Você está na página 1de 1

Você está numa festa e aceita uma bebida de um estranho e de repente fica tudo escuro, você acorda em

um lugar totalmente diferente, pensa em ligar pra alguém e... epa! Cadê o celular e a carteira? Então
percebe que foi vítima de um golpe: o Boa Noite Cinderela.

Pessoas que já sofreram esse golpe relatam os sintomas após ingerirem a misteriosa bebida. A sensação
é de estar meio grogue e os sentidos vão sendo recobrados lentamente, a voz fica sonolenta e as
palavras saem enroladas. Em virtude dos efeitos apresentados, essas substâncias são utilizadas
freqüentemente por assaltantes e agressores que dopam a vítima a fim de assaltá-la ou abusar
sexualmente, sendo, portanto, denominadas também de “rape drugs” (drogas de estupro).

Mas quais substâncias são responsáveis por causar essas alterações no organismo? Não existe uma
fórmula pronta, o que acontece é um verdadeiro coquetel de medicamentos encontráveis em farmácias: o
flunitrazepam, ácido gama hidroxibutírico (GHB) e cetamida. Essas substâncias são misturadas em
bebidas alcoólicas e atingem o sistema nervoso central de quem as ingere, causando sonolência. No
começo dos efeitos a vítima, por estar atordoada, pode até fornecer informações pessoais ao criminoso, e
dependendo da dose e da substância, a vítima cai em sono profundo que pode durar 24 horas.

Vejamos a ação de cada substância no organismo:

Flunitrazepam

Nome comercial: Rohypnol;


Princípio ativo: é um ansiolítico, usado como redutor da ansiedade, mais conhecido como calmante.

Ácido gama hidroxibutírico GHB (sigla em Inglês)

Nome comercial: Ecstasy líquido;


Princípio ativo: é usado como droga, alucinógeno.

Ketamina

Nome comercial: Special K;


Princípio ativo: anestésico de uso veterinário, em humanos não tem uso terapêutico e é usado
indevidamente para atordoar as vítimas.

Uma porção generosa de apenas um desses componentes já seria suficiente para derrubar uma pessoa,
agora imaginem todos eles misturados e uma única bebida? É dose para leão, portanto tome cuidado ao
ingerir bebidas de estranhos ou de amigos não confiáveis, a lesão pode ser muito maior do que a
financeira: a própria morte.

Por líria alves de souza