Você está na página 1de 12

A má

e a boa alimentação
A má alimentação
 Tempo não é desculpa para a má alimentação.
É imprescindível manter hábitos saudáveis nas
refeições, mesmo em dias de total loucura.
Deixar a alimentação em segundo plano por
conta de uma agenda corrida ou da rotina
atarefada é um perigo para a saúde. Mesmo em
dias de correria insana, não permita que a falta
de tempo prejudique suas refeições, afinal os
alimentos são aliados essenciais na produção da
energia necessária para cumprir suas actividades
e para garantir qualidade de vida.
“O estômago está preparado para receber
refeições fraccionadas e não passar muito tempo
em jejum. Quebrar o galho com lanches rápidos e
calóricos faz mal, principalmente quando se torna
rotina.
Algumas imagens de má
alimentação
A boa alimentação

 De uma forma simples e sucinta, a nova Roda dos Alimentos ensina-nos como manter uma alimentação
saudável, ou seja, completa, equilibrada e variada.
 

 A Roda dos Alimentos é uma imagem ou representação gráfica que ajuda a escolher e a combinar os
alimentos que deverão fazer parte da alimentação diária. É um símbolo em forma de círculo que se
divide em segmentos de diferentes tamanhos que se designam por Grupos e que reúnem alimentos
com propriedades nutricionais semelhantes.
 

 A nova roda dos alimentos é composta por sete grupos de alimentos de diferentes dimensões que
indicam, precisamente, as quantidades que cada um deles deve estar presente na alimentação
diária.

 De uma forma simples e sucinta, a nova Roda dos Alimentos ensina-nos como manter uma alimentação
saudável, ou seja, completa, equilibrada e variada.
 

 A Roda dos Alimentos é uma imagem ou representação gráfica que ajuda a escolher e a combinar os
alimentos que deverão fazer parte da alimentação diária. É um símbolo em forma de círculo que se
divide em segmentos de diferentes tamanhos que se designam por Grupos e que reúnem alimentos
com propriedades nutricionais semelhantes.

 A nova roda dos alimentos é composta por sete grupos de alimentos de diferentes dimensões que
indicam, precisamente, as quantidades que cada um deles deve estar presente na alimentação
diária.

A roda dos alimentos

Óleos e gorduras alimentares
  
No contexto de uma alimentação saudável, as
gorduras provenientes de diferentes
alimentos são essenciais ao bom
funcionamento do nosso organismo e,
quando consumidas nas proporções
recomendadas (não excedendo os 30% do
valor energético diário), são bem toleradas e
têm diversos efeitos benéficos. Mas, quando
consumidas em excesso e desregradamente
os efeitos prejudiciais são muitos e
rapidamente se fazem sentir no nosso estado
de saúde.  

Carnes e derivados, pescado (peixes,
marisco) e ovos
  

São alimentos ricos em proteínas e também


vitaminas do complexo B e sais minerais
(ferro, fósforo e iodo). A quantidade de
gordura varia com o tipo de alimento.
Recomenda-se retirar as peles das aves e a
gordura aparente das carnes antes de
cozinhar, diminuindo, deste modo, a ingestão
calórica.

 

 Cereais e derivados, tubérculos – 4 a 11 doses


 Hortícolas – 3 a 5 doses
 Fruta – 3 a 5 doses
 Lacticínios – 2 a 3 doses
 Carnes, pescado e ovos – 1,5 a 4,5 doses
 Leguminosas – 1 a 2 doses
 Gorduras e óleos – 1 a 3 doses

 

 A Água

 Não possuindo um grupo próprio, a água assume a


posição central na nova roda dos alimentos. Isto
porque, esta representada em todos eles pois faz
parte da constituição de quase todos os alimentos. Por
ser um bem tão essencial à vida recomenda-se o seu
consumo diário na ordem dos 1,5 e 3 litros.



 As hortaliças, legumes e frutos

 A ingestão adequada de frutos, hortaliças e


legumes previne o aparecimento de cancro,
doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade,
carências nutricionais e distúrbios do aparelho
digestivo (ex.: prisão de ventre, hemorróidas,
diverticuloses, etc.) Consuma a quantidade diária
recomendada. São alimentos riquíssimos em
vitaminas e minerais e devem ser consumidos
em abundância. São, com algumas excepções
(azeitonas, abacate, amendoim, noz, pinhão,
pistácio, avelã, amêndoa), pobres de gordura e
ricos em fibras, o que os torna altamente
vantajosos no tratamento para emagrecer.

 Leite e derivados ricos em cálcio
  
 Os alimentos deste grupo são também ricos em proteínas,
indispensáveis para a formação e reparação do nosso organismo.
Pela sua riqueza em gordura devem preferir-se as variedades
magras num tratamento para emagrecer.

  Doces

 Estes alimentos não fazem parte da Roda dos Alimentos e, se


entram na rotina do nosso dia-a-dia, contribuem para aumentar
muito o valor calórico da refeição. Como agravante, são muitas
vezes constituídos também por gordura, o que os torna ainda
mais calóricos. Por estas razões estão desaconselhados. Nas
bebidas e sumos é imprescindível a leitura do rótulo para saber o
que contêm. Só as quantidades de açúcar e calorias elevadas são
desaconselhadas no tratamento para emagrecer.


 Cereais e derivados, leguminosas e
tubérculos

 Estes alimentos são bons fornecedores de hidratos


de carbono, vitaminas do complexo B, sais
minerais e fibras. A maior parte da energia diária
deve vir deste tipo de alimentos. Pela sua riqueza
em fibras e por serem praticamente nulos em
gordura, estão indicados no tratamento para
emagrecer.
 As fibras alimentares, mais recentemente também
chamadas de complantix, designam um conjunto
de substâncias existentes nos alimentos de
origem vegetal, que não podem ser digeridas
pelas enzimas do nosso sistema gastrointestinal
e por isso não são absorvidas. São compostos
que têm muitos efeitos benéficos no nosso
organismo, sendo mesmo essenciais para o
normal funcionamento do sistema digestivo. No
vasto grupo das fibras alimentares podemos
distinguir as fibras solúveis das insolúveis.
Trabalho realizado por:

Daniel Pereira, nº 10
Júlio Talaia, nº 19
Miguel Gomes, nº 23
Steve Soares, nº 28

Fontes:
http://www.medicinaealimentacao.com
http://ser-saudavel.blogspot.com
http://pt.wikipedia.org

http://boasaude.uol.com.