Você está na página 1de 47

TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad.

4 / Página 4

Audiência de Conciliação designada para o dia 10 de abril de 2019, às 08h30, acompanhada de advogado, a realizar-se no endereço
supra. Assim como tomar ciência de decisão de fls. 20, 21. Conforme teor abaixo transcrito:
"Ante o exposto, DEFIRO o pedido de antecipação dos efeitos da tutela para deferir a guarda do menor DAVI DA SILVA SIQUEIRA aos
requerentes MICHELE MAGALHÃES SILVA E ALDINEI DUTRA DA SILVA.
Advertências:
a) O prazo para contestar a ação contar-se-á da referida audiência, independentemente de intimação ou manifestação judicial
superveniente(art. 355, I, do NCPC).
b) O não comparecimento injustificado à audiência de conciliação é considerado ato atentatório à dignidade da justiça e será
sancionado com multa de até dois por cento da vantagem econômica pretendida ou do valor da causa, revertida em favor do Estado
(art. 334 & 8º do NPPC).
c) Em caso de desinteresse na mediação ou conciliação, e a requerida deverá fazê-lo, por petição, apresentada com 10(dez) dias de
antecedência, contados da data da audiência (art. 334, § 5º do NCPC).
E para conhecimento de todos, mandou expedir este edital que será afixado e publicado no Diário do Poder Judiciário. Dado e
passado nesta cidade e Comarca de Anagé-Bahia, aos 11 dias do mês de março do ano de dois mil e dezenove (2019). Eu______(Saulo
A Santos) Escrevente, digitei. Eu _______(Epâminondas Pereira de Sousa) escrivão criminal, subscrevi.
RICARDO FREDERICO CAMPOS
JUIZ DE DIREITO

JUÍZO DE DIREITO DA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE ANAGÉ - BAHIA


EDITAL DE INTIMAÇÃO: PRAZO DE LEI
O Doutor RICARDO FREDERICO CAMPOS, Juiz de Direito da Vara Criminal da Comarca de Anagé, do Estado da Bahia, na forma da
lei etc...
Pelo presente EDITAL, CITA: DANIELE CRISTINE LIMA DA SILVA, brasileira, viúva, do lar, portadora do RG nº 34.959.740-6 SSP/SP,
natural de Cubatão/SP, filha de Eduardo da Silva e Cleonice de Lima, que encontra-se em lugar incerto e não sabido, para querendo,
contestar os termos da Ação de Adoção nº0000017-33.2019.805.0009, promovida por Michele Magalhães Silva e Audinei Dutra da
Silva, no prazo de 10 (dez) dias, presumindo-se verdadeiros os fatos alegados, se não forem contestados, e para comparecer em
Audiência de Conciliação designada para o dia 10 de abril de 2019, às 08h30, acompanhada de advogado, a realizar-se no endereço
supra. Assim como tomar ciência de decisão de fls. 20, 21. Conforme teor abaixo transcrito:
"Ante o exposto, DEFIRO o pedido de antecipação dos efeitos da tutela para deferir a guarda do menor DAVI DA SILVA SIQUEIRA aos
requerentes MICHELE MAGALHÃES SILVA E ALDINEI DUTRA DA SILVA.
Advertências:
a) O prazo para contestar a ação contar-se-á da referida audiência, independentemente de intimação ou manifestação judicial
superveniente(art. 355, I, do NCPC).
b) O não comparecimento injustificado à audiência de conciliação é considerado ato atentatório à dignidade da justiça e será
sancionado com multa de até dois por cento da vantagem econômica pretendida ou do valor da causa, revertida em favor do Estado
(art. 334 & 8º do NPPC).
c) Em caso de desinteresse na mediação ou conciliação, e a requerida deverá fazê-lo, por petição, apresentada com 10(dez) dias de
antecedência, contados da data da audiência (art. 334, § 5º do NCPC).
E para conhecimento de todos, mandou expedir este edital que será afixado e publicado no Diário do Poder Judiciário. Dado e
passado nesta cidade e Comarca de Anagé-Bahia, aos 11 dias do mês de março do ano de dois mil e dezenove (2019). Eu______(Saulo
A Santos) Escrevente, digitei. Eu _______(Epâminondas Pereira de Sousa) escrivão criminal, subscrevi.
RICARDO FREDERICO CAMPOS
JUIZ DE DIREITO

ANDARAÍ
VARA CRIME, JÚRI, EXECUÇÕES PENAIS, INFÂNCIA E JUVENTUDE
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANDARAÍ-BAHIA
VARA DOS FEITOS CRIMINAIS, INFÂNCIA E JUVENTUDE
JUIZ DE DIREITO EM SUBSTITUIÇÃO: DR.GUSTAVO HENRIQUE ALMEIDA LYRA
PROPOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO; DR.ROMEU GONÇALVES COELHO FILHO
ESCRIVÃ:CLÁUDIA MARIA COSTA SILVA.

FICAM AS PARTES, ADVOGADOS, INTERESSADOS, INTIMADOS DOS DESPACHOS, DECISÕES, AUDIÊNCIAS, ATOS ORDINATÓRIOS
E SENTENÇAS.

Expediente do dia 11 de março de 2019

0000022-52.2019.805.0010 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Autor(s): Ministerio Publico Estadual
Reu(s): Ramon Santos Almeida, Luiz Antonio Sampaio
Advogado(s): João Francis Coutinho, Paula dos Santos Pimentel
Vítima(s): A Sociedade
Despacho: Proc. nº 0000022-52.2019.805.0010
R.H.Designo audiência de instrução e julgamento, para o dia 21/03/2019, às 08:30 horas. Intimações na forma da Lei. De Ilhéus p/
Andaraí, 11/03/2019.
Bel. Gustavo Henrique Almeida Lyra
Juiz de Direito Substituto
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 5

0000044-13.2019.805.0010 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Autor(s): Ministerio Publico Estadual
Reu(s): Williames Nunes Lopes
Advogado(s): Marcus Vinícius Araújo de Azevedo
Vítima(s): A Sociedade
Despacho: R.H.Designo audiência de instrução e julgamento, para o dia 19/03/2019, às 11:30 horas. Intimações na forma da lei. De
Ilhéus p/ Andaraí, 11/03/2019.
Bel. Gustavo Henrique Almeida Lyra
Juiz de Direito Substituto

ANTAS
VARA CÍVEL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000445-98.2018.8.05.0012 Busca E Apreensão Em Alienação Fiduciária
Jurisdição: Antas
Autor: Banco Mercedes-benz Do Brasil S/a
Advogado: Servio Tulio De Barcelos (OAB:0047533/BA)
Réu: Jl Construtora Locadora E Servicos Ltda Me

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO

Nº do Processo: 8000445-98.2018.8.05.0012
Classe da Ação: BUSCA E APREENSÃO EM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA (81)

Nesta data, enviei via sistema PJE, INTIMAÇÃO à parte autora, para tomar conhecimento da DECISÃO LIMINAR ID n.º 21066341, no
prazo de 15 (quinze) dias,
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000359-30.2018.8.05.0012 Busca E Apreensão Em Alienação Fiduciária
Jurisdição: Antas
Autor: B. F. S. C. F. E. I.
Advogado: Giulio Alvarenga Reale (OAB:0046669/BA)
Réu: J. R. D. O.

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO

Nº do Processo: 8000359-30.2018.8.05.0012
Classe da Ação: BUSCA E APREENSÃO EM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA (81)

Nesta data, enviei via sistema DJE, INTIMAÇÃO à parte autora, para que tenha conhecimento da DECISÃO ID n.º 21065852, prazo de
15 (quinze) dias.
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 6

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000360-15.2018.8.05.0012 Divórcio Litigioso
Jurisdição: Antas
Requerente: R. S. D. M.
Advogado: Robson Neves Silva (OAB:0048797/BA)
Requerido: L. V. C. D. S.

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO

Nº do Processo: 8000360-15.2018.8.05.0012
Classe da Ação: DIVÓRCIO LITIGIOSO (99)
Certifico e dou fé, que nesta data, fica intimado(a) via sistema DJE, o(a) patrono(a) do(a) autor(a), para tomar conhecimento do
decisão ID n.º 18005707, bem como comparecer à audiência de conciliação designada para o dia 23/abril/2019, às 09:30 horas, na
sala de audiência deste Juízo. Ficado CIENTE que a intimação do(a) Autor(a) para comparecer a referida audiência será feita na
pessoa de seu advogado (art. 334, § 3º NCPC). Advertindo ainda, que a ausência injustificada da Parte à audiência de mediação e
conciliação, configura ato atentatório à dignidade da justiça, punível com multa (art. 334, § 8º, do mesmo diploma legal).
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
DESPACHO
8000278-18.2017.8.05.0012 Carta Precatória Cível
Jurisdição: Antas
Deprecante: J. D. D. D. 1. V. C. D. F. D. B. -. C. D. B. -. S.
Deprecado: J. D. D. D. V. C. D. C. D. A.
Deprecado: M. J. D. N.

Despacho:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS
Rua João Nilo, n° 538, CEP 48.420-000 Telefone: (75) 3277-1248
Processo nº 8000278-18.2017.8.05.0012
CARTA PRECATÓRIA CÍVEL (261)
DEPRECANTE: JUÍZO DE DIREITO DA 1ª VARA CÍVEL DO FORO DE BOTUCATU - COMARCA DE BOTUCATU - SP
RÉU: JUIZO DE DIREITO DA VARA CIVEL DA COMARCA DE ANTAS-BA e outros
DESPACHO
R.H.
Devolva-se e após arquive-se.
Antas/BA, 7 de março de 2019.
Leandro Ferreira de Moraes
Juiz de Direito Designado

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
SENTENÇA
8000050-09.2018.8.05.0012 Retificação Ou Suprimento Ou Restauração De Registro Civil
Jurisdição: Antas
Autor: Antonio Teixeira De Matos
Advogado: Jorge Luis Andrade Dos Santos (OAB:0049008/BA)
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 7

Sentença:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS
Rua João Nilo, n° 538, CEP 48.420-000 Telefone: (75) 3277-1248
Processo nº 8000050-09.2018.8.05.0012
RETIFICAÇÃO OU SUPRIMENTO OU RESTAURAÇÃO DE REGISTRO CIVIL (1682)
AUTOR: ANTONIO TEIXEIRA DE MATOS
RÉU:
SENTENÇA
Vistos etc.
Trata-se de Ação de Retificação de Registro Civil movida por ANTONIO TEIXEIRA DE MATOS, brasileiro, casado, lavrador, filho de Maria
Teixeira de Matos, natural de Antas-BA, RG nº 02686079-15 SSP-BA, CPF nº 448.564.745-53, residente e domiciliado na Rua Geraldo
Goes, 9848, Centro de Antas - BA, CEP. 48420-000, que aduz, em síntese, que no ato de registro civil, o Sr. Oficial do Cartório
responsável constou, como data de nascimento, o dia 26 de junho de 1961, quando o correto seria 05 de julho de 1958. Instruiu a
exordial com documentos.
Foi realizada audiência de instrução com oitiva das testemunhas Maria Lourdes Moura de Santana e Edenildes Mato.
Foram juntados os documentos requeridos pelo Ministério Público.
Ministério Público, ao final, manifestou pelo deferimento do pedido, a fim de que seja procedida a retificação da data de nascimento
constante no registro civil do autor.
Os autos vieram conclusos.
É o relatório. Decido.
O art. 109 da Lei de Registros Públicos (Lei 6.015/73) possibilita o manejo de procedimento judicial a fim de restaurar, suprir ou
modificar assentamento de Registro Civil.
Na espécie, os documentos colacionados, notadamente a Certidão de Batismo, e depoimentos das testemunhas, são suficientes
à constatação do equívoco quanto à data de nascimento do requerente.
Assim, correto o entendimento de que o registro ocorreu equivocadamente.
Diante do exposto, JULGO PROCEDENTE O PEDIDO, nos termos do artigo 487, I, do Código de Processo Civil, determinando a
retificação da data de nascimento de ANTONIO TEIXEIRA DE MATOS, acima qualificado, tanto no seu registro de nascimento (Cartório
de Registro Civil de Pessoas Naturais de Antas-BA, Fls. 224v, Livro A-31 e Registro 17837), quando da certidão de casamento
(Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais de Antas-BA, Fls. 68-v, Livro B-05 e Registro 1568), devendo passar a constar como
DATA DO NASCIMENTO o dia 05 DE JULHO DE 1958.
Concedo à presente decisão força de Mandado de Averbação.
Sem custas.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se. Após, arquivem-se.
Antas/BA, 7 de março de 2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz de Direito Designado

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000050-09.2018.8.05.0012 Retificação Ou Suprimento Ou Restauração De Registro Civil
Jurisdição: Antas
Autor: Antonio Teixeira De Matos
Advogado: Jorge Luis Andrade Dos Santos (OAB:0049008/BA)

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO
________________________________________

Nº do Processo: 8000050-09.2018.8.05.0012
Classe da Ação: RETIFICAÇÃO OU SUPRIMENTO OU RESTAURAÇÃO DE REGISTRO CIVIL (1682)

Certifico e dou fé, que nesta data, fica intimado(a) via sistema DJE, o(a) patrono(a) do(a) autor(a), para tomar conhecimento da
SENTENÇA ID n.º 21013198, prolatada pelo MM. Juiz de Direito desta Comarca.
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 8

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000182-66.2018.8.05.0012 Busca E Apreensão Em Alienação Fiduciária
Jurisdição: Antas
Autor: Banco Toyota Do Brasil S.a.
Advogado: Dante Mariano Gregnanin Sobrinho (OAB:0054459/BA)
Réu: Lazaro Oliveira Da Silva
Advogado: Maico Carlos Lins Oliveira (OAB:0051866/BA)

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO
________________________________________

Nº do Processo: 8000182-66.2018.8.05.0012
Classe da Ação: BUSCA E APREENSÃO EM ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA (81)

Nesta data, enviei via sistema DJE, INTIMAÇÃO à parte autora, para tomar conhecimento do despacho ID n.º 21049184, exarado pelo
MM. Juiz de Direito e
manifestar -se, no prazo de 10 (dez) dias.
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000185-55.2017.8.05.0012 Busca E Apreensão
Jurisdição: Antas
Requerente: Banco Bradesco Sa
Advogado: Claudio Kazuyoshi Kawasaki (OAB:0001110/BA)
Requerido: Izabel Cristina De Carvalho Matos - Me

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO
________________________________________

Nº do Processo: 8000185-55.2017.8.05.0012
Classe da Ação: BUSCA E APREENSÃO (181)

Nesta data, enviei via sistema DJE, INTIMAÇÃO à parte autora, para tomar conhecimento do DESPACHO ID n.º 21044182, exarado
pelo MM. Juiz de Direito.
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000007-09.2017.8.05.0012 Inventário
Jurisdição: Antas
Inventariante: Joao Batista Praxedes De Jesus
Advogado: Cristiane Da Silva Moreira Dos Reis (OAB:0032843/BA)
Inventariado: Ana Josefa Praxedes De Jesus
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 9

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO
________________________________________

Nº do Processo: 8000007-09.2017.8.05.0012
Classe da Ação: INVENTÁRIO (39)

Nesta data, enviei via sistema DJE, INTIMAÇÃO à parte autora, para tomar conhecimento do despacho ID n.º 20284651, bem como
no prazo de 15 (cinco) dias, cumprir o mesmo.
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000138-81.2017.8.05.0012 Procedimento Comum Cível
Jurisdição: Antas
Autor: Municipio De Novo Triunfo
Advogado: Gileno Couto Dos Santos (OAB:0020408/BA)
Réu: Jose Messias Matos Dos Reis

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO
________________________________________

Nº do Processo: 8000138-81.2017.8.05.0012
Classe da Ação: PROCEDIMENTO COMUM CÍVEL (7)

Nesta data, enviei via sistema D JE, INTIMAÇÃO à parte autora, para tomar conhecimento do despacho ID n.º 18024511 e
manifestar -se , no prazo de 15 (quinze) dias.
Antas-BA, 11 de março de 2019.
(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE ANTAS
INTIMAÇÃO
8000140-51.2017.8.05.0012 Procedimento Comum Cível
Jurisdição: Antas
Autor: Municipio De Novo Triunfo
Advogado: Gileno Couto Dos Santos (OAB:0020408/BA)
Réu: Jose Messias Matos Dos Reis

Intimação:
JUÍZO DE DIREITO DA COMARCA DE ANTAS-BAHIA
Cartório dos Feitos Relativos às Relações de Consumo, Faz. Pública, Cíveis e Comerciais
Fórum Profª Ademar do Nascimento Nilo - Rua João Nilo, 538- Centro
CEP 48.420-000, Antas/BA (Fone/Fax: (75) 3277-1248)
________________________________________
INTIMAÇÃO
________________________________________
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 10

Nº do Processo: 8000140-51.2017.8.05.0012
Classe da Ação: PROCEDIMENTO COMUM CÍVEL (7)

Nesta data, enviei via sistema DJE, INTIMAÇÃO à parte autora, para tomar conhecimento do despaho ID n.º 18024546, bem com o
manifestar -se, no prazo de 15 (quinze) dias.

Antas-BA, 11 de março de 2019.


(Documento assinado digitalmente na forma da Lei nº 11.419/06)
GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO
Escrivã Designada

JUÍZO DE DIREITO DA VARA CÍVEL E COMERCIAL DA COMARCA DE ANTAS, ESTADO DA BAHIA


JUIZ(A)SUBSTITUTO(A): LEANDRO FERREIRA DE MORAES
PROMOTOR(A): LEONARDO CANDIDO COSTA
ESCRIVÃ DESIGNADA: GLEIDE SELMA DANTAS DE CARVALHO

Expediente do dia 12 de fevereiro de 2019

FICAM AS PARTES ADVOGADOS E DEMAIS INTERESSADOS DEVIDAMENTE INTIMADOS DOS DESPACHOS/DECISÕES E SEN-
TENÇAS EXARADOS PELO MM. JUIZ DE DIREITO DESTA COMARCA NOS PROCESSOS ABAIXO.

0000308-34.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Maiza De Souza Castro
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior, Clayton Andrelino Nogueira Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA

Vistos e Examinados.

Ingressou MAÍZA DE SOUZA CASTRO, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em face do MUNICÍPIO DE
ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professora, sob o regime estatutário. Entretanto,
não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de Mandado de Segurança
foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$5.985,91, referente a diferença sal inadimplidas
(débitos pretéritos), pelo Município Réu.

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 111/116.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.122).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 11

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.

Verifico que nas fls. 12/16, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 12/16:

FI.15:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 12

fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 5.985,91(cinco mil novecentos e oitenta e cinco rais e noventa e um centavos). Sobre este valor
deverá incidir juros de mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será
aplicado o índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz Designado

0000310-04.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Ana Carlas Bispo Dos Santos
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior, Clayton Andrelino Nogueira Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA

Vistos e Examinados.

Ingressou ANA CARLAS BISPO DOS SANTOS, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em face do
MUNICÍPIO DE ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professora, sob o regime
estatutário. Entretanto, não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de
Mandado de Segurança foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$4.532,27, referente
a diferença sal inadimplidas ( débitos pretéritos), pelo Município Réu.

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 112/117.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.126).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 13

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.

Verifico que nas fls. 12/16, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 12/16:

FI.15:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 14

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 4.532,27(quatro mil quinhentos e trinta e dois reais e vinte e sete centavos). Sobre este valor deverá
incidir juros de mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será
aplicado o índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz Designado

0000311-86.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Anali Moreira De Souza
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior, Clayton Andrelino Nogueira Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA

Vistos e Examinados.

Ingressou ANALI MOREIRA DE SOUZA, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em face do MUNICÍPIO DE
ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professora, sob o regime estatutário. Entretanto,
não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de Mandado de Segurança
foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$4.532,27, referente a diferença sal inadimplidas
(débitos pretéritos), pelo Município Réu.

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 113/118.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.126).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 15

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.

Verifico que nas fls. 12/16, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 12/16:

FI.15:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 16

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 4.532,27 (quatro mil quinhentos e trinta e dois reais e vinte e sete centavos). Sobre este valor deverá
incidir juros de mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será
aplicado o índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz Designado

0000309-19.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Maria Leandra Brandao Santos
Advogado(s): Clayton Andrelino Nogueira Junior, Raimundo Freitas Araujo Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA
Vistos e Examinados.

Ingressou MARIA LEANDRA BRANDÃO SANTOS, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em face do
MUNICÍPIO DE ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professora, sob o regime
estatutário. Entretanto, não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de
Mandado de Segurança foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$7.040,50, referente
a diferença sal inadimplidas (débitos pretéritos), pelo Município Réu.

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 17

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 107/112.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.122).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.

Verifico que nas fls. 12/16, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 12/16:

FI.15:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 18

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 7.040,50 (sete mil e quarenta reais e cinquenta centavos). Sobre este valor deverá incidir juros de
mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será aplicado o índice de
Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz Designado

0000314-41.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Mirela Santana De Souza
Advogado(s): Clayton Andrelino Nogueira Junior, Raimundo Freitas Araujo Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA

Vistos e Examinados.

Ingressou MIRELA SANTANA DE SOUZA, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em face do MUNICÍPIO DE
ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professora, sob o regime estatutário. Entretanto,
não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de Mandado de Segurança
foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$4.532,27, referente a diferença sal inadimplidas
(débitos pretéritos), pelo Município Réu.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 19

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 114/119.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.118).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.

Verifico que nas fls. 13/17, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 13/17:

FI.16:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 20

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 4.532,27 (quatro mil quinhentos e trinta e dois reais e vinte e sete centavos). Sobre este valor deverá
incidir juros de mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será
aplicado o índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz Designado

0000315-26.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Marisangela Chagas Da Silva
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior, Clayton Andrelino Nogueira Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 21

Vistos e Examinados.

Ingressou MARISÂNGELA CHAGAS DA SILVA, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em face do MUNICÍ-
PIO DE ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professora, sob o regime estatutário.
Entretanto, não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de Mandado de
Segurança foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$4.532,27, referente a diferença
sal inadimplidas (débitos pretéritos), pelo Município Réu.

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 114/119.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.125).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.

Verifico que nas fls. 12/16, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 12/16:


TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 22

FI.15:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 4.532,27 (quatro mil quinhentos e trinta e dois reais e vinte e sete centavos). Sobre este valor deverá
incidir juros de mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será
aplicado o índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz Designado
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 23

0000317-93.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Paulo Roberto De Jesus Santos
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior, Clayton Andrelino Nogueira Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA

Vistos e Examinados.

Ingressou PAULO ROBERTO DE JESUS SANTOS, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em face do
MUNICÍPIO DE ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professor, sob o regime estatutário.
Entretanto, não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de Mandado de
Segurança foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$4.532,27, referente a diferença
sal inadimplidas (débitos pretéritos), pelo Município Réu.

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 117/122.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.128).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 24

Verifico que nas fls. 12/16, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 12/16:

FI.15:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 4.532,27 (quatro mil quinhentos e trinta e dois reais e vinte e sete centavos). Sobre este valor deverá
incidir juros de mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será
aplicado o índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 25

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz Designado

0000319-63.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Cristiane Da Conceicao Santana Borges
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior, Clayton Andrelino Nogueira Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Sentença: SENTENÇA

Vistos e Examinados.

Ingressou CRISTIANE DA CONCEIÇÃO SANTANA BORGES, já qualificada, por meio de advogado, com AÇÃO DE COBRANÇA em
face do MUNICÍPIO DE ANTAS-BA, aduzindo, em síntese, que é servidora pública do Município demandado, professora, sob o regime
estatutário. Entretanto, não teria recebido o salário condizente com o valor estabelecido no edital 01/2009. Informou que em ação de
Mandado de Segurança foi determinado o pagamento do valor pretendido. Requereu, assim, o pagamento de R$5.985,91, referente
a diferença sal inadimplidas (débitos pretéritos), pelo Município Réu.

Juntou documentos.

Devidamente citado, o Município ofereceu Contestação alegando algumas preliminares, como: inépcia da inicial e prescrição.
Aduziu, em apertada síntese, que o concurso público em que a autora foi aprovada possuiu edital n° 01/2009, com salário de
R$910,47 para uma jornada de 25 horas. Salientou que posteriormente o Município de Antas, publicou edital n° 03/2009 de retifica-
ção, corrigindo o salário de R$771,67, pertinentes às 25 horas do professor nível 1, no ano de 2009. Impugnou de forma genérica os
cálculos apresentados pela autora. Desta forma requereu a improcedência do feito. Juntou documentos.

A parte autora se manifestou em relação as preliminares às fls. 113/118.

Não houve êxito na audiência de conciliação (fls.124).

Viram os autos conclusos.

Relatados. Decido.

Trata-se de Ação de Cobrança ajuizada por professora, servidora pública municipal referente à diferença sal não paga pela Adminis-
tração Pública, embora tivesse direito reconhecido em mandado de segurança. A inicial vem acompanhada de procuração, cópia do
edital, de sentença e planilha de débitos.

Inicialmente, registre-se que a questão de mérito dispensa a produção de prova em audiência, pois é relativa ao inadimplemento de
verbas salariais dos servidores públicos (prova documental), o que possibilita, portanto, o julgamento antecipado da lide nos termos
do art. 355, I, do CPC.

Quanto as preliminares:

A preliminar de inépcia da inicial se confunde com o mérito e com ele será analisado.

Já em relação a prescrição do crédito da autora, é cediço em nosso ordenamento que o prazo prescricional aplicável às pretensões
indenizatórias movidas contra a Fazenda Pública é o de 5 anos, previsto no Decreto 20.910/32, que prevalece em face do prazo de 3
anos do CC-2002, dada sua especialidade.

Vejamos:

AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. EXECUÇÃO. PRAZO PRESCRICIONAL. INTERRUPÇÃO DO PROTESTO


INTERRUPTIVO. CONFIGURAÇÃO. RECURSO NÃO PROVIDO. 1. O prazo para propositura da ação executiva contra a Fazenda
Pública é de cinco anos, contados do trânsito em julgado da sentença condenatória (Súmula 150/STF), podendo ser interrompido
uma única vez, recomeçando a correr pela metade a partir do ato interruptivo (Súmula 383/STF). 2. Na espécie, a ação coletiva
transitou em julgado em 26.5.2000, em 27.5.2005 foi ajuizado protesto interruptivo da prescrição e a execução de sentença foi movida
pelos recorrentes em setembro de 2006, pelo que não há falar em prescrição. 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
(STJ - AgRg no REsp: 1161005 PR 2009/0194567-6, Relator: Ministro JORGE MUSSI, Data de Julgamento: 01/04/2014, T5 - QUINTA
TURMA, Data de Publicação: DJe 10/04/2014)
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 26

Posto isto, afasto as preliminares ventiladas pelo réu.

Acerca do mérito, conforme determina o art.373, I e II do Código de Processo Civil o ônus da prova incumbe ao autor, quanto ao fato
constitutivo do seu direito, e, ao réu, quanto à existência de fato impeditivo, modificativo e extintivo do direito do autor.

Pela documentação acostada, a autora comprovou o exercício do cargo no Município de Antas.

A defesa do Município se restringe a alegar que publicou edital 03/2009 retificando o valor do salário e por isso não pagou o estipulado
no edital 01/2009.

Verifico que nas fls. 12/16, a parte autora juntou aos autos cópia da sentença do writ sob n.176/2009, que já enfrentou o mérito em
relação ao direito da postulante em reconhecer como salário devido como o apontado no edital1, sendo tal demanda julgada
procedente.

Transcrevo abaixo trecho da r. sentença de fls. 12/16:

FI.15:

"(...) Logo entende esta magistrada, em conjuminância com o retro esposado e no parecer ministerial, que os vencimentos previstos
no edital para cargo de professor encontram-se adequados aos estabelecidos na Lei Municipal 550/2008 (art. 74) e na Lei Federal
11.738/2008, eis que calculados com redutor de 2/3 da diferença entre o valor do piso e o vigente a partir de 01/2009, sendo
descabida a posterior diminuição(...)"

Ainda:

(...) Ex vi do exposto e mais do que dos autos consta, com espeque no parecer ministerial, Julgo Procedente o Pleito Autoral para
Conceder a segurança aviada pelo(a) demandante em face do Prefeito Municipal de Antas e determinar que promova o pagamento
de salário base dos Impetrantes, consoante os valores constantes no Edital 01/2009 e conforme o nível de cada um(...)"

Assim, reconhecido o direito ao salário constante no edital 1, aliado ao fato de não ter o Município demonstrado o pagamento das
verbas salariais pleiteadas, pois não apresentou qualquer comprovante, reconheço o direito pleiteado pela parte autora.

No mesmo sentido foram os seguintes julgados:

REEXAME NECESSÁRIO - APELAÇÃO CÍVEL - MUNICÍPIO DE SÃO ROMÃO - AUSÊNCIA DE EFETIVO PAGAMENTO À SERVIDORA -
SALÁRIOS E DÉCIMO TERCEIRO - ÔNUS DA PROVA DO ENTE MUNICIPAL. Tendo o autor comprovado o seu direito constitutivo, cabe
ao Município de São Romão comprovar fato extintivo, impeditivo ou modificativo de seu direito, nos termos do art. 333, inciso II do
Código de Processo Civil, ônus do qual não se desincumbiu. (TJ-MG - AC: 10642060004115001 MG , Relator: Vanessa Verdolim
Hudson Andrade, Data de Julgamento: 03/06/2014, Câmaras Cíveis / 1ª CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 11/06/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA DE COBRANÇA DE 13° SALÁRIOS CONTRA MUNICÍPIO. RECUSA DO PAGAMENTO, SOB
ALEGAÇÃO DE QUE A VERBA FOI CORRETAMENTE QUITADA. PAGAMENTOS NÃO COMPROVADOS. ÔNUS DA PROVA IMPUTADA
AO RÉU. APELO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Sendo incontroverso em razão da ausência de prova em contrário - que os valores
relativos aos 130 salários não foram corretamente pagos pelo Município,conforme indicados na inicial, ônus que cabia ao recorrente,
a teor do art. 333, do CPC, obriga-se o Apelante a efetuar a remuneração das referidas verbas, sob pena de incorrer em locupletamento
indevido (TJ-BA - APL: 00060981020078050141 BA 0006098-10.2007.8.05.0141, Data de Julgamento: 28/01/2014, Segunda Câma-
ra Cível, Data de Publicação: 30/01/2014. Grifou-se)

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE COBRANÇA. SERVIDORES PÚBLICOS. SALÁRIO ATRASADO. ALEGAÇÃO DE QUE O PREFEITO
ASSUMIU O CARGO SEM QUALQUER DOCUMENTO DA GESTÃO ANTERIOR. IMPESSOALIDADE DO GESTOR NA ADMINISTRA-
ÇÃO PÚBLICA. PAGAMENTO DE SALÁRIOS DOS SERVIDORES. RESPONSABILIDADE DO ENTE PÚBLICO. 1. Os autores compro-
varam a continuidade do seu vínculo alegando a falta de pagamento do salário do mês de dezembro de 2012, tendo os mesmos
recebido seus salários nos meses iniciais do ano de 2013, já durante a nova gestão. Logo, não cabe ao Município, em sede de
apelação, questionar a existência do vínculo, que se encontra devidamente comprovado. 2. O Município não se desincumbiu do ônus
da prova, na forma prevista no art. 333, Inc. II, do CPC, quanto aos fatos impeditivos, modificativos ou extintivos do direito dos autores.
3. Também, improcedente a alegação de que o atual gestor, para efetuar o pagamento de qualquer despesa proveniente de
exercícios anteriores, tem que cumprir com as exigências previstas no art. 63, da Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não poderia
fazê-lo por simples afirmação de que no o ex-Prefeito não efetuou o pagamento de salários, no caso concreto não possui o condão
de eximir a Administração do dever de pagamento dos salários atrasados, que, uma vez cobrados judicialmente e sendo confirma-
dos por decisão transitada em julgado, deverão se submeter ao regime de precatório, após execução contra a fazenda pública, art.
730 do CPC, e na forma prevista no art. 100 da Constituição Federal de 1988. 4. Recurso conhecido e improvido. (TJ-PA - APL:
201430067781 PA , Relator: ODETE DA SILVA CARVALHO, Data de Julgamento: 26/06/2014, 5ª CAMARA CIVEL ISOLADA, Data de
Publicação: 03/07/2014. Grifou-se)

Registre-se que constam nos autos os Contratos de Honorários Advocatícios, o que possibilita a dedução do valor acordado, qual
seja, 10% (dez por cento) do proveito econômico que for devido a cada constituído, sem prejuízo dos honorários sucumbenciais, tudo
na forma do art. 22, § 40, da Lei 8.906/94 - Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 27

Isto posto, JULGO PROCEDENTES os pedidos contidos na inicial CONDENANDO O MUNICÍPIO DE ANTAS a pagar a autora a
diferença sal no valor total de R$ 5.985,91 (cinco mil novecentos e oitenta e cinco reais e noventa e um centavos). Sobre este valor
deverá incidir juros de mora desde a citação, segundo o índice básico da caderneta de poupança (TR), e atualização monetária será
aplicado o índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), tudo em conformidade com a fundamentação supra.

Condeno, por fim, o Município ao pagamento de honorários de sucumbência, que arbitro em R$ 1.000,00 (um mil reais), nos termos
do art. 85 e seguintes do CPC.

Sem custas, conforme disposto no art. 10, IV, da Lei Estadual n° 12.373/11.

Sentença que não se sujeita à obrigatória apreciação pela Instância Superior, nos termos do art. 496, § 3°, do CPC.

Publique-se, registre-se e intime-se apenas pelo Diário de Justiça.

Antas/BA, 04/02/2019.

Leandro Ferr

0000085-18.2012.805.0012 - Petição
Autor(s): Rutinaldo Oliveira Silva
Advogado(s): Manuel Antonio de Moura
Reu(s): Maria Alice De Santana
Advogado(s): Breno Martins Leite
Despacho: R.H.
Intime-se a parte requerida para manifestação sobre os atos praticados, no prazo de 10(dez) dias.
Não havendo requerimento de diligência, intimem-se as partes para razões finais escritas, no prazo sucessivo de 15(quinze) dias,
primeiro o autor.
Após, concluso para sentença.

Antas/BA, 19/02/2019

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz de Direito

0000257-62.2009.805.0012 - Petição
Autor(s): Antônio Carlos Da Silva
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior
Reu(s): Banco Itaú S.A
Advogado(s): Karla Soares de Amorin
Sentença: SENTENÇA
ANTÔNIO CARLOS DA SILVA ajuizou a presente AÇÃO DE REVISÃO E MODIFICAÇÃO DE CLÁUSULA CONTRATURAL ABUSIVA em
face de BANCO ITAÚ S.A.
A parte ré foi devidamente citado.
As partes acordaram o pagamento do débito, dando total quitação ao contrato celebrado entre as partes, requerendo a homologação
deste.
É o relatório. Decido.
Ante o exposto, homologo por sentença, para que produza seus jurídicos e legais efeitos, os termos do acordo de fls. 38 à 40 e, em
conseqüência, declaro a extinção do processo, na forma do art. 487, III,"b' da lei processual civil.
Custas ex lege.
Publique-se.
arquivem-se.
Antasl/BA, 05/02/2019.

LEANDRO FERREIRA DE MORAES


Juiz de Direito Designado

0000410-90.2012.805.0012 - Execução de Título Judicial


Exequente(s): Natalia Santos De Oliveira - Assistida Por Sua Guardiã Rosineide Maria Jesus Dos Santos
Advogado(s): Helio Augusto Soares
Executado(s): Antonio Alves De Oliveira
Sentença: SENTENÇA

NATÁLIA SANTOS DE OLIVEIRA ajuizou, a presente AÇÃO DE EXECUÇÃO DE TÍTULO JUDICIAL em face de ANTONIO ALVES DE
OLIVEIRA.
A parte ré foi devidamente citada.
Proposta a conciliação, as partes acordaram o pagamento de prestação do débito às fls. 20, requerendo a homologação deste.
Diante do exposto, impõe-se a extinção da presente ação, extinguindo o processo, na forma do art. 924,II, do CPC.
Custas ex lege.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 28

Publique-se. Registre-se. Intimem-se.


Após, arquivem-se os autos.
Antasl/BA, 05/02/2019.

LEANDRO FERREIRA DE MORAES


Juiz de Direito Designado

0000479-25.2012.805.0012 - Busca e Apreensão em Alienação Fiduciária


Autor(s): Bv Financeira S/A, Credito, Financiamento E Investimento
Advogado(s): Lucas Azevedo Rios Maldonado
Reu(s): Jose Aldo Gonçalves Figueiredo
Advogado(s): Raimundo Freitas Araujo Junior
Sentença: SENTENÇA
BV FINANCEIRA S/A CREDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO ajuizou a presente AÇÃO DE BUSCA E APREENSÃO EM ALIENA-
ÇÃO FIDUCIÁRIA em face de JOSÉ ALDO GONÇALVES FIGUEIREDO.
A parte ré foi devidamente citado.
As partes acordaram o pagamento do débito, dando total quitação ao contrato celebrado entre as partes, requerendo a homologação
deste.
É o relatório. Decido.
Ante o exposto, homologo por sentença, para que produza seus jurídicos e legais efeitos, os termos do acordo de fl. 46/47 e, em
conseqüência, declaro a extinção do processo, na forma do art. 487, III,"b' da lei processual civil.
Custas ex lege.
Publique-se.
arquivem-se.
Antasl/BA, 05/02/2019.

LEANDRO FERREIRA DE MORAES


Juiz de Direito Designado

0000394-68.2014.805.0012 - Execução de Alimentos


Autor(s): Ministerio Publico Do Estado Da Bahia - Interesse Menor Verônica Brito Freitas., Daiane Brito Silva De Oliveira
Representante(s): Terezinha Brito Da Silva
Reu(s): José Fabrício Dos Santos
Advogado(s): Manoel Antonio de Moura
Sentença: SENTENÇA

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA ajuizou, a presente AÇÃO DE EXECUÇÃO DE ALIMENTOS em face de JOSÉ
FABRÍCIO FREITAS DOS SANTOS , em virtude do débito proveniente de pensão alimenticia.
A parte ré foi devidamente citada.
Na audiência de conciliação, as partes acordaram o pagamento do débito de prestação alimenticia as fl. 43, requerendo a homolo-
gação deste.
Diante do exposto, impõe-se a extinção da presente ação, extinguindo o processo, na forma do art. 924,II, do CPC.
Custas ex lege.
Publique-se. Registre-se. Intimem-se.
Após, arquivem-se os autos.
Antasl/BA, 05/02/2019.

LEANDRO FERREIRA DE MORAES


Juiz de Direito Designado

0000316-11.2013.805.0012 - Procedimento Sumário


Autor(s): Cleidenaide Ferreira Da Silva
Advogado(s): Clayton Andrelino Nogueira Junior, Raimundo Freitas Araujo Junior
Reu(s): Municipio De Antas/Ba
Despacho: R.H.

1. Intime-se a Fazenda Pública devedora para, querendo, impugnar o cumprimento de sentença requerido pelo credor no prazo de
30(trinta) dias. A intimação deverá ocorrer na pessoa do representante judicial, por carga, remessa ou meio eletrônico.

2. Ultrapassado o prazo estipulado com ou sem manifestação, venham os autos conclusos.

Antas/BA, 29 de janeiro de 2019.

Leandro Ferreira de Moraes


Juiz de Direito Designado
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 29

BAIANÓPOLIS
VARA CÍVEL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
0000138-55.2010.8.05.0016 Procedimento Comum Cível
Jurisdição: Baianópolis
Autor: Odair Brito Dos Santos
Advogado: Arlindo Vieira De Souza (OAB:0026361/BA)
Réu: Instituto Nacional De Seguro Social

Intimação:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
COMARCA DE BAIANÓPOLIS
JUÍZO DE DIREITO DA VARA DOS FEITOS DE RELAÇÕES DE CONSUMO CÍVEL e COMERCIAL
Fórum Caio Torres Bandeira, Av. ACM, 61, Centro, Baianópolis-BA, CEP: 47.830-000 - Fone: (77) 3617-2154

Autos nº 0000138-55.2010.8.05.0016
CERTIDÃO - DIGITALIZAÇÃO E MIGRAÇÃO PARA O PJE
Certifico que os autos do Processo nº 0000138-55.2010.8.05.0016, foram digitalizados, migrados para o sistema PJE, conforme o
Decreto Judiciário nº 216, de 27/02/2015, publicado no DJE de 02/03/2015. Autos físicos localizados na caixa de PROCEDIMENTO
ORDINÁRIO, do arquivo. Baianópolis - BA, em 8 de maio de 2018. O referido é verdade e dou fé.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
0000129-93.2010.8.05.0016 Procedimento Comum Cível
Jurisdição: Baianópolis
Autor: Nila Rosa Vieira Barbosa
Advogado: Arlindo Vieira De Souza (OAB:0026361/BA)
Réu: Instituto Nacional De Seguro Social

Intimação:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
COMARCA DE BAIANÓPOLIS
JUÍZO DE DIREITO DA VARA DOS FEITOS DE RELAÇÕES DE CONSUMO CÍVEL e COMERCIAL
Fórum Caio Torres Bandeira, Av. ACM, 61, Centro, Baianópolis-BA, CEP: 47.830-000 - Fone: (77) 3617-2154

Autos nº 0000129-93.2010.8.05.0016
CERTIDÃO - DIGITALIZAÇÃO E MIGRAÇÃO PARA O PJE
Certifico que os autos do Processo nº 0000129-93.2010.8.05.0016, foram digitalizados, migrados para o sistema PJE, conforme o
Decreto Judiciário nº 216, de 27/02/2015, publicado no DJE de 02/03/2015. Autos físicos localizados na caixa de PROCEDIMENTO
ORDINÁRIO, do arquivo. Baianópolis - BA, em 7 de fevereiro de 2018. O referido é verdade e dou fé.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000236-20.2018.8.05.0016 Execução De Título Extrajudicial
Jurisdição: Baianópolis
Exequente: Valdir Vilmar Timm
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Executado: Companhia De Eletricidade Do Estado Da Bahia Coelba
Advogado: Marcelo Salles De Mendonça (OAB:0017476/BA)

Intimação:
SENTENÇA.
VALDIR VILMAR TIMM parte devidamente qualificada nos autos, por meio de advogado devidamente constituído, postulou a presente
ação de EXECUÇÃO em desfavor de COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA BAHIA COELBA, parte também qualificada
nos autos.
Todavia o executado não resistiu pretensão do exequente e apresentou petição informando o cumprimento da obrigação de pagar,
bem como apresentou comprovantes de depósito judicial da quantia que entendeu devida, conforme documentos de ID Num.
20741039 - Pág. 1-3 e Num. 20741106 - Pág. 1-4.
A parte exequente, de acordo com a petição e ID Num. 20817074 - Pág. 1, concordou com a quantia paga pela parte executada.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 30

Relatados, em síntese, DECIDO.


No caso, é de se aplicar o artigo 924, II, do NCPC, que dispõe extinguir-se a execução quando a obrigação for satisfeita.
Dessa forma, diante do pagamento que o exequente buscava com o presente processo de execução, vislumbro que nada mais há
que justifique a continuação da presente execução.
Diante dos fatos acima expostos, JULGO EXTINTA A EXECUÇÃO para os fins do artigo 925, do NCPC.
Havendo custas a serem pagas, intime-se o executado para recolhê-las.
Havendo penhora ou arresto registrado, deverá o Cartório adotar as providências necessárias para que seja desconstituído o ato de
constrição judicial sobre o(s) bem(ns), bem como expeça-se o alvará competente para levantamento das quantias depositadas.
As providências supra deverão ser adotadas após o trânsito em julgado e o devido pagamento das eventuais custas.
Publique-se, Registre-se e Intimem-se.
Baianópolis, Bahia, 27 de fevereiro de 2019.
Lázaro de Souza Sobrinho
- Juiz de Direito-

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
0000355-93.2013.8.05.0016 Busca E Apreensão
Jurisdição: Baianópolis
Requerente: Banco Bradesco S/a
Advogado: Aloisio Goncalves Pereira Neto (OAB:0027828/BA)
Advogado: Fernanda Martins Gewehr (OAB:0030596/BA)
Requerido: Josefino Ferreira De Souza

Intimação:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
COMARCA DE BAIANÓPOLIS
JUÍZO DE DIREITO DA VARA DOS FEITOS DE RELAÇÕES DE CONSUMO CÍVEL e COMERCIAL
Fórum Caio Torres Bandeira, Av. ACM, 61, Centro, Baianópolis-BA, CEP: 47.830-000 - Fone: (77) 3617-2154

Autos nº 0000355-93.2013.8.05.0016
CERTIDÃO - DIGITALIZAÇÃO E MIGRAÇÃO PARA O PJE
Certifico que os autos do Processo nº 0000355-93.2013.8.05.0016, foram digitalizados, migrados para o sistema PJE, conforme o
Decreto Judiciário nº 216, de 27/02/2015, publicado no DJE de 02/03/2015. Autos físicos localizados na caixa de BUSCA E APREEN-
SÃO, do arquivo. Baianópolis - BA, em 6 de fevereiro de 2019. O referido é verdade e dou fé.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
0000094-31.2013.8.05.0016 Petição
Jurisdição: Baianópolis
Requerente: Claudinete Maria De Souza
Advogado: Babymyrla Gomes De Oliveira (OAB:0024752/BA)
Requerido: Celço Pereira De Souza
Advogado: Domingos Carlos Pinto (OAB:0028427/BA)
Terceiro Interessado: Milena De Souza Pereira
Terceiro Interessado: Alisson Pereira De Souza
Terceiro Interessado: Soraia De Souza Pereira

Intimação:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
COMARCA DE BAIANÓPOLIS
JUÍZO DE DIREITO DA VARA DOS FEITOS DE RELAÇÕES DE CONSUMO CÍVEL e COMERCIAL
Fórum Caio Torres Bandeira, Av. ACM, 61, Centro, Baianópolis-BA, CEP: 47.830-000 - Fone: (77) 3617-2154

Autos nº 0000094-31.2013.8.05.0016
CERTIDÃO - DIGITALIZAÇÃO E MIGRAÇÃO PARA O PJE
Certifico que os autos do Processo nº 0000094-31.2013.8.05.0016, foram digitalizados, migrados para o sistema PJE, conforme o
Decreto Judiciário nº 216, de 27/02/2015, publicado no DJE de 02/03/2015. Autos físicos localizados na caixa de PETIÇÃO, do arquivo.
Baianópolis - BA, em 1 de fevereiro de 2019. O referido é verdade e dou fé.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
0000201-70.2016.8.05.0016 Divórcio Consensual
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 31

Jurisdição: Baianópolis
Requerente: J. R. D. O.
Requerente: D. R. R. O.
Advogado: Christian Michel Pscevozniki (OAB:0021237/BA)

Intimação:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
COMARCA DE BAIANÓPOLIS
JUÍZO DE DIREITO DA VARA DOS FEITOS DE RELAÇÕES DE CONSUMO CÍVEL e COMERCIAL
Fórum Caio Torres Bandeira, Av. ACM, 61, Centro, Baianópolis-BA, CEP: 47.830-000 - Fone: (77) 3617-2154

Autos nº 0000201-70.2016.8.05.0016
CERTIDÃO - DIGITALIZAÇÃO E MIGRAÇÃO PARA O PJE
Certifico que os autos do Processo nº 0000201-70.2016.8.05.0016, foram digitalizados, migrados para o sistema PJE, conforme o
Decreto Judiciário nº 216, de 27/02/2015, publicado no DJE de 02/03/2015. Autos físicos localizados na caixa de DIVÓRCIO
CONSENSUAL, do arquivo. Baianópolis - BA, em 1 de fevereiro de 2019. O referido é verdade e dou fé.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
0000005-18.2007.8.05.0016 Interdição
Jurisdição: Baianópolis
Requerente: Raquel De Wanderley Soares
Advogado: Arlindo Vieira De Souza (OAB:0026361/BA)
Advogado: Fernando Grisi Junior (OAB:0019794/BA)
Requerido: Adriana Vanderley Da Silva Soares

Intimação:
DESPACHO.
Defiro o pedido de ID Num. 19103711 - Pág. 1. Proceda-se o Senhor Escrivão as anotações necessárias.
Com base na certidão de ID Num. 19060747 - Pág. 1, intime-se a parte exequente para dar andamento ao presente feito, no prazo de
10 (dez) dias, sob pena de extinção.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.
Baianópolis, Bahia, 25 de fevereiro de 2019.
LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO
Juiz de Direito.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000154-86.2018.8.05.0016 Alimentos - Lei Especial Nº 5.478/68
Jurisdição: Baianópolis
Autor: Maria Da Gloria Conceicao De Oliveira
Advogado: Elaine Passos Santos (OAB:0052827/BA)
Réu: Erivando, Alcunha Vando

Intimação:
DESPACHO.
Redesigno a audiência para o dia 02 abril de 2019, às 09h00, a realizar-se na sala de audiências deste juízo. Cumpra-se nos moldes
da decisão/despacho retro.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.
Baianópolis, Bahia, 01 de fevereiro de 2019.
LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO
Juiz de Direito.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000165-18.2018.8.05.0016 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Baianópolis
Réu: Banco Bradesco Sa
Advogado: Fabiolla Petronilia Nogueira (OAB:0026518/BA)
Advogado: Fernando Augusto De Faria Corbo (OAB:0025560/BA)
Réu: Icatu Seguros S/a
Autor: Dilmar Cirilio Da Silva
Advogado: Glaciene De Souza Ferreira (OAB:0027365/BA)
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 32

Intimação:
DESPACHO.
Proceda-se com as anotações necessárias conforme informações de ID Num. 17870825 - Pág. 1.
Após, intimem-se as partes para que, fundamentadamente, no prazo de 10 dias, digam se têm outras provas a produzir, relacionan-
do-as e justificando a necessidade, sob pena de preclusão, advertindo-se que eventual silêncio será entendido como desinteresse
na produção probatória, bem como renúncia a eventuais requerimentos de prova já formulados, autorizando o julgamento do feito,
no estado em que se encontra (art. 355, do NCPC).
No mesmo prazo, caso pretendam a produção de prova oral, as partes deverão arrolar suas testemunhas, para fins de adequação
da pauta, sob pena de preclusão. Em virtude do caráter preclusivo do prazo concedido para apresentação do rol de testemunhas, fica
vedada a apresentação posterior de rol complementar de testemunhas, salvo as hipóteses previstas no artigo 451 do NCPC.
Também, desde já as partes ficam cientes de que deverão trazer suas testemunhas independentemente de intimação, salvo
quando for realizado requerimento específico para que as testemunhas sejam intimadas por Oficial de Justiça, até vinte dias antes
da audiência. Intimem-se.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.
Baianópolis, Bahia, 01 de fevereiro de 2019.
LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO
Juiz de Direito.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000025-47.2019.8.05.0016 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Baianópolis
Autor: Juraci Ferreira De Oliveira
Advogado: Antonio Charles Luz De Sousa (OAB:0054349/BA)
Réu: Banco Bradesco Sa

Intimação:
DESPACHO.
Compulsando-se os autos, verifica-se que o advogado apresentou procuração particular com arrogo de pessoa não alfabetizada,
sem a presença de duas testemunhas.
O CNJ, quando da avaliação do Processo Administrativo 0001464-74.2009.2.00.0000, decidiu que não se pode cercear o acesso à
Justiça com a exigência de Instrumento Público, para os casos de outorga de procuração Ad Judicia por pessoa analfabeta, pois o
custo despendido com dito documento impede e embaraça a pertinente perseguição aos seus Direitos, mormente porque a
legislação (art. 595 do Código Civil) prevê forma menos onerosa.
No entanto, o citado artigo 595, do Código Civil, disciplina que, quando qualquer das partes não souber ler, nem escrever, o
instrumento poderá ser assinado a rogo e subscrito por duas testemunhas e o CNJ recomenda sua aplicação por analogia, senão
vejamos.
PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINSITRATIVO. PROCURAÇÃO OUTORGADA POR ANALFABETO. DESNECESSIDADE DE
INSTRUMENTO PÚBLICO. PEDIDO PROCEDENTE. 1. Não se mostra razoável exigir que a procuração outorgada por pessoa
analfabeta para atuação de advogado junto à Justiça do Trabalho seja somente por instrumento público, se a legislação (art. 595 do
Código Civil) prevê forma menos onerosa e que deve ser aplicada analogicamente ao caso em discussão. 2. (...) (Presidiu o
julgamento o Ministro Gilson Dipp. Plenário, 6 de abril de 2010). Grifo nosso.
Segue decisões dos Tribunais Nacionais, no mesmo sentido.
PROCESSUAL CIVIL. APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO CAUTELAR DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS. PESSOAS ANALFABETAS. PROCU-
RAÇÃO PÚBLICA. DESNECESSIDADE. PROCURAÇÃO A ROGO. EXIGÊNCIA DE ASSINATURA DE DUAS TESTEMUNHAS. APLICA-
ÇÃO DO ARTIGO 595 DO CÓDIGO CIVIL. DETERMINAÇÃO DE EMENDA À INICIAL. DESÍDIA DA PARTE. EXTINÇÃO DO FEITO SEM
RESOLUÇÃO DE MÉRITO. POSSIBILIDADE. IMPROVIMENTO DO APELO. SENTENÇA MANTIDA. UNANIMIDADE. I - A lei não exige
instrumento público para procuração outorgada por analfabeto, pois, ao contrário, o artigo 595, do Código Civil é taxativo e muito claro
ao afirmar que, em casos da espécie, por analogia, o instrumento pode ser assinado a rogo e subscrito por duas testemunhas. II -
Não obstante o artigo 595 do Código Civil autorize a procuração particular outorgada por pessoa analfabeta, deve o instrumento ser
assinado a rogo e na presença de duas testemunhas. III - Descumpridas as exigências do artigo 595 do Código Civil e não sendo
a irregularidade sanada pela parte, ainda que regularmente intimada para essa finalidade, deve ser mantida a sentença que indefere
a petição inicial e extingue o feito sem julgamento de mérito. IV - Apelo improvido à unanimidade. (TJ-MA - APL: 0323722015 MA
0000098-07.2015.8.10.0098, Relator: CLEONICE SILVA FREIRE, Data de Julgamento: 14/03/2016, TERCEIRA CÂMARA CÍVEL, Data
de Publicação: 18/03/2016. Grifo nosso.
REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL DO ANALFABETO. PROCURAÇÃO POR INSTRUMENTO PÚBLICO. DESNECESSIDADE. 1. A lei
civil não exige que a representação processual de analfabeto seja feita por meio de instrumento público, sendo suficiente, neste
caso, a existência de instrumento particular assinado a rogo e subscrito por duas testemunhas. 2. Apelação conhecida e provida. (TJ-
MA - APL: 0570972014 MA 0000606-88.2014.8.10.0032, Relator: PAULO SÉRGIO VELTEN PEREIRA, Data de Julgamento: 18/08/
2015, QUARTA CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 26/08/2015.
Assim, muito embora não haja necessidade da Procuração Ad Judicia, concedida por analfabeto a advogado, ser confeccionada por
Instrumento Público em Cartório, esta precisa, obrigatoriamente, estar assinada por duas testemunhas.
Dessa forma, intime-se, a parte autora para sanar dita irregularidade, no prazo de 10 (dez) dias, sobre pena de extinção do processo
sem apreciação do mérito.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.
Baianópolis, Bahia, 27 de fevereiro de 2019.
LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO
Juiz de Direito.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 33

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000026-32.2019.8.05.0016 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Baianópolis
Autor: Juraci Ferreira De Oliveira
Advogado: Antonio Charles Luz De Sousa (OAB:0054349/BA)
Réu: Banco Panamericano Sa

Intimação:
DESPACHO.
Compulsando-se os autos, verifica-se que o advogado apresentou procuração particular com arrogo de pessoa não alfabetizada,
sem a presença de duas testemunhas.
O CNJ, quando da avaliação do Processo Administrativo 0001464-74.2009.2.00.0000, decidiu que não se pode cercear o acesso à
Justiça com a exigência de Instrumento Público, para os casos de outorga de procuração Ad Judicia por pessoa analfabeta, pois o
custo despendido com dito documento impede e embaraça a pertinente perseguição aos seus Direitos, mormente porque a
legislação (art. 595 do Código Civil) prevê forma menos onerosa.
No entanto, o citado artigo 595, do Código Civil, disciplina que, quando qualquer das partes não souber ler, nem escrever, o
instrumento poderá ser assinado a rogo e subscrito por duas testemunhas e o CNJ recomenda sua aplicação por analogia, senão
vejamos.
PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINSITRATIVO. PROCURAÇÃO OUTORGADA POR ANALFABETO. DESNECESSIDADE DE
INSTRUMENTO PÚBLICO. PEDIDO PROCEDENTE. 1. Não se mostra razoável exigir que a procuração outorgada por pessoa
analfabeta para atuação de advogado junto à Justiça do Trabalho seja somente por instrumento público, se a legislação (art. 595 do
Código Civil) prevê forma menos onerosa e que deve ser aplicada analogicamente ao caso em discussão. 2. (...) (Presidiu o
julgamento o Ministro Gilson Dipp. Plenário, 6 de abril de 2010). Grifo nosso.
Segue decisões dos Tribunais Nacionais, no mesmo sentido.
PROCESSUAL CIVIL. APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO CAUTELAR DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS. PESSOAS ANALFABETAS. PROCU-
RAÇÃO PÚBLICA. DESNECESSIDADE. PROCURAÇÃO A ROGO. EXIGÊNCIA DE ASSINATURA DE DUAS TESTEMUNHAS. APLICA-
ÇÃO DO ARTIGO 595 DO CÓDIGO CIVIL. DETERMINAÇÃO DE EMENDA À INICIAL. DESÍDIA DA PARTE. EXTINÇÃO DO FEITO SEM
RESOLUÇÃO DE MÉRITO. POSSIBILIDADE. IMPROVIMENTO DO APELO. SENTENÇA MANTIDA. UNANIMIDADE. I - A lei não exige
instrumento público para procuração outorgada por analfabeto, pois, ao contrário, o artigo 595, do Código Civil é taxativo e muito claro
ao afirmar que, em casos da espécie, por analogia, o instrumento pode ser assinado a rogo e subscrito por duas testemunhas. II -
Não obstante o artigo 595 do Código Civil autorize a procuração particular outorgada por pessoa analfabeta, deve o instrumento ser
assinado a rogo e na presença de duas testemunhas. III - Descumpridas as exigências do artigo 595 do Código Civil e não sendo
a irregularidade sanada pela parte, ainda que regularmente intimada para essa finalidade, deve ser mantida a sentença que indefere
a petição inicial e extingue o feito sem julgamento de mérito. IV - Apelo improvido à unanimidade. (TJ-MA - APL: 0323722015 MA
0000098-07.2015.8.10.0098, Relator: CLEONICE SILVA FREIRE, Data de Julgamento: 14/03/2016, TERCEIRA CÂMARA CÍVEL, Data
de Publicação: 18/03/2016. Grifo nosso.
REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL DO ANALFABETO. PROCURAÇÃO POR INSTRUMENTO PÚBLICO. DESNECESSIDADE. 1. A lei
civil não exige que a representação processual de analfabeto seja feita por meio de instrumento público, sendo suficiente, neste
caso, a existência de instrumento particular assinado a rogo e subscrito por duas testemunhas. 2. Apelação conhecida e provida. (TJ-
MA - APL: 0570972014 MA 0000606-88.2014.8.10.0032, Relator: PAULO SÉRGIO VELTEN PEREIRA, Data de Julgamento: 18/08/
2015, QUARTA CÂMARA CÍVEL, Data de Publicação: 26/08/2015.
Assim, muito embora não haja necessidade da Procuração Ad Judicia, concedida por analfabeto a advogado, ser confeccionada por
Instrumento Público em Cartório, esta precisa, obrigatoriamente, estar assinada por duas testemunhas.
Dessa forma, intime-se, a parte autora para sanar dita irregularidade, no prazo de 10 (dez) dias, sobre pena de extinção do processo
sem apreciação do mérito.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.
Baianópolis, Bahia, 27 de fevereiro de 2019.
LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO
Juiz de Direito.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
0000345-15.2014.8.05.0016 Reintegração / Manutenção De Posse
Jurisdição: Baianópolis
Parte Autora: Maximiano Jose De Morais
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Ré: Armindo Jose Dos Santos
Advogado: Ricardo Carloto Vielmo (OAB:0023570/BA)
Parte Autora: Adalto Pereira Dos Santos
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Dimas Rodrigues Do Nascimento
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Ednei De Aquino Rocha
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Dionisio De Souza
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 34

Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)


Parte Autora: Gilberto Pereira De Sousa Filho
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Henrique Luiz De Souza
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Jaime Santana Gualberto
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Joao Santana Gualberto
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Juracy Francisco De Souza
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Jurandy Francisco De Souza
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Justino Francisco De Souza
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Lindiomar Ferreira Da Mata
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Manoel Carmo Da Mata
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Natalina Rosa Dos Santos
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Nelcino Salustriano De Souza
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Otacilio Jose Dos Santos
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Valdemar Salustriano De Souza
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Viana Gomes Dos Santos
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Parte Autora: Otavio Barboza Dos Anjos
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)

Intimação:
DESPACHO.
Redesigno a audiência para o dia 04 de abril de 2019, às 09h00, a realizar-se na sala de audiências deste juízo. Cumpra-se nos
moldes da decisão/despacho retro.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.
Baianópolis, Bahia, 22 de janeiro de 2019.
LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO
Juiz de Direito.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000099-38.2018.8.05.0016 Procedimento Comum Cível
Jurisdição: Baianópolis
Autor: Fernanda Pereira Franca
Advogado: Charles De Souza Ferreira (OAB:0039347/BA)
Réu: Municipio De Baianopolis
Advogado: Arlindo Vieira De Souza (OAB:0026361/BA)
Advogado: Luciana Theodoro Souza (OAB:0039054/BA)

Intimação:
DESPACHO.
Intimem-se as partes para que, fundamentadamente, no prazo de 10 dias, digam se têm outras provas a produzir, relacionando-as
e justificando a necessidade, sob pena de preclusão, advertindo-se que eventual silêncio será entendido como desinteresse na
produção probatória, bem como renúncia a eventuais requerimentos de prova já formulados, autorizando o julgamento do feito, no
estado em que se encontra (art. 355, do NCPC).
No mesmo prazo, caso pretendam a produção de prova oral, as partes deverão arrolar suas testemunhas, para fins de adequação
da pauta, sob pena de preclusão. Em virtude do caráter preclusivo do prazo concedido para apresentação do rol de testemunhas, fica
vedada a apresentação posterior de rol complementar de testemunhas, salvo as hipóteses previstas no artigo 451 do NCPC.
Também, desde já as partes ficam cientes de que deverão trazer suas testemunhas independentemente de intimação, salvo
quando for realizado requerimento específico para que as testemunhas sejam intimadas por Oficial de Justiça, até vinte dias antes
da audiência. Intimem-se.
Publique-se. Intime-se. Cumpra-se.
Baianópolis, Bahia, 24 de janeiro de 2019.
LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO
Juiz de Direito.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 35

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000022-92.2019.8.05.0016 Divórcio Litigioso
Jurisdição: Baianópolis
Requerente: M. M. D. C. N.
Advogado: Arlindo Vieira De Souza (OAB:0026361/BA)
Requerido: I. M. N.

Intimação:
DESPACHO.
Defiro os benefícios da Justiça Gratuita.
PROCESSE-SE EM SEGREDO DE JUSTIÇA.
Designo o dia 03 de abril de 2019, às 12h00, para realização de audiência de tentativa de conciliação ou de conversão da ação em
consensual. Intime-se a parte autora.
Cite-se a parte ré, para integrar o feito e, querendo, oferecer resposta no prazo de 15 (quinze) dias, sob pena de revelia (art. 344, 334,
335 e 695 do NCPC).
Anote-se que as partes devem estar acompanhadas de advogados, uma vez que para a lavratura do acordo se faz necessária a
presença dos causídicos (CF/88, art. 133 e 695, § 4º, do NCPC).
Cientifique às partes de que, o não comparecimento injustificado das mesmas à audiência de conciliação é considerado ato
atentatório à dignidade da justiça e será sancionado com multa de até dois por cento da vantagem econômica pretendida ou do valor
da causa, revertida em favor da União ou do Estado (art. 334, § 8º, do NCPC), podendo estas comunicar o desinteresse na
autocomposição, por petição, apresentada com 10 (dez) dias de antecedência, contados da data da audiência.
Publique-se. Cumpra-se. Intimem-se.
Baianópolis, Bahia, 28 de fevereiro de 2019.

LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO


Juiz de Direito.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BAIANÓPOLIS
INTIMAÇÃO
8000021-10.2019.8.05.0016 Divórcio Litigioso
Jurisdição: Baianópolis
Requerente: J. B. M. D. S.
Advogado: Arlindo Vieira De Souza (OAB:0026361/BA)
Requerido: L. B. D. S.

Intimação:
DESPACHO.
Defiro os benefícios da Justiça Gratuita.
PROCESSE-SE EM SEGREDO DE JUSTIÇA.
Designo o dia 02 de abril de 2019, às 10h00, para realização de audiência de tentativa de conciliação ou de conversão da ação em
consensual. Intime-se a parte autora.
Cite-se a parte ré, para integrar o feito e, querendo, oferecer resposta no prazo de 15 (quinze) dias, sob pena de revelia (art. 344, 334,
335 e 695 do NCPC).
Anote-se que as partes devem estar acompanhadas de advogados, uma vez que para a lavratura do acordo se faz necessária a
presença dos causídicos (CF/88, art. 133 e 695, § 4º, do NCPC).
Cientifique às partes de que, o não comparecimento injustificado das mesmas à audiência de conciliação é considerado ato
atentatório à dignidade da justiça e será sancionado com multa de até dois por cento da vantagem econômica pretendida ou do valor
da causa, revertida em favor da União ou do Estado (art. 334, § 8º, do NCPC), podendo estas comunicar o desinteresse na
autocomposição, por petição, apresentada com 10 (dez) dias de antecedência, contados da data da audiência.
Publique-se. Cumpra-se. Intimem-se.
Baianópolis, Bahia, 28 de fevereiro de 2019.

LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO


Juiz de Direito.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 36

EDITAIS
JUÍZO DE DIREITO DA ÚNICA VARA CRIME, JURI EXECUÇÕES PENAIS E MENORES DA COMARCA DE BAIANÓPOLIS-BA

EDITAL DE INTIMAÇÃO - PRAZO 15 DIAS


Processo: nº 0000003-97.1997.805.0016
Autor: A JUSTIÇA PÚBLICA
Réu(s): VALMIR PEREIRA DE SOUZA

O Dr. LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO, Juiz de Direito da Comarca de Baianópolis/Ba, na forma da Lei, etc...
FAZ SABER, a todos quantos o presente Edital virem, interessar possam ou conhecimento tiverem, especialmente o(a) denunciado(a)
VALMIR PEREIRA DE SOUZA, brasileiro, casado, lavrador, portador do RG nº 4382102 DGPV/GO natural de Baianópolis, filho de
Gregório Pereira de Souza e Anezina Maria de Souza, atualmente em lugar incerto e não sabido, que por este Juízo, correm os termos
da Ação Penal Pública em epígrafe, como incurso no art.121, § 2º, II e IV, combinado com artigo 14, inciso II, ambos do Código Panal
Brasileiro, e como o referido denunciado não foi encontrado, mandei expedir o presente Edital de INTIMAÇÃO,pelo prazo de quinze
(15) dias, para que denunciado acima qualificado, fica intimado da DECISÃO de pronuncia bem como constituir novo patrono já que
o anterior renunciou o mandato.
E para que chegue ao conhecimento de todos, e do denunciado acima, mandei expedir o presente Edital de INITIMAÇÃO, que será
afixado no local de costume, publicado no DIÁRIO DO PODER JUDICIÁRIO e juntada cópia aos autos. Dado e passado nesta cidade
de Baianópolis-BA, aos 11 dias do mês de março de 2019. Eu, ____________,escrivão digitei e subscrevi.

Dr. LÁZARO DE SOUZA SOBRINHO


Juiz de Direito

BARRA DA ESTIVA
VARA CÍVEL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DA ESTIVA
DESPACHO
8000578-22.2018.8.05.0019 Divórcio Litigioso
Jurisdição: Barra Da Estiva
Requerente: Arlete Belo Dos Santos
Advogado: Haidee Aguiar Dantas Franca (OAB:0006391/BA)
Requerido: Joao Bispo Oliveira

Despacho:
COMARCA DE BARRA DA ESTIVA
VARA CÍVEL
FÓRUM ELIEZER RODRIGUES DE SOUZA
Rua Santa Vieira de Castro, 106 - Centro
Barra da Estiva - Bahia - CEP 46.650-000
Telefones: ( 77 ) 3450-1030 ( 77 ) 3450-1634
E-mail Oficial: barradaestiva.varacivel@tjba.jus.br
DESPACHO / AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO/ INTIMAÇÃO
Processo nº 8000578-22.2018.05.0019
Ação de Reconhecimento e Dissolução de União Estável
Autora: ARLETE BELO DOS SANTOS ( a ser intimado por meio de seu advogado por simples publicação no DPJ-e ).
Réu: JOÃO BISPO OLIVEIRA, (conhecido como CIGANO) , com endereço na Rua Ituaçu (lado da Madeireira JJ) Renascer - Distrito de
Cascavel - e local de trabalho na Fazenda Dois Irmãos - Ibicoara - Bahia (que deverá ser intimada pessoalmente);
Designo audiência de Conciliação, para o dia 16 de abril de 2019, às 9h20min, no Fórum de Barra da Estiva - Bahia -oportunidade
em que as partes poderão firmar acordos e/ou convencionar.
Intime-se advogados e MINISTÉRIO PÚBLICO por publicação no DPJ-e .
As partes deverão comparecer acompanhadas de advogado.
Advirta(m)-se de que o prazo de 15 dias para contestação fluirá independentemente de intimação ou manifestação judicial superveniente
a partir da data da realização da audiência (CPC, art. 335, Caput e inciso I), se não houver acordo, ou da data do protocolo da
manifestação expressa de desinteresse, nos termos dos arts. 334, § 5º e §6° e 335, I, II e § 1º do CPC, bem como dos efeitos da não
contestação (CPC, art. 344).
Concedo ao(à) Oficial(a) de Justiça os benefícios contidos nos artigo 212, § 2º do Novo CPC., pelo que o mesmo poderá praticar as
diligência independentemente de dia, hora ou local, na forma da Lei, inclusive em Comarcas contíguas.
Dispensado ao Cartório confeccionar mandado, pois cópia do presente despacho servirá de Mandado e/ou Carta de Intimação, que
deverá estar desacompanhada de cópia da inicial, assegurado ao Réu o direito de examinar seu conteúdo a qualquer tempo (CPC,
art. 695, § 1º). CUMPRA-SE.
Expedientes necessários.
Barra da Estiva , 11 de março de 2019.
EGILDO LIMA LOPES
JUIZ DE DIREITO
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 37

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DA ESTIVA
SENTENÇA
8000444-92.2018.8.05.0019 Notificação
Jurisdição: Barra Da Estiva
Notificante: Agrinova Agronutrientes Eireli - Epp
Advogado: Rafael Magdalena (OAB:0356526/SP)
Notificado: Luiz Carlos Berti

Sentença:
COMARCA DE BARRA DA ESTIVA
VARA CÍVEL
FÓRUM ELIEZER RODRIGUES DE SOUZA
Rua Santa Vieira de Castro, 106 - Centro
Barra da Estiva - Bahia - CEP 46.650-000
Telefones: ( 77 ) 3450-1030 ( 77 ) 3450-1634
E-mail Oficial: barradaestiva.varacivel@tjba.jus.br
Processo nº 8000444-92.2018.8.05.0019
SENTENÇA
Vistos, etc.
Versam os presentes acerca de Ação de Notificação Judicial ajuizada pela empresa AGRINOVA AGRONUTRIENTES EIRELI - EPP em
face de LUIZ CARLOS BERTI, , ambos devidamente qualificados nos autos acima referenciados.
A parte Autora aviou petição (ID 19808287) requerendo a desistência do feito.
O Requerido não foi citado conforme se depreende da análise dos autos.
É o relatório. Decido.
É relevante anotar que, no caso em especial da desistência, o juiz não analisa o mérito da causa, não leva em consideração os
motivos que originou a ação (causa de pedir e pedido), e tampouco, os motivos que justificou a desistência. Na desistência não
importa os acontecimentos fáticos que ensejaram a ação e os fundamentos jurídicos que legitimaram a petição inicial, sendo uma
faculdade do Autor.
No presente caso, o Réu não foi citado, inexistindo óbice ao pedido de desistência formulado (CPC, art. 485, § 4º).
Diante do exposto, declaro EXTINTO o presente feito, sem resolução do mérito, com fulcro no artigo 485, inciso VIII do Código de
Processo Civil.
Custas acaso remanescentes, pelo Autor.
P.R.I., após o trânsito em julgado dê-se BAIXA NA DISTRIBUIÇÃO e arquivem-se.
Barra da Estiva-BA, 11 de março de 2019.
EGILDO LIMA LOPES
Juiz de Direito

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DA ESTIVA
DESPACHO
8000223-80.2016.8.05.0019 Divórcio Litigioso
Jurisdição: Barra Da Estiva
Requerente: Eliomar De Jesus Alves
Advogado: Fabio Dutra Luz (OAB:0025569/BA)
Requerido: Valdirene Teixeira Da Silva Alves

Despacho:
COMARCA DE BARRA DA ESTIVA
VARA CÍVEL
FÓRUM ELIEZER RODRIGUES DE SOUZA
Rua Santa Vieira de Castro, 106 - Centro
Barra da Estiva - Bahia - CEP 46.650-000
Telefones: ( 77 ) 3450-1030 ( 77 ) 3450-1634
E-mail Oficial: barradaestiva.varacivel@tjba.jus.br
DESPACHO / AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO/ INTIMAÇÃO
Processo nº 8000223-80.2018.05.0019
Ação de Divórcio Litigioso
Autor: ELIOMAR DE JESUS ALVES ( a ser intimado por meio de seu advogado por simples publicação no DPJ-e ).
Ré: VALDIRENE TEIXEIRA DA SILVA ALVES, com endereço na Rua das Mangueiras, nº220, Distrito de Cascavel, Município de Ibicoara
- BA (que deverá ser intimada pessoalmente);
Designo audiência de Conciliação, para o dia 16 de abril de 2019, às 9h00min, no Fórum de Barra da Estiva - Bahia -oportunidade
em que as partes poderão firmar acordos e/ou convencionar.
Intime-se advogados e MINISTÉRIO PÚBLICO por publicação no DPJ-e .
As partes deverão comparecer acompanhadas de advogado.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 38

Advirta(m)-se de que o prazo de 15 dias para contestação fluirá independentemente de intimação ou manifestação judicial superveniente
a partir da data da realização da audiência (CPC, art. 335, Caput e inciso I), se não houver acordo, ou da data do protocolo da
manifestação expressa de desinteresse, nos termos dos arts. 334, § 5º e §6° e 335, I, II e § 1º do CPC, bem como dos efeitos da não
contestação (CPC, art. 344).
Concedo ao(à) Oficial(a) de Justiça os benefícios contidos nos artigo 212, § 2º do Novo CPC., pelo que o mesmo poderá praticar as
diligência independentemente de dia, hora ou local, na forma da Lei, inclusive em Comarcas contíguas.
Dispensado ao Cartório confeccionar mandado, pois cópia do presente despacho servirá de Mandado e/ou Carta de Intimação, que
deverá estar desacompanhada de cópia da inicial, assegurado ao Réu o direito de examinar seu conteúdo a qualquer tempo (CPC,
art. 695, § 1º). CUMPRA-SE.
Expedientes necessários.
Barra da Estiva , 11 de março de 2019.
EGILDO LIMA LOPES
JUIZ DE DIREITO

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DA ESTIVA
SENTENÇA
8000220-91.2017.8.05.0019 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Barra Da Estiva
Autor: Jadiel Silva Santos
Advogado: Gabriela Santos Caires (OAB:0045868/BA)
Réu: Uniao Norte Do Parana De Ensino Ltda
Advogado: Flavia Almeida Moura Di Latella (OAB:0109730/MG)
Réu: Editora E Distribuidora Educacional S/a
Advogado: Flavia Almeida Moura Di Latella (OAB:0109730/MG)
Réu: Credit Cash Assessoria Financeira Ltda

Sentença:
COMARCA DE BARRA DA ESTIVA
FÓRUM ELIEZER RODRIGUES DE SOUZA
Rua Santa Vieira de Castro, 106 - Centro
Barra da Estiva - Bahia - CEP 46.650-000
Telefones: ( 77 ) 3450-1030 ( 77 ) 3450-1634
E-mail Oficial: barradaestiva.varacivel@tjba.jus.br
Processo nº 8000220-91.2017.8.05.0019
S E NT E N ÇA
Vistos, etc.
Versam os presentes acerca de Ação Declaratória de Inexistência de Débito c/c Dano Moral ajuizada por JADIEL SILVA SANTOS em
face da UNOPAR- UNIAO NORTE DO PARANA DE ENSINO LTDA, EDITORA E DISTRIBUIDORA EDUCACIONAL S/A e CREDIT CASH
ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA todos devidamente qualificados nos autos acima referenciados.
Após prolação de Sentença (ID 13961517) as partes aviaram petição (ID 16748230) pugnando pela homologação de acordo
entabulado.
DECIDO.
Diante do exposto, com fundamento no artigo 487, inciso III, alínea "b" do Novo CPC, HOMOLOGO POR SENTENÇA para que produza
seus jurídicos e legais efeitos o acordo celebrado entre as partes (ID 16748230), fazendo valer tudo que no mesmo constar, com a
consequente EXTINÇÃO DO PROCESSO. Ficam ressalvados eventuais direitos de terceiros porventura existentes.
Sem custas processuais remanescentes. Sem honorários de sucumbência, entretanto, ficando ressalvados eventuais honorários
advocatícios contratados, cujo pagamento é de exclusiva responsabilidade de cada parte contratante.
P.R.I. Transitada em julgado, dê-se BAIXA NA DISTRIBUIÇÃO e arquivem-se os autos.
Barra da Estiva-BA, 08 de março de 2019.
EGILDO LIMA LOPES
Juiz de Direito

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DA ESTIVA
DESPACHO
8000435-33.2018.8.05.0019 Divórcio Consensual
Jurisdição: Barra Da Estiva
Requerente: Francisco Lopes Silva
Advogado: Maria Helena Andrade Alvarez (OAB:0053836/BA)
Requerido: Rosalia Silva Barbosa Lopes

Despacho:
D E S PAC H O
Indefiro o pedido de gratuidade de justiça à míngua de elementos mínimos da alegada hipossuficiência.
INTIME-SE a parte Autora, na pessoa de seu(s) advogado(s), eletronicamente, via PJe, para, no prazo de 15( quinze) dias úteis,
previamente pagar as custas processuais devidas, inclusive às pertinentes ao(s) ato(s) do(a) Oficial(a) de Justiça, carta(s) citatória(s),
precatória(s), edital(editais) e/ou ofício(s), etc, e comprovar nos autos, sob pena de indeferimento e extinção do processo.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 39

Cabe a própria parte, na qualidade de contribuinte, preencher/emitir o DAJ eletrônico e comprovar nos autos, no prazo assinado, o
regular recolhimento das custas processuais na forma do que dispõe o artigo 1º caput e § 1º do Decreto Judiciário nº 032/2009, pub.
04/02/2009 .
INTIME-SE a parte Autora, na pessoa de seu(s) advogado(s), eletronicamente, via Pje.
Barra da Estiva-BA, 11 de março de 2019.
EGILDO LIMA LOPES
Juiz de Direito

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DA ESTIVA
DESPACHO
8000293-97.2016.8.05.0019 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Barra Da Estiva
Autor: Aldiney Ribeiro Alves
Advogado: Carlos Roberto Rocha Aguiar (OAB:000672B/BA)
Réu: Jubiaba Veiculos Ltda
Advogado: Marcio Medeiros Bastos (OAB:0023675/BA)

Despacho:
COMARCA DE BARRA DA ESTIVA
FÓRUM ELIEZER RODRIGUES DE SOUZA
Rua Santa Vieira de Castro, 106 - Centro
Barra da Estiva - Bahia - CEP 46.650-000
Telefones: ( 77 ) 3450-1030 ( 77 ) 3450-1634
E-mail Oficial: barradaestiva.varacivel@tjba.jus.br
JUIZADO ESPECIAL
D E S PAC H O
Processo nº 8000293-97.2016.8.05.0019
Execução Provisória de Sentença
CUMPRA-SE voluntariamente e integralmente a Sentença exequenda.
INTIME-SE a parte promovida , por simples publicação no DPJ-e e/ou por intermédio de seu(s) advogado(s), para pagar toda(s) a(s)
quantia(s) discriminada(s) na liquidação da Sentença exequenda (ID 18280478) com todos os seus consectários de juros , correção
monetária, custas processuais, multa(s) e honorários advocatícios ( se existentes ) , no prazo de até 15(quinze) dias, sob pena de
arcar com o acréscimo da multa de 10% sobre o seu valor ( NOVO CPC, Art. 523, § 1º c/c Enunciados 43, 97, 105, do FONAJE ).
Não efetuado tempestivamente o pagamento voluntário, será expedido, desde logo, mandado de penhora e avaliação, seguindo-se
os atos de expropriação (NOVO CPC, art. 523, § 3º).
Expediente necessário.
Barra da Estiva-BA, 08 de março de 2019.
EGILDO LIMA LOPES
Juiz de Direito

VARA CRIME, JÚRI, EXECUÇÕES PENAIS, INFÂNCIA E JUVENTUDE


VARA CRIME, JÚRI, EXECUÇÕES PENAIS E INFÂNCIA
E JUVENTUDE DE BARRA DA ESTIVA - BAHIA.

JUIZ DE DIREITO: Dr. EGILDO LIMA LOPES

FÓRUM ELIEZER RODRIGUES DE SOUZA


RUA SANTA VIEIRA DE CASTRO, 106 - CENTRO
BARRA DA ESTIVA-BAHIA CEP: 46650-000
Tel ( 77 ) 3450 1030/1634

E-mail Oficial: barradaestiva.varacrime@tjba.jus.br

FICAM AS PARTES, ADVOGADOS E DEMAIS INTERESSADOS, DEVIDAMENTE INTIMADOS DOS DESPACHOS, DECISÕES, SEN-
TENÇAS E AUDIÊNCIAS DESIGNADAS NOS PROCESSOS ABAIXO:

Expediente do dia 25 de fevereiro de 2019

0000024-54.2003.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Autor(s): Ministério Público Da Comarca De Barra Da Estiva
Reu(s): Ermivaldo Alves Moura
Advogado(s): José Carlos dos Reis
0000630-38.2010.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): Ministerio Publico Estadual
Reu(s): Damiao Da Rocha Caires
Advogado(s): Haidee Aguiar Dantas Franca
Vítima(s): Joselito Costa Ferreira
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 40

0000577-23.2011.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Autor Do Fato(s): Wilker Sharley Xavier Da Silva
Vítima(s): Ubirajara Sales Fagundes
0000889-67.2009.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): Maria Jose Moura Da Silva
Vítima(s): Ana De Lourdes Silva Almeida
0000073-85.2009.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): Ministério Público Da Comarca De Barra Da Estiva
Reu(s): Lucivaldo Pereira Da Silva
Advogado(s): Fábio Dutra Luz
0000072-03.2009.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Apensos: 2880966-2/2009, 2881017-9/2009
Autor(s): Ministério Público Da Comarca De Barra Da Estiva
Reu(s): Ricardo De Abreu De Oliveira
Advogado(s): Dilson Augusto da Silva Rodrigues
0000625-16.2010.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): Ministério Público Estadual
Reu(s): Roque Santos Barreto
Advogado(s): Cristiano Moreira da Silva
Vítima(s): Andre Dos Santos Lidorio
0000706-96.2009.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Apensos: 2774758-9/2009
Autor(s): Ministério Público Da Comarca De Barra Da Estiva
Reu(s): Francisco Ribeiro Da Silva
Vítima(s): Marcia Antonia Castelhano Silva
0000535-71.2011.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Reu(s): Fabiolo Santos Batista
Vítima(s): Francisco Vieira Silva
0000814-57.2011.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): Ministerio Publico Da Comarca De Barra Da Estiva
Reu(s): Relantite Costa Dos Santos
Advogado(s): Carlos Roberto Rocha Aguiar
0000622-61.2010.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): Ministerio Publico Estadual
Reu(s): Roberto Santos Souza
Vítima(s): Maria Isabel Moura Da Silva
0000237-50.2009.805.0019 - Procedimento Especial dos Crimes de Abuso de Autoridade
Autor(s): Ministerio Publico De Barra Da Estiva
Reu(s): Narciso Oliveira Novais Neto
0000623-46.2010.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Sumário
Autor(s): Ministerio Publico Estadual
Reu(s): Vivaldo Domingues Do Amaral
0000338-87.2009.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): Ministério Público Da Comarca De Barra Da Estiva
Reu(s): Joelva Vieira Costa
Vítima(s): Almir Bonfim Celes
0000741-85.2011.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Reu(s): Marlene Soares Pires
0000653-47.2011.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Reu(s): Gilmar Dos Santos Ribeiro
Vítima(s): Arnaldo Dos Santos Ribeiro, Neusilene Ferreira De Amaral
0001243-19.2014.805.0019 - Ação Penal - Procedimento Ordinário
Autor(s): O Ministerio Publico Do Estado Da Bahia
Reu(s): Neuza Alves Da Silva
Testemunha(s): Aldiney Ribeiro Alves, Milton Ribeiro Da Silva, Evanio Costa e outros
Sentença: EXTINTA A PUNIBILIDADE pelos fatos descritos na denúncia, em relação a (os) denunciado (s), na forma do art. 107, IV, do
CP. P.R.I. 27 DE FEVEREIRO DE 2019. EGILDO LIMA LOPES. JUIZ DE DIREITO

BARRA DO CHOÇA
VARA CÍVEL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000004-59.2019.8.05.0020 Procedimento Comum Cível
Jurisdição: Barra Do Choça
Autor: Domilson Ferreira Santa Rosa
Advogado: Paulo Henrique Malheiros Vilas Boas (OAB:0034152/BA)
Réu: Toyama Do Brasil Maquinas Ltda.
Réu: Modulo Insumos Agropecuarios Ltda.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 41

Intimação:
DECISÃO
Custas ao final.
Designo a audiência de tentativa de conciliação para o dia 11/04/2019, às 13:50 horas, a ser realizada na Sala de Audiências do
Fórum local.
Intime-se a parte Autora a comparecer (art. 334, § 3º e § 9º, CPC), sob pena de multa de até 2% do valor da causa ou da vantagem
econômica pretendida (art. 334, § 8º, CPC).
Com antecedência mínima de 20 dias, CITEM-SE as Requeridas, bem como para comparecerem à audiência (art. 334, § 9º, CPC),
sob pena de multa de até 2% do valor da causa ou da vantagem econômica pretendida na inicial (art. 334, § 8º, CPC).
Advirta-se de que o prazo de 15 dias para contestação fluirá independentemente de intimação ou manifestação judicial superveniente
a partir da data da realização da audiência (art. 335, caput e inciso I, CPC), se não houver acordo, ou da data do protocolo da
manifestação expressa de desinteresse, nos termos dos arts. 334, § 5º e §6º e 335, I, II e § 1º, CPC, bem como dos efeitos da não
contestação (art. 344, CPC).
Caso sobrevenha manifestação de desinteresse das requeridas, na forma e prazo do art. 334, §§ 5º e 6º, cancele-se incontinenti a
audiência designada, cientifiquem-se as partes, na pessoa dos advogados, para a exclusiva finalidade de se evitar comparecimento
desnecessário, e aguarde-se o término do prazo para contestação, observando-se o disposto no art. 335, I, II e § 1º, CPC.

Cumpra-se. Intimem-se.

Barra do Choça-Bahia,13 de fevereiro de 2019.

BELA. LÁZARAABADIA DE OLIVEIRA FIGUEIRA


Juíza de Direito

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000994-84.2018.8.05.0020 Procedimento Comum Cível
Jurisdição: Barra Do Choça
Réu: Municipio De Caatiba
Autor: Carmelia De Almeida Silva
Advogado: Alexandre Garcia Araujo (OAB:0041194/BA)

Intimação:
DECISÃO
Custas ao final.
Designo a audiência de tentativa de conciliação para o dia 16/04/2019, às 14:10h, a ser realizada na Sala de Audiências do Fórum
local.
Intime-se a parte Autora a comparecer (art. 334, § 3º e § 9º, CPC), sob pena de multa de até 2% do valor da causa ou da vantagem
econômica pretendida (art. 334, § 8º, CPC).
Com antecedência mínima de 20 dias, CITE-SE a parte Requerida, bem como para comparecer à audiência (art. 334, § 9º, CPC), sob
pena de multa de até 2% do valor da causa ou da vantagem econômica pretendida na inicial (art. 334, § 8º, CPC).
Advirta-se de que o prazo de 30 dias para contestação fluirá independentemente de intimação ou manifestação judicial superveniente
a partir da data da realização da audiência (art. 335, caput e inciso I, CPC), se não houver acordo, ou da data do protocolo da
manifestação expressa de desinteresse, nos termos dos arts. 334, § 5º e §6º e 335, I, II e § 1º, CPC, bem como dos efeitos da não
contestação (art. 344, CPC).
Caso sobrevenha manifestação de desinteresse da parte requerida, na forma e prazo do art. 334, §§ 5º e 6º, cancele-se incontinenti
a audiência designada, cientifiquem-se as partes, na pessoa dos advogados, para a exclusiva finalidade de se evitar compareci-
mento desnecessário, e aguarde-se o término do prazo para contestação, observando-se o disposto no art. 335, I, II e § 1º, CPC.
Cumpra-se. Intimem-se.
Barra do Choça-Bahia, 14 de fevereiro de 2019.

BELA. LÁZARAABADIA DE OLIVEIRA FIGUEIRA


Juíza de Direito

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000935-96.2018.8.05.0020 Execução De Alimentos
Jurisdição: Barra Do Choça
Exequente: Michelle Santos Novaes
Advogado: Marco Paulo Cerqueira (OAB:0045354/BA)
Executado: Rogerio Nogueira Celino Carneiro
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 42

Intimação:
8000935-96.2018.8.05.0020

Rh.

A vista do teor da certidão Id 19533790, redesigno audiência para o dia 11/04/2019, às 17:10 horas.
Intimações necessárias.
Barra do Choça, 14 de fevereiro de 2019.
Bela. Lázara Abadia de Oliveira Figueira
- Juíza de Direito -

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000584-60.2017.8.05.0020 Guarda
Jurisdição: Barra Do Choça
Requerente: Romario Pereira Vilarin
Advogado: Wiliam Silva Souza (OAB:0036539/BA)
Requerido: Luana Pereira Dos Santos
Advogado: Ana Paula De Oliveira Britto (OAB:0018138/BA)
Advogado: Bruna Fabri Almeida Do Vale (OAB:0051193/BA)

Intimação:
DESPACHO
Processo nº. 8000584-60.2017.805.0020
Rh.
Acolho a promoção Ministerial de Id 13090288.
Designo audiência de instrução para o dia 18/04/2019, às 16:00 horas.
Oficie-se ao Centro de Referência de Assistência Social - CRAS - para a realização do estudo social, no prazo de 20 (vinte) dias.
Faça constar do ofício que o laudo deverá ser encaminhado diretamente a este Juízo.
Cumpra-se.
Barra do Choça, ___ de fevereiro de 2019.
Bela. Lázara Abadia do Oliveira Figueira
- Juíza de Direito -

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000008-96.2019.8.05.0020 Tutela E Curatela - Nomeação
Jurisdição: Barra Do Choça
Requerente: Joel De Novais Silva
Advogado: Najara Viana Oliveira (OAB:0040441/BA)
Requerido: Ester De Novais Silva

Intimação:
DECISÃO
8000008-96.2019.8.05.0020
Tratam os autos de AÇÃO DE INTERDIÇÃO, no qual o Autor, JOEL DE NOVAIS SILVA, requer a concessão da medida liminar para que
seja nomeado curador provisório de sua irmã, ora Interditanda, ESTER DE NOVAIS SILVA.
DECIDO.
Verifico que o Autor especificou devidamente os fatos que demonstram a incapacidade da Interditanda para administrar seus bens
e praticar os atos da vida civil, juntando inclusive laudo médico a respeito - evento Id 19056827. Também, justificou a urgência para
nomeação de curador provisório, vez que faz-se necessário a regularização da representação da Interditando junto ao INSS, como
forma de pleitear benefício de caráter alimentar.
Desta feita, comprovada inicialmente a incapacidade da Interditanda para administrar seus bens, nomeio-lhe curador provisório na
pessoa do Requerente, que deve ser intimado para prestar o compromisso de curatela no prazo de 05 dias úteis.
Registro que a Curatela abrange tão somente os atos de natureza patrimonial e negocial (art. 85 da Lei n. 13.146, de 2015).
Determino a citação da Interditanda para comparecer neste Fórum no dia 03 de abril de 2019, às 14;00 horas, a fim de que seja feita
sua entrevista, na forma do artigo 751 do Código de Processo Civil, devendo ficar ciente de que terá o prazo de 15 dias úteis para
impugnar o pedido de interdição, a contar da data da entrevista, sendo que, caso não constitua advogado, lhe será nomeado Curador
Especial.
Cientifique-se o Ministério Público acerca da existência desta demanda e da data de entrevista da Interditanda.
Cumpra-se.
Intimações necessárias.
Barra do Choça-Bahia, 13 de fevereiro de 2019.
BELA. LÁZARAABADIA DE OLIVEIRA FIGUEIRA
JUÍZA DE DIREITO
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 43

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000634-52.2018.8.05.0020 Tutela
Jurisdição: Barra Do Choça
Requerente: William Pinto Gama
Advogado: Najara Viana Oliveira (OAB:0040441/BA)
Requerido: Vanusa Pintos Dos Santos
Requerido: Daiane Pinto Dos Santos
Requerido: Ualas Pinto Dos Santos

Intimação:
TERMO DE AUDIÊNCIA
Processo nO 8000634-52.20 18.8.05.0020 Ação: TUTELA C/C pedido liminar Requerente: WILLlAM PINTO GAMA. Advogado da
Requerente: Bel. NA.JARA VIANA OLIVEIRA, OAB/BA 40441. Promotora de Justiça: Dra. SORA YA MEIRA CHAVES. Aos (08) dias do mês
de março ano de dois mil e dezenove (2019), às 15:30 horas nesta Cidade e Comarca de Barra do Choça, onde presente se achava
a Exa. Sra. Dra. LÁZARA ABADIA DE OLIVEIRA FIGUEIRA, Juíza de Direito, comigo Escrivã do seu cargo adiante nomeada e assinado,
presentes ainda, o requerente e os innão VANUSA PINTO DOS SANTOS, DAIANE PINTO DOS SANTOS e UALAS PINTO DOS
SANTOS, desacompanhados de sua advogada. Pela MM. Juíza foi dito que: redesigno a audiência de instrução para o dia 28/03/20
I9, 16:30horas, quando serão ouvidas as testemunhas apresentadas pelas partes. Intimados os presentes. Intimem-se os ausen-
tes. Cumpra-se o quanto determina o no despacho anterior. Nada mais havendo foi lavrado o presente que li i achado confonne, vai
devidamente assinado por quem de direito. Eu (Bela. Núbia Cássia Ferreira Cruz), Escrivã, digitei e subscrevi. Dra. Lázara Abadia de
Oliveira Figueira Juíza de Direito.

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8001085-77.2018.8.05.0020 Retificação Ou Suprimento Ou Restauração De Registro Civil
Jurisdição: Barra Do Choça
Autor: Camila Gomes Carvalho
Advogado: Marco Paulo Cerqueira (OAB:0045354/BA)

Intimação:
Processo nº. 8001085-77.2018.8.05.0020
Rh.
Acolho a promoção Ministerial de Id 19407646. Intime-se para o cumprimento no prazo de 15 (quinze) dias.
Designo audiência de instrução para o dia 30.04.2019, às 14:00 horas, onde deverão ser ouvidas a genitora e as testemunhas da
Requerente.
Dê-se ciência ao Ministério Público.
Intimações necessárias.
Barra do Choça, 14 de fevereiro de 2019.
Bela. Lázara Abadia de Oliveira Figueira
- Juíza de Direito -

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000053-03.2019.8.05.0020 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Barra Do Choça
Autor: Jesuino Panan Pacheco Da Silva
Advogado: Wiliam Silva Souza (OAB:0036539/BA)
Réu: Banco Bradesco Sa

Intimação:
DECISÃO

Vistos.

Recebo nos termos da Lei nº 9.099/95.

Tramitação prioritária, nos termos da Lei nº 10.741/2003.

JESUINO PANAN PACHECO DA SILVA ingressou com a AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO C/C DEVOLUÇÃO DE VALOR PAGO, EM
DOBRO, C/C REPARAÇÃO DE DANOS MORAIS C/C PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA em face do BANCO BRASILEIRO DE
DESCONTOS - BRADESCO S.A..
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 44

Em síntese, alega o Autor que é titular de benefício previdenciário, sendo creditado tais valores pelo INSS em conta bancária nº
0007949-9, agência 3603, aberta junto ao Banco Requerido.
Alega, ainda, que não reconhece um empréstimo realizado em seu nome no valor de R$ 2.600,00 (dois mil e seiscentos reais),
realizado em 08/10/2018, a ser pago em 10 (dez) parcelas de R$ 404,59 (quatrocentos e quatro reais e cinquenta e nove centavos).
Informa que, mesmo expondo ao Banco Requerido que teria sido vítima de fraude, tal Instituição não manifestou interesse em
suspender o empréstimo, razão pela qual ajuizou a presente ação.

É o relatório. DECIDO.

Os documentos que instruíram o pedido inicial indicam a probabilidade do direito do autor pois evidenciam os descontos havidos em
conta corrente utilizada para recebimento de benefício previdenciário.

Há também urgência no pedido. Há perigo de dano vez que a realização de descontos no benefício previdenciário do autor enseja,
com efeito, patente prejuízo, diante da natureza alimentar da verba, que, não sendo paga em sua integralidade, pode comprometer
sobremaneira o seu sustento.

Diante do exposto, DEFIRO a tutela provisória. DETERMINO ao réu que proceda a SUSPENSÃO dos descontos havidos em conta
fácil de titularidade da Parte Autora, nº 0007949-9, agência 3603, referentes à parcela do empréstimo realizado em 08/10/2018, no
valor de R$ 404,59 (quatrocentos e quatro reais e cinquenta e nove centavos), no prazo de 72 (setenta e duas) horas, até decisão
posterior deste Juízo.
Designo Audiência de Conciliação para o dia 23/04/2019, às 15:10 horas, a ocorrer na Sala de Audiências do Fórum desta Comarca.

Cite-se, nos termos do pedido, com as advertências da lei.

Intimem-se.
Barra do Choça,12 de fevereiro de 2019.

Bela. Lázara Abadia de Oliveira Figueira


- Juíza de Direito -

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000053-03.2019.8.05.0020 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Barra Do Choça
Autor: Jesuino Panan Pacheco Da Silva
Advogado: Wiliam Silva Souza (OAB:0036539/BA)
Réu: Banco Bradesco Sa
Advogado: Carlos Eduardo Cavalcante Ramos (OAB:0037489/BA)

Intimação:
DECISÃO

Vistos.

Recebo nos termos da Lei nº 9.099/95.

Tramitação prioritária, nos termos da Lei nº 10.741/2003.

JESUINO PANAN PACHECO DA SILVA ingressou com a AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO C/C DEVOLUÇÃO DE VALOR PAGO, EM
DOBRO, C/C REPARAÇÃO DE DANOS MORAIS C/C PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA em face do BANCO BRASILEIRO DE
DESCONTOS - BRADESCO S.A..

Em síntese, alega o Autor que é titular de benefício previdenciário, sendo creditado tais valores pelo INSS em conta bancária nº
0007949-9, agência 3603, aberta junto ao Banco Requerido.
Alega, ainda, que não reconhece um empréstimo realizado em seu nome no valor de R$ 2.600,00 (dois mil e seiscentos reais),
realizado em 08/10/2018, a ser pago em 10 (dez) parcelas de R$ 404,59 (quatrocentos e quatro reais e cinquenta e nove centavos).
Informa que, mesmo expondo ao Banco Requerido que teria sido vítima de fraude, tal Instituição não manifestou interesse em
suspender o empréstimo, razão pela qual ajuizou a presente ação.

É o relatório. DECIDO.

Os documentos que instruíram o pedido inicial indicam a probabilidade do direito do autor pois evidenciam os descontos havidos em
conta corrente utilizada para recebimento de benefício previdenciário.

Há também urgência no pedido. Há perigo de dano vez que a realização de descontos no benefício previdenciário do autor enseja,
com efeito, patente prejuízo, diante da natureza alimentar da verba, que, não sendo paga em sua integralidade, pode comprometer
sobremaneira o seu sustento.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 45

Diante do exposto, DEFIRO a tutela provisória. DETERMINO ao réu que proceda a SUSPENSÃO dos descontos havidos em conta
fácil de titularidade da Parte Autora, nº 0007949-9, agência 3603, referentes à parcela do empréstimo realizado em 08/10/2018, no
valor de R$ 404,59 (quatrocentos e quatro reais e cinquenta e nove centavos), no prazo de 72 (setenta e duas) horas, até decisão
posterior deste Juízo.
Designo Audiência de Conciliação para o dia 23/04/2019, às 15:10 horas, a ocorrer na Sala de Audiências do Fórum desta Comarca.

Cite-se, nos termos do pedido, com as advertências da lei.

Intimem-se.
Barra do Choça,12 de fevereiro de 2019.

Bela. Lázara Abadia de Oliveira Figueira


- Juíza de Direito -

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8001084-92.2018.8.05.0020 Retificação Ou Suprimento Ou Restauração De Registro Civil
Jurisdição: Barra Do Choça
Autor: Roberta Gomes Carvalho
Advogado: Marco Paulo Cerqueira (OAB:0045354/BA)

Intimação:
DESPACHO
Processo nº. 8001084-92.2018.8.05.0020
Rh.
Acolho a promoção Ministerial de Id 19407547. Intime-se para o cumprimento no prazo de 15 (quinze) dias.
Designo audiência de instrução para o dia 25.04.2019, às 16:00 horas, onde deverão ser ouvidas a genitora e as testemunhas da
Requerente.
Dê-se ciência ao Ministério Público.
Intimações necessárias.
Barra do Choça, 14 de fevereiro de 2019.

Bela. Lázara Abadia de Oliveira Figueira


- Juíza de Direito -

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000061-77.2019.8.05.0020 Divórcio Litigioso
Jurisdição: Barra Do Choça
Requerente: M. D. G. O. S.
Advogado: Marco Paulo Cerqueira (OAB:0045354/BA)
Requerido: M. J. S.

Intimação:
DESPACHO
Rh.
1. O processo tramita em segredo de justiça, a teor do disposto no inc. II do art. 189 do Novo Código de Processo Civil, pelo que
deverão ser observadas as restrições lançadas no inc. I do seu art. 107 e art. 368.
2. Defiro a gratuidade da Justiça, tendo em vista as alegações e requerimento constante na inicial, com fundamento nos artigos
98 e 99 do NCPC.
3. Cite-se o requerido para comparecer à audiência de conciliação ora designada para o dia 23/04/2019, às 15:50 horas,
informando que as partes deverão comparecer acompanhadas de seus advogados.
4. Quanto aos alimentos provisórios devidos ao filho menor do casal, arbitro-os em 20% (vinte por cento) do salário mínimo
vigente, devidos desde a citação, a serem depositados em conta judicial, até o dia 05 (cinco) de cada mês.
5. A Secretaria deverá providenciar a citação/intimação do réu, com pelo menos 15 (quinze) dias de antecedência da data da
audiência, observando-se o disposto no artigo 695 do NCPC.
6. Façam-se as demais intimações necessárias, inclusive o Ministério Público.
7. Cumpra-se.
Barra do Choça-Bahia,12 de fevereiro de 2019.

Bela. Lázara Abadia de Oliveira Figueira


Juíza de Direito
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 46

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000839-52.2016.8.05.0020 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Barra Do Choça
Autor: Cristiane Aparecida De Moura Santos
Advogado: Ezequiel Barberino Alves (OAB:0030884/BA)
Réu: Companhia De Eletricidade Do Estado Da Bahia Coelba
Advogado: Paulo Abbehusen Junior (OAB:0028568/BA)
Advogado: Danilo Lopes Franco (OAB:0037278/BA)

Intimação:
Processo nº 8000839-52.2016.8.05.0020
DESPACHO
Verificando que o presente feito amolda-se ao rito previsto na Lei nº 9.099/95, designo audiência de instrução e julgamento para o dia
23/04/2019, às 16:00 horas.
Intimações necessárias.
Barra do Choça, 14 de fevereiro de 2019.
Bela. Lázara Abadia do Oliveira Figueira
- Juíza de Direito -

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
VARA DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO CHOÇA
INTIMAÇÃO
8000719-09.2016.8.05.0020 Procedimento Ordinário
Jurisdição: Barra Do Choça
Autor: Lazaro Tauan De Jesus Santos
Advogado: Najara Viana Oliveira (OAB:0040441/BA)
Réu: Mauricio Melo Moitinho

Intimação:
DESPACHO

8000719-09.2016.8.05.0020

Rh.

Analisando os autos, verifico que desde o ano de 2016, quando a ação fora proposta, este Juízo tentar realizar audiência, sem êxito,
em razão da dificuldade na localização do Requerido, via Correios.
Conforme se verifica da petição de Id 12549565, trata-se de pessoa conhecida na cidade por Bodão, proprietário de uma borracharia,
e convivente da Vereadora Márcia Brenda, conhecida por Marcinha de Açude, não havendo qualquer justificativa para a não localiza-
ção do mesmo.
Desta forma, redesigno audiência para o dia 11/04/2019, às 15:30 horas.
Expeça-se Carta Precatória com a devida urgência. Observe-se os termos do despacho de Id 3278793.
Intimações necessárias.
Barra do Choça, 14 de fevereiro de 2019.
Bela. Lázara Abadia de Oliveira Figueira
- Juíza de Direito -

VARA CRIME, JÚRI, EXECUÇÕES PENAIS, INFÂNCIA E JUVENTUDE


PODER JUDICIÁRIO
JUÍZO DE DIREITO DA VARA CRIME, JÚRI E DA INFÂNCIA E JUVENTUDE DA COMARCA DE BARRA DO CHOÇA - BAHIA.
JUÍZA TITULAR: LAZARAABADIA DE OLIVEIRA FIGUEIRA
ESCRIVÃO: SEBASTIÃO ALVES DA COSTA NETO

Expediente do dia 11 de fevereiro de 2019

0000311-23.2017.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Apensos: 5861997-2/2017
Autor(s): M. P. D. E. D. B. -. B. D. C.
Reu(s):Jacson Jovino Carvalho Muniz
Advogado(s): Alexandre Filadelfo Santos Oliveira, Reinaldo Chagas Ribeiro
Interessado(s): D. T. D. B. D. C.
Testemunha De Defesa(s): I. O. A., A. C. A. S., A. P. C. e outros
Testemunha(s): R. L. D. A., N. L. D. A., P. L. D. A.
Vítima(s): G. D. A. M.
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 47

Despacho: "À vista de certidão supra na qual demonstra que houve publicação da setença em 23/11/2018 considerando que o
presente recurso fora interposto no dia 27/11/2018, tenho que o recurso de apelação é tempestivo e restam presentes os demais
pressupostos recursais, razão pela qual merece ser recebido. Isto posto, recebo o recurso de apelação. Intimem-se o Apelantee,
depois dele, o Apelado, para apresentarem razões e contrarazões de recurso, respectivamente, no prazo legal de 08 (oito) dias,
consoante o art. 600 do CPP vigente. Expeça-se Guia de Recolhimento Provisória. Cumpra-se. Intimem-se. Publique-se. Barra do
Choça, 11 de fevereiro de 2018. (a) Bela Lázara Abadia de Oliveira Figueira."

Expediente do dia 12 de fevereiro de 2019

0001175-37.2012.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Apensos: 4930022-0/2012
Autor(s): Ministério Público - Barra Do Choca
Reu(s): Davi Alves Sales
Advogado(s): Marlon Nogueira Flick
Despacho: "Rh. Dando prosseguimento ao feito, diante da informação de que o acusado, outrora foragido, encontra-se custodiado
no Conjunto Penal de Vitória da Conquista (fl. 12), designo audiência de Instrução para o dia 27 de março de 2019, às 14:00 horas.
Cumpra-se, nos termos do Despacho de fl. 61. Dê ciência ao Ministério Público. Barra do Choç, 12 de fevereiro de 2019. LAOFigueira,
Juíza de Direito Titular".

0000310-38.2017.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Apensos: 5900715-9/2017
Autor(s): Ministério Público Do Estado Da Bahia - Barra Do Choça/Ba
Reu(s): Denis Ribeiro Sousa
Advogado(s): Wilde Humberto de Campos
Interessado(s): Delegacia Territorial De Barra Do Choça, 4º Pelotão De Polícia Militar - Barra Do Choça/Ba
Testemunha De Defesa(s): Euripios Marques Do Nascimento, Paulo Antônio Moreira Filho
Testemunha(s): Cleonildo Silva Lima, George Pereira De Melo Silva, Tiago Gonçalves Morais
Advogado(s): Wilde Humberto de Campos
Despacho: "Rh. À vista da Certidão de fl. 155, e com base no quanto decidido no comando setencial, reitero que deverá o Sentenciado
ser recolhido à custódia, pelas razões já declinadas. Isto posto, recebo a Apelação. Apresentadas as Razões de Recurso, intimem-
se o apelado, para apresentar Contrarazões, no prazo legal de 08(oito) dias, consoante o art. 600 do CPP vigente. Expeça-se a
competente Guia de Recolhimento Provisória. Cumpra-se. Após, retornem-me os autos conclusos. Barra do Choça, 12 de fevereiro
de 2019. (a)Bela Lázara Abadia de Oliveira Figueira."

0000392-69.2017.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Apensos: 5922660-8/2017
Autor(s): Ministério Público Do Estado Da Bahia - Barra Do Choça/Ba
Reu(s): Leonardo Dos Santos Dias
Advogado(s): Wilde Humberto de Campos
Interessado(s): Delegacia Territorial De Barra Do Choça, Departamento De Polícia Técnica (Dpt) - Vitória Da Conquista/Ba
Testemunha(s): Fabio Gomes Soares, Antonio Carlos Alves Ferreira, Jemerson De Jesus Santos
Despacho: "À vista de certidão supra, e com base no quanto decidido no comando setencial, reitero que deverá o Sentenciado
permanecer sob custódia, pelas razões já declinadas. Isto posto, recebo a Apelação. Intimem-se, o Apelante e o Apelado, para
apresentar as Razões e Contrarazões de Recurso, sucessivamente, no prazo legal de 08 (oito) dias, consoante o art. 600 do CPP
vigente. Expeça-se Guia de Recolhimento Provisória. Cumpra-se. Barra do Choça, 12 de fevereiro de 2019. (a) Bela Lázara Abadia de
Oliveira Figueira."

Expediente do dia 15 de fevereiro de 2019

0000408-23.2017.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Apensos: 5936220-1/2017
Autor(s): Ministério Público do Estado da Bahia-Barra do Choça/BA
Reu(s): Manoel Brito Alves
Advogado(s): Wiliam Silva Souza
Interessado(s): D. T. D. B. D. C., D. D. P. T. (. -. V. D. C.
Testemunha De Defesa(s): E. S. D. V., T. S. D., I. D. S. P. e outros
Testemunha(s): Z. S. R., Z. D. J. L. R.
Vítima(s): L. D. J. L.
Despacho: "À vista de certidão supra na qual demonstra que houve publicação da setença em 20/12/2018, e o Setenciado intimado
pessoalmente em 08/02/2019, considerando que o presente recurso fora interposto no dia 23/01/2019, tenho que o Recurso de
Apelação é tempestivo e restam presentes os demais pressupostos recursais, razão pela qual merece ser recebido. Isto posto,
RECEBO o Recurso de Apelação. Intimem-se o Apelado, para apresentarem as contrarrazões de recurso, no prazo legal de 08 ( oito)
dias, consoante o art. 600 do CPP vigente. Cumpra-se. Intimem-se. Publique-se. Barra do Choça, 15 de fevereiro de 2019. (a) Bela
Lázara Abadia de Oliveira Figueira."
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 48

Expediente do dia 08 de março de 2019

0000693-26.2011.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Autor(s): Ministerio Publico Estadual
Reu(s): Fagner Da Silva Nascimento
Advogado(s): Iago Duarte Teixeira
Sentença: "FAGNER DA SILVA NASCIMENTO, brasileiro, solteiro, natural de Pojuca-BA, nascido em 19/05/1988, portador do RG
12.023.105-08 SSP/BA, filho de Jovelina da Silva Nascimento, domiciliado na Rua Londrina, nº 455, bairro Patagônia - Vitória da
Conquista/BA, foi denunciado pelo Ministério Público com incursos nos artigos 121, §2º, inciso IV (recurso que dificultou a defesa do
ofendido), do Código Penal, incidentes nas disposições estatuídas na Lei nº 8072/90.Segundo descreveu a denúncia, na madruga-
da do dia 13 de Março de 2011, por volta das 01:00 horas, ocorria uma festa no local denominado Barra Esporte Clube, situado na
Praça Getúlio Vargas, Centro, desta cidade. A vítima estava acompanhada de amigos, quais sejam Edinaldo de Jesus Costa,
Washington Oliveira Nascimento, Naiara Tiago Vaz, Iara Souza de Jesus, Jaciara de Jesus Santos. Quando a vítima estava saindo do
estabelecimento, ele, seus amigos e o denunciado, bem como demais presentes se envolveram em uma briga na porta do referido
clube, tendo a testemunha Edinaldo de Jesus Costa se defendido de uma agressão iminente, desferindo um murro no denunciado
(fls. 02/04). Após a briga, a vítima e as testemunhas arroladas no inquérito policial foram para casa de Edinaldo de Jesus Costa, que
recebeu uma ligação telefônica, informando que o denunciado tinha ido buscar uma arma para vingá-lo. Desta feita, a vítima e os
seus amigos, temendo pela ameaça informada, permaneceram dentro da casa de Edinaldo (fls. 12/22).No entanto, narra o inquérito
acusatório que, quando a vítima resolveu guardar a sua moto dentro da casa de Edinaldo, esta foi surpreendida pelo denunciado
que, com uma arma na mão, mirou-a na nuca da vítima, desferindo o disparo letal, pegando a vítima de surpresa e evitando ou
tornando impossível a defesa do ofendido. Destacou o Ministério Público que, pelas declarações prestadas, em sede administrativa
pelas testemunhas, a intenção do denunciado era de matar aquele quem lhe deu um murro, qual seja Edinaldo de Jesus Costa,
mas acabou ceifando a vida de Ademar Dias Santos (fls. 12/22). (...) Eis o relato, DECIDO.Trata-se de ação penal pública incondicionada,
objetivando apurar a responsabilidade criminal de FAGNER DA SILVA NASCIMENTO, anteriormente qualificado na peça vestibular
acusatória.Prima facie, cumpre destacar que a alegação de absolvição sumária resta solteira no processo, tendo em vista que há
provas testemunhais e periciais, colacionadas aos autos às fls. 12/22 e fls. 29/30, que comprovam a materialidade delitiva e a autoria
como sendo o denunciado. Deste modo, o robusto lastro probatório não permite que triunfe o arrazoado da defesa.A materialidade
do delito está devidamente comprovada nos autos, por meio do laudo de exame necroscópico, que concluiu que a morte se deu em
decorrência do traumatismo raquimedular, devido ao instrumento perfuro contundente, qual seja o projétil de arma de fogo, conforme
se extrai das fls.29/30.Tendo em vista o relatório do laudo necroscópico, não há dúvida de que a causa da morte foi provocada pela
ação perfurante da arma de fogo, perfazendo, assim, a comprovação da materialidade criminal.Quanto à autoria delitiva, em análise
do quanto apurado em sede de investigação policial, por meio dos depoimentos colhidos, às fls. 12/22 e fls. 27/28, e confirmado, nos
depoimentos testemunhais em juízo, sob o crivo do contraditório e ampla defesa, às fls. 120/122, 127/128 e fls. 175/77, há indícios
suficientes de que o denunciado foi o autor do disparo que atentou contra a vida de Ademar Dias Santos.Dos depoimentos das
testemunhas, decorre-se que todos afirmam de forma categórica e inequívoca ter sido o denunciado o autor do disparo. Ainda das
alegações constantes nos autos e do minudente relatório de investigação policial realizado, concluiu-se que a ação se deu em
decorrência de um desentendimento entre o denunciado e um amigo da vítima, Edinaldo de Jesus Sousa em um bar neste
município.Em razão da situação, o denunciado, com o intuito de se vingar da testemunha Edinaldo de Jesus Sousa, deslocou-se até
o local do evento ocorrido e, agindo de forma surpresa, sem que a vítima pudesse reagir, desferiu o disparo na nuca da vítima,
pensando ser Edinaldo de Jesus Sousa. Dessa forma, não resta dúvidas de que o denunciado foi o responsável pela morte de
Ademar Dias Santos.Demonstrada a materialidade do fato delitivo, com a juntada do exame necroscópico e depoimentos constan-
tes nos autos, contenta-se a lei tão só com a ocorrência de indícios suficientes para a decretação da pronúncia. Dela não se exige
o mesmo rigor pleno de provas que, de ordinário, se tem como imprescindível para o juízo condenatório final.No que toca aos indícios
de autoria delitiva, tenho que não pairam dúvidas sobre a imputação constante na denúncia, eis que a robusta prova testemunhal,
apontam o denunciado como o suposto autor do crime constante na denúncia. (...)Em face do exposto, JULGO PROCEDENTE a
pretensão ministerial e, com fundamento no artigo 413 do Código de Processo Penal, PRONUNCIO o réu FAGNER DA SILVA
NASCIMENTO, qualificado nos autos, com incursos na sanção do art. 121, §2º, IV do CP, para que se submeta a julgamento pelo
Tribunal do Júri.A ordem pública, traduzida na segurança e manutenção da ordem social justa, encontra-se seriamente abalada e
visivelmente combalida. O crime rompe a ordem jurídica, reclamando a pronta intervenção do Estado-Juiz, objetivando a restauração
da ordem. O Excelso Supremo Tribunal Federal orienta-nos, que: "No conceito de ordem pública não se visa apenas prevenir a
reprodução de fatos criminosos, mas acautelar o meio social e a própria credibilidade da justiça, em face da gravidade do crime e de
sua repercussão (Precedentes do STF RTJ 124/1.033).Consigno que a forma praticada na execução do crime revela a gravidade da
situação, que abalou a sociedade. Ademais, o agente buscou evadir da região, após o cometimento do crime, somente sendo
encontrado em razão de situação flagrancial em outra região, justificando assim a aplicação cogente da medida cautelar imprescin-
dível para resguardar a ordem pública.Percebe-se, assim, que o decreto prisional encontra-se devidamente fundamentado em
dados concretos extraídos dos autos que denotam fato de extrema gravidade, em concreto, tendo o agente ter sido impulsionado por
vingança decorrente de uma briga em estabelecimento local. Dessume-se, ainda, do histórico criminal do denunciado, ser o agente
traficante de drogas na região, liderando a facção denominada Tudo 2, na região.Soma-se a essa realidade, o risco concreto e
fundado a que estão submetidas as testemunhas, que presenciaram o fato criminoso e depuseram perante a fase policial e judicial,
as quais, de maneira robusta e harmoniosa, declinaram e apontaram a autoria delitiva ao réu, o que corrobora a necessidade de
segregação cautelar para a garantia da ordem pública e instrução processual, diante da possível submissão a julgamento pelo
Júri.No caso em espécie, a custódia preventiva decorre, ainda, da necessidade de acautelar a ordem pública, haja vista o risco de
reiteração delitiva pelo agente, bem como por conveniência da aplicação da lei penal, a fim de garantir a regular aquisição, conser-
vação e veracidade da prova testemunhal, a qual foi robusta e harmônica, apontando o Acusado como responsável pela prática do
crime imputado, pelo que a liberdade do réu é temerária e põe em risco a incolumidade das testemunhas que depuseram durante
a instrução processual e poderão depor perante o Tribunal do Júri, razão pela qual a custódia cautelar é medida imprescindível.Em
face do exposto, reservo ao Tribunal do Júri a análise das provas e para o debate das partes, seguindo os ditames formais do
processo do Júri.Publique-se.Registre-se.Intimem-se.Cumpra-se.Barra do Choça, 08 de Março de 2019. (a)Bela.Lázara Abadia de
Oliveira Figueira".
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 49

0000505-57.2016.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Autor(s): Ministerio Publico Estadual
Reu(s): Adivaldo Alves Moreira
Advogado(s): Elisângela Amaral Conte, Lazaro Flores de Oliveira
Decisão: "(...) Em consideração ao princípio da economia processual, onde é buscada a melhor e mais eficaz solução com o menor
sacrifício, devo declarar a intempestividade do presente recurso de Apelação interposto no dia 29/11/2018. Intimem-se. Barra do
Choça, 08 de março de 2019. LÁZARA ABADIA DE OLIVEIRA FIGUEIRA, Juíza de Direito Titular".

0000021-08.2017.805.0020 - Ação Penal - Procedimento Ordinário


Autor(s): Ministério Público Do Estado Da Bahia - Barra Do Choça/Ba
Reu(s): Adenilton Viana Silva
Advogado(s): Suilane Novais Lima, Wilde Humberto de Campos
Despacho: "(...) Em considaração ao princípio da economia processual, onde é buscada a melhor e mais eficaz solução com o
menor sacrifício, devo declarar a intempestividade do presente recurso de Apelação interposto no dia 27/11/2018. Intimem-se. Barra
do Choça, 08 de março de 2019. LÁZARA ABADIA DE OLIVEIRA FIGUEIRA, Juíza de Direito Titular".

Expediente do dia 11 de março de 2019

0000039-58.2019.805.0020 - Crimes de Calúnia, Injúria e Difamação de Competência do Juiz Singular


Querelante(s): Ana Lucia Luz Dos Santos Almeida
Advogado(s): Francisco Fabio Batista
Querelado(s): Haline Araújo De Almeida
Despacho: ATO ORDINATÓRIO

Fundamentação legal: Art. 93, XIV da CF e PROVIMENTO CONJUNTO Nº CGJ/CCI - 06/2016

Ficam os Advogados dos Querelantes intimados para, no prazo de 15 (quinze) dias, apresentarem comprovante do recolhimento do
preparo.

(Será cancelada a distribuição do feito se a parte, intimada na pessoa de seu advogado, não realizar o pagamento das custas e
despesas de ingresso em 15 (quinze) dias - art. 290, do CPC)

Barra do Choça, 11 de março de 2019.

Sebastião Alves da Costa Neto


Escrivão

BARRA DO MENDES
VARA CÍVEL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO MENDES
INTIMAÇÃO
8000695-41.2017.8.05.0021 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Barra Do Mendes
Autor: Adalberto Rosendo Pereira
Advogado: Claudio Vitor Pereira Figueiredo (OAB:0034001/BA)
Réu: Banco Bradesco Sa
Advogado: Livia Alves Luz Bolognesi (OAB:0012797/BA)

Intimação:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
COMARCA DE BARRA DO MENDES
VARA DOS FEITOS DE RELAÇÕES DE CONSUMO, CÍVEIS E COMERCIAIS
Processo n°. 8000695-41.2017.8.05.0021
DESPACHO
Vistos.
Designo audiência de instrução, a ser aprazada de acordo com a pauta disponível e realizada no Fórum da Comarca de Barra do
Mendes. Intimem-se as partes, por publicação direcionada a seus advogados, para que compareçam.
A ausência da parte autora importará na extinção do feito, sem resolução do mérito, e com condenação ao pagamento das custas
processuais (art. 51, I, da Lei 9.099 e Enunciado 28 do FONAJE). Caso a empresa requerida não compareça, reputar-se-ão
verdadeiros os fatos alegados na exordial, salvo se o contrário resultar da convicção desta julgadora (art. 20, Lei 9.099).
Expedientes necessários.
Barra do Mendes, 20 de junho de 2018.
MARINA LEMOS DE OLIVEIRA
Juíza de Direito Designada
TJBA – DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRÔNICO – Nº 2.335 - Disponibilização: terça-feira, 12 de março de 2019 Cad. 4 / Página 50

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
1ª V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BARRA DO MENDES
INTIMAÇÃO
8000695-41.2017.8.05.0021 Procedimento Do Juizado Especial Cível
Jurisdição: Barra Do Mendes
Autor: Adalberto Rosendo Pereira
Advogado: Claudio Vitor Pereira Figueiredo (OAB:0034001/BA)
Réu: Banco Bradesco Sa
Advogado: Livia Alves Luz Bolognesi (OAB:0012797/BA)

Intimação:
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA
COMARCA DE BARRA DO MENDES
VARA DE JURISDIÇÃO PLENA
Fórum Alberic Campos de Oliveira - Rua Antônio Evaristo dos Santos, s/n, Barra do Mendes/Bahia, CEP 44990-000 - Telefax 3654-1116.

AT O O R D I NAT Ó R I O
D E S I G NAÇ Ã O D EAU D I Ê N C IA
PROVIMENTO CONJUNTO N° CGJ/CCI - 06/2016

Processo nº 8000695-41.2017.8.05.0021

Em cumprimento ao quanto determinado pela Doutora MARINA LEMOS DE OLIVEIRA, MM. Juíza de Direito Designada desta vara em
Decisão/Despacho nos autos 8000695-41.2017.8.05.0021, na ação de [Indenização por Dano Moral, Indenização por Dano Material,
Empréstimo consignado] e de acordo com a pauta de audiências de instrução deste cartório, segue designada data e hora para
audiência, a realizar-se neste Fórum:

AUTOR: ADALBERTO ROSENDO PEREIRA


RÉU: BANCO BRADESCO S/A
Tipo: Instrução
Sala do Juri
Data: 08/04/2019 às 10h:15min
Dado e passado aos 11 de março de 2019, nesta cidade e comarca de Barra do Mendes - Bahia, digitei o presente.

(Assinado eletronicamente)
Núbia Sousa Sodré de Freitas
Escrivã Substituta
Cad: 808.335-5

BELMONTE
VARA CÍVEL
PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA
V DOS FEITOS DE REL DE CONS CIV E COMERCIAIS DE BELMONTE
INTIMAÇÃO
8000020-38.2018.8.05.0023 Mandado De Segurança
Jurisdição: Belmonte
Impetrante: Debora Lopes Dos Santos
Advogado: Juliana Silva Elias (OAB:0029404/BA)
Impetrado: Municipio De Belmonte
Impetrado: Janival Andrade Borges

Intimação:
Senhor(a) Advogado(a), pela presente, fica V. Sa., INTIMADO(A) do r. Despacho/Decisão/Sentença abaixo transcrito, ficando com o
prazo de 15 (quinze) dias úteis para apresentar, querendo, recurso.
Belmonte, 11 de março de 2019.
Raymundo dos Santos Bomfim - Escrivão Cível.
DESPACHO: PROCESSO Nº8000020-38.2018.8.05.0023. SENTENÇA. Vistos, etc. DEBORA LOPES DOS SANTOS CASTOR, já
qualificada, impetrou Mandado de Segurança, com pedido liminar, contra ato da Prefeitura Municipal de Belmonte/BA, representada
pelo Prefeito Janival Andrade Borges. A impetrante afirma que prestou concurso público realizado pela Prefeitura Municipal de
Belmonte, com edital publicado no Diário Oficial em 21/11/2013, em conformidade com o Edital nº 003/2013, para o cargo de
PROFESSOR LICENCIADO EM LETRAS - BARROLANDIA, conseguindo a sua aprovação no 6º lugar, conforme faz prova o Resultado
final do Concurso que segue anexo. Afirma que em 09 de dezembro de 2016, os aprovados do 2º ao 5º colocado foram convocados
para apresentação de documentos e posterior posse, já que a primeira colocada já havia tomado posse e que os 04 (quatro), apenas
o Sr. Lívio Luciano Sampaio Santana entregou os documentos, mas para que tivesse seu direito à posse garantido, teve que impetrar