Você está na página 1de 38

O SISTEMA TRIBUTÁRIO NO

BRASIL: reformas e mudanças


Guilherme José Garmatter Rocha
Kaiuã Dubyna Costa
Victor Hitoshi Adati
REGIME FEDERALISTA
• Três princípios:
• Alocação eficiente dos recursos nacionais
• Aumento da participação política da sociedade
• Proteção das liberdades básica e dos direitos individuais dos cidadãos

• Estrutura de governo a mais descentralizada possível

• Capaz de internalizar todas as externalidades


REGIME FEDERALISTA
• Federalismo econômico
• Políticas decididas pelo “planejador” central

• Federalismo cooperativo
• Políticas decididas pelos representantes eleitos de cada membro da federação por
decisão unânime

• Federalismo democrático
• Políticas decididas pelos representantes eleitos de cada membro da federação por
decisão de maioria simples
FEDERALISMO BRASILEIRO
• Federalismo econômico
• Concentração excessiva no poder central em virtude ao poder exercido pelo Presidente
da República.

• Mudanças de relações intergovernamentais nos anos 90:


• Recentralização de receita promovida pela União

• A provisão pública de educação e saúde

• A Lei de Responsabilidade Fiscal


COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA
• Escolha ótima para governo central:
• Impostos sobre fatores de produção com grande mobilidade

• Impostos relacionados com base na origem (IRPJ)

• Impostos sobre recursos naturais

• Implementação da equalização horizontal entre os governos subnacionais

• Transferência vertical dos recursos


COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA
• Escolha ótima para governo subnacionais:
• Impostos sobre fatores de produção sem mobilidade

• Impostos relacionados com base na residência ou destino (valor adicionado do tipo


consumo, IRPF...)

• Harmonização versus Concorrência Tributária


COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA
• Escolha ótima para governo subnacionais:
• Impostos sobre fatores de produção sem mobilidade

• Impostos relacionados com base na residência ou destino (valor adicionado do tipo


consumo, IRPF...)

• Harmonização versus Concorrência Tributária


SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
• Sistema tributário deve ter como objetivo:
• Eficiência
• Simplicidade
• Flexibilidade
• Transparência
• Equidade
• Federalismo Fiscal

• Duas reformas tributárias: décadas de 60 e 80.


SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
• Reforma de 1966
• Eliminar o grande déficit fiscal da época e estimular o investimento visando crescimento
acelerado
• Criação de impostos únicos com objetivo de financiar a infraestrutura nacional

• Reforma de 1988
• Desconcentração da receita disponível do setor público
• Extinção dos impostos únicos
• Criação do IGF
• Aumento da transferência vertical e intensificou a descentralização do federalismo fiscal
SISTEMA TRIBUTÁRIO BRASILEIRO
• Em conclusão as três bases tributárias foram distribuídas:

• Renda para a União

• Consumo para os estados

• Propriedade para os munícipios


Contribuições Federais
• Constituição veda a vinculação de receita de impostos a órgãos,
fundos ou despesas, exceto nos casos estabelecidos no artigo 212 da
mesma, que obriga a União a aplicar o mínimo de 18% de sua receita
tributária líquida em educação

• Na prática, no entanto, as contribuições sociais são impostos


vinculados a órgãos, fundos e despesas específicas, como veremos a
seguir
Contribuições Federais - INSS
• A contribuição social mais importante em termos de receita no Brasil é a
contribuição para a previdência social, que é paga tanto por empregados
quanto empregadores e é calculada com base na folha de pagamento

• Os empregados pagam de acordo com seu salário de contribuição em 3


alíquotas diferentes: 7,65%; 8,65%; 9% e 11%.

• As empresas pagam uma alíquota fixa de 20% sobre o total pago a todos os
empregados, sendo que as instituições financeiras pagam 22,5%
Contribuições Federais - INSS
• O décimo terceiro salário também é incluso para o cálculo do imposto

• Para os contribuintes rurais o recolhimento é feito com base no valor


da produção comercializada, em alíquotas de 2,1% e 2,6%
Contribuições Federais - Cofins
• É recolhida por pessoas Jurídicas

• Incide sobre a RECEITA BRUTA mensal das empresas a uma alíquota


de 7,6% com isenção a entidades sem fins lucrativos, exportadores
tanto de produtos como serviços e instituições financeiras
Contribuições Federais – PIS/Pasep
• O programa de integração social(PIS) e o Programa de Formação do
Patrimônio do Servidor Público foram modificados na constituição de
88 e tem no mínimo 40% dos recursos destinados ao BNDES e o
restante destinado ao financiamento do seguro desemprego e abono
salarial.

• Cada contribuinte paga uma alíquota específica sobre a receita


operacional bruta, variando de 0,65% a 1%.
Contribuições Federais – CSLL
• A contribuição social sobre o lucro líquido das empresas(CSLL) foi
criado na constituição de 88 e tem como base o resultado do
exercício encerrado no dia 31 de dezembro de cada ano e incide antes
do imposto de renda.

• A alíquota é de 9% para empresas e 23% para instituições financeiras


sob a justificativa de as instituições financeiras não pagarem Cofins.
Contribuições Federais – CPMF
• Foi inspirada no Imposto Provisório sobre movimentação Financeira
(IPMF)

• A introdução de uma nova base(transações financeiras), a agilidade


na cobrança e a dificuldade de sonegação tornaram muito atrativa a
permanência deste tributo.

• Isso, atrelado a pressões políticas levou o governo a recriar o imposto


sob a roupagem de uma nova contribuição e com o destino exclusivo
para o financiamento e custeio da saúde
Contribuições Federais – CPMF
• Era cobrada sobre qualquer lançamento a débito realizado por uma
instituição financeira, com algumas exceções a fim de evitar cobrança
sobre operações livres de impostos e não a tornar inconstitucional

• Foi estabelecida em outubro de 1996 com alíquota de 0,20% e prazo


de duração de 13 meses.

• Foi prorrogada diversas vezes, passou por aumento de alíquota,


mudança no destino dos rescursos e no final só deixou de existir
realmente em 2004.
Contribuições Federais – CIDE
• Contribuição de Intervenção no Domínio econômico

• É o mais recente imposto criado pelo governo, sendo instituída em


2001

• Incide sobre importação e comercialização de combustíveis em geral

• Pago pelo importador, produtor e formulador. Cobrado em valor fixo


sobre o m³
Sistema Simples
• Foi criado em 1996 com o objetivo de fazer uma simplificação
tributária para empresas de pequeno porte

• Unifica os impostos IRPJ, PIS-pasep, CSLL, Cofins, IPI, e Contribuições


dos Empregados para a Seguridade Social

• Caso o município tenha convênio com a União poderá incluir também


o ISS e ICMS
Sistema Simples
• Para aderir o simples a microempresa ou empresa de pequeno porte
não pode ter o faturamento ultrapassando 120.000 ou 1.200.000
respectivamente

• Não pode ser instituição financeira ou trabalhar em ramos específicos


como o imobiliário, por exemplo e nem estar inscrito na dívida ativa
da União.
Transferências Intergovernamentais
• São transferências que o governo faz entre si mesmo

• Podem ser verticais, entre diferentes níveis de governo(estado, municípios)


ou horizontais

• Ocorrem por meio de leis ou convênios entre as diferentes esferas de


governo. Quando por convênio a finalidade pode ser para a realização de
obras, por exemplo.

• São quase muito técnicas, com centenas de alíquotas e origens diferentes


Esse número tende a aumentar ainda mais com a criação de novas leis.
DIAGNÓSTICO DO SISTEMA TRIBUTÁRIO
ANTES DA REFORMA DE 2003
IMPOSTO SOBRE VALOR ADICIONADO
• Incide sobre a despesa ou o consumo e tributa o "valor acrescentado"
das transações efetuadas pelo contribuinte. Não é cumulativo, pois é
liquidado em todas as fases do circuito econômico e fraccionado
pelos vários intervenientes (do produtor ao vendedor).

• Dois tipos no Brasil (segundo autor): IPI e ICMS

• Arranjo decorrente da utilização de impostos indiretos


• Administração tributária complexa
• IOF - Imposto sobre Operações Financeiras
• 1966 - Instrumento de política econômica
• BACEN
• 1980 - Tesouro Nacional
• CPMF - Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira
• Boa arrecadação, baixo custo, simples de administrar
• Não afeta tanto a população de baixa renda que não utiliza serviços bancários
• CIDE - Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico
• 2001 - imposto único sobre combustíveis
• Federal, insumo importante
IMPOSTOS CUMULATIVOS
• Reforma de 1988: elevou carga tributária global
• Afeta a atividade produtiva do país
• Grande participação dos tributos cumulativos
• PIS, Cofins, CPMF, ISS
REFORMA TRIBUTÁRIA 2003
• Anos 90: diversas tentativas de reforma tributária

• 2003: Emenda constitucional para reforma tributária (PEC 41/2003).


• Elevar a eficiência econômica e a competitividade
• Minorar a regressividade
• Reduzir a evasão fiscal e a informalidade
• Simplificar
• Eliminar a guerra fiscal
PRINCIPAIS PONTOS
• DRU - Desvinculação de Receitas da União
• Governo federal poderia utilizar livremente 20% das receitas de impostos e contribuições
federais
• CIDE
• 25% repassado para estados e municípios (3/1)
• CPMF
• Vigência até 2007 com alíquota máxima de 0,38% e mínima de 0,08%
• Receita inteira da União e vinculada à seguridade social
• 0,2% saúde; 0,1% previdência; 0,08% fundo de combate à pobreza
• ITR
• Transferido da União aos municípios por meio de convênio
• Sem estrutura para cobrança = 50% do valor arrecadado pela União
• IPVA
• Imposto com alíquotas mínimas fixadas pelo Senado Federal
ELEIÇÕES 2018
• Até 5 salários mínimos: Isenção IR
• Alíquota única de 20% no IR
• Imposto Unificado sobre Pagamentos (IUP): 1,14%
• Eliminaria:
• Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)
• Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
• Contribuições previdenciárias patronais
• Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)
• Imposto Territorial Rural (ITR)
EM 2019...
• PEC 45/2019 - Câmara
• Unificação de 5 tributos: IPI, PIS, COFINS, ICMS, ISS
• Substituído pelo IBS - Imposto sobre Bens e Serviços
• Base de cálculo uniforme no país mas autonomia para fixar alíquotas
• Criação de um imposto seletivo federal
• Bens e serviços cujo consumo deseja desestimular
• PEC 110/2019 - Senado
• Extingue 9 tributos: IPI, PIS, COFINS, ICMS, ISS, IOF, PASEP, salário-educação e
CIDE-Combustíveis
• Criação de um IVA - Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS)
• Criação de um Imposto Seletivo, federal
• Petróleo e derivados
• combustíveis e lubrificantes
• cigarros
• energia elétrica e serviços de telecomunicações
• Extingue CSLL (incorporado pelo IR)
• ITCMD passa a ser de competência federal com receita destinada aos
municípios
• IPVA incide sobre aeronaves e embarcações
• Exclui veículos comerciais destinados à pesca e ao transporte público de maior
capacidade
• PROPOSTA DO GOVERNO
• Criação de Imposto Único (sobre bens e serviços)
• Reformulação do Imposto de Renda
• Implementação de uma Contribuição sobre Pagamentos (CP) [CPMF]