Você está na página 1de 1

INSTITUTO UNIVERSITÁRIO ATLÂNTICO

ESPECIALIZAÇÃO CONDUCENTE AO MESTRADO EM GESTÃO ESCOLAR


TEMAS CONTEMPORÂNEOS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS
POLO DE SANTA INÊS – MARANHÃO

Professor: Vandir Ribeiro


Aluno: José Arnaldo da Silva

ESTUDO DE CASO - Afinal, quem manda aqui?

ATIVIDADES

1- Quais as causas principais do conflito entre Ricardo e seus filhos?


A mudança da pequena empresa em uma grande organização. E o modo diferente em administrá-la entre
Ricardo e seus filhos.

2 – Quem deve “mandar” na empresa?


Deve haver um consenso entre os três. Pois a empresa precisa da experiência e da prática de Ricardo e do
conhecimento acadêmico de seus filhos.

3 – Qual o peso relativo da experiência e da educação formal, no processo de administrar a


empresa?
A experiência e a educação formal são importantes. Nas pequenas e microempresas a administração tem
um processo menos complexo em que pode prescindir da educação formal. Mas nas organizações de
grande porte a presença de pessoal com conhecimento técnico e acadêmico é imprescindível.

4 – Você acha que um consultor é necessário? Que papel ele teria? Como você convenceria Ricardo
de sua necessidade?
Um consultor é necessário sim, pois ele teria o papel de diagnosticar e formular soluções para problemas
empresariais, que podem ter origem em qualquer área da empresa e definir diretrizes para recuperá-la
através de reorganização administrativa. Ricardo poderia ser convencido de que um modelo de gestão
eficiente permite o cumprimento de metas e a obtenção de resultados Nesse processo, contar com um
profissional qualificado seria fundamental.

5 - Quais as consequências previsíveis de Ricardo continuar administrando a empresa?


O método de administração de Ricardo foi eficaz antes da era da globalização, mas não condiz mais com
os negócios atuais de seu empreendimento. Se ele continuar, poderá ocorrer queda nas vendas ou até
mesmo falência da empresa.

6 - Quais as consequências previsíveis de os filhos ficarem com a empresa?


As consequências iniciais seriam a falta de experiência e de prática, mas com grande chance de
recuperação, já que os filhos de Ricardo possuem formação acadêmica e mente aberta para adotar novos
procedimentos administrativos.

7 – Quais as consequências previsíveis de não haver acordo entre as duas partes?


Ricardo e seus filhos possuem características que são próprias necessárias para resolver os problemas que
a empresa enfrenta. Mas se não houver conciliação entre eles, as vendas poderão despencar ainda mais ou
surgir outros problemas mais sérios, como falência da empresa.

Observação: A resposta da questão 6 serve para a 7.