Você está na página 1de 10

Universidade Federal de São Carlos

Departamento de Engenharia de Materiais

Estudo do Fluxo e
Deformação

Processo: Fabricação de Garrafas de Cerveja

São Carlos, 28 de Junho de 2008

Prof. Dra. Rosário E. S. Bretas


Aluno: Nelson Ponce Júnior RA: 278858
Índice

1 – Objetivos Pg. 2

2 – Informações Gerais Pg. 2

2.1 – Informações Sobre o Produto Evasado Pg. 2

2.2 – Informações Sobre o Material da Embalagem Pg. 2

2.3 – Informações Sobre a Embalagem Pg. 2

3 – Composição e Propriedades dos Vidros Soda-Cal Pg. 3

4 – Processamento Pg. 3

5 – Conformação – Processo Soprado-Soprado Pg. 4

5.1 – Variáveis Controladas do Processo Pg. 5

5.2 – Variáveis Medidas do Processo Pg. 6

6 – Tipos de Deformação Pg. 6

7 – Tensor Tensão Pg. 7

8 – Viscosidade Pg. 7

9 – Conservação de Quantidade de Movimento Pg. 8

10 – Análise Geral do Processo Soprado-soprado (blow and blow) Pg. 8

11 – Avaliação Final do Material Escolhido Pg. 9

12 – Referências Bibliográficas Pg. 9

1
1 - Objetivos

Analisar e quantificar os tipos de deformação que um material sofre durante seu


processamento.

2 - Informações Gerais

Produto: Garrafa de Cerveja


Processo de Fabricação: Soprado-Soprado (blow and blow)
Material: Vidro Soda-Cal

2.1 - Informações Sobre o Produto Evasado

O produto a ser evasado é a cerveja, portando, sua principal característica, que é


o sabor, deve ser mantida inalterada, do evasamento até o consumo final.
A cerveja sofre oxidação se exposta a raios UV (Ultra Violeta), alterando o
sabor. O gás CO2 deve ser mantido dentro da embalagem para garantir o aspecto
gaseificado do produto.

2.2 - Informações Sobre o Material da Embalagem

O material escolhido para a fabricação do produto é o vidro soda-cal, cor âmbar.


O mesmo é neutro em relação ao produto evasado, não mantém nenhuma interação
química com o seu conteúdo e pode armazenar qualquer produto por toda sua vida útil,
possibilitando vários ciclos de uso. Não permite a passagem de oxigênio ou gás
carbônico e atua como filtro UV, portanto, não altera a cor ou sabor da cerveja.

2.3 - Informações Sobre a Embalagem

Capacidade Total: 635 ml


Capacidade Útil: 600 ml
Peso: 475 g
Altura: 286,4 mm
Diâmetro Máximo: 73 mm
Cor: Âmbar
Material: Vidro Soda-Cal

2
3 - Composição e Propriedades dos Vidros Soda-Cal

Os vidros apresentam estrutura amorfa, ou seja,


não apresentam um arranjo atômico regular e
sistemático ao longo de distâncias atômicas
relativamente grandes.
Nos vidros a base de sílica, sua estrutura
atômica não é muito diferente da sílica pura, exceto que
a rede tridimensional é quebrada devido à ausência de
pontes de oxigênio, causada pela presença de íons
modificadores, tal com o Na+, como mostra a figura 2.
As tabelas abaixo apresentam os percentuais dos
principais constituintes dos vidros soda-cal (tabela 1),
as principais temperaturas de processamento (tabela 2)
e as principais propriedades físicas (tabela 3).

Tabela 1 – Composição dos Vidros Soda-Cal


Vidro SiO2 (%) Na2O (%) K2O (%) CaO (%) MgO (%) Al2O3 (%)
Soda-Cal 70-75 12-18 0-1 5-14 0-4 0,5-2,5

Tabela 2 – Principais Temperaturas de Processamento


Ponto de Ponto de Ponto de Ponto de
Tensão recozimento Amolecimento Trabalho
487°C 527°C 715°C 1005°C

Tabela 3 – Principais Propriedades Físicas


Módulo de Coeficiente Índice de Resistividade a
Densidade
Young de Poisson Refração 300°C
2,5 g/cm³ 70 GPa 0,22 1,513 5,1 log(Ω.cm)

4 - Processamento

O processo de fabricação de garrafas de vidro pode ser dividido em 4 etapas:


fusão, distribuição, conformação e tratamentos.

Fusão: As matérias primas, juntamente com os cacos moídos provenientes da


reciclagem, são aquecidas em fornos até temperaturas em torno de 1500°C durante
aproximadamente 24 horas.

Distribuição: Depois de fundido, o vidro flui pela ação da gravidade através de canais
de distribuição, chamados fornecedoras, até as máquinas de fabricação das garrafas. Na
extremidade das fornecedoras, o vidro fundido e cortado em gotas, com peso, forma e
temperaturas controladas.

3
Conformação: Permite transformar a massa solida de vidro fundido em corpos ocos e
sólidos.

Tratamentos: Tem o objetivo de melhorar as propriedades mecânicas do produto.

5 - Conformação - Processo Soprado-soprado

O processo de conformação dura cerca de 5 minutos e é realizado em duas


etapas:
Etapa 1 - Bloco: ainda a uma temperatura de 1000°C, o vidro é conduzido
através de canais para dentro do bloco, onde, por assopro, recebe um pré-formato,
chamado de parison.

PARISON

4
Etapa 2 - Fôrma: O parison é transferido para dentro da fôrma (molde) onde
através de outro assopro, recebe o formato final da embalagem. A garrafa é retirada do
molde por uma pinça, a mesma sai do molde com uma temperatura de aproximadamente
600°C.

5.1 - Variáveis Controladas do Processo

Tabela 4
Variáveis Controladas (Pré-estabelecidas)
Vazão Pressão Vazão Composição Taxas de Taxa de
Temperatura
do vidro do ar de ar do vidro deformação resfriamento

5
5.2 - Variáveis Medidas do Processo

Tabela 5
Variáveis Medidas
Pressão Vazão Dimensões Peso do Tempo de
Temperatura
do ar de ar do produto produto resfriamento

6 - Tipos de Deformação

Durante o processamento, o material sofre dois tipos de deformação: deformação


por cisalhamento e por elongação.
A deformação por cisalhamento esta mais presente na primeira etapa do
processo, onde o material ganha a forma do parison após injeção de ar. A superfície em
contato com o ar injetado é cisalhada em relação a parede do molde.
Já a deformação por elongação ocorre significativamente nas duas etapas do
processo. Um bom exemplo é a deformação que o parison sofre, no qual, o ar injetado
elonga o mesmo, até o formato final da garrafa.
As taxas de deformação são importantes variáveis do processo. Em coordenadas
cilíndricas, as componentes do tensor taxa de deformação são:

(6.1a)

(6.1b)

(6.1c)

(6.1d)

(6.1e)

(6.1f)

6
7 - Tensor Tensão

Os componentes tensor tensão em coordenadas cilíndricas são dados por:

(7.1a)

(7.1b)

(7.1c)

(7.1d)

Onde é a viscosidade em regime permanente de cisalhamento

8 - Viscosidade

A figura 3 mostra uma curva do log. da viscosidade em função da temperatura.


Os pontos indicados na curva são de grande importância para o processamento do
material, e possuem os seguintes significados:
 Strain point (Ponto de tensão) - abaixo desta temperatura, o material
fratura sem deformação plástica.
 Annealing point (Ponto de recozimento) - difusão atômica
suficientemente rápida; remoção de tensões residuais.
 Softening point (Ponto de amolecimento) - máxima temperatura na qual
uma peça de vidro pode ser manipulada sem variações dimensionais.
 Working point (Ponto de trabalho) - material facilmente deformado.

7
9 - Conservação de Quantidade de Movimento

A equação (9.1) refere-se a conservação de quantidade de


movimento da primeira etapa do processo de conformação, onde o
vidro preenche o molde pela ação da força gravitacional. A figura
4 mostra a representação das coordenadas cilíndricas na etapa
citada do processo.
Para este caso, as componentes do vetor velocidade serão:

vr = 0 - existe uma leve variação no raio do molde ao longo do


eixo z, mas a mesma foi considerada desprezível.

vz = f(r) - a velocidade em z varia em função do raio.

vθ = 0 - a velocidade em θ pode ser considerada nula.

As condições de contorno são as seguintes:

Para a velocidade:

vz( r = 0) = vz - a velocidade é máxima quando r = 0


vz(r = R) = 0 - a velocidade na parede do molde é considerada nula

Para a pressão:

P(0) = P(L) = Patm - a pressão do processo é constante e o fluxo ocorre por ação da
gravidade.

Portanto, as equações da conservação da quantidade de movimento para a


direção z, considerando as condições acima será:

(9.1)

10 - Análise Geral do Processo Soprado-Soprado (blow and blow)

O processo soprado-soprado certamente é o mais apropriado para a fabricação de


garrafas com gargalos finos, como é o caso das garrafas de cerveja. Existem outros
processos de conformação para embalagens de vidro, como por exemplo, o processo
prensado-soprado, porém, este é indicado a produtos com o gargalo largo, como é o
caso dos vidros para condimentos no geral.

8
11 - Avaliação Final do Material Escolhido

Em termos energéticos, certamente o PET (polietileno teraftalato) seria a escolha


mais adequada, pois a energia gasta com o processamento seria menor, uma vez que o
mesmo necessita de uma temperatura de trabalho bem menor do que o vidro, além de
não quebrar facilmente. Porém, o vidro, ainda assim, é a melhor escolha, uma vez que o
mesmo impede a passagem de gases que prejudicam a validade da cerveja, e a utilização
do PET só seria possível com a aplicação de camadas impermeabilizantes, que
elevariam o preço final do produto.
Outro fator a ser levado em conta é a aceitação da cerveja em garrafas PET.
Existem mitos sobre a alteração do sabor da mesma quando em embalagens deste tipo,
porém, pesquisas mostram que o sabor não é modificado.
Existe também a questão ambiental. As garrafas de cerveja de 600ml em vidro
são lavadas após o uso e reutilizadas, isto seria impossível com a utilização do PET
descartável.
Portanto, pode-se concluir que o vidro é melhor opção para este produto.

12 - Referências Bibliográficas

[1] BRETAS, R. E. S., “Reologia de Polímeros Fundidos”, 2ª ed., EdUFSCar, São


Carlos, 2005.

[2] BANSAL, N. P., “Handbook of Glass Proprieties”, Academic Press Inc., London,
1986.

[3] HARPER, C. A. (Ed.), “Handbook of Ceramics, Glasses, and Diamonds”, 1 ed.,


McGraw-Hill, New York, 2007.

[4] BARSOUM, M. W., “Fundamentals of Ceramics”, 1ª ed., Taylor & Francis Group,
New York, 2003.

[5] CALLISTER, W. D., “Ciência e Engenharia de Materiais: Uma Introdução”, LTC,


Rio de Janeiro, 2002.

[6] http://www.sgembalagens.com.br – acessado em 28 de junho de 2008.

[7] http://www.abividro.org.br – acessado em 28 de junho de 2008.