Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Geografia (1ª série) EIXO TEMÁTICO I – MUNDO 1.

ESPAÇO MUNDIAL COMPETÊNCIAS HABILIDADES Entender a reestruturação do espaço 1. Utilizar os conceitos de paisagem, espaço geográfico, território, região, lugar, 1. mundial a partir da lógica de fronteira, organização espacial e DIT para entender a reordenação do espaço funcionamento dos modos de produção mundial. suas especificidades em realidades 2. Explicar o espaço geográfico como resultado das relações históricas entre sociedade e geográficas diferenciadas. natureza. 3. Compreender o papel dos modos de produção no atual período técnico-científico informacional e caracterizar as atuais estratégias de desenvolvimento. 4. Explicar as especificidades das experiências socialistas em curso e sua contextualização face à reordenação do mundo contemporâneo. 5. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a reordenação do espaço mundial no período contemporâneo. 6. Interpretar, analisar e relacionar informações sobre a reordenação do espaço mundial no período contemporâneo a partir de recursos como imagens, músicas, textos e documentos, dentre outros. Entender que o processo de globalização 7. em curso vem gerando implicações de ordem econômica, política, social e 8. cultural. 9. 10. Aplicar a noção de globalização no entendimento do atual espaço geográfico 2. mundial. Identificar o papel das organizações internacionais no atual processo de globalização: (ONU,OMC,FMI). Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar espacialidades no mundo globalizado. Interpretar, analisar e relacionar informações sobre a atual dinâmica do espaço geográfico mundial a partir de recursos como imagens, músicas, textos e documentos, dentre outros. Entender e aplicar a noção de espaço agrário. 3. Caracterizar a dinâmica de produção e as formas de apropriação do espaço agrário sob o modo de produção capitalista e a sua relação com outras formas de produção agrícola. Estabelecer diferenças entre o espaço agrário dos países economicamente desenvolvidos e subdesenvolvidos. Identificar e explicar os principais problemas fundiários e ambientais verificados em realidades geográficas com diferentes níveis de desenvolvimento e modernização técnico-científica. Explicar as implicações do processo de modernização técnico-científica sobre a dinâmica produtiva do campo e suas repercussões sócio-espaciais. Utilizar linguagem cartográfica para representar e obter informações sobre o espaço agrário no atual período técnico-científico informacional. Interpretar, analisar e relacionar informações sobre o espaço agrário mundial a partir de recursos como imagens, músicas, textos e documentos, dentre outros. CONTEÚDOS A reestruturação do espaço mundial:modos de produção, suas especificidades e repercussões na organização espacial.

1.

2.

Espaço geográfico no Mundo globalizado: implicações sócioespaciais do processo de globalização.

3.

Entender como o espaço agrário vem 11. sendo produzido e organizado em 12. realidades geográficas distintas. 13. 14.

O espaço agrário: dinâmica da produção, formas de propriação e suas repercussões sócio-espaciais.

15. 16. 17.

dentre outros. Explicar e exemplificar a relação de interdependência que existe entre campo e 4. industrial. Utilizar e interpretar a linguagem cartográfica para obter informações e representar a caracterização. da forma de distribuição de riquezas e do padrão 27.4. O espaço urbano-industrial e a cidade analisando-a sob a ótica da Divisão Territorial do Trabalho. 22. dentre outros. da ecorregiões. 5. a dinâmica e a apropriação da natureza. analisar e relacionar informações sobre a natureza e a apropriação da mesma. Interpretar. Entender a estruturação do espaço urbano. . Identificar e analisar os principais impactos e problemas ambientais que vêm sendo verificados nos espaços urbano-industriais. sido marcada pela geração de impactos 26. Aplicar e identificar a noção de biomas. A apropriação da natureza pelas sociedades contemporâneas e as implicações na produção do espaço geográfico. analisando as conseqüências econômicas. ecorregiões e recursos naturais no 5. Utilizar linguagem cartográfica para representar e obter informações sobre o espaço urbano mundial. populacional. entendimento do processo de produção do espaço geográfico das sociedades pelas sociedades contemporâneas tem contemporâneas. músicas. Analisar a distribuição da população pelo espaço urbano a partir da posição que cada grupo ou classe social ocupa no processo produtivo e de consumo. Entender que a apropriação da Natureza 25. 21. Analisar as implicações do desenvolvimento urbano-industrial sobre a dinâmica populacional (crescimento. Interpretar. Analisar a geopolítica dos recursos naturais renováveis e não renováveis. 30. 24. analisar e relacionar informações sobre o espaço urbano mundial a partir de recursos como imagens. geopolíticas ocasionadas pela mesma. Caracterizar o espaço urbano-industrial e sua dinâmica produtiva no atual período técnico-científico informacional. Identificar e analisar a importância dos movimentos e das conferências mundiais sobre o meio ambiente.18. rural e influências sobre a dinâmica 19. 29. a partir de recursos como imagens. mundialização da economia. músicas. ambientais e tecnológico existente no mundo atual. textos e documentos. sua interrelação com o espaço relação campo-cidade. 23. 20. mobilidade e desigualdades sociais). Explicar porque a interferência humana realizada de forma descontrolada e ambientais decorrentes do modelo de predatória tem gerado fortes impactos ambientais nos principais biomas e desenvolvimento e de consumo. textos e documentos. 28.

Formação e Contextualizar o processo de formação dos blocos regionais. União Européia. analisar e relacionar informações sobre regionalização do espaço mundial a partir de recursos como imagens. Bacia Pacífico e suas repercussões na perspectivas dos blocos regionais: organização do espaço geográfico regional e mundial. União Européia. entendimento do processo de diferenciação do espaço geográfico. 4. CONTEÚDOS A regionalização do espaço mundial: da bipolarização a multipolarização. músicas. 10. HABILIDADES Aplicar as noções de divisão territorial do trabalho. Analisar o papel do NAFTA. Interpretar. 2. 2. 7. O ESPAÇO REGIONAL 1. Identificar as diferenças sócio-econômicas existentes no interior dos blocos regionais e entre eles. textos e documentos. textos e documentos. 9. 3. Compreender a geografia dos megablocos 6. Relacionar o processo de regionalização em curso do espaço geográfico mundial à consolidação da ordem mundial. dentre outros. região e fronteira no 2. dentre outros. Explicar como se deu a mudança da ordenação bipolar do espaço mundial para a atual ordenação multipolar. Explicar a importância MERCOSUL c o m o v e t o r d e i n t e g r a ç ã o r e g i o n a l . Utilizar a linguagem cartográfica para obter informações e representar a geografia dos blocos regionais. Bacia 8. 5.Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Geografia (2ª série) EIXO TEMÁTICO: II – REGIÃO COMPETÊNCIAS Entender as relações existentes entre a nova regionalização em curso do espaço geográfico mundial e a reordenação ocorrida na economia-mundo. 1. Interpretar. caracterizando-as e identificando suas possíveis repercussões na regionalização do espaço geográfico mundial. NAFTA. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a regionalização atual do espaço mundial. 2. . Explicar as perspectivas de implantação da ALCA e da APEC. regionais. analisar e relacionar informações sobre a geografia dos mega-blocos regionais a partir de recursos como imagens. MERCOSUL. identificando a importância do mesmo na organização do espaço brasileiro. 1. APEC. latinoamericano e mundial. do Pacífico. 11. 12. ALCA. músicas.

3. textos e documentos. analisar e relacionar informações sobre os conflitos geopolíticos atual do espaço geográfico mundial a partir de recursos como imagens. Analisar e exemplificar o papel dos principais conflitos geopolíticos e étnico-culturais nos processos de reconfiguração espaços-territoriais verificados no mundo contemporâneo. fronteira. Globalização e “desintegradora” do econômicas. mundial Relacionar as noções de território. políticas. 4. 23. Interpretar. geopolíticos e étnico-culturais nos processos de configuração do espaço21. Compreender o papel dos conflitos20. 17. América central e Ásia central. dentre outros. bem como os movimentos de resistência ao mesmo.: África subsaariana. Compreender que o processo de 13. músicas. Utilizar a linguagem cartográfica para obter informações e representar a fragmentação “desintegradora” do espaço geográfico mundial. Aplicar a noção de fragmentação de espaço. sociais e culturais que alteram a dinâmica espacial das fragmentação espaço: as regiões “excluída” ou diferentes regiões do mundo contemporâneo. Explicar e exemplificar como a globalização tem gerado transformações 3. 18. Analisar o papel desempenhado pelo narcotráfico no contexto sócio. Os conflitos geopolíticos e étnicoculturais e as econfigurações territoriais o mundo contemporâneo. político e econômico no espaço americano e mundial. 19. analisar e relacionar informações sobre o processo de fragmentação atual do espaço geográfico mundial a partir de recursos como imagens. Interpretar. globalização e de regionalização. músicas. cultura e etnia na interpretação dos 4. . Compreender o processo de globalização e suas especificidades no atual período técnico-científico-informacional. conflitos geopolíticos e étnicos mundiais. 16. Exemplificar mudanças espaços-territoriais mundiais resultantes de conflitos geopolíticos étnico-culturais recentes. relacionando-o ao processo de precariamente inseridas à nova ordem mundial. textos e documentos. vantagens decorrentes da nova organização econômica e política mundial. Exemplificar e caracterizar regiões periféricas “excluídas” das principais vantagens decorrentes dos acordos relacionados aos blocos regionais. consideradas periféricas e por isto mesmo “excluídas” dos principais acordos e 15. 22. globalização contraditoriamente gera fragmentações e tem contribuído para fazer surgir e manter regiões 14. dentre outros.

4. 8. 3. relacionando-o a reconfiguração dos espaços regionais e locais. Compreender a formação do espaço indígena antes da apropriação capitalista brasileira a partir da formação histórica do como uma expressão de seu universo cultural e de seu processo de seu território. 9. . relacionando-as à reorganização dos espaços regionais e locais. Compreender os fatores que produziram e 5. O papel da industrialização na (re)estruturação do espaço brasileiro. Explicar as implicações do avanço técnico-científico informacional na atual organização espacial brasileira e suas repercussões sócio-econômicas.Universidade Federal do Pará Processo Seletivo Seriado Conteúdo de Geografia (3ª série) EIXO TEMÁTICO III: A REGIÃO E O LUGAR 1. CONTEÚDOS A formação histórica do território brasileiro: o processo diferenciado de organização espacial. mobilidade e desigualdade sociais) e seu papel no contexto de urbanização-industrialização do espaço brasileiro e na abertura de novas frentes capitalistas de ocupação do território. textos e documentos. a partir de recursos como imagens. Explicar a organização espacial brasileira a partir do processo de desenvolvimento desigual e combinado. analisando-o sob a ótica da DIT no período colonial. dentre outros. 7. 11. 1. Analisar as reorganizações efetivadas no espaço geográfico brasileiro decorrentes do processo de industrialização. territorialização. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização espacial brasileira face à sua inserção regional latino-americana e mundial. Interpretar. Explicar o papel do Estado no processo de reestruturação do espaço brasileiro a partir das políticas de integração do território nacional pós – 1950. 2. Compreender a diferenciação espacial 1. Analisar as políticas energéticas implantadas no Brasil e suas repercussões sócioespaciais. produzem as transformações técnicoprodutivas do espaço brasileiro. O ESPAÇO REGIONAL E O ESPAÇO LOCAL COMPETÊNCIAS HABILIDAD ES 1. analisar e relacionar informações sobre a organização do território brasileiro. 10. Compreender a diversidade socioeconômica brasileira como resultado do processo diferenciado de apropriação do território. 2. Analisar a dinâmica interna da população (crescimento. 6. 2. músicas. Explicar o processo de (re) organização do espaço da circulação como resultado das transformações do espaço da produção.

dos espaços locais. 4. Explicar o processo de reordenamento territorial responsável pela criação de novas unidades político-administrativas no espaço paraense. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização das regiões geoeconômicas brasileiras. do IBGE. Identificar e analisar as principais conseqüências espaciais do processo de inserção do espaço paraense face à reestruturação recente da Amazônia. Explicar a inserção dos espaços locais do Pará face ao processo de ocupação recente pós 1960. Nordeste. Analisar o processo de apropriação da natureza decorrente da produção econômica de cada região e as repercussões sócio-espaciais causadas pelo Trabalho e as respectivas organizações modelo de desenvolvimento imposto. a parti de recursos como imagens. . Explicar e exemplificar estratégias estatais e políticas territoriais voltadas para a reordenação de espaços locais no Pará. Analisar a utilização da regionalização como forma de organização e/ou controle territorial implementado sobre o espaço nacional. 15.3. 21. produção e de circulação no Estado do Pará. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar as implicações locais do processo de ocupação recente do espaço paraense e as repercussões locais decorrentes da implementação de políticas territoriais no Estado do Pará. Analisar o processo de (re) direcionamento do modelo econômico capitalista pós – 1990 e suas repercussões nas configurações espaciais intra e interregionais. A (re)configuração do espaço paraense face à reestruturação recente da Amazônia a partir da sua integração à escala nacional e global pós-1960. configuração do espaço brasileiro. 4. morfoclimáticos. contribuindo para a reorganização 24. Explicar as transformações ocorridas nas regiões geoeconômicas analisando-as sob a ótica da Divisão Territorial do Trabalho. Compreender o papel desempenhado pelas 12. Geoeconômica (Amazônia. a partir de recursos como imagens. Entender o papel de cada região 16. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização das regiões brasileiras. Interpretar. músicas. organização e/ou controle espacial 13. os projetos econômicos e de infraestrutura geram novas formas de 23. 18. Explicar a organização do espaço rural e urbano bem como o papel dos diversos atores sociais envolvidos nos problemas agrários e urbanos dessas regiões. 20. 25. 19. analisar e relacionar informações sobre a organização espacial das regiões geoeconômicas brasileiras. dentre outros 5. espaciais internas. dentre outros. Identificar e explicar os diversos critérios utilizados nas regionalizações do espaço. Compreender como as políticas públicas e 22. 5. textos e documentos. de planejamento e geoeconômicos. 27. diversas divisões regionais no processo de brasileiro: políticos. analisar e relacionar informações sobre e o processo recente de ocupação do espaço paraense as repercussões locais das políticas territoriais no Pará. 26. músicas. Os diferentes modelos de regionalização do espaço brasileiro. Centro-Sul) na Divisão Territorial do 17. textos e documentos. 14. Analisar a dinâmica populacional de cada uma das regiões geoeconômicas e suas implicações na organização do espaço rural e urbano. decorrentes do desenvolvimento histórico do país. Relacionar as diversas formas de regionalização com as alterações efetuadas na 3. Interpretar. A configuração das regiões geoeconômicas: integração e (re)organização dos espaços regionais.

35. Caracterizar as especificidades locais dos espaços rural e urbano no Estado do Pará. 34. 37. Interpretar. . 7. diferentes espaços geográficos locais no Estado do Pará. os problemas sócio-ambientais e a importância das cidades para a dinâmica das realidades locais do espaço paraense. 32. analisar e relacionar informações sobre a organização e a dinâmica do espaço rural e urbano no Pará. Explicar e exemplificar conflitos de territorialidades verificados em diferentes realidades locais do espaço paraense. Identificar e explicar os conflitos de territorialidades verificados em diferentes realidades locais do espaço agrário paraense. Caracterizar e analisar o papel das populações tradicionais no processo de produção do espaço geográfico paraense e a dinâmica de desterritorialização e diversificadas reterritorialização dessas populações. 33. Entender a reorganização do espaço agrário e urbano do Estado do Pará face ao processo de ocupação recente da região amazônica. entre outros. 6. músicas. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar as espacialidades e as territorialidadess dos atores sociais em diferentes realidades locais do espaço paraense. gerando territorialidades 29. músicas. 31. 36.6. A organização do espaço rural e urbano no Estado do Pará. analisar e relacionar informações sobre as espacialidades e as territorialidades dos atores sociais em diferentes realidades locais do espaço paraense a partir de recursos como imagens. Interpretar. Analisar a dinâmica interna. textos e documentos. 7. a partir de recursos como imagens. textos e documentos. dentre outros. Compreender como diferentes atores 28. novos atores sociais e diferentes territorialidades na reordenação dos espaços locais paraenses. Caracterizar e analisar o papel dos novos atores sociais e as suas respectivas territorialidades face ao processo recente de produção do espaço geográfico sociais contribuem para a produção de paraense. Populações tradicionais. Utilizar linguagem cartográfica para obter informações e representar a organização e a dinâmica do espaço rural e urbano no Pará. 30.

conceitos e questões sobre desenvolvimento e meio ambiente. A Amazônia e a crise da modernização.CELA. Belém: UFPA/NAEA. K. 1988. M. 1987 FIGUEIREDO.NIAIA. CORREA. J. H. 2ª ed. CHOSSUDOVSKY. 421-44. B. Petrópolis: Vozes. 1999. B. Redefinindo a Amazônia: o vetor tecno-ecológico. Amazônia . A. R.) Desmatamento e modos de vida na Amazônia. ALBUQUERQUE JR.). R. B. Geografia) BENCHIMOL. M. Espaço e indústria. Petrópolis: Vozes. Manaus: Editora Valer. R . . NFIRANDA. R. Carajás: A invasão desarmada. (Orgs. M. L. 1993. 1999.SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA O PROFESSOR AB'SABER. A Oligarquia do Tocantins e o domínio dos castanhais. E. 1997. 223-44. jul. 1990. de. Ecologismo e a questão agrária na Amazônia. 1996. EGLER. Brasil: questões atuais da reorganização do território. CASTRO. São Paulo: NUPAUB/USP. L. E. BECKER. G. PINTON. E. Belém: UFPA/NAEA. EMMI. DIEGUES. 10 Anos da Estrada de Ferro Carajás. F. F. R. A. M. 1989. A. A.) Industrialização e grandes projetos. D. p. ACEVEDO. C. G. S. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. Belém: Cejup. CASTRO. A geografia política do desenvolvimento sustentável. M. CASTRO. Belém: UFPA. A globalização da pobreza. 1996.). BENKO.. Belém. BECKER. 1994. COSTA. 1996. CASTRO. O Pará dividido.M. A. 1996. 1996. UFPA/NAEA. Recife: UFPE. ln: BECKER. 1999. A. K. São Paulo: Contexto. Ijuí: Editora Unijuí. São Paulo: Modema. 1998. 1997. 1998. Discurso e conflito: dez anos de disputa pela terra em Eldorado dos Carajás. R. CARLOS. 1989 (Série Cooperação Amazônica).. 4. 1987 COSTA. Trajetórias geográficas. CASTRO. (Coord. E. ARNI. 1999. E. 1998. M. B. R. DUTRA. E. (Coleção Amazoniana). São Paulo: EDUNESP. BECKER. G. 3. Faces do trópico úmido . I. 1994. _. M. 1987. C. Revista Brasileira de Geografia. COTA. . Amazônia. E. N. ALTVAER. São Paulo: Ática.EDUSC. A invenção do nordeste e outras artes. Na trilha dos grandes projetos – modernização e conflito na Amazônia. N. L. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 1999. F. São Paulo: Hucitec. ./set. Belém: Falângola.MARIM. COTA. de. Globalização e geografia. M. Fronteira amazônica: questões sobre a gestão do território. 1992. Novos rumos da política regional: por um desenvolvimento sustentável da fronteira amazônica. R. p. São Paulo: Cortez. O preço da riqueza. J. Região e organização espacial. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. I. A ilusão do desenvolvimento. L.. Amazônia: desenvolvimento ou retrocesso. M. M. 39-68. . Rio de Janeiro: Editora UFRJ. A. A periodização da rede urbana da Amazônia. C. CALLAI. F. M. K. E. W.1997. C. São Paulo: Edusp. 1996. espaço e globalização na aurora do século XXI. Belém: Cejup/UFPA/NAEA.do discurso à praxis. M. 1999 COSTA. 1988. v. Iná Elias de et alii (Orgs). Belém: UFPA/NAEA. Belém: UFPA/NAEA. Economia. . (Coleção Repensando a geografia) _. Exportação da Amazônia brasileira . Amazônias em tempo de transição. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi. G. K. SIILVEHTK L. Carajás: a guerra dos mapas. S. (Orgs). IHÉBETTE. G. (Col. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.(Orgs. ARRIGHI. O ecoturismo e a questão ambiental na Amazônia. (Org. M. 1989. COELHO. São Paulo: Ática. In: CASTRO. São Paulo: EDUNESP. M. CASTRO. 1995. Belém: NAEA/UFPA. ALMEIDA. As raízes do separatismo no Brasil. M. E. MOURA. p. A. de et alii (Orgs). Belém: NAEA/UFPA. Belém: NAEA/UFPA. S. . Brasil: questões atuais da reorganização do território. et alii. 1995. 1993. 1997. B. A. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. de et alii (Orgs. (Org. 1999. P.R. CASTRO. 1990.) Geografia: conceitos e temas. Belém: Cejup. D'INCAO. M. ANDRADE. 1995. F. O lugar no/do mundo. ZARTH. Brasil: uma potência regional na economia-mundo. Negros do trombetas: guardiães de matas e rios. n.. R. (Série Princípios). Brasília: UnB. São Paulo: Hucitec. 1997. O estudo do município e o ensino de história e geografia.).

J. Instituto de Geografia da Universidade de São Paulo. ROCHA. v. Geografia: Teoria e Realidade.). Realidades amazônicas no fim do Século XX. C.B. S. Belém: Cejup/NAEA. 1988. A condição pós-moderna. Rio de Janeiro: Marco Zero.(Orgs). A urbanização brasileira. espelho da segregação social em Belém. p. 1997. A. 1984. 1991. Belém: NAEA/UFPA. LIPIETZ. R. São Paulo: Papirus. Espaços) . 1996. María Laura. CUNHA. 1993. Rio de Janeiro. R. 1992. expropriação e conflitos. J. E. São Paulo: Hucitec. (Org. 1995 (Col. R. 1997. Dissertação (Mestrado) . 1994 (Coleção Amazoniana). FLORES. D. Amazônia: o século perdido. 1998. 16) . MATHIS.R. Des-territorialização e identidade: a rede "gaúcha" no nordeste. (Col. Espaço e método. Revista do Departamento de Geografia da USP. Belém: UFPA/NAEA. Rio de Janeiro: Bertran Brasil. São Paulo: Contexto. Revista Orientação. M. L. Fragmentação política e território em Carajás. S. 1989. 1994. S. espaço. Geopolítica do caos. 1997. Niterói: EDUFF. Banidos da cidade e unidos na condição: cidade nova.) O Cerco está se fechando. Universidade de São Paulo. B.. 1996. PARAENSE. São Paulo: Nobel. ROSS.Universidade Federal do Rio de Janeiro. S. F. São Paulo. Região e geografia. Belém: Jornal Pessoal. GUERRA. D. 1993. SILVEIRA. (Col. KOWARICK. L. F. .. PINTO. D.). A. 1997. Energia na Amazônia. R. L. T. Gilberto de Miranda. S. ª. SANTOS. A natureza do espaço: técnica e tempo. . 2v. Blocos internacionais de poder. CASTRO. 1998. 1985 (Col. O círculo e a espiral: a crise paradigmática do mundo moderno. S. A. 1995 (Col. BRÜSEKE. PINTO.. C. ROSS. Belém: Cejup. . 1982. 1998. HARVEY.. out. Repensando a Geografia). Geografia: Teoria e Realidade. 1996. 3) RODRIGUES. a fronteira do Caos. 1995. 91. HAESBAERT. L. VANALLI. 1993 (Col. MITSCHEIN. São Paulo: Hucitec. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. n. M. Rio de Janeiro. Brasil: território e sociedade no início do século XXI. São Luiz: Editora Anita. A. Belém: NAEA. 1992. 25) . MIRANDA. Geografia do Brasil. L. M. Metamorfoses do espaço habitado: fundamentos teóricos e metodológicos da geografia. Urbanização selvagem e proletarização passiva na Amazônia . Miragens e milagres. 1998. Carajás: o ataque ao coração da Amazônia. Amazônia: monopólio. 1995. T. I. J. São Paulo: Record. (Org. J. São Paulo: Record. Estado e capital transnacional na Amazônia: o caso da Albrás/Alunorte. OLIVEIRA. Belém: Cejup. Divisão territorial do trabalho e nova regionalização. Geografia do Brasil. Teorias da globalização. 1(1): 21-47. 1999. 3) SANTOS. São Paulo. J. Migrantes. LENCIONI. C. T. Repensando a Geografia). LIMA. MORAES. 1996. BRITO. 1982. BRITTO. . IANNI. M. (Orgs.. R. 2001. Lúcio Flávio. Milton. M. 5. Amazônia/Carajás: na trilha do saque. C.a mineração de ouro na Amazônia. IBGE. Belém: Falângola. 1991. Geografia do Brasil. HALL. MARTINS. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. razão e emoção. KURZ. Rio de Janeiro: Obra Aberta. São Paulo: Hucitec. Tese de Doutorado. Amazônia desenvolvimento para quem? Rio de Janeiro: Zahar. Niterói: EDUFF. J.(Orgs). Riqueza Volátil . Globalização e fragmentação no mundo contemporâneo. São Paulo: Loyola. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. Belém: UNAMAZ/UFPA. PANDOLFO. I. R. 1993. 1990.GOLDSTEIN. MOREIRA. PINTO. C. Amazônia brasileira: ocupação. Os últimos combates. São Paulo: Contexto. MITSCHEIN. Território. São Paulo: EDUSP. 1. São Paulo: Edusp. 2000. (Org). RAMONET. F. A. SEABRA.M. FFLCH. Petrópolis: Vozes. São Paulo: Hucitec. M.) Geomorfologia e meio ambiente. Didática. Didática. desenvolvimento e perspectivas atuais e futuras. Amazônia. 1988. H. 1994. 1989. Técnica. Petrópolis: Vozes. MAGALHÃES. São Paulo: Nobel. . Belém: MPEG/UFPA/UNAMAZ. C. L. 1993 . São Paulo. G. de. E. Rio de Janeiro: Bertran Brasil. 1994. A. (Col. HÉBETTE. tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. O. A. (Org. U. A. 2 e 3. LÔBO.o caso de Belém. A Construção da Usina Hidrelétrica e a Redivisâo Político-territorial na área de Tucuruí(Pa). São Paulo: Edusp.

).Cejup. 1999 BRANDÃO. Criatividade e novas metodologias.. et alii (Orgs). 2000 BIBLIOGRAFIA DIDÁTICO-PEDAGÓGICA PARA PROFESSORES ARCHELA. 1998. Belém: Associação de Universidade Amazônicas. São Paulo: Ática. Projeto de ensino de geografia: natureza. 1996 SENE. de. São Paulo: Hucitec.. 1994 ROSS. 1998 . C. C. 1995 PARÁ. 1997 OLIVA. 1995 (Col. Núcleo de Altos Estudos Amazônicos. 1999 PEREIRA. D. Sociedade e espaço: Geografia Geral e do Brasil. Espaço e modernidade: temas da Geografia do Brasil. Belém: Paka-Tatu. A. São Paulo: Moderna.) Cenários da industrialização na Amazônia. Secretaria de Estado de Educação. V. S. . São Paulo: Scipione. MARINHO. R. Dissertação (Mestrado em Geografia) . J. ALLESSANDRINI. São Paulo: Scipione. T. ROSA. Recife. Geografia: espaço geográfico e globalização. Belém: Editora da UFPA. B. . Fim de século e globalização. São Paulo: Moderna. A nova geografia: estudos de geografia geral. tecnologias e sociedades. São Paulo: Atual. ROCHA. Londrina: Ed. UEL. 1992. v..SANTOS. Problemas geográficos de um mundo novo. 1993 SCHMIDT. 1995 . 1989 SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA O CANDIDATO ADAS. São Paulo: Atual.. L. São Paulo: Moderna. E. (Col.. (Orgs. Universidade Federal do Pará. Grande Carajás: planejamento da destruição. São Paulo: Petrópolis. 1994. MONTEIRO. et alii (Orgs). Didática. São Paulo: Hucitec. 1994 . R. 2ª ed. 3 e 4 MAGNOLI. D. D. M. 31ª ed. A. . E. Geografia para o ensino médio: manual de aulas práticas. G. D. 1994 SOUZA. W. 1998 . Geografia. F. 2. Brasília: EDUNB. São Paulo: Hucitec. B. S. L. D.o espaço mundial. et alii. A nova geografia: estudos de geografia do Brasil. (Série Temas Transversais) . 1993 . O mundo contemporâneo: relações internacionais (1945-2000). M. 2ª ed. et alii (Orgs). Estudos e problemas amazônicos – história social e econômica e temas especiais. ADAS. Repensando a Geografia) TRINDADE JR. Universidade Federal de Pernambuco SPOSITO. ciência do espaço . GIANSANTI. J. V. 3ª ed. São Paulo: Hucitec. C. R. M. Brasil. S.Centro de Filosofia e Ciência Humanas. Panorama geográfico do Brasil.. (Org. MAGNOLI. Elementos para a compreensão da territorialidade camponesa na Amazônia: a experiência dos trabalhadores rurais em Araras e Ubá (Pará). MOREIRA..Sociedade e Espaço .. p. 1994. 3) SCALZARETO. F. São Paulo: Contexto. P. LIMA. S. Natureza e sociedade de hoje: uma leitura geográfica. ciência do espaço . 6ª ed. E. 1998. . São Paulo: Atual. 0. São Paulo: Atual. Geografia do Brasil. 1995 SCARLATO. Globalização e espaço latino-americano. Geografia. S. XIMENES. Geografia. Os assentamentos de reforma agrária no Brasil. Atlas geopolítico. R. GOMES. C.o espaço brasileiro. 1995 . L. D. O espaço amazônico: sociedade e meio ambiente. São Paulo: Edusp. São Paulo: Moderna.. M. (Org. 2000. Brasília: Forense Universitária. et alii. 1995 (Série Cooperação Amazônica) VALVERDE. C. Espaço e modernidade: temas da geografia mundial.14-29 VESENTINI.Geografia do Brasil. C.ARAUJO. 1. J. H.). A vida nas cidades.. C. Cidade e empresa na Amazônia: gestão do território e desenvolvimento local. 1992 . Belém. 1998 SOUZA. São Paulo: Moderna. 2002. São Paulo: Moderna. J. M. São Paulo: Ática. 1997 MAGNOLI. R.

TANGUY.) Técnicas de ensino: por que não? 2ª ed. 1993 . Petrópolis: Vozes. E. 1993 RESENDE. L. (Org. L (Orgs. A.a crise paradigmátíca do mundo moderno. ESCOBAR. Atividades interdisciplinares de educação ambiental. 1993 MOYSÉS. Alfabetização cartográfica. 1987 . Geografia. F. F. A dimensão ambiental na educação. A geografia do aluno trabalhador . Desafios modernos da educação. J. I. I. 22ª ed. BIANCHETTI.caminhos para uma prática de ensino. 5ª ed. S. 1998 CAVALCANTI.isto serve. J. A geografia . 1993 SILVA. P. Petrópolis: Vozes. Porto: Porto Editora. 1997 MOREIRA. Petrópolis: Vozes. R. 1980 ROPÉ. Porto Alegre: Artes Médica. 1997 RUA. São Paulo: Loyola. São Paulo: Global. GALLEGO-BADILLO.uma perspectiva construtivista.EDUFF. Campinas: Papirus. L. Avaliação: mito e desafio . Niterói. 1990 . Técnicas pedagógicas: domesticação ou desafio à participação. C. Construtivismo em sala de aula. São Paulo: Loyola. Campinas: Papirus.BROOKS. São Paulo: Cortez. et alii Geografia em sala de aula .. SÁ.. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. 1993 PONTUSCHKA. et alii.sobre a ética e intervenção do conhecimento. 1995 HOFFMANN. R. Belo Horizonte: Lê. 1993.práticas e reflexões. 1996 . escola e construção de conhecimento. em primeiro lugar. 1994 PERRENOUD. Porto Alegre: AGB. M. P. Campinas: Papirus. . A.BROOKS. para fazer a guerra. 1988 MIRANDA. Conhecimento moderno . P. Lisboa: Publicações Dom Quixote. Y. L.. Rio de Janeiro: Co-autor. P. 1997 JANTSCH. Para ensinar geografia. Petrópolis: Vozes. 1995 LACOSTE. Campinas: Papirus. 1998 GUIMARAES. São Paulo: Global. Rio de Janeiro: Dois Pontos. O desafio de saber ensinar. N. A. M.o uso de tais noções na escola e na empresa. Saberes e competências . Corrientes constructivistas. N. 1994 PASSINI. Rio de Janeiro: Acess. O círculo e a espiral . profissão docente e formação. (Org. G. J. Santafé de Bogotá: Cooperativa Editorial Magistério. R. Educação ambiental: princípios e práticas. M. Pesquisa .princípio científico e educativo. A. 1997 DIAS. 1989 RONCA. Campinas: Papirus.. O discurso do avesso. L. G. Porto Alegre: Mediação. Práticas pedagógicas. F. (Coleção Ciências da Educação) VEIGA. Campinas: Papirus. 1998 DEMO. Saber estudar e estudar para saber. A. C. 1993.) Ousadia no diálogo. I. 2ª ed. V. P. 1997 CASTROGIOVANNI.). S.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful