Você está na página 1de 3
Políticas das minorias no contexto Pós-colonial (60H) Professor Dra. Clarisse Goulart Paradis E-mail:

Políticas das minorias no contexto Pós-colonial (60H) Professor Dra. Clarisse Goulart Paradis E-mail: clarisseparadis@unilab.edu.br

Ementa: noção de minoria e interseccionalidade das relações de poder; gênero e história dos movimentos feministas, diversidade sexual e movimentos LGBT; Políticas Queer e contestação da homonormatividade eurocentrada.

TEMA DA AULA

Aula

DATA

BIBLIOGRAFIA

1 10/07

Apresentação do

curso

Unidade 1 Estado, políticas e pós-colonialismo

2 17/07

Estado desde uma perspectiva crítica

Obrigatória:

LINERA, Álvaro García. A potência plebeia: ação coletiva e identidades indígenas, operárias e populares na Bolívia. São Paulo: Boitempo, 2009. P. 167-196 Complementar:

SANTOS, Boaventura de Souza. Refundación del Estado en América Latina: perspectivas desde una epistemología del Sur. Lima: Instituto Internacional de Derecho y Sociedad, 2010. Cap.6

3 24/07

Movimentos Sociais e Pós-colonialismo

Obrigatória:

SCHERER-WARREN, Ilse Movimentos sociais e pós-colonialismo na América Latina Ciências Sociais Unisinos, vol. 46, núm. 1, enero-abril, 2010, pp. 18-27 Complementar:

FLÓREZ-FLÓREZ, Juliana. Aportes postcoloniales (latinoamericanos) al estudio de los movimientos sociales Tabula Rasa, núm. 3, enero-diciembre, 2005, pp. 73-96,

4

ATIVIDADE

VIRTUAL

Interseccionalidade

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racional relativos ao gênero. Estudos feministas, 2003

5

Trabalho em sala

Unidade 2 Feminismo, política e pós-colonialismo

6 07/08

Gênero e

colonialidade

Obrigatória:

SEGATO, Rita. Gênero e colonialidade: em busca de chaves de leitura e de um vocabulário estratégico descolonial. E-caderno Ces, n.18, 2012. Complementar:

LUGONES, Maria. Rumo a um feminismo decolonial.

 

Revista Estudos Feministas, v.22, n.3, 2014.

 

Obrigatória:

PARADIS, Clarisse. A luta política feminista para despatriarcalizar o Estado e construir as bases para a igualdade. In: MORENO, Renata (org.). Feminismo, Economia e Política. SOF, 2014.

 

Descolonização e

7

14/08

despatriarcalização do Estado

PAREDES, Julieta. La opresión que se recicla. In:

 

COORDINADORA DE LA MUJER. Despatriarcalizar para descolonizar la gestión pública. La Paz, 2012. Complementar:

 

CHÁVEZ, Patricia. Estado, descolonización y patriarcado. In: CHÁVEZ et al, Despatriarcalizar para descolonizar la gestión pública. Estado Plurinacional de Bolivia.

 

Obrigatória:

MAMA, Amina. Heroínas e vilões: conceituando a violência colonial e contemporânea contra as mulheres na África. Trad. Caterina Rea. Complementar:

8

21/08

Colonialismo, violência e luta política das mulheres em África

MACHEL, Samora. A libertação da mulher é uma necessidade da Revolução, garantida da sua continuidade, condição do seu triunfo. In: Machel et al. A libertação da mulher. São Paulo: Global Editora, 1979.

 

GOMES, Crispina. Mulher e Poder: o caso de Cabo Verde. Praia: Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, 2011. Cap. 2.

 

Unidade 3 Estado, políticas queer e diversidade sexual

9

28/08

Repensando a teoria queer desde a perspectiva pós- colonial

REA, Caterina. Sexualidades dissidentes e a teoria queer pós-colonial: o caso africano.

 

Obrigatório:

NDASHE, Sibongile. A história única da homofobia africana é uma história perigosa para o ativismo LGBTI (trad. Ícaro Santos Amancio e Equipe do FEMPOS)

10

04/09

Ativismo queer na África

Complementar:

 

OKECH, Awino. Em sororidade e solidariedade:

queerizando os espaços do feminismo africano (trad. Clarisse Paradis)

11

11/09

Apresentação de

trabalho

 

Unidade 4 - Antirracismo e anticolonialismo nas políticas públicas

12

18/09

Estado colonial e racismo institucional

DAVIS. Angela. A liberdade é uma luta constante. São Paulo: Boitempo, 2017. Cap. 4, 5 e 6.

 

Políticas de ações

SANTOS, Márcio. Políticas de ação afirmativa comparadas no Brasil e na Colômbia. Ciências Sociais Unisinos, vol. 52, núm. 2, maio-agosto, 2016, pp. 137-148

13

02/10

afirmativas na América Latina

14

09/10

Apresentação de

trabalho

15

EXAME FINAL

Estratégias de Avaliação:

Atividade virtual sobre inteseccionalidade 5 pontos

Estudo dirigido Unidade 1 5 pontos

Seminário Unidade 2 5 pontos

Trabalho final (Unidade 3 e 4) 15 pontos

OBS: O programa pode sofrer alterações no decorrer do semestre.