P. 1
6°ano - Matemática

6°ano - Matemática

|Views: 67|Likes:

More info:

Published by: Washington Rodrigues on Apr 08, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/14/2014

pdf

text

original

Matemática

6° Ano | 1°Bimestre

Currículo Mínimo em ação

Plano Mensal 01
Campo Numérico Aritmético Campo Geométrico –
Geometria Números Naturais

Apresentação

A Secretaria de Estado de Educação elaborou o presente material com o intuito de fornecer subsídio ao trabalho desenvolvido pelo monitor com base nos kits pedagógicos utilizados nas atividades, primando pela progressão no desenvolvimento da proposta do Programa Mais Educação, sem interrupções quando houver substituições de monitores. O objetivo do Programa Mais Educação é ampliar a jornada escolar e a organização curricular, na perspectiva da Educação Integral, por meio de atividades oferecidas a alunos do Ensino Fundamental, organizadas em macrocampos. Compreende-se macrocampo como o conjunto de atividades didático-pedagógicas que estão dentro de uma área de conhecimento percebida como um grande campo de ação educacional e interativa, podendo contemplar uma diversidade de ações que qualificam o currículo escolar. Os macrocampos ofertados pelo Programa são: Acompanhamento Pedagógico (Obrigatório); Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável; Esporte e Lazer; Educação em Direitos Humanos; Cultura, Artes e Educação Patrimonial; Cultura Digital; Prevenção e Promoção da Saúde; Comunicação e uso de Mídias; Investigação no Campo das Ciências da Natureza; Educação Econômica/Economia Criativa. Ressaltamos que o “Acompanhamento Pedagógico” é obrigatório, ficando definida por esta Secretaria a seleção do Letramento e da Matemática como atividades fundamentais obrigatórias. A metodologia do Programa prima pela integração dos Macrocampos com o Projeto Pedagógico da Unidade Escolar, reforçando o compartilhamento da tarefa de educar entre os profissionais da educação e de outras áreas, promovendo a ampliação da jornada escolar e oferecendo oportunidades educativas no contraturno por meio de atividades didáticopedagógicas, contribuindo para redução da evasão, da repetência e da distorção idade-série. Em 2013, a oferta do Programa tem a adesão de 642 Unidades Escolares, distribuídas nas 14 Diretorias Regionais, contemplando 69 Municípios e com atendimento a 102.470 alunos. O Programa conta com o envolvimento do órgão central, das Diretorias Regionais Pedagógicas, dos Articuladores Regionais, das Unidades Escolares, dos Professores Comunitários e dos Monitores. A meta da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro é que 90% das Unidades Escolares do Ensino Fundamental inseridas no Programa Mais Educação, absorvam e implementem a ampliação da jornada escolar na perspectiva da Educação Integral, contribuindo com oportunidades educativas que qualifiquem o processo educacional e melhoria do aprendizado dos alunos.

2

A elaboração das atividades apresentadas neste Plano foi conduzida pela Diretoria de Articulação Curricular, da Superintendência Pedagógica desta SEEDUC, em conjunto com uma equipe de professores da rede estadual. Este documento encontra-se disponível em nosso site www.conexaoprofessor.rj.gov.br, a fim de que os professores de nossa rede também possam utilizá-lo como inspiração em suas aulas. Esperamos que este material auxilie a prática dos professores/monitores do Programa Mais Educação e possa ser mais um recurso para os demais professores da rede implementarem o Currículo Mínimo em suas aulas. Estamos à disposição através do e-mail curriculominimo@educacao.rj.gov.br para quaisquer esclarecimentos necessários e críticas construtivas que contribuam com a elaboração deste material. Secretaria de Estado de Educação

3

............... Desafio 04: Cubra Doze ....................................................................... 05 Desafio 01: Construir e explorar os sólidos geométricos . Desafio 03: Construindo um Dominó Aritmético.................................................................................................................. 28 23 18 06 Referências ...........................................................................................................................................................Sumário Introdução ........................ Desafio 02: Diferenciando figuras planas de sólidos................................. 32 4 ...........................................

Para maior interação com você. os objetivos. Para cada desafio. Sabemos das dificuldades encontradas no dia a dia do trabalho em sala de aula. e não necessitam de explicações de conteúdos. Cada uma dessas atividades foi planejada para atender os pontos de carência na aprendizagem do aluno. que aqui chamaremos de Desafio. Por fim. 5 . monitor. monitor. Monitores e Professores! Neste documento você encontrará quatro atividades relacionadas diretamente às habilidades e competências do 1° Bimestre do Currículo Mínimo. Neste Plano Mensal abordaremos dois Campos Conceituais. elas têm como objetivo principal fornecer sugestões de atividades para serem utilizadas em sala de aula com os alunos do Programa Mais Educação. iremos observar as semelhanças e diferenças entre pares de figuras e de sólidos. O desenvolvimento da atividade poderá ser acompanhado no campo “ Os mistérios por trás do Desafio”. além disso. em “Amarrando as Ideias”. Um abraço e bom trabalho! Equipe de Elaboração. em seguida uma breve descrição sobre o que propõe o desafio. Todos os desafios apresentam-se sempre acompanhados por uma ficha técnica que indica a duração prevista. no intuito de auxiliar a sua organização para aplicá-las. A nossa proposta é que você. No Campo Geométrico. todos os roteiros apresentam-se comentados. a organização da classe e os descritores associados.Olá. Estas atividades foram elaboradas a partir da seleção dos descritos que apresentaram baixo rendimento ou rendimento intermediário nas avaliações bimestrais de 2012. você encontrará no tópico “Quebrando o Gelo” uma sugestão para iniciar a aula. desenvolva uma atividade em cada aula. No Campo Numérico Aritmético teremos como foco as operações aritméticas. iremos introduzir o estudo da Geometria abordando o ensino dos sólidos geométricos a partir de suas planificações. este Plano Mensal contém quatro atividades. você poderá encontrar algumas dicas e sugestões para aplicação da atividade. Como você já sabe. por isso. e iremos sugerir a dois jogos: um dominó aritmético e o Jogo “Cubra Doze”. os pré-requisitos. o material necessário.

Nosso foco é oferecer ao aluno atividades que apresentem uma visão da construção das ideias envolvidas na compreensão das questões sobre: Construção e exploração das superfícies dos sólidos geométricos. PRÉ-REQUISITOS: Nenhum. ORGANIZAÇÃO DA CLASSE: Em duplas. face e aresta . ASSUNTO: Geometria OBJETIVOS: Construir um conjunto de sólidos geométricos. a partir de suas planificações. Qual será o nosso desafio nesta aula? Nosso desafio nesta atividade é introduzir o estudo da Geometria abordando o ensino dos sólidos geométricos. a partir de suas planificações. Trabalhar a planificação e o estudo da superfície desses sólido geométrico. Diferenciar figuras planas de sólidos geométricos.Compreender a diferença entre figuras no plano e no espaço através da resolução de problemas. exterior e fronteira de um sólido. Introdução da nomenclatura de Geometria Espacial como superfície plana e não plana.Desafio 1: Construir e explorar os sólidos geométricos DURAÇÃO PREVISTA: 90 minutos. ÁREA DE CONHECIMENTO: Matemática. 6 . propiciando um trabalho organizado e colaborativo. vértice. Trabalhar os conceitos de interior. HABILIDADES ASSOCIADAS À OFICINA: .

Quebrando o Gelo! O professor deve pedir aos alunos que façam o reconhecimento dos objetos que têm a mesma forma dentro e fora da sala de aula. Uma ficha para que os alunos anotem os dados (o modelo de ficha sugerido segue abaixo). lápis preto. Caixa de sapatos (ou qualquer outra caixa) para guardar os sólidos geométricos montados. Cada aluno deve levar uma embalagem de casa e explorá-la respondendo a perguntas do tipo: Quantas pontas esta caixa tem? Esta caixa rola? Por quê? Você conhece outros objetos que tenham essa forma? Para trabalhar a planificação o professor deve pedir ao aluno que desmonte a caixa sem rasgá-la. Deve ser levantadas questões do tipo: O desenho obtido é o da caixa? O que ele representa? A partir dele é possível montar a caixa novamente? 7 . papel cartão ou Dupla face.    Modelos dos sólidos geométricos.  Hidrocor. Devem ser exploradas superfícies de caixas e embalagens de diversas formas. lápis de cor ou giz de cera e borracha.De quais materiais iremos precisar? I – Descrição do Material:   2 Folhas de cartolina. para desenhar no papel a forma obtida. retirando as abas (parte usadas para colar). Tesoura e cola para montagem dos sólidos geométricos.

em anexo. para que cada sólido montado fique mais resistente. É muito importante nomear os modelos que seguem em anexo. É recomendável que não seja individual. Ao fim desta primeira etapa. ATIVIDADE 1: Montar a caixa de sólidos Cada dupla ou grupo tem. pois ela poderá ser utilizada em outras atividades. Nesta etapa. Para isso. que é analisar e explorar os sólidos. disponível no Anexo I. Adapte uma caixa de sapato ou qualquer outra caixa para guardar estes sólidos e a identifique com o seu nome e turma. Por isso você deve orientá-los sobre como cortar e colar. usaremos a ficha de atividades. recortá-las e montá-las. ATIVIDADE 2: Desenvolver as atividades propostas na Ficha de atividades e familiarização do aluno com os sólidos.Os mistérios por trás do Desafio O trabalho deve ser realizado em duplas ou grupos de quatro alunos. de acordo com o número total de estudantes em sala. papel dupla fase ou papel cartão. No primeiro momento deixe que os alunos brinquem livremente com os sólidos. 8 . uma coleção de planificações das superfícies de alguns sólidos geométricos. Eles deverão pintá-las. recomende que os moldes sejam colados em uma cartolina. as duplas ou grupos com suas caixas devidamente montadas e nomeadas devem partir para a segunda etapa. É importante explicar aos alunos como montar cada sólido. pois é necessária a ajuda de outra pessoa para a montagem e análise dos sólidos geométricos. Alguns alunos podem confundir as dobras com a linha de corte. podendo utilizá-los em construções variadas de modo a familiarizar-se com suas peculiaridades.

As pontas são denominadas vértices. Esta atividade explora as noções de interior. As dobras são denominadas arestas.Após esta etapa distribua as fichas de atividades e permita que os alunos discutam sobre as questões propostas. Na parte da sistematização leve os alunos a concluir que: As partes que formam a superfície dos sólidos são chamadas de faces. O vértice é formado pelo encontro das arestas. No entanto. ao contrário dos que rolam facilmente como o cone e o cilindro. embora neste momento não seja dada maior ênfase à nomenclatura. Os sólidos que não rolam têm superfície plana. Por exemplo: o cubo poderá ser chamado de quadrado ou a pirâmide de triângulo. marcando-a com hidrocor. o objetivo é exatamente este: mostrar a diferença. Discuta as respostas com os alunos. Importa que o aluno reconheça os elementos apresentados. exterior e fronteira no espaço. peça que confirmem cada ponta do sólido. Para que os alunos não deixem de contar nenhum vértice. Provavelmente haverá confusão entre as figuras planas e os sólidos geométricos. 9 . conforme for contando os vértices. Cada aresta sempre pertence a duas faces.

de Doris Schattschneider e Wallace Walker. podem ser apresentados os poliedros construídos pelo artista M. Explore através desta atividade a criatividade dos alunos. 10 . ESCHER e encontrados no livro: Caleidociclos de M. Para estimulá-los. incentivando-os a colorir ou fazer desenhos nas superfícies dos sólidos.Amarrando as Ideias Esta atividade permite que o aluno compreenda a diferença entre figuras no plano e no espaço através da resolução de problemas. Editora Taschen. C. Escher. C.

número e turma. Pinte-a. Construção e Reconhecimento dos seus Elementos.Ficha de Atividade ATIVIDADE 1: Sólidos Geométricos: Exploração. a) Será que podemos afirmar que estas superfícies que você montou e os sólidos são a mesma coisa? b) Separe os objetos abaixo e identifique-os com objetos presentes no nosso dia a dia. 1. recorte-a e monte-a. uma coleção de planificações das superfícies de alguns sólidos geométricos.Anexo I .  Prisma de base quadrada_______________________________  Cone_______________________________________________  Cilindro_____________________________________________  Pirâmide de base quadrada_____________________________  Cubo_______________________________________________ c) Pegue o cilindro:  Quantas pontas ele tem?  Ele é arredondado?  Ele rola naturalmente? d) Pegue o Hexaedro:  Quantas pontas ele tem?  Ele é arredondado?  Ele rola naturalmente? 11 . Adapte uma caixa de sapato para guardar estes sólidos. em anexo. Vocês têm. Não se esqueça de identificar a caixa com o seu nome. Escreva o nome da figura em seu interior.

Ao realizar a tarefa anterior. Reproduza a forma obtida. g) Sistematizando: Chamamos de _________________ a parte plana da superfície de um sólido.e) Repita estas perguntas para os outros sólidos e complete a tabela a seguir com os nomes dos sólidos apresentados: Sólidos que rolam em alguma posição Sólidos que não rolam em posição alguma Sólidos que só possuem uma só “ponta” Todos os sólidos que têm “ponta” f) Verifique e anote qual (is) a (s) característica (s) que diferencia (m) as superfícies dos sólidos que rolam dos que não rolam. Desmonte mentalmente o cubo que você construiu. As __________________ são ligadas por dobras denominadas de arestas. 2. Como você explica essa denominação? __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 12 . você passou a trabalhar em quantas dimensões? Justifique. __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ A tarefa é chamada de PLANIFICAÇÃO. As “ pontas” formam o encontro de vértices e são chamados ______________ . Podemos concluir que uma __________________ pertence sempre a duas faces. pontilhando as dobras caso o seu objeto a possua.

Escreva quais as formas geométricas que podemos observar em cada face dos sólidos abaixo e registre. Já verificamos que as faces correspondem às partes planas das superfícies geométricas construídas. de fato. o desenho que você fez corresponde à forma geométrica tridimensional do objeto.Agora procure planificar outro sólido. Prisma base quadrada: _______________________________ Cone: _____________________________________________ Cilindro: ___________________________________________ Pirâmide de base quadrada: ___________________________ Cubo: _____________________________________________ 13 . Verifique se. 3.

Anexo II .Planificação do Cubo 14 .

Anexo III .Planificação do Prisma de base quadrada 15 .

Anexo IV .Planificação do cone 16 .

Anexo V .Planificação da Pirâmide de base quadrada 17 .

trabalhando as diferenças entre figuras sólidas e figuras planas. Além disso. DURAÇÃO PREVISTA: 90 minutos ÁREA DE CONHECIMENTO: Matemática ASSUNTO: Geometria OBJETIVOS: Diferenciar figura geométrica plana de sólidos geométricos. propiciando um trabalho organizado e colaborativo. a atividade focaliza a observação das semelhanças e diferenças entre pares de figuras e de sólidos.Desafio 2: Diferenciando figuras planas de sólidos geométricos de campeonato. Qual será o nosso desafio nesta aula? Neste desafio iremos introduzir os estudos da Geometria.Compreender a diferença entre figuras no plano e no espaço através da resolução de problemas. HABILIDADES ASSOCIADAS À OFICINA: . Nosso foco é oferecer ao aluno atividades que apresentem uma visão da construção de ideias envolvidas na compreensão desses conceitos. 18 . ORGANIZAÇÃO DA CLASSE: Em duplas. A atividade desta aula pretende fazer com que o aluno aprenda a diferenciar figuras geométricas planas de sólidos geométricos através da comparação entre figuras planas e espaciais. PRÉ-REQUISITO: Conhecimento de figuras geométricas planas.

o Professor/Monitor. de acordo com o número total de estudantes em sala. oriente os alunos a trazerem a caixa de sólidos. os alunos devem anotar na folha de registro o que os elementos têm em comum e algumas diferenças 19 . Após manusear e observar cada par de figuras.  Uma ficha para que os alunos recortem os pares de figuras para análise. É importante que você explique aos alunos como recortar as figuras que seguem em anexo.  Lápis e borracha para que os alunos possam escrever. Quebrando o Gelo! Em continuidade ao Desafio da aula anterior. Com o material em mãos. Cada dupla ou grupo receberá uma coleção de pares de figuras que devem ser recortados (ver anexo II). É recomendável que não seja individual. pois é necessária a ajuda de outra pessoa para o registro e análise das figuras e dos sólidos geométricos. Os mistérios por trás do Desafio O trabalho deve ser realizado em duplas ou grupos. Caso contrário.De quais materiais iremos precisar? I – Descrição do Material:  Folhas avulsas para registro. para facilitar a observação dos mesmos. leve para a sala de aula alguns objetos com formatos e dimensões apropriados para possibilitar o manuseio por parte dos alunos. pode iniciar a aula comparando os sólidos geométricos com algumas figuras planas. ATIVIDADE 1: Recortar as figuras apresentadas no anexo II.

Depois promova um debate sobre as respostas dos alunos. utilizando os materiais adquiridos pelo Programa Mais Educação (disponíveis em sua escola) para enriquecer esta atividade. 20 . Amarrando as Ideias A partir da compreensão das diferenças e semelhanças entre figuras no plano e no espaço. Você deve registrar juntamente com seus alunos as diferenças observadas em cada par de figuras e registrá-las para promover a sistematização. trabalhe algumas situações-problema.observadas.

Anexo 1 .Folha de Registro Nome:_______________________________________________ Turma:__________ Pares de figuras 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Elementos em Comum Diferença 21 .

Anexo 2 .Pares de Figuras 22 .

O assunto deve ser abordado de maneira construtiva.Efetuar as operações multiplicação e divisão de números naturais. Operações Básicas Matemáticas. Nosso foco é oferecer ao aluno atividade lúdica que apresente a ideias envolvidas na compreensão das questões sobre: Construção de um Jogo e suas regras. utilizandoas para resolver problemas. Qual será o nosso desafio nesta aula? Nosso desafio nesta aula é trabalhar basicamente as operações matemáticas. Uso da . com vistas a despertar maior interesse do aluno em seus primeiros contatos com os temas e ideias trabalhados neste Campo Conceitual. HABILIDADES ASSOCIADAS À OFICINA: . 23 .Resolver situações-problemas envolvendo as operações adição e subtração com números naturais.Desafio 3: Construindo um Dominó Aritmético DURAÇÃO PREVISTA: 90 minutos ÁREA DE CONHECIMENTO: Matemática ASSUNTO: Álgebra OBJETIVOS: Trabalhar com as operações aritméticas PRÉ-REQUISITO: Operações matemáticas ORGANIZAÇÃO DA CLASSE: Em grupos. propiciando um trabalho organizado e colaborativo.

24 . Lápis de cor e Hidrocor. pois é necessária a ajuda de outra pessoa para montar todas as peças de um dominó e registrar o processo de exploração das peças. explore as características das peças. usando cartolina ou papel cartão é um exercício de contagem organizada. para decidir. ATIVIDADE 1: Analisar as peças e verificar como podemos construí-las.  Lápis e borracha para que os alunos possam escrever. É recomendável que não seja individual. ou seja. Quebrando o Gelo! Peça que os alunos que manipulem um dominó.  Cartolina. levante perguntas como:  Quais os números que aparecem nas peças?  Quantas vezes aparecem cada números?  Seria possível construirmos um dominó? Os mistérios por trás do Desafio O trabalho deve ser realizado em grupos. Tesoura. por exemplo. Deixe que se organizem em grupos para jogá-lo e discutam as regras. Estas atividades usam o jogo de dominó para motivar o estudo das operações com números naturais. de acordo com o número total de estudantes em sala. Em seguida. A simples construção de um jogo de dominó.De quais materiais iremos precisar? I – Descrição do Material:  Jogo de Dominó  Folhas avulsas para registro.

apareça uma operação cujo resultado seja o número seis ou os outros números que aparecem nas outras peças. ao invés de na peça aparecer o número 6 ou outro número qualquer de zero a seis. ou tiveram o contato na sessão Quebrando o Gelo. a fim de que as operações aritméticas sejam utilizadas. dois a dois. propiciando uma maior integração da turma.quantas e quais peças precisam ser construídas. Sugira aos alunos que. inclusive com repetição. contrário. Apresente aos alunos a seguinte figura: 25 . peça para que um aluno a faça. Caso. como as da figura: Nas peças aparecem todas as combinações possíveis dos números de 0 (zero) a 6 (seis). A construção pode ser feita no 6º ano ou em outros anos. Provavelmente todos os alunos conhecem as regras do jogo. ou quantas vezes um determinado número aparece nas peças. JUSTIFICANDO: O dominó é um jogo formado por 28 peças. Cada número aparece 8 vezes.

deverá ser montado com seu auxilio e supervisão. inclusive com repetição. Observe. conforme ilustrado a seguir: Deixe que os alunos criem peças com outros números nas extremidades. por isso. mostre-lhes um exemplo de dominó aritmético. ATIVIDADE 2: Construção do Dominó Após registrar todas as peças que serão construídas oriente os alunos a construírem o dominó. que isso altera toda a montagem do dominó e. Depois o professor deve ajudar o aluno a montar todas as combinações possíveis dos números de 0 a 6.Solicite que os alunos troquem os números por operações que resultem neste valor. Para tanto. 26 . Por isso o aluno deve fazer 8 registros de operações para cada número. no entanto. Por exemplo: 5 = 2+3 ou 5 = 20:4 ou 5 = 30:6 ou 5 = 8-3 ou 5= 4+1 ou 5= 10-5 ou 5 = 100:20 Note que os números que aparecem são de 0 a 6 e cada um aparece 8 vezes . dois a dois.

Sugira a criação de diversos tipos de dominós. Podem ser criados dominós envolvendo todas as operações ou apenas uma operação específica. a fim de estimular seu interesse sobre o conteúdo.Amarrando as Ideias Essa atividade permite desenvolver a habilidade do aluno em resolver situaçõesproblema envolvendo as operações básicas. 27 .

Desafio 4: Jogo Cubra Doze DURAÇÃO PREVISTA: 90 minutos ÁREA DE CONHECIMENTO: Matemática ASSUNTO: Aritmética OBJETIVOS: Trabalhar com as operações aritméticas PRÉ-REQUISITO: Operações Aritméticas. resolução de desafios. Trabalhar com regras. ORGANIZAÇÃO DA CLASSE: em duplas HABILIDADES ASSOCIADAS À OFICINA: . cálculo mental e agilidade de raciocínio. Qual será o nosso desafio nesta aula? As orientações deste desafio são uma sugestão de introdução aos estudos da Aritmética no 6º ano do Ensino Fundamental. Este desafio Fazer com que os alunos associem a prática do skate e suas manobras. com a geometria. 28 .. Nosso foco é oferecer ao aluno atividades que apresentem uma visão mais dinâmica da construção de ideias envolvidas na compreensão das questões sobre: Operações básicas da Matemática.Resolver situações problemas envolvendo as operações básicas.

deverá preencher a sua coluna com a sequência de números de 1 a 12. Cada jogador. para cada jogador. em cartolina. numerado de 1 a 12. 29 . o número 2 está numa face oposta ao número 5. REGRA DO JOGO: Em princípio. Tesoura. (Anexo I). Se preferir. montando-os para iniciar o desafio. por meio de uma operação aritmética escolhida e anunciada por ele. oriente os alunos sobre a confecção do jogo que consiste em um tabuleiro 30cm x 30cm. Ou seja. cobrir os valores correspondentes ao resultado da operação. que serviram de marcadores e dois dados comuns. Quebrando o Gelo! Peça que os alunos manipulem um par de dados. uma vez que já montaram o cubo na primeira atividade. Lápis de cor e Hidrocor. devendo o mesmo.  Lápis e borracha para que os alunos possam escrever. cada jogador escolhe um lado do tabuleiro. sugira que os alunos confeccionem dois dados. Deixe que os alunos usem a criatividade e explique que os números das faces opostas de um dado somam 7. Os mistérios por trás do Desafio Neste primeiro momento.  Cartolina. Os dados serão lançados no meio do tabuleiro. Caso não tenha este objeto na escola. 24 fichas em cartolina colorida (sendo 12 para cada jogador). O jogo inicia com o primeiro jogador. leve os dados.De quais materiais iremos precisar? I – Descrição do Material:  Folhas avulsas para registro. O número 1 esta na face oposta ao número 6 e o número 3 na face oposta ao número 4. lançando os dois dados no centro do tabuleiro e os números sorteados serão utilizados como o jogador desejar.

Para compreendermos melhor o jogo. ou 12 que é o resultado de 6x2 ou 3 que é o resultado de 6:2. O objetivo desta atividade é explorar a atenção. Durante a confecção do tabuleiro. A divisão só pode ser efetuada se for exata e ganha o jogador que cobrir primeiro todos os números. podendo então ser auxiliado pelo Professor/Monitor. o cálculo mental e as operações aritméticas. a agilidade de raciocínio. Essa atividade permite ao aluno do 6° ano do ensino fundamental desenvolver o raciocínio lógico-dedutivo e resolver situações problemas envolvendo as operações básicas. 30 . Este modelo encontra-se em tamanho maior no Anexo I. o aluno pode ter dificuldades em manipular a régua corretamente. segue um modelo do tabuleiro do Cubra Doze. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Por exemplo: Se os números sorteados nos dados forem 6 e 2. Amarrando as Ideias Você pode sugerir que os alunos registrem as operações. ou 4 que é o resultado de 6-2. o jogador poderá cobrir 8 que é o resultado de 6+2.

Anexo 1 – Tabuleiro do Jogo 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 31 .

com.Referencias [1] LOPES. UFPB.blogspot. Rogéria G.blogspot. 32 . do.1991. Lilian e Neide P.Matematicativa . [8] Modelo do dominó aritmético retirado do site: http://pibiduspsc.somatematica.html?aula=4751 último acesso dia 3 de março de 2013. [4] SCHATTSCHNEIDER.br/emedio/espacial/espacial8. IM/UFRJ. Rômulo M. do. [2] Nasser. Escher – Köln. 1997.gov. RÊGO. Alemanha: Editora Taschen. [5] Imagens dos poliedros retiradas dos sites: http://www. Doris e Wallace Walker.html último acesso dia 3 de março de 2013.com. 1997. Santanna – Geometria Segundo a Teoria de Van Hiele – Rio de Janeiro: Editora Universitária.html último acesso dia 3 de março de 2013..com.Caleidociclos de M.br/2012/10/planificacao-de-poliedros.br/fichaTecnicaAula.João Pessoa: Editora Universitária. [7] Imagens do dominó retiradas do site: http://portaldoprofessor. [3] RÊGO.C. IM/UFRJ. [6] http://ensinodematemtica. 1997.php último acesso dia 3 de março de 2013.mec. Maria Laura Mouzinho Leite e Lilian Nasser – Geometria – Na Era da Imagem e do Movimento – Rio de Janeiro: Editora Universitária.br/2012/11/domino-matematico.

Herivelto Nunes Paiva Doutorando em Educação . Reginaldo Vandré Menezes da Mota Mestrando em Educação Matemática Profmat – UFF Colégio Estadual Nilo Peçanha 33 .Equipe de Elaboração COORDENADORA DO PROJETO Raquel Costa da Silva Nascimento Assistente Técnico de Matemática Mestre em Ensino de Ciências e Matemática Diretoria de Articulação Curricular PROFESSORES ELABORADORES Profª Izabela de Fátima Bellini Neves Especialista em Educação Matemática Instituto de Educação Carmela Dutra e CE Antônio Houaiss Prof. Marcelo Temperini Especialista em Ensino da Matemática Colégio Estadual Frederico Azevedo Prof.( Universidad Nacional Lomas de Zamora ) Colégio Estadual Pandia Calógeras Prof.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->