P. 1
dosagem de glicose

dosagem de glicose

|Views: 1.403|Likes:
Publicado porantoniellelelly

More info:

Published by: antoniellelelly on Apr 03, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2013

pdf

text

original

UNIVIX Centro de Educação Superior Farmácia e Bioquímica Bioquímica clínica I Jorge Terrão

Ana Paula Barbosa Bormann Antonielle Lucindo Camila Gonçalves Marinho Luceline Alves Soares de Souza Riaze Fernades 9º período

Diagnóstico laboratorial da diabete

Vitória Março, 2005

Quase todas as usualmente utilizadas são atualmente enzimáticas. Obs. #Reagente 2 (tampão): tampão fodfato (pH7.Título: Diagnóstico laboratorial da diabetes mellitus. raramente são empregadas. e os métodos mais antigos. vegetais ricos em amido e legumes) e das reservas corporais (glicogênio). mas muito menor. fenol 10mmol/L. 2- 3- . peroxidase ≥ 700 U/L. por hormônios reguladores. (dosagem da glicose nos líquidos corporais) Objetivo: Realizar o método de diagnóstico laboratorial da diabetes mellitus para três amostras de soro com concentrações de glicose desconhecidas. redução da glicose plasmática (hipoglicemia) e concentração normal ou diminuída da glicose acompanhada de excreção urinária de açúcares redutores diferentes da glicose (erros inatos do metabolismo da glicose). em diversas condições (alimentação. tubos de ensaio. As várias desordens do metabolismo dos carboidratos podem estar associadas com: o aumento da glicose plasmática (hiperglicemia). glicose oxidase ≥ 10. derivando da degradação dos glicídeos da alimentação (cereais.38 mmol/L. Introdução: A glicose é a principal fonte de energia para o organismo humano. ácido benzóico 20. azida sódica 15. A incidência de hipoglicemia é desconhecida.0).47 mmol/L.3 mmol/L. Muitos procedimentos analíticos são utilizados para dosar os níveis sanguíneos de glicose. executadas com métodos relativamente inespecíficos. que resultavam em valores falsamente elevados. Resultados normais não devem excluir o diagnóstico de distúrbios do metabolismo dos carboidratos. assim como da síntese endógena a partir de proteínas ou do glicerol dos triglicerídeos. 1Materiais utilizados: Vidrarias: Pipeta graduada 5ml. No passado. Equipamentos: Pipeta automática 20µl. Kit de glicose: #Reagente 1 (padrão):glicose 100mg/dL. Reagentes: Amostras de soro. Banho-maria. O nível de glicose no sangue é mantido dentro de uma faixa razoavelmente estreita. as análises eram.: conservar os três reagentes entre 2 e 8ºC. jejum prolongado ou exercício intenso). O diagnóstico dos distúrbios no metabolismo da glicose depende da demonstração de alterações na concentração de glicose no sangue. 4-aminoantipirina 0.0) 100mmol/L. com freqüência. tais como a insulina (diminui a glicose sanguínea). glucagon ou epinefrina (aumentam os níveis sanguíneos de glicose).000 U/L. O distúrbio mais freqüente encontrado do metabolismo glicídico é a glicose sanguínea elevada devido a diabetes mellitus. como as técnicas colorimétricas ou de oxidorredução. #Reagente 3 (reagente enzimático líquido estável): tampão 100 mmol/L (pH7.

mas ele consiste em uma mistura de 24 partes do reagente 2 com 1 parte do reagente 3. Ponteiras. anotando-se os valores encontrados para cada tubo. Coloca-se a cubeta contendo o branco ( tubo B ). Seleciona-se no aparelho o modo “A“. Estante. Resultados e discussões: A glicose é oxidada enzimaticamente pela glicose-oxidase de acordo com a seguinte reação: glicose oxidase Glicose + O2 ácido glucônico + H2O2 peroxidase 1- 2 H2O2 + fenol + 4-aminoantipirina cromógeno cereja + 4H2O . 3 deles com a letra P (padrão) e 3 enumerados de 1 a 3 contendo amostras de pacientes diferentes. B P1 P2 P3 1 2 3 Reagente 1 20µl 20µl 20µl Amostras 20µl 20µl 20µl Reagente de trabalho 2ml 2ml 2ml 2ml 2ml 2ml 2ml 2Leitura no espectrofotômetro (500nm): Liga-se o espectrofotômetro 20 minutos antes da leitura para estabilização dos componentes. ajuntando 100% de transmitância.Espectrofotômetro.: o reagente de trabalho já havia sido preparado anteriormente. ajustando 0% de absorbância. Transfere-se os tubos para um banho-maria 37ºC. utilizando-se uma pipeta graduada coloca-se 2ml do reagente de trabalho em cada tubo. colocase 20µl do reagente 1 nos três tubos identificados com a letra P. pipeta-se 20µl da amostra de soro de cada paciente em seu respectivo tubo. Em seguida. sendo um deles representado pela letra B (branco). faz-se a leitura dos tubos contendo as amostras 1.2 e 3. 4Diversos: Pêras. o reagente de tralho é estável durante 30 dias entre 2 e 8 °C e 7 dias entre 15 e 30°C. Metodologia: Preparo das soluções: Identifica-se 7 tubos de ensaio. A cada amostra pipetada deve-se trocar a ponteira. Anota-se o valor de absorbância encontrado para cada amostra. Seleciona-se no aparelho o modo “A“. Em seguida. Obs. Seleciona-se no aparelho o modo “T“. seguindo a ordem de intensidade de cor para evitar interferências entre as amostras. Realiza-se a leitura dos tubos contendo o padrão. Por fim. Cubetas de quartzo. Utilizando-se uma pipeta automática. deixando-os durante 10 minutos.

MOTTA. nota-se uma discrepância do valor de absorbância do padrão 3.0.O peróxido de hidrogênio em presença da peroxidase reage com a 4aminoantipirina e fenol. T. 2003.Apontamentos de aula.3495 Cálculo da concentração das amostras: Concentração da amostra = Abs da amostra . O método com a glicose oxidase não deve. tornando-se necessário elimina-lo do cálculo da média. Fc Tubo 1: CA = 0. B P1 P2 P3 1 2 3 . 2. O paciente 3 está dentro do limite da faixa de referência (100 a 126 mg/dL) sendo considerado um pré-diabético. 286 = 95mg/dL Tubo 2: CA = 1.280. encontra-se com valores elevados de glicemia.442 .333 1.368 0.442 Absorbância Calcula-se a média dos valores de absorbância dos três padrões para diminuir a faixa de erro de pipetagem. Bioquímica clínica para o labortório-princípios e interpretações. portanto. pois do contrário ele pode aumentar o valor de absorbância do padrão e conseqüentemente diminuir o valor da concentração de glicose. formando um cromógeno vermelho cereja cuja intensidade de cor é proporcional a concentração de glicose.368 = 0. Valter. Observando-se os valore de absorbância dos tubos contendo o padrão.333 . produzindo resultados falsamente baixos. Média dos padrões = 0. 4ª ed.331 + 0. indicando uma quadro de diabetes (acima de 126 mg/dL).331 0. Já o paciente 2. Os métodos de glicose oxidase são adequados para dosar glicose no liquor. . Porto Alegre: editora médica missau. A urina contém altas concentrações de substâncias que interferem com a reação da peroxidase. considerando-se os valores de referência. ser empregado para a urina. Referências bibliográficas: 1.280 0. 286 = 366 mg/dL Tubo 3: CA = 0.494 0.3495 2 Fator de calibração = concentração do padrão = 100 = 286 absorbância do padrão 0. 286 = 126 mg/dL Conclusão: Analisando-se os resultados pode-se dizer que o paciente 1 está dentro da faixa de glicose considerada normal (70 a 99mg/dL).

Fundamentos de bioquímica.1998.3- BURTIS. 4ª edição. . Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.Tretz.Carla.et al.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->