Você está na página 1de 38

PSICOMETRIA

TEORIA DA MEDIDA

Milena Rossetti
PARA QUE O USO DOS TESTES SEJA LEGÍTIMO É
PRECISO:

 Os testes precisam demonstrar terem embasamento


científico.
 Os testes precisam ser apropriadamente utilizados.
TESTES PSICOMÉTRICOS
 Os testes psicométricos são medidas dos
processos psiquícos e o comportamento deles
decorrente.
 Eles descrevem esses fenômenos em números, no
lugar de linguagem.
 O que o fundamenta cientificamente é a TEORIA
DA MEDIDA.
TEORIA DA MEDIDA:
 Pode não parecer, a princípio, mas a contagem é uma
das principais atividades humanas, desde tempos pré-
históricos.

 Essa atividade começou com o uso dos dedos, o que


resultou no sistema decimal e na criação do termo
dígito para designar número.

 A contagem, ou medição, é um processo abstrato, em


que objetos físicos, palpáveis, são vistos como símbolos
numéricos.
TEORIA DA MEDIDA:
 Contar pode ter sido a primeira forma de abstração
humana, mas não é uma atividade exclusiva desta
espécie.

 Outros animais também têm capacidade de contar, o


que pode ser notado facilmente ao se retirar um dos
filhotes de qualquer bicho.

 Entretanto, a facilidade de representar de forma


simbólica a medição de qualquer fenômeno ou objeto é
tipicamente humana.
TEORIA DA MEDIDA:
(Félix Edouard Justin Émile Borel (1871-1956) criou a primeira teoria da medida)
EXEMPLO:

A dimensão vertical dos pés à cabeça (regra


pré-estabelecida ) de
Mariazinha (magnitude) damos o nome de
altura.
Nesse caso o valor é 1,55 m (magnitude no
sistema numérico)
LEGITIMIDADE DA MEDIDA: PRINCÍPIO DO
ISOMORFISMO

“ Será legitimo e, portanto válido o uso de números


na observação de fenômenos naturais se e
somente se, ao se proceder de tal forma, sejam
salvas a natureza, a especificidade e as
propriedades estruturais tanto da ciência quanto
da matemática; isto significa afirmar que, ao se
proceder à medida, sejam salvos tanto os axiomas
do número quanto dos fenômenos naturais que as
ciências estudam” (Pasquali, 2001)
OS AXIOMAS DOS NÚMEROS E DAS
MEDIDAS:

Axioma: “premissa considerada


necessariamente evidente e verdadeira,
fundamento de uma demonstração, porém ela
mesma indemonstrável” (dicionário Houaiss)
OS AXIOMAS DOS NÚMEROS E DAS MEDIDAS:
IDENTIDADE

 Um número é igual a si mesmo e somente ele é


igual a si mesmo.
 Reflexividade: se a=a, então b ≠ a;
 Simetria: se a=b, então b=a;
 Transitividade: se a=b, e b=c, então a=c.

O que isso implica na medida:

O axioma de identidade também é verdade para um


fenômeno natural, pois cada um deles é único no
cosmos.
EXEMPLO: Mariazinha, nascida no dia 25 de novembro de
1987, em Pato Branco, PR, filha de João
Tibúrcio e Neusa. Trabalha como enfermeira
no Hospital das Clínicas de Curitiba no setor
de pediatria.
Namora há 3 anos Clayton da Silva, bancário.
Gosta de andar na grama molhada e seu
passeio favorito é descer a Serra da Graciosa
de trem. Hábito inconfessável palitar os dentes
fazendo barulho.

Podemos representar a
Mariazinha com um símbolo: Ⱡ

Ou com um número: 1
OS AXIOMAS DOS NÚMEROS E DAS MEDIDAS:
ORDEM

 Os números são diferentes entre si sob qualquer


aspecto, mas esta diferença o é em termos de
quantidade, de grandeza, de magnitude.

 Assimetria: se a > b; então b ≠ a;


 Transitividade: a > b, b > c, então a > c;
 Conectividade: ou a > b ou b > a. Somente uma das
duas pode ser verdadeira.
 Ordem-denso: o intervalo entre dois inteiros não é
vazio, há sempre um número racional.
OS AXIOMAS DOS NÚMEROS E DAS MEDIDAS:
ORDEM

O que isso implica na medida:

A ordem dada pelos números corresponde


exatamente a ordenação dos objetos feitas
empiricamente.
EXEMPLO:
Sujeito Número de acertos Ordem dos
em problemas de números
matemática
1 25 2º
2 32 3º
3 14 1º
4 41 4º
OS AXIOMAS DOS NÚMEROS E DAS MEDIDAS:
ADITIVIDADE

 Os números podem ser somados de tal forma que


dois números produzem um terceiro número, que
é exatamente a grandeza dos dois números
somados. A operação de adição inclui as outras
operações.
 Comutatividade: a+b é idêntico a b+a
Ex: 1+2 = 2+1
 Associatividade: (a+b) + c é igual a a + (b+c)
Ex: (1+2)+3 é = 1+ (2+3)
OS AXIOMAS DOS NÚMEROS E DAS MEDIDAS:
ADITIVIDADE

O que isso implica na medida:

Existe aditividade nas propriedades das coisas,


exatamente como existe a aditividade do número.
EXEMPLO NA PSICOLOGIA:
Em um ambulatório que atende casos de transtornos
afetivos, um psicólogo atendeu em uma semana, três
pacientes com sintomas de depressão. Observe as
queixas de cada um (PC=paciente, PS=psicólogo):

PC1. “Eu vim aqui porque me sinto triste, isso começou


com o falecimento de minha avó, mas já faz um ano e
todos os dias acordo e vou dormir triste, é uma tristeza
leve que me acompanha sempre, e não há um dia que
não pense nela...”
EXEMPLO (CONTINUAÇÃO):
 PC2. Então, eu me sinto mal, tenho perdido o apetite e
nos últimos 2 meses perdi 10 kilos, sinto desânimo...as
coisas que me davam prazer antes como nadar e sair
com os amigos, hoje não me satisfazem, tenho rejeitado
convites, me sinto feia, não me sinto mais capaz de
fazer as coisas tão bem quanto antes...”

 PC3. “Não quero falar...tá bem, eu falo, minha família


me trouxe aqui porque estão preocupados...eu estou tão
infeliz, é uma angústia tão grande, não aguento mais,
daí eu contei para minha irmã que não há um dia em
que eu não acorde e vá dormir sem pensar em formas
de me matar, porque quero dar uma basta nesta dor”...
 Os três pacientes manifestam sintomas físicos e psicológicos de
depressão, no entanto, a intensidade destes sintomas era
diferente em cada caso.
 A utilização das Escalas Beck, mais especificamente a de
depressão auxiliou o psicólogo a identificar melhor a magnitude
do quadro em cada paciente para pensar o projeto terapêutico
prioritário para cada um.
 Os resultados foram:
PC1= depressão leve;
PC2=depressão moderada;
PC3=depressão grave.

E esses dados serão computados no banco de dados do


ambulatório para pesquisas futuras. Esta medição foi possível
porque o fenômeno “depressão” tem características semelhantes
a dos números, ou seja, estão presentes o axioma de
identidade, ordem e aditividade.
POSTULADO IDENTIDADE: “UM NÚMERO É
IDÊNTICO A SI MESMO E SOMENTE A SI MESMO”.

 A manifestação do quadro é diferente para cada


sujeito, logo, é possível que tenha mais pacientes
do ambulatório com depressão leve (a=a)
relatando sentimentos de perda, mas este grupo
de pacientes tem sintomas diferentes, do grupo
de pacientes com depressão moderada(b=b) e
grave (c=c).
POSTULADO IDENTIDADE: “UM NÚMERO É
IDÊNTICO A SI MESMO E SOMENTE A SI MESMO”.

 A manifestação da depressão leve de um paciente


pode ser parecida com a de outro (a=a), mas
certamente é diferente da manifestação da
depressão moderada de dois outros pacientes
(b=b).
POSTULADO ORDEM: “UM NÚMERO NÃO É SÓ
DIFERENTE DE OUTRO, MAS É MAIOR OU MENOR DO
QUE OUTRO”.

 Não há ideação suicída na depressão leve (a), pois


é mais comum na depressão grave (c) no qual o
número de sintomas é bem maior, logo
poderíamos representar assim: c>a.

 O PC3(depressão grave) tem sintomas mais


intensos, do que o PC2(depressão moderada), que
além de mais intenso do que PC1 (depressão
leve), tem mais sintomas presentes. Podemos
representar esta relação assim: PC3>PC2>PC1.
POSTULADO ADITIVIDADE: “OS NÚMEROS PODEM SER
SOMADOS, ISTO É, CONCATENADOS, DE MODO QUE A
SOMA DE DOIS NÚMEROS, EXCETUANDO O ZERO,
PRODUZ UM OUTRO NÚMERO DIFERENTE DELES
PRÓPRIO.

 A obtenção de pontos na escala de depressão para


cada paciente, ocorreu a partir da confirmação de
sintomas expressos em cada item do instrumento e da
escolha do grau em que estavam presentes (de 0 a 3).

 A soma dos pontos obtidos em cada item do


instrumento possibilitou identificar a magnitude do
quadro (leve, moderado ou grave) para cada paciente.
NÍVEIS DA MEDIDA: ESCALA DE NÚMEROS
(Postulado: Identidade)
(Postulado : Identidade e ordem)
(Postulado : Identidade, ordem, aditividade)
(Postulado : Identidade, ordem, aditividade)
PROCEDIMENTOS DE MEDIDA: FORMAS DE
MEDIDA

 Medida Fundamental: ocorre como propriedades


extensivas da realidade ou para as quais
utilizamos unidades base.
 Ex: altura, tempo, massa.

 Medida Derivada: ela é conseguida através da


medida fundamental de duas ou mais
propriedades outras da realidade com as quais a
propriedade que estamos medindo tem relação:
 Ex: índice de massa corporal: massa / altura 2
PROCEDIMENTOS DE MEDIDA: FORMAS DE
MEDIDA

 Medida por Teoria: Neste caso, procura-se medir


propriedades outras do objeto ou propriedades de
outro objeto que permitam medida fundamental ou
derivada, com as quais as propriedades em questão
mantém algum tipo de relação, sem serem
componentes dela.

 Relação estabelecida através de teoria científica.Exemplos:


 Deslocamento de uma massa  gravidade em um ponto

 astronomia
PROCEDIMENTOS DE MEDIDA: FORMAS DE
MEDIDA

 Medida por Lei: relação


estabelecida através de
demonstração empírica
Exemplos:
 Leido reforço (experimento
com delineamento ABA)
ASPECTOS DAS MEDIDA EM
PSICOLOGIA
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PASQUALI, L. e cols. Instrumentação psicológica: Fundamentos e


Práticas. Porto Alegre. Artmed. 2010. p56-78.

PASQUALI, L., Psicometria – Teoria dos testes na psicologia e na


educação. Petrópolis. Vozes. 2004. p13-22.

Leitura complementar:
PASQUALI, L., Psicometria – Teoria dos testes na psicologia e na
educação. Petrópolis. Vozes. 2004. p23-36.

GUENIA, B; CAVAS, CST, Sob Medida: Um guia sobre elaboração


de medidas do comportamento e suas aplicações. São Paulo.
Vetor Editora; 2002. p17-32.