Lipólise

.: fígado. 2002. Então é liberado na circulação e transformado em diidroxiacetona-P (DHAP) em outros tecidos como o fígado.ed. AGs liberados são transportados no sangue pela albumina sérica e distribuídos aos tecidos capazes de utilizá-los como fonte de energia (ex. músculos).   Hemácias e células do cérebro não podem utilizar AGs como fonte energética.Mobilização dos depósitos de triacilgliceróis  Tem início por ação da lipase hormônio-sensível (LHS) nos adipócitos.  Nas células os AGs são ativados e oxidados    Convertidos em derivados de CoA (os acil-CoA) no citoplasma Transportados para as mitocôndrias Oxidados por reações da b-oxidação (ciclo de Lynen) Fonte da figura: Lehninger Princípios de Bioquímica 3. .  Glicerol não é metabolizado nos adipócitos por falta de enzima específica. DHAP é substrato da glicólise. que hidrolisa TAGs a AGs e glicerol.

ed. A acil-CoA resultante refaz o ciclo várias vezes até ser totalmente convertida em acetil-CoA.. 1999. 4) cisão 1) oxidação 2) hidratação 3) oxidação Fonte da figura: Bioquímica Básica 2. 1 FADH2 e 1 NADH.b-oxidação de ácidos graxos (ciclo de Lynen)  Na b-oxidação a acil-CoA é oxidada    A via é composta por 4 reações cíclicas Em cada ciclo formam-se: uma acil-CoA com 2C a menos. . liberados na forma de acetil-CoA.

ed. palmítico (16C) Encurtamento da cadeia carbônica e formação de acetil-CoA Relação entre a oxidação do ác. palmítico e a respiração celular 1 2 3 4 5 6 7 Fonte das figuras: Lehninger Princípios de Bioquímica 3. 2002.b-oxidação de ácidos graxos e a respiração celular Oxidação do ác.. .

.Rendimento energético da b-oxidação de ácidos graxos Exemplo válido apenas para o ácido palmítico (de 16C) É preciso descontar: gasto inicial de ATP na reação de ativação do ácido graxo (2 ligações ricas em energia = 2 ATP) Rendimento total = 129 ATP Fonte da tabela: Bioquímica Básica 2..ed. 1999.