Você está na página 1de 10

FAHESA - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS, ECONÔMICAS E DA SAÚDE

ITPAC – INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS S/A


Rua NS B Quadra 202 Sul 77020-452 – Tocantins - (63)3025-8026 (63)3025-8014-
www.itpacpalmas.com.br

PROTOCOLOS EXPERIMENTAIS
Curso: Odontologia
1°Período
Disciplina: Morfologia Geral – Prof. Msc. Fabiana Ferreira Alves
Sistema Nervoso (Encéfalo, nervos cranianos e medula espinal, nervos
espinais )
O sistema nervoso está constituído por órgãos situados na cavidade craniana
(encéfalo) e canal vertebral (medula espinhal), constituindo o Sistema Nervoso
Central (SNC), e por órgãos fora destas cavidades, constituindo o Sistema Nervoso
Periférico (SNP).
A cavidade craniana, delimitada por 8 ossos, contém o encéfalo envolvido por
3 membranas meníngeas (dura-máter, aracnóide e pia-máter) dispostas
concentricamente. O encéfalo é constituído pelo cérebro, tronco encefálico e
cerebelo. O cérebro, por sua vez, é constituído pelos hemisférios cerebrais e pelas
seguintes estruturas diencefálicas: tálamo, hipotálamo, epitálamo e subtálamo.
Os hemisférios cerebrais, direito e esquerdo, constituídos por substâncias
branca (em seu centro) e cinzenta (em sua periferia e também em algumas regiões
do seu centro) são providos de sulcos em sua superfície, disto resultando sua
divisão em lobos, giros, áreas e centros corticais. A substância cinzenta disposta na
periferia do hemisfério cerebral constitui o córtex cerebral e aquelas envolvidas pela
substância branca são denominadas de núcleos.
Hoje sabemos que, a percepção de todos os fenômenos e todas as nossas
ações conscientes são processadas no córtex cerebral. Também o grau de
consciência, que varia nos estados de coma, sono e vigília, depende da intensidade
da atividade cortical. Esta pode ser determinada pelo eletroencefalograma. A
ingestão ou inalação de drogas, como determinados medicamentos, álcool,
maconha, cocaína, crack, cola de sapateiro, etc., alteram a atividade do córtex
cerebral, não só interferindo no grau de consciência, mas também provocando
alucinações, perturbações emocionais e dependência.
Na parede lateral da cavidade diencefálica (3º. ventrículo) o sulco
hipotalâmico separa o tálamo do hipotálamo. Os tálamos, duas massas de tecido
nervoso em forma de ovo, contêm estações para todas as vias sensitivas, gerais e
especiais, exceto a da olfação. Também contém estações para o SARA (Sistema
Ativador Reticular Ascendente), para ativação do córtex cerebral (manutenção da
vigília), além de estações para execução e controle dos movimentos.
O hipotálamo, situado nas paredes laterais e assoalho do 3º. ventrículo, está
conectado à hipófise por feixes de fibras nervosas secretoras de ADH (Hormônios
Anti-Diurético), oxitocina e fatores de liberação para controle da atividade hipofisária.
Também contém os centros da fome, da sede, do simpático, do parassimpático, etc.
O epitálamo situa-se na região posterior do diencéfalo, acima do sulco
hipotalâmico e posteriormente ao tálamo. Contém a glândula pineal, cujo hormônio
regula o ciclo circardiano de sono e vigília, e estruturas pertencentes ao sistema
límbico, portanto envolvidas com o controle das emoções.
O tronco encefálico, formado pelo mesencéfalo, ponte e bulbo, encontra-se
adiante do cerebelo, abaixo do diencéfalo e contínuo com a medula espinhal ao
nível do forame magno. Sua substância cinzenta (central) constitui os núcleos
sensitivos e motores dos 10 pares de nervos cranianos e parte da substância ou
formação reticular.
No bulbo a formação reticular está representada pelos centros vasomotor e
respiratório, responsáveis respectivamente pelos controles dos batimentos cardíacos
e frequência respiratória. Determinadas áreas da formação reticular no bulbo e na
ponte são centros do vômito.
No mesencéfalo a formação reticular está em parte representada pelo SARA,
cujos impulsos mantêm o estado de vigília.
O cerebelo, situado posteriormente ao tronco encefálico e abaixo do lobo
occipital, apresenta substância cinzenta na periferia, constituindo o córtex cerebelar,
e massas mergulhadas na substância branca central, constituindo os núcleos
centrais do cerebelo. É responsável pela manutenção do equilíbrio e da postura do
corpo, bem como pelo controle da execução dos movimentos voluntários e
automáticos. Estas funções ficam muito prejudicadas quando se está embriagado.
A medula espinhal tem forma cilíndrica e encontra-se no interior do canal
vertebral envolvida pelas 3 membranas meníngeas: dura-máter, aracnoide e pia-
máter. Está conectada aos 31 pares de nervos espinhais através de seus 31
segmentos (8 cervicais, 12 torácicos, 5 lombares, 5 sacrais e 1 coccígeo). Sua
substância cinzenta (central) tem forma da letra H. Em seu corno posterior estão
dispostos os corpos celulares do segundo neurônio das vias das sensibilidades
gerais. Em seus cornos lateral e anterior encontramos, respectivamente, os corpos
celulares dos neurônios motores viscerais (simpáticos e parassimpáticos) e
somáticos. Sua substância branca (periférica), distribuída nos funículos anterior,
lateral e posterior, está constituída pelas fibras nervosas sensitivas (ascendentes) e
motoras (descendentes).

OBJETIVOS

 Fazer o reconhecimento dos vários aspectos macroscópicos do encefálo e


medula espinal;

PROCEDIMENTOS

Material utilizado
1ª Estação
 Peça sintética (Sistema nervoso)
 Fotocópia
2ª Estação
 Peça sintética (Cérebro neuro-anatômico)
3ª Estação
 Peça sintética (Sistema nervoso encéfalo)
4ª Estação
 Peça sintética (Sistema nervoso encéfalo)
5ª Estação
 Peça sintética (medula espinhal com terminações nervosas)
Metodologia
A turma será dividida em dois grupos e executaram as tarefas em pequenos
grupos de acordo com as estações:
Cada grupo deverá eleger:
01- Presidente: irá organizar o grupo;
02- Secretário: irá colher as informações e fazer as anotações;
03- Orador: irá ler as instruções;
04- Pesquisadores: irão pesquisar as informações por meio de livro texto.
Obs.: A cada estação haverá troca das funções pelos integrantes do grupo.

1ª Estação
A. Identificar o Encéfalo
Hemisfério direito e esquerdo
Cerebelo
Lobos: frontal, parietal, temporal, occipital, ínsula
Saliência-giro
Reentrâncias- sulco
Sulco central
Anterior: giro pré central
Posterior: giro pós central

Corte sagital
Corpo caloso
Fornex
3 ventrículo: plexo corioide – líquor
4ventrículo
Tálamo
Hipotálamo-homeostase
Glândula hipófise
Cerebelo
Tronco encefálico

B. Identificar o Tronco encefálico:


Tronco encefálico
Partes: Bulbo, Ponte e Mesencéfalo
Faces: anterior, posterior e duas laterais

Face Anterior:
Bulbo
Fissura mediana anterior, sulco ântero-lateral (origem aparente do XII par
craniano), pirâmide, decussação das pirâmides, oliva, sulco bulbopontino (origem
aparente dos VI, VII, VIII pares cranianos).
Ponte
Sulco basilar, pedúnculo cerebelar médio (origem aparente do V par craniano),
sulco pontemesencefálico
Mesencéfalo
Pedúnculo cerebral, fossa interpeduncular

Face Posterior
Mesencéfalo: colículos superior e inferior
Bulbo e ponte: pedúnculo cerebelar médio, fossa rombóide (assoalho do quarto
ventrículo)

2ª Estação
C. Identificar Cerebelo

Externamente
Forma: cônica
Faces: anterior, póstero-superior, póstero-inferior
Partes: hemisférios cerebelares e verme do cerebelo

3ª Estação
D. Identificar as seguintes estruturas presentes no Diencéfalo:

Tálamo: Aderência Intertalâmica, Sulco Hipotalâmico


Epitálamo: Glândula Pineal
Hipotálamo: Nervo Óptico, Quiasma Óptico, Trato Óptico, Glândula Hipófise
Terceiro ventrículo

4ª Estação
E. Identificar as estruturas do telencéfalo:

Faces: Súpero-Lateral, Medial e Inferior


Sulcos: Central, Lateral, Parieto-Occipital
Lobos: Frontal, Parietal, Temporal, Occipital e Ínsula
Face Medial: Corpo Caloso
Ventrículos laterais

5ª Estação
F. Identificar as estruturas da Medula Espinhal

Localização: canal medular


Limite: superior ( forame magno) inferior (L1-L2)
Cone medular; filamento terminal; cauda equina
Proteção: Meninges: dura-máter, aracnóide e pia-máter

Forma: cilíndrica, com achatamento no sentido ântero-posterior


Faces: anterior, posterior e duas laterais
Face Anterior: fissura mediana anterior
Face Posterior: sulco mediano posterior
Intumescência cervical e lombossacral

Internamente:
Periferia- substância branca: funículos anterior, lateral e posterior (vias
medulares, axônios, fibras mielínicas);
Central- Substância cinzenta: colunas anterior (neurônios motores), lateral
(neurônios do SNA) e posterior ( neurônios sensitivos); (corpos de neurônios,
fibras amielínicas)
Canal central

Nervo espinhal
Misto Motora sensitiva
Plexos, nervos periféricos
raiz ventral (motores), raiz dorsal (sensitivo)
Ganglios espinhais
Discussão
1. Quantos nervos cranianos tem origem do tronco encefálico? Quais são os
nervos cranianos que não apresentam esta origem?
2. Qual é a maior parte do encéfalo?
3. Quais são as três camadas de meninges cranianas, da mais superficial para a
mais profunda?
4. Qual é a importância dos pedúnculos cerebrais?
5. Quais estruturas contêm os axônios que trazem e levam informações do
cerebelo?
6. Que estrutura geralmente conecta as metades do tálamo?
7. Que área(s) do telencéfalo (cérebro) integra(m) a interpretação de estímulos
visuais, auditivos e somáticos? Transforma pensamentos em fala? Controla
os movimentos musculares complexos? Interpreta sensações relacionadas
com a gustação? Interpreta o timbre e o ritmo? Interpreta a forma, a cor e os
movimentos dos objetos? Controla os movimentos oculares voluntários de
perseguição?
8. Quais são os limites da medula espinal?
9. Por que a medula não ocupa todo o canal vertebral?
10. Quais são os componentes do H medular?
11. Quais são os tractos aferentes e eferentes da medula espinal?
12. Onde se manifestaria a sintomatologia de secção de várias alturas da
medula?
13. Qual a função dos invólucros meníngeos e do líquor?

REFERÊNCIA

1. NETTER, Frank H. Atlas de anatomia humana. 6.ed. Rio de Janeiro:


Elsevier,2015. 640 p.
2. TORTORA, G., DERRICKSON, Bryan. Princípios de Anatomia e Fisiologia:
Sistema nervoso ;14ª edição. Guanabara Koogan, 02/2016 pag. 404-447/
478-527
3. MOORE, Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7.ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2014, 1136 p.
4. DANGELO, José Geraldo; FATTINI, Carlo Américo. Anatomia humana
sistêmica e segmentar. 3.ed. São Paulo: Atheneu, 2011. 757p.

1-Figura do encéfalo para identificação das estruturas: (1ªestação)