Você está na página 1de 44

Nesta edição segundo fascículo d

Nesta edição: II fascículo do ÍMPAR — O Carisma do Líder da Boa Vontade.

BOA VONTADE

ecumênicA • AnO XXii • nº 194 • OutuBRO de 2004 • R$ 7,90
ecumênicA • AnO XXii • nº 194 • OutuBRO de 2004 • R$ 7,90
A RevistA dA espiRituAlidAde
A RevistA dA espiRituAlidAde
Editorial Alziro Zarur e Paiva Netto: unidos pela Boa Vontade Mundial (páginas 4 a 7)
Editorial
Alziro Zarur e Paiva Netto: unidos pela
Boa Vontade Mundial (páginas 4 a 7)

O Portal

Terceiro Milênio

do

Mundial (páginas 4 a 7) O Portal Terceiro Milênio do Edição especial do 15 o aniversário

Edição especial do 15 o aniversário do

Edição especial do 15 o aniversário do Templo da Boa Vontade — A Pirâmide da Paz

Templo da Boa Vontade

Edição especial do 15 o aniversário do Templo da Boa Vontade — A Pirâmide da Paz
Edição especial do 15 o aniversário do Templo da Boa Vontade — A Pirâmide da Paz

— A Pirâmide da Paz

Edição especial do 15 o aniversário do Templo da Boa Vontade — A Pirâmide da Paz
Portal Terceiro Milênio do Edição especial do 15 o aniversário do Templo da Boa Vontade —
Portal Terceiro Milênio do Edição especial do 15 o aniversário do Templo da Boa Vontade —

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

João Preda

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

EDITORIAL

www.paivanetto.com.br

Quinze e 25 anos

2004 BOA EDITORIAL www.paivanetto.com.br Quinze e 25 anos José de Paiva Netto, jorna- lista, radialista e

José de Paiva Netto, jorna- lista, radialista e escritor, é Presidente das Instituições da Boa Vontade.

E m 21 de outubro de 1989, durante

o 10 o aniversário do desenlace do

saudoso fundador da Legião da Boa

Vontade, Alziro Zarur (1914-1979),

inaugurei em Brasília/DF, Brasil, na presença

de milhares de pessoas vindas de várias partes do Planeta, o Templo da Boa Vontade (TBV), símbolo expressivo da vanguardeira mensagem do Ecumenismo *1 Total e Irrestrito ao mundo. Com satisfação, estamos comemorando o

TBV. Segundo a Agência

de Desenvolvimento do Turismo do Distrito Federal (Adetur), ele é, desde que foi aberto, o monumento mais visitado do Planalto Central, recebendo mais de um milhão de peregrinos por ano. Isso nos leva a refletir sobre a força da pre-

gação pioneira e pragmática da LBV Mundial, originária do Programa Hora da Boa Vontade, que Zarur criou a 4 de março de 1949. A famosa Instituição teve as suas primeiras reuniões na Associação Brasileira de Imprensa, a ABI.

15 o aniversário *2 do

4
4

O despertar do sentimento de Solidariedade

Chico Anysio é entrevistado pelo jornalista Enaildo Viana, no programa Brasil Demo- crático da Rede Mundial de Televisão – A TV da Educação, da Cultura e da Cidadania com Espiritualidade!

lembrado Proclamador da Religião doAmor Universal, durante o memorável “Congresso da Mocidade Legionária e dos Soldadinhos de Deus”, no Clube Sampaio, na cidade do Rio de Janeiro, em 10 de julho de 1976. Trata-se de um resumo histórico das lutas desse gigante da Boa Vontade, que recebeu de Jesus a missão de revelar o Seu Novo Mandamento: Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei (Evangelho do Cristo, segundo João, 13: 34), há dois milênios quase esquecido na Bíblia Sagrada.

Chico Anysio fala sobre Zarur

No programa Brasil Democrático *3 , da Rede Mundial de Televisão — A TV da Educação, da Cultura e da Cidadania com Espiritualidade!, o ilustre Chico Anysio, homem de mil talentos, narra um impressionante testemunho a respeito do início da vida apostolar de Zarur. Prestemos atenção ao resumo das declarações do velho Chico:

“Faço parte também do seletíssimo grupo de pessoas para

quem Alziro Zarur, pela primeira vez, falou na Legião da Boa Vontade. Eu era radioator da Mayrink Veiga, já tinha saído da Guanabara. O nosso diretor no radioteatro era Zarur. Naquele dia, tínhamos ensaio de um capítulo de novela, devia ser umas seis e meia quando ele chegou, dizendo que havia recebido uma mensagem divina. E ele tremia todo, estava nervosíssimo, não pôde fazer o ensaio. Quem fez foi o Urbano Lóis. E nós todos

Dali em diante, ele se transformou.

entendemos o Zarur (

).

Nesta ocasião festiva, quero prestar uma justa homenagem ao grande brasileiro, jornalista, radialista, poeta e escritor, Alziro Zarur. Por força de sua coragem e de inabalável confiança nos desígnios de Deus, fomentou, por intermédio de sua pregação pioneira e irrestritamente ecumênica, o sentimento de Solidariedade religiosa do Povo. Apresento a seguir mensagem do sempre

Arquivo LBV
Arquivo LBV

Em 7 de janeiro de 1950, Alziro Zarur (1914-1979) comanda a primeira reunião ecumênica da Legião da Boa Vontade, a Cruzada de Religiões Irmanadas pela qual pioneiramente preconizava o inter-relacionamento religioso. Ela foi realizada no Salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro/RJ, da qual Leopoldo Machado foi um dos oradores. Na primeira foto, ao lado esquerdo de Zarur, que aparece em pé, Teles da Cruz (Catolicismo), à direita Murilo Botelho (Esoterismo) e Ascânio Farias (Positivismo).

Arquivo LBV

Arquivo LBV

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Então, fui o primeiro a saber disso. Ele abandonou tudo. Não foi mais diretor do radioteatro. Fez um programa, chamado Hora da Boa Vontade, às seis da tarde. E, dali, passou para a

Criou a Legião

da Boa Vontade. Era a Sopa do Zarur,

a Sopa dos Pobres. Os mendigos do

Rio não passaram mais fome, porque

a sopa que distribuía matava a fome

de todos. Sei da seriedade, que ele não fez disso um meio de ganhar dinheiro, de enganar ninguém. Faço doações para a LBV: várias vezes já as fiz. Na minha exposição *4 , no Templo da

Boa Vontade, em Brasília/DF, farei

outra e continuarei ajudando, porque

Rádio Mundial. (

)

a LBV é da maior seriedade. Eu estou

abençoado com a minha pintura aqui. Deus está aqui comigo! É uma coisa muito divina demais! (

Um “garoto furão”

Agora, passarei a palavra ao próprio homena- geado, cujo nome vem carregado de simbolismo bíblico a que ele tanto serviu: Alziro Abrahão Elias David Zarur:

“Entrei no rádio na década de 1930. Só em 49 pude lançar a Cam- panha da Boa Vontade, a partir da qual fundei a LBV. Vejam bem, de 1930 até praticamente 1950,

levei 20 anos num aprendizado. Já havia mais quatro, antes disso, porque comecei em 1926, pregando na rua, no trem, no bonde. Era um ‘garoto furão’. Ficava todo mundo espantado comigo. No trem, o garoto metia o dedo no ar e dizia:

— ‘Meus amigos, o que é

que vocês sabem de Jesus?

O que sabem da Vida eter-

na?’. Daqui a pouco estava todo mundo calado, escu- tando o garoto. É “Depois de feito tudo

é fácil, qualquer um faz. Todos conhecem uma fra- se que diz muito bem:

— ‘Você está vendo aque-

le cara? É um engenheiro de obras feitas’. A maioria é de engenheiros

de obras feitas. Mas, fazer é que é, desbravar é que é, abrir caminho é

que é

Ainda mais, depois é preciso

saber fazer a coisa. Vocês reconhe- cem que a maioria não tem estrutura enciclopédica, é gente simplória.

O menino Zarur, aos 8 anos de idade.

Paiva Netto sempre esteve presente nos momentos de grandes desafios atravessados pelo fundador da LBV à frente da Instituição.

5
5

Corrêa Santos

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

6
6

EDITORIAL

www.paivanetto.com.br

Então vocês têm de ir à massa, ao entendimento do Povo.

Programas radiofônicos

“Na minha vivência radio- fônica, lancei a Enciclopédia Popular com gatinhos e sinucas. Gatinho era um errinho de português; sinu- ca, uma pergunta difícil de responder. Lancei Gatinhos em 1941, portanto, vejam vocês, há quanto tempo! Pois até hoje quando passo na rua

ainda escuto: ‘Onde é que está

o gatinho?’. Eu dizia uma fra-

se errada e perguntava: Onde é que está o gatinho? Por exemplo: Eu tenho a súbida honra; onde é que está o ga- tinho? Perfeitamente, está na

palavra súbida que não existe.

O certo é ‘subida honra’, quer

dizer, honra elevada. E há

muitas outras coisas de que vocês se lembram. Até na revista Boa Vontade há várias publicações de Onde é que está o gatinho? O gatinho é o erro de português. E quanta gente aprendeu muita coisa à custa desse processo engraçado de ensinar. E ainda dava prêmios a quem acertasse. “Sinuca era uma pergunta difícil. Por exemplo: Como se chama quem nasce em Guimarães, cidade de Portugal? Como se chama quem nasce na cidade do Rio de Janeiro? Quem nasce na cidade do Rio é carioca. Quem nasce na cidade de São Paulo é paulistano. E quem nasce em Guimarães, como é o nome dele? É sinuca mesmo porque o pessoal se embasbacava. Ora, quem nasce em Guimarães é vimaranense. Quem podia imaginar uma coisa dessas? Quem nasce em Jerusalém é hierosolimitano. Mas era uma sinuca, porque ninguém sabia como é que era. Mas havia também umas perguntas fáceis, por exemplo: Quem foi que fundou a Legião da Boa Vontade? “Como o tempo passa! Mas, Deus sabe que tudo o que é possível fazer pelo bem da Humanidade tenho feito, e pelo bem do meu Brasil. São praticamente 50 anos de vida pública. Menino ainda já escrevia nos jornais, no Suplemento Infantil. Mas papai não queria, então eu assinavaAlmanzor Kabul; no rádio, Ricardo Reis; até que um dia pude começar a trabalhar com o meu próprio nome. Quantas coisas tenho enfrentado para levantar o povo brasileiro, para levar o Evangelho e o Apocalipse aos corações!

Zarur pregando o Evangelho, na Rádio Mundial, durante seu famoso programa

Jesus Está Chamando! (Rio de Janeiro/RJ).

Os primórdios da LBV

“Ora, tudo isso foi ensinado no rádio, no Programa Alziro Zarur, com várias denominações. É assim como as vidas humanas: o mesmo Espírito vem em várias épocas, com vários corpos e vários nomes. Mas na realidade é um só. Vocês vão saber que Moisés vem como Elias; Elias vem como João; mas é um só. Assim o Programa Alziro Zarur. Ora, um programa que ensina estas Verdades eternas tem um valor incomparável na radiodifusão, não só nacional, mas também mun- dial. E como é que eu, para pregar a Palavra de Deus, teria que abrir caminho? Quando entrei no rádio, tinha 15 anos. Entrei na imprensa

e comecei a correr mundo, a ver coisas. Lancei vários programas. O

primeiro programa literário do rádio fui eu que lancei, muito antes da

Biblioteca do Ar, que a Rádio Mayrink Veiga depois também irradiaria.

O primeiro programa policial educativo fui eu que lancei: As Aventuras

de Sherlock Holmes. Eu descobria todos os mistérios, prendia todos os

E lancei tanta coisa mais! Se fosse

falar sobre isso, falaria aqui o dia todo. Quando pregava Evangelho

e Apocalipse, ainda rapazinho, terminava as minhas pregações com

poesias que fazia na hora. Então, o Povo gostava de me ouvir, porque

sempre havia uma novidade, uma curiosidade. Depois de fazer sucesso como homem de rádio e de jornal, aí é que fui partir para a LBV no

rádio. E também não foi fácil, não. Porque o rádio daquele tempo só queria anúncio, e essas coisas que vocês sabem: bebidas, mulheres,

Nada de coisa séria: ‘Não venha cá falar de

Deus. Que Deus que nada! Não venha para cá lembrar os Manda-

mentos. Nós queremos é gozar a vida!’. Diante disso, abrir caminho e fundar a LBV no rádio, só com a minha fibra e a minha perseverança!

Mas vocês pensam que foi fácil? Não! Mesmo o programa sendo bonito, elevado, eles não aceitavam. Rádio nenhuma aceitava. Então eu mesmo fui conseguir anunciante.Consegui bons anunciantes para

poder dizer: ‘Agora está patrocinado’ (

que nasceu a Campanha da Boa Vontade, por um Brasil melhor, por uma Humanidade mais feliz! “Vejam bem como Deus é sábio. Se eu não caísse cedo no mundo,

se não tivesse aquela experiência indispensável, não poderia lançar

o programa, porque não teria a intuição de procurar patrocinadores.

Parece fácil dizer: Qualquer um faz o programa. Depois de feito, isso

é fácil! Quando fazia As aventuras de Sherlock Holmes, também era

assim. Todo mundo ficava atento para saber ‘como é que foi aquele

negócio’. Era uma loucura. Quem foi que fez? Foi fulana? Não foi ele? Foi ela? Foi o vovô? Foi o sobrinho? Foi o detetive? Foi o inspetor? Foi o vizinho? Só no último minuto Sherlock prendia

o

‘Ah! Logo vi!’. Mas enquanto não sabia, ninguém tinha visto nada. É tudo assim. Na vida também: ‘A LBV é tão fácil de fazer!’. Mas por que eles não fizeram? Tão fácil! Qualquer um pode fazer. Mas por que não fez? “Não há palavras que possam descrever a nossa alegria de hoje. “Os fatos as superam. “Primeiro Congresso da Mocidade Legionária

e dos Soldadinhos de Deus! Tudo chega na hora.”

bandido e revelava o mistério. Aí todo mundo dizia:

Foi enfrentando essa luta

carnaval e orgias

bandidos e todas as bandidas. (

)

(

).

).

carnaval e orgias bandidos e todas as bandidas. ( ) ( ). ). Silhueta do famoso

Silhueta do famoso personagem Sherlock Holmes

Brilhante trajetória

Ahistória vitoriosa de vida do fundador da Legião da Boa

Vontade e Proclamador da Religião de Deus se confunde com a da radiodifusão brasileira. Não se pode retratar a época áurea do Rá- dio sem citar a marcante contribuição de Alziro Zarur. A Folha Carioca, de 24 de novembro de 1944, de que guardei a coluna a seguir, traz importante registro desse fato:

Alziro Zarur

em três tempos

Alziro Zarur nasceu no dia de Natal de 1914 na rua Senhor dos Passos, pertinho do Campo de Sant’Ana no Rio de Janeiro. Estudou no Colégio Pedro II, onde terminou o curso de ba- charel em Ciências e Letras. Iniciou a sua vida radiofônica em 20 de janeiro de 1936, na P.R.G. 3, Rádio Tupi, como locutor. Nessa época, o locutor-chefe

Arquivo LBV

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Foto histórica, tirada no aeroporto de Maringá/PR, em 8/10/1973: da esquerda para a direita, o saudoso Legionário Dr. Osmar Carvalho e Silva; o atual Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade, José de Paiva Netto; o saudoso fundador da LBV, Alziro Zarur; o também saudoso Legionário Achilles de Andrade de Souza; e o atual Secretário-Geral da LBV, Dr. Mário da Cruz.

da então emissora da rua Santo Cristo era o Dr. José de Souza Barros Em condições melhores, passou-se para a Transmissora, quando situada na rua do Mercado, sob a direção artística de

Renato Murce. Foi aí que lançou sua primeira iniciativa literária

– “Cock-tail Musical” da G-3. Nesse tempo, o programa Casé era irradiado pela Transmis- sora e com a saída de Oduvaldo Cozi para a Nacional (recém- inaugurada), Ademar Casé deu a grande “chance” ao Sherlock do Rádio. Quando o programa Casé transferiu-se para a Mayrink, Zarur acompanhou-o com armas e bagagens. E foi na P.R.A. 9 que criou a figura universal de Sherlock Holmes, durante vários anos. Do Casé, se transferiu para a velha Rádio Educadora do Brasil, como seu speaker-chefe. Idealizou, para a P.R.B. 7, as “Aventuras de Roberto Ricardo”, de Aníbal Costa, o “Teatro Especificamente Radiofônico”, de Pedro Bloch e as “Barbas de Molho”, de Sebastião Fonseca. Da P.R.B. 7, em março de 1941, foi fazer um “veraneio” na Rádio Ipanema. Em agosto desse mesmo ano, estreou na P.R.A. 9, com o seu “Radiatro Sherlock”, ao lado de Souza Filho como “Watson” Lançou, na estação de Edmar Machado, os “Gatinhos e Sinucas”. Interpretou Luiz XIII na radionovela “Os Três Mosqueteiros”,

de Berliet Júnior. Em novembro de 1942, foi chamado para dirigir

a nova Transmissora já na rua Álvaro Alvim. Na P.R.E. 3, Zarur enviou para as ondas hertezianas, “O Pensamento do Presidente Vargas”; o “Policial Zarur”, com trabalhos de Bemvindo Edinaldo, Heloiza Lentz de Almeida, Manoel Julio de Oliveira e Jorge Marinho; “Gatinhos e Outros Bichos”; “Enciclopédia Literária”; e o programa “Artistas Novos do Brasil”, que confiou à competência da professora Magdala da Gama Oliveira. Atualmente, é contratado pela Rádio Nacional, onde integra

o corpo de redatores do Departamento Político e Cultural e o grande elenco de teatro cego. Está satisfeitíssimo na P.R.E. 8. Chegou mesmo a declarar ao redator radiofônico de Folha Carioca:

– Agora é que vou descansar da minha peregrinação

A Nacional parece ser o prêmio dos meus esforços de nove

E creia que procurarei fazer tudo para

honrar o renome da difusora do 21 o andar. Alziro Zarur é o redator radiofônico da revista “Fon Fon” e vice-presidente do Departamento de Imprensa Radiofônica. Foi ainda repórter de “A Noite” e “Carioca” e comentarista especializado do “Imparcial”. Tem pronto o livro de poemas, intitulado “Microfone”, o livro policial “Aventura do Homem-Televisão” e “O Rádio e a sua gente” — volume dedicado à nossa radiofonia.

anos de homem de rádio

Agradecimento

Ao finalizar este editorial para a revista BOA VONTADE, verdadeiro resgate da história da LBV e de seu fundador, não poderia deixar sem registro os meus sinceros agradecimentos aos homens e mulheres, jovens e crianças de Boa Vontade de todo o Brasil e Exterior. Sem o apoio incondicional de todos Vocês, não seria possível dar continuidade a esse trabalho e estarmos hoje, aqui, comemorando o 15 o aniversário do Templo da Boa Vontade, também chamado pelo Povo de “A Pirâmide dos Espíritos Luminosos”.

*1 Nota de Paiva Netto — Transcrevo uma observação esclarecedora, que integra o meu artigo “O dinamismo da Paz”, o qual dediquei, em agosto de 2000, aos participantes da Conferência de Cúpula da Paz Mundial para o Milênio, reali- zada na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York: “( ) Sempre que Você ler em meus escritos ou ouvir em meus improvisos a palavra Ecumenismo, por favor, considere o aspecto original do termo. De acordo com sua etimologia, a palavra ecumênico — do grego oikoumenikós — significa ‘de escopo ou aplicabilidade mundial; universal’. Utilizamos esse termo em abundân- cia, porque não haverá verdadeira Paz Mundial enquanto ela não for estendida a todos os habitantes da Terra. *2 15 o aniversário do TBV — Leia tudo sobre o esforço da construção do Templo da Paz e a história de seus 15 anos de existência, da página 10 a 38 dessa edição. *3 O programa Brasil Democrático é exibido de segunda a sexta-feira, na Rede Mundial de Televisão – A TV da Educação, da Cultura e da Cidadania com Espi- ritualidade!, às 11h30. Para saber como sintonizar a emissora, acesse o site www. redemundial.com.br ou ligue para (11) 3358-6800. *4 Exposição de Chico Anysio no TBV — “Volta ao mundo sem sair de casa” foi o título da primeira exposição de Chico Anysio em Brasília/DF. Realizada de 16 a 30 de setembro de 2003, na Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade, a mostra apresentou dezenas de painéis em acrílico, que revelaram, sobretudo, a criatividade de um artista polivalente.

7
7

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

8
8
VONTADE Outubro de 2004 BOA 8 Cartas Revista tem apresentação gráfica impecável Agradeço o exemplar da

Cartas

Revista tem apresentação gráfica impecável

Agradeço o exemplar da revista BOA VONTADE e os cumprimentos pela excelência e oportunidade das maté- rias, além da impecável apresentação gráfica. Parabéns! Abraço forte do

Afanásio Jazadji Deputado Estadual Vice-Líder do PFL e Vice-Presidente da Associação Paulista de Imprensa — API São Paulo/SP

Cultura de Paz

Estava aguardando vez no dentista e peguei a revista Cultura de Paz (BOA VONTADE). Parabéns pelo con- teúdo, faz jus ao nome.

BOA VONTADE repercute

Otávio Tadeu Dias Ribeiro (via e-mail)

O Informativo Bem-Te-Vi, de responsabilidade do jor- nalista Júlio Camargo, publicou em sua edição bimestral (set./out. – 2004), na agenda cultural e política, a seguinte nota: “Está circulando a nova revista da LBV, intitulada BOA VONTADE. O periódico prega o Ecumenismo, sendo uma publicação apolítica e educativa. Na matéria assinada pelo Presidente da Instituição, o jornalista Paiva Netto defende ‘a transformação profunda do Ser Humano’e afirma que ‘a cultura dá subsídios em abundância para que se construam caminhos de progresso’”.

LBV faz belo trabalho

Simone F. Barreto Rio de Janeiro/RJ

Ilustre senhor Paiva Netto, sou ouvinte freqüente da

Rede Boa Vontade de Rádio (RBV) e me deleito há quase

) Sou também com-

positor e com a graça do nosso bom Deus já fui premiado com um Grammy latino. Admiro com toda sinceridade o belo trabalho feito pela LBV sob o seu comando.

5 anos com os ensinos desta rádio. (

Marcelo Wilson Fragoso (via e-mail )

Muitos parabéns!

Olá, Dr. Paiva Netto, felicito-o, a si e seus colaboradores. Costumo ouvi-lo na vossa freqüência radiofônica. Muitos parabéns!

Agostinho Ribeiro

(via e-mail)

Comenda da LBV em Nova York

Querido pai*, a entre- ga da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica (6/9/2004) (vide edição 193 da revista BOA VONTADE, p. 8) foi um verdadeiro su- cesso. Mais de um milhão de pessoas assistiram ao evento e aplaudiram a LBV. Foi um or- gulho demasiado para um sim- ples coração filial e um orgulho universal para um Legionário da Boa Vontade. A organização da Big Apple deve ser copiada para quem deseja evitar problemas. A

)

deve ser copiada para quem deseja evitar problemas. A ) festa foi formidável. Gigantesca. Ela se

festa foi formidável. Gigantesca.

Ela se iniciou oficialmente às

horas. (

às quatro horas da manhã, meu coração me trouxe a confortadora lembrança de quando saíamos mais ou menos nesse mesmo horário para ir ao Casarão da LBV do Riachuelo, no Rio.

Quando estava na porta da LBV nos Estados Unidos,

Dr. Pedro de Paiva Advogado São Paulo/SP

*Pedro de Paiva é filho de Paiva Netto, Presidente das Instituições da Boa Vontade. Emocionado, dirige-se ao pai, informando o sucesso da Comenda da LBV entregue, em Nova York, durante a realização do Brazilian Day. Na oportunidade, a Instituição premiou os expoentes da comunidade brasileira na Big Apple, sendo eles: o criador da designação oficial de Little Brazil Street atribuída à Rua 46, de Manhattan, e promotor do Brazilian Day in New York, João de Matos; o Vice-Cônsul do Brasil em Nova York, Dario Campos; eAlci Silva, Presidente da Icla Foundation. Pedro faz também recordação de um momento de sua infância, quando, desde os 5 anos de idade, acompanhava, de manhã bem cedo, o pai ao antigo Casarão da LBV no Riachuelo, na cidade do Rio de Janeiro. Lá, Paiva Netto realizava, aos domingos, a reunião da Mocidade Legionária.

Índice Editorial Cartas Especial Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência LBV Atualidades Soldadinhos de
Índice
Editorial
Cartas
Especial
Fórum Mundial Permanente
Espírito e Ciência LBV
Atualidades
Soldadinhos de Deus
Espírito e Ciência
4
8
10
39
40
41
42
Ao leitor
Ao
leitor

Neste 21 de outubro de 2004, as Instituições da Boa

Vontade — IBVs (Legião da Boa Vontade, Religião de Deus

e Fundação José de Paiva Netto), focalizam suas atenções

para dois importantes fatos: o aniversário de 15 anos do Templo da Boa Vontade (TBV) e um quarto de século da passagem do fundador da LBV, Alziro Zarur (1914-1979),

à Pátria Espiritual. Não por acaso o TBV teve suas portas exatamente abertas quando se completava uma década sem o Criador da LBV. O sucessor de Zarur e Presidente das IBVs, José de Paiva Netto, o homenageou escolhendo a data para oferecer à Humanidade um local onde as pessoas pudessem refazer o corpo e a Alma. Um Templo sem precedentes na história, sem rituais preestabelecidos, liturgias ou dogmas, que apresenta a Espiritualidade Universal, que pode ser praticada por todos, porque fala ao âmago da Criatura Humana, ao seu coração. Milhões de homens e mulheres, de todas as crenças e até mesmo os que se dizem ateus, já adentraram as suas portas, partiram e continuam vindo de cidades de todo o Brasil e do mundo, peregrinando a este Lugar Sagrado, que revela mais que uma Religião, pois suas proposições de entendimento fraternal fazem parte da vida, do dia-a- dia das pessoas. As páginas, desta edição especial, mostram um pouco das etapas superadas pelos de Boa Vontade para erguer este monumento de Paz eAmor e os grandes eventos realizados no TBV, que desde a sua inauguração se tornou o local mais visitado da capital brasileira, segundo dados oficiais da Agência de Desenvolvimento do Turismo do Distrito Federal (Adetur).

Os Editores

Expediente Diretor responsável: Francisco de Assis Periotto — MTE/DRTE/RJ 19.916 JP Editor: Gerdeilson Botelho
Expediente
Diretor responsável: Francisco de Assis Periotto — MTE/DRTE/RJ 19.916 JP
Editor: Gerdeilson Botelho
Subeditora: Débora Verdan
Supervisor de texto: Paulo Alziro Schnor
Produção editorial: Equipe Elevação
Projeto gráfico e capa: João Periotto
Fotos da Capa: Conjunto Ecumênico LBV — Nilton Preda; Zarur e Paiva
Netto — Arquivo histórico da LBV.
Revisão: Equipe Elevação
Impressão: Gráfica PROL
BOA VONTADE é uma publicação mensal das IBVs, editada pela Editora
Elevação.
Endereço para correspondência: Av. Rudge, 938 — Bom Retiro
CEP 01134-000 — São Paulo/SP — Tel.: (11) 3358-6868
Caixa Postal 13.833-9 — CEP 01216-970
Internet: www.boavontade.com / E-mail: info@boavontade.com
A revista BOA VONTADE não se responsabiliza por conceitos emitidos
em seus artigos assinados.
por conceitos emitidos em seus artigos assinados. 10 O Portal do 4 Quinze e 25 anos

10 O Portal do

4 Quinze e 25 anos

Em seu artigo desse mês, Paiva Netto saúda o aniversário do Templo da Paz e homenageia Alziro Zarur que, em 2004, completa seu 25 o ano na Pátria Espiritual.

em 2004, completa seu 25 o ano na Pátria Espiritual. Terceiro Milênio Os primeiros passos para

Terceiro Milênio

Os primeiros passos para a Construção do monumento da Paz: Templo da Boa Vontade.

a Construção do monumento da Paz: Templo da Boa Vontade. 33 Congresso da Paz 22 15

33 Congresso

da Paz

22 15 anos de TBV

O maior Cristal puro do mundo é colocado no ápice da pirâmide da LBV. Meses depois, o TBV é inaugurado na presença de mais de 100 mil pessoas.

o TBV é inaugurado na presença de mais de 100 mil pessoas. Paiva Netto emociona mais

Paiva Netto emociona mais de 200 mil pessoas, saúda o Ano-Novo e pede pela Paz Mundial.

200 mil pessoas, saúda o Ano-Novo e pede pela Paz Mundial. 39 Novos Caminhos Cientistas e

39 Novos Caminhos

Cientistas e Religiosos do mundo inteiro encontram-se no ParlaMundi da LBV para debater o tema: Espírito e Ciência.

40 Brasil mais

solidário

Classe artística apóia cam- panha de Natal da LBV.

Classe artística apóia cam- panha de Natal da LBV. Encarte Especial Não deixe de ler, neste
Encarte Especial Não deixe de ler, neste número da revista BOAVONTADE, o encarte com o
Encarte
Especial
Não deixe de ler, neste número da revista BOAVONTADE, o encarte
com o segundo volume do fascículo “O Carisma do Líder da Boa Von-
tade”, que faz parte do informativo ÍMPAR. Nele, o amigo leitor poderá
conhecer um pouco da trajetória de Paiva Netto, desde a sua infância até
os dias atuais. Boa Leitura!
9
9
BOA
BOA
VONTADE
VONTADE
Outubro de 2004
Outubro de 2004

Nilton Preda

ESPECIAL

www.boavontade.com

O Portal do

BOA BOA VONTADE VONTADE Outubro de 2004 Outubro de 2004 João Areis Preda
BOA
BOA
VONTADE
VONTADE
Outubro de 2004
Outubro de 2004
João Areis Preda

10 10

Terceiro

de 2004 Outubro de 2004 João Areis Preda 10 10 Terceiro Templo da Boa Vontade, idealizado
de 2004 Outubro de 2004 João Areis Preda 10 10 Terceiro Templo da Boa Vontade, idealizado
de 2004 Outubro de 2004 João Areis Preda 10 10 Terceiro Templo da Boa Vontade, idealizado

Templo da Boa Vontade, idealizado e construído por José de Paiva Netto, Diretor-Presidente da LBV Mundial, festeja 15 anos de existência.

da LBV Mundial, festeja 15 anos de existência. (por Leila Marco e Rodrigo Oliveira) Erguer um
da LBV Mundial, festeja 15 anos de existência. (por Leila Marco e Rodrigo Oliveira) Erguer um
da LBV Mundial, festeja 15 anos de existência. (por Leila Marco e Rodrigo Oliveira) Erguer um
da LBV Mundial, festeja 15 anos de existência. (por Leila Marco e Rodrigo Oliveira) Erguer um

(por Leila Marco e Rodrigo Oliveira)

Erguer um lugar onde fosse mais importan-

te “erigir o Templo do Deus Vivo nos corações

humanos”. Com esse intuito, inspirado nos antigos Estatutos da LBV Mundial, surgiu a idéia de levantar-se o Templo da Boa Von- tade (TBV) no coração de seu idealizador e

construtor, o Líder da Boa Vontade. Para ele,

o monumento teria de ser um “marco dessa

nova concepção de Amor ao Pai Universal. Por isso, é que nele tudo (até mesmo suas pedras) proclama que Deus é Espírito e como

tal cumpre aos homens adorá-Lo”.

O Diretor-Presidente da LBV conta que, em uma madrugada, na sua residência, refletia “se há necessidade de um teto para as pessoas se protegerem das intempéries atmosféricas, urgen- te se faz um local que as abrigue das tormentas do sentimento, esquecidas as suas diferenças religiosas, ideológicas, políticas, econômicas, de modo a se refazerem espiritualmente, des- cansando das procelas íntimas. Todo mundo tem uma dor que não conta a ninguém, desde o mais poderoso ao mais simples dos homens, até mesmo os Irmãos ateus”.

(Continua na página 12)

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Milênio

“O TBV é o Portal do Terceiro Milênio”, afirmou inspirada a sensitiva Luy Vieira ao conhecer a ele- vada ambiência do Templo da Boa Vontade, que, nesta foto, surge imponente e belo (à direita), ao lado da sede administrativa (centro) e do Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV (à esquerda). O Templo é o monumento mais visitado de Brasília/DF, Brasil. Desde a sua funda- ção, segundo dados oficiais da Agência de Desenvolvimento do Turismo do Distrito Federal (Adetur), recebe todos os anos milhões de visitantes e peregrinos do País e do mundo.

Haroldo RochaHaroldo

Rocha

João Ruiz Lopes

Nelson Silva

Nilton Preda

Fernando Franco

Nilton Preda

VONTADE

Nilton Preda

Outubro de 2004

BOA

12
12
ESPECIAL ESPECIAL www.boavontade.com www.boavontade.com 1984
ESPECIAL
ESPECIAL
www.boavontade.com
www.boavontade.com
1984
ESPECIAL www.boavontade.com www.boavontade.com 1984 A caminhada pelo amplo terreno (em outubro de 1984) onde se

A caminhada pelo amplo terreno (em outubro de 1984) onde se construiu o Templo da Boa Vontade

outubro de 1984) onde se construiu o Templo da Boa Vontade P ensou, então, que era

P ensou, então, que era a hora de concretizar antigo sonho do fundador da Legião da Boa Vontade, Alziro Zarur. Mas como levar a cabo uma iniciativa dessa envergadura? Ele não

teve dúvidas: apelou para o Povo, que sempre apoiou os trabalhos da LBV desde os seus primórdios. E, princi- palmente, contou com as mulheres para alcançar o seu intento. Primeiro, ouviu os mais velhos, de forma que a experiência deles o auxiliasse no equilíbrio das coisas, e convocou para isso uma reunião com o Conselho Fra- terno da Obra, quando apresentou a idéia, sob o aplauso dos presentes. Haroldo Rocha, hoje representante da LBV em Portu- gal, que acompanhou de perto essa caminhada, recorda que o Presidente Paiva Netto, em 1983 e 1984, já havia solicitado ao saudoso Waldir Gomes Tristão (1932-1989), responsável, na época, pela Sucursal da Instituição na capital federal, que procurasse terrenos no Plano Piloto de Brasília de ampla extensão, em virtude da grandeza do empreendimento que desejava para o Templo. “O próprio Irmão Paiva estabeleceu, diante de Waldir, as

estruturas daquilo que deveria ser conseguido em termos de terreno, dimensão e impacto, já que o projeto nem tinha ainda sido desenhado. O que também pouca gente sabe é que a própria quadra 915, onde está localizado o TBV, foi planejada e constituída na altura por razões da futura construção”, narra Haroldo.

altura por razões da futura construção”, narra Haroldo. Paiva Netto aprecia a planta do TBV, tendo

Paiva Netto aprecia a planta do TBV, tendo a seu lado o saudoso Legio- nário Waldir Gomes Tristão, responsável, na época, pela Sucursal da LBV em Brasília.

Irene Ravache

na época, pela Sucursal da LBV em Brasília. Irene Ravache Integrantes do Conselho Fraterno da Legião

Integrantes do Conselho Fraterno da Legião da Boa Vontade ouvem as explica- ções do dirigente da LBV sobre a maquete do Templo da Boa Vontade, que seria erguido em tempo recorde, em menos de quatro anos, desde o lançamento de sua Pedra Fundamental.

Aracy Balabanian

o lançamento de sua Pedra Fundamental. Aracy Balabanian Paulo Gracindo Júnior e Paulo Gra- cindo (in

Paulo Gracindo Júnior e Paulo Gra- cindo (in memoriam)

Paulo Gracindo Júnior e Paulo Gra- cindo (in memoriam) Quem já esteve lá Paulo Figueiredo e

Quem já esteve lá

Paulo Figueiredo e sua esposa, Maria Emília.

Eva Wilma e Carlos Zara (in memoriam)

(in memoriam) Quem já esteve lá Paulo Figueiredo e sua esposa, Maria Emília. Eva Wilma e

Gilberto Bertolin

Nilton Preda

Nilton Preda

Cleomar Borges

Pedro César Pereira

Gilmar Vital

VONTADE

2004

Outubro de

BOA

O desafio da construção

Paiva Netto convoca as Mulheres Legionárias

D urante o 10 o Congresso da Mulher

Legionária, realizado em Belo Hori-

zonte/MG, no dia 25 de maio de 1985,

Paiva Netto lançou aos presentes o

desafio para a construção do TBV: “Promessa que o nosso amigo (Zarur) fez é uma promessa nossa. Ele disse que a LBV daria ao Brasil um templo onde as pessoas realmente confraternizariam. Para construí-lo, nossa principal ferramenta será a Fé Realizante e essa Fé os Legionários, principalmente as mulheres, têm sobejamente ” Em linguagem popular, Paiva Netto perguntou:

“Vocês topam construir o TBV?” e até brincou:

“Vejam lá, se Vocês concordarem e depois ca- írem fora, vão ter de levar chocolate para mim na cadeia, porque vou assinar todos os compro- missos financeiros!” (risos). A massa humana, que superlotava o ambiente, reiterou o apoio em uníssono, bradando: “Pode!”. “Então, considero esse Templo desde agora levantado”, concluiu Paiva Netto. No final do Congresso, transmitido por uma rede internacional de 600 emissoras, às 18 horas, os brasileiros começaram a colaborar para que esse monumento à Fraternidade Ecumênica fosse concretizado.

Em linguagem popular, Paiva Netto perguntou: “Vocês topam construir o TBV?” e até brincou: “Vejam lá, se Vocês concordarem e depois caírem fora, vão ter de levar chocolate para mim na cadeia, porque vou assinar todos os compromissos financeiros!” (risos). A massa humana, que superlotava o ambiente, reiterou o apoio em uníssono, bradando: “Pode!”. “Então, considero esse Templo desde agora levantado”, concluiu Paiva Netto.

esse Templo desde agora levantado”, concluiu Paiva Netto. Aspecto parcial do “10 o Congresso da Mulher

Aspecto parcial do “10 o Congresso da Mulher Legionária”, realizado em Belo Horizonte/MG, em 1985. Milhares de pessoas superlotaram as dependências do ginásio.

Vera Holtz e Sérgio Mambert

as dependências do ginásio. Vera Holtz e Sérgio Mambert Thereza Piffer, Arlete Salles, Suzana Vieira e

Thereza Piffer, Arlete Salles, Suzana Vieira e Natália do Vale.

Mambert Thereza Piffer, Arlete Salles, Suzana Vieira e Natália do Vale. Paulo Goulart Nicete Bruno Beth

Paulo Goulart

Mambert Thereza Piffer, Arlete Salles, Suzana Vieira e Natália do Vale. Paulo Goulart Nicete Bruno Beth

Nicete Bruno

Mambert Thereza Piffer, Arlete Salles, Suzana Vieira e Natália do Vale. Paulo Goulart Nicete Bruno Beth

Beth Goulart

Mambert Thereza Piffer, Arlete Salles, Suzana Vieira e Natália do Vale. Paulo Goulart Nicete Bruno Beth
13
13

Gilberto Bertolin

Nelson Silva

Cleomar Borges

Nilton Preda

Nelcimez da Silva

Nilton Preda

VONTADE

Luis Allan

Outubro de 2004

BOA

ESPECIAL

ESPECIAL

www.boavontade.com

www.boavontade.com

1986

Lançada a

www.boavontade.com www.boavontade.com 1986 Lançada a Durante cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental do

Durante cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental do TBV, o filho do dirigente da LBV, José Eduardo Paulote de Paiva, então com 12 anos, coopera na colocação, em uma grande caixa de aço, das publicações da LBV e gravações de Zarur e Paiva Netto.

Pedra Fundamental

U m ano depois, a capital

da República amanhe-

cia sob o clima habi-

tual: sol forte, céu bem

azul, era inaugurado o primeiro anexo do Conjunto Ecumênico da LBV, em 27 de maio.

Paiva Netto: “Ora, se o vidro atrapalha, tirem o vidro!”.

Dada a grande aglomeração

popular, não foi possível ao Líder da Boa Vontade falar do palco mon-

) Eu estava

no segundo andar do prédio com os meus filhos e olhei para o pátio, que estava superlotado. E vi que o palco era baixo demais. Então, disse: ‘Sabem de uma coisa? Vou falar aqui de cima da marquise de entrada’. E, perguntei para alguém:

tado para esse fim. “(

‘Essa marquise agüenta pessoas em

).

E, naquele momento,

cima?’. Ao que me responderam afirmativa- mente, ao mesmo tempo que me perguntavam:

‘Mas como é que o senhor vai passar para lá? Tem um vidro na frente!’. ‘Ora, se o vidro

atrapalha, tirem o vidro!’, disse-lhes. O vidro foi retirado e pude, então, fazer o discurso lá

de cima mesmo (

destaquei, lembrando-me de Moisés e de Zarur, que aquele Templo surgia para que houvesse a interiorização de valores. Porque não se pode exteriorizar coisa alguma se a criatura não tem

nada para oferecer. É a questão do conteúdo”, conta o dirigente da LBV, relembrando aquela data memorável. Na seqüência, aproximadamente ao meio-dia, tinha início a cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental do Templo. Em uma grande caixa de aço foram colocadas publicações da Legião da Boa Vontade e gravações de Zarur e Paiva Netto. O material foi envolvido em película impermeável e a arca foi protegida com lã de vidro, importante isolante térmico. O local foi lacrado e lá ficou o testemunho de um vibrante período da saga heróica da LBV. E a construção do monumento, em si, já era iniciada. Em dezembro já estavam executando a escavação das fundações e arman- do as ferragens. Como dizia o velho Apparício Torelly, o Barão de Itararé (1895-1971): “A Legião da Boa Vontade é a demonstração inequívoca da capacidade realizadora do povo brasileiro”.

Divulgação
Divulgação

Apparício Torelly, o Barão de Itararé.

O Líder da Boa Vontade fala da marquise do primeiro prédio do Conjunto do Templo
O Líder da Boa
Vontade fala
da marquise do
primeiro prédio
do Conjunto
do Templo da
Boa Vontade,
inaugurado em
27 de maio de
1986, diante de
uma multidão
que superlotava
o local.
O Povo, forman-
do uma grande
Corrente Ecumê-
nica de Preces,
acompanha
atentamente o
discurso de lan-
çamento da Pe-
dra Fundamen-
tal do TBV, feito
por Paiva Netto,
que se encontra
no centro do
terreno, cercado
por autoridades
e populares.
José Parmegiani
José Parmegiani
14
14

Quem já esteve lá

Isabel Fillardis e Cláudia Telles

14 Quem já esteve lá Isabel Fillardis e Cláudia Telles Stênio Garcia Alceu Valença Jorge Ben

Stênio Garcia

já esteve lá Isabel Fillardis e Cláudia Telles Stênio Garcia Alceu Valença Jorge Ben Jor Thaís

Alceu Valença

já esteve lá Isabel Fillardis e Cláudia Telles Stênio Garcia Alceu Valença Jorge Ben Jor Thaís

Jorge Ben Jor

já esteve lá Isabel Fillardis e Cláudia Telles Stênio Garcia Alceu Valença Jorge Ben Jor Thaís

Thaís Araújo

já esteve lá Isabel Fillardis e Cláudia Telles Stênio Garcia Alceu Valença Jorge Ben Jor Thaís

Hans Doner

já esteve lá Isabel Fillardis e Cláudia Telles Stênio Garcia Alceu Valença Jorge Ben Jor Thaís

Gilberto Bertolin

Arquivo BV

Nelcimeiz da Silva

Fernando Franco

Nilton Preda

Daniel Rocha

VONTADE

2004

Outubro de

BOA

A Arquitetura a serviço da Solidariedade Universal Tudo no projeto do TBV tem sua razão
A Arquitetura a serviço da Solidariedade Universal
Tudo no projeto do TBV tem sua razão de ser, unida à proposta irres-
Ganhou anexos para a construção da Galeria deArte,
tritamente ecumênica nele implícita. Cada aspecto da obra foi estudado
meticulosamente. Um ponto de encontro da Espiritualidade Superior, da
Cultura, daArte, da Ecologia e da Medicina Científica
e Espiritual, harmonicamente dispostas para inspirar
os mais nobres sentimentos. Suas medidas e propor-
ções são ligadas ao número da perfeição 7 e também
ao número
1. Trata-
se de uma
pirâmide
de 7 faces
— tem 21
metros de
altura e 28
metros de
do Memorial Alziro Zarur, da Sala do Silêncio (mais
tarde transformada pelo Líder da Boa Vontade em
Sala Egípcia), Salão Nobre, Fonte,
Paiva “ Netto mudou a face dos
templos de Brasília e até do
Brasil. O TBV transformou-
se em um complexo cultural,
jardins subterrâneos, elevador e
rampas para facilitar o acesso de
portadores de necessidades espe-
ciais e membros da Terceira Idade
aos diversos níveis do complexo.
R. R. Roberto e Paiva Netto
artístico, religioso, sem perder
a sua principal função: a de
ser um espaço destinado à
meditação e ao recolhimento.
A contribuição que esses elementos trouxeram foi
para R. R. Roberto, engenheiro-arquiteto responsável
pelo projeto e construção da obra, “muito importante,
porque, com essa introdução, Paiva Netto mudou a
face dos templos de Brasília e até do Brasil. O TBV
transformou-se em um complexo cultural, artístico,
Dr. R.R. Roberto
diâmetro e no seu pináculo
Planta do projeto inicial do TBV
encontra-se um cristal puro. Sua
base obscurecida dá a impressão de que o Templo flutua sobre o gramado,
como se fosse uma nave espacial pousada.
O projeto inicial previa apenas a pirâmide heptagonal, mas, ao longo
dos trabalhos, por determinação direta do Diretor-Presidente da LBV,
José de Paiva Netto, sofreu várias ampliações, passando a ter mais de três
mil metros quadrados, visto que todo o Conjunto Ecumênico (Templo
da Boa Vontade e ParlaMundi) possui mais de 11 mil metros quadrados.
religioso, sem perder a sua principal função: a de ser
um espaço destinado à meditação e ao recolhimento. O surpreendente é
que as proposições do Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade
pareciam estar intrínsecas no projeto, porque não se passavam 24 ho-
ras para encontrarmos as soluções. As inclusões não foram deteriorando
ou deformando o projeto. Tudo foi sendo completado”.
Como Brasília é uma cidade de linhas modernas, o engenheiro con-
sidera que a concepção estética do Conjunto Ecumênico da Instituição
complementa os elementos arquitetônicos da capital do Brasil, consti-
tuindo-se em uma obra de grande valor para a moderna arquitetura.
Fundador
da Rádio e TV Bandeirantes
Cida Linares
Fundador da Rádio e TV Bandeirantes Cida Linares visita as obras m os de E 5
Fundador da Rádio e TV Bandeirantes Cida Linares visita as obras m os de E 5

visita as obras

m

os

de

E 5 de janeiro de 1987, quando eram concluídos alicerces do monumento, a Rede Bandeirantes Rádio e Televisão implantava na capital mais

uma de suas emissoras, e o saudoso fundador da

RTB, Dr. João Jorge Saad (1919-1999), grande amigo da LBV e de seu dirigente, aproveitou a oportunidade para visitar as obras do Templo do Ecumenismo Irrestrito, declarando-se admirado ante a grandeza do Templo da Paz. Ao lado de Paiva Netto, Saad percorreu os canteiros e conheceu a maquete do gigantesco empreendimento. Em dezembro desse ano, ficou pronta a estrutura de apoio da Pirâmide para a execução do revestimento das lajes.

O saudoso Dr. João Jorge Saad visita as obras do Templo da Boa Vontade, ao lado de seu velho amigo Paiva Netto, a quem ele chamava carinhosamente de José.

Sandra de Sá

Paiva Netto, a quem ele chamava carinhosamente de José. Sandra de Sá Belchior Elba Ramalho Jorge

Belchior

Paiva Netto, a quem ele chamava carinhosamente de José. Sandra de Sá Belchior Elba Ramalho Jorge

Elba Ramalho

Paiva Netto, a quem ele chamava carinhosamente de José. Sandra de Sá Belchior Elba Ramalho Jorge

Jorge Dória

Paiva Netto, a quem ele chamava carinhosamente de José. Sandra de Sá Belchior Elba Ramalho Jorge

Elza Soares

Paiva Netto, a quem ele chamava carinhosamente de José. Sandra de Sá Belchior Elba Ramalho Jorge
15
15

Arquivo BV

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

ESPECIAL

www.boavontade.com

A atriz Fernanda Montenegro é imortalizada no TBV

A consagrada atriz Fernanda Montenegro, aniversariante do mês, condecorada com a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica, na categoria Arte e Cultura, durante visita ao Templo da Boa Vontade, ressaltou o Ecumenismo da LBV:

“A LBV tem uma palavra e uma presença de conforto há muitos anos, e isso me toca. Já nos primórdios da Legião se falava do fato ecumênico, isso João XXIII ainda não havia conceituado dentro da Igreja Católica, por exemplo. E hoje em dia é fundamental você respeitar os caminhos que o mundo tem para chegar a Deus, pois Ele é um só. Um abraço também ao Paiva Netto que é uma pessoa extremamente gentil e empreendedora. “O que me toca na Legião da Boa Vontade, na verdade, é todo o atendimento social que ela faz por esse Brasil afora. O

lado espiritual é ótimo, é maravilhoso, mas se ele não tiver um embasamento na misericórdia e na ajuda ao próximo desvalido, Jesus não vai tomar nenhum conhecimento da alma da gente. Estou falando não como Legionária, mas como um Ser Humano que entende a palavra fraternidade. Muito obrigada!”. Durante a visita, a atriz viu, com surpresa, seu retrato incluído no Painel “A Evolução da Humanidade”, que reúne figuras humanas eminentes, responsáveis por grandes contribuições ao progresso dos povos. “É uma surpresa grande. Aceito, de coração, porque inclusive estou junto com Paulo Gracindo e Shakespeare, de maneira que é um painel totalmente teatral. Muito obrigada pela lembrança, é uma homenagem bonita, tocante”.

pela lembrança, é uma homenagem bonita, tocante”. Fernanda Montenegro e seu marido, Fernando Torres. Arquivo

Fernanda Montenegro e seu marido, Fernando Torres.

Arquivo BV
Arquivo BV
16
16
Janeiro Fevereiro e Março 1 2 Julho Agosto 6 BV Arquivo BVArquivo Arquivo BV Hermano
Janeiro
Fevereiro e Março
1
2
Julho
Agosto
6
BV Arquivo BVArquivo
Arquivo BV
Hermano Lopes

Paiva Netto sempre prestou contas do andamento das obras do TBV, pelos jornais, revistas, rádios e TVs de todo o País e no Exterior. O Povo prontamente atendeu ao chamado e se solidarizou com a proposta irrestritamente ecumênica do Templo da Boa Vontade, o Templo das Religiões Irmanadas, do mais altamente fraterno inter- relacionamento religioso.

7
7

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Desde que lançou a idéia até o último detalhe, o Diretor-Presidente da LBV acompanhou pessoalmente todas as fases de edificação do Templo da Paz. Nesse intento, foi incansável, des- locando-se semanalmente (às vezes, mais de uma vez) a Brasília para vistoriar as obras do TBV.

Arquivo BV Emilson Pineze
Arquivo BV
Emilson Pineze

Construção do TBV

1987

Setembro

8
8
Maio Junho 4 5 Outubro Outubro 9 10 Arquivo BV Haroldo Rocha Gilberto Bertolin Haroldo
Maio
Junho
4
5
Outubro
Outubro
9
10
Arquivo BV
Haroldo Rocha
Gilberto Bertolin
Haroldo Rocha

1

Após os trabalhos de terraplenagem e preparação da área, a fase de implantação das fundações do Templo da Boa Vontade.

2
2

Concluídos os alicerces, tem início a montagem do madeiramento que suportará as formas das vigas e lajes da estrutura principal da Obra: começa a subir o TBV.

3
3

Surge a torre central de apoio à construção e o escoramento começa a ser erguido.

4
4

Com mais de 50% do escoramento executado, inicia-se a montagem das formas das vigas que apoiarão as sete lajes.

5
5

O escoramento em sua fase final e as primeiras vigas já atingindo o topo da estrutura. Paralelamente, tem início a montagem das formas das lajes ou faces laterais.

6
6

As formas das vigas estão definidas dando forma à pirâmide heptagonal.

7
7

A

concretagem das vigas e lajes atinge o terceiro anel.

8
8

O

sexto anel está sendo preparado para a concretagem. Uma estrutura de apoio se faz necessária para permitir o trabalho dos operários.

9
9

Término da concretagem das faces laterais do Templo.

10

Brasília é elevada à condição de Patrimônio da Humanidade, os integrantes do Conselho Fraterno da LBV visitam o Conjunto Ecumênico, acompanhando o Líder da Boa Vontade.

17
17

BV Haroldo RochaArquivo

Pedro de Paiva

Pedro de Paiva

Arquivo BV

Pedro de Paiva

Janeiro Setembro ESPECIAL www.boavontade.com 1 9 Arquivo BV Arquivo BV
Janeiro
Setembro
ESPECIAL
www.boavontade.com
1
9
Arquivo BV
Arquivo BV

Paiva Netto em uma de suas vistorias semanais às obras do TBV

1988 Construção do TBV

Janeiro
Janeiro
Fevereiro 3
Fevereiro
3
Agosto 8
Agosto
8
2 Julho
2
Julho
7 “O TBV virou o grande centro de atração de visitantes do Distrito Federal”. “É
7
“O TBV virou o grande centro de atração de visitantes do Distrito Federal”.
“É realmente um momento histórico muito importante, porque o Brasil e o mundo estão precisando dessa Espiritualidade
que a gente encontra aqui dentro do Templo da Boa Vontade. O simples fato de se entrar nele já faz com que nos sintamos
envolvidos no ambiente que a Legião da Boa Vontade tão inteligentemente soube criar. A inauguração desse Templo é
um marco histórico da Espiritualidade brasileira e mundial. (
)
O TBV virou o grande centro de atração de visitantes
do Distrito Federal. Brasília imaginava que iria atrair turistas por ser a capital da República, por causa da arquitetura de
Niemeyer, mas agora está vendo que existe um poder mais alto: a pirâmide da Legião da Boa Vontade, que atrai gente
até do Exterior. Vejo que se organizam excursões para conhecer esse Templo Ecumênico, que virou um sucesso.”
Alexandre Garcia
Apresentador e Editor-Chefe do DFTV e repórter especial do Jornal Nacional, ambos da Rede Globo.
18
BOA
VONTADE
Outubro de 2004
Arquivo BV
do DFTV e repórter especial do Jornal Nacional, ambos da Rede Globo. 18 BOA VONTADE Outubro

Divulgação

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Divulgação VONTADE Outubro de 2004 BOA “Adoro vir ao Templo da Boa Vontade” “Eu vim hoje

“Adoro vir ao Templo da Boa Vontade”

“Eu vim hoje ao TBV trazer o meu filho. Sempre que venho a Brasília, passo aqui. É um lugar ótimo! Aproveitei para conhecer a Sala Egípcia. Adoro vir ao Templo; é um lugar tranqüilo. A idéia de um templo ecumênico, a idéia de reunir as religiões, é uma grande visão; isso ajuda a união. Queria agradecer por tudo e dedicar um beijo e tudo de bom para a LBV.”

A atriz Fernanda Torres, protagonista do longa-metragem Os Normais.

“Essa Obra do Paiva Netto, o Templo da Boa Vontade, é uma poesia universal”

)

)

Fernando Franco
Fernando Franco

Juca Chaves, compositor, cantor e poeta.

“Quero cumprimentar o Paiva Netto por essa beleza de monumento, que mistura plástica, alegria e também Boa Vontade

(que é o que está faltando muito entre as pessoas), onde os números não são importantes e o que vale é o valor intrínseco das

coisas. (

um freqüentador assíduo dessa poesia universal que é esta obra do Paiva Netto. Meu amigo, parabéns, porque você está fazendo

uma partícula da coisa boa que é idéia original de Deus. (

) Esse deslumbrante

prosseguimento, tão bonito, é o trabalho do Paiva Netto, que, dentre todos os ecumênicos que conheci, é o que mais se dedicou às belas obras de ajuda às pessoas que precisam. É uma figura muito humana, músico, compositor, fala uma linguagem universal. E a música é a linguagem mais ecumênica que existe. Nisso eu me coloco ao lado do nosso querido Paiva Netto.”

Fico muito feliz de ver e ouvir o prolongamento da obra do Zarur,

que tive a sorte de conhecer, no Rio de Janeiro, onde discutimos sonetos, e o soneto é o Salmo do Povo. (

Vim escondidinho aqui, mas só conheci o Templo. Agora, que virei mais à cidade, serei um brasiliense de coração,

Abril Abril Abril 4 5 Pedro Paiva Pedro Paiva
Abril
Abril
Abril
4
5
Pedro Paiva
Pedro Paiva

Setembro

10
10
Outubro 11 6 José Roberto Susso
Outubro
11
6
José Roberto Susso

1

a 3

Paiva Netto vistoriando as obras do TBV. Prosseguem as escavações na área ao redor da Nave do Templo, onde funcionarão os anexos.

4

a 6

Tem início o revestimento externo da Nave do TBV.

7

Boa parte da pirâmide já recebeu mármore.

8

a 9

O dirigente da LBV inspeciona o início da concretagem da laje do 1 o subsolo do Memorial Alziro Zarur.

10

Visita noturna ao TBV. Desponta a estrutura do Memorial Alziro Zarur.

11

Com todo o revestimento de mármore, o TBV já é uma realidade.

19
19

Marcelo Bertolin

Marcelo BertolinMarcelo

Marcelo Bertolin

João Areis Preda

Janeiro ESPECIAL www.boavontade.com 1 2 Arquivo BV Arquivo BV Arquivo BV
Janeiro
ESPECIAL
www.boavontade.com
1
2
Arquivo BV
Arquivo BV
Arquivo BV
Março
Março
4
4
Maio 5
Maio
5
Julho 7 Bertolin
Julho
7
Bertolin
Arquivo BV Arquivo BV Março 4 Maio 5 Julho 7 Bertolin 20 BOA VONTADE Outubro de
Arquivo BV Arquivo BV Março 4 Maio 5 Julho 7 Bertolin 20 BOA VONTADE Outubro de
20 BOA VONTADE Outubro de 2004 Arquivo BV
20
BOA
VONTADE
Outubro de 2004
Arquivo BV

“O Templo da Boa Vontade é a maior referência da Espiritualidade em Brasília”

) Parto mais

pela sensibilidade, é difícil detalhar todas as coisas vistas. Mas a criação de um ambiente sensível, a opção

por um lugar com luz, em todos os lados, em todos os ambientes, traz uma sensação muito agradável. O

que impressiona é que se pretende, mais do que tudo, sensibilizar as pessoas em relação ao mundo e em

O TBV representa, mais do que tudo, uma fonte. E ela é permanente, eterna,

se podemos dizer assim, porque não é só uma fonte de socorro. É uma inspiração também e esse sentido importa muito.”

relação à vida e à morte. (

“Brasília é uma referência da Espiritualidade e o Templo da Boa Vontade é a maior delas. (

)

Walter Avancini Diretor de cinema (in memoriam)

Arquivo BV

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

3

Janeiro
Janeiro

“O Paiva está completamente dentro dos nossos corações. O trabalho que ele faz é maravilhoso, é super do Bem.”

Rita Lee (cantora) — Importantes moradores da “Terra da Garoa” sempre deram grande repercussão aos feitos

da LBV. A querida cantora Rita Lee, paulistana apaixonada, é um exemplo disso. Quando vai à capital federal, não perde a oportunidade de renovar suas energias no Conjunto Ecumênico, que dispõe, entre seus diversos ambientes dedicados à Paz e à Espiritualidade, da Ala dos Estudantes e de uma concorridíssima Galeria de Arte. Em uma dessas visitas, em 1997, Rita chegou a propor que o TBV fosse também erguido na acolhedora megalópole: “Há uns cinco anos, venho freqüentando o Templo da Boa Vontade. Sempre que estou em Brasília, venho para cá e fico choramingando (risos) para vocês abrirem um Templo em São Paulo, que é a minha terra e

porque tudo aqui demonstra essa preocupação que

que precisa demais dele. (

vocês sempre tiveram com a Educação, com o Amor, mas com Espiritualidade também, oferecendo para essa

meninada toda — eu estou vendo aqui — salas e salas de aula com computadores, a maior tecnologia (

está completamente dentro dos nossos corações. O trabalho que ele faz é maravilhoso, é super do Bem”.

). O Paiva

)

O ParlaMundi é uma beleza (

),

Danilo Parmegiani
Danilo Parmegiani

Rita Lee e seu marido, Roberto de Carvalho.

Fim das obras

1989

1

O dirigente da LBV e assessores circundam uma das faces da pirâmide, já completamente revestida de mármore, e os jardins.

2

No ano da inauguração do TBV, Paiva Netto continua vistoriando freqüentemente cada novo detalhe da construção. Aqui, na saída principal da pirâmide.

3

Por esses vãos, sobre os quais passa a comitiva, ar e luminosidade ajudarão a embelezar ainda mais as áreas subterrâneas do Templo.

4

A magnífica obra é vista a distância.

5

Limpeza externa da Nave do TBV.

6

Foto tirada do interior da Nave, pelo espaço a ser envidraçado entre duas das sete faces do Templo. Ao fundo, a Natureza.

7

Além do elevado significado espiritual, a beleza arquitetônica do monumento já aquela altura era notícia na imprensa.

8

Da esquerda para a direita, Francisco Periotto, Haroldo Rocha, Paiva Netto e o casal Shirlei e Walter Braga.

9

Aproxima-se o grande momento da inauguração do Templo da Boa Vontade: 21/9/1989.

21
21

João Areis Preda

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

ESPECIAL www.boavontade.com Marcelo Bertolin
ESPECIAL
www.boavontade.com
Marcelo Bertolin

O saudoso Legionário Onivaldo Bosso (E) e o engenheiro R. R. Roberto.

Colocada a pedra de cristal

no pináculo do TBV

22
22

U m dos acontecimentos espe-

ciais, antes que fossem aber-

tas definitivamente as portas

do monumento dedicado à

Solidariedade Ecumênica, foi a colocação, em 1 o de junho de 1989, no pináculo da Pirâmide de sete faces que constituem a Nave do Templo da Boa Vontade, daquela que é considerada pela mídia a maior pedra de cristal puro do mundo (aproxi- madamente 21 quilos). Segundo estudiosos do assunto, o cris- tal, além de purificar o ambiente, possibi- lita a cromoterapia — a cura pelas cores. Desde os planos iniciais do idealizador e construtor do TBV, José de Paiva Netto, com o arquiteto R. R. Roberto, já havia a idéia de uma pedra no ápice do lugar, a qual traria a luz do Sol para o interior da Nave. Seria uma pirâmide com ponta, visto que as sem ponta, a exemplo da de Quéfren, do antigo Egito, simbolizariam as mensagens de Deus não alcançadas pelos homens, e oTBVsurgia exatamente para integrar a criatura em seu Criador. Como atender a uma solicitação tão específica? Como conseguir o mineral na proporção correspondente ao tamanho do Templo da LBV? O desígnio divino soube resolver a difícil empreitada. Em 16 de março daquele ano, o Líder da Boa Vontade, ao voltar de Brasília, onde estivera acompanhando as obras do TBV, assistiu reportagem num telejornal:

“Um dia, estou no meu gabinete de traba- lho em São Paulo. Era alta hora da noite, e ligo o aparelho na antiga TV Manchete. A reportagem já estava pela metade. O que aconteceu? Vi a pedra rapidamente, e o pessoal dizendo que era a maior pedra de cristal puro achada no mundo. No mesmo instante, liguei para o Irmão Haroldo

Rocha, em Brasília. Disse-lhe: ‘Haroldo, acabei de ver isso na TV Manchete. Vá buscar essa pedra. Se não a trouxer (aí dei uma boa gargalhada), não precisa nem

voltar.Volte, mas a traga, porque é o cristal que procuramos. Veja o tamanho dele”, conta o Diretor-Presidente da LBV. Na manhã seguinte, os jornais já pu- blicaram matérias a respeito do assunto. E Haroldo foi à cidade de Cristalina. “Passou

o dia inteiro lá. Havia muitos estrangeiros na localidade. Todos querendo o grande cristal. Era uma coisa incrível! Haroldo pacientemente esperou a vez dele. Quan- do chegou o fim do dia, falou com o garimpeiro. Disse-lhe que precisava levar aquela pedra, que era para ser posta num lugar especial. Descreveu-lhe o Templo da Boa Vontade ainda em construção. Foi quando se aproximou deles a esposa do garimpeiro, que afirmou: ‘Chico Jorge, você vai dar essa pedra para o Templo porque eu sou ouvinte de Paiva Netto e gosto muito da LBV’. Resumidamente foi assim. O Irmão Haroldo Rocha retornou, trazendo a pedra que se encontra, hoje, gloriosamente fincada no pináculo do Templo da Boa Vontade”. Fato curioso é que, naquela mesma semana, a esposa do garimpeiro, Maria de Lurdes, lembrou-se de um sonho no qual ele achava uma pedra que teria uma nobre destinação. Logo que a notícia correu, diversos Legionários juntaram-se para conseguir

o necessário. Chico Jorge fez a sua parte:

vendeu-o por quase nada. Assim, aquele filão de cristal de quart- zo passava a iluminar, do Templo da Boa Vontade, ainda mais a vocação mística da capital federal, alimentando os Seres Humanos com a luz do Amor de Deus.

alimentando os Seres Humanos com a luz do Amor de Deus. Marta Jabuonski (E), Mariene Matos

Marta Jabuonski (E), Mariene Matos (C) e a Embaixatriz Lúcia Flecha de Lima

Réplica do Cristal do Templo da LBV emociona Embaixatriz

A colunista Jane Godoy publicou em sua famosa coluna

“360 Graus”, no jornal Correio Braziliense, nota em que destaca

a singela homenagem recebida pela Embaixatriz Lúcia Flecha

de Lima na data de seu natalício. “A Secretária de Turismo do

Distrito Federal, Lúcia Flecha de Lima, que fez aniversário dia 19 de abril, recebeu uma réplica do maior cristal puro já encontrado, localizado no topo do Templo da Paz. O presente foi oferecido pelo Presidente da Legião da Boa Vontade, o jornalista Paiva Netto, representado pela assessora de comunicação Mariene Matos e

curadora da Galeria de

Arte do Templo da LBV”, diz o texto. A nobre esposa do ilustre Embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima recebeu com emoção a lembrança, e recentemente manifestou sua gratidão pelo apoio da LBV na realização do Desfile Sociedade Voluntária, em favor do Lar para idosos São

pela artista plástica Marta Jabuonski (

),

José, mantido pela Casa do Candango, presidida pela Embaixatriz:

“Meu especial obrigada ao Paiva Netto, um amigo de muitos anos,

e a todas as pessoas da Legião da Boa Vontade, Legião essa que, confesso a vocês, conheço desde o tempo de Alziro Zarur”.

Gilberto Bertolin
Gilberto Bertolin

No gabinete da presidência da LBV em Brasília, Paiva Netto reunido com alguns Legionários. À mesa, a considerada maior pedra de cristal puro do mundo adquirida para o TBV.

Siron Franco vê o Cristo no Cristal Sagrado

Gilmar Vital
Gilmar Vital

Em 1997, o renomado artista plástico Siron Franco mostra, no painel fotográfico do Cristal do Templo da Boa Vontade, as linhas que, segundo sua refinada visão de artista, formam a imagem perfeita da face de Jesus. O fato tem sido confirmado por inúmeras pessoas que observam o mesmo ângulo.

Reprodução

VONTADE

VONTADE

Outubro de 2004

Outubro de 2004

BOA

BOA

Dia do Ecumenismo

Com a finalidade de promover a confraterniza- ção e a Paz entre todas as raças e todos campos do conhecimento e do saber universal, fazendo com que o respeito à criatura humana seja a bandeira da harmonia e do entendimento, 21 de outubro foi instituído, numa homenagem ao Templo da LBV, como o Dia do Ecumenismo. Foi oficializado pela primeira vez pelo Governo do Distrito Federal, por proposição do Deputado Distrital Rodrigo Rollemberg. A iniciativa tem empolgado outros locais da União, a exemplo do Rio de Janeiro, que a incorpo- rou ao seu calendário oficial, por meio da Lei 4.160, sancionada em 23 de setembro de 2003, pela Gover- nadora do Estado, Rosinha Matheus, por indicação do Deputado Estadual Noel de Carvalho. A data também é comemorada, desde 2001, no Estado de São Paulo, por indicação da Deputada suplente Edir Sales. E, em 2002, ganhou ainda o apoio do Estado do Mato Grosso (graças ao Depu- tado Wilson Teixeira) e da cidade de Novo Ham- burgo/RS (numa proposta dos Vereadores Ciro José Rothen eAntonio Zacarias), que passaram a incluir essa deferência ao TBV em sua agenda oficial.

Eis o Templo da Paz

O sonho se concretiza!

21 de outubro de 1989!

Marca pessoal: Paiva Netto cumpre o que promete.

23 23
23
23

Pedro Altair Rúbio

Pedro Altair Rúbio

Marcelo Bertolin

Carlos Moreno

Nelson Silva

Alziro Oliveira

Fernando Franco

Fernando Franco

Fernando Franco

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

ESPECIAL

ESPECIAL

www.boavontade.com

www.boavontade.com

Palco e público se misturam na festa. De longe, o único destaque para o coração azul da LBV: um símbolo criado por Alziro Zarur e imortalizado por Paiva Netto.

criado por Alziro Zarur e imortalizado por Paiva Netto. De um palco de 320 m², armado

De um palco de 320 m², armado na praça em frente ao TBV, foi comandada toda a programação dos dois dias, em que os eventos culturais predominaram.

dos dois dias, em que os eventos culturais predominaram. Primeira audição mundial da Sinfonia Apocalypse de

Primeira audição mundial da Sinfonia Apocalypse de Paiva Netto e Almeida Prado, com a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro.

Quem já esteve lá

Templo da

Paiva Netto abre

C hega a data tão esperada: 21 de

outubro de 1989. O TBV, erguido

em tempo recorde, em três anos e

meio, estava pronto para receber

todos sem exceção. Era o primeiro monu- mento dedicado ao Ecumenismo Irrestrito e Total, notável ponto de expressão para o inter-relacionamento religioso.

Marca pessoal: Paiva Netto cumpre o que promete.

Com o apoio popular e graças ao em- penho e carisma de seu idealizador e cons-

trutor, José de Paiva Netto, que tem como marca pessoal cumprir o que promete, o TBV era inaugurado em uma ocasião muito especial, quando se completavam dez anos da passagem do fundador da LBV, Alziro Zarur, ao Mundo Espiritual. Neste outubro de 2004, fará seu 25 o aniversário no Mundo da Verdade. Brasília viveu um momento histórico, um acontecimento que, como noticiou a mídia, levou à capital do País pessoas de todo o mundo, reunindo mais de 100 mil especta- dores durante a cerimônia principal.

de 100 mil especta- dores durante a cerimônia principal. Milhares de pessoas superlotam a quadra 915

Milhares de pessoas superlotam a quadra 915 Sul, em Brasília, tomada também por ônibus e carros no dia da inauguração do TBV, comandada pelo Líder da Boa Vontade. Uma festa ecumênica jamais vista.

24
24
Líder da Boa Vontade. Uma festa ecumênica jamais vista. 24 Dir. para a esq.: Léa Garcia,

Dir. para a esq.: Léa Garcia, Maria Ciça, Kadu Carneiro e Danielle Ornellas.

Eliana Pittman

Léa Garcia, Maria Ciça, Kadu Carneiro e Danielle Ornellas. Eliana Pittman Letícia Spiller Marcos Caruso Neuza

Letícia Spiller

Léa Garcia, Maria Ciça, Kadu Carneiro e Danielle Ornellas. Eliana Pittman Letícia Spiller Marcos Caruso Neuza

Marcos Caruso

Léa Garcia, Maria Ciça, Kadu Carneiro e Danielle Ornellas. Eliana Pittman Letícia Spiller Marcos Caruso Neuza

Neuza Borges

Léa Garcia, Maria Ciça, Kadu Carneiro e Danielle Ornellas. Eliana Pittman Letícia Spiller Marcos Caruso Neuza

Carlos Moreno

inauguração

Carlos Moreno

Pedro Altair Rúbio

João Zarur

Arquivo BV

Danilo Parmegiani

Fernando Franco

Fernando Ascenção

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

21 de outubro

1989

Paz

as portas do TBV à Humanidade

As festividades daquele dia começa- ram bem cedo ao redor do Templo. Mas foi às 14 horas, quando a Banda do Bata- lhão da Guarda Presidencial executou o Hino Nacional, com o simultâneo hastea- mento das bandeiras do Brasil, de Brasília e da LBV, que a solenidade inaugural teve oficialmente início. Em seguida, o Líder da Boa Vontade, sob intensa emoção de todos os presen- tes e acompanhado pelas autoridades, dirigiu-se à porta de entrada principal do TBV — ao som de uma marcha composta

especialmente para a ocasião e executada por músicos e coral — para descerrar a faixa e dar sete batidas místicas com um martelo dourado, presente dos Legionários de Goiás —, declarando-o aberto para toda a Humanidade. “Como as crianças representam o que há de mais puro neste mundo, elas vão entrar primeiro”, disse Paiva Netto na oportunidade. E lembrando os mais diferentes povos e nações, centenas de crianças caminharam à sua frente até chegarem à Nave do Templo.

caminharam à sua frente até chegarem à Nave do Templo. No dia 20, antes de o

No dia 20, antes de o TBV abrir suas portas, inúmeros peregrinos já participavam dos eventos culturais que antecederam a inauguração do monumento. Naquela data, Paiva Netto realizava uma importante reunião com Legionários da Boa Von- tade em seu gabinete, quando começou a cair forte temporal sobre Brasília. Aplau- dindo a perseverança da multidão, que não arredava o pé do local, foi ao encontro do público, subiu ao palco, e, debaixo da chuva, pronunciou discurso histórico.

palco, e, debaixo da chuva, pronunciou discurso histórico. Na cena noturna, parte da imensa multidão que
palco, e, debaixo da chuva, pronunciou discurso histórico. Na cena noturna, parte da imensa multidão que

Na cena noturna, parte da imensa multidão que prestigiou o evento.

Leila Lopes

da imensa multidão que prestigiou o evento. Leila Lopes André Valli Luciana Mello Marcelo Sabach e

André Valli

multidão que prestigiou o evento. Leila Lopes André Valli Luciana Mello Marcelo Sabach e sua mãe

Luciana Mello

multidão que prestigiou o evento. Leila Lopes André Valli Luciana Mello Marcelo Sabach e sua mãe

Marcelo Sabach e sua mãe

multidão que prestigiou o evento. Leila Lopes André Valli Luciana Mello Marcelo Sabach e sua mãe

Lupi Gigliotti

multidão que prestigiou o evento. Leila Lopes André Valli Luciana Mello Marcelo Sabach e sua mãe
25
25

Fernando Franco

Fernando Franco

Fernando Franco

Fernando Franco

Fernando Franco

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

ESPECIAL ESPECIAL www.boavontade.com www.boavontade.com Emilson Pineze
ESPECIAL
ESPECIAL
www.boavontade.com
www.boavontade.com
Emilson Pineze

O Líder da Boa Vontade, sob a intensa emoção de todos os que lá se encon- travam e acompanhado das autoridades, dirigiu-se à entrada principal do monumento para descerrar a faixa inaugural e dar as sete batidas simbólicas.

inauguração19

Também o Irmão portador de necessidades especiais, Francisco Camilo de Oliveira, mineiro de Governador Valadares, na sua cadeira de ro- das, simbolizando todos aqueles que têm limita- ções físicas, mas não desanimam na luta da vida, foiconvidado, por Paiva Netto, a entrar primeiro, com as crianças, o que evidenciou mais uma vez o respeito da LBV à sagrada pessoa humana. A solenidade foi marcada pela presença de autoridades eminentes, diplomatas, artistas, polí- ticos, religiosos, militares, do Brasil e do Exterior, que, ciceroneados por Paiva Netto, percorreram cada ambiente do TBV.

A grande festa de inauguração prosseguiu durante o dia todo, e à noite a visitação pública ao local continuava intensa. Houve, ainda, a apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, que executou em primeira audição mundial, com o Madrigal da Escola de Música e Coro Jovem LBV, a Sinfo- nia Apocalypse — elaboração composicional, harmônica e orquestral do maestro Almeida Prado, sobre temas de Paiva Netto. A regência foi de Achille Picchi. Cerca de mil emissoras formaram, às 18 ho-

ras, a 35

a Rede Internacional da Boa Vontade.

Pedro Altair Rúbeo
Pedro Altair Rúbeo
35 a Rede Internacional da Boa Vontade. Pedro Altair Rúbeo Dando início à solenidade, o hasteamento

Dando início à solenidade, o hasteamento das bandeiras do Brasil, de Brasília e da LBV, fato assistido pela compacta massa popular, ao som do Hino Nacional, executado pela Guarda Presidencial.

26
26

Quem já esteve lá

Guilherme Karan

Guarda Presidencial. 26 Quem já esteve lá Guilherme Karan Maguila e sua esposa, Irani. Rosi Campos

Maguila e sua esposa, Irani.

26 Quem já esteve lá Guilherme Karan Maguila e sua esposa, Irani. Rosi Campos Lucinha Lins

Rosi Campos

26 Quem já esteve lá Guilherme Karan Maguila e sua esposa, Irani. Rosi Campos Lucinha Lins

Lucinha Lins

26 Quem já esteve lá Guilherme Karan Maguila e sua esposa, Irani. Rosi Campos Lucinha Lins

Netinho de Paula

26 Quem já esteve lá Guilherme Karan Maguila e sua esposa, Irani. Rosi Campos Lucinha Lins

Marcelo Bertolin

Pedro Altair Rúbeo

Rui LopesRui

Lopes

João Zarur

Daniel Rocha

Leilla Tonin

Nilton Preda

Nilton Preda

Nilton Preda

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

21 de outubro

89

Vale ainda recordar que no dia an- terior, 20, quando antecipadamente se realizava o 40 o Congresso Mundial da Boa Vontade — evento anualmente pro-

movido pela LBV, no mês de dezembro —, uma enorme massa popular concentrava- se na praça diante do TBV, aguardando

a chegada do Diretor-Presidente da

Instituição. Durante o seu discurso, uma forte chuva caiu, por volta das 17 horas,

e, mesmo com a intempérie, ninguém

arredou pé, tamanha era a emoção que tomava conta dos presentes, pois o Líder

da Boa Vontade, igualmente encharcado, enfrentando o violento temporal, entusias- mou o Povo com sua mensagem. E aquele momento inesquecível foi coroado quando, para a surpresa de todos, surgiram simulta- neamente, no céu, dois lindos arco-íris. Depois viria (em 1994) outra grande construção idealizada por Paiva Netto: O Parlamento Mundial da Fraternidade Ecu- mênica, o ParlaMundi da LBV. Na edição de dezembro da revista BOA VONTADE, os dez anos da história desse monumento. Não perca!

Após o descerramento da faixa, Paiva Netto dispara os sete toques místicos e a abertura das portas do TBV: três momentos de grande emoção para quem acompanhou a solenidade.

Paiva Netto ao centro da Nave do TBV completamente tomada pelo Povo, profere mensagem histórica sobre a futura missão irrestritamente ecumênica do Templo da Boa Vontade.

No momento da inauguração, o Líder da Boa Vontade disse: “Como

as crianças representam o que há de mais puro neste mundo, elas

vão entrar primeiro (

especiais seguiu, por convocação fraterna de Paiva Netto, com os pe- quenos, evidenciando o respeito da LBV à sagrada pessoa humana.

Pedro Vasconcelos

)”.

Também o Irmão portador de necessidades

Marcos Pasquim

Também o Irmão portador de necessidades Marcos Pasquim Toquinho Milton Gonçalves Nani Venâncio Mila Moreira e
Também o Irmão portador de necessidades Marcos Pasquim Toquinho Milton Gonçalves Nani Venâncio Mila Moreira e

Toquinho

o Irmão portador de necessidades Marcos Pasquim Toquinho Milton Gonçalves Nani Venâncio Mila Moreira e Norton

Milton Gonçalves

portador de necessidades Marcos Pasquim Toquinho Milton Gonçalves Nani Venâncio Mila Moreira e Norton Nascimento 27

Nani Venâncio

portador de necessidades Marcos Pasquim Toquinho Milton Gonçalves Nani Venâncio Mila Moreira e Norton Nascimento 27
portador de necessidades Marcos Pasquim Toquinho Milton Gonçalves Nani Venâncio Mila Moreira e Norton Nascimento 27

Mila Moreira e Norton Nascimento

27
27

Cida Linares

Nilton Preda

Gilmar Vital

Nilton Preda

Arquivo BV

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

ESPECIAL

ESPECIAL

www.boavontade.com

www.boavontade.com

O Cristo Estadista

O jornalista Roman Dobrzyński, da TV Polonesa, esteve no Brasil entrevistando Paiva Netto.

N o final de 1989, ocorreu também um grande encontro ecu- mênico, em 30 de dezembro, no recém-inaugurado Templo da Boa Vontade, para prestigiar o “7 o Congresso Jesus Está Chegando!” e “21 o do Apocalipse”, evento comemorativo do

40 o aniversário da LBV, a ser completado a 1 o de janeiro de 1950. Naquela data, o dirigente da Instituição fez, por meio de uma cadeia radiofônica para todo o País e Exterior, o lançamento do 2 o Ano Jesus (1990) e a Proclamação do Cristo Estadista, nascida da leitura de um artigo escrito por ele para a imprensa semanas antes do Congresso, sob o título “Dessectarizar Jesus”. A matéria que gerou tanta repercussão surgiu de uma entrevista concedida pelo Líder da Boa Vontade ao vice-Presidente da Associação Universal de Esperanto, jornalista Roman Dobrzyński, da TV Polone- sa, que esteve no Brasil para participar da inauguração do Templo do Ecumenismo Total. Na entrevista, perguntou ao dirigente da Instituição: “Como pode a LBV pregar o Ecumenismo Irrestrito, falando em Jesus?”. Ao que ele prontamente explicou: uma das missões da Legião da Boa Vontade é exa- tamente dessectarizá-Lo! (Leia a íntegra desta Proclamação no segundo volume das Diretrizes Espirituais da Religião de Deus, p. 31).

A respeito, destacou

o Jornal de Brasília:

“Paiva Netto falou sobre

a necessidade de estudar-

se o legado de Jesus em todos os segmentos da sociedade, e não apenas na Religião. A intenção é aplicar os ideais cristãos de Fraternidade Univer- sal também à Política, à

Economia, à Filosofia e à Ciência”. É preciso destacar que Paiva Netto não compreende “ideais cristãos” com qualquer sentido sectário, por isso ele prega “o Jesus Ecumênico, isto é, acima de idiossincrasias ou atavismos grosseiros. Um Jesus sem algemas”. Durante a transmissão radiofônica, o Presidente da LBV propôs ao Povo

a continuidade das obras do Conjunto Ecumênico da Legião da Boa Vonta- de, em Brasília. Nascia, ali, a semente do ideal do Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, que seria inaugurado, como

o foi, em 25 de dezembro de 1994.

que seria inaugurado, como o foi, em 25 de dezembro de 1994. Em dezembro de 1989,
que seria inaugurado, como o foi, em 25 de dezembro de 1994. Em dezembro de 1989,

Em dezembro de 1989, o Líder da Boa Vontade proclama o Cristo Estadista diante da massa popular que superlotou o TBV.

28
28

Quem já esteve lá

Nicole Puzzi

que superlotou o TBV. 28 Quem já esteve lá Nicole Puzzi Flávio e Paulo Guarniéri José

Flávio e Paulo Guarniéri

que superlotou o TBV. 28 Quem já esteve lá Nicole Puzzi Flávio e Paulo Guarniéri José

José Augusto

que superlotou o TBV. 28 Quem já esteve lá Nicole Puzzi Flávio e Paulo Guarniéri José

Fábio Jr.

que superlotou o TBV. 28 Quem já esteve lá Nicole Puzzi Flávio e Paulo Guarniéri José

Chico Dias

que superlotou o TBV. 28 Quem já esteve lá Nicole Puzzi Flávio e Paulo Guarniéri José

João Ruiz Lopes

Pedro Altair Rúbio

Nilton Preda

Fernando Franco

Nilton Preda

Danilo Parmegiani

Neuciny de Jesus

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Parmegiani Neuciny de Jesus VONTADE Outubro de 2004 BOA Paiva Netto faz pronunciamento durante a solenidade

Paiva Netto faz pronunciamento durante a solenidade de inauguração do Memorial Alziro Zarur. Primeiro (E), mostra foto do fundador da LBV (tirada na década de 1970), no centro aparece com Ula Haensell (que explica o significado da Mandala) e, por fim, ao lado de Sátyro Marques (quando o artista expõe detalhes do painel “A Conquista”).

Memorial Alziro Zarur

Inaugurado em outubro/1990

P regar a Boa Vontade de Deus aos homens, anunciando o

retorno de Jesus ao Planeta Terra, foi sem dúvida uma das

nem fim. ‘O que era, o que é e o que há de vir’ (como se encontra no Apocalipse). Isso simboliza a LBV. O cristal de que é feita

transmite energia para todos que a querem receber; no centro, temos a representação de Deus, a Lei da Natureza, a Lei Cósmica. Em volta do núcleo, aparece a cor verde-esmeralda, que caracteriza a Legião da Boa Vontade, pois trata-se da cor mais espiritualizada

maiores tarefas de Alziro Zarur.

Às 14 horas, do dia 21 de outubro de 1990, quando se

comemorava o primeiro aniversário da Pirâmide da LBV, Paiva

Netto inaugurou o Memorial dedicado ao fundador da Legião da Boa Vontade, situado no segundo subsolo do Conjunto Ecumênico do TBV.

que o Homem pode atingir (

)”.

Conjunto Ecumênico do TBV. que o Homem pode atingir ( )”. Também esteve presente o renomado

Também esteve presente o renomado pintor Sátyro Marques, autor do painel “A Conquista”, que serve de cenário para esse compartimen- to sagrado, cuja ambiência se compara ao “Santo dos Santos”, do famoso templo de Salomão: “Quando fui procurado para fazer uma obra para o memorial, a coisa seguiu uma evolução muito rápida. Pretendia trazer algo que re- presentasse não destruições, mas uma mensagem de equilíbrio, conquista. Nós poderíamos dividir o painel em quatro seções bem distintas. No ângulo superior esquerdo, assistimos as bestas, os quatro cavaleiros dantescos que vêm para cobrar. Correndo todo o painel, na parte inferior, vemos aquelas figuras que estão pedin- do ajuda, recorrendo, tentando ainda elevar a mão ao divino para conseguir a sublimação de suas almas. Na parte superior direita, as trombetas anunciam a chegada dessa figura central que vem no cavalo branco, e partiu para vencer, fazendo um colar de cristais de purificação — esses cristais assemelham-se ao que está colocado no pináculo da Nave central. E é mediante a purificação que essas imagens alcançam o infinito. Atrás nós vemos os guerreiros da Legião da Boa Vontade, os Soldados de Deus”.

O

espaço é, acima de tudo, uma exaltação à

Vida, diferente da maioria dos monumentos similares já existentes, pois se caracteriza por ter a Natureza aliada à Arte e à Es- piritualidade. Um quadro com foto histórica do homenageado também foi inaugu- rado, registrando um momento de alegria e vitória de Zarur quando, em 1971, saudava a Massa Legionária. Por sinal, como a confirmar o seu Espírito Ecumênico, a estampa, doada pela saudosa Legionária Ismênia Barros Villafranca, foi restaurada a pedido do dirigente da LBV e colorizada (o original

é em preto-e-branco) pelo artista David Segal:

um irmão judeu, prestando notável serviço a um descendente de sírio-libaneses e à LBV.

O memorial caracteriza-se também por abrir um espaço artís-

tico, pois mantém expostas, em caráter permanente, obras como a Mandala, criação da saudosa artista plástica alemã Ula Haensell (in memoriam). Naquela memorável data, a artista explicou o sentido de sua obra, elaborada em cristal sobre mármore, especialmente para o lugar: “Mandala significa um círculo que não tem começo

lugar: “Mandala significa um círculo que não tem começo Andréa Richa e Guilher- mina Guinle Ana

Andréa Richa e Guilher- mina Guinle

Ana Rosa

tem começo Andréa Richa e Guilher- mina Guinle Ana Rosa Otávio Mesquita Natália Rage, Renata Cas-

Otávio Mesquita

Richa e Guilher- mina Guinle Ana Rosa Otávio Mesquita Natália Rage, Renata Cas- tro e Juliana

Natália Rage, Renata Cas- tro e Juliana Martins.

Ana Rosa Otávio Mesquita Natália Rage, Renata Cas- tro e Juliana Martins. Thierry Figueira e Fernan-

Thierry Figueira e Fernan- da Rodrigues

Ana Rosa Otávio Mesquita Natália Rage, Renata Cas- tro e Juliana Martins. Thierry Figueira e Fernan-
29
29

Ruiz Alan

Arquivo LBV

Nilton Preda

Leila Marco

Fernando Franco

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Leila Marco Fernando Franco VONTADE Outubro de 2004 BOA Reprodução da matéria publicada no jornal O

Reprodução da matéria publicada no jornal O Globo, do Rio de Janeiro, em 29/11/1995, a respeito da exposição “Sete Samurais da Arte Brasileira”, realizada no TBV.

Cida Linares
Cida Linares

O jornalista Paiva Netto encontra- se com o amigo de profissão Mino Carta, em exposição do conceituado artista plástico na capital paulista.

João Preda
João Preda

Tela “O Político”, do jornalista e artista plástico Mino Carta, exposta com destaque na Galeria de Arte do TBV.

ESPECIAL

ESPECIAL

www.boavontade.com

www.boavontade.com

Galeria de Arte do TBV

570 m 2 dedicados à Cultura

João Preda
João Preda

Da esquerda para a direita, Lucimara Augusta, Paiva Netto, Chico Anysio e Malga de Paula. Os casais aparecem ao lado do quadro “Ponta Grossa”

(1993), o qual foi adquirido pelo dirigente da LBV há quase uma década. “É uma das telas que mais gosto. Fico feliz em vê-la aqui, em seu gabinete de

trabalho”, confidenciou o autor da obra, Chico Anysio.

O Templo da Boa Vontade, além de destacar-

se como grande pólo turístico da capital bra-

sileira, é também uma área onde o visitante

(sem distinção de classe econômica, étnica

ou racial) tem fácil acesso à cultura. Tudo isso graças à idealização da Galeria de Arte, em 1987, pelo Diretor- Presidente da LBV, que lhe dedica especial atenção, já que ele con- sidera a Arte um símbolo da própria humanização do Ser Hu- mano. A b e r t o

O local dispõe ainda de um ateliê para a

confecção de trabalhos, um espaço aberto ao talento de artistas plásticos do Brasil e do mundo. Exposições — Do Oriente, uma das mostras de sucesso da galeria foi a exposição

“Sete Samurais da Arte Brasileira” — reu- nindo os artistas Manabu Mabe (1924-1997), Tikashi Fukushima (1920-2001), Kasuo Wakabayashi, Yutaka Toyota, Kenji Fukuda,

Takashi Fukushima, e Yugo Mabe — exposta na Galeria de Arte do TBV no final de 1995.

O nome, segundo o curador da exposição, Al-

berto Beuttenmüller, crítico internacional de Arte, foi uma homenagem à origem dos artistas no ano em que se completava um século da amizade Brasil- Japão. Alberto destacou, na ocasião, que a galeria

é um “espaço cultural da maior importância para a cultura brasileira em Brasília”.

O artista Kenji Fukuda, que pela primeira vez visitava o Templo durante o vernissage da exposição, declarou-se encantado com o local:

“É realmente impressionante, dá para perceber a grandiosidade da Obra”. Outra exposição que fez sucesso na galeria foi apresentada, em setem- bro do ano passado, pelo humorista Chico Anysio. O título da primeira exposição realizada por ele em solo brasiliense é: “Volta ao mundo sem

sair de casa” e revela a criatividade de um artista polivalente impressa em dezenas de painéis de acrílico. Pintor fovista e apaixonado por paisagens, Chico apresenta em suas obras uma colo- rida brasilidade. Suas raízes, no Ceará, também são notadas pelos tons muito luminosos e vibrantes.

Na oportunidade, Chico foi entrevistado pela Rede Boa Vontade de Rádio e fez questão de ressaltar

o trabalho do Líder da Boa Vontade: “(

é uma pessoa importante porque seguiu à risca os

) Paiva Netto

O que a Legião da Boa Vontade cresceu com Paiva Netto é inacreditável; foi para o mundo todo!

Ele foi brilhante, deu

visibilidade a ela.

Chico Anysio

24 horas por dia, o local recebe multidões de visitantes anualmente, que se deslumbram com as belezas

expostas nos seus 570 m 2 . Durante suas mostras itinerantes, são expostos trabalhos de conhecidos artistas como Mestre Vitalino, Antonio Poteiro, Zanini Caldas, Mestre Didi, Ademir Martins, Tarsila do Amaral, Siron Franco, Roberto Burle Marx, Bruno Giogio, Athos Bulcão, Shinoda, Manabu Mabe, entre outros. Só para se ter idéia, o acervo da galeria conta com obras de famosos artistas, como de Ula Haensell, de Brunhilda Zilles, do uruguaio Montani, do venezuelano Maldonado Dias, de Lia Werner e de Jânio Quadros. Outro importante artista plástico com obra de arte no espaço é o renomado jornalista Mino Carta, com o trabalho intitulado “O Político”, em destaque na galeria.

Visitantes do TBV apreciam obras de arte da galeria
Visitantes do TBV apreciam obras de arte da galeria

preceitos de Zarur, que era um homem muito sério. E assim Paiva Netto é, sem ferir ninguém, sem contundir, sem chocar. O que a Legião da Boa Vontade cresceu com Paiva Netto é inacreditável; foi para o mundo todo! Ele foi brilhante, deu visibilidade a ela. O trabalho com as crianças, com os velhos, com tudo! Colaboro com a LBV sempre que posso, porque acho importante o trabalho que ela faz”.

Quem já esteve lá

30
30

Rita Guedes

trabalho que ela faz”. Quem já esteve lá 30 Rita Guedes Ricardo Macchi Roberta Miranda Socorro

Ricardo Macchi

faz”. Quem já esteve lá 30 Rita Guedes Ricardo Macchi Roberta Miranda Socorro Leite e Rosana

Roberta Miranda

já esteve lá 30 Rita Guedes Ricardo Macchi Roberta Miranda Socorro Leite e Rosana Beni F

Socorro Leite e Rosana Beni

lá 30 Rita Guedes Ricardo Macchi Roberta Miranda Socorro Leite e Rosana Beni F e l

Felipe Camargo

lá 30 Rita Guedes Ricardo Macchi Roberta Miranda Socorro Leite e Rosana Beni F e l

Armando Kitamura

Arquivo BV

Arquivo BV

João Zarur

Fernando Franco

Gilmar Vital

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

O Egito no Brasil

O dirigente da LBV apresenta detalhes da Sala Egípcia do TBV durante a inauguração. À
O dirigente da LBV apresenta detalhes da Sala Egípcia do TBV durante a inauguração. À esquerda, o então Embaixador do Egito, Mohamed Ahmed Abdel-Wahab, que destacou:
Leila Marco

“O Templo da Boa Vontade é a maior construção piramidal do Século XX”. Ao lado, vista parcial da Sala onde podem ser vistos afrescos nas paredes, que reproduzem, da direita para a esquerda, a grande esfinge de Gizé com as três pirâmides (Quéops, Quéfren e Miquerinos) o deus Hórus (com a cabeça de falcão), o olho de Hórus e ainda o busto de Nefertite.

O Antigo Egito foi a primeira civilização a estabelecer-se de

forma realmente marcante no mundo, há quase cinco mil

anos. Uma nação exuberante e que acreditava na imortali-

redes ao longo da escada, temos pássaros íbis e gansos de Meidum que

exprimem a vida e o movimento. Acima da escada está pintada a figura carismática de Aknaton, faraó que governou o Egito durante 17 anos, de 1379 a 1362, antes da Primeira Vinda de Jesus à Terra, cujo nome quer dizer “Mensageiro do Sol”, e que instituiu, durante seu reinado, a adoração do deus único no Egito. Há ainda a escultura do busto de Nefertite — esposa de Aknaton, famosa por sua beleza. Seu próprio nome sugere: Nefertite — “chegada à beleza”, “a beleza chegou”. O Trono de Tu- tancâmon — sucessor de Aknaton (Tut-Ank- Amon — Imagem viva de Amon) —, o faraó mais jovem do Egito. Era conhecido como o “Rei menino” porque subiu ao trono quando criança e governou por dez anos. As serpentes são símbolo de domínio e proteção, por isso aparecerem também na testa dos faraós. No teto, os “sete céus”, que representam os sete dias da semana e toda a mística do número

dade da Alma. O fascínio dessa civilização é reproduzido

hoje, em Brasília, na Sala Egípcia do Templo da Boa Vontade,

em Brasília, na Sala Egípcia do Templo da Boa Vontade, A dança do ventre fez parte

A dança do ventre fez parte da pro- gramação cultural

sete.

idealizada pelo Presidente da LBV e inaugurada por ele em 20 de outubro de 1995. Um local diferenciado que traz detalhes desse Povo. Quem tem o privilégio de visitá-la pode apre- ciar, entre outras coisas, afrescos nas paredes, que reproduzem a grande esfinge de Gizé; o “Vale de Gizé”, com as três pirâmides: Quéops, Quéfren e Miquerinos; além de conhecer a mobília da épo- ca, graças à recriação das peças feitas pelo artista plástico Marciel Oehlmeyer. Na entrada exterior da sala há três figuras de Ramsés II, responsável por um dos reinados mais notáveis da História.

Acima do portal de acesso ao ambiente, encon- tramos escrito em hieróglifos (linguagem com mais

de 700 figuras diferentes para representar sons e idéias):

“Os mortos não morrem” — de Paiva Netto. Logo em seguida, vemos duas figuras semeando, o que simboliza o bom plantio interior. Nas pa-

E muitas outras minúcias que confirmam as pala- vras do jornalista Paiva Netto: “Se você não pode ir ao Egito, o TBV traz o Egito até você”.

Gisele Fraga

ir ao Egito, o TBV traz o Egito até você”. Gisele Fraga João Bosco Carlinhos de

João Bosco

o TBV traz o Egito até você”. Gisele Fraga João Bosco Carlinhos de Jesus Ésio Ramos

Carlinhos de Jesus

até você”. Gisele Fraga João Bosco Carlinhos de Jesus Ésio Ramos ( in memoriam ) Jorge

Ésio Ramos (in memoriam)

até você”. Gisele Fraga João Bosco Carlinhos de Jesus Ésio Ramos ( in memoriam ) Jorge

Jorge Lafond (in memoriam)

até você”. Gisele Fraga João Bosco Carlinhos de Jesus Ésio Ramos ( in memoriam ) Jorge
31
31

Fernando Franco

João Zarur

Arquivo BV

Nelciny de Jesus

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

ESPECIAL

ESPECIAL

www.boavontade.com

www.boavontade.com

Talk show da CNN destaca TBV

Alziro de Oliveira
Alziro de Oliveira

O famoso sensitivo norte-americano James Van Praagh, acompanhado por Marilyn Jenses e uma amiga, todos da Califórnia/EUA, visitando o TBV e o ParlaMundi da LBV.

O talk show mais

Reprodução RLBV
Reprodução RLBV

A foto registra uma cena em que o apresen- tador da CNN Larry King conversa com o entrevistado James Van Praagh (de costas).

No decorrer da entrevista, o jornalista King soube, por intermédio de seu convidado, Van Praagh, que “este Templo celebra o Ecumenis- mo Irrestrito entre os povos e promove o que há de melhor dentro das pessoas, purificando- as”. A visita dele — com um grupo de peregrinos provenientes de vários Estados norte-ameri- canos — teve um sentimento especial: o de integração, no qual há contato com uma força superior, o que foi narrado pela maioria dos presentes. Ao organizar a viagem, Van Praagh

fez um convite para seus compatriotas. Na mensagem, conta: “sua energia vital será renovada quando você se colocar embaixo do maior cristal puro do mundo, durante sua visita ao Templo da Boa Vontade da LBV em Brasília, cuja proposta é promover a Solidariedade Universal entre os homens (

popular do mundo, apre- sentado por Larry King

e exibido na CNN,

levou ao ar a entrevista com o sensitivo nor- te-americano James Van Praagh. Durante

o bate-papo, James

referiu-se ao monu- mento, que visitou em Brasília/DF, ressaltan-

do que aquele é o Templo da Unidade, do Ecumenismo Irrestrito; disse ainda que um grupo de norte-americanos sonha em ter um monumento com as mesmas características na Califórnia.

TV portuguesa dedica programa ao TBV

Arquivo BV
Arquivo BV

A apresentadora Teresa Guilherme, do programa Histórias do Além, do Canal 3 (SIC) de Portugal, en- trevista Paiva Netto sobre a LBV e o Templo da Paz.

Outro programa em que o Templo da Paz virou pauta é o Histórias do Além, apresentado por Teresa Guilherme e exibido no Canal 3 (SIC), em Portugal. Ela veio ao País para gravar uma série de reportagens sobre a LBV, uma delas, em especial, com o Presidente da Instituição, José de Paiva Netto. Em uma das vezes que ela destacou o monumento, definiu: “Ele é a prova material da Espiritualidade”, e prosseguiu afirmando que esta será a abordagem em seu programa: “Mostrar que o invisível é visível e que nada é impossível”.

32
32

Quem já esteve lá

Marcos Frota

nada é impossível”. 32 Quem já esteve lá Marcos Frota Acelino Popó Freitas Astro de Hollywood

Acelino Popó Freitas

32 Quem já esteve lá Marcos Frota Acelino Popó Freitas Astro de Hollywood visita o Templo

Astro de Hollywood visita o Templo da Paz

Durante cinco dias, o ator norte- americano John Amos cumpriu o roteiro pelas principais obras da Legião da Boa Vontade. É claro que, nesta viagem, não poderia faltar a passagem pelo Templo da Paz. Quando esteve na capital federal, Amos ficou impressionado com a ambiên- cia elevada do Templo da Boa Vontade. Sobre a visita, ele relata: “é difícil descrever exatamente o que sinto, porque o TBV é muito emocionante, totalmente diferente de tudo o que vi. Pedi hoje, em minhas preces, forças, para continuar sendo parte dessa ação”.

O ator norte-americano John Amos fica impres- sionado com a ambiência elevada do Templo

Lucélia Santos

Carol Machado e Ga- briela Duarte Ilya São Paulo, Débora Evelyn e Angela Machado Fernando
Carol Machado e Ga-
briela Duarte
Ilya São Paulo, Débora Evelyn e Angela
Machado
Fernando Franco
Nilton Preda

Arquivo LBV

Arquivo LBV

Nelson Silva

Nelson Silva

Cleomar Borges

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Nelson Silva Cleomar Borges VONTADE Outubro de 2004 BOA Ao proferir a Prece Ecumênica, à zero
Nelson Silva Cleomar Borges VONTADE Outubro de 2004 BOA Ao proferir a Prece Ecumênica, à zero

Ao proferir a Prece Ecumênica, à zero hora do dia 1 o de janeiro, Paiva Netto convidou a população presente, que superlotava o local, a bradar em uma só voz: “Bem-Vindo, Ano 2000!”.

Bem-Vindo, Ano 2000!

Paiva Netto emociona mais de 200 mil pessoas, saúda o Ano-Novo e pede pela Paz Mundial.

Além de marcar a história de eventos promovidos pela LBV, o “Ré- veillon Espiritual do Cristo — O Congresso da Paz” consolidou-se como um dos maiores encontros populares para saudar a chegada do ano 2000. Foi uma empolgante celebração dos 50 anos de bons serviços prestados pela LBV à população brasileira e mundial, dos 2.000 anos da Boa Nova Cristã e ainda dos 500 anos de Descobrimento do Brasil. Liderados por Paiva Netto e imantados por esses motivos, centenas de milhares de pessoas do mundo — incluindo autoridades, personalidades e

a classe artística — escolheram o Conjunto Ecumênico como local perfeito para festejar a data e, em uníssono, realizar uma Oração Ecumênica em prol de uma Humanidade mais feliz. Pela Numerologia, Aparecida Liberato afirmou que, antes mesmo de

o evento ocorrer, o Templo da Boa Vontade seria o ambiente ideal para saudar o ano 2000. E estava certa a numeróloga. No dia 31 de dezembro, quem esteve no monumento acompanhou a apresentação musical do oratório O Mistério de Deus Revelado, de autoria do Diretor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, entre outros fatos.

Orientais saúdam o monumento — Mais de duzentos japoneses da Sociedade da Oração para a Paz Mundial estiveram em Brasília

para homenagear o Templo da Boa Vontade, com o oferecimento de um Obelisco da Paz. A comitiva foi liderada pelo Presidente da organização, Hiroo Saionji, e sua esposa, Masami Saionji. A ceri- mônia de entrega do Obelisco ocorreu ao som da música Aos Irmãos Orientais, de autoria do Diretor-Presidente da LBV. “Aqui, nos sentimos uma organização irmã; vivenciamos a ex- periência de que éramos diferentes, mas estávamos juntos, orando

pela Paz. Foi maravilhoso (

símbolo universal da Paz; temos certeza de que este é o início de uma grande amizade!”, declarou Hiroo. Já Masami mostrou-se disposta a ser grande divulgadora do Templo da Paz no “País do Sol Nascente”: “Muito obrigada a Paiva Netto e à LBV por abrir este espaço, no qual todas as pessoas podem orar pela Paz na Terra. Quando eu voltar ao Japão, vou dizer isso às pessoas de lá”.

Estamos honrados por ela aceitar este

)

Josemar
Josemar

Na foto, o anfitrião Paiva Netto com algumas personalidades no Réveillon Espiritual da LBV. Estavam presentes também delegações dos Estados Unidos, de Portugal, da Itália, da Argentina, do Paraguai, do Uruguai, da Bolívia, do Chile, da África do Sul, da Índia, da Polônia, da República dos Camarões, da Dinamarca, da Suécia, do Canadá, da China, da República de Malta, e outros países.

Fernando Franco
Fernando Franco

Mais de duzentos japoneses da Sociedade da Oração para a Paz Mundial estiveram em Brasília para homenagear o Templo da Boa Vontade, com o oferecimento de um Obelisco da Paz que veio especialmente do Japão.

Emílio Santiago

da Paz que veio especialmente do Japão. Emílio Santiago Zezé Gonzaga Sebastian Ingrid Guimarães e Bebel

Zezé Gonzaga

veio especialmente do Japão. Emílio Santiago Zezé Gonzaga Sebastian Ingrid Guimarães e Bebel Lobo Daniel Rocha

Sebastian

Ingrid Guimarães e Bebel Lobo Daniel Rocha Nilton Preda
Ingrid Guimarães e Bebel
Lobo
Daniel Rocha
Nilton Preda

Andréia Veiga

Emílio Santiago Zezé Gonzaga Sebastian Ingrid Guimarães e Bebel Lobo Daniel Rocha Nilton Preda Andréia Veiga
33
33

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

VONTADE Outubro de 2004 BOA 34 ESPECIAL www.boavontade.com Nave do TBV — Trata-se do coração do
VONTADE Outubro de 2004 BOA 34 ESPECIAL www.boavontade.com Nave do TBV — Trata-se do coração do
VONTADE Outubro de 2004 BOA 34 ESPECIAL www.boavontade.com Nave do TBV — Trata-se do coração do
VONTADE Outubro de 2004 BOA 34 ESPECIAL www.boavontade.com Nave do TBV — Trata-se do coração do
VONTADE Outubro de 2004 BOA 34 ESPECIAL www.boavontade.com Nave do TBV — Trata-se do coração do
34
34

ESPECIAL

www.boavontade.com

Nave do TBV — Trata-se do coração do Templo. Suas portas, desde que foram abertas, nunca mais se fecharam e permanecem acolhen- do todos os Seres Humanos e Espirituais sem nenhum tipo de distinção, nas 24 horas do dia. O piso desenhado em espiral é um dos destaques desse ambiente. Foi construído em granito, de forma que o visitante, assim que adentra a Nave, percorra o caminho de cor escura, que gira em sentido anti-horário, representando a jornada difícil do Homem na busca de um ponto de equilíbrio. No centro da pirâmide, exatamente sob o cristal, uma placa redonda de bronze simboliza a descoberta da Luz e o início de uma nova caminhada. Agora, na espiral clara, em sentido horário, uma trilha iluminada pelos valores morais e espirituais adquiridos pelo esforço próprio do Ser Humano, terminando no Trono e Altar de Deus, de quem recebe as bênçãos.

João Preda
João Preda
Arquivo BV
Arquivo BV

Painel “AEvolução da Humanidade” — Esta pintura se encontra no Salão Nobre. Por iniciativa do dirigente da LBV, os quadros reúnem, ao lado da representação artística de Jesus, diversas per- sonalidades que entraram para a História por sua atuação marcante em favor da Humanidade, em todos os setores de atividade humana. No trabalho, há retratos pintados de líderes como Gandhi (1869- 1948), o libertador da Índia; Martinho Lutero (1483-1546), o criador do Protestantismo; Moisés, que recebeu os Dez Mandamentos; Calvino (1509-1564), o teólogo francês; William Miller (1782- 1849), o formulador da Doutrina Adventista nos Estados Unidos; John Knox (1514-1572), o fundador da Igreja Presbiteriana; John Wesley (1703-1791), o formador da Igreja Metodista; e John Smith, o patriarca da Igreja Batista e até Karl Marx (1818-1883). E ainda figuras emblemáticas da cultura, a exemplo dos artistas Fernanda Montenegro, Tônia Carrero e Paulo Autran; além de esportistas como Pelé, o “Atleta do Século”, e Ayrton Senna (1960-1994), tricampeão mundial de Fórmula 1.

Arquivo BV
Arquivo BV
Armando Kitamura
Armando Kitamura

Sagrada Pira da Fraternidade Ecumênica — Localiza- da ao lado da entrada do Templo da Boa Vontade (inaugu- rada em 9/4/1993), sua chama representa a Solidariedade Universal que jamais será apagada nos corações das mulheres, homens, jovens e crianças da Boa Vontade de Deus em todo o Planeta. Marcou o princípio da constru- ção do Parlamento Mundial da Fraternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV, cujas portas foram abertas para a Humanidade à zero hora de 25/12/1994.

Trono e Altar de Deus — Representação artística e, ao mesmo tempo, ecumênica e de Amor, localizada no interior do TBV. Os quatro elementos básicos da Natureza: fogo, ar, terra e água, es- tão na obra para simbolizar o Criador (ou Pai Celestial). É ponto referencial para a Fé das criaturas que peregrinam até o local, sejam quais forem suas crenças. O trabalho — concebido pelo inesquecível escultor italiano Roberto Moriconi (1932-1993) — está posicionado no sentido Leste-Oeste, para mostrar a união entre o misticismo do Oriente e o pragmatismo do Ocidente. Es- cultura em volumes energéticos, tridimensionais, trabalhada em aço inoxidável e iluminada com sete lâmpadas, com as cores do arco-íris. O Altar feito de granito fica logo abaixo do trono. Tem sete degraus e foi baseado na escala evolutiva do Ser Humano. Na obra, vemos a inscrição de uma frase do livro Reflexões e Pensamentos Dialética da Boa Vontade (1987), de autoria do escritor Paiva Netto, sugerida pelo escultor para ali figurar: “Todo dia é dia de renovar nosso destino”.

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Sala Egípcia — Em 1995, a já freqüentadíssima Sala do Silêncio foi transformada por Paiva Netto na Sala Egípcia, o que adicionou mística e arte milenar ao ambiente de meditação que se encontra no coração da terra, no segundo subsolo do Templo da Boa Vontade. Com uma impressionante decoração nos moldes do Egito Antigo, em terceira dimensão, a Sala Egípcia tem ambiência ideal destinada ao restabelecimento das forças vitais do Ser, no encontro espiritual com o Pai Eterno, pois assim como o corpo precisa de pão, o Espírito necessita do alimento imponderável — o Amor de Deus. Trata-se de um Portal-interdimensões, e quem nele adentra sente-se imerso num astral mais leve e elevado. As pinturas e esculturas são do artista Marciel Oehlmeyer. Diz o construtor do Templo da Boa Vontade: “Se você não pode ir ao Egito, o TBV traz o Egito até você”. Na entrada da Sala Egípcia, Paiva Netto fez registrar em egípcio, português, espanhol, francês, japonês, chinês, árabe e inglês esta sua máxima: “Os mortos não morrem”.

e inglês esta sua máxima: “Os mortos não morrem”. Fonte Sagrada — Um lugar muito prestigiado

Fonte Sagrada — Um lugar muito prestigiado por causa do

poder de cura de sua água (registrado em um grande número de depoimentos). Por isso, muitas pessoas vêm beber dela,

a levam para as suas casas e a oferecem para os amigos.

Originário de um poço artesiano, esse líquido precioso passa por diversos filtros, atravessa a Nave do TBV, recebendo ali

as energias do cristal, até jorrar na fonte. Em 16 de fevereiro de 1996, Paiva Netto inaugurou no local uma escultura fran- cesa do século XVIII, feita em bronze, que representa Jesus,

o Cristo de Deus, abençoando todos que ali circulam. É do

Líder da Boa Vontade este pensamento que está também no ambiente: “Água é Vida, sem ela torna-se impossível qualquer tipo de existência. Poluí-la é crime de lesa-humanidade”.

de existência. Poluí-la é crime de lesa-humanidade”. Armando Kitamura Memorial Alziro Zarur — Trata-se de
Armando Kitamura
Armando Kitamura

Memorial Alziro Zarur — Trata-se de espaço dedicado à memória do saudoso fundador da Legião da Boa Vontade e Proclamador da Religião de Deus, Alziro Zarur, localizado no segundo subsolo do Conjunto Arquitetônico. Homenagem àquele que, pela primeira vez, sonhou com um Templo totalmente ecumênico e cujo Espírito eterno está mais vivo do que nunca, trabalhando “pela regeneração da Raça Humana”, conforme ele mesmo registrou no seu poema A Escolha Urgente. A parede de fundo do memorial é decorada pelo belíssimo painel “AConquista”, do renomado pintor Sátyro Marques, que mostra a vitória do Cavaleiro do cavalo branco do Apocalipse de Jesus (o próprio Cristo) sobre toda a miséria humana e espiritual.

Armando Kitamura
Armando Kitamura

Galeria de Arte — Com seus 570 m², é um dos maiores centros culturais de Brasília. Seu acervo conta com obras de autores famosos, além de mostras itinerantes. Entre os expositores da galeria estão artistas como Mestre Vitalino, Antonio Poteiro, Zanini Caldas, Mestre Didi, Ademir Martins, Tarsila do Amaral, Siron Franco, Roberto Burle Marx, Bruno Giogio, Athos Bulcão, Shinoda, Manabu Mabe, entre outros. O local dispõe ainda de um ateliê para a confecção de trabalhos, um espaço aberto ao talento de artistas plásticos do Brasil e do mundo.

35
35

Alguns dos milhares de depoimentos sobre o TBV e a LBV

Ed Ferreira/AE

Leila Marco

Gilberto Bertolin

Nelson Silva

Luís Alan

VONTADE

VONTADE

Outubro de 2004

Outubro de 2004

BOA

BOA

36 36
36
36
Reprodução
Reprodução

Jimmy Carter

(ex-Presidente dos

Estados Unidos)

Próximo à inauguração do TBV, o ex-Presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter saudou em corres- pondência sua admiração

pela empreitada: “Agradeço

o gentil convite ( ).Apreciei muito a lembrança. Trans- mito meus sinceros votos

e espero que vocês tenham

muito sucesso nesta grande ocasião (

J. A. Parmegiane
J. A. Parmegiane

Dalai-Lama Tenzin Gyatso (Líder religioso tibetano que ganhou o Prêmio Nobel da Paz, em 1989, e a Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumê- nica do ParlaMundi da LBV, em 1999, na cate- goria hors-concours).

“É maravilhoso falar a respeito do Templo da Boa Vontade e do Parla- mento Mundial da Frater- nidade Ecumênica. Eles representam aquilo em que eu sempre acreditei, isto é, que as pessoas e todas as religiões têm o mesmo potencial para ajudar a Humanidade. To- das levam dentro de si a mensagem de compaixão, Amor e perdão espiritual. O que a Legião da Boa Vontade faz é maravilho- so. Eu apóio esse traba- lho totalmente e espero que meu Espírito e Alma possam estar sempre com vocês.”

Arquivo Bv
Arquivo Bv

Reverendo Rui Moraes Barbosa (in memoriam — Membro da Igreja Presbiteriana Reuni- da, Capelão Sênior do Conselho de Pastores Evangélicos do Distrito Federal ).

)

“Fico impressionado com a magnitude da Legião

da Boa Vontade e particular- mente pela essência que ela representa, não só no campo da Educação, mas da saúde,

e saúde com Espiritualidade.

Então, é um trabalho, pelo que se percebe, integrado,

diante das necessidades hu- manas.Tenho acompanhado

a ação da LBV já há alguns

anos. Realmente, o Brasil precisava de uma Obra des- se porte, que se tem estendi- do não somente ao País, pois é global a repercussão do que os Irmãos Legionários

fazem neste País, na América Latina e no mundo,

de um modo geral. (

é um marco não somente histórico, mas um marco espiritual. Precisamos ter realmente, cada vez mais, a evidência desse monumento, a divulga- ção dele, porque é muito digno da aceitação de todos. O que está sendo desenvolvido no Templo da LBV, pela minha percepção, é algo realmente impressionante. Que Deus possa abençoar Paiva Netto e toda a sua equipe, e que tenhamos em breve um mundo bem melhor.”

O Templo da Boa Vontade

Reprodução
Reprodução

Margaret Thatcher (ex-Primeira-Ministra da Inglaterra).

Na mesma época, a LBV recebeu da Secretária particular da sra. Margaret Tha- tcher, Amanda Pon- soby, amável carta na qual agradece o con- vite feito pela Institui- ção à então Primeira- Ministra da Inglaterra, para estar presente na memorável data.

“Prezado sr. José de Paiva Netto, confio- lhe minhas preces por todos. Que as bênçãos de Deus estejam com vocês da Legião da Boa Vontade, e que muitas pessoas conhe- çam o Amor de Jesus através do Parlamento Mundial da Fraterni- dade Ecumênica (e do TBV) e mantenham viva

a Boa Nova de SeuAmor no mundo, amando uns aos outros como Ele nos

amou. Que Deus os abençoe.”

Madre Teresa de Calcutá (in memoriam — Prêmio Nobel da Paz, em 1979).

Reprodução: Cida Linares
Reprodução: Cida Linares
Prêmio Nobel da Paz, em 1979). Reprodução: Cida Linares José Ramos Horta (Prêmio Nobel da Paz

José Ramos Horta (Prêmio Nobel da

Paz de 1996).

“Julgo que o as- pecto mais impor- tante neste projeto, nesta arquitetura é o espírito de irmanda- de étnica, cultural, religiosa em que não há classes sociais, econômicas. Aqui está tudo representa- do, todos podem dia- logar. Realmente, é superinteressante.”

todos podem dia- logar. Realmente, é superinteressante.” Durante visita ao Templo da Paz, o psiquiatra e

Durante visita ao Templo da Paz, o psiquiatra e escritor norte-americano Brian Weiss parou diante do mapa astral do Líder da Boa Vontade e mostrou-se impressionado com o poder de realiza- ção e a alta Espiritualidade de Paiva Netto.

“É maravilhoso vir aqui no TBV porque eleva o Espírito e alivia a Alma. É disso que precisamos. Então, em um lugar lindo como esse, você não sofre preconceito, não se sente ansioso, nem com o estresse da vida diária. Você sente a paz no coração e essa energia é muito, muito forte.”

Em meu nome, em nome de

meus Irmãos do Comitê Executivo da Organização para Libertação da Palestina — OLP — e em nome de nosso povo palestino, quero agradecer seu amável convite para que eu presenciasse esta inauguração. Congratulo-me com suas atividades desempenhadas em auxílio aos pobres e em defesa da Humanidade, da Justiça e dos oprimidos ( ).”

(Yasser Arafat, Presidente da Autoridade Palestina e Prêmio Nobel da Paz, em 1994).

“(

)

Palestina e Prêmio Nobel da Paz, em 1994). “( ) “Eu realmente gostei muito de ver,

“Eu realmente gostei muito de

ver, em primeiro lugar, a arquitetura do Templo da LBV, admirei-a mui- to, e estou naturalmente sintonizado com sua intenção ecumênica e em favor da Paz, em favor da unidade do gênero humano. Esses são va-

) A

lores que eu também tenho. (

vossa filosofia é a do entendimento entre todos, portanto sem dogmas, o que para mim é muito simpático.”

Mário Soares (ex-Presidente de Portugal e ganhador da Co- menda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria hors-concours).

ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria hors-concours ). “Estar no Templo da Boa Von- tade

“Estar no Templo da Boa Von- tade é muito emocionante e im- portante também, já que vocês realizam um trabalho em favor do Povo. E creio que tudo está direcionado para conscientizar os jovens, para que eles sejam preparados. E com algo muito importante: a Espiritualidade.”

E com algo muito importante: a Espiritualidade.” Adolfo Pérez Esquivel (escritor argentino e Prêmio Nobel

Adolfo Pérez Esquivel (escritor argentino e Prêmio Nobel da Paz, em 1980).

“O trabalho assistencial da LBV é de alta qualidade.”

Afirmativa do saudoso so- ciólogo Herbert de Souza, o Betinho, em artigo publicado pela conceituada revista Veja, quando traçou o Perfil do Di- retor-Presidente da LBV, José de Paiva Netto, em 1994.

Herbert de Souza, o Betinho (in memoriam — Sociólogo, ganhador da Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria Solidariedade.

Nelson Silva
Nelson Silva

Ivan Souza

VONTADE

VONTADE

Outubro de 2004

Outubro de 2004

BOA

BOA

Arquivo Bv
Arquivo Bv

José Aparecido de Oliveira (Foi Embaixador do Brasil

em Portugal, e serviu o País como Ministro das Relações

Exteriores).

“O Templo da LBV é um estuário de tantas ver- tentes, de tantas crenças, de tantas esperanças, de tantas afirmações de fé, de tanto compromisso de amor, que o considero uma uni- versalidade de certeza. A proposta da Legião da Boa Vontade, não somente para o Brasil, mas para o mun- do, é o grande momento da compreensão universal.

Quem no mundo pode fal- tar a essa proposta? Quem no mundo pode faltar a esse compromisso

de amor, a esse compromisso de fé, a essa

Paiva Netto assumiu

universalidade? (

essa proposta como um compromisso, mais do que como uma esperança ou uma visão do horizonte. Na verdade, essa mensagem da Boa Vontade mantida por ele é o único

compromisso substantivo, fundamental.

O resto é a poesia, a Fé, o Amor de cada

um. Tenho um grande respeito pelo Paiva Netto que recebeu uma mensagem e a está mantendo com probidade, modéstia, Fé e grande respeito.”

)

Arquivo Bv
Arquivo Bv

O Arcebispo anglicano Desmond Tutu (Prêmio Nobel da Paz, em 1984), an- tes mesmo de embarcar para o Brasil — como registrou o jornal Correio Braziliense, do Distrito Federal, em maio de 1987 —, declarou a um diplomata do Itamaraty: “Ao chegar ao seu país, desejo encontrar-me com meus Irmãos de Fé e quero

rever dois grandes amigos: Dom Hélder Câ- mara e o Presidente da Legião da Boa Vontade, José de Paiva Netto”. Em outra oportunidade, falando a representantes da LBV, afirmou:

“Quero louvar o Presidente Mundial da Legião

da Boa Vontade pelo seu artigo ‘Apartheid lá

e Apartheids cá’ (publicado em 30 de março de 1986 no jornal Folha de S.Paulo), no qual ele procura conscientizar os povos de que há várias formas de racismo atuando em muitas

partes do mundo, até mesmo no Brasil. ( ) Gostaria de transmitir-lhe o meu muito obri- gado pelo trabalho que realiza. Que Deus o abençoe e os prezados Legionários da Boa

Vontade. Vocês se tornaram, ao longo de sua proveitosa atividade, estimados trabalhadores

de Deus. Desejo que Ele estenda ainda mais o

Seu Reino, para construir Sua Igreja e servir

Seus filhos que estão no mundo. Que Deus o abençoe amplamente, hoje e sempre!”.

Arquivo Bv
Arquivo Bv

“Deve-se lutar em favor dos mais indefesos, que são as crianças, as futu- ras gerações. Este trabalho da LBV, de base, é o mais importante, porque o perigo é real. Não existe um mínimo de exagero, quando se diz que a espécie humana está em

perigo: 21 mil toneladas de dióxido de

Não há

carbono lançadas a cada ano! atmosfera que resista”.

Fidel Castro (Presidente de Cuba).

atmosfera que resista”. Fidel Castro (Presidente de Cuba). Jonas Rezende (Pastor da Igreja Presbiteriana Unida

Jonas Rezende (Pastor da Igreja Presbiteriana Unida Bethesda).

“Quando Alziro

Zarur nos deixou,

a preocupação que qualquer pessoa

poderia ter foi, de repente, eliminada, ao ocupar seu lu- gar uma figura de grande valor moral

e espiritual como

é o Paiva Netto. E

a LBV não sofreu

solução de conti-

nuidade. Um líder terminou e outro toma a bandeira e não deixa no solo, tal como aconteceu em relação a Moisés e Josué.”

Arquivo Bv
Arquivo Bv

Errol Lincoln Uys (escritor norte- americano).

“Devido ao fato de

o Brasil ser um ver-

dadeiro melting-pot, com tantas pessoas, tantas raças, isto faz com que a Legião tenha uma percepção para reunir e trazer tantas lideranças para a Conferência de Cúpula pela Paz Mundial. Aproveitan-

do a oportunidade, mando uma mensa- gem, com grande respeito ao Dr. Paiva Netto, que encontrei muitos anos atrás*, cuja pre- sença e poder são inesquecíveis para quem o conhece. Eu espero encontrá-lo novamente em breve.”

*Lincoln refere-se a um cordial encontro que teve com dirigente da LBV, na década de 1980, na Sede da Legião da Boa Vontade, em São Paulo/SP. Na ocasião, ele comentou: “Paiva Netto, sendo um homem prático, não deixa de ter alma de poeta”.

ABr — Gervásio Baptista
ABr — Gervásio Baptista

Valmir Campelo (Ministro Presidente do Tribunal de Contas da União).

“Quero expressar a minha alegria de rece- ber convite tão impor- tante para o ‘Seminário América Latina–África:

Promovendo a erradi- cação da pobreza nos países menos desenvol- vidos’. É um momento importantíssimo, que abre a oportunidade de fazer um debate sério, democrático, visando

encontrar soluções que possam minorar problema tão grave. A LBV faz um trabalho sério e produtivo para o nosso país. Que isso realmente seja um modelo, uma referência até mesmo para a nossa vida espiritual. Quero agradecer ao Paiva Netto pela oportunidade que nos dá de comparecer e olhar para este monumento da LBV (Templo da Boa Vontade e Parlamento

Mundial da Fraternidade Ecumênica), que representa não só para o nosso país, mas também para o Exterior, um monumento exatamente dirigido à Paz, porque aqui se

respira a Paz. Quando adentramos este am- biente, fazemos uma reflexão sobre a Paz.

A LBV é uma instituição séria e que realiza

em vários lugares do nosso país um trabalho transparente. O que Paiva Netto consegue

fazer com tanto sacrifício representa muito para os menos favorecidos, aqueles que mais sofrem, e serve principalmente como exemplo de humanização para um país como

o nosso. Parabéns!”.

“Presidente Paiva Netto, quero cumprimentá-lo por

esta obra maravilhosa que, há 14 anos*, se transfor- mou no Templo da Paz, no Templo da Meditação dos brasilienses e de quem aqui passa. Como jornalista, sou testemunha de fatos históri- cos; nem todos foram revela- dos pela imprensa. Quando atuava na revista Veja e

depois no jornal O Estado de S. Paulo, nós encontramos aqui, de madrugada, em momentos muito difíceis do País, de crises políticas, mais de um presidente vindo meditar, fazer o Mandala, energizar-se com o Cristal, ouvir palavras maravilhosas, músicas de primeiríssima qualidade. Este Templo, hoje, é co- mentado no mundo inteiro, e eu não sei nem como lhe agradecer, caro Paiva Netto, por tê-lo construído em Brasília, que é a capital do Terceiro Milênio, onde o Ecumenismo se encontrou.”

Arquivo Bv
Arquivo Bv

Marlene Galeazzi

(jornalista)

* Depoimento concedido em 2003.

37 37
37
37

Arquivo Bv

Alguns dos milhares de depoimentos sobre o TBV e a LBV

Leila Marco

Nilton Preda

Moisés Abreu

VONTADE

VONTADE

Outubro de 2004

Outubro de 2004

BOA

BOA

38 38
38
38
ESPECIAL www.boavontade.com
ESPECIAL
www.boavontade.com

Tônia Carrero durante a inauguração de um quadro com pintura de seu rosto no painel “A Evolução da Humanidade”, no Salão Nobre do TBV.

Assim que desembarcou em Brasília, a querida Tônia Carrero foi conhecer o Templo da LBV, monumento mais visitado da capital brasileira. Lá, uma surpresa a aguardava: o Coral Ecumênico LBV cantou para ela durante a singela homenagem oferecida pelo Líder da Boa Vontade (inauguração de um quadro com pintura de seu rosto no painel “A Evolução da Humanidade”, no Salão Nobre do TBV). Emocionada, a atriz declarou: “Eu não mereço tudo isso! Que maravilha! Que beleza! Até Chaplin (está aqui representado)! É uma idéia maravilhosa, essa é uma homenagem real! Você não sabe como estou comovida, contente de ter vindo até aqui. Eu quase chorei. Foi demais, bonito. Obrigada”. E, no dia seguinte, antes de deixar Brasília/DF, retornou ao TBV e registrou: “Estou encantada e já sei que tenho de descobrir mais coisas, pois ainda não vi tudo na LBV. Obrigada por terem me convidado. Fico muito contente de estar aqui”. Antigo admirador do trabalho de Tônia Carrero, Paiva Netto pediu ao jornalista Enaildo Viana, que a acompanhou durante a visita, que transmitisse o afetuoso abraço e um milhão de beijos, na esperança de receber da atriz pelo menos um. Na resposta, Tônia considerou: “APaiva Netto um milhão de beijos e mais um, muito especial”.

Netto um milhão de beijos e mais um, muito especial”. O ator John Amos (E), acompanhado

O ator John Amos (E), acompanhado de John de Primma (C), da Prefeitura de Nova York, é recepcionado por Paiva Netto (D), no Lar e Parque da LBV, em Glorinha/RS, Brasil.

Em março de 1999, durante conferência de imprensa na sede das Nações Unidas, em Nova York, o ator e dramaturgo John Amos, emocionado, contou aos presentes à solenidade o que conferiu em sua visita às obras da LBV no Brasil, em dezembro de 1998: “Em tantos anos de viagens pelo mundo inteiro, nunca vi nada parecido em minha vida. Nem nos Estados Unidos temos um trabalho semelhante ao da Legião da Boa Vontade. Se queremos fazer mais pelas nossas crianças aqui, sugiro que aprendamos com a LBV”.

nossas crianças aqui, sugiro que aprendamos com a LBV”. Paiva Netto inaugura a fotografia de JK

Paiva Netto inaugura a fotografia de JK tendo ao lado a saudosa esposa de Juscelino, Dona Sarah Kubitschek .

Dona Sarah: “Juscelino está aqui presente”.

No dia 1º de março de 1994, o jornalista Paiva Netto inaugurou, no Templo da Boa Vontade, um quadro com a fotografia do construtor de Brasília, o sempre lem- brado Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1976), como homenagem àquele que, a 19 de junho de 1956, durante sua gestão na Presidência da República, sendo Ministro da Justiça Nereu Ramos, concedeu à Legião da Boa Vontade o título de Utilidade Pública Federal. A homenagem — ocorreu na Biblioteca Alziro Zarur — teve a presença de diversas personalidades, a exemplo da saudosa Dona Sarah Kubitschek (1909-1996), viúva de JK, que em outra ocasião teve também o seu quadro inaugurado no mesmo local. Ao som de Peixe Vivo e

Minas Gerais!, composições diletas de JK cantadas pelo Coral Infantil LBV, Dona Sarah, muito emocionada, agradeceu: “As crianças, cantando justa- mente as duas melodias que mais ouvíamos no tempo do Juscelino, tocaram-me profundamente. Quero agradecer a todos esta homenagem tão singela quanto tocante. De fato, estou sentindo que Juscelino está aqui presente em Espírito e emocionado. Uma homenagem como esta toca a todos nós. Saio profundamente agradecida, pois o Templo da Boa Vontade é um local de meditação, serenidade e harmonia. Já estive aqui antes, senti o bem-estar que nos traz a visita a este Templo e convido a todos para que venham sempre orar aqui. Que não deixem de vir para receber os efeitos elevados desta Casa. Agradeço, sensibilizada, a presença de todos e a homenagem a Juscelino”.

a presença de todos e a homenagem a Juscelino”. Henry Sobel (Presi- dente do Rabinato da

Henry Sobel (Presi- dente do Rabinato da Congregação Israeli- ta Paulista).

“‘Todo dia é dia de renovar nosso des-

tino’. Paiva Netto tem toda razão neste seu pensamento. Cada dia podemos melhorar e mudar o nosso destino para o Bem. Somos parceiros de Deus. Claro, nós dependemos de Deus, e como! Mas Deus depende de nós. Deus não pode trazer a Paz se não cooperar-

mos com Ele. (

Nosso Daniel (estátua do

Profeta Daniel — concepção do Aleijadinho — que se encontra na Nave do TBV), um dos

maiores profetas! Eles, os profetas, trouxeram a luz ao mundo, como Paiva Netto, que tam-

)

causa deste amor e da mensagem espiritual

bém veio dessa luz. (

Sinto-me elevado por

)

que todos nós estamos vivendo na Sede da LBV. Fico realmente comovido e formulo uma prece, pois um dia, logo, logo, todos

vamos nos reunir neste Templo da Boa Von- tade, afinal de contas somos todos iguais. ( ) Paiva Netto está conseguindo converter uma linda teoria numa maravilhosa prática. Saio hoje daqui convencido de que a Paz Mundial

) Obrigado,

não é um sonho inatingível. (

Paiva Netto, pelo exemplo. Nós seguiremos os seus exemplos, Shalom. ( ).”

exemplo. Nós seguiremos os seus exemplos, Shalom . ( ).” Pelé (“Atleta do Sé- culo” e

Pelé (“Atleta do Sé- culo” e ganhador da Comenda da Ordem do Mérito da Frater- nidade Ecumênica do ParlaMundi da LBV, em 1996, na categoria Esporte).

“Bom, José de Pai- va Netto, sei qual é a sua luta porque tam- bém venho nisso há muito tempo, lutan- do pelo bem-estar do menor em nosso País, contra a delinqüência infantil, desde o filme ‘Trombadinha’. Sei que é uma luta muito grande. Que Deus lhe dê saúde! Que todo o pessoal da Legião da Boa Vontade possa, nesse esforço, conse- guir benefícios espiri-

tuais e proporcionar um futuro viável às crianças atendidas pelas escolas da LBV em todo o Brasil.”

Durante visita ao Templo da Boa Von- tade, Paulo Autran aproveitou o ensejo para agradecer a ima- gem dele que está no Salão Nobre: “Mui- to obrigado! Estou aqui, graças a Deus, figurando ao lado de minha grande amiga Tônia Carrero e de Dom Hélder Câmara (1909-1999), pes- soas maravilhosas para o nosso País.”

Arquivo Bv
Arquivo Bv

Paulo Autran (ator e ganhador da Comenda da Ordem do Mérito da Fraternidade Ecu- mênica do ParlaMundi da LBV, em 2000, na categoria Cultura).

Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência LBV A Ciência do Espírito N ão é de
Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência LBV A Ciência do Espírito N ão é de
Fórum Mundial Permanente
Espírito e Ciência LBV
A Ciência do Espírito
N ão é de hoje que há um certo questionamento científico com
o intuito de comprovar a existência de “algo mais” depois do
fenômeno “morte”, premissa sempre levantada pela Religião.
Pois bem, a união entre a Ciência — sem o ceticismo — e a
crença humana, quando não fanatizada, tem se revelado importante viés
para chegar-se ao denominador comum. Para endossar esses diálogos, o
escritor Paiva Netto, sabiamente, resumiu: “O que a Religião intui, um dia

a Ciência irá comprovar em laboratório”. Foi justamente dentro desse desígnio que a Legião da Boa Vontade criou o Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência, considerado o maior do gênero no Planeta. Neste mês de outubro, em 2004, o Parlamento

Mundial da Fraternidade Ecumênica da LBV (SGAS, 915 — Lotes 75/76 — Brasília/DF) realiza a Segunda Sessão Plenária do evento. O aguardado encontro internacional ocorre entre os dias 20 a 23. Nesta edição, dois eixos temáticos compõem os diálogos, sendo eles: as indagações da Ciência e da Religião sobre a vida após a morte; e os novos paradigmas para a sociedade humana. Dezenas de conferencistas de todo o País e do Exterior trarão as mais avançadas pesquisas do assunto visando enriquecer ainda mais a palestra. O físico russo Edward Krizhanovski, por exemplo, apre- sentará equipamentos desenvolvidos em laboratório, que tornam possível visualizar e medir a quantidade de energia que se des- prende do corpo físico no momento do desenlace. Já o engenheiro italiano Paolo Presi e a diplomata portuguesa Anabela Car- doso, ambos integrantes de equipes distintas de pesquisas sobre transcomunicação instrumental, mostrarão os avanços na área que estuda a comunicação com os Espíritos, por meio de instrumentos eletrônicos. Além deles, há outros expoentes internacionais no assunto que já têm presença confirmada. Boa parte dos conferencistas, tais como o Xamã peruano Mário “El Puman”, líder espiritual indígena descendente de uma linhagem Inca, deve contribuir com os diálogos firmando-se em sabedorias milenares. Ele fará sua abordagem centrada na tradição do Império dos Filhos do Sol. A Presidente do Comitê de Espiritualidade, Valores e Inte- resses Globais de ONGs nas Nações Unidas, Diane Williams, comentará os novos paradigmas que se estruturam a partir de uma discussão séria sobre os assuntos. Quem também marca presença no evento é Ronaldo Ro- gério Mourão, mais famoso astrônomo brasileiro e que confirmou sua participação para falar sobre a vida e a morte no Cosmos. Nestor João Mazotti, Presidente da Federação Espírita do Brasil, trará para o palco do Fórum alguns questionamentos relacionados à Reencarnação. São eles: “O que é vida? O que é morte?”. Outro ponto bem polêmico será levantado: “Os ‘vivos’

e os ‘mortos’ escrevem”. O palestrante que abordará o assunto

é o jornalista, roteirista e escritor, Marcel Souto Maior. Ainda contribuirão no Fórum conferencistas tais como Ade- mar Eugênio de Mello, Antonio Haroldo Franco da Rocha (Portugal), Carlos Alberto Tinoco, Clovis Nunes, Ercília

(Portugal), Carlos Alberto Tinoco, Clovis Nunes, Ercília Fé e razão tornam-se aliadas no Fórum a realizar-se
(Portugal), Carlos Alberto Tinoco, Clovis Nunes, Ercília Fé e razão tornam-se aliadas no Fórum a realizar-se

Fé e razão tornam-se aliadas no Fórum a realizar-se no ParlaMundi LBV

tornam-se aliadas no Fórum a realizar-se no ParlaMundi LBV Zilli, Ernest Senkowski (Alemanha), Henry Sobel, Iya
tornam-se aliadas no Fórum a realizar-se no ParlaMundi LBV Zilli, Ernest Senkowski (Alemanha), Henry Sobel, Iya
tornam-se aliadas no Fórum a realizar-se no ParlaMundi LBV Zilli, Ernest Senkowski (Alemanha), Henry Sobel, Iya

Zilli, Ernest Senkowski (Alemanha), Henry Sobel, Iya Sandra Epega, Jihad Hammadeh, José Carlos Brandi Aleixo, Luiz Carlos Bassuma, Marcos Terena, Maria Júlia Prieto Peres, Marlene Nobre, Paulo Alziro Schnor, Osvaldo Hely Moreira e Wilson Picler. Além das conferências, a Segunda Sessão Plenária do Fórum cede espaço para uma feira de exposições, atividades autogestionadas e oficinas diversas. Para o público, será uma excelente oportunidade de encontrar num mesmo espaço o que há de mais avançado em palestras, pesquisas e produtos relacionados ao tema. Para outras informações do evento, acesse o site www.forumes- piritoeciencia.org.br, ou pelo telefone (61) 245-1070. Na próxima edição da revista BOA VONTADE, a cobertura completa do acontecimento.

Laços de amizade Recentemente, o sociólogo Denizard de Souza encaminhou uma mensagem ao dirigente da
Laços de amizade
Recentemente, o sociólogo Denizard de Souza
encaminhou uma mensagem ao dirigente da LBV. Na
ocasião, ressaltou as ações de Paiva Netto, entre elas a
Segunda Sessão Plenária do Fórum Mundial Permanen-
te
Espírito e Ciência LBV, que ocorre este ano.
“Prezadíssimo Irmão Paiva Netto,
“Inicialmente gostaria de referir-me à imensa alegria
a
de poder contatá-lo, desta feita, pela mediação virtual.
Certamente, que vê-lo e ouvi-lo pessoalmente é uma
oportunidade grandiosa de aprender consigo e receber
sua energia elevada de Paz e Fraternidade.
“Escrevo, recordando-me da oportunidade lumi-
nosa que tive, ao conversarmos em outubro do ano
passado.
“Além de parabenizá-lo pela beleza, oportunidade
Denizard de Souza
e
pertinência do Segundo Fórum Mundial Espírito e
Ciência LBV, que ocorrerá agora em outubro, também
gostaria de referir-me a um grande amigo seu e nosso, o
Prof. Divaldo Pereira Franco. Sempre que me encontro
com ele, e faço referência à alegria de poder colaborar
com a Legião da Boa Vontade, escuto do nosso com-
panheiro de Ideal as palavras seguintes: “O Presidente
José de Paiva Netto é um homem que se dedica 24 horas à difusão do Evangelho
de Jesus, merece nosso maior respeito e a maior deferência possível”.
“Recentemente, quando estive na Mansão do Caminho, ouvi mais uma vez do
Prof. Divaldo: “Aqueles que se atrevem a tentar agredir o nosso Irmão Presidente
da LBV só o fazem por interesses escusos e por não ter a coragem de reconhecer-
lhe os elevados méritos espirituais”.
“Ao escrevê-lo o faço para repetir e testemunhar as palavras do nosso estimado
Divaldo Franco, que sempre teve e continua tendo a maior amizade e deferência
pelo nobre Irmão José de Paiva Netto.
“Termino esta singela mensagem fazendo votos de continuidade de sua missão
histórica, que é a de integrar a sabedoria universal, fazendo a parte reconectar-se
ao todo, o humano reintegrar-se ao divino.”
Divaldo Franco
39
Fernando Franco
Arquivo Bv
BOA
VONTADE
Outubro de 2004

Nilton Preda

VONTADE

VONTADE

Outubro de 2004

Outubro de 2004

BOA

BOA

Cesar Maia expõe sua forma de administrar em obra biográfica

Coligação Feita Pro Rio
Coligação Feita Pro Rio

O livro Política é Ciência — Cesar Maia, que faz parte da Coleção Gente, é o resultado de muitas horas de entrevistas com o Prefeito reeleito do Rio de Janeiro/ RJ, no qual participaram a escri- tora e antropóloga Alba Zaluar, a escritora e historiadora Maria Alice Rezende de Carvalho, o arquiteto Jayme Zettel e os jornalistas Mau- rício Dias e Luiz Erlanger.

Nele, Cesar Maia fala de sua forma de administrar e comenta ainda assuntos controversos, como pena de morte, aborto, drogas e religião. Em recente lançamento da obra, na capital fluminense, dedicou um dos exemplares do trabalho ao dirigente da Legião da Boa Vontade: “Paiva Netto, minha permanente admiração”.

ATUALIDADES

www.boavontade.com

Na Itália, o Ecumenismo Irrestri- to da LBV se propaga.

Débora Verdan

Antigo amigo da Legião da Boa Vontade e de seu Presidente, o Padre Mario Celli, que se encontra hoje em missão no Estado da Ci- dade do Vaticano, na Itália, tem participado de diversos seminários em sua função religiosa. Recentemente, este- ve palestrando em um desses acontecimentos e pôde des- tacar a experiência universa- lista da Instituição. Segundo

ele, muitos corações foram tocados pela “especialidade celeste do Ecumenismo que a LBV Mundial propaga”. Em correspondência encaminhada diretamente de Roma, Itália, à Orga-

nização, este ilustre prelado fala do carinho especial que tem pelo trabalho da Obra e do seu dirigente. Leia, abaixo, a missiva recebida:

pessoa muito especial para mim. Rezo pela sua saú- de, pela sua coragem no anúncio ex- plícito da

Palavra, pelo

seu empenho

missionário

além-frontei-

ras.

“Gosta-

ria muito de

reencontrar

aqueles ir- mãos e irmãs dedicados nas atividades de comunicação, formação e animação na Rede Mundial de Televisão, Templo da Boa Vontade, Centros de Educação e de Assistência. Continuem mergulhando na dimensão mundial para

construir um mundo solidário e justo (mais feliz) e a Paz entre todos os povos.

Meus sentimentos sinceros de comunhão ao Ilmo. Irmão

Paiva Netto”.

Antigo amigo da LBV, o Padre Mario Celli visitou, em 1995, o Templo da Paz, quando pôde encontrar o Líder da Boa Vontade.

“Deus Está Presente!

“(

)

Outro dia, participando da abertura de um seminário sobre Ecume-

nismo, percebi a vibração das pessoas no momento em que expliquei a visão e a prática do Ecumenismo Irrestrito na LBV. “Guardo sentimentos de admiração, estima, gratidão com tantas pessoas que conheci na família da LBV. O testemunho evangélico do Irmão Paiva Netto fortaleceu minha vocação e entusiasmo missionário. Ele, sim, é uma

“(

)

Protagonistas da Solidariedade

(por Marta Trigueiro)

40 40
40
40

E m geral, quando se fala do brasileiro, logo é possível associar a

este substantivo um adjetivo: solidário. E esta é, sem dúvida, uma

qualidade que não falta à boa parte de nossos artistas, cantores, espor-

a Chico Audi que completou, no dia 3 deste mês, 10 anos de feliz casamento

e que fez aniversário em 9 de outubro. Por se tratar de um objetivo nobre, o acon- tecimento ganhou repercussão na mídia. Na Internet, por exemplo, os sites O Fuxico (www. ofuxico.com.br) e Babado (www.babado. ig.com.br) noticiaram a sessão de fotos. O pri- meiro ressaltou, em sua página on-line, “Chico Audi fotografa artistas para campanha”. Já o Babado, destacou

diego Basso
diego Basso

Olga Bongiovani, apresen- tadora da Rede TV!

diego Basso
diego Basso

Preta Gil, apresentadora da TV Bandeirantes e cantora.

tistas, etc. Pelo menos é o que comprovam as constantes iniciativas

promovidas pela Legião da Boa Vontade, sempre apoiadas por personalidades,

autoridades e pela classe artística.

A última delas mobilizou os estúdios do colaborador e amigo da LBV, o fotógrafo Chico Audi, na capital paulista, que, mesmo com a agenda lotada de compromissos e com os preparativos para a implantação de seu estúdio em Lon- dres, abriu espaço, nos dias 4 e 8 de outubro, para

a sessão de fotos e gravação do VT Institucional da Campanha do Natal Permanente, cujo slogan é Natal de Jesus – O Pão Nosso de cada dia!. Alguns dos participantes desta ação solidá- ria são Preta Gil, Cleiton (da dupla Cleiton & Camargo), Kelly Key, Aparecida Liberato, Olga Bongiovani, Viviane Romanelli, Adryana (do grupo Adryana e a Rapaziada), Willian & Renan

e os grupos Turma do Jacarezinho, Karametade e

Falamansa. Antes das gravações, o Coral Infantil Ecumê- nico LBV, formado por crianças atendidas pelo Instituto de Educação da Obra, esteve no local para agradecer com seu canto os artistas pela importante contribuição que proporcionará um fim de ano me- lhor e mais feliz a milhares de famílias em situação de risco social. O coro fez ainda saudação especial

Karina Caradec
Karina Caradec

O fotógrafo Chico Audi, Kelly Key, grávida, com sua linda barriga e Max Fivelinha, do programa Melhor da Tarde, da TV Bandeirantes, comanda- do por Astrid Fontenelle.

a gravidez da cantora Kelly Key no momento em que foi clicada pela lente do fotógrafo, afir-

mando que ela “exibe seu barrigão em campanha da LBV”. A iniciativa visa anga-

riar mais de 350 toneladas

de alimentos que serão dis-

tribuídos entre os dias 15 a 22 de dezembro em di-

versas cidades brasileiras.

A cobertura completa da

Campanha, o leitor poderá acompanhar nas próximas edições da revista BOA VONTADE.

Foto: Alvino Barros — Ilustração: Gesiel Luz

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

Letícia Oliveira Silva (9 anos)

12 de outubro Dia da Criança

A caminho do Futuro

Convicção Legionária desde cedo. Salve os Soldadinhos de Deus! Uma homenagem da Revista BOA VONTADE às crianças do Brasil e do Mundo.

Soldadinhos

Kauã Messias da Silva Santos (1 ano), São Paulo/SP
Kauã Messias da Silva Santos
(1 ano), São Paulo/SP
Lara Galdino da Silva Rego (2 anos), Presidente Prudente/SP.
Lara Galdino da Silva Rego
(2 anos), Presidente Prudente/SP.
Christopher Medeiros R. Lopes (6 meses), São Paulo/SP. Caio Eduardo Dias Mendes Prana (1 ano),
Christopher Medeiros R. Lopes
(6 meses), São Paulo/SP.
Caio Eduardo Dias Mendes
Prana (1 ano), Salvador/BA.
SOLDADINHOS DE DEUS www.soldadinhodedeus.com.br
SOLDADINHOS DE
DEUS
www.soldadinhodedeus.com.br

Desenhos: Gesiel Luz

Galeria de Arte

Sarah Bertolin Rueda (9 anos)

S a r a h B e r t o l i n R u e
Arte S a r a h B e r t o l i n R u

Natália Lomadon Lembis (9 anos)

Natália Lomadon Lembis (9 anos)
Arte S a r a h B e r t o l i n R u
41
41

VONTADE

VONTADE

Outubro de 2004

Outubro de 2004

BOA

BOA

ESPÍRITO E CIÊNCIA

www.boavontade.com

Progresso da Ciência:

O Fenômeno Espiritual à luz da física quântica no século XXI

(Conferência do físico francês Patrick Drouot no ParlaMundi da LBV)

Parte III

Fernando Franco
Fernando Franco

Damos continuidade à publicação da primeira conferência realizada pelo autor de Nós todos somos imortais, na primeira Sessão Plenária do Fórum Mundial Permanente Espírito e Ciência LBV, em 2000. Drouot fala sobre a interação da física clássica e quântica, demonstrando que algo que parecia impossível aconteceu. Esse fato vem ao encontro do pensamento de Paiva Netto quando propõe: “Nada, em Ciência, se encontra em sua forma derradeira. Foge à lógica conceber barreiras intransponíveis para uma especialidade essencial ao desenvolvimento humano, em que pesquisar, analisar, concluir — pesquisar de novo, mais uma vez analisar para concluir em amplitude de reflexão ad infinitum — é a base de sua luminosa lide. Mormente agora, quando o mundo está se transformando muito depressa”. Vale a pena conhecer o relato do famoso físico francês.

A física clássica e a famosa física quântica eram dois mundos incompatíveis que não podiam co-existir. De um lado, o mundo familiar que nos cerca, o mundo das pedras, árvores, estrelas, o mundo macroscópico descrito pela física

clássica; e, de outro, o mundo microscópico, dos átomos, partículas,

submetido às leis da física quântica. Quem quiser penetrar nesse

domínio deve abandonar toda a lógica, todo o conhecimento no qual está familiarizado. A alguém que me perguntara: “Mas como o sr. conseguiu traçar todo esse caminho?” Respondi: “Na verdade foram três períodos”. Essa busca remonta a um pouco mais de vinte anos, começou em

1979.

Durante os primeiros anos, quando me interessei pelos fenômenos ditos espirituais, cometi o erro cometido por vários cientistas: tentei ser objetivo diante de um universo subjetivo. Tentei compreender objetivamente os fenômenos que escapam da realidade comum; e percebi, depois de três ou quatro anos, que estava preso, que tinha muitos limites.

Ensinaram-me a pensar de uma maneira determinada. E eu me

disse: “Ora, estou como em um condicionamento hipnótico, tenho de sair disso”. Mas, ainda, foram necessários seis anos para libertar-me. Quando me senti livre, para mim ficaram claras as relações existentes entre Ciência e Tradição. Foi aí que pensei: “Mas, cla ro, já houve físicos”, eram os iniciados dos tempos antigos. Houve físicos no Paleolítico Superior, eram os Xamãs da idade da pedra. Aqueles que construíram os relógios

) os Menires

de Carnac, na Bretanha francesa foram físicos que tinham uma visão quântica e não uma visão determinista. Atualmente estamos entendendo como a matéria é gerada, como a matéria sai de uma sopa quântica. Como ela sai daquilo que se chama

de vazio quântico: o vaccum. É o enigma da transição do clássico para

o quântico. Há cerca de quinze anos, houve uma teoria esboçada para explicar

a passagem de um universo a outro. Essa passagem é chamada de

descoerência quântica. E há dois ou três anos, houve experiências feitas sobre este assunto. Dois físicos da Escola Normal Superior de Paris observaram como um sistema passa do vazio quântico, o vaccum, para o universo normal. Um sistema é o que chamamos de uma superposição de estados; quando passa de um sistema para outro, entra em descoerência. A física quântica conserva uma aura misteriosa. Mas, para os cientistas, sua supremacia é absoluta, uma evidência, a ciência a controlou, aplicando-a e explorando-a em todos os recantos. Nenhuma teoria foi tão fecunda quanto a famosa física quântica. Isso permitiu explicar a cor dos objetos, a estabilidade dos átomos, a energia das estrelas, as reações químicas, etc. e nenhuma teoria nunca foi tão colocada à prova sem apresentar a mínima falha. Isso em vários setores: a supercondutividade, a física do sólido, a física nuclear, a física das partículas, a eletrônica, a química — tudo isso faz parte da física quântica há décadas. Sem termos conhecimento, usamos objetos quânticos diariamente. Nós utilizamos recursos quânticos diariamente, como o laser. O Dr. Edgard Mitchell citou os hologramas quânticos em sua palestra, e existem outros exemplos como os transistores e os computadores, entre outros. Na próxima edição da revista BOA VONTADE, daremos continuidade à belíssima palestra do físico Drouot.

astronômicos, chamados de Stonehenge, na Inglaterra; (

42 42
42
42

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

VONTADE

Outubro de 2004

BOA

44
44

ESPECIAL

www.boavontade.com

Quem já esteve lá

Conjunto Ecumênico da LBV Idealizado e construído por José de Paiva Netto, é formado pelo
Conjunto Ecumênico da LBV Idealizado e construído por José de Paiva Netto, é formado pelo
Conjunto Ecumênico da LBV Idealizado e construído por José de Paiva Netto, é formado pelo
Conjunto Ecumênico da LBV Idealizado e construído por José de Paiva Netto, é formado pelo
Conjunto Ecumênico da LBV Idealizado e construído por José de Paiva Netto, é formado pelo

Conjunto Ecumênico da LBV

Idealizado e construído por José de Paiva Netto, é formado pelo Templo da Boa Vontade, que, nesta foto, surge imponente e belo (à direita), ao lado da sede administrativa (centro) e do Parlamento Mundial da Fra- ternidade Ecumênica, o ParlaMundi da LBV. O Templo é o monumento mais visitado de Brasília/DF, Brasil, desde a sua fundação, segundo dados oficiais da Agência de Desenvolvimento do Turismo do Distrito Fede- ral (Adetur), recebendo milhões de visitantes e peregrinos, do Brasil e do Exterior, todos os anos.

Endereço: SGAS, 915, Lotes 75 e 76 — Asa Sul — Brasília/DF, Brasil — tel.: (61) 245-1070 www.tbv.com.br