Você está na página 1de 12

Alexia Brotto Cessetti

Direito Processual Civil


Noções Gerais de Processo Civil
Aula 2

PROCESSO E O DIREITO MATERIAL

O Direito Processual não se confunde com o


Direito Material. O fato do processo civil ser
AUTÔNOMO não significa que ele possa ser
neutro ou indiferente às variadas situações de
direito substancial (Marinoni, Arenhart,
Mitidiero)
Aula 2

CONCEITO DE PROCESSO

Positivista: instrumento pelo qual a jurisdição é


exercida
“Procedimento que permite o exercício da
função jurisdicional” (Marinoni e Arenhart)
Aula 2

Pós-positivista: procedimento que atendendo


aos ditames da Constituição, permite que o juiz
exerça sua função jurisdicional
“Instrumento de exercício da jurisdicção
impregnado de todas as garantias
fundamentais” (Greco)
“Instituição pública constitucionalizada” (Leal)
Aula 2

TEORIAS PROCESSUAIS

- Teorias privatistas (Ulpiano, Rousseau)


- Processo como contrato;
- Processo como quase contrato

- Teoria da relação jurídica processual (Oscar


von Büllow)
Aula 2

- Teoria do Processo como situação jurídica


(Goldschmidt): relação jurídica de direito
material, não havendo direitos processuais,
senão mera expectativa de se obter vantagem

- Teoria do Processo como instituição (Eduardo


Couture)
Aula 2

- Teoria do Processo como procedimento em


contraditório (Elio Fazzalari)

- Teoria do Processo como categoria complexa


(Candido Rangel Dinamarco)

- Teoria do Processo como categoria jurídica


autônoma (Afranio Silva Jardim)
Aula 2

- Teoria da Instrumentalidade do Processo


Acessibilidade a todos e a todas as espécies de
demandas, contemplando todas as garantias
asseguradas pelo ordenamento jurídico.
“A instrumentalidade não deve ser um fim em si
mesma, mas um meio para atender às
necessidades do povo (jurídica, social e política)”
(Dinamarco)
Aula 2

Assim, o PROCESSO é:

“um conjunto de atos realizados sob o crivo do


contraditório, que cria uma relação jurídica da
qual surgem deveres, poderes, faculdades, ônus
e sujeições para as partes que dela participam”
(Pinho)
Aula 2

Trata-se de uma CATEGORIA JURÍDICA


AUTÔNOMA (Arruda Alvim) que:

“garante a realização da justiça e efetivação dos


direitos, já que somente mediante este
instrumento, as partes poderão garantir sua
participação” (Dinamarco)
Aula 2

Visa sempre a EFETIVIDADE:

“sob a ideia de adequar a providência


jurisdicional às necessidades concretas das parte
interessada” (Wambier)

Há uma ênfase em um processo garantista,


pautado pelo direito constitucional