Você está na página 1de 9

Índice

Introdução............................................................................................................................................... 1
Desenvolvimento. ................................................................................................................................... 2
Principais grupos de substâncias que funcionam como hormonas vegetais são: .................................... 4
Auxinas ................................................................................................................................................... 4
Giberelinas .............................................................................................................................................. 4
Ácido abscísico. ...................................................................................................................................... 5
Etileno ..................................................................................................................................................... 6
Citocininas .............................................................................................................................................. 6
Outras fito-hormonas .............................................................................................................................. 6
Conclusão................................................................................................................................................ 7
Bibliografia ............................................................................................................................................. 8

0
Introdução
Neste trabalho iremos abordar as hormonas vegetais e as suas funções, dando principal
atenção as hormonas primarias em especial, auxinas, citocininas, etileno, giberelinas e ácido
abscísico Através desta pesquisa, queremos não só entender qual o papel das hormonas nos
vegetais, mas também a sua composição e como é produzido pelos seres que dele necessitam.

A palavra hormona vem do termo grego horman, que significa "excitar". Entretanto, existem
hormonas inibitórias. Assim sendo, é mais conveniente considerá-las como sendo reguladores
químicos. A atuação dos reguladores químicos depende não apenas de suas composições
químicas, mas também de como eles são "percebidos" pelos respectivos tecido-alvos, de
forma que uma mesma hormona vegetal pode causar diferentes efeitos, dependendo do local
no qual estiver atuando (diferentes tecidos e órgãos), da sua concentração e da época de
desenvolvimento de um mesmo tecido.

1
Desenvolvimento.

O crescimento e desenvolvimento das plantas são influenciados pela luz, gravidade, contacto
com outras plantas ou objetos… Como resposta, executam movimentos chamados tropismos.
Estes podem ser gravitropismos oufototropismos (positivos se forem, por exemplo, para
baixo – no caso da gravidade – ou negativos, se contrariarem essa força).

Tradicionalmente, são destacados cinco grupos (ou classes) de fito-hormonas: auxinas,


etileno, giberelinas, ácido abscísico e citocininas.

Entretanto, estes não são as únicas fito-hormonas conhecidas. As chamadas "hormonas


secundárias" incluem, entre outros:

 Jasmonato ou ácido jasmónico


 Brassinosteróides
 Estrigolactonas
 Ácido salicílico

Definição.

hormonas vegetais ou Fito-hormonas - são compostos químicos endógenos que controlam


uma grande diversidade de processos fisiológicos e de desenvolvimento das plantas, tais
como germinação, enraizamento, floração, amadurecimento dos frutos, formação das folhas,
desenvolvimento embrionário e até mesmo a morte celular.

Uma planta precisa de diversos fatores, internos e externos, para crescer e se desenvolver, e
isto inclui diferenciar-se e adquirir formas, originando uma variedade de células, tecidos e
órgãos.

Exemplos de fatores externos que afetam o crescimento e desenvolvimento de vegetais:

 Luz (energia solar);


 Dióxido de carbono;
 Água e minerais, incluindo o azoto atmosférico (fixado por bactérias fixadoras e
cianofíceas);
 Temperatura;
 Comprimento do dia e;

2
 Gravidade.

Os principais fatores internos - são as chamados hormonas vegetais ou fito-hormonas,


substâncias químicas que atuam sobre a divisão, elongação e diferenciação celular.

Geralmente quase todas as hormonas vegetais de uma planta podem ser encontradas na forma
conjugada – ou seja, ligadas a outras substâncias como açúcares, aminoácidos, peptídeos ou
mesmo proteínas.

A hidrólise dos conjugados inativos dos tecidos da plantas libera a forma “livre”, ou ativa da
hormona.

Reguladores de crescimento vegetal (do inglês PGRs = plant growth regulators) - são
compostos químicos com efeitos semelhantes aos induzidos pelas hormonas mas que são
aplicados exogenamente.

Nas plantas, o controlo dos processos de desenvolvimento é essencialmente químico, pois as


plantas não dispõem de sistema nervoso. Para além disso, a resposta aos estímulos externos é
feita mediante alterações no padrão de desenvolvimento ou no metabolismo, ao contrário do
que acontece com os animais que podem deslocar-se como resposta a condições adversas.

As alterações no padrão de desenvolvimento são mediadas por hormonas vegetais


produzidas em resposta a fatores ambientais, tais como:

 A disponibilidade de nutrientes;
 Os níveis hídricos do solo;
 As condições de luz e temperatura;
 Stresses abióticos e/ou bióticos.

Os seus níveis e efeitos na planta dependem portanto, não só do seu estádio de


desenvolvimento (fatores intrínsecos), como também da estação do ano e das condições
ambientais (fatores extrínsecos). Contrariamente às hormonas animais, as hormonas vegetais
não são sintetizadas em glândulas específicas. Por exemplo, as auxinas podem ser produzidas
em células embrionárias ou em células meristemáticas. Para poderem cumprir a sua função de
controlo, as hormonas têm que se ligar a recetores nas células-alvo, localizados em
membranas, no citoplasma ou mesmo no núcleo, sendo eficazes em concentrações
relativamente baixas.

3
Principais grupos de substâncias que funcionam como hormonas vegetais são:
 Auxinas;
 Citocininas;
 Etileno;
 Giberelinas e;

Algumas hormonas ou PGRs têm aplicações muito importantes, quer em termos agrícolas
quer no estudo de mecanismos de desenvolvimento das plantas.

Auxinas.

As auxinas são responsáveis pelos tropismos (foto e geotropismo), pelo desenvolvimento dos
frutos, pelo alongamento celular, radicular e caulinar e pela dominância apical do caule. Esta
fito-hormona é produzida no meristema apical do caule, nos primórdios foliares, nas flores,
nos frutos e nas sementes e é transportada pela extensão do vegetal de célula a célula (células
parenquimáticas). As auxinas inibem, ainda, o desenvolvimento de gomos laterais e retardam
a abscisão.

Por exemplo, as auxinas são muito importantes na indústria de propagação de plantas,


permitindo o enraizamento de rebentos caulinares e, deste modo, a clonagem de plantas de
interesse.

Giberelinas
As giberelinas atuam na floração, promovem a germinação, e o desenvolvimento dos frutos.
São sintetizadas em folhas jovens e no meristema de sementes e frutosseão transportadas pelo

4
xilema, . Promovem a formação de frutos partenocárpicos, o alongamento caulinar e a quebra
da dormência das plantas

Outro exemplo são as giberelinas, que aplicadas a plantas da cana- -do-açúcar (Saccharum
officinarum) permitem o alongamento do caule e o aumento da produção.

Ácido abscísico.
No entanto, outros compostos com papéis importantes no controlo do desenvolvimento das
plantas têm sido descobertos, considerando-se atualmente como hormonas vegetais outros
compostos como o ácido salicílico, os brassinosteróides, os jasmonatos, as poliaminas e o
florígeno.

O ácido abscísico possui esse nome, pois acreditavam-se que ele provocava a abscisão foliar
(queda da folha), depois descobriu-se que quem provoca esse efeito é o Etileno (um outro
fitormônio. O ácido abscísico induz o fechamento dos estomas, o envelhecimento de folhas, a
dormência de sementes e gemas e inibe o crescimento das plantas. A sua produção ocorre em
diversos órgãos da planta: caule, folhas e extremidade da raiz (a coifa). A difusão desta
hormona ocorre através dos vasos condutores de seiva.

Um regulador de crescimento muito interessante é o 2,4-D (ácido 2,4-diclorofenoxiacético),


um composto com atividade auxínica, que quando aplicado em concentrações elevadas
funciona como um herbicida, mas a baixas concentrações estimula divisões celulares em
culturas realizadas em laboratório e a formação de embriões somáticos, um tipo de embriões
usado na clonagem de plantas

5
Etileno
O etileno realiza o amadurecimento dos frutos e indução da abscisão foliar. O etileno também
tem um papel protetor para as plantas feridas ou infetadas, pois acelera o envelhecimento da
parte afetada, garantindo, assim, a sobrevivência da planta. Esse gás é produzido em diversos
locais da planta, difundindo-se entre as células.

Citocininas
As citocininas retardam o envelhecimento das plantas, estimulam as divisões celulares e o
desenvolvimento dos gomos laterais. É produzido nas raízes e transportado para
a plantaatravés do xilema, quebra da senescência

Para que a Citocinina exerça sua função, a auxina deve está em concentrações adequadas
dentro da planta, pois há uma inter-relação muito grande entre esses dois fitormônios, visto
que a auxina induz a dominância apical, ou seja, desenvolvimento das gemas apicais. Daí,
para que as divisões celulares e o desenvolvimento celular das gemas laterais ocorram, o
crescimento apical precisa ser inibido

Outras fito-hormonas
Além destes 5 hormonas tradicionais e mais estudadas, existem outras substâncias também
consideradas fito-hormonas. São elas:

 Jasmonato ou ácido jasmónico


 Brassinosteróides
 Estrigolactonas
 Ácido salicílico Poliaminas.

6
Conclusão.
Com este trabalho compreendemos a importância que as hormonas têm para as plantas, para
garantir a sua sobrevivência através de funções próprias.

Tivemos a capacidade de aprofundar os nossos conhecimentos adquiridos em aulas teóricas,


de uma forma interactiva, devido ao trabalho ter sido feito em grupos, grupos os quais
necessitaram de interagir entre si, e ajudar uns aos outros.

Chegamos também à conclusão de que assim como no ser humano, as hormonas vegetais
actuam e interagem em conjunto, seja entre elas, seja com o ser humano, dado que existem
reguladores de crescimento, quimicamente semelhantes às hormonas vegetais, e são
utilizadas no controlo artificial de certos processos, como a floração e o amadurecimento de
frutos, germinação, uniformização do tamanho dos frutos, entre outros processos dos quais
nós dependemos, seja pela beleza de admirar a floração.

7
Bibliografia
A. Corina Vlot, D'Maris Amick Dempsey and Daniel F. Klessig. Salicylic Acid, a
Multifaceted Hormone to Combat Disease (sep/2009

1. Evert, R. F. e Eichhorn, S. E. (2013) Raven Biology of Plants. W. H. Freeman and


Company Publichers, NY

http://www.fisiologiavegetal.ufc.br