Você está na página 1de 19

Escola Secundária de Bocage

Curso de Técnicos de Apoio à Infância


Turma I do 11º ano
Disciplina: Psicologia
Professor/a: Rui Ermitão
Trabalho Realizado Por: Bruna Ferreira nº 4
Fábio Machuqueiro nº 6

Título do trabalho
O Património

16 de Outubro de 2009
Ano lectivo 2009/2010
Índice

Introdução............................................................................................................................2
1.O que é o Património?.......................................................................................................3
2.O património Mundial.......................................................................................................4
3.A Missão da Unesco.........................................................................................................5
4.Património Cultural ..........................................................................................................6
5.Património Oral e Imaterial da Humanidade....................................................................9
6.Património Natural .........................................................................................................10
7.Património Cultural Subaquático....................................................................................11
8.Tipos de bens considerados património..........................................................................12
8.1Folclore ....................................................................................................................12
8.2Música.......................................................................................................................13
8.3Linguagem................................................................................................................13
9.Arte e Artesanato............................................................................................................14
10.O patrimonio Mundial em Portugal..............................................................................15
Conclusão...........................................................................................................................17
Bibliografia........................................................................................................................18

1
Introdução

Neste trabalho realizado no âmbito da disciplina de Expressão Plástica,


pretendemos dar a conhecer o tema “Património”, que é bastante vasto e suscita
muitas dúvidas. Património é um conceito que envolve várias tipologias, está
subdividido por cultural, natural, subaquático e Material.
É um tema importante para a sociedade de hoje, visto que o património
de algum local conta o seu historial e caracteriza algo. É importante hoje em dia
distinguirmos o que é considerado património e o que não. Portanto, tentaremos
ser o mais explícitos possível para explicitar este tema.

2
1.O que é o Património?

O tema do trabalho a desenvolver


é o Património. Mas afinal de contas o
que é o património. Qual a sua definição?
O que pode ser considerado Património?
Que tipos de patrimónios existem? Qual a
sua importância?
Se verificarmos a origem da palavra, esta
deriva do Latim Patrimonium, que
significa bens de família. Se procurarmos
num dicionário observamos que
património refere-se não só aos tais bens de família como também à herança
paterna, aos bens indispensáveis e ainda a qualquer bem material ou moral que
seja pertença de alguém, de uma colectividade ou instituição.
Esta definição tem mudado com o correr dos tempos como por exemplo,
na antiguidade onde a palavra património significava o conjunto de bens
materiais pertencentes a uma pessoa. Durante a revolução francesa surgiu a
necessidade de alargar este conceito aos bens artísticos e aos monumentos
pertencentes a uma nação, devido aos conflitos armados que puseram em risco
de integridade edifícios, monumentos e obras de arte de grande valor artístico. O
século XIX trouxe outros tipos de conceitos como monumentos históricos e
monumentos nacionais. Os históricos estariam ligados à História Mundial
enquanto que os nacionais estariam ligados apenas à historia de um pais. O
Século XX enriqueceu muito a definição de património. Passou-se a falar de
património Europeu, para depois se começar a falar em património Mundial. A
criação da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura
(UNESCO) trouxe uma grande pluralidade e uma visão muito mais global ao
conceito de Património. Actualmente bairros antigos, ilhas, urbanização antiga,
aldeamentos, paisagens, Bens e sítios naturais também já são património
juntando-se assim aos monumentos e obras de arte. Outra grande inovação com

3
o avançar dos séculos foi passar a considerar-se as antigas industrias e
maquinarias como património devido às grandes mudanças tecnológicas e à
importância de conservar a história da indústria. Já as Evoluções cientificas
evidenciam a importância de espécies para o sistema ecológico do planeta
começando a preservar-se os locais onde habitam, considerando assim parte
fundamental do património natural.
Sendo assim existem diversos tipos de Património, como: Artístico,
Natural, Arquitectónico, Cultural.

2.O património Mundial

No ano de 1972, a Unesco


redigiu a “Convenção Geral para a
Protecção do Património Mundial,
Cultural e Natural” esta estabelecendo
assim os tipos de locais classificados
como património natural ou cultural que
pudessem ser inscritos na lista de
Património Mundial criando
consequentemente o Fundo do Património Mundial e o Comité do Património
Mundial.
Esta Convenção teve como principal objectivo estipular os deveres dos
Estados-membros no que diz respeito à identificação e preservação dos locais
potencialmente considerados Património Mundial, Cultural e Natural. Ao assinar
esta Convenção, cada país comprometeu-se a conservar tanto os locais
classificados como Património Mundial situados dentro do seu próprio território
com também a proteger o respectivo património nacional. Actualmente fazem
parte do Património Mundial da Unesco 28 locais.

4
3.A Missão da Unesco

A missão da Unesco passa por um


conjunto de objectivos, tendo em conta o
objectivo principal de incentivar todos os
países a preservar todo o tipo de património,
quer seja ele cultural ou natural. Assim sendo,
podemos afirmar que a Unesco pretende:

• Encorajar os países a assinar a


Convenção de 1972 e garantir a protecção do
respectivo património natural e cultural;

• Encorajar os Estados-membros da Convenção a nomear locais dentro do


seu território nacional para serem incluídos na Lista do Património Mundial;

• Encorajar os Estados-membros a implantar sistemas de informação sobre


o estado de conservação dos locais classificados como Património Mundial;

• Ajudar os Estados-membros a salvaguardar os locais classificados como


Património Mundial, prestando assistência técnica e formação profissional;

• Fornecer assistência de emergência nos locais classificados como


Património Mundial, prestando assistência técnica e formação profissional;

• Apoiar os Estados-membros nas actividades de consciencialização


públicas para a conservação do Património Mundial;

• Encorajar a participação da população local na preservação do seu


património cultural e natural;

5
• Encorajar a cooperação internacional na conservação do património
cultural e natural.

4.Património Cultural

No que diz respeito ao


património cultural, este é constituído
por os bens culturais que a história
deixou ao cuidado de uma nação,
para aqueles que são criados na
nossa sociedade. A fim de dar-lhes
um certo valor histórico, cientifico,
estético ou simbólico. É como uma
herança de antepassados, que se torna assim um testemunho da sua existência,
da sua visão do mundo, do seu modo de pensar e ser e que é deixado para
gerações futuras o poderem conhecer.
Este tipo de património está dividido em dois tipos, os materiais e os
imateriais. Ao material pode ser ainda chamado de património tangível, ou seja
palpável, é a expressão da cultura através de valiosas realizações materiais. Em
conseguinte, os bens podem ser classificados como tangíveis e reais.
Por outras palavras podemos dizer que o Património Cultural diz respeito
aos vestígios de actividade humana num ambiente físico de um país. Estes
vestígios contem informação acerca das actividades das pessoas, como também
do desenvolvimento histórico de trabalhos artesanais, artísticos e técnicos. Os
monumentos, locais e ambientes culturais são recursos não renováveis o que
faz com que preserva-los seja fundamental para que perdurem por mais tempo.
Tanto os monumentos, como locais culturais contem valiosas fontes de
experiências emocionais para uma grande parte da população. Assim, a
sociedade moderna pode beneficiar-se se preservar e utilizar activamente o seu
património cultural. A Direcção Geral para o património Cultural é que gere todos
os monumentos e locais arqueológicos, arquitectónicos e ambientes culturais,

6
com o auxílio do Ministério do Ambiente que desempenha um papel fundamental
na gestão ambiental pública.
Cada país tem um serviço responsável pela conservação de todo o
património cultural garantindo que os monumentos locais e ambientes culturais
sejam levados em conta ao nível do planeamento dos municípios.
A noção de património tem vindo a evoluir ao longo dos anos não só na
sua conceptualização, mas também e sobretudo na perspectiva global da
palavra. Dentro desta definição podemos encontrar diversas tipologias a serem
consideradas como património construído. Assim sendo e como refere a
Convenção para a Salvaguarda do Património Arquitectónico da Europa devem-
se considerar os seguintes elementos:

1. Monumentos

São todas as construções


particularmente notáveis e de renome
em virtude do seu interesse histórico,
arqueológico, artístico, científico, social
ou técnico, incluindo instalações ou
elementos decorativos que possam
fazer parte integrante das mesmas.

2. Conjuntos Arquitectónicos

São considerados conjuntos


arquitectónicos os grupos homogéneos de
construções urbanas ou rurais, notáveis
pelo seu interesse histórico, arqueológico,
artístico, científico, social ou técnico.

7
3. Locais e ambientes

Obras resultantes da interacção


entre o homem e a natureza, parcialmente
construídas constituindo espaços
extremamente característicos e
homogéneos de modo a tornarem-se
objecto de uma limitação topográfica,
notáveis pelo seu interesse histórico,
arqueológico, artístico, científico, social ou técnico.

O conceito em análise, associado ao valor de bens materiais, é tão antigo


como a nossa civilização, confundindo-se com um sentimento de posse que se
acumula e transmite de geração em geração. Neste sentido a herança está
directamente relacionada com a história, transmitindo testemunhos e memórias.
Hoje em dia a palavra adquiriu, tal como o conceito, outros valores que o ligam
inteiramente à cultura, ao patrimonio edificado e ao habitat que se impõe de
forma imediata. Todos estes bens materiais ou imateriais realizam também uma
dupla viagem passado / presente na medida em que nos trazem o passado e
nos transportam de volta ao mesmo. O património desempenha assim um papel
importante na formação da nossa memória colectiva.

8
5.Património Oral e Imaterial da Humanidade

Depois da adopção da Convenção para a Protecção do Património


Mundial, Cultural e Natural no ano de 1972, alguns estados membros que já
tinham aderido a esta convenção demonstraram uma enorme vontade de criar
um instrumento para protecção de todo o património Imaterial. Como
consequência a Unesco, adoptou a “Recomendação para salvaguarda da cultura
tradicional e do folclore”. No seguimento deste acto, foram lançadas várias
iniciativas dentro do âmbito deste projecto de modo a proteger todo o património
imaterial de uma determinada região denominadas Tesouros Humanos Vivos,
Línguas em Perigo no Mundo e Música Tradicional.
As iniciativas continuaram e no ano de 1999, o conselho executivo da
Organização decidiu criar algo que distinguisse o património oral e imaterial de
cada país. Assim surgiu a Proclamação das Obras-primas do Património Oral e
Imaterial da Humanidade, que se comprometia a distinguir os mais notáveis
exemplos de espaços culturais ou formas de expressão popular e tradicional tais
como as línguas, a literatura oral, a música, a dança, os jogos, a mitologia, os
rituais, os costumes, o artesanato, a arquitectura entre outras formas de arte.
Fazem ainda parte deste leque de bens patrimoniais algumas formas
tradicionais de comunicação e informação. Depois da proclamação surgiu então
a Convenção para Salvaguarda do Patrimonial Cultural Imaterial aprovada em
Outubro de 2003, mas que só viria a entrar em vigor no ano de 2006 com alguns
objectivos de destaque:

• A salvaguarda do património cultural imaterial;

9
• O respeito pelo património cultural imaterial das comunidades, dos grupos
e dos indivíduos em causa;
• A sensibilização, a nível local, nacional e internacional, para a importância
do património cultural imaterial e do seu reconhecimento mútuo;
• A cooperação e o auxílio internacionais, no quadro de um mundo cada
vez mais globalizado, que ameaça uniformizarem as culturas do mundo
aumentando simultaneamente as desigualdades sociais.

No enquadramento desta Convenção, é considerado património cultural


imaterial todas as práticas, representações, expressões, conhecimentos e
aptidões. Por associação estão implicados nesta definição instrumentos,
objectos, artefactos e espaços culturais associados a este tipo de património. De
notar que todas as comunidades, grupos e se for o caso, alguns indivíduos são
reconhecidos como parte integrante do seu património cultural.
Assim podemos dizer que este tipo de património manifesta-se da seguinte
forma:

• Tradições e expressões orais, incluindo a língua como vector do


património cultural imaterial;
• Artes do espectáculo;
• Práticas sociais, rituais e eventos festivos;
• Conhecimentos e práticas relacionadas com a natureza;
• Aptidões ligadas ao artesanato tradicional.

6.Património Natural

Património natural diz respeito as


variadíssimas paisagens que compõem a
fauna e a flora de certa região. Quanto a
UNESCO define património natural como os
recursos naturais, formações geológicas,

10
lugares e paisagens, que são muitíssimo relevantes do ponto de vista estético,
científico ou ambiental. O património natural evolve as reservas da biosfera,
monumentos naturais, reservas e parques nacionais e santuários da vida
selvagem.

7.Património Cultural Subaquático

Nem só de património Material e Imaterial


terrestre vivem as regiões e muitos dos países do
mundo. Contrariando a tendência dos últimos anos
onde o património cultural em terra foi alvo de
várias medidas de protecção nacional e
internacional, o património cultural subaquático
passou também a ser alvo de alguma notoriedade
através de um instrumento internacional de protecção adoptada mais uma vez
pela entidade responsável pelo património mundial, ou seja, a Unesco. Assim, a
convenção sobre protecção do património cultural subaquático facilitou nos
últimos anos um acesso sem precedentes ao fundo do mar e ao património
cultural aí depositado, tornando-o em contrapartida um alvo fácil de
vulnerabilidade, pilhagem e destruição.
Este tipo de património constitui parte
da herança cultural da humanidade e como tal
deve ser alvo de protecção e preservação por
todos aqueles que estão em contacto com
este. De notar ainda que se torna um elemento
extremamente valioso na reconstrução do
passado e dos modos de vida de outrora demonstrando a vida a bordo de
embarcações, a construção naval e as rotas de comércio.

11
8.Tipos de bens considerados património

8.1Folclore

Folclore é um tipo de cultura de origem


popular, é constituído por costumes, lendas,
tradições e festas populares transmitidos por
imitação e via oral de geração em geração.
Cada povo tem a suas próprias tradições,
crenças, superstições, que por sua vez, são
transmitidas através de lendas, contos,
provérbios e canções. Um acontecimento é
folclórico quando apresenta características
como: a tradicionalidade (vem se transmitindo de geração em geração), a
Oralidade (transmitido pela palavra falada), o Anonimato (não tem autoria), a
Funcionalidade (existe uma razão para o fato acontecer), a Aceitação Colectiva
(há uma identificação de todos com o fato), a Vulgaridade (acontece nas classes
populares), a Espontaneidade (não pode ser oficial, nem institucionalizado).

Campos do Folclore
• Música
• Danças e festas
• Linguagem
• Usos e costumes
• Brinquedos e brincadeiras
• Lendas, mitos e contos
• Crenças e superstições
• Arte e artesanato

12
8.2Música

Quanto à música, tem como base a


simplicidade, monotonia e lentidão. A origem
depende, pode ser ligada a um autor que foi
esquecido ou ser criada de uma forma
espontânea pelo povo. Habitualmente
observamos a música folclórica em
brincadeiras infantis, cantos religiosos, ritos, danças e festas.

8.3Linguagem

As principais manifestações do folclore na linguagem popular são as seguintes:

• Adivinhações: também chamados de


adivinhas. Consistem em perguntas com
conteúdo dúbio ou desafiador.
• Parlenda: são palavras ordenadas de forma
a ritmar, com ou sem rima.
• Provérbios: ditos que contém ensinamentos.
Dinheiro compra pão, mas não compra
gratidão. A fome é o melhor tempero. Ladrão que rouba a ladrão tem cem
anos de perdão. Pagar e morrer é a última coisa a fazer.
• Quadras: estrofes de quatro versos sobre o amor, um desafio ou
saudação.
• Piadas: fatos narrados humoristicamente.
• Literatura de Cordel: livrinhos escritos em versos, sobre assuntos que vão
desde mitos a situações sociais, políticas e económicas da actualidade.
• Frases prontas: frases consagradas de poucas palavras com significado
directo e claro.

13
• Frases de pára-choque de caminhão: frases humorísticas ou religiosas
que pintam em seus pára-choques.
• Trava-Língua: É um pequeno texto, rimado ou não, de pronunciação
difícil.

9.Arte e Artesanato

O artesanato refere-se ao trabalho manual


ou à produção realizada por uma pessoa
denominado artesão. O artesão é considerado
como aquele que produz objectos pertencentes à
chamada cultura popular. As técnicas utilizadas
são habitualmente de matéria-prima natural como,
a madeira, ossos, couro, tecido, pedras,
sementes, etc. O artesanato é por tradição uma
arte de gerações e de carácter familiar, na qual o produtor, ou seja, o artesão
possui todos os meios de produção essenciais, é o proprietário da oficina e das
ferramentas trabalhando a partir da própria casa e passando por todas as etapas
da produção que vão desde o preparo da matéria-prima até ao acabamento
final, sendo que não existe uma divisão específica do trabalho ou algum tipo de
especialização para a execução do mesmo.
Historicamente, os primeiros
objectos feitos pelo homem foram
artesanais. Desde o período neolítico,
quando aprendeu a polir pedra ou a
fabricar cerâmica como utensílios para
os alimentos passando pela tecelagem
entre outras, o homem deixou um rasto
artesanal marcante transportando até aos dias de hoje bens que são agora
considerados património.

14
A partir do século XI, o artesanato começou a concentrar-se em oficinas, onde
os aprendizes viviam e aprendiam como o mestre artesão esta arte do
artesanato, visto que este era detentor de todo o conhecimento técnico. Era um
trabalho com troca de favores visto que o mestre artesão ensinava em troca de
mão de obra barata e cumpridora de trabalho, sendo que o empregado recebia
ainda a comida e as roupas necessárias ao oficio.
Assim podemos dizer que o artesanato se distingue por ser um trabalho
unicamente feito à mão.

10.O patrimonio Mundial em Portugal.

Também em Portugal existe Património


reconhecido pela Unesco a nível mundial com
importância suficiente não só para ser
considerada por esta Organização de renome e
de extrema importância como também por ser
necessário a sua preservação que vai desde
patrimónios históricos e naturais. Portugal é já
um dos países com maior número de
monumentos no mundo dos classificados como
Património da Humanidade demonstrando assim
a amplitude e o seu peso a nível mundial. Sendo
eleito em 1999, Portugal conta com 690 bens,
de 122 Estados, inscritos pelo Comité lista do património mundial (529 bens
culturais, 138 bens naturais e 23 bens mistos) 12 estão localizados em território
nacional:

1983 Centro Histórico de Angra do Heroísmo nos Açores


1983 Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém em Lisboa
1983 Mosteiro da Batalha
1983 Convento de Cristo em Tomar
1988 Centro Histórico de Évora

15
1989 Mosteiro de Alcobaça
1995 Paisagem Cultural de Sintra
1996 Centro Histórico do Porto
1998 Sítios Arqueológicos no Vale do Rio Côa
1999 Floresta Laurissilva na Madeira
2001 Centro Histórico de Guimarães
2001 Alto Douro Vinhateiro
2004 Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico

16
Conclusão

No final deste trabalho, demos conta que foi bastante difícil encontrar
explicações do tema “Património”, contudo conseguimos perceber e adquiri
conhecimento acerca do mesmo. Sabemos agora qual o conceito ao certo de
património, o que envolvem cada uma das suas tipologias, sabendo agora
distinguir um tipo de património de outro. Ainda assim, a partir de agora
conseguiremos identificar no nosso país o nosso património.

17
Bibliografia

• http://www.etur.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=2696
• http://www.cultura.pe.gov.br/patrimonio.html
• http://www.gp1.com.br/noticias/o-que-e-patrimonio-cultural-para-ficar-
bem-informado-veja-44624.asp
• http://www.iepha.mg.gov.br/sobre-cultura-e-patrimonio-cultural
• http://www.iepha.mg.gov.br/sobre-cultura-e-patrimonio-cultural
• http://wwwa.uportu.pt/siaa/M_PAC.pdf
• http://jornadas-patrimonioarterial.blogspot.com/2009/03/patrimonio-
artistico.html
• http://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?
base=./snuc/index.html&conteudo=./snuc/artigos/listaunesco.html
• http://www.geocities.com/RainForest/9468/natural.htm

18