Os Direitos Humanos e a Globalização

Índice
Introdução - O que são os direitos Humanos? - Porque surgiram os Direitos Humanos? - Os direitos Humanos são apenas algo abstracto, que não se aplica ? - Existe unanimidade no reconhecimento dos direitos humanos? - Existe ainda algum tipo de relutância contra estes Direitos? Globalização - O que é a Globalização? - Quais as consequências da Globalização? Conclusão Bibliografia

Introdução
Para uma melhor compreensão e organização, decidimos dividir este trabalho em duas partes: Os Direitos Humanos e A Globalização, porque apesar dos dois assuntos estarem interligados, existem diferenças entre eles . Ambos foram sendo reivindicados ao longo dos tempos, e contribuem para existência de melhores condições de vida para todos os seres humanos, para que possam ter a sua própria dignidade, e possam ser indivíduos cultos e bem informados.

Quanto à verdadeira origem destes assuntos, é ainda incerto, pois algumas pessoas, como por exemplo Guy Haarcher, defendem que desde os tempos de Sócrates que se tenta adquirir os Direitos do Homem, e eliminar certos poderes do Estado. Não há nenhuma data específica que possamos dizer: Foi a partir deste dia que se reivindicou do direitos do Homem , mas podemos imaginar que desde sempre os indivíduos quiseram evoluir, ser dignos e ter os mesmos direitos que o outros, mas podemos afirmar as primeiras manifestações, e este é um dos pontos que neste trabalho vamos focar e desenvolver.

Direitos Humanos
O que são os direitos Humanos?
Os Direitos Humanos são um conjunto de leis, vantagens e prerrogativas que devem ser reconhecidas como essências pelo indivíduo para que este possa ter uma vida digna, ou seja, que não seja inferior ou superior aos outros porque é de um sexo diferente, porque pertencem a uma etnia diferente, ou religião, ou até mesmo por pertencerem a um determinado grupo social. São importantes para que se ten uma ha convivência em paz. São também um conjunto de regras pelas quais não só o Estado deve seguir e . respeitar, como também todos os cidadãos a ele pertencentes A função dos Direitos Humanos é proteger os indivíduos das arbitrariedades, do autoritarismo, da prepotência e dos abusos de poder. Eles representam a liberdade dos seres humanos, e o seu nascimento está ligado ao individualismo das

pelos filósofos Hobbes e Locke e depois mais tarde por Montesquieu. a igualdade perante a lei. pois estes valores. de democracia. Voltaire e Rousseau. A II Guerra Mundial foi um acontecimento até o qual muitos dos direitos Humanos não foram respeitados. limitando desta maneira a domínio do Estado. como que uma revolta para que esses direitos fossem aplicados a todos os indivíduos a quem não tinham sido aplicados até então. A História dos Direitos Humanos já vem desde há algum tempo. Valores como a dignidade humana. XVIII. fazendo com que o respeitasse e aos seus interesses. que ainda hoje estão longe de ser adquiridos por todos os seres humanos.sociedades que se foi criando ao longo dos tempos. a liberdade de pensamento. pois eles começaram e ter alguma importância no final do Séc. e foi quando houve. a igualdade em direitos. . Estes filósofos cimentaram a existência de direitos naturais inalienáveis. a propriedade. Após este acontecimento foi criada uma declaração (Decl ração a Universal dos Direitos do Homem) que visa estabelecer a paz entre as nações e o consenso entre os povos. de origem judaico-cristã. e por consequência levou á necessidade de limitar o poder do Estado sobre os indivíduos. que em conjunto reflectem uma ideia de igualdade e de dignidade para todos os seres humanos. Desta formas estão associados a uma ideia de civilização. A partir daí. a posse de bens. os direitos humanos começaram a evoluir a começaram também a ter uma carga diferente nos programas dos governos e passaram a traduzir-se em declarações dos direitos fundamentais comuns a toda a Humanidade. inalienáveis e intransferíveis. representam os ideais político-júridicos e filosóficos duma sociedade que se está a transformar e a transformar o mundo. e deram uma nova concepção de obediência. Existem diversos valores desses direitos particulares. que deu uma influencia ao garantir a liberdade pessoal. Uma das grandes referências de todas as constituições políticas dos estados liberais é o articulado da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789. naturais. tais como a existência. e de um governo democrático são hoje considerados os princípi s o básicos da ética política e social. a liberdade. a segurança e a resistência à opressão. individuais.

em que a preocupação e o combate pelos direitos humanos atendem uma visão mais positiva da governação do Estado e do cumprimento das suas funções. era uma maneira de afirmar a estabilidade e a segurança perante os abusos de poder. e de tornar também os indivíduos livres e iguais. sendo estes direitos designados por ´direitos de´. como por exemplo Norberto Bobio . que numa primeira circunstância os Direitos Humanos surgiram devido à necessidade de protecção da população perante a acção e a prepotência do Estado sobre eles. que confirmam os direitos de minorias ou de grupos mais desfavorecidos. Porque surgiram os Direitos Humanos? Sendo assim. Ele argumenta que desde que a declaração acima referida foi aprovada em quarenta e oito estados. que eram agora de assegurar as condições e os recursos necessários para que cada um se torne indivíduo e membro da comunidade. pelas primeira vez. foi considerada como inspiração e orientação para o crescimento da comunidade internacional. pois. São por isso designados como ´direitos aµ ou ´direitos-créditos´. um sistema de princípios fundamentais da conduta humana foi livremente aceite pelas maioria dos habitantes da Terra e é universal pois a sua validade e a sua capacidade para comandar o futuro dos Homens foi expressamente declarado . que não se aplica? Não. Os Direitos Humanos são apenas algo abstracto. e é neste sentido que nos referimos quando lutamos pelo direito á educação. ao trabalho e à assistência médica.Há quem se refira a esta declaração como a maior prova dada até hoje do consenso entre os povos. e estão todos emanados na ONU. Numa segunda circunstância. Um exemplo disso é a Convenção . podemos considerar. os direitos são também aplicados no quotidiano das nações e das comunidades. o que representa um facto novo na história. ou seja. com o objectivo de tornar a comunidade num Estado.

Assenta -se assim um principio de legitimação para que o cidadão tenha uma reconhecimento jurídicos junto das instituições sociais. àquilo que suporta a identidade cultural ameaçada). existe uma grande unanimidade no que diz respeito ao reconhecimento dos Direitos Humanos. . tal como acontece em Portugal. respeito pela integridade do indivíduo como um só. independentemente dos pais. pois estes vão contra a tradição. mas nem sempre assim foi. religião e associação). etc. entre outros. E também por aqueles países que seguem uma religião cujas regras estão bem definidas e veiculadas.. o processo em nada foi pacifico e isento de conflitos. a religião e o comportamento social. raça. são deliberados o direito á satisfação das necessidades vitais (alimentação. Na maioria das nações. de certo modo. cor.Europeia dos Direitos do Homem-1950. habitação. Existe unanimidade no reconhecimento dos direitos humanos? Hoje em dia sim. o que impede os indivíduos de obterem o que lhes é devido. o fundamentalismo (regresso á pureza das tradições de uma cultura. entre outros. assistência na doença e na educação). os textos constitucionais estabelecem as protecções mínimas que possibilitam ao indivíduo viver uma vida digna. consta um conjunto dos direitos essências que todas as autoridades devem de respeitar. à origem. Existe ainda alguma relutância contra estes Direitos? Em muitas regiões do planeta não são ainda cumpridos os direitos do Homem. declaração sobre a Concessão da Independência aos Países e Povos Colonizados-1963. Deste modo. o direito a usufruir de liberdades políticas e civis (liberdade de pensamento. ou seja. também foi (e ainda é) difícil de reconhecerem estes direitos a que a todos deveriam de ser aplicados. pois nos países ditos civilizados. pois estes países seguem. e só muito lentamente esses estados foram reconhecendo a dignidade a que todos merecem. pondo em causa a validade universal destes mesmos direitos. a igualdade perante a lei.

Na verdade. A Globalização O que é a globalização? Globalização significa basicamente que . Muitos dos casos de violação dos direitos humanos . hoje mais do que nunca . Isto acontece devido á nova tecnologia e ainda porque os estados descobriram que se promove mais a prosperidade soltando as energias criadoras das pessoas do que acorrentando as . invasões de domicílio. mas ninguém é capaz de punir os culpados e de proteger quem não se sabe defender. de frases escritas num papel.países há (por exemplo nos nórdicos) são motivo . mas depois não há quem queira julgar esses actos. etc. um aspecto positivo é a força de comunicação global ao actuar como um despertador da consciência cívica e política internacional. todos o sentem. Do ponto de vista dos direitos humanos . os grupos e as pessoas interagem directamente através das fronteiras . Todos o vêem.pretendendo assim o desenvolvimento tecnológico das vias e meios de comunicação. sem que isso envolva necessariamente os Estados . o que foi decretado nas Declarações acima referidas não são praticadas. O que acontece em muitos casos é que são denunciadas essas situações que ocorrem em determinados países.pode ser o factor de maior pressão a nível governamental na tentativa de correção ou intervenção em situações de ameaça desses mesmos direitos. Quais as consequências da globalização? Este fenómeno mudou radicalmente a vida de toda a humanidade. É importante referir também que a globalização nem sempre é sinónimo de progresso social . são hoje resolvidos graças à denúncia mediática . A comunicação social tem aqui um lugar de relevo . não passando assim. em muitas ocasiões. Podemos comprovar isso com os constantes casos de torturas. prisões.

outras onde só as pessoas de maior importância lhe têm acesso e outras ainda onde embora existindo grande parte da população não tem conhecimento disso. podemos concluir que cabenos a nós.de opressão . Existem zonas onde ainda não chegaram . a globalização tanto pode promover os Homenns. Do ponto de vista cultural a partilha de informação foi melhorada.pois verifica-se que tal poderá levar a uma massificação e standardização .existem países que pelo facto de serem muitos desenvolvidos no que diz respeito ás tecnologias . não podemos pensar apenas em nós. todos os outros sofrerão também. Conclusão Por todos os argumentos acima referidos. mesmo que não lucremos nada com isso. por arrastamento . As tecnologias pelo mundo estão mal ´divididasµ. no entanto a aldeia global teve um impacto negativo . eles não podem ser sacrificados pelos erros que nós cometemos. Em suma. .pois se para estes a crise chegar. eles não têm a culpa dos nossos actos. o esgotamento da diferença e a uniformalização cultural. devemos pensar também nas outras pessoas que estão para nascer. cidadãos de todo o mundo denunciar o que achamos que está mal.pois aí os canais televisivos retratam um pais que não tem nada a ver com aqueles onde a população vive. nem que não seja para nosso beneficio. a sua dominação. No entanto . e que vão viver no mundo que nós recriamos. e a um mundo cada vez uniformizado. o que prejudica a luta pelos seus direitos. como aproximar os Homens e as culturas entre si. Outro aspecto negativo da globalização é a dependência que temos dos ´gigantesµ americanos .a maioria da sua população e também em termos de informação e comunicação têm fácil acesso ás mesmas.

notapositiva. à liberdade. bem como ao pleno desenvolvimento da sua personalidade. Sua proteção deve ser reconhecida positivamente pelos ordenamentos jurídicos nacionais e internacionais. o respeito ao seu direito à vida.´Só saberemos que a Globalização está de facto a promover a inclusão a e permitir que todos partilhem as oportunidades que oferece. entre outros. mulheres e crianças comuns das cidades e aldeias do mundo inteiro puderem melhorar a sua vida.htm O que são Direitos Humanos? Mudam com os tempos mas permanecem dinâmicos Ex.com/trab_estudantes/trab_estudantes/filosofia/filosofia_trabalhos/ direitoshumanos. mesmo na ausência de legislação especifica São indivisíveis e interdependente Não se pode defender apenas alguns direitos em detrimento de outros São Universais Independem de fronteiras e leis nacionais Conceito e Características O conjunto dos Direitos Humanos Fundamentais visam garantir ao ser humano.´ Kofi http://www. e consagram a dignidade humana. à igualdade e à dignidade. direitos das mulheres São naturais Essenciais à pessoa humana. abolição da escravidão. E é essa a chave para eliminar a pobreza do mundo. quando os homens. As principais características dos direitos fundamentais são: . Eles garantem a não ingerência do est do na esfera a individual.

por exemplo) ou à liberdade (não se pode pedir a alguém que vá para a prisão no lugar de outro) em favor de outra pessoa. Ir para: navegação. de religião. Cidadania O que são Direitos Humanos? Os Direitos Humanos são direitos fundamentais da pessoa humana. seja mediante pagamento.org.html Direitos. mas sim de forma conjunta. Para o pleno exercício da cidadania. sexo. Não se pode exigir de ninguém que renuncie à vida (não se pode pedir a um doente terminal que aceite a eutanásia. independentemente de sua nacionalidade. Eles são permanentes.php?action=artikel&cat=1&id=27&artlang=pt -br Direitos humanos Origem: Wikipédia. Cada cidadão deve ter garantido todos os Direitos Humanos. Não existe um direito mais importante que o outro. http://www. A igualdade racial e entre homens e mulheres são fundamentais para o desenvolvimento da humanidade e para tornar real os Direitos Humanos. à saúde. Esses direitos são considerados fundamentais porque.dhnet. a enciclopédia livre. de cultura. sem discriminação de classe social. com a finalidade da sua plena realização. antes. seja gratuitamente. Complementaridade: os direitos humanos fundamentais não devem ser interpretados isoladamente. de raça. credo ou convicção político -filosófica. administrativa e criminal. de orientação sexual.br/direitos/textos/oquee/fundam. nenhum deve ser esquecido. usando inclusive mecanismos coercitivos quando necessário. sem eles. sob pena de responsabilização civil. à moradia. Efetividade: o Poder Público deve atuar de modo a garantir a efetivação dos direitos e garantias fundamentais. à educação. é preciso respeito às diferenças. à alimentação. o direito ao afeto e à livre expressão da sexualidade estão entre os Direitos Humanos fundamentais. devem se relacionar de modo a atingirem suas finalidades. Universalidade: os direitos fundamentais aplicam-se a todos os indivíduos. Inviolabilidade: nenhuma lei infraconstitucional nem nenhuma autoridade pode desrespeitar os direitos fundamentais de outrem. pesquisa . Inalienabilidade: não se transferem de uma para outra pessoa os direitos fundamentais. Irrenunciabilidade: os direitos humanos fundamentais não são renunciáveis. raça. Interdependência: as várias previsões constitucionais e infraconstitucionais não podem se chocar com os direitos fundamentais. Respeitar os Direitos Humanos é promover a vida em sociedade. a pessoa não é capaz de se desenvolver e de participar plenamente da vida. de etnia. porque esses direitos não se satisfazem com o simples reconhecimento abstrato.Imprescritibilidade: os direitos humanos fundamentais não se perdem pelo decurso de prazo. http://www. é preciso a garantia do conjunto dos Direitos Humanos.adolec.br/sleitura/index. Para que exista a igualdade de direitos. O direito à vida.

Dotados de razão e de consciência. devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade. Os di i são os direitos e liberdades básicos de todos os seres humanos.Direitos do homem . A Declaração Universal dos Direitos do Homem da Organização das Nações Unidas afirma: Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. O te to resume os artigos 18 e 19 da Declaraç o Universal dos Direitos Humanos. [1] A idéia de direitos humanos tem origem no conceito filosófico de direitos naturais que seriam atribuídos por Deus[2]. e a igualdade perante a lei.Pintura mural em Saint-J sse-tene (Bélgica). Normalmente o conceito de direitos humanos tem a idéia também de libe rdade de pensamento e de expressão. alguns sustentam que não haveria nenhuma diferença entre os direitos humanos e os direitos naturais e vêem na distinta nomenclatura £ ¢    ¡   ¤ Artigo 1º .

em 6 de novembro de 1992. que privilegiava os direitos econômicos. Existem também quem consideram que cidente não criou a idéia nem o conceito do direitos humanos. nem em japonês nem em sânscrito clássico. e fazem referência a proclamações como a Carta de Mandén. ainda que se uma maneira concreta de sistematizá-los. ao do bloco socialista. como o direito de livre determinação ou o dever dos Estados de eliminar todas as formas de exploração econômica estrangeira.etiq et esma i ia. Também a visão ocidental-capitalista dos direitos humanos. Em uma linha similar se pronunciam a eclaração de Bangkok. que afirma a validez de todos os sistemas culturais e a impossibilidade de qualquer valorização absoluta desde um marco externo. normas e valores de cada povo. por exemplo.2 Confirmação do conceito . destacando no seio das ações nidas. mas existem ao menos duas posturas principais mais. que neste caso seriam os direitos humanos universais. que reconhecia princípios da eclaração niversal dos ireitos umanos de 1948 e adicionava outros que tradicionalmente se tinham negado na África. de 1222. E iste um importante debate sobre a origem cultural dos direitos humanos. rganização da nidade fricana proclamou em 1981 a Carta fricana de ireitos umanos e de Povos[1]. Geralmente se considera que tenham sua raiz na cultura ocidental moderna. s teorias que defendem o universalismo dos direitos humanos se contrapõem ao relativismo cultural. já que não podem se desvincular as realidades hist ricas e culturais de cada nação e aas tradições. t s argumentam ser necessári manter termos separadas para eliminar a associação com características normalmente re lacionadas com os direitos naturais. os Estados africanos que acordaram a eclaração de Túnez. firmada pela rganização da Conferência Islâmica em 5 de agosto de 1990. ão obstante. uma discussão progressiva e o projeto de uma filosofia dos direitos humanos. se opôs um pouco durante a Guerra Fria. sociais e culturais e a satisfação das necessidades elementais. e de Cairo. emitida por países asiáticos em 23 de abril de 1993. lguns afirmam que todas as culturas possuem visões de dignidade que se são uma forma de direitos humanos. centrada nos direitos civis e políticos. Muitas declarações de direitos humanos emitidas por organizações internacionais regionais põem um acento maior ou menor no aspecto cultural e dão mais importância a determinados direitos de acordo com sua trajet ria hist rica.1 Antecedentes remotos o 2. existiu o termo direito até que se produziram contatos com a cultura ocidental. Mais tarde. Entre estas duas posturas extremas se situa uma gama de posições intermediárias. afirmaram que não se pode prescrever um modelo determinado a nível universal. Índice [esconder] y y 1 História 2 Evolução histórica o 2.[3]. declaração fundacional do Império de Malí. já que estas culturas colocaram tradicionalmente um peso nos deveres. sendo John Locke tal ez o mais importante il sofo a desenvolver esta teoria[4].

O início desta caminhada . Foi esta corrente de pensamento que acabou por inspirar o atual sistema internacional de proteção dos direitos do homem. na hist ria dos ireitos do omem. que foi a primeira tentativa para impedir as detenções ilegais. foi também durante esta época que os fil sofos cristãos recolheram e desenvolveram a teoria do direito natural. durante a Idade Média. quando o Cristianismo. defendeu a existência de direitos que pertencem essencialmente ao homem. eclaração mericana da Independência surgiu a 4 de Julho de 1776. onde estava expressa a noção de direitos individuais. Para os racionalistas todos os homens são por natureza livres e têm certos direitos inatos de que não podem ser despojados quando entram em sociedade. proclamar a fé nos direitos fundamentais do omem. Mas o momento mais importante. e as reivindicações ao longo dos séculos XIV e XV em prol das liberdades. Magna Carta (1215) deu garantias contra a arbitrariedade da Coroa. o que os levou a criar a Organização das ações nidas em prol de estabelecer e manter a paz no mundo. é a afirmação da defesa da igualdade de todos os homens numa mesma dignidade a defesa da igualdade de todos os homens numa mesma dignidade. criação das ações nidas simboliza a necessidade de um mundo de . em que o indivíduo esta no centro de uma ordem social e jurídica justa. que são inerentes à natureza. e depois nos Estados nidos. evolução destas correntes veio a dar frutos pela primeira vez m Inglaterra. deixando de estar submetido a uma ordem divina. assim como das nações. alargou o campo dos direitos humanos e definiu os direitos econômicos e sociais. assinada a 20 de Junho de 1945. que os povos exprimiram a sua determinação « em preservar as gerações futuras do flagelo da guerra. grande e pequenas.». Foi através da Carta das ações nidas. foram debatidos ao longo dos séculos por fil sofos e juristas. que ele goza pelo simples facto de ser homem. proclamada em Franca em 1789. onde constavam os direitos naturais do ser humano que o poder político deve respeitar. mas a lei divina tem prevalência sobre o direito laico tal como é definido pelo imperador. remete-nos para a área da religião. Com a idade moderna. o rei ou o príncipe. os racionalistas dos séculos XVII e XVIII. esta declaração teve como base a eclaração de Virgínia proclamada a 12 de Junho de 1776. é durante 19451948. como por exemplo o cto abeas Corpus (1679).y y y y 3 Dia Nacional dos Direitos Humanos (Portugal) 4 Referências 5 Ver também 6 Ligações externas [editar] História Os direitos humanos são o resultado de uma longa hist ria. reformulam as teorias do direito natural. e influencio diversos documentos. Em 1945. na igualdade de direitos entre homens e mulheres. na dignidade e valor da pessoa humana. a Escola do direito natural. em promover o progresso social e instaurar melhores condições de vida numa maior liberdade. eclaração dos ireitos do omem e do Cidadão. Mais tarde. os Estados tomam consciência das tragédias e atrocidades vividas durante a 2º Guerra Mundial.

o que é relevante porque habitualmente se diz que os direitos humanos são produto da afirmação progressiva da individualidade e que. Pelo contrário. no período entre 1945-1966 nasceram vários documentos. a linhagem ou as corporações profissionais ou laborais. bem como os dois protocolos facultativos do Pacto dos ireitos Civis e Políticos ( que em 1989 aboliu a pena de morte).tolerância. a partir do momento em que foi promulgada. Sendo esta a consideração mais estendida. desenvolver relações amigáveis entre as nações. foi necessário a preparação de inúmeros documentos que especificassem os direitos presentes na declaração e assim força-se os Estados a cumpri-la. a junção da eclaração niversal dos ireitos umanos. o que implica que não se concebem faculdades próprias do ser humano enquanto tal. eclaração niversal dos ireitos do omem. também sua origem se encontra na afirmãção do cristianismo da dignidade moral do homem enquanto pessoa. de paz. ssim. se concebendo o direito primariamente como a ordem objetivo da sociedade. Foi nesse contexto que. . quase todos os documentos relativos aos direitos humanos tem como referência esta eclaração. té então. a 10 de ezembro de 1948. eclaração niversal dos ireitos do omem é fundamental na nossa Sociedade. a idéia de direitos do homem apareceu pela primeira vez durante a luta burguesa contra o sistema do ntigo Regime. os dois pactos efetuados em 1966. se entende que toda faculdade atribuível ao indivíduo deriva de um duplo status: o do sujeito no seio da família e o desta na sociedade. sociedade estamental tem seu centro em grupos como a família. de acordo com ele. ssim. XVII e XVIII. não deixavam espaço para o ser humano como sujeito singular. existência dos direitos subjetivos. desenvolver e encorajar o respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades fundamentais sem qualquer tipo de distinção. e alguns Estados fazem referência direta nas suas constituições nacionais. será objeto de debate durante os séculos XVI. a ssembleia Geral das ações nidas proclamou a eclaração niversal dos ireitos do omem. constituem Carta Internacional dos ireitos do omem. [editar] Evolução histórica Muitos filósofos e historiadores do ireito consideram que não se pode falar de direitos humanos até a modernidade no Ocidente. realizar a cooperação internacional resolvendo problemas internacionais do cariz econômico. outros autores consideram que os direitos humanos são uma constante na istória e tem suas raízes no mundo clássico. concebidas na relação com a ordem cósmica. ganhou uma importância extraordinária contudo não obriga juridicamente que todos os Estados a respeitem e. intelectual e humanitário. de solidariedade entre as nações. passam por manter a paz. sócias e Culturais. as normas da comunidade. que faça avançar o progesso social e econômico de todos os povos. Fora do status não há direitos. nomeadamente O Pacto Internacional dos ireitos Civis e Políticos e o Pacto Internacional dos ireitos Econômicos. social. devido a isso. a segurança internacional. Os principais objetivos das nações unidas. tal e como se pensam na atualidade.

especialmente em relação a religião. Durante a Revolução inglesa. Na Roma antiga havia o conceito de direito na cidadania romana a todos romanos. para Locke. Documentos muito posteriores. A primeira declaração dos direitos humanos da época moderna é aDeclaração dos Direitos da Virgínia de 12 de junho de 1776. Foi descoberto em 1879 e a ONU o traduziu em 1971 a todos seus idiomas oficiais. todos os homens são titulares de todos os direitos. que reinou durante o século XXIV aC. de acordo com seus três principais formuladores. Esta grande medida influenciou Thomas Jefferson na ¥ . proclamando a Lei de Habeas corpus em 1679. no estado de natureza. de 1215. destacando-se John Locke. a primeira declaraç o dos direitos humanos. escrita por George Mason e proclamada pela Convenção da Virgínia. cujo primeiro exemplo conhecido é o rei Urukagina. e a Carta de Mandén. Um dos documentos mais antigos que vinculou os direitos humanos é oCilindro de Ciro. Os direitos naturais. como a Carta Magna da Inglaterra. se baseia em que os direitos do indivíduo são naturais e que. de 1222. nem estavam necessariamente limitadas a um grupo étnico. filósofos europeus. desenvolveram o conceito do direito natural. O Cilindro de Ciro apresentava características inovadoras. [editar] Confirmação do conceito A conquista da América no século XVI pelos espanhóis resultou em um debate pelos direitos humanos na Espanha. o já citado Locke. se tem associado também aos direitos humanos. que data do século XVIII aC. A teoria do contrato social. em 1689 o Parlamento impôs a Guilhermo III da Inglaterra na Carta de Direitos (ou Declaração de direitos uma série de princípios sobre os quais os monarcas não podiam legislar ou decidir. No século XVII e XVIII. não dependiam da cidadania nem das leis de um Estado. Isto marcou a primeira vez que se discutiu o assunto na Europa. e de onde cabe destacar também Hammurabi da Babilônia e seu famoso Código de Hammurabi. Thomas Hobbes e JeanJacques Rousseau. a burguesia conseguiu satisfazer suas exigências de ter alguma classe de seguridade contra os abusos da coroa e limitou o poder dos reis sobre seus s ditos. de Lagash. Tem sido valorizado positivamente por seu sentido humanista e inclusive foi descrito como a primeira declaração de direitos humanos. cultural ou religioso em particular. que contêm uma declaração do rei persa (antigo Irã CiroII depois de sua conquista da Babilônia em 539 aC.[editar] Antecedentes remotos O Cilindro de Ciro hoje no British Museum. Nele era declarada a liberdade de religião e abolição da escravatura. Pode ser resultado de uma tradição mesopotâmica centrada na figura do rei justo.

como resposta aos horrores da Segunda Guerra Mundial e como intento de sentar as bases da nova ordem internacional que surgia atrás do armistício. social. É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados para os países centrais (ditos desenvolvidos) cujos mercados internos já estão saturados. e foram criados numerosos dispositivos para sua promoção e garantia. com o barateamento dos meios de transporte e comunicação dos países do mundo no final do século XX e início do século XXI. noção de direitos humanos não experimentou grandes mudanças até o século seguinte com o início das lutas operárias. culturais e políticos. [editar] Dia Nacional dos Direitos Humanos (Portugal) ssembleia da República de Portugal. foi proclamada no mesmo ano da proclamação do estado de Israel. interliga o mundo. O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas. reconhecendo a importância da eclaração niversal dos ireitos do omem. Em 10 de dezembro de 1948 a eclaração niversal dos ireitos umanos foi adotada e proclamada pela ssembléia Geral das ações nidas em sua Resolução 217 (III). o conceito de direitos humanos se tem universalizado.org/wiki/Direitos_humanos Globalização Origem: Wikipédia.wikipedia. onde é possível realizar transações financeiras. Com isso. Ir para: navegação. Coincidência ou não. Posteriormente foram aprovados numerosos tratados internacionais sobre a matéria. política. ou seja. http://pt. a enciclopédia livre.declaração dos direitos humanos que se existe na eclaração da Independência dos Estados nidos da mérica de 4 de julho de 1776. surgiram novos direitos que pretendiam dar solução a determinados problemas sociais através da intervenção do Estado. alcançando uma grande importância na cultura jurídica internacional. assim como também influênciou a ssembléia acional francesa em sua declaração. entre os quais se destacam os Pactos Internacionais de ireitos umanos de 1966. cultural. pesquisa A globalização é um dos processos de aprofundamento da integração econômica. esde o nascimento da Organização das ações nidas em 1945. gerando a fase da expansão capitalista. este processo são importantes a Revolução Russa e a Revolução Mexicana. levando em consideração aspectos econômicos. aprovou em 1998 uma Resolução na qual institui que o dia 10 de ezembro passa a ser considerado o ia acional dos ireitos umanos. expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e . sociais. a eclaração dos ireitos do omem e do Cidadão de 1789 esta última definia o direito individual e coletivo das pessoas.

uma síntese noticiosa de cinco minutos rigidamente cronometrados. Mas o seu conteúdo passou despercebido por muito tempo.emergentes. e aumento da complexidade das relações políticas européias durante o período. Este período viu grande aumento no fluxo de força de trabalho entre os países e continentes. porém.3 Daniele Conversi o 3. transmitido em 14 países do continente americano por 59 estações de rádio. obtêm-se como conseqüência o aumento acirrado da concorrência.1 Antonio Negri o 3. Índice [esconder] y y y y y y y y 1 História 2 Impacto o 2. e hoje muitos economistas analisam a globalização como resultado do pós Segunda Guerra Mundial. sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro. sendo que as nações vitoriosas da guerra e as devastadas potências do eixo chegaram a . com a queda dos custos de transporte marítimo. em 1941. particularmente nas novas colônias européias.2 Qualidade de vida o 2. Já em meio à Segunda Guerra Mundial surgiu.2 Benjamin Barber o 3. pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão. a primeira de caráter global. e a vontade de impedir que uma mostruosidade como ela ocorresse novamente no futuro. Sua origem pode ser traçada do período mercantilista iniciado aproximadamente no século XV e durando até o século XVIII. Huntington 4 Antiglobalização 5 Referências 6 Bibliografia 7 Ver também 8 Ligações externas História A globalização é um fenômeno capitalista e complexo que começou na época dos escobrimentos e que se desenvolveu a partir da Revolução Industrial.4 Samuel P.1 Comunicação o 2. ou como resultado da Revolução Tecnológica. É tido como início da globalização moderna o fim da Segunda Guerra mundial. um dos primeiros sintomas da globalização das comunicações: o pacote cultural-ideológico dos Estados nidos incluia várias edições diárias de O Repórter Esso .3 Efeitos na indústria e serviços 3 Teorias da Globalização o 3. constituindo-se na mais ampla rede radiofônica mundial [1].

especialmente o BRIC. principalmente comunicação.conclusão que era de suma importância para o futuro da humanidade a criação de mecanismos diplomáticos e comerciais para aproximar cada vez mais as nações uma das outras. Enquanto Paul Singer vê a expansão comercial e marítima européia como um caminho pelo qual o capitalismo se desenvolveu assim como a globalização. Ist permitiu um fluxo de o troca de idéias e informações sem critérios na história da humanidade. Deste consenso nasceu as Nações Unidas. marcando o crescimento da ideologia econômica do liberalismo. Comunicação A globalização das comunicações tem sua face mais visível na internet. Antes do BRIC. Impacto A característica mais notável da globalizaç o é a presença de marcas mundiais A globalização afeta todas as áreas da sociedade. possível graças a acordos e protocolos entre diferentes entidades privadas da área de telecomunicações e governos no mundo. grande mercado interno e cada vez maior presença mundial[2]. A necessidade de expandir seus mercados levou as nações a aos poucos começarem a se abrir para produtos de outros países. a rede mundial de computadores. e começou a surgir o conceito de bloco econômico pouco após isso com a fundação daComunidade Européia do Carvão e do Aço . com o surgimento de novos produtos financeiros. Maria da Conceição Tavares aposta o seu surgimento na acentuação do mercado financeiro. Atualmente os grandes beneficiários da globalização são os grandes países emergentes. como os tigres asiáticos na década de 1980 e Japão na década de 1970[3]. agora ela mesma pode se tornar parte da ¦ . com diferente intensidade dependendo do nível de desenvolvimento e integração das nações ao redor do planeta.CECA. Se antes uma pessoa estava limitada a imprensa local. outros países fizeram uso da globalização e economias voltadas a exportação para obter rápido crescimento e chegar ao primeiro mundo. com grandes economias de exportação. comércio internacional e liberdade de movimentação.

m exemplo da universalização do acesso a informação pode ser o próprio Brasil. sites de governos como Taiwan também são proibidos o acesso e sites de defesa da independência do Tibete. mostrando a elas como o mundo é e se comporta[5] Mas infelizmente este mesmo livre fluxo de informações é tido como uma ameaça para determinados governos ou entidades religiosas com poderes na sociedade. Outra característica da globalização das comunicações é o aumento da universalização do acesso a meios de comunicação. de uma economia centralmente planejada para uma nova economia socialista de mercado [7] . incluindo C e BBC. onde a internet tem registrado crescimento espetacular. Acesso a conteúdo erótico também é proibido. bloqueio de sites de noticias como C e BBC. além disso em torno de 923 sites de noticias ao redor do mundo estão bloqueados. que tenta implementar diversas vezes barreiras e dificuldades para o acesso a rede mundial. . a emissoras do mundo inteiro. já contando com 136 milhões de usuários [6] graças à evolução. com aumento da cobertura e incremento geral da qualidade graças a inovação tecnológica. como do Protesto na Praça Tiananmem em 1989. que tem gasto enorme quantidade de recursos para limitar o tipo de informação que seus cidadãos tem acesso. alguma vezes por televisão por assinatura ou satélite. hoje com 42 milhões de telefones instalados [4]. graças ao barateamento dos aparelhos. iniciada em 1978. ajudando pessoas antes alienadas a um pequeno grupo de radiodifusão de informação a terem acesso a informação de todo o mundo. é outro exemplo de nação notória por tentar limitar a visualização de certos conteúdos considerados "sensíveis" pelo governo. A própria Wikipédia já sofreu diversos bloqueios por parte do governo chinês[8]. Arábia Saudita e outros países islâmicos com grande influência da religião nas esferas governamentais. como bloqueio de sites de redes de relacionamentos sociais como Orkut e MySpace. Pode-se dizer que este incremento no acesso à comunicação em massa acionado pela globalização tem impactado até mesmo nas estruturas de poder estabelecidas. m país com imprensa livre hoje em dia pode ter acesso. O número de pessoas presas na China por "ação subversiva" por ter publicado conteúdos críticos ao governo é estimado em mais de 40 ao ano. tendo apenas como fator de limitação a barreira lingüística. e um aumento ainda maior de número de telefone celular em relação a década de 80. oje uma inovação criada no Japão pode aparecer no mercado português ou brasileiro em poucos dias e virar sucesso de mercado. o Irã. a internet sofre uma enorme pressão do estado. principalmente celulares e os de infraestrutura para as operadoras. a China. Redes de televisão e imprensa multimédia em geral também sofreram um grande impacto da globalização. ultrapassando a barreira de 100 milhões de aparelhos em 2002.imprensa e observar as tendências do mundo inteiro. desde K do Japão até Cartoon etwork americana. com forte conotação a democracia.

sendo que as nações com maior melhora são as que possuem alta liberdade econômica pelo Índice de Liberdade Econômica[11]. Embora alguns estudos sugiram que atualmente a distribuição de renda ou está estável ou está melhorando. O acesso instantâneo de tecnologias. com a criação da modalidade de outsourcing de empregos para países com mão-de-obra mais baratas para execução de serviços que não é necessário alta qualifi ação. seja para criação de um único produto. e uma relativa abertura de alguns de seus mercados. a globalização. o número de pessoas vivendo com menos de US$1 por dia caiu de 1. outros estudos mais recentes da ONU indicam que "a 'globalização' e 'liberalização'. tem causado nas últimas décadas um aumento generalizado da longevidade dos países emergentes e desenvolvidos. após a flexibilização de sua economia comunista centralmente planejada para uma nova economi oci li t e mercado [7]. Na América Latina. Efeitos na indústria e serviços Os efeitos no mercado de trabalho da globalização são evidentes. que poderia ser uma força propulsora de desenvolvimento e da redução das desigualdades internacionais. com a produção distribuída c entre vários países. como motores do crescimento econômico e o desenvolvimento dos países. Críticos argumentam que a globalização fracassou em alguns países. principalmente novos medicamentos.1%. contra um aumento de 2. não reduziram as desigualdades e a pobreza nas últimas décadas" [12]. onde cada empresa cria uma ©§¨ § ¨§ . a tese defendida em seu livro A globalização e seus malefícios: a promessa nãocumprida de benefícios globais [13]. sendo a maior queda da pobreza registrada exatamente nos países mais liberais e abertos a globalização[9]. houve redução de [10] 22% das pessoas vivendo em pobreza extrema de 1981 até 2002 . a cidade mais globalizada do planeta.2% na África sub-saariana. está sendo corrompida por um comportamento hipócrita que não contribui para a construção de uma ordem econômica mais justa e para um mundo com menos conflitos. Esta é. exatamente por motivos opostos aos defendidos porStiglitz: Porque foi refreada por uma influência indesejada dos governos nas taxas d juros e na reforma e tributária [1]. novos equipamentos cir rgicos e técnicas.1 bilhão. aumento na produção de alimentos e barateamento no custo dos mesmos. Para o prêmio nobel em economia Stiglitz. a porcentagem de pessoas vivendo com menos de US$2 caiu 50. Na China.5 bilhão de pessoas para 1. De 1981 a 2001. em síntese.Qualidade de vida Londres.

o geral a globalização é vista por alguns cientistas políticos como o movimento sob o qual se constrói o processo de ampliação da hegemonia econômica. com aumento das disparidades de salários cada vez maior. Teorias da Globalização A globalização.  . e as disparidades estão em redução[15]. ideológico (liberalismo. que se foca no comércio dentro da própria E em vez de mundialmente. Ashford. acadêmico do MIT.parte. integrante da E. exemplificando o cada vez mais globalizado mercados E A. também conhecida como Era da Informação. conclui que a globalização aumenta o ritmo das mudanças disruptivas nos meios de produção. onde a capacidade de uma pessoa em processar informações ficou mais importante que sua capacidade de trabalhar como operário em uma empresa graças a automação. e os Países Baixos. agir como evangelista do uso de novas tecnologias e investir em pesquisa e desenvolvimento de ciências revolucionárias ou novas como nanotecnologia ou fusão nuclear. possui várias linhas teóricas que tentam explicar sua origem e seu impacto no mundo atual. Mas o processo histórico a que se denomina Globalização é bem mais recente. O ponto mais evidente é o que o colunista avid Brooks definiu como "Era Cognitiva". do refluxo capitalista com a estagnação econômica da RSS (a partir de 1975) ou ainda do próprio fim da Segunda Guerra Mundial. icholas A. apesar que isto irá requerer uma mudança de atitude por parte dos governos se este quiser continuar relevante mundialmente. com aumento da qualidade da educação. as sociedades do mundo estão em processo de globali ação desde o início da istória. acelerado pela época dos escobrimentos. em especial das grandes empresas transnacionais. A rigor. datando (dependendo da conceituação e da interpretação) do colapso do bloco socialista e o conseqüente fim da Guerra Fria (entre 1989 e 1991). tendendo a um aumento de tecnologias limpas e sustentáveis. seja para criação do mesmo produto em vários países para redução de custos e ganhar vantagem competitivas no acesso de mercados regionais. política e cultural ocidental sobre as demais nações. este ponta surge a interelação entre a Globalização e o Consenso de Washington. que a globalização por si só não traz estes benefícios sem um governo pró-ativo nestes questões. e governos do mundo inteiro. nota porém. O acadêmico. Ou ainda que a globalização é a reinvenção do processo expansionista americano no período pós guerra-fria (esta reinvenção tardaria quase 10 anos para ganhar forma) com a imposição (forçosa ou não) dos modelos políticos (democracia). Vale ressaltar que este projeto não é uma criação exclusiva do estado norte-americano e que tampouco atende exclusivamente aos interesses deste mas também é um projeto das empresas. hedonismo e individualismo) e econômico (abertura de mercados e livre competição). por ser um fenômeno espontâneo decorrente da evolução do mercado capitalista não direcionado por uma única entidade ou pessoa. uma transição da exausta era industrial para a era pós-industrial[14].

que se identificam com a 'ínsegurança social'. geralmente a ³luta da alma contra o mal´. a 'globalização cultural' é. Está claro que a democracia. onde os diversos grupos sociais têm cada vez              j i l i N gri i B rb r r i . como regime de governo particular do modo de produção da sociedade industrial. Benjamin Barber expõe sua visão dualista para a organização geopolítica global num futuro próximo. e assim por diante. ONGs e até grupos terroristas) têm mais poder e mobilidade (portanto. tal como desenvolvido por Jean Tardiff. sua forma mais visível e efetiva enquanto "ela caminha na sua trajetória letal de destruição global. e por extensão ³guerra santa´). McWorld´. A segunda. partidos e empresas tradicionais).A O pensador italiano Antonio egri defende. egri entende que entidades organizadas como redes (tais como corporações. para o qual ainda não há uma definição coerente e universal: alguns autores se concentram nos aspectos econômicos. não se aplica mais à realidade contemporânea. Os dois caminhos que ele enxerga ² não apenas como possíveis. Para Conversi. tem como seu argumento principal o fato de que a 'ordem mundial' atual tem uma estrutura vertical. mas também prováveis ² são o do McMundo e o da Jihad. os acadêmicos ainda não chegaram a um acordo sobre o real significado do termo globalização. Conversi vê uma correlação entre a globalização cultural e seu conceito gêmeo de 'segurança cultural'. Para egri. É também a forma de globalização que pode ser mais facilmente identificada com uma dominação pelos Estados nidos. D Para Conversi. e outros [16] Conversi propõe a análise da 'globalização cultural' em três linhas principais: a primeira se concentra nos efeitos políticos da alterações sócio-culturais. Mesmo que se utilizando de um termo específico da religião islâmica (cujo significado. é genericamente ³luta´. como os zapatistas e outras guerrilhas latino-americanas. Barber não vê como exclusivamente muçulmana a tendência antiglobalização e pró-tribalista. Nem se aplicará tampouco a quaisquer dos futuros econômicos pretendidos pelas duas tendências apontadas por Barber: ou o pré-industrialismo tribalista ou o pós-industrialismo globalizado. removendo todas as seguranças e barreiras tradicionais em seu caminho. mais chances de sobrevivência no novo ambiente) do que instituições paradigmáticas da modernidade (como o Estado. em seu livro "Império". esta nova dominação (que ele batiza de "Império") é constituída por redes assimétricas. Os modos de produção de ambos exigem outros tipos de organização política cujas demandas o sistema democrático não é capaz de atender. que a nova realidade sócio-política do mundo é definida por uma forma de organização diferente da hierarquia vertical ou das estruturas de poder "arborizadas" (ou seja. partindo de um tronco único para diversas ramificações ou galhos cada vez menores). inclusive ocidentais. e as relações de poder se dão mais por via cultural e econômica do que uso coercitivo de força. B Em seu artigo ³Jihad vs. outros nos efeitos políticos e legislativos. possivelmente. na realidade piramidal. ou pró-comunitária. paradoxalmente chamada de 'falha de comunicação' [16]. segundo ele. Ele classifica nesta corrente inúmeros movimentos de luta contra a ação globalizante.

mas. ao contrário. com o final da Segunda Guerra Mundial. denomina a globalização como uma vertente da fragmentação da política. Outros defendem que começou ainda antes com a expansão do império romano por Alexandre. em consequência direta de uma 'americanização' superficial [16]. faz -se necessário definir globalização. Pode -se analisar os fatos que colaboraram para os seu desenvolvimento e discutir conceitos defendidos p or alguns autores. com a empreitada européia em direção aos outros continentes. Hu i g O cientista político Samuel P. com a queda do muro de Berlim. que teve seu desenvolvimento baseado em argumentos ideológicos onde hav ia apenas ³um inimigo´ a quem se opor.menos oportunidades de se intercomunicar. que conduziria inevitavelmente a um "choque de civilizações". ou interagir de maneira relevante e consoante suas tradições. até 1989. a política externa mundial era baseada em princípios e disputas estabelecidas pelos países líderes dos divergentes sistemas econômicos vigentes naquele momento. Dessa forma. untington.org/wiki/Globaliza%C3%A7%C3%A3o O QUE É GLOBALIZAÇÃO Antes de entender como os países se adaptaram ao processo de globalização. O processo de finalização da política bipolar ocorreu em função do final da Segunda Guerra Mundial. Não há consenso sobre um conceito fechado do que seja a globalização e sua origem. Dessa maneira. ideólogo do neoconservadorismo norteamericano. o processo de globalização passou a ser considerado como uma constante no mundo moderno. Ads by Google Há uma grande discussão que defende que a globalização teve seu início e começou a desenvolver-se de fato.wikipedia. e estaria ocorrendo uma erosão do entendimento. o Grande. o que simbolizou o insucesso do Socialismo. de acordo com essa teoria não estaria havendo uma 'globalização' propriamente dita.uma expressão criada por Benedict Anderson (1992). sob a fachada de uma homogenização global causando o colapso da comunicação interétnica e internacional. A terceira linha de análise se concentra numa forma mais real e concreta de globalização: a importância crescente da diáspora na política internacional e no nascimento do que se chamou de 'nacionalismo de e-mail" . http://pt. enxerga a globalização como processo de expansão da cultura ocidental e do sistema capitalista sobre os demais modos de vida e de produção do mundo. e rapidamente passou a ser associado aos aspectos financeiros inerentes a esse processo.[17] "A expansão da Internet propiciou a criação de redes etnopolíticas que só podem ser limitadas pelas fronteiras nacionais às custas de violações de direitos humanos" [16]. A popularização do termo globalização oc orreu em meados de 1980. O Autor Thomas L. Samu l P. Friedman no livro Os Lexos da Oliveira . estariam sendo construídas ligaçõesponte. que teve seu auge a partir do ano de 1945. Há que ressaltar que esse fenômeno não s e restringe apenas às !#" ! "! .

Isso faz com que os desdobramentos da globalização ultrapassem os limites da economia e comecem a provocar uma certa homogeneiz ação cultural entre os países. E que ele sugere uma magnitude ou intensidade crescente de fluxos globais. interpretada ou compreendida sem uma profunda reflexão. de tal monta que Estados e sociedades ficam cada vez mais enredados em sistemas mundiais e redes de interação. de acordo com David Held e Antony McGrew: ³Não existe uma definição única e universalmente aceita para a globalização. Esse processo tem sido acompanhado de uma intensa revolução nas tecnologias de informação ² telefones. consciência da situação global e intensificação da interligação inter-regional. mesmo sendo esses aspectos os principais focos do processo de globalização. e. seu sentido exato é contestável. ocorrências e fenômenos distantes podem . como integração global. objetivando um claro entendimento quanto aos princípios desse processo. A globalização é um fenômeno amplamente debatido. como compreensão espaço temporal (numa referencia ao modo como a comunicação instantânea vem desgastando as limitações da distância e do tempo na organiz ação e na interação social). uma vez que.transações comerciais e termos econômicos.´* A globalização caracteriza -se por um processo de integração global que induz ao crescimento da interdependência entre as nações. porém a compreensão das entradas que esse processo oferece às sociedades não pode ser definida. A globalização tem sido (quando os al tos dos agentes sociais de um lugar podem ter conseqüências significativas para ³terceiros distantes´. reordenação das relações de poder inter-regionais. é fato que. de tal modo que os acontecimentos de um país têm impacto direto em outros.´ * Uma das nítidas conseqüências do processo de globalização foi o impulso dado a uma transformação nos padrões de interligação mundial. concordando com a perspectiva de David Held e Anthony McGrew. explorada pelas grandes corporações internacionais. como interdependência acelerada entendida como a intensificação do entrelaçamento entre economias e sociedades nacionais. dessa maneira: ³O conceito de globalização denota muito mais do que a ampliação de re lações e atividades sociais atravessando regiões e fronteiras. esse processo envolve as demais áreas que integram as sociedades. Porém. além das relações econômicas. como os âmbitos cultural. como um mundo em processo de e ncolhimento (erosão das fronteiras e das barreiras geográficas a atividade socioeconômica). Os Estados abandonam gradativamente as barreiras tarifárias para proteger sua produção da concorrência dos produtos estrangeiros e abrem-se ao comércio e ao capital internacional. As fontes de informação t ambém se uniformizam devido ao alcance mundial e à crescente popularização dos canais de televisão por assinatura e da lnternet. social e político. para uma clara compreensão o seguinte conceito de globalização será adotado: ³É o conjunto de transformações na ordem política e eco nômica mundial que vem acontecendo nas últimas décadas. entre outros conceitos. Como acontece com todos os conceitos nucleares das ciências. Em cons eqüência disso. O ponto de mudanças é a integração dos mercados numa ³aldeia -global´. computadores e televisão.

De acordo com Nestor Garcia Canclini ³a globalização denota a escala crescente. mas mundial em um efeito imediato. Em outras palavras. que passa para uma escala inter -regional ou intercontinental.´ * A partir disso. *Citação do citado autor http://pt.shvoong. a magnitude progressiva. enquanto os acontecimentos locais podem gerar repercussões globais de peso. a aceleração e o aprofundamento do impacto dos fluxos e padrões inter-regionais de interação social. passando os acontecimentos a ter um impacto não apenas local.com/social-sciences/political-science/1626460-que-%C3%A9globaliza%C3%A7%C3%A3o/ . a globalização representa uma mudança significativa no alcance es pacial da ação e da organização social. todas as esferas da sociedade passam a sofrer influencias oriundas desse processo. integrando aspectos que não possuia na sua gênese. com maior velocidade na interação social.´* Esse fenômeno proporciona maior visibilidade à política interna dos países em um cenário global.passar a ter sérios impactos internos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful