Você está na página 1de 87

Donizeti Manoel Rodrigues Corrêa

Diesel- Módulo XX
MOTOR DIESEL G9U 4 CL 2.5L 16V- RENAULT MASTER
(Controle Dimensional e Montagem)

Sete Produções (Educar Brasil Comércio e Exportação Ltda.)

1ª Edição
Belo Horizonte, 2015
ÍNDICE

O r:sEL G9U 4 CL 2.5L 16V RENAULT MASTER ........ .................... ................. ....... a
EDITORIAL ..... ...... ... ... ... ........ .............. ..... ...... .... .......... .. ..................... ........................ ... .......... 1 O
APRESENTAÇÃO- MOTOR G9U ........ .............. ........................ ... ...... .. ... ................ ................... 11
Sistema de Injeção e Gerenciamento ...... ... .................. ... .... ........ ... .. .. ..... ........... .. .. ..... . 15

Especificações Técnicas do Motor da Renault Master 2004/12 ............... .. ................... 16


Especificações Técnicas do Veículo Renault Master 2004/12 ........................................ 16

Q
TECNO OG CO T OLE
Instrumentos de Precisão - Apresentação ...... ............. .. ............ .............. ..... ................ 20
BLOCO E SUB-BLOCO DO MOTOR .... ... ........ ... ....... ... .... .. ...... ............. ...... ...... .................... ... .... 21
Inspeção e Controle ..... .......... ...................................................................................... 22

ÁRVORE DE MANIVELAS ........................................................... ... ... .... ... ............. ..... ............ .. .. 23
Inspeção e Controle ..... ........... .... .. ....... ........................... .. ....... .... ...................... .......... 23
Excentricidade e Conicidade dos Colos da Árvore da Manivela ............ .... ......... ...... ... .. 24
PLANICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO E DO SUB-BLOCO ... .......... ." .............. .... ....... .. ........ 25

Alojamentos das Bronzinas - Controle .............. ... ......... ......... .. ............... ..................... 26
Bronzinas dos Mancais- Folga Radial e Pré-Tensão ......... .. ..... ................ .... ........... .. ..... 27
Pré-Tensão - Bronzinas dos Mancais ............................. .. ..... .... .... ................................. 29

CILINDROS DOS PISTÕES NO BLOCO DO MOTOR .......... .. ....................... .. .......... .... ........ .......... 30
Controle Dimensional dos Cilindros ...... ........ .................... ...... ....... .............. ........ .. ...... 30
BORRIFADORES DE ÓLEO- JET COOLERS ...................... ... .. .. .... .. ............. .. ......... ....... .... ... ........ 31

ÁRVORE DE MANIVELAS - EXCENTRICIDADE ... ............ .. ............ .................. ............ ......... .... ... 32
Montagem da Árvore de Manivelas no Bloco - Folga Axial ..................... .......... ... ..... .. . 34
BIELA- INSPEÇÃO E CONTROLE DIMENSIONAL ...... ...... ................ .. .... ..... ............. ........... ........ 36
Parafusos da Biela ........ ... ... .. ... ............... .................... .. .. .... ......... ... .. .. ..... ..................... 36

Folga Radial do Pino do Pistão na Biela ............ .. .................................... .. .......... .. ........ 37


Diâmetro Interno da Biela -Sem Bronzina ... .. ... ................. ... ... ... .............. ......... , ......... 38
Folga Radial da Biela- Diâmetro Interno da Biela com as Bronzinas .................... ........ 39

Pré-Tensão das Bronzinas da Biela ... .................... .. ......... .. ....... .... ........ ... ....... ........ ..... .. 40
-.
-
\ ~ --..;:

ÍNDICE
....

PISTÕES ... ... .... ....... ... ... ... .. .. ... ... .. ... .... .... .... ... ........ ... ......... .. ... ... ..... .... ..... ............. ..... .... .......... . 41

Inspeção e Controle .... .. ... .. ....... .. ...... ...... .... ... .......... ...... ... ..... .. .. ... ........ .. .... .... ....... ...... 4 1

Pino do Pistão - Folga do Alojamento .. .... .. ............ ...... .......... .. .. .... .......... .. .. .... .... ...... .. 42

ANÉIS DE SEGMENTO - CONTROLE DE FOLGAS NO CILINDRO .......... .... ...................... .. .......... . 42

Pistões - Montagem nas Bielas - Anéis e Instalação .................... .. .............. ........ .. ...... . 43

Folga Axial das Bielas no Eixo - Retentor- Volante do Motor- Instalação ...... .... .. .. .. .. .. 46

DEFLETOR DE ÓLEO- BOMBA DE ÓLEO DO MOTOR .. ........ .... ............................ .. .. .... .. ...... .... .. 4 7

CARCAÇA DA DISTRIBUIÇÃO E CARTER DO MOTOR- !INSTALAÇÃO .... .. .... .. ......... .. .............. .. . 49

TREM DE ENGRENAGENS- BOMBA D ' ÁGUA- INSTALAÇÃO .. .............. ...... .. .. .... ... .... .... .. .. .. .. .. 50

Engrenagem Intermediária - Conjunto com Carga de Molas Internas ........ ...... ...... .... . 52

Engrenagem Dupla da Bomba de Alta Pressão- Carga de Molas Internas ...... .......... .. 54

PROJEÇÃO DOS PISTÕES- DEFINIR A JUNTA DO CABEÇOTE .................................................... 56

JUNTA DO CABEÇOTE- IDENTIFICAÇÃO, ESPESSURA E INSTALAÇÃO ........ ............ .. .. .... .. .. ...... 58

Instalação da Junta do Cabeçote .. .. .... .. .. .. .................... .. ...... .. .. .. .... .. ...... .. .. .. .............. . 59

CABEÇOTE DO MOTOR .. ... ....... ....... .............. ....... ...... .. ......... .. .. .. ............. .... ..... ......... .... ......... . 59

Controle do Cabeçote - Instalação e Sequência de Apertos .......... ... ...... .... ...... ... ...... .. .. 60

Parafusos do Cabeçote- Sequência de Apertos .......... .. .. .. ........ .. .......... .. .... .. .... .. ......... 61

MANCAIS DOS COMANDOS DE VÁLVULAS- CONTROLE DIMENSIONAL ............ .. .................... 62

COMANDO DE VÁLVULAS- MANCAIS- EIXOS DOS BALANCINS .. .. .. ........ .. .. .. .. ...... .. .. .......... ... 64

Eixos - Balancins Roletados - Mancais dos Comandos - Controle - Instalação e

Aperto Final ...... ..... ..... ....... ... ... ...... ................. ... ... ................ .............. .... .. ... ... ....... ... ... .. ... .... 64

CORREIA DENTADA- INSTALAÇÃO E SINCRONISMO ........ .. .. .... ........ ........ .... .. ............ .... .. .. ..... 65

TAMPA DE VÁLVULAS- COLETOR DE ADMISSÃO- INSTALAÇÃO ........ .. .. .. .. .. ........................ ... 68

TROCADOR DE CALOR- FILTRO DE ÓLEO- INTERRUPTOR DE PRESSÃO E SENSOR DE NÍVEL .... 69

CARCAÇA DA VÁLVULA TERMOSTÁTICA- SENSOR DE TEMPERATURA E BOMBA DE VÁCUO , .. 70

COLETOR DE ESCAPAMENTO- TURBINA - INSTALAÇÃO .... ............ .......... .. .. .. .... .......... .......... .. 71

UNIDADES INJETORAS - TUBO RAIL - TUBULAÇÕES DE ALTA PRESSÃO - VELAS DE

AQUECIMENTO ....... ... ........ ... ....... ... ......... ..... .... .... .. .... ...... .. ....... ... ......... .. .......... ........ ...... ....... 71

FILTRO DE PARTÍCULAS DO DIESEL (DPF)- MASTER 2012 .... .. ............ .... .................. .. .......... .. .. 72

Vida Útil do Filtro de Partículas ............ .. ...... .... .......................... .. .... .. ............ .. ............ 72

Motivos do Entupimento do Filtro DPF .. ........ .. .. .. .... ...... ........ .. .. .... ...... .. .......... .. ...... .. .. 72
:;;;,-- ""'\
-.. ÍNDICE

Regeneração do Sistema DPF .. 00 .... 000 .. 00 00 0.. 000 000 o o o o o .. o .. 000...... 0 00 0000 .. 000 00 00 00 00 .. 000 00 0000 .. 00 00000 73
o o

Limpeza do Filtro DPF- Solução Prática 00 00 o o o o 00 00 o o o o o o o o o o o o o o o 00 o o o o 00 o o o o o o O o o o o o o o 000 000 o o o o o o o o o o o o o 000 73


TABELA DE TORQUE o o o o o o oo o o o o o o o o oo o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o oo o o o o o o o o o o oo o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o 74
POSSÍVEIS FALHAS NO MOTOR G9U DA RENAULT MASTER 205 00000000000 0000000000000000000000000000000000 00 76
Falha 1 - Quanto ao Tipo de Óleo Diesel Utilizado o o o 00. 00 ..
o o o o o oo• o · o o o o • •• o o O o . o o o o 00 00 o o oo o • o o 00000 76o o

Falha 2 - Presença de Óleo Lubrificante no lntercooler o o o 000 00 00 00 000 000 00000000 00000 000000 000 0000 76
o o o o

Falha 3 - Filtro de Combustível Obstruído - Perda de potencial 000 000000 00000000 000000 000 00 00 000 76 o o o

Falha 4 - Ruído Metálico na Carcaça da Distribuição o o o 000 o o o o o o o o 00 00 o o o o o O o o o ooo 000 o o o o o o o o o 00 o o o o o 000 77


Falha 5 - Motor Emite Fumaça Azulada o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o oo O O oo o oo o o o o oo o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o O O O O o OOOo oOooo 77
Falha 6 -Veículo Sem Potência - Não Emite Fumaça ...... ................ 0............................ 0 78
Falha 7 -Veículo Morre Frequentemente ao Roda r ...... 00 .... .. .................. 00 ...... 00 .... 00 ...... 78
Falha 8- Veículo Apresenta Consumo Elevado e Emissão de Fumaça Preta o o o o oo oo o o o o o o o o o 78
Falha 9 - Vazamento de Óleo Lubrificante na Carcaça do Filtro de Óleo .... 000000000000000000 78
SOBRE O DIESEL S-50 E S-1O 0000 .......... 0000 .. 00 .... 000000 .... 00 .. 00 00 ............ 00 .. 000000 .. 0000 .......... 00 00 .. .... .. .. 00 0 79
O que você precisa saber sobre o novo Diesel .. 00 ........ 00 0000 ...... .. .. .. 00 ........ 00 ...... 00 .... 00 ...... 79
Principal Diferença Entre S-1 O e S-50 00 ............ 00 .. 00 00 00 00 00 0.. .. ........ 00 .... 00 ................ .... ...... 79
Cetano x Ignição .. o . . o o o o oo OOOOooOOO OOO oo OO oo oo ooo . . . . o o o o o ooOO O ooOOOO O O O OO OOO oo OOOooO . ' . . OOO oo ooo . . . . . . o o o o o o o o o o o o o . . . . oo 79
Quanto à Poluição- Nox e SOx .. 00 .. .. 00 ...... 00 .................. 00 .... 00 00 00 00 00 00 00 00 .. oo . . o o o o o oo . . . . . . . . . . 00 0 79
Presença de Enxofre - Lubrificação 00 .... 00 .. 00 ...... 00000000 .... 00 0000 00 00 .. oo . . . . . . 000000 .. .. 00000000 00 .... 00 00 79 o

Problemas pela Presença de Biodiesel no Diesel oo . . . . . . . . . . . . . . oo . . . . oo . . . . oo oo o o o o . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ooo 79


SOBRE A UTILIZAÇÃO DO DIESEL S-50 E S-10 .. 00 ........ oo . . oo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . oo oo o o o o . . . . oo . . . . . . oo . . . . oo . . . . . . oo 80
ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO DO MOTOR G9U DA RENAULT MASTER 2010/11 .. 00 .. 00 .. .. .. 00 81
ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO DO MOTOR M9T RENAULT MASTER 2012/15 .. .... 0.. .. 00 .. .... 000 82
ESQUEMA ELÉTRICO DO ABS DO MOTOR M9T RENAULT MASTER 2012/15 oooo oooooooo oooo . . . . . . . . . . . . o 84
ESQUEMA ELÉTRICO DA UNIDADE DE COMANDO DO AIRBAG DO MOTOR 9GU RENAULT
MASTER 2010/11 oo ooo ooo o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o o O o o o o O o o oo OOooOOOOOOoo O OOOooOOOOoooo O O O O o o O O O o o O O o o O O o o o o o o o o o o o o . . . . o 85
ESQUEMA ELÉTRICO DO SISTEMA DE AR-CONDICIONADO DO MOTOR M9T RENAULT MASTER
2012/15 oo oo OO O OO O O OOOOOOOOOoo OOO o o o o o o o o o o o o o o o oo ooo oo o o o o o o O o o O OOOOOOOOOOooOOOooOOOOOOOOOOO O OOOOOOooOOOOOOOOOOOOooOOOOOooOOO oo O OOO O o o o o o 86

QUESTIO ÁRIO ................................................................................................................ . 8


Gabarito o o o o o o o o o o o o o oo 000 000 0000000000000 000000 00000 000 00000 o o Oo o o o o o 00 000 000 00000000 00 00 00 000 000 0000 00000 000 000 00000 00 0 0000 0000000 0000 91
o o
APRESENTAÇÃO - MOTOR G9U
O motor G9U da Renault Master 2.5 possui bloco de motor construído em ferro fundido com
alta resistência.

· Motor G9U 2 5 L equipa a Renault Master


de 2004 a 2011 :
~--------- - - -- ~--

Possui sub-bloco em ferro fundido, para conferir estabilidade estrutural ao conjunto móvel
interno do propulsor.

I
Sub-bloco (bloco mfenm) construido em ferro fundido I
_______..,:i

Possui cabeçote em alumínio com quatro válvulas por cilindro, acionadas por balancins roletados.
Cabeçote em alum1n1o aloja duplo comando de válvulas
. e quatro yálvulas por cilindro
- ...-- - - --- ~.~-- -------

O acionamento dos balancins é feito por meio dos cames dos comandos de válvulas.

A folga entre as válvulas e os balancins é compensada por pequenos atuadores hidráulicos


localizados nos próprios balancins.
-""'
_~ APRESENTAÇÃO · MOTOR G9U

Os balancins formam conjuntos de admissão e de descarga; são agrupados através de dois eixos
independentes e fixados ao cabeçote em lados opostos.

Os comandos de válvulas são tracionados por correia dentada através de engrenagens


posicionadas na frente dos eixos. O período para a troca da correia dentada é a cada 60 mil km.
I -·~~

APRESENTAÇÃO - MOTOR G9U


-. :.ao.
...

O motor G9U possui um conjunto de engrenagens localizadas na dianteira do bloco responsável


pelo sincronismo do motor, acionamento da bomba de alta pressão, bomba d'água e a correia
dentada.

Possui turbina com controle de pressão ativada por válvula wastegate de ação mecânica
controlada por pressão positiva. A lubrificação é obtida por intermédio da linha principal, que
lubrifica o motor.
_, .
- _ -... APRESENTAÇÃO - MOTOR G9U

Sistema de Injeção e Gerenciamento

O sistema de injeção . é do tipo Common Rail, com gerenciamento realizado por uma central
eletrônica que determina o débito de combustível através de unidades injetoras. Para atender às
exigências das normas ambientais das emissões, o motor da Master está equipado com válvula
EGR, para o aproveitamento dos gases internos do motor.

· , sis'te"ri-1a ·Common Rai/ de injeção - un 1dadés fnjetoras,


' <-•• :; bomb~ qe•alta pre~sâo e tubo qistn~Uidor .
. '. ,,.. . .
Especificações Técnicas do Motor da Renault Master 2004/12

, DÉSÇRIÇÃO DO MOTO.f(RENAUq G9U : .··-~ :~ :. :~.~.:~ :~ ESPECIFIC~ÇÕES ~~(::·~~


Tipo Motor dianteiro transversal - DOHC (duplo
comando de válvulas) Balancins roletados -
Cabeçote de alumínio- Acelerador eletrônico
Refrigeração Resfriado a água sob pressão, com vaso de
expansão
Número de cilindros 4 cilindros em linha
Número de válvulas por cilindro 4 válvulas (02 admissão 02 exaustão)
Câmara de combustão Câmara Tipo Vortex- válvulas inclinadas
Cil indra da tota l 2.463 cc (2,5 litros)
Diâmetro x curso do cilindro 89,00 mm x 99,00 mm
Taxa de compressão 17,75:1
Alimentação do motor Injeção direta de combustível (diesel) Sistema
Common Raíl + Turbocompressor e lntercooler
Potência máxima (ISO) 115 cv (84 kw) a 3.500 rpm
Torque máximo (ISO) 29,6 kgfm (290 Nm) a 1.600 rpm '

Especificações Técnicas do Veículo Renault Master 2004/12

1ª marcha 4,18
2ª marcha 2,24
3ª marcha 1,39
4ª marcha 0,98
5ª marcha 0,76
6ª marcha 0,64
À ré 3,89

Tipo pinhão e cremalheira com assistência hidráulica


...... "',, ~
,
_ ......_.
' APRESENTACÃO - MOTOR G9U
J
,\·,, ·
'
-

Dianteira Tipo triângulos sobrepost os, molas


helico idais, amortecedores hidráu licos
telescó 'cos e barra estabilizadora
Traseira Eixo rígido com travessas longitudinais semi-
elípticas de lâminas em aço e amortecedores
hidráulicos tel

1.990 mm (com retrov res)


2.252 mm
Distância entre eixos 3.0J:8 mm

Em ordem de marcha
Peso bruto total
--~~ ...
I ~

I TECNOLOGIA E CONTROLE DIMENSIONAL - .


i - .....,

A montagem dos motores eletrônicos em geral obedece a prinop1os metrológicos obtidos


através de instrumentos de precisão. As especificações e tolerâncias fornecidas pelo fabricante
devem ser seguidas à risca e estão nas tabelas deste manual.

mstrumento especifiCo

Instrumentos de Precisão- Apresentação

Todos os valores podem ser obtidos através dos equipamentos mostrados a seguir.

-
-~

' '
M 1crômetros pa ra diversos diâmetros - Re lógio comparador, haste, base magnética e sC1bito 1
~~~- -------------------------- ---------------------------------
'
I
PaqUi metro com g raduação de 0,05 mrn : Ca l1bre de fo lgas I
------------------------------- ------------------------~~- --

Torq u1 metro de esta lo/toroona l Torqu1metro r>ara ar>erto

-----

BLOCO E SUB-BLOCO DO MOTOR


O bloco do motor é construído em ferro fundido, com camisas de cilindros integradas ao bloco.
Possui sub-bloco em ferro fundido, para fechamento da parte inferior do bloco.
• A altura do bloco do motor (sem o sub-bloco) em relação à face superior deve ser de 250 mm;
• Possui alojamento para quatro jet coolers (borrifadores) alinhados, para injetar óleo nas bases
dos pistões.
' 1 - • -'!l~

BLOCO E SUB-BLOCO DO MOTOR


·- -
-- -, -

Sub-b loco ou bloco mfenor preparado para a inspeção I

-·---~--

r.Jet coolers posicionados ••

Inspeção e Controle

Faça a inspeção visual e verifique se não há trincas ou deformidades nas laterais e superfícies do
bloco.
1. Inspecione os selos de água, ou substitua-os caso as galerias de água do bloco apresentem
indícios de operação sem aditivo.
2. Depois, faça inspeção no sub-bloco e verifique as faces de contato com o bloco e com o carter
do motor.
_, ~ BLOCO E SUB -BLOCO DO MOTOR

ÁRVORE DE MANIVELAS
A árvore de manivelas do motor G9U é construída em aço forjado, com contrapesos integrados.
Na ponta do eixo, localiza-se o entalhe de chaveta para o encaixe da engrenagem principal do
trem de engrenagens do sincronismo do motor.

Inspeção e Controle

Com o eixo na posição vertical sobre a bancada, aplique fluido -especial para limpeza por toda a
extensão do componente.
1. Em seguida, com pano limpo, remova o excesso de fluido e inspecione visualmente o eixo
quanto a possíveis riscos ou trincas nos colos dos munhões e moentes.
ÁRVORE DE MANIVELAS ,

2. Os raios de concordância são ângulos existentes nas laterais dos colos da árvore de manivelas.
Sua função é evitar a ruptura da árvore.
3. Quando um eixo virabrequim retornar da retífica, observe atentamente a existência dos raios
nos moentes e munhões do eixo.

. ...
Ven f 1canâo il ex1stênc1a de angu los
.. .

Excentricidade e Conicidade dos Colos da Árvore de Manivelas

Utilizando um micrômetro, faça o controle da conicidade e da excentricidade de cada munhão .


1. O valor do diâmetro do munhão é de 57,98 mm a 58,00 mm.
2. A conicidade e excentricidade não devem ser superiores a 0,02 mm.
3. Em seguida, faça o controle dos moentes. O valor do diâmetro do moente é de 52,98 mm a
53,00 mm.
4 . A conicidade e excentricidade não devem ser superiores a 0,02 mm.

iCiâade âos moentes


-~ .
_ --.. . PLANICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO E DO SUB-BLOCO
. .

PLANICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO E DO SUB-BLOCO


Devido às severas condições impostas ao veículo, como temperatura elevada e carga de esforço
muito acima do especificado, pode ocorrer danos ou ruptura na junta do cabeçote .
Tal condição desestabiliza o aperto dos parafusos do cabeçote com o bloco ao ponto de gerar
torções no corpo do bloco e no cabeçote.
Quando o motor receber reparos ou retífica, convém conferir a planicidade e o alinhamento do
bloco do motor.
Para o controle do sub-bloco do motor, utilize uma régua de controle, um cálibre de lâminas e
verifique a planicidade em três pontos da superfície de apoio do cabeçote. O valor de empeno
não pode ser superior a 0,05 mm.
• Gire o bloco em 180° e, com a régua de controle e o cálibre de lâminas, verifique a planicidade
inferior do bloco e, na sequência, verifique o alinhamento dos mancais.
• Verifique a planicidade das laterais do sub-bloco e o alinhamento dos alojamentos dos mancais.
• O correto é não haver folga entre os pontos de contato da superfície do sub-bloco e dos
alojamentos das bronzinas.
' --~~
PLANICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO E DO SUB-BLOCO
- ~ .... ,
- - -- - - - - ~ - -- -

Alojamentos das Bronzinas- Controle

Com o sub-bloco limpo e sem as bronzinas, instale-o no bloco do motor.


1. Instale os parafusos e aperte-os com torques de 20 Nm + 75°+ 75° de aperto angular, partindo
do centro para as extremidades.
2. Instale os parafusos laterais e aperte-os com torque de 25 Nm .
3. Em seguida, com o súbito calibrado na medida de 61 ,68 mm, insira-os nos alojamentos dos
manca1s.
4. A diferença de folga encontrada entre os alojamentos deve ser em torno 0,02 mm a 0,04 mm.
~ """ '

~· PLANICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO E DO SUB-BLOCO


:;,r - J

Bronzinas dos Mancais- Folga Radial e Pré~Tensão

Para medir a folga radial das bronzinas nos mancais, proceda da seguinte forma:
1. Solte e retire os parafusos do sub-bloco; em seguida, remova-o de seu alojamento.
2. Com um pano limpo, limpe os alojamentos das bronzinas no bloco do motor, instale as
bronzinas nos alojamentos e limpe-as. Na sequência, instale o sub-bloco no bloco do motor.
3. Em seguida, limpe os alojamentos das bronzinas do sub-bloco, . instale as bronzinas nos
alojamentos e limpe-as.
4. Depois, instale o sub-bloco no bloco do motor, instale os parafusos de fixação do sub-bloco
e aperte-os com leve torque.
5. Aperte os parafusos centrais com torque de 20 Nm + 75° + 75°. Instale os parafusos laterais
com torque de 25 Nm.
6. Em seguida, com o auxílio de um micrômetro, meça o diâmetro dos colos dos munhões 1, 2,
3, 4 e 5 do eixo virabrequim.
7. O valor obtido foi de 58,00 mm. Transfira essa medida para o súbito.
8. Na sequência, no bloco do motor, insira o súbito no espaço dos mancais 1, 2, 3, 4 e 5; meça
a folga radial encontrada.
9. A folga radial encontrada deve ser de 0,03 mm a 0,09 mm.
PLANICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO E DO SUB-BLOCO
~

~-
--
_'
.
PLANICIDADE E ALINHAMENTO DO BLOCO E DO SUB~BLOCO

Pré-Tensão - Bronzinas dos Mancais

A pré-tensão das bronzinas garante seu travamento no alojamento, para que elas não girem no
mancai. Para medir a pré-tensão das bronzinas, proceda da seguinte forma:
1. As bronzinas devem estar montadas nos alojamentos dos mancais do bloco, e, os parafusos
das capas, apertados com os torques recomendados.
2. Com o súbito instalado no espaço interno das bronzinas, zere o relógio comparador.
3. Em seguida, solte o aperto dos parafusos de uma das laterais do sub-bloco.
4 . Insira o súbito e meça a pré-tensão das bronzinas. A medida encontrada deve ser de 0,04 mm
a 0,06 mm .
5. Ao término das medições, aperte os parafusos novamente com torque de trabalho .

J:>arafusos de uma d
CILINDROS DOS PISTÓES NO BLOCO DO MOTOR

J
J
CILINDROS DOS PISTÕES NO BLOCO DO MOTOR
Após o controle da árvore de manivelas e de seus respectivos alojamentos, faça o co ntrole
dimensional dos cilindros no bloco do motor, conferindo conicidade e ovalização das camis as .
Para medir a conicidade da camisa, assim como a ovalização, é necessário que os manca is o
bloco estejam com suas capas e parafusos apertados com o torque de trabalho.

Controle Dimensional dos Cilindros


1. Com o súbito calibrado na medida de 89,00 mm, meça o diâmetro do cilindro nas pa rtes
superior e inferior.
2. Alterne os lados internos da camisa, subindo e descendo com o instrumento de medição.
3. Repita o procedimento com os outros cilindros e verifique se as camisas estão paralelas em
sua extensão e sem ovalização.
4. A variação não deve ser superior a 0,02 mm .
5. Em seguida, solte os parafusos que fixam o sub-bloco e remova-o de seu alojamento.
BORRIFADORES DE ÓLEO - JET COOLERS
O motor G9U da Renault Master possui borrifadores de óleo que injetam óleo na base dos
pistões, para sua refrigeração . Faça o controle dos borrifadores da seguinte forma:
1. Avalie as condições dos tubos injetores quanto a trincas e deformidades.
2. Faça inspeção no corpo da válvula dos jet coolers; em seguida, com auxílio de uma haste,
verifique a ação da mola da válvula de retenção, localizada no interior do corpo do borrifador.
Repita os procedimentos com as outras válvulas.
3. Essas válvulas abrem para passagem de óleo, com pressão igual ou superior a 1 bar. Assim, o
sistema de lubrificação trabalha com pressão residual mínima e garante lubrificação do motor
em baixa rotação.
4. Em seguida, instale os jet coolers em seus alojamentos no bloco do motor. Fique atento ao
instalar as válvulas, pois a rosca dos parafusos tem sentido esquerdo de aperto. Aperte com
torque de 30 Nm .

Conjunto dejet coolers do motor G9U


BORRIFADORES DE OLEO - JET COOLERS ...- .

ÁRVORE DE MANIVELAS - EXCENTRICIDADE


Para medir a excentricidade da árvore de manivelas, proceda da seguinte forma:
1. Remova as bronzinas dos mancais 2, 3 e 4 do bloco do motor.
2. Depois, com um pano limpo, limpe as bronzinas dos mancais 1 e 5.
3. Em seguida, aplique óleo nas superfícies de contato das bronzinas.
4. Na sequência , instale o eixo virabrequim no bloco do motor, de for.ma que fique apoiado
somente nos mancais 1 e 5.
5. Gire o eixo em algumas voltas até que os colos 1 e 5 se lubrifiquem.
6. Depois, com o auxílio de um relógio comparador e de uma base magnética fixada no bloco
do motor, posicione a haste do aparelho sobre o mancai 3 do eixo.
7. Aplique uma pré-carga na haste do instrumento sobre o colo, trave a haste fixa do aparelho
e zere o relógio .
8. Em seguida, aplique giros no eixo e observe se a excentricidade da árvore de manivelas não é
superior a 0,05 mm.
9. Se o valor for superior ·ao limite da medida especificada, o eixo deve ser substituído.
1 O. Na sequência, remova o relógio comparador com a base. Em seguida, remova o eixo do
bloco do motor e coloque-o na posição vertical, encaixado no volante sobre a bancada.
6! - " '
ARVORE DE MANIVELAS - EXCENTRICIDADE
:,.1 - .

c-=-
ARVORE DE MANIVELAS - EXCENTRICIDADE - _

Montagem da Árvore de Manivelas no Bloco - Folga Axial

Para medir a folga axial do eixo em seu alojamento, é necessário o auxílio de um relógio
comparador com base magnética. Proceda da seguinte forma:
1. Instale as bronzinas nos alojamentos dos mancais no bloco do motor, limpe e lubrifique-as.
Em seguida, instale os calços de ajuste da folga axial do eixo.
2. Instale o eixo virabrequim em seu alojamento no bloco do motor.
3. Instale o anel vedador do duto de lubrificação da galeria principal do bloco do motor.
4. Na sequência, limpe as bronzinas do sub-bloco e lubrifique-as.
5. Aplique adesivo semissecativo nas laterais do sub-bloco.
6. Instale o sub-bloco no bloco do motor. Instale os parafusos centrais e laterais do sub-bloco e
encoste-os manualmente.
7. Aperte os parafusos centrais com torque de 20 Nm + 75° + 75°.
8. Em seguida, aperte os parafusos laterais do sub-bloco com torque de 25 Nm.
9. Em seguida, instale o relógio comparador e a base magnética na parte frontal do bloco.
1 O. Ajuste a ponta do instrumento na face do parafuso e empurre o eixo para a frente.
11. Na sequência, zere o relógio comparador.
12. Depois, empurre o eixo para trás e para a frente, e verifique a folga existente
13. A folga encontrada deve ser de 0,07 mm a 0,22 mm. Em seguida, remova o relógio comparador.

. . . . .. - . .
..
-~ ~
_ ~ ÁRVORE DE MANIVELAS - EXCENTRICIDADE
BIELA - INSPEÇÃO E CONTROLE DIMENSIONAL .

BIELA - INSPEÇÃO E CONTROLE DIMENSIONAL


A biela do motor G9U que equipa a Renault Master é construída em aço forjado e possui grande
resistência mecânica. A separação da capa e da biela é obtida através de fratura, para dar mais
estabilidade mecânica ao conjunto .

...

Parafusos da Biela

Avalie os parafusos que prendem a capa da biela e meça seu comprimento; o valor deve ser em
torno de 42,00 mm.
Folga Radial do Pino do Pistão na Biela

Com o auxílio de um micrômetro, meça o diâmetro do pino munhão e transfira a medida para
o súbito.
1. Posicione a biela sobre uma bancada.
2 . Insira o súbito no alojamento do pino da biela e confira a folga radial.
3. Meça duas vezes, de forma que cada medição seja feita a 90° uma da outra .
4. O valor da folga encontrado deve ser de 0,02 mm a 0,04 mm, conforme especificado na
tabela do fabricante.
5. Repita o procedimento com os outros pinos e bielas.

â1âmetro do P.lllO munhão


BIELA - INSPEÇÃO E CONTROLE DIMENSIONAL

Diâmetro Interno da Biela- Sem Bronzina ·

A biela deve ser posicionada e presa corretamente na morsa. Utilize a proteção de alumínio para
evitar contato direto dos mordentes e não marcar ou danificar a biela.
1. Aperte os parafusos das capas da biela com um torque de 25 Nm + 55° de aperto angular.
2. Com o súbito calibrado na medida de 56,59 mm, meça o diâmetro interno do alojamento da
biela, no sentido longitudinal.
3. A conicidade e a ovalização não podem ser superiores a 0,02mm.
4. Em seguida, prenda a biela na morsa, solte os parafusos, remova a biela e posicione-a sobre
a bancada.
5. Repita o procedimento de controle com as outras bielas.
Folga Radial da Biela- Diâmetro Interno da Biela com as Bronzinas

Remova as porcas dos parafusos da capa da biela; na sequência, instale as bronzinas e monte a
capa na biela com as porcas .
1. Em seguida, prenda a biela na morsa e aperte os parafusos da capa da biela com torque de
25 Nm + 55° de aperto angular.
2. Com o auxílio de um súbito calibrado na medida de 53,00 mm, meça o diâmetro interno da
biela com as bronzinas instaladas.
3. A medida deve ser conferida em três posições: longitudinal, 30° à esquerda e 30° à direita.
4. A tolerância permitida é de 0,03 mm a 0,07 mm.
5. Repita o procedimento de folga radial nas outras bielas.
BIELA - INSPECÃO E CONTROLE DIMENSIONAL
~ '

Pré-Tensão das Bronzinas da Biela

As bronzinas, quando unidas, devem ser ligeiramente maiores que seus alojamentos na biela .
Quando a capa é apertada na biela, força as bronzinas contra as paredes. Sem a pré-tensão, as
bronzinas rodariam nos alojamentos . Nunca monte um motor sem conferir a pré-tensão das
bronzinas. Para o procedimento, proceda da seguinte forma:
1. Com a biela e bronzinas montadas, parafusos apertados com torque de trabalho, prenda a
biela na morsa.
2. Insira o súbito no espaço entre as bronzinas e zere o relógio.
3. Em seguida, solte o aperto de uma das porcas .
4. Insira novamente o súbito no espaço entre as bronzinas.
5. Observe a variação no relógio comparador do súb ito .
6. O valor da folga deve ser de 0,05 mm a 0,12 mm.
7. Solte o aperto do outro parafuso, remova as bronzinas da biela e remova-a da morsa.
8. Repita os procedimentos de pré-tensão com as outras bielas.
:.,:-' ...
PISTÕES
~

- - ~ - ~ .
~

PISTÕES
Os pistões do motor da Renault Master 2.5 têm câmara de combustão projetada para o melhor
desempenho. Resiste a grandes pressões e possuem pinos munhões do tipo flutuante. Para
resfriamento, o pistão recebe jato de óleo em sua base através de borrifadores (jet coo/ers).

.
âit etamente nas bases âos
..

Inspeção e Controle

1. Faça uma inspeção visual na superfície do pistão, para avaliar se há riscos ou deformidades.
2. Verifique também as condições das canaletas, da câmara e dos alojamentos do pino munhão.
3. Com um micrômetro, meça o diâmetro da saia do pistão.
4. O diâmetro do pistão quando standart (STD) deve ser de 88,95 mm .
5. Repita o procedimento com os outros pistões.
' --~~

PIS TOES
- -. -...A,....

Pino do Pistão - Folga do Alojamento

Utilize um micrômetro e transfira a medida do pino do pistão para o súbito, e meça o diâmetro
dos alojamentos do pino no pistão .
1. A folga recomendada deve ser em torno de 0,02 mm.
2. Repita o procedimento com os outros pistões. A medida do diâmetro dos pinos (quando
novos) é de 30,99 mm.

Com o sul:l1to confenni:lo o alojamento âo folga no aloJamento do

ANÉIS DE SEGMENTO- CONTROLE DE FOLGAS NO CILINDRO


A folga entre pontas dos anéis de segmento deve ser medida somente quando com o bloco
inferior do motor instalado e os parafusos apertados com o torque de trabalho. Proceda da
seguinte forma:
1. Instale o 1º anel de compressão no cilindro do bloco.
2. Insira um pistão no bloco e empurre-o de encontro ao anel, para alinhá-lo.
3. Avance com o pistão em torno de 30 mm e retire-o do cilindro.
4. Com o auxílio de um cálibre de lâminas, confira a folga entre pontas. Repita os procedimentos
com os outros anéis.
5. Os valores devem ser de 0,30 mm para o 1º anel, 0,70 mm para o 22 anel e 0,25 mm para o
3 2 anel de óleo.
-) '
4
ANEIS DE SEGMENTO - CONTROLE DE FOLGAS NO CILINDRO

Pistões- Montagem nas Bielas- Anéis e Instalação

Com os componentes previamente lubrificados, monte o pistão na biela de forma que a cava do
jet cooler fique do mesmo lado do ressalto da biela.
1. lntrodUZé! o pino do pistão manualmente e instale o anel trava. Novamente, confirme a
posição de montagem do pistão em relação à biela.
2. Instale o conjunto biela e pistão na morsa, e, com o alicate expansor, monte os anéis de
segmentos pela seguinte ordem.
3. Instale o conjunto do anel de óleo na terceira canaleta.
4. No segundo anel, posicione a marca "Top" voltada para o topo do pistão.
5. O primeiro anel também com a marca "Top" voltada para o topo do pistão.
6. Posicione as pontas do 1º anel ao lado do pino de pistão.
7. As pontas do 2º anel posicionadas a 180° - também ao lado do pino de pistão.
8. O 3º anel deve estar posicionado a 120° em relação ao 2º anel.
ANÉIS DE SEGMENTO · CONTROLE DE FOLGAS '
NO CILINDRO

9. Repita o procedimento de montagem dos outros pistões e bielas.


1 O. Após a montagem dos anéis de segmento nos pistões, posicione o bloco do motor na
vertical e prepare para montagem do conjunto biela e pistão nos cilindros do bloco do motor.
11. Lubrifique os cilindros do bloco que vão receber o conjunto biela e pistão.
12. Lubrifique a bronzina e encaixe o conjunto pistão e biela no cilindro do motor.
13. Certifique-se de que a marca do pistão esteja voltada para o lado do volante do motor.
14. Confira a posição dos anéis, lubrifique-os e instale a cinta universal, para comprimi-los.
15. Com muito cuidado para não bater a biela no jet coo/er ou no eixo, empurre o conjunto até
o encaixe da biela no colo do moente.
16. Na sequência, lubrifique a bronzina da capa de biela e instale-a na biela com seus parafusos.
17. Aplique leve aperto nos parafusos.
18. Repita o procedimento e instale os outros conjuntos de bielas e pistões nos cilindros.
19. Com o motor posicionado na horizontal, aperte os parafusos da capa de biela com torque
de 20 Nm + 55° de aperto angular.
"
.., --, ANÉIS DE SEGMENTO· CONTROLE DE FOLGAS
---~ NO CILINDRO
ANÉIS DE SEGMENTO - CONTROLE DE FOLGAS
NO CILINDRO -

Folga Axial das Bielas no Eixo - Retentor - Volante do Motor -


Instalação

Com o conjunto pistões e bielas montado na árvore de manivelas, confira a folga axial das bielas
nos alojamentos da árvore de manivelas.
1. O valor deve ser em torno de 0,20 mm a 0,38 mm.
2. Na sequência, instale o retentor do volante do motor em seu alojamento.
3. Instale o volante do motor, aplique adesivo nas roscas dos parafusos e instale-os em seus
alojamentos.
4. Instale a ferramenta de bloqueio da cremalheira e aperte os parafusos do volante com torque
de 20 Nm + 45° de aperto angular.
5. Remova a ferramenta de bloqueio do volante do motor.
~- - ANÉIS DE SEGMENTO - CONTROLE DE FOLGAS -
'j/1
_ NO CILINDRO - -

DEFLETOR DE ÓLEO - BOMBA DE ÓLEO DO MOTOR


Com motor posicionado horizontalmente no suporte, instale o defletor de óleo na parte inferior
do bloco do motor. Instale os parafusos e aperte-os com torque de trabalho.
1. Na sequência, faça inspeção na carcaça e no corpo da bomba de óleo do motor, observe se
há folgas nas engrenagens e verifique os contatos das faces.
2. Na montagem da bomba de óleo, os canais de lubrificação das e.ngrenagens devem estar
voltados para cima.
3. Lubrifique o corpo interno da bomba, instale a carcaça e os parafusos no corpo da bomba de
óleo. Aperte os parafusos com torque de trabalho.
4. Faça inspeção nos componentes da válvula reguladora de pressão, lubrifique e monte os
elementos em seus respectivos alojamentos no corpo da bomba de óleo.
5. Verifique as condições da corrente e instale-a na engrenagem; em seguida , instale a bomba
de óleo no bloco do motor.
DEFLETOR DE ÓLEO · BOMBA DE ÓLEO DO MOTOR ._
.
4#" -- I , .,

DEFLETOR DE OLEO - BOMBA DE OLEO DO MOTOR


"v

CARCAÇA DA DISTRIBUIÇÃO E CARTER DO MOTOR -INSTALAÇÃO


Instale a junta da carcaça da distribuição em seu alojamento no bloco do motor. Faça inspeção
na carcaça da distribuição e por toda a superfície. Depois, observe se a galeria de lubrificação das
engrenagens não está obstruída.
1. Observe também se a junta da tampa não está rompida.
2. Essa observação é importante, pois, caso a galeria de lubrificação estiver obstruída ou a junta
de vedação danificada, a lubrificação das engrenagens do sincronismo estará comprometida,
podendo travar e fundir em seus alojamentos.
3. Instale os parafusos em seus alojamentos e aperte-os com torque de 1 O Nm .
4. Em seguida, instale a junta do carter em seu alojamento no bloco do motor.
5. Faça inspeção no carter e instale-o em seu alojamento no bloco. Instale os parafusos e aperte-
os com torque de 1O Nm.
6. Aperte o bujão do carter com torque de trabalho.
CARCACA DA DISTRIBUIÇÂO E CARTER DO MOTOR ·
INSTALAÇÃO -

TREM DE ENGRENAGENS- BOMBA D'ÁGUA- INSTALAÇÃO


Faça inspeção na bomba d'água e instale-a em seu alojamento na carcaça de distribuição. Instale
os parafusos em seus alojamentos e aperte-os com torque de 1 O Nm .

Em seguida, instale os cubos e arruelas das engrenagens, instale a engrenagem chavetada da


árvore de manivelas e engrenagem motora da correia dentada em seus alojamentos na carcaça
de sincronismo.
:o.r - - TREM DE ENGRENAGENS - BOMBA D'ÁGUA-
__ INSTALAÇÃO · .

'--"""
\ -·~~
TR~~M DE ENGRENAGENS · BOMBA n·AGUA-
INSTALACÂO . ..- :zv.
.... ~.

Engrenagem Intermediária- Conjunto com Carga de Molas Internas

Antes de instalar as engrenagens de sincronismo do motor G9U da Master 2.5, é necessário


alinhar e travar o conjunto da engrenagem intermediária . São três engrenagens desalinhadas
por força de molas internas. Proceda da seguinte forma:
1. Com o bloco de engrenagem intermediária posicionada sobre a bancada e com auxílio
de ferramentas especificas, posicione a engrenagem no suporte específico, alinhe e trave as
engrenagens tensionadoras.
2. Em seguida, remova a engrenagem (alinhada e travada) do suporte e instale-a em seu
alojamento na carcaça de sincronismo no motor.
3. Instale a arruela e o parafuso de fixação da engrenagem intermediária .
4. Remova a ferramenta principal que trava o conjunto de engrenagem intermediária e remova
as duas travas laterais.
5. Instale o parafuso de fixação da engrenagem da correia dentada.
6. Aperte os parafusos das engrenagens com torque de 25 Nm + 35° de aperto angular.
7. Instale o suporte da direção e do ar-condicionado, instale os parafusos e aperte-os com torque
de trabalho.
8. Em seguida, instale a bomba de alta pressão, instale os parafusos de fixação e aperte-os com
torque de trabalho.
9. Posicione o motor em PMS, inserindo uma chave Allen 6 mm no furo lateral no bloco do motor.
1 O. Depois, instale a trava do volante, para bloquear o eixo da árvore de.manivelas.
11. Remova a chave Allen do furo de travamento do eixo.

Detalhe da engrenagem tnp la travada e éi lrnhada


--------------------------------
.
- -. ~-
~

.__. - -.... TREM DE ENGRENAGENS- BOMBA D'AGUA-


..,- .-..._ INSTALAÇAO ~ ~ ...

lnstalanao engrenagem intermediana


TREM DE ENGRENAGENS - BOMBA D'ÁGUA-
INSTALAÇÃO

Engrenagem Dupla da Bomba de Alta Pressão- Carga de Molas


Internas
Para instalar a engrenagem dupla da bomba de alta pressão é necessário o auxílio de ferramenta
específica para alinhar e travar o conjunto. Proceda da seguinte forma:
1. Sobre uma bancada e morsa, posicione a engrenagem no suporte, alinhe e trave as engrenagens
utilizando as ferramentas específicas.
2. Em seguida, instale a engrenagem da bomba de alta pressão em seu alojamento e alinhe as c
referências de sincronismo da engrenagem com a marca existente na carcaça.
4
3. Instale a porca de sua fixação, aplicando torque de 90 Nm.
4. Remova a ferramenta de alinhamento e bloqueio da engrenagem dupla da bomba de alta
pressão.
5. Instale a junta da tampa da carcaça, instale a tampa da carcaça, instale os parafusos e aperte-
os com torque de trabalho.
6. Instale a junta e a tampa de inspeção da bomba d'água; instale os parafusos e aperte-os com
torque de trabalho.
7. Instale o sensor de fase, instale o parafuso e aperte-o com torque de trabalho.
PROJECÂO
,
DOS PISTÕES - DEFINIR A - - ' -
JUNTA DO CABEÇOTE . .

PROJEÇÃO DOS PISTÕES - DEFINIR A JUNTA DO CABEÇOTE


O cálculo das projeções dos pistões define a espessura da junta do cabeçote. Antes de iniciarmos
os procedimentos, vale lembrar que, no motor G9U da Renault Master, o 1º cilindro fica do lado
do volante do motor. Os procedimentos para conferir as projeções dos pistões são executados
da seguinte forma:
1. Remova a ferramenta de bloqueio do volante do motor.
2. Com o auxílio de um relógio comparador e base de apoio, instale o 'equipamento na face
superior do bloco e zere o ponteiro do relógio .
3. Em seguida, posicione o motor em PMS .
4. Depois, localize o ponto lateral do pistão e verifique a projeção dele com relação à face do
bloco.
5. Repita essa leitura no lado oposto do mesmo pistão e anote os valores.
6. Repita esse procedimento nos outros três pistões e observe os valores das projeções.
7. Neste procedimento o valor das oito medidas foi: 0,47 e 0,44 (pistão 1) 0,34 e O, 72 (pistão 4)
0,51 e 0,39 (pistão 2) 0,34 e 0,60 (pistão 3).
8. A soma das medidas foi 3,81 mm.
· 9. Basta dividir esse total por 8 e o resultado será 0,47 mm.
1 O. Esta medida está dentro da tolerância compreendida entre 0,41 mm a 0,54 mm determinada
pelo fabricante.
11. Vale lembrar que o fabricante fornece apenas dois modelos de espessura de junta.
7
__ . . . ._) PROJECÀO

DOS I»ISTÕES- DEFINIR A
--., JUNTA DO CABEÇOTE .·
I ~-- - .
JUNTA DO CABEÇOTE IDENTIFICAÇÃO, ESPESSURA E
INSTALAÇÃO
A junta do cabeçote do motor G9U da Master 2.5 é construída por múltiplas folhas de aço
dispostas em camadas.
.. - ) JUNTA DO CABE COTE • IDENTIFICAÇÃO.
"~ _ '""' ESPESSURA E INSTALAÇÃO ,

sta o te
Faça inspeção na junta e instale-a em seu alojamento no bloco do motor.
• O lado correto de montagem da junta é com a lingueta voltada para o lado da bomba d'água .
• Por medida de segurança, antes de instalar o cabeçote no bloco, retire o motor do PMS.

CABEÇOTE DO MOTOR
O cabeçote do motor da Renault Master é construído em alumínio, com 16 válvulas posicionadas
em ângulo para favorecer o enchimento de ar para o interiQ[ dos cilindros. As válvulas são
acionadas por balancins roletados e apoiados em tuchos mecânicos.

O cabeçote aloja os comandos de adlllissiio e ascape


------ - ---------~~
r- - '11

CABEÇOTE DO MOTOR : H

>! •"•

O corpo do mjetor com 17 mm de diâmetro pertence ao j O corpo do inJetor com 19 mm de diâmetro Rertence ao
cabeçote do motor versão 2004/09 cabeçote do motor versão 2010/11
. ----------------- ~-------------------- ----~

Controle do Cabeçote- Instalação e Sequência de Apertos

Faça inspeção visual no cabeçote, avalie os componentes, o estado da superfície de contato e a


estrutura como um todo. Faça o controle da seguinte forma:
1. Com o auxílio de um cálibre de lâminas, confira o empeno da face de contato com o bloco. O
valor de empeno não deve ser superior a 0,05 mm.
2. Com o auxílio de um paquímetro, confira a altura do cabeçote, medindo em dois locais
opostos. O valor não deve ser inferior 90,20 mm.
3 . Instale o cabeçote no bloco do motor.
4. Em seguida, confira o comprimento dos parafusos e instale-os em seus alojamentos no
cabeçote.
5. O comprimento máximo não deve superar 132,50 mm; porém, o fabricante recomenda
instalar parafusos novos sempre que o cabeçote for removido.

~-~ CABEÇOTE DO MOTOR ~
~ '

Parafusos do Cabeçote - Sequência de Apertos

Aplique aperto aos parafusos da seguinte forma:


• Etapa 1 - Aperte os parafusos com torque de 30 Nm.
• Etapa 2 -Aperte parafusos com torque de 100°.
• Etapa 3 -Aperte os parafusos com torque de 100°.
• Etapa 4- Aperte os parafusos com torque de 100°.
I -. ~~.,

CABECOTE DO MOTOR
J - ~~

,
MANCAIS DOS COMANDOS DE VALVULAS .. CONTROLE
DIMENSIONAL
Faça o controle visual dos mancais dos comandos de válvulas quanto a deformidades e desgastes .
Em seguida, prepare para instalar os mancais no cabeçote e realize o controle dimensional dos
alojamentos:
1. Instale os mancais dos comandos de válvulas de admissão e escape no cabeçote, instale os .eixos
dos balancins, instale os parafusos e aperte-os com torque de 1O Nm.
2. Em seguida, com um micrômetro, meça o diâmetro dos colos dos comandos de admissão e
escape e transfira a medida para o súbito.
3. No cabeçote, confira a folga radial dos mancais dos comandos de descarga e admissão. A folga
deve ser de 0,02 mm a 0,08 mm.
4. Na sequência, solte os parafusos que prendem os eixos dos balancins e remova -os de seus
alojamentos.
5. Solte os parafusos dos mancais dos comandos, remova os parafusos e a parte superior dos mancais .
-~-) MANCAIS DOS COMANDOS DE VÁLVULAS -
~-.., CONTROLE DIMENSIONAL ,
~ '
COMANDO DE VÁLVULAS - MANCAIS - ,
EIXOS DOS BALANCINS

COMANDO DE VÁLVULAS- MANCAIS- EIXOS DOS BALANCINS


Faça o controle visual nos comandos de válvulas de admissão e escape. Avalie o estado dos
carnes e as condições gerais dos eixos quanto a riscos e deformidades, e prepare para instalar os
comandos em seus aloj amentos no cabeçote.
1. Lubrifique os alojamentos dos comandos de admissão e escape no cabeçote .
2. Em seguida, instale os comandos de válvulas em seus alojamentos, instale os mancais e os
parafusos.
3. Aperte manualmente e aguarde a instalação dos eixos dos balancins.

t:uonf1cando os aloJamentos â • • os âe válvulas no cabe ote

Eixos - Balancins Roletados - Mancais dos Comandos - Controle -


Instalação e Aperto Final

Os balancins possuem roletes que devem ser avaliados quanto a folgas e imperfeições.
1. Avalie também os eixos e o os tuchos de válvulas quanto ao estado e os pontos de lubrificação
no e1xo.
2. Instale os eixos e balancins em seus alojamentos no cabeçote, instale os parafusos e aperte-os
com os parafusos dos mancais dos comandos.
3. Aperte os parafusos do centro para as extremidades com torque de 1 O Nm.
:;,r-) COMANDO DE VÁLVULAS- MANCAIS- "

... --.. EIXOS DOS BALANCINS

conjunto ae 15alancms mancais dos balanCins

CORREIA DENTADA - INSTAlAÇAO E SINCRONISMO


Para instalar a correia dentada no motor G9U da Master 2.5 é necessário aplicar uma sequência
de sincronismo . Proceda da seguinte forma:
1. Verifique se as engrenagens dos comandos estão livres.
2. Instale as ferramentas de sincronismo nos eixos de comando de válvulas de admissão e escape
e trave-as com os respectivos parafusos.
3. Posicione o motor em PMS do 12 cilindro e insira a chave Allen 6 mm no furo lateral no bloco
do motor até travar no encaixe do eixo da árvore de manivelas.
4. Instale o tensor da correia dentada em seu alojamento, instale o parafuso e aperte-o levemente.
5. Instale a correia dentada a partir do comando de admissão e, em seguida, instale o rolete de
apoio da parte externa da correia.
6. Instale o parafuso do rolete e aperte com torque de trabalho .
,.- - - - - - • '11
~ . I

~ -·
CORREIA DENTADA - INSTALAÇÃO E SINCRONISMO ·;:·.~. ,
7

7. Aplique carga no tensor da correia até as marcas de referência se alinharem. Aperte o parafuso
de trava do tensor com torque de trabalho.
8. Em seguida, aperte os parafusos das polias dos comandos de válvulas com torque de trabalho .
9. Remova as ferramentas de sincronismo dos comandos.
1 O. Remova a chave Allen utilizada para bloqueio do eixo virabrequim. Aplique giro de 720° no
eixo do motor e confira as marcas de alinhamento do tensor da correia dentada.
11. Ajuste, caso necessário.
12. Instale a ferramenta de bloqueio do volante do motor.
13. Em seguida, instale a polia dianteira e o parafuso de sua fixação no eixo. Aperte o parafuso
da polia com torque de 50 Nm + 90° de aperto angular.
14. Em seguida, remova a trava do volante do motor.
15. Instale o tampão da engrenagem da correia dentada.
16. Instale a tampa plástica de proteção da correia dentada e aperte os parafusos com torque
de trabalho.
;. ._ '1
-~ - j ~
CORREIA DENTADA - INSTALACÃO
o
E SINCRONISMO ~ ,
;_,•. . , . : ,
,
'..ti - I ,~ ~,..""'~\ ~
TAMPA DE VÁLVULAS - COLETOR DE ADMISSÃO - ~
INSTALAÇÃO .
- - --

TAMPA DE VÁLVULAS - COLETOR DE ADMISSÃO-


INSTALAÇÃO
1. Instale o coletor de admissão lateral, instale os parafusos e aperte-os com torque de trabalho.
2. Faça inspeção na tampa superior do cabeçote, inspecione as vedações do coletor de admissão
central.
3. Instale a tampa em seu alojamento, instale os parafusos e aperte-os com torque de trabalho .

apertados com torque ae tra!:ialtio


-
._... - ) TROCADOR DE CALOR · FILTRO DE ÓLEO ·
~ __:.-.. INTERRUPTOR DE PRESSÃO E SENSO R DE NÍVEL ..- ~- _

,
TROCADOR DE CALOR - FILTRO DE OLEO - INTERRUPTOR DE
PRESSÃO E SENSOR DE NÍVEL
1. Instale o suporte da vareta de óleo em seu alojamento e aperte os parafusos com torque de
trabalho.
2. Instale o sensor de nível, instale os parafusos e aperte-os com torque de trabalho.
3. Faça inspeção na unidade trocadora de calor quanto a deformidades estrutural e das vedações.
4. Instale o trocador em seu alojamento, instale os parafusos e aperte com torque de trabalho.
CARCAÇA DA VÁLVULA TERMOSTÁTICA- SENSOR DE
TEMPERATURA E BOMBA DE VÁCUo' ·;:
. -

CARCAÇA DA VÁLVULA TERMOSTÁTICA - SENSOR DE '•
TEMPERATURA E BOMBA DE VÁCUO •
1. Faça inspeção na bomba de vácuo, verifique o anel de vedação, posicione o enca ixe e insta le-a

em seu alojamento .
2. Instale os parafusos e aperte-os com torque de trabalho .
3. Inspecione o corpo da válvula termostática , as vedações e a válvula termostática.
4~ Instale a unidade em seu alojamento, instale os parafusos e aperte-os com torque de tra ba l
-- . 4
_.. . -1'- UNIDADES !NJÉTORAS - TURBO RAIL - TUBULAÇÕES ::'-; . ·
_ -.., DE ALTA PRESSÃO - VELAS DE AQUECIMENTO . c.~S _
..,~'" I I ,~ "' < ,(',..
- - -- - - ~

COLETOR DE ESCAPAMENTO -TURBINA- INSTALAÇÃO


1. Instale o coletor de escapamento em seu alojamento, instale as porcas e aperte-as com torque
de trabalho.
2. Instale a turbina em seu alojamento no coletor, instale os parafusos e aperte-os com torque
de trabalho.

Instalando o coletor

UNIDADES INJETORAS - TUBO RAIL - TUBULAÇÕES DE ALTA


PRESSÃO - VELAS DE AQUECIMENTO
1. Instale o suporte do tubo rail em seu alojamento no cabeçote.
2. Instale o tubo rail em seu alojamento no suporte.
3. Instale as unidades injetoras em seus alojamentos.
4. Instale os tubos de alta pressão no rail e nas unidades injetoras.
5. Instale as velas de aquecimento em seus alojamentos.

Suporte âo tuoo tai/mstalacl


FILTRO DE PARTÍCULAS DO DIESEL (DPF) -
MASTER 2012

FILTRO DE PARTÍCULAS DO DIESEL (DPF) - MASTER 2012


A Master 2012 com motor M9T de 2.3 litros utiliza o filtro de partículas DPF, que é um dispositivo
projetado e instalado na tubulação do escapamento para reter as partículas residuais (fuligem)
da queima do diesel dos motores versão Euro V (PROCONVE 7).
'

Vida Útil do Filtro de Partículas

A vida útil de um filtro de partículas é em


torno de 120.000km. Após esse período, a
obstrução do filtro torna-se uma realidade
eventualmente inevitável. Quando acontecer,
terá de se dirigir a uma oficina que faça a
substituição do filtro .

Motivos do Entupimento do Filtro DPF

Quando o veículo é utilizado em trajetos urbanos (geralmente curtos em função do trânsito),


acontecem as ações de "para e arranca". Em função disso, o processo de regeneração pode não
ser completado e pode levar a um possível entupimento, por excesso de fuligem nas colmeias
do filtro .
~") FILTRO DE PARTÍCULAS DO DIESEL (DPF) -
---. MASTER 2012 "
~ --
-'"'

Nesse momento, a luz de aviso do filtro de partículas acenderá, indicando que está parcialmente
obstruído.
Se isso acontecer, pode iniciar-se o processo de regeneração, conduzindo o veículo por mais ou
menos 1O minutos a velocidades superiores a 90km/h .
Se ignorar o aviso e continuar a fazer trajetos curtos, acontecerá o bloqueio do filtro, o carro
perderá potência e haverá contrapressão elevada no sistema de escape e aumento de consumo.
O veículo deverá ser conduzido a uma oficina especializada para ser feita a regeneração.

Regeneração do Sistema DPF

Para fazer um bom trabalho de limpeza no sistema DPF, o filtro tem que atingir por volta de
1 .000 graus Celsius para fazer a regeneração das partículas provenientes do motor. Caso o filtro
não atinja a temperatura necessária, a regeneração não será feita adequadamente, causando a
cimentação das partículas em suas paredes, obstruindo parcialmente o filtro. Se isso acontecer,
o veículo não desenvolverá corretamente.

r>eratura máxima p,1ra a queima aos


ão forçada com auxílio de scanner

Limpeza do Filtro DPF- Solução Prática

O filtro DPF é um dispositivo muito caro. No caso de obstrução por partículas de diesel, a limpeza
da fuligem pode ser feita utilizando-se solvente básico- gasolina comum!
Remova o filtro de seu alojamento no escapamento e lave a colmeia cerâmica com gasolina
limpa.
~ ~.,
,"f..~'
" "

TABELA DE TORQUE • :. ,
~;;~~;~:~";

TABELA DE TORQUE

60 N.m
25 N.m
10 N.m
10 N.m
10 N.m
30 N.m
10 N.m
stões 25 N.m
25 N.m + 55°
Parafusos dos mancais da árvore de manivelas 20 N.m + 150°
Parafuso de polia da árvore de manivelas 50 N.m + 90°
Parafusos do suporte do filtro de óleo 30 N.m
Parafuso do du lo volante do motor 25 N.m + 50°
ão do carter 40 N.m
Parafusos 8 mm da laca antiemulsão (defletor) 25 N.m
Parafusos 6 mm da laca antiemulsão (defletor) 10 N.m
Parafuso da bomba de óleo 20 N.m
Parafuso do re 12 N.m
das válvulas I coletor de admissão 12 N.m
Parafuso do bocal de enchimento de óleo 10 N.m
10 N.m
11 N.m
30 N.m
Parafuso de rolete tensor da correia de distribui 25 N.m
ens móveis das árvores de carnes 10 N.m
45 N.m
Parafuso do rolete da correia dentada 30 N.m
ior de distribu 30 N.m
55 N.m
30 N.m + 100° + 100° + 100°
30 N.m
Parafusos da borboleta de admissão de ar 15 N.m
~~
-
Jl-
TABELA DE TORQUE

- - ---- -=-- -
,

ESPECIFICAÇÕES DE APERTOS - PARAFUSOS E PORCAS


~~"'.. -~"'!"~:,,,...'.>.• • ~-;·~1'~ :"'_:; • ~' '"',I • ~o J •

~~-::".-::
~1--\ --~t~:
:---. _-·-: .. --~~;~:-:. COMPONENTES :·'---
......... ::.·~.,, ... : .... : .,.,_ )'~:'Y ~-~ ~ ~· ~
-" .~ ..
..TORQUE EM ;NÊWTON MFTRÕ 1
.,. • ...... / ""'" .::-, ~ 1 <"" • -- "-
"'" ~i 1 n ~---"

Parafusos da caixa de recirculação dos gases de escape 25 N.m


Parafusos de tubo rígido de recirculação dos gases de escape 30 N.m
(lado da caixa de recirculação de gases de escape)
Parafusos de tubo rígido de recirculação de gases de escape 30 N.m
(lado da cabeça de motor)
Parafuso da eletroválvula de recirculação dos gases de 15 N.m
escape
Parafusos da borbo leta de admissão de ar 15 N.m
Parafusos da caixa de recirculação dos gases de escape 25 N.m
Parafusos de tubo rígido de recirculação dos gases de escape 30 N.m
(lado da caixa de recirculação de gases de escape)
Parafusos de tubo rígido de recirculação de gases de escape 30 N.m
(lado do cabeçote)
Parafuso da eletroválvula de recirculação dos gases de 15 N.m
escape
Parafusos da borboleta de admissão de ar 20 N.m
Parafusos do suporte do refrigerador dos gases de escape 25 N.m
Parafusos do tubo de recirculação dos gases de escape 25 N.m
Porca do turbocompressor 25 N.m
Porca do tubo de recirculação dos gases de escape 25 N.m
Pa rafuso oco do tubo de al imentação de óleo no 10 N.m
tu rboco m p resso r
União do tubo de alimentação de óleo no bloco do motor 25 N.m
Porca do coletor de escape 30 N.m
Porca do turbocompressor 25 N.m
União do tubo de alimentação de óleo no bloco do motor 25 N.m
Porca do coletor de escape 30 N.m
Porca do turbocompressor 25 N.m
Parafuso oco do tubo de alimentação de óleo no 15 N.m
turbocompressor
União do tubo de alimentação de óleo no bloco do motor 25 Nm
Parafuso do tubo de retorno de óleo no turbocompressor 10 N.m
Porca do coletor de escape 30 N.m
Porca da engrenagem da bomba de alta pressão 90 N.m
Parafusos de fixação da bomba de alta pressão 40 N.m
Parafuso do suporte traseiro da bomba de alta pressão 30 N.m
POSSÍVEIS .F ALHAS NO MOTOR G9U
DA RENAULT MASTER 2.5 .

POSSÍVEIS FALHAS NO MOTOR G9U DA RENAULT MASTER


2.5
,
Falha 1 -Quanto ao Tipo de Oleo Diesel Utilizado

Algumas falhas se tornam presentes pelo uso de combustível incorreto. Orientar o cliente para,
quando abastecer, utilizar o combustível correto quanto à versão da Master 2.5. Abasteça com
diesel da seguinte forma:

• Master 2.5 até 2008: utilizar o diesel 550


• Master 2.5 de 2009 a 2011: utilizar o diesel
550
• Master 2.3 2012 em diante: utilizar o diesel
510

Orientação para Ajuste ao Combustível


Correto:
• Se o veículo já estiver rodando com o diesel
incorreto, recomenda-se trocar o filtro de
combustível, remoção total do combustível e
limpeza do tanque.
• Limpe também as tubulações condutoras
do d iesel até a bomba principal no motor.

Falha 2 Presença de Óleo


Lubrificante no /ntercooler

Esta falha pode acontecer decorrente do veículo


permanecer em marchá lenta por longos
períodos (mais que 5 minutos) frequentemente.

Falha 3- Filtro de Combustível Obstruído- Perda de potência!


Antes de avaliar as partes mecânicas do motor e o gerenciamento de injeção, deve-se observar a
qualidade do combustível através de análise criteriosa. Em segu ida, instale filtro de combustível
de boa qualidade.
~ POSSÍVEIS FALHAS NO MOTOR G9U DA
_- RENAULT MASTER 2.5

Falha 4 - Ruído Metálico na Carcaça da Distribuição


• Verificar correto procedimento de pré-carga na engrenagem intermediária.
• Verificar correta montagem do trem de engrenagens da distribuição.

O ruído metál1 co na caixa de s1ncron1smo ocorre quando


as molas internas das engrenagens tensionadoras se I
rompem

Falha 5 - Motor Emite Fumaça Azulada


• Verificar junta da tampa de válvulas, pois essa vedação pode permitir a passagem de
lubrificante para a admissão.
• Verificar turbocompressor quanto à passagem de óleo lubrificante pelo eixo da turbina .
. POSSÍVEIS FALHAS NO MOTOR G9U DA ·
RENAULT MASTER 2.5

Falha 6 - Veículo Sem Potência - Não Emite Fumaça


• Verificar filtros do diesel e filtro de ar.
• Verificar pressão do sistema raí/.
• Verificar pressão do turbo rodando com carga.
• Verificar sincronismo do motor.

Falha 7 - Veículo Morre Frequentemente ao Rodar


• Verificar chicote do sensor de rotação.
• Verificar chapa metálica onde o sensor é fixado (ela pode afrouxar e afastar o sensor do
volante) .
• Verificar aterramentos.

Falha 8 - Veículo Apresenta


Consumo Elevado e Emissão de
Fumaça Preta

• Verificar bicos injetores.

Falha 9 - Vazamento de Óleo


Lubrificante na Carcaça do
Filtro de Óleo
• Verificar estado dos anéis de vedação,
• Confirmar o aperto dos parafusos do
suporte do filtro durante a montagem.
' ' "'
~~1
.....__
SO~R~ o DIESEL S-50 E S-10 {;
; ""' '
:s - J - '•'

SOBRE O DIESEL S-50 E S-1 O


q no v
A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Combustível (ANP) prevê a comercialização
exclusiva e obrigatória do diesel S-1 O (1 O partículas por milhão- ppm) e do S-500 (500 ppm),
com baixo teor de enxofre, para a frota de caminhões, ônibus e outros veículos do ciclo diesel
de uso em estrada. A resolução é válida em todo o território nacional.

1 o· a 1
Basicamente, a principal alteração foi na quantidade de enxofre presente:
• o diesel S-1 O tem 1 O partes de enxofre por milhão (1 O mg/kg);
• o diesel S-50 tem 50 partes de enxofre por milhão (50 mg/kg).

• O Diesel S-1 O tem número 48 de cetano contra 42 do Diesel S-500/1800 e 46 do Diesel S-50.
O número de cetano mede a qualidade de ignição .
• Além disso, o S-1 O possui uma faixa estreita de variação da massa específica (820 a 850 kg/m 3 )
e uma curva de destilação com a temperatura dos 95% evaporados de no máximo 370°C.

to '
A diferença entre o 51 O e o 550 se faz presente na baixa emissão de poluentes como o NOx
(Dióxido de Nitrogênio) e o SOx (Dióxido de Enxofre) .

f
O óleo diesel anterior (antigo) diferenciava-se da gasolina pelo maior ponto de fulgor e pelo
maior poder de lubrificação, característica essencial para a durabilidade das agulhas dos
injetores.
Para que houvesse a diminuição no teor de enxofre, houve o aumento da participação do
biodiesel na composição do óleo d iesel.

A presença do biodiesel trouxe alguns problemas pontuais, principalmente relacionados à


lubrificação, relacionados a seguir:
• Formação de bactérias no diesel e, consequentemente, durabilidade menor do combustível.
• Obstrução dos bicos injetores.
• Desgaste nas agulhas dos injetores.
• Entupimento do filtro de combustível e formação de sedimentos.

Todos esses problemas podem estar relacionados à formação de bactérias, corrosão do sistema
de injeção e até a contaminação do óleo lubrificante.
Portanto, verificações e limpezas periódicas são necessárias a partir do advento do diesel S-50 e S-1 O.
SOBRE A UTILIZAÇÃO DO DIESEL S-50 E S-1 o I ~

SOBRE A UTILIZAÇÃO DO DIESEL S-50 E S-10

Ônibus e caminhões antigos poderão utilizar o Diesel S-50 ou


S-10?

1. Os benefícios do diesel de baixo teor relacionados à conservação do motor podem ser


usufruídos pelos veículos fabricados antes de 2012.
2. No entanto, os benefícios ambientais serão menores quando comparados com os veículos
fabricados sob as regras ambientais do Proconve 7. E até mesmo nulos - no caso de veículos
antigos.
3. Nos motores atuais com tecnologia Proconve 5 (equivalente ao Euro 3), o benefício é a redução
de 10% a 15% na emissão de material particulado.

Veículos antigos para utilizar o Diesel S-1 O serão necessárias


adaptações?

Nenhuma adequação é necessária nos veículos antigos.

O Diesel S-1 O tem validade?


Não é possível determinar prazo de validade para produto vendido a gra'nel. No caso do diesel
é desaconselhável que se estoque o produto mais de três meses sem giro.

ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO DO MOTOR G9U DA


RENAULT MASTER 2010/11
_ A, ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO DO MOTOR G9U : ~"-
"''-"
--
~
'
DA RENAULT MASTER 2010/11 :.,,: ,
~:,.

Injeto r de
combustível 1

Injetor de
combustível 2

Injetor de
combustível 3

Injetor de
combustivel 4

temperatura
Sensor de posição
do arrefecimento (ECT)
pedal do acelerador

temperatura
do combustível (FCT)

Sensor de pressão
do combustível (Rail)

CC VE J2

F4 CCVD
D2 CC BR

E3 CC SA
Nl CC RX

CC LR F3
61 CC RX

CC BJ El
L4 CC GR
CC MR Fl

Comando do
controle de
velocidade
(331)

Comando de
ativação do
controle de
velocidade
(627)

CPAM

UCE
• "" 4l
ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO DO MOTOR M9T ,·
DA RENAULT MASTER 2012/15

ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO DO MOTOR M9T RENAULT


MASTER 2012/15
Relé de
alimentação
dos bancos

Sensor de
ponto morto
superior

Sensor de
pressão no
Borboleta de coletor
admissão de ar

Unidade de
proteção e de
comutação
Válvula
eletrová lvula
da EGR

Relê de
alimentação
Injetor 1 da central de
injeção

Interruptor do
Injetor 2 pedal da
embreagem

Injetor 3

Potenciômetro
Injetor 4 do acelerador

Senso r de
pressão
(gás do ar·
condicionado)
Interruptor
de freio
BA G3

BA F2
Caixa interface Sensor de
aquecimento VI 81 água no diesel
adicional BR E2

BJ 03
Comandos do
volante

OR Hl
Comando de
pressão relativa M3
BJ ativação do
do filtro
de partículas VE N4 controle de
velocidade

Sensor de
Senso r BJ l2
temperatura
de pressão
SA Kl do turbo
dianteira
do turbo VI J1

UCE
~- ~'.
1
ESQUEMA ELÉTRICO DA INJEÇÃO DO MOTOR M9T ,
. _/ DA RENAULT MASTER 2012/15 ..
-) - .
'

Eletroválvula de
VE
EGT regulagem de
do catalisador GR GR
combustível
(atuador da
Sen so r de bomba de alta)
SA
temperatura
do líquido de VE
Eletrová lvula
arrefecimento VI da EGR

Senso r de
VI
temperatura
do di esel VE

Senso r de
MA
temperatura
do filtro GR
de partículas

BJ
Senso r de
fase do
cilindro GR
Debímetro
ar injeção
BJ
(MAF)
Caixa de pré-
VE
aquecimento

Bomba de
refrigeração
SA
da EGR

Sonda de
oxigênio a
montante

GR P4

BJ P3

VI J4

VE B4

UCE
ESQUEMA ELÉTRICO DO ABS DO MOTOR M9T ,
DA RENAULT MASTER 2012/15

ESQUEMA ELÉTRICO DO ABS DO MOTOR M9T RENAULT


MASTER 2012/15

25A Sensor da
F2 roda
traseira
direita
Sensor da
roda
traseira
esquerda

Sensor da roda
Computador dianteira
de bordo (UCH) esquerda

Sensor da
roda dianteira
direita
Acelerômetro
do ESP

Comandos do
Conector de diagnose
volante

Unidade de
proteção de
Botão para comutação
BA
desligar o ESP

Rádio
Unidade de
proteção
de comutação Interruptor
de freio

Central do ABS
' !
...--4, ESQUEMA ELETRICO DA UNIDADE DE COMANDO DO
) MRBAG DO MOTOR G9U RENAULT MASTER 2010/11
--..---.. }
-

,
ESQUEMA ELETRICO DA UNIDADE DE COMANDO DOAIRBAG
DO MOTOR G9U RENAULT MASTER 2010/11
Enrolador
dianteiro MA MA Airbag frontal
caixa de
BE 12 13 BE do passageiro
travamento
passageiro
lateral 14 MA Comandos do
VI volante
JA 18 NO
"'f
Chave de
21 BJ neutralização
22 GR do airbag do
passageiro
BA 10
Enrolador
37 MA
MA 11 dianteiro caixa
38 OR de travamento
passageiro
MA central
BE
43 BJ Airbag
passageiro
44 GR
lateral
SA 11

VE 12 61 SA Satélite lateral
62 VE do passageiro
VI 15

BJ 16

MA 27

OR 28

Central do AirBag
ESQUEMA ELÉTRICO DO SISTEMA DE AR-CONDICIONADO
DO MOTOR M9TDA RENAULT MASTER 2012/15

ESQUEMA ELÉTRICO DO SISTEMA DE AR-CONDICIONADO


DO MOTOR M9T RENAULT MASTER 2012/15

Unidade de Dispositivo de
proteção e insuflação do ar frio
de comutação

Airbag frontal
do passageiro
Tomada
de diagnóstico

Borboleta
Computador de mistura de ar
de bordo (UCH)

Motor de
Motor de distribuição para
reciclagem os pés

Bloco de comandos
do ar-condicionado
Motor G9U 2.5L de 16V - 2004/12

• Montagem do motor diesel eletrônico G9U que equipa a Renault Master


2.5L de 16V
• Orienta sobre o controle dimensional, utilizando instrumentos de precisão
• Mostra o passo a passo da montagem do motor com instrutor especializado
da área
Informa de maneira descomplicada as particularidades e as diferenças
existentes entre as versões dos motores
• Mostra sequências de apertos dos parafusos e as folgas dos componentes
do motor- de acordo com a montadora -, seguindo os métodos de medição
conforme os padrões metrológicos
• Ensina procedimentos de sincronismo do trem de engrenagem do motor
e também os procedimentos de instalação da correia dentada
Esquemas elétricos da injeção do motor eletrônico das Masters versões
com motores G9U (2.5L 2010/11) e M9T (2.3L 2012/15)

Parcerias

C.ielO ~SATA
Slftwna FIEMG

Realização

s
ISBN:978-85-8308-011-4
Av. Flávio dos Santos, 372

I I
Floresta - CEP:31 015-150
Belo Horizonte I MG
3003-7778
SETE www.videocarro.com.br 9 7 885 o11 4
'
I
- ~

, QUESTIONÁRIO
I -=:: .., ~
. '

QUESTIONÁRIO
QUESTIONARIO MÓDULO XX- MOTOR G9U RENAULT MASTER

t'l o r t nos parafusos centrais do sub-bloco?


a) 50 Nm + 90° + 90°
b) 1 00 Nm + 90° + 90°
c) 90 Nm + 75° + 20°
d) 20 Nm + 75° + 75°

O ite de empeno do eixo da árvore de manivelas?


a) 0,05 mm
b) O, 12 mm
c) O, 15 mm
d) 0,02 mm

Ou ' f o - I o
a) Agregar peso/lastro na base do bloco do motor.
b) Eliminar os vazamentos constantes da junta do carter.
c) Facilitar a retirada dos mancais do eixo da manivela .
d) Dar estabilidade e aumentar a resistência estrutural do bloco.

A arque correto nos parafusos laterais do bloco inferior?


a) 25 Nm
b) 15 Nm
c) 30 Nm
d) 1 O Nm + 20°

erto do parafuso dos jet coo/ers (borrifadores)?


a) 35 Nm
b) 45 Nm
c) 30 Nm
d) 40 Nm

a 1al do eixo no bloco do motor?


a) 0,12 mm a 0,40 mm
b) 0,07 mm a 0,22 mm
c) 0,07 mm a 0,32 mm
d) 0,08 mm a 0,28 mm
") QUESTIONÁRIO .
-~) .

1 r 1 x G9U possui?
a) Possui dois eixos balanceadores no bloco do motor.
b) Possui um eixo contrarrotante ao lado da árvore de manivelas.
c) O motor da Master 2.5 não possui eixos balanceadores.
d) Possui dois eixos balanceadores no sub-bloco.

tro da saia do pistão med1da STD?


a) 88,95 mm
b) 98,40 mm
c) 98,35 mm
d) 98,47 mm

os parafusos da biela?
a) 25 Nm + 70°
b) 25 Nm + 55°
c) 25 Nm + 40°
d) 30 Nm + 45°
r
guladora de pressão do óleo do motor?
a) Na carcaça da bomba de óleo
b) Na dianteira do sub-bloco
c) Na carcaça do suporte do filtro de óleo
d) Na base do cabeçote

' ·elas do eixo da árvore?


a) De 0,05 mm a 0,12 mm
b) De O, 15 mm a 0,30 mm
c) De 0,10 mm a 0,35 mm
d) De 0,05 mm a 0,18 mm

i dros no bloco do motor G9U bloco STD?


a) Diâmetro de 89,50 mm
b) Diâmetro de 88,40 mm
c) Diâmetro de 89,00 mm
d) Diâmetro de 88,1 O mm

r
a) Através do eixo de comando das válvulas de admissão.
b) Através do eixo de comando das válvulas de escapamento.
c) Através da correia dentada.
d) Recebe tração por corrente através da engrenagem do eixo da árvore da manivelas.
' -. ~~,.,

QUESTIONÁRIO
.- ... ~

1 1 o
"' o parafuso da polia dianterra da árvore de manivelas?
a) Torque de 200 Nm + 50°
b) Torque de 50 Nm + 90°
c) Torque de 30 Nm + 1ooo
d) Torque de 200 Nm

,. O I f d s mancais dos comandos de válvulas?


a) De 0,04 mm a 0,09 mm
b) De 0,08 mm a 0,12 mm
c) De 0,02 mm a 0,08 mm
d) De 0,05 mm a 0,12 mm

QL 1 0 e as 'dades injetoras do motor G9U de 2004/1 O?


a) O diâmetro da haste é de 18 mm.
b) O diâmetro da haste é de 25 mm.
c) O diâmetro da haste é de 17 mm.
d) O diâmetro da haste é de 19 mm.

7 r n il p o .::! a s ·ate do motor?


a) Aperto de 20 Nm + 90° + 60° + 100°
b) Aperto de 30 Nm + 1ooo+ 1ooo+ 1ooo
c) Aperto de 50 Nm + 60° + 90° + 100°
d) Aperto de 30 Nm + 60° + 60°+ 90°

O a · o laJo corr n co 1 o pistão?


a) Lado da seta do pistão com a numeração da biela.
b) Lado da cava do jet cooler na saia do pistão com a numeração da biela.
c) Lado do furo de lubrificação do pistão com o ressalto da biela.
d) Lado da cava do jet cooler do mesmo lado do ressalto da biela .

19. Qual é o aperto dos parafusos principais das engrenagens dos comandos de admissão e
a d d

a) 50 Nm + 30°
b) 45 Nm
c) 90 Nm
d) 60 Nm

") . ""~ 11 r 1 J Cd.J"'ÇOte do motor G9U da Master 2.5 medido em três pontos?
a) Altura máxima de 92,20 mm
b) Altura máxima de 90,20 mm
c) Altura máxima de 89,20 mm
d) Altura máxima de 91 ,20 mm
~
-<_;
I GABARITO ·
-· f,o':"' ' • . ' .
F i ' . ·-· .
I ---- \ I
I~..o
f\ DIESEL - MÓDULO XX
MOTOR G9U 4 CL 2.5L 16V - RENAULT MASTER

Nome:

Endereço :

CEP:

Cidade: UF:

Código de cliente _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ (o número encontra-se na nota fiscal)

GABARITO

01 A B c D 11 A B c D

02 A B c D 12 A B c D

03 A B c D 13 A B c D

04 A B c D 14 A B c D

05 A B c D 15 A B c D

06 A B c D 16 A B c D

07 A B c D 17 A B c D

08 A B c D 18 A B c D

09 A B c D 19 A B c D

10 A B c D 20 A B c D