Você está na página 1de 1

“Protesto Feminino ou Aspiração à Feminilidade?” de Elisa Alvarenga

Paula Catunda

O texto de Elisa Alvarenga relata a ascensão de mulheres que hoje em dia chegam a cargos importantes, antes ocupados apenas por homens, tal como aconteceu com nossa presidente Dilma. "Mulheres superpoderosas", citando uma reportagem que compara Dilma Roussef, Angela Merkel e Hilary Clinton às superpoderosas do desenho animado da televisão.

Reflete sobre a posição destas mulheres, “seria uma ascensão em potencia do feminino?” Vai mais além, relatando o protesto de feministas que usam pouca roupa, chamando atenção com topless para protestar contra o turismo sexual, a proibição das mulheres sauditas de dirigir, etc.

Lembra Miller, em seu livro “Osso de uma Análise”, relatando que estes excessos femininos impulsionados por quererem se igualar ao homem, faz com que se distanciem mais ainda de seus objetivos.

Questiona a manifestação feminista: uma aspiração à virilidade tal como descreve Freud ou mais relacionada a uma nova ordem simbólica, mais próxima ao gozo feminino, como nos diz Lacan, reduzido ao acontecimento de corpo?

Para pensar retoma a nova ordem simbólica do século XXI, onde há o declínio da autoridade paterna, uma ordem descentrada, não mais focada no falo, como ordenador, mas cujo foco é a satisfação pulsional. Diante disto, “como operar com a palavra sobre o gozo?”, traz a pergunta de Lacan.

Relata um caso. Uma mulher angustiada, com crises de pânico, que chega devastada após dois casamentos, relacionando-se com vários homens, não conseguindo ficar sozinha. Uma mãe exigente, que para ela não a desejou. Um gozo, um vazio, que pode levá-la a passar ao ato. Uma demanda de amor.

Elisa nos lembra o que diz Miller, deve-se introduzir o amor de transferência para lidar com as desordens atuais. O amor de transferência que trará o desejo de saber. E a partir daí, permitir que o analisante possa depositar algo de seu gozo na análise.

Um texto muito bom, um caso que vale a pena ser lido. Um trabalho cuja leitura nos desperta a reflexões para o próximo Encontro Brasileiro do Campo Freudiano.