Você está na página 1de 2

Olá Cláudia, estou de acordo com o seu comentário, a depressão é um termo que vem do latim

de (baixar) e premere (pressionar), isto é, deprimere, que literalmente significa "pressão


baixa". É relativamente recente, tendo sido introduzido no debate sobre a melancolia em
contextos médicos somente no século XVIII, passando a ser mais utilizado pelos
psicopatologistas no século XIX.

A Depressão é um Transtorno Afectivo (ou do Humor), caracterizado por uma alteração


psíquica e orgânica global, com consequentes alterações na maneira de valorizar a realidade e
a vida.

O Afecto é a parte de nosso psiquismo responsável pela maneira de sentir e perceber a


realidade.

A Depressão é uma das doenças psiquiátricas mais frequentes. Uma em cada quatro mulheres
e um em cada dez homens, podem vir a ter crises depressivas durante a vida desde a
juventude até à terceira idade.

É uma perturbação do humor que não deve ser confundida com sentimentos de tristeza que
geralmente são reactivos a acontecimentos da vida que passam com o tempo e não impedem
a pessoa de viver normalmente.

Nas pessoas deprimidas há uma diminuição da vitalidade.

A criança também pode ser afetada. Nas crianças, os sintomas da depressão se manifestam de
forma diferente. Normalmente há mais queixas físicas do que psíquicas, havendo diferenças
entre meninos e meninas.

Geralmente eles ficam mais agressivos, apresentam problemas de conduta na escola. Elas
ficam apáticas e se isolam.

Como as crianças têm dificuldade de expressar o que sentem, os sintomas psicossomáticos


podem ajudar os pais a identificar a doença.
No caso das Psicoterapias tenta elucidar as causas cognitivas em relação ao paciente. Trata-se
da abordagem utlizando Terapia analítica ou psicanalítica - com objetivo de superar
dificuldades e bloqueios que levam a depressão, um espaço favorável ao crescimento pessoal
e ao conhecimento de si próprio.

Na Terapêutica comportamental - tem por objectivo colocar em evidência hábitos,


comportamentos e pensamentos que possam favorecer o aparecimento de sintomas
depressivos e procura convencer o deprimido a modificar o decurso dos acontecimentos, de
forma a superar as suas próprias dificuldades.

Na Terapia cognitiva - ajuda a examinar os pensamentos e a visão da realidade e tem por


objectivo modificar os pensamentos pessimistas. Procura ensinar o paciente a identificar
eventuais visões distorcidas da realidade, a modificar crenças sobre si e sobre outros, aprender
a mudar de postura e a ser mais proactivo na resolução de problemas.

A Terapêutica interpessoal - enquadra a modalidade de relação com os outros. É uma terapia


de grupo que ajuda os doentes a compreenderem que não estão sós e que se podem ajudar
mutuamente, encorajando-se entre si e discutindo os seus próprios problemas.

Os antidepressivos atualmente mais usados são: para os homens os mais antigos como
Anafranil (Clomipramine) e para a s mulheres Prozac (fluoxetina) ou Zoloft.( Sertraline)