Você está na página 1de 2

FACAMP – Faculdade de Campinas

Curso de Relações Internacionais


Administração
2º Semestre de 2011
Catarina Rodrigues Duleba RA: 200910938

Relatório 2 – Modelo Burocrático de Organização

A Teoria da Burocracia na Administração surgiu por volta da década de


1940 em um contexto de ausência de uma teoria de organização estável, já
que a Teoria Clássica e a Teoria das Relações Humanas se mostravam
obsoletas e inadequadas e, além disso, houve um crescimento das empresas,
o que exigiu um novo modelo organizacional. Teve por inspiração o modelo
burocrático de Max Weber. Para Weber, há três tipos de sociedade e
autoridade distintas: tradicional, carismática e burocrática.

De acordo com o autor, a burocracia apresenta uma organização


eficiente por excelência por apresentar os seguintes fatores como fundamento:
padronização de procedimentos, profissionalização dos participantes,
hierarquia da autoridade, meritocracia, impessoalidade, especialização,
funcionamento previsível, caráter formal das comunicações, e caráter legal das
normas.

Apesar de suas claras vantagens, a burocracia apresenta certos


dilemas. Trata-se de conseqüências imprevistas, ou disfunções, sendo elas: o
excesso de formalismo, conformidade aos procedimentos, despersonalização
de relações, manifestações de autoridade, resistência a mudanças, decisões
tomadas a partir da categorização, apego a regulamentos, além dos conflitos
com o público e dificuldade de atendimento.

Merton constatou essas disfunções e observou que tais questões


levariam a uma ineficiência, não podendo ser solucionada pela burocracia.
Para Hall, a burocracia pode ser “medida” a partir de seis dimensões, que são:
hierarquia, especialização funcional, formalização da comunicação,
impessoalidade, competência técnica, regras e regulamentos. Na visão de Kast
e Rosenzweig, o modelo burocrático é bem adequado para ações repetitivas e
rotineiras da companhia, em que a produtividade é o objetivo a ser alcançado.

Mesmo com suas limitações, podemos notar que a burocracia é uma


boa alternativa de organização por seu caráter indutivo, descritivo e explicativo,
em oposição à Teoria Clássica. As características da burocracia, definidas por
Weber, apresentam vantagens para a organização como um todo. Por isso, tal
modelo cresceu e se desenvolveu muito no século XX e dominou o panorama
empresarial.