Você está na página 1de 68

Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ

Teoria e Questões comentadas


Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Aula 00
Curso:
Prof. Luiz Contabilidade Pública
Airosa 1 depara
68 TCM-RJ
www.exponencialconcursos.com.br
Professor: Luiz Airosa
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Apresentação

Olá!
Bem-vindo ao curso on-line preparatório para o cargo de Auditor de
Controle Externo do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro
(TCM-RJ).

Sou o professor Luiz Airosa, e atualmente exerço o cargo de Auditor


Federal de Controle Externo no Tribunal de Contas da União! Minha
história como candidato começou no segundo semestre de 2013. Quando,
após trabalhar por sete anos como analista de sistemas, resolvi estudar para
concursos públicos.
Inicialmente comecei estudando para a área fiscal, mas percebi que
meu perfil era mais adequado à área de controle. Assim, acabei mudando de
foco e me especializando nos concursos de controladorias e tribunais de
contas.
Comecei a minha trajetória primeiro indo muito mal nas provas (TCDF
2014), algo normal para quem começara há pouco semanas a ver disciplinas
como Contabilidade Pública, Economia, Administração Financeira e
Orçamentária, Auditoria Governamental etc. Com o passar do tempo os
resultados foram surgindo, passei a ir para as provas discursivas (MPU 2015 e
TCE-CE 2015) e depois a lograr nomeações. Aliás, minhas nomeações saíram
com a diferença de poucos dias! Além do TCU, fui convocado também para o
cargo de Auditor Interno da Secretaria da Fazenda do Município de Salvador
(neste tendo sido o primeiro lugar!).
Quero aproveitar a oportunidade e deixar uma palavra aqui: concurso é
dedicação, mas dedicação com regularidade. O conhecimento é construído
no dia a dia, um dia por vez. Não adianta passar alguns dias ou semanas
estudando muito e depois tirar “férias”. O candidato terá um aprendizado
muito melhor se estudar com constância.
Também ministro cursos de Controle Externo no Exponencial, além de
coordenar os cursos da área de controle.

Prof. Luiz Airosa 2 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Histórico e análise das provas


Contabilidade Pública

A Contabilidade Pública é uma disciplina que estuda como os atos e


fatos contábeis são registrados, mensurados e apresentados no âmbito da
Administração Pública (Direta e Indireta).
É uma disciplina difícil? Olha, sinceramente não acho. Obviamente que,
como qualquer disciplina, se o examinador quiser complicar ele conseguirá.
Mas, no geral, considero a Contabilidade Geral mais complexa.
Aliás, ter uma boa base em Contabilidade Geral e em Administração
Financeira e Orçamentária (AFO) ajuda muito! Claro que é possível aprender
sem isso, mas, ter uma boa noção de ambas facilita bastante a aprendizagem.

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CASP), também chamada de


Contabilidade Pública1, é um ramo da ciência contábil que vem sofrendo
inúmeras (inúmeras mesmo!) modificações nos últimos anos.
Desta forma, optamos por usar editais recentes (2015 e 2016), assim
estaremos em conformidade com a tendência de cobrança das principais
bancas examinadoras.

Provas Recentes de Tribunais de Contas


Número de questões
TCE-PR TCE-CE TCM-
Assuntos/Certames – – FCC SP –
TOTAL
Cespe - – 2015 FGV -
2016 2015
Conceito, Objeto, Abrangência e Campo
0
de Aplicação da CASP
Princípios e Normas sob a perspectiva
1 1 1 3
do Setor Público
Legislação 2 1 3
Receita 1 1 2
Despesa 1 1 2 4
Plano de Contas do Setor Público 1 1
Balanço Patrimonial 1 2 1 4

1
Embora o nome formal seja Contabilidade Aplicada ao Setor Público, usaremos na
imensa maioria das vezes o sinônimo Contabilidade Pública.

Prof. Luiz Airosa 3 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Provas Recentes de Tribunais de Contas
Número de questões
TCE-PR TCE-CE TCM-
Assuntos/Certames – – FCC SP –
TOTAL
Cespe - – 2015 FGV -
2016 2015
Balanço Orçamentário 0
Balanço Financeiro 1 1
Demonstração das Variações
1 1
Patrimoniais
Outros tópicos sobre Demonstrações
1 1 2
Contábeis
Classificação e Nomenclatura de Custos 0
Procedimentos Contábeis Patrimoniais 1 6 7
Sistemas e Regimes Contábeis 2 2 4
Variações Patrimoniais 1 3 4
TOTAL 8 10 18 36

Veja que a tabela acima é importante para termos uma noção do


quanto cada tema é cobrado, porém ela não garante que essa proporção será
seguida no concurso para o TCM-RJ e nem para qualquer outro.
Aliás, repare que ela até gera algumas distorções. Por exemplo, a prova
do TCM-SP cobrou com muita força o tema Procedimentos Contábeis
Patrimoniais (que engloba depreciação, amortização, reconhecimento ao valor
recuperável, etc.). Os outros dois concursos comparados quase não tocaram
no tema.

Aula Tópico
Conceito. Campo de Aplicação. Objeto e Objetivos. Regimes Contábeis:
00
Orçamentário e Patrimonial. Subsistemas de informações.
Legislação Básica (tópicos selecionados da Lei 4.320/64 e da Lei
01
Complementar 101/2000). NBC T 16.6.

Prof. Luiz Airosa 4 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Aula Tópico
02 NBC T 16.7 a 16.10.
Receita: conceito, classificação e estágios, aspectos, contabilização,
03
deduções, renúncia.
Despesa: conceito, classificação e estágios, aspectos, contabilização,
04
dívida pública operações de crédito..
05 Plano de Contas Aplicado ao Setor Público - PCASP.
06 Procedimentos Contábeis Patrimoniais - parte 1.
07 Procedimentos Contábeis Patrimoniais - parte 2
08 Balanço Orçamentário. Balanço Financeiro.
09 Balanço Patrimonial. Demonstração das Variações Patrimoniais..
Demonstração dos Fluxos de Caixa. Demonstração das Mutações do
10
Patrimônio Líquido.
11 Sistema de Informação de Custos do Setor Público.
NBC TSP - Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de
12 Informação Contábil de Propósito Geral pelas Entidades do Setor
Público- parte 1.
NBC TSP - Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de
13 Informação Contábil de Propósito Geral pelas Entidades do Setor
Público- parte 2.
14 NBC TSP 01 a 05.

*Confira o cronograma de liberação das aulas no site do Exponencial,


na página deste curso.

Prof. Luiz Airosa 5 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Aula 00 – Conceito. Campo de Aplicação. Objeto e Objetivos.


Sistemas Contábeis. Princípios Contábeis.

Assunto Página
1. Contabilidade Aplicada ao Setor Público 8
1.1. Contextualização 8
1.2. Conceito 10
1.3. Entidades do Setor Público 11
1.4. Objeto e Objetivo 13
1.5. Campo de Aplicação 16
1.5.1.Casos Especiais 18
1.6. Unidade Contábil 20
2. Sistemas Contábeis 22
3. Princípios Contábeis 24
3.1 Princípio da Entidade 26
3.2 Princípio da Continuidade 27
3.3 Princípio da Oportunidade 27
3.4 Princípio do Registro pelo Valor Original 28
3.5 Princípio da Competência 29
3.6 Princípio da Prudência 29
4. Questões Comentadas 32
5. Risco Exponencial 50
6. Lista de Questões 57
7. Gabarito 68

Para facilitar sua referência, abaixo listamos as esquematizações desta aula:

Figura 1- Mudanças recentes na Contabilidade Pública ................................................ 8


Figura 2- Normas do CFC em vigor para a CASP ........................................................... 9
Figura 3- Ramos da Contabilidade............................................................................... 10
Figura 4- Entidades do Setor Público .......................................................................... 11
Figura 5- Estatal Dependente x Não Dependente ........................................................ 12
Figura 6- Conceito, objeto e objetivo .......................................................................... 15
Figura 7- Aplicação da CASP ....................................................................................... 17
Figura 8- Representação gráfica dos tipos de Unidades Contábeis .............................. 20
Figura 9- Subsistemas de Informações ....................................................................... 23
Figura 10- Princípios Contábeis .................................................................................. 25
Figura 11- Princípio da Entidade ................................................................................. 26
Figura 12- Princípio da Continuidade .......................................................................... 27

Prof. Luiz Airosa 6 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Figura 13- Princípio da Oportunidade ......................................................................... 27
Figura 14- Princípio da Competência ........................................................................... 29
Figura 15- Princípio da Prudência ............................................................................... 30
Figura 16- Principais aspectos dos Princípios Contábeis, no Setor Público.................. 31

Na aula de hoje veremos os aspectos iniciais da Contabilidade Pública.


Ressalvo (e farei isso mais algumas vezes ao longo deste curso) que várias
mudanças recentes (recentes mesmo, começando a partir de 1º de janeiro
deste ano!) trouxeram mudanças radicais a nossa disciplina. Assim, vários
temas não terão matérias ainda – porque muito recentes – enquanto que
outros estão com questões desatualizadas.
Estudaremos a sua definição, quando e onde é aplicável, além de outros
conceitos mais gerais, os quais, todavia, usaremos ao longo de todo o curso.
Espero que a aula seja muito proveitosa, e que lhe ajude a ter uma
ótima performance durante a prova.
Quaisquer dúvidas, estou à disposição no fórum do curso!

Mãos à obra!

Prof. Luiz Airosa 7 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
1. Contabilidade Aplicada ao Setor Público

1.1. Contextualização
Até o final do ano passado, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC)
possuía inúmeras normas acerca da Contabilidade Aplicada ao Setor Público
(CASP). Tais normas eram conhecidas como Normas Brasileiras de
Contabilidade Aplicadas ao Setor Público (NBC T 16). Cada NBC T 16 era
numerada, indo de 1 até 11.
Além das NBC T 16, estava em vigou a Resolução – CFC 750/1993, que
dispunha acerca dos princípios de contabilidade, e a Resolução – CFC
1.111/2007, a qual tratava da interpretação de tais princípios sob a
perspectiva da área pública.
Havia, contudo, um problema. O sistema contábil nacional, no que diz
respeito à Contabilidade Pública, ainda não estava satisfatoriamente aderente
àquele preconizado pelas normas internacionais (Ipsas). Assim, houve um
processo de revisão das normas brasileiras.
Tal processo teve o seguinte impacto:

NBC TSP Resoluções - CFC


Publicação

Estrutura 750/1993 e
Conceitual 1.111/2007 Revogação
NBC TSP 01 a 05 NBC T 16.1 a 16.5
NBC T 16.6
(parcial)

Figura 1- Mudanças recentes na Contabilidade Pública

O impacto foi muito grande. Nossa aula de hoje, por exemplo, era em
grande embasada na NBC T 16.1 que deixou de viger em 2017.
Professor, quais impactos práticos que isso terá? Bem, de início as
bancas não devem mais cobrar questões que envolvam normas revogadas.
Ora, se a norma não possui mais validade, porque cobrá-la?

Prof. Luiz Airosa 8 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Há ainda outros impactos, que dizem respeito diretamente à aplicação
efetiva da CASP. Tais impactos, todavia, só serão descobertos com o passar
do tempo.
Quero chamar a sua atenção para algo importante: apesar de a
Resolução – CFC 750/1993 ter sido revogada, isso não implica que os
princípios contábeis deixaram de existir!
O próprio CFC foi bem claro ao afirmar que:
Revogar a Resolução nº 750/1993, porém, não significa que os
Princípios de Contabilidade estejam extintos. A revogação das
resoluções visa à unicidade conceitual, indispensável para evitar
divergências na concepção doutrinária e teórica, que poderiam
comprometer aspectos formais das Normas Brasileiras de
Contabilidade (NBCs).

Bem, e hoje em dia, o que está valendo? O CFC nos informa!

Figura 2- Normas do CFC em vigor para a CASP

Apesar de as NBC T 16.1 a 16.5 terem sido revogadas, diversos


dispositivos ainda são muito úteis para compreendermos a Contabilidade
Pública. Logo, tais normas serão constantemente vistas em nosso curso
(principalmente nesta aula).
Além do CFC, há algum outro órgão que discipline o uso da
Contabilidade Pública?
Existe sim, pessoal. Tal órgão é a Secretaria do Tesouro Nacional -
STN. Ela edita o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP),
que é um documento responsável por normatizar diversas operações contábeis
(ele é mais técnico, ensina “como fazer”) que deve ser obedecido pela União,
Estados, Distrito Federal e Municípios.

Prof. Luiz Airosa 9 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Além das NBC TSP e do MCASP, há toda uma legislação sobre a
matéria. As principais leis que veremos a respeito são a Lei 4.320/1964 e a Lei
de Responsabilidade Fiscal (LRF) como é conhecida a Lei Complementar
101/200.

1.2. Conceito
Segundo a NBC T 16.1 (que, como frisamos anteriormente, foi revogada
no final de 2016), a CASP é conceituada como:
3. Contabilidade Aplicada ao Setor Público é o ramo da ciência
contábil que aplica, no processo gerador de informações, os
Princípios Fundamentais de Contabilidade e as normas contábeis
direcionados ao controle patrimonial de entidades do setor
público.

Vamos destrinchar o conceito acima:


 Ramo da ciência contábil: a contabilidade é uma ciência que
registra, mensura e permite a análise dos elementos patrimoniais
de um ente. No caso da Contabilidade Pública, ela usa os
conceitos dessa ciência (contabilidade) de um modo direcionado,
especificado, aplicado. Por exemplo, a Contabilidade Empresarial
(outro ramo contábil) usa muitas regras definidas na Lei
6.404/1976;

Ramos da
Contabilidade

Contabilidade Contabilidade Contabilidade


...
Empresarial de Custos Pública

Figura 3- Ramos da Contabilidade

 Aplica os princípios e as normas: por mais que os princípios


não estejam mais presentes em um texto normativo (lembre-se
que a Resolução – CFC 750/1993 também foi revogada no final
de 2016), eles continuam existindo. Além disso, várias leis e
regulamentos disciplinam a CASP, sendo que devem ser
seguidas;

Prof. Luiz Airosa 10 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
 Controle patrimonial das entidades do setor público: o
nome “contabilidade pública” é autoexplicativo. Trata-se do uso
de técnicas, normas e práticas contábeis nas entidades do setor
público, considerando suas especificidades! Obviamente que o
patrimônio dessas entidades deverá ser registrado e mensurado
periodicamente, como acontece com as entidades privadas.

Apesar de o conceito acima constar de uma norma revogada, entendo


que ele continua plenamente aplicável à CASP.
Agora vamos destacar as entidades do setor público.

1.3. Entidades do Setor Público


Já sabemos que as normas da Contabilidade Pública são aplicáveis
perante as entidades do setor público. Mas o que são essas entidades?
Segundo a NBC TSP Estrutura Conceitual, elas são assim definidas:
Estão compreendidos no conceito de entidades do setor público:
os governos nacionais, estaduais, distrital e municipais e seus
respectivos poderes (abrangidos os tribunais de contas, as
defensorias e o Ministério Público), órgãos, secretarias,
departamentos, agências, autarquias, fundações (instituídas e
mantidas pelo poder público), fundos, consórcios públicos e
outras repartições públicas congêneres das administrações
direta e indireta (inclusive as empresas estatais dependentes).

Governo

União

Poderes
Estados
Entidades do
Setor Público
Tribunal de DF
Órgãos Contas; Ministério
independentes Público; Defensoria
Pública Municípios

Autarquias;
Administração Fundações;
Indireta Estatais
Dependentes

Figura 4- Entidades do Setor Público

Prof. Luiz Airosa 11 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Na prática, é quase toda a Administração Pública, com exceção das


empresas estatais não dependentes.
Quem já estudou a linda Lei de Responsabilidade Fiscal conhece bem o
conceito de estatal dependente. Quem ainda não estudou (ou não lembra)
pode ficar tranquilo, porque veremos isso agora 

Segundo a Lei Complementar 101/2000:


Art. 2º Para os efeitos desta Lei Complementar, entende-se como:
(...)
III - empresa estatal dependente: empresa controlada que
receba do ente controlador recursos financeiros para pagamento
de despesas com pessoal ou de custeio em geral ou de capital,
excluídos, no último caso, aqueles provenientes de aumento de
participação acionária;

De uma forma bem didática, a empresa estatal dependente é aquela


que precisa do poder público (para ser mais preciso, do seu controlador) para
se manter! Sem o aporte do controlador, a empresa não será sustentável.
Querem um exemplo? A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) – aquela
que faz A Voz do Brasil - depende da União para se manter, pois sem isso ela
não terá como pagar seus funcionários (despesa de pessoal), nem pagar seu
custeio (energia, água, aluguéis) nem comprar bens permanentes
(investimento).
Já o Banco do Brasil (BB), por sua vez, pode tranquilamente “andar com
as próprias pernas”. Se a União não lhe repassar recursos, mesmo assim o
banco pagará suas contas (e ainda provavelmente lucrará uns bilhões).

Estatal Dependente Estatal Não Dependente

Precisa de aportes Consegue "andar


($) periódicos do com as próprias
controlador pernas"

Figura 5- Estatal Dependente x Não Dependente

Professor, e se a União comprar mais ações do BB na bolsa de valores,


ele virará dependente? Não, porque aí estará configurada a hipótese de
“aumento de participação acionária”.

Prof. Luiz Airosa 12 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Professor, e se o banco entrar em uma crise muito braba, e pedir para a
União comprar um imóvel, pois ele está sem dinheiro? Bem, aí o BB se tornará
estatal dependente, porque dependerá do seu controlador (a União) para
cobrir uma despesa de capital (que não é aumento de participação acionária).
Com esse último exemplo, eu quero que você fixe uma coisa: ser
estatal dependente ou não dependente é variável no tempo! Ou seja,
durante um período a empresa pode depender de aportes do controlador.
Durante outro período, não.

1.4. Objeto e Objetivo


Colega, esses conceitos também estão contidos na NBC T 16.1. Como
disse anteriormente, apesar de a norma estar revogada, muito do seu
conteúdo ainda é útil para fins de concursos públicos.
O objeto da CASP é o patrimônio público. O patrimônio é composto
pelo conjunto de direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não,
adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas
entidades do setor público, que seja portador ou represente um fluxo de
benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à
exploração econômica por entidades do setor público e suas obrigações.
Aqui o conceito é muito semelhante ao da Contabilidade Geral!
Patrimônio Público é o patrimônio de uma entidade do setor público.
Um detalhe: o MCASP deixa claro que o objeto da CASP é o patrimônio
público.
No estudo e acompanhamento de seu objeto – o patrimônio
público –, a Contabilidade Aplicada ao Setor Público deve
evidenciar as variações patrimoniais, sejam elas independentes ou
resultantes da execução orçamentária, conforme prevê a Lei nº
4.320/1964:

1- (IBFC / SES-PR – Técnico em Contabilidade /


2016) Patrimônio público é:
a) O conjunto de direitos e bens apenas tangíveis, adquiridos, formados,
produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do setor público,
que seja portador e represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro,
inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração econômica por
entidades do setor público e suas obrigações.
b) O conjunto de direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não,
adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas
entidades do setor público, que seja portador e represente um fluxo de
benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à
exploração econômica por entidades do setor público e suas obrigações.

Prof. Luiz Airosa 13 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
c) O conjunto de bens apenas intangíveis, não onerados, adquiridos,
formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do
setor público, que seja portador e represente um fluxo de benefícios, presente
ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração
econômica por entidades do setor público e suas obrigações.
d) O conjunto de bens apenas tangíveis e onerados, adquiridos, formados,
produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do setor público,
que seja portador e represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro,
inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração econômica por
entidades do setor público e suas obrigações.
Resolução:
a) Errado. Bens intangíveis (patentes, licenças, marcas...) também integram
o patrimônio público.
b) Certo. A alternativa repetiu o conceito presente na revogada NBC T 16.1.
c) Errado. Bens tangíveis (edificações, moeda, veículos, computadores...)
também integram o patrimônio público.
d) Errado. Bens intangíveis (patentes, licenças, marcas...) também integram
o patrimônio público.
Gabarito: B

Sendo o objeto da CASP o patrimônio público, seu objetivo é fornecer


informações aos usuários sobre os resultados alcançados e os aspectos de
natureza orçamentária, econômica, financeira e patrimonial (física do
patrimônio) da entidade do setor público e suas mutações, em apoio ao
processo de tomada de decisão; a adequada prestação de contas; e o
necessário suporte para a instrumentalização do controle social2.
Não podemos confundir objeto com objetivo, ok? O objeto é o tema de
estudo. O objetivo é a finalidade, aquilo que queremos descobrir a partir da
análise feita sobre algum objeto.
Montando um esquema, podemos escrever:

2
Compromisso fundado na ética profissional, que pressupõe o exercício cotidiano de fornecer
informações que sejam compreensíveis e úteis aos cidadãos no desempenho de sua soberana
atividade de controle do uso de recursos e patrimônio público pelos agentes públicos.

Prof. Luiz Airosa 14 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Ramo da Controle patrimonial de


Ciência Contábil entidades do setor público

Objeto Patrimônio Público


CASP
Fornecer informações aos usuários

Orçamentária
Aspectos de Econômica
natureza Financeira
Objetivo
Patrimonial

Tomada de decisão
Em apoio à(o) Prestação de contas
Controle Social

Figura 6- Conceito, objeto e objetivo

2- (ESAF / DNIT - Analista Administrativo / 2013)


Assinale a opção cujo conteúdo não indica um dos objetivos da contabilidade
aplicada ao setor público:
a) refletir o ciclo da administração pública.
b) fornecer informações para a instrumentalização do controle social.
c) demonstrar os resultados alcançados pela entidade do setor público.
d) apresentar os aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e
física do patrimônio da entidade pública.
e) evidenciar as mutações do patrimônio.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.128/08, o objetivo da
Contabilidade Aplicada ao Setor Público é fornecer informações aos
usuários sobre os resultados alcançados e os aspectos de natureza
orçamentária, econômica, financeira e física do patrimônio da entidade
do setor público e suas mutações, em apoio ao processo de tomada de
decisão; a adequada prestação de contas; e o necessário suporte para a
instrumentalização do controle social.
Desta feita, não é um dos objetivos da CASP refletir o ciclo da
administração pública.
Gabarito: A

Prof. Luiz Airosa 15 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
1.5. Campo de Aplicação
Por campo de aplicação, entendemos o espaço de atuação do
profissional de contabilidade, sendo que, na CASP, esse campo abrange todas
as entidades do setor público (aqueles órgãos e entidades que vimos na
figura 4 da aula).
Neste contexto, não restam dúvidas que a CASP deve ser aplicada,
sem exceção, em toda a Administração Pública direta, ou seja, nos
órgãos e fundos dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário),
pertencentes aos três entes da Federação (União, Estados (e Distrito Federal)
e Municípios).
Todavia, para as entidades da Administração Pública indireta, a
aplicação da CASP irá depender do tipo da administração, conforme abaixo:
 Autarquias: por terem Personalidade Jurídica de Direito Público,
devem aplicar obrigatoriamente as normas de Contabilidade
Pública;
 Fundações Públicas: por serem personificações do patrimônio
público, devem aplicar obrigatoriamente as normas de
Contabilidade Pública;
 Empresas Estatais (Empresas Públicas e Sociedades de
Economia Mista): por terem Personalidade Jurídica de Direito
Privado, via de regra devem aplicar as normas de contabilidade
privada, exceto as empresas estatais dependentes, as quais,
por receberem do Estado recursos financeiros para custeio de seu
funcionamento, devem aplicar obrigatoriamente as normas de
Contabilidade Pública;

As empresas estatais independentes não precisam, a princípio,


aplicar as regras da CASP. Todavia, elas podem fazê-lo facultativamente.
Existe, todavia, uma hipótese em que a estatal independente será
obrigada a aplicar a CASP. A NBC TSP Estrutura Conceitual dispõe que:
1.8D As demais entidades não compreendidas no item 1.8A,
incluídas as empresas estatais independentes, poderão aplicar
esta estrutura conceitual e as demais NBCs TSP de maneira
facultativa ou por determinação dos respectivos órgãos
reguladores, fiscalizadores e congêneres.

Prof. Luiz Airosa 16 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Órgãos

Fundos
Pessoas
Jurídicas de
Direito Público Autarquias

Fundações
Públicas

Obrigatório
Fundações
Públicas

Empresas Estatais
Pessoas Dependentes
Jurídicas de
Campo de Direito Privado
Aplicação da
CASP
Outras entidades
por força de órgão
regulador

Empresas Estatais
Independentes
Pessoas
Facultativo Jurídicas de
Direito Privado
Outras

Figura 7- Aplicação da CASP

3- (FCC / PGE-BA - Analista de Procuradoria - Área


de Apoio Administrativo / 2013) O campo de aplicação da Contabilidade
Aplicada ao Setor Público, segundo as Normas Brasileiras de Contabilidade
Aplicada ao Setor Público NBC T 16, abrange:
a) todas as entidades do setor público.
b) as organizações da sociedade civil de interesse público.
c) todos os órgãos e entidades da Administração pública direta e indireta,
exceto as empresas estatais dependentes.
d) as fundações privadas sem fins lucrativos
e) as autarquias, parcialmente, e as empresas de economia mista,
integralmente.
Resolução:
De acordo com a NBC T 16.1 (a questão é de 2013), o campo de aplicação da
Contabilidade Aplicada ao Setor Público abrange todas as entidades do

Prof. Luiz Airosa 17 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
setor público, ou seja, órgãos, fundos e pessoas jurídicas de direito público
ou que, possuindo personalidade jurídica de direito privado, recebam,
guardem, movimentem, gerenciem ou apliquem dinheiros, bens e valores
públicos, na execução de suas atividades. Desta feita, nossa resposta é a letra
A.
Vejamos, contudo, os erros das demais assertivas:
b) as organizações da sociedade civil de interesse público. As OSCIPs são
entidades do terceiro setor, não devendo adotar a CASP.
c) todos os órgãos e entidades da Administração pública direta e indireta,
exceto as empresas estatais dependentes. Existem entidades da
Administração Pública Indireta que não devem adotar a CASP, tais como as
empresas estatais independentes. Já as estatais dependentes, estas
devem adorar integralmente as normas de contabilidade pública.
d) as fundações privadas sem fins lucrativos. Fundações privadas são
Pessoas Jurídicas de Personalidade Privada e devem adotar a
contabilidade privada.
e) as autarquias, parcialmente, e as empresas de economia mista,
integralmente. As autarquias devem adotar integralmente a CASP, ao
passo que as sociedades de economia mista, se não forem dependentes, não
devem adotar a CASP.
Gabarito: A

1.5.1.Casos Especiais
Alguns tipos de pessoas jurídicas podem causar dúvida. Assim, merecem um
destaque.
 Conselhos Profissionais: os Conselhos Profissionais (CREA, CRC,
CAU, CRM etc.) têm natureza jurídica de autarquia (isto é, são pessoas
jurídicas de direito público), devendo adotar obrigatoriamente a
CASP.
Porém, alerto você para uma importante exceção: a OAB. A Ordem não
é considerada uma autarquia pelo STF. Assim, ela não se enquadra na
regra acima (pelo fato de ela não ser autarquia, está até mesmo
dispensada de prestar contas ao TCU, algo que sempre friso nos meus
cursos de Controle Externo).
 Serviços Sociais Autônomos: os serviços sociais autônomos (Sistema
“S” – Sebrae, Sesi, Senai, entre outros) não são entidades do setor
público. Logo, via de regra, a eles não é cabível a exigência de
cumprimento das normas de contabilidade pública.
Professor, então nunca eles será obrigados a seguir a CASP? Bem, como
dito no parágrafo acima, via de regra eles não serão obrigados, mas

Prof. Luiz Airosa 18 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
havendo determinação de órgão regulador, fiscalizador ou congênere,
eles deverão elaborar os demonstrativos aplicados ao setor público.
Por exemplo, o Acórdão 699/2016-TCU-Plenário dispôs que:
ACORDAM os ministros do Tribunal de Contas da União,
reunidos em Sessão do Plenário, ante as razões expostas pelo relator,
em:
(...)
9.3. determinar, por força do estabelecido na NBC T 16.1, às
entidades do Senar e quaisquer outras entidades do “Sistema
S” que ainda não o tenham feito, que, no prazo de um ano,
contado da notificação dessa deliberação, adequem seus sistemas
contábeis, de forma que suas demonstrações contábeis sejam
elaboradas, no que couber, com base na contabilidade
aplicada ao setor público, seguindo os moldes exigidos pela
NBC T 16.6, admitindo-se a utilização concomitante da contabilidade
empresarial, se assim entender necessário e conveniente a entidade
jurisdicionada.
 Pessoas Físicas: a NBC T 16.1 informava que se equiparavam ao
conceito de entidades do setor público, para efeito contábil, as “pessoas
físicas que recebam subvenção, benefício, ou incentivo, fiscal ou
creditício, de órgão público”.
Embora a NBC TSP Estrutura Conceitual tenha se omitido acerca deste
tópico, entendo que pelo princípio constitucional da obrigatoriedade da
prestação de contas, e pelo princípio legal da transparência, as pessoas
físicas que recebam subvenções, benefícios ou incentivos de órgãos
públicos podem ser enquadradas no conceito de “demais entidades”.

Antes de finalizar este tópico, é pertinente distinguirmos a pessoa (física


ou jurídica) que receba um ressarcimento pela prestação de um serviço da
pessoa beneficiada por alguma subvenção ou benefício do poder público.
O recurso recebido pelas primeiras é privado, não cabendo ao
Estado exigir prestação de contas sobre como ele foi gasto! Por exemplo,
digamos que você seja um empresário do ramo da vigilância patrimonial. O
TCM-RJ abre uma licitação para contratar segurança e vigilância noturna a fim
de resguardar a sede. Se você vencer a licitação e celebrar o contrato com o
órgão, poderá ele exigir saber como você gastou o valor recebido em
decorrência da contratação? Claro que não! O recurso é seu!
Por outro lado, digamos que a sua empresa fictícia recebeu um
empréstimo com generosas taxas de juros, pois prometera realizar
benfeitorias públicas no entorno do seu endereço. Bem, aí a situação muda de
figura. Você deverá demonstrar que fez as tais melhorias, pois os recursos
recebidos eram públicos e condicionados a uma contraprestação.

Prof. Luiz Airosa 19 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

1.6. Unidade Contábil


Entende-se por Unidade Contábil a delimitação do patrimônio
público a ser analisada em algum momento. De acordo com a NBC T 16.1,
a soma, agregação ou divisão de patrimônio de uma ou mais entidades do
setor público resultará em novas unidades contábeis. Esse procedimento
será utilizado nos seguintes casos:
a) Registro dos atos e dos fatos que envolvem o patrimônio público ou
suas parcelas, em atendimento à necessidade de controle e prestação
de contas, de evidenciação e instrumentalização do controle
social;
b) Unificação de parcelas do patrimônio público vinculadas a unidades
contábeis descentralizadas, para fins de controle e evidenciação dos
seus resultados;
c) Consolidação de entidades do setor público para fins de atendimento
de exigências legais ou necessidades gerenciais.

A Unidade Contábil pode ser assim classificada:


a) Originária – representa o patrimônio das entidades do setor público na
condição de pessoas jurídicas;
b) Descentralizada – representa parcela do patrimônio de Unidade
Contábil Originária;
c) Unificada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de duas
ou mais Unidades Contábeis Descentralizadas;
d) Consolidada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de
duas ou mais Unidades Contábeis Originárias.
Graficamente, a título de exemplo, podemos representar os tipos de
Unidades Contábeis da seguinte maneira:

Figura 8- Representação gráfica dos tipos de Unidades Contábeis

Prof. Luiz Airosa 20 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

4- (Cespe / SAD-PE - Analista de Controle Interno -


Finanças Públicas / 2010) Acerca do conceito, do objetivo e da
especialidade da contabilidade segundo as normas brasileiras de contabilidade
aplicadas ao setor público, assinale a opção correta.
a) A contabilidade aplicada ao setor público é o ramo da ciência contábil que,
no processo gerador de informações, põe em prática os princípios
fundamentais de contabilidade direcionados ao controle do orçamento público.
b) O campo da contabilidade aplicada ao setor público abrange todas as
entidades do setor público.
c) Os serviços sociais públicos devem observar, parcialmente, as normas e
técnicas próprias da contabilidade aplicada ao setor público para adotarem
procedimentos de prestação de contas e de instrumentalização do controle
social.
d) É classificada como unificada a unidade contábil que representa o
patrimônio das entidades do setor público na condição de pessoas jurídicas.
e) A soma, agregação ou divisão de patrimônio de uma ou mais entidades do
setor público não resulta em novas unidades contábeis.
Resolução:
Vamos analisar cada assertiva da questão separadamente:
a) A contabilidade aplicada ao setor público é o ramo da ciência contábil que,
no processo gerador de informações, põe em prática os princípios
fundamentais de contabilidade direcionados ao controle do orçamento
patrimônio público. Incorreta
b) O campo da contabilidade aplicada ao setor público abrange todas as
entidades do setor público. Correta
c) Os serviços sociais públicos devem observar, parcialmente
integralmente, as normas e técnicas próprias da contabilidade aplicada ao
setor público para adotarem procedimentos de prestação de contas e de
instrumentalização do controle social. Incorreta
d) É classificada como unificada originária a unidade contábil que representa
o patrimônio das entidades do setor público na condição de pessoas
jurídicas. Incorreta
e) A soma, agregação ou divisão de patrimônio de uma ou mais entidades do
setor público não resulta em novas unidades contábeis. Incorreta
Gabarito: B

Prof. Luiz Airosa 21 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
2. Sistemas Contábeis

O tema a seguir constava da NBC T 16.2, que também foi revogada no


final de 2016. Todavia, deve ser estudado, pois permite ter uma ideia dos
principais aspectos estudados pela perspectiva da Contabilidade Aplicada ao
Setor Público.
Fazendo uma breve contextualização, vejamos o que é um sistema
(segundo a Wikipédia):
Um sistema é um conjunto de elementos interdependentes de
modo a formar um todo organizado.
Todo sistema possui um objetivo geral a ser atingido. O sistema é um
conjunto de órgãos funcionais, componentes, entidades, partes ou
elementos e as relações entre eles, a integração entre esses
componentes pode se dar por fluxo de informações, fluxo de matéria,
fluxo de sangue, fluxo de energia, enfim, ocorre comunicação entre
os órgãos componentes de um sistema.

Façamos uma analogia com a biologia. O coração é obviamente um


órgão importantíssimo do sistema cardiovascular, mas ele sozinho é o próprio
sistema? Obviamente que não. Há as artérias, veias, vasos capilares, o sangue
etc. Enfim, para termos um sistema, são necessários órgãos, seguindo um
protocolo (conjunto de regras), trabalhando de forma integrada para o
atingimento de determinado fim.
Aa contabilidade funciona de forma parecida. O sistema contábil contém
uma série de atores e regras, os quais, trabalhando em conjunto e
respeitando uma série de normas, vão colaborar para atingir o fim da
contabilidade (fornecer informações úteis acerca do patrimônio sob análise).
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.129/08 e alterações posteriores,
a Contabilidade Aplicada ao Setor Público é organizada na forma de sistema de
informações, cujos subsistemas, conquanto possam oferecer produtos
diferentes em razão da respectiva especificidade, convergem para o produto
final, que é a informação sobre o patrimônio público.
O sistema contábil representa a estrutura de informações sobre
identificação, mensuração, registro, controle, evidenciação e avaliação dos
atos e dos fatos da gestão do patrimônio público, com o objetivo de
orientar e suprir o processo de decisão, a prestação de contas e a
instrumentalização do controle social, sendo estruturado nos seguintes
subsistemas de informações:
 Orçamentário – registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados ao planejamento e à execução orçamentária;

Prof. Luiz Airosa 22 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
 Patrimonial – registra, processa e evidencia os fatos financeiros e
não financeiros relacionados com as variações qualitativas e
quantitativas do patrimônio público;
 Custos – registra, processa e evidencia os custos dos bens e
serviços, produzidos e ofertados à sociedade pela entidade pública;
 Compensação – registra, processa e evidencia os atos de gestão
cujos efeitos possam produzir modificações no patrimônio da
entidade do setor público, bem como aqueles com funções específicas
de controle.

Esquematizando os subsistemas de informações, temos:

Subsistemas de Informações

Orçamentário Patrimonial Custos Compensação

Fatos Custos dos Atos de


Atos e fatos
financeiros e bens e gestão que
não serviços possam
financeiros produzidos e produzir
Planejamento ofertados à modificações
e execução sociedade no patrimônio
orçamentária Variações
qualitativas e
quantitativas Atos com
funções
específicas de
controle

Figura 9- Subsistemas de Informações

5- (FEPESE / MPE-SC - Analista de Contas Públicas -


Contabilidade / 2014) O sistema contábil está estruturado nos seguintes
subsistemas de informações:
a) Financeiro – registra, processa e evidencia os atos e os fatos relacionados
ao planejamento e à execução patrimonial.
b) Orçamentário – registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados ao planejamento e à execução financeira.
c) Custos – registra, processa e evidencia os custos dos bens e serviços,
produzidos e ofertados aos fornecedores pela entidade pública.
d) Patrimonial – registra, processa e evidencia os fatos financeiros e não
financeiros relacionados com as variações qualitativas e quantitativas do
patrimônio público.

Prof. Luiz Airosa 23 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
e) Compreensão – registra, processa e evidencia os atos de gestão cujos
efeitos possam produzir modificações no patrimônio da entidade do setor
público, bem como aqueles com funções específicas de controle.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.129/08 e alterações posteriores,
que aprova as NBC T 16.2, o sistema contábil está estruturado nos seguintes
subsistemas de informações:
 Orçamentário – registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados ao planejamento e à execução orçamentária;
 Patrimonial – registra, processa e evidencia os fatos financeiros e
não financeiros relacionados com as variações qualitativas e
quantitativas do patrimônio público;
 Custos – registra, processa e evidencia os custos dos bens e
serviços, produzidos e ofertados à sociedade pela entidade pública;
 Compensação – registra, processa e evidencia os atos de gestão
cujos efeitos possam produzir modificações no patrimônio da
entidade do setor público, bem como aqueles com funções específicas
de controle.
Desta feita, nossa resposta é a letra D (subsistema patrimonial).
Gabarito: D

Continuando, os subsistemas contábeis devem ser integrados entre si e


a outros subsistemas de informações de modo a subsidiar a administração
pública sobre:
 Desempenho da unidade contábil no cumprimento da sua missão;
 Avaliação dos resultados obtidos na execução das ações do setor
público com relação à economicidade, à eficiência, à eficácia e à
efetividade;
 Avaliação das metas estabelecidas pelo planejamento;
 Avaliação dos riscos e das contingências;
 Conhecimento da composição e movimentação patrimonial.

3. Princípios Contábeis

Antes de estudarmos os princípios, vale aquela ressalva: apesar de a


norma ter sido revogada, o tema colaborará para o entendimento da
disciplina.

Prof. Luiz Airosa 24 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
O ponto de partida para qualquer área do conhecimento humano deve
ser sempre os princípios que a sustentam. Esses princípios espelham a
ideologia de determinado sistema, seus postulados básicos e seus fins. Vale
dizer, os princípios são eleitos como fundamentos e qualificações essenciais da
ordem que instituem.
Adicionalmente, as novas demandas sociais estão a exigir um novo
padrão de informações geradas pela Contabilidade Pública, e que seus
demonstrativos – item essencial das prestações de contas dos gestores
públicos – devem ser elaborados de modo a facilitar, por parte dos seus
usuários e por toda a sociedade, a adequada interpretação dos fenômenos
patrimoniais do setor público, o acompanhamento do processo orçamentário, a
análise dos resultados econômicos e o fluxo financeiro.
Nesse contexto, a Resolução CFC nº 1.111/07 aprova o Apêndice II da
CFC nº 750/93, apresentando a interpretação dos Princípios de
Contabilidade sob a perspectiva do Setor Público. Os Princípios da
Contabilidade, de acordo com a Resolução CFC nº 750/93, alterada pela
Resolução CFC nº 1.282/103, são:
I. Entidade
II. Continuidade
III. Oportunidade
IV. Registro pelo Valor Original
V. Competência
VI. Prudência

Entidade

Prudência Continuidade

Princípios de
Contabilidade
Competência Oportunidade

Revogado Atualização Registro pelo


em 2010
Monetária Valor Original

Figura 10- Princípios Contábeis

3
A Resolução CFC nº 1.282/10 revogou o Princípio da Atualização Monetária, o qual deixou de
ser tratado como princípio e passou a ser uma característica do Princípio do Registro pelo Valor
Original.

Prof. Luiz Airosa 25 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Para facilitar sua memorização, é só lembrar: A entidade tem


continuidade se tiver oportunidade de registrar pelo valor original com
competência e prudência.

3.1 Princípio da Entidade


O Princípio da Entidade se afirma, para o ente público, pela
autonomia e responsabilização do patrimônio a ele pertencente.
A autonomia patrimonial tem origem na destinação social do
patrimônio e a responsabilização pela obrigatoriedade da prestação de
contas pelos agentes públicos.

Autonomia Destinação social do


Patrimonial patrimônio público
Princípio da
Entidade
Obrigatoriedade da
Responsabilização
prestação de contas
do patrimônio
dos agentes públicos

Figura 11- Princípio da Entidade

6- (FCC / TCM-GO - Auditor de Controle Externo -


Contábil / 2015) O princípio fundamental de contabilidade para o ente
público que se afirma pela autonomia e responsabilização do patrimônio a ele
pertencente, é o Princípio da
a) Continuidade.
b) Entidade.
c) Competência.
d) Publicidade.
e) Transparência.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº 1.111/07, que aprova o Apêndice II da
CFC nº 750/93 apresentando a interpretação dos Princípios de Contabilidade
sob a perspectiva do Setor Público, para o ente público, o Princípio da
Entidade se afirma pela autonomia e responsabilização do patrimônio a
ele pertencente, sendo que a autonomia patrimonial tem origem na
destinação social do patrimônio, enquanto a responsabilização está
relacionada à obrigatoriedade da prestação de contas pelos agentes
públicos.

Prof. Luiz Airosa 26 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Gabarito: B

3.2 Princípio da Continuidade


No âmbito da entidade pública, a continuidade está vinculada ao
estrito cumprimento da destinação social do seu patrimônio, ou seja, a
continuidade da entidade se dá enquanto perdurar sua finalidade.

• Cumprimento da destinação social do


Princípio da patrimônio público
Continuidade • Há continuidade enquanto perdurar a
finalidade do patrimônio

Figura 12- Princípio da Continuidade

3.3 Princípio da Oportunidade


O Princípio da Oportunidade é base indispensável à integridade e à
fidedignidade dos processos de reconhecimento, mensuração e
evidenciação da informação contábil, dos atos e dos fatos que afetam ou
possam afetar o patrimônio da entidade pública, observadas as Normas
Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao Setor Público.
A integridade e a fidedignidade dizem respeito à necessidade de as
variações serem reconhecidas na sua totalidade, independentemente do
cumprimento das formalidades legais para sua ocorrência, visando ao
completo atendimento da essência sobre a forma.

Princípio da Oportunidade

Integridade e Fidedignidade

Processo de reconhecimento, mensuração e


apresentação da informação contábil

Atendimento da essência sobre a forma

Figura 13- Princípio da Oportunidade

Prof. Luiz Airosa 27 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

7- (FCC / TST - Analista Judiciário - Contabilidade /


2012) Com relação aos princípios contábeis, sob as perspectivas do Setor
Público, a base indispensável à integridade e à fidedignidade dos processos de
reconhecimento, mensuração e evidenciação da informação contábil, dos atos
e dos fatos que afetam ou possam afetar o patrimônio da entidade pública,
observadas as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao Setor Público,
refere-se ao princípio da
a) Oportunidade.
b) Entidade.
c) Continuidade.
d) Competência.
e) Integridade.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº 1.111/07, que aprova o Apêndice II da
CFC nº 750/93 apresentando a interpretação dos Princípios de Contabilidade
sob a perspectiva do Setor Público, o Princípio da Oportunidade é base
indispensável à integridade e à fidedignidade dos processos de
reconhecimento, mensuração e evidenciação da informação contábil, dos
atos e dos fatos que afetam ou possam afetar o patrimônio da entidade
pública, observadas as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao Setor
Público.
Ademais, a integridade e a fidedignidade dizem respeito à necessidade de
as variações serem reconhecidas na sua totalidade, independentemente do
cumprimento das formalidades legais para sua ocorrência, visando ao
completo atendimento da essência sobre a forma.
Gabarito: A

3.4 Princípio do Registro pelo Valor Original


Nos registros dos atos e fatos contábeis será considerado o valor
original dos componentes patrimoniais.
Valor Original, que ao longo do tempo não se confunde com o custo
histórico, corresponde ao valor resultante de consensos de mensuração
com agentes internos ou externos, com base em valores de entrada – a
exemplo de custo histórico, custo histórico corrigido e custo corrente - ; ou
valores de saída – a exemplo de valor de liquidação, valor de realização,
valor presente do fluxo de benefício do ativo e valor justo.

Prof. Luiz Airosa 28 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
3.5 Princípio da Competência
De acordo com a Resolução CFC nº 1.111/07, com redação dada pela
Resolução CFC nº 1.367/11, o Princípio da Competência aplica-se
integralmente ao Setor Público.
Segundo a Resolução CFC nº 750/93, o Princípio da Competência
determina que os efeitos das transações e outros eventos devem ser
reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do
recebimento ou pagamento, pressupondo a simultaneidade da confrontação
de receitas e de despesas correlatas.

Efeitos das transações


sejam reconhecidos nos
Aplica-se períodos a que se referem,
integralmente independentemente do
ao Setor Público recebimento ou
Princípio da pagamento
Competência

Pressupõe simultaneidade
da confrontação de
receitas e de despesas
correlatas

Figura 14- Princípio da Competência

3.6 Princípio da Prudência


Pelo Princípio da Prudência, as estimativas de valores que afetam o
patrimônio devem refletir a aplicação de procedimentos de mensuração que
prefiram montantes, menores para ativos, entre alternativas igualmente
válidas, e valores maiores para passivos.
A prudência deve ser observada quando, existindo um ativo ou um
passivo já escriturado por determinados valores, segundo os Princípios do
Valor Original, surgirem possibilidades de novas mensurações.
A aplicação do Princípio da Prudência não deve levar a excessos ou a
situações classificáveis como, ocultação manipulação do resultado de
passivos, super ou subavaliação de ativos. Pelo contrário, em consonância
com os Princípios Constitucionais da Administração Pública, deve constituir
garantia de inexistência de valores fictícios, de interesses de grupos ou
pessoas, especialmente gestores, ordenadores e controladores.

Prof. Luiz Airosa 29 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

ATIVO Menor valor Menor PL


Princípio
da
Prudência
PASSIVO Maior valor Menor PL

*Sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das


mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido

Figura 15- Princípio da Prudência

8- (FCC / TCE-CE - Procurador de Contas / 2015) No


encerramento do exercício de 2014, determinada prefeitura municipal do
Estado do Ceará, entre alternativas igualmente válidas, preferiu registrar um
valor menor para um componente do passivo circulante, com o objetivo de
melhorar seu resultado patrimonial. Este procedimento fere o Princípio da
a) Fidedignidade.
b) Competência.
c) Integridade.
d) Prudência.
e) Oportunidade.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº 1.111/07, pelo Princípio da Prudência,
as estimativas de valores que afetam o patrimônio devem refletir a aplicação
de procedimentos de mensuração que prefiram montantes, menores para
ativos, entre alternativas igualmente válidas, e valores maiores para
passivos.
Desta feita, se a prefeitura preferiu registrar um valor menor para um
componente do passivo circulante, ela provocou um aumento do
Patrimônio Líquido da entidade, ferindo o Princípio da Prudência.
Gabarito: D

Resumindo, os Princípios Contábeis são:

Prof. Luiz Airosa 30 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Entidade Autonomia e Responsabilização do patrimônio

Continuidade Cumprimento da destinação social do patrimônio

Integridade e Fidedignidade da informação


Oportunidade
contábil

Registro pelo Registro dos atos e fatos contábeis pelo valor


valor original original dos componentes patrimoniais

Competência Aplica-se integralmente ao Setor Público

Menor valor para Ativo e Maior valor para Passivo


Prudência
em situações igualmente válidas

Figura 16- Principais aspectos dos Princípios Contábeis, no Setor Público

Bom, chegamos ao final da nossa aula demonstrativa. Caso tenha ficado


com alguma dúvida sobre nossa aula, envie sua pergunta pelo fórum do nosso
curso no site do Exponencial. Aproveite esse canal, também, para escrever
comentários e um feedback ao professor.
Agora, vamos continuar o nosso aprendizado por meio de exercícios de
concursos anteriores (principalmente da FCC). Se você já tem um
conhecimento básico da disciplina, tente resolvê-los sozinho (item 5 – Lista de
Questões), assim você estará testando seu nível de conhecimento e
aprendizagem. Mas se você ainda está começando nos estudos da
Contabilidade Pública, recomenda-se que siga a aula acompanhando a
resolução dos exercícios comentados a seguir, pois será mais esclarecedor e a
consolidação de seu aprendizado será melhor.
Bons estudos! 

Prof. Luiz Airosa 31 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
4. Questões Comentadas

9- (FCC / TCE-AP - Analista de Controle Externo - Controle Externo /


2012) O ramo da ciência contábil que aplica, no processo gerador de
informações, os Princípios de Contabilidade e as normas contábeis
direcionados ao controle patrimonial de entidades da administração direta, ou
indireta, a fim de fornecer aos usuários informações sobre os resultados
alcançados e os aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e
física do patrimônio da entidade e suas mutações, em apoio ao processo de
tomada de decisão; a adequada prestação de contas; e o necessário suporte
para a instrumentalização do controle social, cujo objeto é “o conjunto de
direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos,
formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados por aquelas
entidades, que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente
ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração
econômica por entidades do setor e suas obrigações, caracteriza,
hodiernamente, a contabilidade
a) societária.
b) de custos.
c) avançada.
d) rural.
e) pública.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.128/08, a qual aprova a NBC T 16.1, a
Contabilidade Aplicada ao Setor Público (ou Contabilidade Pública) é o
ramo da ciência contábil que aplica, no processo gerador de informações,
os Princípios de Contabilidade e as normas contábeis direcionados ao controle
patrimonial de entidades do setor público.
Seu objeto é o patrimônio público e seu objetivo é fornecer
informações aos usuários sobre os resultados alcançados e os aspectos de
natureza orçamentária, econômica, financeira e patrimonial (física do
patrimônio) da entidade do setor público e suas mutações, em apoio ao
processo de tomada de decisão; a adequada prestação de contas; e o
necessário suporte para a instrumentalização do controle social.
Gabarito: E

10- (FCC / TRE-CE - Analista Judiciário - Contabilidade / 2012)


Segundo a norma brasileira de contabilidade no 16.1 e conforme Resolução
CFC no 1.128/08, alterada pela Res. CFC no 1.268/09, a citação "o ramo da
ciência contábil que aplica, no processo gerador de informações, os Princípios
de Contabilidade (Res. CFC no 1.282/10) e as normas contábeis direcionados

Prof. Luiz Airosa 32 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
ao controle patrimonial de entidades do setor público", a fim de "fornecer aos
usuários informações sobre os resultados alcançados e os aspectos de
natureza orçamentária, econômica, financeira e física do patrimônio da
entidade e suas mutações, em apoio ao processo de tomada de decisão; a
adequada prestação de contas; e o necessário suporte para a
instrumentalização do controle social", cujo objeto é "o conjunto de direitos e
bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos, formados,
produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados por aquelas entidades, que seja
portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerente à
prestação de serviços ou à exploração econômica por entidades do setor e
suas obrigações", caracteriza a nova Contabilidade
a) Avançada.
b) Gerencial.
c) Governamental.
d) Integral.
e) Societária.
Resolução:
Essa questão é muito parecida com a anterior, mas nela podemos verificar
mais uma nomenclatura para o ramo da ciência contábil que aplica, no
processo gerador de informações, os Princípios de Contabilidade e as normas
contábeis direcionados ao controle patrimonial de entidades do setor
público, com o objetivo de fornecer informações aos usuários sobre os
resultados alcançados e os aspectos de natureza orçamentária,
econômica, financeira e patrimonial (física do patrimônio) da entidade do
setor público e suas mutações, em apoio ao processo de tomada de
decisão; a adequada prestação de contas; e o necessário suporte para a
instrumentalização do controle social, e que cujo objeto é o patrimônio
público e seu é (conjunto de direitos e bens, tangíveis ou intangíveis,
onerados ou não, adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou
utilizados pelas entidades do setor público, que seja portador ou represente
um fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços
públicos ou à exploração econômica por entidades do setor público e suas
obrigações).
Essa nova nomenclatura para a CASP ou Contabilidade Pública é
Contabilidade Governamental.
Gabarito: C

11- (FCC / TRE-CE - Analista Judiciário - Contabilidade / 2012) O


espaço de atuação do Profissional de Contabilidade que demanda estudo,
interpretação, identificação, mensuração, avaliação, registro, controle e
evidenciação de fenômenos contábeis, decorrentes de variações patrimoniais

Prof. Luiz Airosa 33 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
em entidades do setor público; e/ou de órgãos, fundos e pessoas jurídicas de
direito público ou que, possuindo personalidade jurídica de direito privado,
recebam, guardem, movimentem, gerenciem ou apliquem dinheiro, bens e
valores públicos, na execução de suas atividades, equiparando-se, para efeito
contábil, às pessoas físicas que recebam subvenção, benefício, ou incentivo
fiscal ou creditício, de órgão público, no tocante aos aspectos contábeis da
prestação de contas, na Contabilidade Pública, refere-se ao
a) ramo científico.
b) método de custeio.
c) sistema de custos.
d) sistema de informações gerenciais.
e) campo de aplicação.
Resolução:
O espaço de atuação do profissional de contabilidade, que, na Contabilidade
Aplicada ao Setor Público, abrange todas as entidades do setor público, ou
seja, órgãos, fundos e pessoas jurídicas de direito público ou que, possuindo
personalidade jurídica de direito privado, recebam, guardem, movimentem,
gerenciem ou apliquem dinheiros, bens e valores públicos, na execução de
suas atividades, é chamado de Campo de Aplicação.
Gabarito: E

12- (FCC / TRT - 24ª REGIÃO (MS) - Analista Judiciário - Área


Administrativa / 2011) Considerando o campo de aplicação da
contabilidade aplicada à Administração Pública, é correto afirmar que aquela
NÃO se aplica
a) às autarquias.
b) às empresas estatais dependentes.
c) às fundações públicas de direito público.
d) às empresas estatais não dependentes.
e) ao poder legislativo.
Resolução:
A Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CASP) deve ser aplicada, sem
exceção, em toda a Administração Pública direta, ou seja, nos órgão e
fundos dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), pertencentes aos
três entes da Federação (União, Estados (e Distrito Federal) e Municípios).
(eliminamos a letra E).
Para as entidades da Administração Pública indireta, a aplicação da CASP irá
depender do tipo da administração, conforme abaixo:

Prof. Luiz Airosa 34 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
 Autarquias: por terem Personalidade Jurídica de Direito Público,
devem aplicar integralmente as normas de Contabilidade
Pública; (eliminamos a letra A)
 Fundações Públicas: por serem personificações do patrimônio
público, devem aplicar integralmente as normas de
Contabilidade Pública; (eliminamos a letra C)
 Empresas Estatais (Empresas Públicas e Sociedades de
Economia Mista): por terem Personalidade Jurídica de Direito
Privado, via de regra devem aplicar as normas de contabilidade
privada, exceto as empresas estatais dependentes, as quais,
por receberem do Estado recursos financeiros para custeio de seu
funcionamento, devem aplicar integralmente as normas de
Contabilidade Pública; (eliminamos a letra B)
Portanto, dentre as alternativas elencadas na questão, somente as empresas
estatais não dependentes não devem aplicar a CASP.
Gabarito: D

13- (FCC / TCM-CE - Analista de Controle Externo - Inspeção


Governamental / 2010) Incluem-se no campo de aplicação da Contabilidade
Pública
a) os templos religiosos.
b) as fundações, ONGs e OSCIPs que usam recursos públicos.
c) as secretarias e órgãos das indústrias sucroalcooleiras.
d) as empresas de serviços hospitalares.
e) as associações de poupança e empréstimo.
Resolução:
Por campo de aplicação, entendemos o espaço de atuação do profissional de
contabilidade, sendo que, na Contabilidade Pública, esse campo abrange
todas as entidades do setor público, ou seja, órgãos, fundos e pessoas
jurídicas de direito público ou que, possuindo personalidade jurídica de
direito privado, recebam, guardem, movimentem, gerenciem ou apliquem
dinheiros, bens e valores públicos, na execução de suas atividades.
Desta feita, as fundações, ONGs4 e OSCIPs5 que, mesmo possuindo
personalidades jurídicas de direito privado, utilizem recursos públicos,
devem aplicar a Contabilidade Pública (lembre-se que possibilitar a prestação
de contas é um dos objetivos da CASP).
Gabarito: B

4
Organizações Não Governamentais, entidades privadas.
5
Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público, entidades do terceiro setor.

Prof. Luiz Airosa 35 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

14- (FCC / TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Contadoria / 2014)


A consolidação intergovernamental das demonstrações contábeis forma uma
unidade contábil
a) originária.
b) consolidada.
c) descentralizada
d) unificada.
e) econômica.
Resolução:
De acordo com a NBC T 16.1, a Unidade Contábil pode ser assim classificada:
a) Originária – representa o patrimônio das entidades do setor público na
condição de pessoas jurídicas;
b) Descentralizada – representa parcela do patrimônio de Unidade
Contábil Originária;
c) Unificada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de duas
ou mais Unidades Contábeis Descentralizadas;
d) Consolidada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de
duas ou mais Unidades Contábeis Originárias.
Desta feita, a consolidação feita entre entes governamentais
(intergovernamental), isto é, entre União, Estados e Municípios, os quais são,
cada um, unidades contábeis originárias, forma uma unidade contábil
consolidada.
Gabarito: B

15- (FCC / TCE-AM - Analista Técnico de Controle Externo - Auditoria


Governamental / 2013) De acordo com a NBCT 16.1, a soma, agregação ou
divisão do patrimônio de uma ou mais entidades do setor público resultam em
novas unidades contábeis. A unidade contábil é classificada em
a) unitária, descentralizada, unificada e consolidada.
b) originária, descentralizada, unificada e consolidada.
c) originária, centralizada, unificada e consolidada.
d) originária, descentralizada, unificada e integralizada.
e) unitária, centralizada, unificada e integralizada.
Resolução:
De acordo com a NBC T 16.1, a Unidade Contábil pode ser assim classificada:

Prof. Luiz Airosa 36 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
a) Originária – representa o patrimônio das entidades do setor público na
condição de pessoas jurídicas;
b) Descentralizada – representa parcela do patrimônio de Unidade
Contábil Originária;
c) Unificada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de duas
ou mais Unidades Contábeis Descentralizadas;
d) Consolidada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de
duas ou mais Unidades Contábeis Originárias.
Gabarito: B

16- (FCC / TRF - 2ª REGIÃO - Analista Judiciário - Contadoria / 2012)


Em relação à conceituação, objeto e campo de aplicação da Contabilidade
Pública (NBC T 16.1), é correto afirmar:
a) O campo de aplicação da Contabilidade Pública consiste, exclusivamente,
nas variações patrimoniais em entidades do setor público, não se aplicando às
entidades que recebam, guardem ou gerenciem recursos públicos.
b) Consideram-se recursos controlados pelo ente público somente os ativos de
sua propriedade.
c) A Contabilidade aplicada ao Setor Público não aplica os Princípios
Fundamentais de Contabilidade no controle das variações patrimoniais das
entidades do setor público.
d) O objeto da Contabilidade aplicada ao Setor Público é o patrimônio das
empresas estatais que dependem de recursos públicos para a execução de seu
objeto social.
e) Unidade Contábil Originária representa o patrimônio das entidades do setor
público na condição de pessoas jurídicas.
Resolução:
Analisando cada uma das assertivas separadamente, temos:
a) O campo de aplicação da Contabilidade Pública consiste, exclusivamente,
nas variações patrimoniais em entidades do setor público, não se aplicando às
entidades que recebam, guardem ou gerenciem recursos públicos.
Além de abranger todas as entidades do setor público, as pessoas
jurídicas de direito privado que recebam, guardem, movimentem,
gerenciem ou apliquem dinheiros, bens e valores públicos, na execução
de suas atividades devem aplicar a Contabilidade Pública. Incorreta
b) Consideram-se recursos controlados pelo ente público somente os ativos de
sua propriedade.

Prof. Luiz Airosa 37 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Recursos controlados são ativos em que a entidade mesmo sem ter o
direito de propriedade detém o controle, os riscos e os benefícios deles
decorrentes. Incorreta
c) A Contabilidade aplicada ao Setor Público não aplica os Princípios
Fundamentais de Contabilidade no controle das variações patrimoniais das
entidades do setor público.
A CASP é o ramo da ciência contábil que aplica, no processo gerador de
informações, os Princípios de Contabilidade e as normas contábeis
direcionados ao controle patrimonial de entidades do setor público.
Incorreta
d) O objeto da Contabilidade aplicada ao Setor Público é o patrimônio público
das empresas estatais que dependem de recursos públicos para a execução de
seu objeto social.
O patrimônio público é composto pelo conjunto de direitos e bens,
tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos, formados, produzidos,
recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do setor público, que
seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro,
inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração econômica por
entidades do setor público e suas obrigações. Incorreta
e) Unidade Contábil Originária representa o patrimônio das entidades do
setor público na condição de pessoas jurídicas. Correta
Gabarito: E

17- (FCC / TRE-AL - Analista Judiciário - Contabilidade / 2010) De


acordo com a Norma Brasileira de Contabilidade Aplicada ao Setor Público -
NBC T 16.1, a Unidade Contábil Consolidada é aquela que representa a soma
ou a agregação do patrimônio de duas ou mais Unidades Contábeis
a) Unificadas.
b) Descentralizadas.
c) Originárias.
d) Isoladas.
e) Conjuntas.
Resolução:
De acordo com a NBC T 16.1, a Unidade Contábil pode ser assim classificada:
a) Originária – representa o patrimônio das entidades do setor público na
condição de pessoas jurídicas;
b) Descentralizada – representa parcela do patrimônio de Unidade
Contábil Originária;

Prof. Luiz Airosa 38 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
c) Unificada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de duas
ou mais Unidades Contábeis Descentralizadas;
d) Consolidada – representa a soma ou a agregação do patrimônio de
duas ou mais Unidades Contábeis Originárias.
Para facilitar no dia da prova, basta lembrar-se do gráfico abaixo:

Gabarito: C

18- (FCC / TRT - 16ª REGIÃO (MA) - Analista Judiciário -


Contabilidade / 2014) De acordo com as Normas Brasileiras de
Contabilidade Aplicadas ao Setor Público - NBC - T 16.2, o sistema contábil
está estruturado em subsistemas de informações. Considerando as contas
contábeis do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, é correto afirmar que
o registro contábil de determinado contrato de serviços, quando a
Administração pública participa como contratante, pertence ao subsistema de
informações
a) financeiro.
b) orçamentário.
c) patrimonial.
d) passivo circulante.
e) compensação.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.129/08 e alterações posteriores, o
sistema contábil representa a estrutura de informações sobre
identificação, mensuração, registro, controle, evidenciação e avaliação dos
atos e dos fatos da gestão do patrimônio público, com o objetivo de
orientar e suprir o processo de decisão, a prestação de contas e a
instrumentalização do controle social, sendo estruturado nos seguintes
subsistemas de informações:

Prof. Luiz Airosa 39 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
 Orçamentário – registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados ao planejamento e à execução orçamentária;
 Patrimonial – registra, processa e evidencia os fatos financeiros e
não financeiros relacionados com as variações qualitativas e
quantitativas do patrimônio público;
 Custos – registra, processa e evidencia os custos dos bens e
serviços, produzidos e ofertados à sociedade pela entidade pública;
 Compensação – registra, processa e evidencia os atos de gestão
cujos efeitos possam produzir modificações no patrimônio da
entidade do setor público, bem como aqueles com funções específicas
de controle.
Nesse contexto, um contrato de serviços no qual a Administração pública
figura como contratante é um ato de gestão, o qual não provoca
modificações no patrimônio público, mas cujos efeitos possam vir a
produzir modificações, sendo, portanto, registrado no subsistema de
compensação.
Gabarito: E

19- (FCC / TCE-PI - Auditor Fiscal de Controle Externo / 2014) Sobre a


Contabilidade Aplicada ao Setor Público, em conformidade com as Normas
Brasileiras de Contabilidade (NBC T 16), é correto afirmar que
a) as normas e técnicas próprias deste ramo da ciência contábil devem ser
observadas integralmente por todas as entidades que de qualquer forma
recebam, guardem, movimentem, gerenciem ou apliquem dinheiros, bens e
valores públicos, na execução de suas atividades.
b) o seu objeto é o Patrimônio Público que se estrutura em quatro grupos:
ativos, passivos, variações quantitativas diminutivas e variações quantitativas
aumentativas.
c) a classificação dos elementos patrimoniais considera a segregação em
circulante e não circulante, com base em seus atributos de conversibilidade e
rentabilidade.
d) o sistema contábil está estruturado nos seguintes subsistemas de
informações: orçamentário, patrimonial, custos e compensação.
e) o objetivo é gerenciar os resultados alcançados e tomar decisões sobre os
aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e física do
patrimônio da entidade do setor público e suas mutações.
Resolução:
Analisando cada uma das assertivas separadamente, temos:

Prof. Luiz Airosa 40 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
a) as normas e técnicas próprias deste ramo da ciência contábil devem ser
observadas integralmente por todas as entidades que de qualquer forma
recebam, guardem, movimentem, gerenciem ou apliquem dinheiros, bens e
valores públicos, na execução de suas atividades.
Algumas entidades do setor público aplicam a CASP apenas parcialmente,
somente para garantir procedimentos suficientes de prestação de contas e
instrumentalização do controle social. Incorreta
b) o seu objeto é o Patrimônio Público que se estrutura em quatro três
grupos: ativos, passivos, variações quantitativas diminutivas e patrimônio
líquido variações quantitativas aumentativas. Incorreta
c) a classificação dos elementos patrimoniais considera a segregação em
circulante e não circulante, com base em seus atributos de conversibilidade
e rentabilidade exigibilidade. Incorreta
d) o sistema contábil está estruturado nos seguintes subsistemas de
informações: orçamentário, patrimonial, custos e compensação. Correta
e) o objetivo é gerenciar fornecer informações aos usuários sobre os
resultados alcançados e tomar decisões sobre os aspectos de natureza
orçamentária, econômica, financeira e física do patrimônio da entidade
do setor público e suas mutações. Incorreta
Gabarito: D

20- (FCC / AL-PE - Analista Legislativo - Contabilidade / 2014)


Considere as afirmativas sobre o Sistema Contábil.
I. Representa a estrutura de informações sobre identificação, mensuração,
registro, controle, evidenciação e avaliação dos atos e dos fatos da gestão do
patrimônio público.
II. Tem por objetivo orientar e suprir o processo de decisão, a prestação de
contas e a instrumentalização do controle social.
III. Está estruturado nos seguintes subsistemas de informações:
orçamentário, financeiro, patrimonial, de custos e de compensação.
IV. É composto por três grupos: ativos, passivos e patrimônio líquido.
De acordo com a NBC T 16.2, está correto o que se afirma APENAS em
a) I e II.
b) II e III.
c) III e IV.
d) II e IV.
e) I e III.
Resolução:

Prof. Luiz Airosa 41 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.129/08 e alterações posteriores, o
sistema contábil representa a estrutura de informações sobre
identificação, mensuração, registro, controle, evidenciação e avaliação dos
atos e dos fatos da gestão do patrimônio público (item I correto), com o
objetivo de orientar e suprir o processo de decisão, a prestação de contas e a
instrumentalização do controle social (item II correto), sendo estruturado
nos seguintes subsistemas de informações:
 Orçamentário – registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados ao planejamento e à execução orçamentária;
 Patrimonial – registra, processa e evidencia os fatos financeiros e
não financeiros relacionados com as variações qualitativas e
quantitativas do patrimônio público;
 Custos – registra, processa e evidencia os custos dos bens e
serviços, produzidos e ofertados à sociedade pela entidade pública;
 Compensação – registra, processa e evidencia os atos de gestão
cujos efeitos possam produzir modificações no patrimônio da
entidade do setor público, bem como aqueles com funções específicas
de controle.
Desta feita, nossa resposta é a letra A (está correto o que se afirma apenas
os itens I e II).
Vejamos, contudo, os erros das demais assertivas:
III. Está estruturado nos seguintes subsistemas de informações:
orçamentário, financeiro, patrimonial, de custos e de compensação.
O subsistema financeiro foi revogado pela Resolução CFC nº 1.268/09, que
alterou a NBC T 16.2, incorporando-o ao subsistema patrimonial.
IV. É composto por três grupos: ativos, passivos e patrimônio líquido.
O que se afirma no item diz respeito ao Patrimônio Público, e não ao
Sistema Contábil.
Gabarito: A

21- (FCC / MPE-MA - Analista Ministerial - Contador / 2013) O sistema


contábil, nos termos das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao
Setor Público, está estruturado em subsistemas de informações. Dentre eles, é
correto afirmar:
a) compensação - registra, processa e evidencia os atos de gestão cujos
efeitos produzam variações qualitativa e quantitativa no patrimônio público.
b) orçamentário - registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados aos ingressos e aos desembolsos financeiros.

Prof. Luiz Airosa 42 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
c) patrimonial - registra, processa e evidencia os fatos financeiros e não
financeiros relacionados com as variações qualitativas e quantitativas do
patrimônio público.
d) fluxo de caixa - registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados aos ingressos e aos desembolsos financeiros de natureza
orçamentária e extra orçamentária.
e) variações patrimoniais - registra, processa e evidencia os atos de gestão
cujos efeitos produzam alterações ou modificações no patrimônio público.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.129/08 e alterações posteriores, o
sistema contábil está estruturado nos seguintes subsistemas de
informações:
 Orçamentário – registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados ao planejamento e à execução orçamentária;
 Patrimonial – registra, processa e evidencia os fatos financeiros e
não financeiros relacionados com as variações qualitativas e
quantitativas do patrimônio público;
 Custos – registra, processa e evidencia os custos dos bens e
serviços, produzidos e ofertados à sociedade pela entidade pública;
 Compensação – registra, processa e evidencia os atos de gestão
cujos efeitos possam produzir modificações no patrimônio da
entidade do setor público, bem como aqueles com funções específicas
de controle.
Desta feita, podemos observar que a resposta correta é a letra C. Vamos,
contudo, verificar os erros das demais assertivas:
a) compensação - registra, processa e evidencia os atos de gestão cujos
efeitos produzam possam produzir variações qualitativa e quantitativa no
patrimônio público.
b) orçamentário financeiro (revogado) - registra, processa e evidencia os
atos e os fatos relacionados aos ingressos e aos desembolsos financeiros.
d) fluxo de caixa financeiro (revogado) - registra, processa e evidencia os
atos e os fatos relacionados aos ingressos e aos desembolsos financeiros de
natureza orçamentária e extra orçamentária.
e) variações patrimoniais compensação - registra, processa e evidencia os
atos de gestão cujos efeitos produzam possam produzir alterações ou
modificações no patrimônio público.
Gabarito: C

Prof. Luiz Airosa 43 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
22- (FCC / TST - Analista Judiciário - Contabilidade / 2012) A
Contabilidade Aplicada ao Setor Público é organizada na forma de sistema de
informações. Com relação às Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao
Setor Público, o sistema contábil está estruturado, sequencialmente, nos
seguintes subsistemas:
a) orçamentário, financeiro, patrimonial, compensação e demonstração das
variações patrimoniais.
b) balanço patrimonial, orçamentário, financeiro, demonstração das variações
patrimoniais, demonstração dos fluxos de caixa e demonstração do resultado
econômico.
c) balanço patrimonial, orçamentário, financeiro e demonstração das variações
patrimoniais.
d) orçamentário, patrimonial, custos e compensação.
e) orçamentário, patrimonial, gestão e controle.
Resolução:
De acordo com a Resolução CFC nº. 1.129/08 e alterações posteriores, o
sistema contábil é estruturado nos seguintes subsistemas de informações:
orçamentário; patrimonial; custos; e compensação.
Gabarito: D

23- (FCC / TCE-PR - Analista de Controle / 2011) De acordo com as


Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas a Setor Público - NBCASP, o
sistema contábil público estrutura-se nos seguintes subsistemas de
informações:
a) Financeiras, Variações Patrimoniais e Controle Interno.
b) Orçamentárias, Financeiras, Custos e Gestão Fiscal.
c) Balanço Orçamentário, Financeiro, Patrimonial e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
d) Ativo, Passivo, Patrimônio Líquido, Compensação e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
e) Orçamentárias, Patrimoniais, Custos e Compensação.
Resolução:
Novamente, de acordo com a Resolução CFC nº. 1.129/08 e alterações
posteriores, o sistema contábil é estruturado nos seguintes subsistemas de
informações: orçamentário; patrimonial; custos; e compensação.
Gabarito: E

Prof. Luiz Airosa 44 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
24- (Cespe / Polícia Científica - PE – Perito Criminal / 2011) Conforme
o disposto nas Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público,
o objeto da CASP é
a) um conjunto de procedimentos administrativos que objetivam adquirir
materiais, contratar obras e serviços, alienar ou ceder bens a terceiros,
observando os princípios da administração pública.
b) a mensuração, a estruturação e as variações que geram reflexos no
patrimônio público, além de apresentar temas específicos, como o sistema de
custos.
c) determinar os valores pelos quais os elementos patrimoniais devem ser
reconhecidos e apresentados nas demonstrações contábeis.
d) o conjunto de direitos e de bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não,
que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro,
inerente à prestação de serviços públicos ou a exploração econômica por
entidades do setor público e suas obrigações.
e) o orçamento público, contendo a discriminação da receita e da despesa de
forma a evidenciar a política econômico-financeira e o programa de trabalho
do governo.
Resolução:
Sempre associe objeto a patrimônio. E o que é o patrimônio? Como vimos
detalhadamente na aula, o patrimônio é o conjunto de direitos e de bens,
tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, que seja portador ou represente um
fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços
públicos ou a exploração econômica por entidades do setor público e suas
obrigações.
Gabarito: D

25- (Cespe / TCE-SC – Auditor Fiscal de Controle Externo / 2016) A


respeito do campo de aplicação e dos objetivos da contabilidade pública,
julgue o item a seguir.
Os objetivos da contabilidade aplicada ao setor público incluem informar os
usuários da informação contábil relativa às mutações do patrimônio das
entidades do setor público.
Resolução:
Se o objeto (o tema de estudo) é o patrimônio, o objetivo (a finalidade) é
fornecer informações acerca de tal patrimônio! Assim, a questão está
correta.
Gabarito: Certo

Prof. Luiz Airosa 45 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
26- (FCC / TRT-MT – Analista Judiciário - Contabilidade / 2016) No
que tange os princípios contábeis, sob a perspectiva do setor público, nas
estimativas de valores que afetam ao patrimônio, o procedimento de
mensuração que preferir montantes menores para ativos, entre alternativas
igualmente válidas, e valores maiores para passivos, atende o princípio de
contabilidade da
a) entidade.
b) razoabilidade.
c) cautela.
d) prudência.
e) competência.
Resolução:
As expressões chave para resolvermos esta questão são “mensuração que
preferir montantes menores para ativos (...)e valores maiores para passivos”
e “entre alternativas igualmente válidas”.
Isso é o princípio da prudência, conforme imagem abaixo.

ATIVO Menor valor Menor PL


Princípio
da
Prudência
PASSIVO Maior valor Menor PL

Gabarito: D

27- (FCC / Prefeitura de Teresina - PI – Técnico de Nível Superior /


2016) A observância dos Princípios de Contabilidade é obrigatória no exercício
da profissão e constitui condição de legitimidade das Normas Brasileiras de
Contabilidade − NBC. Segundo a Resolução CFC nº 1.111/2007, sob a
perspectiva do setor público, a autonomia patrimonial que tem origem na
destinação social do patrimônio e a responsabilização pela obrigatoriedade da
prestação de contas pelos agentes público, refere-se ao princípio da
a) continuidade.
b) legalidade.
c) oportunidade.
d) transparência.
e) entidade.

Prof. Luiz Airosa 46 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
Resolução:
A imagem abaixo resume didaticamente os princípios de contabilidade:

Entidade Autonomia e Responsabilização do patrimônio

Continuidade Cumprimento da destinação social do patrimônio

Integridade e Fidedignidade da informação


Oportunidade
contábil

Registro pelo Registro dos atos e fatos contábeis pelo valor


valor original original dos componentes patrimoniais

Competência Aplica-se integralmente ao Setor Público

Menor valor para Ativo e Maior valor para Passivo


Prudência
em situações igualmente válidas

Logo, não restam dúvidas que a autonomia patrimonial está ligada ao


princípio da entidade.
Gabarito: E

28- (CESGRANRIO / ANP – Técnico Administrativo / 2016) Os


Princípios de Contabilidade Pública estão estabelecidos em normas que são
obrigatórias para todos os órgãos e entidades da administração direta e da
administração indireta dos entes da Federação, incluindo seus fundos,
autarquias, fundações e empresas estatais dependentes.
Nesse contexto, o Princípio de Contabilidade que, sob as perspectivas do Setor
Público, no âmbito da entidade pública, está vinculado ao estrito cumprimento
da destinação social do seu patrimônio é o Princípio da
a) Competência
b) Continuidade
c) Entidade
d) Oportunidade
e) Prudência
Resolução:
A destinação social do patrimônio está ligada ao princípio contábil da
continuidade.

Prof. Luiz Airosa 47 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
No âmbito da entidade pública, a continuidade está vinculada ao estrito
cumprimento da destinação social do seu patrimônio, ou seja, a
continuidade da entidade se dá enquanto perdurar sua finalidade.

• Cumprimento da destinação social do


Princípio da patrimônio público
Continuidade • Há continuidade enquanto perdurar a
finalidade do patrimônio

Gabarito: B

29- (Cespe / DPU – Contador / 2016) A respeito dos eventos


personificados como regulares pela ciência contábil aplicada ao setor público,
julgue o item a seguir.
De acordo com o princípio da prudência, presume-se cautela para evitar que o
grau variável das incertezas contribua para diminuir a confiabilidade do
processo de mensuração e de apresentação dos controles estruturados contra
fraudes nos registros patrimoniais.
Resolução:
Questão interessante. O nome “prudência” realmente nos remete ao termo
“cautela”. Todavia, esta questão é incorreta.
O problema é que não existe nenhuma correlação entre prudência e combate
a fraudes contábeis, ao contrário do que o enunciado quis transparecer.
Gabarito: Errado

30- (FCC / DPE – RR - Contador / 2015) Na NBC T 16.1, o campo de


aplicação informa quais entidades devem aplicar as regras da Contabilidade
Aplicada ao Setor Público. Segundo essa Norma, NÃO estão sujeitas a estas
regras
a) os órgãos dos Poderes legislativo e judiciário.
b) as organizações não governamentais que recebem recursos públicos.
c) as fundações públicas de natureza de direito público.
d) as empresas públicas não classificadas como empresas estatais
dependentes.
e) as autarquias, os serviços sociais e os conselhos profissionais.
Resolução:
Apesar de esta questão estar desatualizada, a trouxe apenas para vermos
mais uma vez a diferença entre empresas estatais dependentes e não
dependentes.

Prof. Luiz Airosa 48 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Estatal Dependente Estatal Não Dependente

Precisa de aportes Consegue "andar


($) periódicos do com as próprias
controlador pernas"

De todas as alternativas no enunciado, apenas as estatais não dependentes


não estavam obrigadas (nos termos da revogada NBC T 16.1) a seguirem as
regras da CASP.
Gabarito: D

Prof. Luiz Airosa 49 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

5. Risco Exponencial

 Mudanças recentes na Contabilidade Pública

NBC TSP Resoluções - CFC


Publicação

Estrutura 750/1993 e
Conceitual 1.111/2007

Revogação
NBC TSP 01 a 05 NBC T 16.1 a 16.5
NBC T 16.6
(parcial)

 Normas em vigor do CFC

 Ramos da Contabilidade

Prof. Luiz Airosa 50 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Ramos da
Contabilidade

Contabilidade Contabilidade Contabilidade


...
Empresarial de Custos Pública

 Entidades do Setor Público

Governo

União
Poderes
Estados
Entidades do
Setor Público
Tribunal de DF
Órgãos Contas; Ministério
independentes Público; Defensoria
Pública Municípios
Autarquias;
Administração Fundações;
Indireta Estatais
Dependentes

 Estatal Dependente x Não Dependente

Estatal Não
Estatal Dependente
Dependente

Precisa de
Consegue "andar
aportes ($)
com as próprias
periódicos do
pernas"
controlador

Prof. Luiz Airosa 51 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

 Conceito, Objeto e Objetivo

Ramo da Controle patrimonial de


Ciência Contábil entidades do setor público

Objeto Patrimônio Público


CASP

Fornecer informações aos usuários

Orçamentária
Aspectos de Econômica
natureza Financeira
Objetivo
Patrimonial

Tomada de decisão
Em apoio à(o) Prestação de contas
Controle Social

 Campo de Aplicação

Prof. Luiz Airosa 52 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

Órgãos

Fundos
Pessoas
Jurídicas de
Direito Público Autarquias

Fundações
Públicas

Obrigatório
Fundações
Públicas

Empresas Estatais
Pessoas Dependentes
Jurídicas de
Campo de Direito Privado
Aplicação da
CASP
Outras entidades
por força de órgão
regulador

Empresas Estatais
Independentes
Pessoas
Facultativo Jurídicas de
Direito Privado
Outras

 Unidades Contábeis

Prof. Luiz Airosa 53 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
 Subsistemas de Informações

Subsistemas de Informações

Orçamentário Patrimonial Custos Compensação

Fatos Custos dos Atos de


Atos e fatos
financeiros e bens e gestão que
não serviços possam
financeiros produzidos e produzir
Planejamento ofertados à modificações
e execução sociedade no patrimônio
orçamentária Variações
qualitativas e
quantitativas Atos com
funções
específicas de
controle

 Princípios Contábeis

Entidade

Prudência Continuidade

Princípios de
Contabilidade
Competência Oportunidade

Atualização Registro pelo


Revogado
Monetária Valor Original
em 2010

 Princípio da Entidade

Autonomia Destinação social do


Patrimonial patrimônio público
Princípio
da
Entidade Responsabilização Obrigatoriedade da
prestação de contas
do patrimônio dos agentes públicos

Prof. Luiz Airosa 54 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

 Princípio da Continuidade

• Cumprimento da destinação social do


Princípio da patrimônio público
Continuidade • Há continuidade enquanto perdurar a
finalidade do patrimônio

 Princípio da Oportunidade

Princípio da Oportunidade

Integridade e Fidedignidade

Processo de reconhecimento, mensuração e


apresentação da informação contábil

Atendimento da essência sobre a forma

 Princípio da Competência

Efeitos das transações


sejam reconhecidos nos
Aplica-se períodos a que se referem,
integralmente independentemente do
ao Setor Público recebimento ou
Princípio da pagamento
Competência

Pressupõe simultaneidade
da confrontação de
receitas e de despesas
correlatas

 Princípio da Prudência

Prof. Luiz Airosa 55 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

ATIVO Menor valor Menor PL


Princípio
da
Prudência
PASSIVO Maior valor Menor PL

*Sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das


mutações patrimoniais que alterem o patrimônio líquido

 Resumo: Princípios da Contabilidade

Entidade Autonomia e Responsabilização do patrimônio

Continuidade Cumprimento da destinação social do patrimônio

Integridade e Fidedignidade da informação


Oportunidade
contábil

Registro pelo Registro dos atos e fatos contábeis pelo valor


valor original original dos componentes patrimoniais

Competência Aplica-se integralmente ao Setor Público

Menor valor para Ativo e Maior valor para Passivo


Prudência
em situações igualmente válidas

Prof. Luiz Airosa 56 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
6. Lista de Questões

1- (IBFC / SES-PR – Técnico em Contabilidade / 2016) Patrimônio


público é:
a) O conjunto de direitos e bens apenas tangíveis, adquiridos, formados,
produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do setor público,
que seja portador e represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro,
inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração econômica por
entidades do setor público e suas obrigações.
b) O conjunto de direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não,
adquiridos, formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas
entidades do setor público, que seja portador e represente um fluxo de
benefícios, presente ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à
exploração econômica por entidades do setor público e suas obrigações.
c) O conjunto de bens apenas intangíveis, não onerados, adquiridos,
formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do
setor público, que seja portador e represente um fluxo de benefícios, presente
ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração
econômica por entidades do setor público e suas obrigações.
d) O conjunto de bens apenas tangíveis e onerados, adquiridos, formados,
produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados pelas entidades do setor público,
que seja portador e represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro,
inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração econômica por
entidades do setor público e suas obrigações.

2- (ESAF / DNIT - Analista Administrativo / 2013) Assinale a opção


cujo conteúdo não indica um dos objetivos da contabilidade aplicada ao setor
público:
a) refletir o ciclo da administração pública.
b) fornecer informações para a instrumentalização do controle social.
c) demonstrar os resultados alcançados pela entidade do setor público.
d) apresentar os aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e
física do patrimônio da entidade pública.
e) evidenciar as mutações do patrimônio.

3- (FCC / PGE-BA - Analista de Procuradoria - Área de Apoio


Administrativo / 2013) O campo de aplicação da Contabilidade Aplicada ao
Setor Público, segundo as Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao
Setor Público NBC T 16, abrange:
a) todas as entidades do setor público.
b) as organizações da sociedade civil de interesse público.

Prof. Luiz Airosa 57 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
c) todos os órgãos e entidades da Administração pública direta e indireta,
exceto as empresas estatais dependentes.
d) as fundações privadas sem fins lucrativos
e) as autarquias, parcialmente, e as empresas de economia mista,
integralmente.

4- (Cespe / SAD-PE - Analista de Controle Interno - Finanças


Públicas / 2010) Acerca do conceito, do objetivo e da especialidade da
contabilidade segundo as normas brasileiras de contabilidade aplicadas ao
setor público, assinale a opção correta.
a) A contabilidade aplicada ao setor público é o ramo da ciência contábil que,
no processo gerador de informações, põe em prática os princípios
fundamentais de contabilidade direcionados ao controle do orçamento público.
b) O campo da contabilidade aplicada ao setor público abrange todas as
entidades do setor público.
c) Os serviços sociais públicos devem observar, parcialmente, as normas e
técnicas próprias da contabilidade aplicada ao setor público para adotarem
procedimentos de prestação de contas e de instrumentalização do controle
social.
d) É classificada como unificada a unidade contábil que representa o
patrimônio das entidades do setor público na condição de pessoas jurídicas.
e) A soma, agregação ou divisão de patrimônio de uma ou mais entidades do
setor público não resulta em novas unidades contábeis.

5- (FEPESE / MPE-SC - Analista de Contas Públicas - Contabilidade /


2014) O sistema contábil está estruturado nos seguintes subsistemas de
informações:
a) Financeiro – registra, processa e evidencia os atos e os fatos relacionados
ao planejamento e à execução patrimonial.
b) Orçamentário – registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados ao planejamento e à execução financeira.
c) Custos – registra, processa e evidencia os custos dos bens e serviços,
produzidos e ofertados aos fornecedores pela entidade pública.
d) Patrimonial – registra, processa e evidencia os fatos financeiros e não
financeiros relacionados com as variações qualitativas e quantitativas do
patrimônio público.
e) Compreensão – registra, processa e evidencia os atos de gestão cujos
efeitos possam produzir modificações no patrimônio da entidade do setor
público, bem como aqueles com funções específicas de controle.

Prof. Luiz Airosa 58 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

6- (FCC / TCM-GO - Auditor de Controle Externo - Contábil / 2015) O


princípio fundamental de contabilidade para o ente público que se afirma pela
autonomia e responsabilização do patrimônio a ele pertencente, é o Princípio
da
a) Continuidade.
b) Entidade.
c) Competência.
d) Publicidade.
e) Transparência.

7- (FCC / TST - Analista Judiciário - Contabilidade / 2012) Com


relação aos princípios contábeis, sob as perspectivas do Setor Público, a base
indispensável à integridade e à fidedignidade dos processos de
reconhecimento, mensuração e evidenciação da informação contábil, dos atos
e dos fatos que afetam ou possam afetar o patrimônio da entidade pública,
observadas as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao Setor Público,
refere-se ao princípio da
a) Oportunidade.
b) Entidade.
c) Continuidade.
d) Competência.
e) Integridade.

8- (FCC / TCE-CE - Procurador de Contas / 2015) No encerramento do


exercício de 2014, determinada prefeitura municipal do Estado do Ceará, entre
alternativas igualmente válidas, preferiu registrar um valor menor para um
componente do passivo circulante, com o objetivo de melhorar seu resultado
patrimonial. Este procedimento fere o Princípio da
a) Fidedignidade.
b) Competência.
c) Integridade.
d) Prudência.
e) Oportunidade.

9- (FCC / TCE-AP - Analista de Controle Externo - Controle Externo /


2012) O ramo da ciência contábil que aplica, no processo gerador de

Prof. Luiz Airosa 59 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
informações, os Princípios de Contabilidade e as normas contábeis
direcionados ao controle patrimonial de entidades da administração direta, ou
indireta, a fim de fornecer aos usuários informações sobre os resultados
alcançados e os aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e
física do patrimônio da entidade e suas mutações, em apoio ao processo de
tomada de decisão; a adequada prestação de contas; e o necessário suporte
para a instrumentalização do controle social, cujo objeto é “o conjunto de
direitos e bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos,
formados, produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados por aquelas
entidades, que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente
ou futuro, inerente à prestação de serviços públicos ou à exploração
econômica por entidades do setor e suas obrigações, caracteriza,
hodiernamente, a contabilidade
a) societária.
b) de custos.
c) avançada.
d) rural.
e) pública.

10- (FCC / TRE-CE - Analista Judiciário - Contabilidade / 2012)


Segundo a norma brasileira de contabilidade no 16.1 e conforme Resolução
CFC no 1.128/08, alterada pela Res. CFC no 1.268/09, a citação "o ramo da
ciência contábil que aplica, no processo gerador de informações, os Princípios
de Contabilidade (Res. CFC no 1.282/10) e as normas contábeis direcionados
ao controle patrimonial de entidades do setor público", a fim de "fornecer aos
usuários informações sobre os resultados alcançados e os aspectos de
natureza orçamentária, econômica, financeira e física do patrimônio da
entidade e suas mutações, em apoio ao processo de tomada de decisão; a
adequada prestação de contas; e o necessário suporte para a
instrumentalização do controle social", cujo objeto é "o conjunto de direitos e
bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não, adquiridos, formados,
produzidos, recebidos, mantidos ou utilizados por aquelas entidades, que seja
portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro, inerente à
prestação de serviços ou à exploração econômica por entidades do setor e
suas obrigações", caracteriza a nova Contabilidade
a) Avançada.
b) Gerencial.
c) Governamental.
d) Integral.
e) Societária.

Prof. Luiz Airosa 60 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00

11- (FCC / TRE-CE - Analista Judiciário - Contabilidade / 2012) O


espaço de atuação do Profissional de Contabilidade que demanda estudo,
interpretação, identificação, mensuração, avaliação, registro, controle e
evidenciação de fenômenos contábeis, decorrentes de variações patrimoniais
em entidades do setor público; e/ou de órgãos, fundos e pessoas jurídicas de
direito público ou que, possuindo personalidade jurídica de direito privado,
recebam, guardem, movimentem, gerenciem ou apliquem dinheiro, bens e
valores públicos, na execução de suas atividades, equiparando-se, para efeito
contábil, às pessoas físicas que recebam subvenção, benefício, ou incentivo
fiscal ou creditício, de órgão público, no tocante aos aspectos contábeis da
prestação de contas, na Contabilidade Pública, refere-se ao
a) ramo científico.
b) método de custeio.
c) sistema de custos.
d) sistema de informações gerenciais.
e) campo de aplicação.

12- (FCC / TRT - 24ª REGIÃO (MS) - Analista Judiciário - Área


Administrativa / 2011) Considerando o campo de aplicação da
contabilidade aplicada à Administração Pública, é correto afirmar que aquela
NÃO se aplica
a) às autarquias.
b) às empresas estatais dependentes.
c) às fundações públicas de direito público.
d) às empresas estatais não dependentes.
e) ao poder legislativo.

13- (FCC / TCM-CE - Analista de Controle Externo - Inspeção


Governamental / 2010) Incluem-se no campo de aplicação da Contabilidade
Pública
a) os templos religiosos.
b) as fundações, ONGs e OSCIPs que usam recursos públicos.
c) as secretarias e órgãos das indústrias sucroalcooleiras.
d) as empresas de serviços hospitalares.
e) as associações de poupança e empréstimo.

Prof. Luiz Airosa 61 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
14- (FCC / TRF - 3ª REGIÃO - Analista Judiciário - Contadoria / 2014)
A consolidação intergovernamental das demonstrações contábeis forma uma
unidade contábil
a) originária.
b) consolidada.
c) descentralizada
d) unificada.
e) econômica.

15- (FCC / TCE-AM - Analista Técnico de Controle Externo - Auditoria


Governamental / 2013) De acordo com a NBCT 16.1, a soma, agregação ou
divisão do patrimônio de uma ou mais entidades do setor público resultam em
novas unidades contábeis. A unidade contábil é classificada em
a) unitária, descentralizada, unificada e consolidada.
b) originária, descentralizada, unificada e consolidada.
c) originária, centralizada, unificada e consolidada.
d) originária, descentralizada, unificada e integralizada.
e) unitária, centralizada, unificada e integralizada.

16- (FCC / TRF - 2ª REGIÃO - Analista Judiciário - Contadoria / 2012)


Em relação à conceituação, objeto e campo de aplicação da Contabilidade
Pública (NBC T 16.1), é correto afirmar:
a) O campo de aplicação da Contabilidade Pública consiste, exclusivamente,
nas variações patrimoniais em entidades do setor público, não se aplicando às
entidades que recebam, guardem ou gerenciem recursos públicos.
b) Consideram-se recursos controlados pelo ente público somente os ativos de
sua propriedade.
c) A Contabilidade aplicada ao Setor Público não aplica os Princípios
Fundamentais de Contabilidade no controle das variações patrimoniais das
entidades do setor público.
d) O objeto da Contabilidade aplicada ao Setor Público é o patrimônio das
empresas estatais que dependem de recursos públicos para a execução de seu
objeto social.
e) Unidade Contábil Originária representa o patrimônio das entidades do setor
público na condição de pessoas jurídicas.

Prof. Luiz Airosa 62 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
17- (FCC / TRE-AL - Analista Judiciário - Contabilidade / 2010) De
acordo com a Norma Brasileira de Contabilidade Aplicada ao Setor Público -
NBC T 16.1, a Unidade Contábil Consolidada é aquela que representa a soma
ou a agregação do patrimônio de duas ou mais Unidades Contábeis
a) Unificadas.
b) Descentralizadas.
c) Originárias.
d) Isoladas.
e) Conjuntas.

18- (FCC / TRT - 16ª REGIÃO (MA) - Analista Judiciário -


Contabilidade / 2014) De acordo com as Normas Brasileiras de
Contabilidade Aplicadas ao Setor Público - NBC - T 16.2, o sistema contábil
está estruturado em subsistemas de informações. Considerando as contas
contábeis do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, é correto afirmar que
o registro contábil de determinado contrato de serviços, quando a
Administração pública participa como contratante, pertence ao subsistema de
informações
a) financeiro.
b) orçamentário.
c) patrimonial.
d) passivo circulante.
e) compensação.

19- (FCC / TCE-PI - Auditor Fiscal de Controle Externo / 2014) Sobre a


Contabilidade Aplicada ao Setor Público, em conformidade com as Normas
Brasileiras de Contabilidade (NBC T 16), é correto afirmar que
a) as normas e técnicas próprias deste ramo da ciência contábil devem ser
observadas integralmente por todas as entidades que de qualquer forma
recebam, guardem, movimentem, gerenciem ou apliquem dinheiros, bens e
valores públicos, na execução de suas atividades.
b) o seu objeto é o Patrimônio Público que se estrutura em quatro grupos:
ativos, passivos, variações quantitativas diminutivas e variações quantitativas
aumentativas.
c) a classificação dos elementos patrimoniais considera a segregação em
circulante e não circulante, com base em seus atributos de conversibilidade e
rentabilidade.

Prof. Luiz Airosa 63 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
d) o sistema contábil está estruturado nos seguintes subsistemas de
informações: orçamentário, patrimonial, custos e compensação.
e) o objetivo é gerenciar os resultados alcançados e tomar decisões sobre os
aspectos de natureza orçamentária, econômica, financeira e física do
patrimônio da entidade do setor público e suas mutações.

20- (FCC / AL-PE - Analista Legislativo - Contabilidade / 2014)


Considere as afirmativas sobre o Sistema Contábil.
I. Representa a estrutura de informações sobre identificação, mensuração,
registro, controle, evidenciação e avaliação dos atos e dos fatos da gestão do
patrimônio público.
II. Tem por objetivo orientar e suprir o processo de decisão, a prestação de
contas e a instrumentalização do controle social.
III. Está estruturado nos seguintes subsistemas de informações:
orçamentário, financeiro, patrimonial, de custos e de compensação.
IV. É composto por três grupos: ativos, passivos e patrimônio líquido.
De acordo com a NBC T 16.2, está correto o que se afirma APENAS em
a) I e II.
b) II e III.
c) III e IV.
d) II e IV.
e) I e III.

21- (FCC / MPE-MA - Analista Ministerial - Contador / 2013) O sistema


contábil, nos termos das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicada ao
Setor Público, está estruturado em subsistemas de informações. Dentre eles, é
correto afirmar:
a) compensação - registra, processa e evidencia os atos de gestão cujos
efeitos produzam variações qualitativa e quantitativa no patrimônio público.
b) orçamentário - registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados aos ingressos e aos desembolsos financeiros.
c) patrimonial - registra, processa e evidencia os fatos financeiros e não
financeiros relacionados com as variações qualitativas e quantitativas do
patrimônio público.
d) fluxo de caixa - registra, processa e evidencia os atos e os fatos
relacionados aos ingressos e aos desembolsos financeiros de natureza
orçamentária e extra orçamentária.

Prof. Luiz Airosa 64 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
e) variações patrimoniais - registra, processa e evidencia os atos de gestão
cujos efeitos produzam alterações ou modificações no patrimônio público.

22- (FCC / TST - Analista Judiciário - Contabilidade / 2012) A


Contabilidade Aplicada ao Setor Público é organizada na forma de sistema de
informações. Com relação às Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao
Setor Público, o sistema contábil está estruturado, sequencialmente, nos
seguintes subsistemas:
a) orçamentário, financeiro, patrimonial, compensação e demonstração das
variações patrimoniais.
b) balanço patrimonial, orçamentário, financeiro, demonstração das variações
patrimoniais, demonstração dos fluxos de caixa e demonstração do resultado
econômico.
c) balanço patrimonial, orçamentário, financeiro e demonstração das variações
patrimoniais.
d) orçamentário, patrimonial, custos e compensação.
e) orçamentário, patrimonial, gestão e controle.

23- (FCC / TCE-PR - Analista de Controle / 2011) De acordo com as


Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas a Setor Público - NBCASP, o
sistema contábil público estrutura-se nos seguintes subsistemas de
informações:
a) Financeiras, Variações Patrimoniais e Controle Interno.
b) Orçamentárias, Financeiras, Custos e Gestão Fiscal.
c) Balanço Orçamentário, Financeiro, Patrimonial e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
d) Ativo, Passivo, Patrimônio Líquido, Compensação e Demonstração das
Variações Patrimoniais.
e) Orçamentárias, Patrimoniais, Custos e Compensação.

24- (Cespe / Polícia Científica - PE – Perito Criminal / 2011) Conforme


o disposto nas Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao setor público,
o objeto da CASP é
a) um conjunto de procedimentos administrativos que objetivam adquirir
materiais, contratar obras e serviços, alienar ou ceder bens a terceiros,
observando os princípios da administração pública.
b) a mensuração, a estruturação e as variações que geram reflexos no
patrimônio público, além de apresentar temas específicos, como o sistema de
custos.

Prof. Luiz Airosa 65 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
c) determinar os valores pelos quais os elementos patrimoniais devem ser
reconhecidos e apresentados nas demonstrações contábeis.
d) o conjunto de direitos e de bens, tangíveis ou intangíveis, onerados ou não,
que seja portador ou represente um fluxo de benefícios, presente ou futuro,
inerente à prestação de serviços públicos ou a exploração econômica por
entidades do setor público e suas obrigações.
e) o orçamento público, contendo a discriminação da receita e da despesa de
forma a evidenciar a política econômico-financeira e o programa de trabalho
do governo.

25- (Cespe / TCE-SC – Auditor Fiscal de Controle Externo / 2016) A


respeito do campo de aplicação e dos objetivos da contabilidade pública,
julgue o item a seguir.
Os objetivos da contabilidade aplicada ao setor público incluem informar os
usuários da informação contábil relativa às mutações do patrimônio das
entidades do setor público.

26- (FCC / TRT-MT – Analista Judiciário - Contabilidade / 2016) No


que tange os princípios contábeis, sob a perspectiva do setor público, nas
estimativas de valores que afetam ao patrimônio, o procedimento de
mensuração que preferir montantes menores para ativos, entre alternativas
igualmente válidas, e valores maiores para passivos, atende o princípio de
contabilidade da
a) entidade.
b) razoabilidade.
c) cautela.
d) prudência.
e) competência.

27- (FCC / Prefeitura de Teresina - PI – Técnico de Nível Superior /


2016) A observância dos Princípios de Contabilidade é obrigatória no exercício
da profissão e constitui condição de legitimidade das Normas Brasileiras de
Contabilidade − NBC. Segundo a Resolução CFC nº 1.111/2007, sob a
perspectiva do setor público, a autonomia patrimonial que tem origem na
destinação social do patrimônio e a responsabilização pela obrigatoriedade da
prestação de contas pelos agentes público, refere-se ao princípio da
a) continuidade.
b) legalidade.
c) oportunidade.
d) transparência.

Prof. Luiz Airosa 66 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
e) entidade.

28- (CESGRANRIO / ANP – Técnico Administrativo / 2016) Os


Princípios de Contabilidade Pública estão estabelecidos em normas que são
obrigatórias para todos os órgãos e entidades da administração direta e da
administração indireta dos entes da Federação, incluindo seus fundos,
autarquias, fundações e empresas estatais dependentes.
Nesse contexto, o Princípio de Contabilidade que, sob as perspectivas do Setor
Público, no âmbito da entidade pública, está vinculado ao estrito cumprimento
da destinação social do seu patrimônio é o Princípio da
a) Competência
b) Continuidade
c) Entidade
d) Oportunidade
e) Prudência

29- (Cespe / DPU – Contador / 2016) A respeito dos eventos


personificados como regulares pela ciência contábil aplicada ao setor público,
julgue o item a seguir.
De acordo com o princípio da prudência, presume-se cautela para evitar que o
grau variável das incertezas contribua para diminuir a confiabilidade do
processo de mensuração e de apresentação dos controles estruturados contra
fraudes nos registros patrimoniais.

30- (FCC / DPE – RR - Contador / 2015) Na NBC T 16.1, o campo de


aplicação informa quais entidades devem aplicar as regras da Contabilidade
Aplicada ao Setor Público. Segundo essa Norma, NÃO estão sujeitas a estas
regras
a) os órgãos dos Poderes legislativo e judiciário.
b) as organizações não governamentais que recebem recursos públicos.
c) as fundações públicas de natureza de direito público.
d) as empresas públicas não classificadas como empresas estatais
dependentes.
e) as autarquias, os serviços sociais e os conselhos profissionais.

Prof. Luiz Airosa 67 de 68


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Contabilidade Pública p/ TCM-RJ
Teoria e Questões comentadas
Prof. Luiz Airosa - Aula 00
7. Gabarito

1 B 9 E 17 C 25 Certo
2 A 10 C 18 E 26 D
3 A 11 E 19 D 27 E
4 B 12 D 20 A 28 B
5 D 13 B 21 C 29 Errado
6 B 14 B 22 D 30 D
7 A 15 B 23 E - -
8 D 16 E 24 D - -

Prof. Luiz Airosa 68 de 68


www.exponencialconcursos.com.br