Você está na página 1de 21

A TEORIA BEHAVIORISTA E SUAS IMPLICAÇÕES

PARA A REFLEXÃO SOBRE O PROCESSO DE


ENSINO-APRENDIZAGEM
OBJETIVOS
• Conhecer as principais características da Teoria Behaviorista;
• Conceituar a aprendizagem a partir desta Teoria;
• Refletir sobre as principais implicações da Teoria Behaviorista para o
processo de ensino-aprendizagem.

Fonte: Google Imagens


O QUE É O BEHAVIORISMO?
• Uma corrente de pensamento que surge no século XX, como uma vertente
metodológica, objetiva e científica baseada na comprovação experimental,
concentrando-se no estudo do comportamento (aprendizagem, estímulo e reações de
respostas etc.) e na concretude dos fatos.
• Do inglês behaviourism, o termo behaviour/behavior significa conduta,
comportamento.
• O termo behaviorismo foi introduzido pelo americano John B. Watson em um artigo
de 1913 que apresentava o título “Psicologia: como os behavioristas a veem”.

(Coelho & Dutra, 2018).


AS TRÊS GERAÇÕES DA TEORIA
BEHAVIORISTA
• A primeira geração: Behaviorismo Metodológico
• A segunda geração: Behaviorismo Radical
• A terceira geração: Behaviorismo Social

Fonte: Google Imagens


BREVES ANTECEDENTES
Ivan Pavlov
• Fisiologista russo, que influenciou o behaviorismo graças aos seus
experimentos realizados com cães;
• Foi através da técnica do condicionamento que tornou se possível estudar os
processos de elaboração do comportamento;
• Conceitos importantes:
• Estímulo incondicionado;
• Resposta condicionada;
• Estímulo condicionado.
Fonte: Google Imagens
• Condicionamento clássico: Processo de aprendizagem se dá através da
associação de estímulo e resposta (E – R).
(Moreira, 1999; Couto, 2018).
CONDICIONAMENTO CLÁSSICO

Fonte: Google Imagens


BEHAVIORISMO METODOLÓGICO
John B. Watson
• Considerado o fundador do Behaviorismo, defendia que a Psicologia deveria ser
uma área pertencente às ciências naturais, tratando, objetivamente e por meio de
procedimentos experimentais, o estudo da conduta humana;
• O Behaviorismo Metodológico tem como base o realismo;
• Focaliza mais os estímulos que as consequências e foi influenciada pelo
condicionamento clássico;
• Para Watson, toda aprendizagem era condicionamento clássico.

(Moreira, 1999; Couto, 2018).

Fonte: Google Imagens


BEHAVIORISMO METODOLÓGICO
Experimento “O Pequeno Albert” de Watson

Fonte: Google Imagens


IMPLICAÇÕES PARA O PROCESSO DE
ENSINO-APRENDIZAGEM
• Encontramos em Watson uma concepção mecanicista de aprendizagem cuja causa está,
necessariamente, em um acontecimento anterior, que produz um determinado efeito sobre o
indivíduo;
• Os alunos necessitam de receber um estímulo ao qual darão uma resposta, sendo todos os
comportamentos considerados reflexos.

Fonte: Google Imagens


BEHAVIORISMO RADICAL
B. F. Skinner
• Nasceu em Susquehanna, Pennsylvania, e tornou-se a figura mais influente do
behaviorismo moderno;
• O Behaviorismo Radical adota os princípios do pragmatismo;
• Comportamento operante: inclui todos os movimentos de um organismo dos
quais se possa dizer que em algum momento têm efeito sobre ou fazem algo ao
mundo em redor.
• Condicionamento operante: os comportamentos seguidos por reforços
aumentam; os que são seguidos por punição diminuem.

(Coelho & Dutra, 2018; Couto, 2018).


Fonte: Google Imagens
MECANISMOS DE CONDICIONAMENTO
OPERANTE
• Reforço positivo ou recompensa: todo evento que aumenta a probabilidade futura da
resposta que o produz;
• Reforço negativo: todo evento que aumenta a probabilidade futura da resposta que o
remove ou atenua;
• Extinção ou ausência de reforço: respostas que não são reforçadas são pouco
prováveis que se repitam;
• Castigo/Punição: respostas que são punidas podem gerar consequências não desejáveis.

(Couto, 2018).
CONDICIONAMENTO OPERANTE

Ilustração da “Caixa de Skinner”. Fonte: Google Imagens


IMPLICAÇÕES PARA PROCESSO DE
ENSINO-APRENDIZAGEM
• A grande contribuição de Skinner, para a compreensão do processo de ensino-aprendizagem foi
que os comportamentos de alunos podem ser modelados pela apresentação de materiais em
cuidadosa sequência e pelo oferecimento das recompensas ou reforços apropriados.
• A aprendizagem sob a ótica de Skinner tem relação com a questão da modificação do
desempenho;
• Skinner sugeriu mudanças no processo de ensino-aprendizagem, pois, o professor sozinho não
seria capaz de dar o reforço necessário, simultaneamente, a todos os alunos em um ambiente
escolar;
• O enfoque skinneriano é bastante criticado por promover uma aprendizagem
mecânica/automática.
(Couto, 2018; Andrade et al., 2019).
BEHAVIORISMO SOCIAL
Albert Bandura
• Nasceu no Canadá, em 1925. Psicólogo e escritor que foi influenciado pela obra
Aprendizagem Social e Imitação de Miller e Dollard (1941).
• Enfatiza a importância do processo de aprendizagem que ocorre por meio da
observação (modelagem);
• Considerava que a aprendizagem por imitação não ocorre inteiramente separada
do condicionamento clássico e do condicionamento operante;
• Assim como o condicionamento clássico e operante, a aprendizagem por
observação pode ser usada propositalmente na modificação do comportamento.

(Almeida et al., 2013; Guedes & Oliveira, 2013).

Fonte: Google Imagens


APRENDIZAGEM POR OBSERVAÇÃO
Atenção: A aprendizagem por observação requer que o indivíduo observe o comportamento de
outra pessoa, que exerce a função de modelo, suas consequências, e reconheça os traços
distintivos da conduta do modelo.
Retenção: Há o armazenamento das respostas do modelo na memória do indivíduo por um
período que pode ser de semanas, meses ou anos.
Reprodução: A execução de uma resposta modelada depende da habilidade do indivíduo em
reproduzi-la, convertendo suas imagens mentais armazenadas em comportamento observável.
Motivação: Para se reproduzir uma resposta observada, é necessário que o indivíduo esteja
motivado o que depende de como ele encara a situação e de acreditar que a resposta trará
resultados positivos.

(Almeida et al., 2013).


APRENDIZAGEM POR OBSERVAÇÃO
Experimento do Boneco João Bobo

Fonte: Google Imagens


IMPLICAÇÕES PARA PROCESSO DE
ENSINO-APRENDIZAGEM
• Os educadores são um importante agente social na construção do sujeito e na construção da
aprendizagem, visto que servem de modelo para os alunos que através da cognição são capazes de
incorporar e imitar comportamentos que consideram como experiências positivas.

“Cabe ao educador o papel de incentivar, motivar, ser exemplo dentro da sala de aula, de preparar
um ambiente acolhedor e motivador para que os alunos possam ter vontade de estar ali, de
aprender, de sentirem a confiança necessária para realização de cada atividade, enfim, para
acreditarem em si mesmos, construindo a sua crença de autoeficácia.”
(Guedes & Oliveira, 2013).
APRENDIZAGEM NA PERSPECTIVA
BEHAVIORISTA
1. A aprendizagem é concebida como respostas passivas a estímulos ou a reforços, sendo
estes os principais motores da aprendizagem;
2. A aprendizagem é sinônimo de um comportamento expresso;
3. A aprendizagem é entendida como associações que vão se complexificando
progressivamente;
4. A aprendizagem é vista como modelagem do indivíduo para determinados objetivos

O sujeito é entendido como passivo face à aprendizagem, sendo preciso a criação de uma
situação externa, que não pertence ne é controlada pelo sujeito para que a aprendizagem
ocorra.
VÍDEOS RECOMENDADOS
1. Ivan Pavlov e o condicionamento clássico. Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=C40cXKi4c3Y
2. O pequeno Albert de Watson. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=jjfVw7ev6_k
3. A Caixa de Skinner – condicionamento operante. Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=zUSgQK3f348
4. Agressividade e imitação – O experimento do João Bobo. Disponível em:
https://www.youtube.com/watch?v=p5s7VHNnzbg
REFERÊNCIAS
Almeida, A. P., Lima, F. M. V., Lisboa, S. M., Lopes, A. P., & Junior, A. J. A. F. (2013). Comparação entre as teorias da
aprendizagem de Skinner e Bandura. Cadernos de Graduação - Ciências Biológicas e da Saúde, 1(3), 81-90. Disponível
em: file:///C:/Users/viriv/Downloads/905-Texto%20do%20artigo-3828-1-10-20131121.pdf.
Andrade, D. E. S., Neto, A. F. P. P., Oliveira, C. A., & Brito, J. A. (2019). Comportamentalismo, Cognitivismo e
Humanismo: uma revisão de literatura. Revista Semiárido De Visu, 7(2), 222-241. doi: 00.0000/00000000.2018x0y0z0.
Coelho, M. A., & Dutra, L. R. (2018). Behaviorismo, cognitivismo e construtivismo: confronto entre teorias remotas com a
teoria conectivista. Caderno de Educação, 49(1), 51-76. Disponível em:
https://revista.uemg.br/index.php/cadernodeeducacao/article/view/2791
Guedes, S. M., & Oliveira, P. C. (2013). O estágio na educação infantil analisado sob a perspectiva cognitivista de Albert
Bandura. In: XI Congresso Nacional de Educação. Anais. Disponível em:
https://educere.bruc.com.br/CD2013/pdf/10017_5995.pdf.
Moreira, M. A. (1999). A Teoria Behaviorista de Skinner. In: Moreira, M. A. (Org.). Teorias de Aprendizagem (pp. 49-64).
Editora Pedagógica: São Paulo.
OBRIGADA!