P. 1
COLETA DE SANGUE

COLETA DE SANGUE

|Views: 1.175|Likes:
Publicado porThaimara Gonçalves

More info:

Published by: Thaimara Gonçalves on Aug 11, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2013

pdf

text

original

SUMÀRIO

1

é bom saber: Procedimento COLETA DE ESCARRO Antes de proceder à coleta. é bom saber: Procedimento CONCLUSÃO BIBLIOGRAFIA 03 04 04 04 05 05 06 06 06 07 07 09 09 10 11 11 12 12 12 13 14 14 16 17 2 .INTRODUÇÃO COLETA DE SANGUE Composição Sangue venoso Material utilizado na coleta do sangue Procedimento Sangue arterial Procedimento Complicações decorrentes das punções COLETA DE URINA Procedimento Tipos de exames de Urina COLETA DE FEZES Procedimento básico Exames mais solicitados Cuidados para realizar a coleta de fezes COLETA DE ESPERMA Antes de proceder à coleta.

3 .

Entre os exames solicitados com maior frequência temos: hemograma completo.INTRODUÇÃO Exames de coleta laboratorial é um conjunto de exames e testes realizados a pedido do médico. etc. culturas bacteriológicas. Neste trabalho iremos ter conhecimento de algum destes procedimentos sabendo como proceder e os cuidados que devemos tomar em cada um deles. urina. moléculas e íons dissolvidos em água. imunologia. realizados em laboratórios de análise clínica. Plasma: contém 91.5% de água que serve de solvente das substâncias orgânicas e minerais e ainda de veículo para as células. na proporção de 55% de plasma e 45% de células. antibiograma. moléculas e íons. Composição O sangue é constituído de duas frações combinadas. 4 . visando um diagnóstico ou confirmação para uma patologia ou para um check-up (exame de rotina). COLETA DE SANGUE O sangue é a porção líquida do meio interno que circula rapidamente dentro de um sistema fechado de vasos denominado sistema circulatório. fezes e expectoração. exame parasitológico de fezes. hemostasia. sumário de urina. É constituído por um fluido no qual existem células em suspensão. bioquímica do sangue. Os fluidos mais comuns para exame são: sangue.

. garrotear 5 cm acima do local de coleta. . dorso da mão. Sangue venoso É conseguido pela punção venosa que fornece quantidade apreciável de sangue usado nos exames hematológicos e bioquímicos. fixar a veia (distendendo a pele do paciente). imunidade.Algodão.Garrote.Tubos de plástico cônicos graduados . Funções: o sangue é um meio de transporte que realiza as trocas de substâncias entre os diversos sistemas do organismo. glóbulos brancos (leucócitos).Solução anti-séptica (álcool a 70%). 10 ou 20 ml. As substancias orgânicas resultam da digestão dos alimentos. . regulação do balanço hídrico. regulação do equilíbrio iônico e ácido-básico. As hemácias.. excreção. dorso do pé. hemostasia. 5 .Anticoagulantes (heparina. Suas principais funções são: respiração. nutrição. que atuam também como órgãos hemocateréticos. jugular externa. A parte celular tem origem múltipla. Locais de punção: fossa cúbita (dobra do cotovelo). enquanto que os linfócitos e monócitos têm origem no sistema retículo-endotelial (linfonodo e baço). . esparadrapo ou curativos especiais. correlação humoral. esperar secar.) . pedir ao paciente para fechar a mão. basílica.Seringas descartáveis de 5.Agulhas descartáveis: 25x7 ou 25x8(calibre usual). . Formação do sangue: o plasma é formado a partir da ingestão de água. citrato de sódio. Procedimento: Preparar a seringa e a agulha. plaquetas ou trombócitos.Porção celular: glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos). Escolher a veia mais proeminente apalpando-a (mediana. cefálica). alimentos e da difusão e trocas líquidas entre os vários componentes do organismo. regulação térmica..Frascos de penicilina. regulação da pressão sanguínea. Fazer a assepsia. Material utilizado na coleta do sangue venoso: . plaquetas e leucócitos granulócitos são originários da medula óssea.

nas crianças e do lóbulo da orelha na polpa digital. Não fornece um volume muito grande de sangue. pressão muito baixa. Para a punção arterial não se deve garrotear. exame de glicemia. Locais de punção: artéria radial. exame do pezinho. Preparar o material. 6 . choque. Sangue capilar: é conseguido pela punção do calcanhar. Soltar o garrote e só depois retirar a agulha. 10 minutos para evitar os hematomas graves. Distribuir o sangue nos frascos adequados. no adulto. Sangue arterial Indicação absoluta: quando se trata de gasometria arterial. Observação: ao término da punção arterial o local deve ser fortemente comprimido durante. no mínimo. Na gasometria o sangue não pode ser retirado da seringa. Pedir a paciente para abrir a mão e colher o volume desejado.Introduzir a agulha de uma só vez atingindo o interior da veia. Procedimento: Fazer a assepsia. Desprezar o material adequadamente. artéria femoral. Faça compressão com o algodão. Eventualidades: recém-nascidos. Indicações: demonstração de técnicas para tipagem sanguínea. artéria braquial.

.Contaminações: devido à assepsia mal feita ou ao uso de material não-descartável (estéril) contaminado. fazer assepsia. calcanhar.Hematomas: pode ocorrer se o profissional tirar a agulha antes do garrote. . assim. transfixar a veia ou. que o resultado do exame seja o mais preciso possível. Perfurar com uma agulha os locais indicados. Complicações decorrentes das punções . Deve-se desprezar a primeira gota. possibilitando. Procedimento 7 .Locais de punção: face palmar dos dedos (4º dedo) da mão. Procedimento: aquecer o local se estiver frio. Para esse tipo de exame. em punção arterial. é importante que o profissional da coleta tenha pleno conhecimento do procedimento para que possa orientar o paciente da melhor forma. limpar o local e colocar o curativo.Alergia: ao álcool iodado (deve-se perguntar antes). não for comprimido adequadamente o local. COLETA DE URINA Exame rotineiro com a função de diagnosticar patologias do Trato Urinário e auxíliar no diagnóstico de desordens metabólicas. Ao término da coleta. margem livre do lóbulo da orelha.

8 .Imediatamente. coletar no copo descartável o jato do meio.Desprezar o primeiro jato da urina no vaso sanitário. . usando sabonete e água. . . fechar e muito bem e identificar com seu nome completo.Utilizar o kit fornecido pelo laboratório gratuitamente com instruções específicas.Fazer uma higiene íntima rigorosa em sua casa. enxaguar bem com água abundante e secar bem com uma toalha limpa.Coletar a primeira urina da manhã ou 2 horas após a última micção. mais ou menos (até a metade do copo) desprezando o restante da micção no vaso sanitário. . passar a urina do copo para o tubo. até preencher totalmente. Encaminhar ao laboratório.

Cuidados para realizar a coleta de Urina Jejum: não é necessário. Neste exame podemos diagnosticar a infecção do Trato Urinário das vias baixas e das vias urinárias altas. Recomenda-se esperar 3 dias após o término para colher a urina ou a critério médico. Retenção Urinária: pode ser a primeira da manhã ou o tempo mínimo de 2 horas de retenção.Tipos de exames de Urina Exame de Urina tipo I Tem a finalidade de diagnosticar patologias do trato urinário e auxiliar no diagnóstico de desordens metabólicas. uretra e nos rins. Exame de Urina 24 Horas Tem a finalidade de fazer uma avaliação da função renal. Cultura de Urina Utilizada para verificar a presença microorganismos localizados na urina. 9 . através de dosagens bioquímicas. Evite a ingestão excessiva de líquidos. Para mulheres: evite colher urina estando menstruada ou se estiver usando pomadas ou cremes vaginais.

colher também esta porção "feia" das fezes. Procedimento básico • Colher fezes em recipiente limpo de boca larga. distúrbios hepáticos e dos ductos biliares e síndromes de mal absorção. segundo as finalidades do exame a que se destinam. sendo muito importante para análise. • Se for observado presença de muco ou sangue.Para crianças muito pequenas: usar coletor infantil fornecido pelo laboratório COLETA DE FEZES O exame de rotina de fezes compreende as análises macroscópicas. A coleta de fezes tem recomendações especiais. • • Tampar bem o frasco e identificar com seu nome completo e encaminhar ao laboratório. 10 . tomando cuidado de não contaminar as fezes com a urina ou água do vaso sanitário. microscópicas e bioquímicas para a detecção precoce de sangramento gastrintestinal. As principais finalidades do exame de fezes são: • O estudo das funções digestivas • A dosagem da gordura fecal • As pesquisas de sangue oculto • A pesquisa de ovos e parasitas • A coprocultura. De igual valor diagnóstico são a detecção e identificação das bactérias patogênicas e parasitas.

Exames mais solicitados 11 .

Observaçõe se Comentário s . características incomuns e se houve dificuldade de eliminação fecal. Laxantes. que podem conter desinfetantes químicos.Não congelar . -3 amostras de fezes é recomendável colher em 3 dias diferentes. Antibióticos interferem no resultado. .É suficiente introduzir a ponta do swab nas fezes recém emitidas e colocar este no meio de Cary Blair.Conservar refrigerada . 12 . Cultura de fezes Coprocultura -Colher a amostra em recipiente próprio contendo o meio de transporte Cary Blair e enviar ao laboratório até 24 horas após a colheita. Protoparasitológic o PPF Pesquisa de helmintos e protozoários nas fezes Fezes em frasco coletor de polipropileno com tampa de rosca de aproximadame nte 80 ml.Evacuar em recipiente limpo e seco e transferir uma porção das fezes recém emitidas para o frasco coletor. .Tipo de exame Preparo do paciente . odor.Material deverá ser colhido mesmo apresentando-se diarréico. . além de: cor. muco. .Orientar o paciente para evitar misturar fezes com urina ou contaminálas com água usada para limpar banheiros. Não refrigerar e não usar laxante para coleta. Material Interferent es -Contaminação com urina.Contraste radiológico na véspera do exame. Uso de laxantes e antibióticos. consistência das fezes.Fezes em tubo c/ meio de transporte Cary Blair. Cuidados para realizar a coleta de fezes • Anotar a hora da coleta da amostra. tendo o cuidado para não ultrapassar a metade do frasco. -Não utilizar laxantes ou supositório. pus ou sangue.

mesmo durante o sono ou por masturbação). Procedimento • Manter abstinência sexual (sem relações sexuais ou masturbações) por 3 a 5 dias Preencher todos os dados do questionário Deve ser colhido por auto-masturbação. Antes da coleta lavar as mãos e o pênis com água e sabão. A coleta de material deve ser em um frasco estéril fornecido pelo Laboratório. Evitar a perda de qualquer gota durante a ejaculação. Secar bem com água esterilizada. COLETA DE ESPERMA O espermograma é um tipo de exame que analisa as condições físicas e composição do sêmem humano. Não fazer uso de preservativos ou coito interrompido Ejacular diretamente no frasco fornecido (evitar perda de esperma) • • • • • • 13 . é bom saber: O esperma ideal é obtido após 3 a 5 dias de abstinência sexual (sem ter havido ejaculação. É explorado para avaliar a função produtora do testículo e problemas de esterilidade masculina Antes de proceder à coleta. Orientar o paciente a não urinar no recipiente em que serão coletadas as fezes porque a urina inibe o crescimento das bactérias fecais. prevenindo contaminação destes.• • Não colocar a amostra em geladeira que contenha alimentos ou medicamentos. A coleta em domicílio deve ser realizada mediante instrução e fornecimento do frasco adequado. O esperma deve ser coletado em frasco estéril de boca larga fornecido pelo laboratório.

→ Em caso de coleta em domicílio. pesquisa direta de fungos e bacterioscopia (GRAM). Tem a finalidade de fazer pesquisa de BAAR. Antes de proceder à coleta. entre outras doenças pulmonares. cultura para BK. acomode o frasco junto ao corpo (para manter a temperatura) ou mantenha em recipiente térmico e entregue o frasco ao laboratório imediatamente COLETA DE ESCARRO A coleta de escarro é indicada para auxiliar no diagnóstico da tuberculose e da pneumonia. é bom saber: 14 .

Não colha saliva em lugar ou junto do escarro. com o nome. Evite. ao acordar. é preferível colher cada uma em um dia diferente Procedimento • Antes de colher. A boa hidratação facilita a coleta. Não se deve tocar o frasco ou a tampa por dentro. para reduzir a contaminação com a microbiota bucal.A amostra de escarro deve ser coletada. é aquele que vem do “fundo do peito”. é preferível não efetuar a coleta. fornecido pelo Laboratório. • • • • • • 15 . Apenas enxaguar a boca com bastante água. inalando o vapor do banho). Encaminhar o material coletado o mais rapidamente possível ao Laboratório. Caso o médico tenha solicitado mais de uma amostra. pode ser útil (por ex. A amostra colhida pela manhã. Identificar o frasco. Deve-se tossir profundamente e coletar o escarro diretamente dentro do frasco. não se deve escovar os dentes. colher secreção do nariz. Deve-se ingerir bastante líquidos desde a noite anterior. Inalar vapor úmido. antes da coleta. também. Caso não esteja eliminando escarro no dia da coleta. portanto a adequada para o exame. O escarro ideal é obtido após tosse profunda. pelo lado de fora. é a mais concentrada e. sempre que possível.. O escarro deve ser colhido em frasco estéril. Orientar o paciente para apenas abrir o frasco na hora da coleta e para deixar a tampa virada para cima. data e hora da coleta. antes do início do tratamento (principalmente antibióticos).

→ Atentar no aspecto da amostra. CONCLUSÃO 16 . pois pode não ser escarro e sim saliva e caso seja necessário você pode guardar a mostra por até 24 horas na geladeira. mas sempre é bom consultar as normas e rotinas do laboratório da Instituição.

Rio de janeiro: Guanabara Koogan. bem como o bom armazenamento e o transporte adequado das amostras são itens de incontestável importância na obtenção de resultados confiáveis. no momento correto. I. 17 . importância e cuidado. S. São Paulo: Atheneu. Antes de se realizar as coletas. M.Para o laboratório clínico é indispensável que o preparo do paciente. Roberto A de Almeida. controlar e. 1987. sua finalidade. BIBLIOGRAFIA CARMAGNANI. Colheita de Material para Exames de Laboratório.29-76. 2009. a coleta. p. A coleta bem realizada. Moura. et al. o transporte e a manipulação dos materiais a serem examinados obedeçam a determinadas regras. Procedimentos de enfermagem: guia prático. Vendo que cada exame tem seu procedimento. evitar variáveis que possam interferir nos resultados dos exames laboratoriais. se possível. é importante conhecer.

Instituto Hermes Pardini. 18 .net/epf-exame-parasitologico-de-fezes-coleta-armazenamento-etransporte/> Acesso em: 08/08/2011. 2006/2007.labhpardini.br/escarro_expectorado.MANUAL DE COLETA DE SANGUE VENOSO.org.uff. EPF – Exame Parasitológico de fezes – coleta.com.pdf> Acesso em: 08/08/2011.huap. Disponível em: <http://www. Sociedade Brasileira de Análises Clínicas.br/upload/conteudo/320090814145042. Disponível em: <http://www. Coleta de Urina para Exames. Disponível em: <www. INSTRUÇÕES PARA COLETA DE ESCARRO.pdf> Acesso em: 08/08/2011. armazenamento e transporte. Disponível em: <http://www.br/intranet/Arquivos/39-533-47popacoletadeurinaparaexames.sbpc.com.htm> Acesso em: 08/08/2011. Hospital Universitário Antônio Pedro.plugbr.br> Acesso em: 08/08/2011. Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica Medicina Laboratorial para COLETA DE SANGUE VENOSO. Disponível em: <http://www.mauriciobueno.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->