Você está na página 1de 8

Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Licenciatura em Direito - 1º Ano


Disciplina: Economia Política II
Docentes: Professor Doutor Rui Teixeira e Mestre Miguel Furtado
Discentes: Flávia Machado, PLANIFICAÇÃO
Paulo Palma eESTRATÉGICA
Tam Chi Neng.
Campeonato Mundial de Futebol de 2010
Apresentação
1. Planificação Estratégica do Campeonato Mundial de Futebol de
2010
O tema do nosso trabalho, proposto pelo professor, o Mestre Miguel
Furtado, consiste numa Planificação Estratégica do Campeonato Mundial de
Futebol de 2010. A Planificação Estratégica é um assunto de suma
importância para gestão de empresa, e por que não, das nossas próprias
vidas, do qual estamos estudando actualmente no âmbito da disciplina de
Economia Política II.

2. Planificação Estratégica
O primeiro ponto essencial que devemos abordar neste trabalho é: o
que é uma “Planificação Estratégica”?
Como a própria palavra sugere, fazer uma planificação traduz-se na
elaboração de planos. Consiste em determinar antecipadamente o que deve
ser feito para que se consigam os objectivos pretendidos.

3. Planificação Estratégica do Campeonato Mundial de 2010


Considerando que fazer uma planificação estratégica é elaborar um
plano para alcançar um determinado objectivo e sabendo que a Planificação
Estratégica a ser feita será do Campeonato Mundial de Futebol, devemos
então definir qual é o objectivo do que está a ser planificado e quais serão
os meios para alcançá-lo.

A Missão
1. Missão
Antes de se definir o caminho a percorrer, importa conhecer o destino
pretendido. A planificação começa com a definição do objectivo
fundamental que se pretende atingir, correspondendo desta forma, a
missão da organização.

1.2. Identidade
O objectivo é, em definição, algo específico que deseja-se alcançar,
ou seja, uma situação a qual se quer atingir. E para saber qual é o objectivo,
devemos primeiro delinear uma identidade.
A definição da identidade consiste em saber o que somos para então
saber o que queremos. Como o trabalho visa planificar o Campeonato
Mundial de Futebol de 2010, vamos imaginar que somos uma empresa de
organização de eventos desportivos, para a partir daí podemos criar a
simulação da organização do evento “o Campeonato Mundial de Futebol”
aplicando o que aprendemos sobre a Planificação Estratégica.

1.2.1. Quem somos?


Aqui devemos identificar o que é a entidade. Dentro da simulação
que estamos a fazer, seremos o Comité de Organização do Mundial. Isto é,
um comité do Governo da África do Sul, que pretende realizar o projecto da
realização do Mundial de Futebol de 2010 estabelecido pela FIFA.

1.2.2. Que característica temos?


O que esta entidade tem para oferecer? Experiência na actividade de
organização de eventos desportivos e funcionários qualificados e específicos
para isto.
1.2.3. Qual a nossa finalidade prioritária?
Qual a prioridade concreta da nossa empresa? Já que somos uma
empresa contratada para a organização do Campeonato Mundial de 2010,
este é a nossa finalidade prioritária, realizar o Campeonato Mundial de
Futebol em 2010 na África do Sul.

1.2.4. A quem nos dirigimos?


Qual o nosso “público-alvo”? O nosso “cliente” no âmbito desta
planificação é o Governo Nacional da África do Sul, o qual contratou-nos
para a realização do Campeonato Mundial de Futebol de 2010. Como trata-
se de um evento de importância mundial, e em especial para a África do
Sul, temos como público-alvo os sul-africanos, todas as pessoas que estarão
relacionadas a este evento, tanto a nível de espectadores dos jogos, quanto
a nível dos atletas e das comissões desportivas dos países participantes.
Ainda temos a FIFA, a qual teremos que respeitar o projecto já estabelecido
para o Mundial de Futebol 2010 e atendermos exigências que possam surgir
da mesma.

1.2.5. Qual a nossa filosofia?


Que tipo de conduta usaremos no dia-a-dia? Buscamos ser uma
empresa pautada na ética e na sustentabilidade. Ou seja, temos como
objectivo realizar o Mundial de Futebol, mas durante este processo é
importante que tenhamos em vista, no que for possível, ter uma política que
beneficie o país sede dos jogos, em especial seus cidadãos.

O Diagnóstico
1. Diagnóstico
Após termos estabelecido uma identidade e o objectivo concreto,
precisamos verificar qual o meio envolvente em que o nosso objectivo está
inserido. Isto quer dizer que temos que entender o contexto para perceber o
que deve e o que pode ser feito para chegarmos da melhor forma possível
ao objectivo.
O Diagnóstico é, no fundo, para definir os objectivos gerais e os
objectivos estratégicos, que são a forma de chegar ao objectivo prioritário
(a missão). E fazemos este diagnóstico a partir de uma análise interna e
outra externa.

1.1. Análise Externa


1.1.1. Marco Sociológico
Consiste em uma analise da própria sociedade. Neste caso, a
sociedade que nos importa é a sul-africana.
Assim, aqui estão os dados gerais mais importantes sobre a
sociedade sul-africana:
• Diversidade de culturas, idiomas e crenças religiosas;
• Onze línguas oficiais (o Inglês é a língua mais falada);
• É um país multiétnico;
• Grande maioria da população é negra;
• Cerca de 25% da população do país está desempregada e vive com
pouco mais de € 1,00 por dia;
• Elevados índices de criminalidade;
• Clima majoritariamente tropical.

1.1.2. Marco Jurídico


É a analise das questões jurídicas que estão em torno da nossa
actividade.
São elas:
• Contracto com a FIFA;
• Sistema Judicial Africano.
1.1.3. Marco Político
É a analise das questões do coltrolo político que o Estado sul-africano
tem sobre a actividade da realização do Campeonato Mundial de Futebol de
2010.
Esse controlo do Estado é quase absoluto. Só fica hierarquicamente
abaixo do controlo da própria FIFA.

1.1.4. Concorrência
A concorrência, neste caso, serão os países que podem tirar a sede
do Mundial da África do Sul. Seriam a Alemanha, a Austrália e a Espanha.
Apesar da África do Sul ter conseguido a concessão para a realização do
Mundial em seu país, caso o Comité não consiga realizar o projecto
estabelecido pela FIFA ela pode perder esta concessão para um desses
países.

1.1.5. Procura
Espectadores dos jogos: pessoas que vêm de toda a parte do mundo
para torcer pelo seu país, são pessoas apaixonadas por futebol.

1.2. Análise Interna


1.2.1. Recursos Humanos
É a análise das relacções entre funcionários e direcção da empresa, o
recurso humano da empresa.
No nosso Comité, temos funcionários específicos para cada função e,
dentro da hierarquia,todos tem dentro do possivel uma boa relação.

1.2.2. Recursos Financeiros


O financiamento do evento é de responsabilidade prioritariamente do
Estado da África do Sul. Porém, podemos contar ainda com o patrocínio de
diversas empresas do mundo.
Não é muito difícil conseguir estes patrocínios, pois as empresas que
patrocinarem terão a sua imagem associada ao evento pelo mundo inteiro,
o que é muito benéfico para a própria, já que trata-se de um evento que
atraí a atenção de diversas classes sociais, em diversos países, de diversas
faixas etárias, ou seja, é um público-alvo muito amplo do qual essas
empresas poderão alcançar com seus patrocínios.

1.2.3. Recursos Financeiros


Escritórios foram montados nos principais pontos da África do Sul
referentes ao Mundial especialmente para esta actividade.

1.2.4. Satisfação dos Utilizadores


A satisfação dos utilizadores é algo que só poderemos verificar com o
início do evento. (Ver segundo parágrafo do tópico Indicadores).

1.2.5. Estrutura Organizativa


A estrutura organizativa tem a ver como o Comité está organizado,
sua habilidade para resolver problemas e motivação dos funcionários.
Como a realização do evento é de suma importância para o mundo, e
essa importância é reconhecida pelo Estado da África do Sul e pelos outros
países, temos este ponto a nosso favor para que as coisas possam ser
resolvidas de forma mais hábil, sem tanta burocracia.
Os trabalhadores têm consciência da importância do evento e por ser
um evento relacionado ao futebol, um desporto popular, sentem-se
motivados a trabalhar e mais do que isso sentem desejo de que este
trabalho dê certo, sabem que tem que dar certo e querem dar o melhor de
si para que também a África do Sul seja valorizada por essa actuação.

1.3. Análise DAFO (Conclusão do Diagnóstico)

Os Objectivos
1. Objectivos
Agora que conhecemos o nosso meio envolvente, os nossos pontos
fracos e fortes no futuro e no presente, precisamos finalmente estabelecer
as alternativas para alcançar o nosso objectivo principal, a nossa missão,
que como vimos é a realização do Campeonato Mundial de Futebol em 2010
na África do Sul.

1.1. Objectivos Gerais


Pela primeira vez, o campeonato do mundo de futebol, sendo o maior
e um dos mais importantes eventos deste tipo do mundo terá lugar na
África do Sul.
Temos como objectivos gerais:
• Melhorar imagem externa da África do Sul destacando-se dos
restantes países africanos,
• Dinamizar Turismo na África do Sul,
• Criar planos de ordenamento e segurança internos.
Bem-sucedido no palco mundial, através do qual se pode promover
tanto o turismo do continente africano como o da África do Sul, a fim de dar
a conhecer a África.
Em termos globais, o desporto é frequentemente considerado como
uma das melhores formas de desenvolver a harmonia entre diferentes
culturas, e estimular relações de amizade diversificadas.
Ao acolher o Campeonato do mundo de futebol, a África do Sul irá dar
um passo que ficar para a História.
Através do intercâmbio desportivo e cultural que o evento
proporciona, o papel da África do Sul enquanto plataforma singular para a
cooperação e colaboração entre o mundo e os países africanos, será
indubitavelmente realçado e estarão bem patentes as suas mais-valias.

No campo da segurança, têm de ser atenuados riscos e criminosos


que possam contribui negativamente para a reputação deste evento, de
modo a que possa resultar numa elevação da posição e imagem da África
do Sul no plano internacional.

Em grande escala, há que proporcionar, tanto aos participantes, como


a todos os visitantes, memoráveis momentos históricos, tendo em vista a
obtenção do reconhecimento no plano internacional, o que significará um
honroso passo histórico para todo o continente africano.

1.2. Objectivos Estratégicos


• Aumentar qualidade de vida dos cidadãos sul-africanos;
• Modernização das principais infra-estruturas do país;
• Proporcionar à população o contacto com os mais diversos povos e
nações;
• Estimular a introdução rotineira de práticas desportivas;
• Reforçar hospitais e centros de saúde com mais e melhores meios
técnicos e humanos;
• Implementação de um sistema de ligação entre as diversas entidades
responsáveis pela área da protecção civil.
• Reformulação e melhoria das infra-estuturas das cidades anfitriãs dos
jogos;
• Melhorar a qualidade e conhecimento científico da população;
• Para além do futebol, divulgar e desenvolver outros os desportos,
reforçando a condição física da população sul-africana;

Como parte da cultura social, o futebol está ligado ao dia-a-dia da


maioria da população sul-africana e mundial.
Para melhor proporcionar qualidade de vida aos cidadãos sul-africanos,
elevar o seu nível de vida e enriquecer a sua actividade cultural e de
tempos livres, é fundamental um investimento em diversas áreas de apoio
ao campeonato do mundo de futebol, tendo em vista a sua aplicação muito
para além deste.
Reformulação e melhoria das infra-estuturas das cidades anfitriãs dos
jogos;
Melhorar a qualidade e conhecimento científico da população;
Para além do futebol, divulgar e desenvolver outros os desportos,
reforçando a condição física da população sul-africana;
Promoção de uma mensagem saudável, um mundo harmonioso, convívio
de deficientes
e estimular a pratíca desportiva ao longo da vida .
Articulação estreita entre polícias, forças armadas, assim como
hospitais e bombeiros.

Os Projectos
1. Projectos

1.1. Os nossos Projectos


Constituirão o Parque Dr. Paulo Palma, que será um estádio complexo
com campos de futebol, ténis, basquetebol e squash, assim como trilhos
para corrida lenta e piscinas.
Terá uma grande área, de ambiente bem agradável, destinada a
proporcionar à população em geral espaços de excelência para desenvolver
actividades e exercícios físicos.
Os seus campos de futebol utilizarão relvado similar, que apresentará
aspecto e caracteristicas muito semelhantes ao relvado natural. A camada
inferior do relvado artificial é de areia, a superfície é de grãos feitos de
matéria sintética, o que contribui para diminuir o impacto dos pés contra o
chão , podendo os participantes assim, estar menos expostos a lesões.
Com o desenvolvimento das sociedades modernas, as pessoas
movimetam-se cada vez menos, e absorvem maior quantidade de calor, o
que levou ao aumento dos obesos e à baixa da condição física. Este
ambicioso projecto destina-se a estimular o desenvolvimento do desporto
popular contribuindo de forma significativa para a melhoria da condição
física da população.

Fomentar a formação cívica dos cidadãos em diversas matérias, como


a construção infraestrutural, o reordenamento do trânsito e a protecção
ambiental.

Colaborar com as instituições de ensino, públicas e privadas,


contribuindo para a implementação no ensino de matérias que versem
sobre valores Universais e antropologicos tendo em vista alargar horizontes,
principalmente, dos estudantes.

Promover a ligações com outros países, principalmente com paises


africanos.

Recrutar de jovens voluntários, com idades compreendidas entre 18


e 35 anos, para colaborar na coordenação do evento. Esta medida, para
além de permitir poupar dinheiro, irá disponibilizar oportunidades aos
estudantes estagiar num ambiente real, acumulando assim novas
experiências de vida, elevando os níveis qualitativos da nova geração.

Formação de polícias e forças armas com a finalidade de criar uma


equipa especial de segurança responsável pela manutenção da segurança e
bom funcionamento dos jogos.

Envolvimento dos hospitais publicos e privados . Manter de prevenção


pelo menos, 3 equipas médicas no estádio, constituidas por 10 médicos e
20 enfermeiros, prontos a intervir em caso de eventuais episódios de
urgência durante os jogos.

Colaboração estreita com a Organização Internacional de Polícia


Criminal (Interpol), para impedir a entrada de indivíduos identificados como
perigosos neste tipo de eventos, bem como contribuir para o combate de
apostas ilegais no futebol. Segundo Interpol, há a probabilidade de cerca de
200 jogos virem a ser manipulados para beneficiar apostadores.

Indicadores, Fiscalização e Controle


1. Indicadores
Informativos aos cidadãos a fim de dar a conhecer a organização
estrutural do Campeonato do Mundo de Futebol.
Faremos inquéritos via internet (para que pessoas de outros países
que acompanhem o evento pelas redes de comunicação possam participar)
e através de pesquisas no próprio evento com os espectadores, cidadãos
sul-africanos, atletas e comissões desportivas dos países participantes, a
fim de conhecermos a satisfação do público e detectar problemas.

2. Fiscalização e Controle
Criaremos uma Comissão da Fiscalização e Controle (CFC), que será
constituída pelo Presidente da Comissão, 20 méritos e especialistas na área
na gestão desportiva, 5 cidadãos designados pela Comissão e 5 cidadãos
eleitos pela Assembleia da República. Compete a esta Comissão realizar
diariamente a verificação do funcionamento de cada sector do Comité e
discutir medidas para o solucionamento dos problemas encontrados. Cada
sector terá um responsável que será um dos membros desta Comissão.