Você está na página 1de 34

ACELERAÇÃO DE CONHECIMENTOS

ENSINO MÉDIO
CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS
TECNOLOGIAS

HISTÓRIA
EDITORIAL

COORDENAÇÃO: Silvania Pereira


PROFESSOR: Silvania Pereira- Graduada em Geografia-Unesp
INTRODUÇÃO
O estudo do componente curricular de História abre alguns questionamentos, pois as
pessoas perguntam por que estudar o que já aconteceu lá no passado? O que isto implica para
a vida hoje?
O que o professor de História tem a principal missão de fazer com que o aluno seja
motivados a se interessar sobre o que aconteceu com o mundo, o lugar onde vive, sua cidade,
seu país, bem de modo geral fatos importantes do passado que tem reflexos fortes na vida
hoje.
A História é uma ciência fundamental para que o indivíduo possa compreender o mundo
que o cerca, através dos fatos e acontecimentos que foram moldando a sociedade, os países, a
vida do ser humano de forma geral.
As habilidades da História possibilitam para o aluno o entendimento de como a
sociedade foi se desenvolvendo ao longo das eras, não apenas saber decorar datas ou falar de
assuntos distantes.
Perceber através da disciplina o cidadão foi construindo o conhecimento como ser ativo
dos acontecimentos.
Através dos conteúdos desenvolvidos o aluno pode por meio do estudo conhecer os
fatos e a posição que ocupa na sociedade, compreender como os processos históricos
repercutem em sua vida e na organização da cidade, do seu estado, do país e do mundo,
analisar o potencial cultural do Brasil no cenário mundial e conhecer através das tradições
culturais, informações, linhas do tempo e resgates do passado e os efeitos que isso provoca .
A História é uma disciplina interdisciplinar, no qual os conhecimentos de Geografia,
Sociologia, Economia, Biologia dentre outras áreas se entrelaçam. O aluno perceberá esta
relação com o desenvolvimento dos conteúdos apresentado e os exercícios que vem de
encontro a prática necessária para atrelar o conteúdo com a contextualização dos temas
desenvolvidos.
Caro aluno aproveite os exercícios elaborados para que ao final do seu curso possa
compreender a importância da disciplina na vida cotidiana, nas relações entre o passado e o
presente e na melhoria da sociedade brasileira e mundial.
AULA 1- A PRÉ-HISTÓRIA BRASILEIRA E SUL AMERICANA
Quando falamos sobre pré-história nos vem a mente fósseis de dinossauros,
fósseis humanos de cavernas da Europa e Ásia. O Brasil também tem registros
arqueológicos desenvolvidos ao longo de vários anos de pesquisas. Sendo que os
estados brasileiros que apresentam antigos vestígios da presença humana destacamos
Piauí com várias pinturas rupestres e Minas Gerais e as regiões do litoral de São
Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
No Piauí destacam-se um grupo de arqueólogos reconhecidos
internacionalmente e liderados pela cientista Niède Guidon que notou a presença de
utensílios como facas, machados e fogueiras com cerca de 48 mil anos atrás. Após
essa pesquisa detalhada chegaram a conclusão que houve a presença de
comunidades coletivas que caçavam e usavam o fogo para se protegerem dos animais
que existiam na região e para alimentação.
Outra região é em Minas Gerais chamada Lagoa Santa onde já foram
registrados achados importantíssimos. Dentre eles o mais antigo fóssil das Américas.
Este fóssil foi apelidado de Luzia o que possibilitou a abertura de portas para novas
teorias sobre o surgimento do homem no continente americano. Depois de uma
cuidadosa análise descobriu-se que a fóssil tinha traços negróides onde se supôs que
teria vindo de uma onda migratória da Oceania, sendo esta responsável pela ocupação
do continente. Também na região de rios e no litoral do Brasil existe outros conjuntos
de vestígios pré-históricos. Nestes há montes de conchas e esqueletos de peixes
sugerindo que as populações que ocupavam estes locais sobreviviam da pesca
ofertada ali. Essas comunidades são chamados de sambaquis, tendo sido encontrado
em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo.
Infelizmente o fóssil de Luzia foi danificado no incêndio do museu Nacional no
Rio de Janeiro em 2018, além de vários objetos de importante valor histórico nacional e
mundial.

Crânio de Luzia Pintura rupestre- Serra da Capivara


PRATICANDO- AULA 01

1- – Como se chama o tipo de arte que era feita pelos homens pré-históricos nas paredes das
cavernas?
a) Pinturas rupestres
b) Arte cênica
c) Pintura moderna
d) Cerâmica
2- A região de Lagoa Santa, em Minas Gerais, foi um dos primeiros sítios arqueológicos
brasileiros, tendo sido, inicialmente, alvo das escavações do naturalista dinamarquês
Peter Lund, no século XIX. Essa região tornou a ficar famosa na década de 1970 porque foi
(foram) encontrado(s) nela:
a) ossadas de 3.000 Homens de Neandertal.
b) Luzia, considerado o fóssil mais antigo da América.
c) vestígios de acampamentos vikings do século V d.C.
d) vestígios da civilização de Atlântida.

03) Região do Piauí onde os arqueólogos encontraram vários registros da presença do homem
pré-histórico no Brasil:
a) Serra da Bodoquena
b) Serra Pelada
c) Serra da Agulha
d) Serra da Capivara

Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

AULA 2- GRANDES NAVEGAÇÕES- BRASIL É DESCOBERTO


No final do século XV países da península ibérica- Espanha e Portugal lançaram-se ao
mar numa aventura grande em busca de novos espaços de exploração. Iniciou o
período das grandes navegações. Através dessas muitas inovações técnicas,
instrumentais e descobertas foram obtidas. É considerado um momento de extrema
importância, pois representa uma ocasião única em que o mundo se fez por todo, seja
pelo comércio ou pelo conhecimento de outros povos. Diversos fatores impulsionaram
as expedições ultramarinas. Tecnologia, mentalidade, aspectos políticos, sociais e
religiosos. Enfim, várias atitudes importantes e fundamentais para a compreensão deste
ato. Até esta época os europeus ainda consideravam que a Terra era plana, e que se
saíssem ao mar poderiam cair num abismo.
Esta discussão levou até a censura da Igreja Católica. Para os europeus os mares
abertas eram um mistério, com muitas lendas, descrevendo os mares com várias
criaturas e mistérios que poderiam destruir os navios dos aventureiros. Sem contar com a
dificuldade enorme na navegação. O medo de não retornar era grande. A alimentação era
escassa, condições de higiene eram terríveis e muitos morriam durante a viagem. Apesar
disto a ânsia pelas riquezas era maior.
O primeiros países a se aventurarem foram Espanha, “descobrindo” a América em 1492 e
depois Portugal em 1500 “descobrindo” o território onde hoje é o Brasil. O real interesse
desses países era chegar à India, pelo mar pois a rota terrestre pela Ásia era difícil e
caríssimo para transportar as mercadorias, principalmente as especiarias para venda na
Europa. Sendo que em 1498, o navegador Vasco da Gama conseguiu transpor o trajeto
pelo sul da África, uma verdadeira odisseia, considerando as enormes dificuldades da
época.
Através de registros importantes, como de Pero Vaz de Caminha, temos uma dimensão
da aventura portuguesa. Trecho da carta: “O Capitão, quando eles vieram, estava
sentado em uma cadeira, bem vestido, com um colar de ouro mui grande ao pescoço, e
aos pés uma alcatifa por estrado. Sancho de Tovar, Simão de Miranda, Nicolau Coelho,
Aires Correia, e nós outros que aqui na nau com ele vamos, sentados no chão, pela
alcatifa. Acenderam-se tochas. Entraram. Mas não fizeram sinal de cortesia, nem de
falar ao Capitão nem a ninguém. Porém um deles pôs olho no colar do Capitão, e
começou de acenar com a mão para a terra e depois para o colar, como que nos
dizendo que ali havia ouro. Também olhou para um castiçal de prata e assim mesmo
acenava para a terra e novamente para o castiçal como se lá também houvesse prata.”
Porém ao desembarcarem no território não encontraram nem ouro nem prata. Voltaram
para Portugal e por 30 anos não se interessaram pelo território. O principal lucro dos
portugueses no comércio com outros países era as especiarias vindas da Índia. A
exploração com o pau-brasil não era maior que estas.
Portanto desde o início da colonização o nosso país vem sendo visto como região de
exploração e de enriquecimento de vários países, principalmente a Europa. A natureza
foi bastante prejudicada em função da ganância de vários povos que por aqui
passaram.
PRATICANDO- AULA 2
01-(Cesgranrio) O descobrimento do Brasil foi parte do plano imperial da Coroa
Portuguesa, no século XV. Embora não houvesse interesse específico de expansão
para o Ocidente,...
a) A posse de terras no Atlântico ocidental consolidava a hegemonia portuguesa
neste Oceano.
b) O Brasil era uma alternativa mercantil ao comércio português no Oriente.
c) O desvio da esquadra de Cabral seguia a mesma inspiração de Colombo para
chegar às Índias.
d) A procura de terras no Ocidente foi uma reação de Portugal ao Tratado de
Tordesilhas, que o afastava da América.
e) Essa descoberta foi mero acaso, provocado pelas intempéries que desviaram a
esquadra da rota da Índia.
02- (Cesgranrio) Com a expansão marítima dos séculos XV/XVI, os países ibéricos
desenvolveram a ideia de “império ultramarino” significando:
a) a ocupação de pontos estratégicos e o domínio das rotas marítimas, a fim de
assegurar a acumulação do capital mercantil;
b) o estabelecimento das regras que definem o Sistema Colonial nas relações entre as
metrópoles e as demais áreas do “império” para estabelecer as ideias de liberdade
comercial;
c) a integração econômica entre várias partes de cada “império” através do comércio
inter colonial e da livre circulação dos indivíduos;
d) a projeção da autoridade soberana e centralizadora das respectivas coroas e sobre
tudo e todos situados no interior desse “império”;
e) a junção da autoridade temporal com a espiritual através da criação do Império da
Cristandade.

03- Assinale a alternativa correta sobre as características e interesses de


Portugal durante o período das Grandes Navegações.
a) Chegar ao Brasil foi a única grande conquista territorial dos lusitanos.
b) O Brasil nunca representou importância econômica para Portugal.
c) O objetivo final dos portugueses sempre foi a conquista da África.
d) Conquistar o “caminho para as Índias” era o maior interesse de Portugal.
e) O real interesse português era conquistar o continente onde é
atualmente os EUA.

04- A esquadra enviada por D. Manuel, rei de Portugal, às Índias, sob o comando de
Pedro Álvares Cabral, tinha como objetivo:

a) estabelecer uma sólida relação comercial e política com os povos do Oriente;


b) procurar outro caminho que conduzisse ao Oriente sem utilizar o Mediterrâneo;
c) combater a pirataria nas Colônias portuguesas na costa oeste da África;
d) confirmar a existência de minas de metais preciosos no sul da Ásia;
e) verificar as possibilidades de exploração de mão-de-obra escrava.

AULA 3- BRASIL PRÉ COLONIAL- ECONOMIA DA CANA DE


AÇÚCAR
No início da história da colonização no Brasil os exploradores portugueses não
encontraram metais preciosos ou as tão sonhadas especiarias (cravo da índia,
gengibre, etrc) valiosíssimas no mercado europeu. Isto acabou frustrando os sonhos
dos lusitanos. A primeira exploração que deu lucro foram a retirada das árvores de pau-
brasil no litoral da mata Atlântica brasileira, o que devastou muito nossa vegetação.
Para isto os portugueses usavam a mão de obra indígena em troca de mercadorias-
chamamos isso de escambo. Estes conheciam o território e conseguiam localizar a
madeira preciosa, utilizada principalmente no tingimento de tecidos.
Por cerca de trinta anos o Brasil não foi de muito interesse do governo português.
Somente em 1534, o rei D. João III com receio de que outros povos viessem a ocupar o
território descoberto (franceses e holandeses), dividiu o território em grandes faixas de
terra denominando-as de capitanias hereditárias.
De acordo com o Tratado que existia entre
Portugal
e Espanha a o território foi dividido e a parte
oeste
ficou sob controle da coroa portuguesa. Essas
capitanias poderiam ser ocupadas por quem
tivesse interesse nesta aventura. Porém não
podiam vender as terras. Mas este sistema não
deu resultado. Foi então que o governo
português criou o governo-geral, para controlar
mais de perto o território. A primeira cidade
escolhida para sede foi Salvador, sendo então
a primeira capital do Brasil.
Esta foi escolhida por seu ponto estratégico
para embarcar as riquezas exploradas aqui no
Brasil pelos navios.

Quanto a cultura e religião no Brasil predominava a figura dos jesuítas, estes então
eram responsáveis pela catequização dos indígenas, como forma de ampliar o poder
da igreja em outros territórios. Esta ação fez com que fossem criados na colônia as
primeiras escolas jesuítas. Quanto a economia então não haviam encontrado metais
preciosos ou outras riquezas de exploração imediata. Em 1533, Martin Afonso de
Souza trouxe as primeiras mudas de cana de açúcar para a região. Essa cultura se
adaptou muito bem na região nordeste, próximo ao litoral, quente e úmido. Era o início
de uma grande exploração de terras e geração de riquezas para a colônia. O açúcar
precioso extraído da cana era vendido por bons preços na Europa. Para isto foi
implantado no Brasil o sistema de agricultura conhecida como plantation (latifúndios-
grandes fazendas e monocultura- apenas exploração de um tipo de lavoura). Durante o
século XVII o Brasil foi o maior produtor de açúcar do mundo.
As fazendas eram bem extensas, nelas funcionavam os engenhos com a casa grande
para os senhores da terra e as senzalas para abrigar os escravos. Iniciou-se então a
primeira formação da sociedade brasileira, baseada na exploração do trabalho escravo
como principal mão de obra da época.
A Holanda foi o país que forneceu a estrutura técnica para os portugueses para a
instalação e produção do açúcar no Brasil.
Para apoiar o sustento da colônia neste período desenvolveu-se paralelamente a
implantação da pecuária para abastecer as cidades e as fazendas.
A figura do sertanejo, da carne de sol no nordeste faz parte desse início do período
colonial.

Engenho colonial- Jean Batist Debret Fazenda Itamaracá

Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 03
01- Fazenda canavieira na colônia:

“Somente as fazendas de proprietários mais abastados é que possuíam engenhos.


Mas todas elas tinham a casa-grande (moradia do fazendeiro), as senzalas (moradias
dos escravos), casas para trabalhadores livres, reserva florestal (para o fornecimento
de madeira), áreas de pastagem e de agricultura de subsistência. Os fazendeiros que
não possuíam engenhos eram chamados de lavradores de cana. Com o tempo, a
denominação engenho passou a designar a fazenda canavieira que possuía o aparato
para a produção do açúcar.”

BRAICK. P.R.; MOTA, M. B. História: das cavernas ao terceiro milênio. São Paulo:
Moderna, 2007. p. 272.

A organização da produção açucareira se inseria em um modelo de organização da produção


denominado de plantation, que consistia em:

a) produção de diversos produtos em várias unidades de pequena dimensão, com o


escoamento para o mercado externo e utilizando o trabalho escravo.
b) a produção de uma monocultura, em pequenas propriedades, orientada para o
mercado interno e utilizando de mão de obra escrava.
c)a produção de uma monocultura, em grandes propriedades, orientada para o mercado
externo, utilizando de mão de obra escrava.
d) a policultura realizada em pequenas propriedades, orientada para o mercado
interno, utilizando para isso de mão de obra livre.

02-Qual era a estrutura básica da produção de açúcar implantada por Portugal no


Brasil?

a) policultura, trabalho assalariado e grande propriedade.


b) monocultura, trabalho escravo e pequena propriedade familiar.
c) monocultura, trabalho assalariado e pequena propriedade familiar.
d) monocultura, trabalho escravo e grande propriedade.
e) policultura, trabalho escravo e grande propriedade.

3- Entre as funções desempenhadas pela Igreja católica no período colonial, destaca-


se:

a) O incentivo à escravização dos nativos.


b) A educação indígena visando formar uma elite intelectual católica.
c) A realização da catequese, favorecendo o avanço do processo colonizador.
d) A conversão de todos os índios e negros na fé católica.

04- (Unespar 2015)


A produção da cana de açúcar no Brasil colonial:

I. Tinha como base mão de obra escrava, era destinada, sobretudo, ao


mercado interno e realizada em latifúndios.
II. Propiciou uma colonização urbana, marcada pela mobilidade social e
dominada pelos senhores de engenho.
III. Foi marcada por uma sociedade patriarcal, escravocrata e permeada de
religiosidades.
IV. Tinha como unidade básica o engenho, no qual se situavam, entre
outros elementos, a casa-grande, a senzala, o moinho, uma capela
e a produção de gêneros de primeira necessidade.

a) I e III estão corretas


b)II e IV estão corretas
c) I, II e IV estão corretas
d)I, II e III estão corretas
e) III e IV estão corretas

AULA 4- A ESCRAVIDÃO NO BRASIL


Desde o início da colonização Portugal não tinha mão de obra para implantar uma
colônia no nosso território. Mas há séculos a escravidão de povos cujos territórios eram
perdidos nas guerras já era uma prática comum.
No primeiro momento tentou-se escravizar os indígenas que já haviam no Brasil.
Prática esta que não deu resultado e não tinha o apoio da igreja católica. Muitos foram
dizimados por se rebelarem contra a exploração do europeu ou foram mortos por conta
das doenças trazidas pelo colonizador, por exemplo a gripe na qual não tinham
nenhum tipo de imunidade. Mas para que a cana fosse cultivada não precisava apenas
de terras em grande escala e clima favorável. Era necessário milhares de
trabalhadores. A população de Portugal não tinha interesse nenhum em vir para o
Brasil. Então o meio encontrado foi o de trazer escravos para cá.
Para isto os portugueses buscaram apoio no comércio negreiro, já tinham territórios
ocupados na África, e conheciam o trajeto desenvolvido para este tipo de comércio. As
próprias populações de africanos aprisionavam seus irmãos, pois dentro do território
havia disputas e guerras entre tribos. O comércio de escravos era algo muito lucrativo.
Pelas pesquisas estima-se que cerca de quatro milhões de africanos escravizados
tenham vindo para o Brasil. Mesmo sabendo que muitos morriam nos porões dos
navios negreiros por conta de um aprisionamento degradante e sub humano.
Aqueles que sobreviviam ao transporte até o Brasil ainda enfrentavam uma vida de
exploração, pouca comida, calor, tortura e humilhação inimagináveis.
A expectativa de vida era muito curta. Escravizados, os negros eram vistos como
objetos e, assim sendo, não possuíam direitos e sofriam com a opressão e violência
pelos seus senhores. As violências físicas ou sexuais eram comuns. A resistência
escravista ao modelo de explora ção ia da tentativa de fuga ao aborto, passan- do
pelos quilombos, violência contra seus senhores, sabotagem ou suicídio. Apesar de
todos os sofrimentos, os africanos foram fundamentais para a formação da economia e
cultura do Brasil. Hoje de acordo com as pesquisas censitárias cerca de cinquentra por
cendo dos brasileiros são negros ou pardos. A presença da cultura africana está
explícita na religião, na lingua, na culinária, na música, afinal em tudo que constitui a
formação do povo brasileiro.
Hoje as políticas cotas raciais, a valorização da cultura africana nas escolas são uma
pequena ação para reparar séculos de exploração e humilhação do povo negro no
Brasil.
Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:
PRATICANDO- AULA 04
01-É correto dizer que o tráfico negreiro transatlântico contou, em grande parte, com a
participação decisiva:
a) dos nativos africanos que, voluntariamente, ofereciam-se ao processo de
escravidão.
b) dos poderosos reinos africanos, que já praticavam a escravidão há séculos.
c) dos poderosos reinos pré-colombianos, que já haviam dado início à escravização de
africanos antes mesmo do descobrimento da América.
d) dos chineses, que também tinham interesse no uso da mão de obra escrava negra
em suas plantações de soja.
e) dos japoneses, que também tinham interesse no uso da mão de obra escrava negra
em suas plantações de arroz.

02- (ADVISE) A escravidão negra no Brasil teve várias facetas. Dentre as assertivas a
seguir, qual não pode ser considerada uma marca do escravismo brasileiro?
a) A vida nos engenhos era dura e penosa. Por isso, a expectativa de vida dos
escravos era muito pequena.
b) Todos os escravos se reconheciam como iguais e lutaram juntos pelo fim da infame
escravidão.
c) O processo de derrocada da escravidão foi lento e gradual, durando, legalmente
falando, quase quarenta anos (1850-1888).
d) Era relativamente comum ao “preto forro”, caso tivesse algum pecúlio, adquirir um
escravo.
e) Os escravos que conseguiam, ao longo de muitos anos de trabalho duro, juntar
algum cabedal compravam a sua liberdade.

03- (PUC-RIO 2007)


Cartazes, como o acima, registram algumas das características da escravidão na
sociedade brasileira, durante o século XIX.

Com base nas informações contidas no documento e no seu conhecimento acerca da


escravidão, assinale a única opção que NÃO apresenta uma característica correta.

a) Os escravos especializados em algum ofício usufruíam de melhores condições de


trabalho; viviam, nas cidades, como homens livres, e evitavam fugas ou revoltas.
b) O costume de andar calçado era um símbolo de status social que permitia
estabelecer critérios de distinção entre trabalhadores libertos (forros) e escravos
c) A identificação do escravo como “crioulo” apontava para sua condição de nascido
no Brasil, distinguindo-o, do “africano”, o recém-chegado, trazido pelo tráfico.
d) As diferenças entre escravos e “forros”, isto é, cativos que haviam conseguido sua
alforria, em áreas urbanas, eram pouco expressivas em termos de matizes racial.
e) As fugas de escravos, a despeito de sua recorrência, eram compreendidas pelos
proprietários como a perda de um bem constituído, o que justificava o pagamento
de recompensa pela captura.

4- Observe a imagem e leia o texto:


No período imperial brasileiro, muitas mães não
queriam amamentar os seus filhos. Isso acontecia, em
alguns casos, por puro recato. Um historiador apontou que
“o hábito do aleitamento materno seguia a escala inversa da
renda familiar”, ou seja, as mães mais ricas amamentavam
muito menos do que as mães pobres. Para realizar essa
tarefa, algumas famílias alugavam, de outros proprietários,
escravas especializadas em amamentar e cuidar dos bebês
das famílias de classe alta e média, hábito que ocorria tanto
na cidade como no campo. Essas escravas ficaram
conhecidas como “amas de leite”. (ALENCASTRO,
Luiz Felipe de (org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras,
1997, vol.2, p. 63. Adaptado. A prática do aluguel de amas de leite demonstra algumas
características do escravismo brasileiro. Observando a imagem e com base no texto,
podemos concluir que a escravidão do Brasil
a) contribuiu para a produção econômica, sem influenciar a cultura familiar no país.
b) esteve presente no cotidiano social, tanto na zona rural como nos meios urbanos.
c) proibiu os escravos de circularem pelos ambientes domésticos de seus proprietários.
d) manteve negros e brancos separados, evitando qualquer tipo de relação social entre
eles

AULA 5- MINERAÇÃO NO BRASIL E AS PRIMEIRAS REVOLTAS


Em 1654, e economia açucareira no brasil passou por uma grave crise que afetou toda
a colônia. Isso aconteceu devido ao domínio da Holanda no nordeste do Brasil, que
afetou diretamente na produção de açúcar. Frente a isso, houve a necessidade
da intensificação de expedições para o interior do país, com o objetivo de explorar a
terra.
Em cerca de trinta anos descobriram reservas imensas de ouro em Minas Gerais e,
posteriormente, em Goiás e Mato Grosso, dando início ao período chamado Mineração
Colonial no Brasil.
Esse período abrangeu todo o século XVIII, tendo ápice entre 1750 e 1770. Durante
esse período, a vida econômica do Brasil Colônia se concentrou praticamente
no extrativismo mineral somente. 
As duas formas de exploração durante o período de mineração foram:

 Lavras: representava uma empresa onde a mão-de-obra utilizada era a escrava


e as técnicas de extração eram mais apuradas;
 Faiscação: representava a extração individual, realizada principalmente por
homens livres.
O controle da coroa portuguesa no território concentrava-se até então basicamente no
litoral do Brasil.

Entre os séculos XVII e XVIII, cerca de 50% de todo o ouro produzido no mundo foi
extraído do Brasil. Porém, uma pequena parte deste ouro ficou aqui. Os portugueses
criaram vários mecanismos de controle sobre a produção das minas, como o quinto
e as Casas de Fundição. Toda essa riqueza acabava nas mãos da Inglaterra que
fornecia produtos manufaturados pra Portugal.
Com essa exploração de minérios basicamente na região de Minas Gerais o eixo
econômico brasileiro saiu da região nordeste e foi para a região sudeste, onde a capital
do território passou a ser o Rio de Janeiro, como forma de facilitar a fiscalização e
enviar a produção de ouro pelos portos da cidade. A partir da mineração de ouro e
diamantes a sociedade brasileira foi modificada passando de rural para o início de uma
sociedade urbana. Várias cidades importantes surgiram com a riqueza dos metais
HUMANAS
como por exemplo Araxá, Diamantina, entre outras. Nestas a arte principalmente nas
igrejas financiadas pela riqueza criou obras belíssimas conhecidas como Barrocas
tendo principal artista a figura de Aleijadinho. Mas apesar desse desenvolvimento a
escravidão ainda persistia juntamente com a pobreza de boa parte da população.
De toda a riqueza explorada no Brasil um quinto deveria ser enviada para Portugal em
forma de impostos. Vem daí a expressão quinto dos infernos. Como revolta do
população que era obrigada sustentar a corte portuguesa.
A principal revolta por conta dessa exploração surgiu em Minas Gerais que pretendia
entre outras coisas separar o Brasil de Portugal. Não conseguiram se organizar e foram
traídos por um dos inconfidentes, sendo presos e somente Joaquim José da Silva
Xavier (Tiradentes) foi executado pelo império português. Embora a Inconfidência não
se posicionava pelo fim da escravidão (por contar com donos de escravos entre seus
líderes), a Conjuração Baiana, em 1798, obteve forte apoio popular por defender uma
sociedade sem livre. Os governantes baianos contiveram os revoltosos, sendo que mais
de trinta deles foram presos. Desses, quatro acabaram enforcados e esquartejados
como forma de intimidação do povo brasileiro caso pensassem em novas revoltas.

Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 05
01- (Fuvest) No século XVIII a produção do ouro provocou muitas transformações na
colônia. Entre elas podemos destacar:

a) a urbanização da Amazônia, o início da produção do tabaco, a introdução do


trabalho livre com os imigrantes.
b) a introdução do tráfico africano, a integração do índio, a desarticulação das relações
com a Inglaterra.
c) a industrialização de São Paulo, a produção de café no Vale do Paraíba, a expansão
da criação de ovinos em Minas Gerais.
d) a preservação da população indígena, a decadência da produção algodoeira, a
introdução de operários europeus.
e) o aumento da produção de alimentos, a integração de novas áreas por meio da
pecuária e do comércio, a mudança do eixo econômico para o Sul.

02- A atividade mineradora no Brasil concentrou-se, sobretudo, na região de Minas


Gerais, onde foram construídas vilas e cidades como Ouro Preto, Mariana e
Diamantina. Em cidades como essas, é possível ver até hoje os reflexos da vida social
e cultural que surgiu em torno da mineração. Em termos artísticos, podemos dizer que
o gênero de arte largamente praticado em Minas, na época da Mineração, foi:
a) o realismo
b) o surrealismo
c) o barroco
d) o expressionismo abstrato
e) o dadaísmo
03- (UECE 2018.1 - 1ª Fase)

Leia atentamente o seguinte excerto:

“O papel de herói da Inconfidência Mineira cabe ainda a Tiradentes porque ele foi o
inconfidente que recebeu a pena maior: a morte na forca, uma vez que o próprio réu,
durante a devassa, assumiu para si toda a culpa. Sabe-se, no entanto, que sua morte
se deve também em grande parte à acusação dos demais inconfidentes, bem como a
sua condição social: pertencente à camada média da sociedade mineira, sem
importantes ligações de família, sem ilustração nem boas maneiras”.
Cândida Vilares Gancho & Vera Vilhena de Toledo. Inconfidência Mineira. São Paulo,
Editora Ática, Série Princípios,1991. p.45.Sobre a Inconfidência Mineira, ocorrida em
Vila Rica no período da mineração aurífera, é correto afirmar que

a) representou o exemplo de revolta popular contra a dominação colonial portuguesa


no Brasil, uma vez que, oriunda das camadas mais humildes de Minas Gerais, inclusive
escravos, chegou a contagiar indivíduos pertencentes às mais altas posições sociais.
b) foi uma representação dos interesses de grupo da elite local, intelectuais, religiosos,
militares  fazendeiros, em livrarem-se do controle e dos impostos cobrados pela coroa
portuguesa na região, mas não havia consenso em relação à libertação dos escravos.

c) marcou o início do processo de independência do Brasil, baseado na luta armada do


povo contra as forças leais a Portugal, e em defesa dos ideais liberais e republicanos,
como o fim da escravidão, direito ao voto universal masculino e governo
presidencialista.

d) apesar de bem sucedida, com a proclamação da independência de Minas Gerais,


teve pouco impacto na história do Brasil, uma vez que seus objetivos extremamente
populares não foram bem aceitos pelas elites econômicas de outras regiões da colônia.

04) O movimento político organizado na Bahia em 1789 incluía em seu bojo e na sua
liderança mulatos e negros livres ou libertos, ligados às profissões urbanas, como
artesãos ou soldados, bem como alguns escravos. “Os conspiradores defendiam a
proclamação da República, o fim da escravidão, o livre comércio especialmente com a
França, o aumento do salário dos militares, a punição de padres contrários à liberdade.
O movimento não chegou a se concretizar, a não ser pelo lançamento de alguns
panfletos e várias articulações. Após uma tentativa de se obter o apoio do governador
da Bahia, começaram as prisões e delações. Quatro dos principais acusados foram
enforcados e esquartejados. Outros receberam penas de prisão ou banimento.” O texto
anterior refere-se à:
a) Balaiada.
b) Sabinada.
c) Revolução Praieira.
d) Inconfidência Mineira.
e) Conjuração dos Alfaiates ou baiana.
05- E o pior é que a maior parte do ouro que se tira das minas passa em pó e em
moeda para os reinos estranhos e a menor quantidade é a que fica em Portugal e nas
cidades do Brasil...
João Antonil. Cultura e opulência do Brasil por suas drogas e minas,1711.
Esta frase indica que as riquezas minerais da colônia:
a) Produziram ruptura nas relações entre Brasil e Portugal.
b) Foram utilizadas para o pagamento das importações dos produtos
ingleses.
c) Prestaram-se aos interesses dos próprios brasileiros, sem se
preocupar com Portugal.
d) Foram desviadas, majoritariamente, para a Europa por meio do
contrabando.

AULA 6-INDEPENDÊNCIA DO BRASIL- (1808- 1822)


O cenário político em Portugal não estava favorável a família imperial. A corte estava
encurralada entre apoiar os ingleses ou os franceses que estavam em conflito. Porém
Portugal tinha dívidas com as duas nações. A estratégia de Napoleão- imperador
francês era barrar a entrada de mercadorias inglesas na Europa. Como Portugal não
tinha muita escolha, pois os ingleses eram seu principal parceiro comercial se viu
numa situação muito complicada. Os portugueses acabaram por apoiar a Inglaterra e
como reflexo viu seu país sendo invadido pelo exército francês. A consequência foi a
fuga do país carregando o que podiam deixando a população desemparada e sob
ataque francês. A vinda da família real portuguesa para o Brasil ocorreu em 29 de
novembro de 1807 e a comitiva aportou em Salvador (BA), em 22 de janeiro de 1808.
O refúgio no Brasil foi uma manobra do príncipe regente, D. João, para garantir que
Portugal continuasse independente quando foi ameaçado de invasão por Napoleão
Bonaparte. Enquanto as tropas de Napoleão se dirigi- am à Portugal, a família real (e boa
parte da nobreza) fugia, com ajuda inglesa, para o Brasil. Já no Brasil, D. João retribuiu a
ajuda proporcionando a abertura dos portos às nações amigas (1808). Na prática a medida
visava facilitar a entrada de produtos da Inglaterra em território brasileiro.

Como vantagem para o país a chegada da familia real modernizou o país. Ampliando
também a ideía de “liberdade” no povo brasileiro. Mas do outro lado do Atlântico os
portugueses não estavam nada contentes com os rumos da situação. Em 1820 os
portugueses os portugueses exigiam o retorno da família real para seu país de
origem, o que ocorreu no ano seguinte. Porém, um membro da família real ficou em
terras brasileiras. As cortes Portuguesas exigiam a volta de D. Pedro, filho de D. João
que ficara no Brasil, mas em 9 de janeiro de 1822 o príncipe declarou que
permaneceria no Brasil (Dia do Fico).
A influência dos grupos de comerciantes e outros profissionais brasileiros ansiosos
por se livrarem da exploração da corte portuguesa foi muito importante nessa
independência.
O Brasil depois de várias revoltas conseguiria romper os laços com Portugal, em 07
de setembro de 1822. Mas diferente de outros países da América Latina e Estados
Unidos a nossa independência foi controlada pela elite, e não provocou muitas

HUMANAS
mudanças na sociedade, continuando a economia baseada na monocultura, baixo
acesso a educação e a escravidão como suporte do trabalho.
Além de tudo o Brasil teve que indenizar a coroa portuguesa acabando por se
individar com o governo da Inglaterra.
Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 06
01- (UDESC 2009)
O ano de 2008 assinala os duzentos anos da chegada da Família Real ao Brasil. Sobre
isso assinale a alternativa correta.

a) A monarquia que chegava ao Brasil representava, em realidade, boa parte dos


ideais da Revolução Francesa e do liberalismo europeu daquele período.
b) As motivações da vinda da Família Real para o Brasil estão relacionadas mais à
realidade européia do período do que à idéia de desenvolvimento de um Brasil
monárquico e posteriormente independente de Portugal.
c) Foi incentivada a manifestação pública de nossos problemas, seguindo as práticas
liberais e laicas da monarquia portuguesa.
d) Chegando ao Brasil, o monarca trabalhou muito para a ampliação da cidadania.
e) A política de terras foi imediatamente implementada e, em 1810, o Brasil realizava
sua primeira reforma agrária.
02- (ADVISE 2009)

Sobre a vinda da Coroa Portuguesa para o Brasil, é correto afirmar que

a) O bloqueio continental decretado por Napoleão Bonaparte foi a gota d´água para a
mudança da sede da corte.
b) Apesar da vinda da família real para o Brasil, o monopólio comercial de Portugal
continuou.
c) A abertura dos portos brasileiros às nações amigas beneficiou principalmente à
Inglaterra.
d) O tratado de 1810 estabelecia que a taxa alfandegária sobre produtos portugueses
vendidos para o Brasil subiria para 30%.
e) A abertura dos portos beneficiou o desenvolvimento industrial do Brasil.

03- Qual a finalidade do Bloqueio Continental decretado por Napoleão?


a) implantar o Liberalismo Econômico nos países aliados da França.
b) fortalecer as economias Ibéricas tornando estes países aliados da França.
c) fortalecer o comércio externo francês colocando fim ao mercantilismo.
d) enfraquecer a Inglaterra economicamente para depois vencê-la militarmente

04- (FATEC) Em 1808, após chegar ao Brasil fugindo da invasão francesa, o regente
D. João VI decidiu:

a) declarar a libertação dos escravos;


b) anistiar todos os presos das antigas rebeliões nativistas;
c) decretar a abertura dos portos brasileiros às nações amigas;
d) proibir a entrada de produtos ingleses na colônia;
e) iniciar a política da imigração.

AULA 7- O PRIMEIRO REINADO (1822-1831) E PERÍODO DAS


REGÊNCIAS NO BRASIL (1831-1840)
O primeiro reinado teve início após a independência do país. O Brasil precisava se
organizar politicamente, veio uma Constituição que deveria ser aprovada. D. Pedro
queria plenos poderes e fechou a Assembleia Constituinte, por medo de não ter o
poder pleno. Seus representantes aliados fizeram uma constituição lhe dando poderes
plenos. Essa constituição brasileira foi aprovada em 1824 e D. Pedro I era o poder
moderador, podia nomear ou demitir quem ele quisesse, além de controlar os outros
poderes: Legislativo, executivo e judiciário. Afinal o imperador tinha poderes absolutos.

Esse primeiro reinado foi marcado por conflitos internos, como pela Guerra da
independência e a Confederação do Equador que exigiam o fim do poder supremo nas
mãos de D. Pedro e também tinha a intenção de separar o Nordeste fundando um novo
país. Além disso a volta de D. João VI a Portugal deixou um rombo nos cofres do
Banco do Brasil e o açúcar principal produto de exportação nacional estava sofrendo a
concorrência de outros países. Outra derrota para o Brasil foi a perda da Cisplatina o
Brasil perdeu a região do atual Uruguai após a Guerra da Cisplatina, o que causou
ainda mais endividamentos, devido aos custos do conflito.

Já em Portugal após a morte de D. João havia uma disputa política pelo trono portguês.
Após a morte de seu pai D. Pedro deixou de lado a política e os rumos do Brasil,
deixando a população mais descontente. Junte-se a isto teve um conflito entre
brasileiros e portugueses chamado de “noite das garrafadas” o que isolou ainda mais
o imperador pois os brasileiros temiam que ele se aliasse novamente à corte
portuguesa e o Brasil voltasse novamente a condição de colônia.

Sem o apoio político e popular D. Pedro se viu pressionado a abdicar do trono em


favor de seu filho D. Pedro II mesmo ainda sendo menor de idade. Este foi o chamado
Golpe da Maioridade (1840), dando poderes ao novo imperador que na época tinha
apenas 14 anos. Para isto até completar a maioridade o país passou para o período de
regências, onde um responsável lega governou o país até a maioridade do príncipe.

Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:


PRATICANDO- AULA 07
01- Entre as causas da abdicação do trono por parte de D. Pedro I, está:
a) a União Ibérica, entre Portugal e Espanha.
b) revoltas locais, como Revolução Farroupilha.
c) a crise financeira de 1829, que ocasionou o fechamento do Banco do Brasil.
d) a crise de legitimidade pelo não uso do Poder Moderador.
e) o processo de Impeachment protocolado por senadores da época.

02- A independência do Brasil, realizada por D. Pedro I, resultou em uma:

a) Ruptura completa com a ordem política existente até aquele momento.


b) Fase de amplo desenvolvimento econômico.
c) Época de afastamento completo da influência portuguesa.
d) Manutenção na ordem monárquica e das estruturas sociais.

03- (FUVEST) – O sistema eleitoral adotado no Império Brasileiro estabelecia o voto
censitário. Esta afirmação significa que:
a) o sufrágio era indireto no que se referia às eleições gerais
b) para ser eleitor era necessário possuir uma determinada renda anual
c) as eleições eram efetuadas em dois turnos sucessivos
d) o voto não era extensivo aos analfabetos e às mulheres
e) por ocasião das eleições, realizava-se o recenseamento geral da população.

04-Observe a charge a seguir.


A charge satiriza a Constituição de 1824. Assinale a alternativa que caracteriza essa
primeira constituição brasileira.
a) Foi uma constituição de caráter liberal, pois limitou os poderes do imperador e
garantiu a autonomia dos demais poderes.
b) Essa constituição foi promulgada pela Assembleia Nacional Constituinte e adotou o
voto censitário, que garantiu o direito de participação política para as camadas
populares. c) Era uma constituição democrática, pois instituiu o voto universal e
secreto, garantindo a participação política da maior parte da população brasileira.
d) D. Pedro I outorgou essa constituição, que ampliava seus poderes, colocando-o
acima de todos os outros.
e) Foi uma constituição inspirada nas ideias iluministas, e, por isso, determinou a
abolição da escravidão no Brasil, garantido a igualdade entre todos os brasileiros.

AULA 8- O SEGUNDO REINADO- ERA DE D. PEDRO II


O Segundo Reinado foi o período da história brasileira em que o país de mudanças
expressivas na economia e sociedade. Ele iniciou em 1840, quando D. Pedro II foi
coroado imperador e terminou em 1889 quando ocorreu a Proclamação da República,
sendo o fim da monarquia do Brasil.
Neste período o país passou por várias transformações inclusive por uma Guerra que
trouxe grande prejuízo ao país- Guerra do Paraguai.
Quanto a política existiam dois partidos o Liberal e o Partido Conservador. Como havia
conflitos entre esses dois partidos para acalmar os conflitos pela disputa pelo poder o
Imperador optou pelo revezamento entre os dois.
Na economia, o café estabeleceu-se como nosso principal produto, e, entre 1840 e
1860, aconteceu um período de prosperidade conhecido como Era Mauá. Com os
lucros obtidos pelo produto, exportado em grande escala par ao mundo inteiro as
cidades cresceram e algumas tiveram algumas se modernizaram como foi o caso do
Rio de Janeiro, que era na época a capital do Império.
Do ponto de vista da sociedade o trabalho escravo ainda era o motor que sustentava a
economia brasileira. Mas com a industrialização na Europa o Brasil passou a ser
pressionado principalmente pela Inglaterra, seu principal aliado econômico, para que
abolisse a grande população escrava, tendo assim um crescimento de trabalhadores
assalariados e possíveis consumidores. Neste período a indústria brasileira
praticamente não existia. Quase tudo que era fabricado tinha que ser importado da
Europa ou Estados Unidos.
O Brasil era um país essencialmente agrário. Sua economia estava toda envolvida com
a monocultura do café.
A Guerra do Paraguai foi um divisor de águas na história do Segundo Reinado. Nessa
guerra o Brasil entrou na luta contra o Paraguai entre os anos de 1864-1870,
consumindo muito das reservas do país. Os militares participantes da guerra foram o
grupo de maior envolvimento de pois com a Proclamação da República, pois acabou
sendo um militar que proclamou e pôs fim a monarquia no Brasil.
Os escravos que participaram como voluntários da Guerra no Paraguai foram
importantes também para a implantação de ideias abolicionistas. Somando também a
promulgação de algumas leis para minimizar a escravidão como a Lei Eusébio de
Queirós (1850) que proibia o tráfico negreiro, sendo fiscalizado pela Inglaterra que tinha
interesses em acabar com a escravidão. Tivemos também a Lei do Ventre Livre (1871)
onde a partir desta data os nascidos nas senzalas eram considerados livre e a Lei do
Sexagenário (1885) onde escravos com 60 anos eram libertos, fato contraditório pois
após décadas de escravidão, fome, torturas e trabalhos forçados poucos
ultrapassavam essa idade.
Somente em 1888, foi promulgada a Lei Áurea pela então regente Princesa Isabel. Isto
provocou um descontentamento dos grandes fazendeiros que queriam uma
indenização pelos escravos que haviam comprado. Onde passaram a apoiar a
República.
Esse acontecimento não teve a participação popular e em 1889, em 15 de novembro,
os militares proclamaram a república no Brasil.
Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 08
01- (UNESP) – A expansão da economia do café para o Oeste Paulista, na segunda
metade do século XIX, e a grande imigração para a lavoura de café trouxeram
modificações na história do Brasil, como:
a) o fortalecimento da economia de subsistência e a manutenção da escravidão.
b) a diversificação econômica e o avanço do processo de urbanização.
c) a divisão dos latifúndios no Vale do Paraíba e a crise da economia paulista.
d) o fim da república oligárquica e o crescimento do movimento camponês.
e) a adoção do sufrágio universal nas eleições federais e a centralização do poder.

02- É correto afirmar que a lavoura cafeeira brasileira, ao longo do século XIX:
a) Foi favorecida pelas condições climáticas do Nordeste do Brasil.
b) Tornou o café o principal produto agrícola brasileiro por século.
c) Foi superada pela produção de açúcar e tabaco.
d) Não encontrou terrenos férteis suficientes para produção em larga escala.
03- Sobre a Lei Eusébio de Queiroz, assinale a alternativa que pode ser apontada
como correta sobre essa lei brasileira:
a) Facilitou a vinda de mão de obra escrava, pois era necessário aumentar a
quantidade de trabalhadores no país.
b) Proporcionou a queda do preço estimulado para a compra de escravos, facilitando a
compra de escravos.
c) Aumentou a quantidade de escravos, pois tornou autorizado a captura de indígenas.
d) Estimulou a vinda de imigrantes europeus, já que faltava mão de obra no país.

04- (FESP) – Assinale a alternativa que não contém uma característica referente ao


período do Segundo Reinado (1845 – 1889):
a) fim do tráfico negreiro;
b) elaboração da primeira Constituição brasileira;
c) domínio do café no quadro das exportações brasileiras;
d) início da propaganda republicana;
e) participação na Guerra do Paraguai.

AULA 9- A REPÚBLICA VELHA

Este foi o período da primeira República do país, conhecido também como República
da Espada, por conta dos militares que foram os dois primeiros presidentes do país
sendo: Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto.
Apesar da mudança política no país não tivemos muitas alterações nos primeiros anos
de república. Em relação a eleições a corrupção era comum, havia o chamado voto de
cabresto e também não tinha o voto universal, ficando os mesmos grupos disputando
os poderes. Surgiram neste período movimentos de protesto pela terra como foi o caso
de Canudos (BA) e Contestado (PR e SC), além de movimentos nas cidades grandes
como a Revolta da Vacina no Rio de Janeiro que mostravam o descontentamento do
povo com o governo da época.
Os governos se revezavam entre políticos de São Paulo e Minas Gerais, chamada de
república “café com leite” o que desagradava os outros estados. Esse também foi
conhecido como república das Oligarquias, pois sempre quem ocupava o poder eram
os fazendeiros ou comerciantes ricos. Nesse período apenas três presidentes eleitos
(Hermes da Fonseca, Epitácio Pessoa e Washington Luís) não procediam dos Estados
de Minas Gerais e de São Paulo.

Nas cidades a classe operária (compostas por muitos imigrantes europeus como
italianos, alemães, espanhóis) realizou manifestações contra a condições de trabalho
e os artistas se mobilizaram criando em 1922 a Semana de Arte Moderna, sendo um
acontecimento histórico e de identidade da cultura brasileira com reflexos até os dias
de hoje, lançando artistas no cenário internacional como Anita Mafalti, entre outros.

Outro movimento importante também foi o movimento tenentista que lutava pela
democratização do país e pelo fim das fraudes nas eleições.

Mas em 1929 o mundo passou por uma das suas maiores crises financeiras, com a
quebra da bolsa de Nova Yorque (EUA). Como o Brasil dependia da exportação dos
produtos agrícolas para sobreviver, principalmente o café, não conseguia vender sua
produção. O preço do produto caiu muito, levando muitos fazendeiros a ruína.
Pediram ajuda para o governo federal para que comprasse a produção, mas não foram
atendidos. Nas próximas eleições para presidente em 1930 Washington Luís deu apoio
ao paulista Júlio Prestes. Já a aliança Liberal apoiou o candidato Getúlio Vargas.

Foi um período eleitoral marcado por fraudes e violências para tentar vencer. Nesta
época Júlio Prestes, apoiado pelo governo ganhou, porém a Aliança Liberal não
reconheceu e iniciou vários protestos para tentar reverter. Juntando a isso o vice de
Getúlio Vargas foi assassinado (João Pessoa). Sob pressão dos militares e pela
oposição o atual presidente e a Revolução de 1930 levou ao poder o então candidato
Getúlio Vargas.

Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 09
01- “O Brasil entra no século XX como 17 318 556 milhões de habitantes (...) e deles
faz parte um elemento recente, os mais de 800 mil imigrantes europeus que
ingressaram no país só nas últimas décadas.” (100 Anos de República - Um retrato Ilustrado da História do Brasil.
1889-1903. vol.1. Ed. Abril. São Paulo, 1989)

A imigração marcou a fisionomia do Brasil e os contingentes de imigrante, nesta época,


vieram principalmente dos seguintes países:

a) Itália e Alemanha
b) Espanha e Irlanda
c) Estados Unidos e Japão
d) Itália e França

02- A República Velha (1894-1930) foi caracterizada por:

a) Por um período de paz completa em todo território nacional.


b) Pela alternância de poder entre os partidos estaduais realizado pelo sufrágio
universal masculino.
c) Por uma ascensão social dos libertos pela lei de 13 de maio de 1888.
d) Pela dominação das elites agrárias estaduais, especialmente as de São Paulo e
Minas Gerais.

03- O período da história política brasileira que vai de 1889 a 1930 costuma ser
designado pelos historiadores de diferentes modos: República Oligárquica, República
do 'Café-com-Leite', República Velha ou Primeira República. Neste período, em troca
de “favores”, os coronéis exigiam que os eleitores votassem nos candidatos por eles
indicados. Tal prática ficou conhecida como “voto de cabresto”.
COTRIM, 2009, modicado.
As duas expressões grifadas (“coronéis” e “voto de cabresto”) referem-se,
respectivamente:
a) Aos grandes proprietários de terras e ao voto secreto.
b) Aos oficiais de carreira que exerciam cargos políticos e ao voto censitário.
c) À influência de oficiais do Exército na tomada de decisões políticas e ao voto
censitário.
e) Aos grandes proprietários de terras e ao voto aberto dado sob pressão.

04- A Semana de Arte de São Paulo, em 1922, provocou uma inflexão nas artes do
Brasil, porque:

a) Introduziu conceitos da vanguarda europeia no cenário artístico brasileiro.


b) Reafirmou a estética do realismo socialista na obra de artistas como Tarsila do
Amaral e Anita Mafalti.
c) Impôs a reflexão nacionalista ligada aos movimentos de direita que começavam a
surgir na Europa como o fascismo.
d) Consagrou a estética do saudosismo ao privilegiar o passado como tema das obras
artísticas.

AULA 10- A ERA DE GETÚLIO VARGAS

O governo de Getúlio Vargas, também é chamado de Era Vargas por conta do longo
tempo que ele permaneceu no poder. Começou em 1930, após a Revolução de 1930 e
acabou em 1945 quando o presidente foi deposto do cargo. Foi um governo bastante
controverso e centralizado. Teve inicio com um governo provisório, após a revolução,
porém o povo era contrário a política de nomeação de interventores pelo presidente e
exigiam um nova constituição. Isso levou a revolução constitucionalista liderada pelo
governo paulista. Porém não teve apoio de outros estados e em 1932 o governo de
Vargas derrotou a revolta. No final Getúlio concedeu um acordo com os revoltosos e
uma assembleia constitucionalista foi elaborada.
O governo Vargas foi marcado por ser ao mesmo tempo populista e ditatorial. No seu
governo foi instituído o voto secreto e também o voto feminino. Conquistas para os
trabalhadores também foram implementadas, como por exemplo a regulamentação do
trabalho feminino e infantil, as férias, a jornada de trabalho dentre outros.
Getúlio manteve-se no poder por uma eleição indireta, na qual é eleito pelo congresso.
A constituição inaugura a segunda fase da Era Vargas: o governo constitucional (1934-
1937). Esse período é encarado como uma preparação para a ditadura do governo
Vargas. Ele acabou permanecendo no poder até 1945, onde de pois foi forçado à
renunciar por conta da pressão dos militares.
Durante seu governo utilizou muito da propagando e da expressão “pai dos pobres”
para divulgar as suas ações populistas e por outro lado a censura dos meios de
imprensa era muito forte, principalmente aos partidos contrários ao seu governo, por
exemplo o partido comunista que teve vários dos seus membros deportados ou
executados. Outra situação contraditória do governo foi durante a Segunda Guerra
Mundial, onde seu governo permaneceu neutro só declarando guerra aos países do
Eixo (Alemanha, Japão e Itália) após as pressões da Europa dos Estados Unidos. Fato
este que ao entrar na guerra contra o Eixo os Estados Unidos passaram a investir na
economia brasileira utilizando também nosso litoral como base para o exército
americano.
Ao mesmo tempo que enviava soldados brasileiros para defender a democracia na
Europa mantinha o país sob uma ditadura. Após a Segunda Guerra a população exigia
mais liberdade e Vargas não pode mais se manter no poder, saindo em 1945.
Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 10
01- (Cesgranrio) O regime político conhecido como Estado Novo implantado por golpe
do próprio Presidente Getúlio Vargas, em 1937, pode ser associado à(ao):

a) radicalização política do período representada pela Aliança Nacional Libertadora, de


orientação comunista, e pela Ação Integralista Brasileira, de orientação fascista.
b) modernização econômica do país e seu conflito com as principais potências
capitalistas do mundo, que tentavam lhe barrar o desenvolvimento.
c) ascensão dos militares à direção dos principais órgãos públicos, porque já se
delineava o quadro da Segunda Guerra Mundial.
d) democratização da sociedade brasileira em decorrência da ascensão de novos
grupos sociais como os operários.
e) retorno das oligarquias agrárias ao poder, restaurando-se a Federação nos mesmos
moldes da República Velha.

02- A Revolução de 1932 pode ser explicada pela:


a) Tentativa de recuperação do poder pela oligarquia paulista.
b) Frustração dos tenentes que foram afastados do poder.
c) Manipulação política das oligarquias nordestinas.
d) Luta exclusiva em torno de uma nova Constituição.
e) Insatisfação contra a ditadura de Getúlio Vargas.

03- O Estado Novo, período que se seguiu ao golpe de Getúlio Vargas (10/11/1937 até
29/10/1945) caracterizou-se:
a) Pela centralização político-administrativa, eliminação da autonomia dos estados e
extinção dos partidos políticos;
b) Pela proliferação de partidos políticos, revogação da censura, descentralização
político administrativa;
c) Pelo apoio ao comunismo internacional;
d) Pelo movimento tenentista, reconhecimento dos partidos de esquerda e
estabelecimento das eleições diretas;
e) Pela formação de uma Assembleia Constituinte que votaria a Constituição de 1937,
conhecida como a mais liberal da República.
04- Em 1935, o governo brasileiro começou a negar vistos a judeus. Posteriormente,
durante o Estado Novo, uma circular secreta proibiu a concessão de vistos a “pessoas
de origem semita”, inclusive turistas e negociantes, o que causou uma queda de 75%
da imigração judaica ao longo daquele ano. Entretanto, mesmo com as imposições da
lei, muitos judeus continuaram entrando ilegalmente no país durante a guerra e as
ameaças de deportação em massa nunca foram concretizadas, apesar da extradição
de alguns indivíduos por sua militância política.
GRIMBERG, K. Nova língua interior: 500 anos de história dos judeus no Brasil. In:
IBGE.
Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro: IBGE, 2000 (adaptado).
Uma razão para a adoção da política de imigração mencionada no texto foi o(a)
a) receio do controle sionista sobre a economia nacional.
b) reserva de postos de trabalho para a mão de obra local.
c) oposição do clero católico à expansão de novas religiões.
d) apoio da diplomacia varguista às opiniões dos líderes árabes.
e) simpatia de membros da burocracia pelo projeto totalitário alemão.

5- Em relação ao governo Getúlio Vargas instituiu uma imagem descrita como “pai
dos pobres”, em grande parte devido às (aos):
a) Medidas de caráter populista, atraindo as massas trabalhadoras
b) Medidas revolucionárias introduzidas com a reforma agrária.
c) Restrições econômicas impostas aos industriais brasileiros
d) Restrições rígidas impostas à burguesia nacional e internacional.
e) Apoio ao partido comunista no Brasil.

AULA 11- O PERÍODO DEMOCRÁTICO POPULISTA (1946-1964)

Com o fim da Era Vargas tem início no Brasil da chamada Quarta República, também
conhecida como República Populista, começando em 1946.
O primeiro presidente eleito neste período foi Eurico Gaspar Dutra. Mas em 1950,
Getúlio Vargas venceu a eleição voltando a Presidência, desta vez não pelo golpe mas
pelo voto da população. Voltando ao poder pretendia implantar uma política
nacionalista, período este em que foram criadas várias estatais no país. A mais
importante era a que controlaria daí por diante a exploração do petróleo no Brasil:
Petrobrás. De acordo com o governo o lucro da exploração do petróleo deveria ficar
aqui no país, criando o lema “o petróleo é nosso”. Mas a pressão da sociedade e das
principais forças políticas, tendo como figura de destaque o Carlos Lacerda, que
criticava muito Getúlio. Para piorar Lacerda sofreu um atentado sendo que as
investigações chegaram a participação de apoiadores de Getúlio. Por conta de toda
essa pressão o presidente Getúlio Vargas e em 24 de Agosto de 1954 cometeu
suicídio finalizando a Era Vargas.
No ano de 1956, assume a presidência do país o mineiro Juscelino Kubistchek, com a
propaganda de promover a mudança de “50 anos em 5”, através do “Plano de Metas”,
que envolvia ações relacionadas a industrialização, transportes, energia, alimentação e
educação. Todas essas mudanças foram impulsionadas pela entrada do capital
estrangeiro como por exemplo a implantação das indústrias de automóveis americanas
e alemãs.
Outra mudanças significativa foi a construção de uma capital no centro oeste do Brasil,
Goiás. Mas tudo isto custou ao país muitas dívidas, com uma grande inflação, greves e
agitação.
Com a nova eleição assume o cargo o então candidato Janio Quadros em 1960.
Assumiu o país com medidas bastante polêmicas, uma em destaque foi a aproximação
do Brasil com a extinta URSS- União das repúblicas socialista soviéticas, isto em plena
Guerra Fria entre americanos e russos. Entre os atos que mais chamaram a atenção foi
a condecoração do guerrilheiro Che Guevara e o envio do vice-presidente João Goulart
à China comunista.
Esse período da história mundial os países eram pressionados a tomar uma posição,
ou se aliavam aos americanos ou aos russos. Por conta da pressão internacional e
dentro do país o presidente Janio Quadros acabou renunciando ao cargo. Isto
provocou um abalo na política e na vida dos brasileiros. Aliado a isto o vice João
Goulart não era bem visto pela classe política por conta das ideias que na época eram
tidas como comunistas, como por exemplo estava uma grande Reforma Agrária, coisa
impensada naquele período.
Para tentar contornar a situação Goulart assumiu o cargo mas por um sistema
parlamentarista, com poderes reduzidos. A classe política e militar controlada pela elite
com medo da implantação de reformas radicais e de acordo com suas opiniões
chamadas de comunistas, organizaram um golpe militar em 31 de março de 1964,
depondo o presidente e com o apoio do serviço secreto americano que via no então
governo uma ameaça aos seus interesses econômicos. Acabou então a fase
democrática do Brasil.

Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 11
01- Sob a presidência de Juscelino Kubitschek (1955-1961), a nação brasileira assistiu
à criação de Brasília, – considerada, pela UNESCO, patrimônio cultural da humanidade
– e vivenciou:

a) momentos de euforia resultantes, em boa parte, da política desenvolvimentista de


incremento à indústria nacional e aumento do poder aquisitivo da classe média.
b) importante papel político para a aproximação dos países da América Latina com os
Estados Unidos, em vista da estratégica posição do Brasil no Atlântico Sul.
c) época de forte repressão política ao operariado e descaso para com a interiorização
do desenvolvimento econômico.
d) um período predominantemente liberal, em termos econômicos, o que pode ser
exemplificado pelo início da construção da Companhia Siderúrgica Nacional.
e) uma forte recessão econômica em que a indústria nacional não deu sinais de
crescimento e o poder aquisitivo da classe média caiu.
02- O período comumente denominado de “anos dourados” marcou uma etapa da
recente história brasileira associada ao desenvolvimentismo (abertura de rodovias,
expansão da rede hidrelétrica, implantação da indústria automobilística,
descentralização da capital) e à atmosfera cultural marcada pelo surgimento da Bossa
Nova. A que governo tal período está associado:
a) Juscelino Kubistchek
b) João Goulart
c) Getúlio Vargas
d) Eurico Gaspar Dutra
e) Jânio da Silva Quadros

03- Sobre os presidentes Jânio Quadros e João Goulart, é correto afirmar que:
a) Fizeram governos marcados pela estabilidade política e econômica.
b) A situação política internacional não influenciou esses governos.
c) Na história republicana brasileira, Quadros foi quem ficou mais tempo no poder.
d) Por motivos diferentes, ambos não concluíram seus mandatos presidenciais.

04- (Cesgranrio) Após a renúncia de Jânio Quadros, em 25 de agosto de 1961, os


ministros militares julgaram inconveniente à segurança nacional o regresso do
presidente João Goulart (então no estrangeiro) ao Brasil, a fim de tomar posse.
Temendo a deflagração de uma guerra civil ou golpe militar, o Congresso contornou a
crise aprovando um Ato Adicional à Constituição de 1946 para limitar os poderes do
novo presidente. Por esse Ato Adicional:
a) Foi instaurado o sistema parlamentarista de governo.
b) O vice-presidente não seria mais considerado presidente do Congresso Nacional.
c) Admitia-se a pena de morte para os casos de subversão.
d) Instalava-se a Revolução de 1964
e) Estabeleceu-se o Ato Institucional nº 5, e o Congresso entrou em recesso.
AULA 12- A DITADURA NO BRASIL (1964-1985)
O governo militar no Brasil começou em 1964 com a deposição do então presidente
João Goulart pelos militares do país. Após a sua saída foi instituído pelos militares o AI-
1, que com 11 artigos dava ao governo militar o poder de modificar a constituição,
extinguir mandatos legislativos, interromper direitos políticos por 10 e demitir, colocar
em disponibilidade ou aposentar qualquer um que fosse considerado contra as ideias
de segurança no país. Neste período tivemos um fortalecimento do poder central, indo
contra outros poderes estabelecidos pela Constituição de 1946. Os membros do alto
comando das Forças Armadas passaram a controlar o poder e definir sem eleições os
próximos presidentes do Brasil. Acontecimento comum neste período foi o fim da
liberdade de expressão e da organização existente. Os partidos políticos, sindicatos,
agremiações estudantis e outras organizações representativas da sociedade foram
diminuídas ou tinham sob seu funcionamento a interferência do governo militar. A
televisão, revistas, jornais, teatros, músicos tinham sofriam neste período uma censura
ferrenha sobre tudo que seria divulgado. Em 1968 a repressão foi ampliada com o
governo Costa e Silva através do Ato Institucional nº5 (AI-5), dando mais poderes aos
militares e aumento das ações contra os que se manifestavam contra o governo. O
governo fazia a propagando do “Milagre Econômico”, “ninguém segura este país”,
amparado pelo otimismo econômico e aumento das ofertas de emprego. Mas inflação
só crescia e a concentração de renda.
Os próximos presidentes militares forma Médici e Geisel, que ampliaram o sistema
voltado ao nacional-desenvolvimentista, porém com algumas diferenças na condução
política. Médici deu sequência “linha dura” com a repressão, controle da imprensa,
tortura, prisões arbitrárias e execuções daqueles que eram contrários ao governo. Em
1974, assume o general Geisel, que iniciou uma abertura a democracia, criando a Lei
de Anistia, de 1979. Essas ações foram continuadas pelo último general do período
militar, Figueiredo. Foi no seu governo que o país passou por uma transição política,
mesmo que de forma indireta, apesar de muitos protestos, o congresso elegeu o
primeiro presidente civil do Brasil- Tancredo Neves em 1985.
Tancredo nem chegou a assumir o poder, falecendo antes de assumir o cargo, subindo
ao poder então o seu vice José Sarney. Somente em 1989 o Brasil teve a oportunidade
de escolher um presidente através de uma eleição direta, o então candidato Fernando
Collor de Mello.
Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 12
01- Em 1964 houve uma ruptura institucional no Brasil com o golpe militar que
implantou o regime autoritário por um período de mais de duas décadas. Com base nos
conhecimentos referentes a esse período histórico, assinale a afirmativa correta:
a) Foi uma fase de censura, de repressão política e de fortalecimento dos serviços
secretos de informação.
b) Durante o regime militar, prevaleceu a estagnação econômica, com baixos índices
de crescimento da economia.
(c) Embora a sustentação do regime fosse militar, os presidentes eram civis.
d) Foi o período do desenvolvimento neoliberal, caracterizado pelo fim dos monopólios
estatais

02- (Enem/2010)

Ato Institucional nº 5- Art. 10 - Fica suspensa a garantia de habeas corpus, nos casos
de crimes políticos, contra a segurança nacional, a ordem econômica e social e a
economia popular.

Art. 11 – Excluem-se de qualquer apreciação judicial todos os atos praticados de


acordo com este Ato Institucional e seus Atos Complementares, bem como os
respectivos efeitos. Disponível em: http://www.senado.gov.br. Acesso em: 29 jul. 2010.Nos artigos do AI-5
selecionados, o governo militar procurou limitar a atuação do poder judiciário, porque
isso significava
a) a substituição da Constituição de 1967
b) o início do processo de distensão política
c) a garantia legal para o autoritarismo dos juízes
d) a ampliação dos poderes nas mãos do Executivo
e) a revogação dos instrumentos jurídicos implantados durante o regime militar de 1964

03- (FURG/2006) A Campanha das "Diretas-Já" foi um episódio marcante ocorrido na


década de 1980, constituindo um dos significativos momentos do processo histórico
brasileiro conhecido como:

a) republicanização
b) coligação
c) redemocratização
d) militarização
e) conciliação

04- Embora muito se fale do “Milagre Econômico”, ele durou apenas seis ou sete
anos, num período de 21. A dívida externa foi multiplicada por 30, mas grandes
obras de infraestrutura foi construída sob os militares. Que obra de infraestrutura
foi construída durante a ditadura militar?

a) Biblioteca Nacional (RJ)


b) Hidrelétrica de Belo Monte (PA)
c) Ponte Rio-Niterói (RJ)
d) A ferrovia de Tubarão (SC)

AULA 13-BRASIL CONTEMPORÂNEO


Final do século XX e início do século XXI, muitas mudanças revolucionaram o modo de
pensar, a economia, a sociedade e a política. Até então o de modelo devida era quase
que pronto.
Com as revoluções por liberdade nos séculos anteriores, tivemos reflexos significativos
no mundo que enxergamos hoje. Por exemplo até o século XIX a escravidão era visto
como algo comum e tinha o apoio do Estado e das leis. Nos Estados Unidos a
escravidão acabou em 1863, já no Brasil só terminou em 1888, praticamente fomos o
ultimo país a abolir o trabalho escravo.
Mas este fim da escravidão não significou nos Estados Unidos principalmente o direito
a uma posição como cidadão americano. A segregação racial no país era
institucionalizado, por exemplo escolas de brancos e escolas de negros, bairros de
brancos, bairros de negros, uso de banheiros públicos, transportes, etc.
O movimento de negro tomou força com figuras importantes como o pastor Martin
Luther King Jr, dentre outros que lutaram e muitos morreram em busca de igualdade
racial no país.
Já no Brasil não havia uma segregação institucionalizada, mas o preconceito, a falta de
acesso a escola, ao emprego sempre foi muito difícil para a população negra e
descendentes.
Embora infelizmente ainda exista trabalho escravo no Brasil principalmente em
fazendas nas regiões Norte e Centro-Oeste, garimpos, etc.
A concentração de renda no Brasil é um fato ainda que impede o desenvolvimento da
sociedade e acesso a meios básicos de qualidade de vida nas cidades (água, esgoto,
escolas, segurança).
Tivemos avanços no campo da política no Brasil e em outros países do mundo. Várias
ditaduras caíram principalmente na América Latina, fim do comunismo na Europa
Oriental, etc.
O surgimento das ONGs é um fenômeno típico do século XXI, organizações criadas
pela sociedade civil para resolver problemas como por exemplo meio ambiente, fome,
exploração infantil, dentre outras. Muitas delas acaba por ocupar a função que deveria
ser exercida pelo Estado, como por exemplo aquelas que atuam para dar educação de
qualidade nas grandes favelas.
A ampliação das comunicações, principalmente da internet, proporcionou ao mundo
mudanças gigantescas, os fatos acontecem ao redor do mundo todo e em questão de
segundos todos ficam sabendo sobre o acontece em qualquer lugar em tempo real.
Resta ao mundo, ao Brasil fazer com que a mudanças possam proporcionar mais
liberdade social, igualdade política e desenvolvimento econômico que traga benefícios
a toda a população, não somente para a elite.

Registre suas conclusões sobre o que estudou até este ponto:

PRATICANDO- AULA 13
01- No que diz respeito ao direito à propriedade da terra expresso na Constituição de
1988, é incorreto afirmar que:
a)      Os povos indígenas teriam direito à demarcação de suas terras;
b)      Os povos quilombolas teriam direito à demarcação de suas terras;
c)      A propriedade privada da terra é inviolável, desde que cumpra sua função social;
d)     A propriedade privada da terra é inviolável, independente de cumprir ou não sua
função social.

02- A Constituição de 1988, conhecida como “constituição cidadã”, foi considerada uma
grande conquista democrática após mais de duas décadas de regimes militares por
garantir amplos direitos à população brasileira, em vários âmbitos da vida social.
Aponte, dentre as alternativas abaixo, qual direito não está garantido na Constituição
de 1988.
a)      Direito de voto a toda a população, incluindo analfabetos e adolescentes maiores
de 16 anos.
b)      Direito ao acesso à Previdência Social pelos trabalhadores do campo.
c)      Garantia do direito amplo de greve aos trabalhadores
d)     Direito das forças policiais de praticarem a tortura para obter confissões.

03- De acordo com o Art. 5º – todos são iguais perante a lei, sem distinção de
qualquer natureza. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988.
Com base no artigo constitucional acima referido
a) É permitida a perseguição aos homossexuais.
b) É permitida a perseguição religiosa.
c) É proibida a eleição de mulheres para cargos executivos.
d) É proibida a discriminação racial.
e) É permitido a tortura no país.

04- A partir da década de 1970, evidenciou-se uma nova configuração do mundo


contemporâneo que já se encontrava em gestação há séculos, marcada pelas
ininterruptas revoluções tecnológicas e pelo aprimoramento dos meios de comunicação
e transporte. Esse fator gerou transformações no cenário comercial, intensificando não
só as trocas econômicas entre os países, mas a interligação das redes do capital
financeiro e do mercado de ações.
O processo acima descrito está associado ao conceito de:
a) recrudescimento social
b) liberalização comercial
c) financeirização do mercado
d) virada sociocultural
e) globalização econômica

GABARITO

Aula 01 AULA 06 AULA 11


1-A 1-B 1-A
2-B 2-C 2-A
3-D 3-D 3-D
4-C 4-A
AULA 02 AULA 07 AULA 12
1-A 1-C 1-A
2-A 2-D 2-D
3-D 3-B 3-C
4-B 4-D 4-C

AULA 03 AULA 08 AULA 13


1-C 1-B 1-D
2-D 1-B 2-D
3-C 3-D 3-D
4-E 4-D 4-E
AULA 04 AULA 09
1-B 1-A
2-B 2-D
3-A 3-E
4-B 4-A
AULA 05 AULA 10
1-E 1-A
2-C 2-A
3-B 3-A
4-E 4-E
5-B 5-A