P. 1
004 Insuficiência Cardiaca em Pediatria final

004 Insuficiência Cardiaca em Pediatria final

|Views: 207|Likes:

More info:

Published by: Giselle Cabral Correia on Mar 25, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/19/2013

pdf

text

original

Henriqueta Quive Luísa De Oliveira Cláudia Mutaquiha Khaizer Bagus

 Definição  Diagnóstico  Tratamento  Complicaçoes  Prognóstico

 Estado

no qual o coraçao nao pode produzir o débito cardíaco necessário para atender as necessidades metabólicas do corpo sem despertar determinados mecanismos de compensaçao.

 Sobrecarga

de volume: CIV  Sobrecarga de pressao  Processo inflamatorio, degenerativo ou tumoral  Arritmias

ETIOLOGIA
 PRÉ

NATAL:

 Taqui

e bradiarritmias,  miocardite fetal,  insuficiências valvulares,  raramente incompatibilidade sanguínea,  infecções grupo STORCH,  diabetes melitus gestacional materna

 Asfixia neonatal. Primeiro  Taqui dia de vida: e bradiarritmia.  Sepse  Alteraçoes metabólicas  Insuficiências valvulares graves .

 Primeiras duas semanas de vida:  Alteracoes obstrutivas ao fluxo sanguíneo  Canal arterial patente no prematuro  Drenagem pulmonar anómala total  Hipoplasia do ventrículo esquerdo e estenose pulmonar crítica .

 Canal a oitava semana de vida: arterial patente  Defeito de septo atrioventricular  Miocardites  Pericardite  Cardiopatias complexas com sobrecarga de volume  Hipotireoidismo  Origem anómala da artéria coronária esquerda. Terceira  CIV. .

 Primeiro  Doença  Sepse ano de vida: de kawasaki  Miocardites  Insuficiência renal  Distúrbios hidroelectrolícos  Hipertensão .

 Após primeiro ano de vida:  Cardite reumatica  Miocardite  Doenças do tecido conjuntivo  Anemia  Parasitoses  SIDA. .  Sepses  Endocardite infecciosa ou doenças sistémicas  Quimioterapia.

• • • • IC sistólica e diastólica IC de alto débito e de baixo débito IC aguda ou crônica IC esquerda ou direita .

IC sistólica: Existe a incapacidade do ventrículo de contrair-se normalmente e expelir sangue suficiente. diastólica: Existe a incapacidade do ventrículo de relaxar e/ou encher normalmente. IC .

de alto débito: O coração é solicitado a bombear quantidades muito grandes de sangue a fim de fornecer o oxigênio necessário aos tecidos metabolizadores.  IC . Pode não estar presente em repouso. IC de baixo débito: Ocorre o transporte de uma quantidade inadequada de oxigênio exigida pelos tecidos metabolizadores.

 IC . IC aguda: exemplo é o infarto do miocárdio que ocorre subitamente. crônica: exemplo é a miocardiopatia dilatada que se desenvolve lentamente.

 Sintomas principais: dispnéia e ortopnéia em conseqüência da congestão pulmonar. . que está hemodinamicamente sobrecarregado ou enfraquecido. Resulta em acúmulo de líquido em excesso atrás do ventrículo esquerdo.

.  Sintomas principais: Edema. Resulta em acúmulo de líquido em excesso atrás do ventrículo direito. hepatomegalia congestiva e distensão venosa sistêmica.

 Anamnese -A idade -Antecedentes de Cardiopatia já conhecida -Doenças crónicas. doenças recentes -Periodo neonatal -Sintomas gerais .

 Palpacao abdominal. edema.  Perfusao periferica.  Tomas constantes : FC. . TA. FR. Exploracao fisica:  Estado geral e de consciencia. Ta.  Auscultacao cardiopulmonar.

 Lactentes -Dispneia durante a sucção -Taquipneia -Deficiência de ganho ponderal -Transpiração excessiva -Choro fraco e respiração difícil e ruidosa com tiragem intercostal e adejo nasal -A congestão pulmonar pode ser indistinguível da clinica de uma bronquiolite Quase sempre há hepatomegalia e sempre há cardiomegalia .

O edema quando presente.-Taquicardia com ritmo de galope -PVJ e Edemas. frequentemente indetectaveis clinicamente. .costuma ser generalizado.

galope. -A dispneia e um reflexo da congestão pulmonar -PVJ aumentado e Hepatomegalia -Ortopneia e fervores crepitantes basais congestão pulmonar -Edema nas porções inferiores do corpo ou generalizado -Cardiomegalia. Criancas maiores -Fadiga. dor abdominal e tosse. intolerância aos esforços. anorexia. .

sopro. Pericardite -Historia de infecção das vias aéreas altas. presença de outros critérios de Jones  Miocardite. Cardite Reumática -Historia prévia de amigdalites. alterações do ECG .

 Miocardites.Miocardio patia dilatada: -HIV . Endocardite:  Pericardite -Febre Taquiarritmias: -Palpitacoes -Tons apagados.dor toracica.atrito pericardico.

 Clínico.  Exames laboratoriais: .

• • • • Hemograma: Htc e Hgb estão reduzidos em virtude da hemodiluição. renal). Leucocitúria. Glicemia: Hipoglicemia (DC  Glicogênio Hepático) Gasometria: Acidose Metabólica (DC  hipóxia =  ác. Cilindrúria (estase ven. lático). . A acidose é um factor inotrópico negativo. Exame de Urina:Hematúria.

Na prática considere normal ICT < 60% no RN. 55% no lactente e 50% na criança maior de 6 anos. Rx do tórax: 1. 2. .cardiomegália: índice cardiotorácico (ICT). o grau de congestão pulmonar.

.

• • • • • • • Ecocardiografia: Avaliar a funcao sistolica e diastolica ventricular Integridade das valvulas Diametro das camaras Motilidade das paredes Grau de hipertrofia ventricular Pericárdio .

Porém é muito útil no diagnóstico de arritmias e auxilia no diagnóstico da cardiopatia de base. Eletrocardiograma: não apresenta alterações específicas de insuficiência cardíaca. . Nos casos críticos a monitorização eletrocardiográfica contínua é essencial para detecção precoce de arritmias.

. Medidas gerais  Objetivo: . . O2 p/ os tecidos. .Correção das Anormalidades Metabólicas. consumo tecidual de O2.

Oxigenoterapia 3. Repouso 2. Controle da temperatura 5. Correção da Anemia 7.  1. Dieta Hipossódica 4. Tto precoce de infecções   . Controle Hidro-eletrolítico 6.

.(melhorar a oxigenação dos tecidos)  Repouso em posição semi-sentada: do retorno venoso  ↓ congestão pulmonar  descende vísceras abdominais  ↑ capacidade vital ↓  Administrar oxigénio: quando há disfunção respiratória (Sat< 90%) por congestão pulmonar grave.

. não há necessidade de restrigir a via oral. Aspirar secreções  Vigiar a Temperatura e Balanço Hídrico  Dieta:  restrição ↓Na+ Em de líquido casos crónicos. Fisioterapia respiratória.

Morfina: quando estão angustiados e agitados devidos a falta de ar administra-se morfina 0.• • Tentar definir a causa básica e afastar os factores causais. agravantes e precipitantes potencialmente removíveis.2/Kg/Dose.05-0. .

evitar alimentos salgados. . devido a hiponatremia dilucional  Restrição de Na: dieta com pouco sal. Restrição hídrica: o excesso de líquidos pode causar sobrecarga de volume.

 Dieta Devido ao cansaço causado pela própria IC os pacientes não conseguem se alimentar então a alimentação pela sonda nasogástrica pode ser importante. Aumento da ingestão diária de calorias .

 Objectivo Melhorar cada um dos factores que afectam o débito cardíaco: ↑ Contratilidade Cardíaca: inotrópicos  ↓ Pós-carga: Vasodilatarores Arteriais  ↓ Pré-Carga: Diuréticos  .

↓ FC Digoxina Fármaco de eleição na IC da infância Contraindicações: Cardiomiopatia Hipertrófica  Bloqueio Cardíaco Completo  Tamponamento Cardíaco  . Tonificar o miocárdio: ↑ contractilidade.

.

 Dopamina  Dobutamina  Isoproterenol  Adrenalina  Milrinona (UCIP) (inibidor da fosfodiesterase) .

 Diurese rápida: 1-2mg/kg/dose i.5-1 mg/kg/dose cada 6-8-12 horas i. Efeitos Colaterais:  Hipocalémia.Furosemida Dose:  1-4 mg/kg/dia divididos em 2-4 tomas oral  0.v. IR pré-renal .v. alcalose hipoclorémica.

.

 Uso não habitual  ↓ Pós-Carga  Captopril  DOSE:   (iECA) <6 meses: 0.5mg/kg/dose 3 vezes ao dia >6 meses: 0.5-2mg/kg/dose 3-4 vezes ao dia. Max 6mg/kg/dia  Enalapril  Hidralazina  Nifedipina  Nitroprussiato de Sódio (UCIP) .05-0.

 Disfunção Miocárdica  Insuficiências Valvulares  Outras .

iniciar com dobutamina e. iniciar digoxina em dose de manutenção .• • • • Iniciar com inotrópico Associar um vasodilatador Se houver manifestações de congestão pulmonar ou sistémica → diurético Em casos de Miocardite. no decorrer de 2 a 3 dias.

 Cardite reumática ou sequelas mitral e aórtica secundárias  Vasodilatadores  Diuréticos  Digitálicos se ocorrer disfunção miocárdica .

.

.

 Dependente da etiologia mas geralmente tem bom prognóstico se tratadas adequadamente .

emedicine. Nelson.htm .com  Manual de Rotinas em Pediatria  Manual do Interno de Pediatria  http://www.com/ped/topic2636. Edição Tratado de Pediatria – 17ª  www.blackbook.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->