Você está na página 1de 5

Esquemas-síntese de

«Reflexões
do Poeta. O
dinheiro enquanto fonte de
corrupção» — Canto VIII,
estâncias 96-99
(p. 207)
Estas estrofes constituem um comentário sobre o poder perverso
do dinheiro, indicando o Poeta que a avidez deprava quer os ricos quer
os pobres.

Origem da reflexão:
Esta análise do Poeta surge no seguimento das ciladas sofridas por Vasco
da Gama em Calecute. O nauta é detido pelo Catual de Calecute quando
regressa às naus. O Catual, corrompido pelos muçulmanos, não permite que
a troca das fazendas portuguesas por especiarias da Índia seja efetuada.
Os portugueses apenas podem partir quando entregam as fazendas.
1.ª parte

Vasco da Gama:
Estância 96
a figura da prudência

Tripla • Permanece nas naus, «vagaroso»


adjetivação
Caracterização do Catual • Decide não tornar a desembarcar
de Calecute: • Desconfia do Catual
• traidor «cobiçoso»
• «corrompido e pouco nobre»

Aviso do Poeta:
o poder do dinheiro
(de que nem ricos
nem pobres se libertam)
é fatal
Exemplos da mitologia clássica
2.ª parte Estância 97 que comprovam a afirmação inicial:
o desejo do ouro leva à traição

• Rei da Trácia
Rei Treício,
• Assassinou Polidoro, filho de Príamo, rei de Troia
• Desejava roubar o ouro que Polidoro transportava
Polimnestor

Filha de • Acrísio encerrou a sua filha numa torre para a impedir de ter filhos
Acrísio, • Júpiter penetra na torre sob a forma de uma chuva de ouro e seduz a jovem
Dánae

• Jovem romana que abriu as portas da cidade aos Sabinos, inimigos de


Tarpeia Roma
• Esperava ser recompensada com pulseiras de ouro
• Os Sabinos esmagaram-na com os seus escudos
O poder do dinheiro:
3.ª parte Estâncias 98 e 99
consequências negativas

Enumeração

• Faz entregar fortalezas bem guardadas


• Transforma os amigos em falsos e traidores
• Leva os mais nobres a perder a sua virtude
• Corrompe a pureza e a consciência
• Distorce a interpretação de textos (legais ou sagrados)
• Provoca alterações nas leis e na aplicação da justiça
• Incita ao perjúrio e a testemunhos falsos
• Conduz à tirania dos reis
• Corrompe os elementos do clero que assumem uma imagem
de virtude (espalha a hipocrisia)