentes que estiveram na
nia em sua casa. prisão comigo. São notáveis entre
Como Paulo, eles também mi- os apóstolos e estavam em Cristo
nistravam aos judeus nas sinago- antes de mim”.
gas, porque está escrito que, em Quando Paulo entrou na re-
determinada manhã, após ouvirem gião da Ásia, cuja capital era
um jovem eloquente e brilhante Éfeso, orou para que o mesmo
chamado Apolo, convidaram-no Espírito que tinha abençoado o
para que fosse à casa deles, onde seu ministério em lugares difíceis,
o instruíram acerca do batismo como Corinto, o abençoasse na-
com o Espírito Santo, pois ele só quela cidade. Ele sequer esqueceu
conhecia o batismo de João Batis- o primeiro convertido, como de-
ta, explicando-lhe com mais exa- monstra ao referir-se a Epêneto.
tidão o caminho de Deus. Como Paulo fala de Maria como uma
resultado desse discipulado, Apolo mulher empenhada na obra, citan-
retornou a Corinto, onde teve um do, também, seus parentes, Andrô-
ministério frutífero de ensino, jun- nico e Júnias, bem como o fato de
tamente com Pedro e outros cris- eles terem se convertido a Cristo
tãos que o seguiam naquela cida- antes dele, o que significa que eles,
de (Atos 18.24-28). provavelmente, tenham orado mui-
Foi nesse período que Prisci- to por Paulo, quando ele ainda era
la e Áquila arriscaram suas vidas um perseguidor da igreja, em Je-
por causa de Paulo. Os três anos rusalém. Imaginem como o então
de ministério em Éfeso acabaram Saulo de Tarso deveria detestar a
abruptamente, depois que toda ci- ideia de que dois dos seus parentes
dade se rebelou e Paulo teve que tinham se convertido às “heresias”
deixá-la (Atos 19.23-20.1). que ele tanto perseguia! Talvez, na
Nos versículos 5 a 7, lemos: eternidade, a gente ouça como as
“Saúdem também a igreja que se orações dessas duas pessoas cola-
reúne na casa deles. Saúdem meu boraram para o milagre que trouxe
amado irmão Epêneto, que foi o aquele parente tão especial a Cristo.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 187


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Paulo escreve que eles tinham indicação de que eram pessoas


sido presos juntos e que os após- que faziam parte da aristocracia
tolos tinham muita consideração de Roma. Estas duas mulheres
por eles, o que denota sua iden- frágeis e sensíveis, que não pre-
tificação com seus parentes, não cisavam trabalhar para viver, tra-
apenas em razão do parentesco, balharam incansavelmente para o
mas porque eram soldados de Senhor, o mesmo se aplicando à
Cristo com Paulo, na prisão, uma Pérside, de quem nada sabemos,
experiência que, certamente, uniu a não ser o que Paulo deixou regis-
seus corações para sempre. “Jú- trado nesta carta.
nias” pode ser referência a um A mãe de Rufo era como se
casal ou a um irmão e uma irmã fosse a mãe de Paulo. Sendo só,
muito especiais para ele. ele precisava do cumprimento da
Todas as citações de Paulo promessa de Jesus, que diz que
a pessoas que ele conhecia em aqueles que O seguirem receberão
Roma servem como uma fonte de pais, mães, irmãos e irmãs (Mar-
detalhes e informações para os es- cos 10.29,30). Pessoas como a
tudiosos. Alguns desses membros mãe de Rufo e, provavelmente,
da igreja de Roma eram escravos, também Priscila e Áquila contribu-
enquanto outros ocupavam luga- íram para o inspirado conselho de
res de destaque na sociedade e na Paulo a Timóteo, seu filho na fé,
política daquela cidade. para considerar as mulheres mais
Nos versículos 12 e 13, ele velhas como mães (I Timóteo 5.2).
cita outras valorosas mulheres: A seguir, Paulo cumprimenta
“Saúdem Trifena e Trifosa, mulhe- um grupo de homens de negócios
res que trabalham arduamente no com nomes gregos, que tinham se
Senhor. Saúdem a amada Pérsi- mudado para Roma e mantinham
de, outra que trabalhou ardua- em suas casas algumas das “igrejas
mente no Senhor. Saúdem Rufo, nos lares”: “Saúdem Asíncrito, Fle-
eleito no Senhor, e sua mãe, que gonte, Hermas, Pátrobas, Hermes
tem sido mãe também para mim”. e os irmãos que estão com eles.
Trifena e Trifosa, cujos nomes Saúdem Filólogo, Júlia, Nereu e
significam “sensível” e “delicada”, sua irmã, e também Olimpas e to-
foram pessoas que trabalharam dos os santos que estão com eles”
muito para o Senhor. Também há (16.14,15). A todas estas pessoas

188 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

citadas, ele escreveu: “Saúdem Tércio foi o homem que escre-


uns aos outros com beijo santo. veu o que Paulo ditou, deixando
Todas as igrejas de Cristo lhes en- sua própria saudação: “Eu, Tércio,
viam saudações” (16.16). que redigi esta carta, saúdo vocês
A partir do versículo 17, Paulo no Senhor”. Pelo nome, que signi-
faz um alerta àqueles que se diziam fica “Terceiro”, sabemos que Tér-
seguidores de Jesus Cristo mas, na cio era escravo. Como prisioneiros,
verdade, não o eram (16.17-20). os escravos não eram identificados
Quando Jesus concluiu o Sermão pelos seus nomes, mas recebiam
da Montanha com a Parábola do uma identificação própria, às ve-
Trigo e do Joio, ensinou que pode- zes números e não nomes, como
mos esperar que o inimigo ataque vimos no versículo 23, quando
a igreja de dentro para fora (Ma- Paulo fez menção a “Quarto”,
teus 13.24-30,37-40). Em todas outro escravo. Quando o Impé-
as cartas do Novo Testamento este rio Romano conquistou o Império
problema foi abordado e o conse- Grego, escravizou os gregos, que,
lho do apóstolo Paulo sempre foi na maioria das vezes, tinham um
ignorar aqueles que só causam di- nível educacional superior aos ro-
visão e dissensões na igreja. manos. Provavelmente, esses dois
A seguir, Paulo transmite as eram escravos cultos que tinham a
saudações dos homens que esta- incumbência de ensinar as crian-
vam com ele, quando escreveu esta ças romanas.
carta, em Corinto: “Timóteo, meu Também vemos a citação a
cooperador, envia-lhes saudações, Erasto, que era o administrador
bem como Lúcio, Jasom e Sosí- da cidade de Corinto, bem como
patro, meus parentes. Eu, Tércio, a Gaio, que hospedou o apóstolo
que redigi esta carta, saúdo vocês Paulo e toda a igreja em sua própria
no Senhor. Gaio, cuja hospitalida- casa, quando os seus pequenos gru-
de eu e toda a igreja desfrutamos, pos precisavam se reunir (16.23).
envia-lhes saudações. Erasto, ad- Este pequeno cenário com-
ministrador da cidade e nosso ir- posto destes homens, que esta-
mão Quarto enviam-lhes sauda- vam com Paulo, quando ele escre-
ções. Que a graça de nosso Senhor veu esta carta, oferece um quadro
Jesus Cristo seja com vocês todos. da sociedade grega da cidade de
Amém!” (16.21-24). Corinto, do topo até sua base.

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 189


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

Estudando os nomes citados por Igreja: cada um ganhando e dis-


Paulo, vemos que o que se apli- cipulando, como fizeram Priscila
cava aos homens de Corinto era o e Áquila na vida e no ministério
mesmo que aos que faziam parte de Apolo, para não falar de Paulo,
da igreja de Roma. que sempre acompanhou o cres-
Estudiosos como William Bar- cimento espiritual das igrejas que
clay, da Universidade de Edinburgh, fundava, sendo o exemplo maior
na Escócia, têm uma informação seu contínuo incentivo ao discí-
muito preciosa para nós sobre es- pulo e filho na fé, Timóteo, o que
sas pessoas. No comentário sobre revela a importância deste méto-
a Carta aos Romanos, vemos que a do, que multiplicou o número de
igreja de Roma também represen- discípulos, no início da Igreja.
tava a sociedade daquela cidade, As últimas palavras de Paulo
do seu topo até a base, dos nobres para os discípulos de Jesus em
aos escravos, do rico ao pobre. Roma foram: “Ora, àquele que
Na igreja havia pessoas de to- tem poder para confirmá-los pelo
das as classes sociais, que se reu- meu evangelho e pela procla-
niam, conforme haviam aprendido mação de Jesus Cristo, de acor-
com Jesus, que escolheu doze do com a revelação do mistério
homens completamente diferen- oculto nos tempos passados, mas
tes uns dos outros, representando agora revelado e dado a conhecer
todos os tipos de pessoas na so- pelas Escrituras proféticas por or-
ciedade, a fim de alcançarem dife- dem do Deus eterno, para que to-
rentes camadas sociais, à medida das as nações venham a crer nele
que faziam discípulos para Jesus e obedecer-lhe; sim, ao único
em todo o mundo. Deus sábio seja dada glória para
A essência da Grande Comis- todo o sempre, por meio de Jesus
são era, e ainda é, fazer discípulos Cristo. Amém!” (16.25-27).
(Mateus 28.19,20). Hoje somos As outras cartas de Paulo têm
gratos pela oportunidade de fa- em média mil e oitocentas pala-
zer discípulos, usando a mídia e vras, enquanto que esta contém
alcançando grandes massas, mas mais de setenta e uma mil. Paulo
não devemos deixar que esses encerra esta magnífica carta com
novos métodos substituam o que outra doxologia, na qual invoca a
foi usado na primeira geração da bênção de Deus, que é o Único

190 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

que pode firmar os discípulos de Escrevendo aos gentios con-


Jesus e, neste caso, Seus discípu- vertidos de Roma, de Éfeso e de
los em Roma. Esta bênção apos- Colossos, Paulo afirmou que esse
tólica está: (1) de acordo com o mistério é Cristo vivendo neles: “A
Evangelho que ele apresentou ele quis Deus dar a conhecer entre
nesta obra-prima teológica; (2) de os gentios a gloriosa riqueza deste
acordo com a revelação do misté- mistério, que é Cristo em vocês,
rio que foi guardado, mas depois a esperança da glória” (Colossen-
começou a ser revelado pelas Es- ses 1.27). Também nas seguintes
crituras proféticas; (3) de acordo passagens, as quais vale a pena
com a Grande Comissão dada você conferir: Romanos 11.25,26;
para ser cumprida e obedecida 16.25,26; Efésios 3.2-6).
pela fé; (4) de acordo com a glória
de Deus, através de Jesus Cristo, Aplicação pessoal
para todo o sempre. No início desta série, no co-
Este foi o objetivo e o desejo mentário geral que fizemos da
do coração de Paulo ao escrever Carta de Paulo aos Romanos, eu
esta carta, que também é chama- os desafiei a orar a Deus, pedin-
da “A Constituição Doutrinaria” ou do que Ele falasse ao seu coração
“Os Fundamentos da Igreja”: que durante o estudo deste livro. Qual-
os discípulos de Jesus a usassem quer pessoa que acredita na sal-
para estabelecer a pregação de vação pelas obras deve responder
Cristo e do Seu Evangelho. pelo menos três perguntas: Como
O mistério a respeito do qual você pode saber se já fez boas
Paulo escreveu nesta doxologia, é obras suficientes para garantir a
o milagre que Deus sempre pre- vida eterna? Se a salvação pode
tendeu para salvar, tanto judeus ser conseguida pelas boas obras,
como gentios. O mistério é o pró- por que Jesus morreu na cruz? De-
prio Cristo: “Não há dúvida de que pois de estudar esta carta, você
é grande o mistério da piedade: está pronto para crer em Deus e
Deus foi manifestado em corpo, ser justificado pela fé?
justificado no Espírito, visto pelos Se você respondeu afirma-
anjos, pregado entre as nações, tivamente esta última pergunta,
crido no mundo, recebido na gló- faça esta oração comigo. Fale com
ria” (I Timóteo 3.16). Deus, assim como eu fiz há muitos

CBI - Encontro com a Palavra Livro 12 191


ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

anos: “Querido Pai Celestial, eu para Sua glória. Obrigado(a) pela


confesso que sou pecador e que tão grande salvação que o Senhor
confio no Teu Filho, Jesus Cristo, me proporcionou. Amém!”.
como meu Salvador. Confio que Se você fez esta oração, eu o
tenho perdão de todos os meus convido a escrever para nós, con-
pecados por causa da Sua morte tando sua experiência. Também
na cruz e ressurreição dos mortos. queremos saber se você já está
Rejeito todos os meus pecados e frequentando alguma igreja que
quero anular este divórcio entre ensine a Palavra de Deus.
mim e Ti. Aqui e agora eu declaro, Se você já crê em Deus e é um
pela fé, que Jesus Cristo é o meu seguidor de Cristo, eu o desafio a
Senhor e Salvador. Entrego minha ser como Paulo e compartilhar o
vida, de maneira incondicional, ao que você aprendeu com esta carta
Teu controle e direção. Faça com aos romanos. Compartilhe as Boas
que minha vida esteja em perfeito Novas de Jesus Cristo com quem
alinhamento com aquilo que o Se- você puder, para que outras pes-
nhor sempre desejou para mim. soas também sejam declaradas
Ajuda-me seguir Teu Filho, Jesus justas e vivam a bênção da paz
Cristo, a confiar no Seu poder e eterna com Deus pela Sua graça,
autoridade e a viver para Ele e através da fé.

192 Livro 12 CBI - Encontro com a Palavra


C.B.I. ENCONTRO COM A PALAVRA – QUESTIONÁRIO DO LIVRO 12
ESTUDO DE ROMANOS VERSÍCULO POR VERSÍCULO

ALUNO(A):______________________________________________________
RUA:__________________________________________________________
BAIRRO:_____________________________FONE:______________________
CEP:_______________CIDADE:______________________________________
EST:________E-MAIL:______________________________________________
NASC:_____/_____/_____ SEXO: ( )M ( )F EST. CIVIL:__________________
ESCOLARIDADE:________________IGREJA:____________________________
ESPOSO(A):_____________________________ NASC:____/____/____
Aulas através de: ( )Rádio ( )Internet ( )CDs

Leia com atenção o livro e responda o questionário. Em cada questão, apenas


uma das três alternativas está correta e deverá ser assinalada. Ao recebermos
este questionário respondido, enviaremos GRÁTIS o próximo número, na medi-
da que o estudo pelo rádio for avançando.

QUESTIONÁRIO

1. A Carta de Paulo aos Romanos foi escrita:


A( ) Em sua 2ª viagem missionária
B( ) Em sua viagem à Roma
C( ) Em sua 3ª viagem missionária

2. A palavra IRA, em hebraico, significa:


A( ) “Odiar”
B( ) “Ultrapassar”
C( ) “Matar”

3. Existem níveis de sofrimento que sem a graça de Deus não podemos:


A( ) Entender
B( ) Suportar
C( ) Aceitar

4. Os romanos consideravam seus filhos crianças até a idade de:


A( ) 10 anos
B( ) 12 anos
C( ) 14 anos
5. O que Paulo ensina é que devemos confiar nossa salvação:
A( ) À graça, às escolhas soberanas de Deus e à obra de Jesus Cristo, na cruz
B( ) Às nossas escolhas e às nossas boas obras
C( ) À nossa religião

6. A sociedade, na qual foi plantada a Igreja do Novo Testamento, era contro-


lada pelo:
A( ) Império Romano
B( ) Judaísmo
C( ) Pecado

7. Toda nação onde o Evangelho é pregado livremente é uma nação:


A( ) Livre
B( ) Evangelizada
C( ) Missionária

8. O maior obstáculo para conhecermos a vontade de Deus para nós é a nossa:


A( ) Própria vontade
B( ) Natureza pecaminosa
C( ) Religião

9. Em todos os ensinos de Jesus as coisas mais simples são as mais:


A( ) Profundas
B( ) Difíceis
C( ) Importantes

10. A mãe de Rufo era como se fosse:


A( ) Tia de Paulo
B( ) Irmã de Paulo
C( ) Mãe de Paulo

Enviar para:

ENCONTRO COM A PALAVRA


Caixa Postal 2011
89201-970 - Joinville-SC
Obs.: Você também pode digitalizar e enviar pelo
e-mail: encontrocomapalavra@desfrutedeus.com
MEU TESTEMUNHO

Obrigatório marcar á Autorizo a divulgação de meu testemunho


uma das duas opções á Não autorizo a divulgação de meu testemunho.
Município: _________________________________________________________ UF: ______
Nome: ____________________________________________________ Data: ___/___/_____

_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________
_________________________________________________________