Você está na página 1de 10

EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

Neste episódio lírico (poesia que manifesta


paixão), o tom optimista e de celebração da
epopeia é abandonado. Aqui narra-se a
derrota e a perda associadas ao amor. Este é
apresentado como a causa da morte de Inês e
o culpado do seu sofrimento. Para isso o amor
aparece personificado.
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

O amor, surge neste episódio personificado


como causa da morte de Inês.
“Tu, só tu, puro amor com força crua/
(…) Deste causa à moleste morte sua” (est. 119)
É apresentado como um sentimento negativo e antitético,
pois seduz mas gera as maiores tragédias e tem em Inês uma
heroína trágica, vítima desse amor cruel e despótico.
É caracterizado negativamente:
“puro amor com força crua”,
“fero...áspero e tirano” (est. 119)
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

ESTRUTURA DO EPISÓDIO
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

ESTRUTURA DO EPISÓDIO

EXPOSIÇÃO (estrofes 118 a 121)


•Apresentação do caso que se vai contar;
•Atribuição das responsabilidades ao Amor;
•Descrição de um amor feliz e correspondido.
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

ESTRUTURA DO EPISÓDIO
CONFLITO (estrofes 122 a 131)
• Causas da oposição do rei D. Afonso IV;
• Decisão de matar Inês de Castro;
• Objetivos dessa decisão;
• Dia fatal: Inês é trazida junto ao rei;
• Discurso de defesa Inês: pedido de clemência; proposta
alternativa; apelo para situação de mãe e
consequentemente de avô;
• Reação positiva do rei;
• Interferência do povo: sentença mantém-se.
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

ESTRUTURA DO EPISÓDIO

DESENLACE (estrofes 132 a 137)


•Assassínio de Inês de Castro;
•Considerações do poeta sobre a sua morte;
•Reações da natureza;
•Vingança de D.Pedro.
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

DISCURSO DE INÊS DE CASTRO


DISCURSO ARGUMENTATIVO/PERSUASIVO

OBJETIVO: mover o rei a desistir do seu assassínio.

ESTRATÉGIAS:

FORMA CONTEÚDO

•Utilização da •Censura falta de compaixão;


2ªpessoa: “Ó tu”;“
tens”,”te”; “sabes”; •Apela à situação de mãe inocente;
“viste” etc. •Pede desterro em vez da morte.
•Uso do imperativo:
“tem
respeito”;”mova-te”;
“sabe”; ”põe- me”...
EPISÓDIO DE INÊS DE CASTRO, OS LUSÍADAS, CANTO III, ESTROFES 118 A 135

CARACTERIZAÇÃO DE INÊS DE CASTRO


Inês de Castro surge como uma figura angélica e
piedosa. É sugerido na caracterização como tendo
a nobre elegância de uma rainha. Ela é vítima do
amor, de si própria, da sua beleza.

“Estavas linda Inês “ŭa fraca dama delicada.”(estrofe


posta em sossego 123)
De teus anos colhendo “Ela com tristes e piedosas vozes”
doce fruito, (...) (estrofe 124)
De teus fermosos “ ...olhos piedosos” (estrofe 125)
olhos...”(estrofe 120)
“colo de alabastro que sustinha/As
obras com que Amor matou de
amores...“