Você está na página 1de 3

Conteúdos Complementares

CC 12 C

Cultura/culturas

Noção de cultura

Mischa Titiev usa o termo


1 as crenças, que contemplam, entre outras, as diferentes religiões (hinduísmo,
cultura “para descrever cristianismo, judaísmo, etc.), as ideologias políticas (liberalismo, socialismo,
a anarquismo, etc.) e as ideias acerca da natureza humana (humanismo,
série completa de instru-
existencialismo, racionalismo, etc.);
mentos não genetica-
mente adquiridos pelo 2 as teorias e os corpos de conhecimentos onde podemos, por exemplo, incluir a
ser humano, assim como ciência moderna e as suas disciplinas, mas também as diversas astrologias e
as todas as facetas do com-
portamento adquiridas várias medicinas alternativas (por exemplo, a acupunctura ou a homeopatia);
após o nascimento”.
3 as múltiplas construções e objetos produzidos, quer sejam construções
complexas, como casas, satélites, pontes, estradas, computadores, edifícios
de
culto, ou produções mais simples, como garfos, roupas, garrafas, sapatos, etc.;
4 os valores atribuídos a determinados comportamentos (ao trabalho, ao uso de
drogas, ao exercício físico, à atividade sexual, etc.), qualidades (à beleza, à
criatividade, à inteligência, à preguiça, à insolência, etc.) ou objetos (ao
telemóvel, ao cigarro, à gravata, à cadeira elétrica, etc.);
5 as leis e normas consideradas importantes para regular a vida em comum (por
exemplo, as regras de trânsito, as leis de imigração, as convenções de direitos
humanos, as regras para a escolha de um parceiro sexual, etc.);
6 as artes ou modos de expressar próprios de uma determinada sociedade (a
música, a pintura, a escultura, o teatro, por exemplo, mas também os graffiti, a
joalharia, a utilização de pinturas na pele, a tatuagem, etc.);
7 os costumes, que são modos convencionais de interagir socialmente, de se
comportar relativamente a outros e de se apresentar em sociedade. Esta é uma
categoria muito abrangente, na qual se podem colocar práticas sociais muito
variadas, como, por exemplo, rituais de saudação, modos particulares de
preparar alimentos e de os consumir, celebrações, modos de vestir, etc.

Culturas
São muitos os fatores que ajudam a perceber como emergem as diferentes cul-
turas: os constrangimentos geográficos e ecológicos que determinada sociedade
ou
comunidade enfrenta (o seu habitat), as criações que vão desenvolvendo, o que acon-
tece ao longo do tempo, assim como os contactos que vão estabelecendo com
outras
Os alunos, a partir dos
textos e das imagens, culturas. Todos estes elementos concorrem para que as diversas culturas se trans-
comentam a diversidade
formem e adquiram especificidades próprias. Os dois textos que se seguem
cultural, contribuindo com
manifes-
tam a diversidade cultural.

No Pacífico, encoraja-se nas crianças a dádiva: é difícil fazer usar óculos a


uma
criança míope porque ela dá-os de imediato aos seus companheiros. Na África
Negra, reprimem-se aos mais novos as perguntas, porque faz parte da boa
edu-
cação não pôr abertamente em dúvida a palavra dos adultos. Na escola e na
Conteúdos Complementares

vida quotidiana francesas, o perguntar é encorajado, mas dentro de limites cui-


dadosamente controlados pelos adultos. Nas tribos da Amazónia, ainda guer-
reiras em 1950, promove-se a resistência, apreciada pela tendência às ferrade-
las de formigas.
Chamaux, M. N., “Existent-ils des formes originelles de transmission du savoir?”, Pour, n.° 165, março 2000, p. 18

“Há culturas em que a velhice é respeitada como plenitude da vida, outras em


que se recusa como velharia. Os Masai da África Oriental, como tantos
outros
povos, atribuem um valor especial aos anciãos e regem a sua organização
so-
cial à base do respeito por tal valor. O envelhecimento, que outros povos
como
o nosso temem e evitam devido ao marasmo físico e intelectual da terceira
idade, para os Masai torna-se num ideal de prestígio e de mecanismo das
clas-
ses de idade para a distribuição e exercício do poder.”
BERNARDI, B., Introdução aos Estudos Etno-Antropológicos, Edições 70, 1992, p. 35