Você está na página 1de 12

Governo do Estado do Rio de Janeiro

Secretaria de Estado de Educação

CURRÍCULO MÍNIMO 2013


CURSO NORMAL - FORMAÇÃO DE PROFESSORES

PARTE
DIVERSIFICADA
Apresentação

O Currículo Mínimo tem como objetivo estabelecer orientações institucionais aos profissionais do
ensino sobre as competências mínimas que os alunos devem desenvolver a cada ano de escolaridade e em
cada componente curricular, imprimindo-se, assim, uma consistente linha de trabalho, focada em qualidade,
relevância e efetividade, nas escolas do Sistema Público Estadual do Rio de Janeiro.

No início de 2012, a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro concluiu a elaboração dos
Currículos Mínimos para o Ensino Regular. Todavia, a SEEDUC respeita as especificidades de cada modalidade
de ensino. Por isso, elaborou-se um Currículo Mínimo específico para o Curso Normal em Nível Médio, tanto
para as disciplinas de Base Nacional Comum e Parte Diversificada quanto para as disciplinas de Formação
Profissional. Este documento servirá como referência, apresentando as habilidades e competências que devem
constar como “pano de fundo” nos planos de aula e de curso desta modalidade de ensino.

A elaboração deste documento foi conduzida por equipes disciplinares de professores da rede estadual
que atuam nesta modalidade de ensino, coordenadas por professores doutores de diversas universidades
públicas do Rio de Janeiro, a partir de um convênio com a Fundação CECIERJ. Nesse processo de elaboração,
foram tomadas como referência as Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação de Docentes da Educação
Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental, em nível médio, na modalidade Normal (Resolução CNE/CEB
n° 2/99), os Parâmetros e Orientações Curriculares Nacionais. Contamos também com a preciosa contribuição
dos professores da rede que participaram das consultas virtuais e dos debates presenciais, fornecendo críticas e
sugestões às propostas preliminares.

As equipes disciplinares se esforçaram para elaborar uma proposta que cumprisse a dupla missão do
Curso Normal em Nível Médio de, ao mesmo tempo, fornecer aos alunos (1) a primeira formação profissional
para exercerem a função de professores da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental e (2) o
ensino propedêutico que os prepare para prestar exames vestibulares de acesso às universidades públicas, a
fim de darem continuidade à sua formação em nível superior.

Para as disciplinas de Formação de Professores, consideraram-se, especialmente, as mudanças na matriz


curricular, implementadas em 2010 – após ampla discussão em todo o estado –, a partir das quais o Curso
Normal passou a ocupar três anos, em horário integral. Dentre as principais mudanças da matriz, que vêm a ser
corroboradas por este Currículo Mínimo, ressalta-se a inclusão de espaços efetivos visando a preparar os
futuros docentes para a promoção de uma educação inclusiva e para a construção do conhecimento, numa
abordagem que permitisse diálogos entre os componentes curriculares, a realidade da sala de aula e o perfil de
profissional da escola que desejamos projetar.

Portanto, este documento é um guia aos nossos professores ao longo dessa “dupla jornada” didática,
levando em consideração a carga horária disponível para cada disciplina de Formação de Professores. Dessa
forma, em acordo com a Resolução CNE/CEB n° 2/99, espera-se, até o fim do curso, assegurar aos alunos a
constituição de valores, conhecimentos e competências gerais e específicas necessárias ao exercício da
atividade docente, sob os princípios éticos, políticos e estéticos previstos à sua formação enquanto cidadão.

Colocamo-nos à disposição, pelo endereço eletrônico curriculominimo@educacao.rj.gov.br, para


esclarecimentos e sugestões, comentários e críticas, que serão bem-vindos e necessários à revisão reflexiva das
nossas ações.

Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro

2
currículo
mínimo
2013

integração das mídias


e novas tecnologias
Curso Normal
a
1 série
Integração das Mídias e Novas Tecnologias

A nova realidade tecnológica e cultural cria, constantemente, novos desafios e, com eles, a
exigência de uma visão mais crítica e ampliada dos recursos que estão à volta de todos nós, adultos
e crianças, dando nova ordem ao tempo e espaço em que vivemos. Outras relações se estabelecem
entre o sujeito e a constituição de sua identidade, sendo significativo o papel das linguagens na
formação destas relações e na vida que se transforma, permanentemente.
(MULTIEDUCAÇÃO, 1996, p.132)

As práticas sociais e as relações comerciais estão cada vez mais dependentes das mídias e
das tecnologias da informação e comunicação (TIC). Vivemos a globalização (SANTOS, 2001).
Nesse contexto, adaptar-se aos padrões de usos de recursos tecnológicos faz-se imprescindível
ao exercício profissional. O enfrentamento dessa questão na educação pode partir da maneira
como o professor lida com as TIC, cada vez mais utilizadas pelos jovens.

Quando pensamos em uma educação que, a todo tempo, existiu circunscrita às


características de cada época do desenvolvimento humano, lembramos que ela sempre esteve
impregnada de tecnologia, haja vista que o livro impresso também foi uma revolução em sua
época.

Partimos do pressuposto de que a tecnologia já é utilizada no cotidiano escolar;


entretanto, consideramos a necessidade de ampliar as potencialidades de seus diferentes
meios. Compreendemos que o trabalho desenvolvido com o uso das tecnologias pode
representar uma mudança qualitativa no processo de ensino aprendizagem.

Sendo assim, dentro da realidade em que cada um está inserido, podemos utilizar as TIC
como ferramenta educacional, possibilitando a interação entre diversas disciplinas,
aparentemente distintas umas das outras. Este processo pode complementar, ampliar ou
aperfeiçoar a formulação de um saber crítico reflexivo.

Por meio dessa perspectiva, a interdisciplinaridade surge como forma de superar a


fragmentação entre as disciplinas, proporcionando uma conversa entre estas e relacionando-as
para a compreensão da realidade.

Este Currículo Mínimo, voltado para as Novas Tecnologias no Curso Normal, além de tudo
o que já mencionamos, considera o avanço das ferramentas pedagógicas em contexto
educacional.

Dessa maneira, as tecnologias que estão ao nosso alcance devem ser tratadas como
instrumentos excelentes para promover o aprendizado de forma contextualizada, criativa e
eficiente. Para isso, faz-se necessário que o professor lide bem com tais recursos, a fim de
promover aulas mais atrativas para os seus alunos, em que exista interação, imagens, sons,
vídeos, fotografias, mensagens, jogos, programas, dentre outros. É evidente que o uso desses
recursos deve estar muito bem organizado e planejado.

4
A construção deste documento se deu por intensas pesquisas bibliográficas, debates
aprofundados, olhar crítico e o propósito principal foi aproximar os conteúdos curriculares da
realidade dos alunos e dos professores da rede pública estadual de ensino. Por isso, temos a
convicção de que haverá uma implantação bem-sucedida por parte dos professores, já que
estes foram coautores, de fato, desta proposta. Tal colaboração foi fundamental para transferir o
olhar de cada um e das suas respectivas realidades ao documento aqui apresentado.

Refletiu-se, ainda, sobre a formação do educador para enfrentar os desafios postos pela
sociedade da informação e do conhecimento na inserção de um sujeito atuante no mundo do
trabalho, que utilize as novas ferramentas para auxiliá-lo na construção de suas aulas e no
despertar do aluno para o aprendizado.

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Núcleo Curricular Básico Multieducação. Rio de Janeiro, 1996.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2001.

Equipe de Integração das Mídias e Novas Tecnologias

5
Integração das Mídias e
1ª SÉRIE - CURSO NORMAL
Novas Tecnologias

1° Bimestre
TEMA AS MÍDIAS E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TICS) NA SOCIEDADE, NA VIDA E NA ESCOLA
Refletir sobre a influência do uso das tecnologias disponíveis na sociedade, na vida e na escola.
Reconhecer a identidade do professor e do aluno em meio às TICs.
Habilidades e Analisar o poder persuasivo das TICs na formação do indivíduo.
Compreender a necessidade de atualização contínua para desenvolver competências que possibilitem um trabalho
Competências inovador com as TICs.
Identificar as diferentes possibilidades de veiculação das informações nas diversas mídias.
Explorar os recursos multimidiáticos e a internet na prática docente.

2° Bimestre
TEMA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E MÍDIAS DIGITAIS
Conhecer as diferentes linguagens midiáticas que favorecem a prática educativa.
Apresentar possibilidades de exploração das diversas ferramentas tecnológicas como suporte a atividades
Habilidades e pedagógicas.
Estimular a utilização de mídias educativas para a construção de atividades motivadoras.
Competências Compreender a evolução histórica das ferramentas tecnológicas disponíveis, analisando as suas contribuições, suas
ações e seus interesses para a sociedade.
Identificar a usabilidade dos jogos e programas educativos que facilitam a aprendizagem escolar.

3° Bimestre
TEMA INTERNET, COMUNICAÇÃO E APRENDIZADO

Utilizar a internet e as redes sociais de maneira crítica e reflexiva.


Analisar as contribuições que a internet proporciona ao aprendizado e à comunicação em geral, considerando o seu
Habilidades e uso responsável.
Competências Reconhecer a relação ética que deve existir na comunicação entre os usuários da internet e os recursos de que ela
dispõe.
Diferenciar os diversos tipos e funções de redes sociais.

4° Bimestre
TEMA EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA
Caracterizar as modalidades de educação a distância, identificando as possibilidades do uso das TICs.
Conhecer as diversas funcionalidades dos ambientes virtuais de aprendizagem para desmistificar a Educação a
Habilidades e Distância.
Competências Perceber a importância do ciberespaço como dispositivo de construção do conhecimento e de colaboração na
internet.
Identificar sítios de pesquisa confiáveis, adequados às situações educativas e do cotidiano.

6
currículo
mínimo
2013

libras
Curso Normal
a
3 série
LIBRAS

O Currículo Mínimo de LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais – objetiva nortear o trabalho


pedagógico desenvolvido no cotidiano escolar na 3ª série do Ensino Médio do Curso Normal
em nível médio.

A LIBRAS, embora reconhecida oficialmente em território nacional, através da Lei Federal


nº 10.436/2002, regulamentada pelo Decreto Federal nº 5.626/2005, segue desconhecida pela
imensa maioria da população e continua sendo encarada, equivocadamente, como um mero
conjunto de gestos naturais ou “mímicas” utilizados pelos surdos na ausência da oralidade.

A finalidade da disciplina de LIBRAS é apresentar aos discentes, de forma clara e objetiva,


a referida língua, sua legislação, seus pressupostos teóricos, históricos, filosóficos, sociológicos,
pedagógicos e técnicos.

Compreendemos que é essencial a diferenciação entre deficiência auditiva e surdez,


assim como as especificidades de ambas, bem como é importante compreender o papel do
profissional TIL - Tradutor/Intérprete de LIBRAS em sala de aula e sua contribuição como
mediador para o processo acadêmico do aluno surdo incluído nas classes regulares,
propiciando o atendimento as suas necessidades, suas diferenças e semelhanças com os
demais colegas.

Apresentamos, também, neste documento, os recursos tecnológicos existentes que


possibilitam a acessibilidade da pessoa com deficiência auditiva ou surdez.

Vale ressaltar que os conteúdos a seguir e os pressupostos legais político-filosóficos que


asseguram a inclusão são primordiais para os(as) alunos(as) do Curso Normal, a fim de prepará-
los para o trabalho com o aluno surdo e para a oferta de uma educação bilíngue de qualidade a
este alunado, contribuindo para a transformação da escola regular em um espaço competente
para o atendimento de todos os alunos, independentemente das diferenças e semelhanças.

Segundo a atual Política Nacional de Educação Especial, a educação inclusiva é hoje o


debate mais presente na educação do país. Assim, tendo acesso a esses conhecimentos,
aprende-se a valorizar as diferenças humanas e aprender com o diferente, não pela diferença
que a sua deficiência impõe, mas pela singularidade de sermos diferentes enquanto condição
humana que é intrínseca a cada um.

Equipe de Libras

8
Libras 3ª SÉRIE - CURSO NORMAL

1° Bimestre
EIXO CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICO-SOCIAL DA SURDEZ E CARACTERIZAÇÃO DO ALUNO SURDO NO BRASIL

Contextualizar a historia da educação dos surdos.


Habilidades e Reconhecer a importância da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) no país.
Identificar os processos de aquisição e desenvolvimento da LIBRAS.
Competências Conhecer as características da deficiência auditiva e da surdez, derrubando mitos e tabus.
Reconhecer a importância dos cuidados com a saúde auditiva.

2° Bimestre
EIXO A LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS (LIBRAS) E SUA LEGISLAÇÃO

Conhecer a legislação sobre a LIBRAS.


Habilidades e Conhecer os parâmetros fonológicos da LIBRAS.
Competências Reconhecer a importância do professor e do tradutor/intérprete da LIBRAS no processo ensino-aprendizagem.
Iniciar o processo de conhecimento básico da LIBRAS, visando ao atendimento à educação bicultural e bilíngue.

3° Bimestre
EIXO A INCLUSÃO SOCIAL DA PESSOA SURDA

Conhecer os pressupostos legais que asseguram o direito de pleno acesso à educação em igualdade de condições
com as demais pessoas e os recursos de acessibilidade.
Reconhecer a LIBRAS como primeira língua para o aluno surdo e a Língua Portuguesa, preferencialmente na
Habilidades e modalidade escrita, como língua de instrução, e a importância de o acesso às duas línguas ocorrer de forma
Competências simultânea no ambiente escolar.
Compreender a importância da inclusão da pessoa surda no contexto escolar.
Compreender as especificidades no processo avaliativo do aluno com necessidades educacionais especiais.
Expandir os conhecimentos básicos da LIBRAS, visando ao atendimento à educação bicultural e bilíngue.

4° Bimestre
EIXO SAÚDE AUDITIVA E ACESSIBILIDADE ÀS TECNOLOGIAS

Investigar os tipos de recursos de Tecnologia Assistiva para surdez e deficiência auditiva.


Habilidades e Compreender o processo de inclusão e as filosofias educacionais direcionadas ao aluno surdo na rede de ensino
Competências regular.
Expandir os conhecimentos básicos da LIBRAS, visando ao atendimento à educação bicultural e bilíngue.

9
EQUIPES DE ELABORAÇÃO
INTEGRAÇÃO DAS MÍDIAS E NOVAS TECNOLOGIAS

COORDENADORA:

Adriana Maria de Assumpção (Departamento de Didática/Escola de Educação - UNIRIO)


Mestre em Tecnologia Educacional nas Ciências da Saúde - NUTES / UFRJ

ARTICULADORAS:

Profª Drª Maria Cristina Pfeiffer Fernandes (Doutora em Ciências - COPPE/UFRJ com Estágio Pós-
Doutoral em Tecnologias na Educação - PUC-Rio; Profa Dra. Associado da Fundação CECIERJ /
Consórcio CEDERJ)
Dilene Carvalho Pinto Rodrigues - Esp. em Alfabetização Leitura e Escrita - UFRJ
Licenciada em Pedagogia - UERJ / Secretaria de Estado de Educação

PROFESSORAS COLABORADORAS:

Ilza Ribeiro Azevedo Marinho (Colégio Estadual Desembargador J. A. C. da Rocha Júnior)


Renata Toledo Periard (CIEP 335 – Professor Joaquim de Freitas)
LIBRAS

COORDENADORA:

Kátia Dumard da Silva ( Mestre em Educação - UFRJ - Especialista em Educação e Reeducação


Psicomotora e Especialista em Educação Inclusiva - Secretaria Municipal de Educação – Teresópolis)

ARTICULADORAS:

Profª Drª Maria Cristina Pfeiffer Fernandes (Doutora em Ciências - COPPE/UFRJ com Estágio Pós-
Doutoral em Tecnologias na Educação - PUC-Rio; Profa Dra. Associado da Fundação CECIERJ / Consórcio
CEDERJ)
Dilene Carvalho Pinto Rodrigues - Esp. em Alfabetização Leitura e Escrita - UFRJ
Licenciada em Pedagogia - UERJ /Secretaria de Estado de Educação

PROFESSORA COLABORADORA:

Andreza Silva Tonel Leite (Instituto de Educação Governador Roberto Silveira/ Escola Estadual Euclides
da Cunha)